Sie sind auf Seite 1von 32
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril

JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO

JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012
PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER
PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER
NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012 | Ano II N.º94
NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012 | Ano II N.º94
NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012 | Ano II N.º94
NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012 | Ano II N.º94
NO SUL DO ONTÁRIO PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER Segunda-Feira, 02 de Abril 2012 | Ano II N.º94
Segunda-Feira, 02 de Abril 2012 | Ano II N.º94 www.pcnewsnetwork.com DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Jornada memorável Feliz
Segunda-Feira, 02 de Abril 2012 | Ano II N.º94
www.pcnewsnetwork.com
DISTRIBUIÇÃO GRATUITA
Jornada memorável
Feliz
PÁSCOA
Uma jornada memorável – é a melhor definição
para a jornada que no sábado se viveu no Local
183, quando da homenagem a Iggy Kaneff.
Saudado por muitos que entenderam a sua acção
de imigrante, de lutador e de vencedor.
Desejamos
a todos
Leitores e Amigos
3
Happy Easter
Pela mão da nossa Luso-Can Tuna
As Tunas
Tem Karaté
encantaram!
mas
tem também
carácter!
7
Em Semana de “São Orçamento”
Ministro
Charles Sousa
fala a ABC
Chama-se
Elizabeth
Pereira.
Campeã
de Karaté
tem, de
Uma entrevista que foi mais do que isso,
já que foi uma conversa a jeito de saber
4
facto,
27
mais e melhor o que nos espera num futuro
muito
Trudeau
venceu!
próximo.
Págs 8 e 9
carácter.
2 . Nossa Gente 02 Abril 2012
2 . Nossa Gente
02 Abril 2012

Mais calma

Pedro Jorge Costa Baptista pedrojorgeri@gmail.com

calma Pedro Jorge Costa Baptista pedrojorgeri@gmail.com Após muita confusão, linguagem quase agressiva e uma ten-

Após muita confusão, linguagem quase agressiva e uma ten- são quase palpável, as coisas estão a acalmar. Refiro-me às tensões entre o Irão e os EUA e Israel, e isto é muito bom sinal. Pelo menos todos estão a ter tempo para respirar, continuar as suas vidas e cada país está a fazer o que mais lhe compete,

tratar dos seus filhos e contribuir para a estabilidade interna- cional. Com isto não quero dizer que o perigo acabou. Também não quero dizer que o Irão abandonou as suas pre- tensões, de ter capacidade nuclear. Mas muitas coisas estão a decorrer no momento, a economia internacional ainda está complicada, vão ocorrer eleições para o banco mundial, este deve ser reformado todos concor- dam, mas o problema é a concordar na reforma. Os países que compõem o BRIC (Brasil, Rússia, Índia e Chi- na) cada vez mais se querem impor, contudo a sua filosofia não está em paralela concordância com os países do G7 ou

a maioria dos países da UE, como se deve compreender isso

oferece dificuldades e alguns problemas. Pois se todos querem usar todos para fazer mais dinheiro e crescer ainda mais, a verdade é que os países não querem é misturar as suas entidades e orientações. Pois se o que cada um quer é fazer dinheiro.

A verdade é que em termos de política interna todos são di- ferentes, o Brasil como todos os seus colegas da América Latina concentra o seu discurso nas massas e na pobreza, já os EUA por sua vez admite o problema da pobreza, mas ad- mite que melhorar o emprego e a economia nacional é uma prioridade; para além de levantar a questão de liberdades e garantias.

Em relação ao conflito referido há pouco, os países que com- põem o BRIC não querem a destruição de Israel, mas tam- bém insistem em defender o Irão. Como ninguém quer na verdade comprometer a economia e

a estabilidade internacional, a questão irá ser.

Quem será o primeiro a agredir a outra parte? Se nenhuma das partes der esse passo então a paz é quase segura.

ATÉ PARA A SEMANA.

Ficha técnica Propriedade: ABC Portuguese Canadian Newspaper Ltd Director: Fernando Cruz Gomes Conselho Empresarial:
Ficha técnica
Propriedade:
ABC Portuguese Canadian Newspaper Ltd
Director:
Fernando Cruz Gomes
Conselho Empresarial: Fernando Cruz Gomes, Presidente; Paulo
Fernando, Vice-Presidente; Carlo Miguel, Tesoureiro;
e Lara Ingrid, Secretária.
Redacção e Cronistas:
António Pedro Costa (Ponta Delgada), António dos Santos
Vicente, Carlo Miguel, Cristina Alves (Lisboa), Custódio António
Barros, Edgar Quinquino (Hamilton), Fernando Cruz Gomes,
Fernando Jorge, Guida Micael, Helder Freire (Lisboa), Humberto
Costa (Luanda), Lara Ingrid, Luis Esgáio, Luky Pedro
Maria João Rafael (Lisboa), Pedro Jorge Costa Baptista,
Sérgio Alexandre, Sónia Catarina Micael.
Secretária de Redacção:
Lara Ingrid
Chefe Gráfico:
Sérgio Alexandre
Telefones:
416 995-9904 * 647 962-6568 * 416 828 6568.
E-mail: admin@abcpcn.com
director@abcpcn.com
advertising@abcpcn.com
725 College St. PO Box 31064 TORONTO ON M6G 1C0

Sexta-Feira Santa

Não restam dúvidas. Estamos em época de Páscoa. Começando, naturalmente, pela Semana Santa, que hoje começou. E pela sexta-feira

que viveremos, na

sexta-feira. Abrimos, depois, para o Domingo de Páscoa.

Na sexta-feira santa, será dia de oração e penitência, nos

hábitos cristãos que se perdem na memória dos tempos. Entre nós, porém, serão vários os cerimoniais. Não apenas nas

mas também à volta

das igrejas, em procissões religiosas de muito significado

para os fiéis. E até no chamado Enterro do Senhor, na área adjacente à igreja de Santa

Helena. Ninguém sabe

tradição veio também para cá. Trazida – assim o acreditamos – pelos primeiros imigrantes que vieram dos Açores. O “Enterro do Senhor”, na Igreja de Santa Helena, tem muito de tradição, de religiosidade e de fé.

mas a

igrejas

de Paixão

de religiosidade e de fé. mas a igrejas de Paixão A multidão de fiéis, sempre na

A multidão de fiéis, sempre na procissão do Senhor, na sexta-feira. Como aconteceu no ano passado.

O evangelista São João teria

sido aquele que mais de

perto teria vivido a Paixão de Cristo. Segundo ele, da morte

do Messias nascerá um povo

novo, a Igreja. Pela sua morte,

e segundo a temática religiosa,

é que fomos salvos

Na College St., entretanto, ganha preponderância a procissão da Paixão de Cristo, levada a cabo, desde há muito,

pela igreja de São Francisco

de Assis e onde se integra, também, elementos da gente lusa, designadamente que, por norma, “pertencem” à igreja de Santa Inês.

Clubes e Associações

Envie-nos a sua lista de eventos semanais

ACAPO - Terça-feira, 3 de Abril, reunião do Conselho de Presiden- tes a decorrer, a partir das 19.30, na sede da Banda Sagrado Coração de Jesus, 1680 Dundas St. W. AMIGOS DA LOMBA DA MAIA - Sábado, 21 de Abril, a segunda Fes- ta Anual de Angariação de Fundos. Jantar no Oasis Convention Centre, 1036 Lakeshore Rd. E, às 19h00. AMIGOS PARA SAFEHAVEN - Sábado, 14 de Abril, gala de angari- ação de fundos. Realiza-se “Alice no País das Maravilhas”, no Renais- sance By the Creek, 3045 South- creek Rd), às 18h30. Informações:

416-720-9371 ou 416-535-8525. ARSENAL DO MINHO - Domin- go, 8 de Abril, Festa da Páscoa. Al- moço e música pelo DJ, às 12h30. ASAS DO ATLÂNTICO - Sábado, 14 de Abril, Baile Regional com as Sopas do Espírito Santo. ASSOCIAÇÃO CULTURAL DO MINHO - Domingo, 8 de Abril, Al- moço da Páscoa no Lithuanian Hall, com a actuação do conjunto Jovem Ympério e do Rancho Folclórico, às 13h30. Informações ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DA PRAIA DA VITÓRIA – Do- mingo, 29 de Abril, a partir das 13 horas, Convívio anual, no Ambi- ance Banquet Hall. Presença de Paulo Codorniz, vereador, Carla Andreia Meneses, presidente da comissão de festas, e Hélio Costa, autor de danças e bailinhos de Car- naval. – Informações e reservas, António Rodrigues, 416 588 2000.

.

CASA CULTURAL DE VILA DO CONDE – Domingo, dia 8 de Abril, Festa da Páscoa, no Europa Cater- ing, no 1407 Dundas St.W. Haverá um almoço com musica para dan- car. Ovos da Páscoa e Pão de Ló para todos. Haverá o beijar da

Cruz, Para fazer reservas telefonar para (905)629-9179 ou (416)558-

9038.

CASA DO ALENTEJO - Sábado, 7 de Abril, tradicionais celebrações da páscoa e procissão. Domingo, 8 de Abril: Tradicional almoço da páscoa com folclore e concertinas, às 13h00. Sábado, 14 de Abril: Jan- tar e espectáculo “O fado mora na casa do Alentejo”. Noite de fados com Paulo Filipe, Cármen Mosca- tel, Tony Tabu e Jennifer Betten- court, às 19h30. CASA DAS BEIRAS - Domingo, dia 8 de Abril, Almoço de Domingo de Pascoa. Tradicional beijar da

Cambio
Cambio

GRACIOSA COMMUNITY CEN- TRE – Sábado, 14 de Abril, Tri- gésimo Segundo Aniversário, com início pelas 20:00. Informações

pelo (416) 533-8367 ou por e-mail

graciosacommunitycentre@hot-

mail.com IRMANDADE DO DIVINO ES- PÍRITO SANTO (Paróquia de San- ta Maria dos Anjos) – Sábado, 21 de Abril, no salão paroquial, Baile da Primavera. O jantar será servidio às 7 da noite. Baile com o conjunto “Tabu”. Para informações, contacte Eric ou Maria, pelo 416-656-4170.

SPORT CLUBE LUSITÂNIA - Quinta-feira, 5 de Abril, ensaio da Dança do Sport Club Lusitânia of Toronto, no salão da Casa dos Açores. Sábado, 7 de Abril: Danças Tradicionais da Páscoa, a realiza- rem-se na Casa dos Açores.

SPORTING C. PORTUGUÊS - Sexta-feira e sábado, 13 e 14 de Abril, aniversário. Sexta-feira, Porto de Honra, e Sábado, Jantar e baile de Gala com o conjunto Jo- vem Ympério.

cruz, com início às 13:00. Varie- dades com o artista Gilberto Ama-

ral. Som e luz a cargo de 5 Star Pro- ductions. Para mais informações, ligar para 416-604-1125 ou 647-

261-7155.

CENTRO CULTURAL PORTU- GUÊS DE MISSISSAUGA – Sexta Feira Santa, dia 6 de Abril, Rodisio de Peixe, a partir das 5:00 da tarde. Sabado, dia 7, baile da Pascoa e do sócio, com o conjunto Sonhos de Portugal. Domingo, dia 8, tradi- cionais danças Pascais. Almoço à 1:00 da tarde. Dia 14 e 15 de abril, cantorias ao desafio com os canta- dores José Eliseu, Bruno Oliveira, António Isidro, Vasco Aguiar e José Plácido. Faça a sua reserva com an- tecedência.

COMISSÃO DOS EX-COMBAT- ENTES - Sábado, 21 de Abril, às 19.30, Jantar anual de confrater- nização e de angariação de fundos para a estátua aos combatentes por- tugueses e canadianos. Europa Ca- tering. Informações: 647-206-7050 ou 416-533-2500.

a estátua aos combatentes por- tugueses e canadianos. Europa Ca- tering. Informações: 647-206-7050 ou 416-533-2500.
02 Abril 2012 Material editorial . 3
02 Abril 2012
Material editorial . 3

Uma jornada memorável que fica na História

Já o dissemos, noutras ocasiões. Uma comunidade que sabe ser grata é uma comunidade que merece ter razões para continuar a crescer. E a nossa, frequentemente, entra nesse rol. Sabe, de facto, ser grata. São muitos os acontecimentos que nos levam a acreditar que, nesse aspecto, estamos no bom caminho.

Sábado à noite, decorreu entre nós uma festa de homenagem que prova a asserção de que ser grato é também uma das nossas virtudes colectivas. Uma das virtudes que nos faz andar. No salão da Local 183, foi a homenagem a um dos baluartes da nossa indústria de Construção, e não só, Ignat Kaneff.

nossa indústria de Construção, e não só, Ignat Kaneff. Depois de terem sido entoados os Hinos
nossa indústria de Construção, e não só, Ignat Kaneff. Depois de terem sido entoados os Hinos

Depois de terem sido entoados os Hinos Nacionais do Canadá, de Portugal e da Bulgária – terra natal do homenageado – ouviram-se palavras muito interessantes de Joseph Mancinelli, vice-presidente e gerente regional da LIUNA. Para ele, ao homenagear Iggy Kaneff, estamos a homenagear todos quantos vieram para o Canadá, e aqui se integraram, no meio das maiores dificuldades, mas também de muita tenacidade.

Presenla do cônsul-geral da Bulgária, Ivo Mouskourov, que teceu considerações sobre o homenageado, lembrando que as obras de filantropia, que são o apanágio de tão ilustre cidadão, também se anotam na Bulgária.

Charles Sousa, ministro da Cidadania e Imigração, foi o convidado especial, que acabaria por fazer o elogio de Iggy Kaneff, nas suas

que acabaria por fazer o elogio de Iggy Kaneff, nas suas vertentes de empresário e de

vertentes de empresário e de filantropo. “Foi com o exemplo de homens como Iggy Kaneff que muitos emigrantes portugueses chamam hoje ao Ontario a sua casa”. Lembrou até o exemplo do seu próprio pai, ali presente.

Coube a Ermidio Alvez a apresentação do homenageado. Fê.lo também servindo-se de um vídeo onde se retrata, de facto, o

trabalho meritório do homenageado, que, no final, entendeu dever deixar algumas palavras de incentivo e conselho. “Não trabalhe e

durma só

disse, para continuar a dizer que

é importante “fazer relações, ajudar as comunidades e envolver-se até politicamente”.

Uma jornada memorável a que nos iremos debruçando em próximas edições, porque, de facto, vale mesmo a pena.

aprenda, aprenda

”,

Como se assinalou, durante o Tributo, Ignat Kaneff, um dos maiores empresários da indústria da construção civil, no Canadá, foi sempre um amigo da comunidade portuguesa, proporcionando trabalho a milhares de portugueses e dando serviços às companhias de construção da comunidade. Seria, assim, um homem bom que merece o nosso respeito e homenagem.

Ignat Kaneff foi, assim, homenageado pela comunidade portuguesa. Durante anos, ele e a sua empresa lidou de perto com a nossa gente. E a verdade é que chega a parecer que esta ligação aos portugueses foi o motivo para a homenagem Uma homenagem

aos portugueses foi o motivo para a homenagem Uma homenagem que juntou, na organização, Portugueses de
aos portugueses foi o motivo para a homenagem Uma homenagem que juntou, na organização, Portugueses de

que juntou, na organização, Portugueses de várias origens, muitos sectores da actividade e de vários extractos sociais. A Construção Civil, o Sindicalismo, e até a Informação, estiveram no cerne da homenagem, cujo produto reverte, afinal, para uma das nossas associações, a Casa dos Açores.

Por nós, entendemos a homenagem como um tributo de quem, como nós, na comunidade portuguesa, sabe ser grato.

Carlos Botelho, Jack Oliveira e Charles Sousa eram os “chairs” do comité de organização, que tinha muitos nomes conhecidos da nossa gente. Frank Alvarez, Ermidio Alves, Ana Bailão, António Belas, Luis Câmara, Peter Fonseca, Mário Silva, Cristina Martins, Nelson Melo – eram alguns de muitos outros que compunham o comité.

Logo na abertura, Jack Oliveira, Business Manager da Local 183, em cujo salão se desenrolava a homenagem, disse da satisfação que tinha em servir como que de “anfitrião” à iniciativa. Sobretudo por que ela representava, também, uma como que homenagem aos trabalhadores em geral.

também, uma como que homenagem aos trabalhadores em geral. Ontario Liberal Caucus HAPPY EASTER Lorenzo Berardinetti
também, uma como que homenagem aos trabalhadores em geral. Ontario Liberal Caucus HAPPY EASTER Lorenzo Berardinetti

Ontario Liberal Caucus

HAPPY EASTER

Ontario Liberal Caucus HAPPY EASTER Lorenzo Berardinetti Hon. Michael Chan Hon. Eric Hoskins Scarborough
Ontario Liberal Caucus HAPPY EASTER Lorenzo Berardinetti Hon. Michael Chan Hon. Eric Hoskins Scarborough
Ontario Liberal Caucus HAPPY EASTER Lorenzo Berardinetti Hon. Michael Chan Hon. Eric Hoskins Scarborough

Lorenzo Berardinetti

Hon. Michael Chan

Hon. Eric Hoskins

Scarborough Southwest

Markham-Unionville

St. Paul’s

416-261-9525

905-305-1935

416-656-0943

St. Paul’s 416-261-9525 905-305-1935 416-656-0943 Monte Kwinter Mario Sergio York Centre York West Hon.
St. Paul’s 416-261-9525 905-305-1935 416-656-0943 Monte Kwinter Mario Sergio York Centre York West Hon.
St. Paul’s 416-261-9525 905-305-1935 416-656-0943 Monte Kwinter Mario Sergio York Centre York West Hon.
St. Paul’s 416-261-9525 905-305-1935 416-656-0943 Monte Kwinter Mario Sergio York Centre York West Hon.
Monte Kwinter Mario Sergio York Centre York West Hon. Charles Sousa Mississauga South David Zimmer
Monte Kwinter
Mario Sergio
York Centre
York West
Hon. Charles Sousa
Mississauga South
David Zimmer
Willowdale
416-630-0080
416-743-7272
905-274-8228
416-733-7878
Hon. Dalton McGuinty
Premier of Ontario
416-325-7200
Authorized by the Ontario Liberal Caucus
4 . Comunidades 02 Abril 2012
4 . Comunidades
02 Abril 2012

Liberal Justin Trudeau bate Conservador Patrick Brazeau

*Pugilismo para obras de caridade

O deputado Liberal, Justin Trudeau, e o senador

Conservador, Patrick Brazeau, defrontaram-se, sábado à noite, numa arena diferente da política. Numa luta de pugilismo, para obras de caridade, Trudeau derrotou Brazeau, com o árbitro a parar o combate ao terceiro “round”. “Tudo o que sei é que ele tinha razão para estar confiante porque ele pode bater-se com um camião de Mack”, disse Trudeau aos jornalistas, depois do combate.

