Sie sind auf Seite 1von 2

QUESTÕES CONTEMPORÂNEAS

VIOLÊNCIA NO BRASIL

1. Por que o controle burocrático de vida e morte da população é falho no Brasil?


2. É possível afirmar que o Brasil vive a apartheid social?
3. Relacione: aumento populacional, a necessidade subsistência e a violência.
4. Como a TV pode integrar este contexto de aumento de desigualdade e violência?
5. Por que o ensino público constituído é até hoje uma fantasia?
6. Relacione: a crise de mordia e o avanço da violência.

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES

1. Porque a mídia, que é a responsável pela distribuição destes dados, esconde


muitas mortes, pelo fato de estarem associadas ao crime, seja ele qual for, sendo
assim, reduz os números, mas não deixando de ver que esses ainda são
espantosos.
2. Sim, no Brasil, as pessoas ainda vivem esse apartheid social, muitos brasileiros,
que em sua maioria são pobres economicamente, são desprezados pela
população que possui mais recursos. O Estado, em vez de dar uma atenção
maior a essas pessoas que realmente necessitam de ajuda, tanto financeira,
quanto em relação à educação e saúde, prioriza seus próprios custos e como o
país é visto economicamente pelos outros lá fora.
3. O Brasil está cada vez maior populacionalmente falando, a população carente
parece que se multiplica cada vez mais rápido, enquanto aquelas que podem
sustentar seus filhos têm apenas um ou dois. Com esse aumento descontrolado
da população, há a necessidade de moradia à altura, e isso, fica em falta. Não
tendo aonde e como ir, se instalam em favelas, onde não precisa pagar aluguel,
água, luz. Sendo assim, fica muito exposta a violência, mas não é porque estão
em favelas que a violência será, assim, tão clara, é porque na favela quem não é
violento ou quem não se droga, estará sujeito a ser expulso, e viver vagando
pelas ruas sem ter onde dormir, pelo mandante local.
4. A televisão serve de pura ideologia, enfatiza o fato de favela SER violência, um
indivíduo carente, entra no mundo das drogas facilmente, pois não possui
estruturas que desencadeiam essa má vontade de querer sair do seu estado atual,
que não bom. A classe mandante observa a TV e vê que o pobre, é aquele sujo,
sem casa, analfabeto, drogado e violento, ou seja, o pobre é perigoso. A
televisão deveria mostrar o que leva essas pessoas a ficarem carentes, e quando
visto de um olhar crítico, é possível verificar que o governo não dá a devida
atenção aos necessitados, e que a mídia mostra ao contrário, concluindo que o
pobre suga tudo que lhe és dado, suga de quem tem, pois são ladrões e ainda
pedem mais.
5. Porque não ocorre do jeito que falam quando precisam ser eleitos, o ensino
público está cada vez pior, onde o salário dos professores é baixo, gerando assim
uma desmotivação, um não reconhecimento do trabalho feito por eles. Assim,
não tendo um professor apto a dar aulas, os alunos crescem sem “sede” de
conhecimento. Um adulto que não teve bons professores, automaticamente
cresce sem inteligência, e poderá ser influenciado pela famosa ideologia
audiovisual. O ensino público tem muitos outros fatores que o levam o ser ruim,
o fato de a merenda ser de baixa qualidade, a estrutura dos funcionários não
serem exemplares e não ter dentro da escola, uma pessoa que imponha regras
nas crianças, fazendo com que elas aprendam a serem sociáveis curiosas ao
ponto de correr atrás do conhecimento, caso ele não vá até eles, e mostrar que o
mundo é cruel.
6. Indivíduos que vivem nas favelas, ou mesmo em bairros civilizados, possuem
um alto índice de violência. Por não terem uma qualificação á altura do mercado
vigente, fica mais fácil traficar ou roubar, pois sabem que isso dá muito lucro e
não é um emprego formal. Sendo assim, acabam criando respeito entre as
pessoas deste meio e, claro, o sustento de sua família.