Sie sind auf Seite 1von 13

APERFEIÇOANDO A SAÚDE

DIGESTIVA(PROBIÓTICOS)
Artigo retirado da Revista Life Extension(www.lef.org)
Edição do mês de Janeiro/2009
Escrito por Lane Lenard, PH.D.

- Ochmanski W, Barabasz W. Probiotics and their therapeutic


properties. Przegl Lek. 1999;56(3):211-5.
- Doron SI, Hibberd PL, Gorbach SL. Probiotics for prevention
of antibiotic-associated diarrhea. J Clin Gastroenterol. 2008

Traduzido pelo Nutricionista Reinaldo José Ferreira –


CRN 6141
reinaldonutri@gmail.com

Algumas das complicações de saúde que prejudicam o


envelhecimento incluem a baixa imunidade e as deficiências
nutricionais, tendo como causa um fator muito importante e
fundamental: uma pobre saúde digestiva.
Uma causa comum de uma saúde digestiva prejudicada é o
declínio das enzimas digestivas relacionados com o avanço da
idade.

Na necessidade de extrair nutrientes essenciais do alimento


que ingerimos; sem estas enzimas cruciais, o alimento passa
pelo trato gastrintestinal sem que seus componentes
benéficos sejam absorvidos. O resultado é um estado
nutricional pobre que pode contribuir para numerosos
processos de doença.
A saúde digestiva pode ser ainda mais prejudicada por um
desequilíbrio entre as bactérias benéficas e as patogênicas na
área gastrintestinal que pode causar sintomas como gases e
inchaço, como também uma pobre utilização de nutrientes.

Felizmente, suplementos de enzima avançados, juntamente


com probióticos especialmente revestidos, podem ajudar

1
restabelecer o equilíbrio ao sistema digestivo, permitindo uma
ótima utilização dos preciosos nutrientes. Os benefícios de
um sistema gastrintestinal saudável incluem conforto
digestivo, saúde imunológica aprimorada, e diminuição da
inflamação.

 DECLÍNIO DIGESTIVO RELACIONADO COM A


IDADE:

Embora você possa estar consumindo a dieta mais saudável,


mais fresca, mais rica em nutriente possível, você ainda pode
estar cronicamente doente e ainda com doenças relacionadas
à desnutrição. Como isto pode ser possível?
Poderia acontecer se seu sistema digestivo estiver
funcionando menos que otimamente, e isto está se tornado
uma ocorrência crescente
e comum entre as pessoas mais velhas.
Uma das deficiências digestivas mais freqüentes relacionadas
com a idade é o declínio das enzimas digestivas, incluindo a
pepsina (liberada por células do epitélio do estômago), junto
com a protease, a amilase, e a lipase que é secretada pelo
pâncreas em resposta a ingestão de alimentos.

O sistema gastrintestinal (GI) jovem e saudável usa estas


enzimas para quebrar (digerir) o alimento ingerido em
peptídeos, aminoácidos, ácidos graxos e outros nutrientes
vitais que o corpo pode facilmente processar e distribuir. Além
disso, bactérias amigas que habitam a área gastrintestinal
inferior (abaixo do estômago), são essenciais para função de
um intestino saudável como também para a absorção e
produção de vitaminas.
Com o avanço da idade estes microorganismos probióticos,
(bactérias benéficas que ajudam a prevenir doenças) podem
ser expulsos de nosso sistema digestivo por microorganismos
patogênicos oportunistas que não têm nenhuma função
digestiva e podem liberar endotoxinas perigosas na
circulação.

2
Como as enzimas e os microorganismos probióticos saudáveis
diminuem com a idade, alguns alimentos podem não ser
completamente digeridos, e desta forma gerar sintomas como
gases, inchaço, condições inflamatórias, e até mesmo várias
formas de deficiência de vitaminas e subnutrição. Estes
eventos podem contribuir a um ciclo vicioso, enfraquecendo o
sistema imune e aumentando a ocorrência de doenças,
especialmente com o envelhecimento.

Felizmente, formulações de suplementos com enzimas


avançadas estão disponíveis e podem compensar as
deficiências relacionadas com a idade. Além de enzimas
digestivas, suplementos que contêm uma outra linhagem de
bactérias probióticas, especialmente o Bacilo Coagulans; este
mostrou ser significativamente superior aos probióticos
comuns (como esses achados no iogurte e outros probióticos
tradicionais). Considerando que só uma porcentagem
pequena das bactérias probióticas do iogurte sobrevivem ao
ambiente fortemente ácido do estômago, a maioria do B.
coagulans sobrevive para colonizar o intestino.
E isso é só o começo dos benefícios deste notável
microorganismo. Quando tomado com as refeições, estas
formulações de suplemento aumentam a saúde digestiva,
enquanto ajudam a manter a saúde gástrica e evitar a
desnutrição, protegendo contra doenças relacionadas com
uma digestão pobre.

