Sie sind auf Seite 1von 130

Segurança na

condução de
Munck
Apresentação
Agnaldo Cerqueira

Técnico em Segurança do Trabalho


Gestor Ambiental
Objetivo do Curso
Formar e Sensibilizar os operadores de
Guindauto quanto a necessidade de
neutralizar ao máximo a possibilidade
de provocar e prevenir acidentes.

 Adotandoprocedimentos de rotina
baseado nas normas de segurança.

 Cumprindo especificamente o que


disposto na NR-11 da Port. 3214/78
MTb.
Programa do Curso
Conteúdo do curso:
- Características Mecânicas e Hidráulicas
- Operações corretas e incorretas
- Ações Preventivas e segurança na operação
- Procedimentos e sinalização de segurança
- Segurança e legislação
- Manutenção
- Operação
LEGISLAÇÃO – NR-11
CLT
Legislação - NR-11
11.1.3. Os equipamentos utilizados na
movimentação de materiais, tais
guindastes, guinchos, serão calculados e
construídos de maneira que ofereçam as
como

necessárias garantias de resistência e segurança


?
e conservados em perfeitas condições de
trabalho (ART / NBR).

11.1.3.1 - Especial atenção será dada aos cabos


de aço, cordas, correntes, roldanas e ganchos
que deverão ser inspecionados,
permanentemente, substituindo-se as partes
defeituosas.
Legislação - NR-11
11.1.3.2 - Em todo o equipamento será indicado, em
lugar visível, a carga máxima de trabalho permitida.

11.1.3.3 - Para os equipamentos destinados à


movimentação do pessoal serão exigidas condições
especiais de segurança.

11.1.5 Nos equipamentos de transporte, com força


motriz própria, o operador deverá receber
treinamento específico, dado pela empresa, que o
habilitará nessa função.
Requisitos para habilitação
Para conduzir o guindaste o motorista deve estar habilitado na
categoria C, D ou E.
Código de Trânsito Brasileiro (CTB) Art. 143
III - Categoria C - condutor de veículo motorizado utilizado em
transporte de carga, cujo peso bruto total exceda a três mil e
quinhentos quilogramas;
IV - Categoria D - condutor de veículo motorizado no transporte de
passageiros, cuja lotação exceda a oito lugares, excluído o do
motorista;
V - Categoria E - condutor de combinação de veículos em que a
unidade tratora se enquadre nas categorias B, C ou D e cuja unidade
acoplada, reboque, semireboque ou articulada, tenha seis mil
quilogramas ou mais de peso bruto total ou cuja lotação exceda a oito
lugares ou ainda seja enquadrado na categoria trailer.
Legislação - NR-11
11.1.6. Os operadores de equipamentos de transporte
motorizado deverão ser habilitados e só poderão dirigir se
durante o horário de trabalho portarem um cartão de
identificação, com o nome e fotografia em lugar visível.

11.1.6.1. O cartão terá validade de 1 (um) ano, salvo


imprevisto, e, para a revalidação, o empregado deverá
passar por exame de saúde completo, por conta do
empregador.

11.1.7. Os equipamentos de transporte motorizados


deverão possuir um sinal de advertência sonora (buzina).
Legislação - NR-11

11.3.1. O peso do material armazenado não poderá


exceder a capacidade de carga calculada para o piso.

11.3.2. O material armazenado deverá ser disposto de


forma a evitar a obstrução de portas, equipamentos
contra incêndio, saídas de emergência, etc.

11.3.3. O material empilhado deverá ficar afastado


das estruturas laterais do prédio a uma distância de
pelo menos 0,50m (cinquenta centímetros).
Responsabilidade
Artigo 132 do código penal brasileiro
"Perigo para a vida ou saúde de outrem"
Artigo 132 - "Expor a vida ou a saúde de outrem a perigo
direto ou iminente: Pena - detenção de três meses a um ano
se o fato não constitui crime mais grave“ (A aplicação deste
artigo constitui verdadeira medida prática visando prevenir
a ocorrência de acidentes do trabalho).
Quando se fala em responsabilidade criminal, faz-se
necessária a distinção e a resultante de dolo ou culpa.
Deve necessariamente haver o nexo causal para atribuição
de responsabilidade. Não havendo nexo casual não há que
se cogitar de responsabilidade penal.
Operador?

