Sie sind auf Seite 1von 9

HISTORIAL

O ser humano para sobreviver aos obstáculos da natureza e todas as adversidades foi
se juntando aos outros quando percebeu que no colectivo teria mais chance de viver do que
individualmente. Daí começou a realizar as suas actidades em grupo. Partindo do pressuposto
de que com o grupo a um maior alcance dos objectivos e metas, Com o aumento das
complexidades das sociedades humanas, foram se constituindo inúmeros grupos sociais para
realização de tarefas específicas, e deste modo surge as organizações. As primeiras
organizações de que se tem notícia foram as organizações militares e religiosas. Assim sendo
podemos encontrar diferentes tipos de organizações ao longo da historia, o foco aqui cai sobre
as organizações modernas.

O CONCEITO DE ORGANIZAÇÃO
O termo organização deriva do grego Organon que significa uma ferramenta ou
instrumento, fornece uma ideia do seu significado.
Organização pode ser entendida como instrumentos utilizados pelo homem para desempenhar
determinadas tarefas que não seriam possíveis de ser realizadas por um indivíduo em
particular.

Há várias definições de organização segundo vários autores pra citar apenas alguns:

Peter Druker, organização é um grupo humano composto por especialistas que


trabalham em conjunto em uma tarefa comum. Embora seja uma criação humana, ela é feita
para durar por um período de tempo considerável

Na conceituação de Burker, ele enfatiza o aspecto de que a organização e sempre


especializada, que ela é definida por sua tarefa, pois só assim ela será eficaz. Ao hospital
cumpre tarefa de cuidar de doentes; a orquestra toca música, a escola concentra-se no ensino e
aprendizado, etc.

Anthony Giddens, para ele a organização é um grande agrupamento de pessoas,


estruturadas em linhas impessoais e estabelecidas a fim de atingir objectivos específicos.
Baseando-se na questão do hospital, afirma que tais objectivos são a cura de doenças e o
oferecimento de outra forma de atenção médica.

Para Megginson, Mosley e Pietri Jr. – Organização são grupos de indivíduos com um
objectivo comum ligados por um conjunto de relacionamento de autoridade -responsabilidade,
são necessárias sempre que um grupo de pessoa trabalho junto para atingir um objectivo
comum
Amitai Etzion, para ele organizações são unidades planejadas, internacionalmente
estruturadas com o próprio sentido de atingir objectivos específicos.

1
CONTEÚDO CENTRAL DE ESTUDO (foco)
Para alguns autores, a sociologia das organizações tem como conteúdo central o estudo
de 5 grandes características que são encontradas em todas as organizações: alguns objectivos
específicos que orientam os aspectos estruturais e funcionais, uma rede de posições ocupadas
por indivíduos substituíveis, uma dedicação responsável as tarefas de sua posição por parte
dos indivíduos que a ocupam, uma estrutura ou sistema estável e coordenado de relações entre
as diferentes posições, e um ou mais centros de poder que controlam a actividade da
organização e a dirigem para realização de seus objectivos.
Pode se afirmar que a sociologia organizacional se preocupa em estudar as formas
organizacionais como sistemas sociais em contínua interacção com o seu ambiente externo,
que gera efeitos em seus processos internos (os indivíduos, suas interacções, comportamentos,
processos sociais básicos, relação de poder etc.) e na organização como um todo.

Aborda os O individuo
Sociologia fenómenos
das organizacional A Organização
organizações tendo como
referencial A ação da organização
básico na sociedade

Individuo: deste ponto de vista, os problemas objecto de estudo são aqueles que dizem
respeito às pessoas que pertencem à organização, ao tipo e grau de participação, seu
comportamento, motivação, cultura adquirida, identificação com a organização etc.
A organização: trata-se de considerá-la um todo complexo, e o seu estudo foca a
estrutura (Hierárquica, física, de dominação, das relações de poder), os diversos sistemas que
contém (técnico, de normas, etc.), a ideologia, os fins, objectivos e metas. Incluem-se neste
referencial também, os processos e cooperação, os conflitos, a comunicação, a influência do
ambiente externo, etc.
Acção da organização na sociedade: o terceiro modo de se abordar as organizações é
considerá-las enquanto atores sociais, partindo do pressuposto de que são agentes activos de
transformações sociais (sociais, económicas, culturais etc.) que podem incluir tanto mudanças
como manutenção de determinado status quo. Trata-se, em resumo da acção organizacional
no seio da sociedade, da relação com o seu público externo, com as instituições públicas,
privadas e do terceiro sector, e da comunidade que vive em seu entorno imediato.

