You are on page 1of 1

AUDITORIA -1

PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA -> conjunto de técnicas que permitem ao auditor obter evidência ou provas suficientes e adequadas para fundamentar sua opinião...
Visam à obtenção de RAZOÁVEL SEGURANÇA de que os procedimentos de controle interno estabelecidos pela
administração estão em efetivo funcionamento e cumprimento.
TESTES DE OBSERVÂNCIA
OU EXAMES DE ADERÊNCIA
Existência
aqueles executados pelo Auditor para verificar a: Efetifidade dos Controles Internos
Continuidade
Suficiência
dos dados produzidos pelo
Visam a obtenção de evidências quanto à: Exatidão
sistema contábil da entidade.
Validade
Suficiência a razoável garantia de que todos os fatos contábeis relevantes estão escriturados e documentados

TESTES SUBSTANTIVOS
Exatidão Demonstrações Contábeis não contêm erros relevantes.

Validade documentos fiscais e comerciais representam operações que de fato ocorreram

Faça um teste substantivo: fatos efetivamente ocorridos e se os saldos não contém erros
Vc TRAN S A a RE da ANA ?
Testes de Transações e Saldos
significativos.
Faça com SU E VA Divide-se em:
(Sufieiência, Exatidao e Validade análises e índices que visam identificar tendências atípicas
Procedimentos de Revisão Analítica
(anormais).
existência se o componente patrimonial existe em certa data.
Na aplicação dos testes substantivos, direitos e obrigações se efetivamente existentes em certa data;
o auditor deve objetivar as seguintes ocorrência se a transação de fato ocorreu;
conclusões: abrangência se todas as transações estão registradas; e
mensuração, apresentação e divulgação de acordo com os Princípios e Normas

PROCEDIMENTOS (princípios) TECNICOS BÁSICOS DE AUDITORIA (usual) -> são 5


a) Inspeção exame de registros, documentos e de ativos tangíveis; (+ contagem física do estoque)
acompanhamento de processo ou procedimento quando de sua execução;
b) Observação
é dirigida principalmente para a análise do Sistema Contábil e de Controles Internos.
c) Investigação e Confirmação obtenção de informações junto a pessoas ou entidades conhecedoras da transação, dentro e fora da entidade;
é o envio de cartas para que sejam confirmadas ou não as operações indicadas.
são assinadas pela entidade, mas as respostas devem ser enviadas AO AUDITOR
Está com CARE?
IOI CA RE Para a ESAF apenas -> Clientes, Fornecedores, Bancos, Seguradoras e Advogados
circularização Branco Quando no pedido NÃO são indicados os valores a serem confirmados.
Pedido de Positivo
Preto Quando no pedido SÃO indicados os valores - MAIOR SEGURANÇA
Confirmação
Negativo só é solicitada a resposta em caso negativo
Pedido de Confirmação ABERTA -> para opertações que ainda não foram concluídas
d) CÁlculo conferência da exatidão aritimética de documentos comprobatórios, registros e demonstrações...
verificação do comportamento de valores significativos, mediante índices, quocientes, quantidades absolutas ou
e) REvisão Analítica
outros meios, com vistas à dentificação de situação ou tendências atípicas.”

Na aplicação dos procedimentos de a) o objetivo dos procedimentos e o grau de confiabilidade dos resultados alcançáveis;
revisão analítica, o auditor deve b) a natureza da entidade e o conhecimento adquirido nas auditorias anteriores;
considerar: c) a disponibilidade de informações, sua relevância e confiabilidade.

Papeis de Trabalho -> Procedimentos de auditoria -> Quanto à natureza, oportunidade e extensão -> Organizados de forma sistemática e racional
Auditor deve conservar a boa guarda, pelo prazo de 5 anos, a partir da data da emissão de seu Parecer

Fraude e Erro
FRAUDE ato intencional de omissão ou manipulação de transações, adulteração de documentos, registros e demonstrações contábeis;
ERRO ato não intencional resultante de omissão, desatenção ou má interpretação de fatos na elaboração de registros e demonstrações
O auditor não é responsável nem pode ser responsabilizado pela prevenção de fraudes ou erros relevantes nas demonstrações contábeis

1.Se os saldos de abertura de X2 não contêm representações errôneas;


Primeira auditoria onde foi 2.O confronto dos saldos de encerramento de X1 com os saldos de abertura de X2;
auditada no ano anterior por 3. A uniformidade das Práticas Contábeis com o exercício anterior;
outro. 4. existência de fatos relevantes que possam afetar as atividades da entidade e sua situação patrimonial e financeira;
5. existência de relevantes eventos subsequentes ao exercício anterior, revelados ou não revelados.

Risco de Auditoria -> é a possibilidade do Auditor vir a emitir uma opinião tecnicamente inadequada sobre demonstrações contábeis significativamente incorretas.
1.as demonstrações contábeis tomadas no seu conjunto;
2.as atividades e a qualidade da administração;
Nível Geral:
3. a avaliação do sistema contábil;
4.controles internos e situação econômica e financeira da entidade.
ria

1 saldo das contas;


Nível Específico
to
di

2 natureza e volume das transações.


Au

É o risco de erros relevantes nos Saldos das Contas ou nas Classes de Transações não serem detectados em função
de
co

da inexistência ou inadequação dos controles internos.


is
R

Bens numerários são mais sujeitos a furto que bens do permanente.


Risco Inerente
Deve ser Bens comercializados pela sociedade que sofrem grande variação de preços estão mais sujeitos a erros
considerado: do que os que possuem preços estáveis.
Cálculos por estimativa envolvem maior probabilidade de erro (Provisões).