Sie sind auf Seite 1von 5

JUSTIÇA MILITAR DA UNIÃO

SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR

PODER JUDICIÁRIO Diário da Justiça Eletrônico


N.º 067/2011 Divulgação: Segunda-feira, 18 de abril de 2011. Publicação: Terça-feira, 19 de abril de 2011.

constrangimento ilegal por parte do Conselho Permanente de Justiça do


SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR mencionado Juízo, impetra o presente habeas corpus, requerendo,
Praça dos Tribunais Superiores liminarmente, a declaração da nulidade do seu interrogatório e dos
Asa Sul, Brasília - DF demais atos processuais subsequentes, o desentranhamento do termo de
CEP 70.098-900 interrogatório e que o novo interrogatório seja realizado ao final da
Telefone: (61) 3313-9292 instrução processual, nos termos do art. 400 do CPP. No mérito, pede a
http://www.stm.jus.br confirmação do pedido liminar.
IMPETRANTE(S): Defensoria Pública da União.
RELATOR(A): Ministro(a) Dr. JOSÉ COÊLHO FERREIRA.
Alte Esq ALVARO LUIZ PINTO
Nada mais havendo, foi encerrada às 16:57 horas a presente Audiência
Ministro-Presidente
Pública de Distribuição, e eu, MOZART ARRUDA CAVALCANTI,
Secretário(a) Judiciário(a), a subscrevo.
Dr. OLYMPIO PEREIRA DA SILVA JUNIOR
Ministro Vice-Presidente Brasília-DF, 15 de abril de 2011
Dr. OLYMPIO PEREIRA DA SILVA JUNIOR
MOISÉS FRANCISCO DE SOUSA Vice-Presidente, no exercício da Presidência
Diretor-Geral
Ata de Distribuição Automática de Processos Nº 50/2011
MOZART ARRUDA CAVALCANTI Distribuição Ordinária, em 15 de abril de 2011
Secretário Judiciário
Presidente o Exmo. Sr. Ministro Dr. OLYMPIO PEREIRA DA SILVA
© 2011 JUNIOR.

ÍNDICE Às 16:26 horas, no Gabinete da Presidência, foi(ram) distribuído(s), pelo


Superior Tribunal Militar................01 sistema de processamento de dados, o(s) seguinte(s) feito(s):
Presidência............................01
Distribuição.........................01 Apelação
Secretaria Judiciária..................02
Seção de Diligências.................03 Número 0000026-02.2010.7.01.0301/RJ
Seção de Execução....................03 APELANTE(S): ANDERSON DE OLIVEIRA FERREIRA
Auditorias da Justiça Militar............05 CAVALHEIRO, ex-Sd Ex, condenado à pena de 03 meses de detenção,
Auditoria da 12ª CJM.................05 como incurso no art. 195 do CPM, com o benefício do "sursis" pelo
prazo de 02 anos, o direito de apelar em liberdade e o regime prisional
inicialmente aberto.
PRESIDÊNCIA APELADO(A): A Sentença do Conselho Permanente de Justiça da 3ª
Auditoria da 1ª CJM, de 31/01/2011.
DISTRIBUIÇÃO
ADVOGADO: Dr. Ricardo de Oliveira Mantuano, Defensor Dativo.
RELATOR(A): Ministro(a) Gen Ex FERNANDO SÉRGIO GALVÃO.
ATA DE DISTRIBUIÇÃO
REVISOR(A): Ministro(a) Dr. CARLOS ALBERTO MARQUES
SOARES.
Ata de Distribuição Automática de Processos Nº 49/2011
Distribuição Extraordinária, em 15 de abril de 2011
Número 0000026-36.2009.7.01.0301/RJ
APELANTE(S): VINÍCIUS WILLIAN ROSA GUIDORNE, ex-Sd Aer,
Presidente o Exmo. Sr. Ministro Dr. OLYMPIO PEREIRA DA SILVA
revel, condenado à pena de 06 meses de detenção, como incurso no art.
JUNIOR.
180, § 1º, do CPM, com o benefício do "sursis" pelo prazo de 02 anos e o
regime prisional inicialmente aberto.
Às 15:56 horas, no Gabinete da Presidência, foi(ram) distribuído(s), pelo
APELADO(A): A Sentença do Conselho Permanente de Justiça da 3ª
sistema de processamento de dados, o(s) seguinte(s) feito(s):
Auditoria da 1ª CJM, de 03/02/2011.
ADVOGADO: Defensoria Pública da União.
Habeas Corpus
RELATOR(A): Ministro(a) Gen Ex RAYMUNDO NONATO DE
CERQUEIRA FILHO.
Número 0000053-08.2011.7.00.0000/MG
REVISOR(A): Ministro(a) Dr. JOSÉ COÊLHO FERREIRA.
PACIENTE(S): CAIRO ROCHA MAGALHÃES, Sd Ex, respondendo
ao respondendo à Ação Penal Militar nº 0000028-06.2010.7.04.0004, em
Número 0000031-17.2007.7.12.0012/AM
trâmite na Auditoria da 4ª CJM, alegando estar sofrendo
APELANTE(S): DARLY VERAS PARENTE, 2º Sgt Ex, condenado à

