Sie sind auf Seite 1von 8

FILOSOFIA DO DIREITO E DIREITOS HUMANOS - EAD

ASPECTOS IMPORTANTES:

UNIDADE 1
*em itálico anotações do vídeo

PENSAMENTO CLÁSSICO GRECO-ROMANO


Século V a.C. - SOFISMO
Abandono da discussão cosmológica de Sócrates, parte-se para questões políticas e sociais, justiça,
ética, educação...
Sofistas vendiam conhecimentos em troca de interesses na Ágora. Usavam retórica.
Relativismo : discutir questões na perspectiva dos acontecimentos > Contraponto: SÓCRATES, justiça
com significado verdadeiro e definitivo. Educação + Virtude = Ética.

PLATÃO: ética relacionada com moral individual. Política, ofício para filósofos, ordena ética coletiva e
corrige injustiças. Inversamente à realidade atual.

ARISTÓTELES: justiça é disposição da alma. A justiça é absoluta. J. DISTRIBUTIVA: proporcionalidade. J.


CORRETIVA: corrige injustiça.
Justiça promove a igualdade, Régua de Lésblus (flexível) representa a forma como o juiz deve trabalhar a
lei conforme cada caso.
Homem= zoon politikon: A justiça passa pela organização social, com fim realizar um fim comum,
modernamente é individualista.A sociedade é razão de ser do indivíduo.
Política=gestão política de interesses entre iguais. Entre desiguais pode gerar favorecimentos.
Forma de governo: interesses coletivos e individuais x exercício do poder.
Governo de um:
Monarquia: interesse coletivo.
Tirania: interesse de um.
Governo de poucos:
Aristocracia: interesse de todos.
Oligarquia: interesse próprio.
Governo de todos:
República: interesse de todos.
Democracia: interesse do governante.
CÍCERO: justiça é fonte de deveres e uma virtude: a lei não é um valor é uma razão>influência na
construção de direitos humanos.

Escola Romana: HELENISMO: influencia grega, rompida pelo Cristianismo.


Transição: EPICURISMO: busca pelo prazer pelo afastamento do sofrimento. Não há noção pura de
justiça, é uma construção humana. Nega injustiça por medo de castigo. ESTOICISMO: conhecer as leis
naturais e se afastar das paixões desviantes da alma.

O PENSAMENTO JUSFILOSOFICO NA IDADE MEDIA


Teocentrismo: base da ética e justiça.
ST. AGOSTINHO: a partir do conhecimento das verdades eternas o homem pode definir o que é justo. a
Justiça é uma virtude, primeiro interior.
Cidade de Deus: pós-morte, a justiça está somente em Deus. Fé para acessar a justiça que é somente
divina, pois na Terra tudo é invenção dos homens.
Cidade dos Homens: vícios e instabilidades, peso do pecado.
SÃO TOMÁS DE AQUINO: realismo jurídico: igualdade fundamenta direito, este é objeto da justiça.
Quando o justo decorre de uma "convenção" tem-se o direito positivo.
Justiça se faz pelo bem do outro por critérios distributivos e retributivos. Admite direito natural.

O PENSAMENTO JUSFILOSOFICO MODERNO


Absolutismo: justo> juspositivismo moderno>juridicamente possível ou legal.
HUMANISMO: Indivíduo como centro dos ideais de justiça e moral...
Iluminismo (Rev. Francesa/Industrial/Indep. Americana): superação do absolutismo e crença
teológica>Aumento do espírito mercantil>burguesia>individualismo, direitos subjetivos, limitação do
Estado, universalidade de direitos, contratualismo...
Saída do estado de natureza para estado civil. EST DE NATUREZA: homem age conforme vontade.EST
CIVIL: abre-se mão de alguns direitos naturais para vida harmônica. Faz-se o CONTRATO SOCIAL
Contratualistas:
Robbes: defendia o absolutismo. Contrário a Aristóteles: o individualismo dos homens que os leva a viver
em comum. O fazem pelo medo mútuo. O HOMEM É O LOBO DO HOMEM. O contrato propõe paz pelo
medo recíproco.
Locke: liberal e empirista: todos os homens nascem em igual condição de adquirir conhecimento, suas
experiências o limitam.O poder é construção do homem, hereditariedade não faz sentido, portanto
contraria Aristóteles, para qual o Estado é extensão da família. Os homens pactuam por não mais viver
no estado de natureza, daí surge o Estado que deve garantir aqueles direitos: o homem é livre e igual.
A propriedade é direito humano anterior ao Estado.
Rosseau: a sociedade corrompe o homem. Necessidade de corrigir os problemas sociais pela Educação.
Os homens se unem para criar uma força coletiva para vencer a degradação social. O individualismo
transformado em solidariedade.O homem é parte do todo.

