Sie sind auf Seite 1von 18

DISTRIBUIÇÃO

TURÍSTICA
DISTRIBUIÇÃO TURÍSTICA

 é o processo formado por todas as etapas


por que passa um bem de consumo desde
que é produzido até ao momento em que
é posto à disposição do consumidor,
podendo ser mais ou menos longo de
acordo com o número de intervenientes.
CANAL DE DISTRIBUIÇÃO

 é uma estrutura operativa, um sistema de


relações ou várias combinações de
organizações, através das quais um
produtor de bens e serviços turísticos
vende ou confirma a viagem ao
comprador.
 Produtores – operadores turísticos –
agentes de viagens - turistas
DISTRIBUIÇÃO TURÍSTICA

 Distribuição directa – quando não


existem intermediários e se adquirem os
bens e serviços directamente ao produtor.

 Distribuição indirecta – quando se


utilizam um ou mais intermediários.
Funções da distribuição
turística
 Disponibilização de pontos de venda e facilidades de
acesso aos consumidores para compra imediata ou
reserva;

 Distribuição e prestação de informações sobre as


viagens mediante a distribuição de brochuras e folhetos
ou resposta pessoal a questões;

 Conselho e assistência aos clientes na organização das


suas viagens tais como planeamento de itinerários e
auxílio no conhecimento dos produtos;
Funções da distribuição
turística
 Organização de transferências (transfers), isto é, de
transporte entre o aeroporto e hotéis e entre outros
locais;

 Fornecimento de serviços complementares, tais como


seguros e passaportes;

 Prestação de informações de marketing aos


fornecedores;

 Gestão de vendas e recepção de fundos;

 Oferta de oportunidades de compra de viagens.


Tipos de intermediários na
comercialização turística

 Operadores turísticos (grossistas)


 Agências de viagens (retalhistas)
 Organismos oficiais e instituições sem
fins lucrativos
Operadores turísticos (grossistas)
 Organizadores de viagens de grupo ou colectivas
que combinam diferentes bens e serviços
adquiridos aos respectivos produtores. Vendem
através da sua rede própria de distribuição ou
por intermédio de agências de viagens.

 Para organizarem uma viagem, os operadores


adquirem aos produtores os serviços que
integram na viagem por um determinado preço,
combinam esses serviços num pacote (package)
e vendem-no a um preço final que cobre todos
os serviços.
PACKAGE TOURS

 Organização prévia: o pacote é


determinado pelo operador antes de os
clientes se manifestarem.

 Conjunto de prestações: os serviços


incluídos são muito variáveis de pacote
para pacote.
PACKAGE TOURS

 Preço fixo: o preço é determinado para o conjunto do


pacote pelo próprio operador e fixado antecipadamente,
englobando todos os serviços que o mesmo contempla,
e é pago antes da partida.

 Datas de partida e de chegada fixas: a duração do


programa é fixada com a sua publicação, pelo que as
datas de partida e chegada são fixadas com
antecedência não podendo, em regra, ser alteradas e se
o fazem sofrem uma penalização de preço.
FASES DE PREPARAÇÃO DE UM
PACKAGE

 1 . Fase de Estudo e Planeamento


Geral (18 meses a 2 anos antes da
realização da viagem)

 2 . Fase de Negociações e Compras


(12 meses antes da realização da
viagem)
FASES DE PREPARAÇÃO DE UM
PACKAGE
 3 . Criação do Pacote e da Brochura
(8 meses antes da viagem)
– Preço de venda final:
 Custo dos diversos serviços incluídos;
 Comissões a pagar a intermediários;
 A sua própria retribuição que há-de cobrir as
despesas de administração, a promoção e uma
margem de lucro.
– Texto final com condições contratuais;
– Sistema de reservas.
FASES DE PREPARAÇÃO DE UM
PACKAGE
 4 . Vendas e Exploração (6 meses antes da
realização da viagem)

 5 . Realização da Viagem e Administração

Conhecimento do destino
Conhecimento do mercado
emissor/concorrência
Relação qualidade/preço
Agências de Viagens
(retalhistas)
 Actividades
– Organização e venda de viagens turísticas;
– Reserva de serviços em empreendimentos
turísticos;
– Bilheteira e reserva de lugares em qualquer
meio de transporte;
– Representação de outras agências de viagens,
nacionais e estrangeiras, ou de operadores
turísticos bem como a intermediação na venda
dos respectivos produtos;
– Recepção, transferência e assistência a
turistas.
Agências de Viagens
(retalhistas)
 Tipos
 Emissoras (outgoing): o seu principal
negócio de intermediação é o de promover
viagens para o estrangeiro e para o próprio
território onde se encontram instaladas,
podendo especializar-se em certos tipos de
negócios ou organizar departamentos
especializados no seu seio. Realizam turismo
de importação.
Agências de Viagens
(retalhistas)
 Receptivas (incoming): que podem ter quatro tipos principais de actividades:

– Turismo receptivo, recepção dos turistas em representação de


operadores e outras agências de viagens a quem proporcionam
os transfers, pagando os serviços por conta do representado;

– Venda de excursões e contratação de guias a pedido dos


visitantes;

– Reserva de hotéis, aluguer de automóveis e outros serviços


acessórios como obtenção de passaportes e vistos;

– Turismo emissor: as agências de viagens receptivas podem


organizar o receptivo, por conta de outra agência mas também,
simultaneamente, vender passagens e viagens completas para
outros destinos.
Organismos Oficiais
 Os organismos oficiais ou as entidades privadas
sem fim lucrativo desempenham um papel
importante na coordenação e promoção dos
destinos e dos produtos turísticos.

 Criam e lançam campanhas de promoção,


publicam e distribuem literatura promocional,
facilitam reservas aos consumidores e
disponibilizam informações que permitem uma
melhor aproximação entre o consumidor e os
produtores, actuando como verdadeiros
intermediários.
Organismos Oficiais

 Dispõem de uma rede de postos de


informação instalados estrategicamente
junto dos principais locais de acesso ou
pontos de passagem dos turistas com
vista a auxiliar os turistas prestando,
assim, uma colaboração muito importante
aos fornecedores de serviços turísticos.