Detalhes da assinatura digital Página 1 de 5


Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, de 24/08/2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil
DJe nº 067/2011, Terça-feira, 19 de abril de 2011. Justiça Militar da União

pena de 03 meses de detenção, como incurso no art. 210, "caput", do 10/12/2010, lavrado nos autos da Apelação nº
CPM, com o benefício do "sursis" pelo prazo de 02 anos, o direito de 0000012-44.2008.7.03.0103.
apelar em liberdade e o regime aberto para o cumprimento inicial da ADVOGADO: Defensoria Pública da União.
pena, com a decretação da extinção da punibilidade pela prescrição da RELATOR(A): Ministro(a) Dr. ARTUR VIDIGAL DE OLIVEIRA.
pretensão punitiva, em caráter retroativo, nos termos do art. 125, inciso REVISOR(A): Ministro(a) Gen Ex FERNANDO SÉRGIO GALVÃO.
VII, e § 1º, do citado códex.
APELADO(A): A Sentença do Conselho Permanente de Justiça da Número 0000012-23.2008.7.04.0004/DF
Auditoria da 12ª CJM, de 18/02/2011. EMBARGANTE(S): LUCAS ANTUNES DE MELO, ex-Sd Ex.
ADVOGADO: Defensoria Pública da União. EMBARGADO(A): O Acórdão do Superior Tribunal Militar, de
RELATOR(A): Ministro(a) Ten Brig Ar JOSÉ AMÉRICO DOS 18/02/2011, lavrado nos autos do Recurso Em Sentido Estrito nº
SANTOS. 0000012-23.2008.7.04.0004.
REVISOR(A): Ministro(a) Dra. MARIA ELIZABETH GUIMARÃES ADVOGADO: Defensoria Pública da União.
TEIXEIRA ROCHA. RELATOR(A): Ministro(a) Dr. JOSÉ COÊLHO FERREIRA.
REVISOR(A): Ministro(a) Ten Brig Ar JOSÉ AMÉRICO DOS
Número 0000003-32.2006.7.04.0004/MG SANTOS.
APELANTE(S): O MINISTÉRIO PÚBLICO MILITAR, no tocante à
condenação do 1º Sgt Ex MARCELO VILLELA DA SILVA à pena de Número 0000068-89.2009.7.05.0005/DF
01 ano e 03 meses de prisão, como incurso, por desclassificação, no art. EMBARGANTE(S): ENDRIO ROGER ALMEIDA LARA, Sd Ex.
248 do CPM, c/c o art. 70 do CP, com o direito de apelar em liberdade, o EMBARGADO(A): O Acórdão do Superior Tribunal Militar, de
benefício do "sursis" pelo prazo de 02 anos e o regime prisional 09/02/2011, lavrado nos autos da Apelação nº
inicialmente aberto. 0000068-89.2009.7.05.0005.
APELADO(A): A Sentença do Conselho Permanente de Justiça da ADVOGADO: Defensoria Pública da União.
Auditoria da 4ª CJM, de 26/01/2011. RELATOR(A): Ministro(a) Dr. CARLOS ALBERTO MARQUES
ADVOGADO: Dr. Jean Rodrigues Silva. SOARES.
RELATOR(A): Ministro(a) Dr. CARLOS ALBERTO MARQUES REVISOR(A): Ministro(a) Ten Brig Ar WILLIAM DE OLIVEIRA
SOARES. BARROS.
REVISOR(A): Ministro(a) Gen Ex FRANCISCO JOSÉ DA SILVA
FERNANDES. Recurso em Sentido Estrito

