Sie sind auf Seite 1von 400

EDUARDO MARTINS

3ª edição
© S.A. O Estado de S. Paulo
Todos os direitos reservados

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Martins Filho, Eduardo Lopes, 1939—


Manual de Redação e Estilo de O Estado de S. Paulo /
Eduardo Martins. 3ª edição, revista e ampliada —
São Paulo: O Estado de S. Paulo, 1997.

1. O Estado de S. Paulo (Jornal). 2. Jornalismo —


São Paulo (Estado) — Manuais de estilo I. Título.

96—4983 CDD—808.06607

Índices para catálogo sistemático


1. Jornalismo: Redação e estilo: Retórica 808.06607
2. Redação jornalística: Retórica 808.06607

Coordenação
Redação e Marketing de Circulação do Estado

Produção e fotolitos
Central de Artes do Grupo Estado

Editoração eletrônica
Carlos Alberto Kose

Revisão
Maria do Rosário Sousa
Vera Fedschenko Leite
Vera Lucia de Freitas

Capa
Flavio Bassani/Studio Maker
Apresentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

Prefácio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9

Capítulo 1º – Normas internas e de estilo . . . . . . . . . . . . . 13

Capítulo 2º – O uso da crase . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 315

Capítulo 3º – Os cem erros mais comuns . . . . . . . . . . . . . 321

Capítulo 4º – Guia de pronúncia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 329

Capítulo 5º – Escreva certo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 333

Pesos e medidas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 397

Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 399
Diretor-responsável Diretor Diretor de Redação
Ruy Mesquita Júlio César Mesquita Aluízio Maranhão

Edição da S.A. O ESTADO DE S. PAULO • Av. Eng. Caetano Álvares, 55 CEP 02598-900 São Paulo SP
• Caixa Postal 8.005 CEP 01065-970 SP • Tel.: 856-2122 (PABX) • End. Telegráfico: ESTADO. • Telex:
011-23511 FAX Nºs 265-6203 265-2297 266-2206 266-1289 • NetEstado: http://www.estado.com.br.

Missão
Editar um veículo de comunicação e informação defensor da demo-
cracia, da livre iniciativa, idôneo, moderno e comprometido com o seu
permanente aprimoramento.
Ser inovador, oferecendo produtos e serviços de qualidade a seus lei-
tores e anunciantes, promovendo o desenvolvimento dos seus recursos
humanos e garantindo rentabilidade aos seus acionistas. Buscar constan-
temente o jornalismo diferenciado e investigativo, difusor de idéias plu-
ralistas e que analise e interprete fatos isentamente e esteja sempre vol-
tado para os interesses do cidadão.
5

O Manual de Redação e Estilo de O Estado de S. Paulo


virou notícia faz muito tempo, desde 1990, quando foi lan-
çada sua primeira edição. Afinal, em um país que ostenta
carências profundas no acesso das pessoas à cultura e in-
formação e a tiragem média dos livros não se distancia da
faixa dos 3 mil exemplares, um Manual com estas caracte-
rísticas já ultrapassa a barreira das 500 mil unidades dis-
tribuídas. Trata-se sem dúvida de uma boa notícia, por ser-
vir de termômetro do interesse em escrever melhor, num
português objetivo e correto, mas sem pedantismos.
De autoria do jornalista Eduardo Martins, 57 anos, 37
deles dedicados ao ofício de moldar textos na Redação do
Estado, o Manual chega agora à terceira edição. Cada um
dos seus verbetes traz a experiência de quem chefiou incon-
táveis editorias no jornal, foi seu secretário de Redação e já
por oito anos auxilia a Direção da Redação no controle de
qualidade dos textos publicados.
Não é uma tarefa fácil. O mato-grossense Eduardo Mar-
tins lê o jornal diariamente com olhos de lupa, capazes de
esquadrinhar de erros ortográficos a construções gramati-
cais mal desenhadas, passando por desobediências das nor-
mas adotadas pelo Estado para grafar datas, números, hora,
nomes de personalidades estrangeiras, e assim por diante.
Toda essa auditoria a serviço da Língua Portuguesa — e do
leitor — se materializa em anotações à margem das pági-
nas do jornal, encaminhadas a cada um dos editores para
as providências necessárias. Esse trabalho permite a Eduar-
do dar tiros certeiros contra o desconhecimento da língua.
Além de registrar os escorregões de repórteres e redatores,
ele cotidianamente faz transmitir para cada um dos termi-
6

nais de computador de todos os jornalistas do Estado re-


gras e instruções extraídas do próprio Manual, ou impostas
por situações novas, para que os erros deixem de ser come-
tidos.
A missão de Eduardo Martins tem de ser cumprida em
tempos difíceis, diante do grande estrago causado em ati-
vidades que dependem da Língua Portuguesa pelo longo pe-
ríodo de trevas em que o ensino no País foi tragado pela fa-
lência da máquina pública. Hoje, fala-se e escreve-se pior
que em gerações passadas. E as redações brasileiras não são
nenhum oásis nesse deserto. Mas, se padecem da mesma
síndrome que ataca nos exames para o vestibular e nos tex-
tos de telenovelas, as redações podem e devem se conver-
ter em sólidas trincheiras de defesa do conhecimento da
língua. O Manual é uma afiada arma nessa guerra.
Há 20 anos ou mais, as regras internas de redação eram
exclusividade dos jornais. Não se pensava em editá-las para
o público. Aquilo era coisa para dicionaristas e/ou gramá-
ticos, pessoas tidas como grandes eruditos e detentores de
um saber que beirava o inacessível. A profissionalização
crescente da atividade jornalística, porém, permitiu que se
percebesse que aqueles manuais poderiam ser editados em
livro para um mercado carente de publicações voltadas
para a aplicação prática da língua.
Os jornais, tanto quanto outras mídias, vivem momen-
to importante em sua história, acossados por novos siste-
mas de difusão de informações, surgidos na esteira de uma
revolução tecnológica que em uma década e meia mostrou
que pode haver inúmeras formas de transmitir uma notí-
cia de maneira tão eficiente, atrativa e rentável quanto a
impressa em uma folha de papel.
Como competir no mercado de informações contra sis-
temas que distribuem notícias para computadores em ve-
locidade superior àquela alcançada pelo rádio e TV? A per-
gunta martela a cabeça de editores de jornais no mundo in-
teiro. Um jornal como o Estado passou por desafios que o
fizeram, em 122 anos de existência, um veículo de lingua-
7

gem moderna, de paginação arejada, com novas seções e


cadernos. Mas os desafios não se esgotam. Eles se sucedem
e não permitem que nenhuma publicação possa se consi-
derar uma obra acabada. Tudo, como a linguagem, está em
constante evolução.
Cada vez se tem menos tempo para a leitura, impera-
tivo que fundamenta várias reformas em jornais baseadas
no farto uso de ilustrações e no encurtamento do texto. É
visível, nas duas últimas décadas, a tendência ao emprego
parcimonioso de longos parágrafos, de frases intermináveis,
verdadeiro teste de fôlego para quem se dispõe a praticar
leitura em voz alta. O jornalismo está ficando mais objeti-
vo, os textos, mais diretos e, por isso mesmo, se torna fun-
damental o bom manejo da língua.
O Manual de Redação e Estilo sedimenta, ainda, uma
histórica e gratificante convivência do Estado com o ensi-
no e o conhecimento. A mesma preocupação que ligou o
jornal à fundação da Universidade de São Paulo e a mesma
convicção que o tornou pioneiro na criação do caderno Cul-
tura, na década de 50, fazem-no lançar mais esta edição do
Manual, adotado também em outros jornais e até como
livro de auxílio para o ensino do Português nas escolas.
Além de aperfeiçoar a qualidade de cada jornalista do
Estado, o Manual democratiza um acervo de conhecimen-
tos até bem pouco tempo atrás confinado nas redações. Os
ventos que empurram o jornalismo para novas fórmulas de
edição também varrem regras estabelecidas em outras ati-
vidades. Por isso, o Manual é feito a partir da preocupação
com o que é moderno e eficiente na comunicação. Este é
um motivo suficiente para garantirmos que novas edições
virão.

Aluízio Maranhão
Diretor de Redação
9

Esta terceira edição do Manual de Redação e Estilo apresenta


consideráveis alterações em relação à original, de 1990. Assim, cen-
tenas de verbetes foram acrescentados ao texto, para corrigir omis-
sões ou incluir assuntos que passaram a ocupar o noticiário nos úl-
timos anos.
Simultaneamente o livro foi acrescido de três capítulos. O pri-
meiro deles destina-se a resolver uma das dificuldades mais an-
gustiantes de quem gosta de escrever: o uso da crase. Mas ele não
apenas trata em profundidade da questão, como relaciona cente-
nas de locuções em que o a acentuado está ou não presente.
O segundo é uma relação daqueles que se consideraram os cem
erros mais comuns do idioma, com uma explicação sucinta sobre
a maneira de evitar cada um deles e outros semelhantes. Apesar
de, na maioria, eles figurarem no corpo do Manual, com a sua pu-
blicação em um único bloco visou-se a fornecer ao leitor um rotei-
ro sobre sua presença cada dia mais constante no idioma.
O terceiro esclarece a pronúncia de algumas centenas de pala-
vras sobre as quais costuma haver dúvidas, indicando onde recai
o acento e se o som é aberto ou fechado.
De qualquer forma, o objetivo deste trabalho continua o
mesmo: expor, de modo ordenado e sistemático, as normas edito-
riais e de estilo adotadas pelo Estado. O Manual não pretende, com
isso, tolher a criatividade de editores, repórteres e redatores, nem
impor camisas-de-força aos jornalistas da empresa. Seu objetivo é
claro: definir princípios que tornem uniforme a edição do jornal.
Ele tem cunho eminentemente jornalístico. Por isso, mesmo os
grandes capítulos da gramática foram reproduzidos com essa preo-
cupação. É exemplo o uso do artigo, examinado em profundidade
por se tratar de uma das questões mais diretamente relacionadas
com a atividade do profissional da imprensa. O mesmo intuito
10

orientou a exposição das normas ortográficas, do emprego do hífen,


dos tempos e modos verbais, das instruções de estilo, do que se
deve ou não usar. A extensão de alguns verbetes corresponde à im-
portância que o assunto tem para a produção de um bom texto.
Embora destinado a jornalistas, o livro pode também consti-
tuir eficiente auxiliar de todos aqueles que precisem escrever com
regularidade, estejam se preparando para exames de redação ou
queiram conhecer as principais particularidades da língua portu-
guesa. Os erros mais comuns do idioma mereceram atenção espe-
cial e não apenas se alerta o leitor para eles, como se mostra a me-
lhor maneira de evitá-los, sempre que possível por meio de regras
práticas.
O volume está dividido em cinco partes. A primeira reúne, em
ordem alfabética, verbetes que tornam claro o que se entende por
um bom texto jornalístico e instruções práticas e teóricas para es-
crever bem, com correção e elegância. Sem se pretender um trata-
do de jornalismo, revela igualmente os princípios básicos para a
edição do jornal. Ela relaciona ainda as normas internas do Esta-
do, entre elas a maneira de usar negrito ou itálico, maiúsculas e
minúsculas, números, formas de tratamento, abreviaturas, siglas,
etc., e trata dos grandes capítulos da gramática, como a concor-
dância, regência, formação do plural, normas de acentuação, con-
jugação verbal e uso do artigo. Finalmente, dá noções de ortogra-
fia (incluindo-se o uso do hífen) e estilo (palavras a evitar, boas e
más construções da língua, etc.). Este é o capítulo básico do livro,
servindo até mesmo de índice remissivo para todo o trabalho, pois
contém chamadas para centenas de outros verbetes e para as de-
mais seções do Manual.
A segunda, terceira e quarta partes constituem os novos capí-
tulos do volume, já mencionados. A última, Escreva Certo, é um
vocabulário, destinado a esclarecer dúvidas a respeito da grafia das
palavras. Inclui milhares de nomes comuns, próprios (à exceção
dos nomes de pessoas) e geográficos, vocábulos estrangeiros ou já
aportuguesados e marcas e nomes de produtos cada vez mais uti-
lizados no noticiário. Nesta edição, a lista foi ampliada em cerca
de 2 mil palavras, quase todas termos que surgiram na imprensa
nos últimos anos.
11

Na grande maioria, os exemplos constantes do Manual foram


extraídos de jornais e revistas, o que lhes dá um caráter de perma-
nente atualidade. Eles são abundantes e têm por objetivo manter
o profissional o mais próximo possível das construções com que se
defronta no dia-a-dia.
As repetições que aparecem ao longo do livro são propositadas.
Por isso, casos especiais de concordância podem constar do capí-
tulo geral dedicado ao assunto e de verbetes isolados. O que se pre-
tendeu foi fazer que o consulente nunca deixasse de encontrar as
formas procuradas, em um ou outro local. E também, pela insis-
tência, contribuir para que elas se fixassem melhor na memória.
Os verbos mais comuns da língua portuguesa cuja regência
possa oferecer dificuldades figuram no manual e se observou o cri-
tério do uso geral ou o dos exemplos dos bons autores. Com base
na tradição da língua ou nos dicionários do gênero, em muitos
casos o Estado optou por uma forma, entre duas ou mais possíveis:
à menor dúvida sobre o assunto, nunca deixe de consultar o ver-
bete respectivo, no primeiro capítulo do Manual.
Como todo jornal, o Estado adota algumas formas próprias de
redação, ortografia ou estilo. Sempre que isso ocorre, no entanto,
faz-se a devida ressalva. Um exemplo: os dicionários grafam, em
geral, oceano Atlântico, baía de Guanabara, golfo Pérsico, etc. No
jornal, a palavra que indica o acidente tem inicial maiúscula: Ocea-
no Atlântico, Baía de Guanabara, Golfo Pérsico, etc.
Faz parte ainda deste volume uma relação de palavras vetadas.
São termos que a Redação, a seu exclusivo critério, julga antijor-
nalísticos, grosseiros, ultrabatidos ou, ao contrário, rebuscados de-
mais para uso normal no noticiário. À exceção dos vocábulos vul-
gares (avacalhar ou esculhambar, por exemplo) ou chulos, os de-
mais poderão ser admitidos em artigos ou crônicas de colaborado-
res externos, mas não em trabalhos idênticos dos profissionais da
empresa. Alguns exemplos de palavras e expressões consideradas
antijornalísticas ou sofisticadas: primeiro mandatário da Nação,
burgomestre, transfusionado, soldado do fogo, agilização, necrópo-
le, nosocômio, tantalização, programático, emergencial, alavanca-
gem, a nível de, etc.
Na consulta ao Manual, deverão ser obedecidas, entre outras,
regras práticas como: a) As locuções, na quase totalidade dos casos,
12

têm como base a sua palavra-chave. Assim, procure à medida que


em medida, e não na letra a. Igualmente, de encontro a pode ser lo-
calizada em encontro e a nível de, em nível. b) O verbete entre
aspas indica que se trata de forma errada ou não usada pelo jornal
(exemplo: “congressual”). c) A referência prefira implica a existên-
cia de uma ou mais opções. Fica evidente que o Estado se definiu
por uma delas, apenas.
Para que o consulente não deixe de encontrar o que busca, esta
edição do Manual criou centenas de remissões. Em raças e cães, por
exemplo, indica-se que a explicação está em animais. Tentou-se
também prever a que verbete o leitor iria recorrer para esclarecer
determinada questão. Assim, em mim, abrem-se duas chamadas,
para as expressões entre mim e ti e para eu fazer. Nas formas pare-
cidas (como seção, secção, sessão e cessão), uma delas registra a di-
ferença entre as palavras e nas outras se aponta em que verbete fi-
gura a explicação.
Na preparação do Manual, foi muito importante a colaboração
do filólogo Celso Cunha e da professora Flávia de Barros Carone,
já falecidos. Os dois estudiosos do idioma deram opiniões valio-
sas a respeito de questões extremamente controvertidas do idio-
ma e assuntos nos quais, pela própria dinâmica da língua, as gra-
máticas e dicionários ainda são omissos. Em sua memória, o nosso
reconhecimento.
E.M.
13

Normas internas
e de estilo
Este capítulo do Manual de Redação e Estilo do Estado expõe
as instruções gerais e específicas indispensáveis à preparação
de um bom texto noticioso e agrupa, da maneira mais prática
possível, as normas internas, gramaticais, ortográficas e de es-
tilo necessárias a esse trabalho.
Por normas internas entenda-se o conjunto de princípios
destinado à uniformização do texto do jornal, desde o modo de
grafar o próprio nome do Estado até a forma de usar o negrito
e o itálico, as maiúsculas e minúsculas, os nomes próprios, as
aspas, os sinais de pontuação, etc.
Dada a sua óbvia importância para o texto de um jornal como
o Estado, as questões gramaticais receberam atenção especial,
entre elas as regras de concordância, as normas de acentuação,
o emprego dos pronomes, o uso do artigo, a conjugação verbal,
o infinitivo, a formação do plural, a utilização do hífen, etc. De-
zenas de verbos também figuram neste capítulo, com a sua con-
jugação e regência. A crase, pela dificuldade que representa para
grande número de pessoas, mereceu um capítulo especial deste
livro, o 2º. Nele o leitor encontrará também algumas centenas
de locuções com ou sem o a acentuado.
Da mesma forma, palavras que poderiam oferecer proble-
mas quanto à grafia mereceram transcrição, apesar de o capí-
tulo Escreva Certo incluir grande parte das que o Estado jul-
gou suscetíveis de dúvida.
Esta parte do manual trata ainda, com riqueza de detalhes,
de todas as questões de estilo consideradas essenciais para a
produção de um texto elegante e correto. Ao mesmo tempo
14

alerta para formas pobres ou viciosas de redação, para redun-


dâncias comprometedoras, para modismos absolutamente des-
cartáveis.
Na parte jornalística propriamente dita, detalhes dispensá-
veis sobre leads, títulos, reportagem, etc., foram poupados ao
leitor, mas se procurou, em todo o tempo, deixar clara a filoso-
fia editorial do Estado a respeito dessas e de outras questões
básicas do jornalismo. E, o que é fundamental, com o máximo
possível de exemplos reais, para que o profissional saiba o que
deve ou não fazer.
Edição — Há uma série de itens deste capítulo que forne-
cem ao leitor razoável noção de conjunto sobre os conceitos
inerentes à edição de um jornal. Por isso, embora cada um deles
possa sempre ser consultado individualmente, recomenda-se a
sua leitura em bloco, para que eles funcionem como um efi-
ciente roteiro do texto noticioso.
Esses verbetes, que consubstanciam os princípios e concei-
tos jornalísticos, éticos e profissionais do Estado, são: acusa-
ções, adjetivação, antinotícia, comparações, cronologia, de-
clarações textuais, denúncias, duplo sentido, encampação,
entrevista, erros, ética interna, eufemismo, exageros, explica-
ção, fechamento, fluxo regular, gíria e linguagem coloquial,
ilustrações, impessoalidade, impropriedades, indefinidos, in-
tertítulos, jogos de palavras, leads, legendas, localização,
lugar-comum, memória, modismo, mortes (como tratar),
“muletas”, nariz-de-cera, notícia antecipada, notícias em se-
qüência, óbvio, opiniões, ouvir os dois lados, palavras dispen-
sáveis, palavras e locuções vetadas, palavras estrangeiras, pa-
lavras inexistentes, pauta, pesquisa, pessoas no noticiário,
pleonasmo, policial (noticiário), precisão, rebuscamento, re-
gionalismos, remissão, repercussão, repetições, reportagem,
ritmo da frase, segundo clichê, sentido incompleto, sentimen-
tos, simplicidade, suíte, tamanho do texto, texto-legenda, tí-
tulos e valores absolutos.
É indispensável que este capítulo seja lido atentamente, para
que você saiba que tipo de informação esperar e obter dele: ele
lhe será muito útil no dia-a-dia.
15

Instruções gerais
1 — Seja claro, preciso, direto, ob- 6 — Não comece períodos ou pa-
jetivo e conciso. Use frases curtas e rágrafos seguidos com a mesma pala-
evite intercalações excessivas ou or- vra, nem use repetidamente a mesma
dens inversas desnecessárias. Não é estrutura de frase.
justo exigir que o leitor faça compli- 7 — O estilo jornalístico é um
cados exercícios mentais para com- meio-termo entre a linguagem literá-
preender o texto. ria e a falada. Por isso, evite tanto a
2 — Construa períodos com no retórica e o hermetismo como a gíria,
máximo duas ou três linhas de 70 to- o jargão e o coloquialismo.
ques. Os parágrafos, para facilitar a 8 — Tenha sempre presente: o es-
leitura, deverão ter cinco linhas paço hoje é precioso; o tempo do lei-
cheias, em média, e no máximo oito. tor, também. Despreze as longas des-
A cada 20 linhas, convém abrir um crições e relate o fato no menor nú-
intertítulo. mero possível de palavras. E proceda
3 — A simplicidade é condição da mesma forma com elas: por que
essencial do texto jornalístico. Lem- opor veto a em vez de vetar, apenas?
bre-se de que você escreve para todos 9 — Em qualquer ocasião, prefira
os tipos de leitor e todos, sem exce- a palavra mais simples: votar é sem-
ção, têm o direito de entender qual- pre melhor que sufragar; pretender é
quer texto, seja ele político, econômi- sempre melhor que objetivar, inten-
co, internacional ou urbanístico. tar ou tencionar; voltar é sempre me-
4 — Adote como norma a ordem lhor que regressar ou retornar; tribu-
direta, por ser aquela que conduz nal é sempre melhor que corte; pas-
mais facilmente o leitor à essência da sageiro é sempre melhor que usuário;
notícia. Dispense os detalhes irrele- eleição é sempre melhor que pleito;
vantes e vá diretamente ao que inte- entrar é sempre melhor que ingres-
ressa, sem rodeios. sar.
5 — A simplicidade do texto não 10 — Só recorra aos termos téc-
implica necessariamente repetição nicos absolutamente indispensáveis
de formas e frases desgastadas, uso e nesse caso coloque o seu significa-
exagerado de voz passiva (será inicia- do entre parênteses. Você já pensou
do, será realizado), pobreza vocabu- que até há pouco se escrevia sobre
lar, etc. Com palavras conhecidas de juros sem chamar índices, taxas e ní-
todos, é possível escrever de maneira veis de patamares? Que preços eram
original e criativa e produzir frases cobrados e não praticados? Que pa-
elegantes, variadas, fluentes e bem râmetros equivaliam a pontos de re-
alinhavadas. Nunca é demais insistir: ferência? Que monitorar correspon-
fuja, isto sim, dos rebuscamentos, dos dia a acompanhar ou orientar? Adote
pedantismos vocabulares, dos ter- como norma: os leitores do jornal, na
mos técnicos evitáveis e da erudição. maioria, são pessoas comuns, quan-
16

do muito com formação específica do Executivo, precioso líquido, aero-


em uma área somente. E desfaça nave, campo-santo, necrópole, casa
mitos. Se o noticiário da Bolsa exige de leis, petardo, fisicultor, Câmara
um ou outro termo técnico, uma re- Alta, etc.
portagem sobre abastecimento, por 14 — Proceda da mesma forma
exemplo, os dispensa. com as palavras e formas empoladas
11 — Nunca se esqueça de que o ou rebuscadas, que tentam transmi-
jornalista funciona como interme- tir ao leitor mera idéia de erudição. O
diário entre o fato ou fonte de infor- noticiário não tem lugar para termos
mação e o leitor. Você não deve limi- como tecnologizado, agudização,
tar-se a transpor para o papel as decla- consubstanciação, execucional, ope-
rações do entrevistado, por exemplo; racionalização, mentalização, trans-
faça-o de modo que qualquer leitor fusional, paragonado, rentabilizar,
possa apreender o significado das de- paradigmático, programático, em-
clarações. Se a fonte fala em deman- blematizar, congressual, instrucio-
da, você pode usar procura, sem ne- nal, embasamento, ressociabiliza-
nhum prejuízo. Da mesma forma tra- ção, dialogal, transacionar, parabe-
duza patamar por nível, posiciona- nizar e outros do gênero.
mento por posição, agilizar por dina-
mizar, conscientização por conven- 15 — Não perca de vista o univer-
cimento, se for o caso, e assim por so vocabular do leitor. Adote esta
diante. Abandone a cômoda prática regra prática: nunca escreva o que
de apenas transcrever: você vai ver você não diria. Assim, alguém rejei-
que o seu texto passará a ter o míni- ta (e não declina de) um convite, pro-
mo indispensável de aspas e qualquer tela ou adia (e não procrastina) uma
entrevista, por mais complicada, decisão, aproveita (e não usufrui)
sempre tenderá a despertar maior in- uma situação. Da mesma forma, pre-
teresse no leitor. fira demora ou adiamento a delonga;
antipatia a idiossincrasia; discórdia
12 — Procure banir do texto os
ou intriga a cizânia; crítica violenta
modismos e os lugares-comuns. Você
a diatribe; obscurecer a obnubilar,
sempre pode encontrar uma forma
etc.
elegante e criativa de dizer a mesma
coisa sem incorrer nas fórmulas des- 16 — O rádio e a televisão podem
gastadas pelo uso excessivo. Veja al- ter necessidade de palavras de som
gumas: a nível de, deixar a desejar, forte ou vibrante; o jornal, não.
chegar a um denominador comum, Assim, goleiro é goleiro e não golei-
transparência, instigante, pano de rão. Da mesma forma, rejeite inven-
fundo, estourar como uma bomba, ções como zagueirão, becão, jogão,
encerrar com chave de ouro, segredo pelotaço, galera (como torcida) e si-
guardado a sete chaves, dar o último milares.
adeus. Acrescente as que puder a esta 17 — Dificilmente os textos no-
lista. ticiosos justificam a inclusão de pa-
13 — Dispense igualmente os lavras ou expressões de valor absolu-
preciosismos ou expressões que pre- to ou muito enfático, como certos ad-
tendem substituir termos comuns, jetivos (magnífico, maravilhoso, sen-
como: causídico, Edilidade, soldado sacional, espetacular, admirável, es-
do fogo, elenco de medidas, data na- plêndido, genial), os superlativos (en-
talícia, primeiro mandatário, chefe graçadíssimo, deliciosíssimo, com-
17

petentíssimo, celebérrimo) e verbos definidas com base em dados forneci-


fortes como infernizar, enfurecer, dos por fontes de informação não ne-
maravilhar, assombrar, deslumbrar, cessariamente expressas no texto.
etc. 22 — Não use formas pessoais
18 — Termos coloquiais ou de nos textos, como: Disse-nos o depu-
gíria deverão ser usados com extrema tado... / Em conversa com a reporta-
parcimônia e apenas em casos muito gem do Estado... / Perguntamos ao
especiais (nos diálogos, por exemplo), prefeito... / Chegou à nossa capital.../
para não darem ao leitor a idéia de Temos hoje no Brasil uma situação
vulgaridade e principalmente para peculiar. / Não podemos silenciar
que não se tornem novos lugares-co- diante de tal fato. Algumas dessas
muns. Como, por exemplo: a mil, ba- construções cabem em comentários,
rato, galera, detonar, deitar e rolar, crônicas e editoriais, mas jamais no
flagrar, com a corda (ou a bola) toda, noticiário.
legal, grana, bacana, etc. 23 — Como norma, coloque sem-
19 — Seja rigoroso na escolha das pre em primeiro lugar a designação do
palavras do texto. Desconfie dos sinô- cargo ocupado pelas pessoas e não o
nimos perfeitos ou de termos que sir- seu nome: O presidente da Repúbli-
vam para todas as ocasiões. Em geral, ca, Fernando Henrique Cardoso... /
há uma palavra para definir uma si- O primeiro-ministro John Major... /
tuação. O ministro do Exército, Zenildo de
20 — Faça textos imparciais e ob- Lucena... É em função do cargo ou ati-
jetivos. Não exponha opiniões, mas vidade que, em geral, elas se tornam
fatos, para que o leitor tire deles as notícia. A única exceção é para car-
próprias conclusões. Em nenhuma gos com nomes muito longos. Exem-
hipótese se admitem textos como: plo: O engenheiro João da Silva, pre-
Demonstrando mais uma vez seu ca- sidente do Sindicato das Empresas
ráter volúvel, o deputado Antônio de de Compra, Venda, Locação e Admi-
Almeida mudou novamente de par- nistração de Imóveis Residenciais e
tido. Seja direto: O deputado Antô- Comerciais de São Paulo (Secovi),
nio de Almeida deixou ontem o PMT garantiu ontem que...
e entrou para o PXN. É a terceira vez 24 — Você pode ter familiaridade
em um ano que muda de partido. O com determinados termos ou situa-
caráter volúvel do deputado ficará ções, mas o leitor, não. Por isso, seja
claro pela simples menção do que explícito nas notícias e não deixe
ocorreu. nada subentendido. Escreva, então: O
21 — Lembre-se de que o jornal delegado titular do 47º Distrito Poli-
expõe diariamente suas opiniões nos cial informou ontem..., e não apenas:
editoriais, dispensando comentários O delegado titular do 47º informou
no material noticioso. As únicas ex- ontem.
ceções possíveis: textos especiais as- 25 — Nas matérias informativas,
sinados, em que se permitirá ao autor o primeiro parágrafo deve fornecer a
manifestar seus pontos de vista, e ma- maior parte das respostas às seis per-
térias interpretativas, em que o jorna- guntas básicas: o que, quem, quando,
lista deverá registrar versões diferen- onde, como e por quê. As que não pu-
tes de um mesmo fato ou conduzir a derem ser esclarecidas nesse parágra-
notícia segundo linhas de raciocínio fo deverão figurar, no máximo, no se-
18

gundo, para que, dessa rápida leitura, reescreva o texto: é o mais recomen-
já se possa ter uma idéia sumária do dável. Quando não, vá cortando as
que aconteceu. frases dispensáveis.
26 — Não inicie matéria com de- 31 — Proceda como se o seu texto
claração entre aspas e só o faça se esta seja o definitivo e vá sair tal qual você
tiver importância muito grande (o o entregar. O processo industrial do
que é a exceção e não a norma). jornal nem sempre permite que os co-
27 — Procure dispor as informa- pies, subeditores ou mesmo editores
ções em ordem decrescente de impor- possam fazer uma revisão completa
tância (princípio da pirâmide inverti- do original. Assim, depois de pronto,
da), para que, no caso de qualquer ne- reveja e confira todo o texto, com cui-
cessidade de corte no texto, os últi- dado. Afinal, é o seu nome que assi-
mos parágrafos possam ser suprimi- na a matéria.
dos, de preferência. 32 — O recurso à primeira pessoa
28 — Encadeie o lead de maneira só se justifica, em geral, nas crônicas.
suave e harmoniosa com os parágra- Existem casos excepcionais, nos
fos seguintes e faça o mesmo com quais repórteres, especialmente, po-
estes entre si. Nada pior do que um derão descrever os fatos dessa forma,
texto em que os parágrafos se suce- como participantes, testemunhas ou
dem uns aos outros como comparti- mesmo personagens de coberturas
mentos estanques, sem nenhuma importantes. Fique a ressalva: são
fluência: ele não apenas se torna difí- sempre casos excepcionais.
cil de acompanhar, como faz a aten- 33 — Nas notícias em seqüência
ção do leitor se dispersar no meio da (suítes), nunca deixe de se referir,
notícia. mesmo sumariamente, aos antece-
29 — Por encadeamento de pará- dentes do caso. Nem todo leitor pode
grafos não se entenda o cômodo uso ter tomado conhecimento do fato que
de vícios lingüísticos, como por outro deu origem à suíte.
lado, enquanto isso, ao mesmo 34 — A correção do noticiário res-
tempo, não obstante e outros do gê- ponde, ao longo do tempo, pela credi-
nero. Busque formas menos batidas bilidade do jornal. Dessa forma, não
ou simplesmente as dispense: se a se- dê notícias apressadas ou não confir-
qüência do texto estiver correta, esses madas nem inclua nelas informações
recursos se tornarão absolutamente sobre as quais você tenha dúvidas.
desnecessários. Mesmo que o texto já esteja em pro-
30 — A falta de tempo do leitor cesso de composição, sempre haverá
exige que o jornal publique textos condições de retificar algum dado im-
cada dia mais curtos (20, 40 ou 60 li- preciso, antes de o jornal chegar ao
nhas de 70 toques, em média). Por leitor.
isso, compete ao redator e ao repórter 35 — A correção tem uma varian-
selecionar com o máximo critério as te, a precisão: confira habitualmente
informações disponíveis, para incluir os nomes das pessoas, seus cargos, os
as essenciais e abrir mão das supér- números incluídos numa notícia,
fluas. Nem toda notícia está jornalis- somas, datas, horários, enumerações.
ticamente tão bem encadeada que Com isso você estará garantindo
possa ser cortada pelo pé sem maio- outra condição essencial do jornal, a
res prejuízos. Quando houver tempo, confiabilidade.
19

36 — Nas versões conflitantes, se faz trejeitos, etc. Trata-se de deta-


divergentes ou não confirmadas, lhes que quebram a monotonia de co-
mencione quais as fontes responsá- berturas muito áridas, como as ofi-
veis pelas informações ou pelo menos ciais, especialmente.
os setores dos quais elas partem (no 42 — Registre no texto as atitu-
caso de os informantes não poderem des ou reações das pessoas, desde que
ter os nomes revelados). Toda caute- significativas: mostre se elas estão
la é pouca e o máximo cuidado nesse nervosas, agitadas, fumando um ci-
sentido evitará que o jornal tenha de garro atrás do outro ou calmas em ex-
fazer desmentidos desagradáveis. cesso, não se deixando abalar por
37 — Quando um mesmo assun- nada. Em matéria de ambiente, essas
to aparecer em mais de uma editoria indicações permitem que o leitor
no mesmo dia, deverá haver remis- saiba como os personagens se com-
são, em itálico, de uma para outra: portavam no momento da entrevista
Mais informações sobre o assunto na ou do acontecimento.
página... / A repercussão do seqües-
tro no Brasil está na página... / Na pá- 43 — Trate de forma impessoal o
gina... o prefeito fala de sua candida- personagem da notícia, por mais po-
tura à Presidência. / Veja na página... pular que ele seja: a apresentadora
as reações econômicas ao discurso Xuxa ou Xuxa, apenas (e nunca a
do presidente. Xuxa), Pelé (e não o Pelé), Piquet (e
não o Piquet), Ruth Cardoso (e não a
38 — Se você tem vários originais
Ruth Cardoso), etc.
para reescrever, adote a técnica de
marcar as informações mais impor- 44 — Sempre que possível, men-
tantes de cada um deles. Você ganha- cione no texto a fonte da informação.
rá tempo e evitará que algum dado re- Ela poderá ser omitida se gozar de ab-
levante fique fora do noticiário. soluta confiança do repórter e, por al-
39 — Nunca deixe de ler até o fim guma razão, convier que não apareça
um original que vá ser refeito. Mesmo no noticiário. Recomenda-se, no en-
que você tenha apenas 15 linhas dis- tanto, que o leitor tenha alguma idéia
poníveis para a nota, a linha 50 do da procedência da informação, com
texto primitivo poderá conter infor- indicações como: Fontes do Palácio
mações indispensáveis, de referência do Planalto... / Fontes do Congres-
obrigatória. so... / Pelo menos dois ministros ga-
rantiram ontem que..., etc.
40 — Preocupe-se em incluir no
texto detalhes adicionais que ajudem 45 — Na primeira citação, colo-
o leitor a compreender melhor o fato que entre parênteses o nome do par-
e a situá-lo: local, ambiente, antece- tido e a sigla do Estado dos senadores
dentes, situações semelhantes, previ- e deputados federais: o senador João
sões que se confirmem, advertências dos Santos (PSDB-RS), o deputado
anteriores, etc. Francisco de Almeida (PFL-RJ). No
41 — Informações paralelas a um caso dos deputados estaduais de São
fato contribuem para enriquecer a sua Paulo e dos vereadores paulistanos,
descrição. Se o presidente dorme du- mencione entre parênteses apenas a
rante uma conferência, isso é notícia; sigla do partido.
idem se ele tira o sapato, se fica con- 46 — O Estado não admite gene-
versando enquanto alguém discursa, ralizações que possam atingir toda
20

uma classe ou categoria, raças, cre- gases que constituem o planeta. Foi
dos, profissões, instituições, etc. a primeira vez que um equipamento
47 — Um assunto muito sugesti- terrestre chegou a um dos grandes
vo ou importante resiste até a um planetas distantes do sistema solar.
mau texto. Não há, porém, assunto A cápsula enviou informações sobre
mediano ou meramente curioso que a temperatura e a composição quí-
mica de Júpiter.
atraia a atenção do leitor, se a notícia
se limitar a transcrever burocratica-
mente e sem maior interesse os dados O governo pretende retirar do
do texto. Congresso o projeto de reforma da
48 — Em caso de dúvida, não he- Previdência e reapresentá-lo em
site em consultar dicionários, enci- duas partes. Uma vai incluir os pon-
tos em que existe consenso entre os
clopédias, almanaques e outros livros
parlamentares e a outra, só os temas
de referência. Ou recorrer aos espe-
polêmicos, como os que tratam dos
cialistas e aos colegas mais experien- servidores públicos, militares e pro-
tes. fessores. O presidente Fernando
49 — Veja alguns exemplos de Henrique Cardoso passou ao seu
textos noticiosos objetivos, simples e vice, Marco Maciel, a tarefa de ana-
diretos, constituídos de frases curtas lisar os efeitos políticos da decisão,
e incisivas (todos eles saíram no Es- depois que o ministro da Previdên-
tado como chamadas de primeira pá- cia foi afastado das negociações.
gina):
Irrequieto, Carlos Nunzio suge-
Os juros passaram a ser fator im- ria chamar-se César e levava no
portante para os consumidores dis- bolso uma sovela, instrumento pon-
postos a fazer compras neste fim de tiagudo usado pelos sapateiros. Logo
ano. Dos 261 paulistanos ouvidos despertou a suspeita da polícia e foi
pelo InformEstado, 82,8% disseram preso anteontem como o possível
que vão gastar menos no Natal em “maníaco do estilete”, que já atacou
relação ao ano passado. O alto custo sete mulheres na zona leste. Na de-
legacia, os policiais o filmaram e exi-
do financiamento das compras foi
biram o teipe às vítimas. Mas nenhu-
apontado por 34,5% dos entrevista-
ma o identificou e Carlos foi liberta-
dos como motivo básico para a deci-
do ontem à tarde.
são. O comércio e a indústria redu-
ziram as margens de lucro, o gover-
no atenuou as restrições ao crédito e A tradicional chuva de papel pi-
o mercado oferece produtos mais ba- cado que encerra o ano na Bolsa de
ratos que no último Natal, mas os Valores de São Paulo teve clima de
juros pesam. festa para os operadores, mas de me-
lancolia para os aplicadores. Os in-
vestimentos em ações acusaram
A sonda liberada pela nave Ga- perda real de 16,7% e a comemora-
lileu mergulhou ontem por cerca de ção foi dos que optaram pela renda
75 minutos na atmosfera de Júpiter, fixa. Os CDBs, em primeiro lugar,
até ser pulverizada pela pressão dos renderam 25,89% acima da inflação.
21

As cidades e as praias ganham dificultam a seqüência normal da lei-


nova vida com o verão, que começa tura:
oficialmente hoje às 6h18. A moda
impõe modelos arrojados às mulhe- O fazendeiro e piloto de aviões
res, com ombros e costas de fora. A Carlos de Almeida Valente, que
minissaia também faz parte do vi- mora na cidade de Prateados, no ex-
sual de São Paulo e outras capitais. tremo norte do País, apontado pela
No Rio, Santos, Guarujá, Ubatuba, Polícia Federal como um dos reis do
Bertioga e outros pontos preferidos contrabando e transportando em
dos veranistas, é tempo de biquíni, seus aviões bimotores e turbinados
saladas, sorvete e alegria. mais de 70% das mercadorias con-
trabandeadas dos Estados Unidos e
Paraguai para o Brasil, terá seus ne-
Frank Sinatra, cantor que emba- gócios financeiros investigados pela
lou três gerações, completa 80 anos Receita Federal, que fará completa
terça-feira. Apelidado simplesmente devassa nas suas empresas.
de A Voz, imitava Bing Crosby, mas
superou o ídolo. Ganhou 1 disco de A esperada divulgação, na noite
multiplatina, 1 de platina e 21 de de sexta-feira, do INPC de janeiro,
ouro. Fez filmes, venceu um Oscar. que, pela primeira vez em quase 20
Foi amigo de John Kennedy e do meses, voltou a ser utilizado como
gângster Lucky Luciano. Teve mu- parâmetro para a correção de um
lheres fantásticas. Viveu. My Way é agente econômico — no caso, os sa-
a música que o representa. lários — e apresentou uma variação
recorde de 35,48%, veio confirmar o
Sensível às mudanças de ventos, que já se temia: os níveis de recom-
ansiosa e arrogante ao mesmo posição dos salários, que pela fórmu-
tempo, a França funciona como um la aprovada pelo Congresso Nacio-
pisca-alerta. Suas crises indicam nal vão variar de apenas 1,51% a
sempre que as sociedades estão 7,48%, não são suficientes sequer
dando alguma virada. As greves mo- para fazer frente à inflação real de fe-
numentais que lançam às ruas do vereiro.
país 1 milhão de manifestantes
podem significar uma dolorosa en- De sua casa, no elegante bairro
trada de toda a Europa numa nova de Beverly Hills, o papa da psicolo-
etapa da modernidade. gia esportiva norte-americana, mais
de 40 livros publicados, traduzido
até para o russo ainda em plena
Hoje é o dia em que Cannes vai
época da guerra fria, o dr. Briant
parar. À espera de um olhar. Ou de
Cratty, orientador do grupo de psicó-
um sorriso. Não pelo filme, Milagro. logos da equipe olímpica de Tio Sam,
Mas pelo diretor, Robert Redford. levantou da poltrona e, numa liga-
Um outsider. Na tela, uma Pasiona- ção para o ginásio onde a seleção do
ria: Sônia Braga. país gastava as últimas energias em
jogo que não influiria na sua coloca-
Veja, ao contrário, três parágrafos ção, mandou chamar o especialista
de sete linhas cheias sem nenhum que cuidava do vôlei e foi direto ao
ponto e repletos de intercalações que assunto.
A 22 Abolir

Instruções específicas
ou definitivo: Vai a Paris (vai e volta
logo). / Vai para Paris (vai de mudan-
ça ou vai para ficar algum tempo). /
Levou os filhos à casa da mãe (levou
e trouxe de volta). / Levou os filhos
A. Ver há, a, página 137. para a casa da mãe (levou e deixou,
pelo menos por algum tempo). / Veio
A (para). 1 — Verbos como dar, enviar,
ao Brasil (veio e voltou para o seu
informar, escrever, consagrar, causar
país). / Veio para o Brasil (veio e ficou
e outros semelhantes ou equivalentes
pelo menos algum tempo).
exigem a preposição a, e não para. Re-
pare que todos obedecem a esta estru- A algum lugar e não em. Com verbos de
tura: dar (enviar, informar, dedicar, movimento, use a e não em: Fui ao
causar, devolver, vender, distribuir, teatro (e não no). / Cheguei à cidade
(e não na). / Chamaram-no ao telefo-
etc.) alguma coisa a alguém.
ne. / Levou os filhos ao circo. / Des-
2 — Eis alguns deles: aconselhar,
ceu ao segundo andar. / Voltou ao
atribuir, causar, ceder, comunicar,
Brasil. / Saiu à janela. Igualmente:
conceder, conferir, consagrar, dar, de-
chegada a, ida a, vinda a.
dicar, devolver, dirigir, dispensar, dis-
tribuir, doar, emprestar, encaminhar, Abade. Feminino: abadessa.
entregar, enviar, facultar, fornecer, in- “Abalo sísmico”. Prefira terremoto, tre-
formar, mandar, ministrar, ocasionar, mor de terra ou simplesmente abalo.
oferecer, ofertar, outorgar, pagar, par- Abdicar. 1 — Prefira a regência indireta:
ticipar, prestar, proporcionar, receitar, D. Pedro I abdicou da coroa do Bra-
recomendar, render, restituir, revelar sil. / Nunca abdicava dos seus prin-
e vender. cípios. 2 — A forma direta (abdicou o
3 — Exemplos: Deu (cedeu, devol- trono, abdicou os seus princípios),
veu, entregou, emprestou, enviou, menos usada, deve ser admitida so-
mandou, ofereceu, ofertou, restituiu) mente em artigos ou comentários as-
o livro ao amigo. / Causaram (ocasio- sinados. 3 — O verbo pode também
naram) danos ao aparelho. / Atribuí- ser intransitivo (dispensa comple-
mos (concedemos, conferimos, outor- mento): D. Pedro I abdicou. / Por já
gamos) o prêmio aos vencedores. / estar muito velho, o rei achou melhor
Dispensaram (dedicaram) atenção abdicar.
aos favelados. / Prestaram (rende- Abdome. Prefira esta forma a abdômen.
ram) homenagem aos pracinhas. / Abençoar. Conjuga-se como magoar
Comunicaram (informaram, partici- (ver, página 166).
param, revelaram) o fato aos familia- Abolir. Conjugação. Pres. ind.: Aboles,
res. / Pagou a dívida ao amigo. abole, abolimos, abolis, abolem. Pres.
4 — Com verbos de movimento, a subj.: Não existe. Imper. afirm.:
indica deslocamento rápido, provisó- Abole, aboli. (Não tem a 1ª pessoa do
rio, e para, deslocamento demorado pres. ind.)
Abreviaturas 23 Abreviaturas

Abreviaturas. 1 — Nos textos corridos, caso, sem espaço entre os números e


evite ao máximo usar abreviaturas: a abreviatura).
Comprou 3 quilos (e não 3 kg) de 7 — Têm plural com s as abrevia-
carne. / O carro rodou 243 quilôme- turas constituídas pela redução de pa-
tros (em vez de 243 km). / O terreno lavras e as que representam títulos ou
media 25 hectares (e não 25 ha). / formas de tratamento: sécs. 15 e 16,
Chegou às 8 horas (e não às 8 h). / Um págs. 54, 55 e 56 e segs., srs., sras., drs.,
galão americano tem 3,785 litros (e dras., S. Sas. (repare que o S. de Sua
não 3,785 l). De qualquer forma, repa- fica invariável), V. Exas. (o mesmo
re que existe espaço (3 kg) entre o nú- ocorre com o V. de Vossa), etc. Exce-
mero e a abreviatura que exprime ção: d. (para dons e donas).
valor ou grandeza. 8 — Também recebem s as abrevia-
2 — Quando necessário, porém (tí- turas que se identificam com siglas:
tulos, tabelas, quadros ou textos espe- dois PMs, cinco TVs, quatro GPs, 8
cíficos em que medidas ou grandezas HPs, etc.
apareçam com muita freqüência), 9 — Alguns plurais se fazem com a
consulte a lista de abreviaturas deste duplicação da letra: A. (autor), AA.
manual (verbete seguinte). No caso de (autores), E. (editor), EE. (editores). A
textos em que a grandeza ou medida duplicação da letra pode também in-
vá aparecer muitas vezes, é possível dicar o superlativo: D. (digno), DD.
abreviá-la, desde que ela apareça por (digníssimo).
extenso pelo menos na primeira vez 10 — As indicações a.C. e d.C.
(antes e depois de Cristo) devem ser
em que for citada.
empregadas abreviadamente e com o
3 — Os títulos dr. e dra. (só para
a e o d em minúsculas.
médicos), sr. e sra. ou d. (dom e dona)
11 — Evite abreviar São e Santo, a
devem ser escritos de preferência na
não ser nos títulos. A forma é S. para
forma abreviada e com inicial minús-
ambos os casos: S. José, S. Amaro, S.
cula. (Pela norma oficial, são em Catarina (e não Sto. Amaro ou Sta.
maiúsculas: Dr. Antônio, Sr. José dos Catarina).
Santos.) 12 — Apenas em casos excepcio-
4 — Abrevie igualmente as formas nais, e mesmo assim somente nos tí-
cerimoniosas de tratamento; só que, tulos, se admitirá que um nome geo-
neste caso, use iniciais maiúsculas: S. gráfico seja abreviado: P. Prudente, C.
Sa. (e não Sua Senhoria), V. Exa. (e não do Jordão, R. G. do Norte, A. Latina,
Vossa Excelência), S. Ema. (e não Sua N. York (repare que são formas feias,
Eminência). graficamente). Poderá ter livre curso
5 — Não abrevie outros títulos nos títulos, por já se tratar de caso con-
como: prof. Antônio (use professor sagrado, a abreviatura S. (de São, Santo
Antônio), eng. José (engenheiro José), e Santa): S. Carlos, S. André.
gen. Tinoco (general Tinoco). Exce- 13 — Três nomes de cidades pode-
ção: transcrição de documentos ou rão, apenas nos títulos, ser substituí-
listas de promoções das Forças Arma- dos por siglas: SP (São Paulo), BH
das. (Belo Horizonte) e NY (Nova York).
6 — Nenhuma das abreviaturas do Use Rio, e não RJ, porque o número
sistema métrico decimal tem ponto de sinais é praticamente o mesmo.
ou plural: 1 km, 6 km (e nunca 6 14 — As abreviaturas dos nomes
kms.), 1 h, 5 h (e nunca 5 hs.), 2m, 6 dos Estados são constituídas sempre
kg, 16 l (e não ls.), 25 ha, 30 t, 40 g, 57 de duas letras, ambas maiúsculas e
min, 18 s, 18h16min14s (só neste sem ponto: SP, AM, BA, GO, PE, etc.
Abreviaturas 24 Abreviaturas

15 — Por questões gráficas, o Esta- 22 — Se tiver necessidade de for-


do não usa, nas abreviaturas, as for- mar abreviaturas (em casos excepcio-
mas em que determinada letra ou con- nais, apenas), o procedimento reco-
junto de letras aparece em corpo redu- mendado é fazê-las terminar numa
zido e no alto da palavra: sr.a, dr.a, consoante e não em vogal. Assim, fil.
ex.ma, c.el. Empregue, simplesmen- ou filos. para filosofia, fís. para física,
te: sra., dra., exma., cel., etc. etc. Se cortar a palavra num grupo de
16 — Por motivo de simplificação, consoantes, mantenha-as: depr. para
as abreviaturas aparecem, na maior depreciativo, e não dep., ópt. e não óp.
parte dos casos, sem pontos interme- para óptica, etc.
diários: HP, e não H.P.; CIF, e não 23 — O acento existente na pala-
C.I.F.; rpm, e não r.p.m.; SOS, e não vra original mantém-se na abreviatu-
S.O.S., etc. ra: pág., págs. (páginas), séc., sécs. (sé-
17 — Mesmo nos endereços (a não culos).
ser que se trate de uma série deles e 24 — Ver também siglas, página
haja necessidade de economizar espa- 267.
ço), evite as abreviaturas: Rua Augus- Abreviaturas (lista).
ta (e não R. Augusta), Avenida Pau- A. — autor
lista (em vez de Av. Paulista), Praça aa. — assinados(as)
do Patriarca (e não Pç. do Patriarca), AA. — autores
Largo do Tesouro (e não Lgo. do Te- a.C. — antes de Cristo
souro). Da mesma forma, tel., em vez a.D. — anno Domini
de telefone, só quando for muito ne- Al. — Alameda
cessário. alm. — almirante
18 — Os símbolos químicos podem alm.-esqdra. — almirante-de-
ser representados por uma ou duas le- esquadra
tras. Quando por uma, ela é sempre a.m. — ante meridiem
maiúscula; quando por duas, a primei- ap. — apartamento
ra é maiúscula, a segunda, minúscula AR — Administração Regional
e não há ponto: P (fósforo), I (iodo), N asp. — aspirante
(nitrogênio), Ag (prata), Ca (cálcio), Av. — Avenida
Cs (césio), etc. Os símbolos não figu- bel. — bacharel
ram na lista de abreviaturas do ma- brig. — brigadeiro
nual por não terem maior interesse btl. — batalhão
jornalístico, mas constam do Dicio- °C — grau centesimal, centígrado ou
nário Aurélio, no nome do elemento Celsius
químico. c.-alm. — contra-almirante
19 — Use S.A. como abreviatura de cap. — capitão
Sociedade Anônima, por ser a forma cap. — capítulo
oficial, e não S/A. cap.corv. — capitão-de-corveta
20 — Recorra sempre à abreviatu- cap.frag. — capitão-de-fragata
ra TV para o nome da emissora, e cap.m.g. — capitão-de-mar-e-guerra
nunca às formas Tv ou Tevê: TV caps. — capítulos
Globo (e não Tv Globo ou Tevê Glo- cap.-ten. — capitão-tenente
bo), TV Bandeirantes, etc. cav. — cavalaria
21 — Só abrevie as palavras artigo cc. — centímetro cúbico
ou artigos (art. ou arts.) em textos ofi- cel. — coronel
ciais quando for essa a forma original. cg — centigrama(s)
Caso contrário, use a palavra por ex- C.G.S. — centímetro, grama,
tenso. segundo
Abreviaturas 25 Abreviaturas

Cia. — companhia GW — gigawatt


CIF — cost, insurance and freight h — hora(s)
(custo, seguro e frete) ha — hectare(s)
cl — centilitro(s) hab. — habitante(s)
cm — centímetro(s) hl — hectolitro(s)
cm2 — centímetro(s) quadrado(s) HP — horse-power (cavalo-vapor)
cm3 — centímetro(s) cúbico(s) ib. — ibidem (no mesmo lugar)
cm/s — centímetro(s) por segundo id. — idem (o mesmo)
cód. — código i.e. — id est (isto é)
com. — comandante ilma. — ilustríssima
comp. — companhia (militarmente) ilmo. — ilustríssimo
Cr$ — cruzeiro inf. — infantaria
Cz$ — cruzado Jr. — Júnior
d. — dom °K — grau(s) Kelvin
d. — dona kg — quilograma(s)
D. — digno kHz — quilohertz
d.C. — depois de Cristo km — quilômetro(s)
DD. — digníssimo km2 — quilômetro(s) quadrado(s)
dec. — decreto km/h — quilômetro(s) por hora
dg — decigrama(s) KO — nocaute
DL — Decreto-Lei kV — quilovolt(s)
dr. — doutor kVA — quilovolt(s)-ampère(s)
dra. — doutora kW — quilowatt(s)
dras. — doutoras kWh — quilowatt(s)-hora
drs. — doutores l — litro(s)
E. — editor lb. — libra, libra-peso
E — Este log. — logaritmo
ed. — edição LP — long-playing
EE. — editores Ltda. — Limitada
EM — Estado-Maior m — metro(s)
Ema. — Eminência m2 — metro(s) quadrado(s)
emb. — embaixador m3 — metro(s) cúbico(s)
eng. — engenheiro(a) mA — miliampère(s)
Esc. — Escola maj. — major
etc. — et cetera mal. — marechal
ex. — exemplo(s) méd. — médico
Exa. — Excelência mg — miligrama(s)
exma. — excelentíssima MHz — megahertz
exmo. — excelentíssimo min — minuto(s)
Fed — Federal Reserve (o Banco ml — mililitro(s)
Central dos EUA) mlle. — mademoiselle (senhorita)
fem. — feminino mm — milímetro(s)
fl. — folha mm2 — milímetro(s) quadrado(s)
fls. — folhas mm3 — milímetro(s) cúbico(s)
FOB — free on board (livre a bordo) MM. — meritíssimo
fr. — frei mme. — madame
g — grama(s) m/min — metro(s) por minuto
gen. — general mons. — monsenhor
GMT — Greenwich Meridian Time mr. — mister (senhor)
(hora do meridiano de Greenwich) mrs. — mistress (senhora)
Abreviaturas 26 Abreviaturas

m/s — metro(s) por segundo sécs. — séculos


MTS — metro, tonelada, segundo seg. — seguinte
mV — milivolt(s) segs. — seguintes
MW — megawatt S. Ema. — Sua Eminência
N — Norte S. Emas. — Suas Eminências
NCz$ — cruzado novo S. Exa. — Sua Excelência
N. da R. — nota da redação S. Exas. — Suas Excelências
N. do A. — nota do autor SOS — sinal de socorro
N. do E. — nota do editor sr. — senhor
N. do T. — nota do tradutor sra. — senhora
NE — Nordeste sras. — senhoras
N.N. — abreviatura com que se S. Revma. — Sua Reverendíssima
oculta um nome em programas, S. Revmas. — Suas Reverendíssimas
cartazes, subscrições, etc. srs. — senhores
nº — número srta. — senhorita
N. S. — Nosso Senhor S. Sa. — Sua Senhoria
N. Sa. — Nossa Senhora S. Sas. — Suas Senhorias
N.T. — Novo Testamento t — tonelada
O — Oeste tel. — telefone
obs. — observação ten. — tenente
op. cit. — opus citatum (obra citada) ten.-cel. — tenente-coronel
oz. — onça(s) (peso) Trav. — Travessa
pág. — página
TV — televisão
págs. — páginas
V — volt(s)
pe. — padre
V. — você
p. ex. — por exemplo
VA — volt-ampère
pg. — pago
V. A. — Vossa Alteza
Ph.D. — Philosophiae Doctor
(doutor em filosofia) v.-alm. — vice-almirante
pl. — plural V. Ema. — Vossa Eminência
p.m. — post meridiem V. Emas. — Vossas Eminências
prof. — professor V. Exa. — Vossa Excelência
profa. — professora V. Exas. — Vossas Excelências
profas. — professoras V. Revma. — Vossa Reverendíssima
profs. — professores V. Revmas. — Vossas
P.S. — post scriptum (pós-escrito) Reverendíssimas
pt — ponto vs. — versus (contra)
QG — quartel-general V. S. — Vossa Santidade
R. — Rua V. Sa. — Vossa Senhoria
R$ — Real V. Sas. — Vossas Senhorias
Revmo. — Reverendíssimo VT — videoteipe
rpm — rotação por minuto W — watt(s)
rps — rotação por segundo W — Oeste
s — segundo(s) (de tempo) w.c. — water-closet
S. — Santa, Santo, São Wh — watt-hora
S — Sul x — versus (no futebol)
S.A. — Sociedade Anônima yd — yard(s) (jarda)
sarg. — sargento (No Estado, use as abreviaturas
s/d — sem data dessa forma. Pela norma oficial, as
séc. — século que indicam títulos ou formas de
Abrir 27 Acentuação

tratamento têm inicial maiúscula: ra... / Caso você chegasse... Acaso


Cel. Augusto, Sr. Antônio, D. Lucia- pode também aparecer em frases
no, Dra. Angélica, etc.) como: Acaso lhe perguntaram algu-
Abrir. Alguém abre alguma coisa ou al- ma coisa?
guma coisa abre-se (de preferência): Aceitado, aceito. Com ter e haver, use
Prefeito abre centro hoje / Feira abre- aceitado; com ser e estar, aceito:
se (e não abre) com móveis do futuro Tinha (havia) aceitado, foi (estava)
Abster-se. Conjugação. Pres. ind.: Abs- aceito.
tenho-me, absténs-te, abstém-se, abs- Acender-se. Alguma coisa se acende e
temo-nos, abstendes-vos, abstêm-se. não acende, apenas: A lâmpada acen-
Imp. ind.: Abstinha-me, etc. Pret. deu-se. / Seus olhos acenderam-se de
perf. ind.: Abstive-me, etc. M.-q.- emoção.
perf. ind.: Abstivera-me, etc. Fut. Acendido, aceso. Com ter e haver, use
pres.: Abster-me-ei, etc. Fut. pret.: acendido; com ser e estar, aceso:
Abster-me-ia, etc. Pres. subj.: Que me Tinha (havia) acendido, foi (estava)
abstenha, etc. Imp. subj.: Se me abs- aceso.
tivesse, etc. Fut. subj.: Se me abstiver, Acentuação.
etc. Imper. afirm.: Abstém-te, abste- 1 — Proparoxítonas
nha-se, abstenhamo-nos, abstende- Acentuam-se todas as palavras
vos, abstenham-se. Ger.: Abstendo- proparoxítonas: século, ávido, decré-
se. Part.: Abstido. pito, Câmara, súbito, cômodo, qui-
Acabamento final. Redundância. séssemos, faríamos.
Acabar. 1 — Acabar, com maior proprie- Observação. Incluem-se nesta
dade, equivale a completar, terminar, regra as palavras terminadas em di-
concluir: Já acabaram o serviço. / Pre- tongos crescentes: água, mágoa, área,
tende acabar o livro esta semana. 2 superfície, Antônio, inócuo, iníquo,
— Ninguém, no entanto, acaba uma cônscio, tênue, série, míngua, cartó-
greve, uma assembléia ou um déficit. rio, miséria, lábio, aéreo, vácuo, oblí-
Use estes equivalentes mais corretos: quo, abstêmio, relíquia, ambíguo, de-
Acordo põe fim (e não acaba) à greve ságüe, bilíngüe.
dos metalúrgicos. / Professores sus- 2 — Paroxítonas
pendem (e não acabam) a greve. / Acentuam-se as paroxítonas ter-
Bancários encerram (e não acabam) minadas em l, n, r, x, i, is, u, us, ei, eis,
a assembléia. 3 — Intransitivamente, um, uns, ão, ãos, ã, ãs, ps: móvel, es-
porém, esse uso é correto: Acaba a tável, Aníbal, hífen, elétron, Nélson,
greve dos portuários. / Acaba a as- açúcar, fêmur, revólver, látex, tórax,
sembléia dos motoristas de táxi. júri, cútis, vírus, bônus, pônei, fós-
Acabar com. 1 — Significa pôr fim a ou seis, fôsseis, fórum, álbuns, órgão, ór-
destruir, dar cabo de: A empresa aca- gãos, acórdão, acórdãos, órfã, órfãs,
bou com as mordomias. / Sua força ímã, ímãs, bíceps, fórceps.
acabou com os adversários. 2 — Por Observações
isso, para dizer que alguma coisa se a) As paroxítonas terminadas em
encerra simultaneamente com outra, ons mantêm o acento, inexistente no
use termina ou encerra-se: Bienal ter- caso de ens: nêutrons, elétrons, pró-
mina (encerra-se) hoje com promo- tons, cólons, hifens, viagens, liquens,
ções (para evitar o duplo sentido pre- homens, nuvens.
sente em acaba hoje com promoções). b) Os prefixos terminados em i ou
Acaso, caso. Com se, use acaso: Se acaso r não têm acento: semi-automático,
você chegasse... / Se acaso você qui- anti-séptico, super-homem, inter-re-
ser... Caso rejeita o se: Caso você quei- gional.
Acentuação 28 Acentuação

c) Pode-se ainda considerar a regra róis, anzóis, réis, rói, sóis, céus, véu.
inversa: acentuam-se todas as paroxí- Os ditongos ai, au e ui, porém, não
tonas, à exceção das terminadas em a, têm acento: incaico, arauto, gratuito
as, e, es, o, os, am, em e ens. Exem- (úi).
plos: casa, antenas, fome, condes, b) O hiato ôo, quando no fim da pa-
lucro, Carlos, falam, imagem, ori- lavra, recebe acento, mesmo que se
gens. trate do plural ou de redução: enjôo,
3 — Oxítonas vôo, vôos, abençôo, zôo, zôos.
Acentuam-se as terminadas em a, c) A forma êem — dos verbos dar,
as, e, es, o, os, em e ens: Pará, Sata- crer, ver, ler e derivados — tem cir-
nás, café, revê, invés, vocês, complô, cunflexo no primeiro e: dêem, crêem,
cipó, compôs, avós, porém, também, vêem, lêem, descrêem, revêem, re-
contém, retêm, reféns, convéns, para- lêem.
béns. d) Nos grupos gue, guem, gues, gui,
Observações guis, que, quem e ques, acentua-se o
a) Não se acentuam as oxítonas ter- u tônico: apazigúe, argúem, averi-
minadas em i, is, u e us precedidas de gúes, argúi, argúis, obliqúe, obli-
consoante: parti, Paris, Edu, tatu, qúem, obliqúes. Se a terminação for
Perus, tabus. gua ou qua, não existe acento: averi-
b) Acentua-se o porquê tônico: o gua (gúa), apaziguas (gúas), obliqua
porquê da crise. (qúa) e obliquas (qúas).
c) As formas verbais oxítonas em 6 — I e u dos hiatos
a, e e o, seguidas de lo, la, los e las, re-
Têm acento o i e o u tônicos, acom-
cebem acento: amá-lo, fazê-la,
panhados ou não de s, que não formem
compô-los, dispô-las, repô-las-ia, des-
ditongo com a vogal anterior e este-
crevê-los-íamos, matá-lo. Se a letra
jam isolados na sílaba: caída (ca-í-da,
final for i, precedida de consoante ou
i isolado na sílaba), ateísta (ate-ís-ta,
vogal não pronunciada, não existe
acento: pedi-las, parti-lo, segui-los, grupo is isolado na sílaba), juíza, raí-
impedi-la. zes, proíbe, truísmo, saúde, miúdo,
4 — Monossílabos reúnem, Criciúma, feiúra.
Acentuam-se os monossílabos tô- Observações
nicos terminados em a, as, e, es, o e a) Não se acentuam o i nem o u,
os: já, gás, fé, crê, pés, mês, Jô, Jó, nós, porém, se formarem sílaba com l, m,
pôs, dá-lo, fá-lo-ia, vê-las, pô-los. n, r e z (porque não estarão isolados
Observações na sílaba) ou forem seguidos de nh:
a) O acento permanece nos prefi- Raul, Ataulfo, ruim, amendoim,
xos pós, pré e pró: pós-operatório, pré- Coimbra, caindo, Constituinte,
história, Pró-Memória. oriundo, diurno, sairmos, atrairdes,
b) Os monossílabos em i, is, u, us, poluir, juiz, raiz, bainha, campainha,
em e ens não têm acento: vi, quis, cru, moinho.
nus, bem, vens. b) Mesmo que se trate de palavras
c) O quê tônico é acentuado: Não oxítonas, o i e o u deste caso (isolados
sei por quê. / Para quê? / O quê da na sílaba) são acentuados: Caí, Jun-
questão. / Um quê maiúsculo. / Um diaí, Havaí, saí, Tambaú, Jaú, Itaú,
quê de mistério. baús, Crateús, teiú.
5 — Encontros vocálicos c) A regra vale também para as for-
a) Os ditongos abertos éi, éis, éu, mas verbais seguidas de lo, la, los e
éus, ói e óis são sempre acentuados: las: distraí-lo, substituí-la, atraí-los-
idéia, papéis, chapéu, mausoléus, he- á, subtraí-las-emos.
Acerca de, cerca de... 29 Acessar

d) Não se acentua, nas palavras pa- Não têm acento


roxítonas, a vogal repetida: Saara,
xiita, Mooca. 1 — Os vocábulos formados pelo
e) Mesmo precedidos de vogal, os acréscimo da terminação mente e dos
ditongos iu e ui não têm acento: saiu, sufixos iniciados por z: solidamente
contribuiu, possuiu, instituiu, pauis (antes, sòlidamente), cortesmente
(de paul). (antes, cortêsmente), sozinho (antes,
7 — Acento diferencial sòzinho), cafezal (antes, cafèzal).
Persiste nas seguintes palavras: côa 2 — A terminação amos do preté-
e côas (verbo coar ou substantivo, si- rito (para muitos, amámos, desejá-
mos), até porque no Brasil o som é fe-
nônimo de coação); fôrma (para dife-
chado: amamos (mâ), desejamos (jâ).
renciar de forma); pára (verbo e prefi-
3 — As terminações ai (cantai), au
xo, como em pára-quedas), mas não (cacau, mau), ia (varia), ie (assobie),
em paras nem param; péla e pélas io (sadio), oa (coroa), oe (abençoe), ua
(verbo pelar ou sinônimo de bola); (perua), ue (atue) e uo (recuo). A si-
pêlo e pêlos (cabelo); pélo (verbo tuação não se altera se houver s: Ba-
pelar); pêra (fruta, barba e interrup- tatais, Manaus, pedias, desafios,
tor), mas não peras; Pêro (nome ou atues, etc.
fruta); pôde (para diferenciar de pode, 4 — O o fechado do grupo vocálico
com som aberto); pólo e pólos (parte oio: apoio, comboio, joio.
da Terra e jogo); pôr (verbo, para dife- 5 — O plural das palavras termina-
renciar de por, preposição); têm das em ês: meses, portugueses, corte-
(verbo, plural) e vêm (verbo, plural). ses.
Os vocábulos pôla, pôlas, pôlo e pôlos Acerca de, cerca de, há cerca de. 1 —
mantiveram o acento, mas não são de Acerca de. Equivale a sobre, a respei-
uso jornalístico. to de: Falou acerca da nomeação, do
O sinal foi abolido, no entanto, em autor, do governo. / Explique-me tudo
todos os demais casos: ele (antes, êle), acerca do PIS. 2 — A cerca de ou cerca
selo, aquele, toda, ovo, fosse, almoço, de. Corresponde a perto de, aproxima-
esteve. damente: Os jogadores ficaram a
8 — Acento grave cerca de 20 metros uns dos outros. /
Existe apenas nas crases: à, às, Cerca de 100 pessoas estavam ali. /
àquela, àquelas, àquele, àqueles, Dizia isso a cerca de 50 alunos. / O
àquilo, àqueloutro, àqueloutros, exército ficou reduzido a cerca de
duas dezenas de homens. / Encontrei-
àqueloutra, àqueloutras.
o a cerca de dois quilômetros da casa.
9 — Abreviaturas
3 — Há cerca de. Usa-se no lugar de
Se numa abreviatura se mantém a faz aproximadamente, desde mais ou
sílaba acentuada da palavra, o sinal menos: Há cerca de dois anos o gover-
permanece: séc. (século), págs. (pági- no baixou essas medidas. / Partiu há
nas), côn. (cônego). cerca de 15 minutos.
10 — Trema Acessar. Use o verbo apenas como sinô-
Usa-se quando o u depois do q ou nimo de acionar ou chamar um arqui-
g for pronunciado: agüentar, seqües- vo na informática. Mas ele não signi-
tro, tranqüilo, lingüiça, qüinqüênio, fica ter acesso a uma rodovia, por
eqüino, freqüente, conseqüência, exemplo, como nesta frase: A melhor
agüei, Birigüi, ambigüidade, eqües- maneira de “acessar” o (de chegar ao,
tre, Anhangüera. Repare que só exis- de atingir o) Guarujá no momento é
te trema antes de e e i. pela balsa.
Achar, encontrar 30 Acontecer

Achar, encontrar. Use achar para defi- corra, com maior propriedade, a uma
nir aquilo que se procura e encontrar destas opções (entre parênteses): O
para o que, sem intenção, se apresen- show acontece às (está marcado para
ta à pessoa: Achou o que procurava. / as) 22 horas. / A manifestação acon-
O menino achou o cão perdido. / Agri- teceu (realizou-se, foi) ontem. / Em-
cultores encontram fóssil em São José bora raramente aconteçam (ocorram)
do Rio Preto. / Documento raro en- casos de apreensão de entorpecen-
contrado no porão da biblioteca. tes... / Está previsto para acontecer
Acidente, incidente. Acidente é um em (está previsto para, simplesmente)
acontecimento imprevisto ou infeliz, dezembro. / Se a saída de X realmen-
desastre: acidente de trânsito, o aci- te acontecer (suceder)... / O pontapé
dente entre o ônibus e o caminhão, inicial acontecerá (será dado) no dia
um acidente na estrada, acidente de 30. / A falta não aconteceu (existiu). /
trabalho, acidente pós-operatório. In- Festival acontece (realiza-se, começa)
cidente designa circunstância casual, sem o maestro. / Não aconteceu
episódio, peripécia, atrito: Um inci- (houve) o debate marcado. / A reces-
dente entre os dois políticos. / O in- são já acontece (existe, chegou). / Os
cidente fez que rompessem a amiza- recursos não vêm acontecendo (apa-
de. recendo, surgindo).
Aconselhar. Regência. 1 — Aconselhar A semântica explica a razão: acon-
alguém ou alguma coisa (tr. dir.): Os tecer tem traços comuns a esses ver-
pais aconselharam o filho. / O líder bos, mas não o significado completo
aconselhou o emprego da persuasão. deles. Por isso, seu uso é impróprio ou
2 — Aconselhar alguma coisa a al- inadequado nos casos referidos.
guém (tr. dir. e ind.): Aconselhou re- 3 — Outra opção é mudar a frase e
pouso ao doente. / Aconselhou aos so- usar o agente como sujeito (em vez do
negadores que pagassem seus débi- ato por ele praticado): A polícia
tos. / Todos lhe aconselharam caute- apreendeu (em vez de a apreensão
la. 3 — Aconselhar alguém a alguma aconteceu) a mercadoria. / Milton
coisa (tr. dir. e ind.): Todos o aconse- Nascimento canta hoje (em vez de o
lharam a esperar. / Aconselhei os ir- show de Milton Nascimento aconte-
mãos a interná-lo. 4 — Aconselhar, ce hoje). / Os jogadores se reapresen-
apenas (intr.): É um homem que sabe tam (em vez de a reapresentação dos
aconselhar. 5 — Aconselhar-se com jogadores acontece) às 9 horas. / O jo-
ou sobre (pron.): Todos se aconselha- gador renovará o contrato (em vez de
ram com o advogado. / Aconselhou- a renovação do contrato acontecerá)
se sobre o que fazer nesse caso. segunda-feira. / A sessão começou
Acontecer. 1 — Use o verbo apenas no (em vez de o início da sessão aconte-
seu significado mais específico, de su- ceu) às 15 horas.
ceder de repente. Acontecer dá sem- 4 — Com os pronomes indefinidos
pre uma idéia de inesperado, desco- e demonstrativos, porém, e com o que
nhecido, imponderável, como nos interrogativo, o uso de acontecer é
exemplos: Caso acontecesse o desa- apropriado: Tudo acontece aqui. / Isso
bamento, muitas mortes poderiam não aconteceria se ele fosse avisado. /
ocorrer. / O fato aconteceu há cem Como acontece isso? / Nada aconte-
anos. / Se algum mal lhe acontecer, ce sem que ele saiba. / O que aconte-
ninguém será culpado. ceu na cidade?
2 — No sentido de ser, haver, rea- 5 — O verbo só se conjuga nas ter-
lizar-se, ocorrer, suceder, existir, veri- ceiras pessoas: acontece, acontece-
ficar-se, dar-se, estar marcado para, re- ram, aconteceria, acontecessem, etc.
Acórdão 31 Adequar

Acórdão. Plural: acórdãos. 3 — Isso não significa que você não


Acordar. Use acordar como despertar e possa divulgar acusações sem atribuí-
equivalentes. No sentido de ajustar, las a uma fonte. Se o seu informante
combinar, acertar, resolver de comum é da mais absoluta confiança ou se
acordo, prefira uma destas formas. você tem documentos que fundamen-
Acudir. Conjugação. Pres. ind.: Acudo, tem a denúncia, deve publicá-la. É di-
acodes, acode, acudimos, acudis, aco- reito do editor ou da Direção da Reda-
dem. Pres. subj.: Acuda, acudas, ção, porém, conhecer a origem das in-
acuda, acudamos, acudais, acudam. formações para decidir sobre a conve-
Imper. afirm.: Acode, acuda, acuda- niência ou não da publicação, uma vez
mos, acudi, acudam. que, também neste caso, a responsa-
Acumular. Um prêmio ou alguma coisa bilidade final cabe sempre ao Estado.
acumula-se, e não acumula, apenas: 4 — Nos títulos, especialmente,
Prêmio da Sena acumula-se (e não estas instruções deverão ser seguidas
acumula) novamente. / Os livros à risca. Como norma, procure sempre
acumulavam-se (e não acumulavam) mostrar ao leitor que se trata de uma
sobre a mesa. acusação ou denúncia, e não de um
Acusações. 1 — Nunca atribua um fato provado: Deputado acusa minis-
crime a alguém, a menos que a pessoa tro de desvio de verbas / Ministro
tenha sido presa em flagrante (e não acusado de desviar verbas / Emprei-
haja dúvidas a respeito da sua culpa) teiro denuncia concorrência.
ou confessado o ato. Mesmo que seja 5 — Finalmente, lembre-se de que
a polícia quem faça a acusação, reco- todo acusado tem o direito de respos-
menda-se cautela para que o jornal, in- ta. O ideal é publicar a denúncia e a
voluntariamente, não difunda uma explicação ou a réplica do acusado ao
versão que se possa demonstrar equi- mesmo tempo. Se a simultaneidade
vocada ou inverídica. Assim, a não ser for absolutamente impossível (por
nos casos notórios, refira-se sempre ao não se localizar o acusado, por exem-
acusado nestes termos: Fulano de tal, plo), não deixe a resposta passar do dia
acusado de ser o matador de... / Fula- seguinte. Ouvir o atingido pelas de-
no de tal, acusado de ser o principal núncias é essencial, mesmo que você
receptador de jóias da cidade... tenha a certeza da procedência das in-
Nunca afirme que ele “é o matador” formações contra ele.
ou “é o principal receptador”, a não ser 6 — Ver também denúncias, pági-
nas hipóteses já mencionadas. na 90.
2 — O Estado não publica insultos “Acusar que”. Acusa-se alguém, mas
ou acusações de irregularidades, cri- não se acusa que alguém...
mes e corrupção em off (sem que o de-
Adentrar. Não use. Opções: entrar, pe-
nunciante tenha o nome revelado),
netrar, ingressar.
como, por exemplo: Segundo fontes
do Planalto, o ministro demitido pelo Adentro. Uma palavra só: mato aden-
governo recebia comissões de emprei- tro, porta adentro, país adentro, noite
teiras. / Corre na cidade que fulano adentro.
já mandou matar mais de dez adver- Adequar. Conjugação. Pres. ind.: Ade-
sários políticos. / Consta que o depu- quamos, adequais (não tem as outras
tado João da Silva não honra os com- pessoas). Pres. subj.: Não tem. Imper.
promissos assumidos. Lembre-se: a afirm.: Adequai vós. Os demais tem-
responsabilidade por acusações graves pos são regulares: adequava, adequou,
como essas (mas totalmente vagas) adequaria, adequasse, etc. Em vez dos
passa toda para o jornal. inexistentes “adequa” ou “adeqüe”,
Aderir 32 Advérbios em mente

use, portanto, ajusta, ajuste, adapta, geral, pode ser substituído pela forma
adapte ou equivalente. em mente ou pela expressão de
Aderir. Conjugação. Pres. ind.: Adiro, modo...): Falem baixo (de modo
aderes, adere, aderimos, aderis, ade- baixo). / Respondam alto (de modo
rem. Pres. subj.: Adira, adiras, adira, alto). / Eram pessoas demasiado (de-
adiramos, adirais, adiram. Imper. masiadamente) desconfiadas. / Tos-
afirm.: Adere, adira, adiramos, aderi, sia forte (fortemente). / Eles não raro
adiram. (raramente) se perdiam. / O punhal
“Adiar para depois”. Redundância. Não feriu fundo (de modo fundo). / Ela fa-
use. Só se pode adiar alguma coisa lava áspero. / Agiu rápido. / Precisa-
para depois, para outro dia ou para o mos pensar claro. / Não podiam
futuro. andar mais ligeiro. / Foram direto ao
Adivinhar, adivinho. Com di. assunto. / Olhou-a firme. / Chegam
Adjetivação. O texto noticioso deve li- breve ao Brasil. / Compra barato e
mitar-se aos adjetivos que definam vende caro. / Saíram súbito da sala. /
um fato (noticioso, pessoal, vizinho, Falemos sério. / Vejam primeiro
próximo, sulino, etc.), evitando aque- quem vem. / Escreve gostoso (de
les que envolvam avaliação ou encer- modo gostoso).
rem carga elevada de subjetividade 2 — Além desses adjetivos, funcio-
(evidente, imponderável, belo, bom, nam como advérbios, entre outros:
ótimo, inteligente, infinito, etc.). afoito, calmo, delgado, direito, diver-
Mesmo nas matérias opinativas, em so, duro, exato, fiado, fino, folgado,
que o autor tem maior necessidade de frio, grosso, imenso, infinito, junto,
recorrer aos adjetivos, a parcimônia é manifesto, mole, rasgado, rijo, segun-
boa conselheira. O jornalista pode do e suave.
sempre mostrar que um temporal foi Administração regional. Em maiús-
devastador e um incêndio foi violen- culas quando especificada: Adminis-
to. Ou que uma peça constitui retum- tração Regional (ou Regional, apenas)
bante fracasso. Tudo isso sem poluir da Lapa, Administrações Regionais
seu texto com dezenas de qualificati- (ou Regionais) da Sé e Pinheiros. Em
vos. minúsculas quando não especificada:
Em qualquer tipo de texto, porém, a administração regional, essa admi-
tome cuidado com os “adjetivos for- nistração regional, a regional, essa re-
tes”: eles seguramente surpreenderão gional, as regionais, as administra-
o leitor, no mau sentido, ou lhe darão ções regionais.
a idéia de que alguém tenta impingir- Administrar. Construções como admi-
lhe opiniões definitivas sobre algo ou nistrar a situação, administrar o con-
alguém: borbulhante cemitério, flito, administrar a vitória, etc., não
nudez estonteante, exuberante mo- existem formalmente no idioma e só
delo, cidade esfuziante, movimento devem ser usadas em textos muito es-
frenético, sucesso reluzente, idéia peciais, mas não no noticiário.
fantástica, espetáculo maravilhoso, Advérbios em mente. 1 — Os advérbios
cenário deslumbrante, iluminação terminados em mente formam-se
feérica, participação brilhante, artis- pelo acréscimo do sufixo à flexão fe-
ta genial, monumental inteligência, minina do adjetivo: espertamente,
êxito retumbante, atuação irrepreen- francamente, lindamente. 2 — Se o
sível, desempenho perfeito. adjetivo terminar em ês, apenas se
Adjetivo por advérbio. 1 — O adjetivo adiciona a terminação mente: portu-
pode exercer a função de advérbio, guesmente, burguesmente. 3 — Repa-
quando então fica invariável (em re que o acento original do adjetivo
Advertir 33 Agitar

desaparece: logicamente (e não lògi- Aficionado. Um c só.


camente, como antes), portugues- Afim, afim de, a fim de. 1 — Afim, numa
mente (e não portuguêsmente), so- única palavra, corresponde a seme-
mente, etc. 4 — Quando houver mais lhante ou parente por afinidade:
de um advérbio na frase, use o sufixo almas afins, vocábulos afins, o sogro
apenas no último, deixando os demais é afim (parentesco sem laço sanguí-
adjetivos na forma feminina: Ali esta-
neo) da nora. 2 — A fim de equivale a
va ela, sóbria e elegantemente traja-
da. / Dura, mas lealmente disputa- para: Chegou cedo a fim de terminar
das, eram eleições decisivas para o o serviço. 3 — Estar a fim de, no sen-
destino do país. 5 — Por uma questão tido de estar com vontade de, só deve
de ênfase, a terminação mente pode figurar em textos coloquiais ou decla-
ser repetida: Agia sempre ponderada- rações: Está a fim de sair hoje.
mente e calmamente (no Estado, Afora. Concordância. Ver exceto, pági-
porém, use a forma reduzida). na 122.
Advertir (conjugação). Como servir Afora, a fora. 1 — Afora, numa palavra
(ver, página 266): advirto, advertes; só, significa à exceção de, além de,
que eu advirta; etc. para o lado de fora, ao longo (tempo e
Advertir (regência). 1 (tr. dir.) — Ad- espaço): Saíram todos, afora (menos,
moestar, observar, prevenir: O pai ad- à exceção de) o pai. / Teve sete filhos,
vertiu severamente os filhos. / EUA afora (além de) alguns bastardos. /
advertem que reagirão aos ataques Saiu pela porta afora (para o lado de
no Golfo Pérsico. / Só então advertiu
fora). / Andou pelo Brasil afora (ao
que era tarde. / Escapou do perigo por-
que o advertiram. 2 (tr. ind.) — Aten- longo, espaço). / Não estudou pelo
tar: Custou, mas advertiu naquele de- ano afora (ao longo, tempo). 2 — A
talhe. 3 (tr. dir. e ind.) — Advertir al- fora, separadamente, existe apenas
guém de alguma coisa ou advertir a al- em oposição a dentro: De dentro a
guém alguma coisa: O governo adver- fora.
te o País dos riscos da recessão. / Fa- Aforismo. E nunca aforisma.
zenda adverte o presidente de que a Afro. 1 — Pode ser adjetivo e substanti-
inflação foge ao controle. / Advertiu- vo, flexionando-se normalmente: os
o de que se enganava. / As empresas povos afros, ritmos afros, música
advertiram aos consumidores que afra, cabeleiras afras, os afros do cen-
iam faltar produtos no mercado. Ob-
tro do continente, etc. 2 — Como pre-
servação: Com as preposições para,
fixo, exige hífen na constituição de ad-
sobre e contra, use alertar.
jetivos pátrios: afro-asiáticos, afro-
Aedes. Em itálico. Aedes tem inicial
brasileiro, afro-lusitano, afro-negro.
maiúscula: Aedes aegypti, Aedes al-
bopictus (tigre-asiático). Nos demais compostos, não há hífen:
afrolatria, afrogenia, etc.
Aero... Liga-se sem hífen ao termo se-
guinte. O h intermediário desaparece, “Agilizar”, “agilização”. Palavras veta-
enquanto o r e o s devem ser dobra- das. Use dinamizar, tornar mais ágil,
dos: aeroespacial, aeroclube, aerorra- acelerar, apressar, estimular ou incen-
quia, aerossol, aeroterrestre. tivar, conforme o caso (e os substan-
“Aeródromo”. Use apenas aeroporto. tivos correspondentes).
Afazer. Conjuga-se como fazer (ver, pá- Agitar. Evite. A palavra cria títulos
gina 127). muito genéricos, como: Greve de jo-
Afegão. Use esta forma, e não afegane. gadores agita Fluminense. / Tiroteio
Flexões: afegã, afegãos, afegãs. agita favela. / Atentado agita Jeru-
Agradar 34 Alcorão

salém. Greve, tiroteio e atentado aguais, águam. Pret. perf.: Agüei,


fazem bem mais do que agitar um aguaste, aguou, aguamos, aguastes,
lugar. aguaram. Pres. subj.: ágüe, ágües,
Agradar. 1 — Use agradar como transi- ágüe, agüemos, agüeis, ágüem. Imper.
tivo indireto (com preposição a) no afirm.: água, ágüe, agüemos, aguai,
sentido de satisfazer, contentar: As ágüem. Imper. neg.: Não ágües, não
novas medidas agradaram aos em- ágüe, não agüemos, não agüeis, não
presários. / Nada lhe agradaria mais. ágüem.
2 — Como transitivo direto (sem pre- Aids. Inicial minúscula: Aumenta o nú-
posição), empregue agradar apenas mero de casos de aids.
como equivalente a acariciar, afagar: Ajuda de custo. E não de custas.
Agradou o filho. 3 — O verbo pode Ajudar. Regência. 1 — Ajudar alguém
ainda ser intransitivo: O espetáculo ou alguma coisa: Ajudou o pai, aju-
agradou muito. E pronominal: Agra-
dou os amigos. / Óculos ajudam a lei-
dava-se dos amigos.
tura. 2 — Ajudar alguém em (antes de
Agradecer. Regência. 1 (tr. dir.) — Mos- substantivo) ou ajudar alguém a
trar-se grato por: Agradeceu o favor re- (antes de infinitivo): O filho ajuda o
cebido. 2 (tr. ind.) — Demonstrar gra- pai na loja. / Todos o ajudaram no ser-
tidão: Recebi o livro e ainda não lhe viço. / Ele o ajudou a conseguir em-
agradeci. 3 (tr. dir. e ind.) — Demons- prego. / O menino ajudou a mãe a
trar gratidão a alguém: Agradeceu a
sair. 3 — Ajudar a: Ler ajuda a pensar.
Deus a graça alcançada. / Agradeceu-
4 — Ajudar a alguém: Eles ajudaram
lhes a gentileza. 4 (intr.) — Ganhou
ao amigo. / Não lhe posso ajudar
um presente e nem agradeceu. Obser-
agora. (É regência a evitar, porém.) 5
vações: Como se agradece sempre a al-
— Ajudar, apenas: Disse que queria
guém, não existe a forma “agradecê-
ajudar e não atrapalhar. / Procure al-
lo”, mas apenas agradecer-lhe. Igual-
guém para ajudar. 6 — Ajudar-se:
mente não se agradece alguém por al-
Todos se ajudaram. / Se ele não se aju-
guma coisa, como neste exemplo real:
Técnico “agradece jogador” pela ho- dasse, não teria sarado.
menagem. ...al. Cuidado, pois o sufixo forma pala-
Agravante. Palavra feminina: a agravan- vras eruditas e às vezes pernósticas:
te, uma agravante. demissional, emergencial, laborato-
rial, congressual, ficcional, dialogal,
Agredir. Conjugação. Pres. ind.: Agrido,
situacional, etc.
agrides, agride, agredimos, agredis,
agridem. Pres. subj.: Agrida, agridas, “À la”. Use à, apenas, e não à la em fra-
agrida, agridamos, agridais, agridam. ses como: Piloto à Senna (e não à la
Imper. afirm.: Agride, agrida, agrida- Senna), decisão à mineira (e não à la
mos, agredi, agridam. mineira). Igualmente, filé à moda (e
Agreement. Use a forma inglesa, agree- não à la moda).
ment, e não a francesa, agrément. Alá. Desta forma, e não Allah.
“Agricultável”. Prefira cultivável. Alazão. Flexões: alazã, alazões (prefira)
Agro... Liga-se sem hífen à palavra ou e alazães.
elemento de composição seguinte: Alcaide. Apenas em editoriais ou artigos
agroaçucareiro, agrogeografia, assinados, como sinônimo de prefei-
agroindústria, agropecuária, agrovi- to. Feminino: alcaidessa.
la. Álcool. Plural: álcoois.
Aguar. Verbo regular. Conjugação. Pres. Alcorão. Use esta forma, e não Corão.
ind.: Águo, águas, água, aguamos, Plural: Alcorões (prefira) e Alcorães.
Aldeão 35 Algum (alguns) de (dentre)

Aldeão. Flexões: aldeã, aldeões (prefira), Algo de. Concordância: ver alguma
aldeães e aldeãos. coisa de, nesta página.
Além. Dispensa também e ainda: Além Alguém. 1 — Deve ser empregado ape-
de criticar a oposição, censurou os nas no sentido positivo: Alguém está
aliados (e não “também censurou” ou aí? / Queria ser alguém na vida. / Se
“ainda censurou”). alguém perguntar, diga que saímos. 2
Além... Exige hífen: além-atlântico, — Em frases negativas, use ninguém:
além-fronteiras, além-mar, além-tú- Falou o que quis, sem que ninguém
mulo, Além-Paraíba. No entanto: (e não alguém) o contestasse. / Não
Alentejo, alentejano. via ninguém (e não alguém) que pu-
desse ajudá-lo.
Alemão. Flexões: alemã, alemãs e ale-
Algum. 1 — Antes do substantivo, tem
mães.
valor positivo: É necessário algum
Alemão-ocidental. Flexões: alemães- (um, certo) esforço para aprender. /
ocidentais, alemã-ocidental e alemãs- Traga algum (qualquer) amigo com
ocidentais. você. / Algum dia o País resolverá
Alemão-oriental. Flexões: alemães- seus problemas. 2 — Depois do subs-
orientais, alemã-oriental e alemãs- tantivo, equivale a nenhum e deve ser
orientais. precedido de outra negativa, em geral
Alerta. 1 — Palavra invariável quando não, nada, sem ou nem: Não fez esfor-
interjeição ou advérbio: Alerta! Os ço algum para aprender. / Chegou
inimigos vêm aí. / Os homens vigia- ontem, sem trazer amigo algum com
vam o farol alerta (alerta = atenta- ele. / Não aceitava gentilezas nem
mente). 2 — É variável quando adjeti- favor algum. 3 — Quando as expres-
vo, com o sentido de atento, ou subs- sões de modo, de maneira, de forma,
tantivo, como sinônimo de aviso: Vi- de jeito e equivalentes dão valor nega-
giam com cuidado, são homens aler- tivo à oração, algum dispensa o uso de
tas (= atentos). / Ambos estavam aler- não, nem, nada e sem: De maneira al-
tas (= atentos). / As sentinelas deram guma faremos isso. / De modo algum
vários alertas. pude convencê-la.
Alertar. Regência. 1 — A regência usual Alguma coisa de. Concordância. 1 — O
adjetivo que vem depois não varia: Ela
é a direta: O barulho alertou os vigi-
tem alguma coisa de bom (e nunca de
lantes. 2 — Admite-se, modernamen-
boa). / A moça ocultava alguma coisa
te, o verbo como transitivo direto e in-
de misterioso (e não de misteriosa). 2
direto (alertar alguém de, para, sobre
— Se não houver preposição, faz-se a
e contra alguma coisa): Alertou-o de concordância normal: Ela tem algu-
que este não era o momento. / Aler- ma coisa boa. / A moça ocultava al-
tou o amigo para (sobre) os riscos da guma coisa misteriosa. 3 — Seguem
decisão. / O governador alertou os ci- a mesma norma nenhuma coisa de,
dadãos contra o radicalismo. 3 — qualquer coisa de, algo de, nada de e
Também pode ser usada a forma aler- tudo de: Ela tem tudo de bom. / A
tar para (apenas nos títulos), sem moça não tem nada de misterioso.
menção à pessoa ou coisa alertada: Algum (alguns) de (dentre). Concordân-
Médicos alertam para o perigo do uso cia. 1 — No singular, o verbo concor-
de pesticidas. / Relator alerta para da com algum: Algum de nós estará
atraso na votação do projeto. 4 — Não presente. / Algum de vós será convi-
existe a forma alertar que (alerta-se dado. / Algum deles concordará co-
alguém, mas não se alerta que). nosco. 2 — No plural, o verbo concor-
Alface. Palavra feminina: a alface. da com a palavra, expressão ou
Álibi 36 Aneurisma

pronome que vier depois de alguns de refere-se tanto a pessoas como a coi-
ou alguns dentre: Alguns de nós esta- sas, órgãos ou grupos: Ambos chega-
remos presentes. / Alguns dentre vós ram atrasados. / Que livros escolheu?
sereis convidados. / Alguns deles con- Ambos. / Nesse cenário, ambos, sol-
cordarão conosco. 3 — Modernamen- dados e jagunços, mediam forças. 3
te, a tendência — já aceita pelos gra- — Quando o substantivo determina-
máticos — é levar o verbo para a ter- do por ambos estiver claro, é obriga-
ceira pessoa: Alguns de nós estarão tório o uso do artigo: Representava
presentes. / Alguns dentre vós serão ambas as casas do Congresso. / Con-
convidados. / Alguns de nós conti- sulte ambos os livros. / Segurou o
nuam vivos. 4 — Seguem a mesma re- rosto com ambas as mãos. 4 — Escre-
gra: diversos de, muitos de, nenhum va, sem receio, pessoas de ambos os
de, poucos de, qual(is) de, qualquer sexos: ninguém vai pensar em herma-
(quaisquer) de, quantos de, um (uns) froditas.
de e vários de. A menos de. Ver há menos de, página
Álibi. Aportuguesado, com acento. Plu- 138.
ral: álibis. À mesa. Na locução, à dá idéia de pro-
Alternativa. 1 — Não use a forma outra ximidade, equivalendo a junto à: Sen-
alternativa, uma vez que a alternati- tou-se à mesa. / Tomou lugar à mesa.
va é sempre outra: Não havia alterna- Na mesa seria sobre a: Subiu na mesa
tiva. / Eles não tinham alternativa. 2 para trocar a lâmpada. Da mesma
— Evite, igualmente, única alternati- forma, ao volante, à máquina (e não
va: se não há outra possibilidade, não na máquina), ao piano, à janela, etc.
se pode falar em alternativa. Substi- A meu ver. E não ao meu ver.
tua a palavra, neste caso, por saída, Amoral, imoral. Amoral equivale a que
opção, recurso, procedimento, possi- não tem o senso da moral: Trata-se de
bilidade, etc. um indivíduo amoral. / A arte, para
Alto-falante. Plural: alto-falantes. E Oscar Wilde, é amoral (e nunca imo-
atenção: alto e não “auto-falante”. ral). Imoral designa o que viola os
Alto-forno. Plural: altos-fornos. princípios da moral: Trata-se de um
Alto-relevo. Plural: altos-relevos. indivíduo imoral (isto é, libertino,
Alunissar, alunissagem. Use estas duas lascivo). / Este livro é imoral.
formas para definir o ato de pousar na Amostragem. Use a palavra somente
Lua ou o próprio pouso. para designar o processo de seleção de
Alvorada. Formas corretas: Palácio da uma amostra com fins estatísticos: A
Alvorada, o Alvorada. amostragem utilizada na pesquisa...
Amálgama. Palavra proparoxítona. Em- Nos demais casos, o que se deve em-
bora admita os dois gêneros, prefira o pregar é amostra, simplesmente.
masculino: um amálgama, o amálga- Amsterdã. Desta forma. Os naturais da
ma. cidade são: amsterdamês, amsterda-
Ambi... Liga-se sem hífen à palavra ou mesa, amsterdameses e amsterdame-
elemento de composição seguinte: sas.
ambidestro, ambiesquerdo, ambissi- Anão. Flexões: anã, anões (prefira) e
nistro, ambivalente. anãos.
Ambos, ambos os. 1 — Use apenas estas Ancião. Flexões: anciã, anciãos (prefira),
duas formas, uma vez que ambos os anciões e anciães.
dois e ambos de dois, embora corre- Andaluz. Feminino: andaluza.
tas, devem limitar-se às transcrições Aneurisma. Palavra masculina: o aneu-
ou aos textos literários. 2 — A palavra risma.
Anexado, anexo 37 Anti...

