Sie sind auf Seite 1von 9

ILUMINISMO – QUESTÕES DE VESTIBULARES

1 - (EFOA – 1999) O Marquês de Pombal, ministro do rei D. José I (1750 - 1777), foi o responsável por uma

série de reformas na economia, educação e administração do Estado e do império português, inspiradas na filosofia iluminista e na política econômica do mercantilismo, cabendo a ele a expulsão dos padres jesuítas da Companhia de Jesus dos domínios de Portugal.

O Marquês de Pombal foi um dos representantes do chamado:

a)

Parlamentarismo Monárquico.

b)

Socialismo Utópico.

c)

Socialismo Científico.

d)

Liberalismo.

e)

Despotismo Esclarecido.

2

- (FGV – CGA – 1998) As idéias "iluministas" atingiram até mesmo alguns monarcas absolutos, que

trataram de empreender reformas inspiradas pelas Luzes. Dentre os soberanos apontados abaixo, qual não pode ser considerado um "déspota esclarecido"?

a)

Catarina, a Grande, da Rússia;

b)

José II, da Áustria;

c)

Frederico II, da Prússia;

d)

Gustavo Adolfo, da Suécia;

e)

Carlos III, da Espanha.

3

- (FGV – CGA – 1999) Na segunda metade do século XVIII alguns monarcas europeus adotaram

princípios do Iluminismo buscando reafirmar, a partir destes, seus poderes absolutos. Considerando essa afirmação não é correto afirmar que:

a) Entre esses déspotas esclarecidos estava Frederico II, seguidor de Voltaire, que permitiu a liberdade de

culto na Prússia;

b) Os monarcas mais destacados desta corrente foram: Frederico II (Prússia), Catarina II (Rússia) e José II

(Áustria);

c) Catarina II (Rússia) não apenas manteve os direitos dos proprietários da terra sobre os servos como

permitiu aos primeiros o direito de condenação à morte dos segundos;

d) Em Portugal, o Marques de Pombal, ministro de José I, foi o responsável pela perseguição à nobreza e ao

clero buscando fortalecer o poder real;

e)

José II (Áustria) foi o mais descompromissado dos monarcas na aplicação dos princípios iluministas.

4

– (FUVEST – 1998) “Um comerciante está acostumado a empregar o seu dinheiro principalmente em

projetos lucrativos, ao passo que um simples cavalheiro rural costuma empregar o seu em despesas. Um freqüentemente vê seu dinheiro afastar-se e voltar às suas mãos com lucro; o outro, quando se separa do dinheiro, raramente espera vê-lo de novo. Esses hábitos diferentes afetam naturalmente os seus temperamentos e disposições em toda espécie de atividade. O comerciante é, em geral, um empreendedor ”

audacioso; o cavalheiro rural, um tímido em seus empreendimentos (Adam Smith, A Riqueza das Nações, Livro III, capítulo 4) Neste pequeno trecho, Adam Smith

a) contrapõe lucro a renda, pois geram racionalidades e modos de vida distintos.

b) mostra as vantagens do capitalismo comercial em face da estagnação medieval.

d)

critica a preocupação dos comerciantes com seus lucros e dos cavalheiros com a ostentação de riquezas.

e)

expõe as causas da estagnação da agricultura no final do século XVIII.

5

- (PUC-MG – 1997) A partir do século XVI, a palavra T R A B A L H O perde seu conceito negativo

associado à idéia de pobreza e sofrimento, adquirindo uma conotação positiva de dignidade, porque:

a)

o trabalho passa a ser exercido também pelas classes dominantes.

b)

a campanha pela abolição do trabalho escravo na América se intensifica.

c)

os equipamentos das manufaturas exigem trabalhadores qualificados.

d)

o trabalho é fonte de toda a produtividade e riqueza material.

e)

a doutrina calvinista justifica o trabalho como fonte de salvação.

