You are on page 1of 34

CONTEÚDO
 Objetivos  Motivação e Trabalhos Futuros  Introdução  Otimização Estrutural  Métodos e resultados obtidos  Estado Atual do Trabalho  Sistemas Termomecânicos

OBJETIVOS:

Implementar o método SIMP, assim como os métodos Evolucionários ESO/BESO, de otimização Estrutural.
Explorar a aplicação de Condução de Calor na Otimização Estrutural Topológica. Realizar o estudo da formulação matemática envolvida no projeto.

acoplando sistemas Termo– Mecânicos com outros fenômenos já estudados. no futuro.MOTIVAÇÃO E TRABALHOS FUTUROS  Desenvolver uma ferramenta de Otimização Estrutural Topológica de Sistemas Acoplados Termomecânicos. como a interação Fluído– Estrutura assim como outros fenômenos de intercâmbio de calor (Convecção. como forças de corpo aplicado no domínio. .   Implementar um código de fácil uso com pré e pós–processadores básicos deixando a possibilidade de poder usa-lo. Realizar o estudo de Otimização topológica focando o problema na maximização da rigidez considerando o fenômeno de condução de Calor. Radiação).

INTRODUÇÃO FIGURA 1. PORTO (2006) . TIPOS DE OTIMIZAÇÃO ESTRUTURAL E AS FASES DE PROJETO.

etc. etc.) . RAMP.)  Métodos heurísticos(ESO.OTIMIZAÇÃO ESTRUTURAL  Paramétrica  Parâmetros geométricos e de material  Forma  Contornos  Topológica  Distribuição de material  Programação matemática(SIMP. Genéticos.

c) Topological derivative (Sokołowski and Zochowski 1999). Mlejnek 1992). Wang et al. incluindo: a) Densidade ou “Power-Law approach” (Bendsøe 1989. o conceito desenvolveu um número de diferentes direções e abordagens. b) Level set (Allaire et al. e) Abordagens Evolucionários (Xie and Steven 1993) e vários outros. 2004.OTIMIZAÇÃO ESTRUTURAL TOPOLOGICA Na literatura mostra-se vários tipos de abordagem para resolver o problema de otimização topológica. 2003). . 2002. d) Phase field (Bourdin and Chambolle 2003). Desde o original “Abordagem de homogeneização para otimização topológica (Bendsøe e Kikuchi (1988))”. Zhou and Rozvany 1991.

◦ Obter a estrutura mais rígida possível com o volume final de material pré-determinado. .MÉTODOS DE OTIMIZAÇÃO TOPOLÓGICA Problema Clássico de mínima complacência para optimização topológica em elasticidade linear ◦ Restrição: Fração de volume final.

: Dimensões. as variáveis são as pseudo-densidades.ABORDAGEM “POWER-LAW” SIMP (SOLID ISOTROPIC MATERIAL WITH PENALIZATION) As propriedades mantem-se constantes durante o processo de otimização. 𝑎. Problema: 𝑀𝑖𝑛 ℓ(𝑥 𝑥 𝑆. Otimização: Vetor de desenho x (ex. : Condições de Igualdade Condições de Desigualdade Função Objetivo: ℓ(𝑥) → ℝ . topologia. forma ou material).

Modelo Inicial ALGORITMO SIMP Malha de Elementos Finitos TOPOLOGIA FINAL Analise por MEF Restrição Satisfeita? Cálculo do número de Sensibilidade Filtro de Densidades pelo método OC (Optimality Criteria) MAPA CONCEITUAL. ALGORITMO DA IMPLEMENTAÇÃO DO MÉTODO SIMP .