Anexado, anexo. Para expressar uma Ansiar. Conjuga-se como odiar (ver, pá-
ação, use anexado tanto com ter e gina 203): anseio, anseia, anseiam,
haver como com ser e estar: Tinha anseie, anseiem, etc.
(havia) anexado, foi (estava) anexado Antártida. Desta forma. O adjetivo,
aos autos. Prefira anexo como adjeti- porém, é antártico: zona glacial an-
vo: casa anexa, documentos anexos. tártica, continente antártico, aves
Anexo. 1 — Não tem função de advér- antárticas.
bio. Dessa maneira, são incorretas as
formas: “Anexo” envio a carta. / “Em Ante... Hífen antes de h, r e s: ante-his-
anexo” envio a carta. / “Anexo” a tórico, ante-republicano, ante-sala.
esta envio a carta. 2 — Como adjeti- Nos demais casos, o hífen não existe:
vo, sua forma habitual, anexo deve fi- anteato, anteestréia, anteontem, an-
gurar em frases como: Envio a carta tediluviano.
anexa. / Prédios anexos ao central. / “Antecipar que”. Alguém antecipa al-
Anexas lhes encaminho as citações. / guma coisa, mas não antecipa que...
A certidão está anexa aos autos. Ante o, ante a. Sem preposição ou crase:
Anfitrião. Flexões: anfitriã (prefira), an- Sucumbiu ante o perigo (e não ante
fitrioa e anfitriões. ao). / O Palmeiras caiu ante a Portu-
Anglo... 1 — Hífen na formação de adje- guesa (e não ante à).
tivos pátrios: anglo-americano, Antes de, antes que. 1 — Antes de rege
anglo-brasileiro, anglo-saxão. An-
palavras: Antes de sair, pediu um
glo-catolicismo segue a mesma nor-
favor. / Partiu antes do amanhecer. 2
ma. 2 — Nos demais compostos, não
há hífen: anglofilia, anglofobia, an- — Antes que liga orações: Saia antes
glomaníaco. que eu me irrite. / Seu vulto era visí-
Animais. 1 — Use inicial minúscula vel antes mesmo que acendesse a
para designar as raças de animais: ca- luz. / Tomei a decisão antes que ele o
valo manga-larga; gado santa gertru- fizesse.
des, holandês, aberdeen, jérsei; cão Antever. Conjuga-se como ver (ver, pá-
pastor alemão, fox-terrier, rottweiler, gina 297): antevejo, antevês; antevia;
weimaraner; gato siamês; canário antevi; que eu anteveja; se eu antevis-
roller, etc. Repare que muitos nomes se; se eu antevir; etc.
já estão aportuguesados. 2 — Para a Anti... 1 — É seguido de hífen quando o
formação do feminino, ver macho, segundo elemento começa por h, r e
fêmea, página 166. s: anti-histamínico, anti-rábico, anti-
Aniversário. Como o próprio nome diz, séptico, anti-semita. Nos demais
só ocorre uma vez por ano. Assim,
casos: antiaéreo, antiespasmódico,
como não existe aniversário mensal
antiinflacionário, antiofídico, anti-
ou trimestral, use data-base ou ven-
cimento para aplicações: As caderne- cristo, antimatéria, etc. 2 — Use o
tas com vencimento (ou data-base) prefixo sempre com hífen quando ele
hoje pagarão rendimentos de 5%. se ligar a um nome próprio, substi-
Ano. a) Sem ponto: no ano 2000, em tuindo a preposição contra: anti-Bra-
2010, etc. b) Ver ao ano, ao dia, ao sil, anti-Gorbachev, anti-Clinton,
mês, página 38. anti-EUA, anti-Rússia, anti-Mirage.
“Ano que vem”. Prefira as formas no ano 3 — Quando anti se liga a um subs-
que vem ou no próximo ano, mais eu- tantivo comum, o adjetivo resultante
fônicas que “ano que vem” ou “ano não tem plural: carros antitanque (e
próximo”: O IR mudará no ano que não antitanques), medicamentos an-
vem (ou no próximo ano). tichoque.
Antiguidade 38 Aonde, onde

Antiguidade. Use sem trema, em qual- Seria indispensável nesses títulos


quer sentido: Loja de antiguidades. / dizer, por exemplo: Médicos impe-
Referências à Antiguidade. dem depoimento de sobrevivente /
Antinotícia. Procure, na notícia, expli- Deputado fará exames por mais três
car sempre o que aconteceu, em vez dias / Presidente cancela visita ao
do que não aconteceu. Haverá sempre Pará / Adiada decisão sobre velocida-
uma forma positiva — basta procurá- de. / Filho de ministro recusa-se a
la — de transmitir a informação ao lei- depor de novo.
tor, seja no lead, seja no título. Antropo... Liga-se sem hífen à palavra
Veja alguns exemplos condenáveis ou elemento de composição seguinte:
de lead negativo: O novo pedido de li- antropocêntrico, antropogeografia,
cença do cargo, feito pelo prefeito antropomagnetismo, antropossocio-
paulistano, não foi votado ontem logia.
pela Câmara Municipal. / O presi- Anuir. 1 — É transitivo indireto e exige
dente da República não irá mais ao as preposições a e em: O juiz anuiu ao
Pará amanhã, como estava progra- desejo do promotor. / Todos anuíram
mado, para assistir ao assentamento em sair. / Anuíram à proposta, ao pe-
dido, à intenção. 2 — Pode ser intran-
de 500 famílias na Fazenda Lajeado. /
sitivo (sem complemento): Convi-
O Conselho Nacional de Trânsito não
dou-os a ficar e eles anuíram imedia-
decidiu ontem sobre o novo limite de
tamente.
velocidade nas principais estradas
“Anvers”. Use Antuérpia.
brasileiras. / A dívida contraída pela
Cesp continua sem explicações. / Não Ao ano, ao dia, ao mês. 1 — Adote essas
houve nenhuma novidade ontem nas formas apenas para taxas e juros.
Assim: O banco cobrava juros de
investigações realizadas pela polícia
100% ao ano. / A poupança crescia
de São Paulo para localizar o “manía-
6% ao ano. 2 — Em todos os demais
co do ácido”.
casos, use por ano, por mês, por dia:
Em todos esses casos, a abertura re-
Os funcionários recebiam 15 salários
comendável teria obrigatoriamente por ano (e não “ao ano”) / Eram turis-
de revelar a causa de nada disso ter tas que podiam viajar para o exterior
acontecido. Veja uma solução: Por várias vezes por ano / A festa era rea-
causa do agravamento das divergên- lizada duas vezes por mês. / Andava
cias entre o governo e o Congresso, o 10 quilômetros por dia. 3 — Escreva
presidente da República decidiu can- igualmente por semana, por quinze-
celar a viagem que faria amanhã ao na, por semestre, etc.
Pará, para assistir ao assentamento Ao mês. Ver ao ano, ao dia, ao mês,
de 500 famílias na Fazenda Lajeado. / nesta página.
Só na próxima semana a Câmara Mu- Aonde, onde. 1 — Aonde usa-se com
nicipal decidirá sobre o pedido de li- verbos de movimento: Aonde ele
cença do prefeito que, por falta de foi? / Aonde essas medidas do gover-
quórum, deixou de ser votado ontem. no vão levar? / Aonde nos conduzirão
Proceda da mesma forma nos títu- esses desmandos? 2 — Onde indica
los, fugindo das formas pouco eluci- permanência: Onde ele está? / Encon-
dativas como: Sobrevivente não pres- trou os livros onde lhe indiquei. /
ta depoimento / Exames do deputado Onde passaremos o dia? 3 — Em ter-
não terminaram / Presidente não vai mos práticos, aonde pode ser substi-
ao Pará / Nada decidido sobre velo- tuído por a que lugar, para que lugar,
cidade. / Filho de ministro não pres- enquanto onde equivale a em que
ta novo depoimento. lugar.
Apagar-se 39 Aposto

Apagar-se. Prefira esta forma, e não apa- acham que o brasileiro se aposenta
gar, apenas: A luz apagou-se. / É pre- cedo. / Ele já se aposentou.
ciso evitar que os fornos se apaguem. Após mais particípio. Com particípio,
Aparecida. A cidade é Aparecida, e não use depois de e nunca após: depois de
“Aparecida do Norte”. realizado (e não após realizado), de-
Apaziguar. Conjuga-se como averiguar pois de promulgada (e não após pro-
(ver, página 50). mulgada), etc.
Apelar para. 1 — O certo é apelar para Aposto. 1 — É a palavra ou expressão
e não apelar a: Agricultores apelam que explica ou resume outro termo da
para o governo. / Pais apelam para se- oração: A CBS, rede de televisão dos
cretário contra escola. / Não sabiam EUA, denunciou o tráfico de influên-
para quem apelar. 2 — Se a estrutura cia no governo. / Veneza, a cidade dos
da frase exigir outro para, use então canais, atrai visitantes do mundo
recorrer em vez de apelar: A propa- todo. / Guimarães Rosa, escritor, era
ganda recorre ao nu masculino para diplomata de carreira. / Nós, pobres
atrair o público feminino. 3 — Existe mortais, só podíamos fazer-lhe as
ainda a forma apelar de (interpor re- vontades. / Jack, o Estripador, foi
curso): O advogado apelou da senten- tema de dezenas de filmes. Quando
ça. vem depois do fundamental (a palavra
Apelidos. 1 — No caso de ser necessário modificada), o aposto fica entre vírgu-
identificar as pessoas por apelidos, es- las, como nos exemplos acima.
creva-os em itálico: Zelão, o Gordo, 2 — Procure distinguir jornalistica-
Fumaça, etc. 2 — A norma não vale mente os casos em que o aposto vai
para os apelidos de domínio público entre vírgulas ou não.
ou de esportistas, que devem ser gra- a) Usa-se entre vírgulas o nome do
fados em corpo normal: Chico Buar- detentor de um cargo ou a qualifica-
que, Zé Ramalho, Juca de Oliveira, ção de uma pessoa quando só uma
Careca, Bebeto, Didi, etc. pessoa pode ocupar o cargo ou ter de-
Apiedar-se. Prefira ter pena de. Se ne- terminada qualificação: O jogador foi
cessário, porém, conjugue o verbo recebido no Rio pela mulher, Angéli-
como regular: eu me apiedo, tu te ca. (Se a frase, sem vírgula, fosse “o jo-
apiedas; que eu me apiede, que tu te gador foi recebido no Rio pela mulher
apiedes (e não que eu me apiade); etc. Angélica”, isso indicaria que o joga-
dor tem mais de uma mulher.) / O se-
“Apoiamento”. Não existe. Use com-
nador foi à festa com a namorada, Eli-
promisso de apoio ou forma seme-
zeth. (Se fosse “O senador foi à festa
lhante.
com a namorada Elizeth”, a falta da
“Apontar que”. Alguém aponta alguma vírgula indicaria que ele tem mais de
coisa, mas não aponta que... uma namorada.) Veja outros exem-
Aportuguesamento. Ver palavras es- plos: O presidente da República, Fer-
trangeiras, página 209. nando Henrique Cardoso, garantiu...
Após. Usa-se em formas como: Saiu (só há um presidente da República). /
após o pai. / Ano após ano. / Após si. O governador de São Paulo, Mário
/ Falaremos após. / Após o jogo. Após Covas, requereu ontem... (só há um
ao, do jargão esportivo, não existe. governador de São Paulo).
Sempre que possível, porém, prefira b) Não existe vírgula quando mais
depois de, mais usual. de uma pessoa pode ocupar o cargo ou
Aposentar-se. Alguém se aposenta e ter determinada qualificação: O pro-
não aposenta, simplesmente: Muitos motor de Justiça João de Almeida
Apóstrofo 40 Aprovar

enviou ontem... (há mais de um pro- caixa-d’água, pau-d’água, galinha-


motor de Justiça). / O ex-presidente d’angola, pau-d’arco, pau-d’alho, etc.
da República Fernando Collor decla- b) Por extensão, em expressões
rou... (há mais de um ex-presidente da equivalentes a palavras compostas:
República vivo). / O deputado federal gota d’água, falta d’água e rasos
por São Paulo Delfim Netto pediu... d’água (olhos). Nos demais casos, use
(há mais de um deputado federal por de água: gole de água, jatos de água,
São Paulo). / Antônio chegou à festa etc. Na linguagem literária ou colo-
com o filho Marcos (essa forma indi- quial, mas apenas em casos raros e es-
ca que Antônio tem mais de um filho). peciais, é possível aparecerem as va-
Se ele só tivesse um filho, o certo seria: riantes: n’água (cair n’água, dar com
Antônio chegou à festa com o filho, os burros n’água), d’alma (espelhos
Marcos. d’alma, suspiros d’alma), d’ouro (so-
c) Um erro comum é acreditar que nhos d’ouro), n’alma (tristezas
o último ex tem seu nome entre vír- n’alma) e minh’alma (vivem ainda
gulas. Isso não acontece e deve-se pro- em minh’alma...).
c) Para reproduzir certas pronún-
ceder da forma explicada no item 2: O
cias populares: ’tá, ’teve (embora, em
ex-presidente da República Itamar
exemplos semelhantes, o sinal possa
Franco (aplica-se a regra de que ele é
ser omitido, desde que se ressalte tra-
um ex-presidente entre vários) não foi
tar-se de forma popular).
convidado para a solenidade. / O ex- d) Para indicar a supressão ou fusão
governador de São Paulo Luiz Anto- de letras nos versos por exigências da
nio Fleury Filho (também é um ex-go- metrificação: c’roa (coroa), esp’rança
vernador entre vários) perdeu o con- (esperança), of’recer (oferecer), ’star
trole anteontem... / O ex-técnico da (estar), co’este (com este), per’la (pé-
seleção brasileira Carlos Alberto Par- rola), etc.
reira (é um ex-técnico da seleção, Aprazer. Conjugação. Pres. ind.: Apra-
entre vários) admitiu os desentendi- zo, aprazes, apraz, aprazemos, apra-
mentos com... zeis, aprazem. Imp. ind.: Aprazia,
3 — O aposto pode ter uma oração aprazíamos. Pret. perf. ind.: Aprouve,
como fundamental: O governo per- aprouveste, aprouve. M.-q.-perf. ind.:
deu seu maior trunfo, a confiança que Aprouvera, aprouveras, aprouvera.
o povo tinha no novo plano. / Disse- Fut. ind.: Aprazerei, aprazerás, apra-
lhe o que queria: que todos deixassem zerá. Fut. pret.: Aprazeria, aprazerias.
logo o prédio. Pres. subj.: Apraza, aprazas. Imp.
4 — O aposto concorda com o fun- subj.: Aprouvesse, aprouvesses. Fut.
damental, sempre que possível: A em- subj.: Aprouver, aprouveres. Ger.:
presa, proprietária da marca... / A Aprazendo. Part.: Aprazido.
praça, a mais bela da cidade... / Os Aprender. Antes de infinitivo, exige a:
produtos, artigos de luxo... / Nós, bra- Aprendeu finalmente a respeitar os
sileiros, temos fama de homens cor- outros.
diais. Aprovar. Governos não aprovam proje-
5 — Ver também cargos (como tos nos Legislativos. Assim, o correto
usar), página 57. é: O governo tentará conseguir a apro-
Apóstrofo. O uso do apóstrofo (’) limi- vação rápida das reformas constitu-
ta-se a estes casos: cionais. / O governo quer fazer apro-
a) Para indicar a supressão da vogal var no Congresso lei que simplifique
em certas palavras compostas ligadas os processos judiciais. / A Prefeitura
pela preposição de: mãe-d’água, quer convencer a Câmara a aprovar
“Aprovar que” 41 Arruinar

(ou quer fazer a Câmara aprovar...) a é o que pedi. / Condenou os que não
nova Lei do Zoneamento. E não: O go- o favoreciam.
verno quer aprovar no Congresso as Aquém... É sempre seguido de hífen:
reformas constitucionais. / A Prefei- aquém-fronteiras, aquém-mar,
tura quer aprovar na Câmara a nova aquém-oceano, aquém-pireneus. No
Lei do Zoneamento... entanto: aquentejano.
“Aprovar que”. Alguém aprova alguma Aqui. Não pode ser usado para substi-
coisa, mas nunca se aprova que (al- tuir São Paulo ou o Brasil em frases
guém tenha feito algo, por exemplo). como: São Paulo joga hoje aqui. /
Aproximadamente. 1 — Indica arredon- Sting já está aqui. / Habitação, aqui,
damento: Aproximadamente cinco é um problema sério. / Ninguém mais
pessoas, aproximadamente 20 crian- quer viver aqui.
ças. Assim, nunca escreva: Aproxi- Aquilo. Ver este, esse, aquele, página
madamente três pessoas, aproxima- 117.
damente 123 crianças, etc. 2 — A con- Ar condicionado, ar-condicionado. Sem
cordância é expressa pelo numeral ou hífen, é o próprio ar: O ar condiciona-
equivalente: Perdeu-se aproximada- do lhe faz mal. Com hífen, designa o
mente 1 tonelada de cereais. / Apro- aparelho: Comprou um ar-condicio-
ximadamente 20 carros se chocaram. nado. Plural: ares-condicionados.
Aproximar-se. Alguém ou alguma coisa Areal, areão, arear. Sem i.
aproxima-se de, e não aproxima de
Argüir. Conjugação. Pres. ind.: Arguo,
apenas: A temperatura aproxima-se
argúis, argúi, argüimos, argüis, ar-
(e não aproxima) dos 40 graus. / Este
gúem. Imp. ind.: Argüia, argüias, etc.
é o exemplo que mais se aproxima do
caso citado. Pret. perf. ind.: Argüi, argüiste, ar-
güiu, argüimos, argüistes, argüiram.
Aquele. Ver este, esse, aquele, página M.-q.-perf. ind.: Argüira, argüiras, ar-
117.
güira, etc. Pres. subj.: Argua, arguas,
Àquele, àquela, àquilo. Em vez de a etc. Imper. afirm.: Argúi, argua, ar-
aquele, a aqueles, a aquela, a aquelas guamos, argüi, arguam.
e a aquilo, usam-se as formas àquele,
Arqui... Exige hífen antes de h, r e s:
àqueles, àquela, àquelas e àquilo:
arqui-hiperbólico, arqui-romântico,
Deu o livro àquele aluno (ou àqueles
arqui-secular. Nos demais casos: ar-
alunos). / Fez o elogio àquela moça
quiavô, arquiesdrúxulo, arquiinimi-
(ou àquelas moças). / Referiu-se àqui-
go, arquidiocese, arquimilionário.
lo.
Arrear, arriar. Arrear — preparar, enfei-
Aquele de. Concordância no singular:
tar: Arreou o cavalo. Arriar — baixar:
Aquele de nós que irá. / Aquele de vós
Arriou a bandeira.
que fará. / Aquele dentre eles que
sairá. No plural: Aqueles de nós que Ar refrigerado, ar-refrigerado. Sem hí-
iremos. / Aqueles de vós que fareis. / fen, é o próprio ar: O ar refrigerado lhe
Aqueles dentre eles que sairão. Mo- faz mal. Com hífen, é o aparelho:
dernamente, admite-se também: Mandou consertar o ar-refrigerado.
Aqueles de nós que irão. / Aqueles de Plural: ares-refrigerados.
vós que farão, etc. Arreglo. E não “arrego”: O lutador pediu
Aquele que. Use aquele que, em vez de arreglo. / Não era homem de arreglos.
o que, apenas quando esta construção “Arriscando cair”. Use ameaçando cair.
for de difícil pronúncia. Assim: O Arruinar. Conjugação. Pres. ind.: Arruí-
livro é aquele a que me referi, em vez no, arruínas, arruína, arruinamos, ar-
de: O livro é o a que me referi. Nos ruinais, arruínam. Pres. subj.: Arruí-
demais casos, prefira o que: Este disco ne, arruínes, arruíne, arruinemos, ar-
Artesão 42 Artigo definido

ruineis, arruínem. Imper. afirm.: Ar- omissão do artigo a frase ganha em le-
ruína tu, arruinai vós. Nos demais veza. Assim, a forma Sua mãe, seu pai
tempos, o acento cai na terminação e e seu irmão cantam bem tem mais
não no i (arruinei, arruinara, etc.). ritmo que A sua mãe, o seu pai e o seu
Artesão. Flexões: artesã e artesãos. irmão cantam bem.
Artigo definido. Veja algumas das prin- b) Usa-se o artigo se o possessivo
cipais situações em que se usa o arti- estiver isolado e se pretender parti-
go definido (o, a, os, as): cularizar a afirmação: Esta casa é a
1 — Uso geral minha. / Todos devem zelar pelo
a) Individualiza o substantivo: O nome dos seus.
marido, a mulher e os filhos compa- c) Não se usa o artigo quando o pos-
receram à festa. / Aquele era o dono sessivo pertence a uma fórmula de tra-
da empresa. tamento, faz parte de um vocativo ou
b) Dá ênfase a uma situação única: equivale a alguns, muitos: Recorro a
Não era um jornalista; era o jornalis- (e não à) Vossa Senhoria. / Nossa Se-
ta. nhora chorava. / Veja, meu amigo,
c) Precede os nomes de trabalhos li- quanta maldade. / Todos temos nos-
terários e artísticos (se o artigo fizer sos defeitos.
parte do nome, irá em maiúsculas): d) Também não têm artigo expres-
Gostava mais do Quincas Borba que sões como em minha opinião, a meu
das Memórias Póstumas de Brás ver, a seu ver, em meu poder, em nos-
Cubas. / Preferia Os Lusíadas às Me- sas mãos, a seu bel-prazer, por vossa
mórias do Cárcere. vontade, por meu mal, algo de seu,
d) Particulariza nomes de coisas muito de meu, etc.
(prédios, edifícios, veículos, embarca- e) O artigo substitui o possessivo
ções, etc.) e a concordância se faz com quando usado antes do nome de par-
a idéia expressa pela coisa: a (nave) tes do corpo, peças de roupa, objetos
Challenger, o (porta-aviões) Minas
de uso pessoal, faculdades do espírito
Gerais, o (prédio) Martinelli, o (edifí-
e relações de parentesco: Mexeu os
cio) Joelma, o (navio) Ana Néri, o (re-
braços (e não os seus braços). / Pas-
médio) AZT.
sou a mão pelos cabelos. / Vestiu a ca-
e) Exprime no singular a idéia de
plural de um gênero, categoria, grupo misa e as calças. / Colocou os óculos,
ou substância: O tamoio aliou-se ao a capa e o chapéu, e saiu. / Lembra-
francês, no Rio. / “O sertanejo é antes va-se remotamente do pai.
de tudo um forte.” 3 — Com nomes geográficos
f) Com função pronominal, evita a) Usa-se normalmente o artigo
um sentido ambíguo: Entre o exérci- com os nomes de países, regiões, con-
to brasileiro e o argentino. O segundo tinentes, montanhas, vulcões, deser-
o deixa claro que se trata de dois exér- tos, constelações, rios, lagos, oceanos,
citos e não de um constituído de bra- mares e grupos de ilhas: o Brasil, os
sileiros e argentinos simultaneamen- Estados Unidos, a Antártida, a Bai-
te. xada Santista, a Europa, os Alpes, os
2 — Com possessivo Andes, o Vesúvio, o Saara, o Cruzei-
a) É facultativo o uso do artigo ro do Sul, a Ursa Maior, o Tietê, o Ti-
antes de possessivo que acompanha ticaca, o Atlântico, o Mediterrâneo,
um substantivo: meu carro, o meu os Açores. Exceção. Alguns países e
carro; sua casa, a sua casa; prejudicar regiões, no entanto, rejeitam o artigo:
nossa viagem, prejudicar a nossa via- Portugal, Angola, Moçambique,
gem. Para muitos autores, com a Cabo Verde, São Tomé e Príncipe,
Artigo definido 43 Artigo definido

Macau, Timor, Andorra, Israel, Ara- conquistador. / Ali estava o Barbu-


gão e Castela. do. / Descendia de Isabel, a Redento-
b) Não se usa o artigo definido, em ra. Exceção: Frederico Barba-Roxa.
geral, com os nomes de cidades, de lo- 5 — Com títulos e pronomes de
calidades e da maioria das ilhas: São tratamento
Paulo, Visconde de Mauá, Malta, a) Usa-se o artigo em títulos que in-
Cuba. Exceção. Nomes de cidades dicam profissão, cargo ou condição: o
que se formaram de substantivos co- professor João Carlos, o general Er-
muns conservam o artigo: o Recife, o nesto Geisel, o doutor Pereira da
Rio de Janeiro, o Porto, o Havre, o Cunha, a escritora Lygia Fagundes
Cairo. Algumas ilhas também man- Telles.
têm o artigo: a Córsega, a Sicília, a b) Usa-se o artigo com as palavras
Sardenha, a Madeira, a Groenlândia. senhor, senhora e senhorita: O senhor
c) Com relação aos Estados brasi- João dos Santos morreu ontem. /
leiros, há alguns que admitem o arti- Falou com a senhora baronesa. / Per-
go e outros, não. Ver quais são no ver- guntou pela senhorita Maria. Não se
bete Estados (artigo), página 116. usa o artigo, porém, quando alguém se
d) Não se usa o artigo, em geral, dirige à própria pessoa: Adeus, senhor
com nomes de planetas e estrelas: Antônio.
Urano, Plutão, Sírius, Canópus. Exce- c) Não se usa o artigo antes das for-
ções: a Terra e o Sol. mas dom, frei, sóror e monsenhor e
e) Os pontos cardeais e colaterais antes dos títulos e denominações de
exigem artigo (mesmo quando desig- origem estrangeira, como madame,
nam ventos): “São os do Norte que lorde, sir, lady, etc.: Era frei Ambrósio
vêm.” / A caravana dirigia-se para o que chegava. / Falou com dom Lucia-
sul. / Está soprando o noroeste. Quan- no. / Conhecia monsenhor Vicente. /
do indicam apenas direção, dispen- Casou-se com madame Claude. / Os
sam o artigo: Vento de leste. / Cami- ingleses encantam-se com lady
nhadas de norte a sul. Diana.
f) Há artigo quando se qualifica ou d) Não se usa o artigo antes das for-
determina um nome geográfico: Visi- mas de tratamento iniciadas por pos-
tei a Roma do Coliseu. / Era a estra- sessivo: Entrego o livro a Vossa Exce-
tégica Malta. / Morei no São Paulo lência. / Ali estava Sua Alteza.
dos cafezais (Estado). / Mudou-se 6 — Casos especiais
para a São Paulo da garoa (cidade). a) Nas enumerações, o uso do arti-
4 — Com nomes próprios go depende da necessidade ou não de
a) Não se usa o artigo quando se especificação: O Brasil, a Argentina e
trata de personagens ilustres, de pes- o Uruguai debateram a dívida exter-
soas com as quais não se tem intimi- na (especificado). / Falava correta-
dade e de nomes de santos: Admirava mente português, italiano e francês
Joana d’Arc. / Chegou com Maria. / (não especificado).
Era devota de Santo Antônio. Exce- b) Quando empregado com um
ção. Existe artigo quando se designa a substantivo de uma série, o artigo
festa referente ao santo: Assisti ao me- deve ser usado para os demais: O Bra-
lhor São João da minha vida. sil, a Argentina e o Uruguai discuti-
b) Usa-se o artigo para indicar inti- ram... e não O Brasil, Argentina e
midade com a pessoa, determinação Uruguai discutiram...
de um nome próprio e apelido ou qua- c) Pode-se usar o artigo apenas com
lificativo de pessoas: Andava sempre o primeiro substantivo, desde que os
com o João. / Admirava o Napoleão demais representem um conjunto
Artigo definido 44 Artigo definido

estreitamente unido: Para sua tese, do possível.” Se o verbo for outro, não
recolheu as histórias, mitos, supersti- há definição e usa-se o artigo: A polí-
ções e provérbios correntes na região. tica trata... / A medicina busca recur-
d) Quando se trata de coisas dife- sos...
rentes expressas pelo mesmo substan- c) Nos vocativos: Que quer,
tivo, repete-se o artigo; quando se homem? / Ande logo, irmão.
trata da mesma coisa, não: Apoiava o d) Com expressões como cheirar a,
antigo e o atual governo. / O goleiro saber a, pedir perdão, pedir esmola,
dominava a pequena e a grande fazer penitência, declarar guerra,
área. / Tinha o vago, mas persistente ouvir missa, dar esmola, etc.: Isto
sentido da morte. / Ouviram a nova cheira a rosas. / A bebida sabe a
e discutível versão da música. / Deu- vinho. / O país declarou guerra aos vi-
lhe a triste ou melancólica notícia. zinhos. / O filho pediu perdão ao pai.
e) A repetição do artigo dá ênfase à e) Antes das palavras casa, terra
frase: Era o mesmo, o verdadeiro, o (opondo-se a bordo, que também dis-
inigualável Anselmo. pensa o artigo) e palácio: Veio de
f) Seqüência de superlativos exige casa. / Foi para casa. / Avistou terra. /
repetição: Era o mais competente, o Desceu a terra. / Gritou de bordo. / O
mais culto e o mais premiado dos re- senador foi chamado a palácio. / O
pórteres do jornal. / Ali estava a presidente ainda estava em palácio.
maior, a melhor e a mais bela mode- Há artigo se estiver claro o sentido de
lo do país.
determinação: Voltou à casa dos
7 — Omissão do artigo
pais. / Avistou a terra desejada. / Não
a) Jornalisticamente, admite-se a
conhecia o Palácio dos Bandeirantes.
omissão do artigo definido, apenas
f) Depois de cujo: Era o homem
nos títulos, como medida de econo-
cujo pai (e nunca cujo o pai) procurá-
mia de sinais: Agora, governo usa
vamos.
inflação que quiser. / Brasil repele
acusações de imperialismo. g) De forma repetida, com os super-
b) Mantenha o artigo, porém, lativos o mais, os mais: Eram os pro-
mesmo nos títulos, com superlativos fissionais “os mais” competentes. Há
ou palavras de sentido absoluto: Mi- três formas possíveis (prefira a primei-
nistro diz que Brasil é o país mais pro- ra): Eram os profissionais mais com-
tecionista. / Cai o último invicto. petentes. / Eram os mais competen-
c) Com os particípios e com os ver- tes profissionais. / Eram profissionais
bos intransitivos colocados antes do os mais competentes.
sujeito, use sempre o artigo: Desco- h) Antes de palavras que designam
nhecido o paradeiro do menino. / matéria de estudo: Lecionava mate-
Acusado o ministro da Fazenda. / mática. / Estudava português.
Chega hoje o presidente da França. i) Quando palavras (e seus sinôni-
8 — Não se usa o artigo mos) como tempo, motivo, oportuni-
a) Em provérbios, comparações dade, ensejo, ocasião, disposição,
breves, sentenças e antes de substan- força, valor e ânimo (para alguma
tivos de sentido geral ou indetermina- coisa) estão associadas a verbos como
do: Amor com amor se paga. / Verme- haver, ter, faltar, dar, pedir e equiva-
lho como sangue. / Tempo é dinhei- lentes: Não tive tempo para sair. /
ro. / Cortesia impõe cortesia. / Crian- Pediu nova oportunidade para provar
ça tem mais disposição que adulto. sua competência. / Faltou-lhe ânimo
b) Quando se emprega o verbo ser (ou disposição) para enfrentar o desa-
para uma definição: “Política é a arte fio. / Pedimos permissão para ficar.
Artigo indefinido 45 Artigo indefinido

Artigo indefinido. O artigo indefinido h) Com nomes geográficos, quan-


(um, uma, uns e umas) serve princi- do qualificados: Um Amazonas de
palmente para apresentar pessoas, ob- águas barrentas. / Viu uns Andes des-
jetos ou espécies ainda desconhecidas conhecidos e nevados.
(ao contrário do artigo definido, que se i) Para indicar intensidade, em ex-
refere em geral a algo já mencionado: pressões coloquiais: Mostrava uma
o homem, os princípios, a Constitui- inocência... / Era dado a uns repen-
ção, a mãe e as filhas, etc.): Ali esta-
tes. / Deu um olhar...
va um homem ou uma mulher? / Era
2 — Dispense o artigo
um belo pôr-do-sol, com uma cor que
o casal jamais havia visto. À exceção dos casos de realce e dos
Deve, porém, ser evitado, especial- outros mencionados no item 1, os ar-
mente nos títulos, quando desneces- tigos um, uma, uns, umas podem,
sário ou quando não tiver função na quase sempre, ser evitados (ou me-
frase: Indústria rejeita (um) aumento lhor, devem, pois seu uso excessivo
generalizado de impostos / Atleta re- constitui galicismo). Veja se a frase
cebe (um) troféu na Itália. não se altera com a supressão do arti-
1 — Use o artigo go. Se não, considere-o dispensável. E
a) Para dar realce ao substantivo: O evitável, como nos casos abaixo:
menino era um gênio. / O desenhista a) Antes dos adjetivos ou pronomes
tem um traço admirável. igual, semelhante, tal, certo, outro e
b) Para esclarecer melhor substan- qualquer: O senador falava com
tivo já empregado anteriormente com (uma) igual solenidade. / Nunca lhe
artigo definido: Fez a advertência ne- ocorrera (uma) semelhante idéia. /
cessária, uma advertência que não
Recusou-se a proferir (um) tal dispa-
deixava margem a dúvidas. / Trazia
consigo o livro de hábito, um livro rate. / A providência chegou com
velho e já sem capa. (um) certo atraso. / O casal teve (um)
c) Para representar, no singular, outro filho um ano depois. / Havia
toda uma espécie ou categoria: Este, (uma) outra coisa de que não sabia. /
sim, é um profissional. / Um homem Não aceita (um) qualquer emprego.
não pratica atos tão cruéis. Exceções. Admite-se o artigo, po-
d) Para indicar aproximação ou ar- rém, em casos nos quais o adjetivo ou
redondamento (sempre antes de nu- pronome vem depois do substantivo e
meral): Morei ali uns seis anos. / A quando tal torna indeterminado um
conversa consumiu uma boa meia nome de pessoa: Pediu uma camisa
hora. igual à do amigo. / Tinha uma pele se-
e) Em correlação com outro: Um melhante à minha. / A menina disse
assaltante entrou no banco e o outro, uma coisa certa. / Está aí um tal Al-
no carro. / Uns chegaram e os outros fredo. / Traga os meninos um dia
saíram.
qualquer. Com frases negativas ou in-
f) Antes de nomes próprios, para in-
terrogativas, porém, recomenda-se a
dicar semelhança, representação de
espécie ou família e aspectos impre- omissão do artigo: Jamais se leu bes-
vistos de uma pessoa: Agia como um teira igual. / Nunca se cometeu bar-
Torquemada. / Faltava um De Gaul- baridade tal. / Quem produziria arti-
le na França. gos semelhantes?
g) Para designar obras de um artis- b) Logo depois do verbo ser, ainda
ta: Roubado um Renoir no Louvre. / mais se a supressão der harmonia à
Tinha um Miró na sala. frase: O jogador era (um) homem de
Artigos 46 Aspas

duas caras. / Ele é (um) repórter muito multada pela fiscalização / Vaga no
competente. Ministério destina-se a um nordesti-
c) Em expressões comparativas: Es- no / Bolsa converte mil ações em
tava em (uma) tão deplorável situa- uma / Polícia atira em manifestantes:
ção como o pai. / Queria ganhar (um) um morre / Elizabeth II em Berlim,
melhor salário. / Buscava (uma) em um gesto político (ênfase) / CIA
maior aproximação com os filhos. / O deu um milhão a (um) dissidente ira-
sol queimava qual (uma) fornalha. niano (o primeiro um, numeral, justi-
d) Em expressões de quantidade: fica-se, mas o segundo surge como
Trouxe (uma) grande porção de man- simples muleta).
timentos. / Havia (uma) enorme Artigos. 1 — Até 9, em ordinais; de 10
quantidade de erros no texto. / Con- em diante, use cardinais: artigo 1º, ar-
seguiu (um) pequeno capital para ini- tigo 7º, artigo 10, artigo 42. 2 — No
ciar o negócio. / Era (uma) gente hu- texto corrido, empregue a palavra por
milde. extenso. Só adote a forma abreviada
e) Nas enumerações: (Uma) Me- na transcrição de documentos em que
sa, (um) armário e (umas) cadeiras ela figure dessa maneira. 3 — Abrevia-
acumulavam-se nos cantos do sa- tura: art., arts.
lão. / Estavam ali: pai, irmão, (uns) A seu ver. E não “ao seu ver”. Igualmen-
velhos amigos e (uns) companheiros te: a meu ver, a nosso ver, etc.
de trabalho, a confortá-lo. Aspas. 1 — Servem principalmente para
f) Nos apostos: O amigo, (um) jor- indicar a reprodução literal de um pe-
nalista experiente, ensinou-lhe os se- ríodo, oração, trecho de frase, palavra,
gredos da profissão. / A esposa, (uma) lema ou slogan: Foi Euclides da
mulher muito doente, exigia atenção Cunha quem escreveu: “O sertanejo
permanente. é antes de tudo um forte.” / Segundo
3 — Fuja das muletas o ministro, “o aumento das exporta-
O artigo indefinido aparece muitas ções é a única saída para a economia
vezes nos títulos de maneira forçada, brasileira no momento”. / O presi-
para o redator ganhar espaço. Evite dente afirmou que a gravidade da
esse recurso, porque fica evidente o ar- crise política “não permite hesita-
tificialismo no uso do artigo, como ções”. / O professor considerou “im-
nesta série de exemplos reais: Depu- piedosa” a nova sistemática do Im-
tados são convidados para (um) al- posto de Renda. / Ministro repele
moço / Brasileiro vai receber (um) tí- “ameaças”. / O tema da redação do
tulo na França / Porteiro evita (um) vestibular foi: “O homem e a máqui-
assalto a (um) apartamento / Físicos na”. / “Ordem e Progresso” é o dísti-
produzem (uma) nova proteína / Pro- co da Bandeira.
posta de (um) deputado provoca 2 — As aspas podem ser emprega-
(uma) enorme reação / Autônomos das também para ressaltar o valor de
condenam (um) aumento do ISS / Ve- uma palavra ou expressão ou para in-
readores preparam (uma) emenda dicar o seu uso fora do contexto habi-
que altera o zoneamento / Este cava- tual: Circunlóquio significa “rodeio
lo tem (um) bom desempenho na de palavras”. / Para ele, existe sem-
grama. pre um “mas” em tudo. / Paris é con-
4 — Adote o certo siderada a “Cidade Luz”. / O exérci-
Como artigo, pronome ou nume- to rechaçou nova ofensiva dos “ul-
ral, eis alguns usos corretos do um ou tras”.
uma: Governo cancela mais uma na 3 — O Estado escreve em corpo di-
guerra às credenciais / Mais uma loja ferente (e não entre aspas) os nomes
Aspirar 47 Assim como

de obras artísticas e científicas e os 9 — Quanto ao uso jornalístico das


apelidos: O Memorial de Aires. / O as- aspas na reprodução de afirmações ou
saltante Janjão. Nos títulos, porém, opiniões, consulte o verbete declara-
use entre aspas essas palavras e ex- ções textuais, página 86.
pressões. Aspirar. Regência. 1 (tr. dir.) — Inalar,
4 — As palavras estrangeiras vão respirar, absorver: Aspirou o ar vicia-
em corpo comum no texto, e não entre do. / Aspiramos o doce perfume. 2 (tr.
aspas: Bancos cobram maior spread ind.) — Desejar muito, pretender: As-
do Brasil. / Reunião discute técnicas pirava ao cargo de gerente. / Era tudo
de marketing. / No programa do a que aspirava. 3 — Não admite a
show, rock, jazz e funk. forma pronominal lhe, que deve ser
5 — Na transcrição de íntegras, do- substituída por a ele, a ela: O valor do
cumentos, discursos, etc., abra aspas
prêmio fez que aspirassem ardente-
apenas no começo e no fim do texto,
mente a ele.
e não a cada início de parágrafo. Se
você acrescentar algum título auxiliar Assassinar. Significa matar premedita-
ao texto, feche aspas antes dele e as damente: Assassinou o adversário.
abra novamente depois. Nos demais casos use matar: Matou o
6 — Se a frase inteira estiver entre ladrão.
aspas, o sinal de pontuação (ponto Assassino de. Parricida — do pai; matri-
final, de interrogação, de exclamação, cida — da mãe; fratricida — do irmão
etc.) será englobado por elas; caso con- ou da irmã; filicida — do filho; uxori-
trário, ficará depois das segundas cida — da esposa; mariticida — do ma-
aspas: Disse o artista plástico: “Al- rido; infanticida — de uma criança, es-
guém discorda dessa filosofia de pecialmente de recém-nascido; regici-
vida?” / O artista plástico disse que da — de um rei; deicida — de um deus;
vivia “para pintar” e pintava “para homicida — de outra pessoa; suicida
viver”. / Segundo o professor, “a força — de si próprio. Os substantivos cor-
criativa da economia já se transferiu respondentes: parricídio, matricídio,
para o setor informal”. / Quem se fratricídio, etc.
lembra ainda do “nada a declarar”? / Assentir. Regência. 1 — No sentido de
Todos garantiram: “Iremos até o concordar, consentir, prefira a regên-
fim.” cia assentir em: Assentiram em
7 — Use a aspa simples (’) para mar- ficar. / Assentiu em fazer a doação. /
car a frase, expressão ou palavra de um Assentiu no pedido. 2 — Como sinô-
texto que já esteja entre aspas: Diz a nimo de ceder ou aceder, assentir
nota oficial: “O governo rejeita a clas- constrói-se melhor com a: Assentiu
sificação de ‘omisso e insensível aos
ao pedido da filha. / Assentiu aos de-
anseios populares’ que consta do ma-
sejos dos colegas. 3 — Pode ainda ser
nifesto da oposição.” / O documento
intransitivo (sem complemento): In-
diz: “A euforia do ‘já ganhou’ pode
sistiram tanto que ele assentiu.
prejudicar o candidato.” / “É preci-
so”, advertiu o deputado, “evitar que Assessoria. Use Assessoria de Impren-
das galerias partam novos gritos de sa, desde que o órgão tenha esse nome
‘canalhas’ ou ‘vendidos’ contra nós.” formal. A pessoa é assessor de Im-
8 — Em casos excepcionais (econo- prensa.
mia de sinais, por exemplo), admite- Assim como. Concordância. 1 — No
se a aspa simples nos títulos, em vez caso de sujeito composto ligado por
das duplas: Governo adverte: ‘Chega assim como, o verbo concorda com o
de demagogia’. primeiro deles: O pai, assim como o
Assistência 48 Atender

filho, sofre de diabete. A razão do sin- mindo” (supondo, considerando) que


gular: há uma idéia de predominância a idéia seja viável, como executá-la? /
do primeiro elemento sobre o segun- Consulado “assume” (admite, reco-
do. Proceda da mesma forma com nhece) que há falhas nos vistos. / Mé-
bem como, com, como, da mesma dico “assume” (admite) ter abusado
forma que, do mesmo modo que, etc. de paciente. / “Assumindo” (tendo
2 — O plural se justifica apenas nos como certo, admitindo) que ocorres-
casos (raros) em que se queira atribuir se a fecundação, o desenvolvimento
a mesma importância aos dois sujei- do embrião seria duvidoso. 2 — Não
tos: O presidente, assim como (bem use, portanto, em nenhuma hipótese,
como, com, como, da mesma forma a forma assumir que... 3 — No senti-
que, do mesmo modo que) o primei- do de chamar ou tomar para si, o que
ro-ministro, compareceram à cerimô- se assume é a responsabilidade, o
nia. risco, o dever, a autoria, a função, o en-
Assistência. Apenas no basquete. No fu- cargo de alguma coisa, e não essa coisa
tebol, use passe. em si. Veja os exemplos: O grupo as-
Assistir. l — No sentido de presenciar sumiu a autoria do atentado (e não o
ou comparecer, exige sempre a prepo- grupo assumiu o atentado). / O fun-
sição a: Assisti ao jogo. / A comitiva cionário assumiu a responsabilidade
assistiu à abertura dos trabalhos da pelos erros (e não assumiu os erros). /
Câmara. / Os fiéis assistiram à missa. O Banco Central assumiu o encargo
Observações. Uma vez que não exis- das negociações (e não assumiu as ne-
te voz passiva com verbo transitivo in- gociações).
direto, é errado dizer: O jogo “foi as- Asterisco. E não “asterístico”.
sistido” (o certo: visto, presenciado) Astro... Liga-se sem hífen ao termo se-
por 50 mil pessoas. Ainda sobre um guinte: astroarqueologia, astronave-
jogo ou espetáculo, não se pode escre- gação, astrorriza, astrossofia.
ver que alguém queria “assisti-lo”,
A tempo. Ver há tempo, a tempo, pági-
mas apenas assistir a ele (pelo fato de
o verbo ser indireto, rejeita o o como na 138.
complemento). 2 — Como sinônimo Até ... não. Use nem e não “até ... não”:
de prestar assistência a, ajudar, socor- Nem o presidente ficou alheio às di-
rer, o verbo constrói-se em geral com vergências (em vez de: “Até” o presi-
objeto direto: O médico assistiu o dente “não” ficou alheio às divergên-
doente. / Os governos federal e esta- cias).
dual assistiram os flagelados. 3 — Atender. 1 — Para pessoas, use a regên-
Com a preposição a, pode ainda equi- cia direta (atender alguém): O médi-
valer a favorecer, caber (direito ou co atendeu o doente. / O governo
razão), caso em que admite também o atenderá os prefeitos. / O ministro
pronome lhe: Não assistia direito atendeu-os. Empregue também esta
algum aos reclamantes. / É claro que forma para telefone, campainha, bair-
lhe assiste razão nesse caso. 4 — À ex- ro, cidade, região, etc., porque fica
ceção do item 3, assistir rejeita lhe. claro que se atendeu quem fez a liga-
Assim, para substituir a frase nós as- ção telefônica ou tocou a campainha
sistimos à sessão, só se pode dizer que e os moradores do bairro, cidade, re-
assistimos a ela e não que “lhe” as- gião, etc.: Atendeu o telefone. / O pre-
sistimos. feito e o vice atenderam a Vila Jagua-
Assumir. 1 — Em inglês é que assumir ra. / O governador disse que atende-
significa supor, tomar como certo, ad- rá os municípios do sudeste do Esta-
mitir, considerar. Por isso, use uma do. 2 — Para coisas (pedidos, suges-
dessas opções em frases como: “Assu- tões, intimações, etc.), adote a regên-
Atentado 49 Aumentativos

cia indireta (atender a): Atendeu aos Atrair. Conjuga-se como cair (ver, pági-
pedidos do pai. / Atenderam aos con- na 55).
selhos, às solicitações, ao requeri- Atrás, atraso, atrasar. Sempre com s.
mento, aos avisos, à intimação. Através de. 1 — Através exige sempre a
Atentado. Um grupo reivindica ou assu- preposição de. 2 — A locução, no seu
me a autoria de um atentado, e não o sentido correto, equivale a por dentro
próprio atentado. de, de um lado a outro, ao longo de:
Atenuante. Palavra feminina: a ate- Cavalgou através de prados e flores-
nuante, algumas atenuantes. tas. / Viajou através de todo o país. /
Até o, até ao. Use até o, até a, até os e Olhava através da janela. / Foi sem-
pre o mesmo homem honesto através
até as, em vez de até ao, até à, até aos
de anos e anos. 3 — Por isso não use
e até às: Vou até o fim. / Levou a visi-
através de como por meio de, por in-
ta até a porta. / Estendeu suas terras
termédio de ou por simplesmente,
até os limites do Estado. / Até as 8 preferindo uma dessas formas: Soube
horas. da notícia pelo (e não “através do”)
Até porque. a) Porque em uma palavra rádio, pela imprensa, pela televisão. /
só: Não deve se arrepender, até por- Os mudos se comunicam por meio de
que deixou o time em boa situação. gestos. / A notícia chegou por inter-
b) A forma seria por que apenas no médio do porta-voz. / O gol foi mar-
caso de substituir por qual, pelo qual: cado por Túlio. / O assunto foi resol-
Até por que (por qual) caminho ele foi vido por meio de decreto.
queriam saber. Audio... Liga-se sem hífen ao elemento
Aterrissar. 1 — Com dois ss. Use tam- seguinte: audiofreqüência, audiogra-
bém pousar e descer. 2 — Evite os mo- ma, audiotransformador, audiovi-
dismos aterrissar na mesa de alguém, sual.
aterrissar no Congresso, aterrissar no À uma. Ver uma (crase), página 294.
Planalto, etc. 3 — Para pouso na Lua, Aumentar. Regência. 1 — Aumentar al-
use os termos alunissar e alunissa- guma coisa: As montadoras aumen-
gem. taram os preços ontem. / Não parava
Ateu. Feminino: atéia. de aumentar seu patrimônio. / O bi-
Atingir. Sem preposição: As medidas nóculo aumenta os objetos. / O esta-
econômicas atingiram principalmen- do de saúde aumentou sua ansieda-
te os (e não aos) mais pobres. / As pe- de. 2 — Aumentar alguma coisa em:
dras atingiram as crianças (e não Aumentou o preço em 10%. / Aumen-
às). / O frio atingiu o (e não ao) nível tou o preço em 50 reais. / Aumentou
em dez metros o comprimento da
mais intenso. / A inflação atingirá 2%
barreira. 3 — Aumentar em: A cida-
este mês (e não a 2%).
de não parava de aumentar em popu-
À-toa, à toa. 1 — À-toa é adjetivo inva- lação. / O som aumentou em inten-
riável com o sentido de irrefletido, sidade. 4 — Aumentar de: Aumentou
fácil, desprezível: problema à-toa, de peso. 5 — Aumentar, apenas: Os
serviço à-toa, indivíduo à-toa, pes- problemas do País aumentaram
soas à-toa. 2 — Sem hífen, à toa sig- muito. / Os preços aumentam todo
nifica sem destino, irrefletidamente, dia.
ao acaso, inutilmente: Fez o sacrifício Aumentativos. A exemplo dos diminu-
à toa. / Andava à toa pela cidade. / tivos, procure evitá-los, ou usá-los
Brigou com o amigo à toa. com muita parcimônia, mesmo em
Atol. Inicial maiúscula: Atol de Muru- textos coloquiais. Os que já se incor-
roa, Atol das Rocas. poraram à linguagem habitual, no
Aumentos 50 Avisar

entanto (portão, casarão, etc.), pode- de alguns dos principais modelos da


rão ser livremente empregados. Aten- fábrica.
te para as normas que regulamentam Ausência. No singular em frases como:
a questão: Com a ausência de Pedrinho e Almei-
a) Os aumentativos formam-se da, o time... / Os presentes criticaram
principalmente com a desinência ão a ausência do governador e do prefei-
(feminino: ona): barracão, papelão, to na solenidade (e nunca “as ausên-
paredão, caldeirão, grandão (grando- cias”).
na), chorão (chorona), mandão (man- Austro... Liga-se com hífen ao termo se-
dona), solteirão (solteirona), etc. guinte na formação de adjetivos pá-
b) Outros sufixos aumentativos: trios: austro-alemão, austro-brasilei-
aça (barcaça), aço (balaço, ricaço), ro, austro-húngaro.
alha (muralha, fornalha), alhão (gran-
Auto... Hífen antes de vogal, h, r e s:
dalhão, vagalhão), alho (chocalho),
auto-afirmação, auto-estrada, auto-
anzil (corpanzil), arão (casarão), aréu
(fogaréu, povaréu), arra (bocarra), indução, auto-ônibus, auto-hipnose,
arrão (santarrão), asco (penhasco), auto-retrato, auto-suficiência. Em
astro (criticastro, poetastro), az (vila- outros casos: autodeterminação, au-
naz, ladravaz), ázio (copázio), eira (fo- tobiografia, autolotação, autovacina.
gueira), eirão (vozeirão), eiro (cruzei- Autobiografia. Alguém escreve a auto-
ro), ório (finório), orra (cabeçorra), biografia, e não a sua autobiografia
uça (dentuça), zão (pezão) e zarrão (redundância).
(homenzarrão e canzarrão). Autópsia. Embora haja restrições à for-
c) Cuidado, pois o aumentativo mação desta palavra, use-a livremen-
pode assumir caráter pejorativo, de te.
desprezo ou de ironia: bobão, covar- “Avacalhação”, “avacalhar”. Não use.
dão, vermelhão, poetaço, mulheraça, São vulgaridades.
bobalhão, gentalha, amarelão, etc. “Avant-première”. Prefira pré-estréia.
d) Não estranhe: muitas palavras Avaro. Sem acento (pronuncia-se aváro).
femininas têm aumentativos mas-
Avenida. Inicial maiúscula: Avenida
culinos, como cabeção, portão, mu-
Faria Lima.
lherão, figurão, caixão, casarão, cal-
deirão, etc. Averiguar. Conjugação. Pres. ind.: Ave-
e) Evite os aumentativos que sur- riguo, averiguas, averigua, averigua-
gem como meros modismos. Exem- mos, averiguais, averiguam. Pret.
plos: zagueirão, goleirão, becão, jui- perf. ind.: Averigüei, averiguaste, ave-
zão, chutaço, defesaça, goleiraço, etc. riguou, etc. Pres. subj.: Averigúe, ave-
Aumentos. 1 — Ao noticiar aumentos rigúes, averigúe, averigüemos, averi-
de preços, nunca deixe de mencionar güeis, averigúem. Imper. afirm.: Ave-
o novo valor, a porcentagem do au- rigua, averigúe, averigüemos, averi-
mento e o preço anterior. Informe guai, averigúem.
também se é o primeiro, terceiro ou Avestruz. Prefira o masculino: o aves-
quinto do ano e quanto o resultado truz.
acumulado já acusa. Se possível, com- Avisar. Regência. 1 — Avisar alguém:
pare sempre esse total com o índice de Achou mais prudente avisar os cole-
inflação até o momento (mostre se o gas. / Quis avisá-lo logo. 2 — Avisar
aumento supera o índice ou fica abai- alguém de (para ou sobre): Avisou os
xo dele). 2 — No caso dos carros, além amigos dos (para os, sobre os) riscos
de informar a porcentagem do aumen- que corriam. / Avisou-os da (sobre a)
to, registre o preço atual e o anterior tragédia. / Avisou-a para que evitas-
À vista de 51 Barra

se os lugares desertos. 3 — Avisar al- Bandeirante(s). 1 — Bandeirante, sem s:


guma coisa a alguém (forma condena- o bandeirante (desbravador), popula-
da por alguns gramáticos): Avisou aos ção bandeirante (paulista), o bandei-
convidados que não queria presen- rante (o paulista), uma bandeirante
tes. / Avisou-lhes que nada pretendia (moça adepta do bandeirantismo).
para si. 4 — Avisar de alguma coisa: Todas essas formas admitem plural:
Avisou dos perigos que corriam. 5 — os bandeirantes (desbravadores e pau-
Avisar, apenas: Quem avisa amigo é. / listas), homens bandeirantes (paulis-
Ele chegou ontem sem avisar. 6 — tas), as bandeirantes (moças). Ainda
Nunca use o verbo com dois objetos Bandeirante, sem s, mas como nome
diretos, como em: O piloto avisou próprio: o avião Bandeirante, um
“os” passageiros “que” o avião ia Bandeirante, a Casa do Bandeirante,
pousar (o certo: avisou aos passagei- o Bandeirante (de Birigüi). 2 — Ban-
ros que... ou avisou os passageiros de deirantes, nome próprio, com s: dois
que...). Bandeirantes (aviões), Rodovia dos
À vista de. Ver vista, página 312. Bandeirantes, Avenida dos Bandei-
Aziago. Sem acento (a pronúncia corre- rantes (São Paulo), Palácio dos Ban-
ta é aziágo). deirantes, Rede Bandeirantes, Ban-
Azul-marinho. Palavra invariável: gra- deirantes (cidade do Paraná).
vata azul-marinho, ternos azul-mari- Bangue-bangue. Desta forma.
nho. Marinho segue a mesma regra: Banir. Conjuga-se como abolir (ver, pá-
gravata marinho, ternos marinho. gina 22): Banes, bane; bane tu, bani
vós. Não tem a 1ª pessoa do pres. ind.
e todo o pres. subj.
Banto. E não “bantu”.
Barão. Feminino: baronesa.
Barato. 1 — Barato já encerra idéia de
preço. Dessa forma, preço barato é re-
Bacanal. Palavra feminina: a bacanal. dundância. Escreva livro barato, pro-
Bahia. 1 — Com h quando designa o dutos baratos. Para preço, use baixo,
nome do Estado. 2 — O h cai, porém, mínimo, reduzido, insignificante, etc.
nos termos derivados: baiano, baiani- 2 — Como adjetivo, a palavra varia:
dade, coco-da-baía, laranja-da-baía, Comprou roupas baratas. / Pôs anún-
etc. cio procurando uma casa barata / Só
Baía. Escreva Baía de Guanabara, de freqüenta lugares baratos. 3 — Como
Todos os Santos, de Paranaguá, etc. advérbio, permanece invariável:
Comprei barato estas frutas. / Até
Bairro. Inicial minúscula: o bairro de Pi-
que saíram barato tamanhos desafo-
nheiros.
ros. / As frutas custam 10% mais ba-
Baixo. Use a baixo em frases como: rato (e não mais baratas) a partir de
Olhou-o de alto a baixo. amanhã.
Baixo-relevo. Plural: baixos-relevos. Barman. Plural: barmen.
Baixo-ventre. Plural: baixos-ventres.
Barra. Use a barra: 1 — Em formas como
Balança, balanço. Balança comercial, km/h, homens/hora, tonelada/mês,
balanço de pagamentos. carros/dia. 2 — Para separar um verso
“Bâle”. Use Basiléia. do outro, em composição recorrida. 3
Baliza. Com z, assim como balizar ou — Na alternativa e/ou (Estariam ali
balizamento. os pais e/ou os filhos). 4 — Nas datas:
Bandeira Nacional. Iniciais maiúsculas. 3/6/90.
Basiléia 52 Bimensal, bimestral

Basiléia. E não “Basel”. palavras em que bem se liga com hífen


Bastante. 1 — É invariável (advérbio) no ao termo seguinte.)
sentido de muito, suficientemente: Bem como. Concordância. Ver assim
Estavam bastante preocupados. / como, página 47.
Todos ficaram bastante satisfeitos. Bem-vindo. Desta forma. Benvindo é
2 — É variável (adjetivo) quando equi- nome de homem.
vale a suficiente, que basta: Havia Bênção. Plural: bênçãos.
provas bastantes do crime. / Somos Bendizer. Conjuga-se como dizer (ver,
bastantes (suficientes) para fazer o página 99).
trabalho. 3 — Não use a palavra como Beneficência. E nunca “beneficiência”.
sinônimo de muitos, em grande quan- Da mesma forma, beneficente, e não
tidade, em frases deste gênero: Havia “beneficiente”.
“bastantes” (muitas) pessoas na Beneficiar. O verbo é direto: Seu gover-
praça. / “Bastantes” (muitas) escolas no beneficiou os (e não “aos”) paren-
aumentaram as mensalidades. tes. / O árbitro beneficiou a (e não
Bastar. Concorda regularmente com o “à”) equipe da casa.
sujeito: Bastam estes exemplos. / Três Berbere. Sem acento (pronuncia-se ber-
salários mínimos já lhe bastam para bére).
viver. Bestialógico. E não “bestialógio”.
Bastião. Plural: bastiões (prefira) e bas- Bexiga. E não “Bixiga” (São Paulo).
tiães. BH. Aceitável, apenas em títulos, para
Batavo. E nunca “bátavo”. substituir Belo Horizonte.
Bate-estaca. Um bate-estaca, dois bate- “Bi”. Nunca use, muito menos em títu-
estacas. los, para substituir bilhão ou bilhões.
Bater. Um carro bate ou alguém bate Bi... Liga-se sem hífen ao elemento se-
com o carro em alguma coisa: O carro guinte, eliminando-se o h intermediá-
bateu no ônibus. / O motorista bateu rio e duplicando-se o r e o s: biatômi-
com o carro em dois ônibus. Mas não: co, bicampeonato, bielétrico, bigra-
O motorista “bateu o carro” em dois nulado, biebdomadário, biiodeto, bi-
ônibus. lateral, biovulado, birreator, bisse-
Bater (horas). Concordância. Ver horas, xual, biunívoco.
página 140. “Bicha”. Não use, especialmente para
designar homossexual. Se se tratar do
Bávaro. Natural da Baviera (e não “da
verme, prefira lombriga.
Bavária”).
Bilhão. a) Atenção: o valor não é o
“Beijing”. Use Pequim. mesmo em todos os países. No Brasil,
Bem... Exige hífen antes de palavra que na França e nos Estados Unidos, o nú-
tenha vida autônoma ou quando a mero equivale a mil milhões (1 mais
pronúncia o justifique: bem-acabado, 9 zeros: 1.000.000.000). Na Inglater-
bem-aventurado, bem-comportado, ra, na Espanha, na Alemanha, em Por-
bem-dormido, bem-educado, bem- tugal e em outros países, corresponde
fazer, bem-feito, bem-humorado, a um milhão de milhões, ou um tri-
bem-intencionado, bem-lançado, lhão no Brasil (1 mais 12 zeros:
bem-nascido, bem-posto, bem-que- 1.000.000.000.000). b) Concordância.
rer, bem-sucedido, bem-vindo. Exce- Ver milhão, página 177.
ções: bendito, benfazejo, benfeitor, Bimensal, bimestral. Bimensal — que
benfeitoria, benquerença, benque- ocorre ou circula duas vezes por mês,
rente, benquistar, benquisto. (Veja no quinzenal: pagamento bimensal, re-
capítulo Escreva Certo a relação das vista bimensal. Bimestral — que
Bio 53 Bolsa de Valores

ocorre ou circula de dois em dois compostas, a concordância torna-se


meses: rodízio bimestral, revista bi- mais óbvia: mais boa-fé, muita boa-
mestral. fé, mais má-fé, pouca boa-fé, muitas
Bio... Liga-se sem hífen ao termo se- boas-vindas, poucas boas-festas. 6 —
guinte, duplicando-se o r ou s que ini- Usam-se essas expressões também
cie sílaba: bioastronomia, bioener- com melhor e pior: a melhor boa von-
gia, biobotânico, biomagnético, bior- tade, o pior mau humor, o melhor
ritmo, biossatélite. bom gosto, a pior má-criação, a pior
Biópsia. Prefira biópsia a biopsia, embo- má-fé, a melhor boa-fé, etc.
ra ambas as formas sejam corretas. Boca-a-boca, boca a boca. Quando subs-
Birigüi. Com trema e sem acento no i. tantivo, tem hífen (é o próprio proces-
so): O boca-a-boca é a melhor forma
Bisavô, trisavô, tetravô. Bisavô — pai do
de divulgar uma peça teatral. Sem
avô. Trisavô — pai do bisavô. Tetra-
hífen, é mera locução (indica a forma
vô — pai do trisavô (variante popular: do processo): A notícia correu boca a
tataravô). Da mesma forma, bisavó, boca.
trisavó e tetravó (tataravó, na forma
Bochincho. E não “bochicho” e muito
popular). Dessa forma, tetravô (ou ta-
menos “buxixo”.
taravô) não é o pai do bisavô, como se
usa habitualmente. Boemia. Já é aceitável o brasileirismo
boemia (mía), em vez do erudito boê-
Bisneto, trineto, tetraneto. Bisneto —
mia (vida noturna), conforme regis-
filho do neto. Trineto — filho do bis-
tram o Aurélio e o Vocabulário Orto-
neto. Tetraneto — filho do trineto (va- gráfico, da Academia Brasileira de Le-
riante popular: tataraneto). Como se tras. Use apenas Boêmia, porém, para
vê, o tetraneto (ou tataraneto) não é designar a região da Europa.
o filho do bisneto, como se usa habi-
Bojo. Evite a expressão “no bojo de”,
tualmente.
ruim jornalisticamente.
Blitz. Existem dois equivalentes em
Bola da vez. Modismo. Evite.
português: incursão (guerra) e batida
(policial). Plural: blitze. Bolsa de Valores. 1 — Inicial maiús-
cula: a) Para uma ou mais bolsas es-
Boa parte. Concordância no singular: pecíficas. Assim: a Bolsa de Valores
Boa parte das sugestões será aprovei- de São Paulo, a Bolsa de Valores do
tada. / Boa parte das pessoas já pas- Rio, a Bolsa de São Paulo, a Bolsa do
sou. Rio, a Bolsa de Nova York, as Bolsas
Boa vontade. 1 — Boa vontade e má von- de Valores de São Paulo e do Rio, as
tade, bom gosto e mau gosto, bom Bolsas de São Paulo e do Rio. b) Quan-
humor e mau humor funcionam do a palavra Bolsa estiver substituin-
como uma única palavra quando pre- do a Bolsa de São Paulo (neste caso ela
cedidos de mais, menos, muito e pode aparecer sem o nome da cidade)
pouco. 2 — O mesmo ocorre com ou- ou de outra cidade (mas sempre com
tras expressões semelhantes. Assim, o nome desta cidade citado): Estran-
use: mais boa vontade (e não melhor geiros fazem Bolsa bater recorde (era
vontade), mais má vontade (e não a de São Paulo). / Crise derruba Bolsa
pior vontade), mais bom gosto, mais em São Paulo. / Queda do dólar afeta
mau gosto, mais bom humor, mais Bolsa em Nova York.
mau humor. 3 — Igualmente, menos 2 — Inicial minúscula: Quando a
boa vontade, menos má vontade, etc. palavra for usada genericamente ou
4 — Muito e pouco concordam com a para duas ou mais bolsas não especi-
expressão: muita boa vontade, pouca ficadas no título. Exemplos: O me-
má vontade. 5 — Com as palavras lhor investimento atualmente é
Bom 54 Cacoete

jogar na bolsa. / Crise derruba bol- Bucho, buxo. Bucho — estômago; buxo
sas. / Exemplo mexicano afeta bolsas — planta.
da América Latina. / Entrada de dó- Bulir. Conjuga-se como acudir (ver, pá-
lares anima as bolsas. gina 31): bulo, boles; bulia; que eu
Bom. Ver em é preciso, página 111, a bula; bole tu, buli vós; etc.
concordância de é bom. Buquê. Desta forma, tanto para o rama-
Bomba. 1 — Liga-se com hífen a outro lhete de flores como para o aroma do
substantivo: argumento-bomba, car- vinho.
ros-bomba. 2 — Evite as locuções Burgomestre. Aceitável apenas em edi-
cair, estourar e explodir como uma toriais ou artigos — mas nunca em re-
bomba, que são lugares-comuns. portagens ou notícias como sinônimo
Bonachão. Flexões: bonachona e bona- de prefeito.
chões.
Button. E nunca “bottom”, que signifi-
Bons motivos para comemorar. Lugar- ca fundo, traseiro, em inglês, nem
comum. Não use. “botton”.
Bordel. Plural: bordéis (Bordéus é nome
“Buxixo”. Não existe. O certo é bochin-
de cidade).
cho.
Borderô. Desta forma.
Buzina. Com z.
Bordéus. Aportuguesamento do nome
da cidade francesa Bordeaux.
Bordo. Use a bordo de apenas no senti-
do literal (a bordo do navio, passagei-
ros a bordo) e nunca no figurado, mero
modismo (a bordo do mandato, a
bordo do marido, a bordo de seus sen-
timentos, etc.). Cabeleireiro. Atenção para o i.
Borgonha. Aportuguese o nome da re- Caber. Conjugação. Pres. ind.: Caibo,
gião francesa. cabes, cabe, cabemos, cabeis, cabem.
Bossa nova, bossa-nova. 1 — Sem hífen, Pret. perf. ind.: Coube, coubeste,
designa maneira recente de fazer algu- coube, coubemos, coubestes, coube-
ma coisa: a bossa nova (na música). 2 ram. M.-q.-perf. ind.: Coubera, coube-
— Com hífen, é o adjetivo correspon- ras, coubera, coubéramos, coubéreis,
dente, que não varia no plural: músi- couberam. Imp. subj.: Coubesse, cou-
ca bossa-nova, teatro bossa-nova, besses, coubesse, coubéssemos, cou-
concepções bossa-nova. bésseis, coubessem. Fut. subj.: Cou-
Botijão. Prefira esta forma a bujão. ber, couberes, couber, coubermos,
Branco. Não existe voto “branco”, mas couberdes, couberem. Não tem impe-
apenas em branco. rativo. Os demais tempos são regula-
Brandir. Conjugação. Só tem as formas res. (Particípio: cabido.)
em que ao d se segue e ou i: brande, Cabo. Inicial maiúscula: Cabo da Boa
brandiu, etc. Esperança.
Brás. Com s para designar tanto o bair- Cabo eleitoral. Sem hífen.
ro como os nomes próprios: Vences- Cabul. Escreva desta forma o nome da
lau Brás, Brás Cubas, etc. capital do Afeganistão.
Brecht. Atenção para o primeiro nome: Cacoete. Significa tique, mania. Por
Bertolt e não Bertold. isso, é inadequado escrever que um jo-
Bruços. De bruços, no plural. gador “não tem cacoete de atacante”.
Cacófato 55 Caixa

Cacófato. É o encontro de sílabas, em anteriormente: As blusas custam 40


palavras diferentes, formando som reais cada uma (e não 40 reais cada). /
desagradável ou palavra obscena. Não Vendia livros a 30 reais cada um (e
deve constituir preocupação obsessi- não a 30 reais cada). 6 — Não se usa
va de quem escreve, mas há cacófatos cada um, porém, antes de substanti-
perfeitamente evitáveis, como por ra- vos que indicam valor ou medida:
zões (por motivos), triunfo da (vitória Cada hora (e não cada uma hora),
da), etc. cada real (e não cada um real), cada
Eis alguns casos que ocorrem com quilômetro, cada quilo, cada ano,
freqüência e, entre parênteses, opções etc. A razão: cada já encerra a idéia de
para contorná-los: paraninfo de ou unidade.
da, bafo de ou da (hálito de ou da), Cada qual. Verbo na terceira pessoa do
boca dela (sua boca), de então (daí, singular quando cada qual resumir
dessa época), já nela, por rádio (pelo uma enumeração: Médico, jornalista,
rádio), por radiação (pela radiação), engenheiro, cada qual tem sua ética.
por razões (por motivos), por cada Cada um. Verbo na terceira pessoa do
(para cada, por), conforme já, o time singular: Cada um deles tem seu
já, deu-me já, critica Garcia, Lorca quarto. / Cada um de nós trabalha
ganha, marca gol, nunca gostou (ja- em empresas diferentes. / Cada um
mais gostou), confisca gado, critica de vós será chamado a opinar. A con-
governador, ela tinha, só linha, etc. Se cordância é a mesma se cada um re-
necessário, mude a estrutura da frase sume uma enumeração: Pai, mãe,
para fugir, pelo menos, aos mais fla- filho, cada um tinha seu quarto.
grantes. Cães. Ver animais, página 37.
Cada. 1 — Acompanha um substantivo, “Cafetão”. Vulgaridade. Use cáften.
outro pronome ou numeral e, no uso Cair. Conjugação. Pres. ind.: Caio, cais,
correto, indica diversidade de ação: cai, caímos, caís, caem. Imp. ind.:
Usa cada dia (um dia um, outro dia Caía, caías, caía, caíamos, caíeis,
outro) um terno diferente. / Cada jor- caíam. Pret. perf. ind.: Caí, caíste,
nalista tem seu estilo. / Cada maca- caiu, caímos, caístes, caíram. M.-q.-
co no seu galho. 2 — Se a ação for a perf. ind.: Caíra, caíras, caíra, caíra-
mesma, deve-se usar todo: Faz a mos, caíreis, caíram. Fut. pres.: Cai-
barba todo dia (em vez de cada dia). / rei, cairás, cairá, cairemos, caireis,
Estuda inglês todo dia (e não cada cairão. Fut. pret.: Cairia, cairias, cai-
dia). / Muda de casa todo ano (e não ria, cairíamos, cairíeis, cairiam. Pres.
cada ano). 3 — Não pode ser usa- subj.: Caia, caias, caia, caiamos,
do antes de plural (cada férias, cada caiais, caiam. Imp. subj.: Caísse, caís-
óculos, cada núpcias), mas apenas ses, caísse, caíssemos, caísseis, caís-
antes de numeral: cada 3 dúzias, cada sem. Fut. subj.: Cair, caíres, cair, cair-
seis pessoas, cada 30 dias. Concor- mos, cairdes, caírem.
dância, neste caso: Cada 3 dúzias cus- “Cair geada”. A geada não cai, embora
tam... / Cada seis pessoas vão... / alguns dicionários usem o termo
Cada 30 dias representam... 4 — Pode nesse sentido. Ela é produto da con-
combinar-se com qual e um, quando densação das gotas de orvalho na plan-
falta o substantivo: Cada qual sabe o ta. Escreva, por isso, formar-se geada
que fazer. / Venha cada qual com seu ou gear.
par. / Cada um herdará duas casas. / Caixa. 1 — A palavra é feminina quan-
Veja se cada uma sabe como agir. 5 do designa seção, repartição ou órgão:
— Cada um é também a forma corre- Foi até a caixa. / A Caixa Econômi-
ta nas referências a valores expressos ca. 2 — Como livro de escrituração,
Caixa de... 56 Caráter

tem o gênero masculino: Registrou as não a deputados), a líder, a vereador,


despesas no caixa. 3 — Por fim, se se a prefeito, a médico, a fiscal, a dati-
refere ao funcionário, concorda com o lógrafo, etc. 2 — Se as candidatas
sexo deste: Ele é o novo caixa do forem mulheres, há duas possibilida-
banco. / Ela era a caixa da empresa. des: a) O cargo fica no masculino se
Caixa de... O outro elemento vai para o puder ser ocupado por pessoas de
plural: caixa de fósforos, caixa de pa- qualquer sexo: Ela foi candidata a
litos, caixa de sapatos, etc. prefeito. / Há 50 candidatas a depu-
Calda, cauda. Calda — solução de açú- tado em São Paulo. / Eram 30 candi-
car: calda de caramelo. Cauda — datas a datilógrafo. b) Se o cargo se
rabo, apêndice: cauda do macaco, destinar apenas a mulheres, fica no fe-
piano de cauda. minino: Eram dez candidatas a secre-
Câmara. A casa do Congresso chama-se, tária (presume-se que se exijam mu-
oficialmente, Câmara dos Deputa- lheres apenas). / Havia muitas candi-
dos (e não “Câmara Federal”). Os ve- datas a costureira. 3 — A preposição
readores são membros da Câmara usada com candidato, candidatura e
Municipal. Pode-se usar Câmara, candidatar-se é a e não para: Candi-
apenas, desde que fique claro a qual dato a governador, candidatura ao
delas o texto se refere. Senado. / Candidatou-se a um minis-
Câmera. Designe desta forma o apare- tério.
lho fotográfico, de cinema, de vídeo,
Cânon. Plural: cânones.
etc. Escreva, no entanto, música de
câmara e não de câmera. Cão. Feminino: cadela. Plural: cães.
Caminhoneiro, caminhonete. Use estas Capelão. Plural: capelães.
formas em lugar de camioneiro e ca- Capitais brasileiras. Ver Estados, pági-
mioneta. na 116.
Campeonato. Inicial maiúscula: o Cam- Capital. Inicial minúscula, seja a refe-
peonato Brasileiro de Futebol, o rência a São Paulo ou a qualquer outra
Campeonato Paulista, o Campeona- capital do País: A capital. / Chuva
to Gaúcho, o Campeonato Espanhol, causa mortes na capital. / Trânsito
etc. pára a capital. / A capital de São
“Campesinato”, campesino. Campesi- Paulo, a capital fluminense, a capital
nato não existe em português (use ca- federal, as capitais.
tegoria rural ou os trabalhadores ru- Capitão. Flexões: capitã (prefira), capi-
rais) e campesino deve ser substituí- toa e capitães.
do por agrícola, rural ou campestre,
Capítulos. Até 10, em ordinais; de 11 em
conforme o caso.
diante, em cardinais. Use algarismos
Camponês. Quando se tratar do Brasil,
arábicos, e não romanos: capítulo 1º,
substitua a palavra por lavrador, agri-
capítulo 10º, capítulo 25.
cultor, trabalhador rural, plantador,
cortador de cana (se for o caso), etc. Capta/capita. Captar, decapitar, per ca-
Campos Elísios. E não “Elíseos”. pita, desta forma.
Câmpus. Aportuguesado: o câmpus, os Cara. Quando se tratar de pessoas, pre-
câmpus. fira rosto.
Canal. Inicial maiúscula: Canal da Cara-pálida. Com hífen. Plural: caras-
Mancha. pálidas.
Candidato a. 1 — Os cargos a que as pes- Cara-pintada. Com hífen. Plural: caras-
soas se candidatam ficam sempre no pintadas.
singular: candidatos a deputado (e Caráter. Plural: caracteres.
Cardio... 57 Cargos (hífen)

