Sie sind auf Seite 1von 159

DOSSIER DE IMPRENSA

1
Índice

NÚMERO DE INSERÇÕES............................................................................................. 3

PUBLICIDADE ................................................................................................................ 5

IMPRENSA...................................................................................................................... 9

INTERNET..................................................................................................................... 24

IMPRENSA ESTRANGEIRA......................................................................................... 70

TV................................................................................................................................ 119

RÁDIO ......................................................................................................................... 123

OUTROS ..................................................................................................................... 131


Nº DE INSERÇÕES DO SPOT

3
Suporte/Meio Quantidade Dimensões/Duração
Flyers 30 000 20cm x 15cm
Convites 1 000
Outdoors 20 4mt x 3mt
Mupis 40 2m2
Lonas 4 4mt x 3mt
Equipamento dos jogadores 24 x 16 384
Imprensa - cartaz 30 A3
Antena 1 105 spots 30 segs.
RDP Internacional 105 spots 30 segs
RDP África 105 spots 30 segs.
RTP 1 27 spots 20 segs.
RTP 2 38 spots 20 segs
RTP N 34 Spots 20 Segs.
RTP África 34 spots 20 segs.
RTP Internacional 34 spots 20 segs.
RTP Memória 321 spots 20 segs.

4
PUBLICIDADE

5
OUTDOOR

6
MUPPIE

7
TELAS

8
IMPRENSA

IMPRENSA
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
INTERNET

23
Mundialinho: Final africana dá vitória a Cabo Verde contra
Angola
02 de Agosto de 2010, 17:00

Lisboa, 02 Ago (Lusa) -- A equipa de Cabo Verde venceu o II Mundialinho da Integração,


cuja final foi disputada domingo em ambiente de festa no Estádio da Alta de Lisboa.

"Cabo Verde ganhou à Angola por 1-0, um golo marcado logo no primeiro tempo", disse à
Lusa António Barbosa, um dos elementos da organização do torneio.

O jogo de apuramento do terceiro e quarto lugar foi jogado entre as seleções brasileira e
moldava.

O Brasil ganhou por 9-8, numa vitória conquistada nos penalties, depois de um empate por
duas bolas, disse o mesmo responsável.

A final decorreu em ambiente de festa, ao som do samba tocado por adeptos do Brasil, que
animaram as bancadas durante os dois jogos.

António Barbosa destacou que, apesar dos receios de que pudessem surgir conflitos entre
adeptos nas bancadas, "tudo decorreu sem problemas, em ambiente de calma, com muita
música e dança".

No intervalo houve ainda espaço para diversos grupos culturais atuarem o que "contribuiu
para este ambiente festivo", acrescentou.

No final do jogo foram distribuídos outros prémios pelas equipas, como o de "Fair Play",
ganho pela China, que se manteve sempre em festa e sem desanimar, apesar das sucessivas
derrotas, e o de "Integração", entregue à equipa de São Tomé, aquela que melhor se
integrou dentro do torneio.

Além da componente desportiva, a missão principal desta iniciativa é promover a


integração e o convívio entre imigrantes residentes em Portugal.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China foram as equipas deste torneio multicultural, que reuniu num campo de futebol

24
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino.

O critério para seleção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com maior
número de habitantes em Portugal.

O Mundialinho da Integração, este ano na sua segunda edição, foi organizado pelas
autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela
empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tendo tido também o patrocínio da Presidência
da República.

AL/SIM

Lusa/Fim

URL: http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/11362268.html

25
16 seleções de comunidades imigrantes disputam torneio de futebol a
partir de hoje

De Sílvia Maia (LUSA) – Há 23 horas

Lisboa, 17 jul (Lusa) -- O II Mundialinho da Integração começa hoje em Lisboa, onde se


vão encontrar imigrantes de quatro continentes que vão vestir a camisola da seleção do seu
país durante os próximos quinze dias.

"A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes", explicou à Lusa Cristina Archer,
da organização do evento, que reúne 16 comunidades de imigrantes num encontro
desportivo que termina a 01 de agosto.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China são as equipas deste torneio multicultural, que reúne num campo de futebol
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino.

© 2010 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

URL:
http://www.google.com/hostednews/epa/article/ALeqM5gK01DIZM8OTV96BU7DXj
w7vGFFMA

26
II Mundialinho da Integração

Número de 11308410 Cidade, País Lisboa, Portugal


Document
o
Data 17/07/2010 12:51 Data de 17/07/2010 12:41
Evento
Género Notícia Copyright © 2010 LUSA - Agência de Notícias de
Portugal, S.A.
Crédito LUSA Fonte LUSA
Fotógrafo Miguel A.Lopes Tamanho 3504 x 2336
Nome do PORTUGAL II MUNDIALINHO DE Ref. de ML04
Objecto INTEGRAÇÃO Transmissã
o
Título II Mundialinho da Integração
Legenda Jogadores de futebol jogam com a bola, momentos antes do inicio do II Mundialinho da Integração,
torneio de futebol disputado por equipas oriundas de comunidades imigrantes que vivem e
trabalham em Portugal, participando este ano 16 equipas: Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo
Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia,
Moldávia, Marrocos, Moçambique e China, que se realiza de 17 de julho a 01 de agosto, em Lisboa e
Sintra. Estadio Municipal da Alta de Lisboa, 17 de julho de 2010. MIGUEL A. LOPES/LUSA
Temas Futebol

URL:
Http://www.lusa.pt/lusaweb/user/showitem?service=292&listid=NewsList292&listpage=1&docid=1130
8410

27
Mundialinho já permitiu a três
imigrantes africanos integrar equipas
de
futebol da 3º divisão (c/vídeo e áudio)
17 de Julho de 2010, 14:05
*** serviço vídeo e áudio disponíveis em www.lusa.pt ***
Lisboa, 17 jul (Lusa) - No Mundialinho da Integração, que hoje começou em
Lisboa, só podem participar jogadores não profissionais
mas, no ano passado, três atletas imigrantes acabaram por ser convidados a
integrar equipas da terceira divisão.
São cerca de "350 atletas de 16 nacionalidades diferentes que vivem e trabalham
em Portugal" que este ano disputam a II edição do
Mundialinho da Integração, contou à Lusa Cristina Archer, organizadora do evento
que hoje começou no Estádio Municipal da Alta de
Lisboa.
O objetivo do encontro - que junta imigrantes de quatro continentes - é a
integração de todas as comunidades mas, por vezes, o
resultado final "vai mais longe".
"No ano passado, houve três elementos que foram aproveitados para equipas da
terceira divisão por terem participado neste evento.
Não é o aspeto mais importante do torneiro, mas aconteceu", recordou o
coordenador desportivo do evento, Paulo Paraty.
Segundo Paulo Paraty, os "olheiros" detetaram qualidades desportivas em três
jogadores das "seleções" africanas de Cabo Verde e
da Guiné. Resultado: abandonaram os seus árduos trabalhos e são hoje jogadores
profissionais.
Entre os 350 atletas que vão disputar o Mundialinho durante os próximos 15 dias,
podem estar futuros profissionais do futebol
português? "Sonhar não é proibido. É o alento de qualquer ser humano. Por isso é
bom que todos sonhem", defendeu Paraty.

28
Mas a grande finalidade do campeonato, sublinhou Paulo Paraty, é a "integração
das pessoas de todos os outros continentes que
vivem connosco, fazer com que se sintam parte da nossa comunidade e mostrar a
qualidade de Portugal enquanto país anfitrião".
Esta é a segunda edição do Mundialinho da Integração, um evento organizado
pelas autarquias lisboeta e sintrense, em parceria com
a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE - Ibérica
Comunicação Empresarial.
O torneio de futebol vai reunir as equipas da Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-
Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique,
Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.
SIM
+++ Este texto foi escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico +++
Lusa/FIM
Produzido por PTC © 2010. Todos os direitos reservados.
O SAPO é uma marca e um motor de busca criado na Universidade de Aveiro.
Mundialinho já permitiu a três imigrantes africanos integrar equipas de futebol da 3º d...

Page 1 of 1
http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/11308468.html

29
Lisboa: Futebol une imigrantes

Inicia-se hoje o 2.º Mundialinho da Integração, um torneio de futebol que visa aproximar as
comunidades imigrantes, com jogos nos estádios do Lumiar (Lisboa) e da Sociedade União
1.º de Dezembro (Sintra). A competição, que termina a 1 de Agosto, conta com equipas da
China, Moçambique, Nigéria, Moldova e Senegal, entre outras.

URL: http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=53ECA937-0675-449D-966A-
488C971961B2&channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021

30
2ª edição do Mundialinho da Integração

Futebol promove diálogo entre imigrantes


Cerca de 350 atletas não profissionais e naturais de 16
países integram as equipas de futebol que participam
na segunda edição do Mundialinho da Integração. O
evento desportivo decorre entre os dias 17 de Julho e
1 de Agosto, em Lisboa e Sintra.

17 Julho 2010Nº de votos (3) Comentários (0)


Por:Cristina Serra

A cerimónia de abertura decorreu este sábado no


Estádio do Lumiar e foi marcado pelo convívio entre
as várias comunidades de imigrantes residentes em
Portugal, que não se coibiram de dar uns passos de
dança ao som da música tradicional da Ucrânia.

Rosário Farmhouse, Alta Comissária para a


Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI), sublinhou
ao CM os objectivos do evento: "Esta iniciativa
possibilita um convívio e um diálogo intercultural
entre as várias comunidades residentes em Portugal e
abre caminho para eventuais relações de amizade."

O torneio de futebol decorre no Estádio do Lumiar, na Alta de Lisboa, e no Estádio da


Sociedade União 1º de Dezembro, em São Pedro de Sintra.

URL: http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=17F98784-3782-46F8-A5AC-
97F65719734F&channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021

31
Cabo Verde vence Mundialinho da Integração

A equipa de Cabo Verde venceu este domingo a de Angola no Mundialinho da Integração,


que decorreu no Estádio Municipal da Alta de Lisboa, no Lumiar.

01 Agosto 2010Nº de votos (0) Comentários (0) Por:I.R.

O resultado ficou em 1-0.

Cerca de 350 atletas não profissionais e naturais de 16 países integraram as equipas de


futebol que participaram na segunda edição deste evento que visa promover o convívio
entre as várias comunidades de imigrantes residentes em Portugal.

URL: http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=BAA9C62F-13AE-4E09-
B9FA-497821C71B6F&channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021

32
Cabo Verde vence II Mundialinho
A festa foi azul e branca, as cores da bandeira de Cabo
Verde, que ontem venceu o II Mundialinho da Integração,
torneio disputado por 16 equipas oriundas de
comunidades imigrantes que vivem e trabalham em
Portugal. O jogo da final, realizado no Complexo
Desportivo do Alto do Lumiar (Lisboa), opôs cabo-
verdianos e angolanos. Um golo solitário, marcado no
início da segunda parte, fixou o resultado e as cores da
festa.

Por:Isabel Ramos

Ao intervalo, Benjamin Cariada, de 31 anos, desinfestador


de profissão, estava convencido da vitória de Angola,
vencedora da primeira edição do Mundialinho. "Claro que
vamos ser campeões de novo. Temos uma boa equipa e os
rapazes esforçam-se muito". Mas os "rapazes" raramente
conseguiram chegar perto da baliza de Cabo Verde.

Quem acabou a gritar "campeões, campeões, nós somos campeões" no relvado, envolvido numa
bandeira de Cabo Verde e distribuindo abraços entre os jogadores, foi Sidney Lima, de 30 anos,
animador do grupo de batuque Rola Samba. Durante todo o desafio, nas bancadas do estádio, os
percussionistas não pararam de incitar a equipa, marcando o compasso de um jogo sem casos
assinaláveis, muito embora soasse, de vez em quando, um ou outro insulto à mãe do árbitro e
algumas acusações pontuassem entradas mais agressivas em campo. Além de angolanos e cabo-
verdianos, também imigrantes espanhóis, chineses, ucranianos e moldavos assistiram à final do
torneio.

33
DANÇAS TRADICIONAIS DE ÁFRICA E CHINA ENTRARAM EM CAMPO

Nem só de futebol se fez a final do Mundialinho da Integração, que juntou imigrantes de quatro
continentes. Logo após o Brasil ter vencido, nos penáltis, a Moldávia, conquistando o 3º lugar,
entraram em campo a música e a dança tradicionais africanas. Também o grupo feminino Hip Hop
de Batom mobilizou as hostes, que aguardavam a disputa futebolística final, com uma canção de
alerta para a infecção pelo VIH e outra de protesto contra a mutilação genital feminina. Num estilo
diferente, uma bailarina chinesa executou uma dança tradicional. Organizado pelas autarquias de
Lisboa e Sintra, o II Mundialinho contou com a participação de 350 atletas.

URL: http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=CFB9894E-E57C-4FC6-
B41C-743CA445027D&channelid=00000012-0000-0000-0000-000000000012

34
Mundialinho: Espanha em destaque
ARRANQUE COM MUITOS GOLOS

A 2.ª edição do Mundialinho da Integração arrancou ontem, no Estádio Municipal da Alta


de Lisboa. Numa jornada marcada por muitos golos, a Espanha goleou a China (7-2) para
manter a tendência vitoriosa da La Roja no Mundial da África do Sul.

A cerimónia de abertura contou com a presença de Paulo Paraty na qualidade de comissário


desportivo do evento, da alta comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural, Rosário
Farmhouse, do governador civil de Lisboa, António Galamba, além de vários embaixadores
dos países em competição até ao dia 1 de agosto.

No âmbito do Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social, as 16 equipas


presentes levantaram em conjunto um cartão vermelho gigantesco a alertar para esta causa.

(Futebol)

URL: http://www.record.xl.pt/Futebol/interior.aspx?content_id=452643

35
Mundialinho da Integração: Marrocos
abandona competição
casos marcaram 2.ª jornada da prova
03:32
segunda-feira, 19 julho de 2010

O segundo dia do Mundialinho da Integração ficou marcado por dois casos: a


desistência de Marrocos e a repetição do jogo entre Angola e Ucrânia. A equipa
marroquina tinha apenas 13 jogadores, os quais, durante o jogo com Cabo Verde,
revelaram um evidente desgaste físico, em consequência do qual foram obrigados
a abandonar a prova. A partida terminou aos 20 minutos, com os cabo-verdianos a
vencerem por expressivos 23-0. Durante esta semana vai haver uma reunião do
conselho de disciplina da prova, onde será discutida uma solução.

Angola. Mas outro caso marcou o dia de ontem de competição. A equipa angolana
vai ser obrigada a repetir o jogo frente à Ucrânia, que acabara com uma goleada
por 5-0. O motivo desta decisão reside no facto de os angolanos terem participado
na prova com um jogador federado, uma situação que está expressamente
proibida pelos regulamentos da competição. O jogo vai ser repetido no próximo
domingo, pelas 10.30, no Estádio Municipal da Alta de Lisboa. No dia de ontem,
Angola não foi além de um empate a zero com o Senegal.

Tal como no primeiro dia, as goleadas foram a nota de ordem no Mundialinho, que
tem sido disputado entre Lisboa e Sintra. O resultado mais expressivo coube à
seleção de S. Tomé, que impôs um 14-0 à congénere do Reino Unido. Depois da
vitória frente à China, os espanhóis não deram seguimento à boa forma e
acabaram goleados por 5-0 ante o Brasil.

A Nigéria seguiu a toada da 1.ª jornada e levou a melhor ante a Ucrânia, por 6-2.
A 3.ª jornada vai decorrer no próximo sábado, onde vão ser conhecidas as
equipas que participam nos quartos-de-final, marcados para domingo.

36
09:46 - Futebol
II Mundialinho da Integração começa hoje
Começa este sábado, em Lisboa, o II Mundialinho da Integração, onde se vão encontrar imigrantes
de quatro continentes que vão representar as cores do seu país durante a próxima quinzena.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Espanha,
Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e China são as
equipas deste torneio multicultural, escolhidas pelo número significativo de imigrantes a habitar em
Portugal.

Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia, Senegal e Nigéria no
grupo A, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Reino Unido no B, Cabo Verde,
Roménia, Marrocos e Alemanha no grupo C, Brasil, Moldávia, Espanha e China no grupo D.

O torneio que hoje começa continua nos fins-de-semana seguintes, até à final, no dia 01 de
Agosto, no estádio do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-se no estádio 1.º de Dezembro.

URL:http://www.ojogo.pt/Directo/NoticiaHora_futIImundialinhoinicio_170710_27642
6.asp

37
Mundialinho já permitiu a três imigrantes africanos
integrar equipas de futebol da 3º divisão
por Agência Lusa, Publicado em 17 de Julho de 2010 | Actualizado há 4 horas

No Mundialinho da Integração, que hoje começou em Lisboa, só podem


participar jogadores não profissionais mas, no ano passado, três atletas
imigrantes acabaram por ser convidados a integrar equipas da terceira divisão.

São cerca de “350 atletas de 16 nacionalidades diferentes que vivem e


trabalham em Portugal” que este ano disputam a II edição do Mundialinho da
Integração, contou à Lusa Cristina Archer, organizadora do evento que hoje
começou no Estádio Municipal da Alta de Lisboa.

O objetivo do encontro - que junta imigrantes de quatro continentes - é a


integração de todas as comunidades mas, por vezes, o resultado final “vai mais
longe”.

“No ano passado, houve três elementos que foram aproveitados para equipas da
terceira divisão por terem participado neste evento. Não é o aspeto mais
importante do torneiro, mas aconteceu”, recordou o coordenador desportivo do
evento, Paulo Paraty.

Segundo Paulo Paraty, os “olheiros” detetaram qualidades desportivas em três


jogadores das "seleções" africanas de Cabo Verde e da Guiné. Resultado:
abandonaram os seus árduos trabalhos e são hoje jogadores profissionais.

Entre os 350 atletas que vão disputar o Mundialinho durante os próximos 15 dias,
podem estar futuros profissionais do futebol português? “Sonhar não é proibido. É
o alento de qualquer ser humano. Por isso é bom que todos sonhem”, defendeu
Paraty.

Mas a grande finalidade do campeonato, sublinhou Paulo Paraty, é a “integração


das pessoas de todos os outros continentes que vivem connosco, fazer com que
se sintam parte da nossa comunidade e mostrar a qualidade de Portugal enquanto
país anfitrião”.

Esta é a segunda edição do Mundialinho da Integração, um evento organizado


pelas autarquias lisboeta e sintrense, em parceria com a Associação Portuguesa
dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE - Ibérica Comunicação Empresarial.

38
O torneio de futebol vai reunir as equipas da Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-
Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino
Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.

+++ Este texto foi escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico +++

URL: http://www.ionline.pt/conteudo/69630-mundialinho-ja-permitiu-tres-
imigrantes-africanos-integrar-equipas-futebol-da-3-divisao

39
No mundialinho da integração todos são jogadores de selecção
por Agência Lusa, Publicado em 16 de Julho de 2010

Funcionários de embaixada, engenheiros cuja vida os obrigou a arregaçar as mangas para


trabalhar nas obras e um barbeiro marroquino são alguns dos jogadores das seleções do II
Mundialinho da Integração, que começa sábado em Lisboa.~

São imigrantes em Portugal e trabalham nas mais diversas áreas mas durante duas semanas
vão ser todos jogadores da seleção do seu país graças ao II Mundialinho da Integração, que
este ano se realiza em Lisboa e Sintra.

“A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes”, explicou à Lusa Cristina Archer,
da organização do evento que termina a 01 de agosto.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China são as dezasseis seleções deste torneio.

O critério para seleção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com maior
número de habitantes em Portugal.

Neste campeonato, “os jogadores só têm de estar em boa forma física”, por isso no mesmo
campo vai ser possível ver desportistas “dos 16 aos 40 anos”, salientou a responsável.

40
“As pessoas têm muita vontade de participar nesta festa e por isso a questão da idade é
superada”, disse, lembrando o caso da equipa do Reino Unido, que este ano se estreia no
campeonato graças à boa vontade dos funcionários da embaixada que vão vestir a camisola
da seleção.

Se para uns ser jogador de futebol é uma novidade, para outros é um sonho já antigo: “há
um jogador de Marrocos que era profissional e veio para Portugal para continuar a carreira.
Mas hoje é barbeiro porque não conseguiu lugar no futebol português”, conta Cristina
Archer.

A responsável sublinha ainda o empenho de alguns imigrantes, como os romenos que


“trabalham na construção civil ao sábado de manhã” e, assim que termina o dia de labuta,
“seguem para o campo” de treinos.

O Angola-Ucrânia é o primeiro jogo de um torneio que pretende "pôr estas comunidades


todas a falar umas com as outras", lembra.

O torneio, organizado pelas autarquias, Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e a


empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tem também o patrocínio da Presidência da
República: Cavaco Silva preside à Comissão de Honra do Mundialinho.

Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia, Senegal e


Nigéria no grupo A, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Reino Unido no B,
Cabo Verde, Roménia, Marrocos e Alemanha no grupo C, Brasil, Moldávia, Espanha e
China no grupo D.

O torneio começa no dia 17 e continua nos fins de semana seguintes, até à final, no dia 01
de agosto, no estádio do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-se no estádio 1º de
Dezembro.

URL: http://www.ionline.pt/conteudo/69416-no-mundialinho-da-integracao-todos-sao-
jogadores-seleccao

41
Desporto » Futebol
Cabo Verde ganha o Mundialinho de Integração
2010-08-03 16:26:56

Lisboa – Cabo Verde venceu a final do II Mundialinho da


Integração, disputado este domingo, contra a equipa
angolana.