6

- (PUC-MG – 1998) São princípios fundamentais do liberalismo econômico no século XVIII, EXCETO:

a)

combate ao mercantilismo.

b)

defesa da propriedade coletiva.

c)

liberdade de contrato.

d)

livre concorrência e livre cambismo.

e)

divisão internacional do trabalho.

7 - (PUC-MG – 1998) As idéias dos diversos filósofos do Iluminismo, que tanta importância exercem nos movimentos sociais dos séculos XVIII e XIX, têm como princípio comum:

a) a república como único regime político democrático.

b) a razão como portadora do progresso e da felicidade.

c) as classes populares como base do poder político.

d) o calvinismo como justificativa de riqueza material.

e) a igualdade social como alicerce do exercício da cidadania.

8 - (PUC-MG – 1999)O Iluminismo representa a visão de mundo da intelectualidade do século XVIII, NÃO podendo ser apontado como parte do seu ideário:

a)

o combate às injustiças sociais e aos privilégios aristocráticos.

b)

o fortalecimento do Estado e o cerceamento das liberdades.

c)

o anticolonialismo e o repúdio declarado à escravidão.

d)

o triunfo da razão sobre a ignorância e a superstição.

e)

o anticlericalismo e a oposição à intolerância religiosa.

9

- (PUC – PR – 2000) O Iluminismo foi uma filosofia nascida na Inglaterra e atingiu seu maior esplendor

na França, no século XVIII, tendo por representantes Voltaire, Montesquieu, Rousseau, etc. Uma das suas características foi a seguinte:

a) Defender os ensinamentos das Igrejas Católica e Protestante.

b) Ensinar que o homem não é livre, mas marcado pelo determinismo geográfico.

c) Combater o absolutismo real e pregar o liberalismo político.

d) Pregar a censura para os espetáculos de circo e de teatro.

e) Recomendar a pena de morte como maneira de coibir a criminalidade.

10 - (PUC – RJ – 1998) "O nosso século é chamado o Século da Filosofia por excelência. Se examinarmos sem prevenção o estado atual dos nossos conhecimentos, não se pode deixar de convir que a filosofia

registrou grandes progressos entre nós. (

)

Assim, desde os princípios das ciências profundas até os

dos teólogos até os objetos de comércio, (

)

tudo foi discutido, analisado e, no mínimo, agitado."

D'Alembert (apud. Ernst Cassirer. A filosofia do Iluminismo. pp 20-21)

As palavras de D'Alembert nos remetem a algumas das características das idéias e concepções do movimento iluminista. Entre elas podemos identificar:

I - A valorização da filosofia como campo de reflexões estritamente direcionadas para a crítica das ciências da

natureza. II - A defesa de uma concepção de história associada ao ideal de progresso e contraposta aos valores da tradição.

III - A secularização de todos os domínios de conhecimento, incluindo-se aqueles relacionados à moral, à religião

e às relações sociais.

IV - A defesa da razão e da experiência como instrumentos centrais para a produção de todos os conhecimentos e

valores pertinentes ao homem e às suas sociedades.

Assinale:

a)

se somente as afirmativas I e II estão corretas.

b)

se somente as afirmativas I e IV estão corretas.

c)

se somente as afirmativas II, III e IV estão corretas.

d)

se somente a afirmativa III está correta.

e)

se todas as afirmativas estão corretas.

11

– (PUC – RJ – 1999) Assinale a opção em que se encontra corretamente identificado um dos preceitos

fundamentais da Fisiocracia:

a) "O ouro e a prata suprem as necessidades de todos os homens."

b) "Os meios ordinários, portanto, para aumentar nossa riqueza e tesouro são o comércio exterior."

c) "Que o soberano e a nação jamais se esqueçam de que a terra é a única fonte de riqueza e de que a

agricultura é que a multiplica."

d) "Todo comércio consiste em diminuir os direitos de entrada das mercadorias que servem às manufaturas

interiores (

e) "As manufaturas produzirão benefícios em dinheiro, o que é o único fim do comércio e o único meio de

aumentar a grandeza e o poderio do Estado."