Número 0000150-82.2010.7.01.0301/RJ Número 0000037-43.2011.7.03.0203/RS


APELANTE(S): ANDERSON SILVESTRE DA SILVA, ex-Sd Ex, RECORRENTE(S): DIEGO LUNA DUARTE, Sd Ex.
condenado à pena de 03 meses de detenção, como incurso no art. 203 do RECORRIDO(A): A Decisão do MM. Juiz-Auditor Substituto da 2ª
CPM, com o benefício do "sursis" pelo prazo de 02 anos, o direito de Auditoria da 3ª CJM, de 04/03/2011, proferida nos autos de Execução de
apelar em liberdade e o regime prisional inicialmente aberto. Sentença da Ação Penal Militar nº 0000015- 82.2011.7.03.0203, que
APELADO(A): A Sentença do Conselho Permanente de Justiça da 3ª indeferiu o pedido de remição da pena por meio de trabalho a ser
Auditoria da 1ª CJM, de 1º/03/2011. prestado em Organização Militar.
ADVOGADO: Dr. Ricardo de Oliveira Mantuano, Defensor Dativo. ADVOGADO: Defensoria Pública da União.
RELATOR(A): Ministro(a) Ten Brig Ar CLEONILSON NICÁCIO RELATOR(A): Ministro(a) Alte Esq MARCOS MARTINS TORRES.
SILVA.
REVISOR(A): Ministro(a) Dra. MARIA ELIZABETH GUIMARÃES Representação p/Declaração de Indignidade/Incompatibilidade
TEIXEIRA ROCHA.
Número 0000050-53.2011.7.00.0000/DF
Número 0000076-69.2010.7.07.0007/PE REPRESENTANTE(S): A Exma. Sra. Procuradora-Geral da Justiça
APELANTE(S): WELLINGTON JOSÉ FERREIRA SILVA e Militar, com fundamento no art. 142, § 3º, inciso VII, da Constituição
RONALD GOUVEIA DA SILVA, Sds Ex, condenados à pena de 02 Federal, c/c o art. 112 do RISTM, representa objetivando a Declaração
meses de prisão, como incursos no art. 210, "caput", c/c o art. 53, de Indignidade para com o Oficialato do Cap Ex RENAN DE LIMA
"caput", tudo do CPM, com o benefício do "sursis" pelo prazo de 02 LIRA e a consequente perda de seu posto e de sua patente.
anos, o direito de apelar em liberdade e o regime prisional inicialmente RELATOR(A): Ministro(a) Alte Esq MARCOS MARTINS TORRES.
aberto. REVISOR(A): Ministro(a) Dr. CARLOS ALBERTO MARQUES
APELADO(A): A Sentença do Conselho Permanente de Justiça da SOARES.
Auditoria da 7ª CJM, de 02/03/2011.
ADVOGADA: Dra. Niedja Mônica da Silva. Nada mais havendo, foi encerrada às 16:31 horas a presente Audiência
RELATOR(A): Ministro(a) Ten Brig Ar WILLIAM DE OLIVEIRA Pública de Distribuição, e eu, MOZART ARRUDA CAVALCANTI,
BARROS. Secretário(a) Judiciário(a), a subscrevo.
REVISOR(A): Ministro(a) Dr. ARTUR VIDIGAL DE OLIVEIRA.
Brasília-DF, 15 de abril de 2011
Embargos Dr. OLYMPIO PEREIRA DA SILVA JUNIOR
Vice-Presidente, no exercício da Presidência
Número 0000012-44.2008.7.03.0103/DF
EMBARGANTE(S): CLAITON LUIS NEVES FRAGA, ex-Sd Ex.
EMBARGADO(A): O Acórdão do Superior Tribunal Militar, de