Mack”, disse Trudeau aos jornalistas, depois do combate. “Ele não sabia é que eu poderia levá-lo

“Ele não sabia é que eu poderia levá-lo à certa ”

O combate de três assaltos decorreu num hotel de

Otava como parte de um evento para angariar fundos para pesquisa na luta concra o câncer.

Trudeau, que entrou no ringue, vestindo uma túnica vermelha com prata, foi vaiado pela multidão, que tinha presentes Ministros do gabinete conservador como Leona Aglukkaq, Rona Ambrose, James Moore

e o deputado Pierre Poilievre.

Brazeau usava um roupão azul com branco trim para o anel e foi introduzido com música heavy-metal.

O senador começou bem, chegando a “martelar”

Trudeau junto às cordas. Mas a meio do primeiro assalto, o ritmo abrandou e Brazeau parecia cansado. O deputado Liberal saiu balançando na segunda rodada, cabeça e corpo, com golpes certeiros e atirando

Brazeau para as cordas com uma enxurrada de socos. Trudeau manteve o assalto no terceiro “round”, até que

o árbitro parou o combate.

DOCE MINHO Pão quente de hora a hora Broa de milho como se faz na
DOCE MINHO
Pão quente de hora a hora
Broa de milho como se faz na terra
Pastelaria Fina
Salão de chá
Ambiente acolhedor
Uma casa
com a tradição
de bem servir
porque sabe
produzir melhor!
Para encomendas ligue-
416 -
652 -
8666
2189 Dufferin St. Toronto
(Entre a Rogers e Eglinton)
Agora tambem em Bradford!
(Entre a Rogers e Eglinton) Agora tambem em Bradford! “Mesmo assim, ele não me conseguiu deitar

“Mesmo assim, ele não me conseguiu deitar abaixo”, disse Brazeau, após a luta, com sangue no nariz. Desafiou, desde logo, Trudeau, para uma desforra. O senador mais impetuoso era considerado o favorito

O senador mais impetuoso era considerado o favorito do combate. Tem treino de artes marciais e

do combate. Tem treino de artes marciais e serviu nas forças armadas canadianas. Perguntaram a Brazeau o que é que lhe doeu mais. “Oh, definitivamente o ego”, disse o senador.

A acompanhar o dia-a-dia das comunidades
A acompanhar
o dia-a-dia das comunidades

O fantasma

Se não vejamos…

02 Abril 2012 Material editorial . 5
02 Abril 2012
Material editorial . 5

EDITORIAL

 
 

Para ele, o facto de os católicos estarem em minoria, é uma realidade.

Estatisticamente, diz-se que Portugal é um país de católicos, mas em termos reais, aqueles que praticam - e de facto não

 

*A Semana Santa

exacta daquilo que pensam os outros”, uma vez que a so- ciedade portuguesa dos dias de hoje é muito diversa. De

facto, o católico deve assumir-se com os seus princípios e convicções, sem estar à espera que estes princípios se imponham, só porque pensa que está em maioria, quando

Em plena Semana Santa, a dois passos da Sexta-Feira de Paixão e do Domingo de Páscoa, vale a pena tecer con- siderações que têm a ver com Portugal e, decerto, mais ainda com os Portugueses no seu todo. Mesmo aqueles que sairam da Mãe-Pátria.

Nos dias de hoje, os católicos já não são uma maioria em Portugal. Exacto. Se durante séculos isso foi uma reali- dade, nos últimos 30 a 40 anos esse cenário tem mudado.

nem é assim.

existe o católico não praticante

- são, de facto, uma

Para o professor – e para muitos de nós - o aspecto fundamental da fé cristã e católica está no amor, na caridade, no estar ao serviço dos outros.

Falar nisto, aqui e agora, em plena Semana Santa, mais não é do que chamar à razão muitos de nós que, só porque fomos baptizados, pensamos ser católicos. Não praticando,

grande minoria. É a maior minoria do ponto de vista religioso, superior a outras confissões religiosas, como a ortodoxa, a muçulmana, ou a judia. Mas, apesar de tudo, os católicos são uma minoria e devem assumir-se como minoria.

O

conhecido professor de Direito Marcelo Rebelo de

De qualquer modo, do ponto de vista do professor, ser uma minoria, tem até algumas vantagens. “Achar-se que se está em maioria, ter essa ilusão, pode ser enganador, pois as pessoas acabam por não praticar nem defender determina- dos princípios”, justificou. Sendo uma minoria, é preci- so, em primeiro lugar, que os católicos tenham “a noção

não levando a cabo as directrizes que até os pais e avós nos

Sousa exprimiu esta posição, n\ao h]a muito, em Fórum Interdisciplinar de Professores sob o tema “O que se es- pera da Igreja em Portugal”, que se realizou no salão nobre da Reitoria da Universidade do Minho, numa organização da Pastoral Universitária de Braga.

ensinaram

somos, de facto, uma minoria

não há religião que resista. E nós, os católicos,

 

Fernando Cruz Gomes fgomes@rogers.com

Helder Freire

Jornalista(Lisboa)

Gomes fgomes@rogers.com Helder Freire Jornalista(Lisboa) Nos primórdios da minha longa carreira de jorna- lista, eu

Nos primórdios da minha longa carreira de jorna- lista, eu teria ficado com um ego deste tamanho se chegasse às conclusões que chego hoje. Ou seja, ter razão antes do tempo e prever a prazo, o que se

irá passar na política portuguesa. Hoje, tenho pena

de ter bastas vezes razão. Digamos até que preferia

não a ter.

Se ainda se recordam, os leitores que me têm acompanhado nestas análises semanais, referi aqui mais que uma vez, que a nova liderança do PS, com António José Seguro na frente, era constituída por uma equipa fraca, fragmentada e condicionada por um «fantasma» que, tal como o da ópera, vive em Paris, não nas catacumbas do teatro, mas em confortável apartamento.

O

tempo veio dar-me razão. Poucos meses depois

de

tomar posse, a nova equipa dirigente dos socia-

listas portugueses, está sitiada por um grupo de «viúvas carpideiras» do socratismo, que não per- dem uma oportunidade de morder nas canelas de António José Seguro, sangrando-o em vida, até à exaustão, que já esteve mais longe.

Esta semana, então, foi muito difícil para Tozé Se- guro. Amarrado ao passado por via da assinatura do PS do memorando de entendimento com a Troi- ka, Seguro não consegue libertar-se da herança de Sócrates, constantemente espevitada por um Gru- po Parlamentar maioritariamente socratista e que ainda não digeriu a queda do governo e a debacle nas eleições.

Por via disso, este grupo de «notáveis» votará, con- tra tudo que cheire a proveniência do atual governo ou, pelo menos, fará declarações de voto contra as orientações do partido. Ao mesmo tempo (e vere- mos se aqui também vou acertar) há quem admita que já estão a fazer a cama a António José Seguro e começam já a perfilar-se, no horizonte, os potes- tativos sucessores, com António Costa à cabeça da contestação (por enquanto ainda soft) ao atual líder.

E diga-se em abono da verdade que o secretário-

-geral do PS se tem posto a jeito. Sem ideias que mobilizem a oposição e a esquerda de uma forma geral, Seguro fez de tudo para ter tempo de antena

nos telejornais, até que os jornalistas o começaram

a questionar sobre as desavenças no interior do PS.

Aí, o líder socialista mostrou-se algo incomodado

e passou a bola a outro atarantado líder da banca-

da parlamentar, Carlos Zorrinho, ex-secretário de estado de Sócrates, que tentou reduzir a balbúrdia que vai entre os deputados, a uma mera questão de debate e de democracia interna.

Será, mas cada vez são mais insuportáveis, as gar- galhadas do «fantasma» que paira sobre as galerias socialistas de S. Bento.

E, das duas uma, ou Seguro dá um murro na mesa

e põe ordem naquela gente, ou a sua sorte política

está jogada e nas mãos de quem lhe está a fazer a cama.

Contributo para a paz

Estamos no final da Quaresma e já na próxima quinta-feira iniciar-se-á o período pascal, em que se celebrará mais uma vez o maior acontecimento da humanidade. Tal como em todas as festas, exigem-se os preparativos correspondentes, que vêm carregados de sacrifícios. Todos se preparam para os grandes eventos, quer sejam sociais ou culturais, deixando outros interesses de lado, para preparar e participar na festa.

Com muita mais razão temos de preparar a grande festa da Páscoa, preparada pelo próprio Cristo, tendo sido tentado e testado de todas as maneiras, passando quarenta dias no de- serto, rezando e fazendo penitência. Sofreu toda a paixão de forma voluntaria para se oferecer por toda a humanidade.

Por isso, nós cristãos, unimo-nos em cada ano, durante os quarenta dias que Jesus passou no deserto, tempo que desde o início de cristianismo se constituiu num tempo especial de preparação para a grande festa da Vigília Pascal, pelo que ainda nos nossos dias, a Igreja convida-nos a preparar a Pás- coa de forma sóbria, com orações mais intensas e com gestos de fraternidade.

Este o é tempo de reconciliação, de assumirmos a busca pela justiça, pela dignidade e pelo nosso contributo pessoal para a paz, irmanando-nos de forma solidária à paixão da huma- nidade, que neste tempo de grave crise mundial sofre sem rumo certo, em que uns vivem desafogadamente e outros numa luta desesperada para sobreviver, sem o mínimo de dignidade humana.

António Pedro Costa Deputado Regional dos Açores

humana. António Pedro Costa Deputado Regional dos Açores Esta quadra só tem sentido se nos associarmos

Esta quadra só tem sentido se nos associarmos à paixão dos que sofrem, pois é o próprio Cristo que sofre. De nada va- lerá compungirmo-nos com as cerimónias deste tempo, se não sentirmos o peso da cruz que muitas crianças, homens e mulheres carregam no dia-a-dia, bem como daquela que car- regamos nós próprios. É o sentido da solidariedade e, através dela, a preparação dos caminhos de um mundo melhor, mais fraterno, em direção à Ressurreição.

Por isso, o jejum, a penitência e a oração a que somos cha- mados a fazer neste período, serão totalmente destituídos de valor e sentido se não forem acompanhados de obras de ge- nerosidade, pois só assim será verdadeiramente agradável a Deus, por consistir em libertarmo-nos do egoísmo e ajudar- mos o próximo.

A Quaresma ajuda-nos, assim, a descobrir as necessidades

do próximo e a lembrarmo-nos que podemos encontrar uma

maneira segura de irmos ao seu encontro, renunciando a algo

de pessoal. Desta forma, a Páscoa que se avizinha terá mais

sentido na nossa vida, mesmo com as amêndoas e os ovos de chocolate, que apesar de supérfluos, nos podem ajudar a meditar neste grande acontecimento da humanidade.

Sede de viver

ou de morrer?

Todos os anos, milhares de finalistas portugueses do ensino secun- dário elegem Lloret de Mar em busca do paraíso e da memória de uma viagem inesquecível, com muitos excessos à mistura. Vão à

procura da diversão e festas nas mais de 50 discotecas e bares que

a estância balnear oferece.

Em Lloret de Mar o dia começa entre as 12 e as 14 horas. Mete

praia, piscina, muita conversa, gritos, cantorias, alegria

e álcool:

às cinco já há quem beba vodka nos corredores dos hotéis. Depois

é até de madrugada.

Os apelos surgem nas agências de viagens com pacotes low-cost, “super ofertas” que variam entre os 199 e os 350 euros (entre os 263 e os 463 dólares canadianos), com a hipótese de extras, como excursões a parques temáticos e a compra de vários tipos de cartões para aceder aos espaços nocturnos.

“É tempo de saborear o que a vida tem de melhor. Imagina um cartão que te dá 16 bebidas, acesso a 5 discotecas, bares e 10% de desconto no Burguer King”, diz o slogan de uma das várias agên- cias especialistas em viagens de finalistas. Essas mesmas agências descrevem assim a cidade: “Muitos hotéis, praia simpática e muita vida nocturna garantem uma semana de puro divertimento e o facto de ser tudo muito próximo permite que as deslocações possam ser feitas a pé”.

Foi precisamente neste município espanhol que no passado dia 25 de Março morreu um jovem português de 17 anos, após ter caído da janela do quinto andar do empreendimento hoteleiro em que estava

alojado, durante a viagem de finalistas do 12.º ano da Escola Secun- dária de Castro Verde, com outros 21 colegas. No entanto, este não

é caso único, pois já em 2010 houve neste local um outro acidente mortal: um estudante de Lamego também caiu da varanda de um hotel, na zona da piscina.

A agência de viagens em causa vem agora a público dizer que havia

lá 80 monitores e que não havia álcool nem drogas, ao contrário do que está normalmente associado a este tipo de viagens.

Cristina Alves jornalista (Lisboa)

a este tipo de viagens. Cristina Alves jornalista (Lisboa) Mais do que um negócio de milhões

Mais do que um negócio de milhões e uma forma de turismo de massas em época baixa, estas viagens já se converteram, infeliz- mente, numa fonte de problemas e dores de cabeça para muita gen- te, especialmente para os pais. E mesmo quando as noticias não são tão trágicas como esta, todos os anos há pais que têm que ir buscar

os filhos detidos pela policia depois das queixas de hotéis e lugares

e mesmo assim não há quem ponha mão neste assun-

to e as viagens e os problemas repetem-se ano após ano.

Tal como no ano passado, a GNR decidiu tentar prevenir com re- vistas minuciosas aos autocarros à saída do país e com aquela que chamaram «Operação Ibiza» abreviaram a viagem a pelo menos sete jovens que irão passar uns tempos, não em Lloret de Mar ou em Ibiza, mas sim num qualquer calabouço, acusados de tráfico de drogas.

de diversão

No entanto, por mais que se façam «Operações Ibiza» na fronteira, por mais que a polícia e os seus cães confisquem os autocarros à procura de droga, por mais que as escolas ‘encham’ os estudantes

de panfletos informativos sobre os perigos deste tipo de férias, eles

não estão ‘nem aí’ para os avisos

parte da idade e não vale a pena insistir em fazê-los mudar de com- portamento.

Para mim, mais grave é saber que as escola não têm nada a ver com a organização destas viagens, que é organizada por jovens, na sua maioria menores de idade. São eles que se organizam e viajam por

sua conta e risco

Após ouvir a noticia eu e o meu marido chegámos a um consenso

imediato e por muito que nos vá custar a nós, e à nossa filha, não vai

haver viagens destas para ninguém

porque são adolescentes. Faz

e os pais autorizam tal coisa!

pelo menos no final do liceu.

6 6 Comunidades Mensagem 20 de Junho 2011 02 Abril 2012
6 6
Comunidades Mensagem
20 de Junho 2011
02 Abril 2012
6 6 Comunidades Mensagem 20 de Junho 2011 02 Abril 2012
02 Abril 2012 Comunidades . 7
02 Abril 2012
Comunidades . 7

Festival Internacional de Tunas uma vez mais no Canadá

O Povo (que somos) abraçou as Tunas e enalteceu a tradição

*De parabéns a nossa Luso-Can Tuna

Tunas. As Tunas são, no fundo, a alegria da nossa gente mais jo- vem. Rapazes e raparigas, por norma estudantes universitários, juntam-se. Cantam. Pulam e dançam. E fazem vibrar com a sua juventude, sim, mas também com o repassar das nossas tradições. Assim sendo, os de cá – os jovens de cá – não poderiam faltar à

chamada. E temos, de facto, uma Tuna

em garridice e entusiasmo. Agora foi o Festival Internacional de Tunas. A apresentação foi quinta-feira no Victoria College da Uni- versidade de Toronto.

O Festival Internacional de Tunas 2012 teve lugar, neste sábado,

no prestigioso Queen Elizabeth Theatre. “

TUDO!” No Victoria Col-

lege, não ouvimos o “grito” apoio mas poderíamos tê-lo ouvido. De resto, nos corredores da “espera” e nas bancadas do “interesse”, fomos ouvindo muitos dos componentes das Tunas que nos visi- tam e anotámos que, de uma forma geral, todos são unànimes em enaltecer o esforço e o saber de todos quantos compõem a nossa Luso-Can Tuna. Como o fez António Neto, da Estudantina de Coimbra. Ou Márcio Santos, do Porto.

Tratou-se do quinto Festival Internacional de Tunas no Canadá, fei-

to pela Luso-Can Tuna “a única tuna na América do Norte”. Uma

e pela Luso-Can

Tuna

que tem muito para dar

não vai nada

nada

nada

?

Tuna que ainda vai crescer mais. Jorge Silva, por um lado, e Chris Freitas, por outro, disseram-nos

Silva, por um lado, e Chris Freitas, por outro, disseram-nos da sua satisfação em receber tantos

da sua satisfação em receber tantos ilustres “tunos”. Para Chris

Freitas – ele que está envolvido noutros estilos de ser comunida-

– é tudo uma alegria. Uma satisfação. A certeza de que assim

vai continuar.

Dos objectivos primordiais da Tuna – da nossa Tuna - os mais significativos são promover o interesse e o orgulho entre os jovens luso-canadianos pelas suas raízes culturais, estabelecer um grupo unido de amigos que desfrutem da sua juventude, e espalhar a sua alegria em diversos lugares, contagiando as pessoas em seu redor. Agora, foi também misturar tudo isso com Tunas semelhantes que vêm de outras paragens.

de

Talvez começar pelo fim. Com a actuação das 3 turnas em palco. Com a nossa gente de cá a mostrar que sabe receber e organizar. Os de cá, falando em público ou não, a dizer tudo quanto lhe ia na

falando em público ou não, a dizer tudo quanto lhe ia na alma. Tudo, afinal, que

alma. Tudo, afinal, que ia na alma de quantos – e foram algumas centenas – compareceram no Queen Elizabeth Theatre e deram, como público, o seu contributo e o seu apoio.

Entenda-se que o espectáculo em si, em quase todas as suas fases, notável e brilhante, foi mais do que isso. Como ouvimos dizer a vários dos intervenientes, foi o abraço da saudade que trouxeram ao Canadá, especialmente (mas não só) à comunidade portuguesa do Canadá, e levaram para lá.

à comunidade portuguesa do Canadá, e levaram para lá. Para as terras de onde vinham. Balizadas,
à comunidade portuguesa do Canadá, e levaram para lá. Para as terras de onde vinham. Balizadas,

Para as terras de onde vinham. Balizadas, talvez, pelo Porto (a Uni- versidade Católica Portuguesa do Porto ) e por Coimbra (Estudanti-

na Universitária de Coimbra). Mas escorrendo para outras cidades,

vilas e aldeias de onde os componentes das Tunas eram oriundos.

Foi, de facto, um espectáculo de cor e alegria. Saudado, aqui e

além, com manifestações de gáudio e de satisfação. De resto, a irre- verência estudantil ou a ousadia dos jovens – que as Tunas compor- tam – foi-se transmitindo aos poucos a quantos estiveram no Queen Elizabeth Theatre e ajudaram a fazer o espectáculo. Um espectácu-

lo de cor e alegria que haveria de contagiar tudo e todos.