)"

12 – (PUC – RS – 1999) No século XVIII surge na França a teoria econômica fisiocrática, proposta

originariamente pelo médico Quesnay. A Fisiocracia criticava o mercantilismo colbertista e sustentava que a origem da riqueza nacional se encontrava no setor

a)

industrial.

b)

comercial.

c)

agrícola.

d)

financeiro.

e)

extrativista.

13

– (PUC – RS – 1999)

INSTRUÇÃO: Responder à questão 13, sobre o pensamento iluminista nos

séculos XVII e XVIII, numerando a coluna da direita de acordo com a coluna da esquerda.

1- Adam Smith

) Criticava a burguesia e a propriedade privada. Defendia a tese de que todo o poder emana do povo (da vontade geral) e é em nome do povo que ele é exercido.

(

Montesquieu

lesivo a toda ordem econômica. Defendia que, com a concorrência,

a

divisão do trabalho e o livre comércio se alcançaria a harmonia e

a

justiça social.

3- John Locke

(

) Combatia o despotismo. Defendia a tese de que a autoridade

do governo deve ser desmembrada em três poderes: Legislativo, Executivo e Judiciário.

4- Jean-Jacques

(

) Combatia o absolutismo. Defendia a idéia segundo a qual a

Rousseau

vida, a liberdade e a propriedade são direitos naturais. Os governos,

para o filósofo, teriam a finalidade de respeitar e assegurar os direitos naturais dos cidadãos.

Relacionando-se a coluna da esquerda com a coluna da direita, obtêm-se, de cima para baixo, os números na seqüência:

a)

1, 3, 4, 2

b)

4, 1, 2, 3

c)

3, 1, 4, 2

d)

4, 3, 1, 2

e)

3, 4, 2, 1

14

– (UERJ – 1999)

"Não se vêem, porventura (

mais benéficos? E, inversamente, não se encontra, por vezes, uma população numerosa vivendo na abundância em um território exíguo, até algumas vezes em terras penosamente conquistadas ao oceano, ou

em territórios que não são favorecidos por dons naturais? Ora, se essa é a realidade, é por existir uma

causa sem a qual os recursos naturais (

atuando de modo desigual e vário entre os diferentes povos, explica as desigualdades de riqueza de cada

um deles (

(SMITH, Adam. Apud HUGON, Paul. História das Doutrinas Econômicas. São Paulo: Atlas, 1973.)

)

povos pobres em terras vastíssimas, potencialmente férteis, em climas dos

)

nada são (

).

Uma causa geral e comum de riqueza, causa que,

)"

O texto acima evidencia a preocupação, por parte de pensadores do século XVIII, com a fonte geradora de riqueza. As "escolas" econômicas do período – Fisiocracia e Liberalismo – apresentavam, contudo, discordâncias quanto a essa fonte. Os elementos geradores de riqueza para a Fisiocracia e para o Liberalismo eram, respectivamente:

a)

terra e trabalho

b)

agricultura e capital

c)

indústria e comércio

d)

metal precioso e tecnologia

15

(UFF – 1996) O chamado Despotismo Esclarecido, nome pelo qual ficaram conhecidas algumas

monarquias absolutistas do século XVIII, apresentou-se particularmente expressivo na Península Ibérica, tanto em Portugal, como na Espanha. Nos dois países, com efeito, as monarquias empreenderam reformas capazes de renovar as economias dos respectivos reinos, sem prejuízo do que era essencial ao Antigo Regime. Assinale a opção que indica o caráter ilustrado das reformas adotadas em Portugal e na Espanha setecentistas:

a) No caso espanhol as reformas bourbônicas foram mais radicais, pois estabeleceram o livre-comércio com a

abolição do regime de porto único, em 1717, ao passo que, em Portugal, o processo foi mais lento, mantendo-se o privilégio exclusivo de Lisboa para o comércio com o Brasil.

