Sie sind auf Seite 1von 33

Diagnóstico de falhas

CAPÍTULO 10
BUSCA DE ERROS
&
DIAGNÓSTICA DE FALHAS
Diagnóstico de falhas

DETECÇÃO E SOLUÇÃO DE PROBLEMAS (POR CÓDIGOS DE FALHAS)


PERFIL
O método de busca e solução de falhas permite conhecer a causa de uma falha de
funcionamento seguindo a ordem com o que a falha tenha sido produzida.
Neste manual se explica como resolver os problemas específicos de modo
sistemático e o mais rápido possível. A respeito da busca de falhas no interior dos
componentes, ver as seções de detecção de falhas em cada manual respectivo.

1. AVALIAÇÃO DE UM PROBLEMA ATUAL NO LOCAL


IR ATÉ O LOCAL O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL
Verificar modelo, número de série, situação do problema e o setor, e notificar
a pessoa e a hora de chegada.

VERIFICAR A SITUAÇÃO DE ORIGEM DA FALHA


1. Nome do modelo e número de série.
2. Tipo de equipamento.
Verificar se o componente é adequado para a máquina,
ou que o método de trabalho seja razoável.
3. Tempos operativos mediante o horímetro.
4. História do problema verificado e trabalhos extras.
5. Repetição de problemas já verificados, ou problemas sobre os
trabalhos extras.
Verificar a situação de origem da falha
Diagnóstico de falhas

COMO DIAGNOSTICAR O PROBLEMA


1. Verificar a peça defeituosa.
2. Reproduzir as condições que geram o problema.
3. Se não é possível verificar as peças defeituosas, hipotetisar as causas
de modo sistemático.
4. Verificar os motivos de tais hipóteses.
5. Informar ao usuário a respeito dos métodos, procedimentos e tempos
necessários para a reparação.

EXPLICAÇÃO DA CAUSA DO PROBLEMA


1. Explicar ao cliente a causa do problema. Por exemplo, as perdas de óleo
Como diagnosticar o problema
pelos pistões estão sendo causadas por defeitos das bielas.
Explicar também o método de utilização das máquinas, de modo que não se
produza de novo o mesmo tipo de problema.
2. Tratamento das peças danificadas
As peças danificadas objeto de reclamação são provas do eixo e se devem
serem manipular com cuidado. Se devem proteger contra a penetração de
água, terra, etc., pelas aberturas das unidades hidráulicas, etc.
Além disto, ter cuidado para não danificar as superfícies.

Diagnosticar a anomalia mediante a detecção e


Eliminação de falhas
Diagnóstico de falhas

b. Fusível de 20A da CENTRALINA fundido


A centralina funciona normalmente porém cessa a alimentação quando a centralina aciona a válvula, etc.
Se mostram muitos códigos de falhas no quadro de instrumentos.
D013, D023, D033, D063,
E013, E023, F021
4. DIAGNOSIS DE FALHAS POR CÓDIGO DE FALHAS
Se for mostrado um código de falhas no tela do painel mediante a função de visualização de auto diagnóstico, efetuar
o diagnóstico de falhas segundo o mostrado na página correspondente ao conteúdo dos códigos de falhas.
Código
de falhas Descrição da falha Páginas.
A015 Ajuste do motor térmico (ajuste A) não foi concluído ou apresentou falha. T1-5
A025 Ajuste da válvula proporcional das bombas (ajuste B) não foi efetuado ou apresentou falha. T5-1-5
A035 Ajuste da válvula de descarga (ajuste C) não concluído ou apresentou falhas. T5-1-6
A215 Os dados de ajuste ROM dados não estão corretos. T5-1-6
A225 A gravação dos dados de ajuste ROM não estão corretos. T5-1-7
A235 os dados do horímetro incorretos gravados na ROM. T5-1-7
A245 A gravação dos dados do horímetro ROM não estão corretos. T5-1-8
A255 A gravação dos dados do ajuste da válvula proporcional não estão corretos. T5-1-8
B012 Saída de sinal incorreta do sensor de pressão de elevação da lança. T5-1-9
B013 Sensor de pressão da elevação da lança está desconectado. T5-1-9
B014 Sensor de pressão de elevação da lança está em curto-circuito. T5-10
Diagnóstico de falhas

Código
de falhas Descrição da falha Páginas.

B022 Saída de sinal incorreta do sensor pressão de abaixamento da lança. T5-1-10


B023 Cabo do sensor de baixa pressão de abaixamento da lança cortado. T5-1-11
B024 Cabo do sensor de baixa pressão de abaixamento da lança em curto circuito. T5-1-11
B032 Saída de sinal incorreta do sensor de baixa pressão abertura do penetrador. T5-1-12
B033 Cabo do sensor de baixa pressão da abertura do penetrador cortado. T5-1-12
B034 Sensor de baixa pressão de abertura do penetrador em curto circuito. T5-1-13
B042 Saída do sinal incorreta do sensor de baixa pressão de fechamento do penetrador. T5-1-13
B043 Sensor de baixa pressão do fechamento do penetrador cortado. T5-1-14
B044 Sensor de baixa pressão de fechamento do penetrador em curto circuito. T5-1-15
B052 Saída de sinal incorreta do sensor de baixa pressão (escavação) da caçamba. T5-1-16
B053 Cabo do sensor de baixa pressão (escavação) da caçamba cortado. T5-1-16
B054 Cabo do sensor de baixa pressão fechar (escavação) caçamba em curto circuito. T5-1-17
B062 Saída de sinal incorreta do sensor de baixa pressão de abertura da caçamba. T5-1-17
B063 Cabo do sensor de baixa pressão de abertura da caçamba cortado. T5-1-18
B064 Cabo do sensor de baixa pressão de abertura da caçamba em curto circuito. T5-1-18
B072 Saída de sinal incorreta do sensor de baixa pressão do giro. T5-1-19
B073 Cabo do sensor de baixa pressão do giro cortado. T5-1-19
B074 Cabo do sensor de baixa pressão do giro em curto circuito. T5-1-20
B092 Saída do sinal incorreta do sensor de baixa pressão de translação lado direito. T5-1-20
B093 Cabo do sensor de baixa pressão de translação lado direito cortado. T5-1-21
Diagnóstico de falhas

