Sie sind auf Seite 1von 7

Colégio Estadual Monteiro Lobato

Língua Portuguesa/Literatura – 1º Bimestre


Profª. Josi de Paula
Turma: 1006 Data: 15/03/11

Comunicação: É o que comunica ação, o pensamento transformado em mensagem


(direcionada ou não) para se conseguir um determinado resultado.

1. Canal: meio pelo qual circula a mensagem. Meio utilizado para conduzir a mensagem emitida
até seu destino. Esse meio pode ser: sons, sinais
visuais, cheiros, gostos.
2. Emissor: indivíduo ou grupo que codifica (envia) a mensagem.
3. Receptor: indivíduo ou grupo que decodifica (recebe) a mensagem.
4. Mensagem: o próprio texto transmitido.
5. Referente: conteúdo da mensagem, assunto, objeto ou situação a que a mensagem se
refere, contexto relacionado a emissor e receptor.
6. Código: conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem. CódigoVerbal :
linguagem oral ou escrita (normalmente uma língua natural). Código não verbal : gestual,
pictórico(relativo a pintura), morse.

Ruídos na Comunicação

Nem sempre o processo de comunicação é perfeito. No decorrer de suas etapas podem ocorrer
perturbações que prejudicam o processo, no qual são denominados ruídos. Ruído é uma
perturbação indesejável em qualquer processo de comunicação, que pode provocar perdas ou
desvios na mensagem.

De acordo com Carvalho (1995, p. 82), o ruído é identificado na comunicação humana como o
conjunto de barreiras, obstáculos, acréscimos, erros e distorções que prejudicam a compreensão
da mensagem em seu fluxo: emissor x receptor e vice-versa. Isto significa que nem sempre
aquilo que o emissor deseja informar é precisamente aquilo que o receptor decifra e
compreende. Portanto, pode-se dizer que a comunicação só pode ser considerada eficaz quando
a compreensão de receptor coincide como o significado pretendido pelo emissor.

Funções da linguagem

Funções da linguagem são recursos de ênfase que atuam segundo a intenção do produtor da
mensagem, cada qual abordando um diferente elemento da comunicação.Um texto pode
apresentar mais de uma função enfatizada.

1) Função emotiva ou expressiva


Esta função ocorre quando se destaca o locutor (ou emissor). Caracteriza-se pela
transmissão de emoções, sentimentos, sensações, opiniões, pontos de vista,
julgamentos, sendo um texto completamente pessoal. Há o predomínio da primeira
pessoa verbal (EU/NÓS), bem como o emprego frequente de interjeições e
exclamações. Podem-se citar como bons exemplos as confissões, as cartas de
amor apaixonadas, poemas líricos em primeira pessoa.
Exemplo: “ Se meus pensamentos e minha vontade fossem um só. Minhas noites não seriam
tão sombrias, tão solitárias. Sua memória não seria tão doce, tão amarga, tão presente (...) Ah,
como eu queria que o mundo a nossa volta não nos rondasse, não nos condenasse. Pelo nosso
egoísmo. Pela nossa paixão (...) Então que venham os ventos frios e gelem meu corpo,

1
sufoquem minha garganta, meus pensamentos. E a sua falta a cada dia se torne uma simples
pontada no peito, um simples resquício de sonho”.

2) Função referencial ou denotativa


A mensagem é centrada no referente, no assunto (contexto relacionado ao emissor e receptor).
O emissor procura fornecer informações da realidade, sem a opinião pessoal, de forma objetiva,
direta, denotativa. A ênfase é dada ao conteúdo, ou seja, às informações. Geralmente, usa-se a
3ª pessoa do singular. Os textos que servem como exemplo dessa função da linguagem são os
jornalísticos, os científicos e outros de cunho apenas informativo.
Características
• neutralidade do emissor;
• objetividade e precisão;
• conteúdo informacional;
• uso da 3ª pessoa do singular (ele/ela).
Exemplo: “No mundo de hoje, onde falta tempo e abundam informações, o texto informativo que se
mostra mais útil é aquele composto por parágrafos curtos, com frases diretas e dados precisos. Em Para
escrever bem (2002), as professoras Maria Elena Ortiz Assumpção e Maria Otilia Bocchini, da Escola de
Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, ensinam que escrever textos informativos de leitura
interessante e agradável exige bons conhecimentos da relação entre o/a leitor/a e o texto.As publicações
feministas oferecem conteúdos valiosos, mas em sua maioria não apresentam uma redação centrada na
leitora e no leitor, isto é, não apresentam textos acessíveis e de fácil leitura. O tratamento de textos ainda
requer um maior investimento”.

