Sie sind auf Seite 1von 47

AULA 1 – SOCIEDADE

CLÁSSICA
Grécia e Roma Antiga
Modo de Produção Escravista
As diferenças entre sociedades asiáticas
e clássicas
■ SOCIEDADE CLÁSSICA :
– CENSITÁRIA
– PROPRIEDADE PRIVADA
– ESCRAVISTA
■ SOCIEDADE ASIÁTICAS:
– ESTAMENTAL
– PROPRIEDADE ESTATAL
– SERVIL
Litoral recortado
1ª Diáspora
■ Séc. XIV - XII a. C.
■ Invasões dos DÓRIOS (povo que deu origem ao polis de Esperta)
■ Os povos que já haviam se estabelecido no local, se dispersão para o interior da
península.
■ Consequência:
■ 1ª diáspora grega
■ Formação de genos – frátrias – tribos (nomes relacionados ao aumento
demográfico e a união de genos diferentes e posteriormente, a união de frátrias
diferentes).
■ Fim do período Pré-Homérico – início do Período Homérico
2ª Diáspora (séc. XII-VIII a.C)
■ O aumento demográfico levou à disputa por terras
■ Consequência:
■ Formação de grupos sociais – políticos: eupátridas (latifundiários), georghoi
(pequenos proprietários) e thetas (sem terras).
■ Colonização grega na Magna Grécia
Período Arcaico (séc. VIII - VI a. C.)
■ Consolidação da polis (cidade –estado / podemos dizer que cada polis era um país)
■ Principais características da polis:
– Autonomia – política, econômica e militar.
– Mesma base cultural – língua, religião, costumes.
■ Espaço público: ágora/acrópole.
■ Espaço privado: propriedades.
■ Modelo político - organizado, porém fragmentado .
■ Não pode considerar a Grécia Antiga como uma nação!
Atenas
■ Local – norte – península da Ática.
■ Povo fundador – jônios.
■ Passou pela evolução social devido ao crescimento demográfico (genos – frátrias –
tribos – demos).
Processo evolutivo da democracia
grega.
■ LEGISLADORES
■ DRÁCON – 621 A.C.
■ 1º CÓDIGOS DE LEIS ESCRITAS – CONSERVADORAS E IMPOSTAS (SEM DEBATES)
■ SÓLON
■ FIM DA ESCRAVIDÃO HIPOTECÁRIA (escravidão por dívidas).
■ CONSEQUÊNCIA: NECESSIDADE DE EXPANSÃO – PRISIONEIROS – ESCRAVOS
■ BULÉ: CONSELHO DOS 400
■ ECLÉSIA: ASSEMBLÉIA POPULAR
■ CRITÉRIO DE ACESSO: RENDA - CENSITÁRIO
TIRANIA 560-530 A. C.
■ GOVERNOS GOLPISTAS
■ CLÍSTENES 512-510 A. C
■ LEI DEMOCRÁTICA:
■ DIVISÃO DA POLIS EM DEMOS – 10 UNIDADES DISTRIBUÍDAS PELA CIDADE (RICOS
E POBRE NO MESMO DEMO)
■ MEMBROS COM PARTICIPAÇÃO IGUALITÁRIA
■ ISONOMIA: “TODO CIDADÃO É IGUAL PERANTE A LEI”
■ NÃO CIDADÃOS: MULHERES – ESCRAVOS – ESTRANGEIROS (METECOS) –
CRIANÇAS
■ Outras características:
■ Estrategos – cargo militar (mandato anual).
■ Ostracismo – expulsão da cidade por 10 anos/perda definitiva da cidadania.
■ Cultura democrática:
– Debates (a + b = c ), ou seja, o debate resulta no consenso.
– Retórica – destaque para os sofistas.
– Tempo livre - resultado do modo de produção escravista.
– Teatro – ensina as pessoas a ouvir e a interpretar
– Filosofia – desenvolve formas de pensamentos e conhecimentos sobre todas
as esferas sociais e naturais.
– Participação direta do cidadão – não representativa.
(ENEM – 2012) No contexto da polis grega, as leis
comuns nasciam de uma convenção entre cidadãos,
definida pelo confronto de suas opiniões em um
verdadeiro espaço público, a ágora, confronto esse
que concedia a essas convenções a qualidade de
instituições públicas.
MAGDALENO, F. S. A territorialidade da representação
política: vínculos territoriais de compromisso dos
deputados fluminenses. São Paulo: Annablume, 2010.
No texto, está relatado um exemplo de exercício da
cidadania associado ao seguinte modelo de prática
democrática:
a) Direta.
b) Sindical.
c) Socialista.
d) Corporativista.
e) Representativa.
■ (ENEM – 2014)Compreende-se assim o alcance de
uma reivindicação que surge desde o nascimento
da cidade na Grécia antiga: a redação das leis. Ao
escrevê-las, não se faz mais que assegurar-lhes
permanência e fixidez. As leis tornam-se bem
comum, regra geral, suscetível de ser aplicada a
todos da mesma maneira.

