Sie sind auf Seite 1von 48

Putzmeister Worldwide

Deutsch Putzmeister Concrete Pumps GmbH +49−7127−599−0 pmw@pmw.de


land Max−Eyth−Strasse 10
PM D− 72631 Aichtal +49−7127−599−520 www.putzmeister.de

España Putzmeister Ibérica S.A. +34−91−428 81 00 recepcion@putzmeister.es


PME Camino de Hormigueras 173
Pol. Ind. Vallecas +34−91−428 81 43 www.putzmeister.es
E− 28031 Madrid
France Putzmeister France +33−164 64 39 39 Infopmf@putzmeister.fr
PMF 3, rue Paul Henri Spaak
ZAE Jean Monnet +33−164 64 39 29 www.putzmeister.fr
77240 Vert Saint Denis
Italia Putzmeister Italia S.r.l. +39−541−85 15 11 putzmeister@putzmeister.it
PMI Via Marconi, 2
I− 47832 San Clemente (RN) +39−541−98 98 59 www.putzmeister.it

Great Putzmeister Limited +44−1246−2642 00 info@putzmeister.co.uk


Britain Carrwood Road
PMUK GB−Chesterfield +44−1246−26 00 77 www.putzmeister.co.uk
Derbyshire S41 9QB
Türkiye Putzmeister Makine Sanayi ve Tic. A.ž +90−282−735−1000 pm@putzmeister.com.tr
PTR G.O.PaŸa Mah.
Namqk Kemal Bulvarq No: 6 +90−282−738−1001 www.putzmeister.com.tr
59500 Çerkezköy / TEKpRDA
USA Putzmeister America +1−262−886−3200 pmr@putzam.com
PMA 1733 90th Street
Sturtevant, WI 53177 USA +1−262−886−3212 www.putzmeister.com

South Putzmeister S.A. (Pty) Ltd. +27−11−794−37 90 pmsa@icon.co.za


Africa Cnr. Bramm & Citrus St. Honeydew
PMSA P.O.Box 5146 ZA 2118 Cresta +27−11−794−41 19 www.putzmeister.co.za
South Africa
India Putzmeister Concrete Machines Pvt Ltd +918326696000 info@pmw.co.in
PCM Plot No. N4, Phase IV
Verna Industrial Estate, Verna Salcete +91832−6696300 www.pmw.co.in
Goa−403722

Japan Putzmeister Japan Ltd. +81−47−553−4140 pmjapan@pm−j.co.jp


PMJ Chiba East Techno Green Park (CETEC)
1−3 Okayamadai, Togane City, +81−47−553−4145 www.putzmeister.de/pmj
Chiba 283 0826, Japan
Korea Putzmeister Korea Co. Ltd. +82−31−433−4541 putzmstr@chollian.net
PMK 1287−1, Chungwang−Dong
Shihwa Ind. 3 da 502 ho, +82−31−498−7230 www.putzmeister.co.Kr
Shihung−city Kyonggi−Do, Korea
P.R.China Putzmeister Machinery Shanghai Co. Ltd +86−21−5774 1000 pmshangh@pu
PMS 39 Dongjing Road blic.sta.net.cn
Songjiang Industrial Zone +86−21−5774 2779 www.putzmeister.com.cn
201613 Shanghai, P.R.China
Russland OOO Putzmeister−Rus +7−495−775−22−37 info@putzmeister.ru
PMR Urgumskaja Straße 4, Geb. 31
129343 Moskau, Russia +7−495−775−22−34 www.putzmeister.ru
Índice

Índice
1 Sobre as Instruções de Funcionamento
1.1 Prefácio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 ! 1

1.2 Ícones e símbolos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 ! 3

2 Normas de segurança
2.1 Definição de termos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 1
2.1.1 Bomba de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 1
2.1.2 Pedestal da lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 1
2.1.3 Conjuntos de braços . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 1
2.1.4 Lança de distribuição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 1
2.1.5 Pedestal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 1
2.1.6 Autobetoneira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 1
2.1.7 Sistemas de linhas de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 1
2.1.8 Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 2
2.1.9 Operador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 2
2.1.10 Maquinista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 2
2.1.11 Manobrador de mangueira de descarga . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 2
2.1.12 Sinaleiros e outro pessoal auxiliar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 2
2.1.13 Condutor de autobetoneira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 3
2.1.14 Perito . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 3
2.1.15 Pessoa capacitada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 3
2.1.16 Pessoal técnico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 3
2.1.17 Pessoal da assistência pós-venda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 3
2.1.18 Conservação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 3
2.1.19 Local de trabalho, zona de trabalho, zona de perigo . . . . . . 2 " 4

2.2 Uso recomendado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 9


2.2.1 Intervalos de inspecção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 10

2.3 Uso não adequado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 11


2.3.1 Transportar mercadorias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 11
2.3.2 Elevar cargas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 11
2.3.3 Afastar obstáculos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 11
2.3.4 Aumentar alcance . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 11
2.3.5 Prolongamentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 12
2.3.6 Mangueira de descarga não autorizada . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 12

230100518 I
Índice

2.3.7 Zona de trabalho proibida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 12


2.3.8 Subir para a lança de distribuição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 13
2.3.9 Bombagem a alta pressão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 13
2.3.10 Acessórios e peças de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 13

2.4 Alienação da responsabilidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 13

2.5 Pessoal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 14
2.5.1 Requisitos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 14
2.5.2 Qualificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 14
2.5.3 Responsabilidade do maquinista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 14

2.6 Instruções de funcionamento, manual de instruções


e outros regulamentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 15
2.6.1 Instruções de funcionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 15
2.6.2 Manual de instruções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 16
2.6.3 Outros regulamentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 16

2.7 Equipamento de protecção pessoal . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 17

2.8 Antes de executar o trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 18


2.8.1 Verificar a operacionalidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 18
2.8.2 Estabelecer operacionalidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 18

2.9 Perigos devido a alta tensão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 20


2.9.1 Linhas de alta tensão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 20
2.9.2 Cone de tensão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 20
2.9.3 Distâncias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 20
2.9.4 Dispositivos de advertência de alta tensão . . . . . . . . . . . . . . 2 " 22
2.9.5 Comportamento em caso de descarga de tensão . . . . . . . . 2 " 22
2.9.6 Carga electrostática . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 23

2.10 Máquinas estacionárias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 24


2.10.1 Local de instalação da máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 24
2.10.2 Elevação de máquinas e componentes . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 24
2.10.3 Carregamento e transporte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 24

2.11 Máquinas móveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 25


2.11.1 Local de instalação da máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 25
2.11.2 Terreno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 26
2.11.3 Carga suportada pela chumaceira de canto . . . . . . . . . . . . . 2 " 27
2.11.4 Estabilizar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 28
2.11.5 Condução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 29

II 230100518
Índice

2.11.6 Rebocar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 30


2.11.7 Carregamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 31

2.12 Lanças de distribuição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 32


2.12.1 Lança de distribuição, estender . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 32
2.12.2 Mangueira de descarga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 34
2.12.3 Comportamento em caso de tempestade e trovoada . . . . . 2 " 35
2.12.4 Betonar em caso de frio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 35

2.13 Sistemas de linhas de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 36


2.13.1 Linhas de betão adequadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 36
2.13.2 Proteger as linhas de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 36
2.13.3 Estanquicidade e bloqueios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 37
2.13.4 Abrir a linha de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 38
2.13.5 Distância às linhas de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 38
2.13.6 Fixar as linhas de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 38
2.13.7 Linhas de betão de continuação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 38
2.13.8 Equipamentos para vedar, ramificar e limpar . . . . . . . . . . . . . 2 " 39