Cardio... Liga-se sem hífen à palavra ou 5 — Título ou qualificação. Pro-


elemento seguinte. Exemplos: car- cure dar sempre um título ou qualifi-
diograma, cardiologia, cardiorrespi- cação à pessoa incluída no noticiário:
ratório, cardiovascular. o príncipe Charles, a princesa Anne,
Cargos (como usar). 1 — A instituição a rainha Elizabeth, o papa João Paulo
que alguém representa tem inicial II, o empresário Antônio Ermírio de
maiúscula. Assim: a Presidência da Moraes, o escritor Jorge Amado, o te-
República, o Ministério da Fazenda, nista Pete Sampras, o piloto Michael
a Secretaria do Planejamento, a Pro- Schumacher, o cantor Emílio Santia-
curadoria-Geral da República, a go, o compositor Chico Buarque, o
Consultoria-Geral da República, a professor João de Almeida, o advoga-
Vice-Presidência da República, a Su- do Saulo Ramos, a dona de casa
perintendência do Abastecimento. Joana Rodrigues, etc.
2 — O ocupante do cargo, no en- 6 — Governo federal. O Estado de-
tanto, é indicado com inicial minús- signa governo e governo federal com
cula: o presidente da República, o mi- inicial minúscula. Assim: O comba-
nistro da Fazenda, o secretário do te à sonegação proposto pelo governo
Planejamento, o procurador-geral da federal será uma tarefa difícil de ser
República, o consultor-geral da Re- cumprida. / É mais um tributo impos-
pública, o vice-presidente da Repú- to pelo governo.
blica, o prefeito de São Paulo, o supe- Cargos (hífen). 1 — Use hífen na desig-
rintendente do Abastecimento, o nação dos cargos que fazem parte da
gerente de Esportes, o diretor de Cir- hierarquia normal das empresas par-
culação, o assessor de Imprensa, o di- ticulares e públicas e entidades.
retor de Futebol, o gerente de Pesqui- Assim: secretário-geral, diretor-res-
sas e Planejamento, etc. ponsável, diretor-financeiro, secretá-
3 — Cargo antes. Com raras exce- rio-executivo, diretor-gerente, sócio-
ções, o cargo ou a qualificação de uma gerente, diretor-administrativo, edi-
pessoa deve vir antes do nome, por- tor-chefe, editor-executivo, gerente-
que é ele (ou ela) que justifica a sua administrativo, diretor-adjunto, edi-
presença no noticiário: O governador tor-assistente, diretor-comercial, pri-
de São Paulo, Mário Covas... / O pre- meiro-secretário, etc.
feito de São Paulo, Celso Pitta... (e 2 — Só não haverá hífen quando
nunca: Mário Covas, governador de essas palavras forem ligadas pela pre-
São Paulo..., ou Celso Pitta, prefeito posição de: diretor de Redação, geren-
da capital...) Da mesma forma: O di- te de Vendas, diretor de Finanças,
retor da Receita Federal, João de Al- chefe de Produção, editor de Texto,
meida, revelou... / O técnico do Ca- secretário de Esportes, ministro da
brobó, João da Silva... Fazenda, chefe de Reportagem, etc.
4 — Feminino. O Estado adota no 3 — É importante não confundir o
feminino o título dos cargos ocupados caso dos cargos de hierarquia interna
por mulheres ou a sua qualificação. com a simples denominação da ativi-
Assim: ministra, primeira-ministra, dade de uma pessoa. Dessa forma, não
senadora, deputada, governadora, se- existe hífen em: jornalista econômi-
cretária, prefeita, vereadora, juíza, co, diretor teatral, cientista político,
promotora, procuradora, desembar- cronista esportivo, engenheiro eletrô-
gadora, advogada, engenheira, capi- nico, engenheiro civil, cirurgião plás-
tã, etc. Atenção: use presidente tanto tico, médico operador, ator cômico,
para o homem como para a mulher. assessor legislativo, etc.
Cargos (uso da vírgula) 58 Cediço

4 — No caso de patentes militares, critor casa bem as idéias. 2 — Casar


porém, use o hífen, mesmo com de: alguém ou alguma coisa com ou a: O
capitão-de-mar-e-guerra, capitão-de- padre casou o empresário com a mo-
fragata, general-de-exército, general- delo. / Ele casava a fraqueza com a
de-divisão, general-de-brigada, etc. indiferença. / Seu texto casava a ele-
Cargos (uso da vírgula). Ver aposto, gância ao apuro lingüístico. 3 —
item 2, página 39. Casar com (tr. ind.): A moça casou
Carioca, fluminense. Carioca — da ci- com o tio. / O deputado casou com a
dade do Rio de Janeiro: moça carioca, senadora. 4 — Casar, apenas (intr.): O
praias cariocas, a prefeitura carioca. jogador casou muito jovem. / Quan-
Fluminense — do Estado do Rio de Ja- do nem esperava mais, casou. 5 —
neiro: cidades fluminenses, as serras Casar-se com ou a (pron.): Ele se casou
fluminenses, o governo fluminense. com a vizinha. / Sua mágoa casou-se
O governo ou o governador é sempre com o despeito. / Suas aspirações ca-
fluminense. Da mesma forma, As- savam-se às do pai.
sembléia Legislativa fluminense, po- Caso. 1 — Ver acaso, página 27. 2 —
lícia fluminense. Com relação à cida-
Com inicial minúscula quando sinô-
de do Rio de Janeiro, use prefeito ca-
nimo de episódio: caso Watergate,
rioca, Câmara carioca, etc.
caso Lubeca.
Carnaval. Inicial minúscula: carnaval.
Cassete. Funciona como palavra inva-
Caro. 1 — Caro já significa de preço ele-
riável quando acompanha um subs-
vado. Dessa forma, “preço caro” cons-
tantivo: fita cassete, gravadores cas-
titui redundância. Escreva: O pão está
sete.
caro. / Artigos caros. O preço pode ser
alto, elevado, exagerado, excessivo, Castelão. Flexões: castelã (prefira), cas-
etc. 2 — Quando adjetivo, varia: Com- teloa, castelana, castelões (prefira) e
prou roupas caras. / Só freqüenta lu- castelãos.
gares caros. / Estas frutas são caras. 3 Castelhano. Ver espanhol, página 114.
— Como advérbio (equivale a de Cataclismo. E não “cataclisma”.
modo caro), permanece invariável: Catalão. Flexões: catalã e catalães.
Comprei caro estas frutas. / Vendeu Catalisar. Com s, assim como catalisa-
caro as duas casas. / Pagou caro aque- dor.
les desaforos. / As bebidas custam
25% mais caro a partir de amanhã. Cateter. Sem acento (pronuncia-se cate-
tér).
Carros. No caso do aumento do preço
dos carros, além de informar a porcen- Caudal. No masculino: o caudal, um
tagem da elevação, registre o preço caudal.
atual e o anterior de alguns dos prin- CD-ROM. Plural: CD-ROMs. Atenção.
cipais modelos da fábrica. Não pronuncie CD-“rum”, mas CD-
Carta Magna. Iniciais maiúsculas. rôm.
Cartel. Inicial maiúscula: Cartel de Me- Ceasa. É o nome popular, em São Paulo,
dellín. da Companhia de Entrepostos e Ar-
Casal. Concordância no singular: O mazéns Gerais do Estado de São Paulo
casal João da Silva e Maria Santini (Ceagesp) e do local onde está situa-
dançou muito na festa (e nunca “dan- da. No texto, use a forma Ceagesp. Em
çaram”). outras cidades e Estados, existem ór-
Casar. Regência. 1 — Casar alguém (tr. gãos chamados Ceasa, redução de
dir.): O juiz os casou no cartório. / O Central de Abastecimento S.A.
deputado casou a filha ontem. / O es- Cediço. Forma correta, e não “sediço”.
Cela, sela 59 Chamar

Cela, sela. Cela — aposento; sela — as- misteriosamente como partira. / A


sento. amizade de certas pessoas não faz
Centigrama. Palavra masculina: dois falta. 2 — Depois do substantivo,
centigramas. equivale a verdadeiro, definido, exato:
Centímetro. Ver distância, página 98. A amizade das pessoas certas faz
Centro... Exige hífen na formação de ter- falta. / Ele chegou no dia certo. / Es-
mos geográficos ou gentílicos: centro- colheu a carreira certa. 3 — Só quan-
americano, centro-africano, Centro- do existe idéia de ênfase, pode apare-
Oeste, Centro-Sul. Nos demais senti- cer o um antes de certo (o normal,
dos, liga-se à palavra ou elemento de porém, é a omissão do artigo): Não es-
composição seguinte sem hífen: cen- condia uma certa mágoa. / Tinha
troavante, centroencefálico, centro- certa necessidade de afirmação. /
médio, centrossomo. Levou certo tempo para se retirar. /
Cerca de. 1 — Indica arredondamento, Chegou certo dia sem avisar. / Guar-
assim como coisa de ou perto de: dava certa graça da juventude.
cerca de cinco crianças, perto de dez Cerzidor. Feminino: cerzideira.
homens, coisa de mil pessoas. Assim, Cerzir. E não “serzir”.
nunca indique números exatos com Cesárea, cesariana. Desta forma, um
essas formas: cerca de 18 pessoas, termo com e e outro com i. Prefira, no
perto de 74 homens, coisa de 152 entanto, cesariana ou operação cesa-
crianças. 2 — A concordância é ex- riana.
pressa pelo numeral ou equivalente: Cessão. Ver seção, página 261.
Cerca de mil pessoas se reuniram Chacina. Chacina não mata pessoas,
ali. / Perto de uma tonelada de gêne- nem provoca a morte delas, porque é
ros foi perdida na enchente. / Exis- efeito e não causa. Assim, é errado es-
tiam cerca de 50 crianças em cada crever: Chacina “mata” seis na peri-
sala. / Cabia ali coisa de uma cente- feria. / Chacina “causa a morte” de
na de livros. 3 — Diferença entre acer- mãe e dois filhos. Veja opções corre-
ca de, a cerca de, cerca de e há cerca tas: Mãe e dois filhos executados na
de: ver acerca de, página 29. periferia. / Chacina deixa três mortos
Cerebro... Liga-se sem hífen ao elemen- na periferia. / Mãe e dois filhos são ví-
to seguinte: cerebrocardíaco, cere- timas de chacina.
bropsicose, cerebrorraquidiano. Ex- Chamar. Regência. 1 — Chamar al-
ceção: cérebro-espinhal. guém: Chamou o filho e saíram. /
Certificar. Regência. 1 — Certificar al- Chamou-o às 6 horas. 2 — Chamar al-
guma coisa: A decisão certificou seus guém para ou a: Chamou os funcio-
conhecimentos. 2 — Certificar al- nários para uma reunião. / Chamou
guém de alguma coisa: Certificaram- os filhos a si. / Chamou-os para avisá-
no da decisão. / Certificaram os ami- los do jogo. 3 — Chamar por alguém:
gos do ocorrido. / Queria certificá-lo Chamou por eles. / Chamou pelos
da verdade. 3 — Certificar alguma amigos. 4 — Chamar alguém ou algu-
coisa a alguém: Certificaram-lhe o ma coisa de: Chamou o inimigo de co-
ocorrido. / Certificou-lhe que nin- varde. / Chamou a atitude de intem-
guém duvidava da sua competência. pestiva. / Chamou aquela idéia de
4 — Certificar-se de: Queria certifi- agressão à nacionalidade. 5 — Cha-
car-se da verdade. / Pretendo certifi- mar, apenas: Todos começaram a
car-me dos acontecimentos. chamar ao mesmo tempo. / Pôs-se a
Certo. 1 — Antes do substantivo, equi- chamar, em vão. / O telefone está
vale a algum, qualquer: Tinha certas chamando. 6 — Chamar-se: Ele se
regalias. / Certo dia ele chegou, tão chama Antônio. / Chamou-se louco.
Chamar a atenção 60 Cidades (nomes reduzidos)

7 — Há outras construções possíveis, Chave. Liga-se com hífen a outro subs-


que convém evitar, no entanto, por tantivo e não varia no plural: questão-
terem uso jornalístico muito restrito: chave, postos-chave.
O amigo chamava-o perdulário. / “Checar”. Anglicismo a evitar. Verifi-
Chame-lhe Maria, se você quiser. / car, conferir, confrontar e comparar
Chamou-lhe de ingênuo. / Chamou têm o mesmo significado. Substitua
sonhador ao amigo. checagem pelos substantivos corres-
Chamar a atenção. Chama-se a atenção pondentes.
de alguém, mas ninguém “é chamado Chefe. A mesma forma para o masculi-
à atenção”. no e o feminino: o chefe, a chefe, as
Chamariz. E não “chamarisco”. chefes.
Champanhe. Palavra masculina: o Chegar a. 1 — Verbos de movimento
champanhe. exigem a e não em: Delegação russa
Chance. Use a palavra apenas no senti- chega hoje a (e não “em”) São Paulo.
do positivo: O time ainda tem chan- Igualmente: A chegada do jogador ao
ces de ser campeão. Nos demais (e não “no”) Brasil está marcada para
casos, recorra a risco, possibilidade ou amanhã. 2 — Chegar em, só na desig-
probabilidade: Droga reduz risco (e nação de tempo (Chegará em meia
não “chance”) de enfarte. / Pacientes hora. / Chegamos em cima da hora)
desse grupo têm maiores possibilida- ou com a palavra casa (Chegou tarde
des (e não “chances”) de contrair a em casa).
doença. / A probabilidade (e não “Chic”. Use chique ou elegante.
“chance”) de um réu negro ser conde-
China. Elemento usado nos adjetivos
nado é muito maior.
pátrios compostos: sino. Exemplos:
Chanceler. Na Alemanha e na Áustria, sino-brasileiro, sino-japoneses.
corresponde a primeiro-ministro e
Chope. Use a forma aportuguesada: um
não a ministro das Relações Exterio-
chope, três chopes.
res.
Chão. Como adjetivo (plano, franco, Chorão. Flexões: chorona e chorões.
simples, despretensioso), admite fe- Chuchu. Forma correta.
minino, chã: idéias chãs, palavras Chutar, chute. Só no futebol. No bas-
chãs, maneira chã. Plural: chãos quete, use arremessar e arremesso.
(substantivo e adjetivo). “Ciclo vicioso”. Não existe. O certo é
“Chargeado”. Não existe em português. círculo vicioso.
Use atacado, assediado ou acossado. Cidadão. Flexões: cidadã e cidadãos.
Charlatão. Flexões: charlatã (prefira), Cidades (nomes reduzidos). 1 — O Es-
charlatona, charlatães (prefira) e char- tado rejeita, tanto nos títulos como no
latões. noticiário, as formas abreviadas “Ca-
Chassi. Use chassi no singular e chassis raguá” (por Caraguatatuba), “Guará”
no plural. (por Guaratinguetá), “Itaquá” (por Ita-
Chato. 1 — Pode ser usado normalmen- quaquecetuba) e “Pinda” (por Pinda-
te como sinônimo de plano, liso: Era monhangaba). Use sempre o nome
um objeto chato como um disco voa- completo da cidade. 2 — Prefira sem-
dor. 2 — No entanto, para substituir pre Rio a Rio de Janeiro. 3 — Nos tí-
maçante, restrinja seu emprego à lin- tulos, São Paulo pode ser abreviada
guagem coloquial ou às frases entre para SP, Belo Horizonte, para BH e
aspas. No lugar, conforme o caso, re- Nova York, para NY. Mas não use PA
corra a desagradável, aborrecido, mo- para Porto Alegre nem LA para Los
nótono ou cansativo. Angeles.
Cientificar 61 CNPq

Cientificar. Regência. 1 — Cientificar teoria (em vez de: “Citou que” vários
alguém: Antes de mudar o projeto, é autores defendiam a mesma teoria).
preciso cientificá-los. 2 — Cientificar Citibank. Sem y, assim como a holding
alguém de alguma coisa: O governo do grupo, Citicorp. Para a forma abre-
cientificou o País das mudanças na viada, use Citi.
Previdência. / Venho cientificá-lo da Cizânia. Desta forma.
nossa decisão. 3 — Cientificar-se de Clã. Palavra masculina: o clã, os clãs.
alguma coisa: Queria antes cientifi- Classificação. Mesmo que haja mais de
car-se do ocorrido. um concorrente de um campeonato
Cima. O a não se junta a cima em fra- ou torneio em 1º, 2º, 3º, 4º lugar, etc.,
ses como: Olhou-a de baixo a cima a classificação será apresentada sem-
(para cima). pre nesta ordem, sem saltar posições.
Cinco-estrelas. Ver estrelas, página 118. Exemplo: 1º — Michel Renault e
Cine. A redução só pode ser usada antes Franz Mann, 18 pontos; 2º — Charles
de um nome: Cine Brasil. Não escre- Smith e Alain Piccoli, 16 pontos; 3º —
va, porém: Fecha mais um “cine” Carlino Autobelli, 12 pontos (e
(mas cinema) em São Paulo. nunca: 1º — Michel Renault e Franz
Cinqüenta. É a forma correta, e nunca Mann, 18 pontos; 3º — Charles Smith
“cincoenta”. Use igualmente cin- e Alain Piccoli, 16 pontos; 5º — Car-
qüentenário, cinqüentão, etc. lino Autobelli, 12 pontos). Adote o
Cintra, Sintra. Cintra é tanto sobreno- mesmo critério para o futebol, vôlei,
me quanto o nome de uma serra de basquete ou qualquer outro esporte.
Minas. A sede de concelho ou serra de Classificação, classificar-se. Use a pre-
Portugal chama-se Sintra. posição para: Conseguiu classifica-
ção para o torneio. / Classificou-se (e
Circuito. Sem acento (pronuncia-se cir-
não “classificou” apenas) para a final
cúito).
do campeonato.
Circular. Um documento circula, mas
Clipe. Aportuguesado. Plural: clipes.
não se pode “circular um documen-
to”. Assim, escreva: O documento (o Club, Clube. Seguem-se os nomes de al-
jornal) circulou entre todos os funcio- guns clubes em que a palavra aparece
nários da empresa (e nunca: A empre- ora grafada como Club, ora como
sa “circulou” o documento (o jornal) Clube: Automóvel Club do Brasil,
Automóvel Clube Paulista, Clube
entre os funcionários). O certo, neste
Alto dos Pinheiros (SP), Clube Naval
caso, é: A empresa fez o documento
(Rio), Club Transatlântico (SP),
(o jornal) circular entre os funcioná-
Country Club (Rio), Esporte Clube
rios.
Pinheiros (SP), Esporte Clube Sírio
Circular com desenvoltura. Modismo. (SP), Iate Clube do Rio de Janeiro,
Evite. Jockey Club Brasileiro, Jockey Club
Círculo vicioso. E não “ciclo vicioso”. de São Paulo, Touring Club e Ita-
Cirurgião. Flexões: cirurgiã, cirurgiões nhangá Golf Club.
(prefira) e cirurgiães. CNBB. Conferência (e não “Confedera-
Cis... Liga-se sem hífen ao termo se- ção”) Nacional dos Bispos do Brasil.
guinte: cisalpino, cisplatino, cisrena- CNEN. Desta forma, em cA.
no, cisserrano, cisuraniano. CNPq. Nome da entidade: Conselho
Cisto. Prefira quisto. Nacional de Desenvolvimento Cien-
“Citar que”. Cita-se alguma coisa ou al- tífico e Tecnológico (a designação
guém, mas não se cita que: Citou vá- Conselho Nacional de Pesquisas é an-
rios autores que defendiam a mesma tiga).
Co... 62 Coletivos

Co... De acordo com as normas oficiais, pregado na passiva: O assunto não foi
“é seguido de hífen, quando tem a sig- cogitado na reunião.
nificação de a par e o segundo ele- Coimbra. Adjetivo pátrio: coimbrão. Fe-
mento possui vida autônoma na lín- minino: coimbrã. Plural: coimbrãos.
gua”: co-autoria, co-beligerante, co- Coisa de. Ver cerca de, página 59.
contratante, co-doador, co-eleito, co- Colaborar. Colabora-se com alguém,
fundador, co-gerir, co-herdeiro, co-in- mas se colabora para alguma coisa:
quilino, co-mandatário, co-nacional, Os empresários colaboraram com os
co-opositor, co-participante, co-pro- políticos. / Tudo colabora para o su-
dução, co-réu, co-secante, co-tangen- cesso da campanha. / Ele colaborou
te, co-unívoco, co-valência, co-varia- para as obras da igreja.
ção. Como são inúmeras as exceções Colarinho-branco. Com hífen designa a
ou casos em que fica difícil aplicar a pessoa: Era um crime típico de cola-
regra geral, convém consultar o dicio- rinho-branco. / A punição foi basea-
nário. Alguns exemplos de palavras da na Lei do Colarinho-Branco.
em que o prefixo co se liga sem hífen “Colchão”. A carne é coxão (de coxa) e
ao elemento seguinte: coaglutinação, não “colchão”: coxão mole, coxão
coessência, coestaduano, coeternida- duro.
de, cofunção, coirmão, coligação, co-
Colchetes. Servem para intercalar ob-
mistura, conotação, coobrigação,
servações em textos alheios: “Aí eu
correlativo, correligionário, covolu-
disse ao Petrônio [Petrônio Portela,
me.
então presidente do Senado] que o
Cobrar. Cobra-se alguma coisa (a al- projeto não poderia ser aprovado.”
guém), mas não se cobra alguém: Eles Coleção de ... O outro elemento vai para
cobraram as horas extras. / Os depu- o plural: coleção de selos (e não “de
tados cobraram-lhe o apoio prometi- selo”), coleção de botões, de livros,
do (e não: Eles “cobraram o presiden- etc.
te”. / Eles “cobraram o presidente”
Cólera. Use a palavra no feminino,
pelo apoio prometido).
tanto para designar fúria, raiva, quan-
Cobrir. Conjugação. Pres. ind.: Cubro, to a doença: Enfrentou a cólera da
cobres, cobre, cobrimos, cobris, co- multidão. / Eram doentes contami-
brem. Pres. subj.: Cubra, cubras, nados pela cólera.
cubra, cubramos, cubrais, cubram. Coletivos. Segue-se uma relação de co-
Imper. afirm.: Cobre, cubra, cubra- letivos, alguns óbvios e outros menos
mos, cobri, cubram. Os demais tem- conhecidos. Da lista foram excluídos
pos são regulares. termos que, embora específicos, não
Coca, cocaína. Coca é a planta e cocaí- têm uso jornalístico (como fato, para
na, a droga: Mastigou as folhas de cabras, ou cáfila, para camelos). Se
coca. / Era viciado em cocaína. não encontrar a palavra adequada,
Cogitar. 1 — Use cogitar, de preferência, lembre-se de que muitos deles funcio-
como indireto: Ninguém cogitara de nam como curingas, caso de bando,
deixá-lo sozinho. / Descansar era grupo, turma, etc.:
tudo de que cogitava naquele mo- Alcatéia — de lobos, de javalis, de
mento. 2 — Mais raramente, constrói- panteras, de hienas.
se também com as preposições em e Armada — de navios de guerra.
sobre: Prometeu cogitar na suges- Arquipélago — de ilhas.
tão. / Ficou a cogitar sobre como po- Arsenal — de armas e munições.
deria sair daquela situação. 3 — Por Assembléia — de pessoas reunidas.
admitir a regência direta, pode ser em- Atlas — de mapas.
Coletivos 63 Coletivos

Baixela — de utensílios de mesa. Elenco — de artistas, de atores, de jo-


Banca — de examinadores. gadores.
Banda — de músicos. Enxame — de abelhas.
Bando — de pessoas em geral, de aves, Esquadra — de navios de guerra.
de ciganos, de bandidos. Esquadrilha — de aviões.
Batalhão — de soldados. Fauna — de animais de uma região.
Bateria — de peças de guerra, de cozi- Feixe — de raios luminosos, de lenha.
nha, de instrumentos de percussão, Flora — de plantas de uma região.
de perguntas. Fornada — de pães.
Biblioteca — de livros catalogados. Frota — de navios de guerra ou mer-
Bosque — de árvores. cantes e de veículos pertencentes à
Buquê — de flores. mesma empresa.
Cabido — de cônegos. Gado — conjunto de animais criados
Cacho — de bananas, de uvas. em fazendas.
Cambada — de coisas que estejam Galeria — de quadros, de estátuas e de
penduradas no mesmo gancho ou objetos de arte em geral.
de ladrões, malandros, moleques. Grupo — de pessoas ou coisas em
Cancioneiro — de canções, de poesias geral: grupo de rapazes, de traba-
líricas. lhadores, de ilhas, de casas.
Caravana — de viajantes, de estudan- Hemeroteca — de jornais e revistas ar-
tes, de peregrinos. quivados.
Cardume — de peixes. Horda — de indisciplinados, de selva-
Cinemateca — de filmes. gens.
Claque — de pessoas pagas para aplau- Junta — de dois bois, de médicos, de
dir. examinadores, de governantes.
Clero — de sacerdotes em geral. Júri — de pessoas que julgam.
Colégio — de eleitores, de cardeais. Legião — de soldados, de anjos, de de-
Coletânea — de textos escolhidos. mônios.
Colônia — de imigrantes, de bacté- Leva — de presos, de recrutas.
rias, de formigas. Manada — de gado grosso em geral:
Comunidade — de cidadãos. manada de bois, burros, búfalos,
Concílio — de bispos convocados pelo cavalos, éguas, elefantes.
papa. Matilha — de cães de caça.
Conclave — de cardeais reunidos para Molho — de chaves, de verdura.
eleger o papa. Multidão — de pessoas.
Congresso — de deputados, de sena- Ninhada — de pintos.
dores, de diplomatas, de cientistas, Nuvem — de fumaça ou de coisas de
de estudiosos. tamanho reduzido: nuvem de gafa-
Consistório — de cardeais presididos nhotos, de pernilongos.
pelo papa. Pelotão — de soldados.
Constelação — de astros, de estrelas. Pilha — de coisas dispostas umas
Cordilheira — de montanhas. sobre as outras: pilha de livros, pra-
Corja — de pessoas ordinárias em tos, tijolos, discos.
geral: corja de bandidos, bêbados, Pinacoteca — de quadros.
vagabundos, assassinos. Plantel — de animais de raça.
Coro — de anjos, de cantores. Praga — de insetos nocivos.
Corpo — de alunos, de eleitores, de ju- Prole — de filhos.
rados. Quadrilha — de ladrões, de bandidos.
Discoteca — de discos ordenados. Ramalhete — de flores.
Colocação 64 Colocação das palavras na oração

Rebanho — de gado de corte, leiteiro d) Alguns adjetivos assumiram po-


ou produtor de lã: rebanho de bois, sição fixa em relação ao substantivo:
cavalos, carneiros, ovelhas, cabras. Mero acaso, mera coincidência. / Ver-
Réstia — de cebolas, de alhos. dade nua. / Senso comum. / Mão di-
Revoada — de qualquer ave em vôo: reita, mão esquerda.
revoada de pardais, de pombos. e) Em muitos casos, a posição do
Roda — de pessoas. adjetivo altera o seu significado. Diz-
Ronda — de policiais em patrulha.
se então que, colocado depois do subs-
Seleta — de textos escolhidos.
Tripulação — de marinheiros ou aero- tantivo, o adjetivo está no sentido real
nautas. e antes, no figurado: homem bom
Tropa — de muares. (bondoso), bom homem (ingênuo);
Trouxa — de roupas. homem grande (alto), grande homem
Turma — de pessoas reunidas: turma (eminente); menino pobre (sem re-
de estudantes, trabalhadores, mé- cursos), pobre menino (coitado); diri-
dicos. gente alto (de grande estatura), alto
Universidade — de faculdades. dirigente (importante); redator sim-
Vara — de porcos. ples (singelo), simples redator (mero).
Viveiro — de aves presas, de peixes f) Com bom e mau, o sentido mais
confinados. comum é o figurado, vindo, por isso,
Vocabulário — de palavras. o adjetivo antes do substantivo (e, na
Colocação. 1 — Não use colocação co- maior parte das vezes, a associação ad-
mo sinônimo de sugestão, observa- jetivo—substantivo forma como que
ção, ressalva, idéia: Ele fez uma “co- uma palavra composta): bom dia, má
locação”. / Era uma “colocação”
hora, mau hálito, boa vontade, bons
equivocada. / A “colocação” apre-
sentada pelo deputado... 2 — Empre- ventos, bom gosto, mau costume,
gue, no lugar, alguma das palavras mau aspecto, má forma, bom pres-
mencionadas ou outra equivalente sentimento, boa vitória, boa ocasião.
em sentido. Proceda da mesma forma Se o significado for o real, o adjetivo
com colocar. ficará normalmente depois do subs-
Colocação das palavras na oração. tantivo: homem mau, homem bom,
1 — Adjetivo ação má, água boa, meninos maus.
a) O adjetivo vem normalmente g) Com os indefinidos, a alteração
depois do substantivo: Homem alto. / de sentido torna-se ainda mais pro-
Prédios velhos. / Pedra dura. / Parti- nunciada: alguma coisa (uma), coisa
do democrático. alguma (nenhuma); certo homem
b) Por ênfase, eufonia, ritmo ou cla- (um determinado), homem certo
reza da frase, pode-se colocar o adjeti- (exato); qualquer pessoa (alguma),
vo antes do substantivo: A arisca pessoa qualquer (desqualificada).
ave. / A bela moça leu um bom livro. / 2 — Artigo, pronome e numeral
O esperto menino. / O ativo deputa-
Vêm normalmente antes do subs-
do. / Os terríveis momentos. / As ale-
gres comadres. tantivo: o caso, um caso; esse livro,
c) Os superlativos melhor, pior, nosso livro; todo dia, cada reporta-
maior e menor precedem o substanti- gem; três horas, sexto dia.
vo: O melhor amigo. / A pior decla- Exceções. a) Por questão de realce
ração. / O maior problema (e não o ou eufonia, os possessivos e demons-
problema maior). / Os menores obje- trativos podem seguir-se ao substan-
tos. tivo: Com amigo meu ninguém faz
Colocação dos termos na oração 65 Colocação dos termos na oração

isso. / Referiu-se de novo à casa, casa Já lhe pedi para ficar sempre entre
essa que ninguém conhecia. nós. / Para baixo todo santo ajuda.
b) Os numerais sucedem ao subs- d) Só inicie frase com advérbio,
tantivo quando designam datas, pági- porém, quando ele ou a locução com
nas, partes de uma obra, artigos de lei, esse valor tenham função essencial na
decretos e portarias, papas, reis, sé- oração: Aqui se faz, aqui se paga. /
culos e endereços: dia 7, página 14, Amanhã, finalmente, o lançamento
capítulo 6º, artigo 2º, parágrafo 1º, da Challenger 45. / Agora o governo
João XXIII, Luís XV, século 20, casa fala em conter gastos. / Na sexta-
25, apartamento 16. feira, bem cedo, partirão para o Rio. /
3 — Verbo Com pressa, ele pedia que todos saís-
O verbo auxiliar precede o princi- sem. Nos demais casos, coloque o ad-
pal: Pretendia saber. / Foi morto na
vérbio ou a expressão com esse valor
guerra. / Estava ferido. / Tinha-se for-
na posição que as normas recomen-
mado. / Queria sair.
dam. Assim: TV mostra amanhã Co-
4 — Advérbio
a) Os advérbios que acompanham rinthians x Botafogo. / O Brasil abre
um adjetivo, um particípio isolado e na segunda-feira a Assembléia-Geral
outro advérbio usualmente se colo- da ONU. / Sai hoje a relação dos con-
cam antes deles: Uma jovem tão correntes ao Oscar. / Eles devem real-
bela. / O letreiro estava meio apaga- mente ser os melhores. E não: Ama-
do. / Ficou muito desconfiada. / nhã, TV mostra... / Segunda-feira, o
Tocou muito bem. Brasil abre... / Hoje, sai a relação... /
b) Os advérbios de modo (assim, Realmente, eles devem ser...
bem, mal, depressa, devagar, melhor, 5 — Não e nem
pior e os terminados em mente) que Estas negativas precedem sempre o
modificam o verbo vêm geralmente verbo: Não disse. / Não foi trabalhar
depois dele: O menino desenha bem nem se justificou.
(mal). / Os velhos caminhavam de- Colocação dos termos na oração. A ora-
vagar (depressa). / Sua saúde está me- ção em português é a direta, isto é, su-
lhor (pior). / Ela andava assim. / De- jeito (quando houver), predicado e
sapareceu rapidamente. / Morreu su- complementos (quando houver): O
bitamente do coração. / Os gover- tempo está firme. / Deve chover ama-
nantes parecem estar revendo lenta- nhã. / O governo alterou as normas
mente essa posição. do Imposto de Renda. / O rio trans-
c) Os advérbios de tempo e de lugar,
bordou. Se houver dois complemen-
assim como as expressões equivalen-
tos, o objeto direto em geral antecede
tes, podem colocar-se antes ou depois
o indireto: Os EUA deram ontem um
do verbo (entre eles, estão: agora,
ainda, amanhã, hoje, ontem, antes, ultimato à Líbia. / A enfermeira en-
cedo, depois, então, já, nunca, sempre, volveu a criança no cobertor. / O
à noite, à tarde, de dia, de manhã, em aluno devolveu o livro à biblioteca.
breve, de vez em quando, abaixo, 1 — Sujeito depois do verbo
acima, adiante, aí, além, ali, aqui, a) Na passiva com o pronome se:
atrás, cá, dentro, fora, lá, longe, onde, Fazem-se ternos. / Vendem-se fru-
ao lado, em cima, de perto, por onde, tas. / Constroem-se casas. Note que
para baixo, etc.): De vez em quando na voz passiva o sujeito recebe a ação
alguém se feria ali. / Em breve ele es- (ternos são feitos, frutas são vendi-
tará longe. / Aqui dentro faz tanto frio das, casas são construídas). Há casos
como lá fora. / Ele veio atrás de nós. / em que o se indica apenas um verbo
Colocação dos termos na oração 66 Colocação dos termos na oração

pronominal e o sujeito vem antes Basta um dia. / Faltam homens no re-


deste porque se trata da voz ativa (o gimento.
sujeito pratica a ação): O vizinho i) Em geral, nas orações com ver-
mudou-se. / O país declarou-se em bos intransitivos: Chega hoje o presi-
guerra. dente da República. / Sopra o vento,
b) Nas orações reduzidas de gerún- ruge o leão e a manhã desponta. / Bri-
dio, particípio e infinitivo: Retirando- lha o sol. / Nasce o dia. / Dormem as
se o valentão, todos respiraram ali- crianças. / Prossegue o festival de no-
viados. / Retirado o valentão, todos meações. / Recomeçam as aulas.
respiraram aliviados. / Ao se retirar o j) Quando se quer ressaltar a idéia
valentão, todos respiraram aliviados. expressa por um verbo de ligação (ser,
c) Em geral, nas orações iniciadas estar, parecer, ficar, permanecer, etc.):
pelos advérbios interrogativos ou por Este não era o seu dia. / Estava crua
pronome interrogativo que não seja a comida. / Ficava longe aquele
sujeito: Aonde se dirigem eles? / posto. / Permanecia parado na esqui-
Como morrem os homens? / Quem na o carro da polícia.
somos nós para esperar essa graça? / 2 — Outros casos
Por que saiu ele tão cedo? / Que disse a) O verbo figura no começo da
ela? / Quanto custa uma dúzia de oração que determina tempo, distân-
ovos? O sujeito vem antes, porém, cia, peso, medida ou número: São 5
quando a frase tem a locução é que, horas. / São 6 quilômetros daqui até
quando se inicia a frase com o sujeito o centro. / Faltam só 30 metros. /
e quando a palavra interrogativa figu-
Eram 30 meninos.
ra no fim da frase: Onde é que você
b) A ênfase pode fazer que o objeto
estava? / Esse livro por que está
direto ou indireto venha antes: Desta
aqui? / Ele queria o quê?
água não beberei. / Comida para
d) Nas orações exclamativas e im-
todos prometeu o governador.
perativas: Vivam as férias! / Morra o
ditador! / Como é dura a vida! / c) O verbo inicia frases de caráter
Benza-os Deus! / Vejam todos este existencial: Era uma vez um sapo que
exemplo. virou príncipe. / Existem naquela
e) Nas orações que explicam cita- área muitos índios.
ções: “O país precisa de todos os ci- d) O sujeito pode ser deslocado para
dadãos”, disse o presidente. / “Terra o fim da frase quando se quer chamar
à vista”, exclamou o marinheiro. a atenção sobre ele: O chefe é ele. / Se
f) Nas orações condicionais cons- ninguém quiser ir, vou eu.
truídas sem conjunção: Fossem eles e) As orações que servem de sujei-
mais novos... / Tivéssemos nós outra to ao verbo de ligação (ser, estar, pare-
opção... / Fizessem os homens por cer, ficar, etc.) vêm, em geral, depois
merecer... / Pudessem eles chegar deste: Estava acertado que ele seria
mais cedo... promovido. / É justo que todos o re-
g) Em orações de caráter narrativo: verenciem. / Parece certo que nin-
Corria a década de 30... / Passaram guém o indicou. / É preciso muita
anos e anos... / Chegara o tempo da cautela. / É necessário maior cuida-
esperança... do. / É proibido pisar na grama.
h) Em certas construções com ver- f) Na passiva com o verbo ser, o par-
bos que só se usam na terceira pessoa ticípio inicia a frase, se esta exprime
(pelo menos em sentido restrito): desejo ou vontade: Benditos sejam
Acontecem coisas incríveis aqui. / vossos pais. / Amaldiçoados sejam os
Restou-lhe o filho como consolo. / assaltantes.
Colocação pronominal 67 Colocação pronominal

g) As orações que servem de sujei- meninos feriram-se no acidente.


to ou complemento a outras seguem- (Veja no fim do verbete as normas usa-
se ao verbo principal: Não se sabe se das no Estado para a colocação de pro-
ele chegou. / Esperamos que ele con- nomes.)
siga o lugar. / Concordo em que fi- Determinadas palavras ou tipos de
quem conosco. / Seu mal é não ser frase, porém, exigem que o pronome
realista. / Tinha medo de que não o fique antes do verbo: As reuniões do
compreendessem. Em um ou outro Congresso, que se iniciaram ontem,
caso, porém, essas orações podem vir nada prometem de novo este ano. /
antes da oração principal ou estar in- Os meninos não se feriram no aciden-
tercaladas nela: Que falavam mal, te.
percebia-se logo. / Se ele chegou, não Como o pronome não pode vir de-
se sabe. / O deputado, se era contra pois de um verbo no futuro do presen-
o projeto, não o dizia. te ou futuro do pretérito (antigo con-
h) As orações subordinadas adjeti- dicional), nesses casos o pronome é
vas (são introduzidas quase sempre intercalado no verbo: Dir-se-ia que
por um pronome relativo e têm como todos ficaram satisfeitos. (E não:
antecedente um substantivo ou pro- Diria-se que...)
nome) podem vir depois da oração
principal ou nela ser intercaladas:
Estas eram as mulheres de quem gos- Pronome antes do verbo
tavam. / As mulheres de quem gosta- (próclise)
vam eram estas. / O modo como o fi-
zeram indicava sua origem. / Conse- 1 — Verbo precedido de palavras de
guiu tudo quanto queria. / O pai, que sentido negativo (não, nunca, jamais,
amava os filhos, não queria separar- nada, nenhum, nem, ninguém): O
se deles. / Acharam o local onde es- homem não se alterou. / Nada me re-
tava enterrado o tesouro. / O local volta. / Jamais lhe explicaram a
onde estava enterrado o tesouro per- razão. / Nunca vos procuraram? / Ela
manecia ignorado. não foi nem se deixou levar. / Nin-
i) As orações subordinadas adver- guém nos perdoará a ausência. / Ne-
biais (são introduzidas por conjun- nhum dos passageiros se feriu no aci-
ções e exprimem circunstâncias de dente.
tempo, modo, fim, causa, condição, 2 — Verbo precedido de advérbio
etc.) podem aparecer antes, no meio (aqui, ali, cá, lá, muito, bem, mal,
ou depois da oração principal: Quan- sempre, somente, depois, após, já,
do o vimos, deixamos a sala. / Nós, ainda, antes, agora, talvez, acaso, por-
quando o vimos, deixamos a sala. / ventura): Aqui se faz, aqui se paga. /
Deixamos a sala, quando o vimos. / Já nos convidaram. / Muito lhe agra-
Apesar de serem os melhores, não deço o favor. / Sempre lhe dizia que
foram aprovados. / Não foram apro- viesse. / Depois eu os procuro. / Ainda
vados, apesar de serem os melhores. / nos pedirá desculpas. / Talvez se in-
Porque acreditava no médico, o terne amanhã para tratamento. /
doente levantou-se. / O doente levan- Agora vos digo: sois o mais gentil. /
tou-se porque acreditava no médico. Acaso lhe interessa este livro?
Colocação pronominal. A norma da lín- Observação. Se depois do advérbio
gua é a colocação do pronome átono se fizer uma pausa, em geral expressa
(me, te, se, lhe, o, a, nos, vos, lhes, os, pela vírgula, o pronome ficará depois
as) depois do verbo: As reuniões do do verbo: Antigamente, falava-se
Congresso iniciaram-se ontem. / Os muito nesse assunto. / Hoje, escreve-
Colocação pronominal 68 Colocação pronominal

se muito e pensa-se pouco. / Ali, pre- olhos o vejam. / Nossa Senhora a pro-
cisa-se de empregados. teja. / Macacos me mordam! / Raios
3 — Verbo precedido de que, em o partam!
qualquer sentido (menos quando 9 — Verbo no gerúndio precedido
substantivo): É o que lhe pedi. / Diga- da preposição em ou de advérbio: Em
lhe que se vá embora. / O livro que se tratando de esporte, prefere o fute-
você nos emprestou é ótimo. / Desco- bol. / Não o fazendo, você se arrisca
nheciam o assunto de que lhe haviam a perder o amigo. / Bem o dizendo,
falado. Quando substantivo: O quê mal o negando.
da questão foi-lhe mostrado. / O quê 10 — Verbo precedido das conjun-
(letra) escreve-se com acento. ções coordenativas não só... mas tam-
4 — Verbo precedido de conjunção bém, quer... quer, já... já, ou... ou,
subordinativa (porque, embora, con- ora... ora: Não só me trouxe a enco-
forme, se, como, quando, conquanto, menda, mas também me ofereceu
caso, quanto, segundo, consoante, en- um presente. / Quer se retire, quer se
quanto, quanto mais... mais): Não foi acomode... / Ou se afasta ou se en-
trabalhar porque se havia machuca- quadra nas normas. / Ora se irrita,
do. / Como nos prometeram, chega- ora se mostra alegre. Observação. As
ram cedo. / Se os homens se compe- conjunções coordenativas e, mas,
netrarem... / Embora lhe tenha avisa- porém, todavia, contudo e portanto
do... / Conforme o alertara... / Quan- não atraem o verbo.
do o amigo se preparava para sair... / 11 — Com as formas verbais pro-
Caso lhe interesse saber... / Tanto se paroxítonas: Nós lhe perdoaríamos a
preocupava quanto se divertia. / Agiu desfeita. / Nós o teríamos feito. / Nós
segundo (consoante, conforme) o nos derramávamos em elogios.
irmão lhe sugerira. / Quanto mais a 12 — Nas orações iniciadas por
polícia se omite, mais os assaltos se pronome interrogativo: Quem te
alastram. falou a respeito do caso? / Como o pu-
5 — Verbo precedido de pronome deram fazer?
relativo (o qual, quem, cujo, onde): As
mulheres às quais nos referimos... / É Pronome depois do verbo
o homem a quem se atribuiu a mis- (ênclise)
são. / Em São Paulo, onde se radi-
cou... / O pedido cujo atendimento se 1 — Por ser a norma da língua, em-
recomenda... bora o português do Brasil tenha a ten-
6 — Verbo precedido de pronome dência oposta: Os carros chocaram-se
indefinido (algum, alguém, diversos, de frente. / As crianças punham-se a
muito, pouco, vários, tudo, outrem, chorar quando sentiam fome. Regra
algo): Algum se salvará. / Alguém o prática — O pronome vem depois do
traria de qualquer forma. / Muito (ou verbo quando não há nenhuma pala-
pouco) se espera dele. / Nada se perde, vra que o atraia.
tudo se transforma. / Algo me diz que 2 — Quando o verbo inicia a frase:
ele virá hoje. Deram-lhe o recado, afinal? / Fala-se
7 — Verbo precedido de pronome muito nesse problema agora. / Ven-
demonstrativo (isto, isso, aquilo): dem-se apartamentos. / Procura-se
Isto me agrada. / Isso te satisfaz? / um bom empregado. Para lembrar.
Aquilo lhe diz respeito. Não se inicia período com pronome
8 — Em frases que exprimem de- oblíquo. Admite-se essa forma apenas
sejo ou exclamação: Deus lhe na linguagem coloquial ou nas decla-
pague! / Bons ventos o levem. / Bons rações colocadas entre aspas: “Me dê
Colocação pronominal 69 Colocação pronominal

a mão”, dizia a moça. / “Me faça um pronomes o, a, os, as (use por fazê-los,
favor.” apenas, em vez de “por os fazer”) nem
3 — Com o gerúndio (não precedi- a com os pronomes o, a, os e as (use
do de em ou advérbio): Apagou a luz, preferia morrer a deixá-la, a deixá-
deixando-nos no escuro. / Não quei- los, etc., em vez de “a a deixar”, “a os
ra enganá-lo fazendo-se de pobre. deixar”).
4 — No imperativo afirmativo:
Vamos, amigos, cheguem-se aos
Locuções verbais
bons. / Meu filho, prepara-te, apres-
sa-te.
1 — Verbo auxiliar mais infinitivo
Pronome intercalado (mesóclise) a) Se não houver atração, o prono-
me fica depois do auxiliar ou do infi-
1 — Para iniciar frase: Poder-se-á nitivo: Quero-lhe dizer a verdade,
fazer a festa amanhã. / Dir-lhe-ia quero dizer-lhe a verdade. / A moça
todos os desaforos que pudesse. / Trá- deve-se resguardar, a moça deve res-
lo-á a reboque. guardar-se.
2 — Quando não existe nada que b) Se houver atração, o pronome
atraia o verbo no futuro do presente fica antes do auxiliar ou depois do in-
ou no futuro do pretérito (antigo con- finitivo: Não lhe quero dizer a verda-
dicional): O torneio iniciar-se-á no de, não quero dizer-lhe a verdade. / A
domingo. / A vida devolvê-lo-ia à rea- moça jamais se precisava resguardar,
lidade. a moça jamais precisava resguardar-
Observação. Por estarem hoje
se.
mais ligadas à linguagem erudita,
2 — Verbo auxiliar mais preposi-
convém, no entanto, sempre que pos-
sível, evitar essas formas. ção e infinitivo
Veja opções: A festa poderá ser rea- a) Se não houver atração, o prono-
lizada (ou feita) amanhã. / Pretendia, me fica depois da preposição ou do in-
queria, ia dizer-lhe todos os desafo- finitivo: Deixou de a procurar, deixou
ros que pudesse. / Vai trazê-lo a rebo- de procurá-la.
que. b) Se houver atração, o pronome
fica antes do auxiliar ou depois do in-
Casos opcionais finitivo: Não a deixou de procurar,
não deixou de procurá-la.
1 — Com os pronomes pessoais: Observação. Tanto no caso 1 como
Ela disse-me assim, ela me disse no 2, a colocação do pronome depois
assim. / Eu o procuro amanhã, eu pro- do infinitivo é a preferível (dizer-lhe,
curo-o amanhã. / Nós recompusemo- procurá-la).
nos, nós nos recompusemos. A eufo- 3 — Verbo auxiliar mais gerúndio
nia, porém, recomenda o pronome
a) Não havendo atração, o prono-
antes do verbo, neste caso.
me fica depois do auxiliar ou do ge-
2 — Com o infinitivo que não faça
parte de locução verbal: Sem os forçar rúndio: Vinha-lhe dizendo a verdade,
a nada, sem forçá-los a nada. / Até se vinha dizendo-lhe a verdade. / A
chegar à solução, até chegar-se à so- festa estava-se realizando, a festa es-
lução. / Depois de se pôr à disposição, tava realizando-se. / Ia-se desfazen-
depois de pôr-se à disposição. / Por do, ia desfazendo-se. Preferíveis:
lhes trazer a fita, por trazer-lhes a fita. Vinha-lhe dizendo, estava-se reali-
Exceções. Não combine por com os zando, ia-se desfazendo.
Colocar 70 Colocar

b) Havendo atração, o pronome fica Mais um caso: Era dono da loja


apenas antes do auxiliar: Não lhe que, recorde-se, vendia artigos im-
vinha dizendo a verdade. / Sabia que portados.
a festa se estava realizando ali. / Tudo 2 — O que subentendido atrai o
se ia desfazendo. pronome como se estivesse expresso
4 — Verbo auxiliar mais particí- na frase: Requeiro se digne informar-
pio nos (que se digne). / Peço-lhe me deixe
a) Não havendo atração, o prono- sair (que me deixe).
me fica depois ou antes do auxiliar: 3 — Pronome depois do futuro do
Os chefes haviam-no recomendado, presente ou do pretérito. Em nenhu-
os chefes o haviam recomendado. / O ma hipótese pode ocorrer um caso
amigo tinha-lhe feito um favor, o desses, sendo, pois, absurdas formas
amigo lhe tinha feito um favor. No como “teria-lhe” dito, “faria-se” o tra-
início de frase, ocorre apenas a mesó- balho, “poderia-se” realizar, “diria-se”
clise: Ter-lhe-ia dito algo desagradá- que ele estava atrasado, “farão-lhe” a
vel? / Dir-se-ia que não pretendia vol- vontade, “direi-lhe” a verdade, “con-
tar. tará-nos” tudo a respeito do caso.
b) Havendo atração, o pronome fica
apenas antes do auxiliar: Quis saber No “Estado”
por que o haviam recomendado. / O
O Estado aceita o uso, no noticiá-
amigo também lhe tinha feito um
rio, do pronome oblíquo colocado
favor. / Quem lhe teria dito algo de-
entre dois verbos, sem necessidade de
sagradável?
se ligar por hífen ao primeiro deles.
Para lembrar: Em nenhuma hipó-
Trata-se de uma característica do por-
tese o pronome pode estar depois do tuguês do Brasil que não é mais pos-
particípio, sendo, pois, absurdas for- sível desprezar: Ele estava se prepa-
mas como “dito-lhe”, “recomendado- rando para sair. / Falta d’água pode
o”, “feito-nos”, “pedido-lhes”, etc. se agravar hoje. / Ele tinha se revol-
tado contra o pai. / Devia estar se
Observações finais aborrecendo com tudo aquilo. / Que-
ria se livrar do amigo. / Vai se casar
1 — As normas de atração ou não esta semana. / Esses homens podem
do pronome levam em conta a oração nos ajudar. / Venho lhe trazer o meu
completa. Considere-se, por exemplo, apoio. / Tinha nos decepcionado.
o período: Nunca, diga-se a propósi- Colocar. 1 — Colocar significa pôr em
to, lhe pedi favor algum. Há duas ora- algum lugar e deve ser usado para coi-
ções: Nunca lhe pedi favor algum / sas materiais: Colocou o copo no ar-
diga-se a propósito. O nunca atrai o mário. / Colocou os azulejos na pare-
lhe da oração principal (nunca lhe de. 2 — Pôr se emprega nas locuções
pedi), mas não o se da oração comple- e frases feitas, no sentido figurado e
mentar (diga-se a propósito). na definição de coisas abstratas e do
Outro exemplo: O homem que espírito: pôr em prática, pôr frente a
anda muito na rua cansa-se mais. frente, pôr o dedo na ferida, pôr em
Existem igualmente duas orações: O xeque, pôr em pratos limpos, pôr um
homem cansa-se mais/que anda ponto final, pôr fogo, pôr o assunto em
muito na rua. O se de cansa-se fica dia, pôr a mesa, pôr os pensamentos
depois do verbo porque não há nada em ordem, etc. 4 — Em qualquer si-
na oração principal que atraia o pro- tuação, sempre que possível, prefira
nome (o homem cansa-se). pôr a colocar.
Colorir 71 Comparações

Colorir. Conjugação. Só tem as formas alunos fizeram comentários sobre a


em que ao r se segue e ou i: colore, co- aula.
lorimos, etc. Comercializar. Envolve uma série de
Com (concordância). Ver concordância operações e não a venda pura e sim-
(verbo, sujeito composto, item d, pá- ples. Assim: Os agricultores têm difi-
gina 75). culdades para comercializar a safra. /
Com... Hífen antes de vogal: com- Os artesãos vão vender (e não “co-
aluno, com-irmão. Nos demais casos: mercializar”) os produtos na feira.
combatente, concelebração, confe- Proceda da mesma forma com comer-
derado, consacerdote, contorção. cialização.
Coma. Use a palavra no masculino para Comissão. Com inicial maiúscula ape-
definir o estado de saúde e, por exten- nas quando particularizada: Comis-
são, insensibilidade, apatia: o coma são de Finanças, as Comissões de Jus-
do doente, coma (=apatia) político, tiça e Orçamento. Nos títulos ou se-
coma profundo. gunda referência, em minúsculas: O
Comando militar. l — Para o chefe de projeto, já aprovado pela comis-
um Comando Militar, use as formas: são... / Ministro deporá em comissão.
o comandante militar do Sudeste, o Commodity. É o singular. Plural: com-
comandante militar do Planalto (e modities.
não o comandante do Comando Mi- “Commonwealth”. Use Comunidade
litar do Sudeste, etc.). 2 — Ver quais Britânica.
são os comandos no verbete militares, Com nós, com vós. São corretas essas
página 178. formas quando o pronome tem com-
Começar. Antes de infinitivo, exige a: plemento ou reforço: Eles queriam
O prédio começou a cair. / Vai come- falar com nós mesmos (ou com vós
çar a chover logo. mesmos), e não “conosco mesmos”
Comemoração de. Use em comemora- nem “convosco mesmos”. Da mesma
ção de, e não em comemoração a: Em forma: com nós dois, com vós todos,
comemoração dos 25 anos de casa- com nós ambos, com vós outros, com
do. / Em comemoração do centenário nós próprios, etc.
de fundação da cidade. Com o objetivo de. Prefira para.
Comemorar. Use o verbo apenas no sen- Como. Concordância. Ver assim como,
tido de celebrar, festejar, evitando o página 47.
seu emprego em frases como come- “Como sendo”. Expressão ruim, desne-
morar o centenário da morte de al- cessária e evitável: Foi considerado
guém, comemorar o cinqüentenário “como sendo” o melhor em campo.
do terremoto que destruiu alguma ci- Use simplesmente: Foi considerado o
dade, etc. Nestes casos, recorra a assi- melhor em campo. / Julgaram-no
nalar, marcar, lembrar, evocar ou re- (como sendo) o melhor jornalista do
viver. Proceda da mesma forma com ano.
comemoração e comemorativo. “Como se recorda”, “como se sabe”. Fra-
“Comentar que”. Alguém comenta al- ses feitas inaceitáveis. Como, na
guma coisa, mas não comenta que... maior parte dos casos, não se recorda
“Comentar sobre”. 1 — O verbo pede nem se sabe, explique ao leitor os an-
objeto direto: Os alunos comenta- tecedentes do caso, sem rodeios des-
vam favoravelmente a aula (e não necessários.
“sobre” a aula). / O técnico não quis Comparações. Por transmitirem fre-
comentar a expulsão do jogador. 2 — qüentemente uma imagem afetada,
Com sobre, use fazer comentários: Os quando não artificial, as comparações
Comparações (formas) 72 Competir

devem ser usadas com extremo rigor acima do índice do ano passado. / As
ou evitadas, o que é sempre mais pru- vendas de março podem ficar abaixo
dente. Mesmo na linguagem colo- das vendas de fevereiro. 3 — Do e da
quial, recomenda-se cautela. Atente simplesmente não estabelecem com-
para alguns maus exemplos (reais) do parações, sendo, pois, erradas formas
recurso às comparações: Para sua como: Estava com três pontos a mais
substituição, há tantas possibilida- “da” (o certo do que a) Portuguesa. /
des quanto estrelas no universo. / A Pediu 2 mil lugares a mais “do” (o
cidade no Natal volta a ficar movi- certo: do que o) autorizado. 4 — É ita-
mentada como um formigueiro. / Ele lianismo usar daquele e daquilo para
reclamou feito um louco. / Estava introduzir comparações. Assim: O
apanhando mais do que judas em sá- clube gastou mais que arrecadou (e
bado de Aleluia. / Soltava fogo pelo não “daquilo” que arrecadou). / Era
nariz como um dragão. / Uma vez mais violento do que os que chega-
aberto o pacote, as promessas vão ram depois (e não “daqueles” que
para o lixo, como o papel dos embru- chegaram depois).
lhos. / As bandas de rock surgem e Comparecer. 1 — Prefira a forma com-
somem como cogumelos ou defi- parecer a e não em: Compareceu
nham tão celeremente quanto libélu- ontem ao tribunal. / Compareceu à
las. / Ficou perdido como um náufra- reunião, à assembléia. 2 — Com em,
go. é apropriado este uso: Tem compare-
Embora não constituam propria- cido muito em público. 3 — O verbo
mente comparações, existem ima- admite ante ou perante quando signi-
gens de reforço da frase que têm quase fica prestar contas: Compareceu ante
a mesma função e incorrem em idên- o rei. / Compareceu perante o Tribu-
tico tipo de risco: Uma avalanche de nal de Justiça. 4 — Pode também dis-
fotógrafos cercou o artista. / Havia na pensar complemento: Apesar de con-
sala um clima de velório. / Previa-se vidado para a festa, não compareceu.
um calor de rachar catedrais. Devem
Comparecimento. No singular em fra-
ser evitadas a todo custo, em benefí-
ses como: O comparecimento de Juca
cio da objetividade.
e Alemão ao treino atraiu grande nú-
Comparações (formas). 1 — Nas com-
mero de torcedores. / Os presentes
parações é indiferente o uso de do que
elogiaram o comparecimento do go-
ou que: É mais rico do que ou que o
vernador e do prefeito à solenidade (e
pai. / Ninguém se empenhou mais
nunca “os comparecimentos”).
pela aprovação do projeto do que ou
que ele. O do que, de certa maneira, Compartilhar. Regência. 1 (tr. dir.) — O
é mais coloquial e o que aparece com funcionário compartilhou o sucesso
maior freqüência na linguagem escri- da empresa. / A esposa compartilhou
ta. 2 — Mesmo que as formas pare- a sua dor. 2 (tr. ind.) — Não compar-
çam pouco eufônicas, são as locuções tilhava da alegria da família. 3 (tr. dir.
ao do, do do e equivalentes que e ind.) — Ele compartilhou suas vitó-
devem ser usadas quando se omite rias com os amigos.
uma palavra nas comparações: Seu Compelir. Conjuga-se como aderir (ver,
carro era inferior ao do amigo. / O ín- página 32): compilo, compeles; que eu
dice ficou acima do do ano passado. / compila, etc.
As vendas de março podem ficar Competir. Conjuga-se como servir (ver,
abaixo das de fevereiro. É como se se página 266): compito, competes;
escrevesse: Seu carro era inferior ao competia; que eu compita; compete
carro do amigo. / O índice ficou tu, competi vós; etc.
Complicar-se 73 “Conclusão final”

Complicar-se. Alguma coisa se compli- porém: O ministro “comunicou os


ca e não complica, apenas: A situação assessores” sobre as ou das decisões.
do time complicou-se. / Seu mal com- 2 — Da mesma forma, ninguém pode
plicou-se nos últimos dias. ser comunicado (mas informado, avi-
Comprazer-se. Conjugação. Pres. ind.: sado ou cientificado) de alguma coisa:
Comprazo, comprazes, compraz, Foi informado (e não “comunicado”)
comprazemos, comprazeis, compra- sobre a decisão. / Foi avisado (e não
zem. Imp. ind.: Comprazia, compra- “comunicado”) de que não deveria
zias, comprazia. Pret. perf. ind.: Com- voltar aqui. / Foram cientificados (e
prazi, comprazeste, comprazeu, com- não “comunicados”) sobre as novas
prazemos, comprazestes, compraze- normas da empresa. Atenção. Escre-
ram (prefira) ou comprouve, com- ver que alguém “foi comunicado de”
prouveste, comprouve, comprouve- alguma coisa é considerado pelos gra-
mos, comprouvestes, comprouve- máticos um dos erros graves do idio-
ram. M.-q.-perf. ind.: Comprazera, ma.
comprazeras, comprazera (prefira) ou “Comunidade Européia”. Passou a cha-
comprouvera, comprouveras, com- mar-se União Européia.
prouvera. Fut. ind.: Comprazerei, Concelho. Com c indica circunscrição
comprazerás. Fut. do pretérito: Com- administrativa: Leiria é sede de con-
prazeria, comprazerias. Pres. subj.: celho.
Compraza, comprazas. Imp. subj.:
Concertar, consertar. Concertar é o
Comprazesse, comprazesses (prefira)
mesmo que ajustar, conciliar: Con-
ou comprouvesse, comprouvesses.
certar opiniões, divergentes. Conser-
Fut. subj.: Comprazer, comprazeres
tar significa reparar, corrigir: Conser-
(prefira) ou comprouver, comprouve-
res. Ger.: Comprazendo. Part.: Com- tar a casa, o carro, a roupa. / Conser-
prazido. tar o que dissera.
Comprimento, cumprimento. Compri- Concerto, conserto. Concerto define es-
mento significa extensão, distância: o petáculo musical, acordo, harmonia:
comprimento da mesa, 6 quilôme- concerto para piano e orquestra, o
tros de comprimento. Cumprimento concerto das nações, concerto grosso,
equivale a saudação ou ato de cum- concerto de vozes, concerto de louvo-
prir: um cumprimento com a cabeça, res. Conserto corresponde a reparo,
o cumprimento das leis. reforma: o conserto do carro, o con-
Computar. Não tem as três primeiras serto da casa.
pessoas do pres. ind.: “computo”, Concitar. A regência mais usada jorna-
“computas”, “computa” (só se usam listicamente é concitar alguém a al-
as três do plural, computamos, com- guma coisa: Os líderes concitaram a
putais, computam), o pres. subj. (não população a reagir. / Todos o concita-
existe “compute”, “computem”, etc.), ram à luta.
nem o imper. neg. O imper. afirm., Conclamar. No sentido de convidar,
portanto, admite apenas a forma com- convocar, a regência normal é concla-
putai vós. mar alguém para alguma coisa: Con-
Comunicar. 1 — Comunica-se alguma clamaram os amigos para ajudá-los. /
coisa a alguém, mas não se comunica O governo conclamou o país para a
alguém sobre (ou de) alguma coisa: O luta contra a droga.
ministro comunicou as decisões aos “Conclusão final”. Redundância (a me-
assessores. / O ministro comunicou- nos que se trate de uma série de con-
lhes as decisões. / O ministro comu- clusões parciais que conduzam a uma
nicou as decisões a eles. Nunca, definitiva).
Concordância 74 Concordância

Concordância. O adjetivo, no entanto, vai obriga-


toriamente para o plural se os subs-
Adjetivo com substantivo tantivos forem predicativos do obje-
to, nomes próprios, títulos ou formas
Para efeito de concordância, as nor- de tratamento: Julgava perdidas a fé
mas válidas para o adjetivo aplicam- e a esperança (predicativo do obje-
se também ao pronome, artigo, nume- to). / Trazia espertos o desejo e as vir-
ral e particípio. O substantivo a que tudes (pred. do obj.). / A Justiça decla-
eles se referem pode às vezes dar lugar rou culpados o pai e a filha. / Os ir-
a um pronome. mãos Caetano e Bethânia. / Os após-
1 — Fundamentos tolos Pedro e Paulo. / Os generais
a) O adjetivo concorda com o subs- Costa e Silva e Médici. / Os srs. Silva
tantivo em gênero (masculino e femi- e Cia.
nino) e número (singular e plural): b) Se o adjetivo vem depois de dois
Prédio alto. / Casa branca. / Homens ou mais substantivos, pode também
bons. / Mesas antigas. / Duas mulhe- concordar com o mais próximo: Um
res. terno e uma gravata escura. / Ternos
b) O adjetivo irá para o plural mas- e gravata escura. / Terno e gravatas
culino quando pelo menos um dos escuras. / Elogiamos o seu esforço,
substantivos for masculino: Homens empenho e dedicação extrema.
e mulher bons. / Médico e enfermei- Quando os substantivos são sinôni-
ras dedicados. / Aí compreendidos mos ou formam gradação (como no
estes e aquelas. último exemplo acima), há gramáti-
c) Mantém-se a concordância cos que defendem a concordância —
mesmo que haja preposição entre o que, no entanto, não é obrigatória —
adjetivo e o substantivo: Desgraçados com o mais próximo.
dos homens. / Coitadas das mulhe- 3 — Verbo de ligação
res. Com verbo de ligação (ser, estar,
2 — Adjetivo com dois ou mais parecer, ficar, etc.), o adjetivo vai para
substantivos o plural, em qualquer caso, e segue as
Esteja o adjetivo antes ou depois normas gerais de concordância: O de-
dos substantivos, você acertará sem- poimento e o laudo pericial eram con-
pre se fizer a concordância no plural: clusivos. / A loja e a residência esta-
“A mão esquerda, entre cujos índi- vam inundadas. / As casas e o prédio
ce e polegar...” / Terno e gravata es- de apartamentos pareciam velhos. /
curos. / Ótimos texto e conhecimen- Eram justos o preço fixado e a comis-
tos. / Atentos o governo e as Forças são. / Estavam liberados a testemu-
Armadas. / Reajustados o salário mí- nha e o réu.
nimo e os aluguéis. / Convocados o Apenas se o verbo de ligação esti-
Senado, a Câmara e o Supremo. / ver antes dos substantivos, admite-se
Mortos pai e filho no litoral. também a concordância com o mais
Observações próximo (no Estado, prefira o plural,
a) O adjetivo colocado antes de de qualquer forma): Era justo o preço
dois ou mais substantivos pode con- fixado e a comissão. / Estava libera-
cordar com o substantivo mais próxi- da a testemunha e o réu.
mo: Branca túnica e sandália. / 4 — Um substantivo e dois ou mais
“...notando o estrangeiro modo e adjetivos
uso.” / Ótimo texto e conhecimen- a) Substantivo antes
tos. / Seu pai e filhos. / Suas filhas e Há três possibilidades: Os gover-
mulher. nos brasileiro e francês; o governo
Concordância 75 Concordância

brasileiro e o francês; o governo bra- Verbo


sileiro e francês. / Os poderes tempo-
ral e espiritual; o poder temporal e o 1 — Regra básica
espiritual; o poder temporal e espiri- O verbo concorda com o sujeito em
tual. número e pessoa: O prédio ruiu. / Ele
A primeira forma (Os governos chegou ontem. / Nós pedimos para
brasileiro e francês, os poderes tem- sair. / Alugam-se apartamentos. / Os
poral e espiritual) é jornalisticamen- ministros anunciaram o novo pacote.
te a mais recomendável, embora a se- 2 — Sujeito composto
gunda (O governo brasileiro e o fran- Adote como norma: o sujeito com-
cês, o poder temporal e o espiritual) posto leva o verbo para o plural, este-
soe melhor em alguns casos. Con- ja o verbo antes ou depois do sujeito.
vém, apenas, evitar a terceira (O go- Exemplos: Partiram lotados o trem e
verno brasileiro e francês, o poder o ônibus. / O homem e o filho feri-
temporal e espiritual), por induzir a ram-se no acidente. / Reportagem,
duplo sentido. crítica e comentário têm lugar num
b) Substantivo depois jornal ou revista.
Admitem-se quatro formas: A pri- Observação. O verbo pode ficar no
meira e a segunda série; a primeira e singular (no Estado, apenas em textos
segunda série; a primeira e a segunda especiais e declarações) nos seguintes
séries; a primeira e segunda séries. / casos:
O quarto e o sétimo andar; o quarto a) Verbo antes do sujeito compos-
e sétimo andar; o quarto e o sétimo to: Passará o céu e a terra. / “... se a
andares; o quarto e sétimo andares. tanto me ajudar engenho e arte.” /
As melhores: A primeira e a segun- Saiu João e os demais.
da série, a primeira e segunda séries. / Exceção. Se os sujeitos forem todos
O quarto e o sétimo andar, o quarto nomes próprios ou se indicarem refle-
e sétimo andares. xibilidade, reciprocidade, o plural será
5 — Adjetivos compostos obrigatório: Vieram Maria, Pedro e
Só o último elemento é flexionado: João. / Feriram-se o agressor e a víti-
estudos histórico-filosóficos, tecidos ma. / De ambos os lados, cresceram
azul-claros, relações anglo-franco- o rancor e o ódio.
brasileiras, partidos social-democra- b) O sujeito composto indica uma
tas, partidos democrata-cristãos, ho- gradação, crescente ou decrescente:
mens bem-intencionados, notícias “Uma palavra, um gesto, um olhar
extra-oficiais, países não-alinhados, bastava.” / “O próprio interesse, a
política econômico-financeira, vida gratidão, o mais restrito dever fica
profissional-amorosa. Exceção. Fle- impotente...”
xionam-se os dois termos de surdo- c) O sujeito é formado por palavras
mudo, seja a palavra adjetivo compos- sinônimas ou tomadas como um
to ou substantivo: Homens surdos- todo: “A vida e o tempo nunca
mudos, moça surda-muda, mulheres pára.” / “Estes receios, este proceder
surdas-mudas, os surdos-mudos, a meticuloso pode matar-nos.”.
surda-muda, as surdas-mudas. d) Se os dois sujeitos estiverem li-
6 — Casos especiais gados pela preposição com ou por ou-
Veja cada um deles nos verbetes tras palavras e locuções que indiquem
um e outro, nem um nem outro, pró- companhia, o verbo ficará no singular
prio, junto, menos, possível (o mais, se o primeiro elemento prevalecer
o menos, o melhor, o pior), anexo, sobre o segundo. E nesse caso convém
cores, um dos que, incluso, etc. colocar o segundo entre vírgulas:
Concordância 76 Concordância

O rei, com a corte e toda a nobreza, só o que queria. / “Serem os homens


participou da missa solene. Proceda uma coisa e parecerem outra é fácil.”
da mesma forma nas frases em que o Exceção. Verbo no plural se houver
com é substituído por locuções de contraste entre os sujeitos ou se esti-
sentido equivalente ou aproximado: verem substantivados: O comer e o
O presidente, ao lado dos ministros, dormir engordam uma pessoa. / Nas-
deu início às solenidades. / O gene- cer e morrer fazem parte da vida.
ral, acompanhado do ajudante-de- 5 — Sujeitos resumidos por um
ordens, passou as tropas em revista. pronome indefinido
O plural justifica-se apenas nos O verbo fica no singular quando os
casos (mais raros) em que ambos os sujeitos são resumidos pelos prono-
elementos têm igual ênfase: A mãe mes tudo, nada, nenhum, cada um,
com a filha foram salvas do incêndio. cada qual, outro, ninguém, alguém,
3 — Pronomes pessoais isso, isto, aquilo: Casas, pontes,
A primeira pessoa prevalece sobre estradas, tudo se perdeu com a
a segunda e a terceira, a segunda pre- enchente. / Amigos, colegas, paren-
valece sobre a terceira e o verbo fica tes, ninguém o alertou sobre os riscos
no plural: Eu e tu chegamos cedo (eu da viagem. / Pai, mãe, irmã, alguém
+ tu = nós). / Eu, tu e a tua irmã fomos deve chamá-lo à realidade. / Médico,
aprovados (eu + tu + tua irmã, que engenheiro, advogado, cada qual tem
equivale a ela, no caso). / Tu e ele vies- seu código de ética.
tes de carro (tu + ele = vós). / Tu e os 6 — Coletivo ou palavras que
Pires perdestes o trem (tu + eles = dêem essa idéia
vós). / Tu e teu pai saístes do edifício a) Sem complemento — Concor-
juntos (tu + ele = vós). / Ele e a mãe dância normal com o verbo: O povo
eram bem-vindos (ele + ela = eles). / saiu. / A gente chegou. / Os cardumes
Eu e as bicicletas nos chocamos (eu subiam o rio.
+ elas = nós). / Tu e os carros já estais b) Com complemento — Faça a
à vista (tu + eles = vós). concordância do verbo com o sujeito,
Observações no singular, e não com o complemen-
a) Modernamente, admite-se o to, no plural: A maioria dos empre-
verbo na terceira pessoa do plural gados chegou atrasada no dia da en-
quando tu e vós se combinarem com chente. / A maior parte dos trabalhos
ele, eles ou equivalentes (por causa da figurava na exposição. / Grande nú-
dificuldade no uso do tempo verbal mero de pessoas aderiu à iniciativa. /
correspondente a vós): Tu e os carros Estava destruída parte dos afrescos. /
já estavam à vista. / Eles e vós já têm Um sem-número de crianças fazia
lugares marcados. barulho. / Boa parte dos habitantes
b) Se o verbo estiver antes dos pro- mora na periferia. / Um grupo de la-
nomes, a concordância pode ser feita drões dominou os clientes do banco. /
com o mais próximo (no Estado, Uma porção de crianças esperava a
porém, coloque o verbo no plural): Era distribuição dos alimentos. / Uma
ele e sua tia que chegavam. / Poderás equipe de policiais prendeu os se-
tu e o motorista levar-me ao Centro? qüestradores. / Um total de 20 técni-
4 — Sujeito constituído de orações cos participou da operação.
ou infinitivos Observação. Aceita-se (no Estado,
O verbo fica no singular: Que ele apenas em textos especiais ou decla-
entre e saia a toda hora não causa es- rações) a concordância com a idéia de
panto. / Andar e nadar faz bem à plural expressa pelo complemento
saúde. / Comer, dormir e vadiar era em casos como: A maioria das pes-
Concordância 77 Concordância

soas foram feridas. / Grande número Exceção. Com dias e horas, a con-
de passageiros deixaram de pagar a cordância é a normal: Eram 9 horas. /
passagem. São 6 horas. / Hoje é dia 15 de agos-
7 — Palavras no plural, mas com to. / Hoje são 15 de agosto.
idéia de singular 10 — Sujeito no singular e predi-
O verbo fica no singular: Pêlos cativo no plural
ainda tem acento. / Nós é um prono- Com o verbo ser (e mais raramen-
te parecer), ocorre a concordância por
me. / Casas está no plural. / Frases é
atração, isto é, se o sujeito estiver no
o sujeito da oração. / Lágrimas é coisa
singular e o predicativo no plural, o
que ele não tem. verbo concordará com o predicativo,
8 — Nomes próprios no plural e não com o sujeito: O que lhe peço
a) Sem artigo — Verbo no singular: são fatos concretos. / Tudo são flo-
Andradas fica em Minas. / Memórias res. / Nada são flores. / Tudo parecem
Póstumas de Brás Cubas consagrou flores. / Isto são os ossos do ofício. /
Machado de Assis / Divinas Palavras Isso eram manobras inconseqüen-
já foi representada em São Paulo (é tes. / Aquilo foram histórias. / Amor
uma peça). são venturas e sofrimento. / Sua
b) Com artigo no plural — Verbo maior alegria continuam sendo os fi-
no plural, faça ou não o artigo parte do lhos. / O grande prazer das crianças
nome: As Memórias Póstumas de vinham sendo aqueles brinquedos. /
Brás Cubas lhe causaram profunda O resto (ou o mais) são casos sem im-
impressão. / Os Estados Unidos re- portância.
Observações
presentam... / Os Andes consti-
a) Se o sujeito for pessoa ou nome
tuem... / Os Alpes ficam... / Os Lusía-
de pessoa, a concordância se fará re-
das imortalizaram Camões. / Os Ser- gularmente: Joana é as delícias da
tões consagraram Euclides da mãe. / O homem é cinzas. / O filho
Cunha. / Os Maias deram a Eça ine- era as venturas do casal.
gável prestígio. b) Se o sujeito for nome de coisa,
Exceção. Com o verbo ser e predi- poderá, para muitos gramáticos, ficar
cativo no singular, o verbo pode ficar no singular: A comida era só verdu-
no singular: Os Lusíadas é a obra- ras.
prima de Camões. / Os Sertões é o O verbo no plural, no entanto, tem
nome da obra que imortalizou Eucli- o apoio da maioria dos estudiosos (A
des da Cunha. comida eram só verduras) e é a forma
9 — Nas indicações de preço, me- adotada pelo Estado.
dida, quantidade, porção ou equiva- 11 — Predicativo é substantivo
lente abstrato
O predicativo não concorda com o
Verbo no singular: Três quilôme-
sujeito quando é substantivo abstra-
tros é muito. / Dois capítulos é
to: As espinhas ou acnes são um enig-
pouco. / Mil reais é demais por esse ma para a medicina (e não são enig-
artigo. / Cem dólares pode parecer mas). / Para muitos, as cadernetas de
exagerado. / Cem vagas representa poupança eram a melhor garantia
muito nessa escola. / Dois terços de para o futuro (e não eram as melho-
um meio é dois sextos. / Quatro anos res garantias). / Estas providências
de mandato é pouco, julga o presiden- foram a salvação das finanças da em-
te. presa.
Concordância 78 Concordância

12 — Pronome pessoal com predi- 16 — Nós no lugar de eu


cativo Quando o pronome nós substitui
a) Se o pronome pessoal vem de- eu (plural de modéstia), o verbo fica
pois do verbo, o verbo concorda com no singular: Estamos grato por tudo
ele: O autor do livro sou eu, mas o (eu estou). / Somos favorável à deci-
editor sois vós. / O responsável pelo são (eu sou). É forma a evitar, porém.
erro somos nós (preferível: Os respon- 17 — Nós subentendido
sáveis...). / O chefe és tu. / Os herdei- Quando a pessoa que fala se inclui
ros somos eu e teus irmãos. num grupo, o verbo concorda com o
b) Havendo dois pronomes pes- pronome nós: Todos aprovamos a de-
soais, a concordância se faz com o pri- cisão (eu + eles, nós + eles). / Éramos
seis na casa. / Os paulistas (nós, os
meiro: Eu não sou você. / Nós não
paulistas) somos descendentes dos
somos você. / Tu não és eu. / Ele não
bandeirantes. / A causa teria mais
é eu (ou tu).
força do que supomos os leigos.
13 — Pronome interrogativo com 18 — Verbos impessoais
predicativo Como não existe sujeito, o verbo
Nas orações que comecem com fica na 3ª pessoa do singular: Choveu
pronome interrogativo, o verbo con- muito em São Paulo este ano. / Ven-
corda com o substantivo ou pronome tava demais naquele morro. / Já
pessoal: Que são objetos diretos, houve ocasiões mais favoráveis que
Pedro? / Que somos nós? / Quem sois esta. / Fazia frio de madrugada. /
vós? / Quem és tu? / Quem teriam Pode haver muitas pessoas no show.
sido os autores do atentado? / Que l9 — Sujeito indeterminado
são três dias? O verbo vai para a 3ª pessoa do plu-
14 — Concordância com a idéia ral: Pediram-me que a procurasse. /
Há casos em que a concordância se Estão guiando muito mal nas estra-
faz com a coisa subentendida e não das paulistas. / Disseram-lhe que
com o nome que a expressa: A Vozes saísse.
foi premiada com o Jabuti (subenten- Se a indeterminação do verbo for
de-se a editora). / A Faria Lima vive indicada pelo pronome se, usa-se a 3ª
congestionada (avenida). / O Joelma pessoa do singular: Cantou-se e
pegou fogo num 1º de fevereiro (edifí- tocou-se muito ali. / Ainda se vive
cio). / O Paraíba é sinuoso (rio). / São mal em muitas regiões brasileiras. /
Paulo é a mais populosa (cidade). / Vive-se e morre-se de amor.
20 — Sujeito que representa a
São Paulo é o mais populoso (Esta-
mesma pessoa ou coisa
do). / A Gustavo Barroso está avaria-
O verbo fica no singular: Deus, o
da (fragata). / A Apollo foi à Lua
Criador, o Onipotente, paira sobre
(nave). / A Dersa será reformulada todas as coisas. / “Esse primeiro pal-
(empresa). / O Opala (carro), a Cara- pitar da seiva, essa revelação da cons-
van (perua). ciência a si própria, nunca mais me
15 — Formas de tratamento esqueceu...” (M. de Assis) / O presi-
O verbo concorda com a pessoa que dente da República e membro da
recebe o tratamento: Vossa Excelên- ABL convidou...
cia está errado (homem), Vossa Exce-
lência está errada (mulher). / Sua Erros
Santidade chegou atrasado (o papa). /
Vossa Alteza é bondoso (príncipe), Alguns erros de concordância vêm-
Vossa Alteza é bondosa (princesa). se tornando muito comuns. Por isso,
Conde 79 Confidenciar

esteja atento para que não apareçam dância): Como essa diversidade de
no seu texto. Veja as situações em que assuntos não agradava (e nunca
a maior parte deles ocorre (todos os “agradavam”) aos leitores... / A pro-
exemplos são reais): dução dos especiais de música brasi-
1 — Verbo, complemento, aposto leira é de (e nunca “são de”...) / A ful-
ou oração dependente colocados minante ascensão do candidato nas
antes do sujeito: Serão realizados pesquisas eleitorais mudou (e não
hoje os sorteios (e nunca “será reali- “mudaram”) o conceito... / O preço
zado”). / Viu como era feita (e não “era das passagens aéreas sobe (e não
feito”) a aguardente. / Está marcada “sobem”) hoje. / A publicação das
(e não “marcado”) para o dia 22 uma fotos da modelo prejudicou (e não
grande manifestação. / Terão tempe- “prejudicaram”) a sua reputação.
ro caseiro os quitutes... (e não “terá”) / 4 — O que exige o verbo no singu-
Os contratos trazem embutida (e não lar e no masculino: O que se ouvia
“embutido”) uma correção. / Foi pu- eram frases indignadas (e nunca o
blicada (e não “publicado”) no Diário
que “se ouviam”...). / O que não é ad-
Oficial uma relação... / Não deixam
mitido é a internação... (e não o que
(em vez de “deixa”) de causar estra-
não “é admitida”...).
nheza certas situações... / Ficou cons-
5 — É que não varia em frases como
tatada (e não “constatado”) apenas
uma forte torção... / Chegam (e não as que se seguem (repare que está in-
“chega”) a ser irritantes (e não “irri- tercalada uma expressão preposicio-
tante”) os constantes erros... / Tem de nada): É nesses movimentos que a
ser levada (e não “levado”) em conta plástica sobressai (e nunca “são” nes-
a disposição... / Se prevalecerem (em ses movimentos que...). / É sobre
vez de “prevalecer”) as evidências... / esses aspectos que ele deve meditar
São importantes (e não “é importan- (e não “são” sobre esses aspectos
te”) esses pontos... / Errados, errados que...). / É dessas coisas que (em vez
mesmo (e não “errado, errado de “são” dessas coisas que...).
mesmo”) são os termos... 6 — Bastar, existir, faltar, restar e
2 — Núcleo do sujeito distante do sobrar variam normalmente: Bastam
verbo: Os preparativos para a criação alguns minutos. / Falou sobre as di-
do novo bairro já estavam pratica- ferenças que existiam entre eles. /
mente concluídos (e não “já esta- Existem muitas concepções equivo-
va”...). / As execuções determinadas cadas. / Faltam motivos que expli-
por partidos clandestinos de esquer- quem o crime. / Restavam poucas
da, na década de 70, eram (e não pessoas na sala. / Sobram idéias, mas
“era”) uma verdade incontestável. / faltam meios para pô-las em prática.
Férias fora de hora levam (e não Conde. Feminino: condessa.
“leva”) mães ao pânico. / As acusa- Condor. O certo é condor (dôr) e não
ções ao presidente daquele sindicato “côndor”.
de trabalhadores demonstravam (e
“Conferência de imprensa”. Em portu-
nunca “demonstrava”) a possibilida-
de... guês, use entrevista coletiva.
3 — Núcleo do sujeito no singular Conferir. Conjuga-se como servir (ver,
acompanhado de uma expressão pre- página 266).
posicionada no plural, que completa Confidenciar. O verbo significa dizer
ou altera o seu sentido — o verbo fica em segredo, em confiança, na intimi-
no singular (não deixe que a falsa dade, e está sendo muito usado erra-
noção de plural influencie a concor- damente no lugar de revelar ou infor-
Confrade 80 Consumar, consumir

mar. Veja como empregá-lo correta- mo equivalente a com você, com o se-
mente: O diretor da organização con- nhor. Não escreva, pois: Quero falar
fidenciou a amigos que não vai tomar consigo. / Vou consigo.
a iniciativa de deixar o cargo. / O de- Constroem. Sem acento.
putado confidenciou à família que Construir. Conjugação. Pres. ind.:
não será candidado à reeleição. Ou Construo, constróis, constrói, cons-
seja, disseram em segredo, em con- truímos, construís, constroem.
fiança, na intimidade. Imper. afirm.: Constrói, construa,
Nos casos seguintes, no entanto, construamos, construí, construam.
confidenciar não tem sentido: “Real- Os demais tempos são regulares.
mente, a negociação está adianta- Consulesa. Designa tanto a mulher do
da”, confidenciou (disse, garantiu, in- cônsul como a funcionária que exer-
formou, adiantou) o diretor do time ce o cargo.
no vestiário. / A atriz confidenciou Consumar, consumir. Conjugação
(revelou) à revista Notícias que está (pela ordem). Pres. ind.: Consumo,
esperando um filho. / O líder confi- consumas, consuma, consumamos,
denciou (comunicou, revelou, infor- consumais, consumam; consumo,
mou) aos 400 convencionais qual a consomes, consome, consumimos,
posição do partido na questão. consumis, consomem. Imp. ind.:
Confrade. Feminino: confreira. Consumava, consumávamos, consu-
Confraternizar. Sem se: Os amigos con- mavam; consumia, consumíamos,
fraternizam. / Confraternizava até consumiam. Pret. perf. ind.: Consu-
com os adversários. mei, consumou, consumamos, con-
“Congressual”. Use do Congresso e sumaram; consumi, consumiu, con-
nunca congressual. sumimos, consumiram. M.-q.-perf.
Conquistar o seu espaço. Lugar-co- ind.: Consumara, consumáramos,
mum. Evite. consumaram; consumira, consumí-
Conseguir. Conjuga-se como servir ramos, consumiram. Fut. pres.: Con-
(ver, página 266). sumarei, consumará, consumaremos,
“Conseguir com que”. Fazer com que é consumarão; consumirei, consumirá,
que admite a preposição. Use conse- consumiremos, consumirão. Fut.
guir que em frases como: Ele conse- pret.: Consumaria, consumaríamos,
guiu que todos os convidados compa- consumariam; consumiria, consumi-
recessem à festa (e não conseguiu ríamos, consumiriam. Pres. subj.:
com que). Consume, consumes, consume, con-
sumemos, consumeis, consumem;
“Consenso geral”. Redundância. Não consuma, consumas, consuma, con-
existe consenso de alguns, por exem- sumamos, consumais, consumam.
plo. Imp. subj.: Consumasse, consumás-
Consentir. Conjuga-se como mentir semos, consumassem; consumisse,
(ver, página 177). consumíssemos, consumissem.
Consertar, conserto. Ver concertar e Imper. afirm.: Consuma tu, consume
concerto, página 73. você, consumemos nós, consumai
Consigo. Só pode ser usado com o sen- vós, consumem vocês; consome tu,
tido reflexivo: Ele fala consigo consuma você, consumamos nós,
mesmo. / Os homens carregam con- consumi vós, consumam vocês.
sigo as suas penas. / O fotógrafo trou- Imper. neg.: Não consumes tu, não
xe consigo as anotações do repórter. consume você, não consumemos nós,
Embora admissível em Portugal, é in- não consumeis vós, não consumem
correto no Brasil o uso de consigo co- vocês; não consumas tu, não consu-
Contabilizar 81 Contrário

ma você, não consumamos nós, não como tem sido impropriamente


consumais vós, não consumam usado em frases do tipo de: A carne
vocês. Ger.: Consumando; consumin- subiu 80% contra um aumento de
do. Part.: Consumado; consumido. 35% em média de outros produtos.
Contabilizar. Evite o modismo. O verbo Formas viáveis: A carne subiu 80%,
deve ser substituído por computar, enquanto o aumento de outros pro-
experimentar, contar, levantar, dutos foi de 35% em média. / A carne
acusar ou registrar em orações como: subiu 80% em relação a (em compa-
Caixa “contabiliza” (registra, acusa) ração a) um aumento de 35% em
grande procura pelos financiamen- média de outros produtos. 2 — Con-
tos. / Partido “contabiliza” (experi- tra tem plural, quando substantivado:
menta, sofre) seis grandes derrotas no Os prós e os contras. / Os contras da
Estado. / Sua peça até agora “conta- Nicarágua.
bilizou” (acusou, reuniu) um público Contra... Hífen antes de vogal, h, r e s:
de 52 mil pessoas. / O acidente “con- contra-almirante, contra-ataque,
tabilizou” (deixou) 12 mortos e 25 fe- contra-espião, contra-indicação,
ridos. / A prefeitura passou o dia contra-ofensiva, contra-harmônico,
“contabilizando” (levantando) os contra-revolução, contra-regra, con-
prejuízos causados pela chuva. tra-senso. Nos demais casos: contra-
Contar. Equivale a relatar, descrever, re- cheque, contradança, contramão,
ferir: Náufrago conta como conse- contragolpe, contratempo.
guiu salvar-se. / Mulheres contam as “Contraceptivo”. É mera transposição
torturas do carrasco. Não tem,
do inglês contraceptive. Por isso, use
porém, o sentido de dizer ou afirmar
anticoncepcional.
que lhe é inadequadamente atribuído
em frases como: O presidente do Contradizer. Conjuga-se como dizer
Banco Central contou que o governo (ver, página 99): contradigo, contradi-
acredita na queda da inflação. / O zes; contradizia; contradisse; contra-
técnico contou também que os joga- dissera; contradirei; contradiria; que
dores não haviam cumprido as deter- eu contradiga; se eu contradissesse; se
minações. / O delegado contou que o eu contradisser; contradize tu, contra-
esquema de segurança visava a pro- dizei vós; contradizendo, contradito.
teger os atletas. Contrair. Conjuga-se como cair (ver, pá-
Contendo. É errado o uso de contendo gina 55).
no lugar de com em frases como: Uma Contralto. O contralto (se se tratar de
casa com (e não contendo) cinco homem ou menino com essa voz) e a
quartos. / Documentos com (e não contralto (cantora): o contralto João
contendo) dados incorretos. / Repor- Carlos; a contralto Luísa da Silva;
tagens com (e não contendo) infor- Francisca Pinheiro, contralto brasilei-
mações tendenciosas e contraditó- ra; etc.
rias. Contramão. Pode ser substantivo (O
Contestar. Em espanhol significa res- carro entrou na contramão), adjetivo
ponder a, e não contrariar. invariável (pista contramão, ruas
Contingente. E não “contigente”. contramão) e advérbio (O motorista
“Continuar ainda”. Redundância. Con- entrou contramão. / Sua casa fica
tinuar já encerra a idéia de ainda. Use contramão para mim).
apenas: Ele continua lá. / O governo Contrário. 1 — A locução ao contrário
continuava a emitir dinheiro. indica oposição: O policial não se
Contra. 1 — Não equivale a em relação omitiu no acidente, mas, ao contrá-
a, em comparação a ou enquanto, rio, até participou do salvamento das
Contratação 82 Cotia, cutia

vítimas. 2 — Ela não pode ser utiliza- Cores. O certo é em cores e não “a
da, por isso, quando indica mera subs- cores”: transmissão em cores, televi-
tituição ou alternativa: “Ao contrá- são em cores.
rio” (o certo: de maneira diferente) do Corinthians. Desta forma. O torcedor é
que pensavam, machucou a perna e corintiano, sem h.
não a cabeça. / Trouxe o jornal e não Corpo a corpo, corpo-a-corpo. Sem
a revista, “ao contrário” (diferente- hífen, a locução designa a forma da
mente) do que haviam pedido. luta: Lutavam corpo a corpo. Com
Contratação. No singular em frases co- hífen, designa a própria luta e não
mo: A contratação de Pedrinho e Car- varia no plural: O terrível corpo-a-
los pelo time... / Com a contratação corpo, os terríveis corpo-a-corpo. /
de mais três jogadores, o time... (e Houve um corpo-a-corpo entre os lu-
nunca “as contratações”). tadores.
Convalescença. E não “convalescên- “Correr atrás do prejuízo”. Além de
cia”. constituir modismo, é expressão in-
Convergir. Conjuga-se como aderir correta. Corre-se atrás do empate, da
(ver, página 32): convirjo, converges; vitória, da vantagem, do título, do
convirja, convirjas; converge tu, con- lucro e nunca “do prejuízo”.
vergi vós. Corrigido. Use corrigido tanto com os
Convertidos em. E não “para”: Os valo- auxiliares ser e estar (e não correto)
res foram convertidos em dólares. quanto com ter e haver: O trabalho
Convidar. Antes de infinitivo, exige a: foi corrigido ou já estava corrigido. /
Tempo bom convida a sair. O repórter tinha (ou havia) corrigido
Convir. Conjuga-se como vir (ver, pági- o texto. Não confunda com a forma O
na 308): convenho, convéns, convém; trabalho estava correto, em que cor-
convinha; convim, convieste, con- reto não é particípio, mas adjetivo
veio; que eu convenha; que eu con- (equivalente a certo, sem erros).
viesse; se convier; convindo (part. e Corrimão. Plural: corrimãos (prefira) e
ger.); etc. corrimões.
“Conviver junto”. Redundância. Convi- Corriola. E não “curriola”.
ver já encerra a idéia de companhia. Corroborar. Corrobora-se alguma coisa
Copa. Com inicial maiúscula antes do ou alguma coisa com outra: Ele corro-
nome que determina: Copa União, borou o argumento. / O cientista cor-
Copa do Mundo. Com minúsculas, roborou a teoria com as suas pesqui-
porém, na segunda referência: A copa, sas.
essa copa. / Conquistou a copa. Corroem. Sem acento.
Cópias. Livros e discos têm exemplares Cortesão. Flexões: cortesã, cortesãos
e não “cópias”, mera transposição do (prefira) e cortesões.
inglês copy (plural: copies): O livro já Coser, cozer. Coser a roupa (costurar),
vendeu 400 mil exemplares (e não cozer os alimentos (cozinhar).
“cópias”). / O disco já sai com 800 mil Costa, costas. No singular equivale a li-
exemplares encomendados. toral: Percorreu toda a costa. No plu-
Cor (concordância). Ver nomes de cor, ral, à parte do corpo: Dor nas costas. /
página 191. Machucou as costas.
Cor-de-carne. Invariável: maiôs cor-de- “Costurar um acordo”. Modismo. Não
carne. use.
Cor-de-rosa. Invariável: blusas cor-de- Cotia, cutia. Cotia — cidade; cutia —
rosa. animal.
Coxão 83 Cujo