A final, disputada entre as equipas de Cabo Verde e de


Angola, terminou com a vitória da equipa cabo-verdiana
por 1-0. Em terceiro lugar ficou o Brasil que venceu a
Moldávia, na marcação de grandes penalidades por 9-8.
São Tomé: Angola vence a Primeira
Edição de Volta do Cacau em bicicleta Depois do jogo entre o Brasil e a Moldávia, foi a vez da
música e dança tradicionais africanas entrarem em
Futebol: FC Porto e Sporting com
vitórias caseiras campo. O grupo feminino de Hip Hop de Batom actuou
com duas músicas, uma de alerta para a infecção pelo
Canoagem: Fernando Pimenta e João VIH e outra de protesto contra a mutilação genital
Ribeiro Vice-campeões do Mundo.
feminina.
Futebol: Águia continua em queda
livre De seguida procedeu-se à entrega da Taça e dos
Queiroz vai recorrer do mês de respectivos prémios: melhor marcador, melhor jogador,
suspensão e tem novo inquérito da FPF melhor guarda-redes, fair-play e troféu Comunidade.

Futebol: Só FC Porto cumpre e vence


na primeira mão O Mundialinho da Integração tem o propósito de
promover uma melhor integração das comunidades
Futebol: Salvio na rota da Luz imigrantes em Portugal, com o futebol a fazer a ligação
Futebol: SC Braga vence o Sevilha e entre as dezasseis equipas participantes. Foi organizado
vê o sonho já aqui ao lado pelas câmaras municipais de Lisboa e de Sintra, em
parceria com a Associação Portuguesa dos Árbitros de
Futebol e a empresa ICE - Ibérica Comunicação
Empresarial.

«São uns palhaços» diz Anelka sobre a


Federação depois de castigado em 18
jogos

Futebol: Ronaldo fora da lista dos 12


nomeados a «melhor da Europa»

Futebol: Campeão inicia época a


perder frente ao Académica

São Tomé e Príncipe: Três dias de

42
Volta do Cacau em bicicleta

URL: http://www.jornaldigital.com/noticias.php?noticia=23000

43
16 seleções de comunidades imigrantes disputam torneio
de futebol
17 de Julho de 2010, 10:57

O II Mundialinho da Integração começa hoje em Lisboa,


onde se vão encontrar imigrantes de quatro continentes
que vão vestir a camisola da selecção do seu país durante
os próximos quinze dias.

“A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes”,


explicou à Lusa Cristina Archer, da organização do evento,
que reúne 16 comunidades de imigrantes num encontro
desportivo que termina a 01 de Agosto.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné-bissau,


São Tomé e Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino Unido,
Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China são as equipas deste torneio multicultural, que reúne num campo de futebol funcionários de embaixada,
engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro marroquino.

O critério para selecção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com maior número de
habitantes em Portugal.

O Angola-Ucrânia é o primeiro jogo de um torneio que pretende "pôr estas comunidades todas a falar umas
com as outras", lembra.

O torneio, organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol
e pela empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tem também o patrocínio da Presidência da República:
Cavaco Silva preside à Comissão de Honra do Mundialinho.

Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia, Senegal e Nigéria no grupo A,
Guiné-bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Reino Unido no B, Cabo Verde, Roménia, Marrocos e
Alemanha no grupo C, Brasil, Moldávia, Espanha e China no grupo D.

O torneio que hoje começa continua nos fins-de-semana seguintes, até à final, no dia 01 de Agosto, no estádio
do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-se no estádio 1.º de Dezembro.

URL: http://noticias.sapo.ao/especial/mundial2010/info/artigo/1078914.html

44
Três imigrantes africanos integrarão equipas de futebol
da 3ª divisão

17 de Julho de 2010, 15:47

No Mundialinho da Integração, que hoje


começou em Lisboa, só podem participar
jogadores não profissionais mas, no ano
passado, três atletas imigrantes acabaram por
ser convidados a integrar equipas da terceira
divisão.

São cerca de “350 atletas de 16 nacionalidades diferentes que vivem e trabalham em


Portugal” que este ano disputam a II edição do Mundialinho da Integração, contou à Lusa
Cristina Archer, organizadora do evento que hoje começou no Estádio Municipal da Alta de
Lisboa.

O objetivo do encontro - que junta imigrantes de quatro continentes - é a integração de


todas as comunidades mas, por vezes, o resultado final “vai mais longe”.

“No ano passado, houve três elementos que foram aproveitados para equipas da terceira
divisão por terem participado neste evento. Não é o aspecto mais importante do torneiro,
mas aconteceu”, recordou o coordenador desportivo do evento, Paulo Paraty. Segundo
Paulo Paraty, os “olheiros” detectaram qualidades desportivas em três jogadores das
"selecções" africanas de Cabo Verde e da Guiné. Resultado: abandonaram os seus árduos
trabalhos e são hoje jogadores profissionais.

45
Entre os 350 atletas que vão disputar o Mundialinho durante os próximos 15 dias, podem
estar futuros profissionais do futebol português? “Sonhar não é proibido. É o alento de
qualquer ser humano. Por isso é bom que todos sonhem”, defendeu Paraty.

Mas a grande finalidade do campeonato, sublinhou Paulo Paraty, é a “integração das


pessoas de todos os outros continentes que vivem connosco, fazer com que se sintam parte
da nossa comunidade e mostrar a qualidade de Portugal enquanto país anfitrião”.

Esta é a segunda edição do Mundialinho da Integração, um evento organizado pelas


autarquias lisboeta e sintrense, em parceria com a Associação Portuguesa dos Árbitros de
Futebol e a empresa ICE - Ibérica Comunicação Empresarial.

O torneio de futebol vai reunir as equipas da Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde,


China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido,
Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.

URL:
http://desporto.sapo.pt/futebol/terceira_divisao/artigo/2010/07/17/tr_s_imigrantes_afr
icanos_integr.html

46
Mundialinho

02 de Agosto de 2010 17:19h

Final africana dá vitória a Cabo Verde contra Angola


 Artigo

Por SAPO Desporto c/LUSA

Cabo Verde vence o II Mundialinho da Integração.

A equipa de Cabo Verde venceu o II Mundialinho


da Integração, cuja final foi disputada domingo
em ambiente de festa no Estádio da Alta de
Lisboa.

“Cabo Verde ganhou à Angola por 1-0, um golo


marcado logo no primeiro tempo”, disse à Lusa
António Barbosa, um dos elementos da
organização do torneio.

O jogo de apuramento do terceiro e quarto lugar foi jogado entre as selecções do Brasil e da
Moldávia.

O Brasil ganhou por 9-8, numa vitória conquistada nos penalties, depois de um empate por
duas bolas, disse o mesmo responsável.

A final decorreu em ambiente de festa, ao som do samba tocado por adeptos do Brasil, que
animaram as bancadas durante os dois jogos.

António Barbosa destacou que, apesar dos receios de que pudessem surgir conflitos entre
adeptos nas bancadas, “tudo decorreu sem problemas, em ambiente de calma, com muita
música e dança”. No intervalo houve ainda espaço para diversos grupos culturais actuarem
o que “contribuiu para este ambiente festivo”, acrescentou.

47
No final do jogo foram distribuídos outros prémios pelas equipas, como o de “Fair Play”,
ganho pela China, que se manteve sempre em festa e sem desanimar, apesar das sucessivas
derrotas, e o de “Integração”, entregue à equipa de São Tomé, aquela que melhor se
integrou dentro do torneio.

Além da componente desportiva, a missão principal desta iniciativa é promover a


integração e o convívio entre imigrantes residentes em Portugal.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné-bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China foram as equipas deste torneio multicultural, que reuniu num campo de futebol
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino.

O critério para selecção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com
maior número de habitantes em Portugal.

O Mundialinho da Integração, este ano na sua segunda edição, foi organizado pelas
autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela
empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tendo tido também o patrocínio da Presidência
da República.

URL:http://desporto.sapo.pt/futebol/artigo/2010/08/02/final_africana_d_vit_ria_a_cab
o.html

48
MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO – 2010

A Câmara Municipal de Lisboa, juntamente com a Câmara Municipal de Sintra, em parceria com a
Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE - Ibérica Comunicação
Empresarial, vai realizar a segunda edição do Mundialinho da Integração.
Este evento decorrerá no Estádio Municipal da Alta de Lisboa (Lumiar) e no estádio da
Sociedade União 1º de Dezembro, em Sintra entre os dias 17 de Julho a 1 de Agosto.
O torneio de futebol vai reunir equipas oriundas de dezasseis comunidades imigrantes residentes em
Portugal; Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique,
Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.
O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, vai presidir à Comissão de Honra do Mundialinho
de Futebol.
A Cerimónia de Inauguração está marcada para o próximo dia 17 de Julho e contará, na
qualidade de comissário desportivo, com o reconhecido árbitro de Futebol, Paulo Paraty.
Este evento, com oito edições em Espanha e uma em Portugal, conta de ano para ano com uma
crescente participação das várias comunidades imigrantes residentes em ambos os países.
O objectivo da prova continua a ser “Pôr todos a falar com todos” e incentivar o convívio e o
intercâmbio cultural entre as diferentes comunidades aqui residentes, bem como apelar à adopção
de estilos de vida mais saudáveis das nossas populações através da prática desportiva.
O II Mundialinho da Integração conta com o apoio de entidades governamentais como o Ministério
da Administração Interna, a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto, Governo Civil de
Lisboa, bem como o Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural.

URL: http://futebolar.portugalmail.pt/artigo/20100715/mundialinho-da-integracao-
2010

49
Mundialinho: Final africana dá vitória a Cabo Verde contra Angola

A equipa de Cabo Verde venceu o II Mundialinho da Integração, cuja final foi disputada
domingo em ambiente de festa no Estádio da Alta de Lisboa.

"Cabo Verde ganhou à Angola por 1-0, um golo marcado logo no primeiro tempo", disse à
Lusa António Barbosa, um dos elementos da organização do torneio.

O jogo de apuramento do terceiro e quarto lugar foi jogado entre as seleções brasileira e
moldava.

O Brasil ganhou por 9-8, numa vitória conquistada nos penalties, depois de um empate por
duas bolas, disse o mesmo responsável.

A final decorreu em ambiente de festa, ao som do samba tocado por adeptos do Brasil, que
animaram as bancadas durante os dois jogos.

António Barbosa destacou que, apesar dos receios de que pudessem surgir conflitos entre
adeptos nas bancadas, "tudo decorreu sem problemas, em ambiente de calma, com muita
música e dança".

No intervalo houve ainda espaço para diversos grupos culturais atuarem o que "contribuiu
para este ambiente festivo", acrescentou.

No final do jogo foram distribuídos outros prémios pelas equipas, como o de "Fair Play",
ganho pela China, que se manteve sempre em festa e sem desanimar, apesar das sucessivas

50
derrotas, e o de "Integração", entregue à equipa de São Tomé, aquela que melhor se
integrou dentro do torneio.

Além da componente desportiva, a missão principal desta iniciativa é promover a


integração e o convívio entre imigrantes residentes em Portugal.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China foram as equipas deste torneio multicultural, que reuniu num campo de futebol
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino.

O critério para seleção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com maior
número de habitantes em Portugal.

O Mundialinho da Integração, este ano na sua segunda edição, foi organizado pelas
autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela
empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tendo tido também o patrocínio da Presidência
da República.

URL: http://futebolar.portugalmail.pt/artigo/20100802/mundialinho-final-africana-
da-vitoria-cabo-verde-contra-angola

51
16 nacionalidades diferentes participam no II
Mundialinho da Integração

Começa já amanhã,
dia 17 de Julho, a
segunda edição do
Mundialinho da
Integração – uma
competição em que
participam 16
nacionalidades
diferentes num
evento de
intercâmbio cultural
e desportivo. Os
jogos serão
disputados no
estádio do Lumiar,
em Lisboa, e no
estádio da
Sociedade União 1,º
de Dezembro, em
Sintra,
contrariamente ao que aconteceu no ano passado, em que os jogos foram realizados
exclusivamente em Sintra.

Este ano, o próprio Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, vai presidir à Comissão
de Honra.

Equipas participantes: Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São
Tomé e Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia,
Marrocos, Moçambique e China.

O critério para a selecção de países foi escolher aqueles com maior número de comunidades
no país. Este Mundialinho tem como objectivo o intercâmbio cultural e desportivo, a

52
integração, a convivência e o conhecimento mútuo das diferentes comunidades que
compõem a sociedade portuguesa.

A organização está a cargo das Câmaras Municipais de Sintra e Lisboa, em co-organização


com a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE – Ibérica
Comunicação Empresarial.

Calendário de jogos: clique aqui.

Equipa de Angola, vencedora do Mundialinho da Integração de 2009

URL: http://www.jornaldesintra.com/2010/07/16-nacionalidades-diferentes-
participam-no-mundialinho-da-integracao/

53
II Mundialinho da Integração com mau pontapé de
saída

Começou no passado fim-de-semana, dias 17 e 18 de


Julho, a segunda edição do Mundialinho da Integração,
evento de futebol e também de intercâmbio cultural,
que este ano conta com a participação de 16
nacionalidades. No entanto, ao segundo dia da
competição uma dessas nacionalidades foi riscada da
lista, com a equipa marroquina a desistir da competição
após 20 minutos de jogo contra a equipa cabo-verdiana,
nos quais estava já a perder por 23-0. O conselho de
disciplina da prova está ainda a analisar a situação.

Um outro percalço marcou esta prova, que este ano não


se realiza exclusivamente em Sintra (Estádio do 1.º de Dezembro), mas também em Lisboa
(Estádio do Lumiar): a equipa angolana – país que venceu a primeira edição do
Mundialinho – terá de repetir o jogo contra a Ucrânia, que vencera por 5-0, por desrespeito
ao regulamento da competição. É que um dos seus jogadores em campo era federado, o que
vai contra as regras. O novo jogo está marcado para este domingo, dia 25, às 10.30 no
Lumiar.

A organização do Mundialinho está a cargo das Câmaras Municipais de Sintra e Lisboa, em


co-organização com a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE –
Ibérica Comunicação Empresarial. Este ano, o próprio Presidente da República, Aníbal
Cavaco Silva, preside à Comissão de Honra.

Já neste sábado vão ser conhecidas as equipas que vão participar nos quartos-de-final.

Foto de arquivo
Equipas participantes:

54
Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China.

Curiosidades:

•O critério para a selecção dos participantes consistiu em escolher as comunidades


imigrantes com maior número de habitantes no país.

•Os jogadores não podem ser federados e basta que estejam em boa forma física.

•Há jogadores dos 16 aos 40 anos.

•A equipa do Reino Unido é constituída por funcionários da sua embaixada.

•Alguns dos imigrantes trabalham nas obras ao sábado de manhã e vão depois para os jogos

Resultados das duas primeiras jornadas:

1.ª Jornada: Angola-Ucrânia (jogo anulado); Guiné-S. Tomé (1-1); Marrocos-Alemanha (1-
4); Senegal-Nigéria (3-5); Brasil-Moldávia (4-1); Moçambique-Reino Unido (5-1); Cabo
Berde-Roménia (4-0); Espanha-China (7-2).

2.ª Jornada: Angola-Senegal (0-0); Guiné-Moçambique (9-0); Cabo Verde-Marrocos (23-


0); Ucrânia-Nigéria (2-6); Brasil-Espanha (5-0); S. Tomé-Reino Unido (14-0); Roménia-
Alemanha (8-2); Moldávia-China (10-0).

URL: http://www.jornaldesintra.com/2010/07/ii-mundialinho-da-integracao-com-
mau-pontape-de-saida/

55
Cabo Verde vencedor do II Mundialinho da Integração

A final do II Mundialinho da Integração disputado no domingo 1 de Agosto culminou com


a vitória da selecção Cabo-verdiana por 1-0 frente à equipa de Angola (país vencedor da
edição do ano passado).

Brasil foi a equipa que conquistou o 3.º lugar do torneio apenas através da marcação de
grandes penalidades, o que comprova o equilíbrio entre a selecção carioca e a equipa da
Moldávia. Após um empate a duas bolas, Brasil conseguiu vencer aos moldavos por 9-8.

Logo após o Brasil ter vencido entraram em campo a música e a dança tradicionais
africanas. Também o grupo feminino Hip Hop de Batom mobilizou as hostes, que
aguardavam a disputa futebolística final, com uma canção de alerta para a infecção pelo
VIH e outra de protesto contra a mutilação genital feminina.

56
O ambiente de festa e harmonia também de alastrou entre as bancadas do estádio. Neste
caso em particular há que destacar a música e o apoio promovido pelo grupo Rola Samba
da Amadora.

Além do apuramento da selecção vencedora do torneio procedeu-se à entrega da taça e


respectivos prémios: melhor marcador, melhor jogador, melhor guarda-redes, fair-play e
troféu Comunidade.

Promover o convívio e uma melhor integração entre as comunidades imigrantes em


Portugal, foi o mote para a realização do Mundialinho da Integração no nosso país.

O futebol foi a linguagem de ligação entre as dezasseis equipas participantes.

O Mundialinho da Integração é um evento organizado pelas autarquias lisboeta e sintrense,


em parceria com a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE –
Ibérica Comunicação Empresarial.

URL: http://www.jornaldesintra.com/2010/08/cabo-verde-vencedor-do-ii-
mundialinho-da-integracao/

57
15/7/2010
II Mundialinho da Integração
Decorre em Sintra e Lisboa entre o dia 17
de Julho e 1 de Agosto.
Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva,
vai presidir à Comissão de Honra do II
Mundialinho da Integração, que se realiza de 17
de Julho a 1 de Agosto, em Lisboa e Sintra, no
campo de jogos do 1º de
Dezembro, em São Pedro.
A Comissão Organizadora do torneio, que integra a APAF (Associação
Portuguesa de Árbitros de Futebol), as Câmaras Municipais de Lisboa e
Sintra, e a empresa ICE – Ibérica Comunicação Empresarial, destaca a
associação do mais alto magistrado da Nação ao evento, a partir do
sucesso obtido pela iniciativa em 2009, que decorreu na íntegra no
concelho de Sintra.
Recorde-se que o Mundialinho tem como objectivo o intercâmbio cultural
e desportivo, a integração, a convivência e o conhecimento mútuo das
diferentes comunidades que compõem a sociedade portuguesa. Trata-se
de um Torneio de futebol disputado por equipas oriundas de
comunidades
imigrantes que vivem e trabalham em Portugal.
Este ano, participam 16 equipas: Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo
Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino
Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e China.

URL: http://www.cidadeviva.pt/print_nots.asp

58
Mundialinho: Final africana dá vitória a Cabo Verde
contra Angola
Por Redação com Lusa, a 02-08-2010 18:45:24

Este artigo já foi lido 4749 vezes

A equipa de Cabo Verde venceu o II Mundialinho da Integração, cuja final foi disputada
domingo em ambiente de festa no Estádio da Alta de Lisboa.

“Cabo Verde ganhou à Angola por 1-0, um golo marcado logo no primeiro tempo”, disse à
Lusa António Barbosa, um dos elementos da organização do torneio.

O jogo de apuramento do terceiro e quarto lugar foi jogado entre as seleções brasileira e
moldava.

O Brasil ganhou por 9-8, numa vitória conquistada nos penalties, depois de um empate por
duas bolas, disse o mesmo responsável.

A final decorreu em ambiente de festa, ao som do samba tocado por adeptos do Brasil, que
animaram as bancadas durante os dois jogos.

António Barbosa destacou que, apesar dos receios de que pudessem surgir conflitos entre
adeptos nas bancadas, “tudo decorreu sem problemas, em ambiente de calma, com muita
música e dança”.

No intervalo houve ainda espaço para diversos grupos culturais atuarem o que “contribuiu
para este ambiente festivo”, acrescentou.

No final do jogo foram distribuídos outros prémios pelas equipas, como o de “Fair Play”,
ganho pela China, que se manteve sempre em festa e sem desanimar, apesar das sucessivas
derrotas, e o de “Integração”, entregue à equipa de São Tomé, aquela que melhor se
integrou dentro do torneio.

Além da componente desportiva, a missão principal desta iniciativa é promover a


integração e o convívio entre imigrantes residentes em Portugal.

59
Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China foram as equipas deste torneio multicultural, que reuniu num campo de futebol
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino.

O critério para seleção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com maior
número de habitantes em Portugal.

O Mundialinho da Integração, este ano na sua segunda edição, foi organizado pelas
autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela
empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tendo tido também o patrocínio da Presidência
da República.

Fim de notícia. Não se esqueça de adicionar o seu comentário a esta notícia ou partilhá-la
com os seus amigos.

URL:
http://www.futebol365.pt/noticias/artigo.asp?ID=31101&CAT=Internacional&CODI
D=652760996

60
NOTÍCIAS

Actualizar: 17-07-2010

16 seleções de comunidades
imigrantes disputam torneio de futebol
a partir de hoje

Lisboa, 17 jul (Lusa) - O II Mundialinho da Integração começa hoje em


Lisboa, onde se vão encontrar imigrantes de quatro continentes que vão
vestir a ...

16 seleções de comunidades imigrantes disputam torneio de futebol a partir de


hoje
Lisboa, 17 jul (Lusa) - O II Mundialinho da Integração começa hoje em Lisboa,
onde se vão encontrar imigrantes de quatro continentes que vão vestir a camisola
da seleção do seu país durante os próximos quinze dias.

61
"A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes", explicou à Lusa Cristina
Archer, da organização do evento, que reúne 16 comunidades de imigrantes num
encontro desportivo que termina a 01 de agosto.
Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos,
Moçambique e China são as equipas deste torneio multicultural, que reúne num
campo de futebol funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e
até um barbeiro marroquino.
O critério para seleção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes
com maior número de habitantes em Portugal.
O Angola-Ucrânia é o primeiro jogo de um torneio que pretende "pôr estas
comunidades todas a falar umas com as outras", lembra.
O torneio, organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação
Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica Comunicação
Empresarial, tem também o patrocínio da Presidência da República: Cavaco Silva
preside à Comissão de Honra do Mundialinho.
Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia,
Senegal e Nigéria no grupo A, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e
Reino Unido no B, Cabo Verde, Roménia, Marrocos e Alemanha no grupo C, Brasil,
Moldávia, Espanha e China no grupo D.
O torneio que hoje começa continua nos fins de semana seguintes, até à final, no
dia 01 de agosto, no estádio do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-se no
estádio 1.º de Dezembro.
SIM
*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***
Lusa/fim

URL: http://noticias.pt.msn.com/Sociedade/article.aspx?cp-documentid=154149094

62
Cabo Verde vence
II Mundialinho da
Integração
A equipa cabo-verdiana venceu a sua congénere
de Angola por 1-0. Em terceiro lugar
fi cou o Brasil, que venceu a Moldávia na
marcação de grandes penalidades, 9-8.
Organizado pelas câmaras municipais de
Lisboa e Sintra em parceria com a Associação
Portuguesa dos Árbitros de Futebol, o
Mundialinho da Integração tem o propósito
de promover a integração das comunidades
imigrantes em Portugal.