2.14 Operação de bombagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 40


2.14.1 Local de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 40
2.14.2 Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 40
2.14.3 Controlo remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 40
2.14.4 Componentes móveis da máquina e superfícies quentes . . 2 " 41
2.14.5 Observar permanentemente a máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 41
2.14.6 Autobetoneira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 41

2.15 Limpeza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 42
2.15.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 42
2.15.2 Produtos de limpeza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 43
2.15.3 Perigos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 43
2.15.4 Limpar com ar comprimido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 44
2.15.5 Protecção contra água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 45
2.15.6 Trabalhos posteriores à limpeza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 45

230100518 III
Índice

2.16 Requisitos em caso de trabalhos especiais . . . . . . . . . . . 2 ! 46

2.17 Soldar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 48

2.18 Trabalhos na lança de distribuição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 49

2.19 Componentes relevantes para efeitos de segurança . . . 2 ! 49

2.20 Software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 50

2.21 Dispositivos de protecção e de segurança . . . . . . . . . . . . 2 ! 50

2.22 Energia eléctrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 51


2.22.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 51
2.22.2 Componentes eléctricos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 52
2.22.3 Corrente de estaleiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 52

2.23 Instalações hidráulicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 53


2.23.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 53
2.23.2 Substituir as mangueiras hidráulicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 " 54

2.24 Emissão acústica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 54

2.25 Emissão de ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 ! 55

2.26 Ingredientes de funcionamento da máquina . . . . . . . . . . . 2 ! 55

3 Descrição técnica geral


3.1 Sinopse . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 ! 1

3.2 Dispositivos de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 ! 3

3.3 Características técnicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 ! 7


3.3.1 Compatibilidade electromagnética (CEM) . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 7
3.3.2 Chapa de identificação do modelo da máquina . . . . . . . . . . 3 " 8
3.3.3 Chapa de identificação do modelo da lança . . . . . . . . . . . . . 3 " 9
3.3.4 Nível de pressão acústica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 11
3.3.5 Nível de potência sonora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 11
3.3.6 Alcances . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 13

IV 230100518
Índice

3.4 Descrição de funções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 ! 14


3.4.1 Lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 14
3.4.2 Linha de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 14
3.4.3 Estabilizadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 14
3.4.4 Comando hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 14
3.4.5 Tubo de transferência em S . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 15

3.5 Dispositivos eléctricos de comando . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 ! 16


3.5.1 Armário de comando . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 17
3.5.2 Ergonic Graphic Display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 19
3.5.3 Ergonic Output Control . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 41
3.5.4 Painel de controlo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 44
3.5.5 Painel de controlo no exterior da máquina . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 48
3.5.6 Painel de controlo na cabina do condutor . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 50
3.5.7 Bomba do agitador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 52
3.5.8 Controlo remoto por cabo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 53
3.5.9 Controlo remoto via rádio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 56
3.5.10 Botão de PARAGEM DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 63
3.5.11 Desactivação de segurança do agitador (RSA) . . . . . . . . . . . 3 " 66

3.6 Dispositivos hidráulicos de comando . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 ! 67


3.6.1 Comando da bomba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 68
3.6.2 Unidade de comando hidráulico do agitador e da
bomba de água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 70
3.6.3 Caixa de distribuição de comutadores magnéticos . . . . . . . . 3 " 72
3.6.4 Conector dos comutadores magnéticos . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 74
3.6.5 Unidade de comando do estabilizador . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 76
3.6.6 Unidade de comando das funções da lança . . . . . . . . . . . . . 3 " 79

3.7 Outros componentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 ! 81


3.7.1 Mangueira de descarga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 82
3.7.2 Válvula de estrangulamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 85
3.7.3 Sistema de água sob pressão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 88
3.7.4 Bomba de água de alta pressão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 89
3.7.5 Vibrador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 92
3.7.6 Radiador de óleo hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 93
3.7.7 Calha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 96
3.7.8 Caixa de água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 " 98

230100518 V
Índice

4 Condução, reboque e carga


4.1 Condução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 ! 1
4.1.1 Sinais gestuais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 " 1
4.1.2 Antes de iniciar a marcha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 " 2
4.1.3 Durante a marcha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 " 3

4.2 Sinais gestuais para as operações de condução . . . . . . 4 ! 4

4.3 Rebocar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 ! 6

4.4 Carga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 ! 8

5 Operação
5.1 Colocação em funcionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 1
5.1.1 Marcha de ensaio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 1
5.1.2 Fluidos necessários ao funcionamento da máquina . . . . . . . 5 " 2
5.1.3 Ligar a tomada de força auxiliar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 3
5.1.4 Elementos de operação e de controlo para
tomadas de força auxiliar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 4
5.1.5 Controlo remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 7

5.2 Local de instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 15


5.2.1 Espaço necessário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 16
5.2.2 Zona de perigo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 17
5.2.3 Distância mínima em relação a fossos . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 18
5.2.4 Distância de segurança em relação a fossos . . . . . . . . . . . . 5 " 19
5.2.5 Terreno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 19
5.2.6 Área de estabilização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 21

VI 230100518
Índice

5.3 Estabilizar a máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 27


5.3.1 Zona de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 28
5.3.2 Controlo remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 29
5.3.3 Tranca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 30
5.3.4 Zona de perigo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 32
5.3.5 Estabilidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 33
5.3.6 Nível de bolha de ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 35
5.3.7 Estabilizadores dianteiros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 36
5.3.8 Sapatas de estabilização dianteiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 37
5.3.9 Sapatas de estabilização traseiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 38
5.3.10 Controlo remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 39

5.4 Controlos de funcionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 40


5.4.1 Funções da bomba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 40
5.4.2 Verificação do funcionamento da desactivação de
segurança do agitador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 42
5.4.3 Funções do filtro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 44
5.4.4 Função de PARAGEM DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 46
5.4.5 Verificar as funções da unidade de comando da lança . . . . 5 " 48

5.5 Movimentos da lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 49


5.5.1 Restrições de utilização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 50
5.5.2 Zona de perigo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 51
5.5.3 Caso excepcional e caso de emergência . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 55
5.5.4 Retracção automática dos cilindros da
lança e de estabilização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 56
5.5.5 Movimentos descontrolados da lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 57

230100518 VII
Índice

5.6 Sinais gestuais para as operações da


lança e de bombagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 59

5.7 Estender lança 3 Z . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 66


5.7.1 Mangueira de descarga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 67
5.7.2 Braço 1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 67
5.7.3 Lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 68
5.7.4 Braço 2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 68
5.7.5 Braço 3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 69
5.7.6 Zona de trabalho proibida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 70

5.8 Operações de bombagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 71


5.8.1 Perigos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 71
5.8.2 Recomendações para uma bombagem correcta . . . . . . . . . 5 " 74
5.8.3 Início da bombagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 76
5.8.4 Bombagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 77
5.8.5 Possíveis falhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 79
5.8.6 Comando da bomba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 83
5.8.7 Casos especiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 85

5.9 Limpeza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 ! 87
5.9.1 Linha de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 " 95
5.9.2 Tremonha, cilindro de bombagem e tubo de
transferência em S . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 "102
5.9.3 Enchimento e limpeza da caixa de água
(tubo de transferência em S) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 "108
5.9.4 Estrutura do veículo e trabalhos posteriores à limpeza . . . . 5 "113

5.10 Posição de condução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 !121


5.10.1 Colocar a lança de distribuição em posição de condução . . 5 "121
5.10.2 Recolher os estabilizadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 "122
5.10.3 Controlo remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 "123

VIII 230100518
Índice

6 Manutenção
6.1 Intervalos de manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 ! 1

6.2 Binários de aperto em geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 ! 3


6.2.1 Parafusos de cabeça sextavada e porcas . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 4
6.2.2 União roscada de tubos rebordeados, nova montagem . . . 6 " 5
6.2.3 União roscada de tubos perfilados, nova montagem . . . . . . 6 " 5

