Sie sind auf Seite 1von 10

JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO DE 2011 ANO XXVIII Nº 103

NOVA PRESENÇA EM ARACAJU


FRATERNIDADE SÃO COSME E SÃO DAMIÃO

NESTA EDIÇÃO: ASSEMBLEIA PROVINCIAL 02 - CURSO PARA FORMADORES 04 - PROFISSÃO DA IRMÃ EUSTÓQUIA 05 -
EXPERIÊNCIA MISSIONÁRIA NA AMAZÔNIA 06 - SITE DAS IRMÃS CLARISSAS CAPUCHINHAS 07 – NOVA FRATERNIDADE
EM ARACAJU 08 E 09 – E MUITO MAIS...
JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO ................................................................................................................. 02
ASSEMBLÉIA PROVINCIAL 2011
GESTÃO, AUDITORIA E MISSÃO
Exórdio: É preciso sempre reacender a chama do Carisma
e estar com os olhos fixos em Jesus...
Este foi o tema norteador da Assembleia dos Frades
Capuchinhos deslanchada no período de 14 a 17 de fevereiro
deste ano, realizada no CTL – Centro de Treinamento de
Líderes situado em Itapuã na cidade de São Salvador da Bahia.
Contando com dois expoentes com interpretações pós-
modernas: Dra. Ir. Maria Tereza Diniz juntamente com a Ir.
Luzia e o Auditor Ivan Roberto Pinto. Sabe-se que as
Instituições devem estar em consonância com as leis vigentes
das Constituições Federais. O Jurídico, com a sua identidade
própria, deve caminhar em harmonia com a Lei Civil.

A Província é um espaço de Jurisdição... O momento é


bom, oportuno, de mudança e reordenamento da nossa
identidade.
Irmã Dra. Maria Tereza Diniz contextualizou o hodierno e
recordou a fala do Provincial na abertura da Assembleia “É tempo de
mudança”. Assim, as Normas Diretivas da Província de Nossa Senhora da
Piedade, demandaram muito estudo para atualizá-las, desta maneira, os
frades em Assembleia aprovaram-na. Consta nas normas, propriamente
dita, que a Diretoria tem a sua representatividade, um serviço, enfim,
uma mística a cumprir. A Província é um espaço de Jurisdição do
Provincial e é regido Canonicamente. Delineado o espaço físico nota-se a
presença de uma identidade e de uma autoridade. Define-se como uma
Organização religiosa. Enfatiza-se que o momento é bom, oportuno, de
mudança e de reordenamento da nossa identidade.

“Estamos num Estado Descentralizado, Participativo e


Democrático...”. (Ir. Mª Tereza Diniz.)
A Irmã Luzia de forma enfática traz elementos preciosos: “quando se fala
que temos muitos bens materiais, ou posses e assim incutimos e
acreditamos, sabemos da responsabilidade que isto custa vivenciar
diante de um processo civilizatório que a Sociedade vigente tem exigido”. Visto
que, sob pena de nulidade e advertência, não se brinca de Instituição, tem que se
observar a responsabilidade dos dirigentes, ante uma atualização no tempo e no
espaço. A Assembleia tem os membros que pertencem a mesma, mas não são
associados, visto que se está num Estado descentralizado, Participativo e
Democrático.

A Assembleia é um momento de graça, espaço de reflexão da pessoa


Jurídica.
A cultura para descentralização é muito difícil, bem como criar políticas públicas
para Pessoa Jurídica. Não se pode privar a presença da vida consagrada e sua
missão. A Assembleia é um momento de graça, espaço de reflexão da pessoa
jurídica. A Entidade Certificada; a natureza é filantrópica, beneficente, não precisa
de título. Entidades de fins mútuos criadas por leis, Estado e democracia social.
Entidade pública não estatal, não governamental, sem fins lucrativos, tudo é da
pessoa Jurídica. (Sr. Ivan Pinto –Auditor).

[...] a prestação de serviços é a face jurídica aqui no Brasil.


Os princípios da Constituição Federal e a prestação de serviços é a face jurídica
aqui no Brasil. Tem finalidades definidas da erradicalização da pobreza,
marginalização e liberdade civil. Agora é que acontece o reconhecimento dos direitos do cidadão e garantia social. Cidadão em
fase de risco e vulnerabilidade, direitos humanos, mudança de linguagem. Descentralização, capacitação, politização e sociedade
civil- com relação à cidadania e responsabilidade social.
JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO ................................................................................................................. 03
II MOMENTO DA ASSEMBLÉIA 1
Proposta
A Propo sta do Ministro Geral Frei Mauro Jö Jöhri:
hri:
Reciclar e se atualizar sempre é essencial à vida...

O frei Florêncio Pecorari, Definidor para a Formação, falou sobre a Carta do


Ministro Geral Mauro Jöhri, que aborda aspectos concernentes à Formação
Permanente em duas partes: na primeira: fundamenta os motivos em se formar,
se atualizar continuamente; a segunda, retrata acerca das modalidades, o quê e
como vamos fazer essa constante formação?

