Sie sind auf Seite 1von 19

CAXIAS DO SUL

CARACTERISTICAS:

Caxias do Sul é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Localiza-se no nordeste
do estado a uma altitude de 817 metros sobre o nível do mar, sendo a cidade mais importante
da Serra Gaúcha, chamada Rota da Uva e do Vinho, a segunda cidade gaúcha mais populosa,
superada apenas pela capital Porto Alegre; e a 47º maior cidade Brasileira.

A região possui o maior contingente de imigrantes italianos do estado do Rio Grande do Sul e é
conhecida pelo tradicional Festival da Uva, que acontece a cada dois anos. Caxias do Sul
representa una parte de Italia en Brasil, mestizaje con las tradiciones gauchas.

A história da cidade e da imigração é


muito forte e é, em parte, retratada
no Monumento Nacional ao
Imigrante no Museu Municipal e no
Museu Ambiental Casa de la Piedra,
um belo exemplo da arquitetura
italiana.
A religiosidade, também muito presente nas culturas italiana e brasileira, pode ser vista na Igreja
de San Peregrino, que tem pinturas do renomado pintor ítalo-brasileiro Aldo Locatelli, e na
Igreja de Santa Teresa, também conhecida como Catedral Diocesana.

Caxias Do Sul
HISTÓRIA

A história de Caxias do Sul começa quando a região era percorrida por tropeiros, ocupada por
índios e chamada Campo dos Bugres. Esse cenário começou a mudar em 1875, quando
chegaram os primeiros imigrantes italianos em busca de um lugar melhor para viver. Dois anos
após o início da ocupação, o território recebeu a denominação de Colônia de Caxias.

Ao longo desse tempo, novas levas de imigrantes chegaram. Em 20 de junho de 1890 foi criado
o Município, desmembrado de São Sebastião do Caí. O nome, Caxias do Sul, foi uma homenagem
ao Duque de Caxias. Logo na primeira década do século XX, um marco para o desenvolvimento:
no dia 1º de junho de 1910 chegava o primeiro trem, ligando a região à capital do Rio Grande
do Sul. Nesse mesmo dia, Caxias foi elevada à categoria de cidade. A denominação atual – Caxias
do Sul – viria por meio de decreto, no ano de 1944.

O novo meio de transporte marcou uma nova era para o desenvolvimento do município.
Partindo do cultivo da uva e do vinho, chegou ao título de segundo maior polo metalmecânico
do Brasil. As indústrias caxienses fabricam desde pequenas peças até ônibus e caminhões.
Importância econômica que trouxe reflexos também para os setores de comércio e serviços, que
se tornaram referência para toda a Serra Gaúcha.

Hoje, Caxias do Sul é fruto da garra e da determinação herdadas dos imigrantes com a
contribuição de outras culturas que foram abraçadas pelo povo, como a tradição gaúcha. Uma
cidade vibrante, feita pelos seus 483.377 moradores, conforme levantamento do IBGE de 2017,
e que se consolida como o segundo maior município do Rio Grande do Sul em número de
habitantes e em importância econômica.

O desenvolvimento da economia caxiense ao longo das últimas décadas pode ser considerado
o principal fator de expansão da cidade. O culto ao trabalho e a vocação empreendedora trazida
pelos imigrantes deu origem a uma indústria de transformação muito diversificada, um
comércio competitivo e uma prestação de serviços cada vez mais qualificada.

Centros e instituições culturais:

Caxias possui a Universidade de Caxias do Sul, criada em 1976. Também possui dois museus: o
Museu Casa de Pedra, que reúne móveis e móveis de emigrantes da época da colonização, e o
Museu Municipal, onde estão expostos elementos referentes à história da migração italiana,
como arquivos históricos, mapas, fotografias, filmagens etc.

Festivais e Folclore:

A principal festa de Caxias do Sul é a Festa da Uva. Iniciado em 1931. Simultaneamente, é


celebrada a Feira Agroindustrial, que é um espelho vivo do dinamismo e progresso desta cidade
em todos os campos.

