Sie sind auf Seite 1von 23

INTRODUÇÃO À SAGRADA

ESCRITURA

TEOLOGIA PARA LEIGOS

FCO. BELTRÃO - PR
Um Livro escrito em mutirão:

Hoje qualquer pessoa tem acesso ao Livro mais famoso do mundo: a Bíblia
Sagrada. Ela já foi traduzida para todas as línguas (aproximadamente em 1685
idiomas).

A Bíblia foi escrita por partes e em diversas etapas. Começou a ser escrita,
mais ou menos, pelo ano 1250 antes de Cristo - no tempo de Moisés - quando o faraó
Ramsés II governava o Egito. A última parte da Bíblia foi escrita no final da vida do
evangelista e apóstolo São João, por volta do ano 100 depois de Cristo. Portanto, foram
necessários 1350 anos para a Bíblia ser escrita. O Museu Britânico e a Biblioteca do
Vaticano guardam as cópias mais antigas da Bíblia.
No que foi escrita a Bíblia?

• No tempo que foi escrita a Bíblia não


existia papel como hoje, muito menos as
máquinas impressoras. A Bíblia foi escrita
à mão, e em diversos materiais, como
cerâmica, papiro e pergaminho.
• CERÂMICA: conhecida como a arte mais
antiga da humanidade. O barro servia
para fazer desde vasos, até chapas, nas
quais se escrevia. Muitos textos bíblicos
foram escritos nesses "tijolos".
• PAPIRO: planta originária do Egito.
Nascia e crescia espontaneamente às
margens do Rio Nilo, chegando até a
altura de 4 metros. Do Egito o papiro passou para a
Síria, Sicília e Palestina (onde foi escrita a
Bíblia). Do papiro era feita uma espécie de
folha de papel para nela se escrever. Seu
caniço era aberto em tiras e prensado ainda
úmido. O papiro era ainda usado na
fabricação de barcos e cestos. Dizem
que 3.000 a.C os egípcios já escreviam no
papiro. Tais folhas eram escritas só de um
lado e depois guardadas em rolos.
PERGAMINHO: feito de couro curtido de
carneiro. Começou a ser usado como "papel"
na cidade de Pérgamo, pelo rei Éumens II
200 a.C. Pérgamo era uma importante
cidade da Ásia Menor.
• Os egípcios, com inveja da grande
importância da biblioteca de
Pérgamo, não quiseram mais vender
papiro para os moradores daquela
cidade. Por isso, o rei de Pérgamo se
viu obrigado a usar outro material
para a escrita, que foi a pele de
ovelha. O pergaminho se espalhou
rapidamente para outras regiões.
INTRODUÇÃO:

1. Bíblia
Bíblia é o plural da palavra "livro" em grego.
Bíblia significa, portanto, livros. A Bíblia é o
conjunto de 73 livros que, na fé, consideramos
inspirados por Deus para transmitir aos homens
sua Palavra. Eles são a norma da fé e da vida do
povo de Deus. A Bíblia é, portanto um texto
escrito. É a expressão da fé do povo de Deus do
Antigo e do Novo Testamento.
Na Bíblia temos a história do povo de Deus e a história de Deus na
vida do povo. Deus se revela através dos acontecimentos da vida
do povo. A Bíblia narra estes acontecimentos à luz da fé. A Bíblia é
assim "o resultado da percepção que os homens tiveram da
presença e da ação de Deus na sua vida e história". "É o meio de
comunicação entre Deus e os homens". "É a cristalização em forma
escrita do diálogo que Deus manteve com Israel e com os cristãos
através de Jesus Cristo".

