Sie sind auf Seite 1von 25

CORRENTE RUSSA

Marcos Miranda
CARACTERÍSTICAS DA
CORRENTE
Corrente de média frequência 2500 ou 4000 Hz;

Modulada em uma F de baixa 5 a 150 Hz;

Despolarizada;

Simétrica ;

Alternada;
Frequência de tratamento
De 5 a 50 Hz, pois estaremos estimulando n.
Motores ou Unidades Motoras de Fibras do tipo
I, IIa e IIb , principalmente fibras do tipo II .
Tipos de fibras musculares
Fibras musculares lentas / Tipo I , vermelhas:
• Contração lenta, com velocidade de contração
isométrica máxima em torno de 80 – 100 ms;
• Baixo nível de produção de força;
• Menor tamanho, diâmetro variando entre 5 – 15mm;
• Grande quantidade de mioglobina (armazenamento de
O2) – avermelhadas;
• Grande quantidade de mitocôndrias;
• Metabolismo aeróbio;
Tipos de fibras musculares
Fibras musculares do tipo IIa, rápidas porém
resistentes a fadiga:

• Grande produção de força


• Poucas mitocôndrias
Tipos de fibras musculares
Fibras musculares do tipo IIb, rápidas porém
facilmente fadigáveis:
- Elevado potencial glicolítico;
- Maior produção de ácido lático;
- Alta produção de força;
- Diâmetro cerca de 46 mm
Ordem de recrutamento das fibras
motoras:
CONTRAÇÃO VOLUNTÁRIA:
I(finas, pequenas) Iia (intermediárias) IIb(grossas,
grandes)
*ELETROESTIMULAÇÃO:
IIb(grossas e grandes); Iia (intermediárias)
I(finas e pequenas)

“ Consequentemente teremos um ganho de massa


muscular(trofismo) mais acelerado com a
eletroestimulação, uma vez que as fibras do tipo II são
mais caracterizadas por volume muscular”.
Largura do pulso
As correntes de média freqüência trabalham
com pulsos extremamente estreitos.
A largura de pulso esta diretamente
relacionada a estimulação do limiar sensitivo
nocivo. Portanto quanto maior a largura do pulso
mais rapidamente se produz a estimulação do
limiar sensitivo nocivo (doloroso).
Frequência
Quanto maior a freqüência => menor a
impedância a passagem da corrente => maior a
profundidade de penetração
Quanto menor a freqüência => maior a
impedância a passagem da corrente => menor a
profundidade de penetração
Considerações sobre a Amplitude de
pulso - INTENSIDADE
 Quanto maior a intensidade maior o número
de unidades motoras recrutadas;
 Quanto maior a intensidade maior a
profundidade de penetração da corrente;
 Quanto maior a intensidade maior a produção
do estímulo nocivo;
Formas de estimulação
Caracteriza a forma como a corrente é
emitida através dos canais de aplicação:
- Sincrônico;
- Recíproco;
- Contínuo;
- Sequencial (drenagem linfática);
FORMAS DE ESTIMULAÇÃO
INDICAÇÕES
1) Fortalecimento de mm para melhoria da performance
esportiva:
- melhoria da capacidade de explosão;
- Melhoria da força de explosão;
2) Fortalecimento muscular em condições patológicas
(melhorar a estabilidade e diminuição da dor);
3) Estética : combate a “flacidez” e definição muscular .
Não relacionar a condições patológicas
Contra-indicações relativas
Traumas musculares;Afecções agudas nas
articulações;Membro com fratura em fase de
consolidação;
Formas de espasticidade;Formas de miopatias ;
Sobre o tronco de mulheres grávidas, risco de induzir
contrações uterinas;
Próteses metálicas;
Em região torácica de pacientes com marcapasso, risco
de interferir no funcionamento do mesmo e provocar
assistolia ou fibrilação; ou em região torácica pro risco
de interferir com a função dos órgãos vitais;
Contra-indicações relativas
Sensibilidade alterada;
Em áreas de distúrbios vasculares (trombose,
tromboflebite), risco de de embolia;
Em regiões de neoplasma e infecção porque os efeitos
musculares e circulatórios podem agravar essas
condições;
Em áreas de tecido adiposo excessivo, porque os
níveis de estimulação requeridos para ativar o músculo
podem produzir reações autônomas diversas;
Técnicas de aplicação e
posicionamento dos eletrodos
Ventre Muscular ;
Ponto motor;

Obs.: a técnica de aplicação miotendínea é menos


eficaz que a de colocação no ventre muscular
Tempo de aplicação
Mínimo 15 min. até 45 min.
Tempo de contração (Ton) sempre menor ou
igual ao Tempo de relaxamento (Toff), sendo
que o tempo de contração máximo permitido é
de 30 seg o que produzirá uma contração por
minuto.
Estudo de caso
Delitto e colaboradores compararam o
percentual do ganho de força de contração
voluntária isométrica máxima em pacientes PO
de LCA que foram submetidos a NMES e outro
grupo também PO de LCA que foi submetido a
exercícios voluntários.
Estudo de caso
Posicionamento dos eletrodos
Posicionamento dos eletrodos
Equipamentos disponíveis no
mercado nacional
Equipamentos disponíveis no
mercado nacional
Equipamentos disponíveis no
mercado nacional