Sie sind auf Seite 1von 12

Introdução à Hermenêutica

1. A hermenêutica é uma área de estudos


que discute os princípios mais eficientes
para a interpretação de um texto. Trata-se
de um conjunto de teorias sobre o modo de
interpretação. A prática de um tipo de
hermenêutica é a exegese. Esta é o
exercício de explicação do sentido do texto.
A hermenêutica é o estudo sobre os princípios e
o método de interpretar textos. O texto permite
várias interpretações, mas ele estabelece por si
um limite entre aquilo que se pode dizer dele e
aquilo que não se pode dizer. Quanto mais o
leitor se dispuser de instrumentos adequados,
melhor será sua compreensão do texto.
Enquanto a ciência geral da interpretação é a
hermenêutica, a exegese é o exame do texto
bíblico.
I - MÉTODO HISTÓRICO-
CRÍTICO
1. A compreensão de que os relatos
miraculosos e mágicos que aparecem no
texto bíblico não podem ser tomados como
fatos históricos.
2. Admitir que o texto bíblico contém erros. O
olhar dogmático sobre o texto vicia a leitura e
a interpretação, uma vez que não se admitem
as características humanas e culturais do
texto.
3. A reconstituição dos fatos que estão em torno
de cada texto e cada leitura.
4. A dissociação entre Antigo Testamento e
Novo Testamento é uma característica distintiva
do método histórico-crítico.
5. O emprego do método histórico-crítico busca
um texto que se aproxime mais do original. Pela
crítica textual, percorre-se a trajetória de
transmissão do texto e o entendimento do
processo de formação do texto.
II - MÉTODO DE ANÁLISE
SEMIÓTICA
1. O método baseado na semiótica se divide em
três passos. O primeiro passo é a sintática.
Ele é o estudo dos sinais linguísticos do texto
e suas combinações.
2. O segundo passo é a semântica e ela diz
respeito à análise do sentido de um texto ou
de uma perícope.
3. O terceiro passo é a pragmática. É a
verificação da relação entre texto e leitor e a
influência que ele tem sobre quem lê.
4. A análise sintática diz respeito à seleção de
palavras utilizadas no texto. O autor não utiliza
todas as palavras de uma língua. O vocabulário
indica o tema central e as formas gramaticais
escolhidas indicam o tipo de comunicação
pretendida. Os conectivos são partículas
importantes porque mostram a relação entre as
frases.
5. As conjunções mais importantes do Novo
Testamento são kai, de, gar e alla. Juntamente
com o léxico estão o estilo e a estrutura da
composição textual. O estilo envolve as figuras
retóricas como personificação, ironia, metáfora,
hipérbole e alegoria. A estrutura do texto
também é importante. Existem composições
com repetições, inclusão e quiasmo.
6. A análise semântica envolve aquele momento
de se perguntar ao texto: Qual é o significado do
que foi lido? Um dos recursos de identificação
do significado é a realização de um inventário
dos vocábulos afins. Os eixos temáticos formam
uma rede de significados. Aconselha-se
identificar os eixos semânticos mais importantes
apenas. Elaborar uma estatística dos vocábulos é
importante para verificar as expressões e
vocábulos que ocorrem com mais frequência.
todo o texto.
7. A análise pragmática finaliza o processo de
interpretação. Ela pretende questionar os limites
de compreensão do texto. Neste passo, o
intérprete traz o texto para o seu tempo. Ele o
traz para uma aplicação prática para uma
situação específica.