Quando dizemos que a Bíblia é Palavra


de Deus, estamos professando fé em
Deus como autor da Bíblia, embora
saibamos que a Bíblia não caiu do céu,
mas foi escrita por homens inspirados
por Deus.
É através do seu Espírito que Deus continua falando hoje
nos acontecimentos da vida do povo. "O Espírito de Deus
está presente no texto revelado, na vida do povo e na
interpretação que o povo das comunidades faz da Bíblia".
É por meio de homens e de maneira humana que Deus nos
fala (cf. DV 12; Hb 1,1). A Bíblia não apenas contém a
Palavra de Deus, mas é Palavra de Deus (DV 24), porém a
Palavra de Deus vai além da Bíblia. A Bíblia não fecha a
boca de Deus, pelo contrário, é luz que nos ajuda a
discernir, hoje, nos acontecimentos de nossa vida, a Palavra
de Deus para nós.
"A Palavra de Deus não é apenas uma
informação religiosa, uma informação sobre
Deus; é Deus mesmo se autocomunicando, mais
ainda se auto-revelando; é Deus nos buscando".
Assim percebemos que sem a predisposição da
fé, sem a abertura do coração, provocada pelo
Espírito de Deus, não podemos acolher a Bíblia
como Palavra de Deus, não podemos acolher o
Deus que nos busca. 'É viva e eficaz a palavra
de Deus' (Hb 4, 12) 'que pode edificar e dar
herança a todos os santificados” (At 20,32; cf.
1Ts 2,13).
A Palavra de Deus
Sl 33(32),4.6: "Pois a Palavra de Javé é reta e sua obra toda é verdade. (...)
O céu foi feito com a Palavra de Javé, e seu exército com o sopro de sua
boca".
Is 40,8: "Seca-se a erva, murcha-se a flor, mas a Palavra do nosso Deus
subsiste para sempre".
Is 55,10-11: "Como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam
sem terem regado a terra, tornando-a fecunda e fazendo-a germinar,
dando semente ao semeador e pão ao que come, tal ocorre com a palavra
que sai da minha boca: ela não torna a mim sem fruto; antes, ela cumpre a
minha vontade e assegura o êxito da missão para a qual a enviei".
São Jerônimo já afirmava: "Ignorar a Sagrada Escritura é ignorar o
Lembramos
próprio Cristo". também as palavras do Papa São João Paulo II ao
presidente da Federação Mundial Católica para o Apostolado
Bíblico: "Dando a Bíblia aos homens e mulheres, vós dais o
próprio Cristo, que enche os que têm fome e sede da Palavra
de Deus, que sacia os que têm fome e sede de liberdade à
justiça". A Bíblia é o fundamento de toda teologia. Sem seu
estudo e conhecimento é impossível conhecer o Cristo e sua
Igreja.
• Hb 4,12-13: "Pois a Palavra de Deus é
viva, eficaz e mais penetrante do que
qualquer espada de dois gumes;
penetra até dividir alma e espírito,
junturas e medulas. Ela julga as
disposições e as intenções do coração.
E não há criatura oculta à sua
presença. Tudo está nu e descoberto
aos olhos daquele que devemos
prestar contas".
• A Palavra de Deus foi transmitida primeiramente
de forma oral. Esta transmissão oral da Palavra
de Deus durou muito tempo; e mesmo depois
que começou a tomar forma escrita, essa
transmissão continuou tanto na comunidade
quanto na família.
• A história do Povo de Deus começou com
Abraão por volta do ano 1800 aC. As Escrituras
Sagradas começaram a surgir no tempo de
Salomão, mais de 800 anos depois. Antes,
pouca coisa tinha sido escrita.
A finalidade da Bíblia é a vida. A Bíblia, no fundo,
tem dupla finalidade:
• 1) Informar sobre as ações e ensinamentos
de Deus no passado. É o estudo da letra e da
história. É a procura do sentido em si. É a busca
do fundamento da nossa fé. Isso é importante.
O próprio Lucas se preocupa em transmitir a
solidez dos ensinamentos recebidos (Lc 1,4).
Pedro quer que saibamos a razão da nossa
esperança (1Pd 3,15).
• 2) A segunda finalidade é, a partir daquelas
informações, revelar os sinais da presença e
da ação libertadora de Deus na vida do povo
de hoje.
Dei Verbum 25:
É necessário, por isso, que todos os clérigos,
sobretudo os sacerdotes de Cristo, mas também os
restantes que, como os diáconos e os catequistas, são
encarregados do ministério da palavra, mantenham
contato íntimo com as Escrituras, mediante leitura
assídua e estudo apurado, a fim de que nenhum deles
se torne “por fora pregador vão da palavra de Deus,
sem dentro a ouvir ” , uma vez que, sobretudo nas
cerimônias litúrgicas, têm obrigação de comunicar, aos
fiéis que lhes estão confiados, as grandíssimas
riquezas da palavra divina. Do mesmo modo, o sagrado
Concílio exorta, de maneira insistente e particular,
todos os fiéis, mormente os religiosos, a que aprendam
“a eminente ciência de Jesus Cristo” (Fl 3,8) com a
leitura frequente das divinas Escrituras.
“Desconhecimento das Escrituras é desconhecimento
de Cristo”.
I - NOÇÕES GERAIS

A Bíblia, por se tratar de um conjunto de


livros inspirados por Deus, exige ser lida e
compreendida em seu todo. Por isso, antes
de estudarmos pontos fundamentais para a
compreensão da riqueza da revelação
divina, julgamos necessário tratarmos
algumas noções gerais, básicas para qual-
quer início de estudo sobre a Sagrada
Escritura.
1. NOMES

Cada livro tem um título, um nome que


indica seu conteúdo ou função. Assim,
também os nossos Livros Sagrados são
conhecidos por alguns nomes.

Os mais importantes são:


ESCRITURAS - é a expressão que a
própria Bíblia usa para se autodefinir.
Como sinônimos, são usadas também as
expressões: Santas Letras (2Tm 3,15) e
Livros Santos (1 Mc 12,9). É uma
expressão de origem bíblica: Rom 1,3
Escrituras Santas; (Jo 10,35; Mt 21,42)
Escritura ou Escrituras. Essa
denominação serve para especificar a
Palavra de Deus na sua formação escrita
em relação à Palavra de Deus transmitida
oralmente (Tradição).
BÍBLIA - é o nome mais usado em todas as
línguas. Esse termo foi usado pela primeira vez por
São João Crisóstomo (falecido em 407 d.C) para
indicar os Livros Sagrados. Na realidade, a Bíblia é
um único volume, formado por 73 livros de
tamanhos diferentes e escritos por diversos
autores ao longo de muitos séculos. Assim o
próprio termo indica que se trata de muitos livros e
não de um único.
TESTAMENTO - com essa palavra se procura
indicar não tanto a totalidade da Bíblia, mas,
sobretudo as suas 2 grandes partes: o Antigo e o
Novo Testamento. A palavra Testamento designa a
Aliança que Deus fez com Israel através de Moisés,
no Sinai (Ex 24,1-8; 34,10-28; Lv 23,3-45). Diante da
infidelidade do povo que rompeu essa Aliança
Deus prometeu uma Nova Aliança (Jer 31,31-34)
selada pelo Sangue de seu próprio Filho (Mt 26,28).
A primeira Aliança de Deus no Sinai foi chamada
"Antiga" (Heb 8,13) em relação à "Nova" feita em
Cristo (2Cor 3,6-14). Por metonímia "Antiga e Nova
Aliança" passaram a designar os escritos que
narravam essas alianças com sua implicações.