b) Nos dois casos a monarquia combateu e finalmente expulsou os jesuítas de seus domínios ultramarinos, ao

que se seguiu a abolição dos Tribunais da Inquisição, a começar, no caso hispânico, pelo Santo Ofício de Cartagena de Índias.

c) Nos dois casos houve incentivo à formação de companhias de comércio visando incrementar os vínculos

mercantis com as respectivas colônias americanas, o que não implicou qualquer eliminação do monopólio, nem

afrouxamento da máquina fiscal metropolitana.

d) No caso espanhol as reformas procuraram preservar os privilégios da nobreza tradicional, apesar da

extinção das alcabalas, ao passo que a administração pombalina em Portugal chegou a condenar nobres à morte

sob o pretexto de que tramavam o assassinato do rei D. José I.

e) Nos dois casos a ofensiva contra os privilégios da nobreza e do clero foi notável: expulsão dos jesuítas,

extinção do Santo Ofício, expropriação dos bens do clero, abolição dos morgadios ou mayorazgos e combate implacável aos usos e costumes aristocráticos, com a proibição do porte de espadas e do uso de perucas à moda francesa.

16 – (UFF – 1998) No século XVIII, com o desenvolvimento dos valores iluministas, vários estados

europeus realizaram mudanças nas suas relações políticas e culturais. Essas alterações acabaram por se associarem ao fenômeno do “Despotismo Esclarecido”. Um dos seus exemplos foi o governo do Marquês de Pombal em Portugal. A chamada época pombalina no Brasil possuiu algumas características marcantes. Dentre elas, uma está contida como opção de resposta. Assinale-a.

a) A época pombalina representou um retrocesso nas questões relativas ao ensino, com o fechamento do

Seminário de Olinda.

b) A política de Pombal privilegiou a opção agrícola para a colônia brasileira e, por isso, incentivou o

uso da mão-de-obra imigrante.

c) As medidas pombalinas, no tocante às suas relações com a Igreja Católica, demonstraram a preocupação

em manter o domínio da Igreja sobre o Estado.

d)

As Reformas Pombalinas propuseram a descentralização na área administrativa.

e)

A atuação de Pombal estimulou o fomento agrícola e a criação de Companhias de Comércio.

17

– (UFF – 1999) “Todo homem, contanto que não transgrida as leis da justiça, permanece plenamente

livre para seguir a estrada apontada por seu interesse e para levar onde lhe aprouver, sua indústria e seu capital, juntamente com aqueles, de qualquer outra classe de homens.” (SMITH, Adam. Textes Choisis.

Paris, Dalloz, 1950, p. 275). Este texto apresenta a máxima do liberalismo inglês do século XVIII, pressupondo que a noção de liberdade ligava-se ao reino da Natureza, sem vinculações com a problemática do espaço. Assinale a opção que se identifica, corretamente, com o pensamento de Adam Smith.

a) As atitudes políticas dos cidadãos, em particular sua liberdade de escolher seus representantes, era tema de

interesse vital para os liberais do século XVIII, mormente em face dos primeiros movimentos operários.

b) A idéia de “nação”, como um espaço socialmente construído, é um dos fundamentos do liberalismo do

século XVIII.

c) O conceito de “nação” está intimamente ligado ao “princípio da nacionalidade” formulado no século XVIII.

d) Até o final do século XIX o termo “nação” significava, simplesmente, o conjunto de habitantes de uma

província, de um país ou de um reino, pertencendo muito mais ao domínio da Natureza.

e) O pensamento liberal parte do reconhecimento do valor e importância da cooperação humana mediante a

forte presença do Estado.

18 – (UFMG – 1997) Assinale a alternativa que apresenta a concepção de trabalho de Adam Smith.

a) A divisão do trabalho deve ser controlada pelo Estado, de forma a garantir a estabilidade na oferta de

empregos.

b) A maior produtividade pressupõe a especialização do trabalho, a divisão entre vários homens daquilo que

anteriormente era produzido por um só.

c) Os parasitas, aqueles que não trabalham, não podem participar e nem se beneficiar da riqueza produzida

pela coletividade.

d) Uma maior colaboração entre produtores diretos garante uma maior socialização das riquezas e o Estado do

Bem-Estar Social.

