You are on page 1of 92

Pré-Câmbrico - 4,600 M.a. até 570 M.a.

Paleozóico - 570 M.a. até 245 M.a.

Mesozóico - 245 M.a. até 66 M.a.

Cenozóico - 66 M.a. até actualidade.


4,600 milhões de anos até aos 570 milhões de anos

O início da Terra e da Vida


 Representa 87% da idade da historia da Terra.
 Datações com Rubídio – estrôncio (10M.a. -4600 M.a.).
 Terra estava dividida em duas partes:

- O arqueo-artico, em redor do pólo norte


- O afro-brasileiro-indomalagaxe, no equador
- Separados pelo mar de Tethis
O início do movimento das placas
tectónicas;
 O aparecimento das primeiras células
procarióticas e eucarióticas;
 Admite-se que houve muitas evoluções
climáticas.
 Devido á dinâmica na terra formou-se a
primeira atmosfera .
A actividade vulcânica fazia com que gases
fossem libertados do interior da terra. Estes
eram ricos em água em forma de vapor,
consequentemente formaram nuvens. Começa
a chover e formam-se os primeiros mares e
rios.
 Na atmosfera primitiva do nosso planeta,
existiriam metano, amónia, hidrogénio e vapor
de água.
 Era impossível fazer uma datação absoluta;

 Existia falta de fosseis;

 Existia bastante metamorfismo rochoso;

 Crosta pré-cambriana fora reciclada.


Arcaico com 2,500 milhões de
anos.
Proterozóico com 1,500 milhões
de anos.
 Metade da idade da Terra;
 Apareceram os primeiros organismos vivos;
 Fosseis mais antigos, com 3,8 M.a. de
microfósseis e bactérias;
 Formaram-se lagos e mares;
 Rochas características: granitos, dioritos,
gnaisses, basaltos, riolitos, gabros, calcários e
grafitas.
 Terra bombardeada por corpos celestes –
meteoros e cometas  sem condições para a vida.

 Terra permanece sem vida até aos 800 M.a.


O oxigénio formou-se por actividade dos
organismos vivos, mais precisamente
através da fotossíntese realizada por algas
microscópicas que flutuavam nos oceano.
 No início, o oxigénio era venenoso para os
primeiros organismos e só muito mais tarde
é que as formas de vida adquiriram as
características dos organismos actuais.
 Osprimeiros seres vivos eram células
procarióticas.
 Estruturas de origem
biológica mais antigas que se
conhecem.
 São estruturas laminadas
que se encontram em rochas
carbonatadas antigas.
 Os mecanismos modernos
de formação mostram que Estromatolitos. Foto: A. Allwood.

tapetes, mais ou menos


contínuos, de bactérias e
algas são capazes de
originar recifes de
natureza calcária, com
forma colunar
arredondada muito Estromatolitos - Calizas de Conophyton
Rífeense tardío – Neoproterozoico
Ouarzazate (Marruecos)
característica.
 Semelhanças entre estromatólitos actuais e
fósseis levam a supor o mesmo mecanismos
de formação.

Estromatólitos contemporâneos semelhantes aos primigénios. A direita aparecem


microfósseis associados a primeira vida unicelular identificada na Terra nos
estromatolitos.
 A primeira atmosfera foi consequência da actividade
vulcânica associada a outros fenómenos geotérmicos
que contribuíram para a libertação de gases do
interior da Terra ricos em vapor de água que ao
arrefecerem condensaram formando nuvens 
chuvas  mares e oceanos.
 Atmosfera à 3000 M.a. era constituída por:
- Hidrogénio (cerca de 5%);
- Azoto (cerca de 12%);
- Dióxido de Carbono (cerca de 83%);
 Hidrogénio livre acabou por desaparecer; assim
como o CO2 que existia 80% foi diminuindo.
 Azoto tornou-se cada vez mais abundante -
60% da atmosfera.
 Vapor de água, amoníaco e metano em
quantidades reduzidas.
 Surgiram as primeiras bactérias, e algas azuis -
esverdeadas com capacidade para realizar a
fotossíntese e produzir o oxigénio até então
ausente na atmosfera.
 Só há cerca de 2000 M.a. o O2 começou a ser
abundante esse acumulou na atmosfera.
 Desde 1500 M.A. até hoje, a atmosfera não
mudou muito.
 Oxigénio e azoto aumentaram gradualmente,
até 21% de oxigénio e 78% de azoto.
 Dióxido de Carbono continuou a diminuir, devido
a utilização dos seres vivos na fotossíntese,
quer na incorporação de rochas carbonatas,
chegando a valores de 1%.
 A composição actual da atmosfera é muito
semelhante à de 570 M.a.
 Fósseisdatados de há 1500
M.a. correspondem as
primeiras células com
organização mais complexa
do que as bactérias – Células
Eucariontes.
 Ascélulas eucariotas foram as progenitoras
dos actuais protozoários mas também dos
metazoários.