Coxão. E não “colchão” (mole ou duro) b) existir equivalência com do qual


para a carne. (da qual, dos quais e das quais); c) estar
Cozer. Ver coser, página 82. clara a idéia de posse. Exemplos: O
Craque. Aportuguesado, tanto para de- país cuja população cresce sem parar
signar o atleta quanto a imitação de enfrenta problemas. / Os meninos
barulho ou a quebra financeira. cuja mãe estava sendo operada
Crase. Ver página 315. aguardavam no corredor.
Crer. Conjugação. Pres. ind.: Creio, Desdobrando a explicação: a) Há
crês, crê, cremos, credes, crêem. Pret. antecedentes, possuidores (o país, os
perf. ind.: Cri, creste, creu, cremos, meninos), e conseqüentes, coisas pos-
crestes, creram. Pres. subj.: Creia, suídas (cuja população, cuja mãe),
creias, creia, creiamos, creiais, ambos diferentes; b) existe equivalên-
creiam. Pret. imp. subj.: Cresse, cres- cia com do qual: o país a população
ses, cresse, crêssemos, crêsseis, cres- do qual cresce sem parar, os meninos
sem. Fut. subj.: Crer, creres, crer, crer- a mãe dos quais estava sendo opera-
mos, crerdes, crerem. Imper. afirm.: da; c) está clara a idéia de posse: a po-
Crê, creia, creiamos, crede, creiam. pulação é do país e a mãe, dos meni-
Imper. neg.: Não creias, não creia, não nos.
creiamos, não creiais, não creiam. Regra prática. Inverter os termos
Part.: Crido. e ligá-los pela preposição de, caso em
que fica evidente a noção de posse: a
Crescer. Alguma coisa cresce, mas não
população do país, a mãe dos meni-
se cresce alguma coisa. Assim: O país
nos.
espera que o número de empregos
cresça. E não: O país espera “crescer” Outros exemplos de cujo correta-
o número de empregos. mente empregado: Eis a carta cujo
conteúdo você desconhecia (o con-
“Criar novos”. Redundância. Criar já
teúdo da carta). / Veja os livros cujos
encerra a idéia de novo. Escreva,
autores lhe recomendei. / São os he-
assim, criar mil empregos por dia e
róis cujos feitos glorificamos. / Os ho-
não criar mil novos empregos por dia,
mens cuja honra e coragem sobres-
criar opções e não criar novas opções,
saíam (a honra e a coragem dos ho-
etc.
mens). / O jornal cujo espírito e cuja
Crisântemo. E não “crisantemo” (cri- tradição elogiaram.
santêmo). 2 — Se o verbo, palavra ou expres-
Cristão. Flexão: cristã e cristãos. são que se segue a cujo exige preposi-
Cronologia. No desfecho de coberturas ção, ela terá de ser usada com esse re-
que se arrastem por meses ou anos, lativo: O repórter a cujo texto nos re-
uma forma prática de situar o leitor ferimos (e não “cujo texto nos referi-
no tempo é publicar a cronologia dos mos”). / Os pensadores de cujos prin-
acontecimentos, com uma indicação cípios discordamos. / A casa por cujos
sumária dos dias em que houve algum portões passamos. / O jornal em cuja
fato digno de nota. Com matéria de redação trabalharam. / A matéria
pesquisa (que pode sair paralelamen- para cujo vestibular se prepararam. /
te), nem sempre se obtém o mesmo O espetáculo a cujo início assisti-
efeito. ram. / O médico de cuja memória
Croqui. É o singular. Plural: croquis. somos cultores. / A obra em cujos
Cujo. 1 — O uso correto de cujo (cuja, princípios se inspirou e a cuja argu-
cujos e cujas) exige três condições: a) mentação cedeu.
haver antecedente (possuidor) e con- Os exemplos equivalem a: O repór-
seqüente (coisa possuída) diferentes; ter ao texto do qual nos referimos./
Cujo com pronome 84 D’água

Os pensadores dos princípios dos um pedido cujo despacho se reco-


quais discordamos. / A casa pelos menda. / A carta cujo conteúdo o in-
portões da qual passamos. / O jornal trigava finalmente ia ser aberta.
na redação do qual trabalharam. Cumprimento. Ver comprimento, pági-
3 — O antecedente e o conseqüen- na 73.
te de cujo podem ser uma expressão, Cupido, cúpido. Cupido — deus do
desde que de sentido completo (em amor; cúpido — ganancioso, ambicio-
outras palavras: como se fossem uma so, ávido: homem cúpido, olhares cú-
palavra composta): O jornal cuja Edi- pidos.
toria de Política... / A Editoria de Po- Cupom. Use cupom e cupons (e não
lítica cujos repórteres... / O hotel cujo cupão).
chefe de portaria... / O chefe de por-
Curinga. E não “coringa”.
taria cujos subordinados... / O amigo
cujo nome de batismo... / O clube Curriculum vitae. Prefira currículo(s),
cuja lista de sócios... a menos que se queira dar muita ên-
4 — É erro repetir o antecedente de- fase à carreira da pessoa.
pois de cujo (a moça cujo livro da Curta-metragem. Plural: curtas-metra-
moça, os heróis cujos feitos dos he- gens.
róis, etc.) e também usar artigo após Curto-circuito. Plural: curtos-circui-
o pronome (a moça cujo “o” livro, os tos.
heróis cujos “os” feitos, o médico Custa. O certo é à custa de e não “às
cuja “uma” preocupação, etc.). custas de”: Vive à custa da mulher. /
5 — Se não houver relação de Elegeu-se deputado à custa de con-
posse, torna-se incorreto o uso de chavos.
cujo, mesmo que o pronome possa ser Custar barato, custar caro. Barato e caro
substituído por dos quais: Os clubes não variam depois de custar: Com-
que fazem parte do grupo, “cujos bustíveis custam 30% mais caro (e
principais” são o São Paulo, o Pal- não caros). / Esses artigos custam ba-
meiras e o Santos. Como falta a coisa rato (e não baratos). / A carne já custa
possuída, eis a frase certa: Os clubes mais caro (e não cara). / As blusas
que fazem parte do grupo, dos quais custam mais barato (e não baratas)
os principais são ... que as camisas.
6 — Outros exemplos de frases er- Cutia. Ver Cotia, página 82.
radas com cujo (note: cujo não corres-
Czar. Desta forma. Derivados: czarina
ponde a o qual): O 9 de julho de 1932,
(a imperatriz), czaréviche (príncipe
em cuja data... (use data na qual). /
herdeiro), czarevna (princesa herdei-
Não sei de cujo livro você falou (falta
ra), czarismo e czarista.
antecedente). / Referiu-se a negócios
cujos (que os) clientes da corretora
não conseguiram honrar. / Herdou
uma fazenda cuja fazenda (que, a
qual) o tornou rico. / O prêmio foram
10 mil reais, cuja importância depo-
sitou no banco (importância que ou
a qual depositou no banco). / Os ami- D’água. 1 — É a forma empregada nas
gos de cujos (dos quais) se separou palavras compostas: caixa-d’água,
(falta conseqüente)... / O carro cujo mãe-d’água, barriga-d’água, gali-
(que, o qual) quebrou não era dele. nha-d’água, olho-d’água, pau-
Cujo com pronome. O cujo atrai o pro- d’água. 2 — Por extensão, pode ser
nome localizado na mesma oração: É usada em expressões que equivalem
Dali a, daqui a 85 De a, de o, de ele, de aquele

a palavras compostas: gota d’água, Dar entrada a. Desta forma: dar entra-
falta d’água e rasos d’água (olhos). da a um processo.
Nos demais casos, prefira da ou de Dar-se ao luxo, ao trabalho. As duas ex-
água: jatos de água, gole de água, pu- pressões estão corretas. O pronome
reza da água, barulho da água, etc. 3 oblíquo funciona como objeto direto
— Em casos especiais, admite-se e ao luxo ou ao trabalho, como obje-
n’água: caiu n’água, dar com os bur- to indireto: Ele se deu ao luxo de ir
ros n’água, etc. (Sobre casos análogos, àquele restaurante. / Dei-me ao tra-
ver apóstrofo, página 40). balho de arrumar a estante esta
Dali a, daqui a. 1 — Sempre com a quan- manhã.
do indicarem tempo ou medida: Dali Data-base. Plural: datas-base.
a meia hora, dali a dez quilômetros, Datas. 1 — Vão sempre em algarismos:
daqui a seis meses, daqui a dois dias Chega dia 9. / O prazo vence em 1º
(e não dali meia hora, daqui dez dias, de junho. / Avenida 9 de Julho, Largo
etc.). 2 — Atenção: nunca use daqui 7 de Setembro, Rua 2 de Outubro. 2
“há” dois meses, dali “há” dez dias, — Ver expressões de tempo, página
erros graves. 124.
Damas. O jogo é de damas, no plural. Davi, David. Use Davi para o persona-
gem bíblico e David para o nome de
Da mesma forma que. Concordância.
quem se assine dessa forma: David
Ver assim como, página 47.
Cardoso, David Niven, David Bowie.
Daquelas, daqueles. Sempre no plural
De. 1 — Use de, e não em, para definir
em frases como: Está num dia daque- o material de que alguma coisa é feita:
les. / Nunca aceitaria uma situação artesanato de (e não “em”) madeira,
daquelas (e nunca “daquele”, “da- cesta de (e não “em”) palha, peças de
quela”). bronze, jaquetas de antílope, calças
Daquele, daquilo. Ver comparações de couro, laje de concreto, ponte de
(formas), página 72. aço, blusas de lã, camisas de seda,
Daqueles que. Concordância. Ver dos etc. 2 — Ver também “em seda”, pá-
que, página 102. gina 105.
Daqui a. Ver dali a, nesta página. De a, de o, de ele, de aquele. Não se faz
Dar (horas). Concordância. Ver horas, a contração da preposição com o arti-
página 140. go quando este é parte do sujeito, nem
Dar a. É a, e não para, a preposição exi- da preposição com o pronome se ele
gida por dar: Deu boas explicações funciona como sujeito ou o determi-
na. Assim, eis os exemplos corretos:
aos (e não “para os”) eleitores. / Evi-
Apesar de o (e não do) presidente ter
tou dar apoio ao candidato. / Dava
dito a verdade, ninguém acreditou
sempre contribuições à instituição. /
nele. / Depois de a (e não da) equipe
Deram as características do carro aos
ter sido escalada, ele pediu para
policiais. jogar. / O fato de o consumidor ver-
Dar à luz. É esta a expressão correta, e se obrigado a pagar mais... / Apesar
não “dar a luz a” ou “dar à luz a”: Pro- de aqueles (e não daqueles) crimino-
fessora deu à luz quíntuplos. / Deu à sos terem sido capturados... / Depois
luz um menino. / Amaldiçoou a mu- de esses fatos terem ocorrido... /
lher que o dera à luz. São erradas, por- Antes de estes dirigentes se pronun-
tanto, as formas: Professora deu à luz ciarem... / É hora de ela ir embora. /
“a” quíntuplos. / Deu a luz “a” um O fato de esta experiência ser mar-
menino. / Amaldiçoou a mulher que cante... / Apesar de este número ser
“lhe” dera à luz. difícil de confirmar... / O fato de ela
Deão 86 Declarações textuais

ter-se alegrado... / Reclamou por a (e Declarações textuais. 1 — A reprodução


não pela) irmã não ter sido promovi- de declarações textuais (entre aspas)
da. / Insistiu em o (e não no) filme ser é importante e valoriza o texto. E
exibido. / Acreditou em ela ser ino- principalmente mostra ao leitor que
cente (e não nela). / Assistiram a o (e houve preocupação do repórter em re-
não ao) Congresso ser fechado. De colher opiniões ou frases originais,
qualquer forma, evite as formas a o, expressivas, marcantes, de efeito ou
por o, por a, em o, em ela, ruins jor- espirituosas.
nalisticamente, e construa a frase de 2 — É preciso, porém, ter o senso
outra maneira. exato da medida: nem declarações
Observação. Há gramáticos que textuais em excesso, que dêem ao lei-
aceitam essa contração; o Estado, tor a impressão de informações derra-
porém, segue a norma da língua. madas na lauda sem nenhum critério,
Deão. Plural: deões (prefira), deães e nem declarações textuais de menos,
deãos. que não permitam ao leitor ao menos
“De até”, “em até”. Use até, simples- saber se o repórter efetivamente falou
mente: Pagamento até cinco presta- com o entrevistado ou se apenas re-
ções mensais. / Carro financiado até colheu informações de segunda mão
20 meses. sobre as suas opiniões.
Debacle. Prefira ruína, derrota, catás- 3 — Algumas recomendações de
trofe. ordem prática sobre a forma de utili-
De baixo, debaixo. Separado em frases zar este recurso:
como olhar de baixo a cima, roupa de a) Procure usar declarações tex-
baixo. Nos demais casos, debaixo: tuais a cada um ou dois parágrafos da
Subiu depressa, mas agora está de- matéria. Uma frase por parágrafo já
baixo. / Estava debaixo da árvore. seria uma boa medida e ela funciona-
ria quase como uma testemunha que
Debater. Regência. 1 (tr. dir.) — Empre-
confirmasse a história ou fato que o
sários querem debater o pacto. 2 (tr.
repórter quer levar ao leitor. Exem-
dir. e ind.) — Empresários querem de-
plo: A queda de uma barreira provo-
bater pacto com trabalhadores. 3
(intr.) — Não estavam debatendo, es- cou congestionamento de 20 quilô-
tavam discutindo. 4 (pron.) — O metros na Marginal do Pinheiros, em
doente debatia-se no leito. 5 — Não São Paulo. “Foi horrível”, disse a ad-
existe a forma debater sobre alguma vogada Denise Barros, que ficou
coisa (use debater pacto, por exem- presa no trânsito durante quatro
plo, e não debater sobre pacto). horas. O texto conta uma história e
usa a personagem para lhe dar veraci-
Debruçar-se. Alguém se debruça e não
dade. O leitor tenderá a confiar mais
debruça, simplesmente: A moça de-
nas informações que lhe estão sendo
bruçou-se na janela. / Debruçou-se a
transmitidas (não é só o repórter que
noite toda sobre os livros.
está dizendo aquilo; outra pessoa está
Debutante, debutar. Aceitáveis apenas confirmando a informação).
para definir a apresentação de uma b) É preciso, no entanto, saber usar
jovem à sociedade. Nos demais casos, bem as aspas. Veja como a frase seria
use estreante e estrear. reproduzida erradamente: A advoga-
Decerto. Uma palavra só. da Denise Barros, que passava pelo
Decigrama. Palavra masculina: um de- local, diz que “foi horrível ficar presa
cigrama. no trânsito durante quatro horas”. O
Decímetro. Ver distância, página 98. recomendável: “Foi horrível”, disse a
Décimo terceiro. Sem hífen. advogada Denise Barros, que passa-
Declarações textuais 87 Declarações textuais

va pelo local. “Fiquei presa no trân- dele é com a população de São


sito durante quatro horas.” Repare Paulo” e não apenas “com os que vo-
que não há necessidade de nenhum taram nos candidatos do partido”.
outro verbo declarativo depois da se- 4 — Nunca deixe de pôr entre aspas
gunda frase: fica claro que é a mesma as palavras e expressões contunden-
pessoa quem fala. tes, redundantes ou óbvias que, pela
c) Não coloque nunca ponto para estrutura da frase, possam ser atribuí-
dar continuidade a uma declaração das pelo leitor ao jornal, quando na
entre aspas. Por exemplo: “Foi horrí- verdade são do entrevistado: O time
vel. Fiquei quatro horas presa no entrará em campo amanhã, “a me-
trânsito”, disse a advogada Denise nos que seja novamente burlado em
Barros. O certo é quebrar a frase ao seus direitos”, advertiu o presiden-
meio: “Foi horrível”, disse a advoga- te. / Para o economista, o orçamento
da Denise Barros. “Fiquei quatro municipal é simplesmente “irrespon-
horas presa no trânsito.” sável”. / O assaltante disse estar ar-
d) Apenas na transcrição de tre- rependido do crime, embora saiba
chos de discursos, pronunciamentos, que isso “não traz a menina de vol-
documentos oficiais, ordens do dia e ta”. / Ministro critica “histéricos” do
mais alguns poucos textos como mercado financeiro.
esses, será permitida a inclusão de 5 — Não recorra às declarações
mais de uma frase entre aspas. textuais apenas como forma de con-
Mesmo assim, a indicação virá sem- tornar as dificuldades que você esteja
pre antes do trecho reproduzido, e tendo para traduzir as informações
nunca depois. ou opiniões do entrevistado. Mesmo
O certo: Explicou o presidente: que este diga, por exemplo, que o
“Em 1950, havia dois partidos de um vulto era de difícil visualização, vo-
só criador, Getúlio Vargas. Os líderes cê, com maior propriedade, escreva
do PSD não tinham o menor cons- simplesmente: Segundo o entrevista-
trangimento em votar no candidato do, a pessoa (ou figura ou vulto) era
do PTB. Afinal, eram todos ex-gover- difícil de identificar (ou distinguir ou
nadores nomeados por ele. A situa- ver).
ção agora é muito diferente.” O erra- 6 — Embora as declarações entre
do: “Em 1950, havia dois partidos de aspas devam transcrever com fidelida-
um só criador, Getúlio Vargas. Os lí- de as palavras do entrevistado, adapte
deres do PSD não tinham o menor o texto às normas gramaticais, acerte
constrangimento em votar no candi- as concordâncias, elimine as repeti-
dato do PTB. Afinal, eram todos ex- ções muito freqüentes e contorne os
governadores nomeados por ele. A si- vícios de linguagem. A menos, claro,
tuação agora é muito diferente”, ex- que haja alguma razão para manter li-
plicou o presidente. teralmente o texto.
Em entrevistas ou na reprodução 7 — A adaptação do texto às nor-
de declarações isoladas, esta forma mas lingüísticas não deve, porém, per-
está vetada. mitir que ele assuma caráter artificial.
e) Finalmente, não despeje sobre o Uma jovem cantora, por exemplo, di-
leitor uma torrente interminável de ficilmente diria frases como estas que
aspas, como neste exemplo: O prefei- lhe foram atribuídas: “Tudo entre nós
to declarou que “o problema dos am- sempre foi resolvido no seio da famí-
bulantes vai ser resolvido” e “o cen- lia” ou “Meu pai não pôde aceitar ver-
tro da cidade ficará limpo até o fim me posar nua para uma revista”. A
do mês”, porque “o compromisso expressão seio da família e a forma
Defender 88 Deflagrar

não pôde aceitar ver-me posar soam ter dito era: “Durante o dia, desem-
falsas no contexto. penhava minhas funções na cozi-
8 — Pode haver casos em que con- nha.” Outros exemplos errados: O
venha ressaltar os erros ou as formas empresário afirmou também que
estranhas das declarações textuais. “tudo será feito na nossa empresa
Nesse caso, nunca deixe de acrescen- para conquistar o mercado de super-
tar um sic!, entre parênteses, logo de- gelados”. / Segundo o artista, “nin-
pois do erro ou da afirmação. guém muda o meu pensamento”.
9 — Declarações textuais só 12 — Abra e feche aspas cada vez
devem abrir notícia ou reportagem que truncar uma declaração por ob-
quando forem realmente de grande servações introduzidas no texto: “A
importância: “O Brasil voltará a hon- nação”, prosseguiu o deputado, “es-
rar seus compromissos.” Com esta pera agora que o governo finalmente
declaração, o ministro X pôs fim revele os nomes dos corruptos.”
ontem à moratória que o País havia 13 — Nos diálogos, use travessões
decretado um ano antes. e não aspas:
10 — Não permita que a declara-
ção entre aspas mude o sujeito da ora- Com um largo sorriso, o presiden-
ção, transformando o discurso indire- te disse ao visitante:
to em direto: O prefeito garantiu que — O senhor chegou na hora.
“eu não permitirei esse descalabro”. O chefe do Gabinete comunicou
O sujeito estava na terceira pessoa então a presença de mais um convi-
(garantiu) e passou para a primeira dado.
(permitirei), quebrando o ritmo e a es- — Antônio Carlos, você foi um
trutura do texto. Casos semelhantes tigre — saudou o presidente. — Por
podem ser contornados por constru- aqui, senhores. E se dirigiu com os
ções como: “Não permitirei esse des- dois recém-chegados para o salão de
calabro”, garantiu o prefeito. / O pre- recepção.
feito garantiu: “Não permitirei esse
descalabro.” / O prefeito garantiu 14 — Ver também os verbetes as-
que não permitirá “esse descalabro”. pas, página 46, e encampação, página
Outros exemplos igualmente ina- 105.
ceitáveis: O presidente disse que Defender. Use substantivo e não infini-
“chegou ao meu conhecimento tivo depois: Comissão defende inde-
que...”/ O diretor da TV informou nização para torturados (e não “de-
que, “se tivéssemos obtido a limi- fende indenizar”).
nar, ...” / O maestro afirmou que “po- “Defender que”. Ninguém defende que,
demos muito bem fazer um hino...” / mas defende alguma coisa: Deputado
A modelo acha que tem um lado sen- defende a fusão de bancos (em vez de:
sual “do qual muito me orgulho”. / Deputado defende que bancos
O ditador reservava seu tempo livre devam se fundir). Da mesma forma:
“para aprofundar-me em assuntos Jornal defende apoio dos EUA ao Bra-
como história e economia”. sil na ONU (e não: Jornal defende que
11 — Mesmo que não altere a pes- EUA devem apoiar o Brasil na
soa do verbo, o uso de pronomes pos- ONU).
sessivos (nosso, seu, sua, etc.) tam- Déficit. Desta forma. Plural: déficits.
bém indica a mudança do sujeito: “Definir que”. Alguém define alguma
Disse que durante o dia “desempe- coisa, mas não define que...
nhava muito bem suas funções na co- Deflagrar. Prefira decretar, iniciar, abrir,
zinha”. A única coisa que ele poderia provocar, desencadear: A insatisfa-
De forma que 89 Democrata-cristão, ...

ção popular provocou a rebelião (em Deixe-me dizer, deixe-o fazer. E nunca
vez de deflagrou). / Depois de duas “deixe eu dizer”, “deixe ele fazer”, etc.
horas de reunião, os metalúrgicos de- Deletar. Aceitável apenas na informáti-
cretaram a greve. / Manobras de bas- ca. Nos demais casos, use apagar, des-
tidores abrem a sucessão (em vez de fazer, suprimir: Queria apagar (e
deflagram). / Os estudantes inicia- nunca “deletar”) aquelas impressões
ram (e não deflagraram) o movimen- da memória.
to às 10 horas. Demais, de mais. 1 — Numa palavra só,
De forma que. Ver de maneira que, tem o sentido de em excesso, muito,
nesta página. demasiadamente: Fala demais. /
Defronte de. E não “defronte a”: Ficou Havia gente demais ali. Equivale
parado defronte do palanque. ainda a além disso, os restantes: Che-
De Gaulle. 1 — Com d minúsculo quan- gou cansado; demais, estava doen-
do se citar o nome todo: o general te. / Os demais convidados... 2 — De
Charles de Gaulle. Com D maiús- mais equivale a a mais (e opõe-se a de
culo quando se usar a forma reduzi- menos): Recebeu dinheiro de mais. /
da: o general De Gaulle. 2 — Não há Isso não é nada de mais.
nenhuma prova de que o general De maneira que. É a locução correta,
tenha dito que “o Brasil não é um país assim como de modo que, de forma
sério”. Evite a citação, portanto. que, de sorte que (e nunca de “manei-
Deitar-se. Alguém se deita e não deita, ras” que, de “modos” que, de “formas”
apenas: Ele se deita cedo todo dia. / que...). Use sempre essas formas, em
O Sol deita-se mais tarde no verão. / vez de “de maneira a”, “de modo a”,
Todos se deitaram no chão, quando “de forma a”, “de sorte a”, etc.: Fez o
os assaltantes mandaram. trabalho de maneira que agradasse
Deixar claro, evidente. 1 — O adjetivo ao chefe (e não de maneira a agradar
varia nas locuções deixar claro, evi- ao chefe). / Voltou o rosto de modo
dente, nítido, patente e outras do gê- que não fosse visto de frente (em
nero: Eles deixaram clara (e não lugar de de modo a não ser visto). /
claro) sua intenção. / Deixaram evi- Preencheu o formulário de forma que
dentes (e não evidente) suas preten- não deixasse dúvidas (e não de forma
sões. / Havíamos deixado nítidas (e a não deixar dúvidas).
não nítido) nossas preferências. / Democrata, democrático. Use demo-
Deixaram patentes (e não patente) os crata como substantivo: Os demo-
riscos que todos iriam correr. 2 — A cratas defendem a pluralidade parti-
locução só fica invariável se for segui- dária. E democrático como adjetivo:
da de que: Deixaram claro que as de- São homens democráticos, princí-
cisões eram arriscadas. pios democráticos, atitudes demo-
“Deixar com que”. Use deixar que, em cráticas, etc. Exceção: democrata,
frases como: O excesso de trabalho como adjetivo, apenas quando se re-
não deixou que (em vez de “deixou ferir a partidos chamados Democra-
com que”) ele tirasse férias naquele tas (como o dos EUA): Os candidatos
mês. Fazer é que admite o com, mas democratas (isto é, adversários dos
deixar, não. republicanos).
Deixar mais infinitivo. 1 — Não flexio- Democrata-cristão, democrata-social.
ne o infinitivo: Deixe as lágrimas ro- O plural, tanto do adjetivo como do
lar. / Os policiais deixaram as pes- substantivo, é democrata-cristãos e
soas sair. 2 — Ver infinitivo, página democrata-sociais: partidos demo-
145. crata-cristãos, organizações demo-
De modo que 90 Denúncias

crata-sociais; os democrata-cristãos, tro da democracia que se pretende


os democrata-sociais. adotar (segundo, de acordo com),
De modo que. Ver de maneira que, pá- dentro da estratégia da entidade (se-
gina 89. gundo), dentro do que se acredita ser
Demolir. Conjugação. Só tem as formas possível (de acordo com), etc.
em que ao l se segue e ou i: demole, “Denunciar que”. Não use esta forma,
demoliram, etc. pois ninguém “denuncia que”. De-
Denegar. Prefira negar, recusar, rejeitar. nuncia-se alguma coisa: Deputado
Denegrir. Conjuga-se como agredir denuncia desvio de verbas (e não: De-
(ver, página 34): denigro, denigres; de- putado “denuncia que” verbas foram
negri; que eu denigra; se eu denegris- desviadas).
se; etc. Denúncias. 1 — Como intérprete do lei-
Dengue. 1 — Palavra feminina quando tor, o Estado se sente no dever de pu-
designa a doença: a dengue, a dengue blicar toda denúncia fundamentada
hemorrágica (transmitida pelo mos- que lhe chegue ao conhecimento.
Aliás, o jornal considera essa uma de
quito Aedes aegypti). O tigre-asiático
suas funções sociais mais importan-
(Aedes albopictus) é responsável por
tes, por estar diretamente ligada à de-
outra forma da dengue. 2 — Dengue,
fesa da moral pública e do dinheiro do
no masculino, significa dengo: o den-
contribuinte. O cidadão merece ser
gue da passista.
defendido em todos os planos, muni-
Dente de leite. O dente vai sem hífen e cipal, estadual e federal. Por isso, o re-
a categoria esportiva, com: Dentistas pórter deve empenhar-se em manter
criam banco de dentes de leite. / Co- essa característica permanente do jor-
meça hoje o campeonato dos dentes- nal.
de-leite. Veja alguns exemplos de matérias
Dentre. Use dentre apenas quando de denúncia: desvio ou má aplicação
puder substituí-lo por do meio de: de verbas públicas; conchavos entre
Ressurgiu dentre os mortos. / Dentre parlamentares e governantes em pre-
todos ele saiu vencedor. / Tirou uma juízo da população; favorecimento
dentre as cinco moças para dançar. / oficial a empresas particulares; con-
Era o cientista que, dentre todos os corrências com cartas marcadas;
homens, sobrevivera milagrosamen- obras dispendiosas, cujo custo não
te. Nos demais casos, o correto é corresponda à utilidade; tráfico de in-
entre. fluência; apadrinhamento e nepotis-
Dentro de. 1 — Use dentro de, correta- mo no serviço público; compras pú-
mente, como equivalente a no inte- blicas sem concorrência; mordomias
rior de, no íntimo de ou no espaço de e gastos exagerados de servidores, go-
(sentido concreto): dentro de casa, vernantes ou parlamentares; viagens
dentro de mim, dentro de alguns desnecessárias à custa do governo,
dias. 2 — Se o significado não for esse, com diárias elevadas; transações du-
recorra a em, de acordo com, segun- vidosas em qualquer nível da admi-
do ou equivalente (entre parênteses, nistração pública; uso de recursos pú-
a opção recomendável): A divergên- blicos em benefício de particulares;
cia dentro do partido (no partido), manipulação dos bancos estaduais
dentro do Palácio do Planalto (no Pa- em favor de empresas de protegidos;
lácio), dentro do Parque Antártica salários públicos em desacordo com a
(no Parque), dentro dessa filosofia realidade do País, etc.
(segundo essa filosofia), dentro desse 2 — O jornal exige, no entanto, que
ponto de vista (de acordo com), den- os fatos sejam apurados com rigor,
Depor 91 Descoberta, descobrimento

devendo os repórteres ou editores de que, declara de que, afirma de


conservar em seu poder, durante o que, etc., mas acredita que, julga que,
tempo conveniente, os documentos pensa que, afirma que, e assim por
comprobatórios das irregularidades diante. 2 — Ver em que (com prepo-
apontadas. As denúncias feitas por sição), página 244, o uso de locuções
terceiros cujo nome não possa ser di- como ter confiança, esperança, dese-
vulgado deverão, sempre, ser conferi- jo de que.
das com alguma outra fonte de con- De repente. a) Desta forma, e não “der-
fiança. repente”. b) Cuidado com o uso exces-
3 — Ao montar a matéria, se você sivo: a expressão tornou-se modismo
sentir alguma insegurança na mani- ou “muleta”.
pulação dos dados, não hesite em re- Derreter-se. Alguma coisa se derrete e
correr a especialistas (advogados, eco- não derrete apenas: A neve (ou o gelo)
nomistas, etc.), para que nenhuma in- derreteu-se. / Sua frieza derreteu-se.
formação corra o risco de desmenti- Desagradar. Use o verbo sempre como
do. Assim, só considere o texto em transitivo indireto (com preposição
condições de publicação quando tiver a): A nova exigência do CMN desa-
comprovado todas as denúncias nele gradou aos bancos. / Quando estava
incluídas. mal-humorado, tudo lhe desagrada-
4 — Finalmente, não pense em de- va. / A proposta desagradou ao Nor-
núncia apenas quando o dinheiro pú- deste. Como pronominal, o verbo
blico estiver envolvido. Há fatos apa- pede a preposição de: Desagradou-se
rentemente corriqueiros cuja divul- da atitude dos amigos.
gação poderá melhorar muito o dia-a- Desaguar. Conjuga-se como aguar (ver,
dia do leitor, como: coleta de lixo mal- página 34): deságua, deságuam, etc.
feita; mudanças de trânsito realizadas Descarrilar. Use apenas esta forma,
sem critério; derrubada irregular de assim como descarrilamento, em vez
árvores; poluição de áreas por indús- de descarrilhar, desencarrilhar, etc.
trias que não observem as normas Descartar. 1 — Como sinônimo de afas-
ambientais; contaminação dos rios da tar, deve ser sempre acompanhado
cidade; poluição sonora; invasão de das palavras possibilidade, hipótese,
áreas residenciais pelo comércio, etc. probabilidade, idéia, sugestão, pro-
Repare que esses assuntos figuram posta e outras semelhantes em frases
com freqüência nas cartas dos leito- como: Governo descarta possibilida-
res. Por que então não tomar a inicia- de de acordo com credores (e não: Go-
tiva também? verno descarta acordo com credo-
5 — Ver também acusações, pági- res). / Estado descarta hipótese de in-
na 31. tervenção em hospital. / Economista
Depor. 1 — Depõe-se em algum lugar e descarta probabilidade de aumento
não a alguém ou a algum órgão: Depôs da inflação. / Ministério descarta a
na (e não “à”) comissão. 2 — Pode-se idéia de abono. / Sindicatos descar-
também depor, apenas: Convocado, tam proposta de greve. 2 — Sempre
recusou-se a depor. que possível, substitua descartar,
Deputado por. E não de: deputado por com vantagem, por afastar (afasta
São Paulo, deputado pelo Ceará. possibilidade, afasta hipótese, afasta
“De que”. 1 — Nenhum verbo direto — idéia, etc.).
responde à pergunta o quê — aceita a Descoberta, descobrimento. 1 — Use
forma de que. Por isso, ninguém acre- descobrimento para designar o ato de
dita de que, julga de que, pensa de descobrir: descobrimento do Brasil,
que, crê de que, comenta de que, nota descobrimento da energia atômica
Descobrir 92 Despencar

(note que a coisa descoberta já exis- vez que: Ficou encantado desde que
tia). 2 — Descoberta equivale a in- (a partir do momento em que) a co-
venção: a descoberta da bomba atô- nheceu. / Desde que (uma vez que) se
mica, a descoberta da vacina contra julga superior, deve fazer o serviço so-
a paralisia infantil, a descoberta da zinho.
penicilina, a descoberta da cura do Desfazer. Conjuga-se como fazer (ver,
câncer. página 127).
Descobrir. Conjuga-se como cobrir Desfrutar. Prefira a regência direta: Des-
(ver, página 62). frutou bons momentos em compa-
Descolamento. E não “deslocamento” nhia da namorada. / O país desfruta
da retina. a reputação de bom pagador. / Des-
Descortino. Forma correta, e não “des- frutou seus bens até a morte. (Moder-
cortínio”. namente, já se admite a forma desfru-
Descrer. Conjuga-se como crer (ver, pá- tar de.)
gina 83). Desgovernar. Um veículo desgoverna-
“Descrever que”. Alguém descreve al- se, e não desgoverna, apenas: O ca-
guma coisa, mas não descreve que... minhão desgovernou-se na ladeira.
Descriminar, discriminar. 1 — Descri- Desimpedir. Conjuga-se como pedir
minar equivale a inocentar, tirar o ca- (ver, página 215).
ráter de crime de: descriminar (e não Desmentir. 1 — Conjuga-se como men-
descriminalizar ou descriminizar) o tir (ver, página 177). 2 — Prefira a
uso da maconha. 2 — Discriminar forma desmentir alguma coisa a des-
significa distinguir, segregar, separar: mentir que: O Planalto desmente
discriminar o parceiro, discriminar rompimento com a oposição (e não:
as minorias raciais. Os substantivos O Planalto desmente que vá romper
correspondentes seguem a mesma com a oposição). Com que, use ne-
norma: descriminação (e não descri- gar: O Planalto nega que pretenda
minalização ou descriminização) do romper com a oposição.
uso da maconha, discriminação ra- Desmi(s)tificar. 1 — Desmistificar
cial. equivale a revelar a verdadeira feição
Desde. 1 — Sempre sem crase: Desde as de, desmascarar, desmoralizar: Erros
duas horas (e não “desde às”). / Desde seguidos o desmistificaram diante
o dia anterior (e não “desde ao”). 2 — da platéia. / O adversário conseguiu
Não pode ser usado em expressões desmistificar sua aura de sábio. Des-
como: A Rádio Tal, transmitindo mitificar corresponde a tirar o caráter
desde Ribeirão Preto (use transmi- de mito de: A Rússia desmitificou a
tindo de Ribeirão Preto), ... / O presi- figura de Stalin. / A sociedade mo-
dente, falando pelo telefone desde derna desmitificou o tabu do sexo.
Amsterdã (de Amsterdã), ... 3 — O
Desobedecer. Regência. Ver obedecer,
uso normal de desde é com até (e mais
página 201.
raramente com a): Navegou desde o
Atlântico até o Pacífico. / Desde o pai De sorte que. Ver de maneira que, pá-
e a mãe aos filhos, genros e noras, gina 89.
todos estavam presentes. 4 — Com Despedir. Conjuga-se como pedir (ver,
expressões de tempo, pode ser usado página 215).
isoladamente ou com até: Está doen- Despencar. Como o verbo tem valor ab-
te desde a semana passada. / Traba- soluto, é errado escrever, por exem-
lhava desde a alvorada até o anoite- plo: IR do setor financeiro despenca
cer. 5 — A locução desde que signifi- 41,9%. Usar essa forma equivale a
ca a partir do momento em que, uma dizer que o eleitorado prefere 51,8%
Despender 93 Destaques

um candidato ou que uma empresa nas: Página A17 / Mais informações


exorbita 88,9% nos preços. Siga uma nas páginas A14, B16 e C8 / Íntegra
destas opções: IR do setor financeiro do projeto na página A8
cai 41,9% (fica claro que ele despen- e) Na assinatura, por extenso ou
cou) / IR do setor financeiro despen- com iniciais, colocada no pé da maté-
ca. O mesmo raciocínio se aplica à va- ria e na referência à participação de
riação dos índices da Bolsa de Valores. outros profissionais no texto: (João de
Despender. Desta forma. Almeida) / J. A. / Colaborou Carlos da
Despercebido. 1 — Em textos jornalís- Silva. / Colaboraram Carlos da Silva
ticos, o correto é despercebido (que e Alberto Moreira.
não foi notado, que não atraiu a aten- 2 — Use itálico (modo 4 do termi-
ção): O fato passou despercebido aos nal), caso o corpo do texto seja o nor-
jornalistas. 2 — Desapercebido tem
mal, ou corpo normal (modo 0), caso
uso muito mais restrito e significa
o corpo seja o itálico:
desprevenido, desprovido: desaperce-
bido de dinheiro, de recursos; desa- a) No nome dos cadernos, suple-
percebido para a guerra. mentos ou seções do Estado e dos de-
Despir. Conjuga-se como servir (ver, mais órgãos jornalísticos da empresa
página 266): dispo, despes; que eu ou de seus produtos: Caderno 2, Es-
dispa; etc. tadinho, Jornal da Tarde, Agência Es-
Desprendimento. E não “despreendi- tado, Rádio Eldorado, Jornal do Car-
mento”. ro, Espaço Informal.
Desses, destes. Sempre no plural em fra- b) No nome dos demais jornais e
ses como: Jamais diria uma coisa revistas: Jornal do Brasil, The New
dessas (e não “dessa”). / Nunca acei- York Times, Le Monde, Veja, News-
taria um absurdo destes. / Você con- week. Observação. Use o mesmo
corda com um disparate desses? corpo do texto para o nome das emis-
Desses que. Concordância. Ver dos soras de rádio e TV: Rádio Cultura,
que, página 102. Rede Globo, TV Record (com a única
Destaques. 1 — Use negrito (modo 1 do exceção da Rádio Eldorado).
terminal), caso o corpo do texto seja c) No nome de obras artísticas em
o normal, e negrito itálico (modo 5) geral (músicas, filmes, vídeos, peças
caso o corpo seja o negrito): de teatro, painéis, quadros, escultu-
a) No nome do jornal e suas varian- ras, livros, programas de rádio e TV,
tes: O Estado de S. Paulo, Estado e Es- etc.): Coração de Estudante, Let it Be,
tadão. a Sonata ao Luar, A Última Tentação
b) Nas perguntas das entrevistas de Cristo, Macunaíma, o vídeo Vida
tipo pingue-pongue: sem Cor, Vestido de Noiva, Guerni-
Estado — Por que o senhor renun- ca, Abaporu, Os Maias, Novo Dicio-
ciou ao cargo?
nário Aurélio, Estadão no Ar, Domin-
João de Almeida — Achei que não
gão do Faustão, História de Amor.
havia mais condições para ficar no go-
verno. Não vai em itálico, porém, o nome
c) Nas notas publicadas no pé dos de conferências, simpósios, cursos,
artigos, comentários, etc., para indi- congressos, etc., que, de qualquer
car quem é o autor: X é professor de forma, deverá ser escrito com iniciais
Literatura da USP. / Y é secretário- maiúsculas: A América Latina e os
geral do Ministério da Justiça. Países do Primeiro Mundo, A Influên-
d) Nas chamadas da 1ª Página e nas cia da Televisão na Formação da Per-
chamadas internas para outras pági- sonalidade da Criança, O Século 21.
Destroem 94 Deter

d) Nas palavras de gíria ainda não b) As palavras ou locuções estran-


absorvidas pelo idioma ou nos termos geiras. Evite-as ao máximo, mas,
empregados no sentido figurado: A quando necessárias, vão no mesmo
moça considerou o livro chocante. / corpo do texto: rock, jazz, best seller,
O prefeito criticou os pianistas do libor, shopping center, pizza, in me-
Congresso. / Um puxador de automó- moriam, tour de force, parti pris. (Se
veis, os cigarras, um espianto, a cor- você não estiver escrevendo para o
tadeira (ladra), o presunto, um berro jornal, no entanto, convém marcar
(revólver). / Tirar um sarro. / Saca! esses termos com negrito, itálico ou
Legal! Falou! aspas.)
e) Nos apelidos (desde que não de c) Os nomes, modelos e tipos de
domínio público): Fininho, Russo, navios, aviões, foguetes, naves espa-
Alemão, Carlinhos Gordo, Zé Ca- ciais, satélites, sondas, armamentos,
timba, etc. Em corpo normal, no en- veículos em geral, etc.: Minas Gerais,
tanto: Xuxa, Pelé, Gugu (apresenta- Bateau Mouche, Costa Marina, Jaú,
dor), Vicentinho, Betinho, Luizão. 14 Bis, Phantom, Mirage, Boeing, DC-
f) Para destacar alguma palavra da 10, Sputnik, Challenger, Endeavour,
frase: O orador pronunciou o corrup- Telstar, Urutu, Escort, Mercedes-
to com ênfase. / No caso, ladrão é um Benz.
termo muito forte. d) O nome de sociedades, escolas,
g) Nos nomes científicos de ani- associações e empresas estrangeiras
mais e plantas: Aedes aegypti, Coffea ou brasileiras e o de produtos comer-
arabica. Use também itálico nos gê- ciais: Harvard, British Petroleum,
Exxon, Bank of America, Votorantim,
neros (inseto do gênero Glossina),
Aços Villares, Martini, Bombril,
mas não nas ordens ou famílias: famí-
Coca-Cola, Chivas Regal.
lia das leguminosas, ordem das rosa-
les. Destroem. Sem acento.
h) Para marcar o nome de cada ci- Destróier. Plural: destróieres.
dade mencionada no mesmo texto: O Destruir. Conjuga-se como construir
presidente da República disse ontem, (ver, página 80).
em Ribeirão Preto, que... Já em Bra- Desvalido. Sem acento (pronuncia-se
sília, à noite, insistiu... desvalído).
i) Na remissão a outros textos pu- Desvalorizar-se. Alguma coisa se des-
blicados na mesma edição: A coloca- valoriza e não desvaloriza, apenas: A
ção dos times no Campeonato Paulis- moeda desvaloriza-se todo dia. /
ta (ver ao lado) revela... / O decreto Suas ações desvalorizaram-se.
do presidente da República sobre a re- Desviar-se. Alguém ou alguma coisa se
formulação do Imposto de Renda (ín- desvia e não desvia, apenas: O moto-
tegra na página B8) mostra... / No seu rista conseguiu desviar-se a tempo. /
discurso aos novos oficiais (ver abai- O carro desviou-se do pedestre. / A
xo), o ministro do Exército garantiu... prefeitura não se desviou das metas
3 — Não vão em negrito nem em traçadas.
itálico: Detalhe. É redundância falar em “pe-
a) As palavras em destaque nos tí- quenos detalhes”. Todo detalhe é pe-
tulos, olhos, janelas e legendas, que queno.
deverão ser escritas entre aspas: “Es- Deter. Atenção para algumas formas:
tado” ganha o Prêmio Esso. / “Os Íris” detinha (e não “detia”); deteve, deti-
se torna o quadro mais caro do veram (e não “deteu”, “deteram”); de-
mundo. / Foge o assaltante “Barão”. tivera (e não “detera”); se ele detives-
Deterioração 95 Diferentemente

se (e não “se ele detesse”); se ele deti- da à instabilidade da Bolsa agravou-


ver (e não “se ele deter”). se há alguns dias.
Deterioração. Formas corretas: deterio- Dia. Inicial maiúscula para designar
ração, deteriorar(-se), deteriorado, de- datas: Dia das Mães, Dia da Criança.
teriorável. E não “deteriorização”, Dia-a-dia, dia a dia. Com hífen, designa
“deteriorizar”, etc. a rotina ou o trabalho diário: O dia-a-
Deteriorar-se. Alguma coisa se deterio- dia da empresa. / Para usar no dia-a-
ra e não deteriora, apenas: As rela- dia. / Seu dia-a-dia é sempre agitado.
ções entre eles deterioraram-se. / A Sem hífen, equivale a diariamente,
carne deteriorou-se. com o correr dos dias, dia por dia: É
“Detetizado”. De DDT só pode derivar trabalho para fazer dia a dia. / Dia a
dedetizado, e não “detetizado”, erro dia ele confirma o acerto da sua con-
muito comum. tratação.
Detonar. 1 — Significa fazer explodir, Diabete. Prefira esta forma: a diabete.
disparar, produzir explosão: A espole- Diácono. Feminino: diaconisa.
ta não detonou. / O assaltante deto- Diário Oficial. Escreva em itálico ape-
nou a arma. 2 — Nao use o verbo no nas o nome Diário Oficial. Assim, o
sentido figurado, como sinônimo de Diário Oficial da União, o Diário Ofi-
provocar, desencadear, destruir, fazer cial do Estado, o Diário Oficial do Pa-
sucesso, porque se trata de modismo: raná, etc.
O fumo provoca (e não “detona”) a Dias da semana (em outras línguas).
asma em crianças. / As críticas de-
Alemão. Segunda — Montag; terça
sencadearam (e não “detonaram”) a
— Dienstag; quarta — Mittwoch;
crise. / O jogador destruiu (e não “de-
quinta — Donnerstag; sexta — Frei-
tonou”) o trabalho do técnico. / A ar-
tag; sábado — Samstag; domingo —
tista arrasou (e não “detonou”) em
Sonntag. Sempre com inicial maiús-
Angra.
cula.
De vez que. Ver vez, página 307.
Espanhol. Segunda — lunes; terça
Devido a. 1 — Não use essa locução no — martes; quarta — miércoles; quin-
lugar de por causa de, em razão de, gra- ta — jueves; sexta — viernes; sábado
ças a, em virtude de, em conseqüên- — sábado; domingo — domingo.
cia de. Ela pode sempre ser substituí-
Francês. Segunda — lundi; terça —
da por uma dessas, em frases como: O
mardi; quarta — mercredi; quinta —
empate não provocou surpresa, por
jeudi; sexta — vendredi; sábado — sa-
causa da (e não devido à) igualdade
medi; domingo — dimanche.
entre os dois times. / Em conseqüên-
cia do (e não devido ao) forte calor, a Inglês. Segunda — Monday; terça
cidade... / A informação não estava — Tuesday; quarta — Wednesday;
disponível por causa de, em razão de, quinta — Thursday; sexta — Friday;
em conseqüência de (e não devido a) sábado — Saturday; domingo — Sun-
problemas de comunicações. / Gra- day. Sempre com inicial maiúscula.
ças à, em virtude da (e não devido à) Italiano. Segunda — lunedi; terça
boa forma física, fez a caminhada — martedi; quarta — mercoledi;
sem se cansar. quinta — giovedi; sexta — venerdi; sá-
2 — Devido a varia quando se refe- bado — sabato; domingo — domeni-
re diretamente a um substantivo ou ca.
pronome, equivalendo a causado por, Diferentemente. É esta forma que se
decorrente de: Eram ferimentos devi- deve usar quando diferente puder ser
dos (causados por, decorrentes de) à substituído por de modo diferente: Di-
queda que sofrera. / Prestou as home- ferentemente (de modo diferente) de
nagens devidas a ele. / A queda devi- outros intelectuais (e não “dife-
Diferir 96 Diminutivos

rente” de outros intelectuais), ele sufixo inho: narizinho, rapazinho,


sempre gostou das festas populares. / Luisinho, piresinho, rosinha, prince-
Ela, diferentemente (e não “diferen- sinha, inglesinha, paisinho (pequeno
te”) de outras pessoas, evita criticá- país), etc.
lo. f) Além dos substantivos e adjeti-
Diferir. Conjuga-se como aderir (ver, vos, também os advérbios admitem
página 32): difiro, diferes; que eu difi- os diminutivos, em certos casos: ago-
ra; difere tu, diferi vós; etc. rinha, devagarinho (ou devagarzi-
“Difundir que”. Alguém difunde algu- nho), adeusinho, rapidinho, cedinho,
ma coisa, mas não difunde que... pertinho, longinho, etc. São, no en-
Digladiar. E não “degladiar”. tanto, formas coloquiais, que devem
Dignar-se. Usa-se com a preposição de ser evitadas no noticiário, a não ser
(e não a) ou sem ela: Ele não se dig- em casos especiais.
nou de responder (em vez de “não se g) Para formar o plural, flexiona-se
dignou a”). / Esta é a ajuda que ele se a palavra, retira-se o s final e acrescen-
dignou proporcionar aos amigos. ta-se a terminação zinhos (exemplo:
Dignitário. E não “dignatário”. pés - s + zinhos): pezinhos, mãozi-
Diminutivos. 1 — Inho e zinho nhas, pãezinhos, anõezinhos, ale-
a) A forma depende da acentuação mãezinhos, trenzinhos, heroizinhos,
e da terminação da palavra. Com os coraçõezinhos, tuneizinhos, papeizi-
monossílabos e palavras oxítonas, nhos, jornaizinhos, chapeuzinhos,
por exemplo, usa-se zinho: pezinho, florezinhas, homenzinhos, barrizi-
heroizinho, mãozinha, bonzinho,
nhos (barris - s + zinhos), etc. Aten-
benzinho, barzinho, casalzinho, mu-
ção. No caso das palavras do item e,
lherzinha, sofazinho, avozinha, nari-
zinho, etc. acrescenta-se apenas um s à forma do
b) Emprega-se ainda zinho com as singular: narizinhos, inglesinhos,
proparoxítonas e com as paroxítonas paisinhos, camisinhas, rosinhas, etc.
terminadas em ã, ão, ditongo e hiato: h) São irregulares alguns plurais
lampadazinha, camarazinha, gangs- populares: mulherzinhas, florzinhas,
terzinho, sitiozinho, indiozinho, Ma- colherzinhas, pastorinhas e outros.
riozinho, orfãozinho, ruazinha, lua- 2 — Outros sufixos
zinha, seriezinha, etc. O diminutivo pode ser formado
c) Com as palavras paroxítonas, ainda por uma série de outros elemen-
usa-se mais o prefixo inho, popular, tos de composição (alguns deles de-
subsistindo zinho nos casos em que preciativos) como: acho (riacho), apo
inho soaria pouco eufônico ou nas for- (fiapo), cula (partícula), culo (homún-
mas de origem erudita e literária: culo, corpúsculo), ebre (casebre), eca
branquinho, cavalinho, barquinho, (soneca), eco (jornaleco), ejo (lugare-
gordinho, anjinho, pestinha, casi-
jo), el (cordel), ela (rodela), eta (sale-
nha, filhinha, sacolinha, avezinha,
ta), ete (filete), eto (folheto), ica (pe-
baldezinho, ilhazinha, golezinho,
praiazinha, etc. lica), ico (burrico), il (covil), ilha (flo-
d) Existem dezenas de exceções às tilha), ilho (fundilho), im (espadim),
normas expostas, algumas já consa- ino (pequenino), isco (chuvisco), ita
gradas pelo uso: chacrinha, prainha, (senhorita), ito (mosquito), oca (enge-
radinho, Emilinha, Amelinha, Marii- nhoca), oila (moçoila), ola (rapazola),
nha, xicrinha, ruinha, etc. ota (aldeota), ote (caixote, serrote),
e) Quando a palavra termina em z, ucho (papelucho), ula (célula), ulo
s ou s + vogal, acrescenta-se a ela o (glóbulo) e zito (Zezito).
Dinheiro 97 Discrição

3 — Uso vírgula no fim, e não à americana:


Jornalisticamente, o diminutivo US$ 54,000.00). Escreva as demais
em inho e zinho deve ser evitado ou por extenso: 5 milhões de libras, 18,5
usado com muita moderação, prefe- bilhões de liras, 143 mil francos, 342
rindo-se, na maior parte dos casos, a milhões de marcos.
forma pé pequeno, em vez de pezi- 7 — Faça sempre a conversão da
nho, nariz pequeno, em vez de nari- moeda estrangeira em reais: A Com-
zinho, etc. Em matérias de caráter co- panhia do Metrô conseguiu um em-
loquial, eles poderão ter livre empre- préstimo de 10 milhões de dólares
go. Lembre-se, porém, de que o abuso (tantos reais) para continuar as obras
desse recurso empobrece o texto, tor- da linha Leste—Oeste. / Banco dá fi-
nando-o quase composição escolar. nanciamento de 318 milhões de mar-
4 — Outros sentidos cos (tantos reais) ao Brasil.
Nem sempre o diminutivo tem re- 8 — À Editoria de Economia será
lação com o tamanho; às vezes indi- permitida a exceção a esta regra quan-
ca uma forma afetiva de tratamento do os assuntos de que estiver tratan-
e, em outras, equivale a um tanto: pai- do tiverem no dólar um valor-padrão
zinho (pai), amiguinho, bonitinho (dívida externa, cotações ou transa-
(um tanto bonito), etc. ções internacionais, etc.).
Dinheiro. 1 — Use sempre algarismos: 9 — Nunca recorra a formas como
2 reais, 5 dólares, 4 francos, 8 mar- R$ 18.500 milhões (o certo: R$ 18,5
cos, 10 libras. bilhões) ou R$ 18.500 mil (o certo: R$
2 — Abaixo de mil reais, evite o ci- 18,5 milhões).
frão, a menos que se trate de títulos 10 — A abreviatura de real é R$,
ou quantias não redondas: A revista com espaço entre o cifrão (com um
custa 5 reais. / O produto subiu traço vertical) e o número: R$
ontem para 80 centavos. / O apare- 5.670.845,00, R$ 2 milhões.
lho foi comprado por 900 reais. Dinheiro (concordância). a) O verbo ou
3 — Acima de mil reais, para nú- adjetivo concorda expressamente
meros redondos, há duas formas pos- com a quantia: Pagou R$ 150 mil ao
síveis: O carro esporte custa R$ 120 jogador, correspondentes (e não “cor-
mil. / O carro esporte custa 120 mil respondente”) a 15% do valor do
reais (ambas preferíveis a R$ passe. / Recebeu R$ 350 mil, livres (e
120.000,00). não “livre”) de despesas. / Foram-me
4 — Se for necessário usar três cobrados (e não “foi-me cobrado”) 5
casas da moeda depois da vírgula, o mil reais. / Pagaram-se (e não “pagou-
certo será dizer, por exemplo, para se”) R$ 20 mil pelo carro. b) Ver em
milhão, página 177, a concordância
0,432 real, quatrocentos e trinta e
específica de milhão, bilhão e trilhão.
dois milésimos de real.
5 — Caso se tenham quantias que- Dinossauro. E não “dinosauro”.
bradas, adote a fórmula mista: R$ Diploma de ... Se se tratar de mulher, di-
1,23 milhão (equivalente a 1 milhão ploma de médica, diploma de advo-
230 mil), R$ 8,45 milhões, US$ 3,86 gada, diploma de professora, etc.
bilhões. Se não for possível fazer o ar- Direito. Ver “que tem direito”, página
redondamento, escreva, então, o nú- 247.
mero completo: R$ 342.675.654,00, “Diretiva”. Use diretriz ou norma.
US$ 78.765.432.876,00. Discrição. Sempre com i quando signi-
6 — A única moeda estrangeira fica reserva, moderação: Sua discri-
cujo símbolo se admite é o dólar: US$ ção era absoluta. / Vestia-se com dis-
54.324,00 (assim, com ponto antes e crição. (E nunca “discreção”).
Discriminar 98 Divisão silábica

Discriminar. Ver descriminar, página Distância (crase). 1 — Não existe crase


92. quando a locução a distância é inde-
Disenteria. E não “desinteria”. terminada: Observou a cena a distân-
Disparado. Na função de advérbio, fica, cia. / A polícia ficou a distância. 2 —
como este, invariável: Ela é, dispara- Existe crase quando a distância é de-
do, a melhor atriz. / Os casados ga- terminada: Estava à distância de 15
nharam dos solteiros, disparado. metros do local. / A polícia ficou à
Disparar. Está vetado para substituir distância de 5 metros dos manifes-
dizer, por mais forte que seja a afirma- tantes.
ção da pessoa (em frases como: “Ele Distinguir. Conjugação. Pres. ind.: Dis-
não perde por esperar”, disparou o tingo, distingues, distingue, distin-
adversário. / O deputado disparou guimos, distinguis, distinguem. Pres.
violentas críticas ao ministro. / O subj.: Distinga, distingas, distinga,
ator disparou a primeira pergunta ao distingamos, distingais, distingam.
cineasta.). Fuja também da termino- Imper. afirm.: Distingue tu, distingui
logia bélica (fogo de barragem, trin- vós.
cheira, fuzilaria, tiroteio, etc.), muito
Distrair. Conjuga-se como cair (ver, pá-
desgastada no noticiário.
gina 55).
“Dispensa apresentações”. Se uma pes-
soa dispensa apresentações, por que Distrair-se. Alguém se distrai e não dis-
gastar espaço para explicar quem é trai, apenas: As crianças distraíram-
ela? Evite o lugar-comum. se no parque. / Ele não se distrai nun-
“Disponibilizar”. Não existe. Use tor- ca.
nar disponível, colocar à disposição, Distrito Policial. O número é sempre
ficar disponível, etc. ordinal: 46º Distrito Policial, 8º DP (e
Disque. Com hífen: Disque-Pizza. nunca 46 DP).
Distância. 1 — Com números redondos, Diversos de. Concordância. Ver algum
use sempre por extenso as medidas (alguns) de, página 35.
que exprimem distância ou compri- Divertir. 1 — Conjuga-se como servir
mento: 40 quilômetros, 12 metros, 50 (ver, página 266): divirto, divertes;
centímetros, 6 decímetros. (Nos títu- que eu me divirta; diverte, diverti;
los e tabelas, pode-se usar a abrevia- etc. 2 — Alguém se diverte e não di-
tura: 40 km, 12 m, 50 cm, 6 dm.) 2 — verte, apenas: Todos eles se diverti-
Para indicar números não exatos, ram muito. / Quem se divertiu mais
adote estas formas: 40,5 quilômetros, na festa?
12,3 metros, 55,4 centímetros, 6,5 de- Dívida externa brasileira. Na primeira
címetros. Como no caso acima, nos referência do texto, fale sempre em
títulos e tabelas permite-se a abrevia- dívida externa brasileira. Nas de-
tura: 40,5 km, 12,3 m, 55,4 cm, 6,5 mais menções é que se poderá usar dí-
dm. 3 — Se a medida for inferior a 2,
vida brasileira, dívida externa ou dí-
ficará no singular: 1,4 quilômetro, 0,6
vida, simplesmente.
metro, 1,9 centímetro, 0,3 decímetro.
4 — Repare que as abreviaturas não Divisa. Ver fronteira, página 132.
têm ponto nem plural e há espaço Divisão silábica. A divisão de uma pa-
entre o número e elas: 4 m, 16 km, 50 lavra no fim da linha se faz pelas suas
cm. 5 — Nos textos em que a medida sílabas constitutivas e não pela sua
aparece muitas vezes, pode-se usá-la formação: bi-sa-vô, su-bal-ter-no, de-
por extenso na primeira e abreviada- sor-dem, e-xo-ne-rar, tran-sa-tlân-ti-
mente nas demais. co, di-sen-té-ri-co.
Divulgar que 99 Dizer (substitutos)

1 — O que não se separa d) As consoantes dos grupos bl e br


a) Os ditongos e os tritongos (gru- separam-se quando são pronunciadas
pos de duas ou três vogais pronuncia- separadamente e ficam na mesma sí-
das numa só emissão de voz): cau-sa, laba quando pronunciadas de uma só
doi-do, a-fei-to, pleu-ra, bai-xa, cou- vez: sub-lin-gual, su-ble-va-ção, ab-
ro, gra-tui-to, men-tiu, a-güen-tar, U- ro-gar, de-bru-çar.
ru-guai, i-guais. “Divulgar que”. Alguém divulga algu-
Incluem-se nesta norma os diton- ma coisa, mas não divulga que...
gos seguidos de uma vogal: bai-a-no, Dize-me com quem... A forma correta
coi-o-te, fei-o-so, plêi-a-de, Cui-a-bá, do provérbio é: Dize-me com quem
boi-a-da. andas e te direi quem és (e nunca
b) Os grupos ia, ie, io, oa, ua, ue e “diga-me”...).
uo, quando átonos (o acento recai na Dizer. Conjugação. Pres. ind.: Digo,
sílaba anterior): his-tó-ria, sé-rie, dú- dizes, diz, dizemos, dizeis, dizem.
bio, má-goa, á-gua, tê-nue, con-tí- Pret. perf. ind.: Disse, disseste, disse,
guo. dissemos, dissestes, disseram. M.-q.-
c) A consoante inicial não seguida perf. ind.: Dissera, disseras, dissera,
de vogal: gno-mo, mne-mô-ni-co, disséramos, disséreis, disseram. Fut.
pneu-má-ti-co, psi-có-lo-go. pres.: Direi, dirás, dirá, diremos, di-
d) Os grupos ch, lh e nh: mar-cha, reis, dirão. Fut. pret.: Diria, dirias,
co-cho, ve-lho, fo-lha, ba-nhei-ra, ga- diria, diríamos, diríeis, diriam. Pres.
nho. subj.: Diga, digas, diga, digamos, di-
2 — Prefira não separar gais, digam. Imp. subj.: Dissesse, dis-
As vogais dos hiatos (grupos de sesses, dissesse, disséssemos, dissés-
duas vogais que se pronunciam sepa- seis, dissessem. Fut. subj.: Disser, dis-
radamente), por mera questão de as- seres, disser, dissermos, disserdes,
pecto gráfico: va-ria-do, car-naú-ba, disserem. Imper.: Dize, diga, diga-
pa-raí-so, ruí-na, cu-rio-so, Ma-rie-ta, mos, dizei, digam. Ger.: Dizendo.
graú-na, ca-coe-te, a-taú-de, caí-eis, Part.: Dito.
due-lo, je-suí-ta, saú-de, miú-do, Dizer (derivados). Atenção para alguns
poei-ra, rai-nha, in-fluir, des-leal, cal- tempos: prediz; predizia; predisse;
ma-ria, psi-co-lo-gia, con-doer, cul- predissera; predirá; prediria; prediga;
tue, coor-de-nar, caa-tin-ga, in-fiel, se predissesse; se predisser; etc. Da
friís-si-mo, vee-men-te. mesma forma, bendizia, condisse,
3 — O que se separa contradissera, desdirá, maldissesse,
a) As consoantes pertencentes a sí- etc.
labas diferentes: op-ção, oc-ci-pi-tal, Dizer (entidades). Governo não diz,
ab-di-car, ét-ni-co, sub-me-ter, abs- nem entidades. Eles podem garantir,
tra-to, ob-ten-ção, trans-por-te, in- negar, confirmar, revelar, etc., mas
tac-to, ap-ti-dão, ins-pi-rar, cons-pur- não dizer, declarar ou afirmar (como
car, obs-cu-ro, at-mos-fe-ra. em Petrobrás diz, Itamaraty afirma,
b) As consoantes dos grupos rr, ss, governo declara).
cç, sc, sç e xc: car-rei-ra, cas-sa-ção, Dizer (substitutos). Em princípio, os
pros-pec-ção, nas-cer, des-ça, ex-ces- verbos mais recomendáveis para tex-
so. tos que envolvam declarações são os
c) A consoante simples acompa- insubstituíveis dizer, afirmar, decla-
nhada da vogal que é pronunciada rar, garantir, prometer e poucos mais.
junto com ela: ma-ca-co, pe-sa-do, No seu lugar, podem ser usados ou-
de-se-jo, pró-xi-mo, de-sen-ga-no, tros, desde que com muito critério,
gra-má-ti-ca. entre os quais acreditar, achar, julgar,
Dizer (para) que 100 Doenças

admitir, esclarecer, explicar, con- de”. Inconscientemente, o jornalista


cluir, prosseguir, etc. participa de uma competição de ori-
O que não é viável é o uso indiscri- ginalidade que todos sabem onde co-
minado de pretensos substitutos que meça, mas nunca onde vai terminar.
na verdade não se prestam a textos de- Veja alguns verbos que você pode
claratórios ou não têm o sentido que usar, desde que expressem com preci-
às vezes lhes é atribuído. Veja exem- são as declarações a reproduzir: acen-
plos inaceitáveis, todos reais: tuar, achar, aconselhar, acreditar,
“O senhor é de direita ou de es- acrescentar, acusar, adiantar, admi-
querda?”, inaugurou fulano (era um tir, advertir, advogar, afirmar, alegar,
repórter dando início a uma entrevis- alegrar-se, alertar, ameaçar, analisar,
ta coletiva). / “A polícia é como um antecipar, anunciar, apontar, apre-
corpo tomado 80% pelo câncer”, dis- goar, aprovar, argumentar, assegurar,
para friamente o delegado. / “Não atestar, avaliar, avisar, brincar, cal-
vamos promover evasão de renda”, cular, citar, cobrar, comentar, com-
discursa o presidente da Federação. / plementar, completar, conceituar,
“Eu gosto é de fazer gol aos 46 minu- conciliar, conclamar, concluir, con-
tos do segundo tempo”, festejou Mil- cordar, condenar, confirmar, consi-
ton Reis (repare que o Milton Reis não derar, constatar, contar, corrigir, de-
está festejando nada). / “A caverna foi cidir, defender, definir, demonstrar,
formada pelo trabalho das águas que denunciar, depor, desafiar, descrever,
pressionaram a rocha e produziram desculpar-se, desmentir, destacar,
um buraco deste tamanho”, exibe, duvidar, entusiasmar-se, esclarecer,
abrindo os braços (exibe por decla- exemplificar, explicar, finalizar, fri-
ra). / “Os professores ganham mal, sar, fundamentar, garantir, gracejar,
mas as aulas também andam bem ilustrar, imaginar, indagar, informar,
ruins”, polemiza a presidente (ela es- insinuar, insistir, ironizar, julgar, jus-
tava dando entrevista e “polemizan- tificar, lamentar, lembrar, manifes-
do” sozinha). / “Estou vivendo um pe- tar, narrar, notar, objetar, observar,
sadelo”, desespera-se Marlene. / “E opinar, perguntar, pregar, presumir,
se ele acerta a cobrança de falta?”, prevenir, proclamar, prometer, pro-
treme o técnico. /”De jeito nenhum por, prosseguir, protestar, provocar,
eu fico com o prejuízo”, bufava de reafirmar, reagir, rebater, reconhecer,
raiva Carlos Roberto. / “Acho esse reconsiderar, recordar, reforçar, refu-
índice de mortalidade muito eleva- tar, reprovar, retrucar, ressaltar, res-
do”, espanta-se fulano (que na verda- salvar, resumir, revelar, salientar, su-
de está opinando, e não se espantan- gerir, surpreender-se, vaticinar, etc.
do). / “É uma pena que eu tenha sido
Dizer (para) que. O certo é dizer que e
afastado”, choraminga o centroa-
não “dizer para que”: Diga-lhe que
vante (que apenas se está queixando).
Essa prática encerra três riscos: a) venha almoçar conosco (e não: Diga-
Editorialização. O texto tende a ser lhe “para que venha” almoçar conos-
opinativo, porque o repórter atribui co). / Disse-lhe que saísse logo (e não:
juízos de valor às declarações do en- Disse-lhe “para sair” logo).
trevistado. E a norma do Estado é dei- Dó. Palavra masculina: muito dó.
xar a opinião para os editoriais. b) Ar- Doar. Conjuga-se como magoar (ver,
tificialidade. Alguém usa palavras página 166).
como sentencia, sustenta, confiden- Doenças. Inicial maiúscula apenas no
cia, enfatiza, embasa, notifica e ou- nome próprio: síndrome de Down,
tras semelhantes? c) “Originalida- síndrome do pânico, mal de Alzhei-
“Doente grave” 101 Dona

mer, doença de Parkinson, sarcoma 5 — Não use os dois-pontos nos tí-


de Kaposi, tumor de Ewing, aids. tulos para introduzir retranca ou pro-
“Doente grave”. Grave é o estado do cedência e assim ganhar espaço, em
doente, e não o doente. frases como: Carne: autorizado o au-
Doer. 1 — Só se conjuga nas terceiras mento / Paraguai: eleições serão em
pessoas: Pres. ind.: Dói, doem. Imp. janeiro.
ind.: Doía, doíam. Pret. perf. ind.: Dois toques, dois-toques. Use treino de
Doeu, doeram. M.-q.-perf. ind.: dois toques, sem hífen, e um dois-to-
Doera, doeram. Fut. pres.: Doerá, ques, com hífen: A seleção realizou
doerão. Fut. pret.: Doeria, doeriam. um treino de dois toques ontem. / A
Pres. subj.: Doa, doam. Imp. subj.: seleção realizou um dois-toques
Doesse, doessem. Fut. subj.: Doer, ontem.
doerem. Ger.: Doendo. Part.: Doído. Dólar. 1 — Converta sempre o valor em
2 — Como pronominal (doer-se e con- reais (entre parênteses depois da men-
doer-se), tem todas as pessoas: eu me ção em dólares). A única exceção é
dôo, tu te dóis; que eu me condoa, que para o noticiário sobre a dívida exter-
nós nos condoamos; etc. na brasileira, que pode continuar ape-
Dois-dormitórios. Com hífen quando nas em dólares, e para as cotações in-
designa o tipo de apartamento: Com- ternacionais. 2 — Admite-se, por eco-
prou um dois-dormitórios. nomia de espaço, a fórmula com ci-
Dois-pontos. São usados principalmen- frão e o valor em dólares: US$ 30 mi-
te: lhões, US$ 23.560,00.
1 — Nas citações, com verbo ex- Dom. 1 — Use, de preferência, a forma
presso ou oculto: Depois da reunião abreviada: d. João VI, d. Pedro I, d.
com o presidente, o ministro do Tra- Pedro II. 2 — Como tratamento ecle-
balho prometeu: “Os salários este siástico, precede, em geral, o preno-
ano ganharão da inflação.” / Almei- me: d. Eugênio, d. Ivo, d. Paulo Eva-
da: “A recessão está no fim.” risto. No caso em que o religioso seja
2 — Nas enumerações: Vieram três mais conhecido pelo sobrenome,
dos seus filhos: João, José e Maria. / porém, o d. pode ser usado com ele:
O deputado fez duas ameaças: de- d. Scherer, d. Castro Meyer. 3 — Não
nunciar o acordo e romper com o go- use artigo antes de dom: Encontra-
verno. ram d. Antônio.
3 — Nas exemplificações, notícias
Domicílio. 1 — É em domicílio a expres-
subsidiárias, esclarecimentos, sínte-
são que se usa para entregas: Fazem-
ses ou conseqüências do que foi enun-
ciado: Previsão de Delfim: a recessão se entregas em domicílio (e não “a”
será pior que a de 1981. / Já se sabe: domicílio). Equivale a: Fazem-se en-
faltará cerveja. / O governo reage: tregas em casa. Da mesma forma:
Código Penal para os agressores. / Dão-se aulas em domicílio. 2 — A do-
Instituto faz as contas e avisa: a in- micílio exige verbo de movimento:
flação vai subir. / Depois de dez anos, Conduziram o doente a domicílio. /
mulher não desiste: acha que o ma- Foram levá-lo a domicílio.
rido está vivo. / Justificou-se: o que Do mesmo modo que. Concordância.
pretendia era chamar a atenção para Ver assim como, página 47.
o problema. Dona. 1 — Os nomes femininos não
4 — Nos vocativos que encabeçam devem ser precedidos de dona. Escre-
cartas, requerimentos e ofícios: Pre- va simplesmente o nome da mulher
zado senhor: / Magnífico Reitor: / que faça parte do noticiário: Ruth
Ilmo. sr.: Cardoso, Lila Covas. 2 — Preserve
Do que 102 Duque

obviamente as declarações: “Isso é possibilidade que seja reformulada


com d. Margarida”. (não era a possibilidade, mas o que se
Do que. Com verbos seguidos da prepo- disse antes que seria reformulado). /
sição de, deve-se usar do que, e nunca Ladrão de carro tem pena (foi puni-
o que: Não sei do que ele gosta (e do, e não ficou com pena) até o ano
nunca: Não sei o que ele gosta). Em- 2000. / Apesar de uma bola na trave
bora correta, evite a forma o de que de Baiano (na verdade, foi Baiano
por só ter uso literário e antigo: Não quem chutou a bola na trave).
sei o de que ele gosta. Mais alguns casos: Centro vai fun-
Do que (comparação). Ver comparações cionar até agosto (isto é, até agosto
(formas), página 72. começa a funcionar e não funcionará
Dos que. Concordância no plural, assim apenas até agosto). / Mesa-redonda
como desses que ou daqueles que: debate saída para crises em São
Não sou dos que (desses que, daque- Paulo (debate em São Paulo ou as cri-
les que) se abalam com pouco. / Ele ses é que são em São Paulo? — no
é dos que (desses que, daqueles que) caso, debate em São Paulo). / A lou-
fazem alarde à toa. cura de João, que contagiou a mulher
Doutor. Dê esse tratamento apenas aos (quis-se falar de João, que havia con-
médicos. E na forma abreviada: dr. tagiado a mulher com Aids antes de
Dublê. Evite: virou lugar-comum dizer ficar louco). / Uma promoção espe-
que alguém é “dublê de ministro e cial para você, que está nos últimos
candidato” ou “dublê de jogador e dias (a promoção ou você está nos úl-
empresário”, por exemplo. timos dias?). / Artista nu impede que
Dupla. Concordância no singular: A jornal circule (não foi um homem nu
dupla Jacqueline e Sandra ganhou que impediu, mas a publicação de
medalha de ouro em Atlanta (e não uma foto sua, nu, levou à suspensão
“ganharam”). da circulação do jornal). / Mutirão
Duplo sentido. Evite as orações ou pa- contra a violência do governo com-
lavras que possam dar falsa idéia do pleta um ano (o mutirão é que é do
que se escreveu, mesmo que essa im- governo, não a violência, como o
pressão seja momentânea e se desfa- texto insinua erroneamente). / Preso
ça com a leitura mais atenta do texto. acusado de crime (trata-se de um
Na maior parte das vezes — lembre- preso que foi acusado de crime ou da
se — o leitor passa pela notícia, ape- prisão do acusado de um crime?).
nas, e não se detém nela. Veja alguns Há uma situação especial, digna da
exemplos de dubiedade: maior atenção, em que se termina por
O deputado conversou com o pre- afirmar o contrário do que se preten-
sidente da Câmara na sua sala (de de: Sem concurso público, como
qual deles?). / X não aceita Y; quer o manda a lei, o governador nomeou o
irmão (o próprio ou o de Y?). / De 200 procurador. / Deixando de consultar
denúncias a regional só pune 15 (de- o Congresso, como determina a
núncias ou infratores? — no caso, Constituição, o presidente nomeou o
eram infratores). / Ela aparecerá bre- embaixador. Nos dois casos, a lei
vemente (no caso, pretendeu-se dizer manda realizar concurso público e
rapidamente e não em breve) num se- consultar o Congresso, embora a rigor
riado. / Prefeito reassume pedindo a notícia afirme exatamente o oposto
aumento de salário (não era para ele, (sem concurso, de acordo com a lei,
mas para os trabalhadores). / Elevado ou deixando de consultar o Congres-
o prejuízo das lojas (está elevado ou so, de acordo com a Constituição).
foi elevado?). / Não existe nenhuma Duque. Feminino: duquesa.
Durante 103 Elísio

Durante. Durante significa no tempo “Eis aqui”. Redundância. Eis já signifi-


de ou pelo espaço de, não devendo, ca aqui está.
portanto, simplesmente substituir de Eis por que. Sempre com o por que se-
ou em: O jogador chegou durante a parado.
madrugada (o certo: de madruga- Eis que. 1 — A locução deve ser usada
da). / País precisa crescer 5% duran- apenas quando dá idéia de surpresa ou
te 1997 (em 1997). / Astrólogo prevê imprevisto: Quando menos se espe-
muitas mortes durante este ano (este rava, eis que começou a confusão. /
ano ou neste ano, apenas). Eis que surge finalmente a estrela-
d’alva. 2 — Com o sentido de causa,
prefira uma vez que ou porque: Ele
deve vencer a prova, uma vez que (e
não eis que) é o atleta mais veloz da
competição. / O recurso deve ser re-
jeitado porque (e não eis que) não
É. A inicial é maiúscula no nome de tem fundamento jurídico.
obras artísticas: Tudo É Ilusão. Ele, ela. Não podem funcionar como ob-
...ear e não eiar. 1 — A terminação dos jeto direto. Por isso, nunca escreva: O
verbos é ear e não eiar: enfear, recear, pai repreendeu “ele” (o certo: repre-
cear, passear, apartear, etc. O i só apa- endeu-o). / Eu vi “elas” (o certo: Eu
rece nas formas conjugadas quando o as vi).
acento cai no e que precede a termi- Elefante. Coletivo: manada. Feminino:
nação ar: re-cei-a, en-fei-am, cei-o, re- elefanta (“elefoa” não existe) e aliá.
cei-em, apar-tei-e, pas-sei-as. 2 — Elegido, eleito. Prefira elegido com ter
Não existe i nas formas em que o e haver e eleito, com ser e estar: Tinha
acento cai depois do e que precede a (havia) elegido, foi (estava) eleito. Já
terminação ar: rece-amos (e não “re- se admite, porém, o uso de eleito com
ceiamos”), ce-aste, enfe-aram, passe- ter e haver: Tinha eleito.
ais, rece-avas, enfe-aria, passe-ou, Eleição, eleições. No singular quando se
aparte-emos, rece-eis, etc. 3 — Ver tratar de uma única eleição: a eleição
também verbo (conjugações), página presidencial. No plural quando forem
298. várias: as eleições de 1998, as eleições
É bom. Ver é preciso, página 111. de prefeito e vereador, etc.
Eclipse. Masculino: o eclipse. “Elementos”. Jargão policial. Use ho-
ECT. Sigla da Empresa Brasileira de mens, jovens, suspeitos, etc.
Correios e Telégrafos (e não EBCT). “Elencar”. Palavra inexistente. Não
“Edil”, “Edilidade”. Use apenas verea- use.
dor e Câmara Municipal (ou Câmara, Elenco. Use apenas para atores. Nos de-
simplesmente). mais casos, prefira lista ou relação.
...êem. É a forma correta destas flexões: Eletro... 1 — Liga-se sem hífen ao ele-
crêem, dêem, lêem e vêem. mento seguinte: eletroacústica, ele-
É feio. Ver é preciso, página 111. troencefalograma, eletroímã, eletro-
Efeito. Liga-se sem hífen a outro subs- motriz, eletrorradiologia, eletrosso-
tantivo ou a nomes de produtos ou no. 2 — Não faça a fusão do o com a
pessoas para formar expressões como: vogal seguinte: eletroacústica (e não
efeito estufa, efeito cascata, efeito eletracústica), eletroencefalograma
Orloff. (e não eletrencefalograma), etc.
“Eire”. Use República da Irlanda. Elísio. Com i: Campos Elísios.
“Elo de ligação” 104 Emigrar, imigrar

“Elo de ligação”. Redundância: elo já que lhe fez a comunicação, no tempo


quer dizer ligação. em que os animais falavam. Omita a
Elucubração. Com u, assim como elu- preposição apenas em casos especiais,
cubrar. e quando a eufonia o exigir: A primei-
É mau. Ver é preciso, página 111. ra vez que vi Paris, o dia que me quei-
“Em azul”. Não use a preposição em ras, etc.
antes de nome de cor: Entalhes “em 2 — Com semana, mês e ano, es-
marrom”. O certo é entalhes mar- pecialmente, prefira o uso de no e na,
rons, casas azuis, desenhos amarelos, que tornam as formas mais eufônicas:
tapetes verdes (e não em verde), etc. Na semana que vem (e não semana
Embaixadora, embaixatriz. Embaixa- que vem), no ano que vem, no mês
dora — mulher que exerce o cargo; que vem, no mês passado (e não mês
embaixatriz — mulher do embaixa- passado), na semana passada, no ano
dor. passado, etc.
Embaixo. Numa palavra só. Em com gerúndio. Evite as formas em
“Embasamento”, “embasar”. Palavras se tratando de, em me vendo chegar,
vetadas. Use fundamento, base, em sendo eleito, em conquistando o
razão, motivo, fundamentar, basear, governo, etc. Proceda da maneira
etc. mais usual: tratando-se de, vendo-
me chegar, sendo eleito, conquistan-
Embora. 1 — Exige subjuntivo: Embo-
do o governo. E seja sempre comedi-
ra confie no time, o técnico armou
do ao recorrer ao gerúndio.
um esquema defensivo (e não embo-
ra “confia”). / Embora vá sair logo... Em com verbo de movimento. Ver a
(e não embora “sairá” logo...). 2 — A algum lugar e não em, página 22.
palavra atrai o pronome colocado na Emergir, imergir. 1 — Emergir equiva-
mesma oração: Embora no caso se le a vir à tona, aparecer: O submari-
trate (e não “trate-se”) de uma pessoa no emergiu na entrada da barra. / A
séria... 3 — Embora não deve acom- Lua emergia no horizonte. 2 — Imer-
panhar gerúndio. Use, então: Embora gir significa mergulhar, lançar, em-
seja feliz, fulano... (e não: Embora brenhar-se: O pé imergiu no lodo. / O
sendo feliz, fulano...). ditador imergiu o povo na guerra. / O
“Em-chefe”. Elimine a preposição em: animal imergiu na floresta. 3 — Use
comandante-chefe. emerso e imerso da mesma forma: Só
Em cima. Separado. No entanto: enci- a cabeça estava emersa (fora
mar, encimado. d’água). / Continuou imerso nos seus
Em com expressões de tempo. 1 — pensamentos.
Grande parte das expressões de tempo EMFA. Desta forma.
pode ser usada com a preposição em Emigrar, imigrar. Emigrar é sair de um
ou sem ela. Alguns exemplos: na pri- país para se fixar em outro: Emigrou
meira vez (em) que, na última vez do Japão, fixando-se no Brasil. Imi-
(em) que, no ano (em) que, no dia grar equivale a entrar em um país es-
(em) que, no instante (em) que, no tranho para nele viver: Milhares de
mês (em) que, no momento (em) que, europeus imigraram para o Brasil no
no tempo (em) que. Prefira a norma começo do século. Da mesma forma:
da língua, isto é, o uso da preposição: emigrante—imigrante, emigração—
na primeira vez em que a viu, no ano imigração e emigrado—imigrado. (Os
em que chegou ao Brasil, no dia em emigrantes que deixaram o Japão no
que nos mudamos, no instante em século passado... / Os imigrantes que
que deu conta de si, no momento em chegaram ao Brasil nos anos 30...).
Eminente, iminente 105 Encampação