De qualquer modo, ambas as Tunas, para além das placas de par-

ticipação – todas a tiveram – mereceram os elogios que fomos ou- vindo nos corredores e no decurso de todo um espectáculo, cheio

de cor e alegria – deixem-nos repetir – e que ocorreu durante quase

três horas, tantas quantas as horas que as Tunas passaram a desfilar

e a actuar.

Uma noite bem passada.

Melhor Tuna e Melhor Pandeireta, foram para Coimbra. Melhor porta-estandartes e Vocal, Porto.

Para a Luso-Can Tuna, organizadora, que para o efeito, não estava

a concorrer, o apoio do público e a certeza de que se tratou de uma

organização a sério, muito sui generis, virada, afinal, para os gran- des cometimentos nesta jornada (que já leva anos) de promover e manter a tradição das Tunas entre nós.

E a “nossa” Luso-Can Tuna?

A Luso-Can Tuna nasceu – ou, melhor, “foi baptizada” – a 14 de

Março de 1998, pela madrinha – mui nobre e ilustre – Tuna Aca-

de 1998, pela madrinha – mui nobre e ilustre – Tuna Aca- démica da Universidade dos
de 1998, pela madrinha – mui nobre e ilustre – Tuna Aca- démica da Universidade dos
de 1998, pela madrinha – mui nobre e ilustre – Tuna Aca- démica da Universidade dos

démica da Universidade dos Açores. Mas, de facto, já antes em Setembro de 1997, quando alguns elementos da Tuna madrinha se deslocaram ao Canadá e desafiaram alguns jovens a começar

a já histórica (porque única no Canadá e Estados Unidos) Luso-

são

muitos mais e contam por muitos os espectáculos que dão na comu- nidade luso-canadiana e na comunidade canadiana em si. Espectá-

culos fora de portas? Muitos em Portugal (Insular e Continental), no Canadá de expressão Francesa e nos Estados Unidos. E mesmo em Lisboa já foi distinguida como a Tuna Mais Tuna, isto é com mais espírito de Tunas.

E – podem crer – a nossa Luso-Can Tuna vai crescer ainda mais.

Sarau alegre na Casa do Alentejo Outra enchente de gente no Salão Azul da Casa do Alentejo na passada Sexta-feira, dia 30 de Março, com a presença de 3 tunas, duas das quais vindas expressamente do Porto e de Coimbra para a participação do Festival Internacional de Tunas no Canada ou FITC no Queen Elisabeth Theatre. Os elementos das Tunas presentes jantaram no salão nobre desta nossa Casa Regional dado que o Salão Azul se encontrar repleto de amigos e amantes desta expressão cultural académica. Finalizado o repasto foi a vez do espectáculo no salão adjacente, o já referido Salão Azul, onde apenas actuaram as Tunas de Coimbra

e do Porto que não é necessário descrever a alegria e participação

por quantos ali presentes, até houve “pezinho-de-dança”, nas músi-

cas do nosso cancioneiro e tradicionais, por estudantes e presentes

e os académicos gozam de fama de foliões que quando se juntam

nas festas estas só terminam bem na madrugada. E foi quase o que aqui aconteceu. Todos eles nos deram um “ar” das “Republicas” e das tradicionais “Queima-das-Fitas” e das “Rusgas”. Por várias razões estas Tunas chegaram até nós muito desfalcadas pois a do Porto (Universidade Católica Portuguesa do Porto) um grupo formado por 40 elementos só 16 puderam deslocar-se até nós. A de Coimbra, uma das mais antigas de Portugal, com 125 anos, só trouxe 32 dos seus músicos e acompanhantes. Mas mesmo longe dos seus números estas Tunas mostraram, nas suas actuações,

o encanto e a boa preparação que faz jus este tipo de cultura acadé- mica, secular, como é no caso da Universidade de Coimbra. A Academia do Bacalhau, uma colectividade filantrópica a nível mundial, esteve em força presente e pelas mãos da sua presidente local, a Marina Candeias, foi entregue ao líder da Tuna Académica de Coimbra, um envelope com uma certa quantia em numerário para ajuda na deslocação a Toronto. O responsável desta Tuna re- tribui ofertando um medalhão de bronze comemorativo por ocasião dos 115 anos e de imediato pondo uma das capas negras nos om- bros da Marina “promovendo-a” com o grau de Doutora Honoris Causa. E depois foi a saudação colectiva bem marcante nestas ce- rimónias estudantis.

-Can Tuna. Eram, na altura do “nascimento”, 17 jovens. Hoje

8 . Comunidades 02 Abril 2012
8 . Comunidades
02 Abril 2012

Ministro Charles Sousa fala a ABC

Importante no Orçamento é não deixar ninguém para trás

Fernando Cruz Gomes

*Um Orçamento equilibrado que tem tudo para ser considerado honesto

Charles Sousa é um “gentleman”. Daqueles que vive a

vida, olhando para os outros. E aceitando os desafios da

sua vida, em função da vida dos outros. Por isso, quase

fora de horas, atendeu o Jornalista, aceitou as suas perguntas, entendeu a necessidade que temos de fazer coisas. E nós, no fundo, só queríamos saber como é que ele – agora Ministro da Cidadania e Imigração – vê o Orçamento que está, agora, no Parlamento, à espera de uma aprovação que é “essencial”.

à espera de uma aprovação que é “ essencial ”. “É importante para ele que não

“É importante para ele que não esqueçam que o

Ontário foi uma terra de oportunidade para eles

e para muitos dos da sua geração. É preciso que

continui a ser para todos, para os mais jovens. Diz-

se grato pelo que o Ontario lhe permitiu fazer e reconhece que o Governo, em que estou integrado, tem feito muito”, mas diz, ainda, que “é preciso fazer mais, até porque o que vamos fazendo dá-nos responsabilidade para fazer ainda mais

fazendo dá-nos responsabilidade para fazer ainda mais Logo de início, atirámos-lhe como uma questão: se ele

Logo de início, atirámos-lhe como uma questão: se

ele fosse Jornalista, como é que fazia uma síntese, a

jeito de resumo, deste Orçamento, a que nos referimos noutro local desta edição.

Para Charles Sousa, “este é um dos orçamentos mais importantes dos últimos anos. É para proteger o Futuro. De facto, nós fizemos muito nestes últimos 8 anos e é por isso que temos, agora, de saber actuar, especialmente até para acautelar as vitórias que já tivemos nos sectores da Educação e da Saúde”.

E, como resumo geral, Charles Sousa vai deixando cair uma ideia: “importante, neste orçamento, é não deixar ninguém para trás. O que fizemos de bom e o que estamos a fazer é, afinal, para todos”.

Como é que o cidadão comum vê o Orçamento?

A determinado momento dissemos-lhe que os

orçamentos – este como os outros – são feitos para os cidadãos. Perguntámos-lhe, assim, como é que o cidadão António Sousa e os seus amigos entendem as fases mais duras e menos boas do Orçamento.

“Acho que ele gostou e os seus amigos também. Ele, então, a toda a hora me diz para eu me não

esquecer dos meus filhos

e dos filhos dos outros”,

acentua Charles Sousa, para quem o pai é um dos seus apoiantes, mesmo em notas de conselho e aviso.

um dos seus apoiantes, mesmo em notas de conselho e aviso. De conversa em conversa ainda

De conversa em conversa ainda falámos na alteração dos benefícios dos medicamentos. Interrogámos o ministro sobre se isso não vai penalizar os que mais necessitam. Charles Sousa entende que não. Só atinge, afinal, 5% dos que mais podem, já que 95% dos beneficiários continuam o mesmo sistema. “Nós todos queremos que o que temos de bom se não perca. E é nisso que vamos investir”, concretiza Charles Sousa.

Reforçar a economia

Decerto que haverá duas ou três razões que sustentem a ideia das prioridades deste Governo, ou seja, reforçar a economia e estimular a criação de empregos.

“Naturalmente que sim. Importa que continuemos

a investir para criar mais postos de trabalho. Não

aumentar as taxas. Até para podermos sustentar o sistema de Educação e da Saúde. São, afinal, opções que até a Oposição sempre traz a terreiro ”

Ainda perguntamos a Charles Sousa qual seria o Partido que, face a tudo o que está subjacente no Orçamento, deveria apoiar o Governo. Charles Sousa achou que não valeria a pena individualizar. Para ele, “estamos a ajudar os negócios, por um lado, e os trabalhadores, por outro”. E avança que “estamos a ir ao encontro dos que mais necessitam. E mesmo que, aqui e além, se cortem alguns incentivos, estamos a continuar a levar a cabo os principais ”

Entende Charles Sousa que as eleições não são opção, de forma alguma. “Até por se tratar de um Orçamento equilibrado, que vai de encontro a muitos problemas que vamos sentindo, no dia-a- dia. E que, de resto, já fomos fazendo nos últimos anos”.

parece ser a tónica dominante deste

Orçamento. Será que é possível ao cidadão médio poupar ainda mais?

Poupar

poupar

“A verdade é que estamos a dar oportunidades a

para poderem poupar. Que não vai ser fácil,

nós sabemos. Mas a verdade é que todos têm de fazer a sua parte. Chega a parecer que o Governo está a fazer a sua ”

Orgulho em ser luso-canadiano

todos

A falar para um Jornal português, era natural que puzéssemos Charles Sousa a deixar uma mensagem final para os Portugueses e Luso-Canadianos.

“Os Luso-Canadianos – e eu tenho orgulho em ser luso-canadiano – entendem que é cada vez mais importante participar na vida activa da

Província. E hoje há luso-canadianos de terceira e

que começam a olhar para nós

quarta gerações

e a entender o que nós fazemos. Há cada vez mais gente, entre os mais novos, que se interessam até

até na sua

por falar Português. Falar Português qualidade de Canadiano”.

T.L.DUTRA Professional Legal Services Immigration - Small Claims Court- Criminal Summary Landlord & Tenant /
T.L.DUTRA Professional Legal Services
Immigration - Small Claims Court- Criminal Summary
Landlord & Tenant / Ontario Court of Justice / Labour
Tony L. Dutra
533 College Street , Suite 306, Toronto ON,
Canada M6G 1A8
Telephone: (416) 532-8400 - Fax (416) 532-6906
E-Mail: dutralegal@sympatico.ca L.S.U.C - P00405
02 Abril 2012 Comunidades. 9
02 Abril 2012
Comunidades. 9

Em “Semana de São Orçamento” há muito para pensar

O orçamento 2012 do Ontário parece incluir um plano de

eliminação do défice que reduz gastos no crescimento do programa e contém os custos em 17,7 biliões nos próximos

três anos, aumentando as receitas em 4,4 biliões sem aumento

de impostos.

Segundo a nota do Governo, trata-se de um programa austero em tempo de austeridade e coloca o Ontário no bom caminho para eliminar o défice até 2017-18. Mais de 50 centavos de cada dólar gasto pelo governo de Ontário para a compensação dos professores, médicos e outros profissionais no sector público. Tendo em conta o

sério desafio fiscal agora a espreitar a província, os custos de compensação devem ser devidamente geridos se o governo quizer cumprir os seus objectivos orçamentais e proteger os ganhos obtidos nos últimos oito anos nos sectores da educação e saúde.

O processo de negociação colectiva será respeitado. Sempre

que não for possível obter os acordos consistentes com o plano para equilibrar o orçamento e proteger os serviços prioritários, o governo está disposto a propor as medidas administrativas e legislativas necessárias.

• Por outro lado, o governo pretende introduzir

uma série de medidas para tornar as pensões do sector

público mais acessíveis aos contribuintes e sustentáveis para os membros do plano de pensões, após consultas com

as partes interessadas afectadas. Por exemplo, nos casos

em que as pensões entrem a provocar um défice, muitos

em que as pensões entrem a provocar um défice, muitos trabalhadores do sector público seriam convidados

trabalhadores do sector público seriam convidados a reduzir benefícios futuros antes de procurar contribuições para pensões suplementares de empregadores ou do governo. Os reformados atuais não serão afetados.

Equilibrar o Orçamento

• O orçamento de 2012 propõe uma acção forte para

equilibrar o orçamento, 2017-18, incluindo:

• Implementação de poupança de 4,9 biliões em três

anos.

• Congelar a taxa de imposto de renda e negócios

até que o orçamento esteja equilibrado.

• • Limitar o benefício de energia limpa de Ontário

em 3.000 kWh por mês.

• • Alterar o programa de benefícios de medicamentos

do Ontário para que cerca de cinco por cento dos idosos -

aqueles com renda mais elevada - paguem uma parcela maior de sua prescrição de medicamentos.

• • Estender o congelamento dos pagamentos aos

Deputados provinciais por mais dois anos - num total de

cinco anos. • Estender o congelamento, por mais dois anos, dos

pagamentos de executivos de hospitais, universidades,

biliões em 2014-15. Em vez disso, ele deverá ser de 10,7

• Integrar ainda mais programas de treino em

faculdades, conselhos escolares e agências. O défice para 2011-12 fixado em 15,3 biliões -1 bilião a

todo governo para os tornar mais adequado ao mercado de trabalho de hoje.

menos do que há um ano e uma melhoria de mais de 38 por

cento do défice de 2009-10. Sem as medidas anunciadas no

Transformação de cuidados de saúde - O governo

orçamento de 2012, o défice deveria aproximar-se dos 25

biliões nesse ano fiscal.

vai avançar com o plano de acção para os cuidados de saúde, criando um sistema de saúde sustentável e de alta qualidade por:

O Governo continuará a concentrar-se nas suas

• Transformar o sistema de saúde por forma a reduzir a

prioridades a fim de reforçar a economia e estimular a criação de empregos.

taxa de crescimento da despesa média de 2,1 por cento, anualmente, durante os próximos três anos

• Reforço dos cuidados baseados na Comunidade para tratar

Postos de trabalho e prosperidade - Para ajudar

pacientes em configurações alternativas tais como clínicas

a construir um forte e diversificado Ontário que permita à empresa investir em inovação, melhorar a produtividade e

sem fins lucrativos e em casa em vez de nos hospitais, se for caso disso

e em casa em vez de nos hospitais, se for caso disso tornar-se mais globalmente competitiva,

tornar-se mais globalmente competitiva, o Governo irá:

• Consolidar muitos programas de suporte de

negócios em postos de trabalho e fundo de prosperidade que se concentrará na produtividade, crescimento e criação de emprego, ao mesmo tempo, gerando uma economia global

de 250 milhões em 2014-15.

• Estabelecer um Conselho multilateral de

empregos, destinado a aconselhar o governo num plano

para aumentar a produtividade e conduzir uma agenda de investigação sobre produtividade e inovação.

• Diversificar as exportações para as economias

emergentes, racionalização e coordenação das actividades

de promoção do comércio dos ministérios competentes.

de promoção do comércio dos ministérios competentes. • • continuar a insistir no plano de ter

continuar a insistir no plano de ter a força de trabalho, para garantir a futura prosperidade da economia baseada no conhecimento, por:

Conhecimentos e habilidades - O governo vai

• • Implementação total no jardim de infância a tempo inteiro em setembro de 2014.

* Segundo o Governo, trata-se de um plano para equilibrar

o orçamento, criar

postos de trabalho

e proteger a saúde

e a educação

“Estamos a fazer as escolhas certas para garantir que as famílias de Ontário estão a receber os melhores serviços

possíveis e a garantir o melhor valor para o dinheiro dos impostos. Todos nós temos um papel a desempenhar no equilíbrio do orçamento”, disse Dwight Duncan, Ministro das Finanças, que acrescentou que “construir um forte Ontário exige uma acção forte. Iremos fazer as escolhas certas para proteger os ganhos vitais que fizemos juntos. Quando fazemos essas escolhas, vamos escolher proteger a educação e os cuidados de saúde”.

• Regista-se que, em 2011, foram criados mais de

121.000 empregos no Ontario — com emprego em tempo

integral a aumentar por 123.400.

O custo da dívida é cerca de 10 biliões, a terceira

maior despesa anual atrás de cuidados de saúde e educação. Para colocar isto em perspectiva, o Ontário gasta mais com

juros por ano do que em faculdades e universidades.

Para colocar isto em perspectiva, o Ontário gasta mais com juros por ano do que em
10 . Comunidades 02 Abril 2012
10 . Comunidades
02 Abril 2012

Aristides Dos Leitões - nova aposta na St Clair Avenue West

Dos Leitões - nova aposta na St Clair Avenue West Aristides e Palmira Pereira com a

Aristides e Palmira Pereira com a filha Rebeca a porta

Num mundo cheio de noticias chatas, de tempos perigosos,

e de histórias de economias frágeis, é sempre bom saber que

temos razão

vontade de apostar em ideias novas, há progresso procurá-lo.

No Sábado, dia 31 de Março, o repórter ABC encontrou-se na St Clair Avenue West em Toronto mais concretamente no numero 1686, umas portas ao lado de outro negocio que

Basta

nem tudo é assim. Por vezes há bondade, há

abria as portas sobre gerência portuguesa chamado Sweet Tooth Tea House, e que ABC deu a conhecer algumas edições atrás.

Neste fim de semana abria as portas a nova churrasqueira “Aristides Dos Leitões” praticamente ali naquele mesmo lugar. A St Clair Avenue West parece não saber que como muitos dizem por ai que “estamos em crise”, parece não saber que é preciso “apertar o cinto ainda mais”, e parece saber que ter medo de dar um passo em frente… não é bom. Ainda bem que assim é.

No Sábado quando abriram as portas da churrasqueira Aristides Dos Leitões encheu-se a sala de muita gente que ia experimentar a nova casa, conhecer melhor os novos vizinhos e petiscar um sabor novo naquela área. Quando por lá passámos estava já meia casa cheia. Encontramos caras conhecidas na comunidade como foi o caso de Peter Ferreira que nos disse “saber um segredo” sobre os novos proprietários já que eram “da mesma terra” - “Eles vão fazer mais e melhor, porque sabiam como fazer.” Bem, a frase ficou, e ficou registado no nosso caderno também os muitos votos de confiança daqueles que por lá passavam.

Religião e Fé

O Dia de Ramos

Rev. João Duarte

Religião e Fé O Dia de Ramos Rev. João Duarte O Dia de Ramos ou seja

O Dia de Ramos ou seja o Domingo das Palmeiras, está marcado no nosso calendário para ser celebrado neste ano no dia 1 de Abril. Aproximadamente à dois mil anos atrás, Jesus entrou na cidade de Jerusalém montado num jumentinho. A multidão e os seus discípulos receberam-no muito alegres, colocando os seu vestuário no caminho e outros cortaram ramos de árvores, dando louvores a Deus.

Os evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas descrevem o evento dizendo que cortaram ramos das árvores e os puseram no caminho. Todavia, o evangelho de João diz que as pessoas cortaram ramos de palmeiras (João 12:13). Por isso, a igreja, na sua tradição, diz que este dia é chamado o Dia de Ramos ou seja o Domingo das Palmeiras. O Domingo das Palmeiras aconteceu aproximadamente uma semana antes de Cristo ter morrido e ressuscitado dos mortos. Assim, hoje iremos examinar o significado do Dia de Ramos.

Para os discípulos de Cristo, especificamente os apóstolos que conviviam constantemente com ele, Jesus mais uma vez manifestou que ele era o Messias de que todos estavam à espera.