19

- (UFMG - 1997) Assinale a alternativa que apresenta um princípio filosófico do Século das Luzes.

a)

Crença na razão como fonte pra a crítica social e política

b)

Defesa do ideal monárquico para a garantia da unidade política

c)

Idéia do direito divino dos reis para legitimar o absolutismo

d)

Idéia de indivisibilidade do Estado em poderes independentes.

20

– (UFMG – 2000) O objetivo grande e principal, portanto, da união dos homens em comunidades,

colocando-se eles sob governo, é a preservação da propriedade. LOCKE, John. Segundo tratado sobre o governo, 1690. Assinale a alternativa que apresenta uma condição para a cidadania coerente com o objetivo dos governos defendido pelo pensador.

a) "Não pode ser cidadão senão aquele que faz parte do povo. Não pode fazer parte do povo senão aquele que

tem sangue alemão

b) "São eleitores os brasileiros, de um e de outro sexo, maiores de 18 anos que se alistarem na forma da lei.

Não podem alistar-se como eleitores: os analfabetos; os militares em serviço ativo; os mendigos Brasileira, 1937, Art. 117)

c) "São eleitores, sem condição de censo, todos os franceses de 21 anos de idade e gozando de seus direitos

civis e políticos." (Constituição Francesa, 1848, Art. 25)

d) "São excluídos de votar nas Assembléias Paroquiais [

réis, por bens de raiz, indústria, comércio ou empregos." (Constituição Portuguesa, 1826, Art. 64, § 5º)

" (Programa Nazista, 1920)

" (Constituição

]

os que não tiverem de renda líquida anual cem mil

21 – (UFPB – 1997) Durante a época de Pombal (1750 – 1777), Portugal buscou anular os desastrosos

efeitos que o tratado de Methuen (1703) havia trazido para sua economia. Sobre as ações do 1 o Ministro, é

INCORRETO afirmar que

a) transferiu a capital do Brasil de Salvador para o Rio de Janeiro.

b) estimulou a criação de manufaturas em Portugal, proibiu a exportação de ouro e combateu o contrabando.

c) criou a Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão e a Companhia de Comércio de Pernambuco e

Paraíba.

d) reafirmou o poder da Companhia de Jesus, colocando nas mãos dos jesuítas a reforma do ensino em

Portugal.

e) criou para o Brasil inúmeros impostos complementares, além de impor a primeira derrama à população

mineira.

22 – (UNIVALI – 1999) Sobre a Filosofia Iluminista é correto afirmar que:

I- Produziu, no plano religioso, o Deísmo, uma espécie de religião que acreditava que Deus não interferia nos destinos humanos, pois, o homem, para governar-se, contava com a razão. II- A fisiocracia, produto do Iluminismo no plano econômico, recomendava ainda maior intervenção do Estado nas atividades econômicas privadas. III- Os presos deveriam receber melhor tratamento, ter cadeias mais higiênicas e arejadas, além de combater a

pena de morte. Esses eram os ensinamentos do Iluminismo no campo do direito e da criminologia. IV- Ensinava que a melhor forma de governo era a monarquia absoluta, pois, isto permitiria decisões mais rápidas, já que não impunha a consulta a parlamentos. V- Foi denominador comum das revoluções de independência dos Estados Unidos, dos países latino-americanos e das revoluções de 1789, na França, e européias de 1830 e 1848.

a)

As opções I, II, III e IV estão corretas.

b)

As opções I, II, III e V estão corretas.

c)

As opções II, III, IV e V estão corretas.

d)

As opções III, IV e V estão corretas.

e)

As opções I, III, e V estão corretas.