Código
de falhas Descrição da falha Páginas.
B094 Sensor de baixa pressão de translação lado direito em curto circuito. T5-1-22
B102 Sinal de saída incorreto do sensor de pressão de translação lado esquerdo. T5-1-23
B103 Cabo do sensor de baixa pressão de translação lado esquerdo cortado. T5-1-23
B104 Cabo do sensor de baixa pressão de translação lado esquerdo em curto circuito. T5-1-24
B113 Cabo do sensor de baixa pressão posicionamento seletor opcional cortado. T5-1-25
B114 Sensor de baixa pressão de posicionamento do seletor opcional em curto circuito. T5-1-26
B162 Sinal de saída incorreto do sensor de baixa pressão parte opcional da bomba P1. T5-1-26
B163 Cabo do sensor de baixa pressão parte opcional da bomba P1 cortado. T5-1-27
B164 Cabo do sensor opcional de baixa pressão parte opcional P1 em curto circuito. T5-1-28
B172 Sinal de saída incorreto do sensor de baixa pressão parte opcional da bomba P2. T5-1-28
B173 Cabo do sensor de baixa pressão parte opcional da bomba P2 cortado. T5-1-29
B174 Cabo do sensor de baixa pressão parte opcional da bomba P2 em curto circuito. T5-1-29
C012 Sinal de saída incorreto do sensor de baixa pressão da bomba P1. T5-1-30
C013 Cabo do sensor de baixa pressão da bomba P1 cortado. T5-1-30
C014 Cabo sensor de baixa pressão da bomba P1 em curto circuito. T5-1-31
C022 Sinal de saída incorreto do sensor de baixa pressão da bomba P2. T5-1-31
C023 Cabo do sensor de baixa pressão da bomba P2 cortado. T5-1-32
C024 Cabo do sensor de baixa pressão da bomba P2 em curto circuito. T5-1-32
C033 Sensor en cabeza brazo cortado. T5-1-33
C034 Sensor en cabeza brazo en cortocircuito. T5-1-33
Diagnóstico de falhas

Código
de falhas Descrição da falha Páginas.
D012 Falha na válvula proporcional de descarga P1 e no transistor de saída quando está em condução. T5-1-34
D013 Cabo da válvula proporcional de descarga P1 cortada. T5-1-34
D022 Avaria na válvula proporcional de descarga P2 e no transistor de saída quando está em condição. T5-1-35
D023 Cabo da Válvula proporcional de descarga P2 cortada. T5-1-36
D032 Avaria no cabo da válvula proporcional de translação em linha reta e no transistor de saída quando
quando está em condição (ON). T5-1-36
D033 Cabo da válvula proporcional de translação em linha reta cortada. T5-1-37
D062 Avaria na válvula proporcional do carretel de alta velocidade para fechar penetrador e no transistor
de saída quando está em condição (ON). T5-1-38
D063 Cabo da válvula proporcional do carretel de alta velocidade fechar penetrador cortado. T5-1-39
D152 Avaria na válvula de curto-circuito e no transistor de saída quando está em condição (ON). T5-1-39
D153 Cabo da válvula de curto-circuito cortada. T5-1-40
E012 Avaria na válvula proporcional da bomba P1 e no transistor de saída quando está em condição. T5-1-40
E013 Cabo da Válvula proporcional da bomba P1 cortado.
E022 Avaria na válvula proporcional da bomba P2 e no transistor de saída quando está em condição. T5-1-42
E023 Cabo da válvula proporcional da bomba P2 cortado. T5-1-42
F011 Avaria no transistor de saída quando está em OFF e curto-circuito à massa da válvula power boost. T5-1-43
F013 Avaria no transistor de saída quando está em ON e corte da válvula power boost T5-1-41
F021 Avaria no transistor de saída quando está em OFF e curto-circuito à massa da válvula de freio. T5-1-45
F023 Avaria no transistor de saída quando está em ON e corte da válvula de freio de giro. T5-1-45
Diagnóstico de falhas

Código
de falhas Descrição da falha Páginas.
F031 Avaria no transistor de saída quando está em OFF e curto-circuito para massa da válvula 1ª e 2ª. Velocidade T5-1-46
F033 Avaria no transistor de saída quando está em ON e corte da válvula 1ª e 2ª velocidade translação. T5-1-47
F041 Avaria no transistor de saída quando está em OFF e curto-circuito à massa da válvula seletora opcional. T5-1-47
F043 Avaria no transistor de saída quando está em ON e corte da válvula seletora opcional. T5-1-48
G011 Avaria no transistor de saída quando está em ON no motor de passo. T5-1-48
G013 Cabo do motor de passo cortado. T5-1-49
G023 Impossível mover o ponto de partida. T5-1-49
G032 Sinal do sensor de rotação do motor para entrada direta na centralina superada. T5-1-50
G033 Sinal do sensor de rotação dor motor para entrada direta na centralina cortada. T5-1-50
H013 Potenciômetro acelerador cortado. T5-1-51
H014 Alimentação do potenciômetro acelerador em curto-circuito. T5-1-51
H023 Potenciômetro ângulo do braço cortado. T5-1-52
H024 Alimentação do potenciômetro ângulo do braço em curto-circuito. T5-1-53
H033 Potenciômetro ângulo penetrador cortado. T5-1-54
H034 Alimentação potenciômetro ângulo penetrador em curto-circuito. T5-1-55
H091 Avaria por curto-circuito à massa do sensor de combustível. T5-1-56
H093 Cabo do sensor combustível cortado. T5-1-56
I313 Erro de recepção na comunicação com o quadro de instrumentos (erro time-out). T5-1-57
K014 Terminais do relé das baterias colados. T5-1-58
R014 Falha no relé de proteção do motor elétrico limpador de pára-brisas. T5-1-59
Diagnóstico de falhas