t. ∀𝜐 ∈ 𝜗(𝑒𝑞𝑢𝑖𝑙í𝑏𝑟𝑖𝑜 𝜌 ∈ *0. sometido a forças de corpo 𝑓 em 𝛺 e forças de tração 𝑡 no contorno 𝛤 𝑡 no domínio 𝛺. 𝜐) = ℓ(𝜌. 𝜐). que pode ser definido como: 𝑀𝑖𝑛 ℓ(𝜌.Considerando o problema clássico de mínima complacência para optimização topológica em elasticidade linear. 𝜐) = 𝛺 𝜌 𝜕𝑢𝑖 𝜕𝜐𝑘 𝐸𝑖𝑗𝑘𝑙 𝑑𝛺 𝜕𝑥𝑗 𝜕𝑥𝑙 .1+ S. 𝑢) 𝑎𝜌 (𝑢.: 𝜌𝑑𝛺 = 𝑉 ≤ 𝛾𝑉𝑜 𝛺 Vo = Restrição de Volume Onde: ℓ(𝜌. 𝑢) = 𝛺 𝑓 𝑇 𝑢𝑑𝛺 + 𝛤𝑡 𝑡 𝑇 𝑢𝑑𝑆 𝑎𝜌 (𝑢.

que é uma variável continua. elevada a um exponente “𝑝” 𝑝 > 1 . 𝜐 = ℓ 𝜌.E 𝑢 é o campo de deslocamentos que define o equilíbrio do corpo elástico. A versão padrão do problema de otimização topológica para mínima complacência segundo o método SIMP é: 𝑀𝑖𝑛 ℓ(𝜌. 𝑢) = Onde: 𝑎𝜌 (𝑢. 𝑉 o volume permitido de material existente (𝑉 > 0). e 𝛾 a fração de volume. estas propriedades são modeladas como uma função da pseudo-densidade do material. de acordo com o método SIMP na interpolação de propriedades de material. vezes a propriedade do material sólido. 𝑣 o campo de deslocamentos virtuais cinematicamente admissíveis. No domínio de desenho Ω. 𝑢) 𝑎𝜌 𝑢. 𝜗 o conjunto de deslocamentos admissíveis. 𝜐) = 𝛺 𝑓 𝑇 𝑢𝑑𝛺 + 𝜕𝑢 𝑗 𝑡 𝑇 𝑢𝑑𝑆 𝜕𝜐𝑘 𝑑𝛺 𝜕𝑥𝑙 𝛺 𝜌𝑝 𝜕𝑥 𝑖 𝐸𝑖𝑗𝑘𝑙 . 𝑉0 o volume total do domínio inicial. 𝐸 𝜌 = 𝜌𝑝 𝐸0 Onde 𝐸0 é o módulo de Young de um material solido dado.: 𝛺 𝜌𝑑𝛺 ≤ 𝛾𝑉𝑜 𝛤𝑡 ℓ(𝜌. 𝜐 .t. ∀ 𝜐 ∈ 𝜗 0 < 𝜌 ≤ 𝜌 ≤ 𝜌 S.

𝑁 . implica que o menor p será igual a 3. … . : (𝜌𝑒 )𝑝 𝐾𝑒 𝑢𝑒 = 𝐹 𝑒=1 𝑁 𝜌𝑒 𝜐𝑒 = 𝛾𝑉0 𝑒=1 0 ≤ 𝜌 ≤ 𝜌 𝑒 = 1.Penalidade: 2 4 A penalidade p satisfaz: 𝑝 ≥ max . 𝑡. 𝜌 𝑒 𝜌 são os limites de pseudo-densidade do material. → 𝑝 ≥ 3 Voltando no problema. 1−𝜈 1+𝜈 Onde 𝜈 é o Modulo de Poisson do material base dado com tensor de rigidez 𝐸𝑖𝑗𝑘𝑙 (Bendsϕ𝑒 & Sigmund 1999). Usando o Método de Elementos Finitos: 𝑁 min 𝐽(𝜌) = 𝑈 𝑇 𝐾𝑈 = 𝑁 (𝜌𝑒 )𝑝 𝑢𝑒 𝑇 𝐾𝑒 𝑢𝑒 𝑒=1 𝑠. para problemas 2D. Para módulo de Young 𝜈 = 1 3.