23

– (UNIPAR – 2000) Dentre os pensadores do Iluminismo, associe corretamente o Autor e a base do seu

pensamento preconizado em suas obras:

a) Montesquieu defendia um governo aristocrático dividido em quatro poderes: o Legislativo, o Executivo, o

Judiciário, e mais o Poder Moderador concentrado na figura do monarca.

b) Voltaire defendia a tolerância religiosa em todos os assuntos políticos, porém a liberdade de expressão não

incluía os assuntos religiosos considerados por ele como sendo indiscutíveis.

c) Immanuel Kant preconizava que a Razão deveria servir para libertar o Homem do seu estado de

menoridade, onde o pensamento se encontrava sob a tutela da Igreja ou dos mitos.

d) Jean-Jacques Rousseau defendia que as desigualdades entre os homens poderiam ser consideradas como

naturais, com exceção da desigualdade social que era uma criação da própria sociedade e, por isso, poderia ser modificada.

e) Os Enciclopedistas possuíam posições políticas conservadoras para a época, sendo considerados os grandes

defensores do Despotismo Esclarecido.

24 – (ACAFE – 1998) Sobre o Iluminismo, é FALSO afirmar:

a) Voltaire, o mais polêmico e irônico dos mestres iluministas, voltou-se contra os abusos do Estado e da

Igreja, satirizando-os

b) Os pensadores iluministas defendiam a liberdade de expressão e a utilização da razão para "iluminar" a

mente humana.

c) Montesquieu, um dos principais pensadores do Iluminismo, desejou equilibrar os poderes do Estado,

criando a famosa divisão dos poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.

d) Foi um movimento intelectual contrário aos interesses da burguesia. Desejava a igualdade social entre

todas as classes.

e) O Iluminismo, na Inglaterra, ligou-se aos pressupostos liberais que acabaram sendo cristalizados na obra de

Adam Smith: A Riqueza das Nações.

25 - (CARLOS CHAGAS -BA) A obra Riquezas das Nações (1776), de Adam Smith, fundamental na evolução do pensamento econômico defendia, entre outras, a idéia de que:

a)

O trabalho é a fonte da riqueza, baseando-se o valor na lei da oferta e da procura.

b)

A grandeza de um Estado exige a planificação e o dirigismo econômico.

c)

A riqueza deve basear-se, fundamentalmente, na exploração dos recursos da natureza.

d)

A socialização dos meios de produção e distribuição aumenta a eficiência da economia.

e)

A mais-valia, resultado da exploração do trabalhador, deve ser suprimida.

26

- (SANTA CASA - SP) As grandes revoluções (Revolução Americana, 1776; Revolução Francesa, 1789)

do século XVIII refletem, em parte, algumas idéias dos filósofos da Ilustração, podendo-se destacar entre outras a que:

a) Acentuou que o Estado não possui poder ilimitado, o qual nada mais é que a somatória do poder dos

membros da sociedade.

b) Procurou salientar que a sociedade industrial somente se desenvolverá a partir de minucioso planejamento

econômico.

c) Mostrou que, sem centralização e dependência dos poderes ao Executivo, não há paz social.

d) Visou defender a tese de que apenas a federalização política é compatível com -a democracia orgânica.

e) Apontou a necessidade de limitar a liberdade individual, para impedir que o seu excesso degenere em

anarquismo.

27 - (UFPR) O príncipe é, para sociedade que governa, o que a cabeça é para o corpo; deve ver, pensar,

agir por toda a comunidade, a fim de conseguir-lhe todas as vantagens

Estado, obrigado a agir com probidade, com sabedoria, totalmente desinteressado, como se a cada momento tivesse de prestar contas de sua administração. (Frederico II, Rei da Prússia).

É apenas o primeiro servidor do

Tais palavras expressam:

a) O Absolutismo.

b) O Maquiavelismo.

c) O Liberalismo.

d) O Despotismo esclarecido

e) A Democracia.

