Sie sind auf Seite 1von 2

EXCELENTSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DE DELITOS DE TXICOS DA COMARCA DE ....

Inqurito Policial n (Como ainda no h processo, feita a referncia ao inqurito)

FULANO, j qualificado nos autos do inqurito policial em epgrafe, vem, muito respeitosamente, presena de Vossa Excelncia, por seu advogado, que esta subscreve, dentro do prazo legal, apresentar DEFESA PRVIA, pelas razes de fato e de direito a seguir expostas: I DOS FATOS Segundo a denncia, no dia 18 de novembro de 2009, por volta de 23h41min, na Travessa Mamor, n ..., Bairro Mocambo, em ..., ..., o acusado foi preso em flagrante por possuir, no interior de sua residncia, diversos invlucros contendo substncias entorpecentes. De acordo com os policiais, a droga seria supostamente destinada ao trfico, pois o suspeito mantinha, no interior do imvel, linha, tesoura, sacos plsticos e colher (fl. 05). Por esse motivo, o Ministrio Pblico ofereceu denncia em seu desfavor, com base no art. 33, caput, da Lei 11.343/06. II DO DIREITO Entrementes, a respeitvel pea acusatria no merece prosperar, visto que no est em harmonia com os fatos por ela prpria descritos.

Conforme a denncia, o suspeito foi preso, no interior de sua residncia, com uma pequena quantidade de entorpecentes, inexistindo, at o momento, qualquer prova que aponte para o trfico de entorpecentes. No entanto, o Ministrio Pblico, com base em infundadas suposies, ofereceu denncia com base no art. 33, caput, da Lei 11.343/06. Para fundamentar a sua pea, mencionou o fato do acusado possuir, em seu imvel, linha, tesoura, sacos plsticos e colher. Portanto, Excelncia, inexiste justa causa para a presente ao, pois meras suposies, sem qualquer fundamento, no podem submeter o suspeito a sofrer coao ilegal na sua liberdade de ir e vir. Ex positis, requer seja rejeitada a denncia de fls. 03/06, por indubitvel falta de justa causa para o prosseguimento da ao. Contudo, caso Vossa Excelncia entenda de forma diversa, requer a notificao e oitiva das testemunhas ao final arroladas. Nestes termos, pede deferimento. Porto Velho, 25 de janeiro de 2010.

Advogado OAB/... Rol de Testemunhas 1. ... 2. ... 3. ... 4. ... 5. ...