Sie sind auf Seite 1von 16

Respostas Erradas

Respostas Corretas

• 1. (Ministério Público/SP - 81.º) É possível o convalescimento da posse precária?

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• Sim, desde que date de ano e dia.

• Sim, desde que antes de 1 ano seja ajuizada ação possessória.

• Sim, desde que antes de 2 anos seja ajuizada ação possessória.

• Sim, desde que também não seja clandestina.

• Não, porque a precariedade não cessa.

• 2. (Ministério Público/SP - 79.º) Em havendo turbação da posse:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• está autorizada a legítima defesa, desde que esteja em perigo a vida ou a integridade
física do possuidor.

• está autorizada a legítima defesa, podendo o possuidor direto ou indireto reagir


pessoalmente contra o turbador.

• não pode o possuidor valer-se de meios próprios para a defesa de sua posse ou
propriedade, devendo recorrer ao Promotor de Justiça da Comarca.

• não pode o possuidor valer-se de meios próprios para a defesa de sua posse ou
propriedade, devendo recorrer ao Delegado de Polícia do Município.

• não pode o possuidor valer-se de meios próprios para defesa de sua posse ou
propriedade, devendo recorrer aos meios judiciais.

• 3. (Advogado da União - 1998 - ESAF) A proteção preventiva da posse ante a


ameaça de turbação ou esbulho, opera-se mediante:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• ação de força nova espoliativa.


• ação de dano infecto.

• embargos de terceiro senhor e possuidor.

• ação de imissão de posse.

• interdito proibitório.

• 4. (Ministério Público/RS - 41.º) O possuidor de má-fé:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• não tem direito à indenização independentemente do tipo de benfeitoria que tenha


realizado no imóvel.

• tem direito à indenização das benfeitorias necessárias e das úteis, mas só pode reter o
imóvel em razão das necessárias.

• tem direito à indenização só das benfeitorias necessárias, mas não tem direito de retenção
do imóvel.

• tem direito à indenização das benfeitorias necessárias e das úteis sem direito de retenção
do imóvel.

• tem direito à indenização só das benfeitorias necessárias com direito de retenção do


imóvel.

• 5. (Advogado da União - 1998 - ESAF) Os frutos armazenados em depósito para


expedição ou venda são os:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• percipiendos.

• estantes.

• consumidos.

• percebidos.
• pendentes.

• 6. (Ministério Público/SC - 2000) I – Se a cessão onerosa de posse recair sobre


imóvel, a escritura pública deverá ser levada a registro imobiliário. II – A
oponibilidade erga omnes é um atributo privativo do direito real de propriedade.
III– A ação de imissão de posse é conferida ao adquirente da coisa, para assumir
a posse desta, que não lhe foi transmitida. IV – Uma vez pago o preço, o contrato
de compra e venda transfere ao adquirente o domínio da coisa. V – Pela traditio
brevi manu pode operar-se a tradição ficta.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• Apenas I, II e III estão corretos.

• Apenas II, III e IV estão corretos.

• Apenas III e V estão corretos.

• Apenas III, IV e V estão corretos.

• Apenas I, IV e V estão corretos.

• 7. (Ministério Público/RS - 40.º) Assinale a alternativa correta. Quando o


possuidor de uma coisa em nome alheio passa a possuí-la como própria tem-se:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• a traditio longa manu.

• o constituto-possessório.

• o ius tolendi.

• a traditio brevi manu.

• a apreensão.

• 8. (Magistratura/SP - 169.º) F. deixou, durante viagem à Europa, cavalo de corrida


sob a guarda do amigo P. Este o inscreveu em corrida de que o cavalo foi
ganhador, consistente o prêmio em avultadíssimo valor.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.


• Apenas teria que o entregar ao proprietário se demonstrado que agira abusivamente.

• Poderá, como partícipe do benefício, exigir percentual sobre o valor do prêmio.

• Nada terá que entregar ao dono do cavalo por ter inexistido qualquer prejuízo para ele.

• Terá que entregar o prêmio ao proprietário.