Os quatro evangelhos relatam que Jesus enviou dois dos seus discípulos à cidade, e quando lá chegassem haveriam de ver uma jumenta presa junta com um jumentinho (Mateus 21:2; Marcos 11:2; Lucas 19:30; João 12:14). Jesus mandou-os soltar o jumentinho e se alguém perguntasse alguma coisa deviam dizer:

Porque o Senhor precisa dele.” (Lucas 19:31). O facto que Jesus sabia exactamente, sem ver com os seus olhos físicos, que os dois discípulos iriam encontrar um jumentinho e que Ele sabia que as pessoas haveriam de perguntar por que é que eles estavam soltando o jumentinho e que Ele sabia que haveriam de deixar levar o animal, mostrou aos seus discípulos que Jesus tinha grande poder e era o Messias que esperavam.

Além do grande poder que Jesus manifestou neste pequeno incidente, também aprendemos que a Bíblia

é um livro inspirado por Deus. Seiscentos anos antes de Jesus Cristo ir montado num jumentinho, o profeta Zacarias escreveu esta profecia: “Eis que o teu Rei aí te vem manso, e assentado sobre uma jumenta, e sobre um jumentinho, filho de animal de carga(Zacarias 9:9; Mateus 21:4-5). Jesus sabia desta profecia e para que se cumprisse ele enviou os seus discípulos a buscar o jumentinho.

A multidão da cidade de Jerusalém, no Dia de Ramos recebeu o Senhor Jesus Cristo com muita alegria e cantaram o seguinte cântico: “Hosana ao Filho de David; bendito o que vem em nome do Senhor, Hosana nas alturas!” (Mateus 21:9). Se um estranho estivesse em Jerusalém e visse a multidão naquele dia tão alegre cantando aquele cântico, diria que realmente aquelas pessoas tinham fé que Cristo fosse o Messias de que estavam à espera.

Todavia, todo este barulho da multidão foram palavras ditas sem uma fé verdadeira em Cristo, porque uma semana depois, a mesma multidão clamava dizendo:

Seja crucificado” (Mateus 27:22-23).

Alguns dos fariseus. quando ouviram a multidão toda contente cantando, “Bendito o Rei que vem em nome do Senhor; paz no céu, e glória nas alturasficaram indignados e disseram a Jesus “Mestre, repreende os teus discípulos” (Lucas 19:39). Noutras palavras, eles não acreditavam que Jesus fosse o seu Messias, o Salvador, e então queriam que Jesus os mandasse calar, porque no seu pensamento a multidão estava enganada. A resposta aque Jesus lhes deu foi o seguinte:

Digo-vos que, se estes se calarem, as próprias pedras clamarão” (Lucas 19:40). Reparem que Jesus lhes disse que até as pedras em Jerusalém sabiam quem era aquele que ia montado no jumentinho. Portanto, embora a multidão não tivesse a fé verdadeira, mas as palavras que cantaram naquele dia estavam certíssimas. Jesus, o Rei do mundo, entrou em Jerusalém humildemente, para dar salvação e paz àqueles que o aceitam como seu Salvador.

salvação e paz àqueles que o aceitam como seu Salvador. Apostar em ideias novas Para nós

Apostar em ideias novas

Para nós que lá estivemos e vimos, certamente que vamos passar lá mais vezes e convidamos a toda comunidade a passar pela nova casa para experimentar o bom sabor. Para encomendar alguma coisa também deixamos aqui um numero de telefone (416) 656-3959.

também deixamos aqui um numero de telefone (416) 656-3959. Quando por la passamos estava já meia

Quando por la passamos estava já meia casa cheia

Para Aristides, Palmira e Rebeca Pereira, ABC deixa aqui os nossos comprimentos, e nossos votos de sucesso

Alergias e doencas são provocadas pelo pó, por pelos de ani- mais, ou por bacterias
Alergias e doencas são provocadas pelo pó, por pelos de ani-
mais, ou por bacterias e fungos que permanecem no sistema
A MELHOR
SOLUÇÃO
SERÁ Contactar
Manuel ou Mike
telf: (416) 536 3828
(416) 537 4296
EUROPA DUCT CLEANING
(Uma divisão de EUROPA HEATING & AIR CONDITIONING)
Email - info@europaair.net
europa@rogers.com
Webpage
- www.europaair.net
Deslocações a várias cidades do Ontário
02 Abril 2012 Mensagem . 11
02 Abril 2012
Mensagem . 11
O executivo da local 183 e todos os seus representantes e funcionários saúdam a grande
O executivo da local 183 e todos os seus
representantes e funcionários saúdam a grande
família sindical, agradecendo a comunhão de
sentimentos e fraternidade desejando aos sócios e
suas famílias e a comunidade em geral
UM FELIZ PÁSCOA
Jack Oliveira
Business Manager
Luis Camara
Secretary Treasurer
Nelson Melo
President
Bernardino Ferreira
Vice-President
Marcello Di Giovanni
Recording Secretary
Jaime Cortez
E-Board Member
Patrick Sheridan
E-Board Member
Head Office
1263 Wilson Avenue, Toronto ON M3M 3G3
416 241 1183 ph • 416 241 9845 fx
1 877 834 1183 toll free
Simcoe County Office
62 Commerce Park Drive Units D&E, Barrie ON L4N 8W8
705 735 9890 ph •
705 735 3479 fx
1 888 378 1183 toll free
Eastern Office
560 Dodge Street, Cobourg ON K9A 4K5
905 372 1183 ph • 905 372 7488 fx
1 866 261 1183 toll free
12 . Crónica do tempo que passa 02 Abril 2012
12 . Crónica do tempo que passa
02 Abril 2012

Entrevista com

Deus

O pior é quando o homem

se esquece de si

Fernando Cruz Gomes

Já deixei esta nota noutros Jornais. É uma das minhas imagens de marca, se assim mo permitirem.

O padeiro é bem capaz de sonhar com pão. O mecânico

com as manigâncias do automóvel. O camponês é bem capaz visionar a terra com enormes plantações. E o Jornalista? Com que sonhará o Jornalista? Pois com artigos e reportagens, notas, “caixas” e “sueltos”.

Deus.

E não se admirem porque não fui único. Aliás, tenho

de confessar que só devo ter sonhado com a minha entrevista por ter lido uma outra idêntica, de autor

anónimo, que a Internet me atirou aos olhos e à mente.

Decerto que foi por isso que eu

Não me perguntem como é que eu cheguei à fala, porque eu também não sei. Ouvi-O apenas dizer um “Entre

disseram-me que me queria entrevistar

retorqui. Que sim

Ele sorriu. Olhou-me de alto a baixo e foi-me dizendo: “O meu tempo é eterno, suficientemente eterno para fazer

todas as coisas

Senti-me mal. Olhei-me ao espelho da minha imaginação

e senti-me ridículo. Arrependi-me de ter entrado no jogo

sonho. O que é que surpreenderá

mais a Deus esta humanidade que Ele criou e deixou por

aí. Era isto que eu queria perguntar. Nem sei sequer se

a pergunta me foi soprada por Ele

sabe, sabendo e vendo que eu não sabia o que dizer.

Na Humanidade – foi dizendo – surpreende-me o facto do homem se aborrecer de ser criança e deseje

logo crescer. E depois, logo a seguir, queira, de novo, ser menino. Por outro lado, não entendo que o homem desperdice a saúde para fazer dinheiro e depois perca dinheiro para restaurar (tentar restaurar) a

saúde Deus foi andando com a sua palavra. “No fundo, é lamentável que o homem pense demasiadamente sobre o futuro, esqueça o presente e, depois, não viva nem o Presente nem o Futuro. É lamentável que o homem viva sempre como se nunca fosse morrer e morra, afinal, como se nunca tivesse vivido”.

Fez-se um silêncio (para mim ensurdecedor). Deus levou

a sua bondade até ao ponto de pôr a sua mão por sobre a

minha. Foi aí que até lhe consegui chamar Pai. E acabei

por lhe perguntar quais as lições da vida que Ele quereria

aprendessem. E ele, quase sussurando,

que os seus filhos

foi dizendo, com um sorriso bonito, que o homem tem de aprender que não pode fazer com que alguém o ame. O

certo é mesmo deixar-se amar. Que o mais valioso não é,

de forma alguma, o que se tem na vida

na vida. Que tem de aprender a perdoar

praticando o

mas quem se tem

perdão. “Que aprendam que o dinheiro pode comprar tudo excepto a felicidade”, insistiu. Que duas pessoas podem olhar a mesma imagem e a mesma coisa e vê-las de forma completamente diferente. É importante aprender,

afinal, que não são precisos mais do que alguns segundos

mas

para abrir profundas feridas nas pessoas amadas que são necessários anos, muitos anos, para as curar

Eu já não ouvia. Tinha a noção de que as palavras me entravam na alma. Que a entrevista não o era e mais

aquele filme dos “Dez Mandamentos”, em que

os 10

parecia

com fogo e persistência se escreviam na pedra mandamentos.

Torcendo as mãos, deixei cair um “Obrigado, Pai”. Ele

ainda soltou mais algumas palavras que eu ainda registei:

Estarei aqui sempre que alguém precise de mim. Só precisam de chamar por mim. Até porque todos

mas eu

jamais me esquecerei de cada um de vocês

A entrevista estava feita. Nunca soube como é que o

podem esquecer o que eu disse e o que eu fiz

sonho me surgiu. Acredito que foi por no dia anterior ter lido entrevista semelhante, de autor anónimo, numa nota que a Internet fez chegar até mim. A verdade é que Ele me

respondeu

E quando

acordei, fiquei sem saber se era mesmo um sonho ou se era uma introspecção mística que, às vezes, acontece a todos.

que tudo vê e tudo

do faz de conta do

Que sim,

Foi assim que, há dias, dei comigo a entrevistar

entrevistei a Deus.

se Ele tivesse tempo para me aturar.

mas que perguntas tem na mente?”

como tinha respondido ao outro

A Páscoa (que deveria ser) de todos

A Páscoa já não tarda. Os calendários já a apontam. E

os

meninos do nosso tempo já só vêem as guloseimas,

os

ovos, os chocolates. Talvez um ou outro ainda tenha

o folar da madrinha, algo que, entretanto,

nas cidades grandes onde vivemos, já caiu em desuso.

como sonho

não se usa. É coisa do passado

que os avós – mais

do

que os pais – contam ser hábito do antigamente. E

mesmo as festas de convívio com cabrito à moda da terra – pobre cabrito! – já não são o que eram dantes. Muito menos o beijar da Cruz, claro.

A Páscoa

para outras coisas. Para os meninos – se quiserem, à volta da fogueira, como diz a canção – aprenderem mais umas coisas. Aprenderem que ressuscitar – como diz o dicionário, onde fui esta manhã – é fazer voltar à

vida. É fazer reviver, renovar. É voltar a viver, depois de ter morrido. É ressurgir. Tudo palavras que são

muitos conceitos. Sempre

que cometemos uma daquelas patifarias, por pequena que seja, temos de ressurgir, temos de reviver, temos de renovar. Sim, porque o homem e a mulher nasceram para o bem. Quando pequenas – bebés lindos, não é? – não trazemos o ferrete da maldade. Ao contrário, somos boas, puras e honestas. Até nos chamam de anjos !

capazes de encerrar em si

da Ressureição deveria ser, no entanto,

Assim, há sempre ocasião de viver

nosso próximo – amigo ou até inimigo – e perdoar-lhe o que de mal nos possa ter feito. Seguir em frente, sem esse fardo. Ressurgir, afinal, para a tal nova vida.

outra vez. Olhar o

Quando ofendemos alguém peso “cá dentro”. Para o tirar ressurgir.

ficamos com um certo é ir pedir desculpa. É

Lara Ingrid

ficamos com um certo é ir pedir desculpa. É Lara Ingrid É, afinal, encararmos a tal

É, afinal, encararmos a tal Ressureição como coisa nossa. É, no fundo, cumprirmos a nossa razão de viver, porque, de facto, ninguém nasceu para fazer o mal. Pelo contrário

E isto sem falar até na religião. Sim, porque Páscoa da Ressureição é, para os católicos, a celebração da ressureição de Cristo. O que veio ao Mundo para nos salvar. E que os homens mataram. E que, para cumprir

ressuscitou. Morreu – deixou-se

o que estava escrito

matar – para, segundo a Bíblia, nos salvar. Depois, na

ressuscitou. E nós nem sempre

sua condição de Deus pensamos nisso.

Tudo bem. Mas deixa isso para lá

estar a dizer os que ainda nos lêem. Lembra antes as coisas boas que a Páscoa tem. O feriado. Os bolos.

– como nos devem

a reunião da

família. Eu quero ir, mais logo, a casa dos meus avós

brincar com os primos

um filme daqueles bonitos

Está bem. Eu deixo. Mas, na verdade, a Páscoa da

Ressureição não é isso

é só isso.

ou ver

Os chocolates. As guloseimas. Vá lá

andar à cabra-cega

Ou, então, se quiserem

não

A Páscoa no Mundo

Os festejos da Páscoa em todo o mundo possuem variações em suas origens e significados.

Na China - O “Ching-Ming” é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas, em forma de refeições e doces, para deixá-los satisfeitos com os seus descendentes.

Na Europa - As origens da Páscoa remontam a bem longe, aos antigos rituais pagãos do início da primavera (que no Hemisfério Norte inicia em março). Nestes lugares, as tradições de Páscoa incluem a decoração de ovos cozidos e as brincadeiras com os ovos de Páscoa como, por exemplo, rolá-los ladeira abaixo, onde será vencedor aquele ovo que rolar mais longe sem quebrar.

Nos países da Europa Oriental, como Ucrânia, Estônia, Lituânia e Rússia - A tradição mais forte é a decoração de ovos com os quais serão presenteados amigos e parentes. A tradição diz que, se as crianças forem bem comportadas na noite anterior ao domingo de Páscoa e deixarem um boné de tecido num lugar escondido, o coelho deixará doces e ovos coloridos nesses “ninhos”.

Nos Estados Unidos - A brincadeira mais tradicional ainda é a “caça ao ovo”, onde ovos de chocolate são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa. Em algumas cidades a “caça ao ovo” é um evento da comunidade e é usada uma praça pública para esconder os ovinhos.

No Brasil e América Latina - O mais comum é as crianças montarem seus próprios ninhos de Páscoa, sejam de vime, madeira ou papelão, e enchê-los de palha ou papel picado. Os ninhos são deixados para o coelhinho colocar doces e ovinhos na madrugada de Páscoa. A “caça ao ovo” ou “caça ao cestinho” também é utilizada.

Dra. Ema Secca ADVOGADA em Portugal Pode resolver-lhe todos os assuntos em qualquer área jurídica
Dra. Ema Secca
ADVOGADA em Portugal
Pode resolver-lhe
todos os assuntos
em qualquer área jurídica
CONTACTE
E TERÁ BONS
RESULTADOS
Tel: 214418910 (Lisboa)
Cel: 918825577
e-mail: emaseca@netcabo.pt
02 Abril 2012 Desporto . 13
02 Abril 2012
Desporto . 13

SEJAMOS justos e sinceros. ABC Portuguese Canadian Newspaper, a dois passos de fazer dois anos, deve muito do que é aos seus leitores e anunciantes. S

O Criador que seria, assim, o princípio e o fim de tudo neste Mundo em que vivemos. Talvez que seja altura para pensarmos em mudar a direcção da nossa vida.

a

cerimónias como o lava-pés, a Via Sacra, a

bênção do lume novo. Tudo como que em apelo para uma vida nova. A mensagem da Páscoa não é apenas para os outros.

ão eles, no fundo, que nos mantêm “no ar”, a

fazer cada vez mais e melhor. A tentar olhar o além e tentar atingir objectivos que estavam no nosso horizontes quando iniciámos a tarefa de dotar a comunidade de um semanário digno

Olhar os outros como seres iguais. Os familiares, naturalmente. Mas também os outros. Entender-lhes as fraquezas e olhar-lhes o exemplo.

É

para cada um de nós.

E

se ainda tivermos tempo para isso

se

 

acreditarmos que isso nos alivia das penas e

Para além do mais, o Cristo que ressuscitou disse, desde logo, ser o Caminho, a Verdade e a Vida! Que poderá querer dizer que ninguém deve esperar uma vida fácil e sem problemas. E que cada um, à sua maneira, deve fazer caminho para a sua vitória.

dos sofrimentos

se houver ainda lugar no

a olhar – muito mais do que as outras – as

notícias que dizem resopeito à Comunidade em que nos inserimos.

e

coração de cada qual para estes temas que são bem mais importantes do que as quezílias e o

desinteresse

elevemos aos céus uma prece.

É

um Jornal de cá

a acompanhar as coisas de

A

lembrar o Homem bom que se deixou matar,

cá.

Se for para seguir, os ensinamentos de Jesus Cristo – cuja ressureição agora se vai comemorar – vale a pena lembrar o seu entender e modo de servir para ser o maior amigo de todos. Aquele que se deu, em cada dia, e que terminou os seus dias, enquanto Homem, pedindo para todos nós “perdão”. Porque nós, de facto, às vezes, não sabemos o que fazemos. “Pai! Perdoai-lhes porque eles não sabem o que fazem ”

sim, mas que ressuscitou.

E

na Páscoa

apraz-nos “falar” com os leitores.

Talvez por isso, os teólogos dizem que a Páscoa

Deixer-lhes uma mensagem.

é a festa maior da Cristandade.

Que tem muito de gratidão pelo muito que nos têm ajudado.

É que se não houvesse a ressureição

o Natal

era bem capaz de significar muito pouco.

De resto, Pàscoa é tempo de ressurreição. Talvez a vitória da vida sobre a morte. E por entre as alegrias pascais, por entre o “bruá” dos encontros familiares, é tempo para lembrarmos, também, o tal Homem Grande que triunfou sobre a lei da morte.

Que seja uma Boa Pàscoa para cada um de nós. Para todos.

Na comunidade, em todas as igrejas, houve a azáfama das grandes ocasiões.

A

mensagem é, fundamentalmente, para os

leitores e anunciantes que nos ajudam, semana

 

após semana, a fazer um Jornal digno que, com

 

Com muitos milhares de pessoas a acorrerem

a

ajuda de todos, vai ainda crescer mais.

