Sie sind auf Seite 1von 161

Gestão de Projetos Orientados

para Resultados
Gestão Estratégica
Orientada para Resultados
GEOR

Contextualização

Rede de Apoio a Projetos - UGE


A Geor no SEBRAE - Diagnóstico (2003)

Modelo de gestão
 Distância entre a formulação da estratégia e a execução
 Orçamento orientava e definia as ações, focadas na
oferta de produtos e nos processos internos
 Predominava uma de visão de curto prazo (Plano de
Trabalho e Orçamento anual)
 Ênfase estava no esforço realizado e não em produzir
resultados relevantes para o cliente
 Não havia cultura de medição e avaliação sistematizada
de resultados
Rede de Apoio a Projetos - UGE
A Geor no SEBRAE - Diagnóstico (2003)

Marca e equipe
 Marca reconhecida e prestigiada junto ao público-alvo
 Capacidade de atuar em ambientes de extrema diversidade
social, cultural, econômica, política e ambiental
 Equipe com forte postura empreendedora e poder de
articulação de parcerias
 Experiência acumulada no apoio aos micro e pequenos
negócios
 Imagem externa do SEBRAE altamente positiva

Rede de Apoio a Projetos - UGE


A Geor no SEBRAE - Diagnóstico (2003)

Construir um modelo de gestão com os seguintes


atributos
 Foco em resultados

 Transparência

 Simplicidade

 Flexibilidade

Rede de Apoio a Projetos - UGE


Por que uma Gestão Orientada para
Resultados?

A legitimidade e a sobrevivência das instituições


de interesse público dependerão, cada vez mais, de
sua capacidade de produzir, avaliar e comunicar
resultados de interesse dos beneficiários que
constituem sua razão de ser.

Rede de Apoio a Projetos - UGE


Por que uma Gestão Orientada para Resultados?

Alcançar resultados, além de exigir profundas


transformações no conteúdo e nos processos de
planejamento e gestão das instituições, coloca em
perspectiva uma outra questão: a necessidade de uma
atuação em parceria com outras organizações públicas e
privadas, de modo a fazer convergir para público-alvo, de
forma integrada, as ações necessárias para produzir os
resultados desejados.

Rede de Apoio a Projetos - UGE


O QUE É A GEOR ?

Conceitua-se a gestão orientada para resultados, aquela


que:

 Visa transformar intenções em resultados concretos e


objetivos aos clientes;
 Mobiliza e articula recursos privados e públicos
isoladamente ou em parceria;
 Intensiva em gestão: estruturação e contratualização,
gerenciamento, monitoramento e avaliação.

Rede de Apoio a Projetos - UGE


INSTRUMENTOS DA GEOR

 Planejamento e alocação estratégica de recursos a


resultados
 Orçamento atrelado a resultados
 Projetos orientados para resultados finalísticos
 Construção de compromissos: contratualização interna e
externa
 Gerenciamento intensivo
 Monitoramento e avaliação

Rede de Apoio a Projetos - UGE


Gestão para Resultados
responde as demandas atuais

Sociedade em geral
 Há pressão cada vez maior da sociedade por resultados concretos
decorrentes da aplicação dos escassos recursos públicos

Órgãos de controle externo


 Os órgãos de controle externo exigem a adoção de práticas visando maior
eficiência, eficácia, economicidade e efetividade no uso dos recursos
públicos

Público-alvo das organizações


 A legitimidade e sobrevivência das organizações depende cada vez mais
de sua capacidade de produzir resultados de interesse dos públicos-alvo
que constituem sua razão de ser

Rede de Apoio a Projetos - UGE


A transformação no Sebrae

Gestão por
produtos e Gestão Estratégica Orientada para Resultados
processos
(2003)
Clientes: MPEs em 1
Clientes: públicos-alvo identificados e delimitados
geral

Oferta de 2
Abordagens diferenciadas e por projetos para
produtos
produzir resultados no público-alvo
padronizados

Aplicação de  Mobilização de recursos públicos e privados 3


recursos públicos  Ampliação de rede de parceiros

Plano de Trabalho  Plano Plurianual (3 anos) 4


Anual  Alocação estratégica de recursos

Avaliação de  Mensuração de resultados finalísticos 5


resultados de
 Avaliação sistematizada dos projetos
esforço Rede de Apoio a Projetos - UGE
Conceitos de projeto
O que é um projeto?

É um empreendimento único e singular, com início e


fim determinados, que utiliza recursos e competências,
e é conduzido por pessoas, visando atingir objetivos
predefinidos.
Atributos do projeto

É um empreendimento único e singular, com início e fim


determinados, que utiliza recursos e competências, e é conduzido por
pessoas, visando atingir objetivos predefinidos.

 Único  Singular
 Gêmeos, atletas de futebol
 Lateral direito (Rafael)
 Lateral esquerdo (Fábio)
Rafael e Fábio
Atributos do projeto

É um empreendimento único e singular, com início e fim


determinados, que utiliza recursos e competências, e é conduzido por
pessoas, visando atingir objetivos predefinidos.

 Tempo
 Data de início e término definidas
 O projeto é temporário
 Recursos e competências
 Todo projeto mobiliza recursos financeiros, humanos, técnicos e
materiais
 Resultados exclusivos
 Todo produto, serviço ou transformação gerada por um projeto é
diferente de outros já realizados
Exemplo de projeto

 Único: construção da estátua do Cristo no morro


do corcovado (Rio de Janeiro)
 Singular: tamanho próprio, condições do terreno,
tecnologias disponíveis, capacidade de mão de
obra, etc.

 Início: 1923 e Término: 1931


 Recursos: financeiros, humanos,
tecnológicos, materiais, etc.
 Resultado exclusivo: Cristo Redentor
Diferença entre projeto e
atividade

Projeto Atividade

Singularidade Repetição

Mudança Estabilidade

Resultados e duração
Continuidade
definidos
CICLO DE VIDA DO PROJETO

Execução
Intensidade dos
Processos

Planejamento

Monitoramento
e Avaliação
Encerramento

Inicialização

Tempo
Pilares do projeto orientado para
resultados
Projeto Orientado para Resultados
Quatro Atributos

Intensidade,
Foco em Orientação Adensamento
prontidão e
público-alvo das ações e da Visão
proximidade
definido recursos para Estratégica
da ação
resultados
gerencial
Pilares do projeto orientado para resultados
1. Foco em público-alvo definido

 Clara delimitação do público-alvo


 Identificação das demandas e desafios
com o público-alvo
 Participação direta do público-alvo na
estruturação, execução e avaliação do
projeto

Tornar os integrantes do público-alvo parceiros atuantes na busca de


resultados é fator crítico de sucesso na gestão de projetos orientados
para resultados
Pilares do projeto orientado para resultados
2. Orientação de ações e recursos para resultados