𝜌𝑒 − 𝑚 < 𝜌𝑒 (𝐵𝑒)𝑛 < max(𝜌.Sensibilidade: 𝜕𝐽 𝜕𝐾 = −𝑈 𝑇 𝑈 = −𝑝(𝜌𝑖 )𝑝 𝑢𝑖 𝑇 𝐾𝑖 𝑢𝑖 𝜕𝜌𝑖 𝜕𝜌𝑖 Filtro de densidades: Otimality Criteria (OC) (Bendsoe (1995)): max 𝜌. − . 𝜌𝑒 + 𝑚 𝑖𝑓𝜌𝑒 (𝐵𝑒)𝑛 ≤ max(𝜌. n(=1/2) é um coeficiente de amortecimento e Be é obtido da condição de otimalidade: 𝜕𝑐 𝐵𝑒 = 𝜕𝑋𝑒 𝜕𝑉 𝜆 𝜕𝑋𝑒 Onde 𝜆 é o multiplicador lagrangiano que pode ser obtido com um algoritmo de bisseção. 𝜌𝑒 + 𝑚) Onde m (move) é um limite positivo de variação de densidade. 𝜌𝑒 − 𝑚 𝜌𝑒 𝑛𝑒𝑤 = 𝜌 (𝐵𝑒)𝑛 𝑒 min 𝜌. 𝜌𝑒 − 𝑚) 𝑖𝑓𝜌𝑒 (𝐵𝑒)𝑛 ≥ max(𝜌. 𝜌𝑒 + 𝑚) 𝑖𝑓 max 𝜌.

3. VOLUME FINAL = 50%.1. RAIO DO FILTRO=1.5. NO MEIO: METADE DO DOMÍNIO DE DESENHO.20. FIGURA 3. SIGMUND – TOP (60. MALHA DE 60X20 ELEMENTOS.5. SUPERIOR: O DOMÍNIO COMPLETO DO PROBLEMA.APLICAÇÕES FIGURA 2. OTIMIZAÇÃO TOPOLÓGICA DA VIGA MBB MÉTODO SIMP. METADE DO DOMÍNIO. PENALIZAÇÃO = 3.0.0.5) OTIMIZAÇÃO TOPOLÓGICA DO PROBLEMA DA VIGA MBB. O. . INFERIOR: TOPOLOGIA RESULTANTE DE VIGA OTIMIZADA (AMBAS METADES).

SIMP. DIREITA: O MESMO CASO PLOTADO EM ESCALA DIFERENTE PARA MOSTRAR OS ELEMENTOS COM DENSIDADE INTERMEDIARIA. PENALIZAÇÃO=3.2 FIGURA 4.2. DIREITA: TOPOLOGIA FIGURA 3.3. VOLUME FINAL=40%. O. RAIO DO FILTRO= 1.4.1.20. ESQUERDA: DOMÍNIO DO DESENHO. ESQUERDA: MALHA DE 60X40. SIGMUND – TOP(30. VOLUME FINAL=40%. DE UMA VIGA EM BALANÇO.2) MALHA DE 30X20. RAIO DO FILTRO=1. .0. PENALIZAÇÃO=3.OTIMIZAÇÃO TOPOLÓGICA OTIMIZADA DA VIGA.

RAIO DO FILTRO= 1.2 FIGURA 6. SIGMUND – TOP(30. VOLUME FINAL=40%. SIMP. MALHA DE 60X60. DIREITA: DOIS CARREGAMENTOS NO MESMO SENTIDO (+Y) E MESMO MÓDULO. RAIO DO FILTRO=1. PENALIZAÇÃO=3. ESQUERDA: DOMÍNIO DO DESENHO.4. VOLUME FINAL=40%. NO MEIO: DOIS CARREGAMENTOS EM SENTIDO CONTRÁRIO (TRAÇÃO).0.2) MALHA DE 30X30.2 .1.30.3. FIGURA 5. PENALIZAÇÃO=3.OTIMIZAÇÃO TOPOLÓGICA DE UMA VIGA EM BALANÇO COM DOIS CASOS DE CARREGAMENTOS. O.