Código
de falhas Descrição da falha Páginas.
R024 Falha do relé da função normal do limpador do pára-brisas. T5-1-60
R034 Falha do relé da função retorno do limpador do pára-brisas. T5-1-61
R044 Falha do relé do motor do lavador do pára-brisas. T5-1-62
R134 Falha do relé intermitente do Giro . T5-1-63
R144 Falha do relé intermitente do Giro. T5-1-64
R154 Falha do relé de alarme de translação. T5-1-65
R164 Falha do relé 2 de parada motor com (mínimo automático) Auto Idle. T5-1-66
R174 Falha do relé parada forçada do motor. T5-1-67
R184 Falha do relé da alavanca de bloqueio de segurança. T5-1-68
R214 Falha do relé de segurança. T5-1-69

NOTA:
PARA CORRIGIR AS FALHAS, CONSULTAR A TABELA DE CÓDIGOS DE FALHAS DE 1 A 99 NO MANUAL DE SERVIÇO
Código de falha A 015 Tabela 1
Falha Ajuste do motor térmico (ajuste A) não efetuada ou falha.
Condições de
avaliação O ajuste do motor esta errado. Ou é impossível fixar o valor de ajuste dentro do campo de ajuste.
Sintoma Diferente do valor requerido, porém sem problemas nas operações normais.
Retorna ao
O ajuste do motor se realiza normalmente
estado normal

Página de controle Página Nº 2 G-3 SPEDD SET

Para diagnóstico Página Nº

assistencial Página Nº
Diagnóstico de falhas

1. Todos os comandos não funcionam ou funcionam lentamente


Os diagnósticos estão na página T5-2-2 até T5-2-40 do manual de serviço
Diagnóstico de falhas

SOLUÇÃO DAS FALHAS (POR FALHAS)


1. INSTALAÇÃO HIDRÁULICA
Introdução:
Neste capítulo é descrito a solução das falhas indicadas a seguir:
Identificar a falha e o problema e efetuar a solução das falhas na ordem do número da falha.
1. Todos os comandos não funcionam ou encontram-se lentos
2. Motor com falhas ou apaga
3. Movimentos com alavanca na posição neutra
4. Operação fina precária
5. Elevação da lança lenta, falta de potência
6. Abaixamento da lança lenta, falta de potencia para elevar cargas
7. Fechamento do braço lento, falta de potência
8. Abertura do penetrador lento (sem carga)
9. Fechar caçamba lenta
10. Abrir caçamba lenta
11. Giro lento ou não gira
12. Giro ruidoso
13. A estrutura gira em uma pendente, com os joysticks em neutral
14. A estrutura gira por inércia depois de terminar o movimento de giro
15. Velocidade de deslocamento lento
16. Desvio no deslocamento em translação em linha reta
17. A mudança de velocidade não muda de 1ª a 2ª marcha
18. A máquina não fica parada em uma pendente
19. A translação não mantém reta quando aciona-se simultaneamente a translação e implementos
20. Funcionamento lento do martelo (pinça) falta de potência
21. Problema nas válvulas seletoras ferramentas opcionais: não comuta para circuito do martelo
22. Problema nas válvulas seletoras opcionais não muda para circuito da pinça
Diagnóstico de falhas
4- AJUSTES DA SAÍDA DA CENTRALINA (AJUSTE A, B, e C).

FINALIDADE DO AJUSTE
Existe três modos de ajuste da CENTRALINA mencionados abaixo; cada ajuste é necessário
para assegurar o bom funcionamento e a capacidade da Escavadeira.

(1) Ajuste do motor térmico (Ajuste “A”)


Este ajuste é realizado para definir a relação entre a aceleração, comando de tensão na saída da CENTRALINA para o
do motor de passo.

(2) Ajuste das bombas Hidráulicas (calibração “B”)


Este ajuste é realizado para adaptar a potência das bombas hidráulicas dependendo da alta pressão e da potência
fornecida pelo motor térmico.

(3) Ajuste das válvulas de descarga de pressão (calibração “C”)


Este ajuste se utiliza para adaptar o comportamento de abrir as válvulas de descarga de pressão afim de melhorar
ainda mais a capacidade de trabalho.

QUANDO É NECESSÁRIO AJUSTAR A CENTRALINA?


Depois de substituir ou reparar os seguintes componentes.
(1) CENTRALINA
(2) MOTOR TÉRMICO OU MOTOR DE PASSO
(3) BOMBAS HIDRÁULICAS E VÁLVULAS PROPORCIONAIS DAS BOMBAS
(4) VÁLVULAS PROPORCIONAIS DE DESCARGA DE PRESSÃO E OU CARRETÉIS DAS VÁLVULAS DE DESCARGA DE PRESSÃO

PREPARAÇÃO
(1) Aquecer o motor térmico e o óleo hidráulico a pelo menos 50°C.
(2) Desligue o ar condicionado.
(3) Desligue o motor térmico.
Depois de trocar a CENTRALINA, aparece os seguintes códigos de erros, já que a CENTRALINA
não detecta os dados relacionados à escavadeira: A215, A225, A015, A025, A035.
Se indicam códigos de erros adicionais para os mencionados acima busque os erros e elimíne-os
referindo à lista de códigos de erros.
Diagnóstico de falhas

Procedimento de ajuste da Centralina (Ajuste A)

Tecla modo
de serviço
Lava vidro
Limpador
pára-brisas
Desliga alarme sonoro
Tecla de seleção Exemplo
painel
PROCEDIMENTO A
1) Ponha a chave de partida em ON. Ao mesmo tempo, mantenha apertada a tecla de modo de operação
por 5~10 segundos. Depois solte a chave.