Servir é doar-se em constante renovação...


O Ministro Geral dos Frades Capuchinhos, Frei Mauro Jöhri escreve aos seus
confrades, uma Carta, na qual atualiza e incentiva a dimensão Formativa, assim,
assinala que: “A nossa vida de frades capuchinhos encontra seu sentido mais
profundo e pleno quando é uma vida doada. Sublinho desde já, que a minha
meta é a de favorecer em primeiro lugar, a participação daquilo que é proposto
nas Circunscrições como Formação Permanente e solicitar, onde for preciso, a
sua renovação e aperfeiçoamento.”

Cedo ou tarde é preciso lançar-se com todo o empenho, num


projeto de vasta dimensão... servindo.
Assevera, ainda, que: “Para quem terminou a formação inicial e específica é
óbvio que deve poder passar para uma fase em que lhe seja dada a
possibilidade de realizar projetos, de se empenhar a fundo e de se sentir vivo
através da atividade. Deve poder pôr em prática aquilo que aprendeu. Sentindo a exigência de mergulhar na atividade e se caso isso não lhe
seja concedido, sentir-se como que tolhido de algo vital e que lhe pertence. Com o passar do tempo, a pessoa sentirá a exigência interior de
passar desta fase de múltiplas atividades, para uma escolha voltada para ações particularmente significativas. Toma lugar o desejo de pôr a
própria vida a serviço de uma causa que tenha sentido e para a qual valha a pena empenhar-se com todas as suas forças. É o momento dos
grandes projetos, quando se está disposto a se doar profundamente a uma causa”.

A boa relação nasce de uma frutuosa convivência dialógica e fraterna...


A vida fraterna nos coloca em condição de trabalhar sobre nós mesmos e isto nos torna normalmente mais compreensivos e também mais
disponível em relação aos outros. Deste tipo de transformação lenta e progressiva poderão aproveitar todas as pessoas que se relacionam
conosco. Por isto, gosto de insistir para que ninguém se dispense do esforço de viver em comum. Justamente as Constituições (dos frades
Menores Capuchinhos) afirmam que a vida comum favorece muito a Formação Permanente. Isto nos ajuda a crescer num tipo de relação que
podemos dizer que realmente “liberta” e que é fruto, tanto da graça, como do empenho de cada um dos membros da fraternidade. Trabalhar
sobre si mesmos requer muito esforço, mas é uma condição indispensável para a vivência da vocação.

POR UMA EDUCAÇÃO DO CUIDADO!


A educação de maneira total é fundamental para transformar as mentalidades arcaicas e renovar estruturas caducas,
porém, é preciso retornar à palavra CUIDADO. Vejamos o exemplo de países que acreditaram e se tornaram expoentes
consideráveis no processo educativo. Chegamos a uma civilização? Muitos e decisivos problemas da humanidade nos dias de hoje –
desde a crise ecológica às guerras, do subdesenvolvimento de continentes inteiros à violação dos direitos humanos – possuem uma
dimensão planetária. Mas, a política corrente e as éticas tradicionais se revelaram cronicamente incapazes de encarar essas
emergências, favorecendo, assim, a proliferação de particularismos éticos e de fundamentalismos. Uma reviravolta no modo de
pensar e agir se faz necessário. Precisamos de uma nova ética, um novo modo de fazer as coisas acontecerem de forma que não
destruamos O PLANETA e o que está ao nosso redor. Refiro-me a uma ética que não substitua a pluralidade de culturas e das
diferentes crenças, uma ética que direcione as escolhas e os comportamentos políticos, governamentais e populares.

Quem dera Senhor da Vida, que nós, humanos, humanizantes e humanizadores, pudéssemos deixar para a futura geração,
um pouco de água límpida, pura e saborosa; quem dera, eles soubessem que o verde enche os olhos, permite boa respiração e ar
puro. É preciso dizer o que já sabemos? Plantar é um imperativo de luxo, ou é uma necessidade básica? Quanto calor! Quantas
chuvas desordenadas! Tsunamis. Salvem os golfinhos, baleias, peixes, algas, nascentes, vales e montanhas – quiçá um dia, os
ouviremos somente em músicas, danças e crenças populares – afinal tudo parece ser uma fábula, que nem criança se convence
mais. Se tudo isso parece um sonho, eu preciso continuar sonhando... é a Esperança que nos indica que é preciso acreditar para
realizar o que queremos fazer e ser. Não esqueçamos de que o futuro ainda depende de nós. (frei Erivan Araujo).