Eminente, iminente. 1 — Eminente sig- a referência for a coisa, concorde o


nifica ilustre, sublime, elevado: cien- verbo com o sujeito: Em que pesem os
tista eminente, morro eminente. 2 — argumentos contrários... / Em que
Iminente quer dizer prestes a aconte- pese a falta de escrúpulos alheia... 3
cer: perigo iminente, aprovação imi- — Regra prática: no caso 1, subenten-
nente. 3 — Da mesma forma, eminên- de-se sempre isto entre o que e o pese:
cia (a eminência do parecer) e imi- Em que (isto) pese a todos nós... / Em
nência (a iminência do perigo). que (isto) pese aos inimigos...
Emissoras de rádio e TV. Ver nomes de “Em seda”. Não use a preposição em
emissoras de rádio e TV, página 191. para indicar o material de que alguma
Em o, em ele, em aquele, em esse. Use coisa é feita, como vestido “em” seda.
essas formas quando o o, ele, aquele, O certo é vestido de seda, estátua de
esse, este, etc., forem sujeito ou obje- bronze, móvel de jacarandá, escultu-
to do verbo: Não vejo problema em o ra de mármore, casa de alvenaria,
menino ficar aqui (em esse menino, terno de tropical, chapéu de palha,
em este menino, em aquele menino). etc.
A contração (no, nele, etc.) não cabe,
É muito, é pouco. Estas e outras formas
no caso. De preferência, mude a frase
semelhantes (com verbo de ligação)
para evitar essas construções, antijor-
nalísticas. não variam em frases como: Cem
reais é muito por essa blusa ou é
Empatar. Use empatar por, e nunca
pouco, é demais, é suficiente, é bas-
“empatar em”, pois os adjuntos adver-
tante, era demais, etc. Igualmente:
biais de quantidade não admitem a
preposição em. Repare que, se um Dois metros de seda era pouco para o
time ganha ou perde por, também em- vestido. / Quinze dias é tempo sufi-
pata por. Da mesma forma, empate ciente para a viagem.
por ou empate de, e não “empate em”. Encampação. Todo cuidado é pouco para
Empecilho. E não “impecilho”. que o jornal evite passar ao leitor,
Emprestar. 1 — Use emprestar apenas como suas, opiniões ou conceitos ex-
como ceder por empréstimo: Empres- pressos por outras pessoas. Veja os
tou o livro ao amigo. / Emprestava di- principais casos em que a notícia ou o
nheiro habitualmente. 2 — No senti- título encampa uma opinião ou con-
do de pedir ou tomar emprestado, em- ceito alheio:
pregue estas expressões, e nunca “em- 1 — Quando alguém faz uma decla-
prestar de”: Pediu emprestada a bici- ração reproduzida no título sem a in-
cleta do amigo. / Tomou emprestados dicação do nome do autor: Dados da
2 mil reais (repare na concordância: reserva cambial brasileira estão cor-
emprestado varia conforme o termo retos / O Brasil exportará mais este
ou expressão a que se refere). ano / Lucro já não atrai tanto as em-
Em preto e branco. Em preto e branco: presas / Plano vai repor as perdas sa-
televisão em preto e branco, progra- lariais / A Terra é um organismo
ma em preto e branco, foto em preto vivo / São Paulo precisa parar de cres-
e branco. cer.
Em que pese a. 1 — Quando a referên- Em todos esses casos, era indispen-
cia for a pessoa, use essa expressão e sável revelar quem dava as informa-
o pese fica invariável: Em que pese a ções ou opiniões, para que o jornal não
ela, farei o negócio. / Em que pese aos ficasse responsável por elas.
inimigos, nada lhes devemos. / Em 2 — Quando se admite como ver-
que pese a todos nós, infelizmente o dadeira, no título, uma alegação ou
governo não volta atrás. 2 — Quando justificativa de alguém: Chanceler
Encapuzado, encapuzar 106 Encontro

não sabia da ação americana. / O jo- peito de violência contra menino é


gador que se perdeu na madrugada. / linchado.
Treinador inglês só quer aprender. 6 — Se uma empresa, entidade ou
No primeiro caso, o chanceler órgão não estiver comprovadamente
negou saber da ação americana. O tí- envolvido num ato criminoso, jamais
tulo, porém, diz taxativamente que a identifique com a ação que seus em-
ele não sabia. No segundo, o jogador pregados ou funcionários tiverem
alegou ter chegado atrasado à concen- praticado, com generalizações como
tração porque se perdera, e não por- a gangue do ICP, a quadrilha da
que ficara bebendo. No terceiro, o Acme, etc.
treinador inglês está fazendo apenas Encapuzado, encapuzar. E não “encapu-
um jogo de palavras. Um recurso para çado” ou “encapuçar”.
contornar o pequeno número de si-
“Encarar de frente”. Redundância. En-
nais do título é usar aspas: A CIA,
carar já significa olhar de frente (nin-
também, “não sabia de nada” / O jo-
guém encara de lado ou de costas).
gador “que se perdeu” na madruga-
Pode-se, isto sim, encarar alguém fi-
da.
3 — Se o título confirma uma xamente, firmemente, com arrogân-
acusação, pode eventualmente deixar cia, com temor, etc.
de mencionar o autor da afirmação, Encarregar. Regência. 1 — Encarregar
desde que se trate de fonte oficial alguém de alguma coisa: Decidiram
(como no exemplo abaixo, em que a encarregá-lo do trabalho. / A mãe en-
própria Casa Branca admitiu o fato): carregou a filha de fazer as compras.
Reagan agiu para ajudar os contras. 2 — Encarregar-se de: Ele se encarre-
4 — Há denúncias que freqüente- gou de trazer os documentos.
mente encerram considerações. Encerrar-se. Alguma coisa se encerra e
Deixe muito claro, se possível com o não encerra, apenas: O jogo encerrou-
uso de aspas, que não se trata de con- se mais cedo. / Feira encerra-se e ven-
ceitos emitidos pelo jornal. Veja o das agradam aos organizadores.
exemplo: O senador catarinense con- “Encher o saco”. Vulgaridade. Nunca
sidera um absurdo esses cargos esta- use.
rem nas mãos de parentes do presi- Encontrar. Ver achar, página 30.
dente do instituto, muitos incapaci-
“Encontrar a morte”. Lugar-comum.
tados para exercer as funções. A frase
Não use.
muitos incapacitados... deveria estar
entre aspas ou acompanhada de uma Encontrar-se com. No sentido de reu-
ressalva, como muitos dos quais o nir-se com, avistar-se, use a forma
parlamentar considera incapacita- pronominal: Encontrou-se com o
dos para... Caso contrário, poderá pa- amigo (e não “encontrou com”) / Saiu
recer que o comentário é do jornal. para encontrar-se com os gerentes.
5 — No noticiário polícial, nunca Encontro. Veja a diferença entre as lo-
chame de criminoso, estuprador, as- cuções: a) Ao encontro de emprega-
saltante, etc., quem não tenha confes- se para designar uma situação favorá-
sado o crime ou sido preso em flagran- vel: O aumento veio ao encontro das
te. Veja um exemplo incorreto: Morto suas necessidades (satisfez as suas
com 30 tiros por tentar violentar me- necessidades). / A política e a socio-
nino. Leia, porém, o que dizia a notí- logia vão ao encontro uma da outra
cia: Moradores do bairro tal mata- (completam-se). b) De encontro a in-
ram a tiros o feirante X, acusado de dica oposição, choque: O governo não
ter violentado... E um correto: Sus- deve ir de encontro às aspirações do
Endereços 107 Entrada

povo (ir contra). / Foi de encontro aos Paulo, a renda dos assalariados caiu
desejos do pai (agiu contra). na mesma proporção. / Enquanto o
Endereços. Ver localização, página 162. porta-voz do Planalto dava as expli-
É necessário. Ver é preciso, página 111. cações pedidas pela imprensa, o pre-
E nem. 1 — Como já significa e não, a sidente saía pelos fundos do palá-
conjunção nem rejeita o e em casos cio. / Enquanto o governo não cum-
como: Não foi nem ficou. / Não faço prir sua promessa de cortar gastos,
nem quero. / Não se anda nem se dificilmente o déficit público será
corre. / Nunca o viu nem verá. Tam- contido.
bém quando nem significa e sem ou 2 — Este recurso favorece a forma-
não, inexiste o e: Ficou sem amigo ção de frases longas e cheias de inter-
nem (e sem) dinheiro. / Nem fala nem calações. Pense sempre nisso quando
se move (não). 2 — Admite-se e nem escrever um texto do gênero e pro-
apenas quando não há negativa antes cure tornar o período o mais objetivo
ou quando a expressão equivale a e possível.
nem mesmo, e nem sequer, e muito 3 — Em nenhuma hipótese mistu-
menos (reforço ou ênfase): Estuda- re os tempos verbais: Enquanto X es-
vam o dia todo e nem se lembravam tranhou tal coisa, Y dizia que... / En-
de comer. / Meu irmão chegou ontem quanto X insiste na idéia, Y contes-
e nem me telefonou ainda. / E nem tou essa pretensão... / Enquanto os
da própria vida estou seguro. golfinhos procuraram praias deser-
“Enfrentar boas condições”. Enfrentar tas, o pingüim dá uma lição de
indica confronto. Por isso, é errado vida... / Enquanto a CBF convidou X
empregar o verbo como no exemplo para técnico da seleção, o Santos
seguinte: O motorista no momento quer o mesmo treinador.
vai “enfrentar” (o certo: encontrar) 4 — Evite (por se tratar sentido eru-
boas condições de trânsito. dito que se está tornando modismo)
“Enfrentar de frente”. Redundância. o uso de enquanto como sob o aspec-
Ninguém enfrenta de outra forma (e to de, em frases deste tipo: Fez um re-
enfrentar já encerra a palavra frente). trato do escritor enquanto intelec-
Engolir. Conjugação. Engulo, engoles, tual. / Era um homem enquanto po-
engole, engolimos, engolis, engolem; lítico e outro enquanto empresário. /
engolia; engoli; engolira; engolirei; Falou sobre a filosofia enquanto
engoliria; que eu engula; se eu engo- ciência.
lisse; se eu engolir; engole tu, engula, “Enquanto que”. Use enquanto, ape-
engulamos, engoli, engulam; etc. nas, em vez de “enquanto que”: Os
Enquanto. 1 — Exige correlação do atacantes treinavam chutes a gol, en-
tempo do verbo (em geral, o imperfei- quanto (e não “enquanto que”) os de-
to: falava, dizia, revelava, pedia) fensores se preparavam fisicamente.
quando usado jornalisticamente para Enrugar-se. Alguma coisa enruga-se e
introduzir duas ou mais informações não enruga, apenas: A pele enruga-se
simultâneas ou complementares: En- na velhice. / O tecido enrugou-se.
quanto prossegue o julgamento dos
Ensinar. Antes de infinitivo, exige a: A
acusados, o governo prepara novas
vida ensina a ser prudente.
ações contra os guerrilheiros. / En-
quanto o técnico atribui aos jogado- “Ente querido”. Lugar-comum. Não
res o mérito pelas vitórias do time, use.
estes só destacam um nome: o do pró- Entourage. Masculino: o entourage.
prio técnico. / Enquanto o nível de Entrada. No singular em frases como: A
desemprego cresceu na Grande São entrada de Joãozinho e Marcão no
“Entrar dentro” 108 Entrevista

time... / O time melhorou com a en- substituídas por entre eles e mim,
trada de Joãozinho e Marcão (e não entre mim e ti, entre ti e mim, etc.
“as entradas”). Entre si, entre eles. 1 — Quando o su-
“Entrar dentro”. Redundância. Use en- jeito pratica e recebe a ação, usa-se
trar em. entre si: Os constituintes discutiam
Entre. Exige a existência de pontos de entre si. / Os jogadores brigavam
referência. Não deve, por isso, ser entre si mesmos. 2 — Se o sujeito é
usado quando se tem um conjunto de um e o complemento, outro, a forma,
pessoas ou coisas. Assim: Entre mim então, é entre eles: Nada mais existe
e ti, entre nós, entre amigos, entre os entre eles. / O segredo ficou entre eles
homens (mas não “entre a humani- mesmos. / O prêmio foi repartido
dade”), entre os espectadores (mas entre eles próprios.
não “entre o público”), entre os ato- Entretanto. Use entretanto ou no en-
res (mas não “entre o elenco”), entre tanto, mas nunca “no entretanto”.
os habitantes (mas não “entre a po- Entreter. Atenção para algumas formas:
pulação”), etc. Nesses casos, use com, entretinha (e não “entretia”); entrete-
em, no meio de, etc. ve, entretiveram (e não “entreteu”,
Entre... Hífen antes de h: entre-hostil. “entreteram”), entretivera (e não “en-
Nos demais casos: entreaberto, entre- tretera”); se ele entretivesse (e não “se
fechado, entreposto, entrerriano, en- ele entretesse”); se ele entretiver (e
tressafra. não “se ele entreter”).
Entre ... e. Usa-se e e não a em frases Entrever. Conjuga-se como ver (ver, pá-
como: Entre 15 e 20 pessoas estavam gina 297).
ali. / Chegará entre as 20 e as 22 Entrevista.
horas. / A idade dos candidatos va- a) Texto corrido
riava entre 18 e 25 anos. A entrevista constitui uma das
Entregado, entregue. Prefira entregado principais fontes de informação de
com ter e haver e entregue, com ser e um jornal e está presente, direta ou
estar: Tinha (havia) entregado, foi veladamente, na maioria das notícias
que ele publica. Ela pode tanto ser a
(estava) entregue. Já se admite,
própria reportagem como apenas
porém, o uso de entregue com ter e
parte dela. Não vem ao caso discutir
haver: Havia entregue.
os tipos de entrevistas que podem
Entre mais artigo repetido. No caso de aparecer na imprensa. Convém, no
entre anteceder dois termos, o artigo entanto, que você esteja atento para
que determinar um deles deverá ser uma série de princípios e preceitos
repetido para o segundo: Entre o go- que poderão ajudá-lo a fazer melhor
verno brasileiro e o francês (e não: esse trabalho:
Entre o governo brasileiro e fran- 1 — Antes de qualquer coisa, pro-
cês). / Entre a vida e a morte (e não: cure saber quanto tempo você terá
Entre a vida e morte). Em casos como para a entrevista. Se forem poucos mi-
o segundo, com a idéia de indetermi- nutos, vá direto ao assunto e evite in-
nação, é possível omitir completa- troduções desnecessárias.
mente o artigo: Entre vida e morte... / 2 — Informe-se sobre o entrevista-
Entre lazer e trabalho... do e o assunto. É o mínimo que você
Entre mim e ti. É a forma correta, uma pode fazer para que suas perguntas
vez que eu e tu não podem ser regidos sejam pertinentes e objetivas.
de preposição. Rejeite, pois, constru- 3 — Não confie apenas na memó-
ções como entre eles e eu, entre eu e ria. Faça anotações e, se necessário,
tu, entre ti e eu, etc., que devem ser use gravador. Você pode precisar
Entrevista 109 Entrevista

reproduzir literalmente uma frase de- 13 — Evite perguntas óbvias, como


licada, contundente, agressiva ou até indagar da mãe que acaba de ver a
bombástica, e é bom estar preparado morte do filho: “Como a senhora está
para isso. se sentindo?” Ou a quem assinou um
4 — Nunca se esqueça de que a opi- contrato milionário: “Você está feliz
nião que o leitor quer conhecer é a do com o contrato que assinou?”
entrevistado e não a do repórter. 14 — Por mais caótica que seja a
5 — Você pode fazer perguntas di- entrevista, você pode ordená-la no
retas e incisivas ao entrevistado sem texto final, agrupando os assuntos em
que o clima de cordialidade da con- blocos para a melhor compreensão do
versa seja prejudicado. leitor, em vez de manter a falta de co-
6 — Procure evitar atritos com o nexão ou de seqüência do texto.
entrevistado; quem sairá perdendo 15 — Faça perguntas curtas e obje-
será o leitor. tivas, que não permitam divagações e
7 — Há entrevistados mais e verdadeiras defesas de tese ao entre-
menos difíceis; com habilidade, vistado.
porém, salvo raríssimas exceções, 16 — Procure editar a entrevista,
será sempre possível conseguir deles dando-lhe um texto corrido e reser-
pelo menos as informações e opiniões vando o estilo pergunta e resposta
essenciais. apenas aos casos especiais, em que
8 — Se você julgar que o entrevis- seja útil conhecer a opinião do entre-
tado não respondeu satisfatoriamen- vistado em detalhes.
te à pergunta ou usou de evasivas, in-
17 — Varie o texto, para fugir do
sista; caso não haja de novo uma res-
cômodo, mas monótono estilo: disse;
posta direta à indagação, registre o
a seguir; continuou; prosseguiu; mais
fato na reportagem: ele pode signifi-
adiante; etc.
car muito, em certos casos.
18 — Finalmente, as entrevistas
9 — Esteja preparado para acompa-
nhar o rumo que a entrevista seguir; são concedidas ao Estado e não aos
embora você possa ter um roteiro seus cadernos ou suplementos (e é
preestabelecido, será muita pretensão essa indicação que deve aparecer no
esperar que o entrevistado o cumpra texto).
à risca. b) Perguntas e respostas
10 — Não se deixe conduzir nas co- Siga estas instruções nas entrevis-
letivas e, se possível, tome a iniciati- tas de perguntas e respostas:
va; sempre haverá quem se disponha 1 — O assunto e o entrevistado
a fazer perguntas de pouca ou nenhu- devem ser suficientemente impor-
ma importância e você poderá corri- tantes para que se justifique o recur-
gir o rumo da entrevista. so a esse tipo de matéria.
11 — Espere o entrevistado con- 2 — A menos que haja alguma
cluir seu pensamento para lhe fazer razão especial para mantê-los, elimi-
uma nova pergunta; nada é mais irri- ne do texto os erros e repetições que
tante, para ele e para o leitor, que uma as pessoas cometem habitualmente
resposta pela metade. quando falam.
12 — A pauta é sempre uma indi- 3 — Sempre que possível, entre-
cação mínima do que você deve cum- meie a entrevista com destaques (ja-
prir. Ela pode conter perguntas obri- nelas, por exemplo): frases bem esco-
gatórias e você deve fazê-las. A parte lhidas, polêmicas ou originais contri-
restante da entrevista, porém, depen- buem para que o leitor se sinta atraí-
de exclusivamente do repórter. do pelo texto.
Envolto, envolvido 110 “Envolvendo”

4 — Em entrevistas muito exten- ou não se pretenda identificar cada


sas, convém quebrar o texto com tí- pessoa que se dirigiu ao entrevistado.
tulos auxiliares, que ajudam a tornar 12 — Deixe uma linha de branco
a página mais agradável e menos pe- entre cada bloco de perguntas e res-
sada graficamente. postas.
5 — Evite estender-se demais nas 13 — Veja um exemplo sobre como
perguntas e resuma as respostas do editar a entrevista de perguntas e res-
entrevistado. Conserve, no entanto, a postas:
essência da opinião dele e suas frases
mais expressivas ou contundentes. Estado — Você entregou o livro ao
6 — Escolha para a abertura da ma- editor sem o último parágrafo. Por
téria um corpo maior que o do texto quê?
e reproduza, se possível entre aspas, Chico Buarque — Eu tinha dois fi-
algumas das principais afirmações e nais escritos. Precisava matar o Ben-
opiniões do entrevistado. jamim, que já é apresentado quando
7 — As perguntas vão sempre em vai morrer. Abri para ele a possibili-
dade de achar que tudo fosse um
negrito, com a indicação Estado em
sonho. Mas deixei o outro final, mais
caixa-alta-e-baixa, e não com o nome
seco, sem sonho.
do caderno ou suplemento do jornal
que esteja publicando a entrevista.
Estado — Benjamim é melhor do
8 — Use o corpo normal (claro) que Estorvo?
para as respostas e mantenha apenas Chico — A estrutura é mais com-
o nome do entrevistado em negrito. plexa, há mais coisas acontecendo.
Na primeira resposta, o nome dele de- Encontrei mais impasses e... Está
verá aparecer por extenso; nas de- bem, gosto mais de Benjamim. Meu
mais, na forma simples pela qual for receio era não repetir, não parecer.
conhecido. Daí a opção pela narrativa na terceira
9 — No caso de se tratar de um pin- pessoa. Mas tem o estilo. A importân-
gue-pongue entre duas personalida- cia fundamental do segundo livro é
des, o nome da que faz as perguntas definir o estilo. Sou eu.
irá por extenso na primeira vez e re-
sumidamente na segunda (exemplo: Envolto, envolvido. Use envolto como
Mario Vargas Llosa; depois, Llosa). sinônimo de enrolado (Estava envol-
Adote o mesmo procedimento para a to no cobertor) e envolvido nos de-
que responde (como: Eduardo Galea- mais sentidos do verbo, mesmo com
no; depois, Galeano). o auxiliar ser: Foi envolvido pelos par-
10 — Se o Estado reproduzir entre- ceiros. / Estava envolvido na conspi-
vista de algum jornal ou revista cujos ração. / Negou que estivesse envolvi-
serviços esteja autorizado a utilizar, do no escândalo. Se o auxiliar for ter,
substitua simplesmente o nome do empregue apenas a forma envolvido:
jornal pelo da outra publicação e, com Já tinha envolvido o filho no cober-
relação à pessoa que fala, adote as nor- tor. / Negou que se tivesse envolvido
mas já expostas. no escândalo.
11 — Nas entrevistas coletivas, há “Envolvendo”. 1 — Use acidente de
duas possibilidades: a) Apresentar ônibus, desastre de trem, acidente
cada pergunta com o nome do jornal, entre um ônibus e dois carros, cho-
revista ou emissora a que pertence o que de aviões, desastre de avião e
jornalista que a fez. b) Usar apenas a nunca desastre “envolvendo” ôni-
indicação pergunta, caso não se possa bus, acidente “envolvendo” um ôni-
Enxaguar 111 Éramos seis

bus e dois carros, etc. 2 — Não em- É preferível. Ver preferir, página 233.
pregue essa forma também quando É proibido. Ver é preciso, nesta página.
ela puder ser substituída por preposi- E que. Evite essa expressão, usando ape-
ção: Incidente “envolvendo” (com) nas o e ou o que (ou o qual, a qual, os
jornalistas, acidente “envolvendo” quais e as quais, quando necessário,
(com) dois carros, reunião “envol- para maior clareza), e não os dois jun-
vendo” (entre) empresários e sindica- tos: É um tipo de assunto de mau
listas, o jogo “envolvendo” (entre) o gosto que (e não e que) deveria ser evi-
Corinthians e o Santos, etc. tado. / Ali acamparam três famílias
Enxaguar. Conjuga-se como aguar (ver, de índios guaranis, procedentes de
página 34). Mato Grosso, que (e não e que) há dez
E/ou. Evite o abuso, mas, quando neces- anos vêm peregrinando pelo País. / O
sário, adote essa forma em frases general, que está fazendo nova visita
como: Incluem-se na relação canto- às tropas e (e não e que) pretende vol-
res e/ou músicos. / Queria o apoio de tar logo a Brasília, deixará o serviço
escritores e/ou jornalistas. Não há ativo este ano. / No livro que escre-
barra, porém, se o e acompanhar veu depois da explosão e (e não e que)
meras orações alternativas: Ele che- se tornou um clássico... / A razão: o
gou apressado e, ou fica, ou vai em- que não tem função na frase.
bora ainda hoje. É que. 1 — Nesta forma, a locução fica
Epidemia, surto. 1 — A diferença é de invariável e vem sempre entre o su-
amplitude: a epidemia atinge um jeito e o verbo (a concordância se faz
grande número de pessoas numa área como se ela não existisse): Nós é que
extensa e o surto, um número limita- pagamos. / Eles é que devem sair. /
do de pessoas numa área mais ou Vós é que podeis dizer isso. 2 — Se o
menos restrita. 2 — O termo epide- sujeito for colocado entre o verbo ser
mia vale apenas para seres humanos: e o que, a concordância será normal:
no caso de doença que atinja grande Somos nós que pagamos. / São eles
número de animais, o certo é epizoo- que devem sair. / Sois vós que podeis
tia. dizer isso.
É preciso. 1 — Com sujeito indetermi- Equivale a dizer. É a forma correta,
nado, as locuções é preciso, é proibi- assim como equivale a fazer, e nunca
do, é necessário, é bom, é feio e ou- “equivale dizer”, “equivale fazer”.
tras semelhantes PODEM permane- Valer, sim, admite essa forma: vale
cer invariáveis: É preciso muita cau- dizer, vale transcrever.
tela. / É necessário ajuda. / É proibi-
Equivaler. Conjuga-se como valer (ver,
do entrada. / Vitamina é bom para a
página 296).
saúde. / É feio blusa em menino. /
Não foi preciso rodeios. 2 — No en- Era. Inicial maiúscula apenas em Era
tanto, sempre que se quiser deixar Cristã. Nos demais casos: era ceno-
clara a determinação ou ela estiver zóica, era do jazz, era atômica.
evidente pelo uso de artigo, pronome Era uma vez. O verbo permanece inva-
ou adjetivo ao lado do substantivo, a riável: Era uma vez uma princesa... /
concordância deverá ser a regular: Era uma vez sete anões... (ser, no
Não foram necessários rodeios. / caso, equivale a haver).
Toda vitamina é boa para a saúde. / Éramos seis. Frases desse tipo formam-
É proibida a entrada. / É necessária se sem a preposição em: Éramos seis. /
muita ajuda. / É feia essa blusa no Éramos oito à mesa. / Ficamos qua-
menino. 3 — Prefira a concordância tro na sala. / Íamos cinco amigos pela
normal, sempre que possível. estrada. / Estávamos três no automó-
“Erário público” 112 Erros

vel. (E não: Éramos em oito, ficamos é Conferência Nacional dos Bispos do


em quatro, íamos em cinco, estáva- Brasil e não “Confederação” Nacio-
mos em três). nal, e INSS é Instituto Nacional do
“Erário público”. Redundância. O erá- Seguro e não “da Seguridade” Social.
rio é sempre público. 3 — Palavras. A lista publicada no
Ergométrico, ergonômico. 1 — A ergo- fim deste volume inclui a maioria das
metria mede o esforço muscular de palavras da língua portuguesa que
um trabalho: esteira ergométrica, bi- possam dar margem a dúvidas quan-
cicleta ergométrica. 2 — O estudo dos to à ortografia, além de milhares de
efeitos do trabalho no organismo hu- termos estrangeiros, designações geo-
mano é a ergonomia. Por isso: tecla- gráficas e nomes de produtos ou de
do ergonômico, cadeira ergonômica. empresas muito usados no noticiário.
3 — “Ergonometria” e “ergonométri- Nunca deixe de recorrer a ela.
co” não existem. 4 — Informação. É um dos erros
Ermitão. Flexões: ermitã (prefira), er- mais graves que o jornal pode divul-
mitoa, ermitões (prefira), ermitães e gar. Por isso, confira sempre cuidado-
ermitãos. samente as informações que recolher;
...érrimo. É o superlativo apenas dos ad- recorra a mais de uma fonte, quando
jetivos terminados em re e ro: céle- necessário; verifique, enfim, todos os
bre, celebérrimo; negro, nigérrimo; dados em que possa haver qualquer
pobre, paupérrimo. Por isso, nunca engano que comprometa a seriedade
escreva “elegantérrimo”, “absolutér- da notícia.
rima”, “chiquérrimo”, “simplérrimo” 5 — Serviços. É um dos piores tipos
(o certo é elegantíssimo, absolutíssi- de erro que o jornal pode publicar. O
ma, chiquíssimo, elegantíssimo), leitor muitas vezes programa as suas
etc., modismos sem apoio na gramá- atividades em função do horário de
tica e admissíveis somente em textos uma sessão de teatro ou cinema e é
de caráter coloquial. natural que se irrite quando a infor-
Erros. Para manter sua confiabilidade e mação fornecida não corresponde à
credibilidade, o jornal deve fazer o realidade. Por isso, confira sempre
possível para não publicar erros de ne- com todo o cuidado — principalmen-
nhuma espécie. Veja alguns dos casos te se você recebeu a indicação com
que ocorrem com maior freqüência e
muita antecedência — se a televisão
procure evitá-los:
vai mesmo transmitir ao vivo deter-
1 — Nomes. O Estado escreve os
minado jogo, se o filme, a peça de tea-
nomes e sobrenomes segundo a forma
que as pessoas adotam. Por isso, veri- tro, o show, a festa, etc., começam efe-
fique-os sempre com cuidado, para tivamente no horário divulgado, se o
que figurem no noticiário de maneira local é realmente o do espetáculo, se
correta. A observação vale também as inscrições de um concurso ou do
para os nomes geográficos e palavras vestibular vão mesmo até determina-
estrangeiras. Em caso de dúvida, con- do dia. Para um leitor do jornal, ne-
sulte o vocabulário do fim deste vo- nhuma desculpa ou retificação com-
lume. pensa a perda da inscrição para uma
2 — Siglas. Procure também expli- prova, por exemplo.
car convenientemente as siglas ao lei- 6 — Enumerações. Tenha sempre
tor e evite discriminá-las erradamen- em mente: é comum uma notícia
te. Por exemplo: STF é Supremo Tri- dizer que havia seis pessoas presentes
bunal Federal e não “Superior” Tribu- num determinado local e, na hora de
nal Federal. Da mesma forma, CNBB relacionar os nomes, fornecer apenas
Erros 113 Erros

cinco deles. Por isso, conte sempre os nas informações: a citação incorreta
nomes para ver se são mesmo seis. ou trocada do nome do autor de uma
7 — Números. A transcrição de nú- obra ou declaração ou mesmo a men-
meros das anotações do repórter ou do ção incompleta (se uma música, por
texto provisório para o definitivo fa- exemplo, é de Noel Rosa e Vadico, es-
vorece o aparecimento de erros no ori- creva isso, e não se refira apenas ao
ginal. É outro item a ser conferido parceiro mais famoso).
com atenção. 13 — Intérpretes. Proceda da mes-
8 — Concordância. Dos erros gra- ma forma com relação aos intérpre-
maticais, é talvez o que surge com tes. Você pode confundir o ator que
maior freqüência nos textos. Repasse trabalhou num filme com o de outro
o original com cuidado para eliminá- ou a cantora que gravou uma canção
los e consulte o verbete concordân- com outra.
cia, subtítulo erros, página 78. 14 — Memória. Por tudo isso, des-
9 — Conhecimento. Evite que confie da memória. O Arquivo, por
erros de conhecimento comprome- exemplo, é sempre uma fonte mais
tam o texto. Não diga, por exemplo: segura. Se você está em cima da hora
Um relâmpago caiu no fio do tróle- de concluir a matéria, entregue-a à
bus. O que atinge o fio é o raio. Não chefia. E procure em seguida conferir
escreva, também: Havia muitas pes- a informação em dúvida. Sempre ha-
soas no féretro (o féretro é o caixão, verá tempo de corrigi-la.
não o cortejo). / Somente amanhã de- 15 — Gramática. Nem todos são
verá ser extraída a cápsula da vítima obrigados a conhecer todas as regras
(a cápsula é apenas o envoltório da gramaticais. Por isso, este manual
bala). Outra forma a evitar: A geada teve a preocupação de relacionar as
caiu... A geada forma-se, não cai (é o principais delas. Nunca deixe de es-
resultado do congelamento das gotas clarecer nenhuma dúvida sobre crase,
de orvalho). Finalmente, lembre-se: a concordância, conjugação verbal, re-
Muralha da China não é uma das sete gência, formação do plural, colocação
maravilhas do mundo. de pronomes, acentuação e outras.
10 — Citações. Nunca cite de me- Folheie o manual regularmente para
mória, porque provavelmente você ir descobrindo as demais e, principal-
cometerá algum equívoco. Consulte mente, observações sobre formas gra-
um dicionário de citações, recorra ao maticais corretas e incorretas, dife-
Arquivo, apele para os colegas. Tudo renças entre mal e mau, etc. O leitor
justifica o esforço para evitar uma merece todo o empenho para que o
transcrição errada ou incompleta. número de erros de uma edição do jor-
11 — Declarações. Leia sempre nal se reduza cada dia mais.
com cuidado suas anotações ou volte 16 — Íntegras. Erros de linguagem
a fita do gravador para que as declara- em textos oficiais — notas, transcri-
ções de entrevistados sejam reprodu- ção de discursos, comunicados, proje-
zidas com a maior fidelidade possível. tos, etc. — devem em geral ser corri-
Lembre-se de que qualquer distorção gidos, principalmente quanto à acen-
nas afirmações não apenas levará tuação, grafia, pontuação, regência e
uma informação incorreta ao leitor concordância. Evite apenas desfigurar
como criará problemas para você e o teor desses documentos. Em casos
para o jornal. especiais (mas sempre com consulta
12 — Autores. Consulte dicioná- à Direção de Redação), eles podem ser
rios, livros especializados ou o Arqui- mantidos, desde que se registre ex-
vo para fugir a um erro muito comum pressamente a observância do texto
Escalação 114 Espanhol

original ou se marquem os erros mais guel de Cervantes Saavedra (Cervan-


gritantes com um sic. Não leve em tes), Fidel Castro Ruz (Castro), Au-
conta nas íntegras a relação de pala- gusto Pinochet Ugarte (Pinochet),
vras vetadas constante do Manual. Francisco Franco Bahamonde (Fran-
17 — Os cem mais. Ver na página co), Adolfo Suárez González (Suá-
321 a lista dos cem erros mais co- rez). Jornalisticamente, use apenas o
muns do idioma nome e o sobrenome paterno (a não
Escalação. No singular em frases como: ser em casos excepcionais): Miguel de
O técnico confirmou a escalação de Cervantes, Fidel Castro, Francisco
José e Pedro. / Com a escalação de Franco, Adolfo Suárez, Augusto Pi-
Juca, Alemão e Zezinho, o técnico nochet.
pretende tornar o time mais ofensivo 2 — Acentuação
(e nunca “as escalações”). Para grafar corretamente os nomes
Escândalo. Inicial minúscula: escânda- espanhóis, observe as principais re-
lo Watergate. gras de acentuação do idioma:
Escrivão. Flexões: escrivã e escrivães. a) Acentuam-se as palavras oxíto-
“Esculhambação”, “esculhambar”. nas terminadas em vogal, n ou s: café,
Vulgaridades. Não use. Miró, José, sofás, Martí, Perón, Cora-
zón, Alán, Beltrán, Guillén, algún,
Escusa, escusar. Com s.
Medellín, Alfonsín, Julián, Rubén,
Escutar, ouvir. 1 — Prefira escutar Hernán. Atenção: Juan não tem acen-
quando o sentido for o de prestar aten- to, mas León, sim.
ção para ouvir, ouvir com atenção, b) Acentuam-se as palavras paroxí-
atender aos conselhos de: Escutou o tonas que não terminem em vogal, n
disco. / Já não escuta os amigos. 2 — ou s: mármol, fútbol, árbol, tórax,
Ouvir equivale a perceber pela audi-
López, Rodríguez, Márquez, Martí-
ção: Não ouvi o barulho. / Da sala
nez, huésped, azúcar.
ouvia o ranger das máquinas.
c) Acentuam-se todas as palavras
Esfíncter. Desta forma. Plural: esfincte- proparoxítonas: género, último, pája-
res (pronuncia-se esfinctéres). ro, líquido, Málaga.
Esgotar-se. Alguma coisa esgota-se e d) Não se acentuam as palavras ter-
não esgota, apenas: O livro esgotou- minadas em encontros vocálicos áto-
se rapidamente. / Sua paciência já se nos: Mario, Julio, historia, democra-
havia esgotado. cia (pronuncia-se democrácia), nun-
...ésimo. É mero modismo usar a termi- cio, serie, colonia, tenue, ciencia, jui-
nação de centésimo, milésimo e mi- cio.
lionésimo para criar superlativos e) Acentuam-se as palavras termi-
como “bonitésimo”, “elegantésimo”, nadas em encontros vocálicos tôni-
“gatésima”. Só textos muito especiais cos: Marías, García, brío, día, tele-
podem justificar essas formas. grafía, policía, cortesía, rocío.
Espanha. Elemento de composição nos f) Acentua-se o i ou u que faça parte
adjetivos pátrios: hispano (hispano- de um hiato: Raúl, sonreír, caída, tra-
americano). seúnte, Belaúnde, leído, reúne, aún,
Espanhol. 1 — Nomes raíz. Exceção. Não há acento quando
Os nomes de origem espanhola as vogais em hiato são u e i ou i e u:
apresentam normalmente o sobreno- Ruiz, Luis, ruido, ruina, miura, des-
me paterno antes do materno. Por truir, jesuita.
isso, numa segunda referência, é o so- 3 — Particularidades
brenome intermediário que deve ser a) Como o a seguido de m ou n, o
usado para identificar a pessoa: Mi- e e o o em espanhol têm som fecha-
Espatifar-se 115 Estádio

do, não existe acento circunflexo no “Especulado”. Alguém especula com


idioma, mas apenas o agudo: género, ou sobre alguma coisa, mas alguma
pánico, canónico, cómodo, erróneo, coisa nunca “é especulada”. Assim:
Cámpora, lámpara. Círculos políticos especularam sobre
b) Como o s entre duas vogais tem a saída do ministro (e nunca: A saída
sempre o som de ç, não existe o grupo do ministro “foi especulada”...).
ss em espanhol: Asunción, asesor, Esperar. Por trazer implícita a noção de
Paso de los Libres, El Paso, asesino, desejo, expectativa favorável, o verbo
así, cosaco, asalto, asaz, Asiria. não deve ser usado no sentido negati-
c) O pronome oblíquo agrega-se ao vo, caso em que o correto é prever ou
verbo sem hífen: haberse, darles, es- temer: Empresa prevê (e não “espe-
críbase, aprobándose, informándo- ra”) prejuízo de R$ 50 mil. / Todos
nos, llévatelo, recibirle, entréguese- previam (e nunca “esperavam”) a sua
lo. morte. / Oposição teme ou prevê der-
4 — Palavras parecidas rota (e não “espera”).
Há palavras que não significam,
em espanhol, o que parecem em por- Espinhal. Use esta forma: medula espi-
tuguês. Cuidado ao traduzi-las (entre nhal, nervo espinhal.
parênteses está o sentido correto ou Esporte. Invariável como adjetivo: carro
principal do termo em português): esporte, camisas esporte.
contestar (responder), nadie (nin- Esposo e esposa. Ver marido e mulher,
guém), ninguno (nenhum), todavía página 173.
(ainda), aparato (aparelho), huelga Espreguiçar-se. Alguém se espreguiça e
(greve ou folga), exquisito (excelen- não espreguiça, apenas: Saiu da
te), papa (batata), pelo (cabelo), sin cama e espreguiçou-se demorada-
embargo (mas, porém), embarazada mente. / Bocejou e espreguiçou-se.
(grávida), torpe (desajeitado), entre- Esquecer. Regência. l — Esquecer algu-
tanto (por enquanto), sobrenombre ma coisa: Ninguém esquece tais ofen-
(apelido), apellido (sobrenome), por sas. / Ele esqueceu que tinha compro-
supuesto (claro, lógico), coche misso à noite. / O escritor esqueceu
(carro), inversiones (investimentos), os originais no táxi. 2 — Esquecer-se
desarrollarse (desenvolver-se), desar- de alguma coisa: Eles se esqueceram
rollo (desenvolvimento), presunto do compromisso. / Queria que nin-
(suposto), chorizo (salame), muñeca guém se esquecesse dela. 3 — Moder-
(boneca), crianza (cria de animal),
namente, já se admite a forma esque-
niño (menino), cachorro (filhote de
cer de: Esqueceu de fazer o traba-
animal), anfiteatro (local de velório),
lho. / Esqueceu dos amigos. 4 — Pode
clase (aula), aula (classe), polvo (pó),
também ser intransitivo (dispensar
sólo (sozinho), pegar (bater), tirar (ar-
complemento): Bebe para esquecer. 5
remessar, jogar), embrujo (encanto),
mal caracter (explosivo, de pavio — Esquecer tem outros tipos de re-
curto), presupuesto (orçamento), gência, todos, porém, de uso mais li-
danés (dinamarquês). terário que jornalístico.
5 — Nome oficial. “Estadão”. Ver O Estado de S. Paulo, pá-
O nome oficial do idioma é espa- gina 203.
nhol e não castelhano. Esse. Ver este, esse, aquele, página 117.
Espatifar-se. Alguma coisa espatifa-se e Estádio. Inicial maiúscula no nome (ofi-
não espatifa, apenas: A garrafa caiu e cial ou popular) da praça de esportes:
espatifou-se no solo. / A janela espa- Estádio do Morumbi, Estádio Pales-
tifou-se com a pedrada. tra Itália. Inicial minúscula se a indi-
“Estado” 116 Estar

cação for genérica: o estádio de Ara- dido de artigo; em outros, não. Têm
raquara, o estádio do Juventus. artigo: o Acre, o Amapá, o Amazo-
“Estado”. Ver O Estado de S. Paulo, pá- nas, a Bahia, o Ceará, o Distrito Fe-
gina 203. deral, o Espírito Santo, o Maranhão,
Estado. Com inicial maiúscula, tanto o Pará, a Paraíba, o Paraná, o Piauí,
para designar o poder oficial ou uma o Rio de Janeiro, o Rio Grande do
nação quanto as unidades em que se Norte, o Rio Grande do Sul e o Tocan-
divide um país: O Estado tem poder tins. Não têm artigo: Alagoas, Goiás,
sobre os cidadãos. / A teoria do Esta- Mato Grosso, Mato Grosso do Sul,
do. / O Estado de São Paulo, o Esta- Minas Gerais, Pernambuco, Rondô-
do (São Paulo), os Estados de Minas nia, Roraima, Santa Catarina, São
e Bahia, os Estados e municípios, os Paulo e Sergipe.
governadores dos Estados do Sul, na- Estados Unidos. l — Sempre com o ar-
quele Estado, etc. tigo e o verbo no plural: Os Estados
Estados. l — É esta a relação dos Esta- Unidos são... / Os Estados Unidos
dos brasileiros, suas capitais, as re- elegeram... Da mesma forma: Todos
giões em que se situam e as siglas que os Estados Unidos aplaudiram o dis-
os identificam: Acre — Rio Branco, curso do presidente. / Veio dos Esta-
Norte, AC; Alagoas — Maceió, Nor- dos Unidos. 2 — Aportuguese o nome
deste, AL; Amapá — Macapá, Norte, dos seguintes Estados norte-america-
AP; Amazonas — Manaus, Norte, nos: Alasca, Califórnia, Carolina do
AM; Bahia — Salvador, Nordeste, Norte, Carolina do Sul, Colúmbia
BA; Ceará — Fortaleza, Nordeste, (Distrito de), Flórida, Geórgia, Ha-
CE; Distrito Federal — Centro- vaí, Nova York, Novo México, Pensil-
Oeste, DF; Espírito Santo — Vitória, vânia, Porto Rico e Virgínia. Os de-
Sudeste, ES; Goiás — Goiânia, Cen- mais serão escritos na forma inglesa.
tro-Oeste, GO; Maranhão — São 3 — Aportuguese também estes
Luís, Nordeste, MA; Mato Grosso — nomes de cidade: Colúmbia, Filadél-
Cuiabá, Centro-Oeste, MT; Mato fia, Indianápolis, São Francisco,
Grosso do Sul — Campo Grande, Nova York e Santa Fé. Escreva em in-
Centro-Oeste, MS; Minas Gerais — glês os demais (San Diego, San Anto-
Belo Horizonte, Sudeste, MG; Pará — nio, El Paso, Los Angeles, Buffalo,
Belém, Norte, PA; Paraíba — João Phoenix, Memphis, etc.). Em caso de
Pessoa, Nordeste, PB; Paraná — Curi- dúvida, consulte a relação de palavras
tiba, Sul, PR; Pernambuco — Recife, do capítulo Escreva Certo.
Nordeste, PE; Piauí — Teresina, Nor- Estadual, estatal. Estadual — Relativo
deste, PI; Rio Grande do Norte — às unidades da Federação: o governo
Natal, Nordeste, RN; Rio Grande do estadual, as dívidas estaduais. Esta-
Sul — Porto Alegre, Sul, RS; Rio de tal — relativo ao Estado como nação
Janeiro — Rio de Janeiro, Sudeste, RJ; ou poder político: empresa estatal,
Rondônia — Porto Velho, Norte, RO; voracidade estatal.
Roraima — Boa Vista, Norte, RR; Estar. Conjugação. Pres. ind.: Estou,
Santa Catarina — Florianópolis, Sul, estás, está, estamos, estais, estão.
SC; São Paulo — São Paulo, Sudeste, Imp. ind.: Estava, estavas, estava, es-
SP; Sergipe — Aracaju, Nordeste, SE, távamos, estáveis, estavam. Pret.
e Tocantins — Palmas, Norte, TO. 2 perf. ind.: Estive, estiveste, esteve, es-
— Ver também regiões do Brasil, pá- tivemos, estivestes, estiveram. M.-q.-
gina 251. perf. ind.: Estivera, estiveras, estive-
Estados (artigo). Em alguns casos, o ra, estivéramos, estivéreis, estive-
nome dos Estados brasileiros é prece- ram. Fut. pres.: Estarei, estarás, esta-
Está rindo à toa 117 Estigma

rá, estaremos, estareis, estarão. Fut. toma jeito. / Veja se esse relógio está
pret.: Estaria, estarias, estaria, esta- funcionando. b) Usa-se como segun-
ríamos, estaríeis, estariam. Pres. da referência a pessoa ou coisa: Che-
subj.: Esteja, estejas, esteja, esteja- gou a São Paulo em 1954; nesse ano
mos, estejais, estejam. Imp. subj.: Es- foi comemorado o 4º centenário da
tivesse, estivesses, estivesse, estivés- cidade. / Anos depois de ter lido o
semos, estivésseis, estivessem. Fut. Ulysses, percebeu a influência desse
subj.: Estiver, estiveres, estiver, esti- livro na sua vida. c) Designa alguma
vermos, estiverdes, estiverem. coisa que já passou: Esse mês, o das
Imper. afirm.: Está tu, esteja você, es- enchentes em São Paulo, marcou
tejamos nós, estai vós, estejam vocês. também a eleição do prefeito. / Esse
Imper. neg.: Não estejas tu, não este- tempo que não volta mais sempre
ja você, não estejamos nós, não este- deixa saudades.
jais vós, não estejam vocês. Infin.: 3 — Aquele. a) Refere-se a pessoa
Estar. Flexionado: Estar, estares, ou coisa afastada de quem fala e de
estar, estarmos, estardes, estarem. quem ouve: Vá buscar aquele livro. /
Ger.: Estando. Part.: Estado.
Você está vendo aquela estrela? /
Está rindo à toa. Modismo. Evite. Eles devem aparecer naquela esqui-
Esta semana. Ver semana, página 263. na. b) Indica um tempo passado:
Estávamos três. Ver éramos seis, pági- Aquelas férias foram as melhores da
na 111. sua vida. / Aquela safra de café bateu
Este, esse, aquele. l — Este. a) Designa o recorde do século. c) Identifica,
pessoa ou coisa próxima de quem fala: numa oração, o termo mais distante:
Este livro é meu. / Esta mesa, este jor- Visitaram a Argentina e o Chile;
nal, esta página, esta matéria, esta neste, viajaram pelos lagos andinos
crônica, esta crítica, esta empresa, e, naquela, esquiaram em Bariloche.
este homem. b) Refere-se igualmente 4 — Isto (esta coisa), isso (essa
ao lugar em que alguém está: Este coisa) e aquilo (aquela coisa) seguem
apartamento, este local, este país, a mesma norma, mas só podem ser
esta casa, este hotel, esta piscina. c) usados para coisas. Em relação a pes-
Indica um período de tempo presen- soas, têm sentido pejorativo.
te, que ainda não terminou, um man- 5 — Cá e aqui equivalem a este; aí,
dato, uma gestão, etc.: este ano (o ano a esse; lá e ali, a aquele.
que vivemos), este mês (o mês atual),
6 — Tal pode substituir esse e
esta semana (a semana em que se
aquele, especialmente, ou dar caráter
está), este século, esta tarde, esta
indefinido ao substantivo que acom-
manhã, esta vida, esta noite, este mo-
panha: tal homem (esse, aquele), tais
mento, este governo, esta adminis-
tração, esta crise. Atenção: Esta é a assuntos (esses), tais modelos (aque-
forma de uso jornalístico mais les), tal dia e tal hora, etc.
comum. d) Identifica, numa oração, o Estigma. Tem sentido altamente nega-
termo mais próximo: Eram duas tivo. Por isso, está errado o técnico
irmãs, Josefa e Maria; esta (Maria, no que queria seu time “com o estigma
caso), a loira, e aquela (Josefa), a mo- do vencedor”. A equipe poderia, isto
rena. sim, apresentar “a marca” ou “a ob-
2 — Esse. a) Indica pessoa ou coisa sessão do vencedor”. Veja exemplos
um pouco afastada de quem fala ou corretos: Está marcado pelo estigma
próxima de um interlocutor: Por da aids. / Queria se livrar do estigma
favor, traga-me esse livro. / Cuidado de retranqueiro. / O país sofre com o
com essa cadeira. / Essa menina não estigma da fome.
Estilhaçar-se 118 Ética interna

Estilhaçar-se. Alguma coisa se estilha- camisas, calças, meias, “e etc.” 3 —


ça e não estilhaça, apenas: O jarro Por extensão do sentido original, etc.
caiu e estilhaçou-se. / O vidro esti- pode também ser adotado para pes-
lhaçou-se com o tiro. soas: Vieram comigo João, Carlos,
Estiver/tiver, estivesse/tivesse. Ver José, etc. 4 — Segundo ainda o Formu-
tiver/estiver, tivesse/estivesse, pági- lário, usa-se ponto-e-vírgula antes de
na 289. etc. no caso de enumerações consti-
“Estória”. Em qualquer sentido, use tuídas de vários termos agrupados em
apenas história. categorias: Com os ditongos ãe e ãi,
Estragar-se. Alguma coisa se estraga e escrevem-se: pães, mãezinhas, capi-
não estraga, apenas: Por causa do tães; zãibo, cãibra; etc. Não há ponto-
calor, os alimentos estragaram-se. / e-vírgula, porém, se a enumeração in-
Carro que fica ao relento estraga-se cluir apenas termos simples: Eis algu-
rapidamente. mas abreviaturas que têm a letra w:
Estrangeirismos. Ver palavras estran- kw = quilowatt; w = watt; W = Oeste,
geiras, página 209. etc. 5 — Se a frase tiver outro sinal de
Estrear. Pode-se estrear uma roupa, uma pontuação, este costuma ser empre-
peça, um teatro, um cinema, etc., mas gado antes de etc., como neste exem-
não escreva, por exemplo: O Corin- plo do gramático Celso Luft: Levan-
thians estréia Joãozinho hoje. tar cedo. Respirar o ar puro da
Estrelas. 1 — Use com hífen a qualifi- manhã. Fazer ginástica. Etc. 6 — Se
cação dos hotéis: Era um legítimo o etc. encerrar a oração, não duplique
cinco-estrelas. / Hospedou-se num o ponto. O de etc. serve também
hotel três-estrelas. / Aquele uma-es- como ponto final.
trela o satisfazia. 2 — No entanto: Era Ética interna. Pense que o jornal tem
um hotel de quatro estrelas. leitores de todas as tendências, raças,
Estudar. Use o substantivo, e não infi- credos e religiões. Por isso, procure
nitivo depois: Governo estuda am- sempre ser isento no noticiário, espe-
pliação do crédito (e não “estuda am- cialmente naquele que envolva ques-
pliar”). / Receita estuda elevação do tões delicadas, e evite utilizar frases,
ganho da poupança (e não “estuda alusões ou conceitos que possam me-
elevar”). lindrar as pessoas.
Esvaziar-se. Alguma coisa se esvazia e Lembre-se de que muitos leitores
não esvazia, apenas: O estádio esva- de 50, 60 ou 70 anos podem conside-
ziou-se logo. / As ruas esvaziam-se no rar ofensivos termos que não causa-
feriado. / Todas as suas pretensões se riam surpresa aos mais jovens. Esse
esvaziaram. equilíbrio de linguagem é fundamen-
Etc. 1 — Use vírgula antes de etc. Em- tal para que o jornal continue a gozar
bora a expressão original, et cetera, já do conceito de órgão respeitável e res-
contenha e, a abreviatura etc. apare- peitoso para com os seus assinantes e
ce sempre precedida do sinal no For- compradores habituais.
mulário Ortográfico, que define a 1 — Jornais e revistas. Sempre que
norma legal do idioma. Essa prática fizer referência a notícia publicada
terminou por oficializar o emprego da em outro jornal ou revista, escreva
vírgula, seguido pela maioria esmaga- claramente qual foi o órgão que a di-
dora dos gramáticos brasileiros. vulgou. Eufemismos como revista se-
Assim: Havia ali gatos, cães, gali- manal paulista ou jornal carioca não
nhas, etc. 2 — Nunca use e antes de se justificam. O leitor tem o direito
etc. Assim: Comprou camisas, cal- de saber qual é a publicação mencio-
ças, meias, etc. (e nunca: Comprou nada, até mesmo para procurar a
Ética interna 119 Ética interna

informação na própria fonte que a di- na notícia, da cor da pele da pessoa.


vulgou. No noticiário policial, só faça referên-
2 — Palavrões e vulgaridades. Por cia a negro quando se tratar de pessoa
princípio e em respeito ao leitor, o Es- procurada: A polícia procura dois ho-
tado não publica palavrões nem vul- mens negros e um branco, acusados
garidades. Assim, todo texto que, de... Nos demais casos, raramente há
mesmo em transcrições, contiver ex- necessidade de falar em brancos, ne-
pressões como essas deve ser subme- gros ou mulatos. No noticiário geral,
tido à Direção da Redação. Por vulga- a palavra só tem sentido se a própria
ridades entendam-se termos ou lo- pessoa se referir a ela ou se houver
cuções como: de saco cheio, encher o uma denúncia de discriminação ra-
saco, puxa-saco, bicha, veado, vea- cial. Por isso, não descreva um joga-
dagem, cafetão, porrada, esculham- dor, artista ou personalidade como,
bar, avacalhação, tesão, pentelho, sa- por exemplo: João da Silva, 32 anos,
patão, vaca (não o animal), saco, negro (a menos que o personagem
mijar, sacanagem, fresco (pejorati- proclame a sua negritude). A única
vo), frescura, babaca, partir para o exceção seria para casos muito inco-
tapa, quebrar a cara, etc. muns (o primeiro presidente negro de
3 — Palavras ofensivas. Além dos um país, o primeiro cardeal negro,
palavrões, há uma série de palavras etc.). O Estado não compactua com
que ofendem aqueles a quem se diri- casos de racismo e os denuncia sem-
gem. Nem todo gordo aceita ser cha- pre.
mado dessa forma, muito menos de 6 — Velho. Na maior parte dos
balofo. Se a pessoa tiver orelhas de casos, a palavra tem conotação pre-
abano, para que deverá o jornal agra- conceituosa. Se necessário, revele a
var esse complexo? E em que a notí- idade da pessoa que ficará clara essa
cia ajudará uma pessoa muito feia se condição. E idoso é sempre preferível
lembrar essa condição a todo momen- a velho.
to? O mesmo vale para as rugas ou a 7 — Homossexual. É outro termo
celulite das atrizes, para operações que só deve aparecer no noticiário se
plásticas tratadas de forma deprecia- tiver relação com o fato descrito. Por
tiva, etc. Se as pessoas são vaidosas, exemplo: um homossexual foi morto
por que agredir esse aspecto da sua por alguém presumivelmente ligado
personalidade? Proceda da mesma a uma quadrilha especializada em as-
forma com termos como baixinho, sassinar esse tipo de pessoas. Outro
narigudo, beiçudo, careca, barrigudo exemplo: um artista assumidamente
e outros do gênero. homossexual admite que essa condi-
4 — Deficiências físicas. Trate ção influenciou o seu trabalho. Mais
com dignidade os deficientes físicos e um: por causa de sua opção sexual, al-
use a palavra técnica, e não termos guém contraiu aids. À exceção de
populares e ofensivos, para designá- casos como esses, não há razão para
los. Assim, por exemplo, estrábico e menções a respeito.
não vesgo, impotente e não broxa. 8 — Menores. Por força de lei, me-
Outros termos a evitar: caolho, ma- nores envolvidos em crimes não po-
neta, perneta, manco, zarolho, etc. derão ter os nomes publicados no jor-
5 — Negro e mulato. Se necessá- nal (identifique-os apenas pelas ini-
rio, use a forma negro (e nunca preto, ciais), nem suas fotos divulgadas.
colored, pessoa de cor, crioulo, pardo, Lembre-se, porém, de que a inclusão
etc.). Mulato e mulata são aceitáveis do nome dos pais na notícia imedia-
quando se justificar a especificação, tamente revelará quem é o menor.
Ética interna 120 Ética interna

O Código de Menores é claro a respei- 11 — Suicídios. Se uma pessoa co-


to, quando proíbe “expressamente a nhecida se suicidou, a notícia deve re-
identificação de menor em notícia velá-lo ao leitor, também para que
que se publique a seu respeito em di- este não receba a informação pela me-
vulgação em geral, especialmente na tade. Em qualquer relato de morte, o
imprensa escrita e televisada, seja mínimo que se quer saber é de que
pelo nome, fotografia, filiação e ape- maneira ou em que circunstâncias ela
lido”. O Estado procede da mesma ocorreu: Doença? Acidente? Suicí-
forma com relação a menores vítimas dio? Por mais doloroso que seja o fato,
de atos que lhes possam trazer proble- evite disfarçá-lo.
mas de caráter social ou lhes acarre- 12 — Raças e nacionalidades.
tar discriminações (estupro, por Nunca recorra a palavras que agridam
exemplo). raças, nacionalidades ou tendências
9 — Correção. Toda informação políticas, como carcamano, comuna,
errada que o Estado publicar deverá china (por chinês), turco (por árabe),
ser retificada na edição seguinte, na polaco, japa, gringo, galego, portu-
mesma seção que a divulgou, sob o tí- guês ou lusitano (no mau sentido),
tulo Correção, ressalvados os casos pau-de-arara, cabeça-chata, baiano
excepcionais, que exijam maior des- (para qualquer nordestino), judeu (no
taque. Justificam um reparo, dessa mau sentido), judiar, judiação, ama-
forma, erros graves de data, nomes er- relo (por oriental), vermelho (por co-
rados, fatos atribuídos a pessoas que munista), etc.
não os praticaram e outros do gênero. 13 — Qualificativos. Designe a
Erros gráficos que dêem margem a in- pessoa sempre pela sua ocupação
terpretação dúbia quanto às reais in- principal e não por outra, acessória
tenções do jornal devem ser igual- (ou por um qualificativo), que tenha
mente corrigidos. Assim, se por uma por objetivo apenas rebaixá-la peran-
falha se escreve o sujeito fulano de te o leitor. Se um astrólogo for nomea-
tal, em vez de o prefeito fulano de tal, do ministro, ele será ministro no no-
não se deve deixar de, logo em segui- ticiário, e não astrólogo. Idem um sin-
da, esclarecer ao leitor que houve um dicalista que se eleja deputado. Ou
engano no texto da notícia. Uma cor- um chacareiro que atinja posição po-
reção sumária pode ser, por exemplo: lítica de destaque.
A notícia publicada ontem na pági- 14 — Iniciais. Além do caso dos
na 5 do Estado, sob o título..., apre- menores, iniciais poderão também
senta uma incorreção. Quem coman- ser utilizadas, a critério da Direção da
dava o então II Exército em..., ano em Redação, para designar autores de de-
que fulano de tal foi cassado, era o núncias que possam causar-lhes pro-
general X e não o general Y. blemas ou risco de vida e mulheres
10 — Doenças. O jornal deve infor- adultas vítimas de estupro cuja iden-
mar claramente do que uma pessoa tidade o jornal admita preservar.
sofre, foi operada ou morreu. Não há 15 — Desempregado (técnico). Eli-
sentido em esconder que alguém tem mine um vício do noticiário esporti-
câncer, por exemplo, ou mesmo aids. vo: o de se referir a todo técnico de fu-
Caso não revele essa informação, a tebol dispensado por um clube como
notícia estará sendo desleal com o lei- “mais um desempregado”. Diga ape-
tor e ocultando-lhe um fato que ele nas que ele foi demitido ou dispensa-
merece conhecer. Apenas, trate a do. Trata-se de um trabalhador como
doença com naturalidade, sem sensa- outro qualquer e o desempregado, no
cionalismo. caso, dá sempre à notícia um sentido
Eu 121 Ex (uso)

pejorativo, que pode perfeitamente Euro... Liga-se com hífen ao elemento


ser evitado. seguinte na formação de adjetivos pá-
16 — Vender e comprar (jogador). trios: euro-africano, euro-afro-ameri-
Fale sempre em compra e venda do cano, euro-asiático. Nos demais
passe e não do atleta, que é um ser hu- compostos, não existe hífen: euroco-
mano e não mercadoria em transação. munismo, eurodólar.
Eu. 1 — Não pode funcionar como ob- Evacuar. Use o verbo apenas no sentido
jeto direto. Por isso, nunca escreva: fisiológico: evacuar sangue. Nos de-
Ele mandou “eu” ficar (o certo: man- mais, prefira desocupar, esvaziar, re-
dou-me ficar). 2 — Ver pronomes tirar de, sair de, deixar livre. E substi-
retos, item 2, página 241. tua evacuação por desocupação, reti-
Eufemismo. É o uso de uma palavra rada, esvaziamento, saída de, etc.: Po-
lícia esvazia a Paulista. / Governo de-
mais branda no lugar de outra. Exem-
socupa área invadida. / Começa a re-
plo: dizer que alguém é esquecido
tirada dos flagelados da região inun-
para não chamá-lo de omisso. Só deve
dada.
ser usado para evitar palavrões ou ter-
Evadir-se. Alguém se evade e não eva-
mos que possam chocar o leitor.
de, apenas: Os detentos evadiram-se.
Tenha cuidado para não encampar
Prefira fugir, no entanto.
um tipo de eufemismo de que o go-
verno lança mão regularmente a fim Evento. O termo aplica-se apenas a
de se promover ou disfarçar iniciati- acontecimento ou fato importante.
Nos demais casos, use reunião, pro-
vas antipáticas. Exemplo: as autorida-
moção, realização, congresso, simpó-
des econômicas usam o eufemismo
sio, show, concerto, etc., em vez de
realinhamento para substituir o au-
evento, genericamente.
mento de preços que se consideram
Ex... Com o sentido de cessamento ou
desatualizados. Da mesma forma, no
estado anterior, é sempre seguido de
governo Geisel falou-se muito em
hífen: ex-presidente, ex-governador,
aperfeiçoamento democrático quan-
ex-prefeito, ex-diretor, ex-aluno, ex-
do não havia uma democracia que
oficial. Não confundir essas com for-
correspondesse plenamente a essa mas como expatriar, expropriar, exa-
classificação. bundância, em que o prefixo ex tem
No rodízio de carros adotado em outros significados, ligando-se, então,
São Paulo, a Secretaria do Meio Am- sem hífen ao elemento seguinte.
biente recorreu à palavra adesão, de- Ex (uso). l — Ao designar alguém com
liberadamente, para caracterizar o o prefixo ex, nomeie o cargo mais alto
cumprimento dessa determinação que a pessoa ocupou, e não o mais re-
legal. Nem todos os que respeitaram cente. Assim, o ex-presidente João de
o rodízio, porém, aderiram a ele (mui- Almeida (e não o ex-governador João
tos paulistanos deixaram o carro em de Almeida ou o ex-prefeito João de
casa apenas por temor da multa pre- Almeida), o ex-ministro Fábio An-
vista na lei). Também já se usou a pa- drade (e não o ex-deputado Fábio An-
lavra eutanásia para definir a mera re- drade), etc. A ordem de importância
tirada de órgãos de corpos ainda não dos cargos, para estabelecer a hierar-
clinicamente mortos em Taubaté. quia, é a seguinte: presidente da Re-
Fique alerta especialmente com rela- pública, vice-presidente, ministro,
ção aos termos aperfeiçoamento, me- governador, senador, deputado fede-
lhoria, recuperação e outros que fre- ral, deputado estadual, prefeito e ve-
qüentemente ocultam intenções em reador. No caso de prefeito e deputa-
vez de exprimir realidades. do estadual, use o bom senso: o ex-
Exageros 122 “Exitoso”

prefeito de uma capital, por exemplo, “exatos” 2 meses e 14 dias). Na maior


é mais importante que um ex-depu- parte dos casos, porém, nem o exata-
tado estadual. mente é necessário.
2 — Ex-ministro. Alguém é ex-mi- Exceção. l — “Excessão” (com dois ss)
nistro, apenas, ou ministro de um go- constitui erro grosseiro. 2 — Em por-
verno passado. Assim, o ex-ministro tuguês, não existe a locução “exceção
Mário Henrique Simonsen ou o mi- feita de”, que deverá ser substituída
nistro da Fazenda no governo Ernes- por à exceção de ou com exceção de.
to Geisel, Mário Henrique Simonsen. 3 — Ver em exceto, nesta página, a
Nunca, porém, o ex-ministro da Fa- concordância de à exceção de.
zenda do governo Ernesto Geisel,
Exceder. Prefira a regência direta: A via-
Mário Henrique Simonsen.
gem não excedia uma hora (e não a
3 — Só chame de ex-presidentes,
ex-governadores, etc., os ainda vivos. uma hora). / A receita excedeu em
Os que já morreram são o presidente muito o (e não ao) montante previs-
Castelo Branco, o presidente Jusceli- to.
no Kubitschek, o governador Ade- Exceto. l — O verbo concorda com o pri-
mar de Barros, etc. meiro sujeito: O grupo, exceto nós
4 — Ver nos verbetes aposto, pági- dois, partiu de manhã cedo. / Nin-
na 39, e cargos (como usar), página guém, exceto eles, quis fazer a maté-
57, quando o nome de um ocupante ria. / Todos, exceto vós, serão convi-
de cargo vai ou não entre vírgulas. dados. Note que houve apenas uma
Exageros. Evite as afirmações definiti- intercalação: Todos serão convida-
vas, categóricas, que tentem impor a dos, exceto vós. Seguem a mesma
todos uma verdade no mínimo passí- norma afora, fora, menos, salvo, à ex-
vel de discussões, ou ultrapassem os ceção de, etc. 2 — Para maior clare-
limites do razoável. Como nestes za, mantenha o regime do verbo: Pro-
exemplos: O mundo do espetáculo moveu todos os funcionários, exceto
no Brasil se divide, a partir de agora, o mais novo. / Falou de todos, exce-
em antes e depois de Tina Turner no to do pai. / Dançava com todos, ex-
Maracanã. / Antes de Guimarães ceto com os desajeitados. Proceda da
Rosa, o que havia no Brasil não po- mesma forma com menos (Falou de
deria ser chamado de literatura. / Foi todos, menos do pai).
necessário que o deputado Carlos de Exercício. Use sempre a locução em
Sousa se elegesse para que a Câmara exercício para designar um vice ou
readquirisse a dignidade perdida. / outra pessoa que substitua o detentor
Ninguém, a não ser Paulo Macedo, de um cargo: O presidente em exercí-
poderia tocar Beethoven de maneira cio, José de Almeida, ... / O governa-
tão sublime. / Este foi o maior presi- dor em exercício, Carlos Sampaio, ...
dente que o Brasil — e possivelmen-
Exército de Salvação. E não da Salvação.
te qualquer outro país do mundo —
já teve. / Steve Harris, como todo Existir. Concordância normal: Existem
mundo sabe, é o melhor baixista do muitas pessoas ali. / Não existiam
heavy metal. / O técnico, enfurecido, mais dúvidas a respeito. / As irregu-
manifestou sua ira contra o critério laridades denunciadas sempre ha-
de desempate do torneio. viam existido.
“Exatos”. Fuja do modismo, até porque “Exitar”. Erro grosseiro. O certo é hesi-
o período é que é exato, e não o nú- tar.
mero. Opção: Trabalhou exatamente “Exitoso”. Não existe. Use bem-sucedi-
2 meses e 14 dias no projeto (e não do ou equivalente.
Expedir 123 Explicação

Expedir. Conjuga-se como pedir (ver, Outros termos ou expressões que


página 215). justificarão explicação sempre: mio-
Expelir. Conjuga-se como aderir (ver, cárdio, cautelar, serviço da dívida,
página 32): expilo, expeles; que eu ex- libor, prime rate, drogas anabolizan-
pila; expele tu, expeli vós; etc. tes, leucócitos, teodolito, ergonomia,
Expiar. Com x no sentido de pagar, etc. Pense ainda: por mais que o lei-
remir (crime, pecado, etc.): expiar o tor de futebol ouça falar sempre em
crime, expiar a falta. Igualmente, músculo adutor, panturrilha, contra-
bode expiatório. tura muscular, tendão de Aquiles,
Expirar. 1 — Com x equivale a expelir traumatismo craniano ou mesmo a
o ar dos pulmões, morrer, terminar e prosaica distensão, saberá ele exata-
definhar, entre outros significados: mente o que cada um significa?
Inspirar e expirar. / Murmurou pala- 2 — A explicação não deve limitar-
vras incompreensíveis e expirou em se a palavras ou expressões estranhas
seguida. / O prazo expira hoje. Repa- ao leitor, mas pode fornecer-lhe, na
re: expira e não expira-se. 2 — Com maioria dos casos, informações adi-
s corresponde a estar vivo, soprar, cionais. Nas notícias sobre pessoas,
exalar e respirar (é pouco usado, no por exemplo, identifique o persona-
entanto). gem com indicações como: O empre-
Explicação. 1 — Todo termo que o lei- sário João de Almeida (Grupo Acme),
tor não conheça ou lhe possa causar a marchande Maria de Sousa (Gale-
estranheza ou dúvidas deve ser ime- ria Estrela), a socialite Regina Mar-
diatamente explicado entre parênte- tins, a modelo Francisca Barbosa, a
ses, em qualquer área do noticiário escritora Joana Carvalho (e não ape-
(medicina, economia, geral, política, nas Regina Martins, Francisca Barbo-
esportes, direito, etc.). Lembre-se de sa, Joana Carvalho), etc.
que ninguém é obrigado a conhecer 3 — A menos que se trate de casos
palavras específicas desses setores ou de absoluto domínio público, as alu-
de outros. sões ou citações, mesmo de forma ve-
Veja como proceder: O Brasil con- lada, devem transmitir ao leitor uma
seguiu a redução do spread (taxa de idéia daquilo a que a notícia se está
risco) cobrado pelos bancos estran- referindo. Apesar de toda a divulga-
geiros. / A neurofibromatose (doença ção, a maioria dos leitores sabe exata-
que aleija, desfigura e mata suas ví- mente quem constituía o grupo do
timas) é a meta prioritária... / A ci- poire? Quando você escreve que há
rurgia foi adiada por causa de uma algo de novo no ar além dos aviões
arritmia cardíaca (batimento irregu- de carreira, todos se lembrarão de que
lar do coração). / O senador previu se trata de uma frase do Barão de Ita-
um quadro de estagflação (estagna- raré? O leitor identificará de imedia-
ção com inflação) no País ainda este to uma alusão à turma de São José do
ano. / Os trabalhadores com leuco- Pericumã com as pessoas que cerca-
penia (diminuição do número dos vam José Sarney? Ou a menção de que
glóbulos brancos do sangue) não alguém será famoso durante 15 mi-
podem exercer suas funções em am- nutos no ano 2000 recordará o autor
biente poluído. / As pessoas tendem da frase, Andy Warhol? Da mesma
a herdar baixos índices de metabolis- forma as referências a práticas da cul-
mo — o processo pelo qual o corpo tura alternativa, como o zen, o I
transforma os alimentos em energia Ching, a macrobiótica, a astrologia,
— e esta é a causa do aumento inco- cairão no vazio se o leitor não estiver
mum de peso. afeito a esses assuntos.
Explodir 124 Expressões de tempo

Por isso, procure não fazer referên- mês vindouro, no ano vindouro, na
cias isoladas no texto sem comple- próxima semana, no próximo mês,
mentá-las com indicações que permi- no próximo ano (em vez de semana
tam sua melhor identificação. Você vindoura, ano próximo, etc.).
evitará que, no fim, elas se tornem 2 — Dias da semana
frases de efeito em circuito fechado. a) Use no texto, de preferência, a
Como, por exemplo, no texto abaixo: forma completa: segunda-feira, quar-
O mais obstinado dos defensores da ta-feira. Nos títulos, se necessário, re-
adoção da pena de morte no Brasil, o corra à abreviada: segunda, quarta.
deputado Y, repetiu os seus já conhe- No plural, variam os dois elementos:
cidos argumentos sobre a eficácia do segundas-feiras, terças-feiras, quar-
fator intimidação. Quantos leitores tas-feiras, quintas-feiras, sextas-fei-
do jornal saberão quais são os seus já ras.
conhecidos argumentos? b) Nas enumerações, a forma redu-
Explodir. l — Só tem as formas em que zida é melhor que a completa por evi-
ao d se segue e ou i: explode, explo- tar a repetição de feira, que deve cons-
dia, explodirá, etc. Assim, não exis- tar (podendo, porém, dispensar-se)
tem “explodo”, “expludo”, “exploda”, apenas do último termo: Na noite de
“expluda”, etc. 2 — É intransitivo no segunda para terça-feira... / As ses-
sentido de rebentar, estourar: A sões realizam-se às segundas, quar-
bomba explodiu no edifício. Evite es- tas e sextas-feiras. / O congresso irá
crever: Os terroristas explodiram o de terça a quinta-feira. / Haverá um
avião, o prédio, o carro, etc. Neste sorteio na terça e outro na quinta-
caso, use, corretamente, fizeram ex- feira.
plodir. c) Como recurso, e apenas nos tí-
“Expor que”. Expõe-se algo, mas não se tulos, poderão ser usados números,
expõe que. mantendo-se o hífen, no entanto: A
Exportar para. E não a: O Brasil expor- atriz chega 2ª-feira. / O Congresso
ta frango para o Iraque. reabre-se 5ª-feira. Mesmo em núme-
Expressões de tempo. ros, admite-se a forma reduzida: A
l — Uso da preposição atriz chega 2ª / O Congresso reabre-
a) Com os dias da semana e as pa- se na 5ª. Evite, porém, a redução 3ª-
lavras este e dia, é facultativo o uso feira ou 3ª, porque a rigor o que está
da preposição: X chega (no) domin- escrito é terceira-feira ou terceira, e
go. / A exposição abre-se (na) sexta- não terça-feira ou terça.
feira. / O acordo será firmado ainda d) Use sempre o dia da semana, e
(n) este mês. / O presidente volta ao não o do mês, se o fato estiver previs-
Brasil (no) dia 30. Na maior parte dos to para os sete dias seguintes. Assim,
casos, a omissão da preposição torna se a edição for a do dia 2, e houver
a frase mais direta, mais incisiva. uma reunião marcada para o dia 7, re-
b) Com semana, mês e ano, porém, fira-se à terça ou quinta, e não ao dia
prefira a forma com preposição, mais 7.
eufônica: X regressa na semana que e) O dia seguinte é sempre ama-
vem, no mês que vem, no ano que nhã, e nunca sábado (se a edição for a
vem (e não semana que vem, mês de sexta) ou quarta-feira (se a edição
que vem, ano que vem). / Y chegou for a de terça). A única exceção per-
na semana passada, no mês passado, mitida (e recomendada) é usar nesta
no ano passado (em vez de semana segunda-feira na edição de domingo.
passada, mês passado, ano passa- A razão: o jornal de domingo começa
do). / Z virá na semana vindoura, no a circular no sábado à tarde e a indi-
Expressões de tempo 125 Expressões de tempo

cação segunda-feira eliminará quais- não no próximo dia 30). / Pesquisa


quer dúvidas. vai até o dia 15 (e não até o dia 15
f) Não use as formas na próxima vindouro). / O torneio começou dia
quinta-feira, na sexta-feira vindoura, 16 (e não no último dia 16). / A atriz
no sábado que vem, no domingo pas- chegou dia 5 (e não dia 5 passado).
sado, na terça-feira última, na últi- f) Escreva os dias do mês em alga-
ma quarta-feira. Se você anunciar al- rismos, e não por extenso: 1º de agos-
guma coisa para quinta-feira, por to (e não primeiro de agosto), 16 de
exemplo, ficará claro que é a próxima. novembro (e nunca dezesseis de no-
E, se você escrever que algo se reali- vembro), dia 1º, etc. A única exceção
zou sábado, terá sido sempre no sába- admitida são as datas históricas, e
do passado. Por isso, escreva apenas: assim mesmo quando se quiser dar
A exposição começa quinta-feira. / O realce a elas: o Sete de Setembro, o
torneio encerrou-se domingo. Em ne- Nove de Julho.
nhuma hipótese use as variantes pró- g) Use esta forma, tanto no noticiá-
ximo futuro ou próximo passado. rio como nos títulos: 12 de agosto de
3 — Dias do mês 1987, 10 de setembro de 1947, 4 de
a) Não use o nome do mês se a data março. Apenas em casos especiais
a que você se refere estiver compreen- (tabelas, enumerações, quadros, etc.)
dida nos 30 dias seguintes. Supondo- recorra à notação abreviada: 3/9/54,
se a edição de 20 de setembro, notí- 8/11/1987. Nunca, porém, adote no
cias sobre o dia 30 de setembro ou 16 noticiário formas como: A festa co-
de outubro sairiam desta forma: O es- meça em 4/8. / O presidente dos EUA
tádio reabre-se (no) dia 30. / Feira de visitará o Brasil em 9/2/98.
informática começa (no) dia 16 (e h) Em nenhuma hipótese use o dí-
não dia 16 de outubro). gito 0 antes do número referente a dia
b) Se a data superar os 30 dias se- ou mês: Dia 5 de novembro (e nunca
guintes, torna-se obrigatório citar o dia 05 de novembro). / 8/4/95 (e
nome do mês: O estádio reabre-se em nunca 08/04/95).
30 de outubro (ou dia 30 de outu- 4 — Meses
bro). / Feira de informática começa a) Não use a palavra mês antes do
em 5 de novembro (ou dia 5 de no- nome do próprio mês: X volta ao Bra-
vembro). sil em dezembro (e não no mês de de-
c) Conserve sempre a palavra dia zembro). / A volta de X está prevista
em exemplos como os seguintes: O para dezembro (e não para o mês de
estádio reabre-se dia 30 (e não a 30). / dezembro).
Prazo para pagar IPTU vai até dia 16 b) Próximo e passado podem ser
(e não vai até 16). / Aumento amea- usados livremente para designar o
ça quem não pagar IR até dia 28 (e mês, assim como a expressão que
não até 28). vem: X volta ao Brasil no próximo
d) O dia 1º deverá ser escrito sem- mês (no mês que vem). / Y viajou
pre desta forma, em ordinal: Traba- para a Europa no mês passado.
lhadores decretam greve para o dia 1º 5 — Anos
(e não para o dia 1). / O governo fixa a) Da mesma forma, use apenas o
a data do recenseamento: 1º de feve- número designativo do ano, sem a pa-
reiro. lavra ano antes dele: X volta ao Bra-
e) O dia referido é sempre o próxi- sil em 1997 (e não no ano de 1997). /
mo, o vindouro, o passado ou o últi- A volta de X está prevista para 1997
mo. Por isso, dispense essas indica- (e não para o ano de 1997). Exceção:
ções: O estádio reabre-se dia 30 (e ano 2000, anos 30, anos 80.
Exprimido, expresso 126 Falar

b) Próximo e passado podem tam- traconjugal, extrajudicial, extratro-


bém ser livremente empregados para pical. 2 — Quando se liga a um adje-
designar o ano, assim como a expres- tivo, forma outro adjetivo, variável:
são que vem: X volta ao Brasil no pró- artigos extrafinos, seres extraterre-
ximo ano (no ano que vem). / Y via- nos. 3 — Se o elemento com que extra
jou para a Europa no ano passado. se combina é substantivo, o adjetivo
c) O número referente ao ano não resultante não varia: fatores extra-
tem ponto: 1996, 1957, 2000 (e nunca campo, passeios extraprograma.
1.996, 1.957, 2.000). Extrapolar. O verbo, a rigor, só existe no
Exprimido, expresso. Use exprimido sentido matemático. Por isso, nos de-
com ter e haver e expresso, com ser e mais casos, adote exceder, ultrapas-
estar: Tinha (havia) exprimido, foi sar, exorbitar, ir além de (e não, por
(estava) expresso. exemplo: Ele “extrapolou” da sua
“Expropriar”. Só em citações (entre competência. / A polícia “extrapo-
aspas) pode ser usado como sinônimo lou” ao proibir aquelas manifesta-
de roubar. ções... / Desta vez a figurinista “ex-
Expulsado, expulso. Use expulsado trapolou” / Os modelos “extrapola-
com ter e haver e expulso, com ser e ram” os limites do bom senso).
estar: A polícia tinha expulsado os Extrema-direita, extrema direita. Com
manifestantes. / Os manifestantes hífen, designa o jogador ou a posição
foram expulsos da sala. no futebol. Sem hífen, é a tendência
Exterior. Inicial minúscula: O prefeito política. Da mesma forma, extrema-
viaja de novo para o exterior. / O Bra- esquerda e extrema esquerda.
sil vende mais carros para o exterior. “Exultar de alegria”. Redundância. Só
Extinguir. l — Use extinguido com os se exulta de alegria.
auxiliares ter e haver: Os bombeiros
tinham (haviam) extinguido as cha-
mas. E extinto, com ser, estar ou ficar:
As chamas foram (estavam, ficaram)
extintas. 2 — Conjuga-se como dis-
tinguir (ver, página 98). 3 — Repare:
a palavra não tem trema. Faça-o entrar. E nunca “faça ele entrar”,
Extorquir. 1 — Alguma coisa é extor- “faça ele dizer”, etc.
quida e não alguém: Extorquiu di- “Face a”. Use em face de ou ante no
nheiro do amigo (e não “extorquiu o lugar de face a, locução inexistente
amigo”. 2 — Conjugação. Só tem as em português: Em face da (ou ante a)
formas em que ao qu se segue e ou i: confusão reinante no presídio, a dire-
extorque, extorquirá, etc. ção cancelou as visitas.
Extra. Admite o plural e não se liga com Faisão. Flexões: faisoa (prefira), faisã,
hífen à palavra anterior: horas extras, faisões (prefira) e faisães.
serviços extras, edições extras. Fle- Falar. l — Como sinônimo de afirmar,
xiona-se também como substantivo: declarar, enunciar, deve-se usar dizer:
os extras (figurantes) da novela. O presidente disse (e não falou) que
Extra... l — Hífen antes de vogal, h, r e o País está no rumo certo. / Não diga
s: extra-alcance, extra-escolar, extra- (e não fale) nada a ele. / Que você
oficial, extra-uterino, extra-hospita- disse (e não falou) a ele? / Eu não
lar, extra-regulamentar, extra-senso- disse isso (e não falei). / Venha logo,
rial. Exceção já consagrada pelo uso: disse o pai ao filho. / O bêbado dizia
extraordinário. Nos demais casos: ex- palavras sem nexo. / Um sorriso diz
“Falecer” 127 Fazer

muito. / Ele tinha dito (e não falado) Faltar mais infinitivo. Faltar não varia
que o incêndio fora proposital. quando está ligado a um infinitivo:
2 — Falar aparece, mais adequada- São trabalhos que ainda me falta
mente, em frases como: Fale a lingua- fazer. / Falta mandar nove volumes
gem do povo. / Ele fala várias lín- ainda. / Ali estavam os contratos que
guas. / Não fale nesses assuntos. / Ele faltava assinar.
falou em ficar. / Não fale com o mo- Famigerado. Significa famoso, célebre, e
torista. / Não me fale nisso. / Esse não bandido, celerado. Por isso, é pa-
pensamento fala à razão. / O deputa- lavra a evitar. Em alguns casos, pode
do quer falar com o governador. / Ele ser substituído por indigitado.
fala muito, mas não diz nada. / Se Familiares. Prefira parentes, mais
você falar com ela, diga-lhe que não usual.
demore. Repare que, em nenhum des- Fantasma. Use como adjetivo e sem
tes casos, falar equivale a afirmar, de- aspas quando vier depois de um subs-
clarar ou enunciar.
tantivo: empresa fantasma, funcio-
3 — Regra prática. Com que, use nários fantasmas, O Navio Fantas-
sempre dizer, e nunca falar: Ele disse ma.
que (e não falou que) o incêndio
Favorecer. Favorece-se alguém ou algu-
havia sido criminoso. / Os pais do se-
ma coisa: Gostava de favorecer os (e
qüestrador disseram que (em vez de
não “aos”) amigos. / O retrato favo-
falaram que) ninguém os afastaria
dali. receu-a. / O árbitro favoreceu o time
da casa.
“Falecer”. No noticiário, use morrer.
Fax. Não flexione: um fax, cinco fax.
Falência. Use apenas para empresas.
Para pessoas (físicas), empregue in- Faz cinco meses, faz dias bonitos. 1—
solvência. Em orações desse tipo, com idéia de
tempo ou fenômenos da natureza,
Falir. 1 — Conjugação. Só tem as for-
fazer é impessoal, isto é, não tem su-
mas em que ao l se segue o i. Pres.
jeito. O verbo, portanto, fica no sin-
ind.: Falimos, falis (não existem as
outras pessoas). Pres. subj.: Não tem. gular: Faz cinco meses que cheguei
Imper. afirm.: Fali vós (única pessoa). aqui. / Faz duas horas que ele saiu. /
Os demais tempos são regulares Fez dez anos ontem que o prefeito
(falia, faliu, falira, falira, faliria, falis- morreu. / Em setembro faz dias
se, etc.). Substitua os tempos inexis- muito bonitos. 2 — A regra mantém-
tentes por: abre falência, que venha se no caso de haver um auxiliar: Vai
a falir, etc. 2 — No sentido de quebrar fazer seis meses que o presidente as-
financeiramente, o verbo rejeita com- sumiu o governo. / Deve fazer mui-
plemento. Por isso, ninguém pode tas semanas de sol este ano. 3 — Se
“falir uma empresa”, mas fazer uma a frase tiver sujeito, obviamente este
empresa falir. concordará com o verbo, mesmo que
Faltar. Ao contrário de outros verbos esteja clara a noção de tempo: Eles fi-
que indicam tempo, faltar deve ir zeram dez anos de casados.
para o plural tanto quando indica Fazenda. Inicial maiúscula: Fazenda
tempo como nos demais significados: Santa Elisa.
Faltam duas horas para o início da Fazer. Conjugação. Pres. ind.: Faço,
sessão. / Faltam dois anos para o em- fazes, faz, fazemos, fazeis, fazem.
pregado se aposentar. / Faltam 5 mi- Pret. perf. ind.: Fiz, fizeste, fez, fize-
nutos para as 8 horas. / Faltam cores mos, fizestes, fizeram. M.-q.-perf.
ao quadro. / Faltam vagas. / Não lhe ind.: Fizera, fizeras, fizera, fizéramos,
faltaram oportunidades na vida. fizéreis, fizeram. Fut. pres.: Farei,
Fazer (derivados) 128 Feminino

farás, fará, faremos, fareis, farão. Fut. fere dez pessoas. / Temporal causa fe-
pret.: Faria, farias, faria, faríamos, fa- rimentos em dez pessoas.
ríeis, fariam. Pres. subj.: Faça, faças, “Fazer a sua estréia”. Use estrear, mais
faça, façamos, façais, façam. Imp. direto.
subj.: Fizesse, fizesses, fizesse, fizés- Fechamento. Cada editoria tem um ho-
semos, fizésseis, fizessem. Fut. subj.: rário de fechamento (deadline) — fi-
Fizer, fizeres, fizer, fizermos, fizerdes, xado pela Direção da Redação — que
fizerem. Imper. afirm.: Faze, faça, fa- deve ser rigorosamente obedecido
çamos, fazei, façam. Part.: Feito. Os para evitar que, numa reação em ca-
demais tempos são regulares. deia, o jornal termine chegando às
Fazer (derivados). Atenção para alguns bancas ou aos assinantes com atraso.
tempos: satisfará, satisfarão; satisfa- Mesmo em dias de coberturas ex-
ria, satisfariam; satisfaça, satisfaçam; traordinárias ou de fatos de última
se ele satisfizesse, satisfizessem; se hora, faça o possível para manter-se
ele satisfizer, satisfizerem. Da mesma no deadline estabelecido. Em casos
forma: afazer, desfazer, liquefazer, como esses, todos sabem — o leitor
perfazer, rarefazer, refazer (perfez, inclusive — que o jornal está ofere-
perfariam; refizeram, refarão). cendo a melhor cobertura possível, e
Fazer as vezes de. Sem crase. não a ideal. E lembre-se: você sempre
Fazer com que, fazer que. l — No senti- tem o recurso do 2º clichê para enri-
do de fingir, só se pode usar fazer que: quecer ou complementar o noticiário
Fez que não ouviu a advertência. / e consertar eventuais falhas de texto
Fez que não viu o amigo. 2 — Como ou edição.
esforçar-se ou empenhar-se por, cau- Federação. Inicial maiúscula quando
sar, obrigar a, existem as duas formas, designa o conjunto dos Estados: A
fazer com que e fazer que. Prefira, no crise estadual ameaça a unidade da
entanto, fazer que: Fez que lhe auto- Federação.
rizassem a saída. / O trabalho do ad- Feio. Ver em é preciso, página 111, a
vogado fez que o réu fosse absolvido. concordância de é feio.
/ Seu empenho faz que lhe reconhe- Feíssimo. Um i só.
çam a capacidade. Feito de. Um material é feito de e nunca
“Fazer erro”, “fazer falta”. Em bom por- “feito em”. Assim: estátuas feitas de
tuguês, fazer não substitui cometer madeira, peça feita de fibra de carbo-
ou praticar. Use, pois: cometer erros, no, etc.
praticar faltas, cometer equívocos, Felá. Feminino: felaína.
distrações, enganos, etc. Felizmente. Não use nas notícias e re-
Fazer mais infinitivo. 1 — Não flexione portagens em frases como: Felizmen-
o infinitivo: Pressão sindical faz po- te não houve mortos no acidente. /
líticos recuar (e não recuarem). / O Felizmente o Brasil começa a conter
jogo fez os pais se atrasar. 2 — Ver in- a inflação. O texto deve ser objetivo
finitivo, página 145. e felizmente expressa uma opinião.
“Fazer mortes”. Para mortes, use causar Fêmea. Ver macho, fêmea, página 166.
e provocar, nunca fazer: Avião cai e Feminino. Este manual registra, nos
causa 15 mortes (e não “faz” 15 mor- respectivos verbetes, alguns femini-
tes ou mortos). / Dia violento provo- nos irregulares e outros que possam
ca dez mortes no Rio (e não “faz” dez causar dúvidas, como ancião, anciã;
mortos). Da mesma forma não em- diácono, diaconisa; sultão, sultana,
pregue fazer para feridos: Temporal etc. Para evitar erros, nunca deixe de
“faz” dez feridos. O certo: Temporal consultá-los.
Feminino (cargos) 129 Flagrante, fragrante