Detalhes da assinatura digital Página 2 de 5


Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, de 24/08/2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil
DJe nº 067/2011, Terça-feira, 19 de abril de 2011. Justiça Militar da União

ao reconhecimento de pessoas e coisas, interrogando-se, em seguida, o


SECRETARIA JUDICIÁRIA acusado."
7. Em que pese a importância do tema, entendo que uma eventual
SEÇÃO DE DILIGÊNCIAS concessão da liminar, na forma como ora pleiteada, esvaziará totalmente
o mérito, uma vez que plenamente satisfativa.
DESPACHOS E DECISÕES 8. Assim, a matéria merecerá análise com maior proficiência no âmbito
do mérito, tendo em vista que, inevitavelmente, será discutida matéria
HABEAS CORPUS Nº 0000053-08.2011.7.00.0000/MG acerca de revogação ou não recepção de norma infraconstitucional.
RELATOR: Ministro JOSÉ COÊLHO FERREIRA. 9. Ante o exposto, INDEFIRO a liminar ora requerida.
PACIENTE: CAIRO ROCHA MAGALHÃES, Sd Ex, respondendo ao Oficie-se a autoridade apontada como coatora para que preste as
respondendo à Ação Penal Militar nº 0000028-06.2010.7.04.0004, em informações de estilo.
trâmite na Auditoria da 4ª CJM, alegando estar sofrendo Após, dê-se vista à Procuradoria-Geral da Justiça Militar da União, na
constrangimento ilegal por parte do Conselho Permanente de Justiça do forma do art. 88, § 3º, do RISTM.
mencionado Juízo, impetra o presente habeas corpus, requerendo, Publique-se. Intime-se. Comunique-se.
liminarmente, a declaração da nulidade do seu interrogatório e dos Providências pela SEJUD.
demais atos processuais subsequentes, o desentranhamento do termo de
interrogatório e que o novo interrogatório seja realizado ao final da Superior Tribunal Militar, em 15 de abril de 2011.
instrução processual, nos termos do art. 400 do CPP. No mérito, pede a Ministro JOSÉ COÊLHO FERREIRA
confirmação do pedido liminar. Relator
IMPETRANTE: Defensoria Pública da União.