Pessoa habilitada e treinada,


com conhecimento técnico e
funcional do equipamento.

É o responsável direto pela


segurança da operação,
pessoas e demais bens
inerentes a ela.
Princípios
de
Funcionamento
O que é um Guindauto?

É um conjunto mecânico
instalado em caminhões e
movido por circuito hidráulico
cujo acionamento é obtido
através de um sistema formado
por tomada de força, cardam e
bomba hidráulica.
Conceito
Maquina: todo o dispositivo mecânico ou orgânico que
executa ou ajuda no desempenho das tarefas precisando para
isso de uma fonte de energia, podendo ser automáticas e não
automáticas.

Maquinas não automáticas: São aquelas que precisam da


energia permanente do operador para executar o trabalho. Um
bom exemplo é uma furadeira manual, esta é uma maquina
manual ou não automática

Maquinas automáticas: São aquelas onde a energia provém de


uma fonte externa como energia elétrica, térmica, mecânica, etc.
Composição
Componentes – Divisão por partes
Componentes – Divisão por partes
Características Construtivas
Características Construtivas
Características Construtivas
Características Construtivas
Características Construtivas
Operação
Segura
Operação Segura
1 - O operador deverá ser treinado
e autorizado a operar o Munck.

2 - Deve estar ciente e praticar


as normas de segurança.

3 - Deve conhecer os
limites do equipamento.
Principais componentes do Munck
Tabela de Capacidades
Operação segura!

A verificação quanto à segurança, é


realizada pelo operador no começo
de cada serviço/turno, com a
conclusão da inspeção check-list
antes da partida.
Operação segura!
Antes de ligar o equipamento, o
operador deve checar:

 Nível de óleo do motor  Vazamentos


 Nível de óleo hidráulico  Danos visíveis
 Nível de óleo de freio  Pressão dos pneus
 Nível de combustível  Retrovisores
 Painel de luzes  Extintor
 Condições do Pneus  Cabos de aço
 Condições das alavancas  Água da bateria
 Identificação nos comandos
Operação Segura
Inspeção Funcional
Antes de iniciar o turno deve-se
checar:

 Buzina  Alerta sonoro de marcha-ré


 Faróis e lanternas  Iluminação auxiliar
 Freios  Cinto de Segurança
 Controles hidráulicos  Embreagem
 Direção  Combustível Suficiente
 Controles de transmissão
Operação segura!

 Ajuste o assento e retrovisores à sua


estrutura antes de movimentar seu
veículo;

 Utilize sempre os EPI’s indicados


(básicos: óculos, protetor auditivo,
calçado de segurança, capacete e
luvas);

 Comunique a existência de situações de


riscos, mesmo que fora de sua área de
atuação.
Atividade - 1

Jogo dos 7 erros


Segurança na Condução
Para operar o munck, deve-se acionar os comandos com
suavidade, evitando movimentos bruscos prejudicando a
durabilidade e eficiência do equipamento.

Durante as manobras, o operador deve evitar conduzir a carga


em posições que oferecem perigo à sua integridade física e à de
outras pessoas perto e/ou envolvidas no trabalho.

Acione a alavanca
de comando
certifique-se da
abertura total do
estabilizador.
Controle do Estabilizador

As alavancas de controle das extensões das


sapatas:
Dianteira direita e esquerda - Traseiras direita e
esquerda
Acione a alavanca de comando para a posição estender,
certifique-se da abertura total do estabilizador. Para
recolher efetue a operação inversa.
Controle apoio das Sapata

Dianteira direita e esquerda - traseiras


direita e esquerda

Acione as alavancas de comando para a


posição (baixar), verifique o nível do
equipamento, com os pneus suspensos do
solo. Para recolher efetue a operação inversa.
Controle da Sapata
É imprescindível que se efetue as operações de baixar e
levantar as sapatas conjuntamente para que não
aconteçam danos ao veículo.
As sapatas devem ser sempre recolhidas, mesmo para
pequenos deslocamentos na área de movimentação da
carga com o veículo.
Procure e posicione o equipamento sobre um terreno
firme e plano, para evitar desestabilização durante a
operação.
As sapatas devem ser calçadas com madeira íntegra,
para aumento da estabilidade / sustentação.
Controle da Sapata
Distâncias até as valas de fundação
A máquina deve ser montada de tal forma que não afete a parede da vala
(talude, etc.).

