Sie sind auf Seite 1von 7

c 

  
c   

      


    

      


    ! " #  " !  $% m


        &





  '  
()
"   #**+
& ,  #*-*.





#  
& 
       /" 

 !0 #   






c 
  
c   

 " !1

O universo das máquinas eléctricas é bastante vasto, assim podemos destacar
o motor de indução trifásico que é uma máquina com um princípio de
funcionamento simples, não necessita de muita manutenção, que se podia
revelar dispendiosa e possui um tipo de construção resistente. O seu nome
deriva do facto da corrente no rotor não provir directamente de uma fonte de
alimentação, mas ser induzida nele pelo movimento relativo dos condutores
do rotor e do campo girante produzido pelas correntes do estator.

A utilização e aplicação deste tipo de motores tem vindo a multiplicar -se já


que, com o crescente desenvolvimento de métodos de controlo desta máquina
eléctrica, que se devem ao facto da tecnologia estar sempre em expansão,
permitem que a máquina possa utilizar a energia eléctrica sem haver
dissipação da mesma.
O princípio de funcionamento do motor de indução trifásico é bastante
simples, visto basear-se na Lei de Indução sendo concretizado num motor com
aspectos construtivos de fácil execução e que, se for bem aplicado, permite
obter sistemas de accionamentos estáveis, e de óptima qualidade. Quando se
aplica este motor são de salientar os aspectos relacionados com o sistema
alternado trifásico das grandezas eléctricas da alimentaçã o do motor, com a
caracterização do funcionamento do motor de indução trifásico, com a
dinâmica do sistema de accionamento o que, globalmente, permite atender
aos problemas de selecção e aplicaçã o do motor de indução trifásico.
Assim, o motor de indução trifásico é o motor de corrente alternada mais
comum e de mais fácil e robusta construção. Tendo em conta estas
qualidades, tem-se recorrido cada vez mais a este motor para substituir os
motores eléctricos de colector de lâminas nas suas aplicações típicas, e
devido a um aumento do conhecimento do seu princípio de funcionamento foi
possível desenvolver novas estratégias de controlo que permitem uma boa
adaptação das suas características de funcionamento as necessidades da carga
mecânica accionada.

O motor de indução é constituído por duas partes principais: o estator e o


rotor.

O estator do motor de indução trifásico é constituído por um empacotamento


de
chapa de ferro magnético silicioso, com baixa densidade de perdas
magnéticas que dá origem ao circuito magnético estatórico. As chapas têm a
forma de coroa circular ranhurada na periferia interior (normalmente, 36, 48
ou 54 ranhuras) e encontram -se revestidas por um verniz isolante. As ranhuras
são semifechadas e destinam-se a conter os condutores do circuito eléctrico
estatórico. Entre conjuntos de chapas magnéticas podem existir canais de
ventilação, que servirão para a passagem do ar de refrigeração.


c 
  
c   


ðig.1- Estrutura de um estator

O circuito eléctrico estatórico é formado por um enrolamento com três


bobinas afastadas no espaçoo de 2›/3 rad, destinadas a serem sustentadas
por cada uma das fases de um sistema trifásico. Os condutores eléctricos que
formam as diversas espiras das bobinas são isolados a esmalte, estão dispostos
a duas camadas na ranhura, e encontram-se isolados do material magnético
por um material isolante plástico. Nas máquinas de maior potencia, os
enrolamentos estatóricos são formados por bobinas rígidas, construídas por
uma barra de cobre isolado por materiais sintéticos polimerizados.

Por sua vez, o rotor é constituído por um núcleo magnético rotórico e também
folheado e construído com o mesmo tipo de chapa magnética utilizada no
núcleo estatórico. As chapas magnéticas têm uma forma de coroa circular que
possui ranhuras fechadas perto da periferia exterior. O núm ero de ranhuras
rotóricas está relacionado com o número de ranhuras estatóricas para evitar o
aparecimento de ruído no funcionamento do motor.




ðig.2- Estrutura de um rotor


c 
  
c   



ðig.3- Interacção do estator com o rotor



O enrolamento rotórico pode ser de dois tipos distintos, ´gaiola de esquilo ´
(em curto circuito) ou bobinado. O enrolamento rotórico em gaiola é
constituído por uma gaiola de alumínio, dopado com uma pequena
percentagem de impurezas, que é obtida por injecção.
Trata-se de um circuito eléctrico polifásico em curto -circuito permanente,
constituído com um material com muito menor resistividade do que o material
ferromagnético no qual está envolvido; assim, os condutores da gaiola não
estão envolvidos por qualquer tipo de material isolante.