DECISÃO SEÇÃO DE EXECUÇÃO

Trata-se de Habeas Corpus, com pedido de liminar, impetrado pela ACÓRDÃOS


Defensoria Pública da União, em favor do Sd Ex CAIRO ROCHA
MAGALHÃES, respondendo à Ação Penal Militar nº CORREIÇÃO PARCIAL Nº 0000009-53.2002.7.01.0201/DF
0000028-06.2010.7.04.0004, em trâmite na Auditoria da 4ª CJM, a fim RELATOR: Ministro OLYMPIO PEREIRA DA SILVA JUNIOR.
de que seja declarado, liminarmente, a nulidade do seu interrogatório e REQUERENTE: O MM. Juiz-Auditor Corregedor da Justiça Militar da
dos demais atos processuais subsequentes, o desentranhamento do termo União.
de interrogatório e que o novo interrogatório seja realizado ao final da REQUERIDA: A Decisão do MM. Juiz-Auditor da 2ª Auditoria da 1ª
instrução processual, nos termos do art. 400 do CPP, sob a alegação de CJM, de 1º/2/2010, que determinou o arquivamento da IPD nº
que esse está sofrendo constrangimento ilegal por parte do Conselho 0000009-53.2002.7.01.0201, na qual figurou como indiciado o ex-Sd Ex
Permanente de Justiça do mencionado Juízo. FRANCISCO DE ASSIS OLIVEIRA DA SILVA.
2. De acordo com a Inicial de fls. 02/12, informa que o Paciente está DECISÃO: O Tribunal, por maioria, conheceu e indeferiu a Correição
sendo acusado de ter praticado, em tese, os crimes previstos nos artigos Parcial, para manter a decisão do MM. Juiz-Auditor da 2ª Auditoria da 1ª
268, caput, c/c 259, caput, na forma do artigo 79, tudo CPM. CJM, de arquivamento da IPD nº 0000009-53.2002.7.01.0201,
3. Em síntese, alega o Impetrante que o Juízo a quo, contrariando toda a entretanto, por fundamento diverso, qual seja, por atipicidade da
sistemática constitucional e afrontando os princípios e tratados conduta, em razão do licenciamento do militar no curso do prazo de
internacionais, como o Pacto de São José de Costa Rica, designou data graça. Os Ministros JOSÉ COÊLHO FERREIRA e RAYMUNDO
para interrogatório e oitiva de testemunhas, imediatamente após o NONATO DE CERQUEIRA FILHO votavam pelo não conhecimento
recebimento da denúncia, a serem realizados em um só ato processual. do pedido correicional, por perda de objeto. O Ministro JOSÉ COÊLHO
Defendeu o Impetrante que, neste caso, o art. 302 do CPPM não foi FERREIRA fará declaração de voto (Sessão de 04/10/2010).
recepcionado pela Carta Magna de 1988, tendo em vista que foi EMENTA: CORREIÇÃO PARCIAL. NULIDADE DO TERMO DE
revogado pelo disposto no art. 8º, alínea 2, letras "d" e "g", do Pacto de DESERÇÃO. EXCLUSÃO DO SERVIÇO ATIVO ANTERIOR AO
São José da Costa Rica, norma posterior e com status normativo TRANSCURSO DO PRAZO DE GRAÇA. PRETENSÃO DO MPM DE
supralegal como vem decidindo o Supremo Tribunal Federal. CORREÇÃO DO ATO DE EXCLUSÃO. IMPOSSIBILIDADE. Militar
4. Enfim, requer a concessão de medida liminar para a declaração de reengajado que comete crime de deserção. Arquivamento requerido pelo
nulidade do interrogatório do Paciente e dos demais atos processuais Ministério Público Militar, por entender que o militar não prestava
subsequentes, para que esse ato, por ser um importante meio de defesa serviço militar obrigatório, quando praticou o crime. Irrelevância para a
do Réu, seja realizado ao final da instrução processual, conforme tipificação do delito. Exclusão no transcurso do prazo de graça, que
preconiza o art. 400 do CPP. exclui a tipicidade. Correição Parcial Indeferida. Decisão por maioria.
5. É o relatório. DECIDO.
6. De fato, a matéria é de alta indagação e alcança importante relevância HABEAS CORPUS Nº 0000117-52.2010.7.00.0000/PA
diante do avanço no garantismo penal no Direito Brasileiro. A legislação RELATOR: Ministro OLYMPIO PEREIRA DA SILVA JUNIOR.
adjetiva penal comum foi recentemente alterada pela Lei nº 11.719, de PACIENTE: HENRIQUE RICHARD DA ROCHA, MN, respondendo à
20 de junho de 2008, deu a seguinte redação ao seu art. 400, in litteris: IPD nº 0000083-31.2010.7.08.0008, perante a Auditoria da 8ª CJM,
"Art. 400. Na audiência de instrução e julgamento, a ser realizada no alegando estar na iminência de sofrer constrangimento ilegal por parte do
prazo máximo de 60 (sessenta) dias, proceder-se-á à tomada de CMG Mar Eduardo Almeida Santana, da Base Naval de Val-de-Cães,
declarações do ofendido, à inquirição das testemunhas arroladas pela impetra o presente "Habeas Corpus" preventivo, requerendo,
acusação e pela defesa, nesta ordem, ressalvado o disposto no art. 222 liminarmente, a expedição de salvo conduto. No mérito, pede a
deste Código, bem como aos esclarecimentos dos peritos, às acareações e confirmação da ordem.

