Sie sind auf Seite 1von 15

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - UNIVASF

INTERESSE DE ESTUDANTES

DE MEDICINA NA PRODUÇÃO

CIENTÍFICA EM SAÚDE PÚBLICA


SOUZA, SAMPAIO, FERREIRA, NOGUEIRA

CARLOS ALBERTO DE OLIVEIRA FILHO


1
INTRODUÇÃO

• Saúde Pública Européia com origem no Século XVIII, com advento do capitalismo

• Século XIX - Época Sanitarista: Saúde-Doença; Medidas sociais para proteção e Promoção da Saúde

• 1940 - Modelo preventista nos Estados Unidos - Ações Preventivas À Prática Clínica Liberal.

• 1960 - Modelo Preventista Chega Ao Brasil Com A Criação De Novas Universidades

-Disciplinas como Medicina Preventiva, Epidemiologia e outras relacionadas.

2
INTRODUÇÃO
• 1970 - Propostas de mudanças, leis e modelo assistencial

• 1979 - Expressão do movimento para a reforma sanitária. O termo Saúde Coletiva se consolida a concepção de
Saúde Pública que privilegia o social, abordando análise e abordagem do contexto saúde-doença

• Saúde Pública - Ampliação dos olhares e práticas dos profissionais.

-Relegação em detrimento da medicina “compartimentalizada”, na qual o profissional procura um aprofundamento


extensivo na área em que se especializam.

-O conhecimento amplo de assuntos na área de Saúde Pública poderiam tornar essa situação mais horizontal e
também com maior produtividade para médico e paciente, além de consolidar o SUS para um adequado atendimento à
população brasileira.

3
OBJETIVO

• Investigar o interesse dos estudantes de Medicina na produção científica sobre a área de Saúde Pública e
analisar o impacto de estratégias de divulgação sobre este interesse.

4
MÉTODOS

• Dois inquéritos, em semestres consecutivos (Segundo semestre de 2011 e primeiro de 2012) com alunos
do 1º ao 8º ano do curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora
(FCMS/JF).

• Nos inquéritos houve intervenção: divulgação de uma página de internet com resumos comentados de
artigos publicados sobre Saúde Pública.

-Inclusão: Estar matriculado nos períodos e instituição supracitados; e consentir pelo TCLE.

• Coleta de dados: questionário estruturado com questões sociodemográficas e perguntas de múltipla


escolha pertinentes à pesquisa.

5
MÉTODOS

• Intervenção: Divulgação quinzenal de dois resumos de artigo publicados em revistas importantes da área
(como WHO, Revista Pan-Americana de Saúde Pública, Revista Brasileira de Epidemiologia e outras).

-Material divulgado pelos sites da instituição (www.suprema.edu.br) e do Hospital Escola


(www.hmtj.org.br)

-Recebimento de links pelo e-mail para acessar a página.

-Pesquisadores avisavam nas salas envolvidas para avisar da disponibilidade de novos materiais.

-Após 3 meses, reaplicação do questionário com algumas questões a mais a respeito dos artigos com o
objetivo de avaliar o impacto desta intervenção no interesse em Saúde Pública.

6
MÉTODOS

• Dados do questionário digitados no Microsoft Excel 2007® e analisados no EpiInfo™ 3.5.1

-Comparadas proporções de respostas às questões utilizando o teste qui-quadrado para avaliar a


significância estatística, considerando como significativo p-valor ≤ 0,05.

• Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética da Instituição com o parecer nº 241/2011.

• Todos os participantes assinaram o TCLE (Termo de Consentimento Livre e Esclarecido)

7
RESULTADOS

• Primeiro Inquérito → 303 alunos - 68,4% dos alunos matriculados, maioria ♀︎ (61,1%)

• Segundo Inquérito → 301 alunos - 68,1%, maioria ♀︎ (58,8%)

Grau de Interesse em Pesquisar e obter informações


sobre Saúde Pública
1º Inquérito → N=303 2º Inquérito → N=301
Interesse n % n %
Nenhum 6 2 12 4
Muito
40 13,2 43 14,3
Pouco
Pouco 76 25,1 106 35,2
Regular 136 44,9 120 39,9
Muito 45 14,9 20 6,6 Tabela 1
8
RESULTADOS

