Sie sind auf Seite 1von 2

Trabalho de Geografia

Professor: Valnir

Grupo: Camile, Marcelo, Jília Monteiro, Luana e Tiago

Relatório

Domínio Morfoclimático:
Características da vegetação:
A vegetação desse bioma é formada por árvores com folhas em forma de agulha, finas e alongadas,
proporcionando uma paisagem exuberante. A espécie dominante é a Araucaria angustifolia, nome
científico do Pinheiro-do-paraná, cujo fruto é o pinhão. Essa espécie atinge mais de 50 metros de
altura. Destacam-se também o xaxim e a bracatinga.
Outra particularidade das araucárias é a restrita ocorrência de flores, provenientes das baixas
temperaturas, além de não desenvolverem outros tipos de plantas nas proximidades dos pinheiros.
Diante disso, a composição paisagística dessa vegetação fica caracterizada principalmente pelo
espaçamento entre as árvores, pois não existem vegetais de pequeno porte que poderiam fazer
surgir uma vegetação densa; elas são compostas por florestas ralas.

Características climáticas:
Possui clima subtropical, ou seja, com as estações do ano bem definidas, onde os invernos são
frios e os verões quentes. Isso indica sua elevada amplitude térmica (verão com temperaturas
médias de 25° e inverno com temperaturas que atingem 0°).

Descrição do relevo:
O relevo onde se localiza a Mata de Araucária é caracterizado por planaltos ondulados com
terrenos sedimentares e basálticos, constituídos por médias altitudes (entre 800 e 1.300 metros). Os
solos apresentam variação em sua composição, podendo ser pobres em minerais em algumas áreas,
e outras (representadas pela maioria) possuem grande fertilidade natural. Os rios são perenes, ou
seja, apresentam água durante o ano inteiro.

Rede hidrográfica:
Os principais rios são os pertencentes à bacia do Paraná. São rios de planalto, com muitas quedas
d'água, por isso apresentam grande potencial hidrelétrico, tendo como destaque as hidrelétricas de
Itaipu, Jupiá, Ilha solteira e etc. Apesar do clima no Paraná apresentar cheias no verão, alguns rios
em seu domínio apresentam duas cheias e duas vazantes durante do ano.

Características dos solos:


O solo é rico em arenito e bassalto, que forma um solo rico e muito fértil, conhecido como terra
roxa. Sua origem é vulcânica, e apresenta coloração avermelhada.

Principais atividades econômicas e formas de ocupação:


A mata de araucárias foi muito devastada pela atividade extrativista (madeira), além da agricultura
e da pecuária que ocorria na região. Apesar de ilegal, também era muito comum a caça de animais
silvestres, o que era um problema nas áreas de Mata de Araucárias. Também há a comercialização
do pinhão, semente da Araucária que é amplamente utilizada na culinária da região sul do Brasil.
Alguns tentam retirar o pinhão ainda verde da Araucária, mas a forma ideal é recolher o que cai da
árvore.
Potenciais de exploração econômica pouco desenvolvidas:
O Domínio das Araucárias ocorre em regiões de clima subtropical e do planalto
meridional (Sul) do Brasil, em terrenos sedimentares-basálticos. O relevo de planalto ou
chapadas é coberto pelos bosques de araucárias, plantas que são conhecidas por suas
características peculiares. Geralmente as matas de araucárias se desenvolvem em
locais com médias altitudes, onde as elevações variam entre 800 até 1300 metros. Não
existem um padrão de solos nos quais se desenvolvem as matas de araucárias, sendo
que podem ocorrer em solos com grande fertilidade natural ou ainda em solos ácidos e
pobres em relação aos minerais básicos.

Fragilidades e riscos ambientais:


A Mata das Araucárias vem sofrendo com problemas ambientais causados pelo homem,
especialmente com o desmatamento, a exploração de espécies vegetais e o tráfico de
animais silvestres.
Atualmente, a Mata das Araucárias já perdeu cerca de 2% de toda sua extensão
territorial, que já chegou a 100 mill km2.
A ação do homem causa diversas consequências e pesquisadores apontam o risco de
extinção das Araucárias. A extração de madeira para fins comerciais e a ocupação do
território para uso da agropecuária é uma das principais causas.
Diversas espécies de madeira são muito valorizadas pela indústria, gerando graves
consequências para o ecossistema local.

Como aproveitar os potenciais econômicos com equilíbrio socioambiental:


A qualidade da madeira, leve e sem falhas, fez com que a araucária fosse intensamente
explorada, principalmente a partir do século XX. Calcula-se que entre 1930 e 1990, cerca
de 100 milhões de pinheiros tenham sido derrubados. Nas décadas de 1950 a 1960, a
madeira de araucária figurou no topo da lista das exportações brasileiras.
Nos últimos dois séculos, a expansão de atividades econômicas e das cidades reduziu a
floresta com araucária a aproximadamente 3% de sua área original, sendo que menos de
1% dessas florestas podem ser consideradas primárias. Levantamentos feitos, em 2004,
pelo PROBIO, no Paraná, registram que nesse estado existem apenas 0,8% de
remanescentes em estágio avançado de regeneração, ou seja, que guardam as
condições e características originais.

Conclusões:
Concluímos bem resumidamente quea vegetação desse bioma é formada por árvores com folhas
em forma de agulha, finas e alongadas, proporcionando uma paisagem exuberante.
Possui clima subtropical.
Aonde a mata se encontra é caracterizado por planaltos ondulados com terrenos sedimentares e
basálticos, a composição do solo pode ser pobres em minerais em algumas áreas, e outras
(representadas pela maioria) possuem grande fertilidade natural. E os rios são perenes.
Foi muito explorada devido a qualidade de sua madeira e por não ter falhas e devido a isso ela vem
sofrendo com o desmatamento e consequentemente com o tráfico de animais silvestres.
Possuem solos com grande fertilidade natural ou solos ácidos.