URL: http://www.correiodesintra.net/edicoes/CorreiodeSintra_N11.pdf

63
Desporto:
Cavaco Silva preside Comissão de Honra do II Mundialinho
O II Mundialinho da Integração irá realizar-se, de 17 de Julho a 1 de
Agosto, em Lisboa e Sintra com a presença do Presidente da República,
Aníbal Cavaco Silva, a presidir à Comissão de Honra

Este torneio de futebol, organizado pela


Comissão Organizadora do torneio, que integra a APAF (Associação
Portuguesa de Árbitros de Futebol), as Câmaras Municipais de Lisboa e
Sintra, e a empresa ICE – Ibérica Comunicação Empresarial, tem como
objectivo o intercâmbio cultural e desportivo, a integração, a
convivência e o conhecimento mútuo das diferentes comunidades que
compõem a sociedade portuguesa.
As equipas participativas são oriundas de comunidades imigrantes que
vivem e trabalham em Portugal. Este ano, participam 16 equipas:
Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e
Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia,
Marrocos, Moçambique e China.

64
Desporto:

Cabo Verde sagra-se vencedor do II Mundialinho


A final do II Mundialinho da Integração foi disputada, no Estádio Municipal
da Alta de Lisboa, entre o Cabo Verde e a Angola. Um jogo renhido do qual
Cabo Verde acabou por sair vitorioso por 1-0

O Brasil foi à conquista do terceiro lugar


frente à equipa da Moldávia. Após um jogo
intenso e de grandes momentos de futebol.
O resultado marcava 2-2 quando se chegou
às grandes penalidades onde o Brasil venceu
por 9-8.
No final do torneio foi a vez da música
entrar em campo, como o grupo Hip Hop
Batom, com uma canção de alerta para a
infecção pelo VIH e outra de protesto contra
a mutilação genital feminina; e o grupo Rola
Samba da Amadora.
Mais tarde procedeu-se à entrega da Taça e
dos respectivos prémios nas categorias de:
melhor marcador, melhor jogador, melhor
guarda-redes, fair-play e troféu
Comunidade.
Ao todo foram 16 equipas, oriundas de comunidades imigrantes em
Portugal, a
disputar este torneio. Esta iniciativa foi levada a cabo pelas autarquias
Lisboeta e

65
Sintrense em conjunto com a Associação Portuguesa dos Árbitros de
Futebol e a
empresa ICE - Ibérica Comunicação Empresarial.

66
A VOZ LUSA
Cabo Verde vencedor do II Mundialinho

A festa foi azul e branca, as cores da bandeira de Cabo Verde, que ontem venceu o II
Mundialinho da Integração, torneio disputado por 16 equipas oriundas de comunidades
imigrantes que vivem e trabalham em Portugal. O jogo da final, realizado no Complexo
Desportivo do Alto do Lumiar (Lisboa), opôs cabo-verdianos e angolanos. Um golo
solitário, marcado no início da segunda parte, fixou o resultado e as cores da festa.

Ao intervalo, Benjamin Cariada, de 31 anos, desinfestador de profissão, estava convencido


da vitória de Angola, vencedora da primeira edição do Mundialinho. “Claro que vamos ser
campeões de novo. Temos uma boa equipa e os rapazes esforçam-se muito”. Mas os
“rapazes” raramente conseguiram chegar perto da baliza de Cabo Verde.

Quem acabou a gritar “campeões, campeões, nós somos campeões” no relvado, envolvido
numa bandeira de Cabo Verde e distribuindo abraços entre os jogadores, foi Sidney Lima,
de 30 anos, animador do grupo de batuque Rola Samba. Durante todo o desafio, nas
bancadas do estádio, os percussionistas não pararam de incitar a equipa, marcando o
compasso de um jogo sem casos assinaláveis, muito embora soasse, de vez em quando, um
ou outro insulto à mãe do árbitro e algumas acusações pontuassem entradas mais agressivas
em campo. Além de angolanos e cabo-verdianos, também imigrantes espanhóis, chineses,
ucranianos e moldavos assistiram à final do torneio.

DANÇAS TRADICIONAIS DE ÁFRICA E CHINA ENTRARAM EM CAMPO

Nem só de futebol se fez a final do Mundialinho da Integração, que juntou imigrantes de


quatro continentes. Logo após o Brasil ter vencido, nos penáltis, a Moldávia, conquistando
o 3º lugar, entraram em campo a música e a dança tradicionais africanas. Também o grupo
feminino Hip Hop de Batom mobilizou as hostes, que aguardavam a disputa futebolística
final, com uma canção de alerta para a infecção pelo VIH e outra de protesto contra a

67
mutilação genital feminina. Num estilo diferente, uma bailarina chinesa executou uma
dança tradicional. Organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, o II Mundialinho contou
com a participação de 350 atletas. (Correio da Manhã)

URL: http://avozlusa.wordpress.com/2010/08/09/cabo-verde-vencedor-do-ii-
mundialinho/

68
IMPRENSA ESTRANGEIRA

69
On the Football Pitch, Everyone Is Equal

Football functions on so many levels. It can be big business, moving astronomical


quantities of cash, with obscene salaries for owners, coaches and star players. And it can be
a widely played sport, found in every park, street or vacant lot. And it can be the common
ground for multicultural coexistence. (875 Words) - By Mario de Queiroz

The idea of common ground is behind Portugal's Little World Cup of Integration
(Mundialinho da Integração, in Portuguese), says Antonio Nascimento, one of the

70
organisers of the second annual non-professional football championship amongst foreigners
held in this country.

The relevance of this intercultural sporting event is reinforced by the personal commitment
of Portuguese President Aníbal Cavaco Silva, who heads its Commission of Honour.
Hosting the matches of the "Mundialinho" are Lisbon and the neighbouring city of Sintra,
just 30 kilometres away. The tournament was inaugurated Jul. 17; the championship match
is slated for Aug.1.

The tournament's mission is to promote a sporting and social gathering of people of


different national origins and professions, from humble workers who have come to Portugal
to build a decent life, to university professors, doctors, economists and diplomats.
The most enthusiastic participants are the immigrant labourers, especially those coming
from Portugal's former colonies in Africa, as well as from Brazil, and from the countries of
Central and Eastern Europe.
This year 16 teams are participating, hailing from Angola, Brazil, Britain, Cape Verde,
China, Germany, Guinea-Bissau, Morocco, Moldavia, Mozambique, Nigeria, Romania,
Senegal, São Tomé and Principe, Spain, and Ukraine.
Spain and Portugal are the only European Union countries that hold this type of
competition, financed primarily by their national and municipal governments, with the aim
of creating an environment of equality and integration amongst foreign residents and with
the broader society.
"Because of its social component, one could say that the Little World Cup is the most
democratic and egalitarian sporting event held in our country," Nascimento, an advisor to
the mayor of Sintra, told IPS.
However, the scores of the football matches held so far have not been at all "egalitarian."
The teams from the African countries and from Brazil, made up of mostly of youths who
generally
have physically demanding jobs and play football in their free time, have truly thrashed
their opponents.
Some of the match results have been particularly lopsided: 23-1 (Cape Verde v. Morocco),
11-1 (Cape Verde v. Britain), and 18-1 (Guinea-Bissau v. Germany).

71
Nevertheless, the matches were "not at all humiliating for the losers," assured Nascimento,
because the teams from Germany, Spain and Britain are made up of immigrant university-
trained professionals "who play football only on weekends for fun."

The immigrant labourers, meanwhile, especially the Portuguese-speaking Africans, "train


every day, driven by the idea of becoming professional footballers, starting in the second or
third division, which would increase their income, and allow them to provide a better life
for their families," he said.
Offering another explanation is Hungarian Szabolcs Sebestyén, economics professor at the
Catholic
University and member of the British team because there weren't enough players from his
country to form a team here.
"The true reason behind those thundering defeats of the Europeans is the fact that there are
some professional footballers playing on the African teams," Sebestyén told IPS.
Nascimento stressed that the rules prohibit professional players from participating in the
Mundialinho, but admitted that there have been some cases in which Sebestyén was correct.
But when that occurred, he said, the penalty was forfeiture of the match.

"The only verified case this year was not reported on an African team, but Brazil's, which
easily beat its opponent, but when it was discovered there was a professional player on the
pitch, the maximum penalty was given, which was to invalidate Brazil's victory and award
the win to the opposing team," he said.
However, the rules do not prohibit the participation of former professionals, "and that must
be the case that the Hungarian professor is referring to," said Nascimento, and cited
Sebestyén's own team, "which has a former English professional, who is about 50 years
old, but on the pitch he looks 35." Nascimento noted that "what is really important is the
coexistence of people of all origins and professions, without violence or misconduct, a way
to get to know each other through a sport played in its purest state."
The two-week tournament was organised by the municipal governments of Lisbon and
Sintra and the national government, through the Interior Ministry, the Secretariats of Sports
and of Social Integration and through the office of the High Commissioner for Migration.

72
Contributing to the financing were two companies: Ibérica Comunicação Empresarial, and
Mota-Engil (which has major construction projects in Angola), as well as the Catholic
institution Santa Casa da Misericórdia.

The Foreigners and Frontiers Service and the immigration police haven't let the opportunity
of the Mundialinho escape them -- not to check the participants' immigration papers, but
rather to promote legalisation for those who might be undocumented.
Broader and more ambitious projects are planned for future tournaments.
For the Third Little World Cup of Integration, in 2011, initiatives include matches between
immigrant children and exhibitions for artists from the participating countries.
Why do these integration football tournaments only take place in the Iberian Peninsula
countries?
Nobody wanted to give a definitive response, but Nascimento, who is also a historian,
ventured a possibility for why his country stages the Mundialinho.
"Portugal started globalisation six centuries ago. Its former colonial empire was always
marked by a strong mestizo (mixed race/ethnicity) component and our policy of integration,
with its ups and downs, continues to have that hallmark."

URL: http://www.streetnewsservice.org/news/2010/august/feed-243/on-the-football-
pitch,-everyone-is-equal-.aspx

73
MIGRATION-PORTUGAL

On the Football Pitch, Everyone Is Equal


By Mario de Queiroz

LISBON, Jul 28, 2010 (IPS) - Football functions on so


many levels. It can be big business, moving
astronomical quantities of cash, with obscene salaries
for owners, coaches and star players. And it can be a
widely played sport, found in every park, street or
vacant lot. And it can be the common ground for
multicultural coexistence.

The idea of common ground is behind Portugal's Little


World Cup of Integration (Mundialinho da Integração, in
Portuguese), says Antonio Nascimento, one of the
organisers of the second annual non-professional football Immigrant football teams playing at the
championship amongst foreigners held in this country. Primeiro de Dezembro Stadium, in Sintra,
Portugal.

The relevance of this intercultural sporting event is Credit:Katalin Muharay/IPS


reinforced by the personal commitment of Portuguese
President Aníbal Cavaco Silva, who heads its Commission of Honour.

Hosting the matches of the "Mundialinho" are Lisbon and the neighbouring city of Sintra, just 30
kilometres away. The tournament was inaugurated Jul. 17; the championship match is slated for
Aug. 1.

The tournament's mission is to promote a sporting and social gathering of people of different
national origins and professions, from humble workers who have come to Portugal to build a decent
life, to university professors, doctors, economists and diplomats.

The most enthusiastic participants are the immigrant labourers, especially those coming from
Portugal's former colonies in Africa, as well as from Brazil, and from the countries of Central and
Eastern Europe.

This year 16 teams are participating, hailing from Angola, Brazil, Britain, Cape Verde, China,
Germany, Guinea-Bissau, Morocco, Moldavia, Mozambique, Nigeria, Romania, Senegal, São Tomé
and Principe, Spain, and Ukraine.

Spain and Portugal are the only European Union countries that hold this type of competition,
financed primarily by their national and municipal governments, with the aim of creating an
environment of equality and integration amongst foreign residents and with the broader society.

"Because of its social component, one could say that the Little World Cup is the most democratic
and egalitarian sporting event held in our country," Nascimento, an advisor to the mayor of Sintra,
told IPS.

However, the scores of the football matches held so far have not been at all "egalitarian."

The teams from the African countries and from Brazil, made up of mostly of youths who generally

74
have physically demanding jobs and play football in their free time, have truly thrashed their
opponents.

Some of the match results have been particularly lopsided: 23-1 (Cape Verde v. Morocco), 11-1
(Cape Verde v. Britain), and 18-1 (Guinea-Bissau v. Germany).

Nevertheless, the matches were "not at all humiliating for the losers," assured Nascimento, because

the teams from Germany, Spain and Britain are made up of immigrant university-trained
professionals "who play football only on weekends for fun."

The immigrant labourers, meanwhile, especially the Portuguese-speaking Africans, "train every day,
driven by the idea of becoming professional footballers, starting in the second or third division,
which would increase their income, and allow them to provide a better life for their families," he said.

Offering another explanation is Hungarian Szabolcs Sebestyén, economics professor at the


Catholic University and member of the British team because there weren't enough players from his
country to form a team here.

"The true reason behind those thundering defeats of the Europeans is the fact that there are some
professional footballers playing on the African teams," Sebestyén told IPS.

Nascimento stressed that the rules prohibit professional players from participating in the
Mundialinho, but admitted that there have been some cases in which Sebestyén was correct. But
when that occurred, he said, the penalty was forfeiture of the match.

"The only verified case this year was not reported on an African team, but Brazil's, which easily beat
its opponent, but when it was discovered there was a professional player on the pitch, the maximum
penalty was given, which was to invalidate Brazil's victory and award the win to the opposing team,"
he said.

However, the rules do not prohibit the participation of former professionals, "and that must be the
case that the Hungarian professor is referring to," said Nascimento, and cited Sebestyén's own
team, "which has a former English professional, who is about 50 years old, but on the pitch he looks
35."

Nascimento noted that "what is really important is the coexistence of people of all origins and
professions, without violence or misconduct, a way to get to know each other through a sport
played in its purest state."

The two-week tournament was organised by the municipal governments of Lisbon and Sintra and
the national government, through the Interior Ministry, the Secretariats of Sports and of Social
Integration and through the office of the High Commissioner for Migration.

Contributing to the financing were two companies: Ibérica Comunicação Empresarial, and Mota-
Engil (which has major construction projects in Angola), as well as the Catholic institution Santa
Casa da Misericórdia.

The Foreigners and Frontiers Service and the immigration police haven't let the opportunity of the
Mundialinho escape them -- not to check the participants' immigration papers, but rather to promote
legalisation for those who might be undocumented.

Broader and more ambitious projects are planned for future tournaments.

For the Third Little World Cup of Integration, in 2011, initiatives include matches between immigrant
children and exhibitions for artists from the participating countries.

75
Why do these integration football tournaments only take place in the Iberian Peninsula countries?
Nobody wanted to give a definitive response, but Nascimento, who is also a historian, ventured a
possibility for why his country stages the Mundialinho.

"Portugal started globalisation six centuries ago. Its former colonial empire was always marked by a
strong mestizo (mixed race/ethnicity) component and our policy of integration, with its ups and
downs, continues to have that hallmark." (END)

URL: http://ipsnews.net/news.asp?idnews=52304

76
MIGRACIONES-PORTUGAL: En la cancha todos son iguales
Por Mario de Queiroz
LISBOA, 26 jul (IPS) - El fútbol tolera todo. Puede ser el
gran negocio donde se mueven cantidades
astronómicas de dinero e ingresos obscenos de
directivos, entrenadores y jugadores estrellas, o un
deporte ampliamente practicado, o el resorte que
ayuda a la convivencia de inmigrantes.

En este último caso se inscribe la iniciativa de realizar


anualmente el Mundialito de la Integración (Mundialinho da
Integração, en portugués), explicó a IPS Antonio
Nascimento, uno de los organizadores del segundo Inmigrantes en el estadio Primeiro de
campeonato no profesional de fútbol entre extranjeros que Dezembro, en Sintra.
se realiza en Portugal.

La relevancia del encuentro deportivo e intercultural está Crédito: Katalin Muharay/IPS


reforzada por el compromiso personal del jefe del Estado
luso, Aníbal Cavaco Silva, quien preside su Comisión de
Honor.

El mundialito tiene como sedes a Lisboa y la vecina ciudad de Sintra, a tan sólo 30 kilómetros de
distancia, y va a concluir el sábado 1 de agosto, tras su inauguración el día 17.

Su objetivo es promover el encuentro deportivo y social entre personas de diferente origen nacional
y profesiones, desde modestos trabajadores que buscan en Portugal una vida decente hasta
profesores universitarios, médicos, economistas y diplomáticos.

La participación más entusiasta es la de los trabajadores inmigrantes, en especial los procedentes


de las ex colonias portuguesas en África, de Brasil y de los países del centro y este de Europa.

Este año participan 16 equipos: Alemania, Angola, Brasil, Cabo Verde, China, España, Gran
Bretaña, Guinea-Bissau, Marruecos, Moldavia, Mozambique, Nigeria, Rumania, Senegal, Santo
Tomé y Príncipe y Ucrania.

España y Portugal son los únicos países de la Unión Europea que realizan este tipo de
competición, financiada fundamentalmente por sus respectivos gobiernos y por municipios, con el
propósito de crear un ambiente de integración igualitaria entre residentes extranjeros.

"Por su componente social, se puede decir que el mundialito es el encuentro deportivo más
democrático e igualitario que se realiza en nuestro país", aseguró Nascimento, también asesor del
alcalde de Sintra.

En cambio, los resultados de los partidos celebrados hasta ahora, no son nada igualitarios.

Los equipos de países africanos y de Brasil, formados por jóvenes que en general realizan trabajos
físicos y juegan fútbol en todo su tiempo libre, han dado verdaderas palizas a sus contrincantes.

Ha habido resultados que lo dejan especialmente patente, como los de 23 goles a cero de Cabo
Verde contra Marruecos y de 11-1 contra Gran Bretaña, y el de 18-1 de Guinea-Bissau contra

77
Alemania.

No obstante, "nada humillantes para los perdedores", aseguró Nascimento, porque los equipos de
Alemania, España o Gran Bretaña son formados por profesionales universitarios, "que juegan
fútbol el domingo para entretenerse".

Al contrario, trabajadores inmigrantes, muy especialmente los africanos de lengua portuguesa,


"entrenan todos los días, alimentando la idea de convertirse en profesionales, empezando por la
segunda o tercera división, lo que les permitiría subir su nivel de ingresos y, por lo tanto, tener una
vida mejor para sus familias", añadió.

Otra es la explicación del húngaro Szabolcs Sebestyén, profesor Economía de la Universidad


Católica, integrado en el equipo británico porque su país no cuenta con un número significativo de
residentes en Portugal.

"El verdadero motivo de estas estruendosas derrotas de los europeos, se debe a que en los
equipos de los africanos, juegan algunos profesionales", aseguró Sebestyén a IPS.

Nascimento asevera que los reglamentos prohíben la participación de profesionales, pero reconoce
que se han detectado algunos casos donde se ha corroborado la afirmación del catedrático
húngaro. En tal caso, el castigo fue la derrota.

"El único caso verificado este año, no se registró en un equipo africano, sino en el de Brasil, que
pese a haber ganado cómodamente a su rival (no precisado), cuando se supo que había un
profesional en el campo de juego, le fue aplicada la pena máxima, que es la invalidación de su
triunfo y dar como ganador al equipo contrario", reveló.

Sin embargo, los reglamentos no impiden la participación de ex profesionales "y ese debe ser el
caso que apunta el profesor húngaro", afirmó. Como ejemplo puso el del equipo del académico,
"donde también participa un ex profesional inglés, que ya tiene cerca de 50 años, pero que en la
cancha parece de 35".

Nascimento hace especial hincapié en que "aquí lo realmente importante es la convivencia entre
personas de todo origen y profesiones, sin violencias o indisciplinas, una manera de conocerse,
donde el deporte se practica en su estado más puro".

La organización está a cargo de las alcaldías de Lisboa y Sintra y del gobierno central, a través del
Ministerio del Interior, de las secretarías de Estado de Deportes y de Inserción Social, y de la
oficina del Alto Comisionado para las Migraciones.

Además, colaboran en el financiamiento dos empresas: Ibérica Comunicación Empresarial y Mota-


Engil, con grandes obras de construcción civil en Angola, junto con la Santa Casa de la
Misericordia, una institución de la Iglesia Católica.

El Servicio de Extranjeros y Fronteras, la policía encargada de la inmigración, no desaprovecha la


oportunidad y ha destacado funcionarios al "Estadio do Lumiar", en Lisboa, y al "Primeiro de
Dezembro", en Sintra. Pero no para revisar los papeles de los asistentes, sino para promover la
legalización de indocumentados.

Para los futuros campeonatos, se perfilan proyectos más amplios y ambiciosos.

El III Mundialito de la Integración, en 2011, contempla realizar algunos partidos entre niños
inmigrantes y exposiciones de artistas plásticos de los países participantes.

¿Por qué los mundialitos de integración solo se realizan en la Península Ibérica y no en el resto de
Europa? Nadie arriesga una respuesta certera, pero Nascimento, historiador de profesión, aventura

78
una posibilidad en el caso de su país.

"Portugal inició la globalización hace seis siglos. Su antiguo imperio colonial contó siempre con la
marca de un fuerte componente mestizo y nuestra política de integración, con altos y bajos,
continúa teniendo ese sello". (FIN/2010)

URL: http://ipsnoticias.net/print.asp?idnews=96009

79
Futebol | 26.07.2010
Portugal usa futebol para integrar imigrantes

Acontece pela segunda vez o "Mundialinho da


Integração", que reúne imigrantes oriundos do mundo
inteiro. São 16 equipes, mas o mais importante não é a
taça, e sim promover a integração entre os
trabalhadores.