Detalhes da assinatura digital Página 3 de 5


Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, de 24/08/2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil
DJe nº 067/2011, Terça-feira, 19 de abril de 2011. Justiça Militar da União

IMPETRANTE: Dra. Edilene Sandra de Souza Luz. c/c o art. 125, inciso V e seus §§ 1º e 5º, inciso II, todos do CPM (Sessão
DECISÃO: O Tribunal, por unanimidade, conheceu do "Habeas Corpus" de 15/02/2011).
e denegou a ordem, por falta de amparo legal (Sessão de 19/10/2010). EMENTA: Recurso em Sentido Estrito. Prescrição da pretensão punitiva
EMENTA: HABEAS CORPUS. DESERÇÃO (ART. 187 DO CPM). da pena acessória. Extinção da punibilidade.
Militar que pratica crime de deserção, alegando a necessidade por não Decisão da Juíza-Auditora Substituta da Auditoria da 11ª CJM, proferida
haver se recuperado de doença pulmonar. Inequívoca a precariedade da nos autos de Execução da Ação Penal Militar, na parte em que não
saúde do Paciente, entretanto, nenhum dos documentos acostados pela reconheceu a ocorrência da prescrição da pretensão punitiva da pena
impetração faz referência expressa ao período consignado no Termo de acessória de exclusão das Forças Armadas, aplicada ao recorrente.
Deserção. No crime militar próprio de deserção, a prisão do desertor Entendimento da doutrina e da jurisprudência tendem a considerar que,
apenas pode ser afastada preventivamente se pré-constituída prova da na hipótese de ocorrência da prescrição da pretensão punitiva, a pena
presença de força maior que impediu o comparecimento do militar ao acessória, declarada ou não, acompanha, de modo similar, a declaração
Quartel no período indicado. Não havendo prova pré-constituída em de extinção da punibilidade da pena principal. Extinção da punibilidade
relação ao período de ausência desautorizada, carece de amparo legal o pela prescrição da pretensão punitiva superveniente à sentença
presente "writ". Denega-se a Ordem de Habeas Corpus. Decisão condenatória da pena acessória de exclusão das Forças Armadas.
Unânime. Recurso provido. Decisão unânime.