BUILDINGFOR A STRONGERFUTURE TOGETHER Executive and Sta : Ziggy P anzer President Tony Candiano Financial
BUILDINGFOR A STRONGERFUTURE
TOGETHER
Executive and Sta :
Ziggy P anzer
President
Tony Candiano
Financial Secretary
Jamie Melo
Durval Terceira
Tony Pacenza
Tony Losak
Daniel Avero - OCCU
CARPENTERS LOCAL 1030
UNITED BROTHERHOOD OF CARPENTERS AND JOINERS OF AMERCIA
A Páscoa é a Festa da Família.
O nosso Sindicato é uma Familia.
Aqui estamos por isso a saudar todos os nossos
membros de origem Portuguesa.
LOCAL 1030
222 Rowntree Dairy Rd
Feliz Páscoa
são os nossos votos
Vaughan, ON L4L 9T2
Telephone: 905-652-4140
-
Facsimile:
905-652-4139
http://www.thecarpentersunion.ca/get-involved
email:
Organizing@thecarpentersunion.ca
14 . Mensagem 02 Abril 2012
14 . Mensagem
02 Abril 2012
CANADIAN CONSTRUCTION WORKERS UNION FELIZ E SANTA PÁSCOA
CANADIAN CONSTRUCTION WORKERS UNION
FELIZ E
SANTA PÁSCOA
02 Abril 2012 Desporto . 15
02 Abril 2012
Desporto . 15

António Fonseca perto de fazer história à frente da seleção olímpica

perto de fazer história à frente da seleção olímpica António Fonseca, 47 anos, antigo futebolista do

António Fonseca, 47 anos, antigo futebolista do Benfica, Vitória de Guimarães e Estrela da Amadora, é por estes dias figura central do futebol do Canadá, depois de – como ABC

noticiou na última edição - ter conduzido a seleção olímpica

do país ao triunfo sobre os Estados Unidos, em Nashville,

na fase de qualificação da CONCACAF para os Jogos Olímpicos de Londres.

Depois de uma igualdade, sem golos, com El Salvador, e da

vitória, por 2-0, sobre os Estados Unidos, a equipa olímpica do Canadá estava em boa posição. Nas meias finais apanhou pela frente o seleccionado do México. No Livestrong Sporting Park, em Kansas City, a sorte não quis nada com

os Canadianos.

A equipa do Canadá, que procurava uma vaga olímpica

foi vencida nas semifinais da CONCACAF, torneio de qualificação, sábado à noite, pelo México, por 3-1.

No entanto, e como diz a Imprensa local, nem tudo foi mau para o seleccionado canadiano, já que mostrou (embora o resultado final fosse decepcionante), a equipa ainda foi muito mais longe do que muitos esperavam e estava a simples passo de uma fase de qualificação para os Jogos Olímpicos, coisa que fugia ao Canadá desde 1984.

Na Taça dos Campeões

Londrinos vencem na Luz

O Chelsea garantiu uma preciosa vantagem para a segunda mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, que se realizam, quarta- feira, em Londres. Um golo de Salomon Kalou aos 75 minutos deixou os londrinos com um pé e meio nas meias-finais. O Benfica pode queixar-se da falta de pontaria dos seus jogadores, da excelente exibição do guarda-redes Petr Cech e ainda de um penálti não assinalado pelo árbitro italiano Paolo Tagliavento, por braço de John Terry na área.

Os encarnados foram a equipa que mais oportunidades criou, sobretudo na segunda parte, mas a frieza do Chelsea acabou por ser decisiva.

Aos 75 minutos, Kalou a finalizar na pequena área, após cruzamento de Fernando Torres, que rompeu pela direita e ganhou em velocidade a Jardel. Anteriormente, Rodrigo faz um grande passe para Cardozo, mas Terry consegue cortar. Cech agarrou a bola e os encarnados protestam por alegadamente ter havido atraso.

Aos 60 minutos, entretanto, John Terry corta a bola com o braço na área, após cruzamento de Maxi Pereira. O árbitro nada assinalou.

A verdade é que foi um jogo muito intenso no Estádio da Luz, com o Benfica a ser a equipa mais ofensiva durante a primeira parte. Cardozo por duas vezes esteve perto de marcar, mas a pontaria não foi a melhor. O Chelsea demonstrou ser uma equipa mais cautelosa, procurando surpreender os encarnados em contra-ataques rápidos quase sempre pela esquerda. No entanto, foi num remate de longe que esteve perto do golo, quando Raul Meireles obrigou Artur Moraes a uma defesa espetacular.

Pela primeira vez em toda a história, o Benfica e a equipa inglesa mediram forças num jogo com caráter oficial. Neste caso, serão dois encontros, numa eliminatória europeia relativa aos quartos de final da Liga dos Campeões em futebol.

Os internacionais brasileiros David Luiz e Ramires, respetivamente, ambos ex-futebolistas do Benfica atualmente ao serviço dos britânicos do Chelsea, regressaram esta terça-feira ao Estádio da Luz, mas agora com as cores da equipa adversária, a formação visitante, na circunstância os blues.

a formação visitante, na circunstância os blues. Jorge Jesus, treinador do Benfica, tinha pedido o Chelsea

Jorge Jesus, treinador do Benfica, tinha pedido o Chelsea como opositor, nos quartos de final da Champions, e o sorteio acabou por lhe fazer a vontade. Vamos a ver o que vai acontecer na segunda volta.

Jorge Jesus diz que “o Benfica dominou todo o jogo”

Jorge Jesus considerou a derrota injusta e não deu por certo que a eliminatória está decidida apesar da derrota caseira, por 1-0, da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões. “Foi um bom jogo, perante um Chelsea que foi o que antecipámos, muito forte e muito experiente. O Benfica

dominou todo o jogo, teve mais oportunidades. Que me recorde

o Chelsea só teve o remate do

Raul Meireles aos 30 minutos

e o lance do golo. Não fomos

felizes, disputámos o jogo taco

a taco, não deixando o Chelsea

criar, praticamente, situações de golo”.

“É natural que o treinador do Chelsea tivesse estratégia. O Ramires joga mais no espaço interior e o jogo foi mais aproveitado no duelo direto com o Emerson. Mas penso que o Emerson fez um bom jogo.”

“A equipa do Benfica foi a que criou mais oportunidades de golo. Tivemos o domínio do jogo. Claro que também jogámos contra uma boa

equipa, experiente, que esteve à espera de uma facilidade do

Benfica no contra-ataque.” “Aquilo que eles fizeram aqui,

nós podemos fazer lá. Apesar de estar em vantagem, o Chelsea ainda não ganhou.”

“Aquilo que eles fizeram aqui, nós podemos fazer lá. Apesar de estar em vantagem, o Chelsea
“Aquilo que eles fizeram aqui, nós podemos fazer lá. Apesar de estar em vantagem, o Chelsea
16 . Desporto 02 Abril 2012
16 . Desporto
02 Abril 2012

Na taça da Europa

Leões ganham vantagem amarga para a segunda mão

Europa Leões ganham vantagem amarga para a segunda mão Metalist marcou de penálti já no período

Metalist marcou de penálti já no período de compensação e deixa a eliminatória em aberto, que ainda assim dá vantagem ao Sporting, graças aos golos de Izmailov e Insúa numa grande segunda parte.

O

rumo às meias finais da Liga Europa, ao derrotar os ucranianos

do

“quartos” da competição. À boleia de uma segunda parte de grande

Metalist, em Alvalade, por 2-1, em jogo da primeira mão dos

Sporting conseguiu, quinta feira, um importante resultado

nível, os golos de Izmailov e Insúa garantem a vantagem para o jogo

da

embora um golo sofrido de penálti ao cair do pano mantenha de pé

as esperanças do Metalist.

segunda mão, marcado para daqui a uma semana, na Ucrânia,

Sete jogos, sete vitórias e, por fim, um golo sofrido. O registo caseiro

do

nível defensivo, algo que não deixaria de ser um dado assinalável, sobretudo porque no próximo jogo em Alvalade o adversário será o Benfica. Pela segunda vez nos sete triunfos, no entanto, o Sporting conseguiu marcar pelo menos dois golos, mas pouco ou nada se deve à primeira parte realizada diante do Metalist, a equipa mais concretizadora da Liga Europa.

Sporting de Sá Pinto por pouco não continuava imaculado a

Entre uma verdadeira “batalha tática” durante os primeiros 45 minutos, Rui Patrício e Goryainov, o guarda redes dos ucranianos, não foram mais que meros espectadores atentos.

O

Sporting protagonizou uma entrada de “leão” e conseguiu chegar à preciosa vantagem. Insúa e Diego Capel passaram os limites de velocidade pelo flanco esquerdo e o extremo espanhol serviu Marat Izmailov na pequena área. O médio russo só teve de encostar e fez o golo que empolgou o Sporting para uma boa segunda parte.

melhor estava mesmo reservado para a segunda parte, onde o

O

Cristaldo e Taison, mas ficou-se quase sempre pelas intenções, muito por causa da irrepreensível exibição defensiva do Sporting, à qual Rui Patrício não escapou. Mas antes disso o Sporting conseguiu dar aquilo que parecia ser uma machadada na eliminatória: todos esperavam o pontapé livre de Matías Fernández, mas foi Insúa quem disparou forte para a baliza, não dando hipóteses de defesa a Goryainov.

Metalist ameaçava sempre criar perigo através dos habilidosos

Os

para o terceiro golo da noite, mas este acabou por acontecer na baliza menos desejada para Sá Pinto.

leões mostravam tranquilidade na partida e até criaram ocasiões

Encarnados na luta pelo título após vitória dramática

* Próxima jornada poderá ser decisiva

Bruno César vestiu a pele de herói no estádio da Luz, ao apontar o golo da vitória já em período de compensação. Sp. Braga passa da liderança para o terceiro lugar.

Se a 25.ª jornada da Liga tinha cariz decisivo, a próxima terá ainda mais. O Benfica conseguiu derrotar o Sporting de Braga no estádio da Luz, por 2-1, e volta a ficar a um ponto da liderança, agora ocupada pelo FC Porto, a única equipa a depender de si própria para ser campeã.

A onda de 13 vitórias consecutivas do Sporting de Braga encontrou

o seu final no estádio da Luz, onde vencer era imperativo para a equipa de Jorge Jesus. Os minhotos precisavam “apenas” de segurar

o empate na Luz para continuarem a depender de si próprios para

serem campeões, uma vez que vão receber o FC Porto na próxima ronda, mas um final de jogo dramático acabou por resultar numa explosão de festa encarnada.

Numa partida altamente disputada, onde as duas equipas mostraram ter argumentos para lutar pelo título de campeão nacional até ao final, a primeira parte deu lugar a poucas oportunidades de golo.

Jorge Jesus e Leonardo Jardim assumiram o risco ao intervalo e as duas formações apresentaram-se mais ofensivas no segundo tempo.

O resultado foi uma partida emocionante, com a incerteza perante o

resultado até ao período de compensação.

Mossoró dispôs daquela que foi, na altura, a melhor ocasião de golo de toda a partida: aos 66 minutos apareceu sozinho em zona de finalização, com tudo para marcar, mas cabeceou ao lado da baliza de Quim. Os encarnados criaram mais ocasiões de golo do que

FC Porto-Olhanense, 2-0

mais ocasiões de golo do que FC Porto-Olhanense, 2-0 os arsenalistas, mas foi através de um

os arsenalistas, mas foi através de um “brinde” de Elderson que chegaram ao golo, aos 78 minutos: o defesa nigeriano derrubou infantilmente Bruno César na grande área e Witsel, perante a ausência de Cardozo (já substituído), converteu com sucesso a grande penalidade.

O “vilão” Elderson rapidamente passou a herói quando momentos

depois empatou a partida, na recarga a um pontapé livre de Hugo

Viana, que deixou Artur Moraes mal na fotografia.

O resultado agradaria, certamente, ao Sporting de Braga, mas não a

Gaitán, que já em período de compensação decidiu “inventar” uma grande jogada no flanco esquerdo antes de assistir Bruno César. O médio brasileiro teve a frieza necessário para colocar a bola fora do alcance de Quim e o Benfica na rota do título, do qual o Sporting de Braga também não desiste.

A segunda parte do “tira teimas” tem data marcada para a próxima

jornada, no estádio AXA e em Alvalade.

Dragões ganham fôlego para a reta final da Liga

O FC Porto regressou às vitórias - e sobretudo às boas exibições - no estádio do Dragão, ao derrotar a

2-0, em jogo da 25.ª jornada

com Fabiano, depois do guarda redes ter defendido uma grande penalidade marcada pelo ‘Incrível’ no

Olhanense, no sábado, por

jogo da primeira volta, que terminou empatada a zero.

da

Liga. Os dragões sobem

O

internacional brasileiro

à liderança do campeonato.

foi

um dos elementos mais

Sérgio Conceição regressou ao estádio do Dragão, agora como treinador da Olhanense, determinado

desequilibradores na partida, que desta vez teve um FC Porto a dominar toda a partida, sempre à procura do golo e a criar com facilidade

a prolongar a série de seis jogos sem perder na Liga

ocasiões para o fazer. Hulk, no entanto, voltou a perder o

e cedo se percebeu que

Fabiano, o guarda redes dos algarvios, seria o principal aliado à missão do técnico português. E é bem provável que o guardião tenha perdido conta ao número de (grandes) defesas que fez na partida.

Hulk tinha contas a ajustar

duelo com o guarda redes de 24 anos.

Depois de um punhado de grandes defesas de Fabiano, foi Lucho González a encontrar o caminho para o

golo, aos 24 minutos, através de um remate forte à entrada

da grande área. Os pupilos

de Vítor Pereira nunca

entrada da grande área. Os pupilos de Vítor Pereira nunca baixaram o ritmo de jogo, mas

baixaram o ritmo de jogo, mas só voltaram a faturar aos 66 minutos: James Rodríguez, após passe de Hulk, encontrou espaço para o remate e atirou forte e rasteiro, para o único lugar onde os 1.97m de Fabiano não chegariam à bola.

Os dragões terminaram

jogo com 27 remates e

o

Fabiano com mais de uma dúzia de defesas, resultantes de uma qualidade que parece ser grande demais para permanecer no Algarve durante muito mais tempo.

Para manter a liderança, restava ao FC Porto esperar que o Sporting de Braga não ganhasse na Luz, o que aconteceu.

Para manter a liderança, restava ao FC Porto esperar que o Sporting de Braga não ganhasse
02 Abril 2012 Desporto . 17
02 Abril 2012
Desporto . 17
Resultados Sexta-feira, 30 mar: Académica – Marítimo, 0-1 Sábado, 31 mar: FC Porto – Olhanense,
Resultados
Sexta-feira, 30 mar:
Académica – Marítimo, 0-1
Sábado, 31 mar:
FC Porto – Olhanense, 2-0
Benfica - Sporting de Braga, 2-1
Domingo, 01 abr:
Feirense - Beira-Mar, 1-3
Nacional - Rio Ave, 2-1
Gil Vicente - Vitória de Setúbal, 0-1
União de Leiria – Sporting, 0-1
Vit. de Guimarães - Paços de Ferreira, 3-1
Programa da 26.ª jornada:
Sexta-feira, 06 abr:
União de Leiria – Gil Vicente, 12:00
Beira-Mar – Académica, 1:00 (Sport TV1)
Vit. de Setúbal – Vit.de Guimarães, 3:15 (Sport TV1)
Sábado, 07 abr:
Rio Ave – Feirense, 11:00
Olhanense – Paços de Ferreira, 11:00
Marítimo – Nacional, 1:30 (Sport TV1)
Sporting de Braga – FC Porto, 3:30 (TVI)
Segunda-feira, 09 abr:
Sporting – Benfica, 3:15 (Sport TV1)

Sporting volta a vencer fora de Alvalade

O Sporting venceu, ontem, domingo, o UD Leiria, na Marinha

Grande, por 1-0 e regressou às vitórias fora de Alvalade, para a Liga, sete jogos depois. Matias Fernández marcou o único golo, aos 90+12, num jogo marcado por uma falha parcial de energia no estádio.

Os leões não ganhavam fora desde 30 de outubro, quando bateram o

Feirense, por 2-0, em Aveiro. Com esta vitória, o Sporting continua

no quinto lugar, a um ponto do Marítimo. Ao invés, os leirienses

continuam no penúltimo lugar, agora a cinco pontos do Beira-Mar, 14.º classificado.

Ricardo Sá Pinto deu um claro sinal que, nesta altura, a Liga Europa

é muito mais importante para os leões. Com a cabeça na Ucrânia

– na quinta-feira, os leões jogam o acesso às meias-finais com

o Metalist, em Kharkiv -, o treinador apostou na segunda linha,

promovendo sete alterações na equipa, em relação àquela que jogou com os ucranianos.

João Pereira, Polga, Capel e Izmailov ficaram na bancada, enquanto Schaars, Matias Fernández e Van Wolfswinkel foram suplentes. Arías, Renato Neto e André Martins foram titulares.

A primeira parte foi animada, com a primeira oportunidade a

pertencer a Bruno Moraes, mas Rui Patrício negou o golo ao brasileiro. Do outro lado, Insúa – jogou a extremo esquerdo -

desperdiçou duas ocasiões flagrantes.

Vítor Pereira admite greve dos árbitros

O

presidente do Conselho

de

Arbitragem da Federação

presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, não se conforma com a violação

Portuguesa de Futebol, não se conforma com a violação de dados pessoais dos juízes na Internet.

Indignado. Vítor Pereira, presidente

do Conselho de Arbitragem (CA)

da Federação Portuguesa de

Futebol (FPF), saiu em defesa da classe da arbitragem e mostrou abertura quanto a uma eventual greve dos juízes de futebol caso estes últimos sintam que, hipoteticamente, as suas famílias poderão não estar seguras.

“Os árbitros não podem sair de casa a pensar que as suas famílias podem ser atacadas. Não têm, neste momento, condições para poderem arbitrar jogos na plenitudade das suas faculdades. O clima, de grande animosidade, que tem vindo a ser criado impede os árbitros de estarem ao nível das exigências das competições. Admito tudo, [até uma greve, confessou, quando questionado pelo jornalista da RTP]”, defendeu Vítor Pereira em entrevista concedida à RTP Informação.

O presidente do Conselho de Arbitragem da Federação

Portuguesa de Futebol fez questão, de resto, de não esconder a revolta que sente relativamente à divulgação, recente, de dados pessoais dos árbitros na Internet. “Estamos perante um clima de violência verbal. A publicação de dados pessoais dos árbitros na Internet é uma violação dos princípios de cidadania. Os árbitros são cidadãos de pleno direito, chefes de família. O que está a acontecer é muito grave, ultrapassou todos os limites”, declarou Vítor Pereira.

ultrapassou todos os limites”, declarou Vítor Pereira. A segunda parte decorreu num ritmo mais baixo, com

A segunda parte decorreu num ritmo mais baixo, com o UD Leiria

a tapar os espaços e a apostar no contra-ataque e nos lances de bola parada. O jogo acabou por ficar marcado por uma falha de energia, que obrigou a uma paragem de quase dez minutos.

Pedro Proença deu 14 minutos de descontos e foi aqui que o Sporting chegou ao golo, num livre direto de Matias Fernández. No minuto seguinte, Djaniny enganou Xandão, mas falhou isolado na cara de Rui Patrício.

Os leões ganham, assim, ânimo para a partida na Ucrânia.

Marítimo segura o 4.º lugar

O Marítimo venceu esta noite a Académica por 1-0, em jogo a

contar para a 25.ª jornada do campeonato.

O golo que desfez o nulo foi da autoria de Héldon, aos 53 minutos.

Com este resultado o Marítimo garante 48 pontos e assegura o

quarto posto na liga, mesmo que o Sporting, com 44, vença o União

de Leiria, no domingo, como aconteceu.