6.3 Fluidos de funcionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 ! 6


6.3.1 Fluido hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 6
6.3.2 Grau de pureza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 8
6.3.3 Análise dos lubrificantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 8
6.3.4 Armazenamento dos lubrificantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 8

6.4 Recomendação de lubrificantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 ! 9


6.4.1 Óleos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 11
6.4.2 Massas lubrificantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 12
6.4.3 Fluidos hidráulicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 13

230100518 IX
Índice

Fichas de manutenção
00!001 Controlos visuais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 17
03!001 Mudar o óleo hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 19
03!021 Controlos de funcionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 25
04!002 Mangueiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 27
04!005 Vacuómetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 31
04!012 Substituição do filtro de aspiração . . . . . . . . . . . . . 6 " 33
04!013 Substituição do filtro de pressão . . . . . . . . . . . . . . 6 " 39
04!014 Substituição do filtro de ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 " 45
06!027 Substituir os êmbolos de bombagem . . . . . . . . . . 6 " 49
07!037 Substituir o tubo de transferência em S . . . . . . . . 6 " 57
07!038 Ajustar o tubo de transferência em S . . . . . . . . . . 6 " 79
07!039 Lubrificar o tubo de transferência em S . . . . . . . . 6 " 91
07!064 Sensor de ângulo no eixo de rotação . . . . . . . . . . 6 " 93
10!007 Medir a espessura da parede
(máquinas com tubo de transferência em S) . . . . 6 " 95
10!044 Medir a espessura da parede do
tubo de duas camadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 "101
12!003 Bomba de água a alta pressão . . . . . . . . . . . . . . . 6 "103
20!034 Lubrificar lança de distribuição (TMM 24/TMM 26) 6 "105
21!039 Lubrificar pedestal da lança (TR 27) . . . . . . . . . . . 6 "107
21!001 Inspeccionar os parafusos de ligação
na unidade de rotação esférica . . . . . . . . . . . . . . . 6 "109
25!001 Substituir a linha de betão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 "111

X 230100518
Índice

Índice remissivo

Glossário
G"1 Símbolos para bombas de betão de acordo
com a folha de unidades VDMA (VDMA 24119) . . . . . . . . G ! 1

G"2 Legenda dos símbolos para bombas de betão . . . . . . . . G ! 7

G"3 Abreviaturas e termos técnicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . G ! 15

230100518 XI
1 Sobre as Instruções de Funcionamento

O presente capítulo contém notas e informações que lhe ajudam a


manusear as presentes Instruções de Funcionamento. Em caso de
dúvida, não hesite em contactar!nos:

Putzmeister Concrete Pumps GmbH


Abteilung Kundendienst
(Departamento de Assistência pós!venda)
Max!Eyth!Straße 10
D!72631 Aichtal
Telefone (+49 7127) 599!0
Telefax (+49 7127) 599!520
Telex 7 266 113

ou a delegação ou representação responsável pela sua área.

Endereço:

Telefone:

Telefax:

E!Mail:

BP01_001_0802PT
Sobre as Instruções de Funcionamento

1.1 Prefácio As presentes Instruções de Funcionamento visam ajudar o utilizador


a familiarizar!se com a máquina e a tirar partido das respectivas pos-
sibilidades de utilização.

As Instruções de Funcionamento contêm notas importantes sobre


como operar com a máquina de forma segura, correcta e eficiente.
A observância destas instruções, ajuda!o a evitar perigos, a reduzir
os custos de reparação e os períodos de imobilização, bem como a
aumentar a segurança e vida útil da máquina.

As Instruções de Funcionamento deverão ser completadas com as


respectivas normas nacionais de prevenção de acidentes e de pro-
tecção do ambiente.

As Instruções de Funcionamento têm de estar sempre disponíveis,


onde quer que a máquina seja utilizada.

As Instruções de Funcionamento deverão ser lidas e aplicadas por


todas as pessoas encarregadas de efectuar trabalhos com ou na
máquina, como por ex.,
! a operação da máquina, incluindo o seu ajuste, a reparação de
avarias ocorridas durante o seu funcionamento, a remoção de
resíduos da produção, a manutenção, a remoção de fluidos
funcionais e aditivos,
! a manutenção (manutenção, inspecção, reparação) e/ou
! o transporte.

Para além das Instruções de Funcionamento e da regulamentação


em matéria de prevenção de acidentes vigentes no país e local de
utilização, deverão também ser observadas as regras técnicas
universalmente reconhecidas com vista a um trabalho seguro e
correcto.

BP01_002_0802PT 1"1
Sobre as Instruções de Funcionamento

Caso tenha dúvidas após a leitura destas Instruções de Funciona-


mento, a delegação ou representação responsável pela sua área ou
a nossa fábrica em Aichtal terão todo o gosto em ajudá!lo.

A fim de facilitar a resposta às suas perguntas, por favor indique!nos


o modelo e o número da máquina.

As presentes Instruções de Funcionamento descrevem exclusiva-


mente a estrutura do veículo. Ao veículo em si aplicam!se as
Instruções de Funcionamento do fabricante do veículo.

Em virtude de prosseguirmos um constante aperfeiçoamento das


nossas máquinas, procedemos, de tempos em tempos, a alterações,
as quais poderão eventualmente não ter ainda sido consideradas na
impressão das presentes Instruções de Funcionamento.

Caso se registe alguma alteração, o exemplar das Instruções de


Funcionamento relativo a esta máquina será substituído na íntegra.

A reprodução, a distribuição e a utilização deste documento, assim


como a comunicação do seu conteúdo a terceiros, são proibidas sem
autorização expressa. Os infractores serão responsabilizados por
perdas e danos. Todos os direitos são reservados no caso da con-
cessão de uma patente, modelo de utilidade ou desenho industrial.

¤ Putzmeister Concrete Pumps GmbH 1994

1"2 BP01_002_0802PT
Sobre as Instruções de Funcionamento

1.2 Ícones e símbolos Nas Instruções de Funcionamento são utilizados os seguintes ícones
e símbolos:

" Símbolo de tarefa


O texto a seguir a este ícone descreve tarefas que deverão ser
executadas na sequência indicada, de cima para baixo.
 O texto a seguir a este ícone descreve o resultado ou os efeitos
de uma tarefa.

Ver também as fichas de manutenção:


Após este ícone é feita referência a fichas de manutenção neces-
sárias, que possam eventualmente completar a presente ficha de
manutenção.

São necessárias as seguintes ferramentas especiais:


Após este ícone, são indicadas as ferramentas especiais necessárias
para efectuar determinado trabalho. As ferramentas normais, ou seja,
as ferramentas à venda no comércio ou as ferramentas de bordo não
são referidas em especial.

Protecção do ambiente
As informações especiais sobre a protecção do ambiente são
anunciadas por meio deste pictograma, da menção !Protecção do
ambiente!, impressa em negrito, seguida de uma linha. O texto
correspondente surge em itálico e termina com uma outra linha.

Nota
As informações especiais sobre a utilização eficiente da máquina são
introduzidas por meio deste pictograma, da palavra !Nota!, impressa
em negrito, seguida de uma linha. O texto correspondente surge em
itálico e termina com uma outra linha.

Cuidado
As informações especiais ou as regras e proibições com vista à
prevenção da ocorrência de danos são anunciadas por meio deste
pictograma, da palavra !Cuidado!, impressa em negrito, seguida de
uma linha. O texto correspondente surge em itálico e termina com
uma outra linha.