KANT: liberdade primeiro bem do indivíduo. Todos podem discernir entre certo e errado, pois são
dotados de razão.
Todos vem e entendem a mesma coisa sore objeto, porque em todos existe capacidade de entender que
o objeto é o que é. A PRIORI: algo que vem de antes e nos faz entender o que somos>RAZÃO PURA.
Porém, no direito é mais relevante a RAZÃO PRÁTICA>IMPERATIVO CATEGÓRICO: regra de ouro,
exortação da ação humana que tem um propósito em si mesmo. Valores envolvidos nas ações: DEVER:
procedimentos normativos que devem ser cumpridos, mero cumprimento não significa adequação à
MORALIDADE, esta depende da motivação para cumprir deveres, surge da vontade. Se atinge a
moralidade cumprindo um dever vazio de segundas intenções.Esta dever obriga, mas não coage, não
limita.Dominação da vontade pela inteligência dela e da ação influenciada pelo imperativo categórico.
Este imperativo é base do direito. Se mede pela maneira como se manifesta pelos iguais, é esfera
exterior ao dever.
IMPERATIVO HIPOTÉTICO: relação entre a lei e a vontade real, dirigida a um fim real e possível.

HEGEL: dialética: tese+antítese=síntese, fato novo, superação>vida no Estado>resultado do processo


dialética. Não há contrato social, reflexão histórica. O estado se justifica por si, não provém de consenso
entre homens.

MARX: centra o homem na natureza, na forma como ele modifica a natureza a seu favor, pelo trabalho.
Materialismo histórico: determinantes econômicas e sociais. Os acontecimentos em si definem a
História, não a forma como os homens pensam.
Sociedade moderna>alienação>afastamento do homem dele mesmo.
ideologia>faz o homem crer que não está sendo explorado.
avanços sociais=avanço modos de produção.
Estado moderno>favorecimento da burguesia>liberdade negociação>ordem jurídica.
O antigo senhor de escravos não precisa mais coagir, os trabalhadores vendem sua força em contrato
livremente. O Estado se encarrega da coação. Direito age na ficção de transformar pessoas sujeitos de
direitos e obrigações na sociedade. É expressão de poder, a justiça é burguesa.

3 tendências pensamento jurídico moderno:


1. JUSPOSITIVISMO: sistematizar os conhecimentos de acordo com o que se sabe sobre eles. Mais
próxima à prática do jurista. Estado como legislador e lei como vontade coletiva. GARANTISMO: Estado
como garantidor de políticas públicas X estado liberal.
KELSEN: diferença entre fenômeno jurídico e ciência do direito. Direito como norma absoluta inspirada
nas tensões sociais, salvo conduto para ação do estado.
2. NÃO JUSPOSITIVISMO: mais realista, não alcança o cerne da crítica ao capitalismo, mas tem influência
marxista.
EXISTENCIALISMO: recusa da modernidade, resgate direito natural.
DECISIONISMO: necessidade ir além do positivismo>poder estatal absoluto. KARL SCHIMMT>nazismo
FOUCAULT: desmistificar a falsa verdade apresentada pelo direito positivo. Microfísica do poder: poder
muda de mãos conforme situação e o tempo. É ferramenta manipulável.
3. MARXISMO: vai além das preocupações com o poder.
corrente mais crítica do Direito.
MARXISMO ESCOLA SOVIÉTICA: Bachucanes: direito forma de relação social baseada na
mercadoria>homem é a mercadoria>sustenta o capitalismo.Justiça se alcança pela superação do Estado
e do Direito.
ESTRATEGIA DE TRANSFORMAÇÃO POLÍTICA/ REFORMISTA: conscientizar os trabalhadores de sua
situação para que tomem o poder do Estado para gerir em prol dos trabalhadores> ESCOLA DE
FRANKFURT> desvendar formas de dominação do capital>ALTHUSSER>ideologia do estado: propagar os
ideais capitalistas para manter a ordem> Igreja, Escola...>alienam o indivíduo em seu inconsciente.