Portugal reforça quinto lugar no ‘ranking’

Portugal beneficiou da vitória do Sporting sobre

o Metalist, na Liga Europa, para reforçar a quinta posição no ‘ranking’ da UEFA com 54,679 pontos,

tendo alargado a vantagem sobre a França (54,178), que foi prejudicada pela derrota do Marselha com

o Bayern, em jogo da Liga dos Campeões.

O quinto lugar no final da temporada permite ter três equipas na Champions na época 2013/14, duas com entrada direta na fase de grupos e uma no play-off, e três na Liga Europa.

na Champions na época 2013/14, duas com entrada direta na fase de grupos e uma no
na Champions na época 2013/14, duas com entrada direta na fase de grupos e uma no
18 . Mensagem 02 Abril 2012
18 . Mensagem
02 Abril 2012
AINDA ESTÁ AS A SUAS TEMPO DE FAZER COMPRAS DE PÁSCOA
AINDA
ESTÁ AS A SUAS
TEMPO
DE
FAZER
COMPRAS
DE
PÁSCOA
02 Abril 2012 Mensagen . 19
02 Abril 2012
Mensagen . 19
02 Abril 2012 Mensagen . 19 Supreme Realty E a s t e r 4 K

Supreme Realty

Easter 4 Kids

. 19 Supreme Realty E a s t e r 4 K i d s …….is

…….is back!

Realty E a s t e r 4 K i d s …….is back! That’s right!

That’s right! Our annual celebra- tion of Easter for kids is back!

In previous years we have had over 3,000 people attending and we hope that this year we will be as just as successful!

10:30-12:30pm - Clowns Balloonists and face painters.

11:30-12:00pm - Concertinas from Arsenal do Minho.

12:00-12:30pm - Arsenal do Minho (rancho ) performance

12:30-1:00PM - Diego Gomes

1:00-01:30pm - THA SPOT Dance centre

1:30-2:00pm - 6 Semi-finalist artists from de Amateur Singing Contest and John Santos

BIKE DRAW @ 2:30pm

Draw for 32 Bikes!

20 . Comunidades 02 Abril 2012
20 . Comunidades
02 Abril 2012

São Mateus em festa

Carlos Morgadinho

Um êxito que se repetiu pelo segundo ano

Mais de 430 pessoas confraternizaram no passado sábado, dia 31 de Março, no salão do Ambiance Banquet Hall, num jantar-convívio organizado pelo grupo de amigos e naturais da freguesia de São Mateus da Calheta da Ilha Terceira sendo, ao que apuramos, o segundo, até ao presente, realizado entre nós por gente oriunda deste lugar sendo a receita, segundo nos foi dito, canalizada para as obras de restauro na igreja daquela freguesia.

Foi um grande e excelente espectáculo, daqueles que não é fácil de se esquecer, não só pela qualidade – praticamente dedicado à nossa canção nacional, o Fado - como pela

dedicado à nossa canção nacional, o Fado - como pela alegria permanente naquele extensivo sarau que

alegria permanente naquele extensivo sarau que se estendeu, com baile e a sessão de fados, bem para lá das duas horas da madrugada.

Vindos daquela freguesia expressamente para conviverem nesta festa, o presidente da Freguesia de São Mateus e deputado no Governo Regional dos Açores, José Gaspar Rosa Lima, o jovem e talentoso fadista de apenas 20 anos de idade, Flávio Ourique e por ultimo o artista Marco Rosa

de idade, Flávio Ourique e por ultimo o artista Marco Rosa e um natural daquela citada

e um natural daquela citada freguesia mas residente em New Bedford/Nova Inglaterra, local onde se iniciou, anos atrás, estas séries de convívios das gentes da Ilha Terceira.

Foi uma bela noite de alegria que contou com a participação de artistas locais e naturais daquela freguesia, o João Carlos Silva e sua filha, embora já nascida no Canadá, a Sandra Silva, o Guilherme Rocha e claro os dois convidados vindos expressamente daquela região de Portugal insular, o

vindos expressamente daquela região de Portugal insular, o Marco Rosa que animou bem com o seu

Marco Rosa que animou bem com o seu vasto reportório de musica tradicional e de dança e, finalmente, o já mencionado jovem Fábio Ourique que, no ano passado, se estreou agradavelmente, entre nós, na primeira edição do ciclo “São Mateus em Festa”.

Dando vida a esta noite de fados participou um número bem conhecido de instrumentistas de cordas o veterano Tony Melo e Paulo Avelar (violas) e do popular fadista João

Tony Melo e Paulo Avelar (violas) e do popular fadista João Carlos Silva e um outro

Carlos Silva e um outro jovem a crescer e a tomar vulto na

difícil arte de dedilhar a nossa guitarra, o Tiago Silva (ambos

na guitarra portuguesa).

Foi mencionado neste evento a ajuda prestada por três irmãos naturais daquela freguesia e proprietários duma

industria de manufacturação em Toronto de janelas e portas

de alumínio, o Ontario Aluminum & Glass, o Daniel, João e

António Silva que ofertaram as janelas para a Igreja de São Mateus da Calheta.

as janelas para a Igreja de São Mateus da Calheta. O MC/Mestre-de-Cerimónias da noite foi Avelino

O MC/Mestre-de-Cerimónias da noite foi Avelino Teixeira,

também um natural da Freguesia de São Mateus, que leu a mensagem do escritor, historiador e autor de diversas obras referentes àquela sua freguesia natal, Liduíno Borba. Depois, a encerrar a noite, já avançada, foi a música animada para dança “distribuída” pelo Steve Ferreira, do Five Star Productions, provocando uma “enchente” com pares na pista de dança para ali rodopiaram quase até à exaustão.

October Flight lançam vídeo no regresso da Canadian Music Week

No seu regresso da Canadian Music Week, os October Flight anunciam o lançamento do vídeo para o single de estreia «Make you Mine», realizado e produzido por Timothy Lima

e

Ruben Tavares.

O

single «Make you Mine» está disponível para download

gratuito no Facebook da banda, desde o lançamento em

Fevereiro, e o álbum de estreia The Closing Doors, gravado

e produzido no Estúdio RD pelo produtor Rui David e co-

produzido por Flávio Cristóvam, vocalista da banda, será apresentado ao público ainda esta Primavera.

Os October Flight foram uma das bandas presentes na Canadian Music Week a representar Portugal, um dos dois países em destaque na 30ª edição da maior feira da indústria musical norte-americana.

Descrevem essa experiência como “fundamental para o nosso crescimento enquanto banda e projecto e para a exportação do nosso trabalho. A presença na Canadian Music Week e os concertos que demos em Nova Iorque foram experiências inesquecíveis que, se tudo correr bem, trarão resultados muito positivos”. E acrescentam “no fundo têm sido semanas de muito trabalho e de muito esforço

têm sido semanas de muito trabalho e de muito esforço totalmente compensados pelos contactos que fizemos

totalmente compensados pelos contactos que fizemos e pela possibilidade de tocarmos para públicos internacionais que nos deram um feedback muito positivo”.

Os October Flight preparam-se agora para o lançamento

oficial de The Closing Doors e para uma digressão nacional

de apresentação do álbum a ser anunciada muito brevemente. - Cristina Alves

Canadian Music Week foi “muito positiva” para Portugal

A participação portuguesa na feira profissional de música “Canadian Music Week” (CMW) foi “muito positiva” e abriu portas nomedamente para o mercado canadiano, como afirmou à Lusa Nuno Saraiva, um dos organizadores da presença portuguesa.

Na sua 30.ª edição, o CMW, realizado na cidade de Toronto,

deu o seu maior destaque à descoberta da música de Portugal

e de Espanha.

“O balanço da participação portuguesa é muito positivo. Só nos dois primeiros dias tivemos mais de 40 reuniões e

contactos profissionais para vários dos artistas portugueses, quer para distribuição no Canadá quer para agenciamento no Canadá e Espanha. Houve contactos para um agenciamento

na

Alemanha para Frankie Chavez. Tivémos reuniões com

as

maiores agências canadianas, a Feldman e a The Agency,

festivais como o MMVV ou o Benicassim, Sonar, entre outros”, afirmou Nuno Saraiva à Lusa, a algumas horas do encerramento da feira.

“Penso que ainda antes do verão vários artistas irão distribuir

os seus discos no Canadá, arranjando depois agenciamento e voltarão para tocar festivais por cá.

Irá agora depender dos “follow-ups” de cada um, claro. Mas

as apresentações e os alicerces estão construídas”, salientou. Sem conseguirem quaisquer apoios do governo português, sete bandas e de cinco agentes e promotores portugueses estiveram presentes no CMW, suportando todos os encargos. Ao contrário, Espanha - o outro país em foco este ano no CMW - apresentava-se com o programa “Sounds from Spain”, organizado e financiado diretamente pelo governo de Madrid, através do Instituto de Comércio Externo, do Ministério da Economia.

Numa reunião de trabalho restrita no CMW, realizada no sábado, os moderadores anunciaram que os portugueses estavam presentes sem terem quaisquer apoios oficiais ou institucionais, o que originou um aplauso unânime, disse uma fonte à Lusa.

As sete bandas nacionais presentes neste festival de quatro dias foram os Dead Combo, Darko, Frankie Chavez, Mazgani, Youthless, October Flight e Mikkel Solnado. Os três últimos seguiram entretanto para Nova Iorque, nos EUA, onde vão dar alguns concertos.

02 Abril 2012 Ainda a tempo . 21
02 Abril 2012
Ainda a tempo . 21

O Domingo de Ramos que vai desembocar em Sexta-Feira Santa

Ele vai a passar. Estenderam-lhe uma passadeira atapetada de flores e de ramos. Nas mãos dos que O vitoriavam, palmas

e ramos de oliveira. Gritos roucos de saudação. A euforia do momento. Homens e mulheres, à compita, saudam nEle o Salvador. Elogios aos montes. A lembrança do ressuscitar dos mortos, da transformação da água em vinho, de abrir os ouvidos a quem não ouvia, de dar vista aos cegos. Era a apoteose. O “Hossana” dsa grandes ocasiões. Quiçá mesmo o “Aleluia” que haveria de surgir mais tarde, mas

que já pairava no ar.

Ele ia passando. Sentado num jumento que alma caridosa lhe pôs ali mesmo à disposição. Olhando tudo e todos.

Vislumbrando-lhe o pensar. Pegando-lhes nos embustes e enganos que Lhe não passavam despercebidos.

O povoléu seguia-O. Ovacionando-Lhe os milagres e

pedindo-Lhe a protecção que – diziam – só Ele poderia dar.

Naquele momento

até diziam ser seus discípulos, entender-

Lhe o Evangelho, compreender-Lhe, até, o azorrague do

De Lhe bater com as canas da angústia de todos. Vergastar-

Lhe os dons que tinham recebido. Soltar os impropérios com

a mesma veemência com que agora o saudavam. Ele sabia.

Eram os mesmos, sim. Porque, no rosário dos anos que o tempo foi deixando passar, a cena repete-se. A saudação amiga. A dar passagem aos dichotes e aos impropérios. As palmas de Hossana. A anteceder a Cruz que Lhe entregavam para ele carregar até nela ser crucificado e entregar o espírito de Homem – que também tinha – ao Supremo Criador, que também era. Ele sabia.

Um pouco por todo o mundo, nos tempos do Tempo, vai

surgir o Domingo de Ramos. Com muito “bruá” de alegria.

Mas

surgirá, igualmente, a Sexta-Feira Santa da Morte. A

Sexta-Feira dos pedidos de Morte. Aqui, além, mais acolá. Nas cidades rumorejantes onde o terrorismo campeia. Nas ruas onde o comércio suga o suor dos que pagam mais do

templo. Era a glória. A satisfação. O fulgor das cenas vividas.

que deviam. Nas páginas dos Jornais, ou nas ondas da Rádio

Ele ia passando. Mesmo sem o dizer

não estava satisfeito.

onde se sacrifica só ao “bom” que a vida tem, nem que para

O “seu” povo não se apercebia, mas Ele não desconhecia o

continuar da História. Houve até quem visse nos seus olhos, duas grossas lágrimas. Estranhas, decerto, para quantos O

lhe

para outros meandros. É que Ele sabia. Ele sabia o que iria

cerce no coração, mas não permanecia por lá, derivando

tanto seja necessário espezinhar a verdade e os conceitos dignos. Nos corredores do Poder, onde se esquematizam os decretos a bem do povo, como se propala, mas se amarfanha

saudavam. Se lhe percebessem o significado !

o

conceito do serviço público.

Ele, o Homem Grande, passava por entre a populaça

E

Ele, que vai passar, por ali, por entre as palmas dos que O

ululante. Ouvia o estrondo dos foguetes até. Entravam-lhe

vitoriam

não esquece que vai ser aquele mesmo Povo que

nos ouvidos as frases atiradas aos céus. O “Hossana” caía-

vai ao Sinédrio da nossa desgraça pedir que o crucifiquem. Que lhe dêem a morte. Ele sabe. Ele vê. E as duas grossas lágrimas que ninguém

acontecer, tempos volvidos, talvez com aquela mesma gente

entende

são as mesmas que na Sexta-Feira Santa hão-de

que agora o saudava. Aquela mesma gente

reunir, uma vez mais, mãos nas mãos, a gritar os pedidos de Morte. Haveriam de O vilipendiar.

haveria de se

que ali vai estar, aos pés

da Cruz, a recolher-Lhe o último suspiro. Ele sabe. Ele vê.

- CG

cair por sobre os cabelos da Mãe

V Gala dos Prémios “Lusíada”

*Mário Pereira da Costa galardoado

Liduino Borba geral@liduinoborba.com

da Costa galardoado Liduino Borba geral@liduinoborba.com Realizou-se no passado domingo, dia 25 de março, em Fall

Realizou-se no passado domingo, dia 25 de março, em Fall River, Costa Leste dos Estados Unidos da América, a V Gala dos Prémios “Lusíada”, no Salão da Banda Nossa Senhora da Luz, com lotação esgotada, uma iniciativa da Associação Artistas Unidos da América (AUA).

da Associação Artistas Unidos da América (AUA). O Hino Nacional foi cantado por Arnaldo Feliciano e

O Hino Nacional foi cantado por Arnaldo Feliciano e o dos Estados

Unidos por Armanda Arruda. Durante a tarde atuaram diversos artistas, tendo sido vistos muitos jovens talentos.

O prémio “Carreira” foi atribuído a Mário Costa, promotor e agente

artístico através da saudosa Editora Henda Records, que muito fez pela divulgação e pelos artistas na promoção de espectáculos culturais.

Mário Costa nasceu em 1943, na cidade da Horta, ilha do Faial, Açores. Em 1950, acompanhado da família, veio viver para

a ilha Terceira. Em 1969, emigrou para Peabody, Estado de

Massachusetts, Estados Unidos da América, onde tem desenvolvido uma importante atividade empresarial e associativa em prol da nossa comunidade e dos seus valores.

Armanda Arruda, presidente da AUA, estava contente, “porque no geral, o espectáculo foi bom, e as pessoas saíram muito satisfeitas. Depois de tantos meses de trabalho a preparar esta festa, felizmente que correu tudo bem”.

Toda a organização do espectáculo esteve a cargo de Marc Dennis

e de Joe Aguiar, sendo Mestres de Cerimónia João Gonçalves e Helena Silva.

sendo Mestres de Cerimónia João Gonçalves e Helena Silva. Entre os presentes esteve o Mayor de

Entre os presentes esteve o Mayor de Fall River, William Flanagan.

Já quase no final, foi atribuído a Mário Costa o Prémio Carreira.

Durante a festa, Mário Costa apresentou o seu livro “Aurora e Sol Nascente” – Turlu e Charrua – Confidências. “A publicação deste livro tem por finalidade inscrever José de Sousa Brasil (Charrua)

e Maria Angelina de Sousa (Turlu) na lista dos grandes poetas

populares açorianos,” referiu Mário Costa na introdução do livro. Para muitos apreciadores da poesia popular, tanto o Charrua como a Turlu, são dos maiores poetas populares açorianos de sempre. “Por motivos de saúde, ando afastado há 10 anos dos artistas e da música na nossa Comunidade, mas ao receber este Prémio “Carreira,” o que me surpreendeu, senti muita satisfação, por ser o reconhecimento de muito trabalho durante 20 anos a promover artistas e a nossa música. Sem a Henda Records, muitos dos nossos artistas não seriam tão conhecidos. Fico reconhecido por essa homenagem que me tocou fundo no coração,” disse Mário Pereira da Costa. Quanto ao livro, Mário Costa disse que teve grande projecção e muita saída nos Açores.

O encerramento coube ao Agrupamento “Raízes.”

Mais um “avanço” de Felipe Gomes, em London London a funcionar como guardião da colecção Titanic?

London a funcionar como guardião da colecção Titanic? “Na noite de 14 de abril de 1912,

“Na noite de 14 de abril de 1912, certos passageiros da primeira classe do Titanic, num jantar privado privado (alguns a pagarem o equivalente a 124,000.00 para a viagem) deliciaram-se com os desejos e prazeres de um jantar dos ricos e famosos da época.”

Parece que na cidade de London no sul de Ontário, um nome Português arranja maneira de fazer inovação por si mesmo

e arrisca sempre em progredir e avançar, esse nome chama-

se Filipe Gomes. London Ontário, ou melhor, o Aroma Mediterranean Restaurant mais conhecido em London, arredores, e não só por simplesmente Aroma Restaurant, sob

a

gerência do seu proprietário Filipe Gomes parece não saber

o

que muitos dizem por ai que “estamos em crise”, parece não

saber que e preciso “apertar o cinto ainda mais”, e parece não saber que e preciso quase “mingar” e ter medo de dar um passo em frente em vez de crescer. Ainda bem que assim e.

Utensílios desse jantar serão alguns dos itens para o leilão de 2 de Abril. Arlan Ettinger, Presidente de da Casa de Leilões Guernsey, em Nova York, esteve em contacto nos últimos dois meses com o meu escritório para analizar a possibilidade de licitação de London sobre a coleção Titanic. É Filipe Gomes, do restaurante AROMA a dizer-nos.

Como incrível que isso possa parecer, imagine London como sede mundial para o Museu do trágico RMS TITANIC. Esta idéia começou quando Felipe, um aficionado de Titanic, solicitou a oferta de uma “colher” a ser exibida no Aroma Restaurante. Foi mesmo levado a pensar, ainda maior, na tentativa de encontrar um financeiro local, visionário, que pudesse ter interesse em fazer um lance. Depois de seguir algumas indicações, percebeu que London não vai ser o potencial comprador da coleção Titanic.

Tudo visto, ficou apenas com opção, como parte da comemoração do 100º aniversário, organizando um evento local.

Assim, Felipe e sua equipa culinária, no Aroma, apresentará uma recriação de seis pratos de primeira classe, da refeição servida a bordo do RMS Titanic, na noite do naufrágio, há 100 anos.