Lém disso, a Feira Agropecuária Rodeio Nacional Campo dos Bugres é comemorada em março;
em julho, a Celebração do Vinho Novo; em novembro, a Réplica e Espetáculo "Som Luz",
considerada uma das três melhores do mundo em seu gênero; É comemorado na terça e no
domingo e tem como tema central histórias relacionadas à migração italiana.

Monumentos históricos:

- Igreja de São Pelegrino, É um dos mais belos templos católicos da região.


- Parque de exposições ou pavilhões Dr. Mario Bernardino Ramos

- Monumento Nacional ao Imigrante

- A casa da Pedra, é uma construção de 1878, feita com pedras irregulares, com barro e madeira
trabalhada à mão. Desde 1974, foi transformado em museu.

Museu Ambiencia Casa de Pedra

Iglesia San Pelegrino

Catedral de Caxias do Sul Monumento Nacional de los Inmigrantes


Parque de Exposiciones Dr. Mario Bernardino Ramo

Vários aspectos de Caxias do Sul. De cima para baixo e da esquerda para a direita: Museu
Ambiência Casa de Pedra, Monumento Nacional ao Imigrante, Catedral, Panorama da cidade,
Estátua da Liberdade na Praça Dante Alighieri, Prédios históricos da Metalúrgica Abramo Eberle
e a Casa da Cultura Percy Vargas de Abreu e Lima

Refeições Típicos Do Rio Grande Do Sul

A época da colheita, entre janeiro e março, marca o início da Festa Nacional da Uva em Caxias
do Sul (RS), a maior do Brasil. Realizada a cada dois anos, reúne gastronomia, música e
muito vinho. O evento, que ocorre desde 1931, desta vez tem um gostinho mais do que especial
ao comemorar também o Ano da Itália no Brasil. Foram os imigrantes italianos, que chegaram
à Serra Gaúcha no século 19, que trouxeram na bagagem as técnicas de cultivo e plantação da
uva.

Já no Parque de Eventos, há apresentações de dança e música italianas. Além de um amplo


cardápio de refeições típicas como galeto, tortei e sopa de agnoline, pode-se degustar uvas e
vinhos produzidos na região.

Também é possível participar da divertida Olimpíada Colonial e reviver alguns hábitos dos
colonizadores italianos. Entre as provas estão amassar uvas com os pés, arremesso de queijo
parmesão e fazer macarrão artesanal.

Churrasco

A origem do prato é desconhecida, porém, muitos atribuem aos países dos pampas do Sul da
América Latina: Argentina, Uruguai e Brasil (mais especificamente, no próprio Rio Grande do
Sul). Foi nestes locais que os chamados gaúchos tornaram o prato conhecido e típico.
Arroz de Carreteiro

Popularmente conhecido como “Carreteiro”, é um dos mais populares pratos do Rio Grande do
Sul. O prato surgiu quando os carreteiros (transportadores de cargas) que atravessavam o sul
do Brasil em carretas puxadas por bois coziam, em panela de ferro, uma mistura de charque
picada com arroz. A forma de preparar continua basicamente a mesma até hoje.
Tainha na Taquara

A região litorânea do Estado também tem pratos que ilustram o cardápio de comidas típicas. A
tainha na taquara é mais popular no litoral sul e na região do lago Guaíba e suas ilhas, como a
ilha da Pintada. O prato constitui-se de uma tainha – ou anchova – assada sobre a lenha em
brasa presa a um espeto feito de bambu-taquara. Também é o prato típico mais vendido durante
a Festa do Mar, realizada de dois em dois anos na cidade de Rio Grande.

Matambre recheado
Mais um prato feito a base de carne é o matambre recheado. Típico do Rio Grande do Sul e de
países vizinhos, como Uruguai, Argentina e Paraguai. O matambre recheado é feito com a carne
de mesmo nome, com o recheio de salsa picada, fatias de cenoura, pimenta e pimentão moído,
ovos cozidos duros e condimentado com um pouco de azeite e sal.