BP01_003_0601PT 1"3
Sobre as Instruções de Funcionamento

Perigo
As informações especiais ou as regras e proibições com vista à
prevenção de danos pessoais ou materiais significativos são anun-
ciadas por meio deste pictograma, da palavra !Perigo!, impressa em
negrito, seguida de uma linha. O texto correspondente surge em
itálico e termina com uma outra linha.

Caso seja possível referir especificamente a fonte de perigo,


utilizar-se-á o pictograma correspondente.

Perigo de incêndio
Este ícone identifica tarefas envolvendo um perigo especial de
incêndio.

Perigo de explosão
Este ícone identifica tarefas, envolvendo perigo de explosão.
A explosão também poderá ser causada por qualquer pressão
libertada subitamente.

Queda de objectos
Este ícone identifica tarefas, envolvendo perigo de ferimento devido
à queda de objectos.

Perigo de esmagamento
Este ícone identifica tarefas, envolvendo perigo de esmagamento.

1"4 BP01_003_0601PT
Sobre as Instruções de Funcionamento

Cargas suspensas
Este ícone identifica tarefas, durante as quais poderão cair cargas
suspensas.

Perigo de electrocussão
Este ícone identifica tarefas que envolvem o perigo de electrocussão,
eventualmente com consequências mortais.

Perigo de causticação
Este ícone identifica tarefas, envolvendo perigo de causticação
devido a substâncias químicas não mencionadas especificamente.

Perigo de causticação
Este ícone identifica tarefas, envolvendo perigo de causticação
devido ao ácido da bateria.

Perigo de intoxicação
Este ícone identifica tarefas, envolvendo perigo de intoxicação
devido à inalação de gases, ingestão ou contacto com substâncias.

BP01_003_0601PT 1"5
2 Normas de segurança

Este capítulo corresponde ao conteúdo da brochura da VDMA

#Manual de segurança
Máquinas transportadoras e distribuidoras de betão#.

Aqui encontra de modo resumido as normas de segurança essen-


ciais. Este capítulo é particularmente adequado para uma primeira e
fundamental instrução de novos colaboradores. Voltará a encontrar,
evidentemente, cada uma das normas nos respectivos locais nas
instruções de funcionamento.

Nota
Em relação a trabalhos específicos podem ser necessárias normas
de segurança especiais. Só encontrará estas normas de segurança
especiais na descrição do trabalho.

Para mais informações, uma listagem de regulamentos e normas de


segurança:
" EN 12001, máquinas transportadoras, espalhadoras e
distribuidoras de betão e de argamassa
" EN 12100, segurança de máquinas, equipamentos e instalações,
" EN 60204"1, equipamento eléctrico para máquinas industriais,
" Na República Federal da Alemanha: ZH 1/573, regulamentação
para bombas de betão e lanças de distribuição.

BP03_077_0501PT
Normas de segurança

2.1 Definição de termos A seguir explicam-se os termos utilizados neste manual de


segurança e descrevem-se as exigências para com determinados
grupos de pessoas.

2.1.1 Bomba de betão Nos termos deste manual de segurança, as bombas de betão são
dispositivos, que se destinam a bombear betão, através de linhas de
betão ou de mangueiras, para os locais de colocação do betão.

2.1.2 Pedestal da lança Nos termos deste manual de segurança, o pedestal da lança é um
dispositivo para o suporte e condução de um conjunto de braços.

2.1.3 Conjuntos de braços Nos termos deste manual de segurança, os conjuntos de braços são
dispositivos de trabalho rotativos de accionamento mecânico, consti-
tuídos por uma ou várias peças que podem ser estendidas, giradas
ou articuladas, para dirigir linhas de betão.

2.1.4 Lança de distribuição Nos termos deste manual de segurança, a lança de distribuição é
uma unidade constituída pelo conjunto de braços e o pedestal da
lança.

2.1.5 Pedestal Nos termos deste manual de segurança, os pedestais são dispositi-
vos para a recepção de uma lança estacionária, de modo a conferir-
lhe a necessária estabilidade.

2.1.6 Autobetoneira Nos termos deste manual de segurança, as autobetoneiras são veí-
culos com dispositivo de mistura para o transporte de betão.

2.1.7 Sistemas de linhas Nos termos deste manual de segurança, os sistemas de linhas
de betão de betão são linhas de betão ou mangueiras fechadas, através
das quais, o betão é bombeado da bomba de betão para o local
de colocação do betão. Nos sistemas de linhas de betão podem es-
tar montados dispositivos para vedar, derivar ou limpar linhas de be-
tão.

BP03_076_0801PT 2"1
Normas de segurança

2.1.8 Máquina Nos termos deste manual de segurança, as máquinas transportado-


ras e distribuidoras de betão são:
! Autobombas de betão (um conjunto constituído pelo veículo,
bomba de betão com e sem lança de distribuição). Para o veículo
vigoram adicionalmente as normas de segurança do fabricante do
veículo.
! Autobetoneiras com bombas de betão (um conjunto constituído
pela autobetoneira, bomba de betão e lança de distribuição). Nas
autobetoneiras com bombas de betão vigoram adicionalmente as
normas de segurança do fabricante da autobetoneira e do fabri-
cante do veículo.
! Bombas de betão estacionárias.
! Sistemas de distribuição estacionários (um conjunto constituído
pela lança de distribuição e o pedestal).

2.1.9 Operador Mandatário do proprietário de bombas de betão e/ou lanças de distri-


buição. O operador é responsável pela utilização desta máquina.

2.1.10 Maquinista Pessoas formadas e encarregues de operar as bombas de betão e


as lanças de distribuição.

2.1.11 Manobrador de Pessoas que são instruídas pela direcção da obra em relação ao
mangueira de modo de dirigir uma mangueira de descarga. Os manobradores
descarga de mangueira de descarga devem ser capazes de avaliar por si
mesmos situações de perigo, que possam ocorrer na mangueira de
descarga, e de reagir de acordo com a situação.

2.1.12 Sinaleiros e outro Pessoas que são instruídas pela direcção da obra para coadjuvar o
pessoal auxiliar maquinista no seu trabalho, caso este não consiga inteirar-se de to-
das as zonas de trabalho e de perigo. Os sinaleiros devem ser capa-
zes de avaliar por si mesmos situações de perigo, que possam ocor-
rer ao trabalhar com uma bomba de betão e/ou uma lança de
distribuição, e de reagir de acordo com a situação. Eles devem estar
adequadamente em comunicação com o maquinista.

2"2 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

2.1.13 Condutor de Pessoas que, com autobetoneiras, abastecem com betão a


autobetoneira bomba de betão. Os condutores de autobetoneira devem ser instruí-
dos pelo maquinista, de modo a serem capazes de manobrar os ele-
mento de comando a si destinados na bomba de betão. Os conduto-
res de autobetoneira devem ser capazes de avaliar por si mesmos
situações de perigo, que possam ocorrer ao trabalhar na zona da tre-
monha de uma bomba de betão, e de reagir de acordo com a situa-
ção.

2.1.14 Perito Os peritos são pessoas autorizadas pelas respectivas entidades ofi-
ciais (estatais) para o desempenho desta actividade. Condições para
obter uma autorização são:
! Formação como engenheiro licenciado ou graduação equiparável.
! No mínimo, 5 anos de experiência profissional na sua especiali-
dade e, destes, no mínimo, 1/2 ano de participação na actividade
de inspecção de um perito.
! Conhecimentos suficientes das correspondentes normas oficiais
de segurança no trabalho, directivas e normas técnicas generica-
mente aprovadas.
! Disponibilidade dos dispositivos necessários para a inspecção.
! Deve ser possível cumprir as tarefas de modo imparcial.

2.1.15 Pessoa capacitada Nos termos deste manual de segurança, uma pessoa capacitada
é uma pessoa que, devido à sua formação profissional, à sua expe-
riência profissional e á sua actual actividade profissional, dispõe dos
necessários conhecimentos técnicos para a inspecção dos meios de
trabalho.