Feminino (cargos). Ver cargos (como labas: filocomunista, filosofia, filo-


usar), página 57. técnico, filorretina, filossoviético.
Fenômeno. Liga-se com hífen a outro Fim, final. 1 — Fim é a palavra correta
substantivo: pianista-fenômeno, ani- para indicar o término ou a conclusão
mais-fenômeno. de alguma coisa: no fim da semana,
Féretro. É o caixão mortuário e não o fu- no fim do mês, no fim do ano, no fim
neral. Dessa forma, não diga que o fé- do século, até o fim de 1988, até o fim
retro foi muito concorrido ou que al- do trabalho, até o fim dos dias, no
guém compareceu ao féretro. Acom- fim do jogo. Repare que existem até
panha-se um féretro, um féretro sai de frases feitas formadas por fim: fim de
algum lugar para outro, etc. semana, fim de ano, fim de século,
Féria, férias. 1 — Féria designa o dinhei- fim de tarde, fim de noite, etc. 2 —
ro arrecadado em um período de Final deve ser empregada apenas em
tempo: Sua féria diária aumentava duas condições: a) Para definir a parte
muito no verão. 2 — Use férias, sem- final de alguma coisa ou uma decisão
pre no plural, para indicar os dias de de campeonato: O final da ópera é
descanso legal: Tirava férias sempre muito bonito. / A platéia chorou no
no verão. 3 — Existem as duas for- final do filme. / A final do campeo-
mas, em férias e de férias. No Estado, nato será disputada domingo. b)
prefira a primeira: O colunista X está Como adjetivo: Esta é a palavra final
em férias. sobre o caso.
Ferir. Conjugação. Pres. ind.: Firo, Fim de semana. Sem hífen.
feres, fere, ferimos, feris, ferem. Pres.
Finalmente. Tem plural quando subs-
subj.: Fira, firas, fira, firamos, firais,
tantivado: Queriam chegar aos final-
firam. Imper. afirm.: Fere, fira, fira-
mos, feri, firam. mentes.
“Ferros retorcidos”. Lugar-comum. Não Finlandês. Prefixo nos adjetivos pátrios:
use. fino (fino-russo, fino-húngaro).
FGTS. Atenção: Fundo de Garantia do Fiorde. Aportuguesamento de fjord.
(e não por) Tempo de Serviço. “Firenze”. Escreva Florença.
Fiado. Pode ser advérbio ou adjetivo. Fisco. Inicial maiúscula: Deve muito
Como advérbio, a palavra permanece dinheiro ao Fisco.
invariável: Comprei a casa fiado. / “Fisicultor”. O Estado só usa preparador
Vendeu os carros fiado. Como adjeti- físico.
vo, faz a concordância normal: Os ar- Fisio... Liga-se sem hífen à palavra ou
tigos foram fiados pelo vendedor. / elemento de composição seguinte: fi-
Isto é conversa fiada. sioeconômico, fisiogenia, fisiotera-
Fiel. Superlativo: fidelíssimo. pia.
Figadal. E nunca “fidagal” (vem de fíga- Flagra, flagrar. Formas populares, acei-
do). táveis apenas na linguagem coloquial
Figurão. Flexões: figurona e figurões. ou em declarações.
Filadélfia. Em Filadélfia e não na Fila- Flagrante, fragrante. 1 — Flagrante sig-
délfia. nifica tanto evidente, patente, como
Filantropo. E não “filântropo”. o ato de ser surpreendido em alguma
Filipe. E não Felipe, a menos que a pes- situação: Flagrante delito, injustiça
soa se assine dessa forma. flagrante. / Flagrante de adultério,
Filo... Liga-se sem hífen à palavra ou apanhado em flagrante. 2 — Fra-
elemento de composição seguinte, grante é perfumado: Ar fragrante, flo-
duplicando-se o r e o s que iniciem sí- res fragrantes. 3 — Substantivos cor-
Flash 130 Forçar

respondentes: flagrância (desusado) e etc. — deverão ser compostos anteci-


fragrância. padamente para que se evite sobrecar-
Flash. Plural: flashes. ga das edições, especialmente da de
Flecha. Com ch. Flexa, só em alguns domingo, já por si maior que as nor-
nomes próprios. mais.
Fleuma, fleumático. Desta forma. Fobia. Significa medo exagerado: Fobia
Fluido, fluir, fruir. a) Fluido (úi). Pode das multidões, fobia de avião. Não
ser substantivo: A água e os gases são tem o sentido de mania, obsessão,
fluidos. / Fluido material, fluido neurose, que lhe está sendo atribuído
ideal, fluido vital, fluido para freios. cada vez mais, como nesta frase real:
Ou adjetivo, com o sentido de pouco Por que essa fobia de querer home-
espesso, corrente, límpido, frouxo: nagear o compositor? Da mesma
óleo fluido, estilo fluido, idéias flui- forma, fobia por modismos caracteri-
das. b) Fluído. Particípio de fluir: O za aversão e não atração por modis-
tempo havia fluído rapidamente. c) mos.
Fluir. Equivale a proceder, correr, Folgazão. Flexões: folgazã (prefira), fol-
manar: A água fluía da fonte. / O gazona e folgazões.
trânsito flui facilmente nos feria-
Folião. Flexões: foliona e foliões.
dos. / Todas as coisas fluem de Deus.
d) Fruir. Significa aproveitar, desfru- Fondue. Palavra feminina: a fondue.
tar, possuir: Fruía todos os favores Fone. Indica um número: Fone 2204-
possíveis. / Ainda bem que fruíam 2000. Nunca use, porém: Denúncia
dos bens que adquiriam. e) Fruído. leva a “fone” (mas telefone) de se-
Particípio de fruir: Tinha fruído todas qüestrador.
as vantagens do cargo. Fora. 1 — Pode ser advérbio e como tal
Fluminense. Ver carioca, página 58. fica invariável: Estavam todos fora
Fluxo regular. 1 — Nunca retenha ma- da lista. / Gostava de dormir fora de
térias com você desnecessariamente. casa. 2 — Como substantivo, admite
Depois que a página estiver diagrama- o plural: Levou dois foras sucessi-
da, os textos deverão ser titulados e vos. / Deu muitos foras na festa. 3 —
enviados um a um para composição, Emprega-se também como sinônimo
e não todos de uma vez, apenas quan- de afora: Fora os amigos, ninguém
do o último deles for considerado li- mais lhe dava atenção. 4 — Concor-
berado. Lembre-se: o acúmulo de ori- dância: ver exceto, página 122.
ginais nas horas de pico atrasa consi- Fora-da, fora de. São invariáveis (como
deravelmente o fechamento do jor- palavras compostas ou locuções): os
nal. fora-da-lei, indivíduos fora-da-lei; os
2 — Textos muito extensos — fora de série, carros fora de série; es-
como íntegras, entrevistas, listas de tavam fora de si, estávamos fora de
aprovados no vestibular, relatórios e
nós.
outros — deverão ser preparados o
mais cedo possível, mesmo que a pá- Fora de si. Só pode ser usado na tercei-
gina ainda não esteja diagramada. ra pessoa (do singular ou plural): Ele
Essa providência facilita o trabalho de ficou fora de si. / Eles ficaram fora de
fechamento e permite o ganho de mi- si. Nos demais casos, é obrigatória a
nutos muito importantes na prepara- concordância: Fiquei fora de mim. /
ção da edição do dia. Ficaste fora de ti. / Ficamos fora de
3 — Da mesma forma, textos espe- nós.
ciais — como páginas brancas (sem Forçar. Antes de infinitivo, exige a: O
anúncios), reportagens de domingo, frio força a ficar em casa.
Foreign Office 131 Frente

Foreign Office. É o Ministério das Rela- e o è, som aberto. Assim, élève pro-
ções Exteriores da Inglaterra. nuncia-se êléve, Molière (Moliére),
Forma. 1 — Ver em de maneira que, pá- frère (frére), école (êcóle), passé
gina 89, como usar a locução de for- (passê), Eugène (Eugéne).
ma que. 2 — Ver em assim como, pá- Franco... 1 — Exige hífen quando se liga
gina 47, a concordância da locução da a outro elemento para formar um ad-
mesma forma que. jetivo pátrio: franco-americano, fran-
Forma pela qual. Prefira forma pela co-brasileiro, franco-italiano. Nos
qual (forma pela qual foi contratado, demais compostos, não existe hífen:
p. ex.) a forma como. francófilo, francofobia, francomania.
Formar-se em. a) Uma pessoa se forma 2 — Nas formas franco-atirador, fran-
ou é formada em uma disciplina: for- co-bordo, franco-maçom e franco-
mado em Direito, formado em Medi- maçonaria, franco tem o sentido de
cina. b) Nunca, porém, escreva que livre e une-se com hífen à palavra se-
alguém se formou “em médico” ou é guinte.
formado “em advogado”. O que se Franco-atirador. Plural: franco-atirado-
pode dizer é: Formou-se médico. / res.
Formou-se engenheiro. Frankenstein. E não “Frankstein”.
Formas de tratamento. Ver tratamento Franquear. É o verbo para franquia e
(formas), página 291. franchising: O parque franqueou a
Formicida. Masculino: o formicida. entrada. / A empresa aumentou sua
Foro, fórum, fóruns. Use foro no senti- rede de franqueados. / O grupo fran-
do de jurisdição, juízo (foro íntimo), queou novos interessados.
privilégio, etc. E fórum especifica- Fratricida. Desta forma (tri).
mente para designar o tribunal: o Frei. 1 — A palavra só pode ser usada
fórum municipal. Plural, também como forma de tratamento, antes do
aportuguesado: fóruns. nome do religioso: Conheci frei An-
Forte. Evite o jargão de preparador físi- tônio ontem. / Frei Bento chegou
co: ninguém “treina forte”, “trabalha atrasado à cerimônia (sem artigo).
forte” ou faz um “trabalho forte”. 2 — Como frei não pode substituir
Fortuito. Sem acento: pronuncia-se for- frade, escreva corretamente: A Justi-
túito. ça condenou os frades (e não “os
Foto... 1 — Liga-se sem hífen ao termo freis”) dominicanos. / O frade (e não
seguinte: fotoelétrico, fotocomposi- “o frei”) dirigia a igreja. / Um dos fra-
ção, fotomontagem, fotorreporta- des era frei Angélico. 3 — Feminino:
gem, fotossensível. Atenção para o sóror.
hífen em foto-legenda. 2 — Se o se- Frenético. Virou modismo. Evite.
gundo elemento começar por vogal, Frente. 1 — São corretas as locuções em
não faça a fusão: assim, fotoelétrico e frente de, na frente de e em frente a.
não fotelétrico, fotoirradiação e não Use as duas primeiras, por uma ques-
fotirradiação, etc. tão de uniformidade: O casal conver-
Frade. Feminino: freira. sava em frente da escola. / Não fu-
Fragrante. Ver flagrante, página 129. mava na frente do pai. 2 — “Frente
Francês. Algumas regras práticas: 1 — a”, inexistente em português, pode
O é indica a terminação do masculi- ser substituída por em frente de, dian-
no e o ée, a do feminino: né (nascido), te de, ante, perante, defronte de: O de-
née (nascida); Aimé (homem), Aimée putado apresentou-se bem diante do
(mulher); privé (privado), privée (pri- (ante o, perante o) adversário. / Esta-
vada). 2 — O é designa som fechado va parado defronte da estátua. / O
Frio 132 Futuro do subjuntivo

túnel terminava em frente do obelis- Fusos horários do Brasil. O Brasil tem


co. São válidas, no entanto, as formas quatro fusos horários em relação à
fazer frente a e frente a frente. 3 — O hora de Brasília: uma hora a mais —
correto é para a frente, e não “para Fernando de Noronha; mesma hora
frente”. 4 — Não há crase em frente a — Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Es-
frente. pírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas
Frio. Superlativos: friíssimo, frigidíssi- Gerais, Pará (parte do Estado: Belém,
mo. Marabá, Carajás, Tucuruí, Bragança e
Cametá), Paraíba, Paraná, Pernambu-
Fronteira. Entre países — fronteira;
co, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande
entre Estados — divisa; entre municí-
do Norte, Rio Grande do Sul, Santa
pios — limite.
Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocan-
Frustrar(-se). Sempre com tr. tins; uma hora a menos — Amazonas
Fugir. Conjuga-se como acudir (ver, pá- (parte do Estado: Manaus, Manacapu-
gina 31): fujo, foges; fugia; fugi; fugi- ru, Parintins, Humaitá, Maués, Ita-
ra; fugirei, fugiria; que eu fuja; se eu coatiara, Coari e Urucum), Mato
fugisse; foge tu, fugi vós; fugindo, fu- Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará
gido; etc. (parte do Estado: Santarém, Óbidos,
Função. 1 — A locução em função de só Itaituba e Oriximiná), Rondônia e Ro-
pode ser usada quando equivale a fi- raima; duas horas a menos — Acre e
nalidade, dependência: O time joga- Amazonas (parte do Estado: Boca do
va em função do adversário. / O po- Acre e Carauari). Assim, 20 horas de
lítico agia em função dos seus obje- Brasília equivalem a 21 horas de Fer-
tivos. / O homem vivia em função da nando de Noronha, 20 horas de São
família. 2 — Ela não corresponde, Paulo, 19 horas de Mato Grosso e 18
porém, a em virtude de, por causa de, horas do Acre.
em conseqüência de ou por, casos em Futebol. Segue-se uma série de palavras
que deve ser substituída por uma des- e expressões do futebol que podem
sas formas: A entrega do navio foi an- causar dúvidas quanto à grafia (se têm
tecipada pela (e não “em função da”) ou não hífen, por exemplo): cabeça-
rapidez do trabalho do estaleiro. / A de-área, cabeça-de-bagre, cabeça-de-
Justiça tomou a iniciativa em conse- chave, centroavante, centromédio,
qüência do (e não “em função do”) dois toques (um treino de), dois-to-
grande número de processos à espera ques (um), extrema-direita, extrema-
esquerda, lateral-direita, lateral-di-
de julgamento. / Na década passada
reito, lateral-esquerda, lateral-es-
as montadoras pararam por causa
querdo, médio de apoio, médio-vo-
das (e não “em função das”) greves. /
lante, meia-armador, meia-direita,
Recebeu a promoção graças às (e não
meia-esquerda, meio-de-campo (e
“em função das”) suas qualidades. não “meio-campo”), oitava-de-final,
Funeral. Prefira esta forma a funerais. ponta-de-lança, ponta-direita, ponta-
Furto, roubo. 1 — Furto e furtar relacio- esquerda, ponteiro-direito, ponteiro-
nam-se com o ato de alguém se apo- esquerdo, quarta-de-final, quarta-
derar de um bem alheio às escondi- zaga, quarto-zagueiro, semifinal, se-
das: furto de carros, livros furtados mifinalista, zaga-central, zagueiro-
da estante. 2 — Roubo e roubar pres- central.
supõem violência ou ameaça: Os as- Futuro do subjuntivo. Atenção para al-
saltantes roubaram o carro e feriram gumas formas que podem causar dú-
o motorista. / O roubo ao banco ocor- vidas. Derivados de pôr: se ele supu-
reu na hora de maior movimento. ser, dispuser, repuser, compuser, im-
Futuro e futuro... 133 Gente

puser. Derivados de ver: se ele revir, ganhar de: Ganhou o jogo por 2 a 0
previr, antevir, entrevir (prover é re- ou de 2 a 0.
gular: se ele prover). Derivados de vir: Ganho. Use ganho tanto com ser e estar
se ele provier, intervier, convier, so- quanto com ter e haver: O jogo foi
brevier, advier. Derivados de ter: se ganho no primeiro tempo. / O time
ele mantiver, detiver, contiver, reti- havia ganho a oitava partida segui-
ver, sustiver, entretiver, obtiver. De- da. Ganhado, embora correto, já é de
rivados de dizer: se ele desdisser, con- uso raro, mesmo com ter e haver.
disser, predisser, entredisser. Deriva- Garçom. Desta forma. Feminino: garço-
dos de fazer: se ele refizer, perfizer, nete.
desfizer, afizer. Garoto-propaganda. Plural: garotos-pro-
Futuro e futuro do pretérito com prono- paganda.
me. Depois do futuro e do futuro do Gastado, gasto. Prefira gastado com ter
pretérito (antigo condicional), não se e haver e gasto, com ser e estar: Tinha
pode usar o pronome oblíquo. São, (havia) gastado, foi (estava) gasto. Já
por tanto, er radas for mas como se admite, porém, o uso de gasto com
“darei-lhe”, “farão-nos”, “procurará- ter e haver: Tinha gasto.
se”, “criaria-se”, “pediriam-te”, etc. O Gastro... Liga-se sem hífen ao termo se-
correto, nesses casos, é intercalar o guinte: gastrobronquite, gastronefrí-
pronome: dar-lhe-ei, far-nos-ão, pro- tico, gastrozoário. Quando o segundo
curar-se-á, criar-se-ia, pedir-te-iam. elemento começa por vogal, mante-
Ou, de preferência, colocá-lo antes do nha o o: gastroenterite, gastrointesti-
verbo: Eu lhe darei, eles nos farão, nal.
algo se criaria, etc.
Gay. Faça o plural nor malmente:
homem gay, filmes gays, os gays.
Gêiser. Plural: gêiseres
Gêmeos. 1 — A palavra pode designar
tanto as crianças nascidas no mesmo
parto como cada uma delas: A profes-
sora teve gêmeos. / Só um gêmeo so-
Gandhi. E não Ghandi. breviveu. Quando não houver especi-
Gângster, gangsterismo. Aportuguesa- ficação, subentendem-se duas crian-
dos. Plural de gângster: gângsteres. ças. 2 — Nos demais casos: três — tri-
Gangue. Desta forma. Quando possível, gêmeos; quatro — quadrigêmeos ou
use quadrilha. quádruplos; cinco — quíntuplos; seis
Ganhar. O verbo tem sentido positivo. — sêxtuplos; sete — sétuplos; oito —
Por isso, um time não pode “ganhar” óctuplos, nove — nônuplos; dez —
mais baixas. Da mesma forma, nin- décuplos.
guém “ganha” uma cicatriz no rosto, Geminadas. Casas geminadas (e nunca
um processo, uma punição, uma re- “germinadas”).
preensão, uma advertência, uma Gene. E não “gen”.
multa ou uma descompostura. Pode, Genial, gênio. Pense bem e seja come-
isso sim, receber uma punição, uma dido: quantas pessoas realmente me-
repreensão, etc. recem essas qualificações?
“Ganhar grátis”. Redundância. Equiva- Genitor(a). Use pai ou mãe. Genitor e
lente correto: levar ou receber de genitora, só em casos muito espe-
graça. ciais.
Ganhar por ou de. Para expressar um re- Gente. 1 — Como forma de tratamento
sultado numérico, use ganhar por ou (a gente), use o termo apenas na lin-
Gentílicos 134 Gourmand, gourmet

guagem coloquial. 2 — Concordân- Germe. Prefira esta forma, sem n no


cia. Verbo na terceira pessoa: Ele final.
disse que a gente estava proibido “Gestar”. Use gerar: Doméstica quer
(para homens) de entrar ali. / Ele gerar (e não “gestar”) criança para
disse que a gente estava proibida casal.
(para mulheres) de entrar ali. 3 — A “Gestões”, “gestionar”. 1 — Use gestão
gente = nós. Nunca escreva a gente ou gestões apenas como sinônimo de
“fizemos”, a gente “fomos”. administração: a gestão passada, as
Gentílicos. Ver naturais de ..., página diversas gestões da empresa. 2 —
184. Gestões não tem o sentido de nego-
Geo... Liga-se sem hífen ao termo se- ciações, entendimentos ou conversa-
guinte, dobrando-se o r e o s que ini- ções (empregue estes termos) e “ges-
ciem sílaba: geoeconomia, geobotâ- tionar” (também vetado) nem sequer
nica, georrinco, geossinclinal. consta dos dicionários.
George, Georges. George — em inglês Gigante. Flexiona-se normalmente e
(George Washington); Georges — em qualifica um substantivo sem hífen:
francês (Georges Simenon). preguiça gigante, ondas gigantes.
Geral. Na designação de cargos, órgãos Gíria e linguagem coloquial. Evite as
e instituições, liga-se com hífen ao palavras de gíria. Quando fizerem
substantivo: consultor-geral, gover- parte de uma declaração, use-as em
nador-geral, procurador-geral, Pro- itálico. Se forem muito específicas
curadoria-Geral, Diretoria-Geral, (jargão policial, por exemplo), colo-
Assembléia-Geral, etc. que em seguida, entre parênteses, o
Gerar. a) Use gerar livremente como si- seu significado: “Peguei um bagulho
nônimo de procriar ou produzir ener- (objeto qualquer), fumei um baseado
gia: A moça gerou uma criança pre- (cigarro de maconha) e depois man-
destinada. / A usina vai gerar mais dei (roubei) o carro.” A linguagem co-
energia. b) Nos demais casos, no en- loquial e os termos de gíria de uso
tanto, substitua gerar por causar, pro- comum dispensam as aspas, mas
vocar, criar, produzir e até render: devem ser empregados apenas em
Tese sobre pobreza gera (cria, causa, casos especiais, nos textos mais leves,
provoca) polêmica. / Lançamento de opinativos ou irônicos que realmente
bônus deve gerar (render, produzir) 2 os justifiquem.
milhões de dólares. / O príncipe diz Glutão. Flexões: glutona e glutões.
que salvar a Amazônia gera (cria, Goleada. Só considere goleada a vitória
produz) renda e empregos. c) Para de um time que tenha marcado pelo
efeito de títulos, lembre-se de que menos quatro gols em outro.
causar tem apenas um sinal a mais “Goleirão”. Jargão esportivo. Não use.
que gerar e criar tem até meio sinal a Golfo. Inicial maiúscula: Golfo Pérsico.
menos. Gostar. Prefira a regência indireta, gos-
Gerir. Conjuga-se como aderir (ver, pá- tar de: Todos gostam de atenção. / As
gina 32): giro, geres; geria; geri; gerira; pessoas de quem gostamos. / Esta é a
gerirei; geriria; que eu gira; se eu ge- atividade de que ele mais gosta. /
risse; gere tu, geri vós; etc. Trouxe tudo de que gostava (e não:
Germano... Hífen na formação de adje- Trouxe tudo o que gostava).
tivos pátrios ou de sentido religioso: Gourmand, gourmet. Gourmand é o
germano-catolicismo, germano-lati- que come muito, que é guloso; gour-
no. Nas demais palavras: germanofi- met indica o apreciador e conhecedor
lia, germanologia. de pratos finos.
Governadores de São Paulo 135 Grã, grão

Governadores de São Paulo. Junta Go- gover nador, de 11/4/1935 a


vernativa (Prudente de Morais, Ran- 29/12/1936); Henrique Bayma, de
gel Pestana e coronel Joaquim de 29/12/1936 a 5/1/1937; Cardoso de
Sousa Mursa), de 16/11/1889 a Melo Neto, de 5/1/1937 a 25/4/1938;
14/12/1889); Prudente de Morais, de general Francisco José da Silva Jú-
14/12/1889 a 18/10/1890; Jorge Tibi- nior, de 25/4/1938 a 27/4/1938; Ade-
riçá, de 18/10/1890 a 7/8/1891; Amé- mar de Bar ros, de 27/4/1938 a
rico Brasiliense, de 8/3/1891 a 4/6/1941; Fernando Costa, de
15/12/1891; Cerqueira César, de 4/6/1941 a 27/10/1945; Sebastião
15/12/1891 a 23/8/1892; Bernardino Nogueira de Lima, de 27/10/1945 a
de Campos, de 23/8/1892 a 3/11/1945; Macedo Soares, de
15/4/1896; Peixoto Gomide, de 3/11/1945 a 14/3/1947; Ademar de
15/4/1896 a 1/5/1896; Campos Sales, Barros, de 14/3/1947 a 31/1/1951;
de 1/5/1896 a 31/10/1897; Peixoto Lucas Nogueira Garcez, de 31/1/1951
Gomide, de 31/10/1897 a 10/11/1898; a 31/3/1955; Jânio Quadros, de
Fernando Prestes de Albuquerque, 31/3/1955 a 31/3/1959; Carvalho
de 10/11/1898 a 1/5/1900; Rodrigues Pinto, de 31/3/1959 a 31/3/1963;
Alves, de 1/5/1900 a 13/2/1902; Do- Ademar de Barros, de 31/3/1963 a
mingos de Morais, de 13/2/1902 a 6/6/1966; Laudo Natel, de 6/6/1966 a
3/7/1902; Bernardino de Campos, de 31/1/1967; Abreu Sodré, de
3/7/1902 a 1/5/1904; Jorge Tibiriçá, 31/1/1967 a 15/3/1971; Laudo Natel,
de 1/5/1904 a 1/5/1908; Albuquerque de 15/3/1971 a 15/3/1975; Paulo Egy-
Lins, de 1/5/1908 a 1/5/1912; Rodri- dio, de 15/3/1975 a 15/3/1979; Paulo
gues Alves, de 1/5/1912 a 1/5/1916; Maluf, de 15/3/1979 a 14/5/1982; José
Altino Arantes, de 1/5/1916 a Maria Marin, de 14/5/1982 a
1/5/1920; Washington Luís, de 15/3/1983; Franco Montoro, de
1/5/1920 a 1/5/1924; Carlos de Cam- 15/3/1983 a 15/3/1987; Orestes
pos, de 1/5/1924 a 27/4/1927; Dino Quércia, 15/3/1987 a 15/3/1991; Luiz
Bueno, de 27/4/1927 a 14/7/1927; Antonio Fleury Filho, 15/3/1991 a
Júlio Prestes, de 14/7/1927 a 15/3/1995; Mário Covas, 15/3/1995.
19/2/1930; Heitor Penteado, de
Governo. Inicial minúscula: o governo
19/2/1930 a 24/10/1930; general
brasileiro, o governo de São Paulo.
Hastínfilo de Moura, de 24/10/1930
a 29/10/1930; José Maria Whitaker, Gozar. No sentido de ter, ser dono de, o
de 30/10/1930 a 6/11/1930; Plínio verbo exige de: Goza de grande pres-
Barreto, de 6/11/1930 a 25/11/1930; tígio, de boa fama (e não “goza gran-
coronel João Alberto, de 25/11/1930 de prestígio”, etc.).
a 25/7/1931; Laudo Camargo, de Gozo, gozoso. Sempre com z.
25/7/1931 a 13/11/1931; general Ma- Grã, grão. Formas reduzidas de grande.
nuel Rabelo, de 13/11/1931 a Use grã para combinar com o femini-
7/3/1932; Pedro de Toledo (interven- no e grão, com o masculino: Grã-Bre-
tor, de 7/3/1932 a 10/7/1932, e gover- tanha, grã-cruz, grã-duquesa, grão-
nador aclamado, de 10/7/1932 a duque, grão-mestre, grão-ducado,
2/10/1932); coronel Herculano de grão-rabino, grão-turco, grão-vizir.
Carvalho, de 2/10/1932 a 6/10/1932; Grã-cruz tem o gênero masculino
general Valdomiro Lima, de quando designa o detentor da grã-
6/10/1932 a 27/7/1933; general Dal- cruz: um grã-cruz. No plural, nem
tro Filho, de 27/7/1933 a 21/8/1933; grã nem grão variam: as grã-cruzes,
Armando de Sales Oliveira (inter- as grã-duquesas, os grão-duques, os
ventor, de 21/8/1933 a 11/4/1935, e grão-vizires.
Grã-Bretanha 136 Guarda...

Grã-Bretanha. Compreende a Inglater- “é grátis”, mas gratuito. 3 — Gratui-


ra, a Escócia e o País de Gales. O to não tem acento: pronuncia-se gra-
Reino Unido inclui os três e a Irlanda túi-to.
do Norte. Com a República da Irlan- Grave. É o estado do doente ou do feri-
da, essas regiões formam as Ilhas Bri- do e não ele próprio. Por isso, não
tânicas. existem “doentes graves” ou “feridos
“Graciosamente”. Use de graça ou gra- graves”.
tuitamente. Greco... Liga-se com hífen ao elemento
Grã-fino. Flexões: grã-fina, grã-finos e seguinte na formação de adjetivos pá-
grã-finas. Derivados: grã-finismo e trios: greco-latino, greco-romano,
grã-finagem. greco-italiano. Nos demais compos-
Grama (gênero). Palavra masculina tos, não existe hífen: grecofonia, gre-
quando significa peso: um grama, tre- colatria.
zentos gramas, oitocentos gramas. Greve. É empregado quem faz. A de pa-
Como equivalente a relva é que tem trões chama-se locaute.
o gênero feminino: A grama do jar-
Grosso modo. E não “a grosso modo”.
dim. / Não pise na grama.
Grupo. Inicial maiúscula e mesmo
Grama (uso). Ver medidas, página 397.
corpo do texto: Grupo Estado, Grupo
Grande. Comparativo: maior. Superla- Votorantim.
tivo: máximo e grandíssimo. Gran-
dessíssimo é malformado e tem uso Grupo de... 1 — O verbo concorda com
pejorativo. grupo: Um grupo de retirantes vinha
(e não “vinham”) pela estrada. 2 — O
Grande mais nome de cidade. Por estar
segundo elemento vai sempre para o
clara a idéia de cidade, a concordân-
plural: grupo de empresas, grupo de
cia faz-se no feminino: a Grande São
Paulo, a Grande Porto Alegre, a pessoas, etc.
Grande Paris, a Grande Nova York. Guaraná. Masculino: o guaraná.
São exceções os casos em que o nome Guarda. Para pessoa, admite os dois gê-
da cidade seja precedido do artigo o: o neros: o guarda da escola, a guarda
Grande Rio, o Grande Cairo, o Gran- do vestiário. O serviço ou instituição
de Porto, etc. tem apenas a forma feminina: a Guar-
Grande número ou quantidade de. Con- da Civil, a guarda do Palácio, a troca
cordância. Ver maioria, página 167. da guarda.
Grandessíssimo. E não “grandissíssi- Guarda... 1 — Como tempo verbal ou
mo”. É forma aceitável somente na substantivo, entra na formação de pa-
linguagem coloquial ou em declara- lavras compostas. O segundo elemen-
ções. to fica no singular nestes compostos:
Grão. 1 — Ver grã, página 135. 2 — Plu- guarda-chuva, guarda-civil, guarda-
ral: grãos. comida, guarda-florestal, guarda-
Grátis, gratuito. 1 — Gratuito é adjeti- louça, guarda-marinha, guarda-
vo e deve ser usado com o verbo ser meta, guarda-noturno, guarda-pó,
ou substantivos: A entrada é gratui- guarda-roupa, guarda-sexo, guarda-
ta. / Ingressos gratuitos, ensino gra- sol e guarda-volante. Todos admitem
tuito, acusações gratuitas. 2 — Grá- o plural. Quando o primeiro elemen-
tis é advérbio e pode ser substituído to é verbo (guarda como tempo de
por gratuitamente: Recebeu grátis guardar), só o segundo varia: os guar-
(gratuitamente) o ingresso. / Conse- da-comidas, os guarda-metas, os
gui o livro grátis (gratuitamente). Por guarda-pós. Quando o primeiro ele-
isso, não diga que o estacionamento mento é substantivo (guarda como
Guardião 137 “Hábitat natural”

policial), os dois variam: os guardas- ou no mais-que-perfeito, deve-se usar


civis, os guardas-florestais, os guar- havia, e não há: Ele estava ali havia
das-volantes. 2 — O segundo elemen- (e não há) muito tempo. / Ele estive-
to já está no plural nestes outros com- ra ali havia (e não há) muito tempo.
postos: o guarda-costas, os guarda- Regra prática. Substitua haver por
costas; guarda-fios, guarda-freios, fazer, que ficará clara a forma a usar:
guarda-jóias, guarda-livros, guarda- Ele estava ali fazia muito tempo (e
móveis, guarda-pratas, guarda-vesti- não faz muito tempo). / Ele estivera
dos, guarda-vidas e guarda-volumes. ali fazia (e não faz) muito tempo. Re-
3 — Atenção para os casos em que o pare que a ação se encerrou; o há in-
hífen não existe: guarda avançada, dicaria que ela prossegue.
guarda de honra e guarda nacional. Outros casos em que se deve usar
Guardião. Flexões: guardiã, guardiães havia (sempre equivalente a fazia) e
(prefira) e guardiões. não há: Havia meses os dois assalta-
Guarujá. Siga a forma corrente: o Gua- vam motoristas. / Ele doara sangue
rujá, no Guarujá. ao filho havia poucos meses. / Havia
Guerra. Inicial maiúscula para designar quase um ano que não o encontra-
conflitos: Guerra do Paraguai, Guer- va. / Estava sem dormir havia três
ra do Vietnã, 2ª Guerra Mundial. Ini- dias. / A agência parecia abandona-
cial minúscula, porém, em guerra fria da havia anos. / Havia oito jogos que
(não é o nome de um conflito). o time não vencia. / A frase não lhe
Guinness. Desta forma. saía da cabeça havia várias sema-
nas. / Tinha chegado havia pouco ao
Guisa. Com s: à guisa de.
Rio. / Havia anos que a casa não era
Guisado, guisar. Com s. pintada. / Sua paixão fazia-o sofrer
Guizo. Com z. havia dez anos. / Havia muito tempo
estava tentando reparar a falha.
2 — Admite-se há com imperfeito
ou mais-que-perfeito em dois casos:
a) Se o tempo for considerado a partir
do momento em que se vive: Tivera
uma discussão com X há (faz) 15 dias
Há, a. 1 — Há indica passado e pode ser (o tempo é contado a partir do mo-
substituído por faz: Eles saíram há mento atual). / Você já sabia há (faz)
muito tempo. / As eleições ocorre- muito tempo que ele não foi para o
ram há dois meses. / Há muitos anos exílio. b) Se o imperfeito estiver no
que eles foram contratados. / Os ho- lugar do perfeito: Há cem anos nas-
mens chegaram há pouco. 2 — A ex- cia Villa-Lobos. / Há mais de 50 anos
prime distância ou tempo futuro: As chegava o primeiro imigrante.
eleições ocorrerão daqui a dois Há ... atrás. O uso do há rejeita o atrás
meses. / De hoje a três dias correrá o quando se refere a tempo: Há seis
prazo. / O avião estava a cinco mi- anos atrás fui contratado pela empre-
nutos de São Paulo. / Estamos a dois sa, portanto, é redundante. O correto:
meses da inauguração da nova sede Há seis anos fui contratado pela em-
da empresa. / O atirador estava a presa. / Seis anos atrás fui contrata-
dois metros de distância. Repare que do pela empresa.
em nenhum dos casos o a pode dar Habeas-corpus. Com hífen. Admite-se
lugar a faz. habeas para títulos.
Há, havia. 1 — Quando o verbo que “Hábitat natural”. Redundância. Todo
acompanha haver está no imperfeito hábitat é natural.
“Habitué” 138 Hetero...

“Habitué”. Prefira freqüentador. mos, houvéreis, houveram. Fut.


Há cerca de. Ver acerca de, página 29. pres.: Haverei, haverás, haverá, have-
Há de. Sem hífen, assim como hás de, remos, havereis, haverão. Fut. pret.:
hei de, hão de, etc.: Hei de vencer. / Haveria, haverias, haveria, havería-
Resistir quem há de. mos, haveríeis, haveriam. Pres. subj.:
Haja recursos. Nesse tipo de frase, de Haja, hajas, haja, hajamos, hajais,
caráter exclamativo, o verbo haver é hajam. Imp. subj.: Houvesse, houves-
impessoal e, portanto, não varia: Haja ses, houvesse, houvéssemos, houvés-
recursos para esse novo trem da ale- seis, houvessem. Fut. subj.: Houver,
houveres, houver, houvermos, hou-
gria. / Haja homens para manter
verdes, houverem. Imper. afirm.: Há
uma guerra tão sem sentido.
tu, haja você, hajamos nós, havei vós,
Haja vista. E nunca “haja visto”. A lo- hajam vocês. Imper. neg.: Não hajas
cução também não varia no plural. tu, não haja você, não hajamos nós,
Veja dois exemplos de Rui Barbosa: não hajais vós, não hajam vocês.
“Haja vista o decreto de 13 de outu- Infin.: Haver. Flexionado: Haver, ha-
bro.” / “Haja vista as minhas Cartas veres, haver, havermos, haverdes, ha-
de Inglaterra...” verem. Ger.: Havendo. Part.: Havido.
Haltere, halteres. Desta forma. Havia muitas pessoas. 1 — Haver, co-
Hambúrguer. Desta forma. Plural: ham- mo sinônimo de existir, suceder, fa-
búrgueres. zer, é impessoal e, portanto, não tem
Há menos de, a menos de. Na locução sujeito. O verbo fica na terceira pes-
há menos de, o há encerra idéia de soa do singular: Não há vagas. / Ha-
passado e pode ser substituído por faz: via (e não haviam) muitas pessoas
Partiu para a França há (faz) menos ali. / Nunca houve tantos acidentes
de dois meses. / O país conquistou a de trânsito como agora. / Haveria
independência há (faz) menos de muitas opções além dessa? / Haverá
cinco anos. Em a menos de, o a indi- anos mais felizes que estes? / Se hou-
ca distância, quantidade ou tempo fu- vesse mais policiais na rua, a cidade
turo e não pode ser substituído por teria maior segurança. 2 — A regra
faz: Estava a menos de três metros do mantém-se no caso de haver formar
abismo. / Falou a menos de 50 pes- locução com um verbo auxiliar: Deve
soas. / Estava a menos de dois anos haver muitas pessoas ali. / Pode
da aposentadoria. haver compradores interessados no
Há tempo, a tempo. Em há tempo, o há carro. / Estava havendo fraudes na
pode ser substituído por faz ou exis- Previdência. / Costumava haver
te: Ele chegou há (faz) tempo. / Há muitos acidentes naquela esquina.
(existe) tempo de sair e tempo de 3 — Quando haver pode ser substituí-
ficar. Na locução a tempo, o a é pre- do por ter, a concordância é a normal:
posição e pode ser substituído por Ainda não haviam sido feitas as cor-
outra preposição (e nunca por faz): reções. / Eles haveriam de sair da
Chegou a (com) tempo de assistir ao sala. / Hão de cumprir o prazo, custe
jogo. o que custar.
Haver. Conjugação. Pres. ind.: Hei, hás, Hebreu. Feminino: hebréia.
há, havemos, haveis, hão. Imp. ind.: Herói. Feminino: heroína.
Havia, havias, havia, havíamos, ha- Herpes. O herpes, os herpes.
víeis, haviam. Pret. perf. ind.: Houve, Hetero... Liga-se sem hífen ao termo se-
houveste, houve, houvemos, houves- guinte, com a eliminação do h e a du-
tes, houveram. M.-q.-perf. ind.: Hou- plicação do r e do s intermediários:
vera, houveras, houvera, houvéra- heteroagressão, heteroerotismo, he-
Heureca 139 Hífen

teroimunização, heterometabólico, unidade de sentido”, não devem ser


heterorrafídeo, heterossexual. unidas por hífen: vós outros, a deso-
Heureca. E não “eureca” ou “eureka”. ras, a fim de, contanto que.
Hidro... 1 — Liga-se sem hífen ao termo f) As formas verbais às quais se in-
seguinte, duplicando-se o r e o s in- tercalam ou agregam pronomes e os
termediários: hidroavião, hidrocar- vocábulos compostos cujos elemen-
boneto, hidrodinâmica, hidromine- tos são ligados por hífen conservam
ral, hidrorragia, hidrossolúvel, hidro- os acentos gráficos: amá-lo-á, amá-
via. 2 — Quando o segundo elemen- reis-me, amásseis-vos, devê-lo-ia, fá-
to começar por vogal, mantenha o o la-emos, pô-las-íamos, possuí-las,
do prefixo, como em hidroavião. provêm-lhes, retêm-nas, água-de-co-
Única exceção, por já estar consagra- lônia, pão-de-ló, pára-quedas, pesa-
da pelo uso: hidrelétrica. papéis.
Hífen. Ligam-se por hífen os elementos 2 — Nas formas verbais a que se
das palavras compostas que mantêm intercalam ou acrescentam prono-
a própria acentuação ou, segundo as mes: ama-lo (amas e lo), amá-lo
regras oficiais, “sua independência fo- (amar e lo), dê-se-lhe, fá-lo-á, ofere-
nética”, formando o conjunto perfei- cê-la-ia, repô-lo-eis, serenou-se-te,
ta unidade de sentido. Dessa forma, o traz-me. Na maior parte dos casos,
hífen justifica-se nos seguintes casos: essas formas servem apenas de exem-
1 — Nas palavras compostas em plo, uma vez que têm uso jornalísti-
que o conjunto constitui “uma unida- co pouco recomendável. Observação.
de semântica”, mesmo que seus ele- As formas lo, la, los e las também se
mentos — embora mantenham a unem por hífen aos pronomes nos e
acentuação própria — percam a iden- vos e ao advérbio eis: no-lo, no-las,
tificação, desde que considerados iso- vo-la, vo-los, ei-lo.
ladamente: água-marinha, arco-íris, 3 — Nos vocábulos formados por
galinha-d’angola, couve-flor, guarda- sufixos que representam formas adje-
pó, pé-de-meia, pára-choque, porta- tivas, como açu (grande), guaçu
chapéus. (grande) e mirim (pequeno), quando o
a) Incluem-se nesta norma os com- exige a pronúncia e quando o primei-
postos em que figuram elementos fo- ro elemento acaba em vogal acentua-
neticamente reduzidos: bel-prazer, da graficamente: andá-açu, amoré-
és-sueste, mal-pecado, su-sueste. guaçu, anajá-mirim, capim-açu.
b) O sinal se impõe quando o com- 4 — Na formação de palavras a
posto resultante tem caráter figurado partir da aglutinação dos prefixos e
e sentido muito diferente das palavras demais elementos de composição
que o constituem: pé-de-moleque, com outros termos, segundo regras
papo-de-anjo, saia-justa, caixa-preta, próprias, particulares a cada prefixo
mão-boba, cara-de-pau, roleta-russa. ou a cada grupo deles. Este manual re-
c) O antigo artigo el une-se por laciona, em cada prefixo (veja, por
hífen ao substantivo rei: el-rei, aqui- exemplo, anti, extra, intra, etc.),
del-rei. quando e em que casos se exige o
d) Quando se perde a noção do hífen. Independentemente dessa prá-
composto, normalmente por um dos tica, segue-se uma lista de elementos
elementos não ter vida própria na lín- de composição que se ligam sem
gua, não cabe o hífen: abrolhos, ban- hífen ao elemento seguinte, devendo-
carrota, fidalgo, vinagre. se, porém, duplicar o r e o s: aceto,
e) No caso das locuções, as normas acro, adeno, alo, alvi, amino, andro,
oficiais dispõem que, como “não têm anemo, anfi, angio, aniso, arqueo, ar-
Hindu, indiano 140 Horas (uso)

terio, artro, auri, bacterio, bradi, bra- Hiper... Hífen antes de r: hiper-realis-
qui, caco, cefalo, ciclo, cine, cino, mo, hiper-reativo, hiper-rugoso. Nos
cisto, cito, cloro, cripto, cromo, demais casos: hiperacidez, hipercató-
crono, de, des, di, dis, dorso, eco, ecto, lico, hiperestético, hiperinfecção, hi-
endo, epi, eqüi, esfero, espleno, esta- perorgânico, hipersensível, hiperten-
filo, estereo, estilo, etno, faringo, so.
fibro, glosso, grafo, hagio, halo, hemo, Hispano... Exige hífen quando entra na
hipo, homeo, homo, ideo, laringo, formação de adjetivos pátrios: hispa-
leuco, linfo, lito, megalo, meso, meta, no-brasileiro, hispano-americano.
mio, morfo, narco, naso, necro, nitro, Nos demais compostos: hispanofilia,
noso, octo, odonto, oftalmo, oligo, hispanófobo, hispanomania.
omo, oni, organo, ornito, orto, osteo, História. Use apenas esta forma e nunca
oto, oxi, penta, peri, pilo, piro, plano, “estória”.
plati, pleuro, pneumo, quadri, retro, Hombridade. Desta forma.
rino, sacro, sarco, sidero, tecno, tetra,
tri, uro, vaso, xanto, xilo, zoo. Homilia. E não “homília”.
5 — Nas palavras derivadas de Honorários. Ver salários, página 259.
um nome próprio constituído por Hora extra. Sem hífen.
dois ou mais termos ou de uma ex- Horas (concordância). 1 — Os verbos
pressão: Mato Grosso — mato-gros- bater, dar, faltar, restar, ser e soar
sense; Terceiro Mundo — terceiro- concordam com o número de horas:
mundista; São Paulo — são-paulino; Chegou assim que bateram 6 horas. /
Fernando Henrique — fernando-hen- Já deram 8 horas no relógio da igre-
riquismo; bom moço — bom-mocis- ja. / Faltam quatro horas para o iní-
mo; bossa nova — bossa-novista. cio do jogo. / Restam apenas três
6 — Travessão e não hífen. Para horas do prazo. / São 2 horas da
ligar palavras ou grupos distintos de manhã. / Devem estar soando 10
palavras, que não formam um tercei- horas agora. / Resta uma hora e
ro significado, usa-se o travessão e meia. / É 1h20. 2 — Atenção. Fazer e
não o hífen. São casos em que não haver, em casos semelhantes, não va-
existe um conjunto semântico, como riam: Faz dez horas que ele partiu. /
nas palavras compostas, mas apenas Há seis horas que o dia raiou.
encadeamentos do tipo dos que se se- Horas (uso). 1 — À exceção dos títulos
guem (o hífen formaria uma palavra e tabelas, evite abreviar as horas re-
composta, quando o que se tem, nos dondas: às 15 horas, às 8 horas (e não
casos citados, é uma cadeia vocabu- às 15 h, às 8 h).
lar): A ligação São Paulo—Santos. / A 2 — Use sempre 14, 17, 22 horas,
viagem Brasil—EUA. / Foguete em vez de 2 ou 5 da tarde e 10 da
terra—ar. / Entendimentos gover- noite. Escreva também às 2 ou às 4
no—sindicatos. / O acordo Clinton— horas, e não às 2 ou às 4 da madru-
Chirac. / O antagonismo capital— gada. Repare que as horas vão sempre
trabalho. Ver outros exemplos no em algarismos: às 4 horas, à 1 hora.
item 4 do verbete travessão, página 3 — Considere genericamente: a
292. madrugada vai da zero às 6 horas; a
7 — Ver também substantivo mais manhã, das 6 ao meio-dia; a tarde, do
substantivo, página 274. meio-dia às 18 e a noite, das 18 às 24
Hindu, indiano. Hindu — adepto da re- horas. Se necessário, nos horários de
ligião (hinduísmo); indiano — natu- transição, faça ressalvas como: no co-
ral da Índia, relativo à Índia. meço da manhã, no início da noite,
Hino Nacional. Iniciais maiúsculas. aos primeiros minutos de hoje, etc.
Hortelão 141 Ilegal

4 — Nas horas quebradas, use h,


min e s para as horas, minutos e se-
gundos (sem s), sem dar espaço entre
os números: 5h15, 18h05 (o min só é
necessário se a indicação especificar a
hora até o número de segundos: ...iano. 1 — É iano, com i, o sufixo que
20h15min13s). Em casos especiais, que se deve usar para indicar o adjeti-
minutos, segundos e décimos pode- vo referente a um nome próprio.
rão ser expressos desta forma: 1’25”5 Assim: shakespeariano (e não “sha-
(especialmente em competições es- kespeareano”), euclidiano (e não “eu-
portivas, lançamento de foguetes, clideano”), rodriguiano, rosiano (de
etc.). Guimarães Rosa), machadiano,
5 — Use artigo antes de horas: das faulkneriano, etc.
12 às 14 horas, às 8 horas, das 16 às 2 — A instrução se aplica também
21 horas, às 15 para as 9. a adjetivos referentes a nomes geográ-
6 — Cuidado com a concordância ficos: cabo-verdiano, alasquiano,
com minuto. Assim: Ele chegou aos açoriano, cingapuriano, iraquiano.
15 para as 9. Isto é: Ele chegou aos 15 Exceções: acreano, taubateano e co-
minutos para as 9 horas. reano.
7 — A meia-noite e a zero hora se
Ianque. Não use para designar o natural
equivalem, mas a primeira pertence
dos EUA.
ao dia anterior e a segunda, ao poste-
rior. Assim, um aumento, por exem- Ibero. Sem acento (pronuncia-se ibéro, e
plo, entra em vigor à meia-noite da não “íbero”): Faculdade Ibero-Ameri-
sexta-feira ou à zero hora do sábado cana, povos ibero-americanos.
(prefira zero hora, neste caso). Idade. Inicial maiúscula apenas em
8 — As horas registradas sem indi- Idade Média. Nos demais casos:
cação corresponderão à hora-padrão idade da pedra lascada, idade das tre-
do local onde se desenvolve o aconte- vas, etc.
cimento. GMT, hora de Tóquio, hora Identidade. No singular em frases como:
de Nova York, etc., deverão ser escla- A polícia apurou a identidade dos
recidas de acordo com o fuso horário mortos (e nunca “as identidades”).
brasileiro. Identificação. Ver pessoas no noticiário,
9 — Lembre-se: o Brasil tem qua- página 218.
tro fusos horários. Quando esse fator Igreja. l — Com inicial maiúscula quan-
for relevante (visitas presidenciais ou do se tratar da instituição: O papa é o
transmissões pela TV, por exemplo), chefe da Igreja Católica. / O cardeal
convém mencioná-lo na notícia (ver defendeu a posição da Igreja. / A Igre-
quais são em fusos horários do Bra- ja Anglicana, a Igreja Luterana. 2 —
sil, página 132). Com minúscula se a menção for ao
Hortelão. Flexões: horteloa, hortelões templo: Começou ontem a demoli-
(prefira) e hortelãos. ção da igreja. / O casamento estava
“Hortifrutigranjeiros”. Substitua a pa- marcado para a igreja matriz. 3 —
lavra por verduras, frutas, ovos, etc. Quando acompanha uma designação,
(ou por fórmulas mistas): Aumenta o a palavra tem inicial maiúscula: a
preço de frutas e verduras. / Ovos e Igreja da Candelária, a Igreja N. Sa.
verduras estão mais caros. do Brasil.
Hóspede. Use o hóspede, a hóspede, as Ilegal. É a situação de alguém e não a
hóspedes. pessoa. Assim, não existem “imigran-
Húmus. Desta forma. tes ilegais” ou “mutuários ilegais”.
Ilha 142 Implantar

Ilha. Inicial maiúscula: Ilha Grande. croquis, esquemas e outros tipos de


Ilhéu. Habitante de uma ilha. Feminino: ilustrações com os entrevistados.
ilhoa. Imaginar. Não use as formas “nunca”,
Ilustrações. Charges, mapas, gráficos, “jamais” e “não poderia imaginar”:
desenhos, tabelas e quadros são recur- são lugares-comuns.
sos de que os editores devem lançar Imbróglio. Aportuguesamento oficial.
mão regularmente como forma de tor- Imergir. Ver emergir, página 104.
nar as páginas mais atraentes. Eis al- Imigrar. Ver emigrar, página 104.
guns dos casos principais: Iminente. Ver eminente, página 105.
1 — Pesquisas de opinião, levanta- Imiscuir-se. Alguém se imiscui em e
mentos, evolução de indicadores e de- não imiscui, apenas: Gostava de se
mais textos baseados em números imiscuir nos assuntos alheios. /
devem, obrigatoriamente, ser acom- Nunca me imiscuí nos seus proble-
panhados de gráficos, tabelas e qua- mas.
dros que permitam ao leitor com-
Imissão, imitir. Não se confundem com
preender com maior facilidade a situa-
emissão ou emitir. Imissão é a con-
ção apresentada.
cessão judicial da posse de algum
2 — Toda notícia curiosa exige,
bem. Imitir significa fazer entrar (na
para complementá-la, uma ilustração
posse, em geral), investir em.
ou charge que desperte atenção para
um fato que poderia passar desperce- Ímola. Aportuguesado (com acento).
bido na página. Imoral. Ver amoral, página 36.
3 — Reportagens extensas sobre se- Impedir. Conjuga-se como pedir (ver,
qüestros, assaltos, crimes espetacula- página 215).
res e outras do gênero justificam a pu- Impessoalidade. A notícia deve ser redi-
blicação de três ou mais ilustrações, gida de forma impessoal, sem que o
na forma de seqüência (storyboard), jornalista se inclua nela ou adote a pri-
que mostrem os principais lances do meira pessoa do plural em frases que
acontecimento. Independentemente a dispensam. Veja os exemplos: Este é
das fotos que o jornal esteja apresen- um índice pequeno “se levarmos” em
tando sobre o assunto. conta o volume de negócios. / No Bra-
4 — O editor não precisa publicar sil “temos” hoje 150 milhões de ha-
sempre fotos de personalidades, mas bitantes. / Há vírus que causam uma
pode substituí-las, muitas vezes, por infecção latente: nunca mais “nos li-
desenhos, desde que expressivos e vramos” dela. No primeiro caso, bas-
fiéis à figura retratada. taria substituir levarmos por se se
5 — Não deixe de representar, por levar; no segundo, a frase seria: O Bra-
meio de mapas, a localização de cida- sil tem hoje...; no terceiro, escreva
des ou regiões menos conhecidas (em simplesmente: nunca mais a pessoa
notícias sobre combates, quedas de se livra dela.
aviões, acidentes de qualquer tipo, de- Não confunda essa restrição com
saparecimento de expedições e ou- os casos, legítimos, de editoriais, arti-
tras), mudanças de trânsito, áreas con- gos, anúncios, comentários e outros
testadas ou conflagradas, locais onde em que a primeira pessoa do plural
faltará luz ou água, etc. pode ser usada sem maiores proble-
6 — Se você é repórter e vai falar mas.
com especialistas, não deixe de pen- Implantar. 1 — Use implantar, livre-
sar na possibilidade de o seu texto ser mente, no sentido médico: O cirur-
valorizado por gráficos, desenhos, etc. gião implantou duas pontes de safe-
Por isso, procure sempre conseguir na no deputado. / O dr. Hélio de Al-
Implementar 143 Impropriedades

meida implantou um rim no doente. impressos); com ter e haver, imprimi-


2 — Por se tratar de modismo incon- do (Tem imprimido, haviam impri-
trolável, porém, não use implantar mido).
nos demais casos. Ele pode ser substi- Impropriedades. 1 — Não acredite em
tuído, sempre, com vantagem, por um sinônimos perfeitos: quase sempre
dos verbos seguintes: adotar, introdu- existe uma única palavra para expri-
zir, estabelecer, efetivar, instituir, mir com exatidão o que você quer
criar, construir, levantar, edificar, for- dizer. E muitas vezes há termos ou ex-
mar, constituir, instalar, iniciar, apre- pressões absolutamente inadequados
sentar, aplicar, firmar, consolidar, para a situação que você pretende des-
fixar, montar, aprontar, impor, impri- crever ou substituíveis com vanta-
mir, incutir, desenvolver, instaurar, gens por outros mais apropriados ou
erguer, lançar, compor, organizar, mais conhecidos dos leitores.
consumar, assentar e ajustar. 3 — Es- Leia os exemplos seguintes (reais)
colha os substantivos corresponden- e veja entre parênteses a forma jorna-
tes para substituir implantação, outra listicamente mais indicada em cada
palavra desgastada pelo uso abusivo e caso: O próximo contato (contato se-
impreciso. guinte) de Antônio foi com Pedro, no
Implementar. A exemplo de implantar, descampado. / Como recompensa
trata-se de outra palavra de uso exage- (compensação) para os problemas do
rado e quase sempre incorreto. A ri- time, o técnico terá a volta de Alber-
gor, significa apenas pôr em execução, to e Ronaldo. / O corpo, sob uma vio-
pôr em prática (plano, projeto ou pro- lenta (muito forte) luz elétrica... / De-
grama). Quase todas as opções propos- putado ganha (recebe) críticas. / A
tas para substituir implantar apli- empresa já apresentou (manifestou)
cam-se a este caso. sua intenção de participar da concor-
Implicar. 1 — No sentido de pressupor, rência. / Bahamas almejam (querem)
envolver, acarretar, adote a regência empresas do Brasil. / Sem muita re-
direta (sem a preposição em): A pro- cepção (receptividade), ele tentava
moção implicava maiores responsa- convencer a empresa do acerto da
bilidades. / Jornalismo implica dedi- medida. / Com base na listagem (re-
cação. / Reforma implicará perda de lação) dos vencimentos de janeiro... /
receita para os Estados. 2 — Use pre- O motorista acidentado foi mandado
posição apenas quando o verbo pedir (encaminhado) para o HC. / O grupo
dois complementos (A polícia impli- está acertando os detalhes para a im-
cou o acusado no crime de recepta- plementação (construção) de uma fá-
ção) ou objeto indireto (Implicava brica na Argentina. / O gol contra
sempre com os colegas). premiou (puniu) a incompetência
Importante. Tem sentido positivo. do time. / Sugestões se amontoam
Assim, ninguém pode sofrer uma der- (acumulam) na mesa do relator. / Os
rota ou uma perda “importante”, mas imóveis foram atingidos pelo vôo 196
considerável, catastrófica, etc. (pelo avião) da Aeromarte. / Vendas
“Imprensa falada”. Imprensa, para o Es- no Dia das Mães nunca foram tão
tado, é apenas a escrita (sem necessi- poucas (pequenas, baixas). / A Prefei-
dade de qualificativos). Dessa forma, tura implantou (instalou) na praça 35
em vez de “imprensa falada” ou “im- cadeiras de engraxate. / O bandido
prensa televisionada”, use simples- depositou a quantia repentinamente
mente rádio ou televisão. (inesperadamente) na sua conta. / La-
Impresso, imprimido. Com ser e estar, boratório lança a pílula do envelheci-
use impresso (Foi impresso, estavam mento (o remédio na verdade visa a
Impudico 144 Indefinidos

retardar o envelhecimento). / Heroína cendeiam, incendeie, incendeiem,


cresce (consumo é que cresce) e con- etc.
tinua fora das estatísticas. / Clássico Incendiar-se. Alguma coisa se incen-
pode ser deslocado (transferido). deia e não incendeia apenas: O prédio
2 — A impropriedade, em outros incendiou-se ontem. / Os canaviais
casos, caracteriza-se não apenas pelas incendiaram-se.
palavras mal usadas, mas pelas cons- Incidente. Ver acidente, página 30.
truções imperfeitas ou de mau estilo: Incluído, incluso. Para expressar uma
A assinatura de minguados convê- ação, use incluído tanto com ter e
nios (minguados — palavra antijorna- haver como com ser e estar: Tinha
lística — são os recursos, não os con- (havia) incluído, foi (estava) incluído.
vênios)... / Na sessão de hoje a Câma- Prefira incluso como adjetivo: autos
ra deverá aprovar ou não (votar, sim- inclusos, cartas inclusas.
plesmente) o projeto. / Os negros, os Inclusive. 1 — Aceitável apenas como
índios, os deficientes e outras mino- equivalente a com inclusão de e opon-
rias conseguiram aprovar (fazer apro- do-se a exclusive: Vieram todos, ele
var) o projeto na comissão. / O time inclusive. / Chegou ao capítulo 5º do
ainda não pôde regularizar os jogado- livro inclusive. 2 — Não use inclusi-
res (regulariza-se a situação dos joga- ve como sinônimo de até, até mesmo,
dores ou a documentação deles). / A ainda, o próprio, além de, a ponto de,
selva incrustada (no meio) nas mon- etc., como nas seguintes frases: Ele o
tanhas. / A Portuguesa ameaça dis- ameaçou “inclusive” (até) fisicamen-
pensas (ameaça fazer). te. / Lembremo-nos “inclusive” (até
3 — Finalmente, há improprieda- mesmo) de que... / Disse “inclusive”
des que decorrem de formas viciadas (ainda) que ia sair. / Mostrou desagra-
de expressão, quando não empoladas do a respeito do traçado da estrada,
ou de mau gosto jornalístico: A refor- “inclusive” (além de) do seu estado
ma que está sendo gerada no ventre de conservação. Em caso de dúvida,
do governo... / Empresariado acredita recorra a outra palavra.
que inflação será acirrada. / Ele pode Incluso. Varia normalmente: Seguem
opinar sobre o uso de uma campa- inclusos (e não “incluso”) os do-
nha... / Camelôs atuam em outras cumentos. / Mandei inclusa a no-
áreas, sobretudo da Tijuca. / Além do va redação da carta (e não “mandei
que muitos projetos... / Citou regiões incluso”). É palavra que convém evi-
do Brasil inteiramente abandonadas, tar, porém.
sem terem condições de futuro... / Por
Incontinente, incontinenti. Incontinen-
azar, este repórter ganhou o número
te — imoderado; incontinenti — sem
13. demora.
Impudico. Sem acento (pronuncia-se Indefinidos. Só use os pronomes indefi-
impudíco). nidos (muitos, alguns, diversos, vá-
Inaugurar. Alguma coisa se inaugura e rios, etc.) em caso extremo e quando
não inaugura, apenas: Inaugura-se (e não for possível, de maneira nenhu-
não “inaugura”) hoje a boate Casa- ma, determinar o número expresso
blanca. / A 25ª Festa da Uva inaugu- pela notícia. Falar em várias pessoas,
ra-se (e não “inaugura”) sábado. muitos tiros, alguns deputados e di-
“Inaugurar novo”. Redundância. Assim: versos itens, por exemplo, é transmi-
Prefeito inaugura avenida amanhã (e tir ao leitor noções imprecisas e in-
não “inaugura nova avenida”). completas. Por isso, procure sempre
Incendiar. Conjuga-se como odiar (ver, dar pelo menos uma idéia aproxima-
página 203): incendeio, incendeia, in- da das quantidades a que o texto se re-
Independentemente 145 Infinitivo

fere: dezenas de tiros, centenas de lapalo), os tupis, os bororos, os xavan-


pessoas, cerca de 30 deputados, de tes, os parecis, etc. 2 — Como adjeti-
cinco a dez itens, etc. vo, terão apenas plural, mas não femi-
Independentemente. É o advérbio inde- nino: a índia calapalo, as nações co-
pendentemente, e não o adjetivo in- roados, os índios aimorés, etc.
dependente, que se deve usar sempre Indiscrição. Desta forma, e nunca “in-
que a palavra puder ser substituída discreção”.
por sem levar em conta, sem contar Infante. Feminino: infanta.
com, à parte ou equivalente: O minis- Infarto. Use enfarte.
tro disse que o tempo, independente-
Ínfero... É sempre seguido de hífen: ín-
mente de ações mais diretas, ajuda-
fero-anterior, ínfero-lateral.
rá o governo. / O Estado terá de pagar
o aumento salarial aos funcionários, Infinitivo. Como se trata de uma das
independentemente do resultado do questões mais polêmicas e controver-
julgamento. / Independentemente de tidas da língua portuguesa, é impossí-
sua filiação, deputados e senadores vel formular normas inflexíveis para
poderão enfrentar... a distinção entre o infinitivo pessoal
Indexadores. 1 — Nunca deixe de con- (flexionado) e o impessoal (não flexio-
verter em reais o valor dos indexado- nado). As regras abaixo expressam, de
res: Rendimentos até 20 mil Ufirs forma geral, o consenso de boa parte
(tantos reais); multa no valor de 8 sa- dos gramáticos, tanto “tradicionais”
lários mínimos (tantos reais); valores quanto “modernos”, a respeito do as-
até 400 UFMs (tantos reais). 2 — Pro- sunto.
ceda da mesma forma com indexado-
res já extintos, mas eventualmente Flexionado
mencionados em textos sobre fatos
passados (ORTNs, OTNs, UPCs, 1 — Regra básica
etc.). Flexiona-se o infinitivo quando o
Indiano. Ver hindu, página 140. seu sujeito e o do verbo principal são
Indicado a, para. Distinga: a) Indicado a diferentes: Acreditamos todos (nós)
— recomendado a alguém: Foi indica- serem os candidatos (eles) muito
do aos empresários. / Aparelho indi- bons. / Peço-lhes (eu) o favor de não
cado aos deficientes. b) Indicado chegarem (vocês) atrasados. / Con-
para — selecionado, escolhido, reco- vém saírem vocês primeiro. / O chefe
mendado para alguma coisa: Filme julgava estarem seus empregados su-
brasileiro é indicado para o (e não perados.
“ao”) Oscar. / O deputado foi indica- Se o sujeito for o mesmo, o infini-
do para o (e não “ao”) ministério. Pro- tivo não será flexionado: Temos (nós)
ceda de maneira semelhante com in- o prazer de lhe participar (nós) ... / De-
dicação. clararam (eles) estar (eles) prontos.
“Indicar que”. Alguém indica alguma Exceção. Com os verbos deixar,
coisa, mas não indica que. fazer, mandar, ver, ouvir e sentir, o
Índios. 1 — Os nomes das tribos indíge- infinitivo fica no singular, mesmo que
nas terão singular e plural, e serão haja mais de um sujeito na frase: Dei-
adaptados ao português e escritos com xai vir a mim as criancinhas. / Man-
inicial minúscula: os ianomâmis (e dei-os começar o serviço. / Senti-os
não os Yanomami), os caingangues (e exalar o último suspiro. / Faça-as sair
não os Kaingang), os uaimiris (e não depressa. / Vi tantos homens perder o
os Waimiri), os guaranis (e não os juízo. / Ouviu os mestres explicar a
Guarany), os calapalos (e não os Ka- questão.
Infligir, infringir 146 Infligir, infringir

2 — Regra complementar. / Continuamos dispostos a comprar a


Se você tiver dúvidas na aplicação casa. / Remédios ruins de tomar. / As
da regra básica, apele para esta outra emissoras conquistaram o direito de
(no fundamental, as duas coincidem): transmitir todos os jogos de vôlei. /
o infinitivo é flexionado quando pode Eram exercícios fáceis de resolver.
ser substituído por um tempo finito 2 — Não se flexiona o infinitivo
(indicativo ou subjuntivo, em geral): com preposição que apareça depois de
É preciso saírem logo (saírem = que um verbo na voz passiva: Os jornalis-
saiam). / O coronel intimou-os a se tas foram forçados a sair da sala. / As
renderem (a que se rendessem). / É pessoas eram obrigadas a esperar em
tempo de partires (de que partas). / fila.
Não compete a vocês queixarem-se 3 — Não se flexiona o infinitivo
de nós (que se queixem). / Convém com preposição que tenha o valor de
chegarmos ao fundo da questão (que gerúndio: Os trabalhadores estavam
cheguemos). a comer (= comendo). / Estavam a
3 — Outros casos de infinitivo fle- cantar (= cantando).
xionado 4 — Nos demais casos de preposi-
a) Quando o sujeito é indetermina- ção (ou locução prepositiva) mais in-
do: Vi executarem os criminosos. / finitivo, é opcional flexionar ou não o
Ouvi cantarem o hino de várias for- infinitivo. Quando ela vier antes do
mas. verbo principal, é preferível usar a
b) Quando o infinitivo é o sujeito: forma flexionada: Por serem milioná-
O quereres tudo me surpreende. / O rios, tudo lhes parecia barato. / Para
morrerem pela pátria é sina de alguns nos mantermos em forma, fazemos
soldados. ginástica diariamente. Quando colo-
cados depois, prefira a forma não fle-
Não flexionado xionada: Viemos aqui para cumpri-
mentar o ancião. / Aceitaram o tra-
1 — Infinitivo usado com verbos balho sem hesitar.
impessoais ou com outros, pessoais,
mas empregados de forma impessoal: Observações finais
Viver é lutar. / É proibido proibir. / É
possível haver dúvidas. 1 — Use o bom senso e o ouvido: o
2 — Infinitivo com valor de impe- ritmo da frase, a eufonia e a clareza em
rativo: Meia-volta, volver! / Honrar muitos casos se sobrepõem a qualquer
pai e mãe. regra, neste assunto.
3 — Infinitivo em locução verbal: 2 — Em caso de dúvida, siga este
As peças estavam estragadas, deven- conselho do gramático Napoleão
do ser (e nunca serem) substituídas. / Mendes de Almeida: “Devemos limi-
Lamentando não poder atendê-lo, de- tar a flexão do infinitivo aos casos de
sejamos... / Costumavam os filhos real necessidade de identificação do
reunir-se (e não reunirem-se). seu sujeito. Não verificada essa neces-
sidade, deixemos intacto o infiniti-
Com preposição vo.”
Infligir, infringir. Infligir significa apli-
1 — Não se flexiona o infinitivo car (pena, repreensão, derrota) a al-
com preposição que funcione como guém: O destino lhe infligiu severos
complemento de substantivo, adjeti- reveses. / O juiz infligiu pesada puni-
vo ou do próprio verbo principal: O ção ao réu. Infringir equivale a violar,
pai convenceu os filhos a voltar cedo. transgredir, desrespeitar: Infringiu o
Informar 147 Inglês

regulamento. / Sua atitude infringia (anglo-brasileiro, anglo-saxões). 2 —


as normas da boa conduta. Inglaterra não é o mesmo que Grã-
Informar. Regência. 1 — Informar al- Bretanha (esta inclui, além da Ingla-
guém: O jornal existe para informar terra, a Escócia e o País de Gales) nem
os leitores. / Nós os informamos. 2 — que Reino Unido (conjunto formado
Informar de alguma coisa: Ele infor- pela Inglaterra, País de Gales, Escócia
mou das mudanças no Imposto de e Irlanda do Norte).
Renda. 3 — Informar alguém de ou Inglês. a) Palavras parecidas
sobre alguma coisa: Os funcionários Tome cuidado, nas traduções, com
informaram o chefe das (sobre as) al- algumas palavras que, em inglês, têm
terações. / Informaram-no das (sobre sentido diferente do que aparentam
as) novas normas. 4 — Informar algu- ou apresentam primordialmente o
ma coisa a alguém: Nós lhe informa- significado incluído entre parênteses:
mos que chegaríamos cedo. / O go-
absolutely (certamente), abstract (re-
verno informou à população que o
sumo), actually (realmente), adept
país não entraria na guerra. 5 — In-
(competente, conhecedor), antic (ex-
formar, apenas (intransitivo): Bem ou
mal, todo jornal informa. / O rádio e travagante), apologize (desculpar-se),
a televisão também informam. 6 — apparatus (aparelhagem), appeal
Informar-se de ou sobre alguma coisa: (atrair), appoint (estabelecer), ap-
Ele se informou dos (sobre os) acon- pointment (encontro), assume (pres-
tecimentos. / Convém que todos se supor), balance (pesar, equilibrar),
informem sobre as novas normas. 7 bargain (pechincha), casualties (per-
— O que não se pode é atribuir dois das, baixas), cellar (adega), cigar (cha-
objetos diretos ao verbo, como neste ruto), cigarette (cigarro), comics (qua-
exemplo real: O documento informa- drinhos), commodity (produto primá-
va os moradores “que” (o certo: de rio), copy (exemplar), disparate (di-
que) seus imóveis deveriam ser res- verso), disprove (refutar), educate
taurados. (instruir), eventually (por fim, final-
Informática. Mantenha nos limites da mente), exit (saída), exquisite (re-
informática o uso de palavras como quintado), finally (completamente),
acessar, inicializar, deletar, printar, gas (gasolina), genial (amável), inju-
etc. Por isso, não escreva que alguém ries (prejuízos, ferimentos), just (mal,
“acessou” uma rodovia, “iniciali- apenas), lecture (conferência, discur-
zou” um processo”, “deletou” uma so), library (biblioteca), liquor (bebi-
imagem, “printou” um folheto, etc. da alcoólica), luxury (luxo), memories
Infra... Hífen antes de vogal, h, r e s: (recordações), morose (rabugento), of-
infra-assinado, infra-estrutura, infra- ficer (oficial), official (funcionário),
humano, infra-ocular, infra-renal, panel (caixilho), parents (pais), pena-
infra-som. Nos demais casos: infraci- lize (punir), physic (medicina), physi-
tado, infravermelho, infradotado. cian (médico), policy (prudência, po-
Infravermelho. Plural: infravermelhos. lítica, apólice), pork (carne de porco),
Infringir. Ver infligir, página 146. prejudice (preconceito), prescription
Ingerir. Conjuga-se como aderir (ver, (receita médica), pretend (fingir),
página 32): ingiro, ingeres; ingeria; in- push (empurrar), realize (perceber),
geri; ingerira; ingerirei; ingeriria; que record (registrar, gravar), relatives (pa-
eu ingira; se eu ingerisse; ingere tu, in- rentes), remark (ponderar), retire
geri vós; ingerido; etc. (aposentar-se), scholar (pessoa ilus-
Inglaterra. 1 — O prefixo que entra na trada), spirits (bebidas alcoólicas) e
formação de adjetivos pátrios é anglo tub (banheira).
...inho 148 Intenções

b) Formação do plural Inserido, inserto. Se os auxiliares forem


Na maior parte dos casos, simples- ter e haver, use inserido: Tinha inse-
mente se acrescenta um s à palavra. rido seu nome na lista. / Haviam in-
Em outros, porém, pode haver dúvi- serido novos conceitos na economia.
das: Com ser e estar (ou demais verbos de
1 — Palavras terminadas em s, x, ligação), empregue inserto: Seu
z, ch e sh — acrescenta-se es: buses, nome estava inserto na lista. / Os
boxes, buzzes, churches, flashes. anúncios foram insertos em jornais
2 — Palavras terminadas em y pre-
e revistas.
cedido de vogal — acrescenta-se s:
boys, days, attorneys. Insolvência. Use este termo para pes-
3 — Palavras terminadas em y pre- soas físicas (e não falência).
cedido de consoante — o y converte- Inspira cuidados. Lugar-comum. Diga
se em ies: lobbies, parties, royalties, que o estado da pessoa é delicado ou
copies, commodities. grave.
4 — Palavras terminadas em o pre- INSS. A sigla significa Instituto Nacio-
cedido de vogal — acrescenta-se s: nal do Seguro (e não “de Seguridade”)
trios, taboos, folios. Social.
5 — Palavras terminadas em o pre-
Instigante. Evite. Tornou-se modismo.
cedido de consoante — em geral,
acrescenta-se es: potatoes, negroes, Intenções. Nunca atribua intenções a
echoes, heroes, tomatoes, mosqui- animais que ajam movidos exclusi-
toes. Algumas exceções: pianos, vamente pelo instinto. Por isso, não
egos, twos. têm sentido textos como: Tubarões
c) Particularidade mal-intencionados cercavam o náu-
1 — O qualificativo que acompa- frago. / Os cães impiedosos ataca-
nha certos nomes próprios em inglês, ram o menino. / Os insetos comeram
diferentemente do português, não vai os livros e cadernos de uma estante
entre vírgulas: Billy the Kid, Cathe- da casa, mas tiveram o cuidado de
rine the Great, Irma la Douce, Jack deixar as capas intactas. / Todos os
the Ripper. gatos são mal-agradecidos. E só es-
...inho. Ver diminutivos, página 96. creva que um macaco ciumento
Iniciais. 1 — Com espaço e ponto nos agrediu o menino se algum veteriná-
nomes próprios: O. J. Simpson (e não rio ou especialista confirmar a exis-
O.J. ou OJ), T. S. Eliot. 2 — Sem es- tência desse tipo de sentimento no
paço, mas com ponto e sempre em animal.
negrito na indicação colocada no pé Da mesma forma há condições
dos textos do jornal: J.S., C.H.M.
que as coisas inanimadas ou fenôme-
Iniciar. 1 — Nunca use as formas tor- nos da natureza e da vida não podem
neio “inicia” hoje, copa “inicia”
apresentar: Na segunda explosão, a
hoje, censo “inicia” hoje, privatiza-
laje não teve escapatória e reben-
ção da Vela “inicia” em fevereiro.
Alguma coisa inicia-se (ou começa tou. / Só o céu não compartilha deste
ou principia): Convenção do PMDB sentimento tão nobre na passagem
inicia-se hoje. 2 — Inicia exige sem- do ano. / A frente fria insiste em pro-
pre um agente: Governo inicia co- vocar chuvas. / Adolescentes são
brança do Imposto de Renda. 3 — novo alvo da epidemia de aids. Só
Iniciar pode ainda pedir dois comple- pessoas podem ter escapatória, com-
mentos: Sempre que pode, inicia os partilhar sentimentos, insistir em
amigos nas artes marciais. algo ou escolher um alvo.
Inter... 149 Intra...