2
CARACTERISTICAS GERAIS DAS ORGANIZAÇÕES

SÃO SISTEMAS SOCIAIS


PESSOAS ASSOCIADAS
PERDURAM NO TEMPO
ORGANIZAÇÕES SÃO UNIVERSAIS
TÊM IDENTIDADE
PROPRIA
TÊM SISTEMA DE
COMUNICAÇÃO
DIVISÃO DO TRABALHO

A) SÃO SISTEMAS SOCIAIS


As organizações reproduzem, de certo modo, as sociedades humanas e os
relacionamentos nelas existentes, assim constituem-se em sistemas sociais, onde cada
individuo assume um papel social que deve desempenhar para manutenção do
conjunto. Como sistemas sociais as organizações possuem regras de convivencia
humana perfeitamente estabelecidas e que ditam como deve ocorrer os
relacionamentos cotidianos para que os objectivos sejam alcançados.

B) COMPREENDEM GRUPOS DE PESSOAS ASSOCIADAS


As organizações reúnem grupos de pessoas que buscam atingir objectivos comuns,
através do estabelecimento de relações formalizadas, e, caso haja necessidade,
qualquer membro pode ser substituido, sem que ocorra risco à sobrevivencia da
entidade

C) PERDURAM AO LONGO DO TEMPO


As organizações podem perdurar muito mais tempo do que os indiduos que as criaram.
Exemplo: A igreja catolica existe a mais de 700 anos.

D) SÃO UNIVERSAIS
Podem existir em qualquer lugar em que seja necessaria uma actividade colectiva para
se atingir determinados objectivos.

E) APRESENTAM IDENTIDADE PROPRIA


O conjunto de pessoas que conformam a organização segue regras pré-determinadas, e
actua como um todo organizado e com caracteristicas proprias na sociedade em que se
situa. A sociedade é formada por individuos e organizações no sentido de ambos
apresentam caracteristicas identitarias proprias. As organizações podem ser
reconhecidas como pessoas juridicas capazes de adquirir direitos e contrais
obrigações.

3
F) APRESENTAM UM SISTEMA DE COMUNICAÇÃO
Este sistema é crucial para o funcionamento perfeito da organização. Um sistema de
comunicação se destina a regular as relações entre os individuos, estabelecer e
consolidar os diferentes niveis de autoridade e ainda é essencial no controle social da
direção sobre o trabalho executado nos diversos sectores da organização. O fluxo de
informações vais determinar um maior ou menor controle da organização por parte
dos seus dirigentes.

G) MULTIPLICAM A CAPACIDADE INDIVIDUAL ATRAVÉS DA DIVISÃO


DO TRABALHO

Ao se dividirem as tarefas entre varios individuos, o resultado final não será a


soma dos esforços individuais, mas sim algo muito maior. Este é o efeito multiplicador
das capacidades individuais associadas que apresentam as organizações.

TIPOLOGIA DE ORGANIZAÇÕES

PRINCIPAIS TIPOS DE ORGANIZAÇÕES

CLASSIFICAÇÃO QUANTO À SUA ESPECIFICIDADE SECTORIAL.


Podemos distinguir 3 grandes tipos de organizações na sociedade contemporânea
baseando em suas especificidades macros sectoriais.
1. Administração pública( sector público): se caracteriza por o bem comum
como valor essencial
2. Empresas(sector privado): busca antes de tudo o interesse privado em sua
expressão economica
3. Organizações socias( terceiro sector): realizam interesses privados, de
conteúdo não economico, ou interesses comuns a certos sectores da população
que não encontran resposta na administração pública.

4
Administração EMPRESAS ORGANIZAÇÕES
pública( sector SOCIAIS
público)
Modo primario de Obrigatório voluntário Voluntário
filiação
Fundamento de cidadania propriedade Isnscrição
filiação primaria
Fundamento de Emprego Emprego Emprego
filiação secundária
Tipos de Tarefa Geral Específica Específica
Estrutura primaria Estrutura política Propriedade Estrutura
de poder Participativa

TIPOLOGIA BASEADA NA FUNÇÃO OU METAS DAS ORGANIZAÇÕES


SEGUNDO TALCOTT PARSONS
A) Organização de produção: que se encarrega de productos que serão consumidos pela
sociedade, como as empresas.
B) Organização baseada em metas política: busca objectivos que gerem e distribuam
poder dentro das sociedades, como sindicatos e partidos políticos
C) Organização Integradora: quue busca motivar a satisfação de espectactivas
intitucionais e assegurar que as diferentes partes constitutivas da sociedade funcionem
de maneira compacta, como o corpo de bombeiros.
D) Organização para manutenção de padrões: que trata de assegurar acontinuidade da
sociedade por meios de actividades educativas e culturais, como escolas e
universidades.