UNIDADE 2
PENSAMENTO JUSFILOSOFICO MODERNO
KANT: justiça e organização social, conduta justa= conforme leis. 3 óticas ação justa:
1.“é justa toda ação que, por si ou por sua máxima, não constitui obstáculo à conformidade da liberdade
do arbítrio de todos com a liberdade de cada um segundo as leis universais”>direito natural
2. ação justa é meio para liberdades externas> igualdade limitador
3. ação racional, cfe ordem jurídica universal, baseada na vontade de todos.
KELSEN: norma>juízo hipotético>sanção ilícito. Norma editada>prescritivo. Doutrina> descritiva.

POSITIVISMO INGLÊS: crítica ao commom law


BETHAM: problemas direito natural fundado em simpatia ou antipatia.
HART: positivismo>direito depende de seu conteúdo e não da lei em si.

PENSAMENTO JUS-FILOSOFICO POS MODERNO


POSITIVISMO: direito é fundado na lei. JUSNATURALISMO: direito é inerente ao ser humano.
ESCOLA DA EXEGESE: séc. XIX
supervalorização da codificação>código napoleônico. Lei é única fonte jurídica, o operador do direito
está limitado ao direito.
ESCOLA HISTÓRICA:
SAGIVNY: lei é espírito do povo, representa os anseios da sociedade>influência platônica.
ESCOLA DO DIREITO LIVRE: juiz tem espaço para decidir conforme suas convicções, considerando o que
pretendia o legislador, o sentimento de coletividade e, em último caso, discricionariamente.
REALISMO JURÍDICO
compreende o direito a partir dos fatos concretos
LUHMANN
Teoria dos sistemas sociais: sociedade complexa>muitos fatores influenciam o direito.
Direito> resolve e cria conflitos. SISTEMA AUTOPOIÉTICO: transforma a realidade e a si mesmo> se
autoalimenta.
PLOBLEMA DA CECIDIBILIDADE, Tércio Sampaio Ferraz jr.:
PENSAMENTO TECNOLOGICO: direito abarca tanto questões dogmáticas quanto zetéticas.
ZETÉTICA: pensamento teórico;
HERMENÊUTICA: manifestação do pensamento;
TELEOLOGIA: interpretação do direito.

DIREITOS HUMANOS E DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA


DIREITOS HUMANOS: valores e direitos consagrados em tratados internacionais.
Universais: se estendem a todos sem distinção, transcendendo os ordenamentos jurídicos.
Históricos: se desenvolvem junto com a sociedade e correspondem a seus anseios.
Indisponíveis: irrenunciáveis.
Inalienáveis: sua titularidade não pode ser transferida.
Imprescritíveis: podem ser exigidos a qualquer tempo.
Indivisíveis: analisados no Todo.
Interdependentes.
(unidade 3 acrescenta):
Extrapatrimonialidade: sem natureza econômica imediata.
Inviolabilidade: demais leis devem respeitá-los.
Efetividade: o Estado deve garanti-los.
Relatividade: não há hierarquia e podem ser relativizados.
Limitabilidade: Não são absolutos e podem ser restringidos em situações excepcionais.
Complementaridade: observados de forma conjunta e interativa.

FUNDAMENTOS DOS DIREITOS HUMANOS:


JUSNATURALISMO: Direitos humanos decorrem do direito natural>Universais e imutáveis. Direito
natural: expressam a natureza humana que existe em todas as pessoas. Não depende do
reconhecimento do direito positivo.
POSITIVISMO: Direitos humanos surgem nas Constituições. Porém, de fato, constam direitos
fundamentais, dessa forma o positivismo não é suficiente para resguardar os direitos humanos,
formados a partir de valores subjetivos.

DIREITOS FUNDAMENTAIS: constam nas Constituições. Pioneiro: BILL OF RIGHTS>limita poder do


soberano.
objetivo: tutelar o núcleo essencial dos direitos.

CIDADANIA: acesso e a garantia de direitos básicos, inerentes à condição humana. Efetivação e tutela
dos direitos fundamentais.

Documentário: LIBERDADE & DEMOCRACIA - 25 anos da Constituição Federal (CF) de 1988.