 BESO (Bi-directional Evolutionary Structural Optimization) ◦Técnica heurística: Eliminação e adição simultânea de material até a convergência da topologia ótima. .MÉTODOS ESO/BESO  ESO (Evolutionary Structural Optimization) ◦Técnica heurística: Eliminação sucessiva de material do domínio inicial até que a restrição de volume seja satisfeita.

Modelo Inicial ALGORITMO ESO Malha de Elementos Finitos Analise por MEF Cálculo do número de Sensibilidade Remoção de elementos TOPOLOGIA FINAL Restrição Satisfeita? 𝛼 = 1 𝑇 𝑢 𝐾 𝑢 2 𝑖 𝑖 𝑖 MAPA CONCEITUAL. ALGORITMO DA IMPLEMENTAÇÃO DO MÉTODO ESO (PICELLI 2011) .

APLICAÇÕES SE MOSTRA O CHECKERBOARD. XIE. USANDO UM DEFEITO DE TABULEIRO DE XADREZ OU A SOLUÇÃO DESTE DEFEITO SE CONSEGUE FILTRO DE SENSIBILIDADES QUE SERÁ APRESENTADO POSTERIORMENTE. .P.M. STEVEN 1993) (Y.0% SOLUÇÃO PARA A OTIMIZAÇÃO DA ESTRUTURA TIPO MICHELL G. MODELO DO PROBLEMA PROGRAMA ESO MALHA QUADRILATERAL 50X25 VOLUME FINAL = 20.

FIGURA: ESO PARA MALHA DE 80X50 ELEMENTOS. UMA VIGA EM BALANÇO ENGASTADA NO LADO ESQUERDO E UMA FORÇA NO MEIO DO LADO DIREITO DA VIGA. .ESO CHECKERBOARD DEFECT: O DEFEITO DO TABULEIRO DE XADREZ É APRESENTADO NO PROBLEMA DE VIGA CURTA EM BALANÇO (THE CANTILIEVER PROBLEM).

Modelo Inicial ALGORITMO BESO Malha de Elementos Finitos Analise por MEF Cálculo do número de Sensibilidade 𝛼 = 1 𝑇 𝑢 𝐾 𝑢 2 𝑖 𝑖 𝑖 Remoção/Adição de elementos NÃO SIM Restrição Satisfeita? Vi=Vf? SIM TOPOLOGIA FINAL 𝑒 ≤ 𝜏 NÃO MAPA CONCEITUAL. ALGORITMO DA IMPLEMENTAÇÃO DO MÉTODO BESO (PICELLI 2011) .

2 Vf= 0.ADIÇÃO E REMOÇÃO DE ELEMENTOS ER = 0.4 1 -Sólido 0 -Vazio .

TABULEIRO DE XADREZ Filtro de Huang e Xie (2007) para BESO. Extrapolação para os nós 𝛼𝑘 = 𝑛𝑒 𝑖=1 𝑉𝑖𝛼𝑖 𝑛𝑒 𝑖=1 𝑉𝑖 Retorno para o nível elementar 𝛼𝑖 = 𝑀 𝑖=1 𝑤(𝑟𝑖𝑗 )𝛼𝑘 𝑀 𝑖=1 𝑤(𝑟𝑖𝑗 ) 𝑤 𝑟𝑖𝑗 = 𝑟𝑚𝑖𝑛 − 𝑟𝑖𝑗 .

Xie 2007 EVOLUÇÃO DA TOPOLOGIA: (A) ITERAÇÃO 15. (C) ITERAÇÃO 45.APLICAÇÃO Cantiliever Problem.M. XIE 2007 . X. (B) ITERAÇÃO 45. Huang. Y. (D) ITERAÇÃO 60. (E) ITERAÇÃO 69 E (F) TOPOLOGIA FINAL. HUANG.M. X. y.

