Sie sind auf Seite 1von 30

Doenças

Exantemáticas
Escola Superior de Ciências da Saúde
HA – Pediatria Emergência - 2018
Docentes: Dr. Bruno e Dr. Sérgio
Acadêmico: Frederico Oásis
2 Lesões cutâneas primárias
3 EXANTEMA
Erupção cutânea aguda que ocorre na
sequência de uma causa direta ou indireta
decorrente de microrganismos ou antígenos
que se depositam nas paredes dos vasos da
pele

Ou seja, qualquer
doença que tem como
manifestação mais
importante lesões
visíveis
4 Exantema Máculo-Papular

Apresentações Clínicas
5 Raciocínio Diagnóstico

Tipo de Exantema

Sintomas Associados

Exames Laboratoriais
Raciocínio Diagnóstico
Fase prodrômica
6

Buscar sinais específicos ou


patognomônicos
o Idade do paciente
oHistória Epidemiológica (viagem, contactantes)
oPadrão da febre
oOutros Sintomas

Fase Exantemática
Exantema
o Tipo
o Evolução
o Descamação
7 Viroses Exantemáticas – Generalidades

Incubação 1 a 3 semanas

Pródromos Geralmente respiratórios

Exantema Peculiar a cada patologia

Convalescência Guardam relação com o exantema


Sarampo
Etiologia: Vírus do sarampo (paramixovírus- fam.
VSR)
Transmissão: Aerossóis respiratórios. Transmissib:
9 90% (>7 dias da inoculação)
Incubação: 10 – 12 dias
S Clínica

A
Pródromos: 3 a 5 dias
Febre alta, Tosse, Conjuntivite (grave c/
fotofobia), Coriza
R Sinal de Koplik (PATOGNOMÔNICO):
Manchinhas brancas/bronco-acinzentadas c/ halo
A eritematoso (Enantema) do último dia do pródromo
até 2 a 3 dias

M Exantema: 3 a 5 dias
Morbiliforme (vermelho forte), evolução
craniocaudal, lenta (3 dias), poupa palmas e plantas
P Piora clínica (febre alta, prostração)
Convalescência
O Descamação furfurácea (esfarinha, farelo)
10

S
A
R
A
M
P
O
Tratamento: Não há tratamento específico. Superdose de vit. A (trata a descamação)

Complicações:
11 Otite média aguda (infecção bact. Secundária)
Pneumonia (infecção bact. Por pneumococo secundária a sarampo
S Pneumonia de células gigantes (provocada pelo vírus)
Encefalite viral transitória (meningoencefalíte viral)
A Panencefalite Esclerosante subaguda (7 anos depois = óbito 100%)

R
Prevenção:
Vacina: Tríplice viral 12 meses (Sarampo, Caxumba e Rubéola)
Tetra viral 15meses (Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela)
A Pós-contato: bloqueia a replicação= latência < Incubação. Em até 72h
Imunoglobulina padrão: até o 6º dia para quem não pode receber a vacina de vírus
M vivo (gravida, imunodeprimido, <6meses)

Obs: A gravidade do sarampo guarda relação com a gravidade do exantema


P Obs: Comprometimento transitório da imunidade celular (sarampo destroi céls. T) = anergia
cutânea
O Obs: Reativação da cicatriz da BCG (pode sair pus, também presente no Kawasak) (até 20%)
Eritema infeccioso
Etiologia: Parvírus B19 (Eritrovírus – DNA hél. Única)
Transmissão: Secreções respiratórios. Transmissib:
15 - 30% (7 – 11 dias da inoculação)
13 Incubação: 16– 17 dias, infecção na medula óssea
Clínica
E Pródromos:
Ausente ou inespecífica (cansaço, mialgia,
R febre, cefaleia)
I Exantema: 3 fases (imunomediada)
1ª: Início na face (face esbofeteada
T unilat.)(2 a 3 dias)
2ª: Reticular, róseo, de progressão do
centro p/ periferia, craniocaudal até a superfície
I flexora dos MMSS e MMII, poupa palmas e mãos, sem
N descamação
3ª: Exantema que retorna quando o
F paciente for exposto à fatores estressores, frio,
E estresse emocional, sol, exercício (em até 2 semanas)
C Sintomas associados: Artralgia, artrite de
pequenas articulações
14

E
R
I
T

I
N
F
E
C
Tratamento: Não há tratamento específico. Evitar exposição de indivíduos infectados a outros
indivíduos no período de prodrômico
Complicações:
15 Infecção fetal (passagem placentária) = hidropisia fetal por infecção medular , ICC
Portadores de anemia hemolítica (hb já sempre baixa)
E
R
I
T

I
N
F
E
C
Exantema Súbito
Etiologia: herpesvírus humanos 6 e 7 (DNA)
Idade: 6 – 15 meses (lactentes)
Transmissão: Secreções respiratórios. Vírus nas
17 glândulas salivares (adulto  bebê)
Incubação: 5– 15 dias (impreciso)
E Clínica
X Pródromos: 3 a 4 dias
Febre alta (> 39ºC) (Só)
A SOME EM CRISE
N Exantema: Na ausência da febre (12h depois)
T Exantema rubeliforme (roseo, mas macular
que papular) início em tronco, região auricular e
pescoço com progressão centrífuga, tende a
S desaparecer rapidamente , sem descamação
Não é pruriginoso
U Dura de 2h - 3 dias
B Tratamento: Sintomático
Complicações: Convulsão febil (5 – 10%)
T
O Obs: É o exantema mais comum até os 2 anos
Varicela
Etiologia: Vírus Varicela-Zoster (herpesvírus hum.
DNA. Gânglio sensitivos dorsais)
Transmissão Aerossóis respiratórios. Transmissib: 80-
19 90% (ainda no período de incubação)
Idade: até 15 anos (menos a Alice*)
V Incubação: 10– 21 dias
Clínica
A Pródromos: 24 – 48h
Febre variável, dor abdominal, cefaleia,
R conjuntivite
Exantema: 3 a 7 dias
I Manifestações gerais (2 – 4 dias: febre alta,
prurido, queda do estado geral, surgimento das
C lesões)
Exantema Vesicular, com prurido
E Evolução rápida(24h): início no couro
cabeludo, face e tronco
L Distribuição: maior no centro do corpo e
progride de forma centrifuga. Concentração
A centrípeta, distribuição centrífuga
20