A CF foi elaborada do zero. O contexto precedente influenciou que diversos setores relegados pela
sociedade fizessem pressão para ter seus direitos reconhecidos. Muitos aspectos que constam na CF são
relegados à legislação ordinária em outros países. Criou-se uma extrema esquerda e uma extrema
direita e para apaziguar surgiu o "centrão" que tentava definir um meio termo entre os grupos. Também
ouve enfretamento de lobbys de direrentes setores sociais.
Constituição programática, esmiuça critérios engessariam a gestão e são incapazes de se manter com o
a evolução da sociedade.
Objetivo ampliar a cidadania.
É emocionante a amplitude do debate democrático, balizado por Ulysses Guimarães, que deu origem à
Constituição Cidadã. É uma vitória tantos direitos estarem positivados. Porém, entristece que até hoje
seja um desafio a aplicação de políticas públicas garantidoras de tais direitos.

UNIDADE 3
OS DIREITOS HUMANOS NA ANTIGUIDADE, NA ERA MEDIEVAL E NA ERA MODERNA
Visão antropocêntrica>valores sociais>direitos humanos
Pioneiro: Socrátes
CÍCERO: conceitua igualdade de direitos, injustiça e tirania. Liberdade e igualdade>direitos naturais.

DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO


Influência: Bill off Rights (1768), Independência Americana (1776) e Revolução Francesa (1789).
A Declaração não tem caráter compulsório, mas é VINCULANTE.

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DOS DIREITOS HUMANOS


Apesar de as primeiras impressões sobre direitos humanos remontarem à Sócrates, são as Guerras
Mundiais que influenciarão efetivamente a formação da Teoria dos Direitos Humanos.
TRIBUNAL DE NUREMBERG
Primeiro Tribunal Internacional criado para julgar crimes contra a humanidade.
Estrutura e competência definidas no acordo de Londres para julgar:
 Crimes contra a paz;
 Crimes de guerra;
 Crimes contra a humanidade.
Fundamentação das decisões: costumes internacionais. Fixou-se como padrão em casos de crimes de
guerra.
Quando se envolve direito humanos o contexto internacional sobrepõe-se á soberania nacional.
CLASSIFICAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS EM GERAÇÕES/DIMENSÕES
Titularidade individual:
1ª) direitos civis e políticos.
2ª) direitos sociais.
Coletivos:
3ª) direitos de solidariedade ou fraternidade.
Há quem condene a classificação em dimensões por dar ideia de substituição de uns pelos outros.
Porém, referem-se a forma como foram reconhecidos e inseridos nas Constituições em um PROCESSO
CUMULATIVO E QUANTITATIVO.
DIREITOS CIVIS E POLÍTICOS
Pacto internacional>declaração universal dos direitos do homem.
Representam direitos e liberdades independentes da ingerência do Estado.
prestações negativas>limitam o Estado
1. Liberdade de ir e vir;
2. Liberdade religiosa;
3. Liberdade de manifestação;
4. Liberdade de associação.
Da liberdade decorrem diversos princípios, tais como: presunção de inocência, legalidade criminal e
processual e outras. 
DIREITOS SOCIAIS>socialismo e revolução industrial
Prestações positivas do Estado: a satisfação das necessidades sociais, econômicas e culturais do cidadão
depende da ação do Estado.>igualdade.
I. A igualdade de gênero;
II. A igualdade racial;
III. Direito ao trabalho digno.
Efetivam-se por políticas públicas.
DIREITOS DE SOLIDARIEDADE/FRATERNIDADE
O direito ao meio ambiente saudável e o direito à paz, à solidariedade e à fraternidade, direito ao
desenvolvimento.
Alguns não previstos nas Constituições. Questionamento de como efetivá-los.

Os direitos humanos podem ser exercidos simultaneamente e colidir, nesse caso aplica-se juízo de
RAZOABILIDADE E PROPORCIONALIDADE verificando qual é o mais relevante no caso.

DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS


CF/88: consagração da dignidade humana; institucionalização de regime democrático; consolidação
legislativa de garantias e direitos;
DIREITOS FUNDAMENTAIS= direitos humanos positivados.
GARANTIAS= estrutura institucional voltada para defesa de direitos.

DIREITOS HUMANOS NO ORDENAMENTO JURIDICO BRASILEIRO E TRATADOS INTERNACIONAIS


Dignidade e prevalência dos direitos humanos nas relações internacionais e claúsula de expansão de
direitos.
"art 5º, § 3º Os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em
cada Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros,
serão equivalentes às emendas constitucionais "(Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) 
Ingresso de tratados internacionais no ordenamento jurídico brasileiro tem caráter ordinário e
supralegal, status constitucional, entendimento do STF.