• 9. (Ministério Público/MG - 42.º) Assinale a assertiva incorreta:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• Nos casos de usucapião e direito hereditário, adquire-se a propriedade imóvel antes do


registro em cartório competente.

• O possuidor de má-fé tem direito a ser ressarcido pelas benfeitorias necessárias.

• O objeto da garantia pode ser dado em pagamento ao credor pignoratício, anticrético ou


hipotecário.

• O motorista que dirige o automóvel do patrão não é possuidor do veículo.

• Ao sucessor singular, não é facultado unir sua posse à do antecessor para os efeitos
legais.

• 10. (OAB/SP - 123.º) “A”, domiciliado em Curitiba, é proprietário de um sítio em


Londrina, onde mantém o caseiro “B”. “A” arrendou parte desse sítio a “C”, que
plantou, nesse local arrendado, um alqueire de cana.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• "A" é possuidor indireto, com ius possessionis; "B" é possuidor direto; "C" é possuidor
ilegítimo, mas de boa-fé, com direito de retenção sobre a benfeitoria feita.

• "A" é possuidor direto, com ius possidendi; "B" é possuidor indireto; "C" é possuidor de
boa-fé, mas sem direito de retenção pela acessão realizada.

• "A" é possuidor indireto, com ius possidendi; "B" é detentor; "C" é possuidor legítimo, de
boa-fé, com direito de retenção sobre a acessão feita.
• "A" é possuidor indireto, com ius possessionis; "B" é detentor; "C" é possuidor legítimo, de
boa-fé, com direito de retenção pela benfeitoria realizada.

• 11. (OAB/SP - 122.º) Se o transmitente de bem móvel, que o possui em nome


próprio, passar a possuí-lo em nome do adquirente, ter-se á aquisição da
propriedade mobiliária por

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• tradição real.

• tradição simbólica.

• traditio breve manu.

• constituto possessório ou tradição ficta.

• 12. (Magistratura/SP - 178.º) Assinale a única afirmativa inteiramente correta.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• Ao possuidor de má-fé serão ressarcidas as benfeitorias úteis e necessárias, mas só lhe


assiste o direito de retenção pela importância das necessárias.

• O possuidor de má-fé responde por todos os frutos colhidos e percebidos, bem como
pelos que, por culpa sua, deixou de perceber, desde o momento em que se constituiu de má-
fé; tem direito às despesas de produção e custeio.

• O possuidor de boa-fé tem direito à indenização das benfeitorias úteis, necessárias e


voluptuárias e pode exercer direito de retenção pelo valor de todas elas.

• O reivindicante, obrigado a indenizar as benfeitorias, deve pagar o valor atualizado delas,


valor esse que, apurado pela perícia, não poderá ultrapassar o reclamado pelo possuidor.

• 13. (OAB/RS - 2006.3) Quanto à matéria de posse, é correto afirmar que

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• o compromisso de compra e venda pode ser considerado justo título.

• a figura do constituto possessório se presume.

• o possuidor de má-fé não tem direito à indenização por benfeitorias necessárias.


• o detentor tem direito à tutela possessória.

• 14. (OAB/SC - 2007.2) Assinale a alternativa INCORRETA:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• Não induzem posse os atos de mera tolerância.

• Considera-se detentor aquele que, achando-se em relação de dependência para com


outro, conserva a posse em nome deste e em cumprimento de ordens ou instruções suas.

• A posse transmite-se aos herdeiros ou legatários do possuidor com os mesmos


caracteres.

• O possuidor de má-fé tem direito, enquanto durar a posse, aos frutos percebidos.

• 15. (OAB/PR - 2006.3) Aponte a alternativa correta:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• Não há diferença conceitual entre posse e detenção.

• A posse direta e a indireta excluem-se, não podendo ser exercidas ao mesmo tempo por
pessoas diferentes.

• É de boa-fé a posse, se o possuidor ignora o vício, ou o obstáculo que impede a aquisição


da coisa.

• A posse do imóvel não faz presumir a das coisas móveis que nele estiverem.

• 16. (OAB/PR - 2007.2) Sobre a usucapião, assinale a alternativa CORRETA:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• na usucapião ordinária, para além do justo título, indispensável é a existência de outra


prova cabal de boa-fé do possuidor.