1
Textos das páginas 2 e 3 produzidos pelo Atuário da Assembleia, frei Erivan Araújo de Souza, Fraternidade Nossa Senhora
Auxiliadora, Jaguaquara-BA.
JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO .............................................................................................................................. 04
FORMAÇÃO
ENCONTRO PARA ANIMADORES VOCACIONAIS
Entre os dias 18 e 20 de fevereiro de 2011, aconteceu na cidade de Caruaru-PE, o Encontro para Animadores Vocacionais, que teve como tema:
“A animação Vocacional frente aos desafios da Juventude”, e foi assessorado por Frei Marconi Lins, Ministro Provincial dos Frades Menores, da
Província Franciscana de Santo Antonio do Brasil.

Os objetivos do encontro foram:


Oferecer ao animador vocacional uma ajuda para melhor dinamizar o trabalho com os jovens; Coletar dados que venham favorecer um melhor
acompanhamento dos vocacionados; Conhecer e refletir os desafios da juventude hoje e, diante dos desafios, encontrar e apresentar Francisco
de Assis e o nosso carisma como uma proposta que aponte para Jesus Cristo; Chegar a uma nova compreensão sobre o chamado vocacional que
valorize a vida do jovem em primeiro lugar; Exercitar a escuta e valorizar os anseios do jovem, numa tentativa de perceber o novo que emerge,
trazendo vigor à vida religiosa.

Estiveram presentes 12 animadores da PRONEB, Frei Gilton e Frei Marcos do Couto da PROBASE. No dia 20 (domingo), foi celebrado entre os
irmãos, o aniversário do Frei Gilton. O agradecimento da Província da Bahia e Sergipe à Província do Nordeste pelo convite e pela acolhida
fraterna dos nossos irmãos, e ao Frei Marconi OFM, pela partilha da sua experiência e sabedoria durante o encontro.

NOVICIADO
Já há mais de um terço do ano de noviciado, vivemos uma intensa preparação para a profissão simples. Citamos algumas das atividades: às
sextas-feiras o dia é reservado para retiro, um dia de silêncio e contemplação. Todo dia 30 de cada mês levantamos mais cedo e às 5h
participamos da caminhada de Frei Damião, com cânticos penitenciais, terço mariano, encerrando com missa e partilha do café da manhã.
Estamos bem amparados espiritualmente, direção espiritual e confissão, pelos Monges Beneditinos, na pessoa de Dom Mauro.

Em fevereiro, participamos em Maceió-AL, da admissão dos postulantes, depois fomos conhecer a famosa Barra de São Miguel. Também no
carnaval voltamos a Maceió para um retiro que foi assessorado pelo Frei Roberto Fernandes. Estamos gratos a Deus pela experiência de um
noviciado interprovincial. Desejamos interiorizar os valores desta etapa de formação, para que, de um modo mais honesto, possamos viver bem
os conselhos evangélicos. (Noviços turma 2011).

CURSO PARA FORMADORES


A Conferência dos Capuchinhos do Brasil – CCB promoveu Curso de Formação para Formadores no período de 17 a 29/01/11, na Casa de Cursos
e Retiros São Leopoldo Mandic, da Província Nossa Senhora de Fátima - Brasil Central, localizada na cidade de Hidrolândia/GO,
aproximadamente a 30 Km da capital Goiânia. O encontro conta com a presença de 52 frades das 12 circunscrições brasileiras. Estão
participando da nossa Província Frei Hélio Silva, Frei Florêncio Pecorari, Frei Pedro Cassimiro, Frei Ednalro Sales e Frei Roberto Fernandes.

PROPOSIÇÕES DO CURSO DE FORMAÇÃO DE FORMADORES


Nós participantes do Curso de Formação de Formadores (Schola Fratrum), promovido pela Conferência dos Capuchinhos do Brasil (CCB), de 17 a
29 de janeiro de 2011, em Hidrolândia (GO), tendo como objetivo geral: “construir um saber teórico prático sobre o processo formativo cuja
ação inicie e insira os formandos nos valores da identidade franciscano-capuchinha”, apresentamos as seguintes proposições resultantes das
interpelações advindas das partilhas, estudos e vivências fraternas:

1. Repassar de forma propositiva os conteúdos da primeira etapa da Schola Fratrum com todos os formadores e fraternidades formativas;
2. Retomar, nos capítulos locais das fraternidades formativas, a Carta do Ministro Geral Frei Mauro Jöhri, “Reacendamos a chama do nosso
carisma” referente à formação;
3. Criar condições favoráveis à vivência dos valores fundamentais da nossa forma de vida, inseridos na realidade pluricultural, tornando a
formação inicial uma verdadeira iniciação: fraternidade, minoridade, contemplação, renovação do carisma e proximidade com o pobre,
proporcionando aos formandos experiências de limites ou minoríticas tais como visitas aos hospitais, soropositivos, encarcerados, migrantes,
mendigos, meninos de rua etc., bem como, experiências de deserto (eremitério);
4. Utilizar uma pedagogia humana, cristã, franciscana e integral no processo de iniciação para a nossa vida;
5. Rever os itinerários de formação inicial em analogia com iniciação cristã em cada circunscrição;
6. Resgatar, no processo formativo, os símbolos, orações, cantos, práticas e festas dos Santos da Família Franciscana, que identificam nosso
carisma, em conformidade ao tempo litúrgico;
7. Iniciar as etapas formativas em datas marcantes mediante ritos, gestos e símbolos, especialmente os franciscanos;
8. Trabalhar na etapa do pós-noviciado, uma formação mais prática, vivenciada no dia-a-dia, iluminada pelas Constituições Capuchinhas e
Fontes Franciscanas, procurando não reduzir o pós-noviciado aos estudos acadêmicos;
9. Proporcionar aos formandos uma participação efetiva na OFS e JUFRA, em vista de uma integração e prática da mística franciscana;
10. Repensar a passagem da Formação Inicial para a Formação Permanente, tendo presente a formação especializada em conformidade com o
nosso carisma;
11. Proporcionar aos iniciadores (formadores) uma formação mistagógica na perspectiva de uma verdadeira reiniciação à mística Franciscano-
Capuchinha;
12. Dar particular atenção na constituição das fraternidades formativas, dada sua importância na formação inicial (carta do Ministro Geral,
Reacendamos a Chama do Carisma n.25);
13. Ver a possibilidade, junto a CCB, da elaboração de um subsídio orientativo com os conteúdos e bibliografia básica para ser usado em cada
etapa formativa, em vista de uma ação mais unificadora;
PONTO DE ENCONTRO ............................................................................................................................... 05
800 ANOS DA ORDEM DE SANTA CLARA
PROFISSÃO DA IRMÃ EUSTÓQUIA
“Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa
vocação a uma só esperança” (Efésios 4,4).

Em espírito de comunhão fraterna, no domingo dia 30 de janeiro de 2011 na


cidade de Feira de Santana-Bahia, na capela do seminário diocesano,
aconteceu a Celebração Eucarística, presidida por Dom Itamar Vian na qual a
Irmã Clarissa Maria Eustóquia, emitiu os votos temporários na Ordem de
Santa Clara.

Estiveram presentes, nosso Ministro Provincial, Frei Rubival Cabral Britto,


confrades que concelebraram e se alegraram juntos as irmãs Clarissas, do
Mosteiro da Imaculada Conceição Mãe de Deus, e diversas congregações
religiosas da cidade e povo de Deus ali presentes. As irmãs Clarissas, irão
celebrar em 2012 o Grande Jubileu quando se completa 8 séculos em que
Clara de Assis e as primeiras irmãs entraram na Ordem e receberam de
Francisco de Assis uma Forma Vivendi, que continha a inspiração fundamental
que definiu a Ordem das Irmãs Pobres.

CONHECENDO A REGRA DA ORDEM DE SANTA CLARA


1. A forma de vida da Ordem das irmãs Pobres que o Bem- aventurado Francisco instituiu é esta: Observar o Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo,
vivendo em obediência, sem nada de próprio, e em castidade.

2. Daquelas que querem aceitar essa vida como devem ser recebidas: Se alguma, por inspiração divina, vier a nós querendo abraçar esta vida... E se for idônea,
digam-lhe a palavra do Santo Evangelho: vá e venda todas as suas coisas em empenhe-se em distribuí-las aos pobres. Findo, então o ano da provação, seja
recebida à obediência, prometendo observa para sempre a vida e a forma da nossa pobreza.

3. Do Ofício Divino e do jejum, da confissão e da comunhão As irmãs... Façam o Ofício Divino segundo o costume dos Frades Menores... jejuem em todo o
tempo... Quanto às adolescentes, fracas e as que servem fora do mosteiro, sejam dispensadas, com misericórdia, como parecer à Abadessa... Confessem-se...
Devem cuidar de não inserir outras palavras senão as que pertencem à confissão e à salvação das almas. Para dar à comunhão às Irmãs sãs ou doentes seja lícito
ao capelão celebrar dentro do mosteiro.

4. Da eleição e do ofício da Abadessa, do Capítulo e das Oficiais e Discretas: Na eleição da Abadessa, as Irmãs estejam na obrigação de observar a forma canônica.
As mesmas, ainda, procurem com ligeireza, ter o Ministro Geral ou Provincial da Ordem dos Frades Menores... E, do mesmo modo, elejam-se ao menos oito
Irmãs, das mais discretas, de cujo conselho a Abadessa deverá sempre servir-se nas coisas que a forma da nossa vida requer.

5. Do silêncio, do locutório e das grades Desde a hora das Completas até a Terça, as Irmãs atenham-se ao silêncio, com exceção daqueles que servem fora do
mosteiro. Não seja permitido às Irmãs falar no locutório ou na grade sem a licença da Abadessa ou de sua Vigária... na enfermaria, por causa da recreação e
serviço das enfermas, sempre seja lícito às Irmãs falar discretamente.

