Sie sind auf Seite 1von 25

CONCORDÂNCIA

NOMINAL
Cuitelinho
Cheguei na bera do porto
onde as onda se espaia.
As garça dá meia volta,
senta na bera da praia.
E o cuitelinho não gosta
que o botão de rosa caia.
Quando eu vim de minha terra,
despedi da parentaia.
Eu entrei no Mato Grosso,
dei em terras paraguaia.
Lá tinha revolução,
enfrentei fortes bataia.
A tua saudade corta
como o aço de navaia.
Coração fica aflito,
bate uma, a outra faia.
E os óio se enche d’água
que até a vista se atrapaia.
CONCORDÂNCIA NOMINAL
Casos especiais de Concordância Nominal
I. Adjetivo referente a vários substantivos:

Quando o adjetivo vier depois de dois ou mais


substantivos do mesmo gênero, há duas
possibilidades de concordância:
Quando o adjetivo vier posposto a dois ou mais
substantivos de gêneros diferentes, também há duas
possibilidades de concordância:
O adjetivo vai para o masculino plural ou concorda em
gênero e número com o substantivo mais próximo.
Dois ou mais adjetivos referentes a um substantivo
determinado por artigo:

Admitem duas possibilidades:

a) O substantivo fica no singular e põe-se o artigo também


antes do segundo adjetivo.

Ex.: Meu professor ensina a língua inglesa e a francesa.

b) O substantivo fica no plural e omite-se o artigo antes do


segundo adjetivo:

Ex.: Meu professor ensina as línguas inglesa e francesa.


Todavia, observe:
Todavia, observe:
Todavia, observe:
As expressões é proibido, é necessário, é bom, é preciso
quando se referem a palavras desacompanhadas de
determinantes (artigos e alguns pronomes), tomadas, portanto,
em sua generalidade, ficam invariáveis.
Ex.:
É proibido entrada.
Cerveja é bom.
Coragem é necessário.
Porém, se a palavra estiver acompanhada de determinante,
com ela devem concordar.
Ex.:
É proibida a entrada.
Esta cerveja é boa.
Sua coragem é necessária.
Vejam mais alguns exemplos.
As palavras menos, monstro, alerta e pseudo são advérbios e
ficam invariáveis.

Ex.:

Os soldados estavam alerta.

Há menos pessoas do que prevíamos.

Ontem fiz uma prova monstro.

Alguns políticos são pseudorepresentantes do povo.


As palavras bastante, meio, pouco, muito, caro, barato
a) Quando têm valor de adjetivo, concordam com o substantivo.
Ex.: Serviu-nos meia porção de arroz.
Conversamos bastantes vezes a esse respeito.
Os automóveis estão caros.
As frutas estão baratas.
Já é meio-dia e meia.

b) Quando têm valor de advérbio ficam invariáveis.


Ex.: Maria está meio aborrecida.
Os alunos são bastante estudiosos.
Esses automóveis custam caro.
As laranjas custam barato.
Estamos muito cansadas.
Os adjetivos anexo, obrigado, incluso, mesmo, próprio, só, quite
concordam com o substantivo a que se referem.
Ex.: Seguem anexos os documentos da partilha de bens.
A carta segue anexa.
Os documentos estão inclusos.
Ela mesma redigiu a carta.
Eles estão sós.
Estou quite com você.
Muito obrigada - disse ela.

Observação: Os advérbios só (equivalente a somente), menos e


alerta e as expressões em anexo e a sós são invariáveis.
Ex.: Elas só esperam uma nova oportunidade.
Leia a carta e veja as fotografias em anexo.
As meninas ficaram a sós no quarto.
COLCHA DE RETALHOS
(Algumas outras regras tiradas da Nossa Gramática Completa
– Luiz Antonio Sacconi)
COLCHA DE RETALHOS
(Algumas outras regras tiradas da Nossa Gramática Completa
– Luiz Antonio Sacconi)
COLCHA DE RETALHOS
(Algumas outras regras tiradas da Nossa Gramática Completa
– Luiz Antonio Sacconi)
COLCHA DE RETALHOS
(Algumas outras regras tiradas da Nossa Gramática Completa
– Luiz Antonio Sacconi)