• a destinação oferecida pelo possuidor ao imóvel durante o tempo de exercício da posse


em nada interfere na definição do prazo necessário para a aquisição por usucapião
extraordinária, desde que se trate de posse mansa, pacífica, contínua e com animus domini.

• não é vedada àquele que já é proprietário de bens imóveis a aquisição de outro bem
imóvel por usucapião extraordinária nem por usucapião ordinária.
• para efeitos de usucapião, o possuidor somente pode acrescentar à sua posse a de seus
antecessores quando a aquisição da posse decorrer de sucessão decorrente de morte do
antecessor.

• 17. (OAB/MS - 77.º) Assinale a alternativa correta:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• o possuidor de boa-fé responde pela perda ou deterioração da coisa, a que não der causa;

• o possuidor de boa-fé não tem direito, enquanto durar a posse, aos frutos percebidos;

• a hipoteca não é direito real;

• o usufruto é direito real.

• 18. (OAB/MS - 76.º) A afirmação incorreta é:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• na concepção da teoria objetiva (Rudolf von Ihering) posse é a exteriorização do domínio


(teoria objetiva);

• possuidor é o titular do exercício de fato dos poderes inerentes ao domínio;

• fâmulo da posse ocorre quando alguém exerce uma posse própria divergente de uma
posse natural;

• o possuidor ao desconhecer o vício, diante da presunção juris tantum, é de boa-fé.

• 19. (OAB - CESPE UnB 2007.3) A respeito da posse e da proteção possessória,


assinale a opção correta.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• A posse natural é um direito real de aquisição da propriedade de bens móveis e imóveis.


Para a obtenção dessa posse, exige-se o exercício de poderes de fato sobre a coisa.

• Na ação de reintegração de posse, a procedência do pedido fica condicionada à efetiva


comprovação da posse, do esbulho praticado pelo réu e da perda da posse. Exige-se, ainda, a
demonstração da data do esbulho, para que seja definido o rito pelo qual deverá tramitar o
processo.
• A ação possessória tem natureza dúplice, mesmo que o réu não demande, na
contestação, proteção possessória nem indenização por benfeitorias erigidas na coisa. Nessas
ações, admite-se a conversão de uma possessória em outra, ou, ainda, em petitória.

• O possuidor de má-fé tem direito à retenção da coisa alheia até ser indenizado pelas
benfeitorias necessárias e melhorias implementadas, tais como plantações ou construções.

• 20. (OAB/RS - 2004.1) Relativamente à matéria de posse e de direitos reais


prevista no Código Civil de 2002, assinale a assertiva correta.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• O possuidor de má-fé não tem direito a indenização por quaisquer benfeitorias realizadas.

• Os direitos reais sobre imóveis transmitidos causa mortis só se adquirem com o registro
no Cartório de Registro de Imóveis.

• A convenção de condomínio é oponível contra terceiros, independentemente do fato de


não estar registrada no Cartório de Registro de Imóveis.

• Na hipótese de alienação de unidade de condomínio, a responsabilidade por débitos do


imóvel relativamente ao condomínio está a cargo do adquirente.

• 21. (OAB/MG - 2003.1) Com base no que se estabelece na legislação específica,


é incorreto afirmar que:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• a posse é adquirida desde o momento em que se torna possível o exercício, em nome


próprio, de qualquer dos poderes inerentes à propriedade.

• aquele que, contínua e incontestadamente, com justo título e boa-fé, o possuir por 10 anos
adquire a propriedade do imóvel.

• aquele que, por 15 anos, sem interrupção nem oposição, possuir como seu um imóvel,
adquire-lhe a propriedade, independentemente de título e boa-fé.

• os direitos reais sobre coisas imóveis, quando constituídos, ou transmitidos por atos entre
vivos, só se adquirem com a tradição.

• 22. (OAB/SP - 120.º) A desapropriação judicial de imóvel, fundada na posse-


trabalho, dá-se quando houver posse por:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.


• 5 anos, sem oposição, de área rural não superior a 50 hectares, por quem não for
proprietário de imóvel rural ou urbano.