Assim, na Sexta-feira 13 de Abril. E no sábado, 14 de abril, às 19:00, haverá no Ship Courtyard of Aroma Restaurant, no 717 da Richmond Street, London, haverá uma recriação do lendário jantar. Os hóspedes irão reviver o luxo desfrutado pelos passageiros de primeira Classe, saborear como eles seis dos doze pratos clássicos servidos no Titanic.

Vinhos e bebidas espirituosas daqueles tempos serão “emparelhados” com a refeição.A Soprano, Victoria Gydov, irá encantar os “passageiros” com o seu talento encantador. A elegância do pátio do Aroma vai ajudar a replicar o ambiente da atmosfera lendária do navio.

Durante toda a noite, histórias e filmes a preto e branco do Titanic serão mostrados junto com outras surpresas. Coletes são opcionais !

Para obter mais informações ou para fazer uma reserva, por favor contacte: Nikki Metron Aroma Mediterrâneo restaurante, (519) 435-0616 ou E-mail:

fginternationalbellnet.ca

22 . Ainda a tempo 02 Abril 2012 O NOVO NOME DE COMPETÊNCIA E HONESTIDADE
22 . Ainda a tempo
02 Abril 2012
O NOVO NOME DE COMPETÊNCIA
E HONESTIDADE É PAULO
Paulo
Antunes
Sutton Group
109 Elgin St- $149,900
Innovative
Realty Inc.
Charme e beleza, tetos bem
altos, 3 quartos de dormir, 2
quartos de banho. Perto do cen-
tro da cidade. Um prazer ver.
673 King St. E $ 289,900
Negócio e dois apartamentos
completamente renovados, ideal
para ter o seu próprio negócio.
Seja proprietário
24 Ward av. $379,900
Perto da universidade de
McMaster. 5 quartos, todos
arrendados a estudantes univer-
sitários. Bem renovada
1423 Upper Ottawa St.
HAMILTON
ON L8W 3J6
escritório
905 575 7070
Fax: 905 575 8878
Telefone Directo:
10 St. Matthews $ 165,000
337 James St N.- $99,900.
289 440-1319
Lar em excelente estado. bem no
meio da zona Portuguesa. Sala
de jantar e sala de estar enormes.
Estacionamento para 2 carros.
Um mimo
Seja proprierário de um dos
cafés mais ocupados da comu-
nidade portuguesa. Licensas de
liquor e de alimento em bom es-
tado. Clientela estabelecida.
Paz e segurança
3 Janet Crt- $ 289,900
Ideal para duas famílias. 4 quartos
de dormir, 2 casas de banho.
Impecável de cima a baixo.
Veja para crer.
61 Barton St E $99,900
Bar com respectivas licensas. Esta-
cionamento para 6 carros. Dono está
pronto a ajudar com o financiamento.

Comentário Semanal de Economia e Mercados – Semana de 26 a 30 de março

Economia portuguesa

*Contas nacionais trimestrais confirmam estimativas do Governo de défice orçamental em torno de 4% em 2011, claramente abaixo da meta de 5.9% definida pela troika

Na passada sexta-feira foram conhecidas as contas nacionais trimestrais por setor institucional referentes ao 4ºT2011, que mostraram que as necessidades de financiamento da economia diminuíram de 8.3% para 5.1% do PIB no ano de 2011, valor que corresponde a um mínimo desde 2003 (4.4%). Esta redução resultou dos efeitos conjugados do aumento da poupança bruta corrente e da diminuição do investimento.

Mas o principal interesse dos dados residia na informação sobre as administrações públicas (AP), que também revelaram um comportamento favorável, já que o défice foi de 4.2% do PIB em 2011, menos 5.6 p.p. que o observado em 2010, redução que foi bastante influenciado pelo impacto da transferência de caráter extraordinário dos fundos de pensões de instituições financeiras para o setor das AP na medida em que correspondeu a 3.5% do PIB.

De resto, esta operação foi a principal responsável para que as transferências de capital recebidas tenham contribuído com 1.7 p.p. para a redução do défice em percentagem do PIB, sendo que o contributo das transferências de

A queda de cerca de 30%

no investimento público contribuiu com 1.2 p.p. para a redução do défice. Mas o maior contributo para a redução do défice, em 2.1 p.p., veio da poupança corrente, que se apresentou menos negativa em cerca de 3.5 mil milhões de euros (mM€) face à 2010, destacando-se a redução da despesa de consumo

capital pagas foi de 0.8 p.p

final, onde se evidencia a diminuição da despesa com remunerações, do consumo intermédio e das transferências sociais em espécie, e o aumento das receitas fiscais em 1.9 mM€, concentrado basicamente nos impostos sobre rendimento e património.

Estes dados sobre as contas públicas vieram confirmar as estimativas que o Governo português tinha vindo a avançar desde o final do ano passado de um défice orçamental na casa dos 4% do PIB, com os 4.2% observados a mostrarem um resultado bem melhor do que a meta de 5.9% definida

pela troika. Um resultado positivo, mas que deixa na boca

o amargo de se saber que apenas foi alcançado por via das

receitas extraordinárias, deixando patente a necessidade que

o país tem de fazer um esforço considerável de consolidação orçamental no ano em curso, designadamente através da redução da despesa pública.

Relativamente ao ano de 2012, recorde-se que os últimos dados da execução orçamental da DGO, tinham revelado uma queda da receita fiscal do Estado nos dois primeiros meses do ano, continuam a levantar alguns (em parte fundados) receios de que a acentuada quebra de atividade que a economia está a experimentar, causada precisamente pelo agravamento da carga fiscal, venha a traduzir-se numa arrecadação de impostos aquém do esperado. Com efeito, apesar de existirem alguns efeitos de base desfavoráveis, sobretudo ao nível do IRC, são evidentes os efeitos que a crise está a ter ao nível da penalização da receita fiscal, bastante evidente nos baixos graus de execução orçamental de alguns impostos (v.g., ISV e imposto sobre o tabaco).

Note-se, no entanto, que as alterações nas tabelas de retenção no IRS e nas classes de IVA realizadas em alguns produtos alimentares ainda não estão refletidas na execução orçamental até fevereiro.

Parceria ABC/Montepio

Também do lado da despesa surgiram alguns motivos de apreensão, não tanto pelo facto de se ter observado um agravamento (já que este foi bastante influenciado pela pontual transferência de capital para a RTP para a regularização das suas dívidas), mas porque, tal como do

lado da receita fiscal, foram observados alguns desvios que estarão seguramente associados à recessão que o país está

a experimentar, como são por exemplo o caso das despesas

da Segurança Social relativas aos subsídios de desemprego ou ao rendimento social de inserção.

Foi tendo designadamente (mas não só) em consideração estes desvios que o Governo português aprovou em Conselho de Ministros, no passado dia 29 de março, o primeiro orçamento retificativo para 2012, que não prevê a necessidade de tomar qualquer tipo de medidas de austeridade adicionais para respeitar o objetivo do défice contido no programa de ajustamento.

Em concreto, o Ministro das Finanças explicou que o combate à fraude e à evasão fiscais, a redução nos juros da tranche da União Europeia no âmbito do empréstimo da troika a Portugal e a esperada diminuição nos juros a que Portugal se está a financiar nos mercados deverão compensar os efeitos negativos sobre o Orçamento de 2012 (OE2012) resultantes: i) da transferência dos fundos de pensões; ii) da revisão do cenário macroeconómico para o quadro traçado na última revisão pela troika (com a economia a cair 3.3% em 2012 em vez dos 3.0% avançados

no OE2012); iii) das já referidas perdas de receitas fiscais

e aumentos da despesa com prestações sociais (em especial subsídio de desemprego).

José Miguel Moreira (JoseMoreira@Montepio.pt)

02 Abril 2012 Ainda a tempo . 23
02 Abril 2012
Ainda a tempo . 23

Revista UP da TAP nomeada para prémio nos EUA

O site da UP upmagazine-

tap.com, a revista de bordo da TAP, foi selecionado

e nomeado para os CSS

Awards 2012, na categoria

de Lifestyle. Estes prémios

americanos têm como

objetivo eleger os melhores websites desenvolvidos com

a linguagem de estilo CSS

(Cascading Style Sheets) no mundo inteiro.

Recentemente redesenhado e reprogramado pela empresa 262 Media – All Browser Solutions, o novo site da UP tem sido referenciado em várias publicações da especialidade.

Entre alguns dos critérios de avaliação para os CSS Awards destacam-se o nível elevado de criatividade visual do site e o bom funcionamento do mesmo.

A votação online, aberta ao

público, já está disponível em www.cssawards.net. A atribuição dos prémios conta

em www.cssawards.net. A atribuição dos prémios conta também com um painel de pelo site UCity Guides

também com um painel de

pelo site UCity Guides em

TAP, a revista UP dispõe

júris oriundos de vários

2009 e considerada como a

de

uma

versão

online

e

países e formados em áreas

melhor revista de bordo pela

atinge

vastas

audiências,

como o design gráfico, web

Marie Claire espanhola e

constituindo

assim

um

design e web development.

pela RES Travel Magazine

veículo de excelência para

Mais uma vez a UP é

escandinava.

a

divulgação

e

promoção

nomeada para galardões

quer

da

companhia

de categoria internacional,

Além

de

distribuída

a

quer de Portugal.

-

tendo já sido distinguida

bordo

dos

aviões

da

Cristina Alves

TAP com conectividade a bordo nas linhas das Américas

A TAP Portugal será uma das primeiras companhias aéreas europeias a oferecer serviços de conectividade

a bordo nos voos entre a Europa e a América do Norte

e do Sul, com o lançamento do serviço OnAir WiFi previsto para este ano.

Assim, passa a ser possível a utilização do Sistema Internet OnAir em aviões A330, que operam nas linhas transatlânticas, e que permite aos passageiros da TAP

transatlânticas, e que permite aos passageiros da TAP aceder à NET, incluindo o e-mail, através da

aceder à NET, incluindo o e-mail, através da simples utilização dos respectivos equipamentos electrónicos com Wi-Fi, tais como o iPhone, iPad, BlackBerry ou os seus computadores portáteis. O pagamento do serviço é feito através do cartão de crédito do passageiro.

“A conectividade é parte importante da nossa oferta de

serviço e constitui uma vantagem competitiva, face à concorrência, o facto de a TAP ser uma das primeiras companhias a lançar estes serviços da OnAir. Sempre que o acesso à Internet a bordo é possível, os passageiros têm sido utilizadores entusiásticos desta facilidade”, afirmou Luís Monteiro, Director de Marketing da TAP.

Além da utilização da disponibilização destes serviços em aviões A330, está também prevista a disponibilização desta facilidade a bordo dos aviões A350 que a TAP começará a operar dentro de dois anos.

“O mercado da conectividade a bordo está a amadurecer e o negócio hoje estabelecido confirma o posicionamento da OnAir como empresa líder no fornecimento de serviços globais de conectividade em voo”, disse Ian Dawkins, CEO da OnAir. “A nossa capacidade de oferecer cobertura a nível mundial de forma consistente é um aspecto da maior importância para as companhias aéreas nossas clientes”.

A utilização da SwiftBroadband da Inmarsat pela

OnAir, combinada com a mais extensa rede de aprovações regulamentares e de acordos de roaming,

traduz-se na disponibilização global dos seus serviços

no

mundo.

- Cristina Alves

Uma surpresa da Páscoa

Olá!

Estava eu a procurar umas receitas para esta altura do ano, quando deparei com a lenda do Folar da Páscoa, a qual,

segundo a fonte “Infopédia – Enciclopédia e Dicionários da Porto Editora”, uma das personagens tem algumas

Mas

a serio, pensei em mandar o artigo para ABC, meu jornal favorito! Força rapazes e raparigas, vosso jornal esta na

semelhanças comigo: as origens e o nome, hihihihi

“crista da onda” como se costuma dizer.

“Lenda do Folar da Páscoa” :

A lenda do folar da Páscoa é tão antiga que se desconhece a

sua data de origem. Reza a lenda que, numa aldeia portuguesa, vivia uma jovem chamada Mariana que tinha como único desejo na vida o de casar cedo.

Tanto rezou a Santa Catarina que a sua vontade se realizou

e logo lhe surgiram dois pretendentes: um fidalgo rico e um lavrador pobre, ambos jovens e belos.

A jovem voltou a pedir ajuda a Santa Catarina para fazer a

escolha certa.

Enquanto estava concentrada na sua oração, bateu à porta Amaro, o lavrador pobre, a pedir-lhe uma resposta e marcando- lhe como data limite o Domingo de Ramos. Passado pouco tempo, naquele mesmo dia, apareceu o fidalgo a pedir-lhe também uma decisão.

Mariana não sabia o que fazer.

Chegado o Domingo de Ramos, uma vizinha foi muito aflita avisar Mariana que o fidalgo e o lavrador se tinham encontrado a caminho da sua casa e que, naquele momento, travavam uma luta de morte. Mariana correu até ao lugar onde os dois se defrontavam e foi então que, depois de pedir ajuda a Santa Catarina, Mariana soltou o nome de Amaro, o lavrador pobre.

Na véspera do Domingo de Páscoa, Mariana andava atormentada, porque lhe tinham dito que o fidalgo apareceria no dia do casamento para matar Amaro.

Mariana rezou a Santa Catarina e a imagem da Santa, ao que parece, sorriu-lhe.

No dia seguinte, Mariana foi pôr flores no altar da Santa e, quando chegou a casa, verificou que, em cima da mesa, estava um grande bolo com ovos inteiros, rodeado de flores, as mesmas que Mariana tinha posto no altar.

de flores, as mesmas que Mariana tinha posto no altar. Correu para casa de Amaro, mas

Correu para casa de Amaro, mas encontrou-o no caminho e este contou-lhe que também tinha recebido um bolo semelhante.

Pensando ter sido ideia do fidalgo, dirigiram-se a sua casa para lhe agradecer, mas este também tinha recebido o mesmo tipo

de bolo.

Mariana ficou convencida de que tudo tinha sido obra de Santa Catarina.

Inicialmente chamado de folore, o bolo veio, com o tempo,

a ficar conhecido como folar e tornou-se numa tradição que celebra a amizade e a reconciliação.

Durante as festividades cristãs da Páscoa, o afilhado costumam levar, no Domingo de Ramos, um ramo de violetas à madrinha de batismo e esta, no Domingo de Páscoa, oferece-lhe em retribuição um folar.

Amaro Carvalho: Obrigado, Amaro, pela atenção e votos de confiança. Uma Santa Páscoa para toda a Família.

24 . Ler e contar 02 Abril 2012
24 . Ler e contar
02 Abril 2012

A Hora da Terra

Conceição Baptista

A Hora da Terra Conceição Baptista A Hora da Terra é um acto simbólico que demonstra

A Hora da Terra é um acto simbólico que demonstra

solidariedade em protecção do nosso Planeta – e embora

não saibamos concretamente o que acontecerá este ano - as manifestações de apoio prometem ser ainda maiores

de que no ano passado. Com as notícias que temos, até

agora, as actividades parecem ser o maior evento, até hoje, a nível Mundial.

As questões ambientais deviam ter a maior atenção de toda a população.

E

deviam tornar-se numa das maiores preocupações

da

humanidade, um problema político, com projecções e

exigências a nível económico e cientifico, implicando opções coerentes dos governantes de todo o mundo, para uma campanha esclarecida e empenhada na informação a todos os Povos.

Foi com crescente sensibilidade que milhares de pessoas seguiram os acontecimentos de há 5 anos,

na Austrália, que deu início á “Hora da Terra” e que

envolveu unicamente a cidade de Sidney. A origem desta importante iniciativa foi lançada pelo “Fundo Mundial para a Natureza” e tem como objectivo encorajar a população, do mundo inteiro, no mês de Março, de cada ano, a desligar a electricidade durante 60 minutos.

É um acto simbólico, que, para o qual, governos, empresas e a população em geral, são convidados a aderir, para demonstrar a sua preocupação com o aquecimento global e as mudanças climáticas. Devemos pois juntar-nos, na defesa deste nosso maltratado Planeta. Unir-nos, para passar a importante mensagem, “que sem um ambiente saudável não podemos ter saúde”.

E que cada ano,

participação seja uma certeza! Em solidariedade,

durante a

“Hora da Terra”,

a nossa

Cameron descreve ‘paisagem lunar’ do fundo do mar

James Cameron, o realizador canadiano de “Titanic” e “Avatar”, concluiu com êxito a sua expedição à fossa das Marianas, o local mais profundo do oceano, tornando-se na primeira pessoa a realizar sozinha tal viagem. “É um lugar muito lunar, muito desértico, muito isolado”, exclamou James Cameron numa conversa telefónica com

jornalistas, entre os quais o da AFP, horas após o seu regresso da Fossa das Marianas. “Tive a impressão de ter passado de um planeta para outro e de voltar no espaço de um dia”, sublinhou o realizador, que descreveu o solo da Fossa das Marianas, a quase 11 mil metros de profundidade, como algo “nu”. E acrescentou: “É um mundo estranho!” Cameron, de 57 anos, realizou no domingo a viagem ao fundo do mar num mini-submarino designado “Deepsea Challenger”, que foi fabricado pela sua equipa de engenheiros em colaboração com a National Geographic.

O cineasta chegou ao fundo do mar pouco antes das 06:00

da tarde (hora de Toronto) e regressou à superfície cerca das

10.00 da noite, depois de ter recolhido imagens, enquanto a National Geographic foi dando conta, através do Twitter, dos pormenores da expedição, com fins científicos, que estava a ser preparada há mais de oito anos.

que estava a ser preparada há mais de oito anos. A fossa das Marianas, a quase

A fossa das Marianas, a quase 11 mil metros de profundidade, está situada perto da ilha de Guam, no sul do Pacífico. Estima-se que mais de 750 mil espécies marinhas não estejam formalmente catalogadas pela ciência, três vezes mais do que as que são conhecidas.

Dois mortos na queda de helicóptero em Angola

conhecidas. Dois mortos na queda de helicóptero em Angola Um repórter da TPA (Televisão Publica de

Um repórter da TPA (Televisão Publica de Angola) e um piloto da Força Aérea Nacional morreram na sequencia do despenhamento de um helicóptero Alouette III, ocorrido quarta feira, quando se descolocava do Huambo para o Bié.

Os falecidos são o repórter de imagem Feliciano Saiminho “Mágico” e o co-piloto da aeronave, Manuel André. O jornalista Alexandre Cose, que se encontrava também na aeronave, foi assistido no referido hospital e regressou quinta-feira a Luanda.

Segundo um comunicado da Força Aérea Nacional, o helicóptero era ocupado por dois tripulantes e quatro profissionais da Televisão Pública de Angola.

O comunicado, saído na noite de quarta-feira, referia que tinham sido localizados os corpos, sem mencionar se os destroços da aeronave tinham sido encontrados. A imprensa estatal informou posteriormente que o aparelho foi localizado quinta-feira na localidade de Lunundo entre as margens do rio Cutato, a cerca de 60 quilómetros da cidade do Huambo.