2) Mantenha apertada a tecla de excluzão do alarrme por 5 segundos e depois solte-a. Em seguida aparece a tela
“ADJUST READY” para selecionar o ajuste desejado. Enquanto não forem memorizados os dados de ajuste na
Centralina, fica indicando “ READY”.Depois de terminada a calibração, aparece “FIN”.
1) Aperte a tecla de SELEÇÃO para acessar a imagem “START ENG”, “Engine SPEED” P1, P2 “PUMP
PRESSURE” e “STEP” ( Tensão de regulagem da RPM).
2) Depois de dar partida no motor térmico, aperte a tecla de seleção e aparecerá “MEMORY ENG” no display e as
rotações do motor sobem automaticamente e a calibração do motor témico operar de maneira automática. Se
desejar limitar a RPM do motor, aperte a tecla seleção no painel para colocar as rotações desejadas e assim
termina a calibração do motor térmico.Os ajustes da potência (torque) e de descarga de pressão, que devem
seguir em caso normal, são registrados e se memoriza os valores normais de calibração de fábrica.

3) Quando se detecta as rotações máximas, se finaliza o ajuste e aparece “FINISH ENG” no display.
Agora aperte a tecla de excluzão de alrme e aparece na tela indicando que terminado o ajuste do motor.
Diagnóstico de falhas

Procedimento de ajuste da Centralina (Ajuste B)


Ajuste das Bombas Hidráulicas (Ajuste B)
Procedimento
1) O ajuste muda de forma autmática desde o motor térmico e as bombas hidráulicas, as rotações
sobem de mínima a máxima e aparece “MEMORY PUMP” NA TELA. Para elevar a carga do motor
fecha-se a válvula proporcional de descarga de pressão e regulam as vazoões das bombas hidráulicas.
Aparece a tela “ENGINE SPEED”, P1, P2 “PUMP PRESSURE” e se visualizam os valores de corrente
elétrica de regulagem transmitidas às válvulas Prorcionais das bombas P1 e P2. (PSV-P1 e PSV-P2).
2) Depois de reconhecer as rotações nominais do motor térmico, se executa de forma automática de calibração
das bombas. Depois de terminada o ajuste aparece na tela “FINISH PUMP” Ao apertar a tecla
de excluzão do alarme aparece na tela “FINISH PUMP”. Neste momento terminas o ajuste. Se não
for necessário continuar com a calibração de descarga de pressão, que deveria seguir neste instante,
se introduzem e memorizam os valores de calibração de fábrica.

Ajuste da válvula de descarga de pressão (Ajuste C)


Procedimento
1) O ajuste muda das bombas até a descarga de pressão, atuando-se na válvula de
descarga de pressão, dependendo da pressão detectada das bombas aparece na tela
“ MEMORY UNLOAD”
Se armazenan os valores “ENGINE SPEED” P1 e P2, “PUMP PRESSURE” e UNLOADING 1, 2
“PROPOVALVE” incado no painel.

Continua
Diagnóstico de falhas

Procedimento de (Ajuste B) Continuação

2) Quando se transmite às válvulas de descarga de pressão um valor definido, está


terminado de maneira automática o ajuste da válvula proporcional para a descarga de
pressão e aparece na tela “FINISH UNLOAD”.
As rotações do motor térmico agora ajustam-se segundo a posição do potenciômetro.
Se visualiza o valor da corrente de regulagem das válvulas proporcionais P1, P2 de
descarga de pressão, que se movem de forma normal dentro d faixa de regulagem
entre 520~635 mA.

Ao desligar o motor térmico se memoriza automaticamente todos os valores.


Diagnóstico de falhas

Procedimento de ajuste através do painel.


Ajuste separado das válvulas de descarga de pressão (Ajuste C)
Aquí se trata do ajuste separado das válvulas de descarga de pressão (Ajuste “C”) despois
de substituir as válvulas proporcionais e/ou os carretéis de descarga de pressão. TELA
MULTI FUNCIONAL
EXEMPLO
Procedimiento
1) Ponha a chave de partida em ON. Ao mesmo tempo mantenha apertada a tecla de modo
de trabalho no painel durante 5~10 segundos. Despois solte-o. (Se o motor térmico está
funcionando, não se visualiza as telas siguintes.Porriso, não deve funcionar o motor
térmico.)

2) Mantenha apertada a tecla de excluzão de alarme no painel por 5 segundos.


Despois solte-a. Aparece na tela «ADJUST» para seleccionar o ajuste desejado.
Se os datos de ajustes não furem memorizados na Centralina, aparece indicado “READY”.
Depois de finalizar o ajuste, a tela muda para “FIN”.

Ao mesmo tempo, se conecta a válvula solenóide para ativar a pressão de pilotagem


(alavanca de segurança) com o tanque. Desta maneira se impede qualquier movimento.

3) Selecione o ajuste desejado por meio das teclas de lava para-brisas (▼) e de limpa-
parabrisas (▲) e selecione “ADJUST UNLOD” .
Enquanto que não se memoriza o ajuste na Centralina, aparece a tela
“READY”. Despois de terminado o ajuste aparece na tela “FIN”.
Diagnóstico de falhas

Ajuste separado das válvulas de descarga de pressão (Ajuste C) Continuação


4) Agora aperte a tecla de seleção no painel atéa indicar “START ENGINE”.
Neste instante se visualizam os valores da tensão de comando para “ENGINE SPEED”
rotação do motor e P1 e P2 “PUMP PRESSURE” e “STEP”.( Comando de tensão)
são indicadas.

5) Despois de funcionarar o motor térmico e apertar a tecla de seleção no painel aparece


na tela “MEMORY UNLOAD”, sobem automaticamente as rotações do motor e executa
o ajuste das válvulas proporcionais de descarga de pressão.
Se visualizan os valores da tensão de regulagem para “ENGINE SPEED”, P1, P2
“PUMP PRESSURE” e “PROP VALVE”.(Comando de tensão) são indicadas.

6) Ao transmitir um valor definido para as válvulas proporcionais de descarga de pressão


se termina de maneira automática o ajuste das válvulas proporcionais de descarga
de pressão se completa e aparece “FINISH UNLOAD”.
As rotações se ajustam de acordo com a posição do potenciômetro.
Se visualizam os valores da corrente de regulagem das válvulas proporcionais de descarga
de pressão P1 e P2 no painel, as quais oscilam em caso normal entre 520~635 mA.
Ao parar o motor térmico se armazena de forma automática os valores calibrados.
Diagnóstico de falhas
Procedimento de ajuste através do painel.
A atual função diagnóstica é exibida na tela do painel baseando-se nos datos recebidos da CENTRALINA.
Neste capítulo se descreve o procedimento operacional baseando nas telas do painel.
Os valores na tela muda de acordo com as condições por exemplo, rotações do motor, posição dos
implementos, etc.