 Resultados concretos, tangíveis, mensuráveis, negociados e


pactuados com o público-alvo
 Resultados que representem o compromisso negociado, mais
do que a formulação técnica perfeita
 Conjunto de recursos e ações necessárias e suficientes para
produzir os resultados pactuados

Transformação concreta que ocorre no


Resultado finalístico
público-alvo com a realização do projeto
Bem ou serviço de interesse do público-alvo
Resultado tipo Produto
entregue com a realização do projeto
Pilares do projeto orientado para resultados
3. Adensamento da visão estratégica

Cultivar os seguintes atributos


na estruturação e execução dos projetos
 Visão sistêmica Ver o projeto como uma totalidade
e de longo prazo organizada, com iniciativas múltiplas e
diversas que devem ser articuladas para
produzir resultados

 Seletividade Selecionar somente as ações e os recursos


necessários e suficientes para produzir os
resultados

 Consideração do Levar em consideração os fatores e atores


ambiente externo externos que influenciarão o projeto ou serão
por ele influenciados
Pilares do projeto orientado para resultados
3. Adensamento da visão estratégica

Cultivar os seguintes atributos


na estruturação e execução dos projetos
 Atenção à singularidade e Estruturar e executar o projeto observando
complexidade sua singularidade e complexidade, e
evitando padronizações

 Senso de oportunidade Aproveitar oportunidades para


potencializar a produção dos resultados

Buscar soluções inovadoras e criativas


 Inovação para agregar valor na produção dos
resultados
Pilares do projeto orientado para resultados
4. Intensidade, prontidão e proximidade
da ação gerencial

 Atuação gerencial
empreendedora e intensiva
para fazer acontecer as ações
e produzir os resultados

 Proximidade do público-alvo e
dos acontecimentos
relacionados à execução do
projeto

 Responsabilização de
pessoas físicas e articulação e
construção de compromissos
O projeto orientado para
resultados
Projeto orientado para resultados
Características específicas
 Resultados tangíveis, mensuráveis, debatidos e acordados com o público-
alvo. Representa um transformação do público-alvo.

 O resultado é um bem ou serviço de interesse do usuário desse bem ou


serviço.

 Seletividade: foco bem definido, com ações necessárias e suficientes para


produzir os resultados

 Mobilização de recursos, competências e conhecimentos da organização,


do público-alvo e de parceiros para produzir os resultados

 Empoderamento, responsabilização e atitude empreendedora dos gestores

 Gestão intensiva, continuada e em tempo real


PROJETOS GEOR

RESULTADOS

FINALISTÍCO INTERNO

Transformação Transformação

Bem ou serviço Bem ou serviço

Ações Ações
(p1, p2, ... pn) (p1, p2, ... pn )

Recursos Recursos
Tipologia de projeto

Projeto Finalístico:

• Coletivos

• Individuais

Projeto Interno:

• Articulação Institucional

• Conhecimento e Tecnologia

• Gestão Interna
Projetos relacionados
à atuação finalística
Projeto Finalístico:

Construído e executado junto a um determinado público-alvo (MPE


e empreendedores), pelo Sistema SEBRAE e/ou parceiros, visando
produzir as transformações desejadas no público-alvo. Os projetos
finalísticos se dividem em:

o Coletivos: projetos que atendem o público-alvo organizado sob o


padrão coletivo e se caracterizam pela integração de um número de MPE e
instituições interdependentes e complementares, articuladas em um
modelo de governança.

o Individuais: projetos que atendem ao público-alvo organizado sob


o padrão individual, caracterizando a abordagem de um conjunto de MPE,
com atendimento induzido e sistematizado.
Projetos relacionados
à gestão interna

Projeto Interno

Projetos que não atuam diretamente sobre o público-alvo da


organização. Estão subdivididos em:

o Articulação Institucional: executados diretamente junto a


parceiros institucionais visando potencializar atuação do Sebrae e/ou
melhorar o ambiente para as MPE.

o Conhecimento e Tecnologia: relacionados ao desenvolvimento


e à disseminação de novos produtos e metodologias, em apoio à
atuação finalística.
Projetos relacionados
à gestão interna

Projeto Interno

o Gestão Interna: relacionados a alguma função


corporativa (planejamento, recursos humanos, administração, finanças,
marketing, comunicação, tecnologia da informação, gestão
orçamentária, auditoria ou assessoria jurídica) e destinados a ampliar
e/ou aperfeiçoar os recursos, instrumentos e competências
organizacionais.
Ciclo de Elaboração e Gestão do
Projeto Orientado para Resultados
Ciclo do Projeto
Orientado para Resultados

Estruturaçãoee
Estruturação
Avaliação
Avaliação Contratualização
Contratualização

Fazer Resultados
Resultados
Acontecer

Monitoramento
Monitoramento Gerenciamento
Gerenciamento
Estruturação e Contratualização do
projeto orientado para resultados
Projeto Orientado para Resultados
Lógicas de estruturação e execução

Projetos relacionados à Projetos relacionados à


atuação finalística gestão interna

Público-Alvo Demandante
e Usuários
Estruturação do Projeto

Execução do Projeto
Objetivo Objetivo
Geral Geral
Foco Identificação
Estratégico da Demanda

Resultados Resultados

Ações e Ações e
Recursos Recursos
Estruturação e contratualização
Lembretes
1. É o planejamento do projeto, mas não é uma tarefa realizada
no gabinete

2. Deve ter participação direta e efetiva do público-alvo e dos


parceiros (atuação finalística)

3. Deve ter participação direta e efetiva do demandante e dos


parceiros (gestão interna)

4. A lógica da estruturação é inversa à da execução

5. Construir compromissos para a execução e alcance dos


resultados
Processo de Estruturação e
Contratualização de projetos
finalísticos
CONCEITOS BÁSICOS DA GESTÃO
DE PROJETOS

PROJETOS – GEOR
ESCOPO
PROJETOS

Áreas de Conhecimento

Escopo

Inclui todo o trabalho requerido, e


nada mais do que o trabalho
requerido, para completar o
projeto com sucesso
PROCESSO DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETO

Recursos
Público
Alvo
Ações Metas
Diagnósticos e
antecedentes Resultados
Foco
Finalísticos e Responsávei
Estratégico
Intermediários s
Identificação de
parceiros

Objetivo Custo total e Horizonte de


Vinculação às
geral alavancagem planejamento
Estratégias da
instituição
Estratégia de Organização para
Implementação o gerenciamento

Definição do processo de
Premissa para dimensionamento de mensuração de resultados
resultados
Análise de consistência
Acordos de Resultados
PROJETOS - GEOR