• mais de 5 anos, de uma extensa área, reivindicada pelo proprietário e traduzida em


trabalho criador de um número considerável de pessoas, concretizado em construção de
moradia ou em investimentos de caráter produtivo ou cultural, mediante pagamento de justo
preço ao titular da propriedade, valendo a sentença como título para o registro da propriedade
imobiliária em nome dos possuidores.

• 5 anos, de área urbana de até 250 m² por quem, não sendo proprietário de imóvel urbano
ou rural, a utilizar para sua moradia.

• 10 anos, independentemente de título e boa-fé, de imóvel, por quem nele estabelecer


morada habitual e realizar obras produtivas.

• 23. (OAB/MG - 2008.2) Assinale a opção INCORRETA:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• A posse não se transmite aos herdeiros do possuidor.

• Considera-se justa a posse que não for violenta, clandestina ou precária.

• Adquire-se a posse quando se torna possível exercer, em nome próprio, qualquer dos
poderes inerentes à propriedade.

• O possuidor turbado poderá manter-se na posse por sua própria força, desde que o faça
logo.

• 24. (OAB/SP - CESPE UnB - 136.º) A posse exercida com animus domini, mansa,
pacífica, ininterrupta e justa, durante o lapso de tempo necessário à aquisição
da propriedade, é denominada posse

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• ad interdicta.

• ad usucapionem.

• pro diviso.

• pro indiviso.
• 25. (OAB - CESPE UnB 2008.2) Em 2/7/2008, Renato teve de desocupar sua casa,
que fora invadida por Glauber e Walter. Duas semanas após o fato, Renato
procurou um advogado para se informar a respeito da providência jurídica que
poderia ser adotada nessa situação. Com base no que dispõe o atual Código
Civil, é correto afirmar que Renato, na situação hipotética apresentada,

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• pode utilizar-se do desforço imediato para defesa da sua posse.

• deve pleitear a manutenção da posse, em razão do tempo ocorrido desde a turbação.

• tem direito à reintegração da posse, por tratar-se de esbulho.

• tem direito de requerer medida assecuratória ante a violência iminente.

• 26. (Magistratura/SP - 181º-2008) Tratando-se de área extensa, na posse


ininterrupta e de boa fé, por mais de cinco anos, de considerável número de
pessoas, local em que elas houverem realizado, em conjunto ou separadamente,
obras e serviços considerados pelo juiz de interesse social e econômico
relevante. Sobre o assunto em questão, pode-se afirmar que:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• o proprietário, se vier a propor ação reivindicatória, poderá se ver privado da coisa,


hipótese em que deverá ser fixada justa indenização em seu favor, sendo que, pago o preço, a
sentença valerá como título para registro do imóvel, em nome dos possuidores, no cartório
competente.

• neste caso, ocorre situação de usucapião, não de desapropriação judicial.

• proposta a ação pelo proprietário, dispensável se fará a citação de todas as pessoas em


questão, bastando se ordenar a citação dos possuidores mais antigos.

• pela via da desapropriação, surgirá, nas circunstâncias, privado que venha a ser o
proprietário de sua coisa, o surgimento não de um "condomínio especial", mas sim, de um
loteamento.

• 27. (Delegado de Polícia/SP - 2008) Pelo Código Civil, a posse que não for
violenta, clandestina ou precária é

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• plena.
• justa.

• definitiva.

• mansa e pacifica.

• incompatível

• 28. (Magistratura/PR - 2008) Assinale a alternativa correta:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• O proprietário poderá ser privado da coisa se o imóvel reivindicado consistir em extensa


área, na posse ininterrupta e de boafé, por mais de cinco anos, de considerável número de
pessoas, e estas nela houverem realizado, em conjunto ou separadamente, obras e serviços
considerados pelo juiz de interesse social e econômico relevante, sendo, ainda, indispensável,
que os ocupantes residam na área e que sua posse seja ad usucapionem.

• Uma ação de reintegração de posse jamais poderá ser decidida contra o legítimo
proprietário do imóvel.

• A posse injusta jamais poderá ser de boafé.

