Sie sind auf Seite 1von 38

MASSAGEM DO TECIDO

CONJUNTIVO
TECIDO CONJUNTIVO
Os elementos que constituem os
tecidos conjuntivos são células e
substâncias intercelulares que
variam de acordo com as
diversas modalidades desses
tecidos;
TECIDO CONJUNTIVO
Considerando essa variação e, ainda, a
função do tecido, pode-se classificar os
tecidos conjuntivos da seguinte
maneira;
TECIDO CONJUNTIVO
Propriamente dito
Hematopoiético
Adiposo
Cartilaginoso
Ósseo;
ZONAS DE HEAD
ZONAS REFLEXAS

Descrita pela primeira vez por Head


ao observar alterações cutâneas
em áreas bem definidas
devido uma doença visceral;
ZONAS DE HEAD
ZONAS REFLEXAS

Alterações patológicas que afetarem


um dos somitos mesodérmicos, pode
eventualmente apresentar sintomas
em quaisquer estruturas do
mesmo segmento;
ZONAS DE HEAD
ZONAS REFLEXAS
ZONAS DE HEAD
ZONAS REFLEXAS

Com freqüência, as alterações do tecido


conjuntivo são visualizadas como áreas
achatadas ou faixas deprimidas, que
podem estar circundadas por áreas
mais elevadas;
ZONAS DE HEAD
ZONAS REFLEXAS

Áreas achatadas
são áreas de resposta primária e o
tecido conjuntivo é rígido;
ZONAS DE HEAD
ZONAS REFLEXAS

Áreas elevadas
áreas secundárias e surgem
como tumefação localizada;
MASSAGEM REFLEXA
CONCEITO
Efeito local remoto;

A intervenção dada a uma parte


do corpo aparentemente não
relacionada ao local tratado;
DEFINIÇÃO
É um sistema completo de tratamento,
que lança mão de manobras manuais
como meio de indução da atividade
reflexa em diversos tecidos;
FUNDAMENTO
Afeta o sistema nervoso autônomo
e, por reação reflexa, busca
corrigir desequilíbrios nas
funções vegetativas do corpo;
EFEITOS
Habitualmente o paciente sente uma
sensação de corte ou arranhadura, ou
possivelmente uma pressão indefinida.
São geradas respostas locais e gerais;
INDICAÇÕES
Tratamento dos sinais e sintomas dos
distúrbios circulatórios, doenças
reumáticas, distúrbios dos sistemas
nervosos autônomo e central, e
distúrbios do tecido conjuntivo;
CONTRA -INDICAÇÕES
Alguns distúrbios cardíacos;
Certas condições cutâneas;
Câncer ou tuberculose;
Excesso de pelos nas costas;
Feridas abertas;
Úlceras;
TÉCNICA BÁSICA
POSICIONAMENTO

Paciente sentado com padrão flexor de


MMII e pés apoiados;
Região das costas exposta;
Anteriormente apoiada;
Terapeuta em pé ou sentado
atrás do paciente;
Sem uso de cremes ou óleos;
TÉCNICA BÁSICA
MANOBRAS

Consiste em mobilização sobre


a pele com pressão suficiente
para manter o contato dos
dedos com a pele;
TÉCNICA BÁSICA
MANOBRAS

O tecido conjuntivo sofrerá um


deslocamento;
TÉCNICA BÁSICA
MANOBRAS

TRAÇO
Realizado com a borda
medial do terceiro dedo;

Utilizado como diagnóstico e terapia


TÉCNICA BÁSICA
MANOBRAS

ROLAMENTO
Agarramento do tecido cutâneo com o
caminhar dos primeiros quatro dedos à
frente do movimento e deslizar do
quinto dedo posterior a prega cutânea
agarrada;
Utilizado como diagnóstico e terapia
TÉCNICA BÁSICA
MANOBRAS

TRAÇO em CROCHET
Realizado com a borda
medial do terceiro dedo em
movimentos semicirculares
no sentido medial para lateral;

Utilizado como terapia


TRATAMENTO DE BASE
Manobras básicas feitas
na região sacro-lombar;

Para qualquer problema


visceral a massagem se
inicia na região sacro-lombar;
TRATAMENTO DE BASE
PONTO DE PARTIDA

Borda superior do sacro ao


lado da tuberosidade ilíaca;
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Traço saindo ponto de partida e seguindo até a


apófise espinhosa de L4 (lateral para medial);
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Traço do ponto de partida seguindo pela crista ilíaca;


TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Traço do ponto de partida entre os glúteos médios e


máximos até o trocânter maior do fêmur;
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Traço do ponto de partida em direção ao ísquio;


TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Trabalho no espaço ílio-sacral, vários traços em


ângulo e sentido latero-medial a partir a crista ilíaca
em direção ao
sacro;
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Traços em crochet a cada lado da coluna lombar,


sentido caudal – cranial (apenas na lombar);
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Traços de medial para lateral no espaços


intercostais das últimas costelas;
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Rolamento na região sacro lombar


de medial para lateral;
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Rolamento ao longo dos músculos paravertebrais,


paralelamente e um lado de cada vez;
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Traço na borda medial e espinha da escápula de


cranial para caudal (pode ser traço em crochet);
TRATAMENTO DE BASE
SEQÜÊNCIA

Traço em crochet na cervical, de medial para lateral


e cranial para caudal;
PARA TERMINAR
Há uma vastidão de técnicas a serem exploradas que
apresentam resultados muito interessantes, então
lembre-se sempre de seguir com uma boa conduta,
sempre respeitando os limites do paciente e além
disso, respeitando seus próprios limites;