Sie sind auf Seite 1von 10

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITJUBÁ

INSTITUTO DE ENGENHARIA MECÂNICA


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA

EPR17

PLANEJAMENTO,
PROJETO E PRODUTO

Henrique Siqueira de Azevedo


Hélio Maciel Junior
Mayara Cristina Seixas Santos
Samuel Camillo Samara

Itajubá MG
2002
INTRODUÇÃO

Durante certo tempo o setor de planejamento e projeto de produtos de uma


organização teve papel de pouco destaque, sendo inclusive marginalizado em algumas
situações. Contudo, no contexto da atual competição em nível global, o desenvolvimento de
novos produtos se tornou foco para empresas que pretendem ampliar seu market-share ou
até mesmo, simplesmente permanecer no mercado.
Com a crescente necessidade de se ter novos produtos de elevada qualidade
intrínseca, a um preço competitivo e que não só atenda as expectativas dos clientes, mas as
exceda. Como conseqüência, pode-se concluir que o processo de desenvolvimento de
produtos está inserido no contexto dos princípios da Gestão da Qualidade.
Mas como desenvolver produtos de forma eficaz? Existe alguma ferramenta? É
claro que sim, são diversas as ferramentas aplicáveis nesta área. Sendo que o princípio
fundamental é que a qualidade do produto nasce na fase de desenvolvimento. Sendo a fase
de desenvolvimento sintaticamente dividida em duas grandes etapas, que são planejamento
e execução. Apesar da abordagem tradicionalista se preocupar mais com a fase de
execução, deve-se ter sempre em mente que a etapa de maior relevância é a de
planejamento. Em um primeiro momento tem-se a impressão que o tempo do projeto está
sendo estendido além do necessário, porém o ganho de tempo se manifestará futuramente,
já que o tempo de re-trabalhado será drasticamente reduzido.
Como forma de aplicar as ferramentas de desenvolvimento de produto, a equipe
propôs uma nova forma para abertura de uma embalagem Longa Vida. No decorrer do
tempo cada ferramenta foi usada para um determinado fim. Todos estes passos serão
descritos no decorrer do trabalho.

1
DESENVOLVIMENTO

ETAPAS DE PLANEJAMENTO E PROJETO DE PRODUTOS

A seguir estão listadas as fases de criação do produto e suas respectivas técnicas de


apoio.

Planejamento do produto
Requisitos Gerais
Especificações Técnicas

Concepções
Criatividade

Viabilidade
Técnica
Econômica
Financia

Projeto Básico
Modelagem
Análise de Sensibilidade
Análise de Estabilidade
Otimização
Ensaios
Consolidação

Projeto Executivo
Programação
Projeto dos Conjuntos
Projeto de Componentes e Peças
Protótipos
Certificação do Projeto
Certificação da Fabricação

2
REQUISITOS GERAIS
Descrição das necessidades do cliente

Fácil abertura da embalagem Longa Vida sem a utilização de qualquer


instrumento cortante (auto-abertura).

Funções desempenhar (descrever através de verbo ativo)

Permitir a abertura da embalagem de maneira prática e mais simples.

Prazo para desenvolvimento 3 meses

Prazo para lançamento Feira da embalagem

Ciclo de vida estimado

Preço de venda máximo (R$)

Custo estimado (R$)


Investimento orçado para o
15.000,00
desenvolvimento (R$)
Equipe (nome/cargo) Responsabilidades no projeto

Henrique Siqueira de Azevedo

Mayara Cristina Seixas Santos

Samuel Camillo Samara

Hélio Maciel Junior

3
REQUISITOS TÉCNICOS
Especificações funcionais (função vender)

Desempenho Fácil abertura da embalagem

Estética e O orifício deve estar sob a dobra. Esta mesma dobra deve
ergonomia ser de fácil manuseio

Segurança Não permitir a contaminação do produto

Proteção ambiental Material reciclável e de fácil separação

Espaço para impressão da marca, assim como informações


Embalagem
obrigatórias por lei e instruções de abertura.

Requisitos operacionais (função usar)

Consumo de energia -------

Disponibilidade 100 % do tempo


Ao levantar a dobra da embalagem deve ser promovida a
Confiabilidade
imediata abertura da mesma
Mantenabilidade -------
Conservar o alimento embalado pelo mesmo prazo dado
Durabilidade
antes do novo modelo de abertura
Custo operacional
Fácil sistema de abertura, podendo ser feito inclusive com
Outros
apenas uma das mãos

Especificações construtivas

As mesmas dimensões atuais. No que se refere ao diâmetro


Dimensões do orifício de abertura, este deverá ser de
aproximadamente.....
Peso O mesmo das embalagens atuais que é de .....
A cola utilizada na embalagem deve promover a fixação da
dobra de forma a proteger o orifício. Mas na abertura é
Outros
recomendado que não seja necessário grande esforço do
usuário durante a abertura.