O Projeto Orientado Para Resultados

Atuação direcionada para transformações na realidade

do público-alvo, que ampliem a sobrevivência e a

competitividade das MPE e possam ser medidas e

avaliadas
PROJETOS - GEOR

Avaliação
Planejamento

Resultados
Fazer
Finalísticos
Acontecer
para o Público-
Alvo

Monitoramento

Gerenciamento
PROJETOS -
GEOR

Diagnóstico e
Antecedentes
PROJETOS - GEOR

DIAGNÓSTICO E ANTECENTES
 Objetivo e clientes do projeto – Estimativa do numero de empresas e
empreendedores.
 Mapeamento da área geográfica cobertura.
 Características sócio-econômicas, mercados e produtos
 Potencialidades, demandas, estrangulamentos e desafios de
competitividade
 Foco no mercado
 Entidades parceiras e grau de cooperação entre elas
 Iniciativas anteriores de planejamento e gestão e estágio de sua
implantação
 Principais ações em andamento do SEBRAE e dos parceiros e origem
dos recursos
FOCO NO MERCADO

 APROFUNDAMENTO E CONHECIMENTO DO
PÚBICO-ALVO:
 Conhecimento das empresas do público-alvo.
 Recursos financeiros, capital humano, estrutura
fisica, tecnologia, processos produtivos,
capacidade produtivas, estrutura comercial,
qualidade e padronização de produtos, etc
 Estratificação do público-alvo
Público Alvo - individual

Estratégia de atendimento a segmentação é de fundamental

importância.

 Deve levar em conta:


 tipo, intensidade e continuidade do atendimento
 escolaridade do empreendedor
 faixa de faturamento
 setor de atividade
 necessidades, demandas ou potencialidades específicas
identificadas em entrevista ou apontadas pelo público-alvo.
 sub-região do projeto
Conceitos

Projetos Coletivos Projetos Individuais


1. Público-alvo organizado, com 1. Estímulo ao empreendedorismo,
interesses comuns e forte sinergia formação e desenvolvimento de
empresas
2. Existência real ou potencial de áreas
de cooperação entre os integrantes do 2. Toda e qualquer relação do sebrae
público-alvo com o público-alvo enquanto empresa
ou empreendedor isolado
3. Estruturados, executados e avaliados
com a participação direta do público- 3. Atuação presencial ou à distância,
alvo diretamente ou por meio de parceiros
4. Conjunto de soluções levadas ao
público-alvo, refletindo um processo de
orientação continuada, com um fluxo
crescente de interação e agregação de
valor
Escopo do projeto

Foco
estratégico

Resultados
Público-alvo finalísticos e
intermediários

Objetivo geral
Público-Alvo
 “Segmento que se pretende beneficiar intencional, direta e
legitimamente com a execução do projeto, em relação ao qual serão
avaliados os resultados finalísticos e intermediários”
 É a partir deste público que o projeto é definido;
 Deve ser a concentração de esforços do projeto;
 Os resultados serão medidos neste público;
 Participam sistematicamente do projeto, em um conjunto de ações
necessárias para o resultado;
 São co-responsáveis pelo projeto;

Quem são? Onde estão? Quantos são?


Público Alvo - coletivo
Exemplo
Público-alvo
Individual

 Base Territorial: Bem definida

 Limitada geograficamente, de tal modo que o Gestor possa

manter contato próximo com o cliente (público-alvo)

 Conhecer o ambiente em que se desenvolvem os seus negócios


Público Alvo - individual

Definições previstas no documento “Referencias para o


Processo de Atendimento Individual”.

 Empresários potenciais: entendido como todos os


indivíduos que tenham alguma perspectiva, ainda que
distante, de se auto-realizar através de uma atividade no
campo empresarial;

 Candidato a empresário: candidato a empresário que já se


encontra num estágio diferenciado. Ele expressa sua
intenção de montar uma empresa e possui uma idéia ou
um conjunto de idéias para fazê-lo;
Público Alvo - individual

 Empresas de 0 a 2.anos: neste estágio do ciclo de vida de


uma organização de pequeno porte, o enfoque principal
deixa de ser idéias e possibilidades e passa a ser a
produção de resultados;

 Empresas de mais de 2 anos: neste estágio, a empresa já


passou pela fase mais difícil de sua vida. O empresário já
possui uma razoável experiência. Com mais de 2 anos, a
empresa sadia começa uma fase que poderá levá-la à
plenitude, onde o controle e a previsibilidade estarão mais
presentes
Público Alvo - individual
Exemplo

 Candidatos a empresário e empresas de micro e pequeno


portes, com tempo de atuação no mercado de 0 a 2 anos,
localizados na Região Metropolitana de Recife.
 Empresários potenciais, candidatos a empresários,
empresas de 0 a 2 anos e empresas com mais de dois
anos, localizadas na Região Administrativa de Taguatinga.
 Micro e pequenas empresas de Comércio e Serviços, com
mais de 2 anos, do município de Campo Belo.
Foco Estratégico

 Foco estratégico é o conjunto das principais linhas de ação

escolhidas para viabilizar o objetivo geral do projeto.

 São as opções de atuação do Sebrae e parceiros para abordar

as principais demandas, potencialidades, desafios e pontos

de estrangulamento da realidade que se pretende transformar.

Refletem os principais desafios do projeto.


Foco Estratégico
Exemplos
 Disseminação da cultura empreendedora

 Disseminação de instrumentos e metodologias voltadas para o desenvolvimento

de Planos de negócios e sua implantação

 Melhoria da gestão empresarial

 Desenvolvimento e inovação tecnológica

 Criação e sustentação de negócios

 Acesso ao crédito

 Qualificação da mão-de-obra

 Melhoria e desenvolvimento de fornecedores


Resultados

Resultados Finalísticos

 Os resultados finalísticos são os efeitos que devem ser produzidos no


público-alvo ou junto a ele com a execução do projeto dentro do seu
horizonte do tempo.

 Refletem o objetivo geral do projeto e representam o seu desdobramento


em metas mensuráveis.

Resultados Intermediários

 Os resultados intermediários representam transformações que contribuem


para o alcance dos resultados finalísticos. Não se trata do alcance parcial
do resultado, mas de resultados que representam uma aproximação do
resultado finalístico.
Resultados

Resultado = Transformação + Indicador + Meta + Prazo

 Finalístico – Devem expressar o objetivo geral do


projeto. Não é fruto direto de uma ação.

 Intermediário – Deve contribuir para o alcance do


resultado finalístico
Transformacão Indicador Meta Prazo

Elevar o volume de em 50% até junho de


vendas 2006

Aumentar a área plantada em 100% até junho de


2005
EXEMPLOS RESULTADOS
FINALISTCOS COLETIVOS
Resultados Finalísticos

Elevar a produção de carne dos ovinocaprinocultores em:


• 10% até dezembro de 2008
• 15% até dezembro de 2009

Aumentar em 20% a venda de açaí em polpa até dezembro


de 2007
Aumentar em 10% o faturamento das empresas até
dezembro de 2008
Resultados de projetos
individuais

Resultados Obrigatórios – Individual

 Satisfação do cliente com os produtos e serviços


ofertados pelo Sebrae: mede a percepção do
cliente quanto ao seu relacionamento com o Sebrae

 Grau de aplicação dos produtos e serviços


ofertados pelo Sebrae: visa apurar se os clientes
aplicaram o conteúdo recebido.
Resultados de projetos individuais

Exemplos

 Obter grau de aplicação dos produtos e serviços do projeto por no

mínimo 60% das pessoas atendidas, até dezembro de 2010

 Obter grau de satisfação "muito satisfeito" ou "satisfeito" com os

produtos e serviços do projeto de no mínimo 80%, até dezembro de

2010

 Elevar em 30% o número de empresas e empreendedores

atendidos pelo projeto, até dezembro de 2010 .