2.1.16 Pessoal técnico Pessoas que concluíram uma formação profissional que as qualifica
para a realização desta tarefa.

2.1.17 Pessoal da Pessoal técnico do fabricante, especialmente, encarregue com tare-


assistência pós-venda fas de conservação da máquina.

2.1.18 Conservação A conservação engloba todas as medidas referentes à inspecção,


manutenção e reparação de uma máquina.

BP03_076_0801PT 2"3
Normas de segurança

2.1.19 Local de trabalho, zona de trabalho, zona de perigo

Máquinas móveis
14 6 7
2

1 6

10

3
11

12
5

ab0005

Imagem a título de exemplo

Máquinas
estacionárias 11
14

4 10

4 9
3

3 6 6 1 2

13
13 13
1
5

11 12

ab0010

Imagem a título de exemplo

2"4 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

Pos.0 Designação Explicação


1 Maquinista Em funcionamento normal no controlo remoto
Manobrador de
2 Local de mangueira de Na mangueira de descarga na zona de perigo
trabalho descarga
(durante as
3 Sinaleiros No campo visual do maquinista
operações de
4 bombagem) Pessoal auxiliar Como operador de sistemas de distribuição manuais
Condutor de auto-
5 Na tremonha na zona de perigo
betoneira
Área com um raio do alcance da lança de distribuição
6 Útil
+ comprimento da mangueira de descarga
Zona de
Não é permitido deslocar a mangueira de descarga
trabalho
7 Proibida para a posição traseira, atrás da vertical da lança de
distribuição
Perigo de ferimento ao iniciar a bombagem, durante a
Na mangueira de operação de bombagem, depois de se soltar um blo-
8
descarga queio e ao limpar. O diâmetro da zona de perigo é o
dobro do comprimento da mangueira de descarga.
Por baixo da lança
9 Perigo de ferimento devido a queda de objectos
de distribuição
Área dos estabiliza-
dores e das sapatas Perigo de esmagamento durante a montagem e
10 Zona de
de estabilização ou desmontagem da máquina
perigo
do pedestal
Durante a operação de bombagem é proibida a
11 Sobre a máquina
permanência em cima e por baixo da máquina
Perigo de ferimento ao limpar, assim como ao
12 Na tremonha
abastecer com a autobetoneira
Perigo em caso de rebentamento das linhas, perigo
Zona dos sistemas
13 de esmagamento e de corte, p.ex., nas válvulas de
de linhas de betão
bloqueio
14 Construção ou área que é betonada Exemplo

BP03_076_0801PT 2"5
Normas de segurança

Local de trabalho O local de trabalho é o local em que se encontram as pessoas por


força do trabalho.

Local de trabalho do Durante a operação de bombagem, o local de trabalho do maquinista


maquinista é junto ao controlo remoto. O local de trabalho deve ser escolhido de
modo a que exista contacto visual com o local de colocação do betão
e com o condutor da autobetoneira, podendo, ao mesmo tempo, ob-
servar a zona de trabalho. Caso contrário, deve envolver-se um sina-
leiro.

Durante a montagem e desmontagem da máquina, o local de traba-


lho do maquinista é junto da máquina.

Local de trabalho do O local de trabalho do manobrador de mangueira de descarga


manobrador de man- encontra-se na zona de perigo da mangueira de descarga, mas não
gueira de descarga por baixo da lança de distribuição. Aqui recomenda-se muito cui-
dado. O manobrador de mangueira de descarga e o maquinista de-
vem ter contacto visual.

Local de trabalho O local de trabalho do condutor de autobetoneira encontra-se na


do condutor de auto- zona de perigo da tremonha, nos elementos de comando do agitador
betoneira e da autobetoneira. Aqui recomenda-se muito cuidado. O condutor
da autobetoneira e o maquinista devem ter contacto visual.

Zona de trabalho A zona de trabalho é a zona onde se trabalha com/junto da máquina.


Em função da tarefa desempenhada e da posição da lança de distri-
buição é possível que partes da zona de trabalho se transformem em
zonas de perigo.

A zona de trabalho deve ser vedada e claramente sinalizada.


Na zona de trabalho são obrigatórios equipamento de protecção pes-
soais adequados. Durante a utilização, o maquinista é responsável
pela segurança na zona de trabalho da máquina.

Zona de trabalho Condicionado pela sua elevada mobilidade, é possível que algumas
proibida lanças de distribuição sejam deslocadas para posições para as quais
não estão preparadas. Nesta situação, pode ocorrer uma sobrecarga
ou danificação da lança de distribuição. Por essa razão, as lanças de
distribuição só podem ser manobradas dentro da zona de trabalho
autorizada.

2"6 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

Zona de perigo A zona de perigo é a zona junto à máquina na qual as pessoas


podem ser colocadas em risco devido a movimentos resultantes do
trabalho.

A zona de perigo varia dentro da zona de trabalho e depende da ta-


refa executada e da posição da lança de distribuição. As zonas de
perigo devem ser vedadas e claramente sinalizadas. O maquinista
deve, sempre e em qualquer circunstância, poder observar a zona de
perigo. Se necessário, deve incumbir um sinaleiro com a vigilância
da zona de perigo. Se na zona de perigo existir um local de trabalho,
recomenda-se muito cuidado e é obrigatório o uso de equipamento
de protecção pessoal adequado. Durante a utilização, o maquinista é
responsável pela segurança na zona de perigo da máquina.

Caso se aproximem pessoas não autorizadas da zona de perigo,


o maquinista terá de suspender imediatamente o trabalho e pressio-
nar o botão de PARAGEM DE EMERGÊNCIA.

Estabilizadores e sapa- Existe perigo de esmagamento na área de abertura e extensão dos


tas de estabilização estabilizadores.

Lança de distribuição Nos trabalhos com a lança de distribuição, a zona de perigo corres-
ponde à área sobre a qual a lança de distribuição é girada. Nesta
zona existe perigo devido a queda de componentes da linha de betão
e queda de betão.

BP03_076_0801PT 2"7
Normas de segurança

Máquina Durante todo o funcionamento, por cima e por baixo da máquina,


existe perigo de ferimento devido a peças móveis, rebentamento de
linhas de betão ou de mangueiras hidráulicas e perigo de queda em
superfícies e subidas escorregadias.

Mangueira de descarga A zona de perigo ao iniciar a bombagem, durante a operação de


bombagem, depois de se soltar um bloqueio e ao limpar é a zona em
torno da mangueira de descarga para onde esta pode rebater. A
zona de perigo tem um diâmetro com o dobro do comprimento da
mangueira de descarga.

Tremonha Na zona da tremonha existe perigo de entalamento entre a autobeto-


neira e a tremonha e devido ao esguichar de betão. Devido ao tubo
de transferência existe perigo de esmagamento e de corte. Existe o
perigo de ser apanhado pelo agitador que se encontra a rodar.

Sistemas de linhas de Na zona dos sistemas de linhas de betão existe perigo de ferimento
betão devido ao rebentamento de linhas de betão, em caso de aumento
brusco da pressão. Nos equipamentos montados nos sistemas de
linhas de betão existe perigo de esmagamento e de corte.

2"8 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

2.2 Uso recomendado Utilize a máquina apenas conforme o disposto e em condições tecni-
camente adequadas. Todos os dispositivos de protecção e dispositi-
vos condicionados pela segurança, p.ex., dispositivos de protecção
destacáveis, dispositivos de PARAGEM DE EMERGÊNCIA, devem
existir e estar em condições de funcionamento.

