You are on page 1of 32

Ascaris lumbricoides

ASCARIDÍASE
CLASSIFICAÇÃO

• Ordem - Ascaridida
• Família - Ascarididae
• Gênero - Ascaris
• Espécie - Ascaris lumbricoides
Ascaris suum
ASCARIDÍASE
 ASCARIDÍASE

 Nome popular  Lombrigas

Prevalência  + cosmopolita

+ frequente
ASCARIDÍASE
Para manter a enorme produção ovos férteis, consomem
grande quantidade de nutrientes.

Nutrem-se basicamente de:

• proteínas, carboidratos, lipídios e vitaminas A e C.


ASCARIDÍASE

Os ovos do Ascaris lumbricoides são envolvidos por três


membranas protetoras:

• Interna: impermeável, constituída glicosideos esterificados,


que confere grande resistência ao ovo contra dessecação

• Média: constituída por quitina e proteínas

• Externa, constituída por mucopolissacarídeos.


ASCARIDÍASE

• MORFOLOGIA
 Macho  Mede 20 a 30 cm, cor leitosa, boca contornada por 3
lábios, apresenta esôfago, intestino retilíneo, reto
encontrado próximo à extremidade posterior, testículo,
canal ejaculador, com a extremidade posterios recur-
vada.

 Fêmea  Mede 30 a 40 cm, sendo mais robusta; cor, boca


e aparelho digestivo semelhantes aos do macho e
extremidade posterior retilínea. Apresenta ovários,
úteros, vagina e vulva. Chega a pôr 200.000 /dia, durante 1
ano.
OBS: Os vermes adultos vivem em torno de dois anos.
ASCARIDÍASE

 OVO  Mede cerca 60 x 45 µm, cor castanha possuindo


duas membranas internas e uma externa mamilonada (que
confere grande resistência ao ovo contra dessecação).

 Larva rabditóide (L1)

 Larva filarióide (L3)


ASCARIDÍASE

Ovo infértil
Tamanho: 80 a 90 µm
Citoplasma granuloso
Membrana mamilonada
irregular
A. lumbricoides
ASCARIDÍASE

• HÁBITAT

 Formas adultas vivem no intestino delgado

dos hospedeiros (principalmente no jejuno

e íleo)
ASCARIDÍASE

• TRANSMISSÃO

 Ingestão de ovos com L3 (larva


filarióide infectante)

 Cada fêmea pode pôr 200.000 ovos por


dia, durante 1 ano
• REPRODUÇÃO
• Geralmente são dióicos, sendo os machos
menores e de vida curta em relação à
fêmea.
ASCARIDÍASE

• CICLO EVOLUTIVO

 É do tipo monoxênico
ASCARIDÍASE

Ciclo Biológico: OvosL1L2 L3 (solo)  via


oral  intestino (ceco) circulação sanguínea
e/ou linfática, coração  pulmões  L4 
alvéolos  L5  brônquios traquéia
faringe  ingestão intestino delgado
adultos (20 a 30 dias de infecção).
Habitat dos vermes adultos: intestino delgado,
principalmente jejuno e íleo.
Transmissão: Infecção oral
Poeira e insetos
Infecção congênita (rara)
ASCARIDÍASE
Fatores que influenciam na evolução do ovo:
• Temperatura adequada – 25° a 30°C
• Umidade – mínimo de 70%
• Oxigênio

Fatores que influenciam na eclosão do ovo:


• Temperatura adequada
• Presença de agentes redutores
• Concentração de CO2
ASCARIDÍASE

• PATOGENIA

• LARVAS  Lesões hepáticas e pulmonares (infecções


maciças)

 Hepáticas  Focos hemorrágicos e de necrose fibrosados

 Pulmonares  Edemaciação dos alvéolos, com infiltrado


eosinofílicos, febre, bronquite, pneumonia, tosse.
PATOGENIA

Ducto biliar
ASCARIDÍASE

• VERMES ADULTOS  Ações:

Expoliadora  Consomem grande quantidade de vitaminas (A e C),


proteínas, lipídeos, carboidratos  Desnutrição e
depalperamento físico e mental.