 POR DENTRO E POR FORA DA DIGESTÃO:

A Digestão é um processo altamente complexo e bem


coordenado. O corpo quebra o alimento ingerido por ações
mecânicas e químicas, de forma que a energia e os nutrientes
acumulados no alimento podem ser extraídos, absorvidos na
circulação sangüínea e distribuídos por todas as células do
corpo para as miríades de processos envolvidos para nos
manter vivos.
A Mastigação é o inicio do processo digestivo, quebra o
alimento mecanicamente em pedaços pequenos, que
facilitam ato de engolir e o começo da digestão.

3
Simultaneamente, glândulas em nossa boca segregam saliva
que umedece a comida (facilitando o ato de engolir)
e além disso temos a enzima amilase que começa a hidrólise
(quebra) do carboidrato e a lipase que começa a quebra das
gorduras.

Depois da deglutição, a comida viaja pelo esôfago e no


estômago onde é agitada em uma mistura com o potente
ácido gástrico e a pepsina que degradam as proteínas em
peptídeos. O resultado desta mistura é uma pasta líquida
conhecida como "quimo", que sai do estômago e entra no
duodeno, estimula a secreção do hormônio secretina que em
troca, sinaliza o pâncreas para liberar tripsina, quimotripsina e
pancreatina, uma mistura de várias enzimas, inclusive
proteases, amilase e lipase, que fazem papéis importantes na
extração dos nutrientes e para a completa digestão das
proteínas, carboidratos e gorduras.

O estômago secreta também um composto chamado “fator


intrínseco” que viaja pelo intestino delgado e eventualmente
habilita a absorção de vitamina B12.
A Bílis, produzida pelo fígado e armazenada na Vesícula biliar,
é liberada em resposta à presença de gorduras no alimento
ingerido. Ela ajuda a emulsificar as gorduras, a bílis torna a
gordura mais suscetível à ação das enzimas, facilitando a
absorção das vitaminas solúveis em gordura, incluindo as
vitaminas A, D, E e K.

 SUPERANDO OS DÉFICITS DE ENZIMAS


DIGESTIVAS:
As enzimas digestivas são de vital importância e muitos
idosos não possuem as quantias adequadas para hidrolisar
eficazmente o alimento ingerido. Como relatado
anteriormente, a quantia de enzimas produzida pelo
estômago, pâncreas, e intestino delgado tende a diminuir
quando as pessoas envelhecem.

ENZIMAS DIGESTIVAS E SUAS FUNÇÕES:

4
Pepsina -
Secretada pelas células do epitélio estomacal; em
combinação com o ácido do estômago, ajuda a realizar a
quebra das proteínas em peptídeos no estômago.

Tripsina -
Originada no pâncreas e no epitélio intestinal, a tripsina é
secretada no duodeno (porção superior do intestino delgado),
aonde os peptídeos formados no estômago são quebrados em
aminoácidos.

Quimotripsina -
É uma enzima digestiva que se origina no pâncreas e no
epitélio intestinal, é ativada pela ação da tripsina e também
ajuda na digestão das proteínas.
As Proteases secretadas pelo pâncreas, também facilitam o
quebra das proteínas em aminoácidos.

Amilase -
Presentes na saliva e também secretadas pelo pâncreas,
quebram as moléculas maiores de carboidratos em moléculas
menores.

Lipase -
Presentes na saliva e também secretadas pelo pâncreas,
facilitam a quebra dos lipídios (gorduras) em ácidos graxos.
A Lactase secretada pelas células que revestem o intestino
delgado, ajuda a quebrar a lactose (açúcar de leite).
Os suplementos de papaína (enzima do mamão), ajudam na
digestão proteínas.
A celulase produzida por bactérias amigas no intestino, ajuda
na quebra da celulose e outros constituintes das plantas.