Protozoários

Metazoários
 Saltosevolutivos de procariontes para
eucariontes e destes para organismos
pluricelulares é ainda uma grande incógnita
devido aos achados fósseis incompletos e
raros. Exemplo Fauna de Ediacara.
 Na Austrália, em Eduacara Hill, em 1947,
descobriu-se uma jazida de fósseis com:
- Organismos pluricelulares de idade Pré-
Câmbrica.
- Datados (radiometria) 680 a 700 M.a.
- Impressões nas rochas.
- Organismos de corpo mole e aspecto
semelhante as medusas e vermes actuais.
Explosão de vida

570 milhões de anos até os 245 milhões de anos


Paleozóico

Câmbrico Ordovícico Silúrico Devónico Carbonífero Pérmico


 O Paleozóico é conhecido por dois dos eventos mais
importantes na historia da vida animal:
 Em seu começo, nos animais multicelulares houve
uma "explosão evolutiva dramática", e quase todos
os filos animais vivos apareceram dentro dos
primeiros milhões dos anos devida a quantidade de
oxigénio acumulado na atmosfera.
 Já no extremo oposto do Paleozóico, a extinção
maciça, a maior da historia, que extinguiu
aproximadamente 90% de todas as espécies animais
marinhas. As causas de ambos estes eventos não
são compreendidas ainda.
Durante o Paleozóico havia seis massas continentais
principais; cada uma delas consistiam os
continentes modernos. Estes continentes
paleozóicos conheceram montanhas enormes ao
longo de suas margens, e incursões e recuos dos
mares rasos através de seus interiores, como mares
continentais.
 Explosão de vida nos mares e oceanos.
 Registos fósseis muito abundantes.
 Aparecimento brusco de vida devido ao oxigénio
acumulado na atmosfera.
 Aparecem organismos com exoesqueleto de
composição carbonatada
 Um dos grupos mais importantes de animais são as
trilobites e os graptólitos.
 Surgem antepassados dos gastrópodes,
cefalópodes, vertebrados actuais e peixes.
 Fauna que mais
contribuiu para o
conhecimento dos
organismos deste
período.
 Descoberta em 1909
na província
canadiana da
Colúmbia Britânica.