A máquina foi construída de acordo as regulamentações da directiva


para máquinas (98/37/EC) e a norma EN 12001. Apesar disso, du-
rante a sua utilização, podem surgir perigos que coloquem em risco a
vida do utilizador ou de terceiros ou que prejudiquem a máquina e
outros valores materiais.

A máquina destina-se exclusivamente à bombagem e distribuição de


betão até uma densidade de 2.400 kg/m3. Só pode ser utilizada para
a operação de bombagem no estaleiro da obra. A máxima pressão
de bombagem não pode ser superior à indicada na chapa de identifi-
cação do modelo ou no livro de inspecção.

Do uso recomendado, também faz parte a observação das instru-


ções de funcionamento e dos intervalos e condições para:
! Inspecções
! Conservação

BP03_076_0801PT 2"9
Normas de segurança

2.2.1 Intervalos de Após a primeira colocação em serviço, uma pessoa capacitada deve
inspecção verificar regularmente a fiabilidade operacional da máquina. Os inter-
valos de inspecção dependem da idade da máquina. Quanto mais
antiga for uma máquina, maior será a probabilidade de uma avaria.
Por esta razão, uma revisão regular e adequada à idade da máquina
é um meio eficaz de detectar danos atempadamente.

0 até 5 anos inclusive: anualmente


Se forem atingidas 500 horas de funcionamento ou um débito de
bombagem de 20.000 m3, antes de decorrer o prazo de um ano,
é necessário efectuar a inspecção ao atingir-se o primeiro destes
prazos.

A partir de 5 anos até 10 anos inclusive: semestralmente


Se forem atingidas 250 horas de funcionamento ou um débito de
bombagem de 10.000 m3, antes de decorrer o prazo de meio ano, é
necessário efectuar a inspecção ao atingir-se o primeiro destes pra-
zos.

Com mais de 10 anos: trimestralmente


Se forem atingidas 125 horas de funcionamento ou um débito de
bombagem de 5.000 m3, antes de decorrer o prazo de três meses, é
necessário efectuar a inspecção ao atingir-se o primeiro destes pra-
zos.

Determinante para o prazo é o dia da primeira colocação em serviço


de acordo com o protocolo de entrega e o contador de horas de fun-
cionamento da máquina. Este contador de horas de funcionamento
regista as horas de bombagem. O contador de horas de funciona-
mento deverá ser sempre mantido em condições de funcionamento.
Não é permitido manipulá-lo.

A inspecção deve ser providenciada pelo operador. Os resultados


das inspecções devem ser registados no livro de inspecção e serem
assinados. O livro de inspecção deve estar sempre junto à máquina
e deve ser apresentado quando exigido pelas autoridades nacionais
de fiscalização.

Independentemente das regulamentações nacionais, o operador po-


derá ser considerado responsável em caso de danos, se se compro-
var que os danos surgiram em consequência de uma inspecção pe-
riódica realizada irregularmente.

2 " 10 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

2.3 Uso não adequado São consideradas utilizações não adequadas as que não estão des-
critas na secção 2.2 Uso recomendado ou que vão para além do
descrito. O fabricante não se responsabiliza por danos daqui resul-
tantes. A seguir são apresentados alguns exemplos.

2.3.1 Transportar A máquina não pode ser utilizada para o transporte de mercadorias,
mercadorias excepto, para levar acessórios da máquina, tais como, linhas de be-
tão e mangueiras etc. Não pode exceder-se o máximo peso total au-
torizado.

2.3.2 Elevar cargas A lança de distribuição não pode ser utilizada para elevar cargas.

wz0005

2.3.3 Afastar obstáculos A lança de distribuição não pode ser utilizada para afastar obstáculos
do caminho. Isto sobrecarrega a lança de distribuição, provoca danos
e coloca pessoas em perigo.

2.3.4 Aumentar alcance É proibido aplicar um prolongamento (p. ex. travessa suspensa livre-
mente) na mangueira de descarga ou na ponta da lança de distribui-
ção, de modo a aumentar o alcance ou para, por assim dizer, bom-
bear #para lá do fim#. Visto que, para o prolongamento, a lança de
distribuição e o dispositivo de elevação possuem diferentes centros
de rotação e modos de comando, os seus movimentos não podem
ser ajustados um ao outro.

BP03_076_0801PT 2 " 11
Normas de segurança

2.3.5 Prolongamentos É proibido prolongar a lança de distribuição e a mangueira de des-


carga para além do comprimento indicado na chapa de identificação
do modelo.

wz0015

2.3.6 Mangueira de des- A mangueira de descarga não pode possuir nenhum acoplamento de
carga não autorizada prolongamento, bocal, #pescoço de cisne#, tubos de descarga ou ou-
tros dispositivos de descarga perigosos ou semelhantes.

2.3.7 Zona de trabalho Não é permitido deslocar a mangueira de descarga para a posição
proibida traseira atrás da vertical da lança de distribuição.

wz0025

2 " 12 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

2.3.8 Subir para a lança de É proibido subir para a lança de distribuição, utilizá-la para trepar ou
distribuição usá-la incorrectamente como plataforma de trabalho ou como meio
auxiliar de subida.

wz0036

2.3.9 Bombagem a alta É proibida a bombagem a alta pressão (pressão do betão superior a
pressão 85 bar) através da linha de betão da lança de distribuição. A linha de
betão e a mangueira de descarga, em estado novo, só são adequa-
das para pressões de betão até 85 bar.

2.3.10 Acessórios e peças É proibido montar acessórios e peças de montagem na máquina,


de montagem caso estes não tenham sido expressamente aprovados pelo fabri-
cante para serem utilizados nesta máquina.

2.4 Alienação da Se estiverem estipuladas as condições de fornecimento do fabri-


responsabilidade cante, a responsabilidade rege-se de acordo com os regulamentos
locais. Chamamos expressamente a sua atenção para o facto do fa-
bricante não se responsabilizar nos casos aí apresentados.

Desde que não seja da responsabilidade do fabricante, a garantia


cessa, particularmente, em caso de:
! Uso não adequado.
! Operação, manutenção e reparação incorrectas.
! Utilização de peças sobressalentes ou componentes acessórios
não originais ou equivalentes.
! Alterações, montagens e modificações na máquina.
! Montagem de acessórios e peças de montagem não aprovados
pelo fabricante.
! Alteração das pressões de segurança, velocidades de movimento,
potências, números de rotações e ou ajustes efectuados de fá-
brica.

BP03_076_0801PT 2 " 13
Normas de segurança

2.5 Pessoal O operador deve assegurar que na/junto da máquina só trabalham


pessoas formadas ou instruídas. Deve estabelecer inequivocamente
as competências das pessoas responsáveis pelo comando e manu-
tenção da máquina. Deve certificar-se que na máquina só trabalham
pessoas encarregues para o efeito.

2.5.1 Requisitos São colocados os seguintes requisitos às pessoas responsáveis pela


operação e manutenção:
! Devem ter completado os 18 anos.
! Devem estar aptos física e intelectualmente.
! Devem estar aptos no que respeita a saúde (estarem descansados
e não estarem sob o efeito de álcool, drogas e medicamentos).
! Devem estar instruídos em relação aos trabalhos de operação
e conservação da máquina.
! Devem ter feito prova das suas qualificações ao operador.
! Deles, é de esperar que cumpram fidedignamente as tarefas que
lhes foram atribuídas.

O pessoal não deve de usar roupas largas ou jóias (inclusive anéis).


Cabelos compridos soltos devem estar presos por uma rede do ca-
belo. Existe perigo de ferimento, p.ex., se ficar preso ou se for pu-
xado para dentro.

2.5.2 Qualificação As pessoas que estão a receber formação e instrução na máquina só


podem trabalhar sob a constante supervisão de uma pessoa com ex-
periência na máquina.