V
A
R
I
C
E
L
A
Tratamento: Aciclovir parenteral (imunodeprimidos, neonatos, varicela progressiva)
Aciclovir Oral (2º caso intradomiciliar, uso crônico de AAS, Doenças de pele ou
pulmão, uso de corticoide, > 13 anos)
21 Complicações:
Piodermite (+comum)
V Complicações neurológicas (ataxia cerebelar,
Síndrome da Varicela progressiva (ou hemorrágica= CIVD, hepatite)
A Síndrome da varicela congênita (malformações congênitas)
Pneumonia pelo vírus da varicela
R Prevenção:
Vacina:
I Tetra viral 15meses (Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela)
Pós-contato: bloqueia a replicação= tempo de latência da vacina < tempo
C de Incubação do vírus . Imunização ativa pode ser realizada até o 72h dia pós-exposição
Imunoglobulina específica (IGHAVZ): até o 10º dia para quem não pode receber a
E vacina de vírus vivo (grávida, imunodeprimido, RN suscetível ‘mão ñ imune’, prematuro
<28sem, mãe com varicela 5d antes do parto até 2d pós-parto)
L
A
Escarlatina
Bacteriose
Etiologia: Estreptococo B-hemol. Do Grup. A
23
(pyogenes) produtor de exotoxina pirogênica
Transmissão secreções nasofaríngeas
E Idade: 5 - 15 anos
S Incubação: 2 - 5 dias
Clínica
C
Pródromo: 24 – 48h
A Faringite ou piodermite
R Exantema: 3 a 4 dias
Exantema Micropapular (pele em lixa) pele
L eriçada, é mais palpável que visível, início no pescoço
A com progressão crânio caudal rápida, mais intenso
em dobras
T Visível uma eritrodermia intensa
I Convalescência: descamação laminar, mais nas
extremidades (mão de mecânico)
N Sinais sugestivos: Língua em framboesa, Palidez
A perioral, + Vermelhidão em dobras
24

E
S
C
A
R
L
A
T
I
N
A
Tratamento: Penicilina Benzatina
Complicações:
Febre Reumática
25 GNDA
Abscessos periamigdaliano
Quadro Síntese
Agente Pródromos Exantema Complicações Tratamento

26 Linha do cabelo
Tosse Otite média aguda
Crânio caudal
Sarampo Paramixovírus Fotofobia Pneumonia de Vit. A
Descamação
Enantema de koplik céls. gigantes
furfurácea

Trifásico: Face
esbofeteada, Crise aplásica
Eritema
Parvovírus B19 - Rendilhado em Artropatia Suporte
Infeccioso
recidivas por Hidropsia fetal
estresse

Exantema Herpes vírus Roseo em tronco


Febre alta some em crise Covulsão febril Suporte
Súbito humano tipo 6 centrípeto

Inf. Sefundária
Vesículas Varicela progres.
Varicela V. Varicela-Zoster - Aciclovir
pleomorfismo SNC: ataxia
cerebelar

Micropapular
S. Pyogenes Supurativa
Faringite Palidez perioral Pnincilina
Escarlatina exotoxina FR
Língua em framboesa Pastia (pregas) Benzatina
pirogênica GNDA
Mãos de mecânico
27 Caso 01
●Paciente F.K.L., masculino,8 anos, apresenta quadro de febre,
inicialmente leve, progredindo para altas temperaturas. tosse
proeminente, lesões maculopapulares eritematosas que
começaram na fronte, seguindo para dorso, extremidades,sola
e plantas, tornando-se confluente na face e no tronco. Manchas
brancas com halo eritematoso foram bem visualizadas na face
interna das bochechas,palato,lábios e gengivas. Apresentava
essas mesmas manchas nas conjuntivas.
●Exames: Redução global da leucometria- mais acentuada na
linhagem linfocitária; VHS e PCR normais;
28 Caso 02
●D.A.H.O.S; 9 anos, masculino,compareceu ao posto de saúde
apresentando exantema e febre baixa.Durante a anamnese ,a
mãe relatou que inicialmente as manchas avermelhadas
estavam localizadas nas bochechas,se estendendo após 2 dias
para membros e tronco,passando a apresentar aspecto
rendilhado. O exantema durou cerca de uma semana e
desapareceu. Há três dias houve reaparecimento das machas
após um trauma psicológico.
29 Caso 03
●H.A.S, masculino, 15 meses, procedente do Gama, é admitido no PSI
com queixa de febre alta não aferida há 3 dias, irritabilidade, coriza,
dor de garganta e diminuição do apetite (sic). Ao exame foi identificado
linfadenomegalia cervical discreta, hiperemia da mucosa jugal e febre
aferida de 39ºC. Plantonista solicita hemograma e inicia
antibioticoterapia empírica. 12h após a internação, mãe, aflita, recorre
ao plantonista relatando o surgimento de vermelhidão no tronco de
seu filho. Ao exame, paciente encontrava-se irritado, afebril e foi
constatada lesões lesões máculo-papulares em tronco e pescoço.
●Exame: Hemograma mostra discreta leucopenia com linfocitose
relativa
30
Obrigado