Sie sind auf Seite 1von 2

Obrigações

A obrigação ela pode ser de dar, fazer ou não fazer, na obrigação de dar eu posso dar
coisa certa (gênero, qualidade e quantidade) ou incerta (gênero e quantidade), esse
objeto ele pode ser de entrega (dar um objeto seu ou não para outrem/ entregar a posse
do domínio(objeto que está sobre sua guarda/posse)) ou de restituição (devolução da
posse), nos dois casos, antes da tradição (entrega) eles podem sofrer perda (perda total
do bem) ou deteriora (perda parcial do bem), estes podem ser com culpa (perdas e danos
- dano emergente (valor do objeto) + lucros cessantes (o lucro que poderia advir desse
objeto) ) ou sem culpa (a obrigação se resolve).
Na obrigação de fazer é a obrigação que há por meio da mão de obra, podendo ser
exclusiva ou não do contratado, para se fazer determinado objeto, este pode ser fungível
(pode ser trocado/substituído por outro bem de mesma espécie) (exemplo: panfleto de
supermercado) ou infungível (não pode ser trocado por outro objeto de mesma espécie,
qualidade ou quantidade) (exemplo: carro do presidente do Brasil) não havendo o objeto
sido feito, o contratado responde por culpa (perdas e danos) ou sem culpa (a obrigação
se resolve).
Também havendo a obrigação de não fazer, por exemplo os shoppings quando aderem
as exigências de uma determinada loja de se estabelecer no local, porém não deixar
determinado concorrente se estabelecer em determinado local do shopping onde esta se
encontra, o shopping irá aderir a obrigação de não fazer para a outra loja.

Elementos
Os elementos da obrigação se constituem de 3:
-Partes (sujeitos): Credor (polo ativo) e devedor (polo passivo)
-Objeto: Objeto contratado entre as partes (comprado, feito, emprestado)
-Liame jurídico (vínculo jurídico): relação de direito pertinente a matéria penal.

Fontes do Direito
Fontes das obrigações:
-Principal ou imediata: Lei
-Acessória ou mediata: Art 4, LICC -> Analogia; costumes (ação requerida na sociedade,
durante um determinado período de tempo caracterizando um ato requerido (praticado
várias vezes) e se tornando uma “obrigação” na mente das pessoas (um ato certo, e
pertinente a cada um ali presente, a praticar ou não aquilo como certo ou errado, pela
forma tratada e vista em sua sociedade); princípios gerais do direito.

Corrente Majoritária
1)Ato Ilícito:
São necessárias duas espécies de condições para que se dê o ato ilícito: objetivas e
subjetivas.

As condições objetivas são: uma ação ou omissão do agente; ação ou omissão essas que
sejam causadoras diretas da violação do direito alheio, ou de prejuízo a outrem; que
sejam ofensivas ao patrimônio alheio, isto é, danosas a este patrimônio.

As condições subjetivas são: que a ação ilícita seja determinada pelo dolo, isto é, pela
intenção de ofender o direito, ou prejudicar a alguém; ou pela culpa, isto é, pela
imprudência ou negligência, de que resulta o prejuízo.

a)Ação ou omissão
1-Culpa in committendo: ação culposa
2-Culpa in omittendo: omissão culposa

b)Dano/Prejuízo |Física
1-Moral: Direito da personalidade |Moral
Integridade |Int
2-Patrimonial

c)Negligência

2)Contrato (obrigação entre as partes diante um acordo formal, caracterizado por lei e
sobre os efeitos desta, ali acordados)

Contrato pode ser BI>BI> os 2 ônus e bônus


BI>UNI> só 1 recebe o bônus
Pode ser:
*Comutativo: prestação e a contraprestação são equivalentes entre si e suscetíveis de
imediata apreciação quanto à sua equivalência (exemplo: compra e venda)
*Aleatório: evento futuro e imprevisível (Exemplo: seguro)
*Adesão: um dos contratantes se limita a aceitar as clausulas e as condições do contrato
já previamente estabelecidas
*Paritário: as partes interessadas, colocadas em pé de igualdade, discutem, os termos do
ato negocial, eliminando os pontos divergentes mediante transigência mútua.

3)Declaração unilateral de vontade (recompensa)