(1) Procedimento de Operação do Diagnóstico na Tela do Painel


1) Ponha a chave de partida na posição ON. Ao mesmo tempo, mantenha apertada a tecla de excluzão de
alarme sonoro
2) Primeiro aparece o logo tipo e depois muda a tela de diagnóstico.
A tela de diagnóstico “Modo Nº 1”, “T ELA Nº 1” aparece primeiro.
O diagnóstico foi dividido em três modos, 1 , 2 e 3, e começa com a “TELA Nº1”.
Os números das TELAS são diferentes, veja a seguir:
● Modo Nº 1: Tela do nº 1, ~ nº 30
● Modo Nº 2: Tela do nº 1, tela nº 31~nº 40
● Modo Nº 3: Tela do nº 1, tela nº 41~nº 50
3) CADA VEZ QUE SE APERTAR A TECLA A TELA MUDA DA SEGUINTE MANEIRA:

Tecla do lavador de pára-brisas: A tela muda a diante na seguinte ordem (nº. 2→n°. 3→n°. 4→...) em diante.

Tecla do limpa pára-brisas: A tela volta na ordem (nº. 24→nº. 23→nº. 22→...) para trás

Tecla do Auto Idle: O número do diagnóstico aumenta do n°. 1 ao nº. 3 e depois volta ao nº. 1 (nº. 1→nº. 2→nº. 3→nº.1 →...)

Tecla de mudança da velocidade: O número de diagnóstico retorna do nº. 3 ao nº. 1 e volta ao nº. 3. (nº. 3→nº. 2→nº.3 →...)

4) Ponha a chave de partida na posição OFF para terminar o modo de diagnóstico.


Diagnóstico de falhas

3. Lista de dados do diagnóstico assistencial


Introdução e precauções.
Os dados seguintes são os estabelecidos como estado normal e trás um diagnóstico
assistencial para cada função. Utilizar estes dados para visualizar o estado normal / anormal.
• Os valores dados na apresentação que segue são valores de referência de uma máquina
com equipamento standar.
• O valor da pressão de cada sensor se calcula tendo em conta as variações. Quando se
compara com as características, controlar os critérios de referência. Medir com ajuda de
instrumentação calibrada.
• A intensidade de corrente elétrica das válvulas proporcionais não é o valor medido, e sim o
valor de comando. O valor de comando se deve confirmar pelo valor apresentado para cada
válvula proporcional.
• O valor de intensidade de corrente da válvula proporcional da bomba é um valor de
referência porque varia em função da pressão da bomba e do valor do torque.
• O valor mostrado na tela durante o funcionamento, representa o valor em condições
estáveis, não ao início do funcionamento.
• Os testes na máquina devem ser efetuado após o tempo suficiente para permitir o
pré-aquecimento da máquina.
• O valor mostrado na tela pode ser diferente em função da versão do software. Consultar
com o concessionário / distribuidor.
Diagnóstico de falhas

3.4 DIAGNÓSTICO DA HISTÓRIA DA AVARIA


As falhas detectados pela função de auto-diagnóstico da Centralina se memorizam na própria
Centralina como dado histórico. Estas falhas se podem ver na tela do monitor.
• Se memoriza uma parte do conteúdo dos Avisos (os dados memorizados se mostram na tabela de avisos).
• Se memoriza o código de avaria para auto-diagnósticos.
1. Como vê-los na tela.
1) Girar a chave de partida para a posição ON.
2) Apertar a tecla de exclusão do alarme 5 vezes seguidas, a continuação se mostra a página da
historia da avaria.

(Exemplo)
Sem erros Não erros

10530Hr F 023
Erros detectados 8500Hr G 033
no passado 1500Hr C 013
3) Transmissão dos dados da história de falhas (uma ou mais) e do horímetro no monitor.
• Na tela se apresentam por cada página até 4 dados de falhas e o número de horas.
• Se estão presentes mais de 4 dados de falhas, se apresentam 4 dados de cada vez a cada 10 segundos, na seqüência.
4) Paginação (acima e abaixo)
• Apertar a tecla lavador de pára-brisas e os itens se deslocam para cima.
• Apertar a tecla limpador de pára-brisas e os itens se deslocam para baixo.
5) Para sair da página girar a chave de partida para a posição OFF.
2. Como cancelar o conteúdo da história da avaria
1) Entrar na página da história de avaria.
2) Apertar a tecla de modo de trabalho e a tecla de exclusão de alarme ao mesmo tempo durante 10
segundos no mínimo.
3) Quando aparece a mensagem "NO ERROR" o cancelamento foi terminado.
4) Girar a chave de partida para OFF.

NOTA:Cancelam-se todos os dados memorizados. Não é possível cancelar parcialmente os dados.


Diagnóstico de falhas

3.5 MODO DE DIAGNÓSTICOS


O modo de diagnósticos se utiliza para identificar automaticamente as seções defeituosas para as falhas
que não se podem detectar mediante a função de auto diagnósticos (a falha pode-se especificar
mediante um código), como uma desconexão ou um sinal anormal na saída. É muito útil para
economizar tempo na localização destas falhas.
1. Função
Há dois tipos de modo de diagnósticos.
1) Detecção de falhas modo 1. Utilizado para diagnosticar o circuito de bombas, o circuito de carga,
o circuito de translação em linha reta.
2) Detecção de falhas modo 2. Utilizado para diagnosticar o circuito de pilotagem.
Ambas as válvulas direcionais e as válvulas proporcionais são acionadas automaticamente com o
equipamento parado, o sensor detecta o estado da máquina e a Centralina identifica a condição
normal ou a condição de falha do sistema.
Para mais detalhe sobre como utilizar o modo de diagnósticos, ver o Capítulo: "DIAGNOSIS DE
AVERIAS - MODO DE DIAGNOSIS".
Diagnóstico de falhas

TECLA DE MUDANÇA DE TELA

Com a chave de partida na posição “ON”


ou com o motor funcionando, cada vez que
aperta-se a tecla de mudança de tela (3),
mostra-se sucessivamente na tela as seguintes
Informações:

Tempo que falta para a troca do óleo do motor.