Some of the diversity of the Burgess Shale biota is depicted in the drawing above by Sam Gon
III and John Whorrall.
Trilobites such as Olenoides serratus (1) were a minority among a diversity of arthropods such
as Sidneyia (9),
Waptia (17), Helmetia (13), Sanctacaris (18), Tegopelte (15), Naraoia (16), Leanchoilia (10),
Canadaspis (12),
Odaraia (19), Marrella (11), and Burgessia (14), as well as oddities such as Opabinia (24),
Wiwaxia (26),
Hallucigenia (20), and the giant predator, Anomalocaris (28).
 Durante o Ordoviciano, os invertebrados são as
formas de vida animal dominantes.
 Os graptólitos graptolóides surgem no
Ordovícico inferior.
 No período Ordoviciano o
norte dos trópicos era
quase inteiramente oceano,
e a maior parte terrestre
do mundo foi confinada ao
sul, o Gondwana.
 Durante todo o
Ordoviciano, o Gondwana
foi deslocado para o pólo
sul e muito dele ficou
debaixo de água.
 O Ordoviciano é o mais conhecido pela presença de seus
invertebrados marinhos diversos, incluindo
graptozoários, trilobitas e braquiopodes.
 Uma comunidade marinha típica conviveu com estes
animais, algas vermelhas e verdes, peixes primitivos,
cefalópodes, corais, crinóides, e gastrópodes.
 Mas recentemente, houve a evidência de esporos trietes
que são similares aos das plantas primitivas terrestres,
sugerindo que as plantas invadiram a terra neste período.
O clima do ordoviciano era mais suave com
temperaturas médias e a atmosfera muito
húmida.
 Entretanto, quando o Gondwana se estabeleceu
finalmente no pólo sul as geleiras maciças
tomaram forma. Isto causou provavelmente
extinções maciças que caracterizam o fim do
Ordoviciano, em que 60% de todos os gêneros e
25% dos invertebrados marinhos de todas as
famílias foram extintos.
 As rochas são geralmente os argilitos escuros,
orgânico que carregam os restos dos
graptolitos e podem ter sulfeto de ferro.
 Continentes desérticos , rebaixados por
epirogênese e invadidos por extensos mares
rasos. Orogênese Taconiana. Os graptozoários
comuns nesse período são óptimos fósseis guias
pois delimitam zonas bioestrátigráficas.
 Na vida animal ocorre a primeira experiência
em gigantismo artropodes marinhos com 2
metros aparecem os lamelibrânquios. A evolução
dos protocordados desenvolveram os primeiros
peixes sem mandíbulas.
 Na vida vegetal aparecem os primeiros sinais de
plantas terrestres como plantas primitivas que
dariam origem as plantas vasculares
 O período Siluriano sucede o período
Ordoviciano e precede o período Devoniano,
ambos de sua era.
 Durante o Siluriano, surgem as primeiras
plantas terrestres e as amonites.
 Durante este período os continentes
encontravam-se distribuídos de uma
forma diferente da actual.
 O norte do Canadá, Escandinávia e
Austrália encontravam-se nos
trópicos.
 O Japão e as Filipinas encontravam-se
no interior do círculo Árctico.
 A América do Sul e África na região
do pólo sul em que o Brasil ou a África
do Ocidental seriam o centro polar.
 A actividade vulcânica era muito reduzida, apesar de
haver importantes movimentos tectónicos que ocorreram
na América do Norte e Caledónia na Europa formando-se
as montanhas Apalaches, Escocesas e Escandinavas.
 A superfície terrestre estava coberta por uma espessa
camada de gelo como a que actualmente cobre a
Antártida. Por esta altura o clima tornou-se mais quente
do que em épocas anteriores e as camadas de gelo
começaram a derreter.
 Com isto o nível do mar subiu e as terras próximas da
costa foram inundadas originando mares pouco profundos
onde se formaram novos habitats marinhos e onde se
desenvolveram recifes de esponjas e de corais que se
acumularam em capas sucessivas.
 Foi neste período que
apareceram as primeiras
plantas terrestres e foram,
também, muito importantes
invertebrados marinhos como
as graptolites, trilobites,
braquiópodes, corais e Trilobite- Dalmanites limuluris
moluscos. A Cooksonia é
provavelmente a primeira
planta terrestre.
Cooksonia

Braquiópode-
Grammysia
cingulata
 Surgiram as primeiras plantas emersas as quais seriam
desprovidas de folhas que estariam equipadas com
sistemas de bombeamento de água antecessores a
raízes e proliferariam sobretudo nas margens dos
lagos.
 Apareceram os primeiros vertebrados (peixes
couraçados) protegidos por grossas placas e escudos
ósseos e aumentaram os recifes calcários de corais
onde surgiram, também, esponjas chamadas
estromatoporóides que se fixavam em águas pouco
profundas.
 Apareceram, ainda, animais
marinhos com patas articuladas e
de respiração aérea, artrópodes,
entre os quais se encontrava o
escorpião do mar do qual foram
encontrados fósseis na
Escandinávia e na Grã-bretanha.
Começou a colonização das
regiões continentais pelos peixes,
aracnídeos, miriópodes e
gigantostráceos.
 Conhecida como a idade dos peixes.
 Animais em constante competição.
 Começa a conquista do meio
continental e surgem os primeiros
anfíbios e plantas com sementes
(gimnospérmicas)
 Plantas na con
 Durante o Devoniano, aparecem os
primeiros anfíbios, licopsídeos e pró-
gimnospermas.
 Os graptólitos graptolóides
extinguem-se no Devónico inferior. Ichthyostega – primeiro vertebrado
terrestre - Gronelândia
 Clima tropical.
 Tetrápodes desenvolvem-se
rapidemente.
 Densas florestas com predominância de
fetos e outras com 15 m de altura ou
mais.
 Estas florestas deram origem aos Meganeura
actuais carvões.
 Aparecem os pioneiros do voo. Exemplo
a libelinha gigante (70 cm de
envergadura)
 Os graptólitos dendróides extinguem-
se no Carbónico inferior - o grupo
desaparacem.

