You are on page 1of 19

Limite e Continuidade

Eng.º Delfino Teteia


Noção Intuitiva
Sucessões numéricas Dizemos que:

1, 2, 3, 4, 5, .... Os termos tornam-se cada


vez maiores sem atingir
x → +∞
um limite
1 2 3 4 5
, , , , ,.....
Os números aproximam-se
cada vez mais de 1, sem
x→ 1
2 3 4 5 6 nunca atingir esse valor

1, 0, -1, -2, -3, ... Os termos tornam-se cada


vez menores sem atingir
x → -∞
um limite
3 5 6 Os termos oscilam sem
1, ,3, ,5, ,7,... tender a um limite
2 4 7
Limites Intuitivos


(b )
< ≠
<

←→
=
(b ) →
(b ) (d ) → → (d )

←→ ← (d ) ←(a)

(c )

>
(c ) (a ) (c )

(a )
(a) lim− f ( x) = 0 (a) lim− f ( x) = −∞ (a) lim− f ( x) = 0
x →0
x →0 x →0
(b) lim+ f ( x) = 1 (b) lim+ f ( x) = +∞ (b) lim+ f ( x) = entre[−1,1]
x →0
x →0 x →0
(c) lim f ( x) = −∞ (c) lim f ( x) = 0 (c) lim f ( x) = −∞
x → −∞
x → −∞ x → −∞
(d ) lim f ( x) = +∞ (d ) lim f ( x) = 0 (d ) lim f ( x) = entre[−1,1]
x → +∞
x → +∞ x → +∞

(b )

(a ) lim+ f ( x) = 0
x →1

(b) lim f ( x) = +∞
x → +∞


(a )
Definição de Limites
• Seja f(x) definida em um intervalo aberto
em torno de a (um número real), excepto
talvez em a.
c a d

• Dizemos que f(x) tem limite L quando x


tende a a e escrevemos
Figuras 1: Um intervalo aberto de raio 3 em torno de
x0 = 5 estará dentro do intervalo aberto (2, 10).

Figures 1.13: Um
lim
x→a
f ( x) = L

se para todo ε > 0, existe um número


correspondente δ > 0 , tal que

|x-a|< δ ⇒ |f(x)-L|< ε,

para todos os valores de x.


Figura 1.11: Relação entre δ e ε na definição de
limite.
Propriedades dos Limites
• Se L, M, a, c são números reais e n inteiro

lim f ( x) = L
x→a
e lim g ( x) = M ,
x→a
• Regra da soma(subtracção):
lim f ( x) ± g ( x) = lim f ( x) ± lim g ( x) = L ± M
x→a x→a x→a
• Regra do Produto:
lim f ( x).g ( x) = lim f ( x). lim g ( x) = L.M
x→a x→a x→a
• Regra da multiplicação por escalar:
lim c. f ( x) = c . lim f ( x) = c.L
x→a x →a
• Regra do quociente:
f ( x) lim f ( x) L
lim = x →a
=
x→a g ( x) lim g ( x) M
x →a
• Regra da potencia:
lim f ( x) = (lim f ( x)) = L
n n n
x→a x→a

• Regra da raíz
lim n f ( x) = n lim f ( x) = n L
x→a x→a

se lim f ( x) = L < 0, n é impar.


x→a
• Regra do logarítmo:
lim log c ( f ( x)) = log c (lim f ( x))
x→a x →a

= log c L se lim f ( x) > 0


x →a
• Regra do seno(o mesmo vale para o cosseno)

lim sen f ( x) = sen(lim f ( x)) = sen L


x→a x→a

• Regra da exponencial:
lim f ( x )
lim c f ( x)
=c x→a
=c L
x→a
Limites de Funções Polinomiais
Teorema 2 – Os Limites de Funções Polinomiais podem ser
obtidos por Substituição:

Se n −1
P ( x ) = an x + an −1 x
n
+... + a0

então
lim n −1
P( x) = P(c) = a n c + a n −1c + ... + a0 .
n

x→ c
Exemplo – Limite de Uma Função Polinomial

lim 3x + 4x − x − x + 2 =
5 4 2

x→ −2

3 × (− 2) + 4 × (− 2) − (− 2) − (− 2) + 2 =
5 4 2

3 × (− 32) + 4 × 16 − 4 + 2 + 2 =
− 96 + 64 − 4 + 2 + 2 = − 32
Limites de Funções Racionais
Teorema 3 – Os Limites de Funções Racionais podem ser
obtidos por Substituição, caso o limite do denominador
não seja zero:

Se P(x) e Q(x) são polinômios e Q (c ) ≠ 0 ,

então

lim P ( x ) P (c )
=
x →c Q ( x ) Q (c )
Exemplo – Limite de Uma Função Racional

3
x + 4 x − 3 (− 1) + 4(− 1) − 3 0
2 3 2

lim
x→ −1 x +5
2
=
(− 1) + 5
2
= =0
6
Exemplo 3 – Cancelando um Fator Comum

x + x−2
2

lim
x →1 x −x
2

Solução: Não podemos substituir x = 1 porque isso resulta em um


denominador zero. Testamos o numerador para ver se este também
é zero em x = 1. Também é, portanto apresenta o fator (x – 1) em
comum com o denominador. Cancelar o (x – 1) resulta em uma fracção
mais simples, com os mesmos valores da original para x ≠ 1:

x + x − 2 ( x − 1)( x + 2) x + 2
2
= = Se x ≠1
x −x
2
x( x − 1) x
Usando a fracção simplificada, obtemos o limite desses
valores quando x →1 por substituição:

x + x−2
2
x + 2 1+ 2
lim = lim = =3
x →1 x −x
2
x →1 x 1
2+h−2
=
h( 2 + h + 2 )
Fator comum de h.
h
=
h( 2 + h + 2 )
Cancelar h para h ≠ 0.
1
=
2+h + 2
Então,
2 +h − 2 1
lim
h →0 h
= lim
h →0 2 +h + 2
1 1
= =
2+0 + 2 2 2