Sie sind auf Seite 1von 30

INSTITUTO FEDERAL DE

EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E
TECNOLOGIA
PIAUÍ

MECANISMOS DE ENDURECIMENTO
THYAGO CAMELO PAREIRA DA SILVA
MESTRANDO

TERESINA, PIAUÍ
NOVEMBRO DE 2016
Mecanismos de endurecimento
O que são mecanismos de endurecimento?
• Obstáculos a movimentação das discordâncias que
provocam um aumento da resistência mecânica do
metal
Mecanismos de endurecimento:
• Solução sólida
• Refino de grão
• Precipitação/Partículas de segunda fase
• Encruamento
Mecanismos de endurecimento

• Solução sólida
Átomos de soluto ocupam lugares da rede cristalina de
um dado metal;
Estes átomos provocam distorção na rede;
Para minimizar a energia do material procuram lugares
onde se acomodam mais facilmente.

Dificuldade de Aumento da
movimentar resistência do
discordâncias material
Mecanismos de endurecimento
Aumento de Resistência por Solução Sólida – átomos menores
Deformação na
rede cristalina!

(a) Representação das deformações da (b) Possíveis localizações de átomos de


rede por tração impostas sobre átomos impurezas menores em uma discordância
hospedeiros por um átomo de impureza aresta, de modo a cancelar parcialmente
substitucional de menor tamanho. campos de deformação compressivas.
Mecanismos de endurecimento
Aumento de Resistência por Solução Sólida – átomos menores
Mecanismos de endurecimento
Aumento de Resistência por Solução Sólida – átomos menores
Mecanismos de endurecimento
Aumento de Resistência por Solução Sólida – átomos menores
Mecanismos de endurecimento
Aumento de Resistência por Solução Sólida – átomos maiores

(a) Representação das deformações (b) Possíveis localizações de átomos de


compressivas impostas sobre átomos impurezas maiores em uma discordância
hospedeiros por um átomo de impureza aresta, de modo a cancelar parcialmente
substitucional de maior tamanho. campos de deformação de tração.
Mecanismos de endurecimento
Solução Sólida:
Interação do átomo de soluto com as discordâncias
Mecanismos de endurecimento
• Solução sólida
Efeito da dimensão do átomo de soluto
Mecanismos de endurecimento
• Solução sólida
Acomodação dos átomos de soluto e Interação com as
discordâncias
SS substitucional SS intersticial
Mecanismos de endurecimento
• Solução sólida

Fatores que afetam o endurecimento por solução sólida:


• Fator de tamanho relativo;
• Fator de módulo relativo;
• Interação Elétrica;
• Interação química;
• Interação configuracional (efeito Fisher).
Mecanismos de endurecimento
• Precipitação/Dispersão de partículas de segunda
fase
O material exibe uma segunda fase, isto é uma região
com composição e características distintas, dispersa
na matriz.
Provocam distorção na rede;
As discordâncias vão ter dificuldade em se movimentar
através destas partículas (ex: carbonetos).

Dificuldade de Aumento da
movimentar resistência do
discordâncias. material
Mecanismos de endurecimento
• Precipitação/Dispersão de partículas de segunda fase

Maior Menor
resistência resistência
Mecanismos de endurecimento
• Precipitação/Dispersão de partículas de segunda fase
Mecanismos de endurecimento
• Precipitação/Dispersão de partículas de segunda fase
Mecanismos de endurecimento
• Precipitação/Dispersão de partículas de segunda fase
Dispersão
Introdução de finas partículas de óxidos em uma matriz
(moagem de alta energia)
Interação partículas-discordâncias
Mecanismos de endurecimento
• Contornos de grão
Regiões que apresentam distorção na rede atrapalhando a
movimentação das discordâncias
Mecanismos de endurecimento
• Contornos de grão
Grão refinado => maior resistência
Mecanismos de endurecimento

• Encruamento (deformação/trabalho a frio)

Quando um sólido cristalino real é deformado plasticamente,


torna-se mais resistente e uma tensão ainda maior é
necessária para deformação adicional, isso é chamado de
encruamento.

A multiplicação do número de discordâncias durante a deformação


de um metal reduz o caminho livre entre discordâncias, isto é,
sua movimentação é reduzida.
Mecanismos de endurecimento
• Encruamento (deformação/trabalho a frio)
Tabela 4.1 - Comparação das propriedades mecânicas
de aços tratados termicamente e conformados a frio
Aço AISI 1040 AISI 1010 AISI 8620 AISI 1040

Condição TR EF 60% TR EF 40%

Tensão limite de resistência 690 690 862 862


T.L.R. [MPa]

Tensão limite de escoamento 483 655 586 724


T.L.E. [MPa]

Estricção [%] 60 50 50 40

Dureza [HB] 207 207 248 235

TR - Temperado e revenido EF - Extrudado a frio


Mecanismos de endurecimento

Encruamento

Micrografia eletrônica de
transmissão de uma liga de
titânio na qual as linhas
200 nm escuras são discordâncias.
Mecanismos de endurecimento
Encruamento

Cristais metálicos
cuidadosamente 103 mm-2
solidificados

Metais altamente
109 a 1010 mm-2
deformados

Metais deformados
105 a 106 mm-2
tratados termicamente
Mecanismos de endurecimento
Encruamento
• Os campos de deformação de discordâncias próximas podem
interagir
Mecanismos de endurecimento
• Encruamento
A multiplicação do número de discordâncias durante a
deformação de um metal reduz o caminho livre entre
discordâncias, isto é, sua movimentação é reduzida.
Mecanismos de endurecimento
Encruamento
Multiplicação de discordâncias

Aumento da
resistência
mecânica
Mecanismos de endurecimento
Encruamento
Estrutura celular em
material deformado 10% (a) e
50% (b);
Níquel com 5,5% de
alumínio deformado 2,7% a
293 K (d) níquel puro
deformado 3,1% a 293 K.
Mecanismos de endurecimento
Encruamento

• O grau de deformação pode ser expresso pelo


percentual de trabalho à frio (%TF):

 Ao  Ad 
%TF    *100
 Ao 
Onde Ao = área original da secção reta que sofre deformação
Ad = área após a deformação
Mecanismos de endurecimento
Encruamento

Para aço 1040, latão e cobre – aumento (a) do limite de escoamento e (b) do limite de
resistência à tração em função da % de trabalho à frio.
Mecanismos de endurecimento
Encruamento
Para o aço 1040, latão e cobre, em
conseqüência do trabalho à frio, ocorre
uma diminuição na ductilidade (c).