Pela segunda vez, está sendo realizado em Portugal o


"Mundialinho da Integração", uma versão diferente da
Copa do Mundo. Equipes da África, da América do Sul,
da Europa e da Ásia se enfrentam, times como Angola, Moldávia, Alemanha e China. Não
há jogadores profissionais, o objetivo é integrar os imigrantes que há anos vivem e
trabalham no país.

"O futebol pode mesmo unir os seres humanos", assegura Cristina Archer, diretora do
torneio, enquanto canções da Copa do Mundo tocam no alto-falante. "Aqui se realiza
integração, se trocam experiências e se conhecem pessoas".

Mas no futebol existe sempre a


competitividade, como diz Jörg Ferch,
capitão da seleção alemã. "Vamos jogar
contra Marrocos, Romênia e Cabo Verde.
Eu não sei quão fortes as outras equipes são,
mas acho que juntamos um bom grupo.
Acho que temos de passar da primeira fase",
avaliou.

Ferch tem 40 anos, é oficial do Exército


alemão e vive em Portugal há dois anos, em
serviço no quartel-general da Otan no país. "Acho o torneio uma ótima ideia. Ao todo são
16 times, talvez fosse possível ter recebido até mais. Isso é maravilhoso", diz ele, animado
com a iniciativa.

80
Ontem emigrantes, hoje imigrantes

Antes país de emigração, há um bom tempo Portugal se tornou atraente para os imigrantes.
Africanos, sobretudo das ex-colônias portuguesas, estão lá há duas ou três gerações. Gente
da Europa Oriental, como a Ucrânia e a Moldávia, chegou nas décadas de 1980 e 1990. A
colônia chinesa também não para de crescer.

Enquanto os jogadores cantam orgulhosamente os hinos de seu país, a acompanhadora do


time Connie Lee explica: "A comunidade chinesa ainda é um pouco fechada. Este torneio
deve ser um primeiro passo para uma integração melhor".

Bildunterschrift: Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: Chineses desanimados


com derrota para a Espanha no Mundialinho

O importante é competir

O que importa é participar, diz o reserva Chen,


enquanto seu time perde por 5 a 0 para a Espanha.
Há 13 anos ele mora com a mulher e dois filhos em
Lisboa, onde mantém uma clínica de acupuntura e
massagem. "Não quero nem mais saber como está
o jogo", brinca. "Enfim, eu estou aqui para jogar
um pouco e fazer novos amigos".

Bem-humorado, apesar do andamento do jogo,


Chen garante que se sente bem em Portugal. Alguma hora ele quer voltar para a China, com
certeza, mas não tão rápido. Em 20 anos, talvez, diz rindo. A coisa fica séria quando tem
que entrar em campo, zagueiro camisa 4. "Eu sou o Xavi chinês", brinca mais uma vez,
baixinho e atarracado, se comparando ao meio-campo que levou a Espanha ao título na
última Copa do Mundo.

Alemanha classificada

Enquanto os chineses perdiam por 7 a 2 para a Espanha, os alemães comemoravam a vitória


por 6 a 1 contra Marrocos. Mas o capitão Ferch segue pragmático: "Os outros times são, em
média, 20 anos mais jovens. Vamos ver no que vai dar".

Em primeiro lugar vem a diversão, com isto concordam todos os participantes, apesar das
temperaturas de 35ºC e da derrota alemã por 8 a 2 no segundo jogo. Ainda assim, a
Alemanha avança para a segunda fase, ao contrário da China. A final será realizada no
próximo domingo (01/08). E tanto alemães quanto chineses estarão de volta na edição do
ano que vem.

Autor: Jochen Faget (tm)


Revisão: Augusto Valente

URL: http://www.dw-world.de/dw/article/0,,5838374,00.html

81
Três imigrantes africanos integrarão equipas de futebol
da 3ª divisão
17 de Julho de 2010, 15:47

No Mundialinho da Integração, que hoje


começou em Lisboa, só podem participar
jogadores não profissionais mas, no ano
passado, três atletas imigrantes acabaram por
ser convidados a integrar equipas da terceira
divisão.

São cerca de “350 atletas de 16 nacionalidades


diferentes que vivem e trabalham em Portugal” que este ano disputam a II edição do
Mundialinho da Integração, contou à Lusa Cristina Archer, organizadora do evento que
hoje começou no Estádio Municipal da Alta de Lisboa.

O objetivo do encontro - que junta imigrantes de quatro continentes - é a integração de


todas as comunidades mas, por vezes, o resultado final “vai mais longe”.

“No ano passado, houve três elementos que foram aproveitados para equipas da terceira
divisão por terem participado neste evento. Não é o aspecto mais importante do torneiro,
mas aconteceu”, recordou o coordenador desportivo do evento, Paulo Paraty.

Segundo Paulo Paraty, os “olheiros” detectaram qualidades desportivas em três jogadores


das "selecções" africanas de Cabo Verde e da Guiné. Resultado: abandonaram os seus
árduos trabalhos e são hoje jogadores profissionais.

82
Entre os 350 atletas que vão disputar o Mundialinho durante os próximos 15 dias, podem
estar futuros profissionais do futebol português? “Sonhar não é proibido. É o alento de
qualquer ser humano. Por isso é bom que todos sonhem”, defendeu Paraty.

Mas a grande finalidade do campeonato, sublinhou Paulo Paraty, é a “integração das


pessoas de todos os outros continentes que vivem connosco, fazer com que se sintam parte
da nossa comunidade e mostrar a qualidade de Portugal enquanto país anfitrião”.

Esta é a segunda edição do Mundialinho da Integração, um evento organizado pelas


autarquias lisboeta e sintrense, em parceria com a Associação Portuguesa dos Árbitros de
Futebol e a empresa ICE - Ibérica Comunicação Empresarial.

O torneio de futebol vai reunir as equipas da Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde,


China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido,
Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.

URL: http://noticias.sapo.ao/info/artigo/1078943.html

83
Imigraçâo: 16 seleções de comunidades
imigrantes disputam torneio de futebol em
Lisboa
 Por Africanidade
 Publicado 19/07/2010
 Actualidade
 Votações:

Notícia

O II Mundialinho da Integração
decorre em Lisboa, onde se vão
encontrar imigrantes de quatro
continentes que vão vestir a camisola
da seleção do seu país durante os
próximos quinze dias.

"A ideia é juntar numa festa as


comunidades imigrantes", explicou à
Lusa Cristina Archer, da organização
do evento, que reúne 16 comunidades
de imigrantes num encontro
desportivo que termina a 01 de
agosto.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China são as equipas deste torneio multicultural, que reúne num campo de futebol
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino. O segundo dia do Mundialinho da Integração ficou marcado por dois casos: a

84
desistência de Marrocos e a repetição do jogo entre Angola e Ucrânia. A equipa marroquina
tinha apenas

13 jogadores, os quais, durante o jogo com Cabo Verde, revelaram um evidente desgaste
físico, em consequência do qual foram obrigados a abandonar a prova. A partida terminou
aos 20 minutos, com os cabo-verdianos a vencerem por expressivos 23-0. Durante esta
semana vai haver uma reunião do conselho de disciplina da prova, onde será discutida uma
solução.

Angola. Mas outro caso marcou o dia de ontem de competição. A equipa angolana vai ser
obrigada a repetir o jogo frente à Ucrânia, que acabara com uma goleada por 5-0. O motivo
desta decisão reside no facto de os angolanos terem participado na prova com um jogador
federado, uma situação que está expressamente proibida pelos regulamentos da competição.
O jogo vai ser repetido no próximo domingo, pelas 10.30, no Estádio Municipal da Alta de
Lisboa. No dia de ontem, Angola não foi além de um empate a zero com o Senegal.

Tal como no primeiro dia, as goleadas foram a nota de ordem no Mundialinho, que tem
sido disputado entre Lisboa e Sintra. O resultado mais expressivo coube à seleção de S.
Tomé, que impôs um 14-0 à congénere do Reino Unido. Depois da vitória frente à China,
os espanhóis não deram seguimento à boa forma e acabaram goleados por 5-0 ante o Brasil.

A Nigéria seguiu a toada da 1.ª jornada e levou a melhor ante a Ucrânia, por 6-2. A 3.ª
jornada vai decorrer no próximo sábado, onde vão ser conhecidas as equipas que participam
nos quartos-de-final, marcados para domingo.
Lusa/Record

URL: http://www.africanidade.com/articles/4091/1/ImigraAAo-16-seleAAes-de-
comunidades-imigrantes-disputam-torneio-de-futebol-em-Lisboa/Paacutegina1.html

85
Cabo Verde vence Angola no II Mundialinho da Integração
A equipa de Cabo Verde (1-0) é grande
vencedora do II Mundialinho da
Integração, cuja final foi disputada
domingo no Estádio da Alta de Lisboa
frente a Angola.

"Cabo Verde ganhou à Angola por 1-0,


um golo marcado logo no primeiro
tempo", disse António Barbosa, um dos
elementos da organização do torneio que
decorreu em Portugal, e cuja missão
principal é promover a integração e o
convívio entre imigrantes residentes no
país.
Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné-bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China foram as equipas deste torneio multicultural, que reuniu num campo de futebol
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino.
A segunda edição do Mundialinho da Integração foi organizado pelas autarquias de Lisboa
e Sintra, pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica
Comunicação Empresarial, tendo tido também o patrocínio da Presidência da República.

Cabo Verde foi o grande vencedor ao derrotar Angola que ocupou a segunda posição no
torneio. Já no terceiro e quarto lugares ficaram as selecções brasileira e moldava, com o
Brasil a vencer por 9-8 em penalties, depois de um empate a duas bolas.
Neste torneio destaque ainda para o prémio "Fair Play" entregue à equipa da China, e o de
"Integração", entregue à equipa de São Tomé, aquela que melhor se integrou dentro na
competição.

Fonte: Lusa

http://www.africatoday.co.ao/pt/desporto/4548-Cabo-Verde-vence-Angola-
Mundialinho-Integrao.html

86
II Mundialinho da Integração: Sorteio é já amanhã
30 de Junho de 2010, 20:24

A Câmara Municipal de Lisboa, juntamente com a Câmara Municipal de Sintra, em parceria com a
Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE – Ibérica Comunicação Empresarial, vai
realizar o Sorteio do II Mundialinho da Integração, no próximo dia 1 de Julho de 2010, pelas 21.30.

A cerimónia estará aberta ao público e terá lugar no Auditório do Museu do Regimento de Sapadores
Bombeiros de Lisboa.

Este torneio de futebol, que se realiza em Lisboa e Sintra de 17 de Julho a 1 de Agosto, vai reunir equipas
oriundas de dezasseis comunidades imigrantes residentes em Portugal: Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-
Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal,
S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.

Uma prova cujo objectivo continua a ser “Pôr todos a falar com todos” e incentivar o convívio e intercâmbio
cultural entre as diferentes comunidades aqui residentes, bem como apelar à adopção de estilos de vida mais
saudáveis das nossas populações através da prática desportiva.

SAPO

URL: http://noticias.sapo.cv/info/artigo/1076170.html

87
Cabo Verde representado no mundialinho da integração /
Desporto / Detalhe de Notícia

17-7-2010

Futebol de Praia: Cabo Verde representado no mundialinho da


integração

O II Mundialinho da Integração começa hoje em Lisboa, onde se vão encontrar imigrantes


de quatro continentes que vão vestir a camisola da selecção do seu país durante os
próximos quinze dias.

"A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes", explicou à Lusa Cristina Archer,
da organização do evento, que reúne 16 comunidades de imigrantes num encontro
desportivo que termina a 01 de Agosto. Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde,
Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia,
Moldávia, Marrocos, Moçambique e China são as equipas deste torneio multicultural, que

88
reúne num campo de futebol funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras
e até um barbeiro marroquino.

O critério para selecção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com
maior número de habitantes em Portugal.

O Angola-Ucrânia é o primeiro jogo de um torneio que pretende "pôr estas comunidades


todas a falar umas com as outras", lembra.

O torneio, organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de


Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tem também o
patrocínio da Presidência da República: Cavaco Silva preside à Comissão de Honra do
Mundialinho.

Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia, Senegal e


Nigéria no grupo A, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Reino Unido no B,
Cabo Verde, Roménia, Marrocos e Alemanha no grupo C, Brasil, Moldávia, Espanha e
China no grupo D.

O torneio que hoje começa continua nos fins de semana seguintes, até à final, no dia 01 de
Agosto, no estádio do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-se no estádio 1.º de
Dezembro.

17-7-2010, 11:09:55

URL: http://www.expressodasilhas.sapo.cv/pt/noticias/go/futebol-de-praia--cabo-
verde-representado-no-mundialinho-da-integracao

89
Portugal: Cabo Verde vence II Mundialinho da Integração /
Desporto / Detalhe de Notícia

3-8-2010

Portugal: Cabo Verde vence II Mundialinho da Integração

A festa foi azul e branca, as cores da bandeira de Cabo Verde, que venceu este domingo o
II Mundialinho da Integração, torneio disputado por 16 equipas oriundas de comunidades
imigrantes que vivem e trabalham em Portugal.

O jogo da final, realizado no Complexo Desportivo do Alto do Lumiar (Lisboa), opôs cabo-
verdianos e angolanos. Um golo solitário, marcado no início da segunda parte, fixou o
resultado e as cores da festa.

90
Ao intervalo, Benjamin Cariada, de 31 anos, desinfestador de profissão, estava convencido
da vitória de Angola, vencedora da primeira edição do Mundialinho. "Claro que vamos ser
campeões de novo. Temos uma boa equipa e os rapazes esforçam-se muito". Mas os
"rapazes" raramente conseguiram chegar perto da baliza de Cabo Verde.

Quem acabou a gritar "campeões, campeões, nós somos campeões" no relvado, envolvido
numa bandeira de Cabo Verde e distribuindo abraços entre os jogadores, foi Sidney Lima,
de 30 anos, animador do grupo de batuque Rola Samba.

Durante todo o desafio, nas bancadas do estádio, os percussionistas não pararam de incitar a
equipa, marcando o compasso de um jogo sem casos assinaláveis, muito embora soasse, de
vez em quando, um ou outro insulto à mãe do árbitro e algumas acusações pontuassem
entradas mais agressivas em campo. Além de angolanos e cabo-verdianos, também
imigrantes espanhóis, chineses, ucranianos e moldavos assistiram à final do torneio.

Danças tradicionais de África e China entraram em campo

Nem só de futebol se fez a final do Mundialinho da Integração, que juntou imigrantes de


quatro continentes. Logo após o Brasil ter vencido, nos penáltis, a Moldávia, conquistando
o 3º lugar, entraram em campo a música e a dança tradicionais africanas.

Também o grupo feminino Hip Hop de Batom mobilizou as hostes, que aguardavam a
disputa futebolística final, com uma canção de alerta para a infecção pelo VIH e outra de
protesto contra a mutilação genital feminina. Num estilo diferente, uma bailarina chinesa
executou uma dança tradicional.

Organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, o II Mundialinho contou com a


participação de 350 atletas.

URL: http://www.expressodasilhas.sapo.cv/pt/noticias/go/portugal--cabo-verde-vence-
ii-mundialinho-da-integracao

91
Angola e Cabo Verde disputam hoje a final do
Mundialinho da Integração / Desporto / Detalhe de Notícia

2-8-2009

Angola e Cabo Verde disputam hoje a final do Mundialinho da


Integração
As equipas de Angola e de Cabo verde disputam hoje a final do primeiro Mundialinho da
Integração, que está a ser disputado em Sintra desde 01 de Julho.

Nas meias-finais, que se jogaram sábado, a equipa de Angola venceu o Brasil por 6-2,
enquanto Cabo Verde eliminou a Guiné-Bissau por 2-1.

O Mundialinho da Integração, que nesta primeira edição contou com a participação de 12


equipas (Angola, Brasil, Cabo Verde, Espanha, Guiné-Bissau, Marrocos, Moçambique,
Moldávia, Roménia, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Ucrânia), visa fomentar a prática
desportiva e favorecer a integração das comunidades imigrantes que vivem em Portugal.

2-8-2009, 11:02:35
Fonte: Agência Lusa/Expresso das Ilhas

http://www.expressodasilhas.sapo.cv/index.php/pt/noticias/go/angola-e-cabo-verde-
disputam-hoje-a-final-do-mundialinho-da-integracao

92
A SEMANA
DESPORTO

Cabo Verde no II Mundialinho da Integração em


Portugal
26 Julho 2010
No estádio da Sociedade de União 1º Dezembro,
em S.Pedro de Sintra, a equipa de Cabo Verde,
após um empate por duas bolas, no tempo
regulamentar, com a Nigéria, acabou por perder
por 5-4, no desempate por grandes penalidades.
Contudo, os cabo-verdianos jogaram sob
protesto, porquanto os nigerianos apresentaram
oito jogadores inscritos nas ligas profissionais,
o que contraria frontalmente o regulamento da
prova. Por isso é natural a decisão favorável
aos cabo-verdianos e a consequente passagem
às meias-finais.

Djamil Andrade, conhecido gestor de carreiras profissionais e eventos desportivos,


é quem assume o papel de dirigente dos tubarões azuis e o trabalho de campo
está a cargo de Ricardo Delgado (Ricky Nelson), treinador com trabalho
desenvolvido a nível distrital (Arrentela) nas camadas jovens.
Fábio Tavares, jovem da terceira geração de imigrantes, promissor extremo, de 19
anos, é o elemento em destaque na equipa de Cabo Verde. Deverá assinar,
brevemente, um contrato profissional com a equipa de Vendas Novas.
Cabo Verde exibe bons argumentos numa prova em que o objectivo é: “Pôr todos a falar
com todos” e incentivar o convívio e o intercâmbio cultural entre as diferentes
comunidades residentes em Portugal.

URL:
http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article54911&var_recherche=Mundialinho%2
0da%20Integra%E7%E3o&ak=1

93
Clube Tabanka

Cabo Verde vence II Mundialinho de Integração.

A festa foi azul e branca, as cores da bandeira de Cabo Verde, que ontem, 01,
venceu o II Mundialinho da Integração, torneio disputado por 16 equipas oriundas
de comunidades imigrantes que vivem e trabalham em Portugal. O jogo da final,
realizado no Complexo Desportivo do Alto do Lumiar (Lisboa), opôs cabo-
verdianos e angolanos. Um golo solitário, marcado no início da segunda parte,
fixou o resultado.

Tal como relata o Correio da Manhã, ao intervalo, Benjamin Cariada, de 31 anos,


desinfestador de profissão, estava convencido da vitória de Angola, vencedora da
primeira edição do Mundialinho. "Claro que vamos ser campeões de novo. Temos
uma boa equipa e os rapazes esforçam-se muito". Mas os "rapazes" raramente
conseguiram chegar perto da baliza de Cabo Verde.

Quem acabou a gritar "campeões, campeões, nós somos campeões" no relvado,


envolvido numa bandeira de Cabo Verde e distribuindo abraços entre os
jogadores, foi Sidney Lima, de 30 anos, animador do grupo de batuque Rola
Samba. Além de angolanos e cabo-verdianos, também imigrantes espanhóis,
chineses, ucranianos e moldavos assistiram à final do torneio.

E nem só de futebol se fez a final do Mundialinho da Integração, que juntou


imigrantes de quatro continentes. Logo após o Brasil ter vencido, nos penáltis, a
Moldávia, conquistando o 3º lugar, entraram em campo a música e a dança
tradicionais africanas. Também o grupo feminino Hip Hop de Batom mobilizou as

94
hostes, que aguardavam a disputa futebolística final, com uma canção de alerta
para a infecção pelo VIH e outra de protesto contra a mutilação genital feminina.
Num estilo diferente, uma bailarina chinesa executou uma dança tradicional.

Organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, o II Mundialinho contou com a


participação de 350 atletas.

95
A SEMANA
DESPORTO

Mundialinho da Integração: Cabo Verde marca 23 golos em 20 minutos e faz


Marrocos abandonar competição
20 Julho 2010

Marrocos desistiu do Mundialinho da Integração em Portugal,


depois de sofrer 23 golos em apenas 20 minutos, num jogo
com Cabo Verde. A equipa marroquina tinha apenas 13
jogadores, que revelaram um evidente desgaste físico, na
sequência do qual foram obrigados a abandonar a prova. Cabo
Verde segue assim na prova e joga no próximo sábado, 24,
para se classificar para os quartos-de-final. O segundo dia do
Mundialinho da Integração, que aconteceu este domingo, 18,
ficou marcado por outro caso para além da desistência da equipa marroquina:a equipa
angolana vai ser obrigada a repetir o jogo frente à Ucrânia, que acabara com uma goleada
por 5-0.

O motivo desta decisão reside no facto de os angolanos terem participado na prova com um
jogador federado, uma situação que está expressamente proibida pelos regulamentos da
competição. O jogo vai ser repetido no próximo domingo, pelas 10h30, no Estádio
Municipal da Alta de Lisboa. No domingo, Angola não foi além de um empate a zero com
o Senegal.

Tal como no primeiro dia, as goleadas foram a nota de ordem no Mundialinho, que tem
sido disputado entre Lisboa e Sintra. O resultado mais expressivo coube à selecção de S.
Tomé, que impôs um 14-0 à congénere do Reino Unido. Depois da vitória frente à China,
os espanhóis não deram seguimento à boa forma e acabaram goleados por 5-0 ante o Brasil.

A Nigéria seguiu a toada da 1ª jornada e levou a melhor ante a Ucrânia, por 6-2. A 2ª
jornada vai decorrer no próximo sábado, onde vão ser conhecidas as equipas que participam
nos quartos-de-final, marcados para o próximo fim-de-semana.

A segunda edição do Mundialinho da Integração está a decorrer desde sábado, 17 de Julho,


uma prova organizada pela Câmara Municipal de Lisboa, em parceria com a CM de Sintra,
a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a ICE - Ibérica Comunicação
Empresarial.