UNIDADE 4
DH=inerentes a todos humanos independente de qualquer outra condição>conceito ONU
Rev. Francesa: nova forma de governo + Rev. Industrial: nova forma de vida = CAPITALISMO>
desigualdades... 1ª Guerra: conflitos comerciais> Tratado de Versalhes> Liga das Nações (primeira
tentativa de evitar guerra)... 2ª Guerra>ONU>promoção da diplomacia entre os países> direitos mínimos
do ser humano.
Construção histórica dos DH:
539 a.C.: Conquista da Babilônia>liberdade de escravos e de crença, igualdade racial>Cilindro de
Círo>reconhecimento de direitos de 1ª geração.
Esses direitos foram solidificados a partir da Revolução Francesa.
Séc. XX: Direitos de 2ª e 3ª geração> coletivos>igualdade>Pactos de DH.
Invenção do direito legislado>superação do Estado de Natureza>Contrato Social X
Jusnaturalismo>direito inspiração divina ou natural da vida> direito anterior ao Estado.
Os DH tem origem jusnaturalista, mas torna-se juspositivista no momento que torna-se pauta
obrigatória do poder legislativo.

Brasil: Constituição de 1824>garante direitos fundamentais. Seguida de avanços e retrocessos.


Ditadura>CF Cidadã>Claúsulas Pétreas>Comissões da Verdade.

O SISTEMA GLOBAL DE PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS


Para efetivação dos direitos humanos é necessário um organismo internacional que obrigue os Estados a
cumprir suas obrigações para tutela desses direitos> ONU (1945)

Promove condições de igualdade e autodeterminação dos povos:


a. níveis mais altos de vida, trabalho efetivo e condições de progresso e desenvolvimento econômico e
social;
b. a solução dos problemas internacionais econômicos, sociais, sanitários e conexos; a cooperação
internacional, de caráter cultural e educacional; e
c. o respeito universal e efetivo raça, sexo, língua ou religião

Inserção na comunidade internacional>respeito D H>transcende a soberania nacional.


CARTA INTERNACIONAL DE DH:
Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948): nova política DH
Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos (1966): Ratificada Brasil 1992.
Pacto Internacional de Direitos Civis, Econômicos, Sociais e Culturais (1966) : Ratificada Brasil 1992.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS


proteção universal>inspirada Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão.
ordem internacional>proteção pessoa humana.
Exigibilidade jurídica>divergência doutrinária:
1. Declaração=direito consuetudinário>vinculante.
2. norma moral universal, baseada em direito natural.
3. não vinculante, mas pedagógico, sem força jurídica, apenas Resolução da ONU.
Criados Pactos para promover a efetivação dos direitos previstos>origem divisão geracional dos DH:
PACTO INTERNACIONAL DE DIREITOS CIVIS E POLÍTICOS>autoaplicáveis>protegidos e garantidos pelo
Estado.
orientação liberal>ideal democrático. Admite derrogação temporários de direito>ameaça segurança
nacional ou ordem pública.
PACTO INTERNACIONAL DE DIREITOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E CULTURAIS>depende ação
Estatal>aplicação progressiva
herança socialista>decorrem do valor de igualdade.

O SISTEMA GLOBAL DE PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS


TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL>limita a seletividade política>legalidade e justiça aplicáveis a todos os
Estados>universalidade.
Competência subsidiária>complementar ao Estado:
 Crime de genocídio;
 Crimes contra a humanidade;
 Crimes de guerra;
 Crimes de agressão.
Atuação denúncia do Estado-parte e do Conselho de Segurança à promotoria, após investigação, será
proposta a ação penal pertinente.
Brasil> EC45>submete o país à Corte> permite deslocamento da competência originária para a
investigação, processamento e julgamento dos crimes praticados com grave violação de direitos
humanos, com a finalidade de assegurar o cumprimento de obrigações decorrentes de tratados
internacionais.

O SISTEMA INTERAMERICANO DE PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS (1948)


contexto: países com alto grau desigualdade e exclusão social.
Mais importante instrumento: A Convenção Americana dos Direitos Humanos (Pacto de São José da
Costa Rica) - 1969>direitos previstos (1ª geração):
 Direito à personalidade jurídica;
 Direito à vida;
 Direito a não ser submetido à escravidão;
 Direito à liberdade;
 Direito a um julgamento justo;
 Direito de compensação em caso de erro judiciário;
 Direito à privacidade;
 Direito à liberdade de consciência e religião;
 Direito à liberdade de pensamento;
 Direito ao nome;
 Direito à nacionalidade;
 Direito à liberdade de movimento e residência;
 Direito de participar do governo;
 Direito à igualdade perante à lei;
 Direito à proteção judicial.

