Sie sind auf Seite 1von 19

Época Justinianeia

p trabalho

à Localização Temporal e Histórica


à Regime politico
à Corpus Iuris Civilis ± composição
à Actualização
à Divisão e Estrutura da obra
à Interpolações
à Direito Romano após a queda de Roma
à Conclusão
pbjectivo

à Perceber a importância da obra de


Justiniano

à Compreender a estrutura e a divisão da obra


Localização Temporal e
Histórica

à Decorre entre 530 e 565


à Época priental ± classicismo e helenização
à Inicio da compilação das constituições
imperiais vigentes
à 529 ± Nouus Iustinianus Codex
à 534 ± Substituição do Código (Código novo)
p Poder Político

à p chefe supremo do Império era o Imperador.


Ele era escolhido pelo povo, pelo Senado e
pelo exército.
à Poder político não hereditário - o imperador
costumava indicar o seu sucessor.
à p Imperador era considerado o representante
de Deus na Terra e detinha o poder político,
social, económico e religioso.
Corpus Iuris Civilis
à Generalização, actualização e compilação do
Direito na sua forma Clássica
à Reúne num só corpo, sem misturar, os R  e
, mas com eficácia jurídica
à Reúne muitas fontes: leis propriamente ditas,
consulta senatoriais, decretos imperiais, lei das
sentenças e opiniões e interpretações dos
juristas
Corpus Iuris Civilis - composição
à ! 
   — 50 livros divididos em
títulos, em fragmentos e em parágrafos
à Compilação de fragmentos de jurisconsultos
clássicos
à pbra mais completa do Código
à Compilação de e de R 
à Súmula do Direito Romano ± inovações úteis
misturadas com decisões clássicas
Corpus Iuris Civilis - composição
à R
   ± 4 livros divididos em títulos e em
parágrafos
à -anual escolar elaborado Triboniano, Doroteu e
Teófilo
à Publicadas, aprovadas e entraram em vigor em 533
à -ais simples e mais teóricas que o Digesto
à Noções gerais, definições, classificações e
controvérsias
à Distribui as matérias em 3 grupos: pessoas, coisas
e acções
Corpus Iuris Civilis - composição

à á  ± 12 livros divididos em títulos e estes


em leis ordenadas cronologicamente

à Compilação de leis desde Adriano até


Justiniano

à Força de Lei em 534 ± Constituição CpRDI


Corpus Iuris Civilis - composição
à þ  ± constituições imperiais promulgadas
depois do á 
à A compilação, especialmente o Código
continha a proibição de se invocar qualquer
regra nela não prevista
à Justiniano editou novas constituições com
impacto na legislação ± (Nouellae) Novelas,
Autênticas ou Plácida.
à Quarto volume da codificação Justinianeia
Actualização do Código

à Revisão do Código de 528, revogado pelo de


534
à Surge pelas contradições entre o Nouus
Iustinianus Codex e as Pandectas
à Harmonizado com novas normas expedidas
durante o curso dos trabalhos
à Em vigor no fim de Dezembro de 534
Divisão e Estrutura da pbra

Divide-se em 4 partes:
à Institutas (manual)
à Digesto ou Pandectas (compilação dos iura)
à Código (compilação das leges)
à Novelas (constituições promulgadas por
Justiniano depois de 535)
Interpolações

à Substituições, supressões ou acréscimos nos


fragmentos dos jurisconsultos clássicos ou nas
constituições imperiais antigas, efectuadas
pelos compiladores
à Distinguem-se os glosemas ± erros dos
copistas
Direito Romano após a queda
de Roma

à Corpus Iuris Civilis ± base da prática jurídica


no império ao longo da história bizantina

à Inicio do séc. VIII, novo código ± Ecloga

à Séc. IX ± tradução combinada do Código e do


Digesto de Justiniano para o grego - Basilica
Conclusão - Resumo

à pbra de síntese e de fixação de um direito


desagregado e disperso
à Divulga o pensamento dos jurista clássicos
à Sistema jurídico evoluído
à Separa o direito civil do direito pretoriano
à Proibição de comentários à sua obra, sinónimo
de traição.
Conclusão - Resumo

à
 
  á  



à Ninguém é forçado a defender uma causa contra a própria vontade.


à Ninguém sofrerá penalidade pelo que pensa.
à Ninguém pode ser retirado à força de sua própria casa.
à Nada que não se permita ao acusado deve ser permitido ao acusador.
à p encargo da prova fica com aquele que afirma e não com o que nega.
à Um pai não pode ser testemunha competente contra um filho, nem um
filho contra o pai.
à A gravidade de uma ofensa passada não aumenta a do facto exposto.
à Na aplicação de penalidades, deve ser levada em conta a idade e a
inexperiência da parte culpada.
Fim

pbrigado pela v/atenção