O torneio de futebol reúne equipas de dezasseis comunidades imigrantes residentes em


Portugal, sendo que a lista é composta por Angola, Alemanha, Brasil, Cabo Verde, China,
Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia,
Senegal, S. Tomé e Príncipe e Ucrânia. Os jogos decorrem entre os dias 17 de Julho e 1 de

96
Agosto, no Estádio Municipal da Alta de Lisboa, no Lumiar, e no estádio da Sociedade
União 1º de Dezembro, em Sintra.

A competição tem o lema "Pôr todos a falar com todos" e o Presidente da República
Portuguesa, Aníbal Cavaco Silva, preside a Comissão de Honra deste Mundialinho de
futebol, que pretende incentivar o convívio e intercâmbio cultural entre as diversas
comunidades residentes em Portugal.

Os quatro grupos em competição são:

Grupo A: 1. Angola 2. Ucrânia 3. Senegal 4. Nigéria

Grupo B: 1. Guiné-Bissau 2. S. Tomé e Príncipe 3. Moçambique 4. Reino Unido

Grupo C: 1. Cabo Verde 2. Roménia 3. Marrocos (desistência) 4. Alemanha

Grupo D: 1. Brasil 2. Moldávia 3. Espanha 4. China

URL:
http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article54701&var_recherche=Mundialinho%2
0da%20Integra%E7%E3o&ak=1

97
A SEMANA
DESPORTO

Cabo Verde vence II Mundialinho de Integração


02 Agosto 2010
A festa foi azul e branca, as cores da bandeira de Cabo Verde, que ontem, 01,
venceu o II Mundialinho da Integração, torneio disputado por 16 equipas
oriundas de comunidades imigrantes que vivem e trabalham em Portugal. O
jogo da final, realizado no Complexo Desportivo do Alto do Lumiar (Lisboa),
opôs cabo-verdianos e angolanos. Um
golo solitário, marcado no início da
segunda parte, fixou o resultado.

Tal como relata o Correio da Manhã, ao


intervalo, Benjamin Cariada, de 31 anos,
desinfestador de profissão, estava
convencido da vitória de Angola, vencedora
da primeira edição do Mundialinho. "Claro
que vamos ser campeões de novo. Temos
uma boa equipa e os rapazes esforçam-se
muito". Mas os "rapazes" raramente conseguiram chegar perto da baliza de Cabo
Verde.
Quem acabou a gritar "campeões, campeões, nós somos campeões" no relvado,
envolvido numa bandeira de Cabo Verde e distribuindo abraços entre os
jogadores, foi Sidney Lima, de 30 anos, animador do grupo de batuque Rola
Samba. Além de angolanos e cabo-verdianos, também imigrantes espanhóis,
chineses, ucranianos e moldavos assistiram à final do torneio.
E nem só de futebol se fez a final do Mundialinho da Integração, que juntou
imigrantes de quatro continentes. Logo após o Brasil ter vencido, nos penáltis, a

98
Moldávia, conquistando o 3º lugar, entraram em campo a música e a dança
tradicionais africanas. Também o grupo feminino Hip Hop de Batom mobilizou as
hostes, que aguardavam a disputa futebolística final, com uma canção de alerta
para a infecção pelo VIH e outra de protesto contra a mutilação genital feminina.
Num estilo diferente, uma bailarina chinesa executou uma dança tradicional.
Organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, o II Mundialinho contou com a
participação de 350 atletas.

URL:
http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article55106&var_recherche=Mundialinho%2
0da%20Integra%E7%E3o&ak=1

99
Cabo Verde vence o II mundialinho da Integração
Classificação: /0
Avaliar
Fraco Bom
Escrito por AB
03-Ago-2010

A equipa de Cabo Verde venceu o II Mundialinho da Integração, cuja final foi disputada domingo em ambiente
de festa no Estádio da Alta de Lisboa.

Erro!
Informações avançadas pela Inforpress, dão conta que "Cabo Verde ganhou à Angola por 1-0, um golo marcado logo
no primeiro tempo".

O jogo de apuramento do terceiro e quarto lugar foi jogado entre as selecções brasileiras e moldava. O Brasil ganhou
por 9-8, numa vitória conquistada nos penalties, depois de um empate por duas bolas, disse o mesmo responsável.

António Barbosa, membro da organização, destacou que, apesar dos receios de que pudessem surgir conflitos entre
adeptos nas bancadas, "tudo decorreu sem problemas, em ambiente de calma, com muita música e dança".

No final do jogo foram distribuídos outros prémios pelas equipas, como o de "Fair Play", ganho pela China, que se
manteve sempre em festa e sem desanimar, apesar das sucessivas derrotas, e o de "Integração", entregue à equipa
de São Tomé, aquela que melhor se integrou dentro do torneio.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino Unido,
Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e China foram as equipas deste torneio multicultural, que reuniu

100
num campo de futebol funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro marroquino.

O critério para selecção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com maior número de habitantes em
Portugal.

O Mundialinho da Integração, este ano na sua segunda edição, foi organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela
Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tendo tido também o
patrocínio da Presidência da República.

http://www.fogo.cv/index.php?option=com_content&task=view&id=2989&Itemid=85

101
Notícias – Portugal

26-07-2010

Mundialinho de futebol: 16 selecções de imigrantes em competição

O II Mundialinho da Integração, que acontece em Sintra, desde o passado dia 17 de Julho,


onde se vão encontrar imigrantes de quatro continentes que vão vestir a camisola da
selecção do seu país durante os próximos quinze dias.

Angola, Brasil,
Nigéria, Senegal,
Cabo Verde, Guiné
Bissau, São Tomé e
Príncipe, Espanha,
Alemanha, Reino
Unido, Ucrânia,
Roménia, Moldávia,
Marrocos,
Moçambique e China
são as equipas deste
torneio multicultural,
que reúne num campo
de futebol
funcionários de
embaixada,
engenheiros a
trabalhar nas obras e
até um barbeiro marroquino.

102
"A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes", explicou à Lusa Cristina Archer,
da organização do evento, que reúne 16 comunidades de imigrantes num encontro
desportivo que termina a 01 de Agosto.

O critério para selecção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com
maior número de habitantes em Portugal.

O Angola-Ucrânia foi o primeiro jogo de um torneio que pretende "pôr estas comunidades
todas a falar umas com as outras", lembra.

O torneio, organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de


Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tem também o
patrocínio da Presidência da República: Cavaco Silva preside à Comissão de Honra do
Mundialinho.

Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia, Senegal e


Nigéria no grupo A, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Reino Unido no B,
Cabo Verde, Roménia, Marrocos e Alemanha no grupo C, Brasil, Moldávia, Espanha e
China no grupo D.

O torneio vai até o dia 01 de Agosto, no estádio do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-
se no estádio 1 de Dezembro.

Veja aqui o calendário dos jogos.

Fonte: Lusa

URL:
http://www.embcv.pt/lista_conteudos_sub.asp?idcont=487&IDarea=4&idsub=787

103
voltar
Notícias - Portugal
02-08-2010
Cabo Verde ganha II edição do Mundialinho da Integração

A festa foi azul e branca, as cores


da bandeira de Cabo Verde, que
ontem venceu o II Mundialinho da
Integração, torneio disputado por
16 equipas oriundas de
comunidades imigrantes que vivem
e trabalham em Portugal. O jogo
da final, realizado no Complexo
Desportivo do Alto do Lumiar
(Lisboa), opôs cabo-verdianos e
angolanos. Um golo solitário,
marcado no início da segunda parte, fixou o resultado e as cores da festa.

Quem acabou a gritar "campeões, campeões, nós somos campeões" no relvado,


envolvido numa bandeira de Cabo Verde e distribuindo abraços entre os jogadores, foi
Sidney Lima, de 30 anos, animador do grupo de batuque Rola Samba.

Durante todo o desafio, nas bancadas do estádio, os percussionistas não pararam de


incitar a equipa, marcando o compasso de um jogo sem casos assinaláveis, muito
embora soasse, de vez em quando, um ou outro insulto à mãe do árbitro e algumas
acusações pontuassem entradas mais agressivas em campo. Além de angolanos e
cabo-verdianos, também imigrantes espanhóis, chineses, ucranianos e moldavos
assistiram à final do torneio.

Danças tradicionais de África e China entraram em campo

Nem só de futebol se fez a final do Mundialinho da Integração, que juntou imigrantes


de quatro continentes. Logo após o Brasil ter vencido, nos penáltis, a Moldávia,
conquistando o 3º lugar, entraram em campo a música e a dança tradicionais

104
africanas. Também o grupo feminino Hip Hop de Batom mobilizou as hostes, que
aguardavam a disputa futebolística final, com uma canção de alerta para a infecção

pelo VIH e outra de protesto contra a mutilação genital feminina. Num estilo diferente,
uma bailarina chinesa executou uma dança tradicional. Organizado pelas autarquias de
Lisboa e Sintra, o II Mundialinho contou com a participação de 350 atletas.

A classificação final fica assim ordenada:

Campeão: Cabo Verde

2º Lugar: Angola

3º Lugar: Brasil

4º Lugar: Moldávia

O melhor jogador do torneio é o cabo-verdiano Kelvin, que já tinha sido distinguido


com semelhante troféu no Torneio 5 de Julho, organizado no mês passado, pela
Embaixada, em colaboração com BKaldom.

Futebol promove diálogo entre imigrantes

Cerca de 350 atletas não profissionais e naturais de 16 países integraram as equipas


de futebol que participam na segunda edição do Mundialinho da Integração. O evento
desportivo decorreu entre os dias 17 de Julho e 1 de Agosto, no Alto do Lumiar –
Lisboa e Sintra.
A cerimónia de abertura foi marcado pelo convívio entre as várias comunidades de
imigrantes residentes em Portugal, que não se coibiram de dar uns passos de dança ao
som da música tradicional da Ucrânia.

Rosário Farmhouse, Alta Comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI),


informou os presentes sobre os objectivos do evento: “Esta iniciativa possibilita um
convívio e um diálogo intercultural entre as várias comunidades residentes em Portugal
e abre caminho para eventuais relações de amizade.”

URL:
http://www.embcv.pt/lista_conteudos_sub.asp?idcont=502&IDarea=4&idsub=787

105
BRASIL
Extraído de: academia-de-talentos.com Julho 17, 2010
Notícias RSS Digg

Decorre a partir do próximo dia 17 de Julho, o II Mundialinho da Integração, prova organizada pela Câmara Municipal de
Lisboa, em parceria com a CM de Sintra, a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a ICE - Ibérica
Comunicação Empresarial.

O torneio de futebol reúne equipas de dezasseis comunidades imigrantes residentes em Portugal , sendo que a lista é
composta por Angola, Alemanha , Brasil , Cabo Verde, China, Espanha , Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria ,
Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe e Ucrânia. Os jogos decorrem entre os dias 17 de Julho
e 1 de Agosto, no Estádio Municipal da Alta de Lisboa, no Lumiar, e no estádio da Sociedade União 1º de Dezembro,
em Sintra.

A cerimónia de abertura desta competição, com o objectivo de "Pôr todos a falar com todos", decorre no primeiro dia de
competição, tendo já confirmada a presença de Paulo Paraty. O Presidente da República Portuguesa , Aníbal Cavaco
Silva, preside a Comissão de Honra deste Mundialinho de futebol, que pretende incentivar o convivio e intercâmbio cultural
entre as diversas comunidades residentes em Portugal .

Composição dos 4 Grupos em competição:

Grupo A:1. Angola


2. Ucrânia
3. Senegal
4.Nigéria

Grupo B:
1. Guiné-Bissau
2. S. Tomé e Principe

106
3. Moçambique
4. Reino Unido

Grupo C:
1. Cabo Verde
2. Roménia
3. Marrocos
4.Alemanha

Grupo D:
1.Brasil
2. Moldávia
3.Espanha
4. China

Texto: Redacção Academia de Talentos - NV


E-Mail: redaccao@academia-de-talentos.com

URL: http://www.espbr.com/noticias/apresentado-ii-mundialinho-integracao

107
Futebol de Praia: São Tomé e Principe representado no mundialinho da
integração
19 Julho 2010

O II Mundialinho da Integração começou ontem em Lisboa, onde se vão encontrar


imigrantes de quatro continentes que vão vestir a camisola da selecção do seu país durante
os próximos quinze dias.
“A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes”, explicou à Lusa Cristina Archer,
da organização do evento, que reúne 16 comunidades de imigrantes num encontro
desportivo que termina a 01 de Agosto.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China são as equipas deste torneio multicultural, que reúne num campo de futebol
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino.

O critério para selecção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com
maior número de habitantes em Portugal.

O Angola-Ucrânia é o primeiro jogo de um torneio que pretende “pôr estas comunidades


todas a falar umas com as outras”, lembra.

O torneio, organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de


Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tem também o
patrocínio da Presidência da República: Cavaco Silva preside à Comissão de Honra do
Mundialinho.

Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia, Senegal e


Nigéria no grupo A, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Reino Unido no B,
Cabo Verde, Roménia, Marrocos e Alemanha no grupo C, Brasil, Moldávia, Espanha e
China no grupo D.

O torneio que começou hoje continua nos fins de semana seguintes, até à final, no dia 01 de
Agosto, no estádio do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-se no estádio 1.º de
Dezembro.

URL: http://www.telanon.info/desporto/2010/07/19/4795/futebol-de-praia-sao-tome-e-
principe-representado-no-mundialinho-da-integracao/#comments

108
MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO – São Tomé e Principe lidera
grupo B
21 Julho 2010

O II Mundialinho da Integração está a correr de feição á formação de São Tomé e Principe


que soma um empate a uma bola frente a Guiné Bissau e uma vitoria esmagadora frente ao
Reino Unido por 14-0 e está na liderança do Grupo B. Dia 24 a formação de São Tomé e
Principe vai defrontar a equipa de Moçambique.

Esta competição conta com a presença de 350 atletas (não profissionais e imigrantes)
divididos por 16 selecções dos quatro cantos do Mundo. Os jogos realizam-se em campos
da zona de Lisboa em Sintra o Estádio 1 de Maio e em Lisboa no Alto do Lumiar. O
presidente da Republica de Portugal, Cavaco Silva é o presidente da Comissão de Honra.
De registar de que no primeiro dia da prova aconteceu uma partida, Angola, 0- Ucrânia, 0,
que vai ter de ser repetida em virtude de a Ucrânia ter protestado a participação na partida
do angolano Hélder Lemos que está federado. O jogo foi agora agendado para 25 de Julho
ás 10:30. Esta competição decorre até ao dia 01 de Agosto

RESULTADOS-
GRUPO A
Angola – Ucrânia (jogo vai ser repetido)
Senegal, 3 – Nigeria, 5

Angola, 0- Senegal, 0
Ucrania, 2 – Nigeria, 5

Dia 24 – Angola – Nigéria e Ucrânia – Senegal

Classificação – Nigéria 6 pontos; Angola e Senegal 1; Ucrânia 0.

GRUPO B
Guiné Bissau, 1 – São Tome e Príncipe, 1
Moçambique, 5 – Reino Unido, 1

São Tomé e Principe, 14 – Reino Unido, 0


Guiné Bissau, 9 – Moçambique, 0

109
Dia 24 – Guiné Bissau-Reino Unido e Moçambique – São Tomé e Principe.

Classificação – São Tomé e Principe e Guinè Bissau 4 pontos; Moçambique, 3 e Reino


Unido, 0.

GRUPO C

Cabo Verde, 4 – Roménia, 0


Marrocos, 1 – Alemanha, 4

Cabo Verde, 23 – Marrocos, 0


Roménia, 8 – Alemanha, 2

Dia 24 – Alemanha- Cabo Verde e Marrocos – Roménia

Classificação – Cabo Verde 6 pontos; Roménia e Alemanha ambos 3 e Marrocos com zero.

GRUPO D

Brasil , 4 – Moldávia, 1
Espanha, 7 – China, 2

Brasil, 5 – Espanha, 0
Moldávia, 10 – China, 0

Dia 24 – Brasil- China e Espanha- Moldávia

Classificação – Brasil 6 pontos; Moldávia e Espanha 3; e China 0

http://www.telanon.info/desporto/2010/07/21/4824/mundialinho-da-integracao-sao-
tome-e-principe-lidera-grupo-b/
:

110
São Tome e Príncipe perde com Brasil
30 Julho 2010

A selecção de São Tomé e Principe empatou com a forte formação do Brasil a uma bola e
perdeu posteriormente na conversão de grandes penalidades por 5-4 e desta forma foi
eliminada do II Mundialito da Integração.

A formação orientada por Andre Tatanga saiu da prova nos quartos de final de cabeça
erguida devido as boas prestações conseguidas na prova. Nas outras partidas Cabo Verde
empatou a duas bolas contra a Nigeira e perdeu por 4-2 nas grandes penalidades, mas
devido a problemas com a inscrição de jogadores nigerianos a formação cabo-verdiana
segue em frente. A Moldavia venceu Moçambique por 1-0 e a partida Angola- Roménia
não se jogou. No dia 31, Cabo Verde vai defrontar a Moldávia nas meias finais. Na outra
meia final a formação do Brasil vai defrontar ou Angola ou a Romenia que não jogaram
para os quartos de final. Dia 01 de Agosto jogam-se as finais.

A Selecção de São Tomé e Principe que está a participou no II Mundialito da Integração em


Portugal, está representada pelos seguintes jogadores.

Herlander Costa, Mateus Bastos, Aldgene Abreu, Carlos Medeiros, Adilson Ambrosio,
Geckson Nascimento, Francisco Carvalho, Waldo Sousa Bastos, Guno Tomé, Euclides
Bastos, Claudino Correia Varela, Joerge Neto, Dicas Santos, Marcos Lima, Charles
Medeiros, Paulo Bolonha, Aplyton Carvalho, Hendrickson Nazaré, Casimiro Moreira,
Hamilton Silva, Silvano de Barros e Aloiso Almeida.

Director Técnico: Nelson Alva


Treinador: André Tatanga
Adjunto: Victor Paylo
Delegado: Filomeno Almeida
Massagista: Fanon C. Alegre
Médico: Dr. Carlos Pina
Vasco Antão

URL: http://www.telanon.info/desporto/2010/07/30/4878/sao-tome-e-principe-perde-com-
brasil/

111
Cabo Verde ganha o Mundialinho de Integração
2010-08-03 16:26:56

Lisboa – Cabo Verde venceu a final do II


Mundialinho da Integração, disputado este
domingo, contra a equipa angolana.

A final, disputada entre as equipas de


Cabo Verde e de Angola, terminou com a
vitória da equipa cabo-verdiana por 1-0.
Em terceiro lugar ficou o Brasil que
venceu a Moldávia, na marcação de
grandes penalidades por 9-8.

Depois do jogo entre o Brasil e a


Moldávia, foi a vez da música e dança
Futebol: Ronaldo fora da lista dos 12 nomeados a tradicionais africanas entrarem em
«melhor da Europa» campo. O grupo feminino de Hip Hop de
Futebol: Campeão inicia época a perder frente ao
Batom actuou com duas músicas, uma de
Académica alerta para a infecção pelo VIH e outra de
protesto contra a mutilação genital
Futebol: FC Porto vence Supertaça Cândido de Oliveira
feminina.
Futebol: Os internacionais Benzema e Ribery
interrogados em caso de prostituição infantil De seguida procedeu-se à entrega da
Futebol: Portugal cai do 3/o para o 8/o lugar no ranking
Taça e dos respectivos prémios: melhor
da FIFA depois do Mundial2010 marcador, melhor jogador, melhor
guarda-redes, fair-play e troféu
Futebol: Espanha sagrou-se campeã do mundo
Comunidade.
Futebol: Ao fim de jejum de 32 anos Holanda passa à
final O Mundialinho da Integração tem o
Namorada apoia Cristiano Ronaldo via Facebook propósito de promover uma melhor
integração das comunidades imigrantes
Futebol: Portugal eliminado e Ronaldo afirma que em Portugal, com o futebol a fazer a
Queiroz é quem deve dar explicações
ligação entre as dezasseis equipas
Futebol: Portugal vence a Coreia do Norte por 7-0 e participantes. Foi organizado pelas
aproxima-se dos oitavos câmaras municipais de Lisboa e de Sintra,
em parceria com a Associação Portuguesa

112
Futebol: Portugal empatou a 0 com a Costa do Marfim dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE -
num jogo, diz Queiroz, «inteligente» Ibérica Comunicação Empresarial
Portugal contra a Costa do Marfim: Permanece a dúvida
sobre Drogba

URL: http://www.kapvert.com/noticias.php?noticia=2674

113
Inicio > Agenda > Iniciativas A.P.M. > Detalhes - Mundialinho de Futebol - Julho 2010

Evento

Titulo:
Mundialinho de Futebol - Julho 2010
Data:
01.07.2010 - 31.07.2010
Categoria:
Iniciativas de outras entidades

Assunto A Ibérica Comunicação Empresarial (ICE), a Câmara Municipal de Lisboa, a


Câmara Municipal de Sintra e a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol está a
organizar a segunda edição do Mundialinho da Integração, que se realizará em Julho de
2010.Trata-se de um torneio de futebol que integra de 12 a 16 equipas representativas de
outras tantas comunidades imigrantes em Portugal e que, em 2009, foi ganho pela equipa de
Angola. Este ano estão confirmadas por as Embaixadas de cada país, até ao momento as
equipes representantes dos seguintes países: Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde, China,
Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Moldávia, Reino Unido, S. Tomé e Príncipe,
Roménia, Senegal, Ucrânia.Esta II edição do Mundialinho da Integração vai contar de novo
com o apoio da RTP, através dos seus vários canais de difusão, entre outros media partners
e também apoios de entidades governamentais (Ministério da Administração Interna,
Secretaria de Estado da Juventude Desporto, Secretaria de Estado das Comunidades
Portuguesas, Governo Civil de Lisboa, ACIDI, etc). Para mais informações contactar:
Maria Rocha Peixoto - ICE - Ibérica Comunicação Empresarial -Praça D. Filipa de
Lencastre, 22 - 1º Esq. sala 22 4050-259 Porto - 961561069

URL:http://espacomocambique.com/index.php?view=details&id=8%3AMundialinho
+de+Futebol+-+Julho+2010&option=com_eventlist&Itemid=67

114
MONDAY, JULY 19, 2010

Mundialinho da Integração: Cabo Verde marca 23 golos em 20 minutos e


faz Marrocos abandonar competição
Marrocos desistiu do Mundialinho da Integração em Portugal, depois de sofrer 23 golos em apenas
20 minutos, num jogo com Cabo Verde. A equipa marroquina tinha apenas 13 jogadores, que
revelaram um evidente desgaste físico, na sequência do qual foram obrigados a abandonar a
prova.