4
EPR17 PRODUTO COMO SISTEMA

Descrição do produto

Permitir a conservação do produto embalado. E através deste novo tipo de abertura,


facilitar a vida dos usuários, dispenando qualquer tipo de objeto cortante para abri-la.

Entradas desejáveis Saídas esperadas

O orifício deve ser completamente


Abrir a embalagem ao levantar a dobra desobstruído
Promover a vedação da embalagem ao A dobra deve permanecer a baixada,
abaixar a dobra conferindo a embalagem um aspecto
higiênico.

Entradas indesejáveis Saídas aceitáveis

É claro que o ponto mais frágil será o


orifício de abertura, mas ainda assim este
deverá suportar uma carga considerável.
Submeter a embalagem a uma alta pressão
Sendo este um aspecto importante
durante o transporte do produto
(empilhamento).

5
EPR17 CONCEPÇÕES

Concepção Descrição

1 Abertura da embalagem utilizando serrilhas nas dobras

2 Orifício de abertura na parte superior da embalagem (toddynho)

Orifício de abertura sob a dobra. Ao levantar a dobra, o orifício já


5
será aberto.

Viabilidade

Concepção 1 2 3 4 5

Técnica Viável Viável Viável

Econômica Inviável Inviável Viável

Financeira Viável Viável Viável

Concepção final

Orifício de abertura sob a dobra. Ao levantar a dobra, o orifício já será aberto


(auto-abertura)

6
FMEA DO PRODUTO

FMEA é uma ferramenta usada para analisar as possíveis falhas que o produto vem
a ter. Estas falhas são analisadas antes (no projeto) ou após a execução do produto final.
Através de estudo de causa e efeito consegue-se descrever as possíveis falhas que o produto
possa vir a ter. Não somente descrever as possíveis falhas mas se dá notas e peso para as
causas, efeito, ocorrência, entre outros ponderados que indicam no final da aonde deve-se
atacar o produto.
Para o nosso produto essa análise do FMEA foi realizada e chegou-se a resultados
importantes. Pode-se assim descobrir qual fator deveria-se priorizar. FMEA fim.doc

DESENHO PARA MANUFATURA (DPM)

O principal objetivo é analisar a forma como o produto será montado, tendo em


mente não só o processo de fabricação, mas principalmente questões relativas aos
operadores que irão executar determinadas tarefas. Neste sentido, o conhecimento sobre
aspectos ergonômicos se faz de suma importância. Para se conseguir tal objetivo, algumas
dicas são valiosas, como por exemplo: a padronização de peças. Através da simples
padronização de parafusos, pode-se conseguir uma enorme economia de tempo de
montagem de um certo produto, uma vez que o operador não se perguntará “qual dos
parafusos devo colocar aqui?” Outra dica seria a procura de dispositivos que facilitem a
montagem.
Em resumo, a meta é economizar tanto em materiais quanto em tempo de
montagem.

ENGENHARIA/ANÁLISE DE VALOR

Esta ferramenta é usada no projeto básico e tem a finalidade de promover a redução


de custos. Tendo como princípio a escolha de um material que apresente o menor custo,
uma vez que existem diversos modelos que desempenham a mesma função. Portanto, deve-
se pensar no material como função, sendo assim, se um determinado material é necessário
para “proteger”, o material que conseguir realizar esta função e apresentar o menor custo,
será o campeão segundo a Engenharia/Análise do valor.

QUALITY FUNCTION DEPLOYMENT (QFD) QFD.ppt

O QFD (Quality Function Deployment) é uma metodologia que tem como função
priorizar as necessidades do cliente. Ou seja, o primeiro passo é ouvir o que o cliente deseja
do produto e traduzir suas aspirações para a linguagem de engenharia. Confrontando estes
desejos com as características de engenharia (Mundo da empresa) tem-se relacionamentos
fracos, médios ou fortes. Os relacionamentos de maior relevância serão priorizados como
características fundamentais do produto. Atendendo assim as expectativas do cliente.

7
MODELO ICÔNICO

8
CONCLUSÃO

O processo de Planejamento e projeto de produto deve receber atenção especial das


empresas que pretendem continuar no mercado. Tem-se inúmeros exemplos de sucessos ou
derrotas relacionadas diretamente com a capacidade da empresa em atender as aspirações
dos clientes com grande criatividade.
As diversas técnicas de apoio são de grande valia para um processo eficaz. Contudo,
a parte dos esforços deve ser direcionada para a fase de planejamento. Com vistas a reduzir
a fase de execução e principalmente os re-trabalhos.
A respeito do produto, chega-se a conclusão que a nova abertura proposta é sem
dúvida alguma uma revolução no mercado que só contribuiria para agregação de valor aos
produtos que utilizarem a mesma.