Arthropleura
 Novas alterações climáticas – Clima seco.
 Animais mais adaptados ao meio terrestre.
 Os repteis são os dominadores da terra
emersa.
 Aparecimentos dos repteis mamalianos a
partir dos quais surgem os mamíferos.
Synapsida é uma classe extinta de cordados
 Surgem os tecodontes, grupo a partir dos
quais surgem os dinossáurios.
 Durante o Permiano, 90% da vida na Terra
desapareceu, evento conhecido como
Extinção Permiana.

Tecodontes
Era dos Répteis

245 milhões de anos até os 66 milhões de anos


Mesozóico

Triássico Jurássico Cretácico


O nome Mesozóico é de origem grega e
refere-se a “meio animal” sendo também
interpretado como "a idade medieval da
vida".
 Esta era é especialmente conhecida pelo
aparecimento, domínio e desaparecimento
polémico dos dinossauros.
 No início desta era, toda a superfície terrestre se
concentrava num único continente chamado Pangeia (ou
Pangea).
 Porém com o tempo este supercontinente começou a
fragmentar-se em dois continentes: a Laurásia para o
Hemisfério Norte e o Gondwana para o Sul.
 A África e América do Sul separa-se da Antártida/Austrália.
 Perfilavam-se os oceanos Atlântico e Índico.
 Esta foi uma era onde dominaram répteis como os
dinossauros, pterossauros e plesiossauros.
 Os primeiros mamíferos se desenvolveram, apesar
de não serem maiores que ratos. As primeiras aves
apareceram durante o Jurássico, e embora a sua
descendência seja motivo de grande discussão
entre os cientistas, grande parte aceita que
tenham origem nos dinossauros. As primeiras
flores (Angiospérmicas) apareceram durante o
período Cretáceo.
 Durante o Triássico, surgem os
primeiros dinossauros, bem como
mamíferos ovíparos.
 No inicio do Triássico assitiu-se
a uma diferenciação dos
repteis...
 ... “Dinossauro : o reptil de
sucesso” ...
 ... Disposição dos ossos da bacia permitiram
posição erecta.
Bípedes
Quadrúpedes
*Posição erecta *Cabeça pequena,
*Ágeis e rápidos pescoço comprido.
*Predadores *Lentos
*Herbiveros
... Repteis (pterossaúrios) ocupam espaço aéreo...
...Pteranodon
 Envergadura de 8
metros.
 Voo plano útil
para a caça.
 Surge a que viria a ser
considerada a primeira
ave – Archaeopteryx
lithographica.

Antiga asa na pedra

Archaeopteryx – 1861 Alemanha


 Durante o Jurássico, as formas de
vida "Maiores" que viveram nos
mares foram os peixes e répteis
marítimos, tendo ocorrido uma
grande diversificação.
 Nos répteis marinhos são incluidos
os ictiossauros, plesiossauros e
crocodilos marítimos, das famílias Um Liopleurodon junto a um Leedsichthys

Teleosauridae e Metriorhynchidae.
*Coluna vertebral
estendida até à cauda.
*Dentes
*Garras nas asas

*Existência de penas, asas


*Focinho alongado e rígido
semelhante a um bico
Diversificação
Peixes
Cefalópodes

Amonites Cartilagíneos Ósseos


Fóssil Guia da Era Mesozóica
 Durante o Cretáceo, os
dinossauros alcançam seu ápice,
mas ao fim do período acaba
ocorrendo a extinção em massa
desses grandes répteis e dos Diplodocus
animais da Terra (cerca de 60%
Diplodocus

deles foi extinto).