6. Das promessas do Bem-aventurado Francisco e que as Irmãs não devem ter posses: Percebendo o bem-aventurado pai que não temíamos nenhuma pobreza,
trabalho, tribulação... Escreveu-nos uma forma de vida deste modo: “Porquanto, por inspiração divina, vos fizestes filhas e servas do altíssimo, Sumo Rei, Pai do
céu, e desposastes o Espírito Santo escolhendo viver segundo a perfeição do Santo Evangelho, quero e prometo por mim e por meus frades, ter sempre, por vós,
como por eles, cuidado diligente e solicitude especial...” assim as Abadessas que me sucederem no ofício e todas as Irmãs, sejam obrigadas a observá-la... A não
receber nem ter posse ou propriedade por si nem por alguma pessoa intermediária.

7. Do modo de trabalhar: As Irmãs, às quais o Senhor deu a graça de trabalhar após a Hora de Terça, trabalhem fiel e devotamente no trabalho honesto que
pertença à comum utilidade, de modo que, excluído o ócio, inimigo da alma não extingam o espírito da santa oração e devoção, ao qual devem servir todas as
coisas temporais.

8. Que as Irmãs de nada se apropriem, do pedir esmola e das Irmãs enfermas: As Irmãs de nada se apropriem... E, como peregrinas estrangeiras neste mundo,
servindo o Senhor na pobreza e humildade, mandem pedir esmolas com confiança, do que não convém se envergonhar o Senhor por nós, fez-se pobre neste
mundo... Acerca das irmãs enfermas, tanto em conselhos como em alimentos e outras coisas necessárias àquilo que delas requer a enfermidade, a Abadessa seja
firmemente obrigada a informar-se solicitamente e, de acordo com a possibilidade do lugar, providenciá-lo com caridade e misericórdia.

9. Da penitência a ser imposta às Irmãs que pecam e das Irmãs que servem fora do mosteiro: Se acontecer... Entre uma e outra Irmã, uma ocasião de perturbação
ou de escândalo seja por palavra ou gesto a causadora da perturbação ou do escândalo imediatamente, antes de oferecer o dom de sua oração diante do Senhor,
não só se prosterne humildemente aos pés da outra pedindo, mas, também, rogue com simplicidade que interceda ao Senhor por ela para que a perdoe. A
ofendida, porém, lembrando-se da palavra do Senhor: se não perdoardes, também vosso Pai do céu não vos perdoará, perdoe com liberalidade sua irmã por toda
injúria que tenha causado... As que prestam serviço externos... Devem andar de modo honesto, falar pouco, de forma que sempre possam edificar os que as
vêem.

10. Da admoestação e da correção das Irmãs: A Abadessa exorte e visite suas Irmãs, e, com humildade e caridade, corrija-as... As irmãs súditas, porém, recordem
que, por causa de Deus abnegaram as próprias vontades... Admoesto e exorto no Senhor Jesus Cristo que as Irmãs se guardem de toda soberba, vanglória, inveja,
avareza, cuidado e solicitude desde século, detração e murmuração, dissensão e divisão. Sejam, antes, solícitas em sempre conservar, umas com as outras, a
unidade da dileção mútua, que é o vínculo da perfeição.

11. Da Clausura que deve ser guardada: A porteira seja uma irmã madura nos costumes e discreta, e de idade conveniente... A porta seja muito bem fortificada...
Durante o dia não se deixa jamais sem guarda e seja fechada seguramente com uma chave... E não se abra de jeito nenhum a quem queira entrar, a não ser a
quem isso for concedido pelo Sumo Pontífice, ou pelo senhor nosso Cardeal.

12. Do Visitador, do Capelão e do Cardeal protetor: Nosso Visitador seja sempre da Ordem dos Frades Menores, Sempre tivemos também por compaixão da
referida Ordem dos Frades Menores, um Capelão. As Irmãs estão sempre na obrigação de ter como nosso protetor o Cardeal da santa Igreja de Roma.Sempre
súditas e submissas aos pés da mesma Santa Igreja, observemos para sempre a pobreza e humildade de Nosso Senhor Jesus Cristo e de sua Mãe e o Santo
Evangelho, que firmemente prometemos. Amém. (fonte: http://santaclara800anos.blogspot.com/).
PONTO DE ENCONTRO ............................................................................................................................... 06
INFORMANDO
NOTÍCIAS DE NÁPOLES
Após ter festejado os 25 anos de Ordenação Sacerdotal no dia 28 de julho de 2010, no mesmo dia comecei a organizar a viagem para a Itália. O
tempo ia passando, no dia 12 de outubro acompanhado pelo Ministro Provincial, frei Rubival, Frei Geraldo, e frei Gleizer, nos dirigimos ao
aeroporto de Salvador. Com o coração cheio de alegria, enfrentei a longa viagem de Salvador Nápoles, via Lisboa. Após 12 horas de vôo, no dia
13 às 22h30min hora italiana cheguei ao aeroporto de Nápoles onde um frade muito amigo estava, me esperando, naquele dia o termômetro
marcava 18 graus. Para mim foi um choque térmico aguentar aquele frio. Morei em Nápoles 20 dias para o organismo se aclimatizar a
temperatura mais rígida. Após ter morado 35 anos no Brasil, pela primeira vez fiz uma experiência interessante de ter suportado um frio tão
rigoroso. Voltando para minha cidade, a temperatura abaixou aos 4 graus negativos, de repente começou a nevar. Para mim foi um a grande
novidade de voltar a ver as árvores e as casas cobertas de branco, pareciam um Presépio vivente.