Critérios para Seleção de
Resultados
 Abrangência: o conjunto de resultados deve cobrir as transformações
mais relevantes expressas no objetivo geral e coerentes com o público-
alvo;
 Relevância: o projeto deve ter um número limitado de resultados,
suficientes para referir-se às questões mais relevantes constantes do
objetivo;
 Viabilidade: os resultados devem possuir indicadores, cuja coleta de
dados para mensuração seja simples e com prazos e custos razoáveis;
 Singularidade: deve-se buscar a menor superposição possível entre
todos os resultados e indicadores; e
 Compreensão: os resultados e seus indicadores devem ser de
interpretação inequívoca.
Estratégia e Premissas
(condicionantes externas)

Premissas para
dimensionamento de
resultados
Premissas – Condicionantes externas

 Premissas são condicionantes externas aos


projetos que poderão interferir no alcance dos
resultados definidos.

 Fatores ou variáveis macro – dizem respeito ao


ambiente externo geral, isto é, fatores
macroeconômicos, sociais, políticos,
institucionais ou ambientais que podem impactar
o projeto.
Premissas – Condicionantes externas

 Fatores ou variáveis micros – dizem a respeito a


fatores e ambientes específico em que o projeto
está inserido
PROJETOS GEOR – PREMISSAS -
Exemplos

 Regulamentação e implementação da Lei Geral

das micro e pequenas empresas nos municípios

atendidos pelo projeto

 Manutenção ou diminuição das atuais alíquotas

tributárias estadual (ICMS) e municipais

(ISS)Manutenção ou ampliação do poder

aquisitivo da comunidade no território do projeto


PROJETOS GEOR – PREMISSAS -
exemplos

 Ferramenta de conhecimento e fidelização de clientes

implementada (Gestão de Relacionamento com o Cliente – CRM).

 Manutenção do apoio dado pela Prefeitura às ações do projeto

após a eleição municipal de prefeito em 2008

 Disponibilidade de linhas de crédito em condições pelo menos

iguais às atuais
Condicionantes Externa - Premissas

 1- Manutenção das políticas de crédito existentes.


 2- Condições ambientais favoráveis à produção de
mandioca: Ausência de fenômenos climáticos
prejudiciais que possam afetar a produção
 3- Manutenção de incentivos Estaduais (isenção de
ICMS para produtos e insumos).
 4- Condição de acesso e trafegabilidade de vicinais.
PROJETOS - GEOR
AÇÃO

Recursos

Ações Produtos

Responsáveis
Ações Integradas

Orientação
Empresarial
Educação
Emprendedora e Mobilização
Organização
Cultura da Representaçã
Cooperação Atendiment o
o Individual das MPE
Atendiment
Acesso a o Coletivo
Serviços Tecnología
Financeiros e Inovação

Acesso a
Mercados
PROJETOS GEOR - AÇÃO

 As ações são iniciativas específicas que devem ser


executadas para gerar produtos que, em conjunto, vão
proporcionar a realização dos resultados intermediários
e finalísticos

 Na formulação das ações devem ser especificados os


prazos, metas, marcos críticos, recursos envolvidos e
responsáveis por sua viabilização financeira e
execução.
PROJETOS GEOR - AÇÃO

 Elementos básicos da ação necessários à sua


execução:
 Nome da ação, que possa transmitir de maneira
sucinta a sua finalidade (Exemplos: pesquisa de
mercado, capacitação tecnológica, melhoria do
processo produtivo, unidade demonstrativa, plano de
logística).
 Descrição - a descrição da ação deve transmitir com
clareza a sua finalidade, conteúdo e forma de
implementação (o que vai ser feito, como vai ser feito e
com que finalidade).
PROJETOS GEOR - AÇÃO

 Coordenador da ação - pessoa física responsável pela


realização da ação (somente um coordenador por
ação). Quando a ação for de responsabilidade do
Sebrae, recomenda-se que o responsável seja um
técnico da área que tenha a expertise sobre o assunto
relativo à ação.
 Entidade responsável pela execução – entidade à qual
pertence o coordenador da ação.
 Entidade responsável pela viabilização financeira.
PROJETOS GEOR - AÇÃO

 Datas de início e término da execução da ação - As datas de


início e término da ação devem ser estabelecidas
considerando-se: o tempo necessário à sua execução, o
período de maturação para gerar o impacto desejado sobre
os resultados e a vinculação com outras ações que a devam
preceder ou suceder.
 Valor orçado - valor ou custo total da ação.
PROJETOS GEOR - AÇÃO
Descrição:

Realização de cursos constantes da Matriz de Soluções


do Sebrae; Empretec, seminários e eventos da área
de Educação

 Coordenador da Ação:Angela de Castro

 Unidade Responsável pela Execução SEBRAE/RN

Data de Início:01/02/08Data de Término:31/12/10

 Valor Orçado:R$ 223.140,00


PROJETOS GEOR - AÇÃO

DEFINIÇÃO DOS MARCOS CRÍTICOS


 Indicam a conclusão das atividades mais relevantes ou a
ocorrência de eventos ou etapas cuja superação, nos
prazos estabelecidos, intensifica a dinâmica de
implantação de um projeto.
 Podem ser identificados em função das características a
seguir.
1. Eventos ou etapas mais significativos e essenciais ao
desenvolvimento do projeto;
2. Que demandam grande atenção da equipe gerencial ou
grande esforço dos executores;
3. Uma vez ultrapassados, ampliam a dinâmica do projeto.
PROJETOS GEOR - AÇÃO

DEFINIÇÃO DOS MARCOS CRÍTICOS

 Os percentuais associados a cada marco crítico


expressam a intensidade do esforço necessário à
superação deste em relação ao esforço total relativo ao
conjunto dos eventos críticos em cada ação.
MARCOS CRÍTICOS
Descrição do Marco Crítico % Esforço Prazo original Prazo atual Data Realização Comentário

Seminário de apresentação dos produtos turísticos da 20 02/05/05 02/05/05


região realizado

Informações concentradas para a estruturação de banco de 25 20/06/05 20/06/05


dados

Identidade do banco de dados definida 29 30/06/05

Banco de dados informativo dos produtos turísticos 20 30/08/05


artesanato definido

Banco de dados inserido no site dos municípios 5 30/08/05

Ação encerrada 1 30/09/05

... 100% ... ...


PROJETOS GEOR - AÇÃO

Recursos

A descrição da fonte do recurso.