Cabo Verde segue assim na prova e joga no próximo sábado, 24, para se classificar para os
quartos-de-final. O segundo dia do Mundialinho da Integração, que aconteceu este domingo, 18,
ficou marcado por outro caso para além da desistência da equipa marroquina:a equipa angolana
vai ser obrigada a repetir o jogo frente à Ucrânia, que acabara com uma goleada por 5-0.
O motivo desta decisão reside no facto de os angolanos terem participado na prova com um
jogador federado, uma situação que está expressamente proibida pelos regulamentos da
competição. O jogo vai ser repetido no próximo domingo, pelas 10h30, no Estádio Municipal da
Alta de Lisboa. No domingo, Angola não foi além de um empate a zero com o Senegal.
Tal como no primeiro dia, as goleadas foram a nota de ordem no Mundialinho, que tem sido
disputado entre Lisboa e Sintra. O resultado mais expressivo coube à selecção de S. Tomé, que
impôs um 14-0 à congénere do Reino Unido. Depois da vitória frente à China, os espanhóis não
deram seguimento à boa forma e acabaram goleados por 5-0 ante o Brasil.
A Nigéria seguiu a toada da 1ª jornada e levou a melhor ante a Ucrânia, por 6-2. A 2ª jornada vai
decorrer no próximo sábado, onde vão ser conhecidas as equipas que participam nos quartos-de-
final, marcados para o próximo fim-de-semana.
A segunda edição do Mundialinho da Integração está a decorrer desde sábado, 17 de Julho, uma
prova organizada pela Câmara Municipal de Lisboa, em parceria com a CM de Sintra, a Associação
Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a ICE - Ibérica Comunicação Empresarial.
O torneio de futebol reúne equipas de dezasseis comunidades imigrantes residentes em Portugal,
sendo que a lista é composta por Angola, Alemanha, Brasil, Cabo Verde, China, Espanha, Guiné,
Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe e
Ucrânia. Os jogos decorrem entre os dias 17 de Julho e 1 de Agosto, no Estádio Municipal da Alta
de Lisboa, no Lumiar, e no estádio da Sociedade União 1º de Dezembro, em Sintra.

115
A competição tem o lema "Pôr todos a falar com todos" e o Presidente da República Portuguesa,
Aníbal Cavaco Silva, preside a Comissão de Honra deste Mundialinho de futebol, que pretende
incentivar o convívio e intercâmbio cultural entre as diversas comunidades residentes em
Portugal.
Os quatro grupos em competição são:
Grupo A: 1. Angola 2. Ucrânia 3. Senegal 4. Nigéria
Grupo B: 1. Guiné-Bissau 2. S. Tomé e Príncipe 3. Moçambique 4. Reino Unido
Grupo C: 1. Cabo Verde 2. Roménia 3. Marrocos (desistência) 4. Alemanha
Grupo D: 1. Brasil 2. Moldávia 3. Espanha 4. China
Asemana

http://www.criolosports.com/

URL: http://criolosports.blogspot.com/2010/07/mundialinho-da-integracao-cabo-
verde.html

116
MONDAY, AUGUST 2, 2010

Cabo Verde vence II Mundialinho de Integração


A festa foi azul e branca, as cores da bandeira de Cabo Verde, que ontem, 01, venceu o II
Mundialinho da Integração, torneio disputado por 16 equipas oriundas de comunidades imigrantes
que vivem e trabalham em Portugal. O jogo da final, realizado no Complexo Desportivo do Alto
do Lumiar (Lisboa), opôs cabo-verdianos e angolanos. Um golo solitário, marcado no início da
segunda parte, fixou o resultado.

Tal como relata o Correio da Manhã, ao intervalo, Benjamin Cariada, de 31 anos, desinfestador
de profissão, estava convencido da vitória de Angola, vencedora da primeira edição do
Mundialinho. "Claro que vamos ser campeões de novo. Temos uma boa equipa e os rapazes
esforçam-se muito". Mas os "rapazes" raramente conseguiram chegar perto da baliza de Cabo
Verde.
Quem acabou a gritar "campeões, campeões, nós somos campeões" no relvado, envolvido numa
bandeira de Cabo Verde e distribuindo abraços entre os jogadores, foi Sidney Lima, de 30 anos,
animador do grupo de batuque Rola Samba. Além de angolanos e cabo-verdianos, também
imigrantes espanhóis, chineses, ucranianos e moldavos assistiram à final do torneio.
E nem só de futebol se fez a final do Mundialinho da Integração, que juntou imigrantes de quatro
continentes. Logo após o Brasil ter vencido, nos penáltis, a Moldávia, conquistando o 3º lugar,
entraram em campo a música e a dança tradicionais africanas. Também o grupo feminino Hip Hop
de Batom mobilizou as hostes, que aguardavam a disputa futebolística final, com uma canção de
alerta para a infecção pelo VIH e outra de protesto contra a mutilação genital feminina. Num
estilo diferente, uma bailarina chinesa executou uma dança tradicional.
Organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, o II Mundialinho contou com a participação de 350
atletas.
Asemana

http://www.criolosports.com/

URL: http://criolosports.blogspot.com/2010/08/cabo-verde-vence-ii-mundialinho-
de.html

117
TV

118
Site da SIC – Com Lusa

Publicação: 17-07-2010 11:09 | Última actualização: 17-07-2010 15:37

Mundialinho de futebol: 16
selecções de comunidades
imigrantes disputam
torneio em Lisboa
O II Mundialinho da Integração começa hoje em
Lisboa, onde se vão encontrar imigrantes de
Lusa
quatro continentes que vão vestir a camisola da
selecção do seu país durante os próximos quinze
dias.
« Classifique este artigo
Partilhar:

"A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes", explicou à Lusa


Cristina Archer, da organização do evento, que reúne 16 comunidades de
imigrantes num encontro desportivo que termina a 01 de Agosto.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e
Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia,
Marrocos, Moçambique e China são as equipas deste torneio multicultural, que
reúne num campo de futebol funcionários de embaixada, engenheiros a
trabalhar nas obras e até um barbeiro marroquino.

119
O critério para selecção dos participantes foi escolher as comunidades
imigrantes com maior número de habitantes em Portugal.

O Angola-Ucrânia é o primeiro jogo de um torneio que pretende "pôr estas


comunidades todas a falar umas com as outras", lembra.

O torneio, organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação


Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica Comunicação
Empresarial, tem também o patrocínio da Presidência da República: Cavaco
Silva preside à Comissão de Honra do Mundialinho.

Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia,


Senegal e Nigéria no grupo A, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique
e Reino Unido no B, Cabo Verde, Roménia, Marrocos e Alemanha no grupo C,
Brasil, Moldávia, Espanha e China no grupo D.

O torneio que hoje começa continua nos fins de semana seguintes, até à final,
no dia 01 de Agosto, no estádio do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-se no
estádio 1. de Dezembro.

Lusa

http://www.sic.sapo.pt/online/noticias/desporto/Mundialinho+de+futebol+16+seleccoe
s+de+comunidades+imigrantes+disputam+torneio+em+Lisboa.htm

120
NÓS

O tema da imigração na óptica de acolhimento e integração das comunidades que


escolheram Portugal como país de acolhimento Emissão ONLINE

Um programa de pessoas e para pessoas. A temática da imigração e os retratos das comunidades que
escolheram Portugal como país de acolhimento. Falamos de Nós, o programa que chega todos os fins-
de-semana à sua casa. Este é um programa único ao nível europeu e inteiramente focado naquilo que
por vezes fica esquecido: o lado positivo das histórias de vida de quem procura o nosso pais em busca
de melhores condições. O Programa Nós tem uma imagem renovada, novo cenário, novas temáticas
de reportagem e dois novos apresentadores. Kadidja Pinto Monteiro, jornalista, fotógrafa, e
apaixonada por viagens e novas culturas e Pedro Cativelos, colaborador de várias publicações,
nacionais e internacionais e, para além disso, um homem da rádio e da televisão. Programa semanal
com emissão na RTP2 e com a duração de 50 minutos. Este programa tem a parceria do ACIDI – Alto
Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural e é produzido pela Companhia de Ideias.

Neste Episódio:
RTP2 > Episódio 32 de 52
II Mundialinho da Integração
Neste programa Pedro Cativelos e Kadidja Pinto Monteiro recebem em estúdio Nuno Delgado,
considerado o melhor judoca de sempre em Portugal.
Vamos falar de Desposto e do II Mundialinho da Integração, a prova que juntou equipas de 16 países
e demonstrou que o desporto é sem dúvida uma ponte entre culturas!

Organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, o II Mundialinho contou com a participação de 350
atletas. Nós estivemos lá e temos muito para lhe contar...

Mais uma semana, mais um CLAII para conhecer, desta vez vamos até ao CLAII da Amadora Buraca,
onde o desporto marca a diferença na vida de muitos jovens.

E porque falar de jovens é falar do Programa Escolhas, temos mais para lhe mostrar sobre estes
jovens que marcam a diferença nas suas comunidades.

Já sabe, contamos consigo... Junte-se a Nós!


Emissão mais recente - Vídeo

URL: http://ww1.rtp.pt/programas-
rtp/index.php?p_id=25898&e_id=&c_id=1&dif=tv

121
RÁDIO

122
Moçambique no II Mundialito de Integração em Portugal

03/07/2010

A capital portuguesa, Lisboa, e a cidade de Sintra, nos arredores, acolhem o II


Mundialinho da Integração, que se realiza de 17 de Julho a 1 de Agosto proximo,
com a participação de uma equipa de Moçambique, entre outros paises.

Trata-se de um evento que tem como objectivo o intercâmbio cultural e desportivo,


a integração, a convivência e o conhecimento mútuo das diferentes comunidades
que compõem a sociedade portuguesa.

O II Mundialinho da Integração é um torneio de futebol disputado por equipas


oriundas de comunidades imigrantes que vivem e trabalham em Portugal, segundo
a Comissão Organizadora, que integra a APAF (Associação Portuguesa de
Árbitros de Futebol), as Câmaras Municipais de Lisboa e Sintra, e a empresa ICE
– Ibérica Comunicação Empresarial.

Para além de Moçambique, este ano, participam outras 15 equipas: Angola, Brasil,
Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Espanha,
Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos e China.

URL: http://www.mozclick.com/rm/noticias/anmviewer.asp?a=4052&z=108

123
Sintra / campo do 1º de Dezembro

II Mundialinho da
Integração
Ficheiros para Download

Já se realizaram as primeiras duas


jornadas do Mundialinho da Integração,
que se realiza em Lisboa e Sintra.
Participam jogadores não profissionais
de 15 países e o saldo é favorável para as
equipas que falam português. Consulte
os resultados e classificações do fim de
semana desportivo

São cerca de “350 atletas de 16 nacionalidades diferentes que vivem e


trabalham em Portugal” que este ano disputam a II edição do Mundialinho
da Integração, contou Cristina Archer, organizadora do evento, que se
divide entre Lisboa e Sintra.

O objetivo do encontro - que junta imigrantes de quatro continentes - é a


integração de todas as comunidades mas, por vezes, o resultado final “vai
mais longe”.

“No ano passado, houve três elementos que foram aproveitados para
equipas da terceira divisão por terem participado neste evento. Não é o
aspeto mais importante do torneiro, mas aconteceu”, recordou o
coordenador desportivo do evento, Paulo Paraty.

Segundo Paulo Paraty, os “olheiros” detetaram qualidades desportivas em

124
três jogadores das "seleções" africanas de Cabo Verde e da Guiné.
Resultado: abandonaram os seus árduos trabalhos e são hoje jogadores
profissionais.

Entre os 350 atletas que vão disputar o Mundialinho durante os próximos 15


dias, podem estar futuros profissionais do futebol português? “Sonhar não é
proibido. É o alento de qualquer ser humano. Por isso é bom que todos
sonhem”, defendeu Paraty.

Mas a grande finalidade do campeonato, sublinhou Paulo Paraty, é a


“integração das pessoas de todos os outros continentes que vivem
connosco, fazer com que se sintam parte da nossa comunidade e mostrar a
qualidade de Portugal enquanto país anfitrião”.

Esta é a segunda edição do Mundialinho da Integração, um evento


organizado pelas autarquias lisboeta e sintrense, em parceria com a
Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE - Ibérica
Comunicação Empresarial.

O torneio de futebol vai reunir as equipas da Alemanha, Angola, Brasil,


Cabo-Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria,
Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.

=========================
RESULTADOS DOS JOGOS DE
(DOMINGO 18 DE jULHO)

Angola 0-6 Senegal (lisboa)


Guiné Bissau 9-0 Moçambique (Sintra)
Cabo Verde 23-0 Marrocos (Sintra)
Ucrânia 2-6 Nigéria (Lisboa)
Brasil 5-0 Espanha (Lisboa)
S.Tomé 14-0 Reino Unido (Sintra)
Roménia 5-1 Alemanha (Sintra)
Moldávia - China (Lisboa)

Composição dos 4 Grupos em competição:

GRUPO A:
1. Nigéria 6
2. Angola 3
3. Senegal 3
4. Ucrânia 0

125
Angola 5-0 Ucrânia
Senegal 3-5 Nigéria

Angola 0-6 Senegal


Ucrânia 2-6 Nigéria

GRUPO B:
1. Guiné-Bissau 4
2. S. Tomé e Principe 4
3. Moçambique 3
4. Reino Unido 0

Guiné Bissau 1-1 S.Tomé


Moçambique 3-1 Reino Unido

Guiné Bissau 9-0 Moçambique


S.Tomé 14-0 Reino Unido

GRUPO C:
1. Cabo Verde 6
2. Alemanha 3
3. Roménia 3
4. Marrocos 0

Cabo Verde 4-0 Roménia


Marrocos 1-6 Alemanha

Cabo Verde 23-0 Marrocos


Roménia 5-1 Alemanha

GRUPO D:
1. Brasil 6
2. Espanha 3
3. Moldávia 0
4. China 0

Brasil 4-1 Moldávia


Epanha 7-2 China

Brasil 4-0 Espanha


Moldávia – China
URL:http://www.radioocidente.pt/noticia.asp?idEdicao=158&id=12276&idSeccao=14
20&Action=noticia

126
Sintra

Mundialinho já integrou três imigrantes africanos


No Mundialinho da Integração, que ontem começou em Lisboa, só podem participar
jogadores não profissionais mas, no ano passado, três atletas imigrantes acabaram por ser
convidados a integrar equipas da terceira divisão. A jornada prossegue hoje, em Lisboa e
Sintra.

São cerca de "350 atletas de 16 nacionalidades diferentes que vivem e trabalham em Portugal" que
este ano disputam a II edição do Mundialinho da Integração, contou à Lusa Cristina Archer,
organizadora do evento que hoje começou no Estádio Municipal da Alta de Lisboa.

O objetivo do encontro - que junta imigrantes de quatro continentes - é a integração de todas as


comunidades mas, por vezes, o resultado final "vai mais longe".

"No ano passado, houve três elementos que foram aproveitados para equipas da terceira divisão
por terem participado neste evento. Não é o aspeto mais importante do torneiro, mas aconteceu",
recordou o coordenador desportivo do evento, Paulo Paraty.

Segundo Paulo Paraty, os "olheiros" detetaram qualidades desportivas em três jogadores das
"seleções" africanas de Cabo Verde e da Guiné. Resultado: abandonaram os seus árduos
trabalhos e são hoje jogadores profissionais.

Entre os 350 atletas que vão disputar o Mundialinho durante os próximos 15 dias, podem estar
futuros profissionais do futebol português? "Sonhar não é proibido. É o alento de qualquer ser
humano. Por isso é bom que todos sonhem", defendeu Paraty.

Mas a grande finalidade do campeonato, sublinhou Paulo Paraty, é a "integração das pessoas de
todos os outros continentes que vivem connosco, fazer com que se sintam parte da nossa
comunidade e mostrar a qualidade de Portugal enquanto país anfitrião".
Esta é a segunda edição do Mundialinho da Integração, um evento organizado pelas autarquias
lisboeta e sintrense, em parceria com a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a
empresa ICE - Ibérica Comunicação Empresarial.

O torneio de futebol vai reunir as equipas da Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde, China,
Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S.
Tomé e Príncipe, Ucrânia.

URL:
http://www.radioocidente.pt/noticia.asp?idEdicao=158&id=12293&idSeccao=
1420&Action=noticia

127
SECÇÃO: Desporto
Mundialinho

Final africana dá vitória a Cabo


Verde contra Angola
A equipa de Cabo Verde venceu o II Mundialinho da Integração, cuja
final foi disputada domingo em ambiente de festa no Estádio da Alta de
Lisboa.

“Cabo Verde ganhou à Angola por 1-0, um golo marcado logo no primeiro
tempo”, disse António Barbosa, um dos elementos da organização do
torneio.

O jogo de apuramento do terceiro e quarto lugar foi jogado entre as


seleções brasileira e moldava.

O Brasil ganhou por 9-8, numa vitória conquistada nos penalties, depois de
um empate por duas bolas, disse o mesmo responsável.

A final decorreu em ambiente de festa, ao som do samba tocado por


adeptos do Brasil, que animaram as bancadas durante os dois jogos.

António Barbosa destacou que, apesar dos receios de que pudessem surgir
conflitos entre adeptos nas bancadas, “tudo decorreu sem problemas, em
ambiente de calma, com muita música e dança”.

No intervalo houve ainda espaço para diversos grupos culturais atuarem o


que “contribuiu para este ambiente festivo”, acrescentou.

No final do jogo foram distribuídos outros prémios pelas equipas, como o de


“Fair Play”, ganho pela China, que se manteve sempre em festa e sem
desanimar, apesar das sucessivas derrotas, e o de “Integração”, entregue à
equipa de São Tomé, aquela que melhor se integrou dentro do torneio.

Além da componente desportiva, a missão principal desta iniciativa é

128
promover a integração e o convívio entre imigrantes residentes em Portugal.

Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e
Príncipe, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia,
Marrocos, Moçambique e China foram as equipas deste torneio
multicultural, que reuniu num campo de futebol funcionários de embaixada,
engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro marroquino.

O critério para seleção dos participantes foi escolher as comunidades


imigrantes com maior número de habitantes em Portugal.

O Mundialinho da Integração, este ano na sua segunda edição, foi


organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação
Portuguesa de Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica Comunicação
Empresarial, tendo tido também o patrocínio da Presidência da República.

URL:
http://www.radioocidente.pt/noticia.asp?idEdicao=158&id=12682&idSeccao=
1437&Action=noticia

129
OUTROS

130
30.06.2010
Mundialinho da
Integração - 2010

A Câmara Municipal de Lisboa, juntamente com a Câmara


Municipal de Sintra, em co-organização com a Associação
Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE - Ibérica
Comunicação Empresarial, vai realizar o 2º Mundialinho da
Integração, de 17 de Julho a 1 de Agosto. Os jogos vão decorrer
no estádio do Lumiar, em Lisboa, e no estádio da Sociedade
União 1º de Dezembro, em Sintra.

O torneio de futebol vai reunir equipas oriundas de dezasseis


comunidades imigrantes residentes em Portugal: Alemanha, Angola,
Brasil, Cabo-Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique,
Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.

Este evento, com oito edições em Espanha e uma em Portugal, conta de ano para ano com uma
crescente participação das várias comunidades imigrantes residentes em ambos os países. O
objectivo da prova continua a ser “Pôr todos a falar com todos” e incentivar o convívio e o
intercâmbio cultural entre as diferentes comunidades aqui residentes, bem como apelar à
adopção de estilos de vida mais saudáveis das nossas populações através da prática desportiva.

O II Mundialinho da Integração conta com o apoio de entidades governamentais como o


Ministério da Administração Interna, a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto, Governo
Civil de Lisboa, bem como o Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural.

17 Julho a 1 Agosto
Atletismo
Mundialinho Integração
Local: Complexo Desportivo Alta do Lumiar
Organização: Associação Portuguesa Árbitros Futebol
Contactos:
Tm. 963 817 552 | URL: www.ice-iberica.com

URL: http://newsletters.cm-lisboa.pt/Search/ver.php?msg_id=636

131
Decorreu entre 17 de Julho e 1 de Agosto, em Lisboa e Sintra,
a segunda edição do Mundialinho da Integração, que reúne
cerca de 350 atletas de 16 nacionalidades. Este torneio de
futebol apresenta a particularidade de apenas permitir a
participação de jogadores não profissionais.
O torneio de futebol reuniu as equipas da Alemanha, Angola, Brasil, Cabo Verde,
China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido,
Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, e Ucrânia. A Associação Águas Livres
juntou-se à festa da diversidade de um evento que tem o lema “Pôr todos a falar
com todos”.

URL: http://www.aguaslivres.org/2º%20Mundialinho%20da%20Integração.html

132
DESPORTO
II MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO

Terminou a segunda edição do Mundialinho da Integração. veja aqui as fotos.


Este ano, o Mundialinho é uma organização conjunta das Câmaras Municipais de Sintra e de Lisboa, em parceria com a Associação
Portuguesa dos Árbitros de Futebol.

Os jogos decorrerão no Estádio Municipal da Alta de Lisboa (Lumiar) e no estádio da Sociedade União 1º de Dezembro, em São Pedro
de Sintra, entre os dias 17 de Julho e 1 de Agosto.

O torneio de futebol vai reunir equipas oriundas de dezasseis comunidades imigrantes residentes em Portugal; Alemanha, Angola,
Brasil, Cabo-Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e
Príncipe, Ucrânia.