No dia 28 de Novembro fui celebrar na minha cidade natal, na Paróquia onde fui batizado, naquele dia a temperatura marcava 3 graus
negativos, mesmo assim o povo participou da celebração com muita alegria. No dia 23 de Janeiro fui celebrar a santa Missa em um povoado da
região, mais uma vez o tempo fechou e começou a cair neve. Não sabia o que devia fazer, voltar atrás ou continuar. A força de vontade me
ajudou a continuar a viagem, assim fui, cheguei no lugar, celebrei a santa Missa, e apesar as dificuldades, voltei para o convento com
tranquilidade.

São experiências bonitas, a vida parece que se renova cada vez mais quando nos lembramos do passado, vivendo presente e projetando o
futuro. Neste momento quero de coração aberto agradecer e bendizer ao bom e maravilhoso Deus por tantas coisas bonitas que realizou em
mim. O chamado de Deus me impulsionou para que eu pudesse procurar e seguir o Evangelho do seu Unigênito Filho Jesus Cristo, e colocá-lo
em prática para ser transmitido às pessoas de boa vontade. Um fraternal abraço a todos, Frei Giovanni Capone.

EXPERIÊNCIA MISSIONÁRIA NA AMAZÔNIA


Com o coração missionário em busca do bem amado, nós: Frei
Cristiano e Frei Giovanni Messias, chamados por Jesus Cristo, para
fazer uma experiência missionária na querida Amazônia entre 11 de
dezembro até 03 de fevereiro, onde conhecemos várias coisas. Pelas
águas do Rio Solimões, saímos de Manaus e fomos para a cidade de
Benjamim Constant e Atalaia do Norte, onde junto com os confrades
daquela fraternidade, sentimos as dificuldades e alegrias da missão.

Queremos agradecer a todos que conviveram conosco nesse período e


a Viprocam na pessoa do Frei Paolo Braghini (vice- Ministro
Provincial), aos confrades de Benjamim: Frei Paulo Xavier, Frei
Regisvaldo, Frei Marcos Antonio e ao Frei Smaley que nos acolheram
de braços abertos e fizeram com que nos sentíssemos como irmãos, na
paz e no bem. Não esquecendo nosso encontro com o irmão, frei
Ricardo que se encontra naquela boa e bela terra de missão, com o
frei João Paulo que chegou depois de nós para o curso para
missionários no amazonas.

Com muita alegria queremos agradecer a Província e esperamos que


apareça outra missão para o fortalecimento da caminhada. Que sejamos Discípulos Missionários servindo ao reino de Deus onde necessita de
nossa presença! Em Cristo e em Francisco, frei Cristiano (Pós-noviço).

CURSO DE ESPIRITUALIDADE mais sua caminhada. Neste mesmo dia, a fraternidade


acolheu os novos membros da fraternidade: Frei Jirlan, Frei
FRANCISCANA 2011
José Junior, Frei Hidemário e Frei Cícero. Em Francisco e
Realizou-se na cidade de São Pedro/SP, no período de 3 a
23 de janeiro, o Curso de Espiritualidade Franciscana, mais Clara desejamos profusamente aos irmãos da Fraternidade
conhecido como Curso de Verão. Estiveram presentes de nossa São Judas Tadeu os votos de felicidade e perseverança.
Província os irmãos: Frei Nativo, Frei Antonio Bispo, Frei Marcos do
Couto, Frei José Cícero e Frei José Luis. O curso teve a participação
de 75 pessoas, sendo frades das mais variadas Províncias AGRADECIMENTO E COMUNICADO
Capuchinhas do Brasil, irmãs de sete Congregações franciscanas, Agradecemos as orações pelo Frei Fernandes Pereira, e
três casais da OFS e três leigos simpatizantes de Francisco e Clara comunicamos que ele já se encontra na Fraternidade Frei
de Assis e a presença também de doze Irmãs da Ordem de Santa Urbano. Frei Fernandes passou um período internado logo
Clara (Clarissas). Os temas estudados foram: História Franciscana, após o autotransplante de medula. Após processo inicial
Espiritualidade Franciscana, e Espiritualidade Clariana.
que exigiu maiores cuidados e como avanço positivo no seu
quadro clinico, com boa recuperação, desde a semana
CHEGADA DOS FORMANDOS passada (17 de março) recebeu alta médica e encontra-se na
No dia 30 de Janeiro de 2011, a Fraternidade São Judas fraternidade dando continuidade ao processo de
Tadeu celebrou o dom da vida de Frei Florêncio Pecorari. recuperação total. Se desejar falar com ele é só ligar. FREI
Pedimos a São Francisco e Santa Clara que o abençoe cada dia FERNANDES 71. 9604-0034.
JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO................................................................................................................. 07
INFORMANDO II
INVESTIDURA DOS NOVOS MESCE’s
O dia 20 de fevereiro foi um domingo muito especial para a Igreja da Piedade. 36 fiéis leigos receberam a investidura para o exercício do
ministério extraordinário da Sagrada Comunhão Eucarística. A liturgia foi preparada nos mínimos detalhes, conferindo toda dignidade e
solenidade que o momento exigia.