Vale como valor de orientação:

Profundidade da vala = distância entre a borda de apoio da vala


Controle da Braço/Lança

De extensão das lanças I, II, III, IV, de inclinação


do braço posterior e de elevação do braço anterior

Acione a alavanca de comando para a posição


correspondente ao movimento, até a posição
desejada. Para cessar o movimento, basta soltar a
alavanca ela retomar a posição de "NEUTRO".
Para recolher efetue a operação inversa.
Controle do Giro
Acione a alavanca de comando para a posição frente do veículo,
neste movimento o conjunto lança fará a rotação no sentido
horário, estando o operador do lado esquerdo do veículo, para
fazer o conjunto girar no sentido anti-horário efetue a operação
inversa, empurre a alavanca no sentido da traseira do veículo.
Atenção: Nestas operações observar sempre o lado em que se
encontra o operador no movimento de acionamento da alavanca.
No início e no final da operação movimente a alavanca
lentamente.
Verifique sempre o espaço livre de trabalho ao redor, e se as
sapatas estão estendidas corretamente.
Operação Segura
Somente operadores treinados e qualificados devem operar
equipamento.
Antes de iniciar o serviço efetuar a inspeção local.
O operador deve prever sempre movimento de pessoas e
veículos a seu redor.
O levante de pessoas só é permitido se forem plataformas
construídas para este fim.
Nunca deixe pessoas passarem debaixo da carga, se possível,
isole a área.
Observar cuidadosamente o espaço livre e movimentar
suavemente o equipamento.
Operação Segura
Observar a carga antes de operar.
Cuidados especiais com cargas instáveis, sujeito à queda.
Cuidado com as cargas compridas, evitar bater no equipamento.
Abaixar a carga suavemente, colocar pontaletes debaixo da mesma.
Não provocar situações embaraçosas e perigosas.
Não fumar enquanto operando o equipamento ou abastecendo.
Não permitir brincadeiras em volta do guindaste.
Considerar sempre o tipo de material a ser movimentado.
Verificar sempre o peso e o volume da carga e a capacidade dos
acessórios.
Operação Segura
Comunicar imediatamente ao superior os defeitos verificados.
Verificação dos níveis de óleo, estacionar/ deixar em lugar plano.
Encher o tanque de combustível sempre antes de iniciar o serviço.
Quando estiver operando, observar sempre o painel de instrumentos.
Nunca transportar pessoas junto à carga, qualquer que seja o motivo
alegado.
Não deixar estopas, panos com resíduos de óleo ou graxa em cima
do equipamento.
Observar todos os regulamentos e sinalização de trânsito interno da
empresa.
Operação Segura
Sempre que for operar o guindaste, usar os EPI's.
Nunca colocar ou deixar o equipamento em movimento afastado dele.
Ao dirigir permanecer a uma distância de três vezes do veículo da frente.
Nunca puxe, arraste ou levante qualquer carga colocada na lateral.
Evite movimentos bruscos que possa prejudicar a estabilidade.
Atenção especial aos movimentos das lanças, da carga e da parte traseira
da máquina.
Quando movimentar uma carga, mantenha-a o mais próximo do
equipamento e do chão.
Sempre que estiver dirigindo sem carga, prenda o gancho para evitar
acidentes.
Operação Segura
Ao afastar-se, desligue o motor, engate uma marcha, baixe a carga, acione
o freio de mão e calce as rodas.
Antes de elevar a carga, verifique o nível da máquina, apoio das sapatas e
as travas.
Chuva, raio, neblina, ventos fortes, etc. suspenda a operação, é uma
condição insegura.
Mantenha uma distância segura entre as linhas elétricas (recomendado
pela AES de 03 metros).
Gire o equipamento duas vezes por semana até o fim do curso, nos dois
sentidos, para manter a lubrificação do sistema de giro.
Devem no mínimo possuir 04 cones de sinalização para isolamento
O melhor operador é aquele que respeita cuidadosamente as
normas de segurança.
Manutenção Preventiva

 Bicos e Injetoras
 Elevação
 Cabos e mangueiras
 Sistema hidráulico
 Freios
 Elétrica em geral
 Sistema de Ignição
Princípio de funcionamento

Fatores de Estabilidade:

 Distância da carga;
 Peso da carga;
 Estabilidade do munck (patolagem);
 Habilidade em movimentação.
Nivelamento do Equipamento
 Posicione o equipamento observando as condições do terreno.
 Funcionar o motor, freio de estacionamento, câmbio em neutro.
 Observar a pressão de ar dos reservatórios lâmpada piloto
apagada.
 Ligar a tomada de força usando a embreagem.
 Retirar os pinos de segurança das sapatas (4 pinos).
 Acionar as extensões horizontais, duas por vez.
 Acionar as sapatas verticais só apoiar no chão com os calços do
equipamento.
 Nivelar aos poucos sem forçar o sistema. Duas sapatas por vez e
1ª a frente. Travar as sapatas.
Ações Preventivas
Procedimentos
APR
Inspeção de Segurança
Demais Itens
e
Acessórios
Cabos de Aço
É componente de vital importância ao funcionamento
e a segurança operacional.

Oferece um grande risco,


quando não se cumpre
rigorosamente com as suas
inspeções periódicas pela
manutenção e a operação.
Inspeção do cabo

1 - DETERMINAÇÃO DO TRECHO CRITICO;


2 - MEDIDA DO DIÂMETRO;
3 - VERIFICAÇÃO DO NÚMERO DE FIOS PARTIDOS;
4 - VERIFICAÇÃO DO DESGASTE POR ABRASÃO NOS
ARAMES EXTERNOS;
5 - VERIFICAÇÃO DE CORROSÃO;
6 - VERIFICAÇÃO DE DEFORMAÇÕES OU AMASSAMENTOS
AO LONGO DO CABO.
Inspeção do cabo
Anotar o número de arames rompidos em 1 e 5 passos do cabo.

São graves, obrigando a substituição imediata dos cabos.


Inspeção do cabo
Inspeção do cabo
Acessórios - Içamento
Acessórios - Içamento
Acessórios - Içamento
Acessórios - Içamento
Acessórios - Içamento
Acessórios – Içamento - Lingas
Cintas de Segurança
Içamento
Segurança

Fator de Segurança - FS

É a relação entre o limite de carga de


trabalho especificado e a carga de
ruptura mínima da cinta
Estropagem de Peças

Tipos de Engate
Engate Simples

Engate Duplo
Estropagem de Peças

Engate Duplo em Ângulo


Estropagem de Peças

Engate - Forca
Estropagem de Peças

Engate - Cesto Simples


Estropagem de Peças

Engate - Cesto Duplo


Estropagem de Peças

Tipos de Engate - Cintas

Cesto duplo Em ângulo

Vertical simples
Estropagem de Peças

Gancho

Certo Errado
Estropagem de Peças

Patola
Estropagem de Peças

Parafuso – Argola
Estropagem de Peças

Manilha

A manilha pode girar livremente


Estropagem de Peças
O modo errado de monta a manilha está indicado na figura abaixo.
Nós e Amarras Lais de guia (usado para formar
uma laçada que não corre)

Nó direito (usado para emendar cordas)

Nó carioca (usado para amarrar


carga com firmeza)
Nó Porco ou Volta do Fiel
Filme

Movimentação de Cargas
E.P.I.
Equipamento de Proteção Individual

> Usarapenas para a finalidade a que se


destina;
Obrigações
> Responsabilizar por sua guarda e
dos Empregados conservação;
> Comunicar ao empregador qualquer
alteração que o torne impróprio para o
uso;
Equipamento De Proteção Individual -
EPI
Proteção dos olhos e face
 Óculos:
Proteção contra
partículas , luz
intensa , radiação ,
respingos de
produtos químicos;
 Protetor facial:
Proteção do rosto
Proteção da pele
 Proteção da pele contra a ação de produtos
químicos em geral:

 Grupo 1 - creme água resistente


 Grupo 2 - creme óleo resistente
 Grupo 3 - cremes especiais
Proteção dos membros
superiores
 Luvas de proteção
 Mangas
 Mangotes
 Dedeiras

Proteção de mãos , dedos e braços de


riscos mecânicos , térmicos e químicos
E. P. I.
Luvas de raspas

VANTAGENS
•Proteção contra abrasivos;
•Resistência contra impactos ;
•Resistência contra cortes.