O tipo de recurso: financeiro ou econômico.
A previsão do montante expresso em moeda
corrente.
PROJETOS GEOR – AÇÃO – METAS

 Meta - bem ou serviço qualificado e quantificado


resultante da execução da ação. Para efeito de
padronização, as metas são organizadas em
dois conjuntos:
 Metas de atendimento: consiste na intenção,
expressa numericamente, de cada ação quanto
a pessoas (empresas ou empreendedores) a
serem beneficiadas pelo projeto. Exemplo:
número de pessoas capacitadas.
PROJETOS GEOR – AÇÃO – METAS

 Metas de entrega: consistem na intenção,


expressa numericamente, de cada ação quanto
a bens, serviços ou processos realizados para
contribuir com o alcance dos resultados
pactuados no projeto. Exemplo: casa do mel
PROJETOS GEOR

CRONOGRAMA FÍSICO E FINANCEIRO

 Após a completa definição do conjunto das ações e seu


detalhamento é importante que se monte um
cronograma físico, com o seqüenciamento de execução
ao longo do tempo.
 Neste momento, deve ser verificada a coerência das
datas de início e término de cada ação com os prazos
das demais ações que a devam preceder ou suceder,
levando em conta também o período de maturação
necessário à geração do impacto desejado sobre os
resultados.
PROJETOS GEOR

CRONOGRAMA FÍSICO E FINANCEIRO

 O cronograma financeiro também deve ser estruturado,


explicitando os valores, prazos para liberação de
recursos financeiros e respectivas fontes
PROJETOS - GEOR
Planejamento:

Custo total e alavancagem

Horizonte de planejamento

Estratégia de Organização para


implementação gerenciamento

Processo de avaliação
Estratégia de Implementação
Dimensões

A estratégia de implementação define as linhas mestras


do modo de execução

 Organização para o Gerenciamento

 Horizonte de Planejamento
Estratégia de
Implementação  Custo total
Estratégia para implementação
Organização para o gerenciamento
 Define e orienta o modo de execução do projeto,
abordando:

 As articulações institucionais necessárias para


participação efetiva dos parceiros

 A forma de governança do projeto e a composição do


comitê gestor
 Os mecanismos de supervisão e monitoramento da
execução do projeto
 É realizada em conjunto:

 Gestor, Comitê gestor, parceiros, coordenadores de


ação, estadual, regional e nacional
 Ratifica atribuições dos envolvidos e o papel do gestor
 Estabelece as responsabilidades pelo fornecimento de
informações
Estratégia para implementação
Horizonte de tempo
 Análise e definição do horizonte de tempo
 O horizonte de tempo de um projeto orientado para resultados
é aquele que seja suficiente para o alcance dos resultados
 Análise do cronograma físico do projeto
 Construído após a definição do conjunto de ações, verifica a
seqüência de execução do projeto, a precedência entre ações
e a coerência das datas de início e término de cada ação

ATENÇÃO
O projeto não deve ter um horizonte de tempo excessivamente longo, pois a realidade
do público-alvo muda com a sua execução, surgindo novos desafios e oportunidades
que poderão ser tratados em um novo projeto
Estratégia para implementação
Total dos recursos

 Análise e definição do investimento total


 Verifica se o investimento total do projeto está coerente com
o conjunto de ações a serem realizadas e o alcance dos
resultados

 Elaboração do cronograma financeiro


 Construído após a definição do conjunto de ações, deve
explicitar os valores e prazos previstos, com as respectivas
fontes dos recursos
Organização para o gerenciamento
Perguntas-chave

 Os componentes do comitê gestor estão designados ?


 A periodicidade de supervisão pelo comitê gestor está
definida ?
 As unidades internas a serem mobilizadas estão
identificadas ?
 As atribuições do gestor e coordenadores de ação estão
claras ?
 As atribuições dos coordenadores nacionais, regionais e
estaduais estão claras ?
 Os mecanismos de fornecimento de informações para o
gestor estão definidos ?
PROJETOS GEOR

ESTRATÉGIA DE ATENDIMENTO

 A estratégia de atendimento em cada projeto deve

se basear sempre no conceito de gestão do

relacionamento com o cliente, que pressupõe o

aprofundamento crescente do conhecimento sobre

o público-alvo, suas características, demandas,

necessidades e potencialidades.
PROJETOS GEOR

 DEFINIÇÃO DO HORIZONTE DE PLANEJAMENTO

 Como regra geral, deve-se assumir para o projeto um


horizonte de planejamento de médio prazo, suficiente para a
conclusão das ações programadas e principalmente para o
alcance dos resultados finalísticos.
 Por outro lado, o horizonte não deve ser excessivamente
longo, uma vez que a realidade do público-alvo muda ao
longo do tempo, surgindo novos problemas, gargalos e
oportunidades que podem ser tratados em novos projetos.
 Para efeito de sistematização, o horizonte deve ser definido
pela data de inicio e termino do projeto.
PROJETOS GEOR

CUSTO TOTAL

 O custo total e a participação de instituições


parceiras e do público-alvo, quando for o caso,
expressam o valor total necessário à execução
das ações planejadas, assim como o valor da
contribuição de cada parceiro para esse total.
Análise de Consistência

Acordo de Resultados
PROJETOS GEOR

Análise de Consistência

A análise de consistência tem por objetivo principal verificar se o projeto contém os


elementos necessários, suficientes e coerentes entre si para se alcançar os
resultados planejados, no prazo estipulado e com os recursos definidos.

 Análise da conformidade

 Análise da coerência interna

 Análise da coerência externa

 Avaliação de mérito
PROJETOS GEOR

 Análise da conformidade - verifica se o projeto contém todos


os componentes necessários.

 Análise da coerência interna: verifica se os componentes do


projeto estão em conformidade com as especificações
metodológicas, se mantêm coerência entre si, se as relações de
causalidade estão explícitas e se existem lacunas no projeto.
PROJETOS GEOR

Análise de coerência externa: verifica se os


componentes do projeto estão de acordo com as
premissas externas adotadas.

