Sie sind auf Seite 1von 51

Processos de Usinagem

com a Tecnologia
Corte com jato de água
Como funciona o jato de
água:
a) Tratamento da água;
b) Elevação da pressão da água;
c) Agregação de material abrasivo;
d) Corte do material;
e) Coleta e descarte de água;
Equipamentos de corte com
jato abrasivo
Variáveis que afetam o corte
por jato de água e abrasivo

a) Pressão;
b) Fluxo;
c) Diâmetro do jato;
d) Abrasivo;
e) Distância e velocidade do corte;
Vantagens Desvantagens
• não produz problemas de • velocidade do processo;
efeito térmico; • Chapas de metal de pequena
• tecnologia “limpa”; espessura tendem a sofrer
• aplicável a uma vasta gama esforços de dobramento,
de materiais; apresentando rebarbas na
face de saída;
• Permite fazer o corte em
qualquer direção, nas mais • Materiais cerâmicos têm sua
variadas formas; resistência diminuída após o
corte com jato de água e
• ideal para cortar certos
materiais duros como placas abrasivo;
blindadas ou alguns • Vidros temperados,
materiais cerâmicos; projetados para quebrar a
baixas pressões, também não
• aplicado sem problemas a
materiais do tipo sanduíches podem ser cortados por esse
de múltiplas camadas; sistema.
Exemplos de Aplicações
Corte com laser
Laser é luz
Como é gerado o laser
Equipamentos de corte á
laser
Fatores que afetam o corte
a) Impurezas;
á laser
b) Potencia do feixe;
c) Velocidade de corte;
c) Ponto focal;
Quando usar e não usar corte á
laser
a) Aços não ligados;
a) Aços inoxidáveis;
b) Aços-ferramenta;
c) Alumínio e suas ligas;
d) Cobre e suas ligas;
e) Titânio e suas ligas;
f) Outros materiais.
Vantagens do laser
• o corte a laser proporciona cortes retos,
pequena largura de corte, zona mínima
afetada pelo calor, mínima distorção e arestas
de excelente qualidade;
• Por ser uma luz, não entra em contato direto
com a peça, não causando distorções e não
se desgastando;
• É um sistema de fácil automatização, permite
cortar peças de formas complexas e não
requer a troca de “ferramenta de corte” cada
vez que é substituído o material a ser cortado.
Desvantagens do laser
• O alto custo inicial do sistema;
• A pequena variedade de potências disponíveis,
que limitam o corte a espessuras relativamente
baixas e a materiais que apresentem baixa
reflexão da luz;
• A formação de depósitos de fuligem na superfície,
no corte de materiais não-metálicos como
madeira, couro etc.;
• A formação de produtos tóxicos (ácido clorídrico),
no caso de corte de PVC.
Oxicorte
Oxicorte manual

Erosão térmica;
• Chama oxiacetilênica ;
• Maçarico;

Oxicorte semi-automático
Oxicorte automático

• Trabalham com células fotoelétricas ou com


microprocessadores;
Corte com Plasma
O Plasma

Processo de Ionização com alteração das propriedades de


temperatura e características elétricas da matéria.
O surgimento do arco
plasma

A redução do diâmetro de saída comprimia o arco elétrico,


aumentando a velocidade e a temperatura do gás. O gás,
ionizado, ao sair pelo bocal, em vez de soldar, cortava metais.
Características do arco
plasma
• O tipo de gás de corte;
• A quantidade de vazão;
• O diâmetro do bocal (bico de corte);
• A tensão do arco elétrico.
O corte plasma
convencional
• Corta aço inoxidável, aço-carbono e
alumínio;
• Para se obter um bom rendimento
do trabalho, é preciso utilizar o gás
adequado para corte de cada
material, controlar a vazão do gás e
a tensão do arco elétrico, levar em
conta a capacidade de condução de
corrente da tocha de plasma e as
propriedades do metal a ser
cortado;
• Uma tocha mecanizada com
capacidade para 1.000 ampères
pode cortar até 250 mm de aço
inoxidável ou alumínio. Entretanto,
habitualmente, na indústria, a
espessura de corte não ultrapassa
50 mm.
Corte com plasma ar
comprimido
• Substituí gases de alto
custo;
• Corte mais rápido;
• Usado para corte de
aço inoxidável e
alumínio, porém suas
superfícies tendem a
ficar fortemente
oxidadas;
• Rápida erosão do
eletrodo;
Segurança no processo
• o nível de ruído do
processo de corte seja
reduzido;
• a fumaça e os gases
tóxicos fiquem
confinados na barreira d
água;
• a intensidade de luz do
arco plasma seja
reduzida a níveis que não
prejudiquem os olhos;
• a radiação ultravioleta
seja reduzida