Tóxica  Antígenos parasitários X Anticorpos do hospedeiro


(Edema, urticária, convulsões epileptiformes, etc.)

Mecânica  Irritação da perede intestinal ou enovelamento de


casais ou grupos de parasitos.

Ação ectópica  Vermes migratórios (áscaris errático) podem,


espontaneamente ou após medicação, atingir locais indevidos, tais como
o canal colédoco, causando obstrução do mesmo, o canal de Wirsung,
causando pancreatite aguda ou eliminação do verme pela boca.
ASCARIDÍASE

• ASPECTOS CLÍNICOS
 O aparecimento das lesões depende :  Número de larvas, tecido onde se
encontrem, sensibilidade do hospedeiro.
 Síndrome de Loeffler:  Febre, tosse, eosinofilia sanguinea elevada, anorexia.
 Intestinal:  desconforto abdominal (cólicas), dor epigástrica e má digestão;
náuseas, perda de apetite, emagrecimento; irritabilidade, sono intranquilo e
ranger dos dentes à noite, manchas branca na pele.

Em crianças subnutridas e altamente parasitadas é comum o


aumento exagerado do volume abdominal (abdome proeminente) além do
aspecto geral de depalperamento físico, palidez e tristeza.
ASCARIDÍASE

• DIAGNÓSTICO LABORATORIAL
• Reconhecimento de formas adultas nas fezes

• Detecção de ovos na materia fecal  Exame de fezes

• Métodos quantitativos  Stoll e Kato – Katz

• Métodos qualitativos  Willis, Hoffmann, Ritchie,


etc.
• EPIDEMIOLOGIA:
 Cosmopolita (encontrado em países de
clima tropical e semi-tropical.
Fatores que interferem na prevalência do
Ascaris lumbricoides:
 Baixo nível socioeconômico;
 precárias condições de saneamento básico;
 má educação sanitária;
 grande produção de ovos pela fêmea do
parasito (200.000 ovos por dia durante 1 ano)
 textura do solo
 contaminação fecal do solo ou piso das
habitações, por falta de instalações sanitárias;
 disseminação de ovos através de poeira,
chuvas, insetos;
 viabilidade dos ovos no solo durante meses ou
anos, quando em condições favoráveis de
temperatura e umidade;
 resistência dos ovos aos desinfetantes usuais
devido à sua membrana lipóidica interna.
ASCARIDÍASE

• TRATAMENTO

Albendazol: comprimidos de 200 e 400mg


Supensão oral de 100mg/5ml
 Dose única de 400mg

MEBENDAZOL  Age bloqueando a captação de glicose e


(Pantelmin,sirben) aminoácidos – 100mg (2 x) por 3 dias
Dose única de 500mg

PAMOATO DE PIRANTEL  bloqueia a atividade neuromuscular, causando a


(Piranver, Combantrin) paralisia do verme (10mg/Kg em
dose única).
ASCARIDÍASE

• MEBENDAZOL
MODO DE AÇÃO  Inibição seletiva da assimilação de
glicose em nematóides e cestóides, determinando maior
utilização de glicogênio pelo parasita; assim, os parasitas
ficam privados de sua principal fonte de energia. Sob
ação da droga, o parasito permanece imobilizado e o
desenvolvimento larvário é interrompido in vitro.
ASCARIDÍASE

• MEBENDAZOL
 O Mebendazol é ativo contra nematóides e
empregado principalmente para tratamento de
tricuríase, ascaríase, ancilostomíase e estrongiloi-
díase. É pouco absorvido no trato gastrointestinal,
de modo que é muito eficaz em casos de
helmintoses intestinais.
ASCARIDÍASE

PROFILAXIA
• Melhoria das condições de saneamento básico
• Construção de fossas sépticas
• Educação sanitária
• Lavar as mãos antes de tocar os alimentos
• Tratamento das pessoas parasitadas
• Proteção dos alimentos contra insetos.