Espinhaço de ovelha com aipim

Dessa vez a carne é a de ovelha. O espinhaço é uma parte da ovelha que vai do pescoço ao lombo
e, normalmente, é dividido em pedaços (nacos, ripas) para ser consumido. Esse corte é
conhecido por ser extremamente macio.
Paçoca de pinhão com carne assada

A Paçoca de Pinhão é um dos pratos típicos gaudérios que fogem um pouco da culinária
convencional, mas sem perder a praticidade do preparo. A receita era feita pelos índios do sul
que caminhavam longas distâncias e precisavam de energia.
Doces Típicos Do Rio Grande Do Sul

Sempre que pensa na gastronomia gaúcha, apostamos que a primeira coisa que te vem à mente
é o tradicional churrasco… E se te dissermos que este não é o único prato delicioso do Sul? Os
gaúchos são bons para muito além do churrasco: nossa gastronomia viaja pelos vinhos da Serra
até os bons doces da mesa da vovó.

Arroz-doce
O arroz-doce, ou arroz de leite, é um prato de origem asiática trazido para o Brasil pelos
portugueses com um novo elemento: a canela. Consumido em diferentes regiões brasileiras, o
que o faz um prato típico gaúcho é seu preparo com o leite de vaca, diferente do nordeste que
costuma utilizar o leite de coco.
A sobremesa consiste no cozimento do arroz com o leite. E os toques cítricos de cascas de limão,
laranja e canela são o contraste perfeito para o sabor doce da sobremesa. Vale a pena
experimentar!

Sagú de vinho
A mistura adocicada entre o vinho e a mandioca é o resultado da experiência de dois irmãos
alemães, chamados Lorenz, que fundaram a primeira indústria de fécula de mandioca da
América Latina e que, ao chegar na Serra Gaúcha, deu origem a um prato típico, o sagú.

Como um caviar doce, o sagu é um prato de sabor próprio que consiste em bolinhas cozidas
com o vinho, que trazem o gostinho da uva com uma textura cremosa, para comer de colher. O
toque especial é o creme de baunilha por cima, uma delícia!

Chimia
A chimia, ou Schmier, que significa “algo pastoso” em alemão, também foi trazida pelos
imigrantes alemães. Essa geleia alemã foi a forma encontrada pelos imigrantes de manter o
sabor das frutas que eram colhidas apenas uma vez ao ano.
Um ótimo recheio para os pães, a chimia é uma tradição na mesa das vovós gaúchas. Pode ser
feita com as mais diversas frutas, como goiaba, uva, maçã, figo, morango, abóbora, entre outras.

Cuca
A cuca é um
bolo/doce trazido
pelos imigrantes
alemães para o
Rio Grande do
Sul,
principalmente
para a Serra Gaúcha. É o lanche perfeito para um café da tarde, e tem até quem gosta de comer
cuca junto às refeições, como o churrasco! Se destaca, principalmente, pela sua variedade de
recheios e a crocância que conquista qualquer um! Chocolate, goiabada, doce de leite, leite
condensado… São apenas alguns dos sabores. Experimente!

Ambrosia
Um doce divino muito anterior a nós, nascido na Grécia Antiga, era considerado o “manjar dos
Deuses”, que dava imortalidade àquele que o provasse, segundo a mitologia grega. No Brasil,
foi trazido pelos portugueses e tornou-se um prato típico tanto dos mineiros como dos gaúchos.
Feita a base de ovos batidos, cozidos em leite, a ambrosia é um doce de colher maravilhoso.
FESTA DA UVA EM CAXIAS DO SUL

ARTESANATO.

A Festa Nacional da Uva ocorre, no Parque de Exposições Mário Bernardino Ramos.


Popularmente chamado de Pavilhões da Festa da Uva, é um dos maiores complexos para eventos
da Serra Gaúcha, onde centenas de expositores apresentam seus produtos e lançamentos,
oferecendo várias opções de compras, desde artigos típicos coloniais produzidos pelas
comunidades do interior até serviços e produtos elaborados pelas indústrias que projetam Caxias
do Sul no cenário mundial dos negocios.
Quem
visitar a Feira, poderá conhecer e comprar trabalhos únicos e diferenciados, com as mais
variadas matérias-primas como feltro, tecido, madeira, lã, tinta, parafina, biscuit, metal, papel,
couro, entre outros.