Se não tiver disponível pessoal qualificado, equipamento adequado


de oficina, etc., encarregue a assistência pós-venda do fabricante
com a conservação da sua máquina.

2.5.3 Responsabilidade do O operador deve estipular a responsabilidade do maquinista (tam-


maquinista bém no que diz respeito às regras nacionais relativas à circulação na
via pública) e permitir-lhe recusar instruções contrárias à segurança
fornecidas por terceiros. O maquinista deve ter a possibilidade de
recusar o local de instalação da máquina, se existirem reservas no
que respeita a segurança.

2 " 14 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

2.6 Instruções de funcionamento, manual de instruções e outros regulamentos

2.6.1 Instruções de Antes de efectuar um trabalho, as pessoas incumbidas com tarefas


funcionamento na máquina devem ter lido as instruções de funcionamento, em es-
pecial, o capítulo Normas de segurança. Durante o trabalho já será
tarde de mais. Isto é válido, em particular, para pessoas que apenas
ocasionalmente trabalham na máquina, p.ex., ao equipar ou efectuar
a manutenção.

As instruções de funcionamento devem ser sempre guardadas no


local de utilização da máquina (no compartimento de ferramentas ou
na caixa prevista para o efeito), num local acessível.

Como operador, deve disponibilizar as instruções de funcionamento.


Peça a confirmação por escrito do conhecimento, compreensão e
aplicação das instruções de funcionamento e das normas de segu-
rança. No mínimo, uma vez por ano, verifique se o pessoal efectua
os trabalhos de forma consciente da segurança e dos perigos, tendo
em consideração as instruções de funcionamento.

As pessoas incumbidas com trabalhos na máquina devem observar


todos os avisos de segurança e de perigo.

As pessoas incumbidas com trabalhos na máquina, devem


familiarizar-se com a máquina. Sob a supervisão de uma pessoa ca-
pacitada, devem exercitar todos os modos de funcionamento (coloca-
ção, manobrar lança de distribuição, preparar posição de transporte
da lança de distribuição, preparar prontidão de condução, etc.) des-
critos nas instruções de funcionamento, até os dominar com segu-
rança. Se não perceber alguma coisa, pergunte de novo. Só deve
operar a máquina quando conhecer totalmente e de modo claro a
localização e significado de todos os dispositivos de comando e de
controlo, assim como o modo de funcionamento da máquina.

BP03_076_0801PT 2 " 15
Normas de segurança

2.6.2 Manual de instruções O operador deve elaborar um manual de instruções de acordo com
as normas nacionais. Este manual de instruções deve incluir, entre
outros, instruções, incluindo obrigações de supervisionamento e de
notificação, para tomar em consideração especificidades operacio-
nais, p.ex., no que respeita a organização do trabalho, processos de
trabalho, pessoal encarregue. Para além disso, devem ser instruídos
em relação aos regulamentos gerais válidos e a outros regulamentos
obrigatórios para a prevenção de acidentes e para a protecção do
ambiente. Este tipo de obrigações, também podem dizer respeito,
p.ex., ao manuseamento com substâncias perigosas ou à disponibili-
zação/uso de equipamentos de protecção pessoais ou às regras na-
cionais relativas à circulação na via pública. Dê também a conhecer
o local de colocação e o modo de utilização de extintores. Devem ser
tomadas em consideração as possibilidades de aviso de incêndio e
de combate a incêndios.

2.6.3 Outros regulamentos Obrigatórios para o funcionamento são os regulamentos válidos para
máquinas transportadoras e distribuidoras de betão
! do legislador do seu país,
! das autoridades estatais de tutela,
! a companhia de seguros de responsabilidade comercial.

2 " 16 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

2.7 Equipamento de Para restringir os perigos a que as pessoas estão sujeitas, devem,
protecção pessoal sempre que necessário ou exigido por regulamentos, usar-se equipa-
mentos de protecção pessoais. Capacete, luvas e calçado de protec-
ção são obrigatórios para todas as pessoas que trabalham na/junto
da máquina.

Capacete de protecção
O capacete de protecção protege a sua cabeça, p. ex., contra a
queda de betão ou partes da linha de betão em caso de rebenta-
mento das linhas.

Calçado de protecção
O calçado de protecção protege os seus pés de objectos em queda
ou de espetar pregos virados para cima.

Protectores dos ouvidos


Nas imediações da máquina, os protectores dos ouvidos protegem-
no do ruído aí existente.

Luvas de protecção
As luvas de protecção protegem as suas mãos de substâncias agres-
sivas ou químicas, de incidências mecânicas (p. ex., embates) e de
ferimentos por corte.

Óculos de protecção
Os óculos de protecção protegem os seus olhos de ferimentos provo-
cados por salpicos de betão ou outras partículas.

Arnês de segurança
Ao efectuar trabalhos em altura, utilize os meios auxiliares de subida
e as plataformas de trabalho previstas para o efeito ou use arneses
de segurança. Devem respeitar-se os correspondentes regulamentos
nacionais.

Máscaras faciais e protecções respiratórias


As máscaras faciais e dispositivos de protecção respiratória prote-
gem-no das partículas de materiais de construção, que podem entrar
no seu corpo através das vias respiratórias (p. ex., aditivos para o
betão).

BP03_076_0801PT 2 " 17
Normas de segurança

2.8 Antes de executar o trabalho

2.8.1 Verificar a Como maquinista deve, antes de executar qualquer trabalho, verificar
operacionalidade a máquina em relação a danos e defeitos visíveis no exterior. Altera-
ções ocorridas (inclusive o comportamento de funcionamento) devem
ser imediatamente comunicadas ao posto/pessoa responsável. Se
necessário, deve parar e vedar imediatamente a máquina.

2.8.2 Estabelecer Como maquinista, é responsável pelo estabelecimento da operacio-


operacionalidade nalidade. Isto engloba também o abastecimento de ingredientes de
funcionamento. Não efectue abastecimentos em recintos fechados.
Desligue o motor e o aquecimento. Limpe imediatamente combustí-
vel derramado. Ao manusear com combustível não deve fumar e
deve evitar chamas abertas.

Antes de mudar o modo de comando, coloque todos os dispositivos


de comando e de controlo em posição de repouso (posição zero)
(unidade de comando, posto de comando ou controlo remoto). Pres-
sione o botão PARAGEM DE EMERGÊNCIA. Caso contrário, a má-
quina poderá efectuar movimentos involuntários.

2 " 18 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

wz0055

Não abandone o controlo remoto quando a máquina estiver pronta a


funcionar. Se, em casos excepcionais, isto for inevitável, deve pres-
sionar o botão de PARAGEM DE EMERGÊNCIA, desmontar e fechar
o controlo remoto à chave (ver também a página 2 " 40).

Se o motor estiver a trabalhar ou se for possível colocá-lo em marcha


sem autorização, nunca deverá sair de perto da máquina. Caso te-
nha de se afastar da máquina, proceda do seguinte modo:
! pressione o botão de PARAGEM DE EMERGÊNCIA,
! desmonte o controlo remoto e feche-o à chave,
! desligue a ignição ou o interruptor principal,
! feche o armário de comando à chave.

BP03_076_0801PT 2 " 19
Normas de segurança

2.9 Perigos devido a alta tensão

2.9.1 Linhas de alta tensão Se tocar numa linha de alta tensão, todas as pessoas que se encon-
tram na máquina ou nas suas imediações ou estão em contacto com
ela (controlo remoto, mangueira de descarga, etc.) correm risco de
vida. A mera aproximação a uma linha de alta tensão poderá provo-
car uma descarga de centelhas, colocando a máquina e a área cir-
cundante sob tensão.