Tempo que falta para a troca do filtro de combustível.

Tempo que falta para a troca do filtro de óleo hidráulico.

Tempo que falta para a troca do óleo hidráulico.

NOTA: Se não apertar a tecla de mudança de tela durante a


apresentação das páginas de manutenção, depois de 30 seg.
Mostra-se automaticamente a tela principal.
Diagnóstico de falhas
3.6 MODIFICAÇÃO E REPOSIÇÃO DOS INTERVALOS DE MANUTENÇÃO
Para a modificação dos intervalos de manutenção
ou para a reposição dos intervalos de manutenção
pré estabelecido ao chegar ás ZERO horas,
proceder como segue:

● Coma chave de partida na posição “ON” ou com o


motor funcionando, apertar a tecla de exclusão do
3
alarme sonoro (3) e selecionar a página de
manutenção desejada.

● Apertar a tecla SELET (4) para entrar no modo de


modificação. As horas aparecem em evidência com
O fundo NEGRO. 4

● Modificar o intervalo de manutenção mediante as


Teclas de lava pára-brisas (5) e limpador de pára- 5
Brisas (6).
Aumenta 10 horas

Diminui 10 horas

Memorizar o intervalo de manutenção


apertando a tecla SELET (4).

NOTA: Para a reposição do intervalo


de manutenção previsto pelo fabricante, 6 7
apertar a tecla de para de alarme sonoro (7)
Diagnóstico de falhas

MODO DA BUSCA DE ERROS


A busca de erros serve para detectar de forma automática o componente defeituoso, se não é indicada uma falha no
autodiagnóstico mediante códigos de erros, por exemplo, ruptura de cabos ou valores imprópios da CENTRALINA, de
sensores, etc. Desta maneIra se reduz o uso da busca de erros.

(1) Função
Existem dois modos de busca de erros.
1) Busca de errores 1
Este modo se emprega para a busca de erros referente ao sistema de descarga de pressão, sistema das bombas
hidráulicas, a translação em linha reta e ao sistema do motor térmico.

2) Busca de erros 2
. Este modo é usado para a busca de erros da pressão do sistema de pilotagem
Igual modo que se emprega, quando não se atua no implemento, se controlan automaticamente tanto as válvulas
solenóides como as válvulas proporcionais, o sensor detecta o estado da máquina e a CENTRALINA distingue entre estado
normal ou estado de erro.
(2) Uso (veja o gráfico operativo)
Se manobra o diagnóstico de erros através do painel.
Passo 1
Entre no menú de modo de busca de erros.
(Ponha a chave de partida na posição ON e ao mesmo tempo, mantenha apertada a tecla de excluzão de alarme. Depois
continui mantendo apertada a tecla de excluzão de alarme e aperte a tecla de SELEÇÃO três vezes na tela do diagnóstico
nº1).
Passo 2
Entre no modo de busca de erros.
(Mova o cursor até a posição desejada mediante as teclas “▲▼“ e aperte a tecla de SELEÇÃO).
Passo 3
ENTRE no “Modo DIAG 1” ou “Modo DIAG 2”.
(Mova o cursor até posição desejada mediante as teclas “▲▼“ e aperte a tecla SELEÇÃO).
Diagnóstico de falhas
Passo 4
Agora siga as instruções que aparecem na tela.

INDICAÇÕES:
1. Depois de ativar a busca de erros, abaixe os implemento e coloque a caçamba sobre o solo. Desta maneira
se impede que em caso de falha alguém toca no joystick ou pedal o qual pode provocar acidentes.

2. Antes de começar com a busca de erros, comprove mediante os sensores de pressão, que as válvulas
proporcionais e a válvula de passagem (confluxo desde o martelo, respectivamente, até a tesoura) se
funcionam corretamente. Comprove que as correntes de regulagem das válvulas proporcionais e da válvula
de passagem (refluxo de óleo desde o martelo, respectivamente, desde a tesoura) se não mudam demasiado
dos valores medidos durante o diagnóstico.
Esta prova preliminar do sistema elétrico diminui o tempo e permite a busca de erros mais preciso.

3. De modo exemplar se explicam aqui a busca de erros e as medidas de eliminação à base de erros
ocorridos. Se vários erros ocorrer ao mesmo tempo, a busca de erros não produz resultados inequivocados.

4. Durante a busca de erros, não aparece nenhum código de erros e nem avisos (visuais e acústicos) os que
foram detectados por meio de auto diagnóstico. Já que estes erros são armazenados na memória de erros,
podendo buscá-los depois de terminar a busca de erros.

5. No Modo DIAG 2” se descarrega as bombas através de as válvulas de descarga de pressão


para evitar que se move o equipamento intencionalmente. Durante a busca de erros se uma das válvulas ficar
ativada e uma das bombas produzir pressão, desligue o motor e aparece a indicação “UNLOAD PSV NG“ que
significa: “VÁLVULA PROPORCIONAL DE DESCARGA DE PRESSÃO NÃO FUNCIONA”. Verifique o
componente defeituoso. (NG = NOT GOOD = NÃO FUNCIONA).
Diagnóstico de falhas

2. CLASIFICAÇÃO DA FALHA E DIAGNÓSTICOS


Classificar as falhas nos seguintes 3 tipos e efetuar o diagnóstico.