Venda de artesanato em madeira, vimes, vidros, tear, bonecos, topiaria, couro, crochê, tricô,
macramê, bordados, papel vegetal, pintura, velas, biscuit, cuias, frivolitê, artigos regionais,
cestaria em jornal, juta, palha, entre outros.

O melhor do Artesanato Gaúcho está à disposição no espaço, com produtos feitos em biscuit,
crochê e pinturas. Moradoras de distritos do município vendem os trabalhos feitos pela
comunidade, incluindo chapéus de palha e tapete alusivos à festa.
Peças artesanais feitas com matéria-prima da rica biodiversidade brasileira, a partir dos saberes
regionais, terão espaço reservado na Festa Nacional da Uva.

Os grupos e seus produtos:

 Renda Renascença: vestuários, acessórios, toalhas de rosto e de mão;

 Bordados que Brotam: batas, vestidos, túnicas, vestidos de bebê, camisetas, saias;

 Coopnatural: camisetas masculinas, blusas femininas, brinquedos, capas de almofadas.

 Florestas: bolsas, chaveiros, colares, artigos em crochê, blusas em tecido.

 Lã-Pura/RS: xales, casacos, echarpes, mantas, blusas, vestidos, palas, cobertores,


ruanas, acessórios diversos.
 Coopabelis/PI: almofadas, pãozeiras, toalhas de mesa e lavabo, centro de mesa, panos
de bandeja.

 Cancões de Bordar/BA: almofadas bordadas, roupas, chaveiros, porta-lápis, echarpes.

 Mulher Peixe/MS: bolsas, acessórios femininos, nécessaire, porta-moeda, carteiras,


colares, chaveiros, imãs.

 Ateliê Renascença/PB: blusas, vestidos, toalhas de mesa, passadeiras, pano de bandeja,


roupas de bebê, porta-guardanapos, toalhas de lavabo, porta-copos, jogo americano,
saias, porta-talher;
Dois Pontos/PB: blusas, vestidos, caminhos de mesa, jogos americanos, panos de
bandeja, capas pra almofadas, toalhas de banho, bolsas, panos de prato, mantas pra
bebê.
 Linho dos Lençóis/MA: brincos, saídas de praia, tiaras, porta-garrafas, cortinas, colares,
pulseiras, flor pra cabelo, centro de mesa, nécessaire, sandálias, chapéus, bolsas,
toalhas de mesa.

 Ca e Lá/BA: bolsas, carteiras, chapéus, porta-moeda, sousplat, jogo americano, tapetes..

 Coopfan (Tlentos do Brasil Rural): Café Familiar da Terra orgânico (torrado e moído),
Café Familiar da Terra (orgânico, torrado e moído), Café Familiar da Terra (sustentável,
torrado e moído), Café Familiar da Terra (orgânico e sustentável).

 Coopercuc (Talentos do Brasil Rural) – Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos,


Uauá e Curaçá: doces e geleias à base de frutas nativas do Sertão.

ARTESANATO AGROINDUSTRIAL
Caxias do Sul , Artesanato Agroindustrial

Ao percorrer o espaço da agroindústria familiar no Nostra Gente (Pavilhão 2) do Parque de


Exposições Mário Bernardino Ramos, os visitantes enchem os olhos e as sacolas com as delícias
produzidas na região. Doces, pães, biscoitos, grostoli, salames, copas, linguiças, queijos,
cachaça, vinho, suco de uva, geleias, mel e artesanatos produzidos por agricultores familiares
gaúchos estão entre as atrações da Festa da Uva.
O espaço demonstra força da cultura italiana e vai ao encontro do tema do evento Viva una Bela
Giornada, uma vez que os produtores mantêm a tradição até mesmo no processamento dos
alimentos. Os produtos mais vendidos são o salame, grostoli, queijo, suco de uva e cuca italiana.
Entre os produtos que mais têm chamado a atenção, estão o anelzinho de cachaça e os sequilhos
de nata.

Para quem gosta de artesanato, há uma grande variedade de produtos, como caixinhas, baús,
artigos para churrasco, ursos, bonecas, entre outros. As flores também têm chamado a atenção.