Sie sind auf Seite 1von 16

Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)

Psicologia da Educação

PERSPECTIVA
ECOLÓGICA EM
EDUCAÇÃO
segundo
Bronfenbrenner
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 Para Bronfenbrenner (Smith e outros, 1998), o


desenvolvimento humano é entendido como o processo
de discernir, compreender e reestruturar o nosso
contexto ecológico em níveis de complexidade crescente.

 Em primeiro lugar a criança compreende aqueles que lhe


garantem os cuidados básicos,
 em seguida a sua casa, o jardim de infância, o seu meio
escolar,
 só depois é que entende os aspectos mais latos da
sociedade.

 As alterações no contexto ecológico, ou transicções


ecológicas, são muito importantes no processo de
desenvolvimento, por exemplo, ter outro filho, conseguir
um emprego, iniciar a vida escolar, casar-se, etc.

 A forma como um indivíduo enfrenta a mudança é


essencial para o compreender.

 “Se quiser compreender qualquer coisa, tente alterá-la.”


Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 A ecologia do desenvolvimento ou o
desenvolvimento em contexto defende a idéia
de que o desenvolvimento de qualquer pessoa
é um processo de acomodação progressiva de
um organismo em mudança a contextos
igualmente em mudança. (Lourenço, 1997, p. 86).

 Bronfenbrenner, interpreta o contexto


ecológico do indivíduo como um conjunto de
cinco sistemas interligados:

 Microssistema - é o ambiente quotidiano da


casa, da escola, do trabalho ou do bairro. As
questões são do tipo: O nascimento de um novo
bebé afecta a vida dos pais? Como é que as
atitudes da mãe afectam o desenvolvimento da
criança?

 Mesossistema - é o entrecruzamento de vários


microssistemas que envolvem a pessoa em
desenvolvimento. Por exemplo, quando os pais e
os professores trabalham em colaboração no
planeamento educacional, as crianças tendem a
aumentar o sucesso escolar.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 Exossistema - refere-se aos vínculos entre dois


ou mais sistemas sendo que pelo menos um
deles não envolve a pessoa directamente; por
exemplo, a criança é influenciada indirectamente
pelos locais de trabalho dos pais, pelas redes
sociais destes, pelos vínculos entre a família e a
comunidade, etc.

 Macrossistema - consiste em padrões culturais


abrangentes como as crenças, as ideologias, os
sistemas políticos, económicos, etc. Podemos
perguntar, por exemplo, como é que uma pessoa
é afectada por viver numa sociedade capitalista
ou socialista?

 Cronossistema - acrescenta a dimensão do


tempo, ou seja, a influência das mudanças
normativas ou não-normativas. Por exemplo o
efeito, no desenvolvimento, do equilíbrio pessoal
(físico, cognitivo, afectivo) ou ambiental que
implica, ou não, em mudanças na estrutura
familiar, no emprego, culturais (guerras, crises
económicas), entre outras.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 1º. Princípio - As diferenças no desempenho


cognitivo entre grupos pertencentes a
diferentes culturas ou subculturas são função
da EXPERIÊNCIA, no decurso do processo de
desenvolvimento, com os diversos tipos de
processos cognitivos existentes numa dada
cultura ou subcultura, num determinado
período histórico.

 A competência cognitiva de um indivíduo ou grupo deve


ser interpretada à luz da cultura ou subcultura na qual a
pessoa cresceu.

 A compreensão científica do processo de


desenvolvimento em contexto deverá incorporar
aspectos contextuais e não contextuais do
desenvolvimento. A interrelação bidireccional dos dados
referentes a uma cultura particular e às subculturas
existentes, aumentará a compreensão sobre a
problemática.

– 1) Em relação aos diferentes significados do


desenvolvimento nas diversas culturas
– 2) Em relação à interpretação que diferentes pessoas em
contextos sociais particulares atribuem ou não importância
ao aspecto do desenvolvimento em estudo.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 2º. Princípio - A coerência de


temperamento e carácter do indivíduo
não se expressa, ao longo do tempo e
dos diversos contextos, através da
permanência dos padrões de
desenvolvimento mas sim, através da
CONSISTÊNCIA, ao longo do tempo, da
forma como a pessoa transforma o seu
comportamento em função dos diversos
contextos, próximos ou remotos, nos
quais a pessoa vive.