Mufla d’ água
Metalurgia do Pó
Etapas do processo:
Obtenção do pó

a)Atomatização(Figur
a);
b) Eletrólise;
c) Pirólise.
Etapas do processo:
Obtenção do pó

d) Moagem (figura);
e) Corrosão;
f) Redução;

Moinho de Bolas
Etapas do processo:
Compactação
Etapas do processo:
Sinterização
Operações Complementares

• Recompressão;
• tratamentos
térmicos;
• Usinagem;
Material Estrutural
Material Estrutural
Material abrasivo
Vantagens Desvantagens

• Economia de material; • O uso de uma matriz;


• Controle da composição do • Custo da produção;
material;
• Bom acabamento; • Limite do tamanho da
• Pureza dos produtos obtidos; peça á ser produzida;
• Facilidade de automação;
• Aplicação em diversas áreas;
Usinagem por eletroerosão
• Eletroerosão;
• A explosão da eletroerosão;
• Eletroerosão: um fenômeno invisível;
• Eletroerosão por penetração ou a fio?
• Eletrodo: a ferramenta da eletroerosão
Eletroerosão: um fenomeno
invisível

• Eletrodo
• Dielétrico
Eletroerosão por penetração
Eletroerosão á fio
Eletrodo: a ferramenta da
eletroerosão
• Metálicos: • Não Metálicos:
a)Cobre eletrolítico, a) Grafite
b)Cobre
c)Tungstênio
d)Cobre sinterizado
Equipamento de
Eletroerosão
Usinagem por feixes de
elétrons
Remoção de material por feixe
de elétrons
• O processo de remoção ocorre através do impacto de um
feixe concentrado de elétrons sobre a superfície da peça
• Em vista da colisão do feixe, ocorre fusão e vaporização do
material da peça no ponto de incidência, chamado “ponto
focal”, formando um furo
• Com a combinação de um movimento de avanço
transversal, o furo acompanha tal deslocamento
• Na geração de furos, estes apresentam certa coinicidade,
que pode ser controlada com a intensidade do feixe
• Com grandes densidade de energia é
• possível efetuar-se perfuração, furação,
• fresamento, corte e gravação;
• Métodos tradicionais X métodos avançados;
• Usinagem por feixe de elétrons:
a)Equipamento básico para produção do feixe de
elétrons;
b)Remoção de material por feixe de elétrons
• Usinagem por ultra-som:
a)Geração dos ultra-sons;
b)Características do equipamento
c)Considerações sobre a usinagem por ultra-som
Usinagem Química e
Eletroquímica
• Usinagem química: como tudo começou;
• Princípio de funcionamento;
• Etapas do processo;
• Vantagens e desvantagens da usinagem
química;
• Eletrólise, a base da usinagem eletroquímica;
• Princípios básicos de funcionamento;
• Visualizando a usinagem eletroquímica;
• Importância do eletrólito;
• Vantagens e desvantagens;
Comparação com os métodos
de Usinagem

• Métodos clássicos de usinagem;


a)Abrasão;
b)Reprodução.
Agrupando os novos
métodos
Natureza energética Modo de remoção do Nome do processo
do processo material
Mecânica Por remoção - usinagem por jato de
água
- usinagem por jato de
água com abrasivo
- usinagem por ultra-
som
Química Por reações químicas - usinagem química
Eletroquímica Por reações eletrolíticas - usinagem
eletroquímica
Eletrotérmica Por fusão/vaporização usinagem a laser
- usinagem por plasma
- usinagem por feixe de
elétrons
- usinagem por
eletroerosão
Aplicações
Processo
Eletroerosão Usinagens diversas em materiais
Eletroquímica condutores
Plasma

Ultra-som Usinagens diversas em materiais


Ultra-som rotativo maus condutores

Feixe de elétrons Microusinagem


Jato de água
Jato de água com abrasivo
Laser

Química Usinagem de peças delicadas


Tendências e perspectivas
• Há futuro para os métodos
tradicionais de fabricação?
• O que esperar dos novos métodos de
fabricação;
• O impacto social da evolução
tecnológica;
• Novas formas de organização do
trabalho;
• O profissional do futuro;