2.9.2 Cone de tensão Quando ocorre uma descarga de tensão, forma-se ao redor da
máquina um chamado #Cone de tensão#. Neste cone de tensão, a
tensão diminui à medida que nos afastamos do centro. Se der um
passo dentro deste cone de tensão, estabelece uma ponte entre dife-
rentes potenciais. Deste modo, o corpo é atravessado por uma cor-
rente que corresponde à diferença de potencial.

2.9.3 Distâncias Mantenha uma distância mínima às linhas de alta tensão de acordo
com a seguinte tabela. A distância mínima é medida na horizontal,
com a lança de distribuição totalmente estendida.

Tensão nominal [V] Distância mínima [m]

até 1 kV 1,0

1 kV até 110 kV 3,0

110 kV até 220 kV 4,0

220 kV até 380 kV 5,0

Tensão nominal desconhecida 5,0

2 " 20 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

wz0115

As distâncias referidas são distâncias mínimas. Se as distâncias


prescritas no país de utilização forem superiores, deverão ser respei-
tadas.

Para a distância mínima, também deve ter-se em conta a possibili-


dade de a linha de alta tensão e a lança de distribuição oscilarem
com o vento. Em caso de elevados níveis de humidade do ar,
também deverá ter em conta que as distâncias mínimas devem
ser sempre superiores às distâncias referidas.

Se pretender calcular correctamente os movimentos e, em especial,


as distâncias da lança de distribuição em relação a obstáculos e li-
nhas de alta tensão, terá de se posicionar, de preferência, directa-
mente ao lado da lança de distribuição estendida.

Estas distâncias mínimas aplicam-se igualmente à circulação por


baixo de linhas aéreas.

Se não for possível manter esta distância mínima em todas as posi-


ções de trabalho possíveis, deverá impreterivelmente consultar a
central eléctrica competente e mandar desligar a linha de alta tensão.

Em caso de dúvida, é preferível prescindir da utilização da lança de


distribuição e colocar, por exemplo, uma linha de betão indepen-
dente.

BP03_076_0801PT 2 " 21
Normas de segurança

2.9.4 Dispositivos de adver- De acordo com o estado actual da tecnologia, os dispositivos de ad-
tência de alta tensão vertência de alta tensão não atingem um padrão de segurança que
permita diminuir sem perigo as distâncias mínimas exigidas em rela-
ção a linhas de alta tensão. Segundo os conhecimentos existentes
até ao momento, os dispositivos de advertência de alta tensão não
podem detectar com segurança todas as situações durante os proce-
dimentos de trabalho. Apesar da utilização de um dispositivo de ad-
vertência de alta tensão podem ocorrer descargas de tensão e aci-
dentes fatais. Por essa razão, deverá manter sempre as distâncias
mínimas anteriormente referidas.

2.9.5 Comportamento em Se ocorrer uma descarga de tensão, mantenha a calma, não se


caso de descarga mova (tensão de passo$) nem toque em nada.
de tensão

wz0125

Depois de tocar em linhas de correntes fortes:


! Avisar as pessoas que estão distanciadas para não se
aproximarem nem tocarem na máquina$
! Mandar desligar a tensão$
! Só deve abandonar a máquina quando a linha tocada/danificada
tiver sido desligada da corrente de modo seguro.

2 " 22 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

As centrais eléctricas estão equipadas com dispositivos de arranque


automático. Quando um fusível dispara, a linha em que ocorreu o
curto-circuito volta a ser ligada pouco tempo depois. Os breves perío-
dos de ausência de tensão dão uma falsa sensação de segurança.

Apenas deverá mover-se e prestar assistência a feridos quando um


representante da central eléctrica tiver comunicado a desactivação
da linha.

O controlo remoto via rádio apenas protege o maquinista se este se


encontrar fora da área do cone de tensão.

2.9.6 Carga electrostática Ao efectuar trabalhos perto de transmissores (transmissores de rá-


dio, etc.), podem surgir perturbações no controlo remoto via rádio e a
máquina poderá ser alvo de cargas eléctricas perigosas. As pessoas
que servem de #ponte# entre componentes com carga eléctrica e a
terra, são fortemente electrizadas em caso de contacto.

As máquinas utilizadas na proximidade de transmissores têm de ser


ligadas à terra. Fixar o cabo de ligação à terra (no mínimo 16 mm2)
num ponto metálico nu da máquina (não, p.ex., numa haste do êm-
bolo) e ancorar no solo por meio de uma haste metálica condutora
(profundidade de inserção, no mínimo 1,5 m).

BP03_076_0801PT 2 " 23
Normas de segurança

2.10 Máquinas estacionárias

2.10.1 Local de instalação Por regra, as máquinas estacionárias são utilizadas durante um
da máquina longo período de tempo num estaleiro da obra. Por essa razão, o lo-
cal de instalação da máquina deve ser cuidadosamente preparado
pela direcção da obra. Os documentos necessários para o efeito de-
vem ser entregues atempadamente à direcção da obra, para que
seja possível preparar a tempo as fundações, placas de fundamento
ou semelhantes.

Ao escolher o local de instalação da máquina deve ter-se em conta


que, ao terminar o uso na obra, a máquina precisa ser novamente
desmontada e transportada. As condições envolventes podem modi-
ficar-se à medida que a obra vai avançando.

2.10.2 Elevação de máqui- Máquinas que sejam transportadas para o local de instalação em pe-
nas e componentes ças individuais ou que não se desloquem por força própria para lá, só
podem ser elevadas com equipamentos de elevação adequados, de
acordo com as indicações nas instruções de funcionamento. Os equi-
pamentos de suspensão de cargas na máquina devem ser adequa-
dos para receber o equipamento de elevação e elevar a carga. Não
deve encontrar-se ninguém sob cargas suspensas. Uma pessoa ca-
pacitada deve verificar se a máquina montada funciona correcta-
mente, antes desta ser colocada em funcionamento.

2.10.3 Carregamento e Para carregar e transportar máquinas estacionárias utilize apenas


transporte meios adequados. Certifique-se que nenhuma pessoa possa ser fe-
rida caso a máquina tombe ou escorregue.

Se estiverem previstos dispositivos de transporte para a máquina ou


para as suas peças individuais, só estes podem ser utilizados. Du-
rante o transporte, a máquina ou as peças devem estar correcta-
mente amarradas. Para poder circular na via pública, o veículo de
transporte e a máquina devem estar identificados de acordo com o
código de estrada do respectivo país.

2 " 24 BP03_076_0801PT
Normas de segurança

2.11 Máquinas móveis

2.11.1 Local de instalação da A colocação segura da máquina é da responsabilidade do maqui-


máquina nista. Ele deve verificar o local de colocação da máquina previsto e
deverá recusar a colocação da mesma, se existirem reservas no que
respeita a segurança.

Como maquinista, antes de iniciar o trabalho, familiarize-se com


a área envolvente à zona de trabalho. Da área envolvente da zona
de trabalho fazem parte, p.ex., os obstáculos na zona de trabalho e
de circulação, a capacidade de carga do solo e necessárias veda-
ções do estaleiro em relação ao espaço público de trânsito.

Verifique também o caminho de acesso ao local de colocação da má-


quina. Se não tiver a certeza que o caminho de acesso é adequado,
percorra-o previamente a pé e mande-o preparar. Especialmente no
escuro e ao amanhecer e anoitecer é necessário percorrer uma vez,
a pé, o caminho de acesso. Antes de abandonar o estaleiro da obra,
deverá voltar a proceder do mesmo modo.

Se tiver de aceder em marcha-atrás ao local de colocação da


máquina, deve, em qualquer caso, solicitar um sinaleiro. Se necessá-
rio, o caminho de acesso deve ser vedado ou vigiado por um sina-
leiro. Mande afastar o material ou o equipamento que esteja a impe-
dir o acesso.

BP03_076_0801PT 2 " 25