Na Arquidiocese de Salvador, o serviço tem a duração de 3 anos. Como Delegado Episcopal, o Provincial dos Capuchinhos de Bahia e Sergipe –
Frei Rubival Cabral Britto– presidiu a celebração. Na ocasião, o frei exortou, aos ministros extraordinários, a fidelidade e o amor à igreja, ao
ministério e aos enfermos que seriam beneficiados com a sagrada comunhão em suas casas, abrigos ou hospitais.
A preparação dos novos ministros extraordinários foi realizada pelo próprio reitor da Igreja, Frei Mário Sérgio. O conteúdo do curso foi:
eclesiologia, liturgia, sacramentos, documentos da Igreja sobre a eucaristia e a colaboração dos fiéis leigos, e um destaque especial ao tema da
eucaristia. Uma apostila bem elaborada foi feita pelo Frei Mário Sérgio e o curso teve a duração de uma semana, perfazendo o total de
20h/aula.

Depois da celebração, no pátio inferior do Convento da Piedade, foi oferecido um coquetel para os novos ministros extraordinários, seus
familiares e demais membros de grupos. Por fim, um dos novos ministros extraordinários tomou a palavra e disse: “Senti, verdadeiramente, a
unção do Espírito Santo nessa celebração. Nunca tinha participado de algo tão solene, simples e profundo. Estou muito feliz. Frei Mário Sérgio
está de parabéns pela bela celebração” (Maria José). (Frei Gilson Marinho, ofmcap.).

SITE DAS IRMÃS CLARISSAS CAPUCHINHAS


Entre os dias 04 a 13 de março,
atendendo a solicitação da Ir. Maria
Glicélia, madre do Mosteiro Santa
Verônica Giuliani, das Irmãs Clarissas
Capuchinhas , Frei Marcos do Couto
partiu de Salvador para a cidade de
Macapá-AP, com a missão de auxiliá-las
na elaboração de um site para o mosteiro.
Após momentos de trabalho e
convivência fraterna foi disponibilizado o
novo portal das Clarissas Capuchinhas. O
site pode ser acessado pelo seguinte endereço: www.claracantamacapa.com. Nada melhor que neste ano em preparação ao jubileu
da vocação de Santa Clara, tornar este carisma tão rico, mais conhecido. Que Deus abençoe e continue a transformando as nossas queridas
Irmãs Clarissas em seu divino espelho.

35 ANOS DE VIDA RELIGIOSA DE


FREI JOSÉ GERALDO ALVES
Foi com grande júbilo que a Fraternidade Nossa Senhora da Piedade juntamente com a Fraternidade Frei Urbano celebraram solenemente, na
Igreja Conventual N S. da Piedade, os 35 anos de Vida Religiosa do Frei José Geraldo Alves, no dia 19de fevereiro. Na homilia, Frei Gleizer
Campinho D. Passos destacou, sobretudo, a vida doada do confrade, ressaltando sua vida e missão em tantas fraternidades por onde passou.
No final da Santa Missa, Frei Rubival Cabral Britto, fazendo uso da palavra, também destacou pontos significativos que alimentam e fecundam a
vocação do Anfitrião. E, ainda, relembrou do Frei Jesulino Pereira Silva que também neste dia celebra seus 35 anos de Vida Religiosa. Por fim,
foi servido um delicioso almoço que contou com a presença dos confrades de ambas as fraternidades.

POSSE DE DOM MURILO


No último dia 25 de março de 2011, Dom Murilo
Sebastião Ramos Krieger tomou posse como Arcebispo
na Arquidiocese de Salvador (BA) e primaz do Brasil. A
cerimônia aconteceu às 19h, na Catedral Basílica, no
Centro Histórico da Capital Bahiana. Ela foi
acompanhada por quatro cardeais e mais de 60 bispos,
além de padres e diáconos de todos os cantos do Brasil.
Ele é o 27º arcebispo de Salvador, a primeira diocese do
Brasil.