• A injustiça da posse não depende do conhecimento do possuidor acerca do vício que está
a macular a sua aquisição.

• 29. (OAB/Unificados - CESPE UnB 2008.3) A respeito da posse, assinale a opção


correta.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• A posse direta não anula a indireta; portanto, o possuidor direto poderá defender a sua
posse, ainda que seja contra o possuidor indireto.

• A posse de boa-fé só perde esse caráter quando do trânsito em julgado da sentença


proferida em ação possessória.

• Sendo possuidor todo aquele que tem de fato o exercício, pleno ou não, de algum dos
poderes inerentes à propriedade, não é possível adquirir posse mediante representação.

• O possuidor pode intentar ação de esbulho contra quem tenha praticado tal ato, mas não
pode intentá-la contra o terceiro que tenha recebido a coisa esbulhada, ainda sabendo que o
era, por não ser o terceiro uma parte Legítima para figurar no polo passivo da demanda.
• 30. (ENC - Direito - 1997) O possuidor turbado ou esbulhado poderá

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• Manter-se ou restituir-se por sua própria força, desde que o faça logo.

• Manter-se ou restituir-se por sua própria força, dentro de ano e dia após a turbação ou o
esbulho.

• Manter-se, no caso de turbação, por sua própria força, se não obtiver providência judicial
após ano e dia.

• Manter-se, no caso de turbação, por sua própria força, mas não pode restituir-se, no caso
de esbulho, em nenhuma hipótese.

• Restituir-se, no caso de esbulho, por sua própria força, sempre que o esbulhador
desobedecer ao interdito proibitório.

• 31. (ENC - Direito - 1999) O possuidor de boa-fé tem direito

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• de retenção pelo valor das benfeitorias necessárias e úteis.

• de exigir o pagamento das benfeitorias voluptuárias, mas não pode retirá-las.

• de exigir indenização pelas benfeitorias úteis, apenas não podendo exercer a retenção.

• de exercer somente a retenção pelas benfeitorias necessárias, podendo, quanto às úteis e


voluptuárias, retirá-las.

• à indenização por benfeitorias necessárias, úteis e voluptuárias, não podendo retirá-las,


nem exercer retenção.

• 32. (Magistratura/PA- 2008) A posse mantém o respectivo caráter enquanto não


ocorre a sua:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• manutenção.

• interdição.
• justaposição.

• interversão.

• restituição

• 33. (Notário TJ/SC - 2008) Assinale a alternativa correta:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• O usufrutuário pode usufruir do prédio em pessoa, ou mediante arrendamento, com a


possibilidade, inclusive, de alterar a sua destinação econômica, independentemente da
autorização do proprietário.

• Não se pode transferir o usufruto por alienação; mas o seu exercício pode ser cedido por
título gratuito ou oneroso.

• O usufrutuário é obrigado a pagar as deteriorações resultantes do exercício regular do


usufruto.

• O usufruto de imóveis, mesmo quando resulte de usucapião, constituir-se-á mediante


registro no Cartório de Registro de Imóveis.

• Os frutos civis vencidos na data inicial do usufruto pertencem ao usufrutuário; e os


vencidos na data em que cessa o usufruto, ao proprietário.

• 34. (Ministério Público/SC - 2008) I - A propriedade fiduciária que é sempre


resolúvel, com o desdobramento da posse, torna o devedor possuidor direto da
coisa. II - O direito aos interditos possessórios é efeito que se produz
independentemente da qualidade da posse, mesmo que ela seja precária. III - As
causas que obstam, suspendem ou interrompem a prescrição previstas no
Código Civil não se aplicam ao usucapião. IV - As terras devolutas, como bens
públicos que são, não estão sujeitos ao usucapião, conforme torrencial
jurisprudência de nossos tribunais. V - O direito de superfície consiste na
concessão onerosa para outrem pelo proprietário, por tempo indeterminado, do
direito de construir ou de plantar em seu terreno.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• apenas I e II estão corretos

• apenas II e IV estão corretos.

• apenas I e III estão corretos.


• apenas II, III e V estão corretos.

• apenas II e V estão corretos.

• 35. (OAB/Unificados - CESPE 2009.1) Quanto ao instituto da posse, a lei civil


estabelece que

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• a posse pode ser adquirida por terceiro sem mandato, independentemente de ratificação
do favorecido.

• o possuidor de má-fé tem direito à indenização pelas benfeitorias necessárias, assistindo-


lhe o direito de retenção pela importância destas.

• é assegurado ao possuidor de boa-fé o direito à indenização pelas benfeitorias


necessárias e úteis. Quanto às voluptuárias, estas, se não forem pagas, poderão ser
levantadas, desde que não prejudiquem a coisa.

• obsta à manutenção ou à reintegração da posse a alegação de propriedade, ou de outro


direito sobre a coisa.

• 36. (Defensor Público/MG - 2009) Analise as assertivas abaixo: 1. A classificação


da posse em direta e indireta só é cabível nos países que adotam a Teoria de
Jhering. 2. O detentor pode se valer da legítima defesa da posse. 3. Os direitos
reais de garantia podem ser constituídos por via escrita ou não. 4. O construtor
de boa-fé sempre perderá o que houver construído em terreno alheio. Caberá a
este construtor, no entanto, o direito de ser indenizado. Está CORRETO o que se
declara:

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• nas assertivas 1, 2, 3 e 4.

• apenas em 1 e 2.

• apenas em 2 e 3

• apenas em 1 e 3.

• apenas em 2 e 4.
• 37. (Magistratura/MG - 2009) Em relação à posse, assinale a alternativa
CORRETA.

• A posse nascida justa pode tornar-se injusta, especialmente no que se refere ao vício da
precariedade.

• Como exemplo típico podemos citar a precariedade que ocorre no momento em que o
possuidor se nega a restituir a posse ao proprietário. Há uma quebra de confiança por parte do
possuidor, que passa a ter a posse em nome próprio e injusta.

• A posse do locatário e a do comodatário são consideradas posses precárias.

• A posse nascida injusta não poderá se converter em posse justa.

• A posse adquirida por ameaça, para ser considerada injusta, exige prévio ajuizamento de
ação anulatória do ato, por vício do consentimento.

• 38. (Magistratura/RS - 2009) Assinale a assertiva correta sobre posse.

• Nenhuma alternativa foi respondida nesta questão.

• A turbação ou o esbulho autorizam o possuidor, desde que o faça logo, a manter-se ou


restituir-se por sua própria força, respectivamente.

• Artigo 1.210 do CC

• A posse pode ser adquirida por terceiro sem mandato, independentemente de ratificação.

• Os atos violentos ou clandestinos não geram posse, mesmo cessada a violência ou a


clandestinidade.

• Considera-se detentor aquele que, achando-se em relação de independência para com


outro, conserva a posse para si.

• Ao possuidor de má-fé não serão ressarcidas nem mesmo as benfeitorias necessárias.

• 39. (Ministério Público/SE - 2010) Adquire-se a posse

• pelo próprio interessado, seu representante ou procurador, terceiro sem mandato


(independentemente de ratificação) e pelo constituto possessório.

• pelo próprio interessado, seu representante ou procurador, terceiro sem mandato


(dependendo de ratificação) e pelo constituto possessório.
• pelo próprio interessado e pelo constituto possessório, apenas.

• pelo próprio interessado, seu representante ou procurador (dependendo de ratificação),


terceiro sem mandato e pelo constituto possessório.

• pelo próprio interessado, seu representante ou procurador e por terceiro sem mandato
(dependendo de ratificação), apenas.

• 40. (Ministério Público/SP - 87.º) Assinale a alternativa correta:

• são exemplos de possuidor direto: o usufrutuário, o locador, o credor pignoratício.

• o compossuidor só pode exercer atos possessórios sobre a sua parte ideal no bem.

• o sucessor universal e o sucessor singular continuam de direito a posse do seu


antecessor.

• a posse turbada ou esbulhada pode ser autotutelada, sendo requisitos indispensáveis de


tal espécie de defesa a imediatidade e a proporcionalidade.

• o possuidor direto não pode defender sua posse contra o possuidor indireto.