3) Função apelativa ou conotativa


A mensagem é centrada no receptor e organiza-se de forma a influenciá-lo, ou chamar sua
atenção. Geralmente, usa-se a 2ª pessoa do discurso (tu/você; vós/vocês), vocativos e formas
verbais ou expressões no imperativo. Como essa função é a mais persuasiva de todas, aparece
comumente nos textos publicitários, nos discursos políticos, horóscopos e textos de auto-ajuda.
Como a mensagem centra-se no outro, ou seja, no interlocutor, há um uso explícito de
argumentos que fazem parte do universo do mesmo. Exemplo:"Fique antenado com seu
tempo..."; "Compre já, e ganhe dicas surpreendentes!"

4) Função fática
O canal é posto em destaque, ou seja, o canal que dá suporte à mensagem. O interesse do
emissor é emitir e simplesmente testar ou chamar a atenção para o canal, isto é, verificar a
"ponte" de comunicação e certificar-se sobre o contato estabelecido, de forma a prolongá-lo. Os
cacoetes de linguagem como alô, né?, certo?, ahã, dentre outros, são um exemplo bem comum
para se evidenciar "Contato entre emissor e receptor" Exemplos são saudações e cumprimentos
diários como: Bom dia! Como vai? Tudo bem? //Chavões telefônicos como: Alô, está me ouvindo?
Posso falar?

5) Função poética
É aquela que põe em evidência a forma da mensagem, ou seja, que se preocupa mais em "como
dizer" do que com "o que dizer". O foco recai sobre o trabalho e a construção da mensagem. A
mensagem é posta em destaque, chamando a atenção para o modo como foi organizada. Há um
O moço entra apressado
interesse pela mensagem através do arranjo e da estética, valorizando as palavras e suas
Para ver a namorada
combinações. Essa função aparece comumente em textos publicitários, provérbios, músicas,
E é da seguinte forma
ditos populares e linguagem cotidiana. Nessa função pode-se observar o intensivo uso de figuras
escada.
de linguagem, como o Neologismo , quando se faz necessária a criação de uma nova palavra
a
para exprimir o sentido e alcançar o efeito desejado. Quando a mensagem é elaborada de forma
sobe
inovadora e imprevista, utilizando combinações sonoras e rítmicas, jogos de imagem ou de
ele
idéias, temos a manifestação da função poética da linguagem. Essa função é capaz de despertar
Que
no leitor prazer estético e surpresa. É explorada na poesia e em textos publicitários.
Características:
• Subjetividade;
Mas lá em cima está o pai
• figuras de linguagem;
Da pequena que ele adora
• brincadeiras com o código.
E por isso pela escada
Poeminhas Cinéticos
de Millôr Fernandes ele
2
embora.
Era um homem bem vestido
Foi beber no botequim
Bebeu muito, bebeu tanto
Que
saiu
de

assim.
As casas passavam em volta
Numa procissão sem fim

As coisas todas rodando

Função Metalinguística

Caracterizada pela preocupação com o código. Pode ser definida como a linguagem que fala
da própria linguagem, ou seja, descreve o ato de falar ou escrever. A linguagem (o código)
torna-se objeto de análise do próprio texto. Os dicionários e as gramáticas são repositórios de
metalinguagem.

Exemplos: O ventanista foi agarrado. O que quer dizer ventanista? Ventanista quer dizer:
Ladrão que penetra nas casas pela janela .