Outra fonte de enzimas digestivas naturais são as frutas cruas


e legumes, mas a maioria das pessoas não consome quantias
suficientes destes alimentos importantes, ou inativa suas
enzimas através do

5
cozimento. Isto resulta num déficit de vitaminas, minerais e
de elementos traço e pode afetar a função do sistema imune
e a saúde de um modo geral.
Um recente estudo francês, por exemplo, encontrou uma alta
deficiência de vitaminas, minerais, e ômega-3 em pessoas
idosas com 70 anos ou mais. Particularmente comum nesta
população é uma deficiência da vitamina B12, um nutriente
que é essencial para o cérebro e para uma função normal do
sistema nervoso, e para a
formação de sangue, entre outras funções.
Dada as conseqüências devastadoras de uma nutrição
deficiente em adultos idosos, aperfeiçoar a saúde digestiva é
essencial.

Para alcançar esse objetivo, muitos médicos recomendam


usar suplementos com enzimas digestivas para compensar as
deficiências das enzimas naturais. Enzimas de alta qualidade,
tomadas oralmente com as refeições foram bastante efetivas
na melhora da digestão.
Em um estudo duplamente cego, por exemplo, onde 18
indivíduos saudáveis fizeram o uso de um suplemento com
enzimas pancreáticas ou cápsulas com placebo depois de
ingerir uma refeição rica em calorias e rica em gordura.

Foram registrados sintomas durante as 15 e 17 horas


seguintes. Os pesquisadores perceberam que as pessoas que
usaram as enzimas pancreáticas, tiveram o inchaço, os gases
e a sensação de plenitude, significativamente reduzidas e
sugeriu que as enzimas também poderiam ser úteis em
pessoas com síndrome do intestino irritável.
Outros estudos sugeriram que suplementos de enzima
pudessem ter atividade imunomodulatória e poderiam ser
úteis na prevenção
ou tratamento de doenças auto-imunes, como artrite
reumática, lupus eritematoso e glomérulo nefrite (uma forma
de doença renal).
As enzimas podem beneficiar estas condições reduzindo a
inflamação e os complexos imunes que danificam os tecidos.

6
 BENEFÍCIOS DOS PROBIÓTICOS:

Como a idade, o sistema digestivo das pessoas fica menos


eficiente, em parte devido a um declínio das enzimas
digestivas e dos
microorganismos probióticos benéficos. Como resultado, a
digestão do alimento será incompleta, acarretando sintomas
como gases, inchaço,
condições inflamatórias, deficiências de vitaminas e
desnutrição.
O declínio relacionado com a idade afeta as enzimas
produzidas pelo estômago, pâncreas e intestinos, podendo
conduzir a déficits nas vitaminas, minerais e elementos traços
que podem afetar o sistema imune que irá prejudicar a saúde
de um modo geral.

A ingestão de um suplemento com enzimas de alta qualidade,


junto com as refeições, mostrou ser bastante efetivo evitando
estes déficits e otimizando a nutrição.
Naturalmente ocorrem bactérias no intestino, como
Lactobacillus e a Bifidobacteria, elas aumentam a função da
barreira intestinal;
competem e suprimem bactérias patogênicas, fermentos,
fungos e vírus; e ainda modulam e estimulam a atividade do
sistema imune.
Nossa saúde depende em uma grande extensão em manter
um equilíbrio a favor de microorganismos amigos no intestino,
porque
eles melhoram saúde digestiva, fortalecem o sistema imune e
restauram o equilíbrio saudável da flora bacteriana após o uso
de antibióticos.

O Bacilo produtor de Esporo chamado Coagulans é um


probiótico sem igual e que se mostra superior a outros
probióticos, porque sobrevive no ambiente gástrico;
colonizando os intestinos e produzindo ácido láctico.
De acordo com pesquisas atuais o Bacilo Coagulans é muito
eficaz para fortalecer a imunidade e evitar condições como

7
hiperlipidemia, síndrome do intestino irritável, doença de
Crohn, osteoartrite e artrite reumática.
Além de várias enzimas digestivas, ácidos estomacais, bílis e
outros agentes incontáveis, um saudável sistema digestivo
depende da presença de bilhões de bactérias, conhecida em
geral como Flora Gastrintestinal, que vivem e trabalham
principalmente nos intestinos. Alguns destes microorganismos
são amigáveis, enquanto
outros são potencialmente prejudiciais. As bactérias amigas
mais importantes incluem o Lactobacillus e a Bifidobacteria.

Entre as várias funções dos probióticos, podemos citar a de


fortalecer a barreira intestinal; competir e suprimir bactérias
patogênicas (incluindo a Salmonela), fermentos, fungos, vírus;
e modula e estimula o sistema imune.
Nossa saúde depende de manter um equilíbrio a favor dos
organismos amigáveis, que também são conhecidos como
probióticos. O envelhecimento, a exposição a antibióticos e
outras drogas, dieta pobre, tensão, viagens e outros fatores
podem romper o equilíbrio saudável normal, diminuindo os
níveis das bactérias benéficas.
Mulheres idosas são especialmente vulneráveis a estes tipos
de problemas intestinais, especialmente se elas usaram
pílulas anticoncepcionais orais.