IMPORTANCIA DAS ORGANIZAÇÕES


É fácil perceber a importância das organizações; basta olhar para o conjunto de
actividades que uma pessoa pode realizar durante um curto período de tempo. EXEMPLO: ler
um jornal (foi editado por uma organização jornalística), o leite ou o café que tomamos em
nossa casa chega até nós através de diversas organizações (a produtora, a distribuidora), a
padaria que é uma (organização comercial), as equipas de futebol que são (organizações
desportivas) etc.
Alguns autores até consideram que as grandes transformações sociais na história têm
sido essencialmente nas organizações. (A propagação do cristianismo, o crescimento e
desenvolvimento do capitalismo e socialismo, e suas alterações, ocorreram através das
organizações. A energia nuclear, o terrorismo, o desemprego, o aborto e tantas outras coisas

5
que caracterizam as sociedades contemporâneas, não podem ser compreendidas sem uma
consideração e uma compreensão dos seus contextos organizacionais.
Nas diferentes sociedades humanas, há diversos tipos de organizações e nem todos têm
a mesma importância social.
EX: As organizações camponesas na Bolívia têm um papel importante mas em Angola
não. As organizações religiosas no irão tem grande importância tal também como em Angola
apesar de não ser no mesmo grau; as organizações desportivas nos Estados Unidos e na
Espanha também têm u um papel de destaque na sociedade.
No conjunto das organizações existentes, há algumas que são essências, como as
organizações económicas (que são empresas que produzem bens que serão utilizados por toda
sociedade); as organizações educacionais (que se encarregam de produzir a cultura dominante
num determinado país); organizações políticas (que estruturam as relações de poder); as
organizações religiosas (lugar onde as pessoas buscam conforto espiritual).
ORGANIZAÇÕES COMO AGENTES SOCIAIS
As organizações modificam o ambiente onde estão localizados, e enquanto maiores, mais
significativas são as modificações que provavam .Assim, as organizações são agentes sociais
que controlam determinados bens, estabelecem novas relações na sociedade onde estão
inseridas e provocam modificações no ambiente sociocultural. Como já mencionado, as
organizações são protagonistas na sociedade, em todos os âmbitos em que se estrutura
(privado ou público).
As organizações devem ser consideradas como agentes sociais colectivos que influenciam
e determinam a vida de outros agentes (colectivos e individuais).
Tomando como exemplo uma organização económica (empresa) temos como principais
âmbitos que intervém:
 Criação de mercado de trabalho, entendido como conjunto de praticas que regulam a
contratação e o controle da actividade productiva dos trabalhadores
 Contribuição eficaz e decisiva para a estratificação social
 Modificação do meio natural ou ecologico, do qual seus recursos e sobre o qual
intervém de muitos modos ao longo do processo productivo.
 Através da produção de mercadorias, ou seja, bens e serviços que se oferecem ao
mercado mediante a um preço:
-Produz valores de uso, bens úteis, que respondem necessidades colectivas e indiduais
, reis ou ficticias, naturais ou criadas.
-Produz valores de troca, cujos preços são contruídos pelas empresas, etc.