Inter... Hífen antes de h e r: inter-helê- longo, para que a linha não se quebre
nico, inter-humano, inter-racial, em duas.
inter-relação. Atenção: interrogató- 3 — O intertítulo sempre pode aju-
rio, interrupção, interromper e outras dar o texto a dizer alguma coisa; evite,
na mesma condição não seguem a dessa forma, intertítulos extrema-
regra porque derivam diretamente da mente genéricos como explicação,
forma latina correspondente. Nos de- desmentido, preparativos, lança-
mais casos: interamericano, interes- mento, medo, surpresa, divisa. Veja,
tadual, interinsular, interoceânico, ao contrário, intertítulos mais explí-
interurbano, intermunicipal, inter- citos: bancada coesa, amigo do go-
sindical. verno, tarefa urgente, cai o mito.
Intercessão, interseção. Intercessão — Interveio. E nunca “interviu” (passado
intervenção: a intercessão da mãe do verbo intervir).
em favor do filho; interseção — corte, Intervindo. Forma comum ao gerúndio
cruzamento: a interseção de duas e particípio de intervir: O governo es-
retas, de duas estradas. tava intervindo (interferindo) nos as-
Interessar. Regência. a) Interessar a al- suntos dos cidadãos. / O governo
guém: Tudo lhe interessa. / A propos- tinha intervindo (interferido) nos as-
ta não interessa ao país. / O empate suntos dos cidadãos (e nunca “inter-
não interessa a nenhum dos dois vido”).
times. b) Interessar alguém em algu- Intervir. Conjugação. Pres. ind.: Inter-
ma coisa: Interessou o irmão na em- venho, intervéns, intervém, intervi-
presa. / Interessei-o naquele negócio. mos, intervindes, intervêm. Imp.
Ínterim. E não “interim” (ím). ind.: Intervinha, intervinhas, intervi-
Interior. Inicial minúscula: o interior nha, intervínhamos, intervínheis, in-
(de São Paulo ou do Brasil), o interior tervinham. Pret. perf. ind.: Intervim,
de São Paulo, o interior do Brasil. intervieste, interveio, interviemos,
interviestes, intervieram. Fut. pres.:
Intermediar. Conjuga-se como odiar
Intervirei, intervirás, intervirá, inter-
(ver, página 203): intermedeia, inter-
viremos, intervireis, intervirão. Fut.
medeiam, intermedeie, etc. pret.: Interviria, intervirias, intervi-
Internacional. O Internacional, quando ria, interviríamos, interviríeis, inter-
se tratar do time de Porto Alegre viriam. Pres. subj.: Intervenha, inter-
(Sport Club), e a Internacional, para o venhas, intervenha, intervenhamos,
clube de Limeira (Associação Atléti- intervenhais, intervenham. Imp.
ca). A equipe de Milão também é fe- subj.: Interviesse, interviesses, inter-
minina: a Internazionale. Nos três viesse, interviéssemos, interviésseis,
casos, admite-se a forma reduzida interviessem. Fut. subj.: Intervier, in-
Inter. tervieres, intervier, interviermos, in-
Interrogado. São corretas as formas in- tervierdes, intervierem. Imper.
terrogado sobre e interrogado se. afirm.: Intervém, intervenha, inter-
Interseção. Ver intercessão, nesta pági- venhamos, intervinde, intervenham.
na. Ger.: Intervindo. Part.: Intervindo.
Intertítulos. 1 — Use intertítulos a cada Inter vivos. Desta forma.
20 linhas cheias dos textos noticio- Intra... Hífen antes de vogal, h, r e s:
sos, para torná-los graficamente mais intra-auricular, intra-ocular, intra-
agradáveis e menos pesados. uterino, intra-hepático, intra-raqui-
2 — O intertítulo pode ser apenas diano, intra-segmentar. Nos demais
uma palavra, uma locução ou mesmo casos: intracraniano, intramuscular,
uma frase. Evite apenas que seja intravascular. Observação. O Voca-
Intuito 150 Ir indo

bulário Ortográfico da Língua Portu- sem. Fut. subj.: For, fores, for, formos,
guesa, da Academia Brasileira de Le- fordes, forem. Imper. afirm.: Vai, vá,
tras, registra com hífen o advérbio la- vamos, ide, vão. Ger.: Indo. Part.: Ido.
tino intra-muros. Ir (tempo). Fica invariável nas expres-
Intuito. Sem acento (pronuncia-se in- sões de tempo, quando seguido de
túito). para, por ou em: Vai para seis anos
Invés. 1 — A locução ao invés de indi- que chegou a São Paulo. / Ia por uma
ca situação contrária, oposição: Ao década que havia partido. / Já vai em
invés de entrar, saiu. / Ao invés de dez anos que se retirou do país. Nos
baixar, o preço subiu. 2 — Em vez de demais casos, o verbo ir flexiona-se
é que significa em lugar de: A dona de normalmente: Já lá vão cinco dias
casa, em vez de ovos, comprou que ele partiu.
carne. / Em vez de sentar-se na cadei- Ir a, ir de. Ir a cavalo, ir a pé; no entan-
ra, preferiu o banco. / Paguei 1.000 to, ir de automóvel, de ônibus, de
reais em vez de 800. 3 — Em vez de carro, de avião, de trem, de navio, etc.
pode ser usada nos dois casos (oposi- Ir a, ir para. Ir a indica curta permanên-
ção e substituição), enquanto ao in- cia, enquanto ir para dá idéia de des-
vés de só admite a idéia de ao contrá- tinação, demora: Vai a Paris (vai e
rio de.
volta logo) este mês; vai para Paris no
Investigar. Alguma coisa é investigada fim do ano (vai e fica, pelo menos
e não alguém: Investigou os atos do algum tempo). / Vai para Campos do
jornalista (e não “investigou o jorna- Jordão nas férias; vai a Campos do
lista”). Jordão esta semana.
Investir. Regência. 1 — Investir contra: “Irá participar”. É a flexão vai, e não irá,
O cachorro investiu contra a multi- que se usa com o infinitivo para for-
dão. / O herege não parava de inves-
mar o futuro: Caso reforme o contra-
tir contra a Igreja. 2 — Investir al-
to, o jogador vai participar (e não irá
guém em ou de: O presidente inves-
participar) dos treinamentos. / O pre-
tiu o correligionário no cargo de mi-
sidente eleito vai visitar (e não irá vi-
nistro. / O governo o investiu de po-
sitar) outros países antes da posse. /
deres. 3 — Investir alguma coisa em:
Investira muito dinheiro na empresa. O executivo vai trabalhar (e não irá
4 — Investir, apenas: O touro prepa- trabalhar) com as equipes de opera-
rava-se para investir. / Há empresas ções diárias do grupo.
que não sabem a hora certa de inves- A razão: o vai foi usado pelos escri-
tir. 5 — Investir-se em: Não via a hora tores para substituir o futuro simples
de se investir no cargo. (irá, fará, dirá, participará), que mui-
Invólucro. E não “envólucro”. tos consideram pouco eufônico. Irá
participar é futuro da mesma forma
Íon. Plural: íons.
e equivale a participará, exatamente
Ir. Conjugação. Pres. ind.: Vou, vais, a forma que se quer evitar.
vai, vamos, ides, vão. Imp. ind.: Ia,
Ir a votação. Sem crase: O projeto vai a
ias, ia, íamos, íeis, iam. Pret. perf.
votação até o fim do ano.
ind.: Fui, foste, foi, fomos, fostes,
foram. M.-q.-perf. ind.: Fora, foras, Ir de. Ver ir a, ir de, nesta página.
fora, fôramos, fôreis, foram. Fut. “Ir em”. Para indicar deslocamento, o
pres.: Irei, irás, irá, iremos, ireis, irão. que se usa é ir a: Foi ao cinema (e não
Fut. pret.: Iria, irias, iria, iríamos, “no cinema”). / Prometeu ir amanhã
iríeis, iriam. Pres. subj.: Vá, vás, vá, à festa (e não “na festa”).
vamos, vades, vão. Imp. subj.: Fosse, Ir indo. Ir pode ser auxiliar de si próprio:
fosses, fosse, fôssemos, fôsseis, fos- ia indo, íamos indo, vou indo.
Irlanda 151 Já

Irlanda. A independente é a República nissar. Da mesma forma: aterrissa-


da Irlanda (não use Eire) e a que faz gem, alunissagem, etc.
parte do Reino Unido, a Irlanda do Isso. Ver este, esse, aquele, página 117.
Norte. Isso, disso. 1 — É pobreza de expressão
Ir melhor, ir pior. Melhor e pior, no o abuso de isso e disso. Sempre que
caso, ficam invariáveis: Os negócios possível, substitua essas formas por
agora vão melhor (ou pior) que antes. esse ou desse mais substantivo: O
E nunca “vão melhores” ou “vão pio- economista evitou referir-se às con-
res”. Igualmente: Eles vão bem. / Eles seqüências políticas disso (desse fato,
vivem melhor. dessa disposição). / Isso só funciona
Ir para. Ver ir a, ir para, página 150. em uma direção (essa tendência, essa
articulação). / Um sinal disso (dessa
Ir pior. Ver ir melhor, nesta página.
evidência, desse aspecto) foi... 2 —
Irradiar-se. Alguma coisa se irradia e Admite-se, no entanto, como normal
não irradia, apenas: Seu otimismo ir- o uso de isso em frases como: Isso, é
radiou-se rapidamente. / O som irra- evidente, não significa que... / Todos
diou-se pela casa. sabem que isso representa muito
Irregular. Irregular é a situação da pes- para o País.
soa e não ela própria. Assim: Imigran- Isto. Ver este, esse, aquele, página 117.
tes em situação irregular serão depor- Itália. Elemento para a formação de ad-
tados (em vez de: Imigrantes “irregu- jetivos pátrios: ítalo (ítalo-brasileiro,
lares” serão deportados). ítalo-franco-americano).
...isar/...izar. 1 — Os verbos com isar Itálico. Ver destaques, página 93.
são os que têm o grupo is + vogal no Ítalo... Existe hífen quando a palavra
substantivo: analisar (análise), cata- final é um adjetivo pátrio: ítalo-bra-
lisador (catálise), frisar (friso), avisar sileiro, ítalo-americano, ítalo-sovié-
(aviso), paralisar (paralisia), revisar tico. Nos demais casos: italofilia, ita-
(revisão). 2 — Nos verbos em izar, lófobo, italomaníaco.
não há esse grupo (is + vogal): civili- Itamaraty. Com y.
zar, moralizar, exorcizar, dinamizar, Item, itens. Sem acento.
batizar, balizar, etc. Iugoslávia. Desta forma, assim como
Isentado, isento. Use isentado como iugoslavo.
particípio (com ter, haver, ser e estar) ...izar. Ver ...isar/...izar, nesta página.
e isento como adjetivo: Tinha (havia)
isentado, foi isentado, estava isento.
Iso... Liga-se sem hífen ao termo seguin-
te: isoaxial, isocianeto, isoenergéti-
co, isoimunização, isorresistência,
isossilábico.
Israelense, israelita. Israelense — natu- Já. 1 — Evite o emprego de já, especial-
ral ou habitante de Israel: comandos mente nos títulos, como recurso para
israelenses, ataques israelenses, os aumentar o tamanho da linha. Veja
israelenses; israelita — relativo à re- que em todos os exemplos a seguir o
ligião judaica ou ao povo de Israel (no já não só está mal colocado como é
sentido bíblico): templos israelitas, perfeitamente dispensável: Vitória já
tradições israelitas. preocupa o São Paulo. / Villeneuve já
...issar. Use essa forma (e não isar) em inicia testes para o GP dos EUA. / Po-
todos os verbos que indiquem pousar lícia já identifica os agressores do de-
ou descer: aterrissar, amerissar, alu- putado. 2 — Quando indica mudança
Jabuti, jabuticaba 152 Junto a

de situação, porém, o já cabe perfeita- dão o Tom (violonista grava músicas


mente na frase: Avião particular já de Tom Jobim). / Zagalo aposta na es-
não é privilégio de executivos (era e querda para estrear na Copa com o pé
deixou de ser). / Brasil já é o terceiro direito. / Pista de kart dá velocidade
produtor de arroz (passou a ser). / As ao lazer na Mooca. / Chapelarias re-
montadoras de carros já aceitam sistem e ainda fazem a cabeça. / O
novos concorrentes. / Terremoto já futebol brasileiro torna-se cada vez
matou 600 na Colômbia. mais exportador de pé-de-obra.
Jabuti, jabuticaba. Com u. Eis, ao contrário, jogos de palavras
Já ... mais. O uso simultâneo de já e aceitáveis: Ao prefeito, com cari-
mais constitui redundância, como na nho. / Tudo pelo tributário. / O Cida-
frase Pedro já não é mais o presiden- dão Welles. / À procura do encanto
te da associação. Escreva apenas que perdido.
Pedro já não é o presidente da asso- Em dúvida, não hesite: é preferível
ciação (muitos autores condenam a uma boa imagem ou título “tradicio-
forma equivalente Pedro não é mais nal” a um jogo de palavras pretensa-
o presidente da associação, tachando- mente criativo que só comprometa o
a de galicismo). Igualmente: Já não há texto do jornal.
solução. Jogral. Feminino: jogralesa.
Japão. Elemento para a formação de ad- Jornada. É a duração do trabalho diário.
jetivos pátrios: nipo (nipo-brasileiro, Por isso, não existe “jornada semanal”
nipo-europeu). nem “mensal”.
Javali. Feminino: javalina (prefira) e gi- Judeu, judiação, judiar, judiaria. Use
ronda. judeu apenas para designar o natural
Joelhos. De joelhos, no plural. de Israel ou aquele que professa a re-
Jogos de palavras. São muito raros os ligião judaica. Nunca empregue a pa-
casos de jogos de palavras ou trocadi- lavra no sentido popular ou pejorati-
lhos que se justifiquem em jornal. vo de agiota e usurário. Da mesma
Quase invariavelmente, eles soam de forma, substitua judiar por maltratar
forma artificial e forçada. Ou, por as- e judiação e judiaria por maus-tratos
sociação de idéias, se repetem no ou equivalente.
mesmo dia em jornais diferentes, Júnior. Plural: juniores (ô).
numa demonstração de falta absoluta Junto. A forma vai depender do sentido
de originalidade. da frase: a) Adjetivo. Concorda com o
Veja alguns exemplos de frases de substantivo: As irmãs estavam jun-
gosto duvidoso, para dizer o mínimo: tas. / Encontrei os amigos juntos. /
Nudistas querem espírito despido de Segundo a carta junta... b) Advérbio.
preconceitos. / Cachorro frio ajuda Fica invariável e modifica o verbo:
médicos (cães foram congelados para Junto remeto a folha de pagamento. /
experiência). / O prato de resistência Envio junto os dois relatórios. c) Lo-
do almoço foi a sucessão presiden- cução. Pode ser junto a, junto de ou
cial. / A sapateira Joana da Silva, que junto com: Estava junto do pai. / As
não dá passo maior que a perna, casas ficavam junto do mercado. /
tenta agora colocar um pé nos Jar- Construiu o edifício junto à estação. /
dins. / Até hoje os plantadores de Saiu junto com o tio. / Levei-os junto
cana só colheram prejuízos. / Raul de comigo.
Souza põe a boca no trombone (trata- Junto a. 1 — Atenção para o uso indevi-
se de um trombonista). / Sílvio San- do da locução. Ninguém compra algo
tos vem aí para prefeito. / Telefones junto a, faz entendimentos junto a,
estão no fim da linha. / Seis cordas encaminha pedidos junto a, pede
Junto com 153 Lança-perfume

providências junto a, mantém nego- mo: Justamente agora (em vez de jus-
ciações junto a e muito menos adqui- to agora) ele perdeu o emprego. / O
re o passe de um jogador junto a outro deputado anunciou que ia sair can-
time ou toma um atleta emprestado didato justamente (e não justo) na
junto a. Use a preposição que o verbo terra do maior adversário. Ou seja,
exigir: Estava em negociações com o sempre que justo puder ser substituí-
Banco do Estado (em vez de “junto do por justamente, é esta palavra que
ao”). / Pediu o empréstimo ao BNDES se deve usar.
(em vez de “junto ao”). / Adquiriu do
Vasco o passe do jogador (e não
“junto ao”). / Encaminhou a solicita-
ção ao governo do Estado (e não
“junto ao”). / Solicitou providências
das (em vez de “junto às”) autorida-
des / Entrou com o recurso no Tribu-
nal de Justiça (em vez de “junto Kafka. a) Nunca diga que Kafka escre-
ao”). / A decisão repercutiu mal entre via em checo. Ele usou o alemão em
os brasileiros (em vez de “junto seus livros. b) O adjetivo é kafkiano e
aos”). / As cotas do fundo não pode- não “kafkaniano”.
rão ser cobradas do governo (em vez Kibutz. Plural: kibutzim.
de “junto ao”). 2 — Junto a, no entan- “Kilo...”. O certo é quilo...: quilograma,
to, pode equivaler a adido a: O embai- quilohertz, quilômetro, quilowatt. A
xador brasileiro junto ao Vaticano
abreviatura é que é com k: kg, kHz,
deixa o cargo amanhã.
km, kW.
Junto com. Redundância. Use com, ape-
nas: Os empresários participaram da km. Como toda abreviatura do sistema
iniciativa com (e não “junto com”) os métrico, km (de quilômetro) não tem
sindicalistas. / Saiu com (e não plural nem ponto. Por isso, use km,
“junto com”) o diretor. sempre em minúsculas, para quilô-
Jurar. 1 — Significa prometer solene- metro e quilômetros (“KM”, “Km” e
mente: Jurou dizer somente a verda- “kms” não existem).
de. 2 — Seu uso como garantir, pro- Köln. Use em português: Colônia.
meter é modismo a evitar: O jogador Kubitschek. Desta forma.
garantiu (e não “jurou”) que não
tinha nenhum problema. / “Vou
fazer o que puder para vencer”, pro-
meteu (e não “jurou”).
“Justiçar”. Só em citações (entre aspas)
pode ser usado como sinônimo de
matar ou executar.
“Labaredas de fogo”. Redundância. Não
“Justiceiro”. No caso do matador por
use.
encomenda ou por conta própria, use
a palavra sempre entre aspas, no títu- Lady. Não use artigo antes de lady:
lo, ou, no texto, seguida de explica- Ficou encantado com lady Diana.
ções como: Um “justiceiro” (assassi- Lagoa. Inicial maiúscula: Lagoa dos
no profissional) foi o autor... Patos.
“Justificar que”. Justifica-se alguma Largo. Inicial maiúscula: Largo da Con-
coisa, mas não se justifica que. córdia.
Justo. Evite o anglicismo. Use justa- Lança-perfume. Palavra masculina: um
mente, e não “justo”, em frases co- lança-perfume, os lança-perfumes.
“Lançar novo” 154 Leads

“Lançar novo”. Redundância: tudo que 1 — Objetividade


se lança é novo. Veja exemplos de leads objetivos e
Lateral... Com hífen no futebol: lateral- diretos:
direito, lateral-esquerdo (jogador), la-
teral-direita e lateral-esquerda (posi- As mulheres se envolvem cada
ção). vez mais no tráfico e uso de cocaína
Latino... Existe hífen nos adjetivos pá- e crack em São Paulo. Os dados, di-
trios: latino-americano. Nos demais vulgados ontem pela polícia paulis-
casos: latinófilo, latinofobia, latino- ta, revelam que, das 980 pessoas pre-
mania. sas em flagrante no ano passado, 229
eram mulheres. “Elas começam a
Latir. Conjugação. Só tem as formas em
fumar crack ou a cheirar cocaína em
que ao t se segue e ou i: latem, latiu.
festas com os amigos ou namora-
Admite apenas a 3ª pessoa (singular e
dos”, revelou o delegado Fernando
plural).
Vilhena. “Quando o fornecedor desa-
Lato sensu. Desta forma. parece, passam a roubar e a fazer de
Leads. O lead é a abertura da matéria. tudo para conseguir a droga.”
Nos textos noticiosos, deve incluir,
em duas ou três frases, as informa- A que foi classificada como “a ne-
ções essenciais que transmitam ao vasca do século” nos Estados Unidos
leitor um resumo completo do fato. matou pelo menos 100 pessoas e blo-
Precisa sempre responder às questões queou aeroportos, estradas e edifí-
fundamentais do jornalismo: o que, cios com uma camada de até 80 cen-
quem, quando, onde, como e por quê. tímetros de neve. A tempestade obri-
Uma ou outra dessas perguntas pode gou as autoridades a fechar seis aero-
ser esclarecida no sublead, se as de- portos e a declarar estado de emer-
mais exigirem praticamente todo o gência em seis Estados. Em Nova
espaço da abertura. York, 18 pessoas ficaram intoxicadas
Graficamente, recomenda-se que o pelo monóxido de carbono: o gelo
lead tenha no máximo 4 a 5 linhas de obstruiu os canos de escapamento
70 toques. Nada impede, porém, que dos carros.
ocupe uma ou duas linhas, apenas,
em casos excepcionais ou quando se O ator português Joaquim de Al-
tratar de informações de impacto. meida divide a vida entre seus apar-
Mais que nas demais partes do texto, tamentos em Lisboa e Nova York e os
o lead deve ser objetivo, completo, cenários de dezenas de partes dife-
simples e, de preferência, redigido na rentes do mundo. Tem carreira feita
ordem direta. no cinema europeu e norte-america-
Todas as demais recomendações no e fechou o ano com uma satisfa-
feitas a respeito do texto jornalístico ção especial. Adão e Eva, filme 100%
valem especificamente para o lead (as português dirigido pelo amigo Joa-
palavras estranhas ou desconhecidas quim Leitão, rompe com a lingua-
deverão ser sempre explicadas; rebus- gem do cinema lusitano e, em uma
camentos não têm vez na abertura; o semana, bateu um recorde no país:
fato que constitui o lead deve ser foi visto por 30 mil pessoas.
novo; use frases curtas; procure dar
um ritmo adequado à frase e, princi- Nos três casos, todas as informa-
palmente, jamais construa leads de ções importantes constam da abertu-
um único período). ra e qualquer pessoa que tivesse lido
Leads 155 Leads

apenas essas linhas já estaria razoa- presidente brasileiro chegou ontem a


velmente informada sobre o assunto. Paris para uma visita de quatro dias
2 — Burocráticos à França. / A Federação Nacional dos
Em muitos casos, porém, os leads Bancos divulgou ontem os valores
limitam-se a descrever a notícia bu- das novas tarifas que os bancos pas-
rocraticamente, sem a menor preo- sarão a cobrar dos clientes a partir da
cupação de fornecer ao leitor, logo no próxima semana. / O governador de
início, as informações essenciais refe- São Paulo está sendo aguardado
rentes ao fato. Veja um exemplo: amanhã, às 10 horas, na Assembléia
Legislativa, para falar aos deputados
Policiais de Osasco, na Grande a respeito das dívidas do Banespa. /
São Paulo, esclareceram ontem o de- Acontece hoje, às 21 horas, no Bar do
saparecimento de Margarida Almei- Alemão (Avenida Antártica, 554,
da de Souza, de 19 anos, filha de um Pompéia, zona oeste de São Paulo, te-
empresário da cidade. No começo de lefone 011/871-4745), a festa de lan-
março, ela saiu de casa para morar çamento do CD Todas as Vidas.
com o namorado Álvaro de Andrade
Silva, de 23 anos, viciado em cocaí- 3 — Repercussões e suítes
na e maconha, e não deu mais notí- Nas repercussões ou suítes do no-
cias. ticiário, abra a notícia sempre com o
fato mais importante e não diga ape-
Como se pode verificar, o lead ter- nas que houve repercussão ou o fato
mina sem que o leitor tenha a menor prosseguiu. Nunca escreva, por exem-
idéia do que havia acontecido com a plo:
jovem. O texto real seria este:
A denúncia publicada ontem pelo
Filha de um empresário de Fran- Estado, de que parte do equipamen-
cisco Morato, na Grande São Paulo, to destinado às obras da Hidrelétri-
e desaparecida desde março, Marga- ca de Mata Cerrada veio de uma
rida Almeida de Souza, de 19 anos, usina desmontada dos Estados Uni-
foi morta pelo namorado, Álvaro de dos, repercutiu amplamente na ses-
Andrade Silva, de 23 anos, em Mira- são do Congresso. O deputado Lucia-
catu, no Vale do Ribeira. Silva, preso no Machado (PDV-SP) chegou a pro-
anteontem por policiais de Osasco, por o bloqueio dos bens e a prisão ad-
alegou ter cometido o crime porque ministrativa dos responsáveis pela
queria voltar a morar com a mulher sua construção.
e Margarida ameaçava denunciá-lo
por causa do envolvimento dele com Veja como montar o lead da reper-
drogas. cussão:

Repare em outras aberturas total- O deputado Luciano Machado


mente desprovidas de interesse, mas (PDV-SP) propôs ontem o bloqueio
nas quais sempre haveria detalhes dos bens e a prisão administrativa
mais importantes para despertar a dos responsáveis pela construção da
atenção do leitor ou informações Hidrelétrica de Mata Cerrada. O par-
mais consistentes a antecipar: lamentar tomou a decisão como con-
seqüência das denúncias do Estado,
Repercutiu intensamente ontem publicadas ontem, de que parte do
em todo o País a aprovação pelo Con- equipamento veio de uma usina des-
gresso da reforma da Previdência. / O montada dos Estados Unidos.
Leads 156 Leads

Eis outro mau exemplo da suíte de como as fontes consultadas recebe-


um noticiário: ram a notícia:

Durante quase seis horas, oito tes- Empresários e líderes sindicais de


temunhas prestaram depoimento São Paulo, Rio, Porto Alegre e Belo
ontem no 15º Distrito Policial, no in- Horizonte dividiram ontem suas opi-
quérito que apura o caso do comer- niões a respeito do novo pacote fis-
ciante João dos Santos, acusado de cal: alguns o consideraram “razoá-
ter matado com um pontapé o ven- vel”, mas houve quem o qualificasse
dedor ambulante Carlos Augusto de de “caça-níqueis”, como o presiden-
Morais, na Avenida Cidade Jardim, te do Sindicato X, João de Almeida.
sábado passado. O delegado Marcos
Luís de Almeida, que preside o in- 4 — Falta de informações
quérito, e o promotor José Carlos Fi- Há leads que não apenas deixam de
gueira, designado especialmente tratar o fato de forma direta, como
para o caso, ouviram os relatos e fi- pecam por omitir informações essen-
zeram muitas perguntas às testemu- ciais. Veja o exemplo:
nhas.
Ontem à noite, depois de uma reu-
O lead termina e o leitor sabe ape- nião de quatro horas, a direção do
nas que oito testemunhas depuseram. Sindicato dos Trabalhadores em Ho-
Quem lesse a notícia até o fim, téis de Foz do Iguaçu aceitou uma
porém, teria imediatamente à dispo- contraproposta do sindicato dos em-
sição o verdadeiro lead: dos oito de- presários que poderá evitar a greve
poimentos, apenas o da noiva do co- da categoria que paralisaria a cidade
merciante tentava defendê-lo. Todos que, nesta época do ano, recebe mi-
os demais o acusavam pela morte do lhares de turistas.
ambulante. Era isto que a abertura de-
veria afirmar: O texto já começa mal, com com-
plementos que poderiam estar depois
Das oito testemunhas ouvidas da oração principal, e não diz simples-
ontem pela polícia, sete apontaram o mente, nas linhas iniciais, em que
comerciante João dos Santos como consiste a contraproposta que pode
responsável pela morte do vendedor evitar a greve.
ambulante Carlos Augusto de Mo- 5 — “Humanos”
rais, sábado, na Avenida Cidade Jar- A abertura das matérias ditas “hu-
dim. Apenas a noiva do acusado, manas” está entre as mais difíceis de
Maria da Conceição, tentou isentá-lo redigir. Exige criatividade e muito
de culpa. Segundo os depoimentos, cuidado para que o texto não tangen-
Morais matou a vítima com um pon- cie o pieguismo. Estes são dois bons
tapé na cabeça. O delegado Marcos exemplos de leads “humanos”:
Luís de Almeida, que preside o in-
quérito, e o promotor José Carlos Fi- Carlos Ramalho beijou a poça de
gueira, designado especialmente água em que pisou assim que desceu
para o caso, ouviram as testemunhas do ônibus, na plataforma 75 do Ter-
durante seis horas. minal Rodoviário do Tietê. “Quer
melhor chegada para um baiano que
Ao contrário, leia um lead sobre a está fugindo da seca?” Ele ficou sur-
repercussão de fato abrangente no preso na manhã de ontem quando
qual o leitor tem uma idéia global de chegou a São Paulo. Chovia e fazia
Leads 157 Leads

muito frio, “coisa rara na terrinha”. de Souza, deixou claro na reunião do


Antes de saber para que lado ia, pre- Conselho de Desenvolvimento Eco-
feriu andar um pouco descalço, pi- nômico (CDE), no Palácio da Alvora-
sando nas poças de água. da, que os militares não aceitariam
nenhuma redução na forma de cál-
Aos 35 anos de idade, o jornalista culo de seus vencimentos que não
Haroldo de Faria Castro já viajou atingisse igualmente os Poderes Le-
cerca de 1 milhão de quilômetros, vi- gislativo e Judiciário, o setor econô-
sitou 74 países, rodou as Américas a mico do governo federal entendeu
bordo de uma velha Kombi e acabou que tinha pela frente um problema
batendo o recorde de Júlio Verne: deu bem mais sério do que imaginava.
a volta ao mundo em 79 dias, carre-
gando a tocha olímpica da paz. Os dois seqüestradores de Vanes-
sa Carla de Oliveira, de 2 anos e
6 — Interpretados meio, que a mantiveram como refém
Em casos excepcionais e quando a durante 8 horas, na quarta-feira pas-
matéria realmente o justifique, uma sada, e a esfaquearam quando a po-
abertura pode deixar de lado os prin- lícia iniciava o seu resgate, eram ex-
cípios da isenção e objetividade e ad- estudantes da Faculdade João Rama-
mitir algum grau de interpretação, lho, de São Paulo, José Carlos Tanga-
como no exemplo seguinte: nelli, de 26 anos, quartanista de Ad-
ministração de Empresas, e Vicente
A mais significativa vitória de um Lopes da Silva, aluno do primeiro
lobby articulado na atual Consti- ano de Engenharia de Sistemas.
tuinte não foi de empresas especiali-
zadas e organizadas para esse fim ou 8 — Não noticiosos
os financiados pelas poderosas mul- Aberturas não noticiosas também
tinacionais. Foi a do Departamento exigem habilidade, a exemplo das
Intersindical de Assessoria Parla- “humanas”, porque o redator não está
mentar (Diap), que conseguiu a in- lidando com fatos, nos quais a hierar-
clusão, no projeto da Comissão de quia da informação já se estabelece de
Sistematização, de 38 reivindicações maneira mais ou menos automática.
de 9 confederações de trabalhadores, Por isso, é preciso sempre levar ao lei-
9 federações de funcionários públi- tor o ponto central da informação de
cos de nível nacional, 3 centrais sin- maneira atraente e de forma que ele
dicais e mais de 300 sindicatos. perceba que não está diante de uma
notícia propriamente dita. Veja exem-
7 — Intercalações plos:
Se no meio do texto as intercala-
ções exageradas já são condenáveis e Não se sabe a que horas acordam,
desviam a atenção do leitor, no lead quantos maços de cigarros fumam,
tornam-se mais graves, porque podem se bebem antes, durante e depois.
simplesmente afastá-lo de toda a ma- Mas os romances que produzem
téria. Veja dois casos em que os perío- cheiram a dinheiro, quase dispen-
dos deveriam ter sido quebrados em sam publicidade e invariavelmente
frases menores: encabeçam as listas dos mais vendi-
dos. Nesta página, três exemplos des-
Quando o ministro-chefe do Esta- ses escritores-vendedores e seus
do-Maior das Forças Armadas novos lances: Georges Simenon, Jo-
(EMFA), tenente-brigadeiro Alberto hanna Kingsley e Sydney Sheldon.
Leads 158 Legendas

Provar a honestidade. Este é o de- repete o óbvio: que ele cresce no


safio permanente dos homônimos, Natal e nas vésperas de feriados.
vítimas da burocracia da Justiça, das 10 — “Criatividade”
listas telefônicas e até dos computa- Fuja a todo custo da falsa criativi-
dores do Serviço de Proteção ao Cré- dade e da tentação de tornar seu lead
dito. Quando precisam assinar con- engraçado ou muito diferente. Lem-
tratos, logo surgem os fantasmas dos bre-se: essas formas são muito difí-
xarás, que não pagam suas dívidas e ceis de alcançar e o mais que se con-
acabam dificultando os negócios. segue, muitas vezes, são exemplos de
gosto (para dizer o mínimo) discutí-
Entregadores domiciliares de piz- vel como os que se seguem:
zas transformaram-se no alvo prefe-
rido de grupos organizados de jovens Se estivesse vivo, o compositor ita-
delinqüentes da classe média, cuja liano Bellini ficaria feliz ao saber que
ousadia já preocupa os donos das piz- empresta seu nome ao restaurante
zarias. Os jovens cercam os entrega- que tem a vista panorâmica mais bo-
dores e levam as pizzas, o dinheiro e, nita de São Paulo. / A nova equipe
muitas vezes, também a moto ou a que o São Paulo montou para esta
bicicleta. Alguns dos comerciantes temporada sofreu ontem o primeiro
sabem quem são os ladrões, mas abalo. O epicentro do terremoto foi o
nada podem fazer contra eles. campo nº 1 do Centro de Treinamen-
to. / Se o mosquito Aedes aegypti
9 — O óbvio ou lugar-comum pensou que ia ter folga nesta prima-
Fuja da abertura óbvia ou lugar- vera, preparando seu exército para
comum, que pode tanto ser aquela atacar no verão, pode tirar os ovinhos
que se repete sempre nas mesmas da chuva. É que a Sucam iniciará
épocas ou circunstâncias como aque- campanha contra o inseto. / O ven-
la que já foi usada tanto que o bom cedor de Cruzeiro x Palmeiras sai
senso recomenda evitar. Veja alguns hoje do Mineirão gritando: “Sou
exemplos: líder.” A partida tem início às 19
horas. / Nem a legislação eleitoral es-
Se estivesse vivo, o compositor tal capa de drible na terra de Mané Gar-
estaria completando hoje 90 anos de rincha. Em Magé (Grande Rio), o pre-
idade. / Quando fez valer sua in- feito do vizinho município de Guapi-
fluência para embarcar no Hércules mirim, Nélson Costa Mello (PL), 48
C-130 da FAB, o comandante Antô- anos, deu um chapéu na lei que proí-
nio Soares jamais poderia imaginar be a reeleição, safou-se de tentativa
que aquela era sua última viagem. / da Justiça de derrubá-lo na entrada
O movimento das estradas paulistas da área e ficou de cara para o gol nas
começou ontem a ficar muito inten- urnas de 3 de outubro.
so por causa do feriado prolongado
da Semana Santa. / O movimento Legendas. 1 — A não ser em casos
das lojas em São Paulo começa a au- muito especiais, toda legenda do Es-
mentar com a aproximação do Natal. tado tem uma linha de texto.
2 — Não existe ponto-final na le-
As formas se estivesse vivo ou não genda: Presidente ouve ministro: su-
poderia imaginar já foram usadas ao cessão em debate / A defesa conside-
infinito nos leads. E a referência ao rou o capitão “corajoso”: a Justiça de-
movimento nas estradas e nas lojas só cidiu que ele é “indigno da farda”.
Legendas 159 Legendas

3 — As legendas, no Estado, devem, 6 — Não force conclusões exagera-


sempre que possível, cumprir duas das. A foto de uma pessoa aparente-
funções, simultaneamente: descrever mente assustada, sem nada que o jus-
a foto, com verbo de preferência no tifique (principalmente o texto), de-
presente, e dar uma informação ou sautoriza qualquer legenda apressada
opinião sobre o acontecimento. O uso como: Joãozinho no Corinthians: as-
de dois-pontos é recomendável, até sustado com a responsabilidade /
por ser um elemento facilitador. Veja Presidente do PMDB não esconde
alguns exemplos: preocupação: destino do partido está
Presidente ouve ministro: suces- em jogo. O susto de Joãozinho e a
são fora de pauta / Joanésia, vale do preocupação do presidente do partido
Rio Doce: metade da população está podem ser pormenores ocasionais (ou
desabrigada / Moradores reagem: mera presunção), sem nenhum fun-
“Queremos as árvores de volta” / Go- damento nos fatos.
vernador responde a governador: crí- 7 — Nas legendas nas quais o verbo
ticas contra críticas / Réveillon: re- da oração principal esteja no presen-
ceita inclui roupa branca e muito te, a palavra ontem obviamente só
champanhe / Carmem de Oliveira pode figurar na oração acessória, em
cruza a linha: primeira brasileira a que o verbo no passado descreve a cir-
vencer a São Silvestre / Prefeito pro- cunstância do fato: Deputados dei-
mete: “Vou criar uma cidade-mode- xam o plenário, no fim da sessão com
lo”. que o Congresso abriu ontem a nova
4 — Use sempre informações adi- legislatura / Josuel sobe para o rebo-
te, no jogo em que o Brasil venceu a
cionais (esquerda, direita, centro; de
Argentina ontem no Ibirapuera por
bigode, de óculos, curvado; etc.) para
101 a 98.
que o leitor saiba quem é cada um dos
Assim, estão erradas as formas:
personagens da foto: Scalfaro (esquer-
Deputados deixam ontem o plená-
da) lava as mãos: solução política rio / Deputados deixam o plenário
para o caso de Dini (direita) ficará ontem / Josuel sobe ontem para o re-
com o Parlamento / Maria (de óculos) bote / Josuel sobe para o rebote, on-
pede providências a Joana (esquerda) tem.
e Ismênia (direita) / João dos Santos 8 — Mesmo nas legendas de uma
(abaixado) mostra como Alberto Ro- coluna é sempre possível incluir algu-
drigues o atingiu. ma coisa mais que o simples nome da
5 — É indispensável que o detalhe pessoa retratada: Mafalda: trabalho
referido na legenda conste do noticiá- gratuito / Osmar: fusão em marcha /
rio, para que ela não se torne uma in- Prado: quase certo / Steffi: estréia
formação solta e sumária no jornal tranqüila.
nem deixe dúvidas no espírito do lei- 9 — Duas ou mais fotos publicadas
tor. Se a foto apresenta um deputado lado a lado podem ter uma única le-
em cadeira de rodas, explique o moti- genda, com a descrição dos fatos se-
vo na notícia que acompanhar a le- guindo rigorosamente a ordem em
genda. As agências internacionais, que as fotos aparecem na página, da
por exemplo, fornecem com freqüên- esquerda para a direita.
cia fotos desacompanhadas de maté- 10 — Duas ou mais fotos publica-
ria, que se esgotam no flagrante repro- das em coluna poderão ter uma legen-
duzido. Caso as informações sejam da única, igualmente, na mais inferior
insuficientes para fazer parte da notí- delas ou legendas individuais, em que
cia, transforme-as num texto-legen- pode ser usado o recurso das reticên-
da. cias para indicar que a ação conti-
Legiferar 160 Lhe, lhes

nua na foto de baixo: O assaltante Lembrar (significado). Use lembrar ape-


prepara-se para atirar... /... enquanto nas no seu sentido real, de recordar, e
os companheiros tomam posi- não como sinônimo de dizer, em fra-
ção... /... sem perceber o policial ocul- ses nas quais na verdade ninguém
to no banco. está lembrando nada, mas apenas afir-
11 — Ilustrações, tabelas, mapas, mando. E às vezes o que está sendo
gráficos, etc., podem ou não ter legen- lembrado é tão desconhecido para o
da, dependendo de esgotarem a infor- leitor que o verbo perde o real signifi-
mação ou necessitarem de explica- cado. Exemplo: O senador lembrou
ções adicionais. que, na reunião secreta do partido,
12 — Finalmente, evite descrições sua tese foi condenada. Na verdade,
óbvias: Fulano fala ao telefone com ele está revelando e não lembrando.
beltrano / O deputado deixa o recin- Lenda viva. Lugar-comum. Evite.
to da Câmara / O São Paulo entra em Lenin. Desta forma, sem acento.
campo. “Lepra”, “leproso”. Use hanseníase e
13 — Ver também texto-legenda, hanseniano.
página 281. Ler. Conjugação. Pres. ind.: Leio, lês, lê,
Legiferar. Sem s, assim como legiferan- lemos, ledes, lêem. Pret. perf. ind.: Li,
te. leste, leu, lemos, lestes, leram. M.-q.-
Lei. 1 — Inicial maiúscula nas leis ofi- perf. ind.: Lera, leras, lera, lêramos,
ciais: Lei nº 243, Lei do Passe, Lei lêreis, leram. Pres. subj.: Leia, leias,
Áurea, Lei Orgânica dos Municípios. leia, leiamos, leiais, leiam. Imper.
2 — Inicial minúscula nos demais afirm.: Lê, leia, leiamos, lede, leiam.
casos: lei de Gerson, lei da oferta e da Lesa, leso. Não é o verbo lesar, mas o
procura, lei seca. adjetivo leso (redução de lesado) que
Lei Magna. Iniciais maiúsculas. Evite figura em diversas palavras compos-
essa forma, porém. tas. Use, então, lesa antes de palavra
Lemas. Do brasão do município de São feminina e leso com o masculino:
Paulo: Non ducor duco (“Não sou lesa-majestade, lesa-pátria, leso-pa-
conduzido, conduzo”). Do brasão do triotismo, leso-direito. Plural: lesas-
Estado de São Paulo: Pro Brasilia majestades, lesas-pátrias, lesos-pa-
fiant eximia (“Pelo Brasil façam-se as triotismos, lesos-direitos.
melhores coisas”). Dos inconfidentes: Levantar-se. Alguém se levanta, de pre-
Libertas quae sera tamen (“Liberda- ferência, e não levanta, apenas: Le-
de ainda que tardia”). vantaram-se quando ele entrou na
Lembrar (regência). 1 — Lembrar algu- sala. / Levanta-se cedo todo dia. / O
ma coisa: Ele lembrava a mãe. / Sol também se levanta.
Todos o lembraram. / A casa lembra- Lêvedo. Prefira esta forma a levedo (vê).
va a da sua infância. 2 — Lembrar al- Lhama. Masculino: o lhama.
guma coisa a alguém ou lembrar al- Lhe, lhes. 1 — São formas próprias do
guém de alguma coisa: Eles lhe lem- objeto indireto. Substituem a ele, a
braram o compromisso. / Lembra- eles, a você, a vocês: Pedi-lhe (a ele,
ram-no do compromisso. 3 — Lem- a você) que saísse. / Nada lhes agra-
brar-se de alguma coisa: Nunca se da (a eles, a vocês). / Tudo isso lhes
lembrava de nada. / Lembrou-se de (a eles, a vocês) diz respeito. / O filho
que lhe havia prometido um cargo. 4 obedecia-lhe (a ela) em tudo. / Quero
— Modernamente, já se admite a lhes (a eles, a vocês) dizer umas ver-
forma lembrar de: Lembrou de acor- dades. / Vou lhes (a eles, a vocês)
dar cedo. / Lembrou do caso. fazer uma proposta. / Soube inspirar-
Lhe, lhes (possessivo) 161 Lista, listado, “listar”

lhe (a ele, a ela, a você) confiança. / que lhe (os seus) retire os poderes. /
Agradeço-lhe (a você) o favor. / Cus- O irmão encheu-lhe (a sua) a xícara
tou-lhe (a ele) muito fazer isso. / Já de chá.
nada lhe (a ele) importava àquela al- Libertadores. O nome da taça é Liberta-
tura. / Não lhes (a eles) responda dores da e não “de” América.
mal. / O cargo só lhe (a ele, a ela) dera Liderança. 1 — Significa qualidade de
insatisfação. líder, espírito de chefia: O projeto foi
2 — Alguns verbos indiretos não aprovado pelo voto de liderança. /
admitem o pronome lhe, como assis- Todo chefe deve ter boas condições
tir (no sentido de estar presente, ape- de liderança. 2 — Não use a palavra,
nas), ajudar, aspirar, presidir e recor- porém, para substituir líderes, em fra-
rer: Assistiu a ele (a um jogo, por ses como: As lideranças (o certo: os
exemplo). / Ajudarei a você (e não eu líderes) dos partidos reúnem-se hoje
lhe ajudarei). / Aspirava ao cargo. / cedo no Congresso. / O prefeito resol-
Presidiu à reunião (e não presidiu- veu enfrentar as lideranças (o certo:
lhe). / Recorro a você, agora (e não re- os líderes) da oposição.
corro-lhe, agora). O mesmo ocorre Liderar. Pede sempre complemento.
com verbos de movimento como ir, Isto é, quem lidera lidera alguma
comparecer, etc. coisa. Assim, o clube X lidera o cam-
3 — É errado o uso de lhe quando peonato, o deputado Y lidera os dis-
o verbo pede objeto direto em frases sidentes, o Brasil lidera os países la-
como: Não lhe conheço (o certo: Não tinos, etc. Nenhum deles lidera, sim-
o conheço). / A namorada “lhe” dei- plesmente.
xou (A namorada o deixou) / Nunca Lied. Plural: lieder.
“lhe” vi (Nunca o vi). / Eu “lhes” abra-
Limite. 1 — Ver fronteira, página 132.
cei (Eu os abracei). / Eles “lhes” dese-
2 — Liga-se com hífen a outro subs-
jam (Eles as desejam). / Tentara
tantivo: condição-limite, situações-
“lhes” ensinar a viver bem (Tentara
limite.
ensiná-los a viver bem). / O juiz “lhe”
(o) prejudicou. / A derrota vai “fazer- Limpado, limpo. Use limpado com ter
lhes” (fazê-los) meditar. / Queria e haver e limpo com ser e estar: Tinha
“lhe” beijar (beijá-la). / Acusou-o de (havia) limpado, foi (estava) limpo.
“ter-lhe” (tê-lo) roubado. Note que, Linchamento. Implica a morte da víti-
no caso, lhe e lhes seriam substituí- ma. Se esta sobreviver, terá ocorrido
dos por ele, eles, ela, elas, você e uma tentativa de linchamento.
vocês, e não por a ele, a eles, a ela, a Liquefazer, líquido. Sem trema, assim
elas, a você e a vocês. como liquefeito, liquefação, liquida-
Lhe, lhes (possessivo). É considerado ção, liquidante, liquidatário, liquidá-
bom recurso de estilo o uso de lhe ou vel, liquidez, liquidificar, liquidifica-
lhes no lugar de seu, sua, seus, suas: dor, etc.
Cumpriu-lhe (a sua) a vontade. / Feri- Lisboeta. Use esta forma para designar
lhe (a sua) a cabeça. / Um soluço es- o natural de Lisboa.
capou-lhe (do seu) do peito. / Conhe- Lista, listado, “listar”. 1 — Use lista
ço-lhe (os seus) os vícios. / Consegui- tanto para relação como para faixa,
lhe (a sua) a confiança. / Esbarrou-lhe tira: a lista de nomes, lista negra,
(nas suas) nas costas. / O governo duas listas verticais. Igualmente lis-
frustrou-lhe (as suas) as esperanças. / tado: camisa listada, tecido listado.
As lágrimas que lhe (dos seus) cor- 2 — Listar, que os dicionários não re-
riam dos olhos. / Matei-lhes (deles) a gistram, deve ser substituído por re-
fome. / O presidente não quer regime lacionar ou equivalente. 3 — Reserve
Litoral 162 Localização

listagem apenas para a lista feita em Grandes Lagos). Neste caso, à exce-
computador (e não para uma lista ou ção das capitais (e assim mesmo dos
relação qualquer). países mais freqüentes no noticiário)
Litoral. Inicial minúscula: o litoral (do ou das cidades realmente muito co-
Estado ou qualquer outro), o litoral nhecidas, convém sempre especificar
norte, o litoral sul, no litoral norte do o país onde fica o local do aconteci-
Paraná. mento.
Lobby. Plural: lobbies. Formas deriva- 5 — Procure sempre identificar os
das: lobismo e lobista. locais mencionados no noticiário
Locais de São Paulo. Ver São Paulo (lo- oriundo da cidade de São Paulo: A ci-
cais), página 260. dade AE Carvalho, perto de Itaque-
Localização. 1 — As notícias da cidade ra, zona leste... / O Jardim Robru, na
de São Paulo dispensam procedência zona leste... / O bairro tal, na região
(não se usa: SÃO PAULO — O cho- de Santo Amaro, zona sul... / A Vila
que de dois veículos ontem...), mas Brasilândia, na zona oeste... / Os bai-
devem sempre indicar que o fato se xos do Viaduto do Chá, no centro da
realizou na capital. Assim, escreva: A cidade...
votação da nova Lei de Zoneamento 6 — Para a maior clareza do noti-
pela Câmara de São Paulo terminou ciário, procure sempre dar informa-
em tumulto e agressões ontem. / A ções adicionais que ajudem o leitor a
Prefeitura de São Paulo determinou entender melhor a situação descrita:
a reforma do Teatro Municipal... / A A região de Parelheiros, uma das
nova passeata de professores, realiza- mais pobres da zona sul... / A falta de
da ontem na Avenida Paulista, em água no Jardim X, situado em uma
São Paulo, interrompeu totalmente o das áreas mais altas da capital...
trânsito dos Jardins. Ou seja, mesmo 7 — Em qualquer tipo de matéria
nos casos mais evidentes, dê ao leitor de serviços editada em São Paulo
do interior ou de outros Estados con- (shows, espetáculos, o que funciona,
dições de identificar o local do acon- o que fecha, locais de vacinação, lo-
tecimento. cais de exames, galerias, ginásios),
2 — As informações provenientes nunca deixe de incluir o endereço, na
de outras cidades, mesmo da Grande notícia: ele é uma das principais in-
São Paulo, serão identificadas pelo formações que você estará prestando
nome do local de origem na procedên- ao leitor.
cia da matéria. De qualquer forma, 8 — Em casos extraordinários do
sempre que houver possibilidade de noticiário local (espetáculos em áreas
dúvida, não hesite em mencionar, por especiais ou ao ar livre, promoções,
exemplo, nesta cidade. exames, vacinação e outras ativida-
3 — Se a cidade for pouco conheci- des do gênero), pode ser necessário
da (tanto de São Paulo quanto de ou- não apenas fazer um mapa do local do
tros Estados), forneça ao leitor dados acontecimento, como mostrar ao lei-
adicionais sobre a sua localização tor a maneira de chegar a ele (de carro,
(norte de Goiás, divisa de São Paulo ônibus, metrô, trem ou qualquer
com Mato Grosso do Sul, a 600 qui- outro meio de transporte disponível).
lômetros de Salvador, situada no Re- 9 — No noticiário policial da cida-
côncavo Baiano, no litoral catarinen- de, identifique sempre o local da ocor-
se, etc.). rência, sendo obrigatória a menção à
4 — O mesmo vale para cidades do rua, avenida ou praça e ao bairro ou
exterior (norte da Itália, costa do Pa- região do crime, acidente, desaba-
cífico, nordeste do Peru, região dos mento, etc. Se conveniente, dê maio-
Longa-metragem 163 Lugar-comum

res informações a respeito (zona da ci- 1 — As frases e locuções. Entre os


dade ou proximidade de outros bair- chavões mais freqüentes, estão as lo-
ros, por exemplo). cuções e combinações invariáveis de
10 — Sempre que fizer menção a palavras (sempre as mesmas, na
um prédio (escola, hospital, quartel, mesma ordem) que também compro-
sede de empresa ou entidade) ou local metem o texto. Neste caso se enqua-
específico de São Paulo, indique a rua dram ainda as frases feitas que, embo-
onde se situa: O presidente da Repú- ra originárias da linguagem popular
blica visitará amanhã o Hospital X, (dar a volta por cima, por exemplo),
na Rua Y, nº tal. / A reunião realizou- terminam por se repetir à exaustão,
se na sede da empresa X, na Rua Y, produzindo o mesmo efeito do lugar-
nº tal. Caso o local seja muito conhe- comum.
cido, dispensa-se esse tipo de indica- Eis os principais exemplos: abertu-
ção (Hospital das Clínicas, Palácio ra de contagem, abrir com chave de
dos Bandeirantes e outros). ouro, acertar os ponteiros, a duras
11 — Notícias sobre lojas, empre- penas, agarrar-se à certeza de, agra-
sas ou firmas poderão divulgar o seu dar a gregos e troianos, alto e bom
endereço comercial sempre que este som, ao apagar das luzes, aparar as
for necessário para complementar o arestas, apertar os cintos, à sacieda-
serviço que se presta ao leitor. Tome de, a sete chaves, atear fogo às ves-
cuidado, apenas, para que a informa- tes, atingir em cheio, a toque de
ção não dê idéia de matéria paga ou caixa, baixar a guarda, banco dos
promocional. réus, bater em retirada, bola da vez,
Longa-metragem. Plural: longas-metra- cair como uma bomba, cair como
gens. uma luva, cantar vitória, causar es-
pécie, cavalo de batalha, chegar a um
Lorde. 1 — E não “lord”. 2 — Não use
denominador comum, chover a cân-
artigo antes de lorde: Foi à caçada
taros, chover no molhado, chumbo
com lorde Anthony.
grosso, colhido pelo ônibus, colocar
Lúcifer. Palavra proparoxítona. Plural: um ponto final, com a rapidez de um
Lucíferes. raio, comédia de erros, como um
Lugar-comum. O lugar-comum (ou raio, conjugar esforços, consternou
chavão ou clichê) é a frase, imagem, profundamente, contabilizar as per-
construção ou combinação de pala- das, coroado de êxito, correr por fora,
vras que se torna desgastada pela re- cortina de fumaça, crivar de balas,
petição excessiva e perde a força ori- dar com os burros n’água, dar mão
ginal. Deve ser evitado a todo custo forte a, dar o último adeus, debelar
no jornal, pois transmite ao leitor as chamas, de cabo de esquadra, dei-
uma idéia de texto superado, envelhe- tar raízes, deixar a desejar, de mão
cido e sem imaginação. Nem sempre, beijada, depois de um longo e tene-
porém, o chavão tem origem remota: broso inverno, desbaratada a quadri-
há também os casos de clichês recen- lha, de vento em popa, dirimir dúvi-
tes, difundidos principalmente pela das, discorrer sobre o tema, dispensa
televisão e pelo rádio e adotados inad- apresentações, dizer cobras e lagar-
vertidamente pelos jornais. Veja os tos, divisor de águas, do Oiapoque ao
tipos mais usuais de lugares-comuns Chuí, em compasso de espera, empa-
e algumas dezenas deles. Considere- nar o brilho, em ponto de bala, em sã
os exemplos de outros que deverão consciência, encerrar com chave ou
igualmente ser expurgados do noti- com fecho de ouro, ensaiar os primei-
ciário: ros passos, entreouvido em, esgoto a
Lugar-comum 164 Lugar-comum

céu aberto, estourar ou explodir cisiva, chuvas torrenciais, corpo es-


como uma bomba, faca de dois cultural, crítica construtiva, dama
gumes, fazer as pazes com a vitória, virtuosa, desabalada carreira, doce
fazer das tripas coração, fechar as esperança, doença insidiosa, duras
cortinas, fechar com chave de ouro, críticas, eminente deputado ou sena-
fez o que pôde, ficar à deriva, fincar dor, ente querido, escoriações gene-
o pé, fugir da raia, hora da verdade, ralizadas, esposa dedicada, ferros re-
inserido no contexto, jogar a pá de torcidos, filho exemplar, fortuna in-
cal, jogar as últimas esperanças, jogo calculável, gesto tresloucado, grata
de vida ou morte, lavrar um tento, satisfação ou surpresa, ilustre estir-
lenda viva, leque de opções ou de al- pe, ilustre professor, ilustre visitante,
ternativas, levar às barras dos tribu- impiedosa goleada, infausto aconte-
nais, literalmente lotado ou tomado, cimento, inflação galopante, inteiro
lugar ao sol, mão de ferro, morrer de dispor, intriga soez, jogador volunta-
amores, morto prematuramente, na rioso, laços indissolúveis, lamentá-
ordem do dia, nau sem rumo, página vel equívoco, lance duvidoso, lauto
virada, palavra de ordem, parece que banquete, manobra audaciosa, mera
foi ontem, passar em brancas nuvens coincidência, obra faraônica, pai ex-
ou em branco, perder o bonde da his- tremoso, parcos conhecimentos, pa-
tória, perder um ponto precioso, per- voroso incêndio ou desastre, perda ir-
didamente apaixonado, petição de reparável, pertinaz doença, poeta
miséria, poder de fogo, pomo da dis- inspirado, prestigioso órgão, profun-
córdia, pôr a casa em ordem, pôr a das raízes, profundo silêncio, proibi-
mão na massa, pôr as barbas de ção terminante, rápidas pinceladas,
molho, pôr as cartas na mesa, preen- recônditos rincões, relevantes servi-
cher uma lacuna, prendas domésti- ços, rigoroso inquérito, semblante
cas, procurar chifre em cabeça de ca- carregado, silêncio sepulcral ou tu-
valo, propriamente dito, reencontrar mular, singela homenagem, sol es-
o seu futebol, requintes de cruelda- caldante, sólidas tradições, sólidos
de, respirar aliviado, reta final, sa- conhecimentos, sonho dourado, su-
grar-se campeão, saraivada de gol- bida íngreme, suculenta feijoada, ta-
pes, sentar-se no banco dos réus, refa hercúlea, tradicionais estirpes,
tábua de salvação, tecer comentários trágica ocorrência, tumulto generali-
ou considerações, ter boas razões zado, último adeus, vaias estrepito-
para, tirar do bolso do colete, tirar o sas, valoroso soldado, vetusto casa-
cavalo da chuva, tiro de misericór- rão, violento incêndio e viúva incon-
dia, traído pela emoção, trazer à solável.
tona, treinar forte, trilar o apito, tro- 3 — As imagens. As pessoas, cida-
car farpas, via de regra, vias de fato, des e coisas têm nomes. Criar ima-
vida de cachorro e voltar à estaca gens, apelidos ou definições que os
zero. substituam só contribui para a disse-
2 — As duplas. Existem substanti- minação de uma série de lugares-co-
vos e adjetivos que andam sempre aos muns que o jornal, por sobriedade e
pares, formando lugares-comuns fa- bom senso, tem a obrigação de evitar.
cilmente evitáveis. Jamais os utilize como opção para as
Veja alguns deles: agradável sur- palavras que estão entre parênteses:
presa, água cristalina, amarga decep- Garoto do Parque (Rivelino), Ga-
ção, briosa corporação, calor escal- linho de Quintino (Zico), Canhoti-
dante ou senegalesco, calorosa recep- nha de Ouro (Gerson), Cidade Luz
ção, carreira meteórica, cartada de- (Paris), Cidade Maravilhosa (Rio), es-
Lugar-comum 165 Lugar-comum

porte bretão ou esporte das multi- tulos ou textos como: Encerrada a


dões (futebol), tríduo de Momo (car- novela da venda da TV Jaraguá. /
naval), precioso líquido (água), astro- Chrysler no Brasil, longa novela que
rei (Sol), rainha da noite (Lua), solda- pode ter um final feliz. / Termina a
do do fogo (bombeiro), próprio da novela e Juca vai para a Espanha. /
municipalidade (Pacaembu), o maior Estréia de Rossana vira novela.
estádio do mundo (Maracanã), enla- d) Mestre Aurélio. Outra forma ul-
ce matrimonial (casamento), data trabatida é escrever sobre um deter-
magna da Cristandade (Natal), tape- minado tema e começar o texto pela
te verde (gramado), balão de couro definição do dicionário, em geral pre-
(bola), instrumento de trabalho (ban- cedida de: “Segundo mestre Aurélio”.
deirinha), tiro de quina (escanteio), E segue-se a explicação: brega é isto,
profissional do volante (motorista), corrupção é aquilo, leptospirose sig-
etc. nifica..., estrambótico quer dizer...
4 — As idéias. Não são apenas as e) Se estivesse vivo... Além de
palavras, frases, construções ou du- óbvia, esta construção constitui
plas que se reproduzem ao infinito outro lugar-comum a evitar. E, por
nos textos, mas também as idéias ou mais incrível que pareça, sua freqüên-
formas de abrir as matérias. Por isso, cia no noticiário chega a preocupar:
desconfie sempre de imagens “dife- Se estivesse vivo, João de Almeida es-
rentes” que surjam prontas na sua ca- taria completando hoje 90 anos. E
beça e tente lembrar-se se não passam
leva a absurdos como: Se estivesse
de recordações de outras que você já
vivo, Ivan dos Santos faria hoje 400
leu antes. A seguir, algumas dessas
anos.
fórmulas que aparecem com freqüên-
f) Não poderia imaginar... Outro
cia nos textos:
chavão, em geral introduzido por
a) Sonho—pesadelo. A oposição
quando: Quando fez tal coisa, fulano
sonho—pesadelo é uma delas e veja
exemplos reais de como ela já foi em- não poderia imaginar que... / Quan-
pregada em todo tipo de reportagem do recorreu ao Judiciário, o delegado
ou notícia, principalmente nos títu- tal não poderia imaginar que a sen-
los e leads: Casa própria, o sonho que tença final lhe seria desfavorável.
vira pesadelo / Sonho de carro vira g) O fantasma. Mais uma imagem
pesadelo nos consórcios / Classe repetitiva de que convém fugir. Em
média: acaba o sonho e começa mais geral, alguma coisa traz de volta o fan-
um longo pesadelo / Aposentadoria, tasma de outra: Desemprego traz de
o sonho que vira pesadelo a cada fim volta o fantasma da recessão de 83 /
de mês / Ser o próprio patrão, outro Corrida preços—salários traz de
sonho que virou pesadelo / Sonho volta o fantasma da hiperinflação /
palmeirense do tri vira pesadelo / O Decisão revive fantasma do AI-5 /
sonho de Israel virou pesadelo. Empresariado teme a volta do fan-
b) O D, P ou Z da DPZ. Repare tasma do grevismo.
quantas vezes você já leu: Duailibi, o h) Negócio da China. Já se abusou
D da DPZ, ou Petit, o P da DPZ, ou da imagem negócio da China para
Zaragoza, o Z da DPZ. Lembre-se, tornar mais “atraentes” títulos sobre
então: a forma perdeu toda e qualquer a vinda do Brasil de missões daquele
originalidade. país: Missão traz negócio da China
c) A novela. Pense o mesmo com ao Brasil / Preços são verdadeiros ne-
relação à palavra novela no sentido fi- gócios da China / Negócio da China
gurado. Ou você já não viu n vezes tí- chega ao sertão do Nordeste / Empre-
Lugares públicos 166 Maior, mais

sários viajam em busca de negócios


da China.
i) Não convidem para a mesma
mesa ou reunião. Perdeu todo o sabor
de novidade essa recomendação: Não
convidem para a mesma mesa a can- Macho, fêmea. Se o nome do animal for
tora e seu ex-empresário. / Não con- o mesmo no masculino e feminino,
videm para a mesma reunião o mi- acrescente as palavras macho e fêmea:
nistro X e o governador Y. onça macho, onça fêmea, jaguares
j) Vem aí. Diga-se o mesmo do bor- machos, jaguares fêmeas, jacaré
dão vem aí para qualquer notícia re- macho, jacaré fêmea, cobras ma-
ferente ao animador Sílvio Santos chos, cobras fêmeas, etc. Podem-se
(Sílvio Santos vem aí para prefeito, usar também as formas: o macho da
por exemplo). capivara, a fêmea do jacaré, etc.
k) Do cardápio fez parte. Outra Maçom. Desta forma.
forma que o uso exagerado vulgarizou Má-criação, malcriado. Desta forma
é esta: noticia-se um almoço entre (ver mal, mau, página 172).
duas ou mais pessoas e segue-se a in-
Macro... Liga-se sem hífen ao termo se-
formação de que do cardápio fez
guinte: macroanálise, macrobiótica,
parte a sucessão presidencial, a fusão
macroeconomia, macrogameta, ma-
da empresa X com a Y ou qualquer
crorregião, macrossocial.
outro assunto.
l) Também é cultura. Mais uma Madagáscar. Desta forma.
imagem empregada à exaustão: Es- Madame. Não use artigo antes de ma-
porte também é cultura / Verde tam- dame: Conhecia madame Francine.
bém é cultura / Ilusão também é cul- Madri. Desta forma. Madrid, apenas
tura / Quadrinho também é cultura / em nomes escritos no original: Real
Ecologia também é cultura. Enfim, Madrid, Miguel de la Madrid, etc.
tudo o que se quiser também é cultu- Madrileno. Desta forma. “Madrilenho”
ra. não existe.
m) Quente—frio. Trocadilho que o Maestro. Feminino: maestrina.
bom senso aconselha a banir do noti- Mafoma. Use Maomé.
ciário: Corinthians esquenta o verão “Magérrimo”. Prefira magríssimo. Ma-
de Caraguatatuba / Roupas de frio: gérrimo é forma condenada por todos
preços quentes / Liquidações de in- os gramáticos (o certo é macérrimo).
verno aquecem vendas / Preços de Magoar. 1 — Conjugação. Pres. ind.:
roupas de frio podem ser de arrepiar / Magôo, magoas, magoa, magoamos,
Inverno aquece lazer na capital / magoais, magoam. Pres. subj.: Magoe,
Crise esfria comércio de agasalhos / magoes, magoe, magoemos, magoeis,
Produtos de verão chegam com pre- magoem, etc. 2 — Alguém se magoa
ços escaldantes. e não magoa, apenas: O artista ma-
5 — Ver também modismo, página goou-se com as críticas.
180. Maior, mais. Há diferença entre mais e
Lugares públicos. Ver maiúsculas e mi- maior quando colocados antes de
núsculas, página 168, e nomes de lu- substantivo. Use mais para palavras
gares públicos, página 191. ou expressões que indiquem quanti-
Luso... Existe hífen quando a palavra dade e maior, para os casos em que a
final é um adjetivo pátrio: luso-africa- idéia seja de intensificação: Popula-
no, luso-brasileiro. Nos demais casos: ção pede mais escolas. / Municípios
lusofilia, lusófono. exigem mais recursos. / O governo
Maioria 167 Mais que fazer

quer arrecadar mais dinheiro. / Ator vestidos (e não melhor vestidos) do


espera obter maior (e não mais) êxito escritório. / Nunca vi termo mais
em São Paulo. / Maior prazo para mal utilizado (e não pior utilizado)
compras a crédito. / Governador que esse. / Esses eram os textos mais
quer maior decisão do presidente. / mal escritos (e não pior escritos) da
Receita promete maior rigor no com- revista. / Os dois eram, de todos, os
bate à sonegação. / O Brasil pede jornalistas mais bem informados (e
maior ajuda aos bancos internacio- não melhor informados). 2 — Nos de-
nais. mais casos, use sempre melhor e pior:
Maioria. Veja como fazer a concordân- Para melhor (e não mais bem) atin-
cia de a maioria de e a maior parte gir seus objetivos, cercou-se de toda
de: 1 — Deixe o verbo no singular a cautela. / Mesmo que quisesse, não
quando estas expressões antecederem faria pior (e não mais mal) o traba-
uma palavra no plural. Proceda da lho. / Foram os que se saíram melhor
mesma forma com grande número ou pior (e não mais bem ou mais mal,
ou grande quantidade de, uma por- nem foram os que se saíram melho-
ção de, (uma) parte de, um sem-nú- res ou piores).
mero de, etc. Exemplos: A maioria Mais bom que mau. Quando se compa-
dos espectadores assistiu ao show ram qualidades ou atributos, as for-
em silêncio. / Grande número de mas corretas são: O homem é mais
crianças cantou o Hino Nacional. / bom que mau (e não: O homem é
Parte deles chegou atrasada. / Esta- “melhor que pior”). Igualmente: A ci-
va ali grande quantidade de pássa- dade é mais pequena que grande.
ros. / Um sem-número de pessoas foi
Mais de. 1 — Com mais de, use apenas
prejudicado pelos estelionatários.
(Admite-se a concordância no plural, números redondos: mais de 20, mais
em alguns desses casos; no Estado, de 50 (e nunca, por exemplo, mais de
porém, use a forma indicada.) 22, mais de 87, etc.). 2 — Concordân-
2 — Se se considerar a construção cia. Com o complemento: Mais de 20
estranha, em alguns casos (exemplo: pessoas saíram. / Mais de uma deze-
A maioria dos soldados foi ferida), na de pessoas saiu.
pode ser intercalada a expressão na Mais de um. 1 — Verbo no singular se
maioria ou alguma das outras: Os sol- não houver idéia de reciprocidade:
dados, na maioria, foram feridos. / Mais de um preso eu garanto que
Os trabalhadores, em grande quanti- fugiu. 2 — Verbo no plural se a expres-
dade, foram demitidos. são estiver repetida: Mais de um
Maior, menor. 1 — Não existem as ex- homem, mais de uma criança esta-
pressões “a maior” e “a menor”, mas vam ali. 3 — Verbo no plural se hou-
apenas a mais e a menos: dinheiro a ver idéia de reciprocidade: Mais de
mais (e não “a maior”), quantia a um preso se feriram na briga (jorna-
menos (e não “a menor”). 2 — Uma listicamente, é forma a evitar).
pessoa é maior ou menor, e nunca “de “Mais pequeno”. Forma correta e livre-
maior” ou “de menor”. Assim: Ele é mente empregada em Portugal. No
menor (e nunca “de menor”). Brasil, porém, use menor, apenas.
Maior parte. Ver maioria, nesta página. Mais que fazer. Não existe o entre o
Mais bem, mais mal. 1 — Antes de par- mais e o que em frases como: Tenho
ticípio, use mais bem e mais mal em mais que fazer. / Há mais que dizer.
vez de melhor e pior: Não há crítica Da mesma forma: Tenho muito
mais bem-feita que essa (e não me- (pouco, menos) que dizer. / Há muito
lhor feita). / São os homens mais bem (pouco, menos) que fazer.
Mais ruim 168 Maiúsculas e minúsculas

Mais ruim. 1 — Use essa forma apenas Igreja, Justiça, República, Império,
em comparações como: Fulano é mais Constituição (e seus sinônimos,
ruim que bom. / Fulano é mais ruim como Carta Magna, Carta, Lei Mag-
que indiferente. 2 — Nos demais na), Congresso, Parlamento, Consti-
casos: Fulano é mais malvado, mais tuinte.
perverso, mais incompetente (e não 6 — Nos nomes de corpos celestes:
mais ruim) que o irmão. / Fulano está Terra, Lua, Saturno, Andrômeda, Sí-
hoje pior (e não mais ruim) que rius, Sol, Vega, Via-Láctea.
ontem. 7 — Nos títulos de livros, jornais,
Maiúsculas e minúsculas. revistas, artigos e produções artísti-
cas, literárias e científicas em geral
Use maiúsculas (filmes, peças, músicas, telas, teses,
etc.), que vão em itálico no Estado:
1 — No início de período: O preço Grande Sertão: Veredas, Histórias
dos combustíveis aumentará nova- sem Data, Os Sertões, Jornal da
mente. Tarde, Jornal do Brasil, Veja, News-
2 — No início de citação: Deputa- week, Time, Oito e Meio, Platoon,
do acusa: “O governo não governa.” / Com Açúcar e com Afeto, Coração de
Já dizia Machado de Assis: “Ao ven- Estudante, Álbum de Família, Aba-
cedor, as batatas.” Se depois dos dois- jur Lilás, Abaporu, Guernica, A Volta
pontos vier um mero desdobramento ao Mundo em 80 Dias.
da frase (e não citação textual) ou uma Escrevem-se com inicial minús-
enumeração, a palavra começará com cula, no entanto, as partículas conti-
minúscula: Comerciantes alertam: das nesses títulos, independentemen-
faltarão brinquedos no Natal. / A Pre- te do número de sílabas (considere
feitura definiu as prioridades do or- partículas, no caso, os artigos, prepo-
çamento: metrô, pavimentação e sições e suas contrações, conjunções
obras na periferia. e advérbios). Assim, além de o, a, os,
3 — Nos nomes próprios, incluin- as, de, da, das, do, dos, em, na, nas,
do-se entre eles as figuras mitológicas: no, nos, e, sem, com, etc., veja outros
João, Magalhães, Tietê, Mantiqueira, exemplos de partículas em minús-
Deus, Júpiter, Baco. culas: Com a Pulga atrás da Orelha,
4 — Nas datas oficiais e nomes de Reflexões sobre a Vaidade dos Ho-
fatos históricos e importantes, de atos mens, Passagem para a Índia, Memó-
solenes e de grandes empreendimen- rias de um Sargento de Milícias, Um
tos públicos: Sete de Setembro, Quin- Homem, uma Mulher, Tia Zulmira e
ze de Novembro, Inconfidência Mi- Eu, O Samba agora Vai, Mas Deus É
neira, Proclamação da República, Grande, A Lápide sob a Lua, Sermões
Guerra do Paraguai, Revolução dos dum Leigo, Elos de uma Corrente,
Cravos, Renascimento, Revolução Uma Telha de menos, A Falta Que
Francesa, Dia das Mães, Dia da Ela me Faz, Sempre aos Domingos,
Criança, Dia da Ave, Questão Reli- Nas Serras e nas Furnas, Os Meus
giosa, 2ª Guerra Mundial, Reforma Amores.
Ortográfica, Descobrimento da 8 — Na designação de regiões: Bai-
América, Plano Real, Projeto Ron- xada Santista, Baixada Fluminense,
don, Programa de Metas, Acordo Alta Araraquarense, Mogiana, Re-
Luso-Brasileiro, Plano Diretor. gião Norte, Região Sul, Cone Sul, Re-
5 — Nos conceitos políticos ou fi- côncavo Baiano, Vale do Paraíba,
losóficos relevantes: País (o Brasil), Triângulo das Bermudas, Triângulo
Estado (significando uma nação), Mineiro, Planalto Central. Observa-
Maiúsculas e minúsculas 169 Maiúsculas e minúsculas

ção. Use inicial minúscula, porém, Catarina, a Grande; Ricardo Coração


para designações como interior, exte- de Leão.
rior, litoral, litoral sul, zona leste, 14 — Nos nomes das festas religio-
zona sul, etc. sas: Páscoa, Natal, Quaresma, Con-
9 — Nos pontos cardeais, quando fraternização Universal, Ressurrei-
indicam as grandes regiões do Brasil ção, Reis, Finados, Semana Santa,
ou do mundo: Sul, Nordeste, Sudeste, Corpus Christi.
Oriente Médio, Leste Europeu, Oci- 15 — Nos nomes de corporações,
dente, Sudeste Asiático, etc. repartições públicas, entidades, esco-
A inicial é minúscula, no entanto, las, honrarias, prêmios, feiras, festas,
se o ponto cardeal define direção ou exposições, seminários, simpósios e
limite geográfico: o nordeste de congressos: Ministério da Fazenda,
Goiás, o sudeste da Europa, o norte Presidência da República, Estado-
do Irã, o sudoeste dos EUA, o leste da Maior das Forças Armadas, Receita
Espanha. Igualmente: Percorreu o Federal, Federação das Indústrias,
País de sul a norte. / O metrô avança Faculdade de Filosofia, Universida-
no rumo sul. / A cidade fica no leste de de São Paulo, Colégio Objetivo,
da França. / O furacão causou estra- Escola Caetano de Campos, Associa-
gos no oeste das Antilhas. ção de Pais e Amigos dos Excepcio-
10 — Nos nomes de eras históricas nais, Associação de Amigos de Santo
ou épocas notáveis: Antiguidade, Amaro, Feira de Utilidades Domés-
Idade Média, Era Cristã, Quinhentos ticas, Exposição de Móveis Coloniais,
(o século 16), Hégira. Em minúsculas, Congresso Brasileiro de Radiodifu-
porém, quando não se configurar uma são, Festa do Peão de Boiadeiro, Se-
era histórica: era espacial, era nu- minário de Direitos Autorais, Ordem
clear, era industrial, idade das trevas. de Rio Branco, Prêmio Nobel de Lite-
11 — Nos ramos do conhecimento ratura, Prêmio Eldorado, Troféu
humano, quando tomados em sua di- Villa-Lobos.
mensão mais ampla: Ética, Filosofia, 16 — Na denominação de edifícios,
Medicina, Português, Arquitetura, monumentos, estabelecimentos pú-
Astronáutica, Arte, Cultura. Se não blicos ou particulares, estádios, giná-
houver necessidade de relevo espe- sios, autódromos, hipódromos, aero-
cial, use minúsculas: Estuda portu- portos, ferrovias, rodovias, cemité-
guês. / Gosta muito de matemática. / rios, igrejas (enfim, em todos os casos
Formou-se em agronomia. Escreva em que uma designação se incorpore
em maiúsculas as disciplinas de um ao nome próprio): Torre Eiffel, Torre
exame: Fuvest realiza amanhã as pro- do Tombo, Monumento ao Soldado
vas de Língua Portuguesa e Biolo- Desconhecido, Edifício Itália, Paço
gia. / Teste de Física foi considerado Imperial, Biblioteca Nacional, Palá-
o mais difícil. cio do Planalto, Palácio dos Bandei-
12 — Nas leis ou normas econômi- rantes, Editora Nova Fronteira, Casa
cas e políticas consagradas por sua im- Fretin, Gráfica Argos, OESP Gráfica,
portância: Lei de Diretrizes e Bases, Lojas Americanas, Shopping Center
Lei de Comércio dos EUA, Instrução Iguatemi, Cine Ipiranga, Rádio Eldo-
113, Imposto Predial e Territorial Ur- rado, Rede Globo, Rede Bandeiran-
bano, Imposto de Renda, Lei Falcão, tes, Armazém Guararapes, Fazenda
Lei Afonso Arinos, Lei de Segurança Ipanema, Circo Orlando Orfei, Con-
Nacional, Decreto-Lei nº 56. feitaria Brunella, Danceteria Pé-de-
13 — Nos qualificativos ou apeli- Valsa, Gafieira Som de Cristal, Sam-
dos de personalidades: Ivã, o Terrível; bão A Voz do Morro, Metalúrgica Al-
Maiúsculas e minúsculas 170 Maiúsculas e minúsculas

meida, Refinaria do Planalto, Side- do Carmo, Túnel Rebouças, Represa


rúrgica Pereira, Supermercado Amé- Billings.
rica, Escritório IOB, Restaurante 19 — Nos títulos e formas cerimo-
Massimo, Churrascaria Rodeio, niosas de tratamento e suas abrevia-
Hotel Jaraguá, Estádio do Pacaembu, turas: Vossa Excelência, Vossa Emi-
Estádio Brinco de Ouro, Estádio do nência, Sua Senhoria, Vossa Santida-
Maracanã, Estádio Paulo Machado de, Nossa Senhora, V. Exa., V. Ema.,
de Carvalho, Ginásio do Ibirapuera, S. Sa., V. S., N. Sa. Não vão em maiús-
Ginásio João dos Santos, Autódromo culas as formas de tratamento co-
Nelson Piquet, Autódromo de lnter- muns e suas abreviaturas: doutor,
lagos, Hipódromo da Gávea, Aero- doutora, senhor, senhora, dom, dona,
porto de Cumbica, Aeroporto de sir, mister, dr., dra., sr., sra., d., mr. (a
Congonhas, Aeroporto Santos Du- norma oficial, no entanto, manda es-
mont, Ferrovia Norte—Sul, Ferrovia crevê-las em maiúsculas).
do Aço, Rodovia dos Imigrantes, Ro- 20 — Além da palavra Deus, nas
dovia Fernão Dias, Via Dutra, Via demais a ele referentes ou nos seus
Anchieta, Cemitério do Araçá, Cate- equivalentes em outras religiões: o
dral da Sé, Igreja da Candelária, Igre- Pai, o Onipotente, o Seu nome, Ele, o
ja N. Sa. do Brasil. Criador, o Todo-Poderoso, Jeová, Alá,
Não vão em maiúsculas, porém, as o Padre Eterno, o Senhor.
simples indicações a respeito de um 21 — Nos nomes de entidades re-
nome próprio: estádio do Guarani, ligiosas, santos, anjos e demônios:
aeroporto de Cascavel, a livraria do Virgem Maria, Virgem, Espírito
Conjunto Pereira, a igreja de Taqua- Santo, o Salvador, Nosso Senhor, São
ritinga, o hotel de Abrolhos, o teatro Pedro, São Paulo, Santo Antônio,
da Galeria Amigos da Arte, o autó- Santo Ivo, Santa lnês, Santa Marta,
dromo de Ribeirão Preto, a rádio de São Miguel, São Gabriel, Satanás,
Bons Ares, o restaurante do João Belzebu, Satã, Lúcifer.
(desde que esse não seja o nome da 22 — Nos nomes comuns, quando
casa), etc. personificados ou individualizados: a
17 — Nos acidentes geográficos e Virtude, o Amor, a Ira, o Bem, o Mal,
sua denominação: Rio Tietê, Serra do o Lobo, o Cordeiro, a Cigarra, a For-
Mar, Baía de (e não da) Guanabara, miga, o Estado (São Paulo), o País
Pico da Neblina, Ribeirão das Lajes, (Brasil), a Nação (Brasil).
Golfo Pérsico, Mar do Norte, Mar Ver- 23 — Na designação dos orixás ou
melho, Ilha Solteira, Ilha de Marajó, figuras da umbanda: Xangô, Iansã, Ie-
Cabo da Boa Esperança, Lagoa dos manjá, Ogum, Oxum, Oxalá, Exu.
Patos, Oceano Atlântico, Atol das 24 — Nos nomes de torneios e
Rocas, Morro do Borel, Monte Eve- campeonatos: Torneio Sul-América,
rest, Canal da Mancha, Montanhas Campeonato Paulista de Futebol,
Rochosas, Saco do Ribeira. (Segundo Campeonato Gaúcho, Campeonato
a norma oficial, no entanto, são em Sul-Americano, o Sul-Americano,
minúsculas: rio Tietê, monte Eve- Jogos Abertos, Jogos Olímpicos, Jogos
rest.) Pan-Americanos, o Pan-Americano,
18 — Nos nomes de vias e lugares Torneio da Amizade, Copa do
públicos: Avenida Paulista, Rua Au- Mundo, Copa União, Taça América,
gusta, Largo da Carioca, Praça da Re- Troféu Brasil.
pública, Ladeira General Carneiro, 25 — Nos nomes próprios compos-
Travessa da Piedade, Parque do Ibi- tos (unidos por hífen), todos os seus
rapuera, Marginal do Pinheiros, Beco elementos vão em maiúsculas: Acor-
Maiúsculas e minúsculas 171 Maiúsculas e minúsculas

do Luso-Franco-Brasileiro, Grã-Bre- dência do Abastecimento, Câmara


tanha, Pantanal Mato-Grossense, Municipal, Justiça Federal, Senado.
Grupo Anti-Seqüestro, Associação Exceção: governo.
Extra-Sensorial, Todo-Poderoso, De- 3 — Na designação das festas
creto-Lei nº 5, Procuradoria-Geral, pagãs: carnaval, bacanais, saturnais.
Vice-Presidência, Instituto Médico- 4 — Nos compostos em que o
Legal, Inquérito Policial-Militar. nome próprio se torna parte integran-
te de um substantivo comum: coco-
Use minúsculas da-baía, pau-brasil, castanha-do-
pará, joão-de-barro, ao deus-dará,
1 — Para designar as estações do banho-maria, água-de-colônia.
ano, os meses e os dias da semana: pri- 5 — Nos nomes próprios que se tor-
mavera, verão, janeiro, dezembro, se- naram sinônimos de outros comuns:
gunda-feira, sábado. Quando os Foi escolhido para cristo. / Era o judas
meses fazem parte de datas históricas da escola. / Agia como um dom-qui-
ou dos nomes de lugares públicos, es- xote. / Tornou-se um mecenas. /
crevem-se com inicial maiúscula: Comportava-se como um barba-
Largo 7 de Setembro, Avenida 9 de azul. / O país deixou de ser o eldora-
Julho, Rua 13 de Maio, o 7 de Setem- do do futebol.
bro, o 15 de Novembro. 6 — Nos adjetivos pátrios e gentí-
2 — Na designação das profissões licos e nos nomes de tribos indígenas:
e dos ocupantes de cargos, como pre- os brasileiros, os alemães, os roma-
sidente, ministro, governador, secre- nos, os guaranis, os xavantes, os tu-
tário, prefeito, papa, arcebispo, car- canos, os caingangues.
deal, princesa, príncipe, rei, rainha, 7 — Nos nomes de personagens ou
barão, duque, visconde, diretor, supe- entidades do folclore: saci, mula-sem-
rintendente, inspetor, advogado, en- cabeça, curupira, caipora, cuca, lobi-
genheiro, professor: O presidente Fer- somem, iara.
nando Henrique, o ministro Antônio 8 — Com o nome palácio quando
Kandir, o prefeito Celso Pitta, o papa isolado: O presidente voltou a palá-
João Paulo II, a princesa Anne, o prín- cio. / O deputado estava em palácio
cipe Charles, a rainha Elizabeth, o com o governador. / O prefeito vai a
duque de Caxias, o visconde de Ouro palácio amanhã.
Preto, o diretor da Receita Federal, o 9 — Nas formas adjetivas que de-
chefe do Gabinete Civil, o superin- signam dinastias: carolíngios, angevi-
tendente da Sunab, o inspetor de En- nos, sassânidas.
sino, o advogado João da Silva. (A 10 — Nas partículas contidas nas
norma oficial determina maiúsculas expressões ou locuções em maiús-
para os “nomes que designam altos culas (ver a segunda parte do item 7
cargos, dignidades ou postos”, como das instruções referentes às iniciais
Presidente da República, Cardeal de maiúsculas, página 168, que se aplica
São Paulo, Ministro da Educação, a todos os casos deste capítulo).
Embaixador do Peru, etc.)
As instituições, entretanto, vão em Casos especiais
maiúsculas: Presidência da Repúbli-
ca, Vice-Presidência da República, 1 — Na segunda referência a um
Ministério da Justiça, Secretaria da órgão, entidade, estabelecimento,
Fazenda, Chefia de Gabinete, Direto- empresa, etc., a norma é usar minús-
ria de Trânsito, Inspetoria de Ensino, culas: O Ministério da Fazenda divul-
Comissão de Finanças, Superinten- gou ontem o novo pacote econômico.
Mal... 172 Mal, mau

Com ele, o ministério pretende... / A xadas Santista e Fluminense, as Re-


Comissão de Sistematização encer- giões Sudeste e Nordeste, os Vales do
rou os trabalhos de redação da nova Paraíba, do Ribeira e do Jequitinho-
Carta. Agora, a comissão... / A Rádio nha, os Campeonatos Paulista e Gaú-
Eldorado divulgou as normas de seu cho, as Ruas Augusta e Direita, as
prêmio de música. Este ano, a rádio Avenidas Paulista e Ipiranga, os Par-
distribuirá... / Joseph Rothblat ga- ques do Ibirapuera e do Carmo, as
nhou o Prêmio Nobel da Paz de 1995. Marginais do Pinheiros e do Tietê, as
O prêmio, no valor... / A Universida- Rodovias Castelo Branco e Fernão
de de São Paulo mudou as normas do Dias, as Baías de Guanabara e de Pa-
seu vestibular. Pelo novo regulamen- ranaguá, os Picos do Jaraguá e da Ne-
to, a universidade... / O Imposto de blina, os Rios Tocantins e Xingu.
Renda aumentou novamente suas 3 — Ver em cada verbete as normas
alíquotas. Por elas, o imposto... / O para o uso (maiúsculas ou minús-
Shopping Center Iguatemi vai come- culas) das palavras Estado, País, Pre-
morar mais um aniversário. Desta feitura, Município, ministério, secre-
vez, o shopping center fará... / O Tri- taria, administração regional, inte-
bunal Federal de Recursos negou rior, exterior, litoral e capital.
ontem a liminar pedida... Segundo o Mal... 1 — Exige hífen antes de vogal e
julgamento do tribunal... h: mal-agradecido, mal-apessoado,
Algumas exceções: o Fundo (Mo- mal-educado, mal-entendido, mal-
netário Internacional), o Clube (de intencionado, mal-ouvido, mal-usar,
Paris), o Supremo (Tribunal Federal), mal-humorado. Nos demais casos:
o Congresso (Nacional), a Câmara malcasado, malcheiroso, maldormi-
(Municipal), a Assembléia (Legislati- do, maldisposto, malfeito, malgosto-
va). so, malmandado, malnascido, mal-
2 — Continuará com inicial maiús- passado, malsucedido, maltrabalha-
cula a palavra que servir para designar do, malventuroso. 2 — Ver no capítu-
o nome de dois ou mais órgãos, em- lo Escreva Certo quando usar mal li-
presas, entidades, leis, normas econô- gado ao outro termo. Nas palavras não
micas ou políticas, corporações, re- constantes da relação, use mal sepa-
partições, prêmios, feiras, edifícios, rado do segundo elemento: mal edita-
monumentos, estabelecimentos, es- do, mal preparado, mal resolvido,
tádios, ginásios, ruas, vias, regiões, etc. 3 — Não confunda com os casos
acidentes geográficos, etc.: os Minis- em que mal é sinônimo de doença:
térios da Economia e da Justiça, as Fe- mal-canadense, mal-francês, mal-
derações da Indústria e do Comércio, polaco, mal-turco.
as Leis Falcão e Fleury, os Impostos Mal, mau. Adote esta regra prática: mal
Predial e de Renda, os Planos Cruza- opõe-se a bem e mau, a bom. Faça a
do e Real, os Colégios Objetivo e Ar- substituição e ficará clara a forma cor-
quidiocesano, os Prêmios Eldorado e reta: mal-estar (bem-estar), mal-in-
Molière, os Aeroportos de Cumbica e tencionado (bem-intencionado),
Congonhas, os Edifícios Itália e mal-humorado (bem-humorado),
Copan, os Cines Ipiranga e Marabá, praticar o mal (praticar o bem), mau
os Estádios do Pacaembu e do Mo- humor (bom humor), mau cheiro
rumbi, os Palácios do Planalto e da (bom cheiro), mau dia (bom dia), mau
Alvorada, os Atos Institucionais nº 2 desempenho (bom desempenho),
e nº 5, as Torres Eiffel e do Tombo, as mau uso (bom uso), nada de mau
Igrejas da Candelária e da Consola- (nada de bom). Exemplo com os dois
ção, as Copas União e Brasil, as Bai- casos: A carta estava mal (bem) escri-
Mal de ... 173 Marido e mulher

ta, em mau (bom) português. Siga a teram”); mantivera (e não “mantera”);


mesma norma no feminino: malcria- se ele mantivesse (e não “se ele man-
da (bem-criada), má-criação (boa cria- tesse”); se ele mantiver (e não “se ele
ção), má fama (boa fama), mal-afama- manter”).
da (bem-afamada). “Manter o mesmo, o seu”. Formas re-
Mal de ... Ver doenças, página 100. dundantes. O técnico mantém o time
Maldizer. Conjuga-se como dizer (ver, (e não “o mesmo” — poderia manter
página 99). outro?). / O ministro mantém a equi-
Mal-entendido. Com hífen. Plural: mal- pe (e não “a mesma”). O possessivo
entendidos. também é dispensável em frases
Mal-estar. Com l e hífen. como: Aeroviários mantêm a sua pa-
Malgrado, mau grado. Malgrado equiva- ralisação (eles simplesmente man-
le a apesar de e não varia: Malgrado têm a paralisação).
nossos esforços, o remédio não che- Manuel. Com u: Rodovia Manuel da
gou a tempo. Mau grado ou de mau Nóbrega, d. Manuel, Manuel Antônio
grado (grado quer dizer vontade) entra de Almeida, São Manuel, Rua Padre
em frases como: Mau grado meu, trou- João Manuel. Com o apenas se a pes-
xe o amigo consigo (contra a minha soa escrever o próprio nome dessa
vontade). / Saiu de mau grado (cons- forma.
trangidamente). Mapa-múndi. Plural: mapas-múndi.
Manchete. Use a palavra apenas para in- Maquiagem, maquiar. Use estas formas,
dicar título que ocupe toda a extensão em vez de maquilagem e maquilar.
da página. Máquina. a) Liga-se com hífen a outro
...mancia. Todas as palavras formadas substantivo: homem-máquina, ho-
por este sufixo têm o acento na sílaba mens-máquina. b) Uma pessoa senta-
ci: quiromancia, cartomancia, etc. se à máquina para trabalhar. Sentar-
Mandado, mandato. Mandado é uma se na máquina é acomodar-se em
ordem judicial: mandado de prisão, cima dela.
mandado de segurança, mandado de Maravilhas. Veja quais são as sete mara-
busca e apreensão. Mandato significa
vilhas do mundo antigo: as pirâmides
representação, delegação: mandato de
do Egito, os jardins suspensos da Babi-
deputado, mandato de senador.
lônia, a estátua de Júpiter em Olímpia,
Mandar com pronome. Use sempre o Colosso de Rodes, o templo de Diana
mande-o sair, mande-me ficar, man- em Éfeso, o mausoléu de Halicarnas-
de-nos partir, etc., e nunca mande
so e o farol de Alexandria. Como se vê,
“ele” sair, mande “eu” ficar, mande
a Muralha da China não é uma delas.
“nós” partir, etc.
Mar. Inicial maiúscula: Mar do Norte,
Mandar mais infinitivo. 1 — Não flexio-
Mar Vermelho.
ne o infinitivo: Mandou-os sair. / O
técnico mandou os jogadores atacar. Marajá. Feminino: marani.
2 — Ver infinitivo, página 145. Marcha à ré. Com crase.
Maneira. Ver de maneira que, página 89. Marchand. Feminino: marchande.
Maneira pela qual. Prefira maneira pela Marcha-rancho. Plural: marchas-ran-
qual (maneira pela qual foi contrata- cho.
do, p. ex.) a maneira como. Marginal do. Desta forma: Marginal do
Manga-larga. Plural: mangas-largas. Pinheiros, Marginal do Tietê (e não
Manter. Atenção para algumas formas: Marginal Pinheiros, Marginal Tietê).
mantinha (e não “mantia”); manteve, Marido e mulher. Chame as pessoas ca-
mantiveram (e não “manteu”, “man- sadas de marido e mulher, em vez de
Marimbondo 174 Médico...

