You are on page 1of 2

A televisão: bênção ou maldição?

A televisão é um misto de bem e mal, uma vez que, ao mesmo tempo em que traz a
informação e o lazer, tornando as pessoas a cada dia mais inteligentes e alegres, também
traz em sua bagagem programas altamente nocivos e manipuladores, capazes de gerar a
alienação e passividade de multidões.
Além de entreter com seus programas de comédia, shows, filmes e desenhos, a
televisão traz informações da atualidade através dos telejornais, documentários e
programas de entrevista, que servem como auxílio para que as pessoas possam saber o
que está acontecendo na sociedade em que vivem. Rubem Braga, no texto “Ela tem alma
de pomba”, descreve a televisão como a companheira e amiga que lhe consola e lhe
distrai em todos os mementos.
Ademais, o avanço tecnológico e capitalista dos últimos tempos ocasionou o
individualismo desenfreado, e o televisor, assumiu um importe papel familiar minimizando
os problemas advindos do progresso, proporcionado ao telespectador programas de
entretenimento que possibilitam a essas pessoas uma interação com o mundo exterior,
diminuindo assim, os efeitos desse sofrimento. Paes, em seu poema “À televisão”, relata
que esse aparelho possui ainda aspecto de provedor de todas as necessidades humanas,
gerando prazer até mesmo no isolamento.
Por outro lado, Eduardo Galeano, no texto “A televisão”, faz uma breve reflexão
sobre o televisor e, apesar apresentá-lo como salvador da solidão e da noite, afirma ser
esse também, o controlador da realidade. Cabe ainda mencionar que, por ser a televisão
um instrumento que transmite ideias de outras pessoas, só que como em um monólogo,
não há a possibilidade de seus espectadores se posicionarem diante do que está sendo
exposto, gerando nos mesmos uma passividade, uma vez que eles tão somente absorvem as
colocações por ela estabelecidas, ou seja, a televisão furta-lhes a capacidade de
raciocinar, protestar e de serem ouvidos. Essa passividade acaba acarretando a alienação,
haja vista que, na maioria das vezes, as pessoas tão somente recebem conceitos pré-
estabelecidos por pensadores manipuladores.
Conforme pode-se observar nas disposições supraditas, é impossível desvencilhar a
televisão do progresso, por ser um importante veículo de comunicação para a
humanidade, pois através dela temos conhecimento dos mais diversos fatos do tempo
passado, presente e futuro, porém, há de se convir também que, por ser tão abrangente sua
atuação social, a televisão não ficaria imune aos anseios de poderosos e gananciosos, por
isso, é perfeitamente perceptivo que ela acabe por causar males homéricos à humanidade.
No entanto, há algumas indicações de como lidar com essa nocividade incontrolável,
como a escolha de programas saudáveis, a busca de outros meios de comunicação para
refletir sobre ideias, o uso não excessivo e, principalmente, o diálogo com outras pessoas
a fim de manifestar também suas ideias.

Denise Ribeiro