Quadro Resumo:

Funções predominantes Finalidade Recursos


1. Referencial ou denotativa Transmitir informações Frase declarativa:
comunicação impessoal e
objetva.
2. Emotiva ou expressiva Exprime sentimentos e Frase exclamativa:
emoções comunicação pessoal e
sujetiva
3. Apelativa ou conativa Influenciar o recebedor Frase imperativa:
comunicação convincente
4. Fática ou de contato Gerar, provocar, facilitar a Frase breve, exata, clara
comunicação
5. Metalinguística Elucidar e esclarecer o Explicações, definições
código linguístico
6. Poética Valorizar a forma de Frases de valor artístico,
linguagem com predomínio da
conotação (sentido
figurado), figuras de
liguagem.

3
Colégio Estadual Monteiro Lobato
Língua Portuguesa/Literatura – 1º Bimestre
Profª. Josi de Paula
Turma: 1006 Data: 15/03/11

01 - Reconheça nos textos a seguir as funções da linguagem:

a) "O risco maior que as instituições republicanas hoje correm não é o de se romperem, ou serem rompidas, mas o de não
funcionarem e de desmoralizarem de vez, paralisadas pela sem-vergonhice, pelo hábito covarde de acomodação e da
complacência. Diante do povo, diante do mundo e diante de nós mesmos, o que é preciso agora é fazer funcionar
corajosamente as instituições para lhes devolver a credibilidade desgastada. O que é preciso (e já não há como voltar atrás
sem avacalhar e emporcalhar ainda mais o conceito que o Brasil faz de si mesmo) é apurar tudo o que houver a ser
apurado, doa a quem doer." (O Estado de São Paulo) R

b)
O verbo infinitivo P

Ser criado, gerar-se, transformar E crescer, e saber, e ser, e haver


O amor em carne e a carne em amor; nascer E perder, e sofrer, e ter horror
Respirar, e chorar, e adormecer De ser e amar, e se sentir maldito
E se nutrir para poder chorar
E esquecer tudo ao vir um novo amor
Para poder nutrir-se; e despertar E viver esse amor até morrer
Um dia à luz e ver, ao mundo e ouvir E ir conjugar o verbo no infinito... (Vinícius de Morais)
E começar a amar e então ouvir
E então sorrir para poder chorar.

c) "Para fins de linguagem a humanidade se serve, desde os tempos pré-históricos, de sons a que se dá o nome genérico
de voz, determinados pela corrente de ar expelida dos pulmões no fenômeno vital da respiração, quando, de uma ou outra
maneira, é modificada no seu trajeto até a parte exterior da boca." (Matoso Câmara Jr.) R/M

d) " - Que coisa, né? F


- É. Puxa vida!
- Ora, droga!
4
- Bolas!
- Que troço!
- Coisa de louco!
- É!"

e) "Fique afinado com seu tempo. Mude para Col. Ultra Lights." A

f) "Sentia um medo horrível e ao mesmo tempo desejava que um grito me anunciasse qualquer acontecimento
extraordinário. Aquele silêncio, aqueles rumores comuns, espantavam-me. Seria tudo ilusão? Findei a tarefa, ergui-me,
desci os degraus e fui espalhar no quintal os fios da gravata. Seria tudo ilusão?... Estava doente, ia piorar, e isto me
alegrava. Deitar-me, dormir, o pensamento embaralhar-se longe daquelas porcarias. Senti uma sede horrível... Quis ver-
me no espelho. Tive preguiça, fiquei pregado à janela, olhando as pernas dos transeuntes." (Graciliano Ramos) E

g) " - Que quer dizer pitosga? M


- Pitosga significa míope.
- E o que é míope?
- Míope é o que vê pouco."

