Sie sind auf Seite 1von 2

Leis e Modelos Científicos

1.5. A Revolução Industrial

Reflexão sobre o trabalho e a importância do tema:


A Revolução Industrial foi a maior mudança tecnológica, socioeconómica e
cultural no século XVIII e início do século XIX.
Iniciou-se na Grã-Bretanha e expandiu-se para todo o mundo. Nessa altura a
economia era baseada no trabalho manual que foi substituído e dominado pela
indústria e pelas máquinas.
É realmente muito importante falar nesta temática, na minha opinião, foi a
partir desta época que o mundo mudou, o desenvolvimento industrial aumentou, a
relação com o trabalho também se alterou e o que antes era voltado para uma
sustentabilidade familiar e doméstica, a partir deste momento assume um papel
capitalista.
No que concerne à questão laboral na sociedade industrial, a indústria passa a
ter uma noção de tempo diferente, tempo este que é dedicado e destinado à procura
de maiores lucros e maior produção, e por isso o relógio passa a ser figura central nas
fábricas.
A Disciplina no trabalho passa a ser uma consequência entre tempo, trabalho e
lucro. Assim, estamos a falar de mudanças sociais e culturais.

1
1.5. A Revolução Industrial

Nível Social – foram mudanças radicais na vida das pessoas, a introdução da


mecanização nas indústrias têxteis, o desenvolvimento das técnicas de trabalhar o
ferro, a expansão do comércio que permitiu a introdução de canais, a construção de
estradas e caminho-de-ferro, a introdução da máquina a vapor que inicialmente era
alimentada a carvão e a motorização da maquinaria (principalmente da indústria têxtil)
fez com que a capacidade de produção aumentasse. O desenvolvimento da maquinaria
em metal e das ferramentas na primeira das duas décadas do século XIX facilitou a
construção de novas máquinas para a manufaturação noutras indústrias.
Mais tarde deu-se o desenvolvimento dos barcos a vapor e dos caminho-de-
ferro e no final do século XIX a introdução do motor de combustão e elétrico.

Nível Cultural – a Revolução Industrial foi também uma revolução cultural, pois
transformou práticas e disciplina no trabalho e criou costumes voltados para a
produção em menos tempo.
Essa transformação deu-se nos grupos sociais de acordo com as suas
experiências durante o período de transformação.
A Revolução nessa perspetiva vem mudar os hábitos do trabalho, os “timings”
passam a ter extrema importância e por isso o relógio passa a ser figura central. Com a
história é possível perceber que o peso do relógio e do tempo fará uma pressão sobre
a classe operária e estas exijam lutas operárias que se traduziram pela diminuição das
horas de trabalho, que estarão presentes entre trabalhadores e empregadores até aos
dias de hoje.
As pessoas passam a ter mais poder de compra, deixou de ser necessário que
cada trabalhador soubesse fazer todas as etapas de um produto, bastava que se
especializassem numa parte do trabalho.
Sendo assim, a Revolução Industrial modificou os costumes da classe operária,
no sentido de que atribuiu um novo sentido temporal em função do trabalho,
transformando a sociedade num mundo capitalista industrial.