Avaliação da merito (eficácia): refere-se à relevância


estratégica do projeto e seu impacto para o público-
alvo e/ou região a ser aplicado
Matriz de Correlação de Ações e
Resultados
Projeto: APL São João Batista

Ações RF 1 RF 2 RI 1 RI 2 RI 3
Elevar em 15% o Assegurar que, no Elevar de 8 para Aumentar em Manter 80% do
volume físico da período de baixa 11% o volume 10% a pessoal
produção anual, até sazonal, a produção físico da produção produtividade ocupado, no
dezembro de 2004 total do APL seja no anual exportada, da mão de período de
mínimo 80% do valor até dez/2004 obra, até baixa sazonal
médio anual, até dezembro de (dez/fev)
fevereiro de 2005 2004
Capacitação em
gestão empresarial 2 1 2 2 0
para empresas
fabricantes e ateliês

Apoio à exportação
1 1 2 0 1

Banco do APL
1 0 1 1 0

Relação de causalidade: 2 Forte 1 Moderada 0 Fraca


PROJETOS - GEOR

Planejamento - Pactuação:

Estruturação do projeto
Acordo de
Resultados

Contratualização do projeto Pactuação de resultados


Pactuação

 Acordo de Resultado tem o significado de um


pacto entre os parceiros, na busca dos resultados
definidos pelo projeto.
 Pactuação interna é um elemento importante para
conseguir a aderência entre as áreas do Sebrae
para a execução e comunicação
 Repactuação do projeto – é um processo que
ocorre quando há mudança no escopo do projeto.
Definição dos Resultados

Público-Alvo

Objetivo Geral

Execução do Projeto
Estruturação do Projeto

Desafios Resultados
e Foco
Estratégico
Finalísticos

Resultados
Intermediários

Ações e
Recursos
PROJETOS - GEOR

Processos de um Projeto

Avaliação Planejamento

Resultados
Fazer Finalísticos
Acontecer para o Público-
Alvo

Monitoramento Gerenciamento
Gestor do projeto
Lembretes essenciais

 É o responsável pelo projeto


 Deve ser designado desde o
início da estruturação
 Busca integrar as entidades,
unidades internas e público-alvo
para fazer acontecer o projeto

Seu papel essencial é “fazer fazer”


Gerenciamento

A etapa de gerenciamento visa transformar


as intenções planejadas e pactuadas em
ações e resultados.

A essência do trabalho gerencial é fazer


acontecer
 ESTRATÉGIA DE IMPLEMENTAÇÃO E
ORGANIZAÇÃO PARA O GERENCIAMENTO

 A organização para o gerenciamento do projeto é negociada ao


longo do processo de estruturação e contratualização e inclui
normalmente as seguintes instâncias:

 Comitê Gestor, composto por representantes do público-alvo e


das instituições responsáveis pela viabilização financeira do
projeto;
 O Gestor do projeto;
 Os coordenadores das ações, responsáveis por sua execução;
 Os coordenadores regionais, estaduais ou nacionais do Sebrae
e de parceiros.
Os princípios básicos da gestão do
projeto.

 As atribuições e responsabilidades de cada parceiro.

 A ratificação do papel do gestor do projeto e dos


coordenadores regionais, estaduais e nacionais.
 O papel dos responsáveis pela execução
(coordenador da ação) e pela viabilização financeira
das ações.
 As responsabilidades pelo fornecimento de
informações necessárias ao monitoramento e à
avaliação do projeto.
 A formalização do Comitê Gestor.
Gerenciamento
Fatores internos e externos

O gestor deve gerenciar diversos fatores, internos e externos,


que influenciam a execução do projeto

10.Integração
09. Encerramento 1.Escopo
Gestão das
restrições
8. Suprimento 2.Tempo
Dimensões
Gestão das partes
7. Riscos 3.Custos
interessadas

6.Comunicação 4.Qualidade

5. Pessoas
PROJETOS

GESTÃO DO
TEMPO
Gestão do Tempo

Prazo é prazo !
GESTÃO DO TEMPO
Alguns autores afirmam que Gerenciar Projetos é
Gerenciar o Tempo dos Projetos.

Cuidado com os “Ladrões do Tempo”

Trabalho incompleto ou mal feito Responsabilidades não


que terá de ser refeito; claramente definidas;
Falta de informações (ex. Administrar por crises;
mudanças de normas); Excesso de trabalho;
Ter que esperar (pessoas, Requisitos incompletos ou
decisões...); inadequados;
Não delegar; Perfeccionismo;
Mudança de prioridades; Desorganização no projeto
Reuniões improdutivas; Excesso de Burocracia;
Falta de conhecimento técnico Falta de comunicação
GESTÃO DO TEMPO

Algumas dicas para melhor gerenciar o tempo:

Decida quem deve fazer o


Delegue
quê;
Envie sempre antes a pauta
Decida rápido
da reunião
Aprenda a dizer “NÃO”
Pergunte: esta tarefa/ viagem/
Comece já reunião é necessária?
Faça a parte pior no início Planeje seu tempo e siga seu
planejamento...
Rejeite o que não é
importante
Olhe mais à frente
PROJETOS

GESTÃO DE CUSTOS EM PROJETOS


GESTÃO DE CUSTO

 Inclui os processos necessários para assegurar que o


projeto será concluído dentro do orçamento previsto e
aprovado
Principais processos
 Planejamento dos recursos
 Estimativa dos custos
 Orçamento dos custos
 Controle dos custos
GESTÃO DE CUSTO

 Planejamento dos recursos: determinar quais recursos (pessoas, equipamentos, materiais) e em que
quantidade devem ser usados para executar as atividades do projeto

 Estimativa dos custos: desenvolver uma estimativa dos custos necessário para a execução do projeto

 Orçamento dos custos: alocar as estimativas de custos globais aos itens individuais de trabalho

 Controle dos custos: controlar as mudanças nos custos do projeto


PROJETOS

GESTÃO DA QUALIDADE
GESTÃO DA QUALIDADE

Processos para o gerenciamento da qualidade:

Planejamento da qualidade - identifica quais os


padrões de qualidade são relevantes para o projeto e
determina a forma de satisfazê-los.
Garantia da qualidade – avalia periodicamente o
desempenho geral do projeto buscando assegurar a
satisfação dos padrões relevantes da qualidade.
Controle da qualidade – monitora os resultados
específicos do projeto para determinar se eles estão de
acordo com os padrões de qualidade e identifica as
formas de eliminar as causas dos desempenhos
insatisfatórios.
PROJETOS

GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

- Governança do Projeto
GOVERNANÇA DO PROJETO

Tipos de Governança

Governança Corporativa

Governança Territorial (APL)

Governança de Projeto
GOVERNANÇA DO PROJETO

Tipos de Governança:

Governança Corporativa
• Visão do Instituto Brasileiro de
Governança Coorporativa (IBGC):
“diz respeito à transparência da
empresa em relação ao mercado e
aos acionistas”;
• Visão do Instituto Gartner:
procedimento interno, destinado a
facilitar a gestão dinâmica dos
recursos da empresa, de acordo
com sua estrutura, princípios gerais
e processos decisórios
GOVERNANÇA DO PROJETO

Tipos de Governança:

Diz respeito aos diferentes modos de


coordenação, intervenção e
participação, nos processos de decisão
Governança Territorial (APL) locais, dos diferentes agentes – Estado,
em seus vários níveis, empresas,
cidadãos e trabalhadores, organizações
não-governamentais etc; e das diversas
atividades que envolvem a organização
dos fluxos de produção, assim como o
processo de geração, disseminação e
uso de conhecimentos.
GOVERNANÇA DO PROJETO