RAIO DO FILTRO = 3. MALHA QUADRILATERAL DE 80X50 ELEMENTOS. .RESULTADOS DA IMPLEMENTAÇÃO ESQUERDA: TOPOLOGIA OBTIDA PELO MÉTODO BESO. DIREITA: GRÁFICA DE COMPLACÊNCIA E FRAÇÃO DE VOLUME POR ITERAÇÃO. VOLUME FINAL = 50%.00%. ER = 1.

FILTRO DE SENSIBILIDADE O EFEITO DO RAIO MÍNIMO NA ULTIMA ITERAÇÃO DE UM PROBLEMA DE OTIMIZAÇÃO TOPOLÓGICA PELO MÉTODO BESO. DIREITA: SENSIBILIDADES FILTRADAS. ESQUERDA: SENSIBILIDADES SEM SER FILTRADAS (CALCULADAS SÓ NOS ELEMENTOS SÓLIDOS OU EXISTENTES). ONDE SE MOSTRA O COMPARTILHAMENTO DE SENSIBILIDADE DOS ELEMENTOS NOS SEUS ELEMENTOS VIZINHOS .

é encontrar uma configuração de estrutura que produza o menor calor para um volume prescrito de material sólido disponível. que é a medida física da energia necessária para variar a temperatura dum corpo em uma quantidade dada.ESTADO ATUAL DO TRABALHO Otimização Topológica para Problemas de Condução de Calor: Para problemas de condução de calor. A função Objetivo então: 𝐶 = 𝑃𝑇 𝜙 Onde C é chamado de capacidade potencial de calor. e K é a matriz de condutividade. 𝜙 o vetor das temperaturas nodais. em problemas de condução de calor constante. a equação de equilíbrio de elementos finitos corresponde a: 𝑃 = 𝐾𝜙 Onde P é o vetor de carregamentos de calor. O objetivo principal. .

𝑉 = 𝑖=1 𝑉𝑖 Onde: 𝑥𝑖 é a variável binaria de desenho (discreta). 𝑋𝑖 . Vi é o volume do elemento i.OTIMIZAÇÃO TOPOLÓGICA PARA PROBLEMAS DE CONDUÇÃO DE CALOR O problema de Otimização Topológica. . V e 𝑉 são o volume atual e o volume inicial da estrutura. 𝑥𝑛 𝑥𝑖 = Min: s. 0 𝑣𝑎𝑐í𝑜 1 𝑠ó𝑙𝑖𝑑𝑜 C=𝑃𝑇 𝜙 𝑃 = 𝐾𝜙 𝑉 𝑉 = 𝑣𝑓 𝑜𝑢 ≤ 𝑣𝑓 𝑉 𝑉 𝑛 𝑛 𝑉 = 𝑖=1 𝑉𝑖. pode ser matematicamente expressado como: 𝐴𝑐ℎ𝑎𝑟: 𝑥1. … . 𝑣𝑓 representa a fração de volume. de existência ou ausência de material.a.

ANÁLISE DE SENSIBILIDADE A sensibilidade da capacidade potencial de calor pode ser expressada como: 𝜕𝐶 𝜕𝑃 𝑆𝑖 = = 𝜕𝑋𝑖 𝜕𝑋𝑖 Substituindo e reduzindo as expressões: 𝜕𝐶 𝜕𝑃𝑖 𝑑 𝑆𝑖 = =2 𝜕𝑋𝑖 𝜕𝑋𝑖 𝑇 𝑇 ∅ + 𝑃𝑇 𝜕∅ 𝜕𝑋𝑖 ∅𝑖 − ∅𝑖 𝑇 𝜕𝐾𝑖 ∅ 𝜕𝑋𝑖 𝑖 Onde 𝑃𝑖 𝑑 representa o vetor de carregamento nodal que conformam os carregamentos dependentes do desenho. A geração de calor Qi [w/kg] é um tipo de carregamento de corpo que depende da existência ou não de material. .

