Sie sind auf Seite 1von 2

Aluno:Antonio José Marques

Curso: Sistema de Informação


R.A – 1116646

Resenha –

Os Narradores de Javé

Desespero, sofrimento e luta: são momentos que desenham em um “filme” a


realidade brasileira no cenário do sertão nordestino.
O filme, de Eliane Caffé, retrata a historia de um povoado do Vale de Javé, que
está prestes a ser inundado para construção de uma usina hidrelétrica. Diante
dessa situação terrível. A comunidade se reúne para discutir as forma de como
resolver o problema. De acordo com os moradores o ideal seria preparar um
documento oficial, onde reúna todos os acontecimentos que justificasse a
importância da existência do povoado, para impedir tal desastre.

Mas na vila só tem analfabetos, o principal candidato a realizar essa missão


era o antigo responsável pelo Correio do Povoado, o famoso e odiado Antonio
Biá, o único que sabe escrever. Ironicamente ele, havia sido expulso da cidade
por inventar fofocas escritas sobre os moradores, isto é , forjava cartas falando
mal dos vizinhos, só para aumentar a circulação das cartas, que eram escassas,
e conseguentemente, manter em funcionamento o Correio onde ele trabalhava.
Porém, depois de muitas conversas, ele e escolhido para escrever o tal livro da
salvação de Javé, é a oportunidade de se redimir dia da população.

Começa então a trajetória de Antonio Bía, surge, desde então, uma


problemática disputa entre a historia real e a historia oral, conhecendo a fundo
as fantasias, as memórias e lembranças do povo, mas a escrita destas historias
não será fácil, pois as mesma eram contadas em diferentes versões, variando
de pessoa a pessoa, com vários fatos lendários. Com todas essas historias, fica
cada vez mais difícil colocar no papel os relatos dos moradores, ficando mais
próximo o processo de destruição e a criação da hidrelétrica. Deixando o ex-
carteiro confuso, e consquentemente, sem reação suficiente para produzir o livro
salvador.

Diante dos relatos imaginários ou reais e a necessidade de produzir algo


convincente para salvar Javé da inundação, Antonio Biá, entrega um livro em
branco para população, cobrado e com medo de todos no meu da rua, o mesmo
saiu a os gritos andando de costa, um ato de coragem, dá a entender que seria
um recuo e não uma fuga.

Enfim , foi um trabalho em vão, Javé acabou sendo destruída pela hidrelétrica.
A população assistiu aos prantos suas casas serem inundadas pela água,
levando embora a memória e cultura dos seus antepassados. Uma triste história
de um povo sem muitas oportunidades de crescimento, mais de uma imaginação
de dar inveja, capaz de superar todos os obstáculos e dar a volta por cima para
construir juntos a própria historia que desapareceu com a água.