Sie sind auf Seite 1von 22

Estudo da organização praxeológica do

diorama da Floresta Amazônica do


MZUSP
Juliana Bueno1,2 , Martha Marandino1

1 Universidade de São Paulo - USP


2 Secretaria de Estado da Educação de São Paulo - SEESP
Os museus:

• possuem papel educativo inquestionável


• produzem saberes que podem ser
acessíveis
• envolvem processos de transposição e
recontextualização de conhecimentos
(Martha Marandino, Marianne Mortensen, Guaraci Gouvêa,
Eilean Hooper-Greenhill, Adriano Oliveira)
São os dioramas objetos expositivos
potencialmente eficazes para ensinar conteúdos
de biodiversidade?

Como identificar as estratégias e os


conhecimentos existentes na Organização
Biológica divulgada, por meio de um diorama,
com a finalidade de ensinar aspectos sobre a
biodiversidade?
Metodologia

• Identificação da Organização Praxeológica do


diorama:
• modelagem dos conceitos existentes em
OB (L e P);
• caracterização da PI em teoria,
tecnologia, técnica, tarefa/tipo de tarefa
ORGANIZAÇÃO PRAXEOLÓGICA (OP)

ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA (OB)

LOGOS PRAXIS

Teoria Tecnologia Tarefa/Tipo de tarefa Técnica

Figura 1 – Fluxograma de uma Organização Praxeológica baseado em atividade de ensino em Ciências


Praxeologia Intencionada
Biológicas. Adaptado de Machado (2011).

5
Conhecimento Conhecimento Conhecimento Conhecimento
Biológico Biológico Biológico Biológico
Acadêmico a ser Divulgado Aprendido
(OB) Divulgado (OB’’) (OB’’’)
(OB’)

Organização
Didática/
Museográfica
(OM)
Exposição:
“Pesquisa em Zoologia: a Biodiversidade sob o olhar do zoólogo”

Módulo: Teoria
“Fauna
Neotropical e
Ambiente
Marinho" Aparato/ Conjunto
Tecnologia
Expositivo:
Diorama da
“Floresta Técnica
Amazônica"
Tarefa
Visão frontal do conjunto expositivo
"Floresta Amazônica" do MZUSP
DESCRIÇÃO DO DIORAMA

Descrição Plano posterior superior: dois troncos sem a copa, que descem até
Parcial o solo e deles saem cipós que se emaranham. Plano anterior:
troncos de árvores cortadas cobertos de trepadeiras e bromélia
com flor vermelha. Ao lado dela: sauim (Calliithix chrysolena)
segurando fruta alaranjada; abaixo: outro sauim (Saguinus
fusicollis), mais abaixo: macaco-de-cheiro (Saimiri boliviensis)
segurando um alimento marrom. Próximo ao solo: dois esquilos
(Sciurus spadiceus) sobre troncos cortados, um deles segurando
fruta amarelada. Solo: coberto por vegetação arbustiva de 20 a 30
cm de altura, com elevações, representando rochas ou raízes
expostas de plantas, com musgo em algumas regiões.

Quadro 1: Descrição parcial do diorama: “Floresta Amazônica” – MZUSP/SP.

(Oliveira, 2010)
Os dados oriundos da descrição e associados às
demais informações coletadas geraram a OB”:

Organização Biológica Divulgada (OB’’)


Logos A diversidade de espécies vegetais e animais da Floresta
Amazônica; As relações ecológicas inter e intraespecíficas
das espécies vegetais e animais que habitam a Floresta
Amazônica.
Práxis Compor um ambiente que mostre a diversidade de
espécies vegetais e animais e que revele as relações
ecológicas entre os seres vivos que habitam a Floresta
Amazônica.

Tabela 1: Organização Biológica Divulgada (OB’’) do diorama: “Floresta Amazônica” –


MZUSP/SP.
A modelagem da OB” deu base à identificação da

Praxeologia Intencionada
Teoria – conjuntos de conceitos e argumentos
Tecnologia – reflexão sobre o conceito e a
escolha da “técnica”
Tarefa – qualquer atividade humana (o “o que” se
pretende fazer)
Técnica – especifica uma maneira de executar a
tarefa (o “como fazer”)

11
Praxeologia Intencionada
3. Surgimento da
Tecnologia interpretação da Técnica:
Tecnologia

2. Interação/Relação
Técnica
com uma
Técnica

Tarefa 1. Identificação da Tarefa

(Achiam, 2013)
técnica: Observar no diorama, a vegetação
rasteira, arbustiva e arbórea que compõem a
Floresta Amazônica

tarefa: Identificar e observar os diferentes extratos


de vegetação da Floresta Amazônica
técnica: Identificar os organismos no desenho da legenda,
comparar com os organismos que estão expostos no
diorama e levantar suposição sobre causas e efeitos

tarefa: Discriminar a diversidade interespecífica


em sauim
técnica: Identificar os organismos, comparar os
organismos que estão expostos no diorama e
levantar suposição sobre causas e efeitos

tarefa: Reconhecer o Epifitismo


técnica: ler a legenda; identificar, na legenda, o nome
popular e científico dos organismos; observar o
diorama; relacionar o nome popular e científico aos
dois exemplares da mesma espécie de esquilos
taxidermizados e expostos no diorama; levantar
suposição de causa e efeito.
tarefa: Discriminar a diversidade intraespecífica
de esquilos
a Organização Praxeológica possibilitou
revelar
a qualidade interativa do diorama,
apesar de ser um objeto estático,
pois permitiu identificar
o “como" o visitante percebe
conteúdos conceituais representados no
objeto

(visualiza, identifica, reconhece, constata,


infere, …)
A Praxeologia pode ser aplicada, em várias
situações, como ferramenta para:

• revelar as diferentes potencialidades do diorama


como objeto de ensino e aprendizagem de
determinados conteúdos conceituais,

• desenvolver objetos expositivos que permitam ao


visitante: observar, nomear, identificar,
reconhecer, diferenciar, classificar, …, de maneira
que o visitante consiga levantar suposições sobre
os conceitos implícitos e explícitos no objeto
expositivo.