h) "O homem letrado e a criança eletrônica não mais têm linguagem comum." (Rose-Marie Muraro) R

i) "O discurso comporta duas partes, pois necessariamente importa indicar o assunto de que se trata, em seguida a
demonstração. (...) A primeira destas operações é a exposição; a segunda, a prova." (Aristóteles) R

j) "Olá, como vai? F


Eu vou indo e você, tudo bem?
Tudo bem, eu vou indo em pegar um lugar no futuro e você?
Tudo bem, eu vou indo em busca de um sono tranqüilo..." (Paulinho da Viola)
Colégio Estadual Monteiro Lobato
Língua Portuguesa/Literatura – 1º Bimestre
Profª. Josi de Paula Turma: 1006 Data: 22/03/11
RESOLUÇÃO: a) função referencial
b) função poética
c) funções referencial e metalingüística
d) função fática
e) função conativa
f) função emotiva
g) função metalingüística

RESOLUÇÃO: h) função referencial


i) função referencial
j) função fática
FUNÇÕES DA LINGUAGEM
1-Função Expressiva Ou Emotiva: Centrada No Emissor ( Destinador Da Mensagem; Exprime A Atitude
Dele Em Relação Ao Conteúdo .

Características:

- Discurso Em 1ª Pessoa;
- Julgamentos Subjetivos;
-Interjeições Com Valor Emotivo
-Entonações Características (Oral);
-Figuras Literárias E
-Criações Literárias

Exemplos:

No Texto “Ah! Perdi A Tramontana! Agarrei A Garrafa Que Estava Na Minha Frente E Abri A
Cabeça Da Santa Criatura Com Uma Pancada Horrivel! De Nada Mais Me Lenbro. Ouvi Um
Berro, Um Clamor. Senti O Pânico Em Redor De Mim E Corri Para A Rua Como Um Ébrio. Foi
Quando ...” ( Monteiro Lobato- “Cidades Mortas” – P. 91)

Na Propaganda : Quando O Comercial É Feito Através Do Testemunho De Pessoas Conhecidas


Publicamente ( Artistas, Desportistas, Empresários E Profissionais De Destaque), Que Expressar Suas
Opiniões Em Relação Ao Produto Ou Serviço Anunciado.

2- Função Conativa Ou Apelativa: Centrada No Receptor ( Destinatário ). Os Anunciados Visam


Influenciar O Comportamento Do Destinatário Da Mensagem.

5
Características:
-Verbos No Imperativo
-Emprego De Vocativos E
-Uso De Pronomes De 2ª Pessoa ( Tu/Vós Ou Você/Vocês )

Aplicação : Textos Publicitários, Políticos E Linguagem Comum. Exemplos:


Antes De Escolher Seu Carro Para 97, Vá A Uma Concessionária Ford.
Beba Coca Cola
Vote Em “X” . A Escolha Do Eleitor Inteligente.
Ah! Finalmente Um Novo Banco.
Sente-Se. Saia. Aguarde Na Fila. Não Fume.

3-Função Referencial : Centrada No Referente. O Importante É O Conteúdo Da Informação. A Linguagem


É Precisa, Direta E Objetiva.
Características :

-Neutralidade Do Emissor
-Objetividade E Precisão
-Conteúdo Informacional E
-Uso De 3ª Pessoa

Aplicação: Jornalismo, Cartas Comerciais, Redações Técnicas, Manuais De Instruções,


Bulas De Remédios, Relatórios, Resenhas, Resumos, Informes E Descrições. Na Propaganda – Informações
Gerais Sobre O Produto Ou Serviço. Exemplos:

Museu De Arte Contemporânea – Aberto Das 9:00 Às 18:00 Horas R. Do Ouvidor, Nº 507 – Rio
De Janeiro.
Soft – A Espuma De Banho Com Hidratante, Umectante E Vitamina E .

4-Função Fática : Centrada No Contato Físico Ou Psicológico .


Tudo O Que Na Mensagem Serve Para Estabelecer, Manter Ou Cortar O Contato.
O Objetivo É Chamar A Atenção Do Receptor E Assegurar Que Este Não Se Distraia.
O Conjunto Organizado De Expressões Traz Pouca Informação.