HABEAS CORPUS Nº 0000205-90.2010.7.00.0000/RJ HABEAS CORPUS Nº 0000005-49.2011.7.00.0000/DF


RELATOR: Ministro OLYMPIO PEREIRA DA SILVA JUNIOR. RELATOR: Ministro ALVARO LUIZ PINTO.
PACIENTE: WANDERSON DE LIMA FERREIRA, Sd Ex, preso, PACIENTE: HUGO HENRIQUE LOPES JUVENCIO, Desertor,
respondendo à IPD nº 0000169-97.2010.7.01.0201, perante a 2ª respondendo à IPD nº 0000253-10.2010.7.11.0011, perante a Auditoria
Auditoria da 1ª CJM, alegando estar sofrendo constrangimento ilegal por da 11ª CJM, alegando estar na iminência de sofrer constrangimento
parte da MM. Juíza-Auditora do mencionado Juízo, impetra o presente ilegal, impetra o presente "Habeas Corpus" preventivo, requerendo,
"Habeas Corpus", requerendo, liminarmente, a concessão de liberdade liminarmente, a expedição de salvo-conduto.
provisória. No mérito, pede a confirmação do pedido liminar para que IMPETRANTES: Drs. John Cordeiro da Silva Júnior e Vanessa Patrícia
seja declarada a ilegalidade da sua prisão. da Silva.
IMPETRANTES: Drs. Alexandre Wagner de Souza e Fernando de DECISÃO: O Tribunal, por unanimidade, conheceu do "Habeas
Araujo Menezes Júnior. Corpus", e denegou a ordem por falta de amparo legal (Sessão de
DECISÃO: O Tribunal, por unanimidade, conheceu e concedeu a ordem 1º/03/2011).
de "Habeas Corpus", em favor do Sd Ex WANDERSON DE LIMA EMENTA: "HABEAS CORPUS". SOLDADO RESPONDENDO
FERREIRA, expedindo-se o competente Alvará de Soltura, se por outro PROCESSO POR DESERÇÃO E ATUALMENTE NA CONDIÇÃO
motivo não estiver preso (Sessão de 08/02/2011). DE TRÂNSFUGA. ALEGAÇÃO DE INCAPACIDADE PARA O
EMENTA. HABEAS CORPUS. DESERÇÃO. RETARDAMENTO DO SERVIÇO MILITAR. PEDIDO DE SALVO CONDUTO.
PROCESSO. Militar que se ausenta no dia 25/06/2010 e apresenta-se, IMPOSSIBILIDADE. Postulação com pedido de liminar em que alega
voluntariamente, em 29/11/2010, incorre no crime de deserção. ser portador de patologia capaz de torná-lo incapaz para a prestação do
Recolhido à prisão em 29/11/2010 e não havendo ação penal deflagrada, serviço militar. No crime de deserção, a reintegração do militar desertor
deve nos termos do art. 453 do CPPM, ser posto em liberdade o Paciente. é condição de procedibilidade para a deflagração da ação penal, ou seja,
Ordem de Habeas Corpus concedida. Decisão unânime. sem que o militar seja considerado apto para o serviço militar, não
haverá reinclusão, e, consequentemente, não haverá prosseguimento da
RECURSO EM SENTIDO ESTRITO Nº persecução penal.Para que se declare apto ou inapto ao serviço militar,
0000138-86.2010.7.11.0011/DF mister se faz exame médico por junta específica, na qual requer seja
RELATOR: Ministro RAYMUNDO NONATO DE CERQUEIRA nomeado perito, não sendo válido relatórios produzidos por médicos não
FILHO. designados, mesmo que sejam originários de órgãos públicos, nos termos
RECORRENTE: REGINALDO CARVALHO DE SOUSA, ex-Cb Aer. no art. 48 do CPPM. Conhecimento do "writ", mas negando-se a Ordem,
RECORRIDA: A Decisão da MM. Juíza-Auditora Substituta da por falta de amparo legal. Decisão por unanimidade.
Auditoria da 11ª CJM, de 14/6/2010, proferida nos autos da Execução da
Ação Penal Militar nº 0000001- 27.1998.7.11.0011, na parte em que não APELAÇÃO Nº 0000038-95.2008.7.08.0008/PA
reconheceu a ocorrência da prescrição da pretensão punitiva da pena RELATOR: Ministro RENALDO QUINTAS MAGIOLI.
acessória de exclusão das Forças Armadas aplicada ex-Cb Aer REVISOR: Ministro OLYMPIO PEREIRA DA SILVA JUNIOR.
REGINALDO CARVALHO DE SOUZA. ADV.: Defensoria Pública da APELANTE: KELER BELMONTE LOUREIRO, Civil, condenado à
União. pena de 08 meses de detenção, como incurso no art. 299 do CPM, com o
DECISÃO: Prosseguindo no julgamento do processo convertido em benefício do "sursis" pelo prazo de 02 anos e o direito de apelar em
diligência na 93ª Sessão, em 25/11/2010, o Tribunal, por unanimidade, liberdade.
nos termos do voto do Ministro RAYMUNDO NONATO DE APELADA: A Sentença do Conselho Permanente de Justiça da
CERQUEIRA FILHO (Relator), deu provimento ao Recurso em sentido Auditoria da 8ª CJM, de 26/3/2010.
estrito para, reformando, parcialmente, a decisão proferida pela ADV.: Dr. Keler Belmonte Loureiro, em causa própria.
Juíza-Auditora Substituta da Auditoria da 11ª CJM, nos autos de DECISÃO: O Tribunal, por unanimidade, rejeitou a preliminar de
Execução da Ação Penal Militar nº 0000001-27.1998.7.11.0011, em 14 nulidade suscitada pela Defesa, em razão de suspeição do Juiz-Auditor.
de junho de 2010, declarar extinta a punibilidade da pena acessória de No mérito, por unanimidade, deu provimento ao apelo da Defesa para,
exclusão das Forças Armadas, aplicada ao ex-Cb Aer REGINALDO reformando a Sentença "a quo", absolver, por maioria, o Civil KELER
CARVALHO DE SOUSA, pela prescrição da pretensão punitiva BELMONTE LOUREIRO, do crime previsto no art. 299 do CPM, com
superveniente à sentença condenatória, com fulcro no art. 123, inciso IV, supedâneo no art. 439, alínea "e", do CPPM. O Ministro JOSÉ COÊLHO