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, presidirá à Comissão de Honra do Mundialinho de Futebol.

A Cerimónia de Inauguração está marcada para o próximo dia 17 de Julho e contará com a presença do reconhecido árbitro de
Futebol, Paulo Paraty.

O objectivo da prova continua a ser “Pôr todos a falar com todos” e incentivar o convívio e o intercâmbio cultural entre as
diferentes comunidades aqui residentes, bem como apelar à adopção de estilos de vida mais saudáveis das nossas populações
através da prática desportiva.

Erro!

133
Lisboa Açores acolhe equipas do IIº Mundialito da Integração
16 de Julho de 2010 às 12:56:13 por Publituris

O Hotel Açores Lisboa acolhe árbitros e participantes no IIº Mundialinho da Integração.


Este evento que decorre durante este mês de Julho, em Lisboa e Sintra, conta com o apoio
do Hotel Açores revelando-se esta colaboração de enorme importância num torneio de
grande Responsabilidade Social como é o IIº Mundialinho da Integração.

Este evento, com oito edições já realizadas em Espanha e uma em Portugal, conta de ano
para ano com uma crescente participação das várias comunidades imigrantes residentes nos
dois países.

O objectivo da prova continua a ser “Pôr todos a falar com todos”, incentivar o convívio e o
intercâmbio cultural entre as diferentes comunidades aqui residentes, através da prática
desportiva. A primeira edição do “Mundialinho” em Portugal, realizada em 2009, obteve
um assinalável sucesso público e mediático.

Este ano estão confirmadas por as Embaixadas de cada país, até ao momento as equipes
representantes dos seguintes países: Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde, China,
Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Moldávia, Reino Unido, S. Tomé e Príncipe,
Senegal, Ucrânia.

URL: http://www.publituris.pt/2010/07/16/lisboa-acores-acolhe-equipas-do-ii%c2%ba-
mundialito-da-integracao/

134
Palco do Futebol é no Alto do Lumiar Mundialinho da Integração
Futebol promove diálogo entre imigrantes 17 de Julho a 01 de Agosto`10

Cerca de 350 atletas não profissionais e


naturais de 16 países integram as equipas
de futebol que participam na segunda
edição do Mundialinho da Integração. O
evento desportivo decorre entre os dias 17
de Julho e 1 de Agosto, no Alto do Lumiar
– Lisboa e Sintra.

A cerimónia de abertura decorreu este


sábado no Alto do Lumiar, Lisboa e foi
marcado pelo convívio entre as várias
comunidades de imigrantes residentes em
Portugal, que não se coibiram de dar uns
passos de dança ao som da música
tradicional da Ucrânia.

Rosário Farmhouse, Alta Comissária para


a Imigração e Diálogo Intercultural
(ACIDI), informou os presentes sobre os
objectivos do evento: “Esta iniciativa
possibilita um convívio e um diálogo
intercultural entre as várias comunidades
residentes em Portugal e abre caminho para eventuais relações de amizade.”

URL: http://ambcvlumiar.wordpress.com/2010/07/19/palco-do-futebol-e-no-alto-do-
lumiar-mundialinho-da-integracao/

135
17 de Julho a 01 de Agosto
Complexo Desportivo do Alto do Lumiar
Mundialinho da Integração – 2010

Torneio de futebol da iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa, juntamente com a Câmara


Municipal de Sintra, em co-organização com a Associação Portuguesa dos Árbitros de
Futebol e a empresa ICE - Ibérica Comunicação Empresarial.

O torneio vai reunir equipas oriundas de dezasseis comunidades imigrantes residentes em


Portugal: Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos,
Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe,
Ucrânia.

Os jogos irão decorrer no estádio do Lumiar, em Lisboa, e no estádio da Sociedade União


1º de Dezembro, em Sintra.

Mais informações:

Complexo Desportivo Municipal Alto do Lumiar


Junto Av. Santos e Castro – Lt. 2
Tel.: 217 530 750/1/2
Fax: 217 530 759
E-mail: cdesp.alumiar@cm-lisboa.pt

<- Voltar a : Agenda

136
Mundialinho da Integração
por Ano Europeu de Luta Contra a Pobreza e Exclusão Social a Segunda-feira, 19 de Julho
de 2010 às 3:00

A Câmara Municipal de Lisboa, em conjunto com a


Câmara Municipal de Sintra, em parceria com a Associação
Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE –
Ibérica Comunicação Empresarial, estão a realizar o II
Mundialinho da Integração, que decorre entre 17 de Julho e
1 de Agosto de 2010.

Este torneio de futebol reúne equipas oriundas de dezasseis


comunidades imigrantes residentes em Portugal: Alemanha,
Angola, Brasil, Cabo-Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Moldávia,
Nigéria, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe e Ucrânia.

O Mundialinho da Integração, tem como objectivo “Pôr todos a falar com todos” e
incentivar o convívio e intercâmbio cultural entre as diferentes comunidades aqui
residentes, bem como apelar à adopção de estilos de vida mais saudáveis das nossas
populações através da prática desportiva.

No âmbito do Programa Nacional do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão


Social, a temática abordada no mês em curso é “Emigração e Imigração – Oportunidades
sem Fronteiras”. Desta forma o AECPES associa-se a esta iniciativa com o objectivo de
sensibilizar os adeptos do futebol e a sociedade em geral para a erradicação da pobreza,
promovendo a participação de todos na construção de uma sociedade mais justa e
socialmente mais coesa.

A Cerimónia de Abertura teve lugar no passado dia 17 de Julho, no Estádio da Alta de


Lisboa, no Lumiar e contou com a participação do Coordenador Nacional do AECPES, da
Alta Comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural, do Governador Civil de Lisboa e
do ex-arbitro Paulo Paraty, Comissário Desportivo do evento.

As 16 equipas presentes na Cerimónia de abertura “mostraram um cartão vermelho” contra


a pobreza e exclusão social!
O primeiro jogo da 1ª jornada pôs em confronto Angola e Ucrânia com o resultado de 5-0.

URL: http://www.facebook.com/notes/ano-europeu-de-luta-contra-a-pobreza-e-
exclusao-social/mundialinho-da-integracao/416554931164

137
CARRIS apoia II Mundialinho da IntegraçãoEnviar este conteúdo

A CARRIS volta a dar o seu apoio ao II Mundialinho da Integração que irá decorrer
nos três fins-de-semana entre 17 de Julho e 1 de
Agosto.

O II Mundialinho da Integração é um torneio de futebol


disputado por equipas oriundas de comunidades
imigrantes que vivem e trabalham em Portugal.
Com a co-organização da Câmara Municipal de Lisboa e
a Câmara de Sintra vamos “Pôr todos a falar com
todos”!
Este ano, participam 16 equipas: Angola, Brasil,
Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Espanha,
Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China.
Os jogos vão dividir-se entre Lisboa e Sintra, mais precisamente no Estádio do
Lumiar, em Lisboa e no Estádio 1º de Dezembro.
Este é um evento de responsabilidade social que tem a este ano a honra de contar
com o Senhor Presidente da República, como Presidente da Comissão de Honra.
Esta iniciativa é parceira do Instituto de Segurança Social neste ano “2010 Ano
Europeu de Luta Contra a Pobreza e Exclusão Social”.

http://www.carris.pt/pt/noticias/2010/carris-apoia-ii-mundialinho-da-
integracao/

138
II MUNDIALINHO da INTEGRAÇÃO
report infringement 0 comments 1 pictures 0 links

Event information:

Event date / time: sábado, 17 de Julho de 2010 10:00


Country / city: Portugal / Lisboa
Event place: LUMIAR (LISBOA)
Number of views: 1
Groups: to my group

Lumiar , Portugal , Casa España de Lisboa

Detailed description:

Promover o convívio e a integração entre as comunidades imigrantes em Portugal a través da linguagem do


futebol:

139
- 16 Países-Equipas // Torneio de 4 grupos com 4 equipas & II fase
- 2 Estádios: Alto do Lumiar (LISBOA) & Sociedade União 1º de Dezembro (SINTRA)
¡¡¡VEN A APOYAR A LA OTRA ROJA!!!
- Inauguración: Sábado, 17 - 10h (Estadio Alto do Lumiar)

- ESPAÑA - China: Sábado, 17 - 17h30 (Lumiar)


- ESPAÑA - Brasil: Domingo, 18 - 16h (Lumiar)
- ESPAÑA - Moldavia: Sábado, 24 - 18h (Lumiar

ANGOLA – VISITA DO PAPA BENTO XVI

No âmbito da deslocação de Sua Santidade o Papa Bento XVI a Angola, nos dias 24 a 26 de Março de 2009, a
Mota-Engil, através da sua sucursal angolana, realizou a expensas suas um conjunto de trabalhos de apoio à visita.

Os trabalhos executados, de valor muito significativo, consistiram na construção de um heliporto de emergência e no


fornecimento de casas de banho portáteis e restantes infra-estruturas necessárias à sua disponibilização.

Num evento da maior importância para Angola e para a sua comunidade católica, o Grupo não podia deixar de
acolher este importante apelo, dando assim o seu contributo para o sucesso da visita e a todos quantos quiseram
testemunhar a presença em terras angolanas do mais alto representante da Igreja Católica.

Com esta iniciativa, o Grupo pretende ainda dar testemunho do alargamento da sua política de responsabilidade
além-fronteiras.

CADEIA DO ALJUBE

A Câmara Municipal de Lisboa vai criar no espaço da antiga Cadeia do Aljube, durante séculos utilizada como prisão
e em particular nos tempos da ditadura, um museu dedicado ao tema da República, da Resistência e da Liberdade.

Alargando as valências da actual Biblioteca-Museu República e Resistência, o futuro museu pretende ser um espaço
activo no panorama cultural da cidade de Lisboa.

A Mota-Engil contribuiu financeiramente para alcançar este importante desígnio no ano em que se comemora o
centenário da implantação da República.

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA - 5 Escolas | 5 Designers

A Câmara Municipal de Lisboa, no âmbito do programa de expansão e modernização da rede pública do ensino pré-
escolar e do 1º ciclo da cidade de Lisboa, denominado “Escola Nova”, concebeu o projecto 5 Escolas | 5 Designers.

Lançado em Outubro de 2008, o projecto foi concluído no primeiro trimestre de 2009.

O projecto envolveu a participação de cinco equipas de designers e cinco patrocinadores, visando a requalificação
de 5 Escolas da cidade.

O Grupo Mota-Engil patrocinou a intervenção da Escola do Bairro da Madre de Deus, em particular do seu Centro de
Recursos, permitindo o acesso e fruição de um conjunto de actividades lúdicas a desenvolver pelos alunos neste
renovado espaço.

O projecto ficou a cargo de Vera Paulino do Atelier 003.

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA - Estudo sobre Dinâmicas residenciais

A Câmara Municipal de Lisboa está a realizar, durante o ano de 2009, um estudo sobre Dinâmicas Residenciais,
tendo em vista adequar a sua política habitacional às necessidades de quem trabalha e vive na cidade de Lisboa.

140
Procura desta forma conhecer melhor onde vivem e quais as motivações relativas à habitação por parte dos
cidadãos/trabalhadores que residam em concelhos próximos e demandem regularmente a cidade de Lisboa para
trabalhar.

O Grupo Mota-Engil, convidado a participar neste estudo, deu a conhecer o teor desta iniciativa aos seus

colaboradores que não residem em Lisboa mas trabalham na cidade, convidando-os a preencher o inquérito on-line
disponibilizado para o efeito pela edilidade lisboeta.

CONTRATO LOCAL DE SEGURANÇA DE LOURES

No quadro das políticas preventivas de segurança o Ministério da Administração Interna tem vindo a celebrar
Contratos Locais de Segurança com as autarquias locais, enquanto instrumentos privilegiados e multidisciplinares de
cooperação institucional à escala territorial, capazes de mobilizar os agentes económicos e sociais e cidadãos em
geral.

Neste contexto, o Governo Civil de Lisboa e a Câmara Municipal de Loures concretizaram em 2009 uma iniciativa
destinada a estabelecer um novo paradigma de vivência social nas freguesias de Apelação, Camarate e Sacavém
do concelho de Loures.

O CLS de Loures conta com a participação de 48 parceiros institucionais, entre associações, IPSS e empresas,
contribuindo estes agentes para a realização de projectos de combate à exclusão social, formação cívica e
promoção das capacidades existentes, numa perspectiva integrada e integradora de segurança interna.

A Mota-Engil associou-se em 2010 a esta importante iniciativa financiando as acções que a integram.

CRUZ VERMELHA DE MATOSINHOS

A missão da Cruz Vermelha Portuguesa consiste essencialmente na prestação de assistência humanitária e social,
em especial aos mais vulneráveis, prevenindo e reparando o sofrimento e contribuindo para a defesa da vida, da
saúde e da dignidade humana, propósito que é comum a todas as delegações da instituição espalhadas pelo país.

A delegação de Matosinhos da CVP dispõe de um centro de atendimento para vítimas de violência doméstica,
destinado a combater este flagelo familiar e social.

Sensível ao trabalho desenvolvido pela CVP, a Mota-Engil tem-se mostrado desde sempre disponível para apoiar as
iniciativas desta centenária e prestigiada organização, desta vez através da sua delegação de Matosinhos e na linha
dos apoios já dados às suas delegações do Porto e de Amarante.

FUNDAÇÃO PRO DIGNITATE

Criada em 1994, a Fundação Pro Dignitate tem fins humanitários e sociais e visa sobretudo a prevenção da violência
e a promoção dos direitos humanos, através da realização de estudo científicos, planeamento, promoção e
avaliação de medidas preventivas e outras acções dirigidas à salvaguarda daqueles direitos fundamentais.

Entre essas acções incluem-se a realização de campanhas, seminários, projectos de ajuda, publicações e outras
iniciativas de promoção e defesa dos direitos humanos.

A Fundação Pro Dignitate ONGD (Organização Não Governamental para o Desenvolvimento) promove igualmente
campanhas de solidariedade com os países de língua oficial portuguesa.

Procurando associar-se a esta instituição de utilidade pública na prossecução das suas actividades, o Grupo Mota-
Engil efectuou em 2009 uma doação que lhe permitiu adquirir o estatuto de Benemérito da Fundação, colocando-se
assim ao lado dos que lutam pela defesa dos direitos humanos e pela universalidade da sua promoção.

Na sequência da colaboração que vem mantendo com esta instituição, a Mota-Engil renovou, através de um
donativo, o seu estatuto de Benemérito da Fundação, aliando-se ao seu labor na defesa dos direitos humanos.

141
MOTA-ENGIL PATROCINA CONGRESSO SOBRE INOVAÇÃO SOCIAL

A União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social do Porto (UDIPSS-Porto) é uma instituição
particular de solidariedade social criada em 2003, contando com a filiação de cerca de 360 IPSS do distrito do Porto.

A UDIPSS procura assumir-se como expressão organizada da cooperação entre as IPSS do distrito, dotando-as de
modelos capazes de promover o seu desenvolvimento sustentado e progressiva qualificação, ministrando apoio
técnico, jurídico, administrativo, contabilístico e de consultoria geral às instituições suas filiadas.

Por sua iniciativa, teve lugar no passado dia 16 de Dezembro, no Porto, o Congresso sobre Inovação Social, cujos

objectivos se centraram na discussão e reflexão sobre modelos de inovação social, procurando assim estimular e
capacitar as IPSS como agentes de inovação na resposta aos mais prementes problemas e desafios sociais do
distrito do Porto.

O Congresso foi amplamente participado e contou com a presença de reputados especialistas que animaram as
sessões plenárias e um vasto conjunto de sessões temáticas.

A Mota-Engil patrocinou esta iniciativa, tendo o seu Director de Responsabilidade Social, Corporativa e
Sustentabilidade marcado presença na mesa de encerramento do evento.

“PROJECTO CABO VERDE”

O “Projecto Cabo Verde”, iniciado em 2006, é um programa de voluntariado para a cooperação. Procurando
corporizar os ideais da solidariedade à escala internacional, apoia-se num corpo de voluntárias e numa clara aposta
na sua formação e aquisição de competências na execução de projectos de cooperação e ajuda para o
desenvolvimento.

Após dois anos consecutivos no bairro da Calabaceira, Cidade da Praia, o projecto estendeu-se em 2008 às ilhas da
Boavista (Sal Rei) e Santo Antão (Paul).
As acções desenvolvidas centram-se nas áreas da saúde, educação, ambiente e formação, procurando dar resposta
a necessidades prementes e a promover a capacitação das populações visando gerar autonomia na resolução dos
seus problemas.

Nos três primeiros anos o projecto beneficiou já cerca de 6000 pessoas mobilizando 175 voluntárias.
Em 2009 a aposta radica-se na continuidade do trabalho e na realização de acções de fomento do empreendorismo
e no auto-emprego destinadas a jovens desempregadas.

O projecto resulta de uma parceria entre três associações juvenis portuguesas (Álamos, Rampa Clube e Arcádia), a
que se juntou em 2008 a Cooperativa de Promoção de Actividades Culturais de Telheiras (Lisboa). À semelhança de
outros apoios na área da cooperação para o desenvolvimento, a Mota-Engil abraçou em 2009 mais esta iniciativa,
esperando que possa servir de estímulo à difusão do voluntariado e à promoção da solidariedade além-fronteiras.

REDE SOCIAL

A Rede Social foi criada por diploma legal em 1997, tendo em vista dar expressão organizada ao conjunto das
diferentes formas de entreajuda e articulação das actividades do Estado, autarquias locais e entidades particulares
sem fins lucrativos, em prol da erradicação da pobreza e exclusão social e da promoção do desenvolvimento social.

A Rede Social é um programa aplicável a todo o território nacional possuindo uma lógica territorializada de
intervenção, sendo por isso desenvolvido à escala concelhia.

A Rede Social consiste assim num fórum de congregação e articulação de esforços baseado na adesão livre e
voluntária por parte das entidades públicas da administração desconcentrada do Estado com responsabilidades nas
áreas da segurança social e acção social, educação, emprego, saúde e outras, envolvendo ainda as autarquias
locais e entidades particulares sem fins lucrativos.

O Decreto-Lei nº 115/2006 de 14 de Julho tornou possível a integração nas Redes Sociais concelhias de entidades
privadas com fins lucrativos.

O Grupo Mota-Engil é membro das redes sociais dos concelhos de Oeiras e Porto, o que se traduz numa
oportunidade e num incentivo ao conhecimento aprofundado dos diagnósticos sociais concelhios e dos

142
subsequentes planos de desenvolvimento social, permitindo ao Grupo contribuir com os seus conhecimentos
técnicos, estruturas operacionais e recursos financeiros e logísticos para o desenvolvimento social das comunidades
em que se insere.

SANTUÁRIO DO CRISTO-REI

Em 1934, ao contemplar a imagem de Cristo Redentor do Corcovado no Rio de Janeiro (Brasil), o então Cardeal
Patriarca de Lisboa, D. Manuel Cerejeira, terá exprimido o desejo de construir obra semelhante em frente a Lisboa.

Aprovado o projecto pelo Episcopado Português, já no ano de 1940 e em plena II Guerra Mundial, os Bispos
portugueses fizeram o voto de erguer sobre Lisboa um Monumento ao Sagrado Coração de Jesus, caso Portugal

fosse poupado às agruras da Guerra.

Iniciada a construção em 1949, o Monumento foi inaugurado uma década depois, em 1959, na presença das mais
altas individualidades civis e religiosas e perante uma assistência de 300.000 pessoas.

Nos dias 16 e 17 de Maio tiveram lugar as cerimónias comemorativas do 50º Aniversário do Santuário, evento de
grande simbolismo religioso e de enorme significado para toda a comunidade cristã em Portugal.

O Grupo Mota-Engil associou-se à cerimónia apoiando a realização deste marco evocativo.

Para mais informações - http://www.cristorei.pt/html/

SISTEMA DE MEDIAÇÃO LABORAL

O Sistema de Mediação Laboral resulta de uma iniciativa do Ministério da Justiça e de um Protocolo de Acordo
celebrado entre esta instância governamental, as confederações patronais CAP, CCP, CIP e CTP e as
confederações sindicais CGTP-IN e UGT, facultando-se às empresas a adesão voluntária a este sistema de
composição dos litígios.

Em 2006 o Grupo Mota-Engil aderiu ao Sistema de Mediação Laboral (SML), visando a resolução de litígios do foro
laboral de forma extra-judicial e com recurso a mediadores independentes.

A Mota-Engil foi um dos primeiros grupos empresariais a aderir a este sistema, procurando desta forma associar-se
ao esforço de resolução extra-judicial dos litígios de natureza jus-laboral.

SOLIDARIEDADE COM A MADEIRA

A recente tragédia que assolou a Madeira em Fevereiro de 2010, com perda de vidas humanas e avultados danos
materiais, suscitou em todo o país uma enorme onda de solidariedade.

O Grupo Mota-Engil não poderia ficar indiferente a este drama: para além de se associar à campanha nacional
promovida pelos CTT - divulgando internamente esta iniciativa de recolha de bens essenciais a favor de várias
instituições de solidariedade social da Madeira -, a Mota-Engil patrocinou ainda o espectáculo musical “A Madeira
em Concerto”, que contou com a presença de alguns dos mais conhecidos nomes da canção nacional.

As receitas do espectáculo, realizado a 27 de Março no Teatro da Trindade, em Lisboa, revertem a favor da missão
AMI na Madeira.

A Mota-Engil irá ainda disponibilizar à região autónoma uma verba a rondar 1.2 milhões de euros, destinada a
viabilizar a construção de habitações para famílias cujas casas foram destruídas.

7ª CORRIDA DE SOLIDARIEDADE ISCPSI/APAV

O Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna (ISCPSI), em parceria com a APAV – Associação
Portuguesa de Apoio à Vítima, organiza desde 2004 uma prova de atletismo que tem por cenário a cidade de Lisboa.

143
Através do estímulo à prática desportiva, esta iniciativa conjunta visa promover estilos de vida saudáveis,
contribuindo ainda para aproximar as instituições policiais da comunidade e dos organismos que trabalham em favor
dos grupos sociais mais vulneráveis.