Tipos de Governança:
Para projetos como os do SEBRAE
a Governança envolve a junção dos
conceitos de Corporativa com a de
APL:
• Diferentes modos de liderança,
coordenação, intervenção,
participação e negociação dos
conflitos nos processos decisórios
• Formas de compartilhamento do
Governança de Projeto poder entre os Stakeholders
GOVERNANÇA DO PROJETO

Está Relacionado a Mudança de Paradigma:

COMPETIÇÃO COOPERAÇÃO
1. Terceirização 1. Desenvolvimento de fornecedores
2. Menor preço 2. Qualidade técnica e preço
3. Transparência nos processos 3. Responsabilidade compartilhada
4. Foco no passado: experiência 4. Foco no presente e futuro,
5. Negociação maximizava vantagens amparado em garantias
6. Relação baseada em planejamento, 5. Parceria amparada em confiança
regras e controles 6. Relação baseada em promessa
7. Horizonte de curto-prazo ou governança
8. Apoia-se na eficiência da licitação e 7. Expectativa de relação duradoura
contratação 8. Eficácia em atingir objetivos
GOVERNANÇA DO PROJETO

Parceria implica em mudança:

1. Reciprocidade marca a relação


1. Antagonismo e tensão de parceria;
permanente;
2. Atitude pró-ativa;
2. Atitude reativa;
3. Confiança é cultivada;
3. Desconfiança no adversário;
4. Relacionamento de longo-
4. Visão imediatista dos ganhos; prazo;
5. Medo de assumir riscos. 5. Compartilhamento de riscos;
6. Tendência a levar vantagem 6. Consentimento e negociação
em tudo; no sentido do “ganha-ganha”;
7. Corrupção é parte do 7. Criatividade e ética na relação;
repertório;
8. A contraparte passa a ser
8. Favorecimento tornam-se sócio no projeto.
dívidas.
PROJETOS

PLANO DE COMUNICAÇÃO
Plano de Gestão da Comunicação

“O processo de gerenciamento da comunicação envolve a coleta de


informações, processar e gerar novas informações, assegurar a sua
distribuição e organizar o seu arquivamento para eventuais
necessidades” (Gasnier, 2000). Sendo assim:
Detalha métodos para coletar e arquivar os vários tipos de informações
e duas atualizações;
Estrutura a distribuição de qual informação será processada e qual
método será usado para distribuí-la;
Descreve as informações que serão distribuídas: formato, conteúdo,
grau de detalhamento e convenções adotadas;
Programa a produção;
Fornece métodos para acessar informações além da periodicidade;
Fornece métodos para atualizar e refinar o plano.
PLANO DE COMUNICAÇÃO

 Relacionamento com os interessados e


Governança
 O instrumento utilizado com maior eficiência é
a comunicação.
Veículos e formas usuais para a comunicação em
projetos:
Escrito: Oral:
FORMAL
• Contrato registrado • Depoimento formal
• Carta oficial • Assembléia
• Ata de reunião • Declaração pública (entrevista a
• Relatórios meios de comunicação)
• Webpage • Apresentação à Diretoria
• Material de divulgação, display • Videoconferência
• Histórias de sucesso (cases) • Reunião virtual (e-group)
• Concursos • Reunião de lançamento do projeto
• Pesquisas • Road-show
• Press release, encartes em • Eventos públicos com parceiros
periódicos • Concursos, premiações
• Newsletter, intranet • Reunião periódica
• Guia rápido • War room (Sala de Estratégia)
• Bases de conhecimento • Eventos de comemoração
• Fax • Eventos de Networking
• Memorando, bilhete, apontamentos • Eventos internos com funcionários
• Plano de comunicação institucional • Telefonema, voice-mail
• E-mail INFORMAL • Bate-papo
• Chat
GESTÃO DE RISCOS EM PROJETOS
GESTÃO DE RISCOS - CONCEITOS

 Risco está relacionado com incerteza. Não há risco


sem incerteza, nem incerteza sem riscos

Incerteza envolve: desconhecimento, ignorância,


imprevistos, acidentes, casos fortuitos, motivos de força
maior, imponderável, arriscado, conturbado
GESTÃO DE RISCOS - CONCEITOS

Riscos em projetos:
 Corresponde a um evento ou condição incerta que se
ocorrer pode gerar um impacto positivo ou negativo nos
resultados do projeto.
OU
 Risco:
Risco qualquer evento ou condição em potencial que, em
se concretizando, pode afetar NEGATIVA OU
POSITIVAMENTE o objetivo (resultado) do projeto

 Riscos podem ser: oportunidades ou obstáculos para o


alcance dos resultados estabelecidos.
GESTÃO DE RISCOS - CONCEITOS
A informação, a incerteza em projetos
INFORMAÇÃO INFORMAÇÃO
AUSÊNCIA DE
PARCIAL COMPLETA
INFORMAÇÃO

Nenhum Conhecimento Conhecimento Parcial Conhecimento Total

INCERTEZA
INCERTEZA TOTAL CERTEZA PARCIAL CERTEZA TOTAL
MÉDIA

ESCOPO DO GERENCIAMENTO DE RISCOS

( INFORMAÇÕES CONHECIDAS)
O que pode acarretar a má gestão das
incertezas e riscos em um projeto ?

 Provocam sucessivas mudanças nas metas do


projeto
 Anulam todo o esforço de planejamento
 Interferem nas relações contratuais e
interpessoais
 Prejudicam a reputação do gestor
 Pode causar a perda de controle do projeto
GESTÃO DE RISCOS - CONCEITOS

Componentes dos riscos

1- Um evento ou condição

2- A probabilidade de ocorrência do evento

3- O impacto gerado a partir da ocorrência do evento


GESTÃO DE RISCOS - CONCEITOS

Aspectos importantes a considerar:


 Riscos são intrínsecos aos projetos

 A incerteza sempre está presente em qualquer projeto

 Gestão de riscos : processo sistemático que identifica, analisa


e elabora um planejamento de resposta aos riscos.
GERENCIAMENTO DE RESTRIÇÕES
GESTÃO DAS RESTRIÇÕES

 O gerenciamento de restrições:
 É a forma mais simples e direta de administrar os riscos
internos e próximos a um projeto.
 É essencialmente uma tarefa de previsão e identificação de
problemas que ameaçam o projeto e de equacionamento pró-
ativo, antes que os problemas se instalem.
 Requer uma postura empreendedora (em contraposição a
postura burocrática) do gestor.
 Procura-se maximizar a ocorrência de eventos positivos e
minimizar a probabilidade de ocorrência de eventos adversos ao
projeto.
GESTÃO DE SUPRIMENTOS
CONCEITO E APLICAÇÕES

 A gestão de suprimentos deve serSuprimentos


feita em função
das entregas do projeto

Processos relacionado à gestão de suprimentos


 Plano de de compra e aquisições
 Plano de contratação
 Solicitação de propostas
 Seleção (escolha) dos proponentes
 Administração dos contratos e convênios
 Encerramento contratual
ENCERRAMENTO DO PROJETO
ENCERRAMENTO DO PROJETO

 Razões para o encerramento:

 Projeto concluído ou se sua implantação alcançar a


dinâmica suficiente para impactar os resultados.