esposo (que não se justifica jornalisti- tinha matado o traficante. / O trafi-


camente) e esposa (admissível apenas cante foi morto pelo PM. / O menino
para a mulher de uma personalidade: estava morto havia duas horas. / O
a esposa do embaixador, a esposa do suspeito negou haver matado o hu-
primeiro-ministro). Não use senhora morista.
nesse sentido, a não ser de forma irô- Matéria. É palavra do jargão jornalísti-
nica. co. Use, conforme o caso, notícia, in-
Marimbondo. Prefira esta forma a mari- formação, reportagem, texto, artigo,
bondo. comentário, editorial, crítica, crôni-
Mas. 1 — Use vírgula antes de mas: Ia ca, etc. Reserve a designação matéria
retirar o apoio ao deputado, mas na apenas para uso interno.
última hora reconsiderou a decisão. / Material. Já significa conjunto de com-
O advogado dispôs-se a defender o ponentes e por isso não deve ir para o
réu, mas considerava a causa anteci- plural em locuções como material de
padamente perdida. / Bonitinha, mas construção (e não materiais), mate-
Ordinária. 2 — Não existe vírgula, no rial dentário, material hospitalar,
entanto, depois da conjunção: Queria material bélico, etc.
sair. Mas ia esperar o tempo melho- Matiz. Palavra masculina: um matiz, os
rar (e não: “Mas,” ia esperar...). A matizes.
única exceção ocorre com orações in- Mato Grosso (do Sul). Mato Grosso e
tercaladas: Queria sair. Mas, para não
Mato Grosso do Sul, sem artigo: em
tomar chuva, ia esperar o tempo me-
Mato Grosso, em Mato Grosso do Sul
lhorar.
(e não “no” Mato Grosso, “no” Mato
Mas... no entanto. Constituem redun- Grosso do Sul); Mato Grosso, Mato
dância, se usados na mesma frase: Grosso do Sul (e não “o” Mato Gros-
Saiu cedo, mas não conseguiu, “no so, “o” Mato Grosso do Sul).
entanto”, chegar na hora. Use: Saiu
Mau. 1 — Ver mal, mau, página 172.
cedo, mas não conseguiu... / Saiu
2 — Ver em é preciso, página 111, a
cedo, no entanto não conseguiu... Da
concordância de é mau.
mesma forma, nunca empregue si-
multaneamente “mas porém”, “mas Mau-caráter. O plural é sempre maus-
contudo”, “mas entretanto”. caracteres, e nunca “maus-caráteres”.
Masp. É a sigla do Museu de Arte de São Mau grado. Ver malgrado, página 173.
Paulo, e não do Museu de Arte Mo- Maxi... Liga-se sem hífen ao elemento
derna. seguinte, duplicando-se o r e o s: ma-
Mas que. O mas não tem função e deve xidesvalorização, maxielemento,
ser suprimido em frases como: Os me- maxirreator, maxissaia, maxiusina.
talúrgicos pretendiam promover Por questões gráficas, use hífen ape-
uma assembléia, (mas) que não se nas antes de h: maxi-homem.
realizou por falta de número. / Ele é Máxi. Tem acento e plural, quando
o piloto titular, (mas) que está de li- substantivado: a máxi (desvaloriza-
cença este ano. ção), as máxis (saias).
“Massivo”. Não existe em português. Média. Concordância no singular: Uma
Use maciço ou compacto. média de dez telefonemas é recebida
Mata atlântica. Inicial minúscula: A por dia pelo serviço.
área conserva vestígios da mata Mediar. Conjuga-se como odiar (ver, pá-
atlântica / Associação defende a ma- gina 203): medeia, medeiam, medeie,
ta atlântica. etc.
Matado, morto. Use matado com ter e Médico... Liga-se com hífen ao elemen-
haver e morto, com ser e estar: O PM to seguinte, tanto na formação de
Medida 175 Melhor

substantivos como na de adjetivos gaempresa, megaindustrial, me-


compostos: médico-chefe, médico-ci- gaohm, megausina, megacomputa-
rurgião, médico-cirúrgico, médico- dor, megarregião, megashow, megas-
dentário, médico-hospitalar, médi- sucesso, megahertz, megaprojeto. 2
co-legal, médico-legista. Exceções: — Quando possível, evite, porque se
medicomania e medicomaníaco. tornou lugar-comum incontrolável.
Medida. Veja a diferença entre as expres- Meio. 1 — Invariável (por ser advérbio)
sões: 1 — À medida que (e não “à me- quando equivalente a mais ou menos,
dida em que”) equivale a à proporção um pouco: meio adoentada (um
que, ao mesmo tempo que, conforme: pouco adoentada), meio abertos (mais
As mortes iam aumentando à medi- ou menos abertos), meio escondidas
da que a epidemia se alastrava. / À (um pouco escondidas). 2 — Variável
medida que conquistava cargos, tor- (por ser adjetivo) quando acompanha
nava-se mais autoritário. 2 — Na me- um substantivo: meia dúzia, duas
dida em que corresponde a tendo em meias porções, meias garrafas,
vista que: Na medida em que não te- meios-termos, meias-palavras, meio-
nham ficado claras as acusações, irmão, meias-irmãs.
todos estão sob suspeita. / É preciso Meio-de-campo. E não “meio-campo”.
cumprir as leis, na medida em que Plural: meios-de-campo.
elas existem. 3 — Quando a locução Meio-dia, meia-noite. Exigem artigo: o
na medida em que puder ser substi- meio-dia, a meia-noite, desde o meio-
tuída por se, uma vez que, porque ou dia, a partir da meia-noite, do meio-
desde que, use uma destas formas: O dia à meia-noite.
pacto só será possível se (e não “na Meio-dia e meia. É a forma correta:
medida em que”) as partes interessa- meio-dia e meia (hora).
das mantiverem entendimentos de Meio-irmão. Flexões: meios-irmãos,
alto nível. / A mudança de país é boa meia-irmã e meias-irmãs.
porque (e não “na medida em que”) Meio-soprano. O meio-soprano (se se
abre perspectivas favoráveis para o tratar de homem ou menino com essa
jogador. / Estavam preocupados com voz) e a meio-soprano (cantora): o
o prédio, uma vez que (e não “na me- meio-soprano Luís Sílvio; a meio-so-
dida em que”) as rachaduras já amea- prano Neusa Ribeiro; as meios-sopra-
çavam a sua segurança. nos Neusa Ribeiro e Arlete de Almei-
Medida provisória. A expressão só tem da; Arlete de Almeida, meio-soprano
inicial maiúscula quando acompa- brasileira. Use esta forma e não a ita-
nhada da numeração: O governo vai liana “mezzosoprano”.
reeditar a Medida Provisória 382, que Melhor. 1— Antes de particípio, use
limita os reajustes salariais do fun- mais bem, e não melhor: mais bem
cionalismo. Nos demais casos: O go- classificados (e não “melhor classifi-
verno vai reeditar a medida provisó- cados” ou, menos ainda, “melhores
ria que limita os reajustes salariais classificados”), mais bem editado,
do funcionalismo. / Até o fim do mês, mais bem situada, mais bem-feito.
o governo enviará ao Congresso me- Ver mais bem, mais mal, página 167.
dida provisória que altera o Imposto 2 — Quando adjetivo, varia (equivale
de Renda das empresas. a mais bom): Eles eram melhores
Medo de que. Prefira essa forma a medo (mais bons) que todos. / Muito me-
que: Tinha medo de que (e não medo lhores (mais bons) que seus conselhos
que) não o avisassem. eram seus atos. / Melhores (mais
Mega... 1 — Liga-se sem hífen ao ele- bons) que ele, só os irmãos. 3 — Quan-
mento seguinte: megaartista, me- do advérbio, permanece invariável
Melhor (a, o) 176 “Mencionar que”

(equivale a mais bem): Eles estavam um balanço do primeiro semestre ou


melhor (mais bem) de vida. / Jogaram ano de um governo (municipal, esta-
melhor (mais bem) que antes. dual ou federal), de um programa ofi-
Melhor (a, o). 1 — Quando houver ho- cial (Plano Real), de uma ausência
mens e mulheres numa relação, se se muito sentida (um ano sem Tom
quiser dizer que uma mulher é quem Jobim). Em outros casos, datas como
mais se destaca, o artigo ficará no 15, 35, 40, 60 ou 80 anos podem ser
masculino: Maria é o melhor funcio- excelente pretexto para reviver fato
nário da empresa (se se disser que aparentemente esquecido ou persona-
Maria é a melhor funcionária da em- gem de que se fale pouco ultimamen-
presa, ela estará sendo comparada te (revolta de Aragarças ou Jacarea-
apenas com as demais mulheres, e canga, aniversário da morte de escri-
não com todos os empregados). Ou- tores como Otávio de Faria, 75 anos
tros exemplos: Ela é o melhor profes- da Semana de Arte Moderna, 35 anos
sor da escola. / Muitos a consideram da 1ª Bienal de São Paulo, etc.).
o melhor escritor da sua geração. / 3 — Mesmo que, aparentemente,
Matilde é o melhor deputado da atual não exista nada de novo a respeito,
legislatura. 2 — Proceda da mesma nunca deixe cair no esquecimento
forma com a pior, o pior. fatos que tenham sido objeto de inten-
“Meliante”. Jargão policial. Use assal- so noticiário jornalístico meses ou
tante, ladrão, marginal, bandido, etc. anos antes, sem, no entanto, se pode-
(desde que o sejam, comprovadamen- rem considerar encerrados. Fugas es-
te). petaculares (onde anda quem fugiu?),
Membro. Use como adjetivo quando irregularidades denunciadas e não
vier depois de um substantivo: país apuradas de forma definitiva ou con-
membro, estados membros. clusiva, crimes ainda não esclarecidos
Memorando. Prefira esta forma ao latim (afinal, onde estão os suspeitos, os
memorandum. mandantes, os cúmplices?), obras in-
Memória. 1 — Fatos importantes deve- terrompidas ou muito lentas (usinas
rão ser sempre evocados pelo jornal de Angra, Ferrovia do Aço, rede de
por ocasião do aniversário deles, silos, etc.). O necessário, apenas, é que
desde que se trate de datas redondas, se procure um ângulo novo ou menos
como, em geral, 1, 5, 10, 25, 50, 75, explorado para justificar a volta ao as-
100, 150, 200, 250, 300, 400 ou 500 sunto. Muitas vezes, no entanto, a
anos. Valem para esse registro ocor- própria omissão e desleixo dos res-
rências policiais que marcaram época, ponsáveis serão motivo suficiente
nascimento e morte de alguém, lan- para tanto.
çamento de um movimento artístico, 4 — Nunca deixe de consultar o le-
político ou econômico, edição de livro vantamento preparado pelo Arquivo
histórico, etc. Quando se tratar de do Estado com a relação das principais
acontecimentos relativamente recen- efemérides do mês. Nele você encon-
tes, nunca deixe de mencionar onde trará sempre assuntos que merecem
está ou o que faz hoje cada uma das ser relembrados.
pessoas envolvidas no noticiário da 5 — Ver também pesquisa, página
época. A dimensão da matéria ficará 217.
na dependência direta da importância “Mencionar que”. Menciona-se alguém
do evento que se pretenda recordar. ou alguma coisa, mas não se mencio-
2 — Nem sempre, porém, apenas na que...: Negou-se a mencionar a
essas datas justificam matérias. Por fonte. / Mencionou o fato com deta-
exemplo, é sempre conveniente dar lhes. / Mencionou a atuação do dele-
Menor 177 Milhão, milhar

gado no caso (e não: Mencionou que vai definir como se fará a premiação,
o delegado tivera participação no ou seja, como o público poderá parti-
caso). cipar “da mesma”. / A moça voltou
Menor. Ver maior, menor, página 167. de viagem e “a mesma” fará amanhã
Menos. 1 — Palavra invariável (usar o vestibular. / Os diretores da empre-
“menas” constitui erro grosseiro). 2 — sa reuniram-se ontem e os funcioná-
Concordância: ver exceto, página 122. rios saberão amanhã as decisões “dos
Menos de. Concorda com o comple- mesmos”. / Cada vez que uma auto-
mento: Menos de dez atletas chega- ridade policial prendesse um bandi-
ram ao fim da corrida. / Menos de do, “a mesma” deveria ser condecora-
duas pessoas saíram da sala. / Menos da.
de uma dezena de pessoas estava pre- Mestre. Feminino: mestra.
sente. Metade de. Concordância. Deixe o
“Mentalização”. Não use. verbo no singular: Metade das terras
...mente. Ver advérbios em mente, pági- me pertence. / Metade das pessoas já
na 32. devia ter chegado. / Metade dos alu-
Mentir. Conjugação. Pres. ind.: Minto, nos foi aprovada. / Metade de nós
mentes, mente, mentimos, mentis, havia saído.
mentem. Pres. subj.: Minta, mintas, Meteoro... O prefixo é esse, e não “me-
minta, mintamos, mintais, mintam. tereo”... Assim, meteorologista, me-
Menu. Prefira cardápio. A palavra, teoroscópio, e nunca “metereologia”,
porém, está liberada na informática. etc.
Meritíssimo. Nunca “meretíssimo” (a Metro. Ver distância, página 98.
palavra relaciona-se com mérito). “Mi”. Nunca use esta forma para subs-
Mesa. Uma pessoa senta-se à mesa para tituir milhão ou milhões.
trabalhar, almoçar, etc. Sentar-se na Micro. 1 — Liga-se sem hífen à palavra
mesa é acomodar-se em cima dela. ou elemento de composição seguinte:
Mesmo, mesma. 1 — Mesmo varia nor- microacústico, microempresa, mi-
malmente quando colocado depois de croonda, microrregião, microssegun-
substantivo ou pronome pessoal. do, microcomputador. 2 — A forma é
Pode ser substituído, para maior com- aceitável em títulos como redução de
preensão, por próprio, própria: A pro- microempresa ou microcomputador.
fessora mesma (a própria professora) 3 — Use micro e micros para a unida-
preparou a sala de aula. / Eles mes- de de medida, em vez de mícron e
mos (próprios) fizeram a viagem. / micra.
Joana e Maria mesmas (próprias) pre- Mídia. Use esta forma, e não “media”.
pararam a festa. / Pensaram consigo Mil. 1 — Não use “um mil”, mas apenas
mesmos (próprios). / Conseguiu o em- mil reais, mil pessoas, mil exempla-
prego por si mesma (própria). 2 — res, etc. 2 — Por se tratar de numeral,
Quando equivale a de fato ou real- mil concorda com a quantidade ex-
mente, mesmo não varia: Elas trouxe- pressa: duas mil pessoas, dois mil ho-
ram mesmo os livros. / A moça veio mens, trezentas mil cabeças, qui-
mesmo. / Os governos recorrerão nhentos mil habitantes, etc.
mesmo ao FMI. Milhão, milhar. 1 — São substantivos
Mesmo (o). É condenável o uso de o masculinos e por isso a concordância
mesmo, a mesma, os mesmos, as mes- dos números segue estes exemplos:
mas para substituir pronome ou subs- dois milhões de crianças (e não duas),
tantivo. Estão vetadas, dessa forma, os milhões de fitas (e não as), os cinco
construções reais como: A emissora milhões de pessoas, os oito milhões
Milhas 178 Militares

de liras, comprou 18 milhões dos 20 (três estrelas); general-de-brigada,


milhões de ações, o milhão de meni- contra-almirante, brigadeiro-do-ar
nas. Igualmente: dois milhares de (duas estrelas); coronel, capitão-de-
crianças (e não duas), os milhares de mar-e-guerra, coronel-aviador; tenen-
fitas (e não as), os cinco milhares de te-coronel, capitão-de-fragata, tenen-
pessoas, os oito milhares de liras, o te-coronel-aviador; major, capitão-de-
milhar de meninas. 2 — A concordân- corveta, major-aviador; capitão, capi-
cia verbal de milhão pode ser com o tão-tenente, capitão-aviador; primei-
número, no singular, ou com a coisa ro-tenente (nas três armas); segundo-
expressa, no plural. No Estado, prefi- tenente (nas três armas); aspirante-a-
ra a segunda forma: Um milhão de oficial, guarda-marinha, aspirante-a-
crianças estavam presentes. / Um oficial-aviador; subtenente, subofi-
milhão de casas foram construídas. 3 cial, suboficial; primeiro-sargento
— Se o verbo estiver antes de milhão (nas três armas); segundo-sargento
ou milhões, porém, a concordância (nas três armas); terceiro-sargento
será com estas palavras: Foi construí- (nas três armas); cabo (nas três
do 1 milhão de casas. / Foram preju- armas); soldado, marinheiro, soldado.
dicados (e não “prejudicadas”) 5 mi- 2 — Comandos do Exército. Co-
lhões de pessoas. / Existe mais de 1,5 mando Militar do Leste (sede no Rio):
milhão de desempregados. compreende a 1ª Região Militar (sede
Milhas. Converta sempre em quilôme- no Rio e jurisdição sobre o Estado do
tros (a terrestre vale 1,609 km e a ma- Rio e o Espírito Santo) e a 4ª RM (sede
rítima, 1,852 km). em Juiz de Fora, MG, e jurisdição
Miligrama. Palavra masculina: um mi- sobre Minas Gerais, à exceção do
ligrama, duzentos miligramas. Triângulo Mineiro, subordinado ao
Milionário. Não é qualificação de nin- Comando Militar do Planalto). Co-
guém. Chame a pessoa de industrial, mando Militar do Sudeste (sede em
armador, cantor, banqueiro, comer- São Paulo): compreende a 2ª RM (sede
ciante, empresário, etc. em São Paulo e jurisdição sobre o Es-
Militância. 1 — Significa condição de tado de São Paulo). Comando Militar
militante, prática, atuação: O políti- do Sul (sede em Porto Alegre): com-
co tinha intensa militância na área preende a 3ª RM (sede em Porto Ale-
de terras. 2 — Para designar as pessoas gre e jurisdição sobre o Rio Grande do
atuantes de um partido ou organiza- Sul) e a 5ª RM (sede em Curitiba e ju-
ção, use militantes. Assim: Os mili- risdição sobre o Paraná e Santa Cata-
tantes (e não a militância) do partido rina). Comando Militar do Nordeste
queriam forçar a cúpula a revogar a (sede no Recife): compreende a 6ª RM
decisão. / Os dirigentes da entidade (sede em Salvador e jurisdição sobre a
temiam a reação dos militantes (e Bahia e Sergipe), a 7ª RM (sede no Re-
não da militância). cife e jurisdição sobre Pernambuco,
Militares. 1 — Hierarquia. São estes os Rio Grande do Norte, Paraíba e Ala-
postos e graduações, pela ordem de- goas) e a 10ª RM (sede em Fortaleza e
crescente de importância, no Exérci- jurisdição sobre o Ceará e o Piauí). Co-
to, Marinha e Aeronáutica, respecti- mando Militar do Oeste (sede em
vamente: marechal, almirante e ma- Campo Grande, MS): compreende a 9ª
rechal-do-ar (apenas em épocas excep- RM (sede em Campo Grande e juris-
cionais); general-de-exército, almi- dição sobre Mato Grosso, Mato Gros-
rante-de-esquadra, tenente-brigadei- so do Sul e Rondônia). Comando Mi-
ro (quatro estrelas); general-de-divi- litar da Amazônia (sede em Manaus):
são, vice-almirante, major-brigadeiro compreende a 8ª RM (sede em Belém
Mim 179 Modelo (o, a)

e jurisdição sobre o Pará, Maranhão, dição sobre o Rio Grande do Sul, Santa
Amapá e parte de Goiás) e a 12ª RM Catarina e Paraná. VI Comar: sede em
(sede em Manaus e jurisdição sobre o Brasília e jurisdição sobre o Distrito
Amazonas, Acre e Roraima). Coman- Federal, Goiás, parte de Minas e Mato
do Militar do Planalto (sede em Bra- Grosso. VII Comar: sede em Manaus
sília): compreende a 11ª RM (sede em e jurisdição sobre o Amazonas, Acre,
Brasília e jurisdição sobre o Distrito Rondônia e Roraima.
Federal, parte de Goiás, Triângulo Mi- Mim. Ver entre mim e ti, página 108, e
neiro e Tocantins). para eu fazer, página 211.
3 — Comandos da Marinha. 1º Minguar. Conjuga-se como aguar (ver,
Distrito Naval: sede no Rio e jurisdi- página 34.): míngua, mínguam; mín-
ção sobre o Rio de Janeiro, Espírito güe, míngüem; etc.
Santo, São Paulo, Minas Gerais (à ex- Mini... a) Liga-se sem hífen ao elemen-
ceção do Triângulo Mineiro) e Ilhas de to seguinte, duplicando-se o r e o s:
Trindade e Martim Vaz. 2º Distrito minicomputador, minidesvaloriza-
Naval: sede em Salvador e jurisdição ção, minirreator, minissaia, miniusi-
sobre a Bahia, Sergipe e Arquipélago na. Por questões gráficas, use hífen
dos Abrolhos. 3º Distrito Naval: sede apenas antes de h: mini-homem,
em Natal e jurisdição sobre o Rio mini-hotel. b) Quando substantivado,
Grande do Norte, Piauí, Ceará, Paraí- tem acento: a míni (saia), as mínis
ba, Pernambuco, Alagoas e Atol das (desvalorizações, por exemplo).
Rocas. 4º Distrito Naval: sede em Ministério. Inicial maiúscula: o Minis-
Belém e jurisdição sobre o Pará, Acre, tério (conjunto dos ministérios), o Mi-
Amazonas, Rondônia, Maranhão, To- nistério do Exército, os Ministérios
cantins, Piauí, Roraima e Amapá. 5º da Agricultura, Saúde e Educação.
Distrito Naval: sede em Rio Grande Inicial minúscula: Esse ministério
(RS) e jurisdição sobre o Rio Grande (segunda referência). / Minas preten-
do Sul, Santa Catarina e Paraná. 6º de um ministério. / O governo modi-
Distrito Naval: sede em Ladário (MS) ficará os ministérios.
e jurisdição sobre Mato Grosso e Mato “Ministro-chefe”. Use chefe, simples-
Grosso do Sul. Comando Naval de mente: chefe do Gabinete Civil, chefe
Brasília: sede em Brasília e jurisdição do Gabinete Militar, chefe do EMFA.
sobre o Distrito Federal, Goiás e
Minúsculas. Ver maiúsculas e minús-
Triângulo Mineiro.
culas, página 168.
4 — Comandos da Aeronáutica.
Cada um deles é chamado generica- Mirim. Usado como adjetivo, não leva
mente de Comando Aéreo Regional. I hífen: guarda mirim, eleitores mirins.
Comar: sede em Belém e jurisdição Misantropo. E não “misântropo”.
sobre o Pará, Maranhão e Amapá. II Mobiliar. 1 — Desta forma e não “mo-
Comar: sede no Recife e jurisdição bilhar” ou “mobilar”. 2 — Conjuga-
sobre Pernambuco, Piauí, Ceará, Rio ção. Pres. ind.: Mobílio, mobílias,
Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, mobília, mobiliamos, mobiliais, mo-
Sergipe e Bahia. III Comar: sede no bíliam. Pres. subj.: Mobílie, mobílies,
Rio de Janeiro e jurisdição sobre o Es- mobílie, mobiliemos, mobilieis, mo-
tado do Rio, Espírito Santo, parte de bíliem, etc.
Minas Gerais e Ilhas de Trindade e Modelo. Liga-se com hífen a outro subs-
Martim Vaz. IV Comar: sede em São tantivo: operário-modelo, escolas-
Paulo e jurisdição sobre São Paulo, modelo.
Mato Grosso do Sul e Tocantins. V Modelo (o, a). Use o modelo para ho-
Comar: sede em Canoas (RS) e juris- mem e a modelo para mulher: Pro-
Modismo 180 Monge

curavam um modelo de barba e bigo- (como desenvolver-se), deitar e rolar,


de. / Elas são as modelos mais famo- demanda de usuários, de repente,
sas do Brasil. descartável, descontraído, despencar
Modismo. O modismo é o lugar-comum (Bolsa), detonar (como desencadear
cujo uso se intensifica num dado mo- ou provocar), disparar (como afir-
mento, por influência especialmente mar), em grande estilo, em última
de meios de comunicação como o análise, enfoque, entrar em rota de
rádio e a televisão, do jargão político, colisão, esquentar as turbinas, estar
artístico, urbanístico, econômico e na marca de pênalti, estar na sua,
esportivo ou dos próprios usos e cos- estar rindo à toa, exatos (12 anos, por
tumes do País. Deve ser evitado não exemplo), extrapolar (como exorbitar
apenas para não atrelar o jornal a um ou exagerar), galera (como torcida ou
tipo de linguagem perecível, que varia platéia), goleirão, gratificante, imper-
com as circunstâncias, mas também dível, instigante, ir em busca do pre-
por se tratar de uma prática tão con- juízo, junto a (em vez de com ou de),
denável quanto o recurso aos chavões malha viária, mostrar cacife, não
tradicionais. O modismo pode ser convidem para a mesma mesa ou
tanto uma palavra inexistente que se para a mesma reunião, pano de
cria para expressar alguma situação fundo, patamar (como nível ou índi-
nova, como um termo do vernáculo ce), pelo andar da carruagem, penali-
que se passa a empregar em sentido zar (como punir), pilotar um instru-
diferente do usual ou uma frase feita mento, pintar (como surgir), praticar
cujo uso termina por ultrapassar os li- (preços, juros ou taxas), preocupante,
mites do tolerável. O maior cuidado quem viver verá, raposa felpuda, re-
deve ser tomado com os casos de pa- ceber sinal verde, rota de colisão, sen-
lavras que têm o sentido original des- tir firmeza, sinalizar (como indicar
virtuado, ganhando conotação impró- ou projetar), sob o signo de, transpa-
pria ou incorreta (exemplo: penalizar rência, transparente, trocar farpas e
com o significado de punir, que a pa- zagueirão.
lavra não tem). Ver também lugar-comum, página
Veja alguns dos modismos mais co- 163.
muns: abrir as comportas, acontecer Modo. 1 — Ver em de maneira que, pá-
(como realizar-se ou ocorrer), admi- gina 89, como usar a locução de modo
nistrar (vitória ou vantagem), adorar que. 2 — Ver em assim como, página
(qualquer coisa), aflorar, a mil ou a 47, a concordância da locução do
mil por hora, a nível de, anos doura- mesmo modo que.
dos, aquecer as turbinas, arrebentar
Moer. Conjugação. Pres. ind.: Môo,
a boca do balão, assumir, aterrissar
móis, mói, moemos, moeis, moem.
na mesa de ou aterrissar em São
Imp. ind.: Moía, moías, moía, etc.
Paulo, por exemplo, atirar farpas, a
Pret. perf. ind.: Moí, moeste, moeu,
todo o vapor, calor de rachar cate-
etc. Pres. subj.: Moa, moas, moa,
drais, carimbar o passaporte, chocan-
te (como surpreendente), colocação moamos, moais, moam. Imp. subj.:
(de assunto ou questão), colocar (as- Moesse, moesses, moesse, etc. Imper.
sunto ou questão), com a bola toda, afirm.: Mói, moa, moamos, moei,
com a corda toda, complexo viário, moam. Ger.: Moendo. Part.: Moído.
conquistar seu espaço, contabilizar Molde. Ver em de maneira que, página
(como reunir, somar ou totalizar), cor- 89, como usar a locução de molde que.
rer atrás do prejuízo, costurar (acor- Moleque. Feminino: moleca.
do ou negociação), curtir, decolar Monge. Feminino: monja.
Mono... 181 Mortes (como tratar)

Mono... Liga-se sem hífen ao termo se- sempre é fatal. / A jararaca picou o
guinte, com a supressão do h e a du- menino.
plicação do r e do s intermediários: “Morfético”. Nunca use, em nenhum
monoácido, monocelular, monoidra- sentido.
tável, monorregional, monosseriado, Morra, morram. A exclamação concor-
monotrilho. da com o sujeito: Morra o traidor! /
“Monopólio exclusivo”. Redundância. Morram os hereges! / Morramos nós,
Não use. se o merecermos!
Monsenhor. Sem artigo antes: Encon- Morrer, morte, morto. 1 — Por serem
tramos monsenhor (e não “o monse- mais jornalísticas, use estas palavras
nhor”) Antônio. / Monsenhor José fez no noticiário, em vez de falecer, fale-
um belo sermão. cimento ou falecido, cujo emprego
Monstro. Como adjetivo, permanece in- deve ficar restrito à seção de Faleci-
variável: liquidação monstro, comí- mentos. Evite também desapareci-
cios monstro. mento ou desaparecido, com esse sig-
nificado. 2 — Como morto é particí-
Monte. Inicial maiúscula: Monte Bran- pio tanto de morrer quanto de matar,
co. prefira a forma que morreu a morto
Montecarlo. Desta forma. (para não dar a idéia de que alguém
Mooca. Sem acento. matou alguém) em frases como: O
Mor. Entra na formação de palavras com ator Jofre Soares, que morreu em 1996
hífen e sem acento: capitão-mor, (e não morto em)... / Tinha saudades
altar-mor. do filho, que morrera aos 18 anos na
Moral. 1 — Palavra feminina quando ex- capital (em vez de morto aos 18 anos
prime ética, norma de conduta, mora- na capital)... 3 — Um acidente causa
lidade, lição: a moral cristã, moral ili- mortes e não mortos: Choque de ôni-
bada, a moral da história. 2 — No bus causa (provoca) 25 mortes (e não
masculino indica estado de espírito, “mortos”). 4 — Com mortos o que se
disposição de ânimo: o moral da pode usar é deixar: Choque de ônibus
tropa, o moral dos jogadores. deixa 25 mortos e 35 feridos. 5 —
“Fazer mortos” ou “mortes”. Nin-
Morar em. 1 — Use morar com a prepo- guém “faz” mortos ou mortes. Recor-
sição em (e não a): Mora no campo, ra às opções acima. 6 — “Vítima
mora na cidade, mora na serra. / fatal”. Fatal é o acidente, o choque, a
Mora na Rua tal, na Avenida tal, na colisão, etc., e nunca a vítima.
Praça tal (e não à Rua tal, etc.). 2 — Morro. Inicial maiúscula: Morro do
Pode também ser intransitivo (dis- Borel.
pensar complemento): Não tem onde
Mortes (como tratar). Sem fazer estar-
morar. / Queria morar melhor.
dalhaço ou sensacionalismo, diga efe-
Morder, mordida. O termo aplica-se tivamente de que uma pessoa morreu.
apenas a animais que têm dentes: O Não há motivo para preconceito e o
cachorro mordeu o carteiro. / A mor- leitor merece a informação correta,
dida da piranha lhe tirou pedaços. No seja a morte decorrente de suicídio,
caso, pode-se ainda usar dentada: O seja de doenças como a aids, o câncer,
homem deu uma dentada no inimi- a leucemia ou outras. As circunstân-
go. Pernilongos, abelhas, escorpiões, cias da morte também deverão sem-
aranhas, formigas, etc., picam ou dão pre ser devidamente esclarecidas.
picadas e ferroadas. Cobras, embora Poupe o leitor, porém, de detalhes es-
tenham presas, igualmente picam ou cabrosos, que pouco ou nada acres-
dão picadas: A picada da urutu quase centem ao noticiário, no caso de cri-
Morto 182 “Muletas”

mes violentos. Particularidades da dações é que foram criadas, e não a sua


vida íntima da pessoa — era homos- atuação).
sexual, era traído pela mulher ou pelo Muitíssimo. Superlativo malformado.
marido, por exemplo — somente de- Aceitável apenas na linguagem colo-
verão figurar na reportagem se estive- quial ou em declarações.
rem diretamente relacionados com a Muito. 1 — Varia quando precede subs-
causa ou as circunstâncias da morte. tantivo: muitos homens, muita água,
Morto. Ver matado, morto, página 174. muitas pessoas. A norma é a mesma
Mudança do sujeito. 1 — Não mude o caso muito anteceda adjetivo que
sujeito nas declarações textuais, isto forme, com o substantivo seguinte,
é, não transforme o discurso indireto uma unidade, como se constituísse
em direto. Veja dois exemplos erra- uma só palavra: Ele tem muita boa
dos: Ganhou dois prêmios e saiu da vontade. / Tratou-a com muita má
festa dedicando-os “à minha mãe e a vontade. / Trouxe muitas boas novas.
2 — Não varia quando modifica ad-
todas as mães do Brasil”. / Os joga-
jetivo, verbo ou outro advérbio: Eram
dores estavam tranqüilos, pois acha-
muito bons. / Restaram muito pou-
vam que “perdemos, mas cumprimos
cos ali. / A população estava muito
o dever”. No primeiro caso, a expres- satisfeita com o presidente. / Nem
são minha mãe refere-se à primeira todos os alunos estudam muito. / Fa-
pessoa e os verbos ganhou e saiu estão lavam muito baixo. 3 — Atente para
todos na terceira. No segundo, acha- a diferença: Havia muitos bons ho-
vam está na terceira pessoa e perde- mens ali (muitos homens bons). /
mos e cumprimos, na primeira. Veja Eram muito bons homens aqueles
as alternativas: Marcou dois gols e (não se pode fazer a inversão, neste
saiu de campo dedicando-os à sua caso). / Trouxe muitas velhas amigas
mãe “e a todas as mães do Brasil”. / consigo. / Eram muito velhas amigas
Os jogadores estavam tranqüilos e deles. 4 — Ver em é muito, é pouco,
ressaltavam:“Perdemos, mas cum- página 105, a concordância da locução
primos o dever.” Ver outros exemplos é muito.
em declarações textuais, item 10, pá- Muito obrigado(a). Homem, quando
gina 88. agradece, diz muito obrigado! Mu-
2 — Cuidado para não trocar o su- lher, muito obrigada!
jeito em orações encadeadas. Veja os Muito poucos. Muito permanece inva-
exemplos, todos reais: Seu passe foi riável: Havia muito poucos carros na
emprestado ao Grêmio no ano passa- cidade. / Eram muito poucas as can-
do e voltou ao União, onde permane- didatas ao emprego.
cia na reserva (segundo o texto, foi o Muito que. Sem artigo: muito que dizer,
passe que voltou ao União, onde per- muito que fazer.
manecia na reserva, e não o jogador, Muitos de. Quanto à concordância, ver
como se pretendia dizer). / Apesar de algum (alguns) de, página 35.
existir há mais de duas décadas, “Muletas”. l — Evite, a todo custo, o uso
muita gente não sabe se PNL é algo de muletas nos títulos, isto é, palavras
relacionado a alguma ciência (como empregadas apenas como recurso
está escrito, é muita gente que existe para ganhar alguns sinais. Casos mais
há duas décadas, e não o PNL). / Pis- comuns: já (Palmeiras já teme o
tas de kart realizam sonho de virar Treze), seu redundante (Governo con-
piloto (são as pistas que estão virando tém os seus gastos: pode conter os de
piloto). / Criadas por empresários, a quem mais?), um (Morto um general
atuação dessas fundações... (as fun- na Espanha), o ou a sem razão (A bala
Múlti 183 Não...

mata o menino: que bala? que meni- Nada. 1 — Antes do verbo, dispensa
no?) e outros do mesmo tipo. outra negativa: Nada lhe pergunta-
2 — Considere também muletas (e, ram. / A polícia nada apurou sobre o
portanto, fuja delas) locuções utiliza- crime. / Ele de nada foi informado. 2
das para ligar fatos ou declarações di- — Se vem depois do verbo, exige outra
ferentes na mesma matéria, como: por negativa: Não lhe perguntaram na-
outro lado, pelo contrário, ao mesmo da. / O ministro não sabia nada sobre
tempo, não obstante, enquanto isso, o plano. / Ninguém aprendeu nada. /
por sua vez, apesar disso e outras já A moça não ficou nada preocupada. /
desgastadas pelo uso excessivo. Para Sem pensar em mais nada, saiu cor-
cumprir funções semelhantes exis- rendo. 3 — São erradas, dessa forma,
frases como: As linhas telefônicas
tem palavras ou expressões como
custam praticamente nada (o certo:
ainda, também, mas, porém, no en-
não custam ...) / Reservou as sextas-
tanto, pois, como, porque, portanto, feiras para fazer absolutamente nada
etc. (para não fazer...). / Ele trouxe nada
Múlti. Aceitável, apenas em títulos, consigo (ele nada trouxe consigo ou
para substituir multinacional. Plural: ele não trouxe nada consigo).
múltis. Nada a ver. E nunca “nada haver”. A me-
Multi... Liga-se sem hífen ao termo se- lhor forma, porém, é nada que ver: A
guinte: multiangular, multicolorido, queixa não tem nada a ver (ou que
multinacional, multiovulado, mul- ver) com você.
tirracial, multissecular. Nada com pronome. O nada atrai o pro-
Município. Inicial maiúscula: o Municí- nome situado na mesma oração: Nada
pio de São Paulo, o Município (referin- lhe disseram a respeito do caso. /
do-se a São Paulo, capital). Inicial mi- Nada naquele lugar nos agradava.
núscula: o município de Itu, os muni- Nada de. Concordância. Ver alguma
cípios de Santos e Guarujá, o municí- coisa de, página 35.
pio (qualquer outro que não o de São Naïf. Plural: naives.
Paulo), os Estados e municípios. “Namorar com”. O verbo é direto: A
Munique. Desta forma. moça namorava o filho do prefeito (e
Muralha da China. Não é uma das sete não namorava “com”). / Namorava a
maravilhas do mundo antigo. Ver vizinha havia muitos anos (e não na-
quais são elas em maravilhas, página morava “com”).
173. Não... 1 — Use hífen sempre que o não
vier antes de substantivo: não-agres-
“Muso”. A palavra não existe. Só pode são, não-alinhamento, não-confor-
ser usada entre aspas e em textos mismo, não-fumante, não-interven-
muito especiais. ção, não-participação. 2 — Diante de
adjetivo, só empregue o hífen quando
o não formar uma palavra de sentido
completo: país não-alinhado, nação
não-beligerante, não-combatente,
não-conformista, não-engajado, não-
esperado, não-essencial, não-existen-
te, metal não-ferroso, pessoa não-fu-
Na Avenida tal. Ver na Rua tal, página mante, não-iluminado, política não-
184. intervencionista, não-participante,
Nacional-socialista. Plural: nacional-so- não-positivo, composto não-satura-
cialistas (os nacional-socialistas, par- do, não-verbal e não-viciado. 3 — Nos
tidos nacional-socialistas). demais casos: não vazio, não reconhe-
Não apenas... mas também 184 Naturais do Brasil

cido, não identificado, não vestido, como o de apresentar íntegras: É a se-


etc. 4 — Ver no capítulo Escreva Certo guinte a íntegra do discurso pronun-
as palavras em que o não se liga com ciado ontem pelo presidente da Re-
hífen a um adjetivo. Nos demais ca- pública na Cidade do México:
sos não existe hífen: não cozido, não Um exemplo de nariz-de-cera: São
intencional, não abusivo. muitos os problemas do trânsito em
Não apenas... mas também. Concordân- São Paulo. Alguns deles arrastam-se
cia. Ver não só, nesta página. por anos e anos sem que ninguém
Não com pronome. O não atrai o prono- tente resolvê-los. Um exemplo desse
me situado na mesma oração: Os re- descaso das autoridades é o estacio-
sultados não o surpreenderam. / O namento sobre as calçadas. Mais
amigo não se dispôs a ajudá-lo. uma vez, porém, a Prefeitura prome-
Não é mais. Ver já ... mais, página 152. te adotar medidas para que os abu-
Não fosse... Sem e intermediário: Não sos não se repitam. Depois dessa in-
fosse a pressa, ele teria feito melhor o trodução, viria a notícia de que o es-
trabalho. / Não fosse a chuva, os con- tacionamento nas calçadas estava, a
vidados teriam chegado antes. (E partir do momento, sujeito a multas
não: Não fosse a pressa “e” ele elevadas. Entre direto no fato: A par-
teria...). tir de hoje, quem estacionar seu carro
Nãos. Não tem plural, quando substan- sobre a calçada pagará tanto de
tivado: Os nãos e os sins. multa. E a Prefeitura promete ser ri-
Não ... senão. Concordância com o gorosa na fiscalização.
termo que se segue a senão: “Não se “Narrar que”. Narra-se alguma coisa,
viam ali senão cadáveres”. / Não se mas não se narra que...
ouviam senão os grilos. Na Rua tal. Use esta forma: morador ou
Não só. 1 — A correlação de não só ou residente na Rua tal e não à Rua tal.
não somente faz-se com mas também, Da mesma forma, na Avenida, na Tra-
mas, mas até, como, senão ou senão vessa, no Largo, etc.
também: Não só o pai, mas também Naturais do Brasil. Esta lista inclui os
o filho devem... / Não só o patrão, mas adjetivos pátrios referentes aos Esta-
o operário... / Não só os homens, mas dos, às capitais e a algumas cidades
até as mulheres... / Não só os filhos, brasileiras:
como os amigos ali ficaram. / Não só Acre: acreano; Alagoas: alagoano;
é indigno de pena, senão também da Amapá: amapaense; Amazonas: ama-
graça. / O Sol não só excede a cada zonense; Anápolis (GO): anapolino;
uma das estrelas senão a todas. 2 — Angra dos Reis (RJ): angrense; Araca-
Concordância. Verbo no plural: Não ju (SE): aracajuano; Araguaia (rio): ara-
só o pai, mas também o filho queriam guaiano.
o cargo. Fazem a mesma concordân- Bahia: baiano; Barra do Piraí (RJ):
cia as seguintes formas: não só... mas, barrense; Barra Mansa (RJ): barra-
não só... mas ainda, não só... mas até, mansense; Belém (PA): belenense;
não só... senão, não só... senão tam- Belo Horizonte (MG): belo-horizonti-
bém, não só... como também, não so- no; Boa Vista (RR): boa-vistense; Bra-
mente... como, não apenas... senão sília (DF): brasiliense.
também, etc. Cabo Frio (RJ): cabo-friense; Ca-
“Não tem solução”. Ver havia muitas choeiro de ltapemirim (ES): cachoei-
pessoas, página 138. rense; Campo Grande (MS): campo-
Nariz-de-cera. É uma introdução vaga e grandense; Caruaru (PE): caruaruen-
desnecessária que toda notícia dis- se; Catu (BA): catuense; Cuiabá (MT):
pensa. Use lead e nunca nariz-de-cera, cuiabano; Curitiba (PR): curitibano.
a não ser em casos excepcionais, Duas Barras (RJ): bibarrense.
Naturais do Estado de São Paulo 185 Naturais do Estado de São Paulo

Espírito Santo: espírito-santense e trios referentes a cidades do Estado de


capixaba. São Paulo. Deu-se preferência aos que
Florianópolis (SC): florianopolita- designam o natural de municípios
no; Fortaleza (CE): fortalezense; Foz mais citados no noticiário ou àqueles
do Iguaçu (PR): iguaçuense. cuja forma possa causar dúvidas:
Garanhuns (PE): garanhuense; Águas da Prata: pratense; Águas de
Goiânia (GO): goianiense; Goiás: Lindóia: lindoiense; Americana: ame-
goiano. ricanense; Aparecida: aparecidense;
João Pessoa (PB): pessoense. Assis: assisense; Atibaia: atibaiano;
Macapá (AP): macapaense. Maceió Avaré: avareense.
(AL): maceioense, Manaus (AM): ma- Barretos: barretense; Barueri: ba-
nauense ou manauara; Marajó (ilha): rueriense; Batatais: batataiense; Bom
marajoara; Maranhão: maranhense; Jesus dos Perdões: perdoense; Bragan-
Mato Grosso: mato-grossense; Mato ça Paulista: bragantino; Brodowski:
Grosso do Sul (MS): mato-grossense- brodowskiano.
do-sul ou sul-mato-grossense. Cajamar: cajamarense; Campinas:
Natal (RN): natalense; Niterói campineiro; Campos do Jordão: jorda-
(RJ): niteroiense; Novo Hamburgo nense; Cananéia: cananeense; Ca-
(RS): hamburguense. pivari: capivariano; Cotia: cotiense;
Pará: paraense; Paraná: paranaen- Cubatão: cubatense.
se; Pernambuco: pernambucano; Pe-
Diadema: diademense.
trópolis (RJ): petropolitano; Piauí:
Embu, Embu-Guaçu: embuense.
piauiense; Poços de Caldas (MG): cal-
Fernandópolis: fernandopolense;
dense; Porto Alegre (RS): porto-ale-
Ferraz de Vasconcelos: ferrazense;
grense.
Recife (PE): recifense; Rio de Janei- Franca: francano; Francisco Morato:
ro (Estado): fluminense; Rio de Janei- moratense; Franco da Rocha: franco-
ro (cidade): carioca; Rio Grande (cida- rochense.
de do RS): rio-grandino; Rio Grande Guaratinguetá: guaratinguetaen-
do Norte: rio-grandense-do-norte, se; Guarujá: guarujaense; Guarulhos:
norte-rio-grandense e potiguar; Rio guarulhense.
Grande do Sul: gaúcho, rio-granden- Ilhabela: ilhabelense; Itanhaém:
se-do-sul e sul-rio-grandense; Rondô- itanhaense; Itapecerica da Serra: ita-
nia: rondoniense; Roraima: roraimen- pecericano; Itapetininga: itapetinin-
se. gano; Itaquaquecetuba: itaquaquece-
Salvador (BA): soteropolitano; tubano; Itararé: itarareense.
Santa Catarina: catarinense; Santa- Jaboticabal: jaboticabalense; Jaca-
rém (PA): santareno; Santos Dumont reí: jacareiense; Jales: jalesense; Jun-
(MG): sandumonense; São Pedro da diaí: jundiaiense.
Aldeia (RJ): aldeense; São Sebastião da Leme: lemense; Limeira: limeiren-
Grama (RJ): gramense; Sergipe: sergi- se; Lindóia: lindoiano; Lins: linense.
pano. Mairiporã: mairiporanense; Marí-
Teófilo Otôni (MG): teófilo-oto- lia: mariliense; Matão: matonense;
nense; Teresina (PI): teresinense; To- Mauá: mauaense; Mogi das Cruzes,
cantins: tocantinense; Três Corações Mogi-Guaçu e Mogi-Mirim: mogia-
(MG): tricordiano; Três Rios (RJ): trir- no; Mongaguá: mongaguaense.
riense. Nova Odessa: nova-odessense;
Vitória (ES): vitoriense. Novo Horizonte: novo-horizontino.
Naturais do Estado de São Paulo. Esta Orlândia: orlandino; Osasco: osas-
lista inclui alguns dos adjetivos pá- quense; Ourinhos: ourinhense.
Naturais do exterior 186 Naturais do exterior

Paulínia: pauliniense; Peruíbe: pe- tal; Alemanha Oriental: alemão-


ruibense; Pindamonhangaba: pinden- oriental; Alentejo (Port.): alentejano;
se; Piracicaba: piracicabano; Piraju: Alexandria (Egito): alexandrino; Alsá-
pirajuense; Pirajuí: pirajuiense; Piras- cia (Fr.): alsaciano; Altai (montanha):
sununga: pirassununguense; Poá: altaico; Amarante (Port.): amaranti-
poaense; Porto Feliz: porto-felicense; no; Amsterdã: amsterdamês; Ancara
Praia Grande: praia-grandense; Presi- (Turquia): ancarense; Andaluzia
dente Bernardes: bernardense; Presi- (Esp.): andaluz, andaluza; Andorra:
dente Epitácio: epitaciano; Presiden- andorrano; Anjou (Fr.): angevino; An-
te Prudente: prudentino; Presidente tígua: antiguano; Antilhas: antilhano;
Venceslau: venceslauense. Antuérpia: antuerpiano; Apeninos:
Registro: registrense; Ribeirão apenínico; Arábia Saudita: saudita;
Pires: ribeirão-pirense; Ribeirão Aragão (Esp.): aragonês; Arcádia (Gr.):
Preto: ribeirão-pretano; Rio Claro: árcade; Ardenas (Fr.): ardenês; Argel:
rio-clarense; Rio Grande da Serra: rio- argelino; Argélia: argelino; Arles (Fr.):
grandense-da-serra. arlesiano; Artois (Fr.): artesiano; Ásia
Santa Fé do Sul: santa-fé-sulense; do Sul: sul-asiático; Assam (Índia): as-
Santa Isabel: isabelense; Santana de samês; Assuã: assuanês; Astracã
Parnaíba: parnaibano; Santo André: (Rússia): astracanita; Astúrias (Esp.):
andreense; Santos: santista; São Ber- asturiano; Atacama: atacamenho;
nardo do Campo: são-bernardense; Australásia: australásio; Azerbaijão:
São Caetano do Sul: são-caetanense; azerbaijano.
São Carlos: são-carlense; São José do Bahamas: bahamense; Bagdá: bag-
Rio Pardo: rio-pardense; São José do dali; Bahrein: bahreinita; Baleares: ba-
Rio Preto: rio-pretense; São José dos leárico; Bali (Indon.): balinês; Báltico:
Campos: joseense; São Roque: são-ro- báltico; Bangladesh: bengali; Barba-
quense; São Sebastião: sebastianense; dos: barbadiano; Barcelona: barcelo-
São Vicente: vicentino; Serra Negra: nês; Batávia: batavo; Baviera: bávaro;
serra-negrense; Sorocaba: sorocaba- Bearn (Fr.): bearnês; Beja (Port.): be-
no; Sumaré: sumareense. jense; Belém (Jordânia): belemita; Bel-
Taquaritinga: taquaritinguense; grado: belgradino; Belize: belizenho;
Tatuí: tatuiense; Taubaté: taubatea- Beluchistão: beluchi; Bengala: benga-
no. li; Bengasi: bengasiano; Benin: beni-
Ubatuba: ubatubense. nense; Bermudas: bermudense; Berna
Vale do Paraíba: vale-paraibano; (Suíça): bernês; Bessarábia: bessará-
Valinhos: valinhense; Votuporanga: bio; Biafra: biafrense; Bielo-Rússia:
votuporanguense. bielo-russo; Bilbao: bilbaíno; Birmâ-
Naturais do exterior. Nesta relação, fi- nia: birmanês; Biscaia (Esp.): biscai-
guram adjetivos pátrios que podem nho; Boêmia (Rep. Checa): boêmio;
causar alguma dúvida ao jornalista, Bogotá: bogotano; Bonn: bonense;
todos referentes a cidades e regiões do Bordéus (Fr.): bordelês; Borgonha: bor-
exterior e países, mesmo alguns já ex- gonhês; Bósnia: bósnio; Boston: bos-
tintos e fragmentados ou que muda- toniano; Botsuana: bechuano; Bragan-
ram de nome (foram excluídas formas ça (Port.): bragantino; Brandemburgo:
óbvias, como Dinamarca — dinamar- brandemburguês; Brunei: bruneano;
quês, Nápoles — napolitano, etc.): Bruxelas: bruxelense; Bucareste: bu-
Acaia (Gr.): aqueu; Açores: açoria- carestino; Budapeste: budapestense;
no; Acra (Gana): acrense; Afeganis- Buenos Aires: portenho; Burkina
tão: afegão, afegã; Alasca: alasquiano; Fasso: burquinense; Burundi: burun-
Alemanha Ocidental: alemão-ociden- dinês; Butão: butanês.
Naturais do exterior 187 Naturais do exterior

Cabo Verde: cabo-verdiano; Caiena Gabão: gabonense; Galiza (Esp.):


(G. Fr.): caienense; Cairo (Eg.): cairo- galego; Gâmbia (Áfr.): gambiano;
ta; Calcutá (Índia): calcutaense; Cale- Gana: ganense; Gasconha (Fr.): gas-
dônia (Fr.): caledônio; Camarões cão, gascona; Genebra (Suíça): gene-
(Áfr.): camaronês; Camberra (Austrá- brês; Geórgia (república): georgiano;
lia): camberrano; Camboja: camboja- Gibraltar: gibraltarino; Gironda (Fr.):
no; Canaã (Pal.): cananeu; Canárias girondino; Goa (Índia): goense; Gra-
(Áfr. Esp.): canarino; Cantão (China): nada (Esp. e Caribe): granadino;
cantonense; Capadócia (Ásia): capa- Groenlândia: groenlandês; Guatema-
dócio; Caribe: caribenho; Carolina do la: guatemalteco; Guiana: guianense;
Norte (EUA): carolinense; Carolina Guiné (Áfr. Ocid.): guineano; Guiné-
do Sul (EUA): carolinense; Carrara Bissau: guineense; Guiné Equatorial:
(It.): carrarense; Cartago (Áf.): carta- guinéu-equatoriano.
ginês; Casablanca (Marr.): casablan- Hamburgo (Alem.): hamburguês;
quense; Castelo Branco (Port.): albi- Hannover (Alem.): hanoveriano; Ha-
castrense; Catalunha (Esp.): catalão; vana: havanês; Hébridas (Grã-Breta-
Catar (Ásia): catariano; Ceilão: cinga- nha): hebridense; Honduras: hondu-
lês; Ceuta (Áfr.): ceutense; Chade: renho.
chadiano; Chechênia: checheno; Chi- Iêmen (Ásia): iemenita; Iêmen do
pre: cipriota; Cíclades (Gr.): cicladen- Sul: sul-iemenita; Ilhas Comores: co-
se; Cingapura: cingapuriano; Circás- morense; Ilhas Hébridas: hebridense;
sia (Ásia): circassiano; Cochinchina: Ilhas Salomão: salomônico; Índia: in-
diano; Iugoslávia: iugoslavo.
cochinchinês, cochinchino; Coimbra
Jamaica: jamaicano; Jordânia: jor-
(Port.): coimbrão, coimbrã; Colombo
daniano.
(Sri Lanka): colombense; Colônia
Kiribati: kiribatiano; Kuwait:
(Alem): coloniano; Comores: como-
kuwaitiano.
rense; Congo (Áfr.): congolês; Cope-
Laos: laosiano; La Paz: pacenho;
nhague: copenhaguense; Coréia do Lapônia: lapão, lapona; León (Esp.):
Norte: norte-coreano; Coréia do Sul: leonês; Lesoto: lesoto; Letônia: letão,
sul-coreano; Corfu (Grécia): corfiota; letã; Liechtenstein: liechtensteinien-
Corinto: coríntio; Corrientes (Arg.): se; Lituânia: lituano; Luanda (Ango-
correntino; Costa do Marfim: marfi- la): luandense; Luxemburgo: luxem-
nense; Costa Rica: costa-riquenho; burguês; Lyon (Fr.): lionês.
Cracóvia: cracoviano; Cremona (It.): Macau (China): macaísta; Mada-
cremonense; Curdistão: curdo. gáscar: malgaxe; Madeira (Port.): ma-
Dacar (Senegal): dacarense; Dant- deirense; Madri: madrileno; Maiorca:
zig: dantzigano; Daomé: daomeano; maiorquino; Malabar (Ásia): malaba-
Djibuti (Áfr.): djibutiano; Dominica: rense; Málaga (Esp.): malaguenho;
dominicano; Dublin (Irl.): dublinen- Malásia: malaio; Malavi: malaviano;
se; Douro (Port.): duriense. Maldivas: maldivo; Mali: malinês;
El Salvador: salvadorenho; Emira- Malta: maltês; Malvinas: malvinense;
dos Árabes Unidos: árabe; Entebe Manágua: managüense; Manchester
(Uganda): entebense; Entre-Rios (Ingl.): manchesteriano; Mandchúria
(Arg.): entrerriano; Epiro (Gr.): epiro- (Ásia): mandchu; Mântua (It.): man-
ta; Estônia: estoniano; Estrasburgo tuano; Marselha (Fr.): marselhês;
(Fr.): estrasburguês; Etrúria: etrusco. Maurício: mauriciano; Mauritânia:
Fiji: fijiano; Florença: florentino; mauritano; Melanésia: melanésio;
Formosa (Ásia): formosino; Funchal Micronésia: micronésio; Minho: mi-
(Madeira): funchalense. nhoto; Minorca: minorquino; Móde-
Naves espaciais 188 Negar que

na (It.): modenense; Moldávia toledano; Tonga: tonganês; Tonquim


(URSS): moldávio; Molucas: moluca- (Vietnã): tonquinês; Toscana (It.): tos-
no; Mônaco: monegasco; Mongólia cano; Transilvânia: transilvano;
(Ásia): mongol; Montenegro: monte- Transvaal (Áfr. do Sul): transvaaliano;
negrino; Montevidéu: montevideano; Trás-os-Montes (Port.): trasmontano;
Munique: muniquense. Trieste (It.): triestino, Trinidad e To-
Nauru: nauruano; Navarra (Esp.): bago (Antilhas): trinitário; Trípoli: tri-
navarrês e navarro; Nazaré: nazareno; politano; Tripolitânia (Áfr.): tripolita-
Nepal: nepalês; Níger: nigerino; Nigé- no; Túnis: tunisino; Tunísia: tunisia-
ria: nigeriano; Nova York: nova-ior- no; Tuvalu: tuvaluano.
quino; Nova Zelândia: neozelandês. Uganda: ugandense; Urais: uralia-
Omã: omani; Oxford: oxfordiano. no.
País Basco: basco; País de Gales: Valência: valenciano; Vanuatu: va-
galês; Papua-Nova Guiné: papuásio; nuatense; Varsóvia: varsoviano; Vero-
Patagônia: patagônio; Pádua (It.): pa- na (It.): veronês; Versalhes (Fr.): ver-
tavino; Piemonte (It.): piemontês; Po- salhês.
linésia: polinésio; Porto Rico: porto- Zaire: zairense; Zâmbia, zambia-
riquenho. no; Zanzibar: zanzibarita; Zimbábue:
Quênia (Áfr.): queniano. zimbabuano; Zululândia: zulu.
República Centro-Africana: cen- Naves espaciais. 1 — Os foguetes e sa-
tro-africano; República Dominicana: télites, tanto os pioneiros da era espa-
dominicano; República Malgaxe: cial quanto os atuais, têm o gênero
malgaxe; Romênia: romeno; Ruanda: masculino: o Sputnik, o Viking, o
ruandês. Vanguard, o Explorer, o Sonda, o
Sabóia (Fr.): saboiano; Salamanca Tiros, o lntelsat, etc. 2 — As naves
(Esp.): salamanquense; Salerno (It.): (mesmo que sejam consideradas ôni-
salernitano; Salomão (ilhas): salomô- bus espaciais, como a Columbia) são
nico; Salonica (Gr.): salonicense; femininas: a Vostok, a Mercury, a
Samoa: samoano; San Marino: sama- Voshkod, a Gemini, a Soyuz, a
rinês; Santa Cruz de la Sierra (Bol.): Skylab, a Challenger, etc. 3 — O
cruz-serrano; Santa Lúcia (ilha): nome das naves vai no mesmo corpo
santa-lucense; Santarém (Port.): san- do texto e não deve ser aportuguesa-
tareno; Santiago de Compostela do: Columbia, Apollo 13, etc.
(Esp.): santiaguês; São Cristóvão e Navios. O nome vai no mesmo corpo do
Neves: são-cristovense; São Tomé e texto: Costa Marina.
Príncipe: são-tomense; São Vicente e Necessário. Ver em é preciso, página
Granadinas: são-vicentino; Saragoça 111, a concordância de é necessário.
(Esp.): saragoçano; Sardenha (It.): “Necrópole”. Palavra vetada. Use cemi-
sardo; Senegal: senegalês; Serra Leoa tério.
(Áfr.): serra-leonês, serra-leonesa; Sér- Negar a. O verbo pede a preposição a e
via: sérvio; Seychelles: seichelense; não para: Redes de TV negam espaço
Sintra (Port.): sintrão; Siracusa (It.): ao candidato (e não “para o”). / A em-
siracusano; Somália: somali; Sri presa negou aumento aos funcioná-
Lanka: cingalês; Suazilândia: suazi; rios.
Suriname: surinamês. Negar que. 1 — Esta forma leva sempre
Taiti: taitiano; Tânger: tangerino; a oração seguinte para o subjuntivo:
Tanzânia: tanzaniano; Tarragona Ministério nega que tenha censurado
(Esp.): tarraconense; Tasmânia (Ocea- novela (e não que censurou). / A OMS
nia): tasmaniano; Timor (Oceania): ti- nega que vacina seja (e não é) causa
morense; Togo: togolês; Toledo (Esp.): da epidemia de aids. / Senador nega
Negativa mais negativa 189 Nenhum

que vá liderar (em vez de liderará) erro. / Nem o deputado, nem o sena-
chapa de oposição. / O médico negou dor, nem o vereador quiseram co-
que o acusado usasse (e não usava) mentar a declaração.
drogas. / A moça negou que seja (e 2 — Verbo no singular apenas se o
não é) ou tenha sido (e não foi) garo- fato expresso pelo verbo excluir um
ta de programas. / Ex-diretor nega dos sujeitos: Nem o deputado nem o
que conhecesse (e não conhecia) irre- senador será eleito presidente (só um
gularidades do banco. 2 — Se você pode ser eleito).
precisar economizar sinais no título, 3 — Se os sujeitos não forem da
use a forma alternativa, com infiniti- mesma pessoa, a 1ª predomina sobre
vo: Acusado nega ser “justiceiro” / a 2ª e a 3ª, e a 2ª, sobre a 3ª: Nem eu
Empresários negam ter feito pressão nem tu nem ele sairemos daqui. /
contra aumento / Engenheiro nega ter Nem tu nem eles deveis ficar preo-
recebido convite. cupados.
Negativa mais negativa. 1 — O portu- Nem um. Ver nenhum, nem um, página
guês admite o uso de duas negativas 190.
na mesma frase sem que daí resulte Nem um nem outro. 1 — Prefira o verbo
um sentido positivo. Veja os exem- no plural: Nem um nem outro apare-
plos seguintes, todos corretos: Não ceram. / Nem um nem outro são
viu nada. / Não conheceram nunca meus irmãos. 2 — Caso haja exclusão
alguém tão feio. / Sem as reclama- de um dos sujeitos, o verbo fica no sin-
ções de ninguém além dele. / E nunca gular: Nem um nem outro será eleito
ninguém aí entrou. / Não tinham presidente (só um pode ser eleito). 3
coisa nenhuma para comer. / Não — Se houver substantivo depois, este
quero nenhuma pessoa aqui. 2 — Er- fica obrigatoriamente no singular:
radas são as frases em que haja uma Nem um nem outro caso (e não casos)
negativa antes (ninguém, nada, nem foram esclarecidos (ou foi esclareci-
ou outra qualquer) e o advérbio não do). / Nem uma nem outra coisa
depois, como: Nem eu “não” pude ver aconteceu.
(o certo: Nem eu pude ver). / Nenhum Nenhum. 1 — Vem normalmente antes
“não” morreu (o certo: Nenhum mor- do substantivo e é precedido de nega-
reu). / Ninguém “não” fez (o certo:
tiva: Não existe nenhum homem na
Ninguém fez). / Nada que o contra-
cidade. / Fugiu de madrugada, sem
riasse “não” podíamos fazer (o certo:
que nenhum guarda o tivesse visto. 2
Nada que o contrariasse podíamos
— Colocado depois do substantivo, dá
fazer), etc.
ênfase à negativa: Não existe homem
“Negócio da China”. A imagem está de- nenhum na cidade. / Fugiu de madru-
mais desgastada para definir qualquer gada, sem que guarda nenhum o ti-
entendimento comercial com os chi- vesse visto. / Não queria esmolas,
neses. nem favor nenhum. 3 — Pode ter
Negrito. Ver destaques, página 93. valor afirmativo em frases como:
Nem. Ver e nem, página 107. Mais que nenhum outro jogador,
Nem com pronome. O nem atrai o pro- tudo ele fez pelo time. 4 — Quando
nome situado na mesma oração: Não houver uma negativa antes, usa-se ne-
foi nem se deixou levar. / Nem os ami- nhum e não qualquer: Não viu ne-
gos lhe fizeram a vontade. nhuma (e não qualquer) irregularida-
Nem... nem. 1 — Verbo no plural se os de no caso (consulte o verbete qual-
dois ou mais sujeitos podem praticar quer, página 243). 5 — Nenhum atrai
o fato expresso pelo verbo: Nem o re- o pronome situado na mesma oração:
pórter nem o redator perceberam o Nenhuma pessoa se machucou na
Nenhum (concordância) 190 Nomes chineses

queda. / Nenhum amigo lhe abriu os nou-se uma das mais terríveis mule-
olhos. tas lingüísticas da atualidade, em
Nenhum (concordância). O verbo fica substituição a praticamente tudo que
sempre no singular: Nenhum dos ho- se queira. Veja alguns casos em que a
mens ali presentes negou o fato. / Ne- locução aparece e como evitá-la: De-
nhum deles se dispôs a comparecer. / cisão “a nível” de diretoria (decisão
Nenhum de nós foi convidado para a de diretoria). / Decisão “a nível” de
festa. / Nenhum de vós o sensibilizou. governo (decisão governamental). /
Nenhum, nem um. 1 — Nenhum é an- Reunião “a nível” internacional (reu-
tônimo de algum: Nenhum jornalis- nião internacional). / O clube está fa-
ta escreve melhor que ele (em oposi- zendo contratações “a nível de” futu-
ção a: Algum jornalista escreve...). / ro (contratações para o futuro). / A
proposta pelo jogador será “a nível
Não tem nenhum direito de recla-
de” (em torno de) 5 a 6 milhões de dó-
mar. / Não havia nenhuma divergên-
lares. / Pude avaliar o técnico “a nível
cia entre eles. 2 — Nem um equivale
de” (como) uma pessoa pública. /
a nem um sequer, nem um único: Não
Ela, “a nível da” (em relação à) elei-
quis ficar nem um instante mais. /
ção, só pretende votar bem. / “A nível
Não ficaram encabulados nem um de” (como) jornalista, prefere assun-
pouco. / Nem uma única folha se tos mais leves.
mexia.
2 — Em determinados casos
Nenhuma coisa de. Ver alguma coisa podem ser usadas as locuções no
de, página, 35. plano (de) e em termos de. Ou, em úl-
Neo... Exige hífen antes de vogal, h, r e tima instância, no nível de e em nível
s: neo-árico, neo-escolástica, neo-he- de (uma vez que nível rejeita o a sozi-
gelianismo, neo-inglês, neo-ortodo- nho): Os candidatos teriam hoje, “a
xo, neo-realismo, neo-socialismo. nível” nacional (no plano nacional,
Nos demais casos: neocolonial, neo- em termos nacionais), 24% das in-
liberalismo, neolatino, neozelandês. tenções de voto. / O grupo elevou a
Neuro... Liga-se sem hífen ao termo se- entidade “a nível” primeiro-mundis-
guinte: neuroanatomia, neuroelétri- ta (ao nível primeiro-mundista).
co, neurocirurgião, neuropatologia, 3 — Existe ainda ao nível de, mas
neurorradiologia, neurossensório. apenas com o significado de à mesma
Ninguém. 1 — Rejeita o não em frases altura: ao nível do mar.
como: Ninguém o procurou (e não: Nissei. Use esta forma e não “nisei”.
Ninguém “não” o procurou). / Nin- Nobel. 1 — Sem acento (pronuncia-se
guém lhe faz favor algum. / Ninguém Nobél). 2 — Isolado, faz o plural No-
se feriu no acidente. 2 — Pode, porém, béis: Os Nobéis de Química e Física.
ser precedido de não ou combinar-se 3 — Com Prêmio, não varia: Linus
com jamais, nunca, nem e sem: Não Pauling ganhou dois Prêmios Nobel.
havia ninguém na sala. / Ninguém ja- No intuito de. Prefira para.
mais o procurou. / E nunca ninguém Nomes bíblicos. Devem ser adaptados à
aí entrou. / Saiu sem que ninguém o língua portuguesa: Davi, Jó (e não
percebesse. Job), Jacó, Sara, Lot (e não Loth), Set,
Nipo... Hífen na formação de adjetivos Rute, etc.
pátrios: nipo-americano, nipo-brasi- Nomes chineses. 1 — O Estado adota a
leiro. Nos demais casos: nipofilia, ni- grafia atualizada (e convencional) dos
pófobo. nomes chineses: Deng Xiaoping,
Nível. 1 — A locução a nível de, modis- Zhao Ziang, Hua Kuofeng. 2 — Exce-
mo desnecessário e condenável, tor- ções: Mao Tsé-tung, Chiang Kai-chek
Nomes científicos 191 Nomes de lugares públicos

e Chu En-lai. 3 — Nos nomes em que cortina castanho-clara, cortinas cas-


haja um elemento composto, o segun- tanho-claras.
do termo tem inicial minúscula: Tsé- b) Adjetivo + substantivo ou subs-
tung, Kai-chek, En-lai, Yang-tse (rio), tantivo + adjetivo — composto inva-
Kai-fong (cidade), Ki-lin (província). 4 riável: blusas amarelo-canário, cami-
— Como o sobrenome, nos nomes sas rosa-claro, uniformes verde-oliva,
chineses, vem antes do nome, nos tí- carros vermelho-sangue, vestidos
tulos ou na segunda referência dos castor-claro, carros verde-abacate,
textos use Mao (e não Tsé-tung), Deng olhos azul-turquesa.
(e não Xiaoping), Chu (e não En-lai), 3 — Casos especiais
etc. 5 — O sh chinês passa a x em por- a) Azul-marinho e azul-celeste são
tuguês: Xangai (e não Shangai). 6 — invariáveis: ternos azul-marinho,
Use Pequim e não Beijing. tons azul-celeste.
Nomes científicos. A primeira palavra b) Ultravioleta não varia, enquan-
tem inicial maiúscula e o nome cien- to infravermelho admite feminino e
tífico vai sempre em itálico: Aedes plural: raios ultravioleta, radiações
infravermelhas.
aegypti, Aedes albopictus (tigre-asiá-
tico), Rhea americana (ema), Vulpes Nomes de emissoras de rádio e TV. 1 —
vulpes (raposa), Citrus aurantium si- Devem ser escritos no mesmo corpo
nensis (laranja-da-china), etc. do texto: Rádio Jovem Pan, Rede Ban-
deirantes, TV Gazeta. 2 — Exceção.
Nomes de bairros e ruas. Ver São Paulo
Use em itálico o nome da Rádio Eldo-
(locais), página 260. rado e suas variantes, Eldorado AM e
Nomes de cor. Eldorado FM. 3 — O nome dos pro-
1 — Palavra simples gramas das emissoras também vai em
a) A cor é um adjetivo — varia: itálico: Estadão no Ar, Fantástico,
olhos azuis, cortinas verdes, madeira Nossa Língua Portuguesa.
castanha, sapatos marrons, nuvens Nomes de institutos, órgãos, entidades,
brancas, manchas roxas, riscos ver- empresas e produtos. a) Os nomes de
melhos. Exceção: roupas marinho. órgãos, entidades e institutos públi-
b) A cor é um substantivo — não cos ou oficiais deverão ser adaptados
varia: paredes creme, laços rosa, ter- às normas ortográficas vigentes.
nos cinza, carros gelo, tons pastel, Assim, Instituto Butantã (e não Bu-
gravatas abóbora, blusas vinho, cor- tantan); Instituto Vital Brasil (e não
tinas limão, olhos turquesa, papéis Brazil), Instituto Adolfo Lutz (e não
marfim. Adolpho), Fundação Osvaldo Cruz (e
Regra prática — Sempre que a lo- não Oswaldo). Exceções, já consagra-
cução cor de estiver subentendida ou das pelo uso: Lloyd Brasileiro e Ita-
expressa, o nome de cor fica invariá- maraty. b) Nos nomes de empresas
vel: paredes (cor de) creme, laços (cor privadas e nos de seus produtos, man-
de) rosa, blusas (cor de) vinho, papéis tenha a grafia original: Gillette,
(cor de) marfim, ternos (cor de) cinza, Chrysler, McDonald’s, Manah, Villa-
estojos cor de carmim, folhas cor-de- res, Ultragaz, Belgo Mineira, Coca-
rosa. Cola, Antarctica, Guaraná Cham-
2 — Adjetivos compostos pagne, Bohemia (cerveja), etc.
a) Adjetivo + adjetivo — só o segun- Nomes de lugares públicos. Devem ter
do varia: olho verde-claro, olhos inicial maiúscula e ser adaptados à or-
verde-claros; bandeira verde-amare- tografia vigente: Praça Rui (e não
la, bandeiras verde-amarelas; garra- Ruy) Barbosa, Avenida Brigadeiro
fa azul-escura, garrafas azul-escuras; Luís (e não Luiz) Antônio, Rua Padre
Nomes de obras artísticas 192 Nomes geográficos

João Manuel (e não Manoel), Aveni- essa prática contribuir para que o
da Vital Brasil (e não Brazil), Aveni- texto ganhe melhor ritmo: A notícia
das Faria Lima e Angélica, Alamedas publicada pelo Globo. / A nota publi-
Barros e Santos, Ruas Augusta e Di- cada na Tribuna. / O comentário do
reita, etc. Estado. / A frase inicial dos Sertões. /
Nomes de obras artísticas. Ver desta- Assistiu ontem novamente aos Sete
ques, página 93. Samurais.
Nomes de parlamentares. 1 — O nome 3 — Obras de nome muito extenso
dos senadores e deputados federais e poderão ser citadas pela forma reduzi-
estaduais deverá ser sempre seguido da depois que já se tiver feito menção
das siglas do partido e do Estado entre completa ao seu título: Nas Memó-
parênteses: O senador José dos Anjos rias Póstumas, Machado de Assis des-
(PRN-RS)... / O deputado federal Car- creve... / Quincas Berro d’Água (A
los Bastos (PL-SP)... / O deputado es- Morte e a Morte de Quincas Berro
tadual João de Almeida (PT-BA)... 2 d’Água) é um dos melhores momen-
— Parlamentares em cargos de maior tos de Jorge Amado.
destaque podem dispensar essa indi- 4 — Ver no item 7 do verbete
cação: O presidente do Senado, Antô- maiúsculas e minúsculas, página 168,
nio Brígido, avocou... / O presidente como usar iniciais maiúsculas e mi-
da Câmara, Augusto Macedo, núsculas nesses nomes e, no verbete
quer... / O líder do PMDB no Senado, destaques, página 93, normas sobre o
Álvaro Couto, defendeu... 3 — Quan- emprego dos nomes de obras artísti-
do for necessário, use a forma senador cas em geral.
ou deputado por (e não de). 4 — Cui- Nomes de ruas e locais estrangeiros. Os
dado com a forma deputado paulista, nomes de ruas, praças, parques e ou-
senador amapaense. O deputado tros do exterior deverão ser escritos na
“paulista” José Genoíno é natural do forma original, mantendo-se, quando
Ceará. E o senador “amapaense” José for essa a prática corrente, o nome e o
Sarney não só nasceu como faz políti-
local que ele indica: Wall Street, Cen-
ca no Maranhão.
tral Park, Times Square, Long Island,
Nomes de publicações e obras literárias. Hyde Park, Fleet Street, Downing
1 — Como norma, não se altera o Street, Invalides, Bois de Boulogne,
nome de publicações ou obras literá- Champs Elysées, Calle Florida. Em
rias, que vão em destaque (itálico se
alguns casos, pode-se adaptar o nome
o corpo do texto for o normal, corpo
ao português: Praça de Maio (Buenos
normal se o texto estiver em itálico,
Aires), 5ª Avenida, Praça Vermelha,
negrito itálico se o texto estiver em
etc. Faça prevalecer o bom senso, no
negrito e negrito se o corpo do texto
caso.
for o negrito itálico): A notícia divul-
gada por O Globo. / A nota publicada Nomes espanhóis. Ver espanhol, página
em A Tribuna. / A frase inicial de Os 114.
Sertões. / Assistiu ontem novamente Nomes geográficos. Não há normas de-
a Os Sete Samurais. Só use em negri- finidas para a grafia dos nomes geográ-
to o nome do jornal e suas variantes: ficos. Muitos já estão adaptados ao
O Estado de S. Paulo, Estado e Esta- português (Filadélfia, Londres, Mos-
dão. cou, Bruxelas) e outros deverão ser es-
2 — Para manter a fluência da frase, critos na grafia original (El Paso, San
no entanto, e evitar formas como em José, Sydney, New Hampshire). O ca-
Os, de As, por O e outras semelhan- pítulo Escreva Certo deste manual re-
tes, pode-se fazer a contração quando laciona os principais deles.
Nomes japoneses 193 Nomes próprios

Nomes japoneses. 1 — Os nomes co- nomes históricos. Assim: Luís (e não


muns em geral são aportuguesados: Luiz) de Camões, Eça de Queirós (e
saquê, camicase, iene, gueixa, qui- não Queiroz), Washington Luís, Ven-
mono, nô, etc. Exceções: sashimi, ka- ceslau Brás, Campos Sales, Rui Bar-
raokê, sukyaki, sushi, tempura, bata- bosa, Aluísio Azevedo, Artur Azeve-
yaki, ikebana, nikkei. 2 — Os nomes do, Vital Brasil, Machado de Assis (e
de pessoas seguem a transcrição oci- não Assiz), etc.
dental, fornecida em geral pelas agên- 4 — Pessoas mortas. Históricos ou
cias de notícias: Akihito, Sosuke não, os nomes de pessoas mortas
Uno, Noboru Takeshita, Yasuhiro serão adaptados à grafia atual: Caste-
Nakasone, Kakuei Tanaka. 3 — Nos lo Branco (e não Castello Branco),
nomes geográficos, o único aportu- Luís Carlos Prestes, Vinícius de Mo-
guesamento que o Estado faz é o de rais, Gilberto Freire, Ulisses Guima-
Tóquio. Nos demais casos, use sem- rães, etc.
pre a transcrição oficial: Osaka, Yoko- 5 — Nomes de mulher. Em geral, a
hama, Fukuoka, Iwo Jima, Nagoya, mulher é conhecida pelo prenome:
Hiroshima, Nagasaki, etc. 4 — A re- Ruth (Cardoso), Rosane (Collor), In-
lação do capítulo Escreva Certo deste dira (Gandhi). No entanto, esta regra
manual contém as palavras já aportu- não é terminante e no caso de pessoas
guesadas, as que devem ser usadas no notórias, especialmente, não hesite
original e os nomes geográficos. em chamar a mulher pelo sobrenome
Nomes próprios. 1 — Uso. Adote nor- se esta for a forma usual ou recomen-
malmente, no noticiário, a forma pela dável: Thatcher (e não Margaret),
qual a pessoa se tornou conhecida e Chamorro (e não Violeta), Aquino (e
não seu nome completo, à exceção de não Corazón), Navratilova (e não
casos excepcionais (biografias, necro- Martina), Sabatini (Gabriela), etc.
lógios, etc.). Assim, João Figueiredo (e 6 — Títulos. Em geral, nos títulos,
não João Baptista de Oliveira Figuei- o personagem da notícia é identifica-
redo), Paulo Maluf (e não Paulo Salim do pelo sobrenome: Clinton, Yeltsin,
Maluf); Olavo Setúbal (e não Olavo Chirac, Covas, Maciel, Collor, etc. Se
Egydio Setúbal), etc. Na primeira já houver, porém, outra pessoa com o
menção, é obrigatório o uso do preno- mesmo sobrenome ou se alguém for
me e sobrenome — o governador mais conhecido pelo prenome, iden-
Mário Covas e não o governador tifique-o dessa forma: Fernando Hen-
Covas, apenas. rique, Tancredo, Ulisses, Zenildo (de
2 — Grafia. Lembre-se: o nome da Lucena), Jânio, etc. Se a pessoa tiver
pessoa é uma informação que você um prenome ou sobrenome compos-
presta ao leitor. Por isso, tome com ele to, deve, nos títulos, quando possível,
o mesmo cuidado atribuído à apura- ser designada pelo mais habitual: Er-
ção da notícia. Confira sempre preno- mírio (Antônio Ermírio), Bresser
me e sobrenome e escreva o nome da (Bresser Pereira), etc.
forma pela qual a pessoa foi registra- 7 — Correção. Nos nomes estran-
da, com y, dois nn, dois ll, dois tt, z, geiros, especialmente, preste atenção
ph, etc. Exemplos: Rubens Barrichel- para que o nome da pessoa seja escri-
lo, Raphael de Almeida Magalhães, to corretamente. Assim, González
Delfim Netto, Ruy Guerra, Rachel de (Felipe) e não Gonzales; Menem (Car-
Queiroz, Fernando Collor, etc. los) e não Meném ou Menen; Jacques
3 — Nomes históricos. De acordo (Chirac) e não Jaques, etc.
com as normas ortográficas vigentes, 8 — Partículas. Inicial minúscula
o Estado coloca na grafia atual os nestas formas: Charles de Gaulle,
Nomes russos 194 Normando...

Werner von Braun, Emiliano di Ca- zendeiro José Augusto de Almeida


valcanti, Vincent van Gogh, Jean de Prado (em vez de O fazendeiro José
la Fontaine, Alcide de Gasperi, Leo- Augusto Chaves de Melo de Almeida
nardo da Vinci. Quando a partícula Prado ou O fazendeiro José Augusto
inicia o nome, porém, use maiús- C. M. de Almeida Prado).
culas: o general De Gaulle, o cientis- 12 — Plural. Ver plural de nomes
ta Von Braun, os pintores Di Caval- próprios, página 221.
canti e Van Gogh, o escritor La Fon- Nomes russos. Na grafia dos nomes rus-
taine, o político De Gasperi, o inven- sos, o Estado segue a notação inglesa,
tor Da Vinci. com algumas adaptações para o por-
9 — Aportuguesamento. Os tuguês:
nomes de reis, rainhas, príncipes, 1 — Use i e não y no final dos
princesas, santos e papas normalmen- nomes russos: Trotski, Tchaikovski,
te são aportuguesados: Luís XV, Maria Dostoievski, Stravinski, Tolstoi,
Antonieta, Catarina, Santo Tomás de Maiakovski, Malinovski, Nevski, Ke-
Aquino, São José, Joana d’Arc, Pio XI, renski, etc.
João XXIII, Paulo VI, João Paulo II. 2 — Mantenha o h depois do k em
Em alguns casos também se adaptam nomes como Chekhov, Sakharov, Zu-
os nomes de artistas ou personalida- khov, etc.
des históricas: Rafael (pintor), Ma- 3 — O grupo zh da transcrição in-
quiavel, Napoleão (Bonaparte), Júlio glesa deve ser substituído por j em
Verne e poucos mais. Conserve na gra- português: Soljenitsyn, Brejnev, Jiva-
fia original, porém, os nomes de reis, go (e não Solzhenitsyn, Brezhnev,
rainhas, príncipes e princesas da atua- Zhivago), etc.
lidade: Elizabeth II, Charles, Andrew, 4 — O Estado adota o grupo ch e
Philip, Sarah, Margrethe, Carl Gus- não tch. Assim: Gorbachev (e não
taf, Olaf, etc. Exceção: Balduíno. Gorbatchev), Kruchev, Chekhov,
10 — Forma original. Todos os de- Chernenko, etc. Exceção: Tchaikovs-
mais nomes próprios devem ser man- ki.
tidos na forma original: Victor Hugo, 5 — Os nomes russos devem ter-
Honoré de Balzac, Alexander Fle- minar em v e não f: Romanov e não
ming, Gabriel García Márquez, Jean- Romanoff; Prokofiev e não Prokofieff;
Jacques Rousseau, Josef Stalin, Mi- Azov (mar) e não Azof, etc. Exceção,
khail Gorbachev, Boris Yeltsin, Jac- já consagrada: Rachmaninoff.
ques Chirac, Bill Clinton, Michelan- 6 — Use ev e não ov, no final de
gelo Antonioni, etc. nomes como Kruchev, Gorbachev,
11 — Abreviaturas. Não abrevie os etc.
nomes próprios. No caso de persona- 7 — Não acentue os nomes. Assim:
lidades, use a forma que as tornou no- Stalin (e não Stálin); Lenin (e não
tícia: John Kennedy, em vez de John Lênin); Boris Yeltsin (e não Bóris);
F. Kennedy; Chico Buarque, em vez Tolstoi (e não Tolstói).
de Chico B. de Holanda; etc. No caso “Nominado”. Use indicado (para um
de pessoas que apareçam ocasional- prêmio, por exemplo).
mente no noticiário, transcreva seu Normalizar-se. Alguma coisa se norma-
nome completo (desde que não muito liza e não normaliza, apenas: A dis-
extenso) ou elimine alguns dos sobre- tribuição de água já se normalizou. /
nomes intermediários, mas não os es- A entrega de cartas normalizou-se
creva de forma abreviada: O feirante ontem.
João Almeida dos Santos (em vez de: Normando... Exige hífen na formação de
O feirante João A. dos Santos). / O fa- adjetivos pátrios: normando-árabe,
Norte... 195 Notícias em seqüência

normando-celta, normando-teutôni- as informações disponíveis para libe-


co. rá-lo assim que o fato se confirmar.
Norte... Liga-se com hífen ao elemento Nunca, porém, feche o jornal com
seguinte na formação de adjetivos pá- informações como: O deputado An-
trios: norte-americano, norte-vietna- tônio de Campos, que chegou hoje de
mita. madrugada a São Paulo, disse ontem
Nós. Nas entrevistas, evite o uso exage- em Nova York que... Não é impossí-
rado de nós por parte de quem está fa- vel que o avião em que o deputado
lando (e lembre-se de que é da índole viaja se atrase ou fique retido em al-
da língua portuguesa a omissão do guma cidade e ele não tenha chegado
pronome pessoal). Repare, por exem- a São Paulo, como dizia a notícia.
plo, que o nós é perfeitamente dispen- Outro exemplo de risco: O time do
sável nesta frase: “Sempre que (nós) Santos, que jogou ontem à noite em
pudemos, (nós) procuramos nos Riad, acaba de contratar o jogador X.
adaptar às situações que (nós) julgá- Se a notícia de que houve o jogo ontem
vamos mais convenientes para a em- à noite figurou no jornal apenas por-
presa.” que o fato estava previsto, quem pode
“No sentido de”. Quando o significado garantir que algum imprevisto não
for o de para, use a preposição, mais tenha provocado o adiamento do jogo?
simples. Lembre-se: o improvável não é inviá-
Nosso. 1 — Como o noticiário deve ser vel, nesses casos.
impessoal, deixe a palavra apenas para 2 — Procure sempre uma forma de
editoriais, comentários, crônicas e ar- não se comprometer nem ao jornal
tigos. Não use, por isso, as formas nessas situações. Por exemplo: O de-
nosso país, nosso governo, nosso Es- putado Antônio de Campos, cuja
tado, nossa cidade, nossos dias, chegada a São Paulo estava prevista
nossa seleção, nosso presidente, etc. para a madrugada, disse ontem em
2 — Quanto ao emprego de nosso e tal lugar que... / O Santos, que tinha
suas flexões, ver pronome possessivo
jogo marcado para ontem à noite em
(uso), página 239.
Riad (tantas horas do Brasil), acaba
Nota da Redação. 1 — A Nota da Reda- de contratar o jogador tal.
ção, usada principalmente em respos- O leitor obviamente sabe que o jor-
ta a cartas de leitores ou de autorida-
nal fecha no fim da noite e não pode
des, vai em itálico, tem o título abre-
prever fatos do gênero. A orientação
viado (N. da R.) e inicia parágrafo:
vale para qualquer tipo de antecipa-
N. da R. — A carta do presidente
da associação não esclarece o aspec- ção. O anedotário do jornalismo está
to principal da denúncia... repleto de informações como essas
2 — Se a resposta for de repórter, que não se confirmaram. Não contri-
colunista, cronista ou articulista, só bua para ampliá-lo.
irá em itálico a indicação: Notícias em seqüência. No noticiário
O repórter João dos Santos respon- sobre visitas, feiras, congressos, semi-
de: A carta do presidente da associa- nários, exposições, shows e outros
ção não esclarece o aspecto principal acontecimentos que prossigam nos
da denúncia... dias seguintes, inclua sempre referên-
Notícia antecipada. 1 — Não há ganho cias que permitam ao leitor saber
de tempo que compense os riscos de quando eles começaram e quando ter-
uma notícia feita por antecipação, ou minam. Exemplos:
seja, antes de acontecer. Você pode, O papa João Paulo II iniciou on-
isto sim, preparar um texto com todas tem uma visita de oito dias aos Es-
Nova-iorquino 196 Números

tados Unidos. / O presidente brasi- Número (abreviatura). Só abrevie a pa-


leiro, que