DESVANTAGENS
• Diminuição de tato;
• Restrição de movimentos;

• Falta de tato e estereognosia (identificar algo/ sensibilidade)


E. P. I.
Luvas de vaqueta

VANTAGENS
•Boa maleabilidade e resistência a
abrasão.

DESVANTAGENS
•Pouca resistência a perfurantes.
Proteção membros inferiores

 Calçados de
segurança
 Botas e botinas
Proteção de pés ,
dedos dos pés e
pernas
contra riscos de
origem térmica ,
umidade , produtos
químicos , quedas
Proteção contra quedas

 Cintos de segurança
Tipo páraquedista e
com talabarte;
 Trava quedas;
 Cadeiras suspensas.
 Uso em trabalhos
acima de 2 metros
SINALIZAÇÃO
Sinalização
Sinalização
Sinalização
Sinalização
Sinalização
Sinalização
Sinalização
Operação Segura
Abastecimento do Veículo (líquido)
 Não fumar, acender fósforo ou usar qualquer tipo
de material que produzir chama ou faísca durante o
abastecimento;
 Conserve o motor desligado. O bico da mangueira
deve ficar em contato direto com a boca do tanque;
 Verifique a tampa do tanque, esta deverá estar em
boas condições;
 Lave quaisquer respingos de combustível antes de
pôr o motor em funcionamento
Regras Gerais
Durante seu turno, ao perceber qualquer
irregularidade encoste o equipamento para que seja
reparado imediatamente (se não for possível
movimentá-lo, sinalize e não deixe a chave na
ignição);
Regras Gerais
 Se em algum momento o equipamento estiver
falhando ou se houver motivo para considerá-lo
inseguro, suspenda as operações e informe
imediatamente a supervisão;

 Dirija a uma velocidade compatível com as


condições existentes. Diminua a velocidade em
superfícies molhadas ou escorregadias;
Regras Gerais
 Não passe por cima de objetos deixados no
chão. Se for possível pare e remova os
obstáculos antes de seguir viagem;

 Certifique-se de que há espaço suficiente para


levantar e manobrar a carga, preste atenção
ao patrimônio da empresa!
Regras Gerais

 Faça um teste na carga, erguendo-a um


pouco, se ela inclinar para o lado, abaixe-a e
mude a posição para melhor balanceamento;

 Não passe a carga sobre as pessoas e não


permita que passem sob as cargas ou
permaneçam nas proximidades;

Tenha especial cuidado ao elevar ou posicionar


carga muito próxima a empilhamentos, a fim de
evitar batidas e tombamentos;
Regras Gerais
 Verifique o peso da carga. Se não estiver
identificado, pergunte ao supervisor ou a quem
possa informar.

 Com o tempo a experiência lhe mostrará como


estimar os pesos.

 Cargas instáveis (cumpridas) – devem ser


cuidadosamente arrumadas, bem fixadas antes de
serem elevadas!

 Assegure-se que a carga está centralizada antes de


levantá-la – uma carga instável é perigosa!
Regras Gerais
 Não arraste a carga sobre o piso, muito menos a
empurre;

 Conheça os limites de resistência do piso da


área onde estiver operando;

 Evite levantar material solto, este deverá ser


transportado em recipiente próprio com proteção
lateral;
Regras Gerais

 Nunca tente movimentar cargas em


excesso ou acrescentar mais contrapeso;

 Não obstrua a passagem das pessoas ou


equipamentos de incêndio;
Regras Gerais
 Quando não mais houver trabalho com o munck, o
mesmo deve ser estacionada em local adequado,
ter o freio de mão acionado e os controles em
ponto neutro, a fim de evitar acidentes;

 Excepcionalmente, os veículos poderão ser


usados para elevar pessoas. Nunca eleve
ninguém sem o uso de um sistema adequado e
seguro (gaiola/ guarda-corpo).