Por muito tempo se sabe que o consumo de organismos


probióticos vivos, ou em alimentos, como iogurte, ou em
cápsulas de suplemento pode ajudar a restabelecer o
equilíbrio normal do trato gastrintestinal. Tais suplementos
probióticos servem para reduzir o risco de doenças
através de três mecanismos principais:
- Melhorando a saúde digestiva
- Fortalecendo o sistema imune
- Restaurando bactérias saudáveis após o uso de
antibiótico.
Muitos estudos com probióticos demonstraram sua
efetividade na prevenção e controle de desordens
gastrintestinais comuns, como

8
diarréia, o uso de antibióticos associado a úlceras, síndrome
do intestino irritável e câncer de cólon.

 POR QUE A MAIORIA DOS PROBIÓTICOS NÃO


FUNCIONAM:

Enquanto os probióticos são essenciais para uma saúde


otimizada; usufruir dos seus benefícios em produtos
disponíveis no mercado pode ser um desafio técnico. A razão
é que muitos dos organismos vivos supostamente presentes
nestes produtos não conseguem sobreviver
as altas temperaturas e pressão comuns aos processos de
fabricação. E ainda, muito freqüentemente as células que
sobrevivem, morrem depressa enquanto expostas na
prateleira do supermercado; ou eles não podem sobreviver à
exposição à acidez do estômago ou a bílis no intestino, de
forma que estes microorganismos, não conseguem seguir em
frente e colonizar o cólon.
Várias pesquisas atuais sugestionam uma variedade de
papéis promissores ao Bacilo Coagulans para a manutenção
da saúde humana.
- Síndrome de Intestino Irritável:
Em um estudo de oito semanas, indivíduos com síndrome de
intestino irritável que suplementaram com probióticos
contendo o Bacilo Coagulans tiveram uma melhora
significante na dor abdominal e no inchaço, considerando que
os pacientes que usaram placebo não experimentou estes
benefícios notáveis.
- Doença de Crohn: Indivíduos com doença de Crohn que
usaram uma preparação de probióticos com o Bacilo
Coagulans tiveram uma
maior diminuição no Índice de Atividade da Doença de Chron
(CDAI, uma escala que avalia a atividade da doença).
Grandiosamente, quatro dos cinco indivíduos no grupo dos
probióticos puderam deixar de tomar medicamentos para
diarréia, comparados com somente um, dos seis pacientes no
grupo placebo.
- Imunidade contra a Gripe (Influenza): Um estudo
clínico de 30 dias em adultos saudáveis, demonstrou que, o

9
uso do complemento com Bacilo Coagulans produziram um
aumento significante na resposta imune para o adenovirus e a
para a influenza.
- Artrite: Dois estudos com duração de 60 dias em pacientes
com artrite, um para osteoartrite e outro para artrite
reumática, mostrou uma diminuição da inflamação (medida
pela redução da proteína C-reativa), menos dor e maior
mobilidade no grupo que suplementou com o Bacilo
Coagulans, quando comparado com o grupo placebo.
Uma formulação de probióticos avançada que contenha
grupos das bactérias Bacilo coagulans oferece uma
maximização dos benefícios do suplemento probiótico.

Estes microorganismos são cercados por uma proteção (como


uma blindagem natural), que os ajuda a sobreviver ao calor, a
pressão e aos ácidos da digestão, assim eles têm uma melhor
chance de chegarem vivos nos intestinos onde eles vão
realizar o seu trabalho. Isto mostra que o Bacilo coagulans
possui uma vantagem terapêutica significante em cima dos
probióticos convencionais. O Bacilo coagulans
é infinitamente superior quando comparado com probióticos
tradicionais por três razões importantes: capacidade de
sobrevivência, colonização e produção de ácido láctico.

Capacidade de sobrevivência: Bactérias Probióticas que


estão mortas quando chegam no intestino são inúteis,
independentemente de sua quantidade.
O Bacilo coagulans não só sobrevive a exposição aos ácidos e
a bílis
no intestino, mas também chega nesta área em grandes
quantidades.

Colonização: Até mesmo se as bactérias probióticas


convencionais conseguissem chegar vivas, sobrevivendo à
acidez gástrica, a
maioria não iria colonizar o intestino. Ao contrário o Bacilo
coagulans é um colonizador prolífico (fértil). Imediatamente
na sua chegada, as células do Bacilo coagulans começam a se
multiplicar e colonizar a área intestinal.