Iniciadas às 17h00 de quarta-feira, as buscas incidiram nas localidades de Chitato, município do Chinguar, província do Bié, e de Chiumbo e Sanguengue, município do Catchiungo, província do Huambo. As causas do acidente ainda não foram reveladas.

Imbróglio quanto à segunda volta

das eleições na Guiné-Bissau

Está instalada a reflexão jurídica em face ao imbróglio político derivada da posição política assumida pelo segundo candidato mais votado das eleições presidenciais do dia 18 de Março, neste caso Koumba Yala, que decidiu não ir à segunda volta do escrutínio.

A contradição assenta nos dispositivos legislativos, nomeadamente

a Constituição da República e a Lei Eleitoral. que num dos seus

articulados estabelece que em caso da desistência de um dos dois

candidatos mais votados à segunda volta, concorre o que vem a seguir. Mas, o que diz a Constituição da República sobre o tal facto? É o que foi perguntado ao jurista guineense, actual professor na Faculdade de Direito de Bissau e que já foi antigo Procurador- Geral da República, Juliano Fernandes:

“Esta questão só deve ser analisada não numa perspectiva política, mas numa perspectiva jurídica, porque só a lei é que diz em que é que ficamos no caso de um dos candidatos admitidos à segunda volta vir a desistir. E aí nós temos de um lado a Constituição da República que estabelece que só poderão apresentar-se à segunda volta, no caso de nenhum candidato obter mais de 50 por cento dos votos validamente expressos, só se poderão apresentar à segunda volta os dois mais votados na primeira volta. Portanto,

aí a Constituição é muito clara e categórica no sentido de apenas

habilitar os dois candidatos mais votados na primeira volta.” Como argumento jurídico da sua tese, baseando na interpretação da

Constituição guineense, Juliano Fernandes acrescenta:

“De um lado a Constituição exclui essa possibilidade mas também

a ser admitida essa interpretação e não é admissível porque é

contrária à Constituição e quando uma lei ordinária contraria a Constituição, naturalmente que a lei ordinária não pode prevalecer. Mas ainda que essa interpretação fosse eventualmente sustentada ela poderia conduzir a situações que perdem totalmente a sua lógica e escamoteiam o verdadeiro espírito democrático que está subjacente a qualquer processo eleitoral.” Contudo, o jurista guineense disse estar optimista que o imbróglio será ultrapassado, tanto mais que, conforme disse, não há ainda uma desistência formal do candidato Koumba Yala à segunda volta das presidenciais. Das contradições entre a Lei Eleitoral e

a Constituição da República, Juliano Fernandes recorda que este

ponto não é o único:

“Infelizmente isso acontece muitas vezes num processo legislativo. Aliás, se virmos bem, dentro da mesma lei eleitoral nos temos algumas disposições que estabelecem em contrário à Constituição, por exemplo a disposição da lei eleitoral que diz que as eleições presidenciais, no caso de morte, devem ser realizadas no prazo de 90 dias e temos a Constituição que diz 60 dias.” Reflexão do jurista guineense, Juliano Fernandes, perante um clima político tenso, em face do anúncio de resultados de eleições

tenso, em face do anúncio de resultados de eleições presidenciais antecipadas do passado dia 18 de

presidenciais antecipadas do passado dia 18 de Março, que ditaram uma segunda volta entre Carlos Gomes Júnior, candidato do PAIGC, e Koumba Yala, apoiado pelo PRS, e que se integra na frente unida dos cinco candidatos que contestam os resultados provisórios publicados pela CNE. E estes mesmos candidatos mantiveram um encontro com o embaixador do Senegal na Guiné-Bissau, o decano de todos os representantes diplomáticos no país, a quem afirmam ter apresentado as provas de que houve fraude no escrutínio eleitoral. Mas, em resposta, o diplomata senegalês disse tomar nota das preocupações observadas, lembrando contudo que a Guiné-Bissau tem instituições vocacionadas para resolver este problema.

02 Abril 2012 Ler e contar . 25
02 Abril 2012
Ler e contar . 25

Angola quer inserir dialetos para ratificar Acordo Ortográfico

Angola, que ainda não ratificou o Acordo Ortográfico, quer ver nele escritas as contribuições das suas línguas nacionais (os dialetos), à semelhança do que fizeram já alguns Estados da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

A reunião de peritos, que antecede o encontro dos ministros da Educação da CPLP, que tem como objetivo analisar a questão de implementação do acordo, teve lugar na quarta e quinta-feira, em Luanda. A reunião ministerial aconteceu na sexta-feira. Por enquanto, há poucos pormenores de uma e outra das reuniões.

Portugal esteve representado na reunião pelo ministro da Educação, Nuno Crato, que chegou a Luanda na quarta-feira de manhã.

Neste encontro, Angola pretendia ainda ver acautelado o tema da implementação do acordo no seu sistema educativo.

O novo Acordo Ortográfico começou a ser aplicado nos documentos do Estado a 1 de janeiro, vigorando em todos os serviços, organismos e entidades na tutela do Governo português.

Cuba: Papa promete ajuda na reforma política

*Bento XVI esteve em Havana numa visita descrita de calorosa

O Papa Bento XVI chegou, terça-feira, a Cuba para uma

visita de 3 dias onde Papa prometeu ajudar na reforma

política. A sua chegada o Sumo Pontífice foi recebido pelo presidente cubano, Raul Castro no aeroporto da cidade de Santiago.

A sua visita marca os 400 anos da Santíssima Virgem El

Cobre, um ícone venerado por muitos cubanos.

A visita regista-se no âmbito da aproximação e com uma

missão pessoal “ajudar a construir um diálogo construtivo

para evitar os traumatismos.” Esta nova incumbência pessoal

do Sumo Pontífice e para com Cuba foi por ele revelado

ainda no México e enquadra-se no contexto de que a Igreja cubana tornou-se num interlocutor político principal do governo de Havana. Bento XVI sublinhou que “é evidente

que a igreja está sempre do lado da liberdade da consciência,

da liberdade da religião”, e assegurou que actualmente em

Cuba, “simples fiéis católicos contribuem para o avanço.”

O Papa justificava assim a sua declaração sobre Cuba segundo a qual a ideologia marxista “com base na sua concepção já não responde a realidade” e que “convém encontrar novos modelos.” Nesta sua visita a Cuba, Bento XVI teve a primeira paragem

no Santuário da Virgem de El Cobre, próximo da cidade de

Santiago onde é assinalado o 4º centenário do surgimento

da grande imagem histórica da padroeira. Há quatro séculos

uma estátua de cobre da Santíssima Virgem foi encontrada no

mar. Diz a lenda que após a sua recuperação a mar amainou e tornou-se menos tempestuoso.

O Santuário viria a ser construído mais tarde em 1920 nos

subúrbios de Santiago e desde então tem sido um dos locais

de devoção dos católicos cubanos e turistas.

dos locais de devoção dos católicos cubanos e turistas. Até mesmo Ernest Hemingway dedicou o seu

Até mesmo Ernest Hemingway dedicou o seu Prémio Nobel

de Literatura a Nossa Senhora de El Cobre.

Desde o início do mês que cartazes de Bento XVI ornamentam os muros da capital cubana. Os órgãos de imprensa oficiais vêm multiplicando as mensagens de boas-vindas ao Sumo Pontífice. Contudo a visita parece não suscitar grande agitação entre os cubanos. Num país onde apenas 10 por cento da população é católica praticante e as missas frequentadas essencialmente por pessoas idosas, o prelado

local queixa-se que os jovens na sua maioria preferem ir as igrejas evangélicas que celebram missas ao som de tambores

e guitarras eléctricas.

Analistas afirmam que se a visita de João Paulo II a Havana em 1998, há 14 anos suscitou a esperança, actualmente

os cubanos perderam a ilusão. A Igreja Católica Cubana é

acusada de ter apoiado o regime na expulsão de dissidentes que se tinham refugiados nos seus aposentos.

MPLA e Governo tiram “cadeira vazia” à oposição

Anova proposta de lei orgânica sobre o Estatuto do Deputado, que começou a ser discutida pela Assembleia Nacional, na especialidade, vai proibir os deputados de optarem pela política de “cadeira vazia” no momento da votação

citado pelo Jornal de Angola, prevê agora a penalização de deputados que se ausentarem da sala no momento da votação.

O deputado do MPLA sustentou que “o que tem acontecido

até agora não é normal e contraria a ética do deputado”.

de

qualquer diploma. A oposição fica, assim, impedida de

abandonar o plenário, no momento a votação, como forma

Emílio Homem esclareceu que votar é um dever e direito do

de

protesto, como aconteceu várias vezes este ano, por causa

deputado, que tem três formas para manifestar o seu voto:

de

Suzana Inglês e ourtos motivos políticos.

abstenção, a favor ou contra. “Nunca abandonar a sala,” disse.

O

documento, cuja aprovação final deverá acontecer no

dia 29 de Março, prevê como medidas disciplinares, a

O

líder parlamentar da UNITA, Raul Danda, disse que o

advertência , a censura registada , a suspensão de salários e descontos salariais. O Projecto de Lei Orgânica reformula a actual lei aprovada em Junho 1993 por, alegadamente, estar desajustada da realidade actual.

que se está a viver no país é o retrocesso de democracia. “Estamos a querer implementar uma democracia do tipo Coreia do Norte o que é grave,” disse.

O

porta-voz do PRS,Joaquim Nafoia disse que a intenção

Este novo estatuto orgânico, segundo o vice-presidente

do

partido que sustenta o Governo já era esperada. “Tudo

da Comissão dos Assuntos Constitucionais, Jurídicos

isso se enquadra no programa da diminuição das liberdades

e Regimento da Assembleia Nacional Emílio Homem,

e portanto não há nada que estranhar,” acrescentou

As lágrimas que nós não choramos

Fernando Cruz Gomes Jornalista (Toronto

nós não choramos Fernando Cruz Gomes Jornalista (Toronto ouvimo-la há dias. Dedilhámos com ela as muitas

ouvimo-la

há dias. Dedilhámos com ela as muitas cordas da saudade feita sentimento. Aí, talvez, com as reminiscências do Guerreiro Bruno, ainda meu colega de banca em Jornal que então havia, do Cazal Ribeiro ou de Vasco de Lima Couto (que ainda me chamou chefe, durante

Em Estação de Rádio que muito prezamos

alguns anos). Foi aí que eu dei comigo a pressionar a

tecla do retrocesso da máquina de escrever e, sobretudo,

de recordar casos e factos

sentimentos que entram nas páginas de um Jornal ou no

desta imensa panóplia de

ar bom

da Rádio

Dei comigo, nessa altura, a ligar à Estação de Rádio, onde não pude falar, mercê do sistema de programa que já não comportava mais nada

E eu, no fundo, queria levar o meu abraço à Minah Jardim, que é dela que eu falo. Só um abraço !

Queria contar-lhe as muitas histórias que vi e ouvi ela contar. Talvez até com aquele “Chi-Chi e cama”, com

que ela deve ter feito as suas primícias de locutora. Com as muitas noites e dias que ela jogou no campo difícil que era a Rádio em Angola. Queria dizer-lhe que, no dia-a-dia dos meus dias, ouvi muita gente a dizer-me que ela, a menina bonita da Rádio em Angola, tinha

preenchidio os seus dias ou as suas noites

porque lhe

tinha preenchido o coração onde moram os sentimentos.

Foi daí que eu não descansei enquanto a não levei para a

Estação grande

onde só os grandes entravam

!

Queria dizer-lhe, afinal, que dessa sua faceta de Artista eu tenho saudades. Mais do que isso, atiro aos céus o grito de lamento por esta querida comunidade, em que ela se insere, não a ter aproveitado para fazer aquilo em que ela, também, é grande. Ser locutora, para ela, era ser Artista. No melhor sentido do termo. E aqui esqueceram-se – ou foi ela que se esqueceu?! – dessa faceta sublime. Perdemos nós todos muito com a entrada

apenas no mundo da Canção, onde

da Minah Jardim

ela é também grande. Como o é na organização de

espectáculos, na formação de Artustas, no “savoir faire”

que poucos fazem

de uma noite de luzes e de sons

como ela. Mas, de facto, no sector da Rádio – da emissão corrida ou da forma de lidar com os ouvintes – ela seria também grande.

Tão grande como naquela tarde-noite em que leu uma Carta que eu nunca escrevi, com que eu terminava um programa que eu chamava (como aqui) Revista

da Semana. Era, nessa tarde-noite, uma Carta à Mãe. Foi ela que a leu. Normalmente. Como quem vive o

sente as dores do autor. Vibrou e

fez vibrar os ouvintes. Foi ela

simplesmente ela! No

tema. Como quem

final – eu vi, ninguém me contou – ela estava a chorar. É

que

uns dias antes, tinha-lhe morrido a mãe. Uns dias

antes

tinha desaparecido do mundo dos vivos

aquela

que lhe dera o ser.

Vi-lhe as lágrimas

e chorei com ela. Como hoje – pobre

tonto! – que ainda penso ser possível, no retrocesso da

tal máquina de escrever, que já não tenho, ver a menina

linda e ladina, sabedora e humilde

de qualquer ser humano. É que há um ditado que diz que um Jornalista (neste caso um locutor) não pode ter

ficam

lá dentro, amarfanhadas, dentro de um coração que as sente. Tem de rilhar os dentes para não chorar. E eu vi- lhe as lágrinas. Eu aprendi com elas. Eu senti, afinal, o quão sublime é esta profissão que eu e ela quizemos escolher

lágrimas. Tem de contar as dos outros. As suas

chorar as lágrimas

Olá, Minah Jardim. Estou contigo!

26 . Automobilismo 02 Abril 2012
26 . Automobilismo
02 Abril 2012

A temporada 2012 da Fórmula Indy começou com vitória brasileira

2012 da Fórmula Indy começou com vitória brasileira Hélio Castroneves venceu a primeira prova do campeonato

Hélio Castroneves venceu a primeira prova do campeonato IZOD Indy,em St. Petersburg, nos Estados Unidos, e mostrou que é um dos candidatos ao título do campeonato. Enquanto isso, Rubens Barrichello fez uma estreia discreta na categoria, ao terminar a corrida apenas na 17ª posicao.

Depois de 19 temporadas na Fórmula 1, Rubens Barrichello fez neste a sua estreia oficial na Indy. Após ter largado em 13º lugar

no circuito de rua de St. Petersburg, o veterano piloto de 39 anos

mostrou que ainda está se adaptando à nova categoria, conseguindo terminar apenas na 17ª posição, andando longe dos primeiros colocados.

Helinho, por sua vez, somou a sua 20ª vitória na Fórmula Indy - três delas são nas 500 Milhas de Indianápolis. Com a Penske, uma das principais equipes da categoria, o brasileiro largou em quinto lugar em St. Petersburg e superou o neozelandês Scott Dixon, da Chip Ganassi, para receber a bandeirada na primeira posição.

Como sempre faz, Helinho subiu no alambrado da pista para comemorar mais uma vitória, fato que lhe rendeu o apelido de Homem-Aranha nos EUA. Depois, ele dedicou o triunfo a Dan Wheldon, piloto inglês que morreu durante a última etapa da temporada passada da Indy, em Las Vegas. “Essa foi para nosso amigo lá em cima”, disse o brasileiro.

O outro piloto brasileiro da Indy, Tony Kanaan, não conseguiu

completar a prova. Companheiro de Rubinho na equipe KV Racing, ele chegou a andar entre os primeiros colocados, mas teve problemas elétricos no carro e foi obrigado a abandonar logo no começo da corrida. Saiu chateado, porque acreditava que poderia

ter um bom resultado.

A decepção na etapa de abertura da temporada foi o escocês Dario Franchitti, atual campeão da Fórmula Indy. Piloto da equipe Chip Ganassi, ele conseguiu apenas o 13º lugar . Já o australiano Will Power, da Penske, não aproveitou o fato de ter largado na pole position, errou no pit stop e terminou a corrida na sétima posicao.

errou no pit stop e terminou a corrida na sétima posicao. Paulo Alves – Carlos Moreira

Paulo Alves – Carlos Moreira

Rali de Portugal 2011 gera impacto total de 91,8 milhões de euros

Portugal 2011 gera impacto total de 91,8 milhões de euros Os dados são do estudo sobre

Os dados são do estudo sobre a prova feito pela Universidade do Algarve. O montante em despesa directa equivale a 49,66 milhões

de

euros.

O

Rali de Portugal de 2011 teve um impacto económico total

situado nos 91,8 milhões de euros, de acordo com o estudo da Universidade do Algarve a que o Diário Económico teve acesso. Deste valor, há 49,66 milhões correspondentes a despesa directa (gastos de adeptos e equipas) e 42,16 milhões atribuídos a despesa indirecta, isto é, valorização da projecção de imagem nos media nacionais e internacionais. E 30,4 milhões de euros - 61,3% da despesa directa - têm origem não nacional. Salienta o documento que isso “representa exportações na rubrica viagens e turismo com consequente benefício do saldo da Balança de Transacções Correntes de Portugal”. Em 2010, o mesmo estudo apontara valores totais a rondar os 85 milhões de euros - 49,7 milhões de despesa directa e 35 milhões em termos indirectos. A prova mantém o estatuto de maior retorno depois do Europeu de futebol em 2004. No entanto, embora cresça 20,4% no segundo item, sofre ligeira descida (2%) no primeiro. Os dados do estudo confirmam a previsão feita ao Diário Económico em Fevereiro do ano passado por Fernando Perna, professor de Economia Aplicada e coordenador

Fernando Perna, professor de Economia Aplicada e coordenador do Centro Internacional de Investigação em Território e

do Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo na

Universidade do Algarve, responsável pelo estudo anual. “Mais 3 a 6% de impacto económico total, ou seja, passar os 90 milhões de euros”, disse, na altura, Fernando Perna. E a previsão tinha suporte:

“O Rali de Portugal demonstrou, nas edições de 2009 e 2010, uma resistência a ciclos económicos menos favoráveis, proporcionando resultados muito positivos em contra-ciclo com a tendência de muitos produtos turísticos”, referiu o docente universitário.

Primeira vitória para Hirvonen

o docente universitário. Primeira vitória para Hirvonen O finlandês Mikko Hirvonen (Citroen DS3), que se sagrou,

O finlandês Mikko Hirvonen (Citroen DS3), que se sagrou, ontem, vencedor do Rali de Portugal, foi excluído da classificação devido a uma inconformidade na embraiagem, noticia a agência AFP. A agência francesa, que cita uma fonte oficial, acrescenta que esta decisão tomada pelo colégio de comissários desportivos, que esteve reunido durante cerca de uma hora e meia com os responsáveis

técnicos do construtor francês, pode ser alvo de um recurso, na hora seguinte ao anúncio da decisão. Com a desclassificação de Hirvonen, o título do rali português, quarta prova do Campeonato do Mundo, deverá ser entregue ao norueguês Mads Ostberg, segundo no terreno, a 01.51,8 minutos do finlandês. De qualquer modo, o finlandês Mikko Hirvonen (Citroën) tinha vencido o Rali de Portugal, terminando a prova com o tempo