No passado dia 28 de Março de 2010, teve lugar a 7ª Edição desta prova - mais uma iniciativa de solidariedade
social dos cadetes-alunos do ISCPSI -, que tem contado com a crescente adesão de atletas e patrocinadores,
unidos pelo espírito de solidariedade social que preside à organização do evento.

A Mota-Engil associou-se a esta iniciativa, patrocinando a sua realização e procurando assim dar mais um exemplo
do seu envolvimento nas mais variadas causas sociais.

II MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO

Realizou-se no mês de Julho de 2010 em Lisboa e Sintra o II Mundialinho da Integração.

A ICE – Ibérica Comunicação Empresarial, em parceria com as Câmaras Municipais de Lisboa e Sintra, organizaram

o evento cujo objectivo “Pôr todos a falar com todos”, visa incentivar o convívio e o intercâmbio cultural entre as
diferentes comunidades e etnias residentes em Portugal.

A Mota-Engil patrocinou esta importante iniciativa promotora da plena integração e diálogo intercultural no nosso
país.

URL: http://www.mota-engil.pt/AreaDetail.aspx?contentId=983&searchlink=true

144
FUTEBOLAICO
Sexta-feira, 16 de Julho de 2010 II Mundialinho da Integração

A Ibérica Comunicação Empresarial (ICE), a Câmara


Municipal de Sintra, a Câmara Municipal de Lisboa e a
Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol
encontram-se a organizar a segunda edição do
Mundialinho da Integração, que se realizará em Julho de
2010.

Trata-se de um torneio de Futebol que integra entre 12 a


16 equipas representativas de comunidades imigrantes em Portugal. A equipa vencedora da
1ª Edição, em 2009, foi Angola.

Este ano estão confirmadas, até ao momento as equipas representantes de 15 países.

O principal objectivo deste evento é a INTEGRAÇÃO das comunidades imigrantes que


vivem em Portugal.

URL:
http://futebolaico.blogspot.com/search?q=II+Mundialinho+da+Integra%C3%A7%C3%A3o

145
Factos e protagonistas
Deuses e sábios
Por fernando seara

Futebol é uma indústria como outra qualquer em que o que importa é saber se o
investimento, por muito alto que seja, tem o devido retorno.

1 A transferência e consequente apresentação de Cristiano Ronaldo no estádio Santiago


Bernabéu, altar mítico do Real Madrid, transformou-se num dos eventos planetários da
semana passada. Estranha era esta, a da mediatização global, que agarra heróis do relvado e
transforma-os numa espécie de deuses ex-machina, prontos a redimir e a aplacar a ânsia de
competitividade de emblemas poderosos, marcas mundiais. Foi impressionante ver mais de
80 mil espectadores encher um estádio em que o único evento programado era o da
apresentação de um jogador de futebol.
Mas é claro que no âmbito de uma transferência que superou a barreira galáctica dos 90
milhões de euros pouco menos se esperaria da capacidade de rendibilização do produto por
parte de quem aposta alto, muito alto. Pode-se discutir a estratégia de Florentino Pérez,
quer ao nível financeiro quer desportivo. O que já não se consegue é acusar o presidente do
Real Madrid de não ter a capacidade de gerar e concretizar algumas das maiores fantasias
do mercado de transferências nesta primeira década do século. Alguém notou, e bem, que
com Cristiano Ronaldo, Kaká e Benzema, muito do epicentro do futebol mundial deslocou-
se do seu eixo de rotação. Isto é, a potência continental Espanha consegue, com a aquisição
destes três nomes, contrariar e fazer frente à ameaça da potência marítima Inglaterra que
ameaçava tornar-se hegemónica. Falamos assim de pessoas, meros indivíduos, que
conseguem, tal como os deuses, influenciar e desviar as marés, interromper o curso natural
das coisas, interferir com as tendências mundiais, gerando espectáculos televistos, vividos e
apreendidos por milhares de milhões de pessoas em todo o mundo. Aos portugueses resta
esta estranha consolação de ser um dos nossos a estar no olho do furacão, no epicentro
desta vaga. Já a transferência de Figo, da Catalunha para Castela, tinha provocado um
pequeno maremoto que agitou o mercado ibérico mas também os equilíbrios precários da
nação vizinha. Agora, com Cristiano Ronaldo, falamos de milhões e milhões de euros que
serão desviados da órbita da Premier League para o campeonato espanhol. Com a mesma
habilidade com que dribla adversários e bate os pontapés livres, o nosso compatriota
demonstrou na sua apresentação que já começou a pagar a sua contratação milionária.
Muitos referiram e apressaram-se a denunciar a «exorbitância» dos valores envolvidos. Mas
o futebol é uma indústria como outra qualquer em que o que importa é saber se o
investimento, por muito alto que seja, tem o devido retorno financeiro e desportivo. E neste
capítulo, investido no seu estatuto de jogador predestinado, o português Cristiano Ronaldo
teima em assumir-se e a rever-se como «o melhor do mundo». Não será a mais humilde das
posturas. Mas o que é certo é que o jovem madeirense já demonstrou que pode lá chegar. E
contra factos, que argumentos poderão ser esgrimidos?

146
2 A volta a França em bicicleta iniciou-se com Lance Armstrong no pelotão. E é a sua
presença, apesar de muitos a verem como «fora de tempo», que está a animar esta edição do
Tour de forma inusitada. Lance foi o rei das estradas francesas durante anos a fio e o seu
alcatrão está impregnado pelo suor do campeão americano. E os milhões que acompanham
todos os Verões a prova mais internacional do calendário velocipédico não esquecem as
incríveis façanhas do ciclista. Apesar da sua humildade, dos seus constantes apelos à
racionalidade, muitos acreditam que perante centenas de adversários bem mais novos e
muito melhor preparados, Armstrog poderá ressurgir das suas próprias cinzas e regressar ao
melhor nível de outrora. Esta esperança quase irracional e infundada, a crença ilimitada nas
possibilidades dos nossos heróis, permite-nos sonhar com um tempo que quase não passa e
que nos reconcilia com um universo mais estável e menos sujeito à voracidade do tempo.
Lance Armstrong, o deus da estrada, não pode morrer. Na condução da sua máquina, na
capacidade física e táctica que exibiu durante anos, nas suas enormes qualidades humanas
com que venceu a doença e o desespero, não se encontrou ainda quem o possa substituir na
capacidade de agregação de admiradores indefectíveis.

3 O drama da morte de Michael Jackson só consegue encontrar paralelo na própria vida


desta estrela da música pop.
E confesso que fiquei perplexo perante a actual dimensão mundial do cantor, talvez devido
à sua reduzida actividade artística nos últimos anos. Mas o que me parece indesmentível,
perante as manifestações planetárias que fomos testemunhando, é que, seja nos relvados,
nas estradas ou nos palcos, há quem pelo seu talento e postura, em vida ou na morte,
continue a habitar no imaginário de milhões de fãs, elevando-se à condição de quase deuses
interraciais, multiculturais, transnacionais. São fenómenos como Michael Jackson os
grandes federadores dos hábitos e costumes, os garantes da proximidade de sucessivas
gerações, os embaixadores de países sem nome porque neles só habita quem gosta e quem
quer. Como nós.

4 O Mundialinho da Integração joga-se pela primeira vez em Portugal, mais propriamente


em Sintra. Depois de oito edições consecutivas em Espanha, as comunidades imigrantes no
nosso país terão agora à sua disposição um espaço de convívio em torno do futebol. Dozes
equipas de doze países, compostas por gente que trabalha, estuda e vive em
Portugal, vão disputar um torneio que tem como objectivo promover o convívio cultural, a
sociabilização e a integração no nosso seio. Não é fácil ter de sair da terra natal para
procurar condições de vida no estrangeiro. Como os portugueses bem sabem, muito de nós
o fizeram no passado e, embora de forma diferente, muitos ainda o fazem.
Por isso é de aplaudir desde já estas equipas, formadas por amigos de trabalho ou de escola,
que conseguiram encontrar na prática desportiva e no futebol uma forma saudável de
ocupar os seus tempos livres. Mais do que isso, é através da linguagem universal do futebol
que vão agora estabelecer laços de aproximação com o outro que, como irão constatar e
partilhar, poderá falar uma língua diferente, rezar a outros deuses, mas que ama de igual
forma o jogo da bola. São homens vulgares, nem heróis nem deuses, mas que tiveram a
sabedoria de escolher o caminho da integração no seu novo espaço de acolhimento, sem
naturalmente abdicar da sua cultura e dos seus costumes.

URL: http://www.serbenfiquista.com/forum/index.php?topic=17983.27270

147
UM BOM EXEMPLO A SEGUIR

Futebol é, no Alto do Lumiar, Mundialinho da Integração


Futebol promove diálogo entre imigrantes 17 de Julho a 01 de
Agosto`10
Cerca de 350 atletas não profissionais e naturais de 16 países integram as equipas
de futebol que participam na segunda edição do Mundialinho da Integração. O
evento desportivo decorre entre os dias 17 de Julho e 1 de Agosto, no Alto do
Lumiar – Lisboa e Sintra.
A cerimónia de abertura decorreu este sábado no Alto do Lumiar, Lisboa e foi
marcado pelo convívio entre as várias comunidades de imigrantes residentes em
Portugal, que não se coibiram de dar uns passos de dança ao som da música
tradicional da Ucrânia.

148
Rosário Farmhouse, Alta Comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural
(ACIDI), informou os presentes sobre os objectivos do evento: “Esta iniciativa
possibilita um convívio e um diálogo intercultural entre as várias comunidades
residentes em Portugal e abre caminho para eventuais relações de amizade.”

URL: http://luminaria.blogs.sapo.pt/364784.html

149
PORTUGAL-Mundialinho: 16 seleções de comunidades imigrantes
disputam torneio de futebol a partir de hoje

LISBOA-O II Mundialinho da Integração começa hoje em Lisboa, onde se vão encontrar


imigrantes de quatro continentes que vão vestir a camisola da seleção do seu país durante
os próximos quinze dias.
"A ideia é juntar numa festa as comunidades imigrantes", explicou à Lusa Cristina Archer,
da organização do evento, que reúne 16 comunidades de imigrantes num encontro
desportivo que termina a 01 de agosto.
Angola, Brasil, Nigéria, Senegal, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe,
Espanha, Alemanha, Reino Unido, Ucrânia, Roménia, Moldávia, Marrocos, Moçambique e
China são as equipas deste torneio multicultural, que reúne num campo de futebol
funcionários de embaixada, engenheiros a trabalhar nas obras e até um barbeiro
marroquino.
O critério para seleção dos participantes foi escolher as comunidades imigrantes com maior
número de habitantes em Portugal.
O Angola-Ucrânia é o primeiro jogo de um torneio que pretende "pôr estas comunidades
todas a falar umas com as outras", lembra.
O torneio, organizado pelas autarquias de Lisboa e Sintra, pela Associação Portuguesa de
Árbitros de Futebol e pela empresa Ibérica Comunicação Empresarial, tem também o
patrocínio da Presidência da República: Cavaco Silva preside à Comissão de Honra do
Mundialinho.
Depois do sorteio, ficaram assim distribuídos os 16 países: Angola, Ucrânia, Senegal e
Nigéria no grupo A, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Reino Unido no B,
Cabo Verde, Roménia, Marrocos e Alemanha no grupo C, Brasil, Moldávia, Espanha e
China no grupo D.
O torneio que hoje começa continua nos fins de semana seguintes, até à final, no dia 01 de

150
agosto, no estádio do Lumiar. Em Sintra, os jogos disputam-se no estádio 1.º de Dezembro.
SIM/Lusa/fim
*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/11306149.html

151
Mundialinho

John Semedo em Qua Ago 04, 2010 12:14 am

[img] [/img]

[b]No Mundialinho da Integração, que hoje começou em Lisboa, só podem participar jogadores
não profissionais mas, no ano passado, três atletas imigrantes acabaram por ser convidados a
integrar equipas da terceira divisão.

cerca de “350 atletas de 16 nacionalidades diferentes que vivem e trabalham em Portugal” que
este ano disputam a II edição do Mundialinho da Integração, contou à Lusa Cristina Archer,
organizadora do evento que hoje começou no Estádio Municipal da Alta de Lisboa.

O objetivo do encontro - que junta imigrantes de quatro continentes - é a integração de todas


as comunidades mas, por vezes, o resultado final “vai mais longe”.

“No ano passado, houve três elementos que foram aproveitados para equipas da terceira
divisão por terem participado neste evento. Não é o aspecto mais importante do torneiro, mas
aconteceu”, recordou o coordenador desportivo do evento, Paulo Paraty.

Segundo Paulo Paraty, os “olheiros” detectaram qualidades desportivas em três jogadores das
"selecções" africanas de Cabo Verde e da Guiné. Resultado: abandonaram os seus árduos
trabalhos e são hoje jogadores profissionais.

Entre os 350 atletas que vão disputar o Mundialinho durante os próximos 15 dias, podem estar
futuros profissionais do futebol português? “Sonhar não é proibido. É o alento de qualquer ser
humano. Por isso é bom que todos sonhem”, defendeu Paraty.

152
Mas a grande finalidade do campeonato, sublinhou Paulo Paraty, é a “integração das pessoas de
todos os outros continentes que vivem connosco, fazer com que se sintam parte da nossa
comunidade e mostrar a qualidade de Portugal enquanto país anfitrião”.

Esta é a segunda edição do Mundialinho da Integração, um evento organizado pelas autarquias


lisboeta e sintrense, em parceria com a Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a
empresa ICE - Ibérica Comunicação Empresarial.

O torneio de futebol vai reunir as equipas da Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde, China,
Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia, Senegal, S.
Tomé e Príncipe, Ucrânia

URL: http://sintrasport.forumtupi.net/seniores-distritais-f3/mundialinho-t80.htm

153
Notícias
2010-07-16
Mundialinho da Integração 2010

A Câmara Municipal de Lisboa, juntamente com a


Câmara Municipal de Sintra, em parceria com a
Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol e a
empresa ICE - Ibérica Comunicação Empresarial, vai
realizar a segunda edição do Mundialinho da Integração.

Este evento decorrerá no Estádio Municipal da Alta de


Lisboa (Lumiar) e no estádio da Sociedade União 1º de
Dezembro, em Sintra entre os dias 17 de Julho a 1 de Agosto.

O torneio de futebol vai reunir equipas oriundas de dezasseis comunidades imigrantes


residentes em Portugal nomeadamente; Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde, China,
Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido, Roménia,
Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, vai presidir à Comissão de Honra do


Mundialinho de Futebol.

A Cerimónia de Inauguração está marcada para o próximo dia 17 de Julho e contará,


na qualidade de comissário desportivo, com o reconhecido árbitro de Futebol, Paulo
Paraty.

Este evento, com oito edições em Espanha e uma em Portugal, conta de ano para ano
com uma crescente participação das várias comunidades imigrantes residentes em
ambos os países.

154
O objectivo da prova continua a ser “Pôr todos a falar com todos” e incentivar o
convívio e o intercâmbio cultural entre as diferentes comunidades aqui residentes, bem
como apelar à adopção de estilos de vida mais saudáveis das nossas populações
através da prática desportiva.

O II Mundialinho da Integração conta com o apoio de entidades governamentais como


o Ministério da Administração Interna, a Secretaria de Estado da Juventude e
Desporto, Governo Civil de Lisboa, bem como o Alto Comissariado para a Imigração e
Diálogo Intercultural.

Junto enviamos, para vosso conhecimento e acompanhamento, o calendário do evento


bem como o resultado do sorteio, realizado no dia 1 de Julho, em Lisboa.

URL: http://www.apaf.pt/apaf/noticias/?p=1&id=1364

155
Iniciativas Arquivo

II Mundialinho da Integração
Organização: Câmaras Municipais de Lisboa e Sintra, Associação Portuguesa dos
Árbitros de Futebol, ICE – Ibérica Comunicação Empresarial
Local: Lisboa e Sintra
Data: 19-07-2010

A Câmara Municipal de Lisboa, em conjunto com a Câmara


Municipal de Sintra, em parceria com a Associação Portuguesa dos
Árbitros de Futebol e a empresa ICE – Ibérica Comunicação
Empresarial, estão a realizar o II Mundialinho da Integração, que
decorre entre 17 de Julho e 1 de Agosto de 2010.

Este torneio de futebol reúne equipas oriundas de dezasseis


comunidades imigrantes residentes em Portugal: Alemanha,
Angola, Brasil, Cabo-Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos,
Moçambique, Moldávia, Nigéria, Reino Unido, Roménia, Senegal,
S. Tomé e Príncipe e Ucrânia.

O Mundialinho da Integração, tem como objectivo “Pôr todos a


falar com todos” e incentivar o convívio e intercâmbio cultural entre as diferentes
comunidades aqui residentes, bem como apelar à adopção de estilos de vida mais saudáveis
das nossas populações através da prática desportiva.

No âmbito do Programa Nacional do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão


Social, a temática abordada no mês em curso é “Emigração e Imigração – Oportunidades
sem Fronteiras”. Desta forma o AECPES associa-se a esta iniciativa com o objectivo de
sensibilizar os adeptos do futebol e a sociedade em geral para a erradicação da pobreza,
promovendo a participação de todos na construção de uma sociedade mais justa e
socialmente mais coesa.

A Cerimónia de Abertura teve lugar no passado dia 17 de Julho, no Estádio da Alta de


Lisboa, no Lumiar e contou com a participação do Coordenador Nacional do AECPES, da

156
Alta Comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural, do Governador Civil de Lisboa e
do ex-arbitro Paulo Paraty, Comissário Desportivo do evento.

As 16 equipas presentes na Cerimónia de abertura “mostraram um cartão vermelho” contra


a pobreza e exclusão social!

O primeiro jogo da 1ª jornada pôs em confronto Angola e Ucrânia com o resultado de 5-0.

II Mundialinho da Integração

Organização: Câmaras Municipais de Lisboa e Sintra, Associação


Portuguesa dos Árbitros de Futebol, ICE – Ibérica Comunicação
Empresarial
Local: Lisboa e Sintra
Data: 17-07-2010 a 01-08-2010
A Câmara Municipal de Lisboa, juntamente com a Câmara
Municipal de Sintra, em parceria com a Associação Portuguesa
dos Árbitros de Futebol e a empresa ICE – Ibérica Comunicação
Empresarial, vão realizar o II Mundialinho da Integração, que
ocorrerá entre 17 de Julho e 1 de Agosto de 2010.

Este torneio de futebol, irá reunir equipas oriundas de dezasseis


comunidades imigrantes residentes em Portugal: Alemanha,
Angola, Brasil, Cabo-Verde, China, Espanha, Guiné, Marrocos,
Moçambique, Moldávia, Nigéria, Reino Unido, Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe e
Ucrânia.

O Mundialinho da Integração, tem como objectivo “Pôr todos a falar com todos” e
incentivar o convívio e intercâmbio cultural entre as diferentes comunidades aqui
residentes, bem como apelar à adopção de estilos de vida mais saudáveis das nossas
populações através da prática desportiva.

157
No âmbito do Programa Nacional do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão
Social, a temática abordada no mês em curso é “Emigração e Imigração – Oportunidades
sem Fronteiras”. Desta forma o AECPES associa-se a esta iniciativa com o objectivo de
sensibilizar os adeptos do futebol e a sociedade em geral para a erradicação da pobreza,
promovendo a participação de todos na construção de uma sociedade mais justa e
socialmente mais coesa.

O evento inaugural terá lugar no próximo dia 17 de Julho, ás 11h.00 no Estádio da Alta de
Lisboa.

URL: http://www.2010combateapobreza.pt/iniciativas.asp?tit=22&arq=1

158
Mundialinho: Três imigrantes africanos integrarão equipas de futebol da
3ª divisão

No Mundialinho da Integração, que


hoje começou em Lisboa, só podem
participar jogadores não profissionais
mas, no ano passado, três atletas
imigrantes acabaram por ser
convidados a integrar equipas da
terceira divisão.

São cerca de “350 atletas de 16


nacionalidades diferentes que vivem e
trabalham em Portugal” que este ano
disputam a II edição do Mundialinho da Integração, contou à Lusa Cristina Archer,
organizadora do evento que hoje começou no Estádio Municipal da Alta de Lisboa.

O objetivo do encontro – que junta imigrantes de quatro continentes – é a integração de


todas as comunidades mas, por vezes, o resultado final “vai mais longe”.

“No ano passado, houve três elementos que foram aproveitados para equipas da terceira
divisão por terem participado neste evento. Não é o aspecto mais importante do torneiro,
mas aconteceu”, recordou o coordenador desportivo do evento, Paulo Paraty.

Segundo Paulo Paraty, os “olheiros” detectaram qualidades desportivas em três jogadores


das “selecções” africanas de Cabo Verde e da Guiné. Resultado: abandonaram os seus
árduos trabalhos e são hoje jogadores profissionais.

Entre os 350 atletas que vão disputar o Mundialinho durante os próximos 15 dias, podem
estar futuros profissionais do futebol português? “Sonhar não é proibido. É o alento de
qualquer ser humano. Por isso é bom que todos sonhem”, defendeu Paraty.
Mas a grande finalidade do campeonato, sublinhou Paulo Paraty, é a “integração das
pessoas de todos os outros continentes que vivem connosco, fazer com que se sintam parte
da nossa comunidade e mostrar a qualidade de Portugal enquanto país anfitrião”.

Esta é a segunda edição do Mundialinho da Integração, um evento organizado pelas


autarquias lisboeta e sintrense, em parceria com a Associação Portuguesa dos Árbitros de
Futebol e a empresa ICE – Ibérica Comunicação Empresarial.

O torneio de futebol vai reunir as equipas da Alemanha, Angola, Brasil, Cabo-Verde,


China, Espanha, Guiné, Marrocos, Moçambique, Nigéria, Moldávia, Reino Unido,
Roménia, Senegal, S. Tomé e Príncipe, Ucrânia.
URL: Agente desportivo.com

159