10
Produção de ácido láctico: Os Lactobacillus e a Bifido-
bactéria são em parte benéficas por sua habilidade em
produzir ácido láctico. Dados
epidemiológicos e estudos experimentais indicam que a
ingestão destas bactérias pode ajudar a prevenir condições
crônicas, como
doença cardiovascular e câncer. Comparando com este
probióticos convencionais, os cientistas acreditam que o
Bacilo coagulans,
que produz a forma preferida de ácido láctico, (tecnicamente
chamado de isômero óptico L+), é bem mais efetivo no apoio
aos sistemas digestivo e imune.

 FORMAÇÃO DE ESPOROS: POR QUE O


BACILO COAGULANS É BEM MAIS EFETIVO?

Uma razão importante para a superioridade do Bacilo


coagulans é sua habilidade para produzir esporos. Bactérias
formadoras de esporos são
algo como sementes de plantas. Quando estão sozinhas, as
sementes estão vivas mas dormindo, mas não estão mortas.
Elas permanecem dentro de uma proteção, em um estado de
prontidão. Porém, assim que elas encontram um ambiente
com a temperatura e umidade certas, elas começam a
germinar ou crescer.
Bactérias formadoras de esporos como o Bacilo coagulans,
trabalham de um modo bem parecido. No estômago, os
esporos são ativados pelo baixo pH, movimentos mecânicos e
umidade. Eles absorvem água e começam a inchar, o que
aumenta a taxa metabólica da bactéria. Como as bactérias
atravessam o duodeno e no intestino delgado, protuberâncias
começam a protrair (por para fora), da proteção dos esporos e
as células começam a germinar e se transformar em células
ativas. A proliferação começa dentro do intestino delgado,
onde as
bactérias se multiplicam rapidamente, ganham mobilidade
porque desenvolvem flagelos e começam a colonizar e

11
trabalhar, produzindo ácido láctico, o qual inibe o crescimento
de patógenos prejudicias e ajudam na digestão do alimento.

A Germinação normalmente começa aproximadamente quatro


horas depois da ingestão.
Bactérias tipicamente formadoras de esporos, são algo para
se evitar a todo o custo. Por exemplo, o Clostridium botulinum
(o microorganismo que causa o botulismo), pode causar
intoxicação gastrintestinal e morte. Mas em vez de prejudicar
a saúde, selecionar bactérias que promovem a formação de
esporos como o Bacilo coagulans pode ser uma importante
vantagem para uma rápida inoculação da área GI, através de
uma flora intestinal saudável.
Em um estudo clínico publicado; adultos com hiperlipidemia
que suplementaram com o Bacilo coagulans por três meses,
experimentaram reduções no colesterol total e na lipoproteina
de baixa densidade (LDL), juntamente com aumentos na
lipoproteína benéfica
de alta densidade (HDL); este achado promissor sugere que o
Bacilo coagulans também podem ajudar a promover perfis
lipídicos saudáveis.
Recentemente, o Bacilo coagulans foi recomendado por
Mehmet Oz, MD e Michael Roizen, MD, em seu livro YOU: The
Owner’s Manual.
Oz e Roizen ressaltam a importância das bactérias benéficas
para o intestino para manter a saúde digestiva e do sistema
imune. O probiótico da escolha deles: uma dose diária de 2
bilhões de células de Bacilo coagulans (a quantia típica de
uma cápsula).

 RESUMO:
A saúde do intestino vai muito além de irregularidades
intestinais, gases, inchaços estomacais e outras sensações
incômodas. Uma saúde gastrintestinal prejudicada, pode
arruinar sua qualidade de vida, comprometer seu sistema
imune, seus órgãos de desintoxicação (como o fígado), e
apressar as desordens relacionadas ao envelhecimento.
Quando tomado oralmente antes de uma refeição, as enzimas
digestivas suplementares de alta qualidade podem

12
impulsionar a habilidade natural do corpo para digerir o
alimento em seus componentes nutritivos.

Quando consumida entre refeições, as enzimas digestivas


podem ajudar a evitar os processos inflamatórios ao longo do
corpo, ajudando a assegurar uma boa saúde.
Além disso, usando probióticos, como o Bacilo coagulans,
você ajuda a apressar a inoculação da flora intestinal,
mantendo a saúde do intestino. Esta combinação oferece
um método inovador para alcançar o equilíbrio
gastrintestinal, resultando numa melhor saúde e
qualidade de vida.

13