ðig.4- ðigura representativa do circuito rotórico em gaiola de esquilo

Quando o circuito rotórico é em cobre, as barras de cobre são colocadas
manualmente nas ranhuras, e os anéis de topo são ligados às barras por
soldadura a alta frequência. As barras são travadas nas ranhuras para evitar
vibrações durante o funcionamento do motor de indução trifásic o.
O circuito eléctrico de um motor de indução trifásico com rotor bobinado
contacta com a parte fixa da máquina através de um sistema colector de
anéis ² escovas. Desta forma, torna-se possível alterar o valor dos parâmetros
(resistência rotórica) durante o funcionamento da máquina.



c 
  
c   

No que toca à estrutura mecânica, temos que, para um bom funcionamento


do motor de indução trifásico é preciso que as diferentes partes sejam
montadas e permaneçam na respectiva posiçã o, que as partes móveis possam
rodar a velocidade conveniente, e que todas as partes estejam protegidas das
agressões ambientais, ou que nã o constituam perigo dentro da zona
circundante da máquina.
Para que se consiga assegurar as diferentes necessidades de funcionamento de
uma máquina eléctrica existe um conjunto de órgãos mecânicos.
O veio da máquina é fabricado em aço, por torneamento. Sobre este veio á,
na maior parte das vezes, montado a quente, e eventualmente enchavetado,
o núcleo rotórico da máquina. No caso das máquinas de potê ncia elevada
sobre o veio estão posicionados vários braços que suportam a restante parte
do rotor. O veio apoia-se em mancais de rolamento (eventualmente de
escorregamento) colocado nas tampas da carcaça. O motor de induçã o
trifásico pode ser construído para funcionar com o eixo em posição horizontal,
ou em posição vertical, ou inclinado.
A parte rotórica e a parte estatórica da máquina encontram-se protegidas do
meio exterior por uma carcaça, que pode ser de alumí nio injectado a baixa ou
alta pressão, de ferro fundido ou em chapa de aço soldada.






























c 
  
c   

2   
3/  1


c jaracterização dum Motor de Indução Trifásico. Ensaios económicos
e ensaio em carga.

   Pretende-se com este trabalho obter o esquema equivalente do


motor de indução trifásico. Pretende -se ainda com o ensaio em vazio separar
as peras no ferro das perdas mecânicas, considerando as perdas no cobre do
rotor desprezáveis. Pretende-se ainda traçar as curvas características da
potência absorvida e do binário útil em função do deslizamento.


   
âm 1 Motor de indução 
âm 1 Auto-transformador (ðonte de tensão de amplitude regulável) 
âm 1 Travão

c     
âm 1 Amperímetros 30A Aj
âm 1 Voltímetros 300V Aj
âm 1 Wattímetro
m
m    

Ligue o equipamento de acordo com o esquema da figura 1. Respeite os
terminais de ligação dos aparelhos de medida (particularmente do
Wattímetro).
V
            
      



ðig. 1 ² Esquema de ligações do motor.
c 
  
c   

I) Ensaio em vazio:

a. Regule a saída do auto -transformador para o seu valor mínimo.


Ligue a fonte de alimentação

b. Aumente gradualmente a tensão aplicada ao motor até ultrap assar em 10%


o valor nominal de tensão no primário.

c. Diminua gradualmente o valor da tensão de alimentação, até atingir um


valor próximo dos 20% da tensão nominal. Para diferentes valores da tensão
de entrada registe na tabela os valores lidos nos aparelhos de medida.

II) Ensaio em curto-circuito:

a. Trave o rotor do motor

b. Regule a saída do auto -transformador para o seu valor mínimo.


Ligue a fonte de alimentação

c. Aumente gradualmente a tensão aplicada ao motor até a corrente


no estator atingir o seu valor nominal.

d. Registe na tabela os valores lidos nos aparelhos de medida.

e. Desligue e meça a resistência do estator .

III) Ensaios de jarga:

a. Proceda ao acoplamento mecânico da unidade de travão magnético, e


regule a carga deste para o seu valor mínimo.

b. Ligue o ventilador do travão e a unidade de controlo do mesmo.

c. Refaça as ligações do motor. Ligue a unidade de alimentação e aumente


gradualmente o valor da tensão até este atingir o valor nominal.

d. Aumente gradualmente o binário de carga. Para cada valor de carga registe


os valores de tensão, corrente, potência absorvida, velocidade e binário
mecânico do motor.