OBS.: Procure estacionar em local plano. Se por motivo


maior estacionar em terreno acidentado, calce as rodas e
deixe-a engrenada.
Regras Gerais

 Obedeça a todos as demarcações,


sinalizações, emita sinais de alerta
quando necessário;

 Olhe sempre na direção do percurso e


mantenha uma visão clara, nunca
desvie sua visão enquanto movimenta
o munck;
Regras Gerais

Não brinque com


pedestres !!!!
Não coloque ninguém em risco, não vá com
a carga em direção a alguém que esteja
trabalhando perto de uma parede ou outro
objeto fixo – pode não haver nenhuma
maneira da pessoa escapar;
Içamento de Cargas

 Assegurar-se de que o peso da carga está


dentro da capacidade do veículo;
 Aproxime-se de frente para a carga (30 cm);
 Aos poucos ajuste a abertura da lança;
 Centralize a carga;
 Verifique a capacidade do acessórios de
içamento;
 Verifique inclinação e estabilidade;
 Levante a carga suavemente;
Empilhamento
Observe
 O local de assentamento da carga;
 O alinhamento e disposição das demais pilhas,
demarcações de corredor, faixas, etc;
 Aproxime-se devagar pare antes uns “30 cm”
do local de empilhamento com a carga, sempre
com a carga rente ao piso;
 Quando a carga estiver posicionada, Avançar
a carga, tomando cuidado para não deslocar
cargas das pilhas adjacentes;
Observação Importante
Situação de Emergência
 Ao ouvir alarme de incêndio, pare a operação e se
possível estacione o veículo em local seguro,
deixando a passagem livre;
 Não obstrua os equipamentos de emergência, tais
como hidrantes, extintores, macas e corredores;
 Conheça o manejo dos extintores de incêndio;
 Nos casos de princípio de incêndio no veículo, peça
ajuda e inicie o combate às chamas utilizando o
extintor próprio ou outro adequado (pó ou CO2 );
 Evite incêndios, não fume em operação.
Observação Importante

Consequências de uma operação ERRADA

Danos gerais no sistema de giro do munck Guindauto com


reflexos ao chassis.
Abalos gerais tanto no sistema de ligação, braço e lança do
Guindauto.
Torção da coluna e abalos generalizados no sistema de giro e
possível torção do chassis do veículo.
Estragos generalizados dos componentes hidráulicos.
Possibilidade de ruptura do sistema de lança e extensão de
lança.
Recomendações
 Colocar o veículo em posição favorável à carga e
descarga, evitando desta maneira o arrasto do
material;

 Em casos em que isso é impossível, operações


simultâneas de levantamento e aproximação devem
ser efetuados até que a carga esteja próxima ao
veículo;

 No levantamento de cargas elevadas, recomenda-se


a utilização do guindauto com lança recolhida,
mesmo que a carga esteja bem próxima da coluna
Manutenção
Manutenção

 Durante a manutenção, não permita que pessoas sem


autorização fiquem perto do veículo.

 Tenha cuidado na inspeção , principalmente com a


correia do ventilador durante o funcionamento do
motor.

 Deverá ser somente reabastecido nos pontos pré


estabelecidos para reabastecimento.

 Não ascenda fogo perto de baterias quando estão


sendo carregadas. Nesta altura liberam-se gases
explosivos.
Recomendações

 Executar sempre a manutenção preventiva


 Deve ser desenvolvido um cronograma de
manutenção preventiva, diária, semanais, mensais e
semestrais.
 Verificação das condições de conservação das
mangueiras e terminais do sistema hidráulico;
 Verificação geral de todas as partes mecânicas que
compõem o guindauto.
Recomendações
Cuidados Mensais
Reaperto geral dos parafusos, atenção aos parafusos
que compõem o cardam que liga a tomada de força à
bomba, as porcas dos grampos de fixação do munck e
as próximas ao cilindro de giro.
Cuidados semestrais
Verificação viscosidade do óleo. Estando esta fora de
sua especificação normal, trocá-lo;
Limpeza do reservatório de óleo e do filtro.
Tombamento
Atividade - 2

Incidentes
Incidente - 1
Incidente - 2
Incidente - 3
Incidente - 4
Incidente - 5
Incidente - 6
Incidentes
Incidentes
Incidentes
Incidentes
Acidentes Fatais
Acidentes Fatais
FINALMENTE
Ao fim deste programa de treinamento,
você está apto a desenvolver as atividades
pertinentes ao uso de empilhadeiras, mas
não se esqueça que nossos atos são
importantes em um conjunto de ações, e
resultam em benefícios mútuos
(empresa/colaborador), portanto, seja
prudente em suas tarefas,
VOCÊ É RESPONSÁVEL • SUCESSO!

“A SEGURANÇA SÓ EXISTE
QUANDO É PRATICADA”