VERNANT, J . P. As origens do pensamento grego. Rio


de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992 (adaptado)
Para o autor, a reivindicação atendida na Grécia antiga, ainda
vigente no mundo contemporâneo, buscava garantir o
seguinte princípio:
a) Isonomia — igualdade de tratamento aos cidadãos.
b) Transparência — acesso às informações governamentais.
c) Tripartição — separação entre os poderes políticos estatais.
d) Equiparação — igualdade de gênero na participação
política.
e) Elegibilidade — permissão para candidatura aos cargos
públicos.
ESPATA
■ Local: sul – península do Peloponeso
■ Povo fundador: dórios
■ Economia: predominância agrícola
■ Propriedade estatal dos meios de produção (terras) – melhores terras
■ Propriedade privada: poucas e periféricas – piores terras.
Características gerais
■ Política: diarquia/oligarquia militar
– 5 éforas (líderes).
– gerúsia: 28 Gerontes (idosos/legisladores).
– Ápela: assembleia consultiva.
■ Cultura:
– militarismo (baseado numa ordem hierárquica).
– Educação militarizada (criadas para a sociedade/senso pertencimento a
cidade).
– Mulheres: funções econômicas e administrativas secundárias. (função
parideira). Mais valor do que a mulher ateniense
– Laconismo; desprezo à retórica e ao debate.
– Eugenia: busca da pureza racial.
(Enem PPL 2012) Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos
Orgulho e raça de Atenas.
BUARQUE, C.; BOAL, A. “Mulheres de Atenas”. In: Meus caros amigos,1976. Disponível
em: http://letras.terra.com.br. Acesso em 4 dez. 2011 (fragmento)
Os versos da composição remetem à condição das mulheres na Grécia antiga,
caracterizada, naquela época, em razão de
a) sua função pedagógica, exercida junto às crianças atenienses.
b) sua importância na consolidação da democracia, pelo casamento.
c) seu rebaixamento de status social frente aos homens.
d) seu afastamento das funções domésticas em períodos de guerra.
e) sua igualdade política em relação aos homens.
Análise historiográfica
[…] Pois não há homem valente no combate,
se não suportar a vista da carnificina sangrenta
e não atacar, colocando-se de perto. […]
É um bem comum para a cidade e todo o povo,
que um homem aguarde, de pés fincados, na primeira fila,
encarniçado e todo esquecido da fuga vergonhosa,
expondo a sua vida e ânimo sofredor,
e, aproximando-se, inspire confiança
com suas palavras ao que lhe fica ao lado.

(Tradução de Maria Helena da Rocha Pereira. In: Hélade: Antologia da Cultura Grega,
Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra / Instituto de Estudos
Clássicos, 4. ed., 1982.)
■ Séc. VII a. C
Período clássico (séc. VI-IV a. C.)
■ Características gerais:
■ Duas grandes guerras:
■ Guerra médicas (496-448) apogeu do imperialismo ateniense.
– Consequências:
– Imperialismo ateniense: 430-430.
– Apogeu ateniense/expansão da escravidão/ampliação da democracia/mistoforia
■ Guerra do Peloponeso (431-404) declínio do mundo grego.
■ Consequências:
■ Conflito interno
■ Enfraquecimento militar da região (tese do “suicídio grego”
■ Invasão da macedônia
Período helenístico (séc. IV-II a. C)
■ Características gerais:
■ Domínio macedônico:
– 336 a. c: Alexandre, o grande conquista o mundo grego
– Tolerância cultural e não política
– Formação da cultura helenística