 A compreensão científica das características


psicológicas e do desenvolvimento da pessoa é
mais fàcilmente conseguida se o delineamento
experimental do estudo permitir
COMPARAÇÕES sistemáticas entre os diversos
contextos através de dados e interpretações
resultantes de diferentes observadores que
diferem no seu papel e na consequente relação
interpessoal com o indivíduo (s) em estudo a
par da auto-percepção do sujeito.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 3º. Princípio - As características do sujeito que


com maior probabilidade moldam o seu
desenvolvimento constituem aspectos do
comportamento ou de crenças que reflectem
uma orientação ACTIVA, SELECTIVA e
ESTRUTURANTE em relação ao ambiente e/ou
que tendem a provocar reacções do ambiente.
O efeito de tais características sobre o percurso
do desenvolvimento do sujeito depende, de
modo significativo, dos PADRÕES de respostas
advindos do ambiente, ao qual o sujeito
pertence.

 O delineamento de investigação, para o estudo do


desenvolvimento humano, deverá permitir a
possibilidade de se estudar as DIFERENÇAS NOS
PROCESSOS e nos RESULTADOS do DESENVOLVIMENTO
que se associam com factores tais como, idade, género,
raça, e na medida em que diferem na amostra
seleccionada para realizar a investigação.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 4º. Princípio - Nenhuma das


características do indivíduo existe ou
exerce influência no percurso do
desenvolvimento humano, de forma
isolada. Qualquer qualidade humana
está INTRINSECAMENTE INCLUIDA, e
encontra o seu significado e expressão
específicos, em contextos particulares
do ambiente geral que rodeia o
indivíduo, do qual a família é um dos
principais exemplos.
Consequentemente, existe sempre uma
INTERRELAÇÃO entre as características
psicológicas do sujeito e o ambiente ao
qual pertence. Um não pode ser definido
sem o outro.

 O estudo do desenvolvimento humano deverá


conceptualizar a SIMULTANEIDADE das diversas
características do sujeito e do ambiente no qual
a pessoa se encontra.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 1ª. Proposição - Qualquer estudo sobre o


desenvolvimento deverá incluir um CONTRASTE
entre pelo menos DOIS macrosistemas. Em
termos de delineamento experimental significa
que independentemente das questões ou
hipóteses levantadas, a análise será conduzida
separadamente para cada domínio, o que
contribui para determinar em que medida os
processos hipotetizados operam da mesma
forma nos diversos sistemas. Os dados deverão
ser colectados e analisados pelo menos em três
níveis de análise, micro- (exº. interacção mãe-
criança), exo- (exº. rede (trabalho) de suporte
à mãe) e macro- (exº. Contraste entre a
educação das mães).

 Por exemplo, nas sociedades de hoje, os sistemas mais


salientes são aqueles associados com diferenças na
classe social, estrutura familiar, género, etnicidade,
padrões parentais empregatícios, ligações entre casa,
escola e comunidade.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 2ª. Proposição - O conceito de


macrossistema inclui não só a
SUBCULTURA em que um indivíduo
cresceu mas também aquela em que o
indivíduo vive. A última define-se pelas
características daqueles com quem o
sujeito (s) em estudo se associam em
situações de vida diária. No
delineamento de pesquisa, deverão ser
considerados critérios para definir os
dois domínios.

 Esta necessidade é maior para estudar


indivíduos pertencentes a MINORIAS
étnicas ou grupos de imigrantes, que
cresceram e vivem em subculturas
diferentes.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 3ª. Proposição - O macrossistema é


definido pela estrutura e pelo conteúdo
dos subsistemas que o compõem, com
ênfase particular no SISTEMA DE
CRENÇAS que impulsionam o
desenvolvimento, estilos de vida,
recursos, padrões de troca de
oportunidades sociais e opções de vida
imbuidos em cada um dos sistemas,
micro, meso ou exossistemas.