Nº Classes de falhas Diagnósticos de falhas

A Quando o painel mostra o código de falhas depois de Efetuar o diagnóstico de falhas de acordo
ter feito o diagnóstico com o código de falhas.
B Quando não se detecta atualmente nenhuma falha porém Quando for difícil reproduzir a situação da
depois do auto diagnóstico o código de falhas permanece falha, cancelar os dados históricos e reproduzir
no histórico de falhas. a situação de falhas ou hipotetizar a causa
segundo diagnósticos por código de falhas, e
depois efetuar o reparo.
C Quando não se mostra o código de falhas depois do auto Efetuar o diagnóstico de falhas segundo as
diagnóstico ou não permanece no histórico de falhas. Instruções as instruções de t5-2 “DIAGNÓSTICO DE
FALHAS (POR FALHAS)”.
Efetuar o diagnóstico de falhas segundo as instruções
de T5-3 “DIAGNÓSTICOS DE FALHAS (MODO DE
DIAGNOSTICOS)”.

3. FUSÍVEL DA CENTRALINA FUNDIDO


Se o fusível da CENTRALINA fundir, no monitor mostra-se a seguinte mensagem.
(1) Fusível da centralina fundido
a. Fusível 5A da centralina fundido:
No painel se mostra “ERROR TRANSMITION DATOS” nesta condição não se executa o programa da centralina.
Diagnóstico de falhas

1. MODO DE DIAGNÓSTICO DE FALHAS


O modo de diagnóstico de falhas é utilizado para localizar automaticamente as seções em que está o
problema para as falhas que não podem ser reveladas pela função do diagnóstico automático ( a falha
pode ser determinada pelo código de falhas), tais como os casos de desconexão e saída anormal.
1. Função
Existe dois tipos de modo de diagnóstico de falhas.
1) Modo de diagnóstico 1: Utilizado para o diagnóstico dos circuitos de descarga, bombas, translação
em linha reta e para o motor térmico.
2) Modo de diagnóstico 2: Utilizado para diagnóstico do circuito de servo comandos.
Em qualquer modo, com o implemento não operativo, ambas as válvulas seletoras e proporcional são
colocas automaticamente em ação, o sensor revela o estado da máquina e a centralina reconhece o
estado normal ou defeituoso do circuito.
2. Como se utiliza o diagrama de fluxo
as operações são efetuadas mediante o monitor.
Nº 1 Selecionar a página de seleção de ajustes para serviço de assistência.
(Girar a chave de partida para posição ON mantendo apertado ao mesmo tempo o interruptor de
parada de alarme e apertar três vezes o interruptor de seleção enquanto se mantém apertado o
interruptor de parada de alarme para acessar a página Nº 1 de diagnóstico de serviço).
Nº 2 Selecionar o modo de diagnóstico de falhas
(Mover o cursor até posição desejada utilizando os teclas de mudança de tela ” “ e a tecla
Seleção).
Nº 3 Selecionar "DIAG MODE 1" ou "DIAG MODE 2"
(Mover o cursor para a posição desejada utilizando as teclas de mudança de tela “ ”, e a tecla
Seleção).
Nº 4 Realizar as operações seguindo as instruções na tela do painel de instrumentos.
Diagnóstico de falhas

Como obter o diagnóstico na tela


Tecla para confirmar
Tecla para confirmar
Tecla para mudança de tela

Diagnóstico Mode 1

Continua
Diagnóstico de falhas

Notas:
1. Quando o modo de diagnóstico de falhas está em operação, abaixe os implementos e coloque a
caçamba no solo. Si a máquina está com defeito, o movimento involuntário da alavanca pode fazer
que se mova os implementos e causar acidentes fatais. Como não se pode determinar a posição da
caçamba, comece a usar o modo de diagnóstico de falhas somente após certificar-se de que a
mesma esteje no chão.
2. Antes de efetuar o modo de diagnóstico de falhas, verificar possíveis falhas dos sensores de
pressão das válvulas proporcional e de seleção.
Verificar se os comandos da válvula proporcional e da válvula seletora não diferem muito dos valores
das medições reais realizadas com base no diagnóstico de serviço.
A verificação preliminar do sistema elétrico poupa o tempo e permite um diagnóstico preciso.
3. Para os resultados de diagnóstico e para as ações corretivas a serem efetuadas, são tomadas
como exemplo as falhas sucedidas usualmente. Quando várias falhas acontecem ao mesmo tempo,
há um caso de discordância do diagnóstico obtido.
Neste caso, solicitar um concessionário / distribuidor.
4. quando o modo de diagnóstico de falhas está em execução, não se mostra na tela o aviso nem o
código derivado do auto-diagnóstico. Se for necessário, examine a presença da falha consultando o
histórico de falhas.
Diagnóstico de falhas

Busca de erros: Modo 2


Nº 4 MODO DIAGNÓSTICO 2

Coloque MODO
equipamento DIAG.2
sobre o solo ARRANQUE

Funcionar motor Exemplo:Levantar lança Quando terminar


Joystick na posição neutra A busca de falhas

Levantar lança Levantar lança


OK
Voltar ao n° 3
Pressão 0 bar Pressão 15 bar Pressão 30 bar
Funções a conferir
Levantar Escavação
Fechar Escavação No caso normal aparece
OK quando tira o
Giro Joystick de stall
Notas:
a Lança 1. Quando o modo de diagnóstico de falhas está em operação, abaixe os implementos e
Baixar a Lança coloque a
Fechar Caçamba caçamba no solo. Se a máquina está com defeito, o movimento involuntário da alavanca
Abrir Caçamba pode fazer
que se mova os implementos e causar acidentes fatais. Como não se pode determinar a
Abrir Translação Direita posição
Translação Esquerda da caçamba, comece a usar o modo de diagnóstico de falhas somente após certificar-se
Opcional do lado P1 de que
a mesma esteja no chão.
Opcional do lado P2 2. No caso de “DIAG MODE 2”, a pressão do sistema é descarregada pele válvula de descarga
para que os implementos não sejam operados.
Ao realizar o diagnóstico de falhas, se houver pressão no sistema, o motor pára e
“UN- LOAD PSV NG” é exibido na tela.
verifique a seção com problema de acordo com a indicação.
3. Durante a execução do modo de diagnóstico de falhas, o erro com auto-diagnóstico e o aviso
não aparecem.
Se for necessário, examine a presença do problema consultando o histórico de falhas.
Diagnóstico de falhas