■ Cultura helenística:
■ Expansão da cultura grega para o oriente.
■ Fusão: cultura ocidental (racionalismo grego) + cultura oriental (dualismo persa e
monumentalismo egípcio).
■ A filosofia buscam questões éticas/existenciais/realistas.
Roma Antiga
Ideias gerais

■ Modo de produção escravista


■ Localização – península itálica
■ Teorias de formação:
■ Mitológico – Rômulo e Remo
■ Histórico/mitológico – a Eneida de Virgílio
■ Histórica – fusão de povos
– 1. autóctones: lígures e sículos
– 2. indo – europeus
■ Etruscos (norte): militarismo
■ Latinos (centro): cultura/língua latina
■ Gregos (sul): 2ª diáspora/magna Grécia
Etapas da história da civilização
romana
■ Monarquia: 753 – 509 a. C
■ República: 509 – 27 a. C
■ Império: 27 – 476 d. C
Monarquia: 753 – 509 a. C

■ Carência de fontes históricas escritas


■ Sociedade censitária
■ Sociedade escravista – critério de divisão
social – homem livre do não livre
■ Formação a partir dos genos/crescimento
demográfico/propriedade privada da terra.
República: 509 – 27 a. C
■ Estado: bem comum/ bem público
■ Governante: não deve utilizar o estado para fins privados
■ Rompe com o ideal monárquico; o estado não é propriedade do governante
■ República romana: é censitária (não é democrática)
■ “Não basta ter berço tem que ter dinheiro, não basta ter dinheiro tem que ter berço”
■ Poder político controlado pelos patrícios
■ República com voto censitário = não democráticos.
Lutas sociais e reformas legislativas
■ Principais reformas:
■ Tribunato da plebe (poder de veto)
■ Lei das doze XII tábulas:
– Igualdade jurídica (ilusão).
– Privilégios políticos.
■ Lei Canuleia:
– Liberdade de casamento (ascensão social):
■ Lei Licínia – Sextia:
– Terras de conquista (divididas com a plebe).
– Consulado da plebe (ilusão de igualdade).
– Fim da escravidão por dívidas.
■ Lei Hortênsia:
– Consulta pública deliberativa.
Consequências das guerras púnicas
■ Formação de latifúndios
– Propriedade de patrícios e generais
– Início da militarização da política
– Aumento da escravidão - êxodo rural
– Colonialismo = controle da inflação/ + matéria prima + escravos = -valor dos produtos
– Empobrecimento dos plebeus – pressão = tentativa de reforma agrária (131-121 a. C.
– Irmãos Graco:
■ Fracasso da lei agrária
■ Oposição de patrícios e generais
■ Aprovação da lei frumentária (trigo)
■ Um foi assassinado e o outro cometeu suicídio
Enem 2016
Causas da crise republicana
Alto Império séc. I a. C. – III d. C.
Características gerais:

■ Limite da expansão romana. ■ Pax romanna no sé. II. (180)


■ Força de trabalho: escravo. ■ Fim das guerras civis.
■ Economia: intensificação do papel ■ Pão e circo (evergetismo): controle
das províncias: social/superioridade.
– Pagamento de impostos. ■ A formação do cristianismo:
– Facilidade: interligação por conflituosa relação.
estradas. “todos os caminhos – Oposição ao imperador
levam a Roma”.
– Compete com os valores
romanos.
Baixo império séc. III – V d. C.
■ Anarquia militar: ■ As invasões “bárbaras”:
– fronteiras desprotegidas/ – Fluxões migratórios (tentativa
– crise do colonialismo/crise do de integrar.
escravismo/ – Séc. IV passa-se para invasões
– édito máximo/ – Cidades são os principais
– colonato (subs. da mão de alvos
obra escrava) preso à terra. – Os “bárbaros desenvolvem
suas próprias características
■ Expansão do cristianismo:
culturais como: política
– Édito de milão (313) liberdade fragmentada/relação de
de culto. comitatus.
– Édito tessalônico (380) Igreja
Católica Apostólica Romana-
religião oficial.
– cesaropapismo