ETERNA GRATIDÃO
Nossa eterna gratidão aos amigos e benfeitores de nossa Província que partiram para a vida que não tem mais fim:
Maria Villas Boas Almeida dos Santos (+11.02.2011)
Cesare Lucchetti (+22.02.2011)
Irmã Maria Paola (Voluntária das Vocações) (+29.03.2011)
PONTO DE ENCONTRO ...................................... JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO ...................................... 08
INVESTIDURA DOS NOVOS MESCE’s DA PIEDADE

NÃO ESQUEÇA: A FRATERNIDADE E A VIDA NO PLANETA


”A CRIAÇÃO GEME EM DORES DE PARTO” (RM 8,22).
PONTO DE ENCONTRO
INFORMATIVO DA PROVÍNCIA NOSSA SENHORA DA PIEDADE
SITE: www.capuchinhosbase.org.br e-mail: curiacapuchinhos@uol.com.br Telefax: 71. 3329-4699 - Direção: frei Rubival C.
Britto - Edição e diagramação: frei Gilton Oliveira e frei Marcos do Couto - Impressão: Vento Leste – Exemplares: 500
PONTO DE ENCONTRO ............................................................................................................................... 09
ESPECIAL
NOVA PRESENÇA EM ARACAJU
FRATERNIDADE SÃO COSME E SÃO DAMIÃO
Após mais de 50 anos de presença em Aracaju, os frades capuchinhos
Inauguraram uma nova fraternidade (conhecida como conventinho) no
conjunto Maria do Carmo II, Bairro Olaria. A inauguração aconteceu com a
chegada dos novos moradores que no dia 25 de fevereiro de 2011. São
nove moradores, três de profissão perpétua: Frei Pedro Cassimiro
(Guardião e formador), Frei Elenilson Pereira (Vigário da Fraternidade e
Vice-formador), frei Gilton Oliveira (Ecônomo e coordenador de pastoral
das comunidades São Cosme e São Damião no Conjunto Maria do Carmo
e Bom Pastor no Bairro São Carlos), e os postulantes: Alan Santana,
Clodoaldo de Jesus, Edilton Bazílio, Erenildo Cruz, João Paulo, Ricardo
Farias. A nova fraternidade foi chamada de Fraternidade São Cosme e São
Damião, titulares da Igreja Conventual.

No dia 26 de fevereiro, foi oferecido um churrasco, aos trabalhadores da


construção do convento e da igreja e seus familiares. Neste se fizeram presentes, frades das fraternidades: São Judas Tadeu de
Aracaju e Frei Urbano e Nossa Senhora da Piedade de Salvador. Antes do churrasco, no momento de oração, o Ministro Provincial,
frei Rubival Cabral de Britto, agradeceu a Deus pelo êxito da construção e de forma especial dirigiu ao frei Florêncio palavras de
agradecimento, pois o mesmo foi o grande idealizador e responsável da construção do novo “conventinho”.
PONTO DE ENCONTRO ............................................................................................................................... 10

NOVA PRESENÇA EM ARACAJU


A abertura oficial da nova fraternidade deu-se na
manhã do dia 06 de março 2011 com a benção
solene canônica, presidida pelo excelentíssimo
Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese de
Aracaju, Dom José Palmeira Lessa, que fez questão
de abraçar e acolher a cada um dos moradores da
nova fraternidade. Ele ressaltou, que esta nova
realidade a qual os capuchinhos estão se inserido é
aquilo que pede São Francisco, pois comunidades
onde se encontra a nova fraternidade são carentes
de assistência religiosa e social. Por fim, pediu aos
frades, que se preparassem, que em setembro irá
elevar a comunidade São Cosme e São Damião a
paróquia, que ficará sob os cuidados dos Frades
Menores Capuchinhos.

Na tarde do dia 06, na oração das vésperas foi


realizada a celebração de admissão dos
postulantes, em clima de acolhimento e alegria.
Após breves palavras de acolhida e encorajamento
da parte do Ministro Provincial, houve a
imposição do mesmo em cada postulante e a
entrega do programa de formação da Província.
Depois frei Rubival num gesto simbólico entregou-
os aos cuidados da fraternidade especialmente ao
responsável da formação frei Pedro Cassimiro e do
vice, frei Elenilson.

Nessa noite, numa solene celebração eucarística,


presidida pelo Ministro Provincial frei Rubival,
foram apresentados a comunidade local, os
moradores da nova fraternidade. Na sua homilia,
ele entregou os frades aos cuidados do povo, e o
povo aos cuidados dos frades, para que ambos
trabalhem unidos na construção do reino de Deus,
buscando a justiça e a paz. Depois agradeceu o
trabalho dos frades, Florêncio e Dário, que com
exemplo e trabalho pastoral, preparam as
Comunidades do Bom Pastor e dos Santos Cosme e Damião, para ser a futura paróquia. Antes de encerrar a celebração
eucarística, as comunidades do Bom Pastor e Cosme e Damião, fizeram varias homenagens ao frei Florêncio e ao frei Dário, em
gratidão ao trabalho dos dois. Após a celebração houve um coquetel no salão paroquial com animação musical do frei Mário
Sérgio.