 Projeto interrompido por razão de força maior –


riscos, inviabilidade técnica, insuficiência de
recursos, desinteresse do público-alvo, ou a saída
de parceiros relevantes.
ENCERRAMENTO DO PROJETO

 Procedimentos para projeto interrompido:


Elaborar documento (parecer) justificando o encerramento
do projeto;

 Obter concordância dos dirigentes;

 Realizar reunião com público-alvo e parceiros signatário do


Acordo de Resultados;

 Elaborar relatório sucinto do projeto, destacando os


resultados alcançados e lições apreendidas;
ENCERRAMENTO DO PROJETO

 Procedimentos para projeto interrompido:

 Anexar toda documentação em Documentos


Relacionados no Sigeor;

 Registrar o Encerramento em campo próprio no


Sigeor.
ENCERRAMENTO DO PROJETO
 PROJETOS CONCLUÍDOS
 Comemoração das grandes entregas – Este processo deve
ser planejado desde do início do projeto e devidamente
documentado:
 Avaliação do projeto
 Dados de pesquisas
 Registro fotográfico
 Vídeos e Depoimentos
 Casos de sucesso
 Entrega de possíveis produtos para o transbordamento.
ENCERRAMENTO DO PROJETO

 Procedimentos para encerramento de projetos


concluídos:
 Elaborar relatório de encerramento do Projeto
(avaliação), destacando os resultados alcançados
e as principais lições apreendidas.
 Realizar reunião com representantes do público-
alvo e parceiros signatários do Acordo de
Resultados, para obter aceitação dos resultados.
ENCERRAMENTO DO PROJETO

 Procedimentos para encerramento de projetos


concluídos:
 Anexar ata da reunião com o público-alvo e
parceiros e o relatório de encerramento de projeto
aos documentos relacionados no SIGEOR.
 Registrar o Encerramento em campo próprio no
Sigeor.
ENCERRAMENTO DO PROJETO

O Encerramento do Projeto deve envolver:

Avaliação do projeto:

Os objetivos foram atingidos;


Eficácia das ações
Novos projetos derivados

Observar as normas internas do Sebrae

Verificar Manual de Estruturação de Projetos – GEOR


Encerramento do Projetos
PROJETOS - GEOR

Processos de um Projeto

Avaliação Planejamento

Resultados
Fazer Finalísticos
Acontecer para o Público-
Alvo

Monitoramento Gerenciamento
Monitoramento
Características
 Responsáveis: componentes da linha
decisória do projeto Avaliação
Avaliação
Estruturação e
Estruturação e
Contratualização
Contratualização

Fazer

Foco: tomada de decisão para superar


Resultados
 Acontecer Resultados

restrições e aproveitar oportunidades Gerenciamento


Gerenciamento
Monitoramento
Monitoramento

 Participantes: componentes da linha


decisória e os coordenadores das ações
 Produto: Restrições superadas e
oportunidades aproveitadas

Desafio é adotar medidas em tempo real


para superar restrições e aproveitar oportunidades
Monitoramento

 Monitoramento é um processo contínuo e


simultâneo ao gerenciamento e à avaliação do
projeto.
 Monitoramento é realizado através de reuniões
periódicas com os responsáveis pelas
ações/comitê gestor.
Monitoramento
Conceito e palavras-chave

Tomada de decisão
para superar obstáculos e aproveitar oportunidades

but os
A tri
Sistematizado Permanente Tempo real
Pró-ativo Apoio ao gestor Seletivo
Visão prospectiva Informações atuais Aprendizado
Monitoramento
Processo
 Sistemático
 Diário e em tempo real
 Realizado pelo gestor e pela linha decisória
 Ênfase na adoção de medidas preventivas
 Avaliação dos fatores que podem interferir no projeto
 Prevê reuniões periódicas de monitoramento com foco na
tomada de decisão

O gestor não deve esperar as reuniões para identificar e


executar as medidas de gestão necessárias ao projeto.
PROJETOS - GEOR

Processos de um Projeto

Avaliação Planejamento

Resultados
Fazer Finalísticos
Acontecer para o Público-
Alvo

Monitoramento Gerenciamento
Avaliação do projeto
Características
 Responsável: Gestor do projeto
Estruturação e
Avaliação
Foco: Revisar e aperfeiçoar o projeto para assegurar o alcance
Estruturação e
Avaliação Contratualização
 Contratualização

dos resultados Fazer


Acontecer Resultados
Resultados

Gerenciamento
Gerenciamento
Monitoramento
Monitoramento

 Participantes : gestor, integrantes da linha gerencial, gerentes e


parceiros
 Produto: Aprendizagem e adensamento do projeto

Desafio é analisar e aperfeiçoar o projeto


Junto aos parceiros para atender o público-
alvo.
Atividades do Gestor
Avaliação
 Participar do planejamento das pesquisas de campo
referente à avaliação de resultados do projeto.
 Participar da avaliação e análise dos resultados da
mensurações.
 Registrar a avaliação no SIGEOR.
 Coordenar a discussão dos resultados da avaliação
com a equipe do projeto, para identificar as
mudanças necessárias e a conseqüente revisão do
projeto.
PROJETOS - GEOR
Avaliação:
 Trata-se da avaliação de resultados, ou seja, o
processo de análise e interpretação sistemática e
objetiva do grau de obtenção dos resultados previstos
no projeto e suas razões e conseqüências.

 Ela indica não apenas se os resultados estão sendo


alcançados conforme planejado, mas também se os
resultados estão definidos corretamente e se as
ações planejadas estão sendo eficazes.
Avaliação do projeto
Conceito e finalidades

 Conceito
 Análise e interpretação objetiva do grau de obtenção
dos resultados, suas razões e conseqüências, realizada
ao longo do ciclo de vida do projeto

 Finalidades
 Permitir o aperfeiçoamento do projeto para assegurar o
alcance dos resultados
 Gerar aprendizado decorrente da execução do projeto
Avaliação do projeto
Insumos e objetivos da avaliação

Adensamento do Aprendizado
Aperfeiçoamento
projeto

Avaliação do projeto

Análise do Atuação das Coerência Análise da Análise


Conformidad
ambiente partes do execução e de fatores
e de
do projeto interessadas conjunto dos custos e de risco
resultados
de ações benefícios
Avaliação do projeto
Quando avaliar?

Projetos relacionados à
gestão interna

 Periodicamente
 Diante da ocorrência de fatos relevantes na
execução ou no ambiente do projeto
OU
 Após a verificação de conformidade dos
resultados – duas avaliações por ano.
Missão do Gestor

 Fazer fazer
 Fazer acontecer
 Fazer crer
OBRIGADO

Mário Lúcio de Ávila


mario@sebrae.com.br
61 3348 7265

THE END