Sie sind auf Seite 1von 22

Introdução à

Linguística
Professora-coordenadora: Maria Silvana Militão de Alencar
Professora-tutora: Ana Patrícia Nascimento Moreira
Tipos de gramática
Conjunto de regras
que devem ser seguidas que são seguidas que o falante
domina
Falar e escrever Descrever e explicar as Hipóteses sobre o
corretamente línguas tais como conhecimento que
são faladas habilitam o falante
Livros didáticos a reconhecer e
Nos manuais de produzir formas em
Variante Padrão universidade sua língua

Prescritiva Diversas variantes Interna

Descritiva
Possenti (2000)
 Relembremos primeiro que as habilidades de raciocínio, de
observação, de formulação e testagem de hipóteses – em uma
palavra, de independência de pensamento – são um pré-requisito
à formação de indivíduos capazes de aprender por si mesmos,
criticar o que aprendem e criar conhecimento novo [...] e é nesse
setor que nosso sistema educacional se tem mostrado
particularmente falho: se há algo que nossos alunos em geral
não desenvolvem durante sua vida escolar é exatamente a
independência de pensamento. O estudante brasileiro (e, muitas
vezes, também o professor) é tipicamente dependente, submisso
à autoridade acadêmica, convencido de que a verdade se
encontra, pronta e acabada, nos livros e na cabeça das
sumidades. Daí, em parte, a perniciosa ideia de que educação é
antes de tudo transmissão de conhecimento – quando deverá
ser, em primeiro lugar, procura de conhecimento e
desenvolvimento de habilidades.
Pré-saussurianos
Grécia
Platão
Arbitrariedade do signo versus Naturalidade
do signo(Hermógenes e Crátilo)
Aristóteles
 Nascimento da Filologia
 Surgimento da Gramática
Pré-saussurianos
Aristóteles: letra, sílaba, conectivo,
articulação, nome, verbo, flexão e
frase
Roma
Incorporação romana das classificações gramaticais
gregas
Renascimento
Estudo das línguas desconhecidas
Método Comparativo (Humbolt)
Gramática Comparada (Franz Boop)
Leis de Grim
Orientação Naturalista acerca do surgimento das
línguas (Scheleider)
 Neogramáticos
1. Puseram em perspectiva histórica os
resultados da comparação
2. A língua passou a ser vista como produto do
espírito coletivo dos grupos linguísticos e não
como um organismo vivo que se desenvolve
por si
 O que é a linguística?
É a ciência da linguagem, ou mais especificamente, a ciências das línguas
naturais.
 O legado de Saussure
O fenômeno linguístico apresente perpetuamente duas faces que se
correspondem e uma não vale sem a outra:
O articulação vocal e a imagem acústica
A unidade complexa acústico-vocal e a ideia
O caráter individual e social da língua

 A língua como instrumento para as diversas ciências: psicologia, antropologia,


gramática normativa, Filologia, etc.

"É necessário colocar-se primeiramente no terreno da língua e tomá-la como norma de todas as
outras manifestações da linguagem".
A Língua
A Língua

 Um produto social da faculdade da linguagem e um


conjunto de conveções necessárias, adotadas pelo
corpo social para permitir o exercício dessa faculdade
nos indivíduos.
 É a parte social da linguagem (coletiva)
 É um objeto autônomo
 É abstrata
A linguística hoje
A linguística hoje (micro e macro
linguística)
Herança de Saussure
 A língua é uma instituição social
 A língua como sistema autônomo
 A língua é abstrata
 A língua muda com o tempo
 A língua pode ser estudada em si e por
si mesma
Linguagem, língua, fala e discurso
Língua e Fala
 Com o separar a língua da fala, separa-se ao
mesmo tempo:
1.O que é social do que é individual;
2.O que é essencial do que é acessório e mais ou
menos acidental;

Ex.: s final de cariocas e cearenses, [ ʃ ] e [s], são


lidos na língua como um único fonema:/s/.
"A língua não constitui uma função do falante, ela é o
produto que o falante registra passivamente; não supõe
jamais premeditação. A fala é, ao contrário, um ato
individual de vontade e de inteligência, no qual convém
distinguir:

a. as combinações pelas quais o falante realiza o código da


língua a fim de exprimir seu pensamento pessoal
b. O mecanismo psico-físico que lhe permite exteriorizar essas
combinações"
Definição de fala (Saussure):

Língua versus Fala


Entre a língua e a fala há a
norma (Coseriu)
 O fenômeno da norma nos
diversos níveis
Fonético: [d͡ʒica] [dica]
[maɽ] [max]
Vocalização do [lh]: muié, cuié
Morfológico: Fórfi – Fósforo
Lexical: bicha (Portugal) fila (Brasil)
rapariga (Portugal) moça (Brasil)
tangerina - mixirica
Sintático: Conjugação do tu com o verbo na terceira ou
segunda pessoa (Ceará e Belém)
Discurso
Do ponto de vista pragmático, discurso refere ao modo como os
significados
são atribuídos e trocados por interlocutores em situações reais. Num
discurso
os enunciados são compreendidos por meio de referência a um conjunto
particular de ideias, valores ou convenções que existem fora das palavras
trocadas.

 A noção de discurso engloba vários fatores:

Manifestação real da língua


Pressuposição de um sujeito
Evento de comunicação no qual há uma sistematização de ideias e de
valores
Exercício de aplicação

A vida da língua: Leandro Karnal