 Domínio do Tyrannosaurus rex,


Diplodocus e Apatosaurus.

Tyrannosaurus rex
Evolução no reino
vegetal:
- Aparecimento das
primeiras
angiospérmicas.
(plantas com flor)
- Ocorre simbiose
com insecto.
 Mamíferos conhecem algum desenvolvimento e
diversificação.
 Os mamíferos para sobreviverem aos
predadores eram de pequeno porte e
mostravam-se só de noite.
 Neste período os continentes começaram a se
formar a caminho do que são hoje. Após a queda
dos dinossauros, houve e a diversificação dos
mamíferos (alguns tornaram-se enormes), e o
auge das aves .
 Durante o Mesozóico os dinossáurios
conquistaram a Terra e desapareceram mais
tarde de forma misteriosa, sendo estimada
como a segunda maior extinção em massa da
terra.
(A maior já estudada foi no final do pérmico, estima-se que tenha extinto
95% de todas as espécies que viviam na Terra.)

 A teoria mais aceita é a de que a queda de


um meteorito na Península de Yucatán, no
México, levantou muita poeira e essa poeira
cobriu a Terra evitando a passagem do Sol e
causando um resfriamento da terra que
levou à Era Glacial.
 Então os seres fotossintetizantes não
puderam realizar a fotossíntese e
acabaram morrendo. Com isso, houve uma
quebra da cadeia alimentar e um
desequilíbrio ecológico.
Teorias
Geológicos Cosmológicos

1.Transgressões e regressões 3. Impacto de corpos extraterrestres


marinhas

2. Actividade vulcânica
4.Teoria da camada de íridio
Era dos Mamíferos

66 milhões de anos até actualidade


.

Cenozóico

Terciário Quaternário
ou ou
Paleogeno Neogeno
 O desaparecimento dos dinossauros abriu
portas para o desenvolvimento dos
mamíferos.
 Aparecimento de mamíferos de grande
porte. (antepassados dos actuais elefantes,
rinocerontes e felinos)
 Nos mares aparecem os mamíferos Mamute
Carnívoro marsupial
aquáticos (antepassados das baleias e
golfinhos)
 Evolução dos peixes ósseos, moluscos e
equinodermes.
Período Terciário
houve muita actividade
vulcânica e formaram-
se os grandes maciços
montanhosos do mundo,
como os Andes, os
Alpes e o Himalaia.
 A América do Sul achava-se unida à América do Norte
no início da Era Cenozóica. Isso explica certas
peculiaridades faunísticas do nosso continente.

 Por outro lado, a América do Norte manteve ligação


com a Ásia através da região de Beríngia (hoje
interrompida pelo Estreito de Bering) durante grande
parte da Era Cenozóica, o que explica o porquê da
homogeneidade faunística da América do Norte, Ásia
Setentrional e Europa.
 Neste período ocorrera os processos que conduziram à
elaboração das faunas modernas.
 No Pleistoceno, também chamado época Glacial ou Idade
do Gelo, ocorreu uma vasta glaciação no hemisfério
norte.
 Glaciação de muito menores proporções deu-se também
no hemisfério sul.
 Datam do quaternário os mais antigos restos do homem
(cerca de 450.000 anos).
 Acredita-se que o mais antigo deles seja o Homo
heidelbergensis.
 Autralopitecus afarensis
 O Australopitecos afarensis viveu nas
savanas do Nordeste de África, mais
precisamente no Rift Valey, em Afar (de
onde vem o seu nome afarensis) na Etiópia,
há aproximadamente entre 4 e 2,7 milhões
de anos.