 Exo- e mesossistemas têm uma


característica em comum: lidam com
relações entre 2 ou mais contextos (a
mesma pessoa pode participar em mais
que um contexto).

 O estudo deverá avaliar a participação do


sujeito nos diversos contextos, as formas
de comunicação entre esses contextos e a
informação num dado contexto acerca do
outro.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 4ª. Proposição - A natureza e o poder


dos PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO
ao nível do meso e do exossistema, são
influenciados, num certo degrau, pelo
sistema de CRENÇAS e pelas
EXPECTATIVAS existentes em cada um
dos contextos acerca do outro contexto
em análise.
 O delineamento de investigação deverá
contemplar essas ORIENTAÇÕES
BIDIRECIONAIS como um elemento chave
nos estudos que envolvem relações
entre pelo menos 2 sistemas.

 Por exemplo, os estudos empíricos deverão


fornecer informações sobre, entre outros
aspectos, o desenvolvimento do sistema de
crenças, primeiro do ponto de vista pessoal e
depois, cultural.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 5ª. Proposição - No paradigma do microssistema,


a criança em desenvolvimento é interpretada
como sendo um AGENTE ACTIVO que
desempenha, inevitàvelmente, um papel
importante no processo global de
desenvolvimento que ocorre no microssistema.

 No delineamento de investigação deverá prestar-se


atenção às características de desenvolvimento
(competência cognitiva, características sócio-
emocionais, sistema de crenças e outras) que
poderão ser interpretadas como potencialmente
instigadas pelo desenvolvimento intrínseco
(developmentally-instigative) do sujeito.

 A obtenção e a interpretação dos atributos pessoais


do sujeito deverão ser considerados de diversos
pontos de vista: 1) pelo próprio indivíduo, 2) por
sujeitos familiares ao contexto(s), 3) por um
observador(es) treinado(s) e, 4) de acordo com as
perspectiva cultural e subcultural, nas quais o
sujeito cresceu e vive no momento da avaliação.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 6ª. Proposição - Os processos de


desenvolvimento que ocorrem num
determinado contexto podem variar
substancialmente em função dos
ATRIBUTOS PESSOAIS que dizem
respeito a outros indivíduos
considerdos significativos, pelo sujeito.

 São considerados como de importância


relevante as QUALIDADES dos outros que têm
para o sujeito a função de instigar o
desenvolvimento potencial de natureza
intrínseca.

 O poder científico do microssistema é


reforçado na medida em que tais
características estão activamente presentes
no processo de desenvolvimento.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 7ª. Proposição - Cada membro do


microssistema influencia todos os outros
membros. Do ponto de vista da análise
do desenvolvimento é importante estudar
a INFLUÊNCIA de cada padrão de relações
interpessoais em todas as outras.

 Por exemplo, no estudo da família podemos


estudar o efeito das relações marido-mulher no
desenvolvimento das relações entre os pais e a
criança e vice-versa; também se investiga, entre
outros, o efeito da relação mãe-criança nas
relações pai-criança e vice-versa.

 Nestes estudos, o delineamento contempla o


modelo processo-pessoa-contexto onde cada
relação é tratada como um contexto para os
processos que decorrem no outro tipo de relação.
Perspectiva Ecológica (Bronfenbrenner, 1979)
Psicologia da Educação

 8ª. Proposição - O grau de estabilidade,


consistência e predictabilidade ao longo do
tempo em qualquer elemento dos diversos
níveis dos diferentes sistemas que constituem
o modelo ecológico do desenvolvimento
humano é de bastante importância na
operacionalização do sistema em questão.

 Tanto a desorganização quanto a rigidez na


estrutura das funções intersistémica representa
sinais de alerta no desenvolvimento psicológico
do sujeito.

 A flexibilidade do sistema constitui condição


necessária e indispensàvel ao desenvolvimento
humano.

 Em termos de investigação deve-se determinar o


grau de estabilidade vs. instabilidade, tanto no
que se refere às características da pessoa como
do contexto e para cada nível do sistema
ecológico.