6
PODER DAS ORGANIZAÇÕS NOS ESPAÇOS RURAIS E URBANOS
ENQUANTO AGENTES MODIFICADORES DA SOCIEDADE

EXEMPLOS:
RURAL

AS COOPERATIVAS:
Toda cooperativa consiste uma sociedade cujos os participantes dividem os lucros e as
responsabilidades, alem de terem objectivos comum. No caso das cooperativas agropecuárias,
diversos produtores rurais se juntam para, em grupo serem capazes de atender mais facilmente
o consumidor, negociar melhores condições para compra de insumos e dar vazão mais
facilmente a sua produção.
As cooperativas têm como função aumentar a exposição do produtor rural e também
ajudar o grupo a se sair melhor no mercado.
COMO FUNCIONAM: é muito simples. Um número de produtores rurais com a
mesma actidade se organizam e unem suas produções para vende-la ao mercado em grandes
quantidades, bem como comprar insumos directamente da indústria. Ex: produtores de leite se
juntam para vender toda produção de leite de maneira agrupada.
VANTAGEM: a principal vantagem aqui é o apoio dado à actuação dos trabalhadores
rurais. Uma vez que, para os pequenos produtores e bastante desafiador escoar a produção de
maneira eficiente e competitiva.
Em Angola a organização responsável pelas cooperativas é a UNACA (confederação
das associações de camponeses e cooperativas agro-pecuárias de Angola), apesar de as
cooperativas serem organizações que ajudam no combate a fome e pobreza, elas não tem um
grande impacto na sociedade. A lei que regula as cooperativas é a lei(23/2015 de 31 de
Agosto)
URBANAS
Temos os bancos, hospitais, empresas multinacionais etc.

TEORIAS DAS ORGANIZAÇÕES


Podemos considerar três (3) grandes abordagens no campo das teorias organizacionais:
A clássica, a humanista e a abordagem sistémica contingêncial
A CLÁSSICA: consideram as organizações como sistemas racionais e fechados e
operando como maquinas. Contribui muito para estabelecer os parâmetros de organização de
industria voltando-se exclusivamente para o seu interior. Compreendeu-se inicialmente a
organização como uma unidade produtiva desconsiderando-se a sua constituição como teia de
relações humanas. Figuras de destaque: Frederick Taylor, Henry Fayol e Max weber

7
A HUMANISTA: Dá realce as interacções sociais dentro das empresas. Tem como
figuras de destaque: Elton Mayo, Chester Barnard
A ABORDAGEM SISTÉMICA CONTINGENCIAL: Lawrence e lorse afirmaram
que a estrutura mais adequada que uma organização adota dependera do contexto especifico,
não existindo portanto nenhuma forma organizacional óptima para qualquer situação. Figuras
de destaque: Douglas Mcgregor, Burns e Stalker.

O PODER NAS ORGANIZAÇÕES

Um dos mais importantes processos sociais é a capacidade que possuem os


indivíduos e grupos sociais, entre os quais as organizações, de modificarem o comportamento
de outros grupos e pessoas. Esse processo social, fundamental para os seres humanos, é que
denomina poder.
Na estrutura de funcionamento das organizações, a questão do poder é fundamental,
pois se trata de um sistema de relações sociais em que existe permanentemente uma
hierarquização baseada em diferentes capacidades dos indivíduos nas posições que estes
ocupam na organização. Tendo em conta o poder pode-se falar que uma organização é uma
estrutura hierárquica de poder.
A maior parte dos cientistas sociais compartilha a ideia de que poder é a capacidade
para afectar o comportamento dos outros. O poder pode ser considerado como um meio, que o
grupo ou o indivíduo tem, de fazer com que as coisas sejam realizadas por outros indivíduos
ou grupos.
Para Max Weber, poder significa toda probabilidade de impor a própria vontade
numa relação social, mesmo contra resistências, seja qual for o fundamento desta realidade.
Para Crozier e Friedberg o poder é uma relação de força (A sobre B) da qual um
pode obter mais vantagens que o outro, mas na qual, por outro lado, esse depende do outro
que se submete.

COMPONENTES DO PODER
O poder se manifesta através de pelo menos 3 componentes:
A FORÇA: denominamos a força, o uso ou ameaça de coerção física. Os estados
reservam o monopólio de todos os meios importantes de coerção para a polícia ou forças
militares. Nos estados nacionais cada vez mais tem surgido grupos que disputam com o estado
o este monopólio de coerção física e estes grupos tornam-se ameaça ao poder estatal. EX: o
crime organizado, as quadrilhas, máfia
A AUTORIDADE: compreendemos autoridade como direito estabelecido para
tomar decisões e ordenar acções de outrem. Ou seja, é a legitimação do poder, através da
incorporação de conteúdo jurídico e/ou moral. Essa legitimidade assenta-se sobre o

8
consentimento durável e tende à unanimidade entre os membros de uma sociedade ou de um
grupo social.
INFLUENCIA: chamamos de influência a habilidade para afectar as decisões e
acções de outro mesmo não possuindo força ou autoridade para assim proceder. É influente
um indivíduo que consegue modificar o comportamento de outros sem ocupar um cargo
público ou privado, e sem utilizar nenhuma forma de coerção física