T. S.P.Usando funções de forma (MEF): 𝑃𝑖 𝑑 = 𝑃𝑖 𝑄 = 𝜌𝑄𝑖𝑁𝑖𝑑Ω𝑒 Ω𝑒 Onde Ni é a matriz de funções de forma e 𝜌 é a densidade de material sólido. WANG 2005 .Q. ZHANG. J. CHEN. ZUO.H. XU.H.T. W. Qi é a geração de calor. ZHU. EXEMPLOS NUMÉRICOS: MODELOS E RESULTADOS DE EXEMPLOS 1 E 2: (A) E (D) MODELOS DOS EXEMPLOS 1 E 2 (B) E (E) RESULTADOS ÓTIMOS DOS EXEMPLOS (GERAÇÃO NO PONTO MÉDIO DA MALHA E GERAÇÃO UNIFORME DE CALOR) T. GAO.J.H. ZHANG. Y. Y. BASSIR 2008 (a) RESULTADOS K. D. L.

DIREITA: ESTRUTURA OTIMIZADA PELO MÉTODO ESO EXEMPLO 2: ESQUERDA.EXEMPLO 1: ESQUERDA. ANÁLISE POR ELEMENTOS FINITOS À ESTRUTURA INICIAL. ANÁLISE POR ELEMENTOS FINITOS À ESTRUTURA INICIAL. DIREITA: ESTRUTURA OTIMIZADA PELO MÉTODO ESO .

minimizando a energia de deformação numa estrutura 𝛼∆𝑇 2 𝛼∆𝑇 2 𝛼∆𝑇 2 𝛼∆𝑇 2 FIGURA ESFORÇOS DEVIDO A VARIAÇÃO DE TEMPERATURA NUM ELEMENTO. é possível realizar os métodos de otimização topológica já estudados previamente. O primeiro passo será implementar os métodos explicados anteriormente (Otimização Topológica) considerando o efeito de temperatura como uma ação de tensão ou de deformação unicamente. considerando o problema de mínima complacência. estudaremos o fenômeno de Condução de Calor como primeiro passo para deixar a possibilidade de implementar outros fenômenos de Condução de Calor.SISTEMAS TERMOMECÂNICOS 𝛼∆𝑇 2 𝛼∆𝑇 2 𝛼∆𝑇 2 𝛼∆𝑇 2 Ideia: Obtendo as temperaturas de cada nó (depois de fazer um análise de elementos finitos na malha). .

Sigmund. 1997. Qing Li. Struct Multidisc Optim 21. Universidade Estadual de Campinas. S. 885-896.. London. Bassir.Gao. Otimização Estrutural Evolucionaria usando malhas hexagonais. Xie.P. Otimização Topológica Evolucionária Aplicada a Sistemas Elasto-Acústicos. G.P. Dissertação de Mestrado. Zhang. O. Convergent and mesh-independent solutions for the bidirectional evolutionary structural optimization method. wang. 21 May – 25 May 2007. Universidade Estadual de Campinas. Y.. Pergamon. Huang. VICENTE. Campinas.J. Korea. 2008. G. Finite Element in Analysis and Design 43. Xie.Y. Y.M. 2007. Renato.49 no. W. William Martins. Springer-Verlag. XII+188.M.Y. A Simple Evolutionary Procedure for Structural Optimization (Technical Note). Xu. 2007. Lim. Y.H. Xie. Wang. Grant P. 179p. T. 2011. Xie. A 99 topology optimization code written in Matlab. Faculdade de Engenharia Mecânica. 2001. 1039-1049. D. Y. Querin. COEX Seoul. Y. Shape and topology design for heat conduction by Evolutionary Structural Optimization. Topology optimization of het conduction problem involving design-dependent heat load effect. Springer-Verlag. .J. Steven.. Steven. Evolutionary Structural Optimization.M.5 pp. 120-127. X.M. Faculdade de Engenharia Mecânica. Tese (Doutorado). Osvaldo M. K. 7th World Congress on Structural and multidisciplinary Optimization. Steven 1993.. 2013.PICELLI.H. Computers & Structures Vol. M. 1998.Zhu. A Density Filtering Approach for Topology Optimization.H.