Características :
-Manifestação Da Necessidade Ou Desejo De Comunicação E
-Manutenção Dos Vínculos Sociais.

Aplicação: Conversas Telefônicas E Informais, Propaganda E Música

Exemplos:

Alô! Você Está Me Ouvindo? Um Momento Por Favor. Vou Desligar.


Olá, Como Vai?
Eu Vou Indo, E Você, Tudo Bem?
Tudo Bem, Eu Vou Indo, Correndo,
Pegar Meu Lugar No Futuro. E Você?
Tudo Bem, Eu Vou Indo Em Busca De Um Sono
Tranqüilo, Quem Sabe?
Quanto Tempo ... (Sinal Fechado- Paulinho Da Viola – 1974)
Psiu! É Com Você Que Eu Estou Falando.
Hei! Hei! Vocês Lembram De Mim?

5-Função Metalingüística : Centrada No Código, Serve Para Dar Explicações Ou Dar Precisão Ao Código
Utilizando Pelo Emissor. Metalinguagem É Uma Linguagem Que Fala Da Própia Linguagem. Tem Por
Objetivo A Língua Usada Como Forma De Expressão.

Características:
- Fornecer Informações Conceituais
- Definições E
- Explicações

Aplicação: Textos Explicativos E Didáticos, Linguagem Científica, Dicionários, Comentários Explicativos Ou


Descritivos De Fotografia (Imagem) E Análises.
Exemplos:
6
Na Escola: Uma Aula Sobre Vocabulário (Sinônimos), O Diálogo Entre O Professor E Os Alunos
Constitui Uma Metalinguagem.

Na Definição: O Ventanista Foi Agarrado. O Que Quer Dizer Ventanista? Ventanista Quer Dizer: Ladrão
Que Penetra Nas Casas Pela Janela .

Na Propaganda:
Você Sabe O Que É Injeção Eletrônica ?
É Um Processo De ... (O Texto Explica O Que É
E Mostra As Vantagens Do Carro “Y”, Que É Equipado Com Esse Dispositivo) .

Cabernet Ou Merlot . O Texto Define E Comenta Os Dois Tipos De Vinho E Encaminha O Consumidor À
Adega Anunciante.

6-Função Poética Ou Estética: Centrada Na Própia Mensagem.


A Função Poética Não Abrange Só A Poesia, No Entanto É Nessa Forma De Expressão Que A Função
É Dominante . A Função Poetica Está Sempre Presente Que A Forma E A Estrutura Da Mensagem Reforçam
Ou Modificam O Seu Conteúdo. Ela Suplementa Ou Modifica O Sentido Denotativo Da Mensagem.

Características:
Ritmo; Jogo Das Sonoridades; Estrutura; Grafismo; Espacialidade; Figuras De Harmonia, Repetição E
Pensamento. Exemplos:

Na Propaganda: Pneu Carecou? Hm Trocou.


(Hm – Hermes Macedo - Revendedor De Pneus)
A Força Do Novo, A Força Do Povo. (Propaganda Política)
“Kuka Fresca” (Assistência Técnica De Geladeiras E Freezers)
Verão Colorido. Verão Colorama. (Batom Colorama)
Análise Da Função Poética Pelo Aspecto Fonético: “Coca Cola É Isso Aí.”O Caráter Onomatopaico Do Verso
É Realçado Pelo Som Fricativo “Ss”, Ao Ranger O Ruído Que É Produzido Quando Se Abre O Refrigerante.
O Som Simboliza Um Convite Ao Consumidor Para Abrir Uma Garrafa Do Refrigerante.

Observação: As Seis Funções Da Linguagem Não Se Excluem, Mas Também Não Se Encontram,
Necessariamente, Todas Reunidas Numa Mesma Mensagem. Numa Mensagem, É Muito Raro Encontrar
Apenas Uma Dessas Seis Funções . Há Sobreposição Das Funções, Mas Sempre Uma Será Dominante De
Acordo Com O Objetivo Da Mensagem.