Tabela 1 - Diagnóstico de falhas, Modo 1/Elemento de diagnóstico


No. Painel Descrição da busca de erros
Produz pressão normal, quando a vazão da bomba P1 é mímina e a válvula proporcional se encontra na posição de
1 1 P1 UNLOAD
emergência?
2 2 P1 UNLOAD Produz pressão normal, quando a vazão mínima da bomba P1 descarrega-se sem pressão no tanque?
Produz pressão normal, quando a válvula proporcional de descarga está completamente aberta e a vazão
3 3 P1 UNLOAD
da bomba P1 é mínima?
A pressão gerada na condição de que a válvula de descarga está em situação de emergência no lado P2 é normal, e a vazão é
4 1 P2 UNLOAD
mínima?
5 2 P2 UNLOAD A pressão gerada no lado da P2 é normal na condição de que a vazão é mínima?
6 3 P2 UNLOAD A pressão gerada com a válvula de descarga na condição de totalmente aberta, no lado P2 e a vazão é mínima?
7 1 P1 PUMP A pressão gerada no pórtico na válvula de descarga P1 na condição de emergência?
A pressão gerada na condição de que a válvula de descarga está em situação de emergência no lado P2 é normal, e a vazão é
8 2 P1 PUMP
mínima?
3 P1 PUMP
9 É gerada a pressão normal quando a válvula de descarga está na posição de emergência, e a vazão do lado de P1 é máxima?

É normal a pressão gerada na condição de que o débito no lado da P2 quando a válvula de descarga está na posição de
10 1 P2 PUMP
emergência?
11 2 P2 PUMP A pressão gerada no pórtico na válvula de descarga P2 na condição de emergência?
3 P2 PUMP
12 A pressão gerada com a válvula de descarga na condição de totalmente aberta é normal, no lado P1 e a vazão é mínima?

É normal a pressão gerada na condição do lado P1 e o débito é mínimo, na válvula de descarga de emergência e translação
13 1 TRAVEL-S
reta na posição do curso total?
É normal a pressão gerada na condição do lado P2 e o débito é mínimo, na válvula de descarga de emergência e translação
14 2 TRAVEL-S
reta na posição do curso total?
15 1 P1 ENGINE A rotação nominal do motor no lado P1 na condição de vazão aumenta pouco a pouco quando P1 lado débito é aliviado?
16 2 P2 ENGINE A rotação nominal do motor no lado P2 na condição de vazão aumenta pouco a pouco quando P1 lado débito é aliviado?
Diagnóstico de falhas

Tabela 2 - Diagnóstico de falhas, Modo 1/Diagnóstico e ações corretivas


Eliminar
Diagnóstico (Tela) Possível causa

Desconecção do sensor de pressão, curto circuito,


SENSOR CHECK Verifique cada sensor de pressão no
saída anormal
NG check list e substituí-lo se necessário

A pressão secundária é excessivamente alta contra o


comando Verifique a válvula proporcional de
P1 UN-LOAD PSV
descarga P1 e substitua se for
NG A pressão secundária é excessivamente baixa contra o necessário
comando
A pressão secundária é excessivamente alta contra o
comando Verifique a válvula proporcional de
P2 UN-LOAD PSV descarga P2 e substitua se for
NG A pressão secundária é excessivamente baixa contra o necessário
comando
P1 UN-LOAD SPOOL Curso preso no fim de curso Verifique o carretel da válvula
NG proporcional de descarga P1 e substitua
Curso preso no lado neutro se for necessário

Curso preso no fim de curso Verifique o carretel da válvula


P2 UN-LOAD SPOOL
proporcional de descarga P2 e substitua
NG Curso preso no lado neutro se for necessário

P1 BYPASS CUT Curso preso no lado fechado Verifique a válvula P1 by-pass cut P1 e
NG Curso preso no lado neutro substiua se necessário

P2 B-P CUT Curso preso no lado fechado Verifique a válvula P2 by-pass cut P2 e
NG Curso preso no lado neutro substiua se necessário

P1 PUMP PSV A pressão secundária é excessiva alta em relação ao comando Verifique a válvula proporciona da bomba
NG A pressão secundária é excessiva baixa em relação ao comando P1 e substitua se for necessário
Diagnóstico de falhas

Tabela 2 - Diagnóstico de falhas, Modo 1/Diagnóstico e ações corretivas

A taxa de entrega é excessivamente grande contra o comando. Verifique o regulador da bomba P1; ou substitua o
P1 PUMP
regulador se for necessário.
NG
A taxa de entrega é excessivamente pequena contra o comando. Verifiquea bomba P1 ou troque-a se necessário

A pressão secundária é excessivamente grande contra o comando.


P2 PUMP PSV Verifique a válvula prorcional da bpmba P2; ou
NG substitua se necessário
A pressão secundária é ecessivamente baixa contra o comamdo.

A taxa de entrega é excessivamente grande contra o comando.


Verifique o regulador da bomba P2 e substitua se
P2 PUMP
necessário
NG
A taxa de entrega é excessivamente pequena contra o comando. Verifiquea bomba P2 e troque-a se necessário

A pressão secundária é muito alta contra o comando


S-TRAVEL PSV Verifique a válva proporcional de translação em
NG A pressão secundária é muito baixa contra o comando linha reta e substitua se necessário

S-TRAVEL SPOOL Curso preso no lado do curso total Verifique o carretel da válva de translação em
NG linha reta e substitua se necessário
Curso preso no lado neutro
PUMP 1 PRESS. SENSOR Teste o sensor de alta pressão da bomba P1 e
A pressão é menor do que a real
NG substitua se necessário

PUMP 2 PRESS. SENSOR Teste o sensor de alta pressão da bomba P2 e


A pressão é menor do que a real
NG substitua se necessário

MAIN RELIEF O ajuste da pressão esta baixa Teste a válvula de controle principal e substitua se
NG O ajuste da pressão esta alta necessário

ENGINE
O sinal de saída diminuiu Teste o motor e substitua se necessário
NG

E/G R SENSOR Verifique o sensor de rpm e substitua se


O sensor está com defeito
NG necessário