A Comissão Interamericana: 7 membros reconhecidos em matéria de DH, de qualquer dos países


membros, mandato 4 anos, uma reeleição.
promoção e observância dos DH.
Petição:
 Admissibilidade - art. 46 da Convenção;
 Solicitação de informação ao governo denunciado;
 Exame do assunto;
 Investigação dos fatos;
 Busca de uma solução amistosa entre as partes;
 Se não for alcançada a solução amistosa, será redigido um relatório, que apresentará os fatos e
a solução pertinente ao caso.
 3 meses para o país dar cumprimento às recomendações feitas.

Corte Interamericana de Justiça: 7 juízes dos Estados membros> competência é de caráter consultivo e
contencioso.
Qualquer membro da OEA pode requerer parecer à Corte.
CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE DAS LEIS: pode emitir parecer em relação à compatibilidade da lei
interna em face dos tratados internacionais.
Legitimidade: Comissão e Estados membros, indivíduo particular não.
Não substitui a competência de Tribunais dos Estados.
Sentenças: executiva> restauração do direito violado, além de poder condenar o Estado, que violou o
direito, a pagar indenização.

DIREITO DAS MINORIAS: DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA, DISCRIMINAÇÃO, INTOLERÂNCIA E RACISMO


DH> demanda urgente na tutela da Dignidade.
Construção discriminatória, racista e intolerante, decorre da própria cultura global.
MULTICULTURALISMO:  estudos voltados para as diferentes culturas espalhadas pelo mundo. Luta pelos
direitos civis de grupos excluídos>defesa minorias> como grupos marginalizados no contexto
social>CARTA DE PARIS 1990> proteção religiosa, linguística, cultural e ética.
Preconceito: sentimento, juízo preestabelecido>atitude discriminatória
Discriminação: exteriorização do preconceito.
Brasil: Estatuto da Igualdade racial - lei 12.288\2001>discriminação= “Discriminação racial ou étnico
racial: toda distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada em raça, cor, descendência ou origem
nacional ou étnica que tenha por objeto anular ou restringir o reconhecimento, gozo ou exercício em
igualdade de condições”.
proteção minorias>tutela dignidade.

SISTEMAS REGIONAIS>ajustam a tutela dos DH aos valores regionais. Estados sujeitos aos Sistemas de
Proteção.
Sistema Africano
Sistema Americano
Sistema Europeu

FALAR COM PROFESSOR:


Na questão 8, da atividade 3, havia duas alternativas "I e IV".
Os enunciados eram os seguintes:
"I. Os direitos fundamentais de primeira dimensão estão vinculados ao Princípio da Igualdade.
II. Os direitos civis e políticos são considerados os direitos fundamentais de primeira dimensão.
III. Os direitos fundamentais de segunda dimensão se opunham ao direito estatal, por se tratar da época
de um Estado Absolutista.
IV. Os direitos fundamentais de primeira geração são resultantes, principalmente, da Declaração
Francesa dos Direitos do Homem e do Cidadão e da Constituição dos Estados Unidos da América de
1787."

Acredito que a I esteja incorreta, já que os direitos de Liberdade são de 1ª dimensão e os de Igualdade de 2ª
dimensão.
Considerei como corretas II e IV, na ausência desta alternativa, marquei uma das que estava repetida
para não deixar em branco.
Gostaria que verificasse se está correto meu raciocínio e se for o caso providenciar anulação da questão.

Na questão 9, da atividade 4 (anexa), pede-se para apontar o direito que não está no artigo 5º, CF. O
sistema aponta como correta alternativa de "inviolabilidade do direito à vida", mas o direito à vida está no
caput do artigo 5º. Eu marquei a alternativa " dignidade da pessoa humana", pois expressamente, este
direito está entre os fundamentos, no artigo 1º, III. Seguem as alternativas:
dignidade da pessoa humana (art. 1º)
a liberdade (art . 5º, caput)
a propriedade privada (art . 5º, caput)
acesso ao trabalho (art . 5º, XIII)
Inviolabilidade do direito a vida (art . 5º, caput)

Gostaria que verificasse a anulação desta questão.

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL
Vídeo da unidade 1 é igual ao da unidade 2.
Avaliação 1 com conteúdos não abrangidos no material. Tampouco relacionados ao Direito.
Material da Unidade 3, na parte sobre Declaração dos Direitos... datas erradas do Bill of Rights e da
Independência Americana.