 As evidências fósseis encontradas em 1974,


um esqueleto quase completo, propiciou uma
grande riqueza de informação à cerca da
linha de evolução humana.
 A fêmea aquém pertencia o
esqueleto (Lucy) ao tempo da sua
morte, teria cerca de 20 anos de
idade e media 1,20 metros.
 A fotografia à direita mostra a
comparação do esqueleto da Lucy
com uma mulher actual.
 Australopithecus africanus viveu a 2,5
M.a.
 Foi uma uma espécie de hominídeo
descrita por Raymond Dart em 1924, com
base no “Crâneo Infantil de Taung”, um
crâneo dum ser jovem que Dart pensou
ser o “elo perdido” da evolução entre os
símios e os seres humanos.
 Dart considerou ser o achado relativo a
uma espécie nova, devido ao pequeno
volume do seu crâneo, mas com uma
dentição relativamente próxima dos
humanos e por ter provavelmente tido
uma postura vertical.
 H. habilis é a espécie mais antiga do
gênero Homo, viveu no leste Africano
há aproximadamente 2.2 a 1.6 milhões
de anos atrás.
 Foram descobertos só alguns restos
fósseis, porém estes espécimes
exibem uma tendência clara no
aumento do tamanho do cérebro.
Cérebros de H. habilis são
aproximadamente 30% maior que os
dos A. africanus.
 Machos eram muito maiores que fêmeas, como
mostrado pelos dois crânios à direita e ao lado
o crânio de um macho.
 O Dimorfismo sexual exibido pelos Hominídeos
é bastante acentuado.
 Unidades familiares - Transporte do alimento
 Provavelmente se alimentavam de restos
deixados pelos grandes carnívoros (carniça).
 Ferramentas rudimentares de pedra lascada,
como pode ser visualizada na figura abaixo
 Ao lado podemos verificar a localização dos
principais sítios de H. habilis.
 Homo erectus viveu entre 2,0 M.a. a
400.000 M.a., indivíduos com maiores
crânios e que representam um aumento de
50% em relação ao H. habilis.
 Os primeiros fósseis de H. erectus foram
inicialmente descobertos na China (Homem
de Pequim) e em Java na Indonésia (no final
do sec. XIX e início do XX)
 A partir dos anos cinquenta, foram
descobertos esporadicamente fósseis de H.
erectus na África e na Ásia, a primeira delas,
na Argélia.
 Também denominada como Homo sapiens
arcaico.
 Entre os defensores da hipótese de
evolução paralela, os H.heidelbergensis
podem ter sido ancestrais dos
Neandertais na Europa e do H. sapiens na
África e portanto vêem este grupo como
evidência de uma transição para Homem
moderno.
 A " mandíbula " de Mauer, encontrada em 1907 e datada em
500,000 anos, combina características primitivas (robustez)
com características modernas (tamanho do molar), e portanto
foi chamada de H. heidelbergensis.
 Entre as características principais, a face e nariz mais
proeminentes e as mudanças na base do crânio provavelmente
associado a mudanças na caixa de ressonância directamente
relacionada a voz.
 Homo sapiens neanderthalensis era
uma espécie humana robusta que viveu
entre 135,000 e 30,000 anos na
Europa e Ásia ocidental.
 Eles floresceram tanto em períodos
interglaciais mornos quanto nas
condições desafiadoras do avanço
glacial.
 Exemplar encontrado no norte de
Portugal.
 Alguns pesquisadores os consideram como uma espécie
distinta Homo neanderthalensis, outros como sub-
espécie.
 O crânio de Cro-Magnon foi encontrado em
Les Eysie, França e datado em 28.000 anos.
 Esta espécie evoluiu a partir de uma
pequena população africana a
aproximadamente 200.000 anos atrás.
 Sendo assim os Humanos Modernos são
datados a partir dos 130.000 anos.
 Entre as principais características temos o
aumento do tamanho da caixa craniana.
 Na figura podemos visualizar reconstituições de hábitos
relacionados às actividades de caça dos H.s.sapiens na idade
do gelo na Europa.
 Estes europeus puderam se adaptaram às condições severas
do ambiente competindo com os carnívoros e predadores.
 Com a ajuda dos recursos culturais e tecnológicos avançados,
puderam especializar e adaptar a condições locais severas se
alimentando dos caribus, renas e até animais mais perigosos
como o Mamute.
Geohistória
Autor:
Isabel Henriques