28 - (PUC-CAMP) Sabe-se que os filósofos iluministas, com suas idéias, abriram cominho para a Revolução Francesa. Estes pensadores, no geral,

a) pregavam a necessidade de uma explicação de caráter místico e espiritualista para a existência humana.

b) apesar de considerarem que as desigualdades, eram provocadas pela sociedade e que os homens eram iguais

perante a natureza, não conseguiram contribuir para que os privilégios existentes na sociedade francesa fossem abolidos.

c) Confundiam-se, em muitos casos, com os déspotas esclarecidos, como Frederico II, da Prússia e José II, da

Áustria.

d) destacavam-se por buscar uma explicação racional para todas as coisas, considerando também que as

desigualdades eram provocadas pela sociedade e que os homens ,eram iguais perante a natureza.

e)

eram contra os privilégios da nobreza, porém justificavam como necessários os privilégios vivenciados pelo

clero.

29 - (CESGRANRIO) Sobre as relações entre o Iluminismo e os déspotas esclarecidos podemos afirmar

que:

a)

Estes soberanos não concordavam com nenhuma das idéias defendidas pelos filósofos iluministas.

b)

Utilizaram integralmente todas as novas idéias defendidas pelos filósofos iluministas.

c)

Para modernizarem os seus Estados, utilizaram-se dos princípios iluministas que não eram incompatíveis

com o seu poder absoluto.

d) Usaram principalmente as idéias dos iluministas Maquiavel e Hobbes. Utilizaram-se exclusivamente das

idéias de Rousseau.

30 - .(UFG) O lluminismo como movimento intelectual do século XVIII, representou

a) As idéias revolucionarias da burguesia.

b) O renascer do pensamento clássico grego-romano.,

c)

A revolução ideológica da aristocracia.

d)

A expansão do pensamento religioso.

e)

O fortalecimento do estado absolutista.

31

- (FUVEST - 1997) Sobre o chamado despotismo esclarecido é correto afirmar que:

a)

foi um fenômeno comum a todas as monarquias européias, tendo por característica a utilização dos

princípios do lluminismo.

b) foram os déspotas esclarecidos os responsáveis pela sustentação e difusão das idéias iluministas elaboradas

pelos filósofos da época.

c) foi uma tentativa bem intencionada, embora fracassada, das monarquias européias reformarem

estruturalmente seus Estados.

d) Foram os burgueses europeus que convenceram os reis a adotarem o programa de modernização proposto

pelos filósofos iluministas.

e) foi uma tentativa, mais ou menos bem sucedida, de algumas monarquias de reformarem, sem alterá-las, as

estruturas vigentes.

32 - (FESP - 1997) A sociedade moderna construiu suas bases históricas buscando realizar projetos políticos que, até hoje, causam polêmicas. As idéias liberais representam uma visão política que permanece presente nos debates. Podemos destacar como importante pensador do liberalismo:

a)

Maquiavel;

b)

Locke;

c)

Fourier

d)

Petrarca;

e)

Hobbes.

33

- (FESP - 1997) Diderot foi uma figura de destaque no movimento iluminista e juntamente com

D’Alembert dirigiu a Enciclopédia - grande síntese do debate e das descobertas intelectuais da época. Eles defendiam idéias que assustavam os mais conservadores. Jean-Jacques Rousseau, por exemplo, chegou a afirmar que:

a) todos deviam ser iguais perante a lei, embora mantivessem sua admiração pela monarquia.

b) a sociedade corrompia os homens que tinham uma bondade original.

c) o Estado devia ser controlado por uma elite intelectual, lembrando a República de Platão.

d) o socialismo traria benefícios para todos.

e) a sociedade moderna devia se inspirar no modelo grego de cidadania, preservando os direitos da

aristocracia.

GABARITO:

1 – E / 2 – D / 3 – E / 4 – A / 5 – D / 6 – B / 7 – B / 8 – B / 9 – C / 10 – C / 11 – C / 12 – C / 13 – B / 14 – A / 15 – C / 16 – E / 17 – D / 18 – B / 19 – A / 20 – D / 21 – D / 22 – E / 23 – D / 24 – D / 25 – A / 26 – A / 27 – D / 28 – D / 29 – C / 30 – A / 31 – E / 32 – B / 33 – B