Sie sind auf Seite 1von 2

ATENTAI AO QUE FAZEIS

Salmos, 2

Vivem pessoas, famílias e nações


amotinando-se, enfurecendo-se
num abrir e fechar de olhos;
quebrando a paz,
que deveria ser de céu azul
- o amor caminhando
de mãos dadas com a justiça.

Andam todos mancomunando


contra o justo, rebelando-se
quais ondas em mar encapelado,
agitados por malignos
e vãos pensamentos,
sem que a doce imaginação
lhes flua ou contagie.
Conspiram em sua agitação
contra o Senhor e seu Ungido,
Jesus de Nazaré, o Prometido;
o que amansa ventos e procelas,
e ordena aos elementos enfurecidos:

“Aquietai-vos! Sossegai!
Deixai o barquinho seguir em paz!
Descei, vagas, e ponde-vos lisas
como um tapete,
para o coração de meus filhos serenar!"

Voltemos os olhos para o Alto!


Esqueçamos os pensamentos de perigo;
desfaçamos os nós de suas cordas,
que tentam manter-nos a alma presa!
Aquele que habita os céus
contempla a situação;
assiste à conspiração dos inimigos
e zomba deles.

Ele já estendeu o braço


e nos livrou do laço; deu-nos o Rei,
que regerá sobre o Monte Sião
todos os povos.
Com vara de ferro os abaterá;
despedaçá-los-á como vaso de oleiro,
e sairá vitorioso,
a todos submetendo ao seu poderio,
segundo decreto divino.
Ele será o Rei de toda a Terra!
Deixemos pois o fragor das ameaças rugir
sem nos afligir.
A seu tempo, no seu furor,
ele confundirá os insubmissos.

Deus, o Senhor do Céu,


dará ao verdadeiro Messias
as nações por herança,
as extremidades da Terra
por sua possessão!

Ó reis, ó presidentes, ó políticos,


líderes e juízes da Terra,
sede prudentes!
Deixai-vos instruir
pelo Senhor e sua Palavra,
e a ele servi com temor,
alegrando-vos nele com tremor,
antes que sobre vós desça a sua ira.

Atentai ao que fazeis,


para que se não inflame contra vós
a sua indignação,
e se esgote a sua paciência
ante tanta corrupção e idolatria;
o dardes ouvidos a deuses de pau,
barro, papel e metal;
a prestidigitadores, mágicos e feiticeiros.

Bem-aventurados os que nele se refugiam!

Allinges Lenz César Mafra, Professora Interina, cargo de classe “E”, da carreira de professor,
durante o impedimento do Filólogo Serafim Pereira da Silva Neto, para os cursos de Segundo
Grau (antigo Curso Clássico) e Normal do Instituto de Educação. Professora encarregada da
Cátedra de Idioma Português, Seção Letras, em caráter ad-honorem, na Faculdade de Filosofia do
Paraguai.

Professora do Instituto de Cultura Uruguaio-Brasileiro, em Montevidéu, tendo exercido várias


atividades de caráter cultural, não só na Capital como no interior, realizando conferências,
palestras, mesas-redondas, sobre cultura brasileira e personagens importantes de sua Literatura,
como Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles e outros.

Nos últimos anos tem se dedicado à tarefa de estilizar e redigir textos para editoras evangélicas.
Escreve poesia e prosa poética, com base na vivência, em relacionamentos e no cotidiano. Tem em
preparação estudos práticos de gramática, e pesquisa literária na Bíblia.