Meios de comunicação utilizados para obter informações sobre Saúde Pública

1º Inquérito → N=303 2º Inquérito → N=301


Meios de Comunicação n % n %
Revistas e Jornais leigos 74 24,4 52 17,3
Periódicos Científicos 84 27,7 73 24,3
Televisão 106 35 98 32,6
Internet (Páginas Leigas) 150 49,5 142 47,2
Base de Dados (Medline, Lilacs) 171 56,4 155 51,5
Observação: Os alunos podiam escolher mais de uma opção
Tabela 2

9
RESULTADOS

Frequência de Leitura de artigos sobre Saúde Pública

1º Inquérito → N=107 2º Inquérito → N=84


Frequência de Leitura n % n %
Diariamente 1 0,9 0 0
Semanalmente 13 11,1 12 14,3
Quinzenalmente 20 17,1 15 17,9
Mensalmente 66 56,4 47 56
Anualmente 16 13,7 10 11,9
Tabela 3

10
DISCUSSÃO

• Aproximadamente metade dos estudantes de Medicina teve regular interesse em temas de Saúde Pública. A
este grau, observou-se associação a uma maior freqüência de leitura de textos sobre o tema, como principal
meio a internet.

• De forma geral, os estudantes de Medicina, apesar de considerar Saúde Pública como um importante objeto
de estudo, tendem a não considerar como futuro campo de atuação, visto que consideram a pratica da sua
profissão mais ligada a diagnostico e tratamento de doenças. Tendo sua visão mais voltada para os aspectos
de saúde-doença, sem se atentar com tanto afinco para o contexto social ao qual os pacientes estão inseridos.

• Portanto, carece de explicações a distancia da importância do tema na formação dos profissionais e o tempo
destes devotado ao assunto.

11
DISCUSSÃO

• Uma possível limitação do estudo diz respeito ao pouco acesso dos estudantes à pagina da internet usada
para divulgação dos temas de Saúde Pública. Como apenas 5% deles relataram terem lido, a intervenção
proposta não foi efetiva, não havendo melhora nos percentuais de interesse.

-Uma possível explicação é o acesso mais trabalhoso, visto a necessidade de clicar em um link após abrir
um e-mail para visualizar o artigo ou seu resumo.

-Como a maioria utiliza sites leigos para buscar as informações devido a praticidade, talvez por um acesso
menos trabalhoso, os estudantes teriam se aderido mais à ferramenta.

• Existem variados critérios nacionais e internacionais para avaliar a qualidade da pagina de internet sobre tema
de Saúde Pública. Mas a aderência do usuário se baseia também em critérios de uso como acessibilidade,
navegabilidade, arquitetura e interatividade da pagina.

12
DISCUSSÃO
• Outra possível explicação para o baixo acesso à página pesquisada é que os temas apresentados talvez não tenham
despertado muito interesse.

associação entre depressão materna e


álcool e tabaco são os principais fatores de risco para
desenvolvimento infantil inadequado em países em
câncer de cabeça e pescoço
desenvolvimento

relação entre a emancipação feminina e maior uso do organismos geneticamente modificados (OGMs) e seus
cigarro malefícios aos seres humanos

necessidade de maior atenção farmacêutica com o perigos e facilitadores da automedicação e da


paciente polifarmácia doméstica

como prevenir perda funcional em idosos soja como alimento saudável: benefícios e malefícios

exposições ocupacionais em pintores são associadas


com o risco de câncer de pulmão

13
CONCLUSÃO

• A frequência de leitura de textos e artigos sobre Saúde Pública está associada ao interesse que o tema
desperta nos estudantes de Medicina.

• Há potencial de crescimento de busca de informações, visto que aproximadamente metade dos estudantes
não tem tanto interesse na área, porém, relata saber da importância desta.

• Há necessidade de estratégias para aumento de eficácia na abrangência de disseminação deste tipo de


conteúdo, além de convergir os temas de maior interesse dos alunos.

• É necessário sanar o déficit de interesse à Saude Pública com variadas estratégias a fim de deixar o assunto
mais atrativo, visto que o conhecimento sobre amplia cada vez mais a prática da integralidade e equidade
necessárias à população.

14
REFERÊNCIA

SOUZA, Mauro Junqueira de; SAMPAIO, Bianca Tabet Gonzalez; FERREIRA, Letícia de Castro
Martins and NOGUEIRA, Mário Círio. Interest of medical students in scientific production in public health.
- Interesse de Estudantes de medicina na Produção Científica em Saúde Pública - Rev. bras. educ. med.
[online]. 2014, vol.38, n.4, pp.512-518. ISSN 0100-5502. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022014000400013.

15