Detalhes da assinatura digital Página 4 de 5


Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, de 24/08/2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil
DJe nº 067/2011, Terça-feira, 19 de abril de 2011. Justiça Militar da União

FERREIRA absolvia o apelante, com fulcro no art. 439, alínea "a", do


CPPM e fará declaracao de voto (Sessão de 02/03/2011).
EMENTA: APELAÇÃO. SENTENÇA CONDENATÓRIA.
DESACATO A MILITAR. PRELIMINAR. PROVIMENTO.
Inconformismo da Defesa diante da condenação do Acusado como
incurso nas penas do crime de Desacato a Militar, previsto no art. 299 do
CPM. Descabe acolher a preliminar de nulidade do processo, com
supedâneo na suspeição do Juiz, uma vez que o ato tido como suspeito
ocorreu após o julgamento e não se enquadra em qualquer das hipóteses
elencadas nos art. 38 e 39 do CPPM. "In casu", o contingente probatório
longe está de revelar harmonia e segurança suficientes para ensejar a
certeza de que o Acusado tenha procedido conforme apontado na
Denúncia. No delito previsto no art. 299 do CPM, o dolo requerido é o
específico, ou seja, necessário é que o Agente atue com a vontade livre e
consciente de ofender e desrespeitar. Rejeição da preliminar suscitada
pela Defesa. Provimento do Apelo da Defesa. Unânime.

Brasília-DF, 18 de abril de 2011.


MOZART ARRUDA CAVALCANTI
Secretário Judiciário

AUDITORIAS DA JUSTIÇA MILITAR


AUDITORIA DA 12ª CJM

EDITAL DE CITAÇÃO
(Com prazo de 20 dias)

O Exmo. Sr. Juiz-Auditor, Dr. JOSÉ BARROSO FILHO, da Auditoria


da 12ª Circunscrição
Judiciária Militar, no uso de sua competência legal, etc...
FAZ SABER aos que o presente EDITAL DE CITAÇÃO virem ou dele
conhecimento tiverem, que fica CITADO, com prazo de 20 (vinte) dias,
na forma dos artigos 277, inciso V, alínea "d", 286 e 287, alínea "c", tudo
do Código de Processo Penal Militar, a comparecer nesta Auditoria, sob
pena de revelia, sita na Avenida do Expedicionário, 2.835, Bairro de São
Jorge, nesta cidade de Manaus, Estado do Amazonas, no dia 09 (nove)
de maio de 2011, às 14 (quatorze) horas, para ser qualificado e
interrogado pelo Conselho Permanente de Justiça para a Aeronáutica, o
cidadão ALAIN PIRES DOS SANTOS, brasileiro, nascido em
25/12/1970, natural de Manaus/AM, filho de Joaquim Gomes dos Anjos
e de Flora Correa dos Anjos, portador da Carteira de Identidade nº
920842-9 - SSP/AM, CPF nº 444.344.212-04, Título de Eleitor nº
0107.9822.2267, denunciado nos autos do Processo nº
0000041-27.2008.7.12.0012, consoante denúncia oferecida pelo
Ministério Público Militar, dando-o como incurso nas sanções do artigo
240, "caput", do Código Penal Militar. DADO E PASSADO nesta cidade
de Manaus/AM, na sede da Auditoria da 12ª Circunscrição Judiciária
Militar, aos quatorze dias do mês de abril do ano de dois mil e onze
(14/04/2011). Eu, Paulo Max Trindade Levinthal, Analista Judiciário, o
digitei e eu, Marcelo Azevedo de Paula, Diretor de Secretaria, em
exercício, o subscrevi.

JOSÉ BARROSO FILHO


Juiz-Auditor

Detalhes da assinatura digital Página 5 de 5


Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, de 24/08/2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil