Sie sind auf Seite 1von 31

OFICINA DE TEXTO

PRODUÇÃO DE TEXTOS ACADÊMICOS:

FUNÇÕES DO TEXTO E DA LINGUAGEM.

A COMPREENSÃO E PRODUÇÃO DO TEXTO COMO


PRÁTICA INTERDISCIPLINAR.

TEXTUALIDADE, COERÊNCIA E COESÃO TEXTUAL.

REDAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA.


ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO

emissor - emite, codifica a mensagem


receptor - recebe, decodifica a mensagem
mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor
código - conjunto de signos usado na transmissão e
recepção da mensagem
referente - contexto relacionado a emissor e
receptor
canal - meio pelo qual circula a mensagem
Obs.: as atitudes e reações dos comunicantes são
também referentes e exercem influência sobre a
comunicação
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

Roman Jakobson, lingüista russo, elaborou estudos


acerca das funções da linguagem e caracterizou-
as em seis, cada uma delas estreitamente ligada a aos
elementos que compõem o ato de comunicação.
FUNÇÕES DA LINGUAGEM
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

FUNÇÃO REFERENCIAL:
 O referente é o objeto ou situação (tema) de que a
mensagem trata. A função referencial privilegia o referente
da mensagem, transmitindo informações objetivas sobre
ele. Valoriza-se , assim, o objeto ou a situação de que trata
mensagem, sem que haja manifestações pessoais ou
persuasivas. O emissor procura oferecer informações da
realidade.
 Mensagem objetiva, direta, denotativa, prevalecendo a 3ª
pessoa do singular.
 Exemplos: textos jornalísticos, acadêmicos.
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

FUNÇÃO EMOTIVA OU EXPRESSIVA


Por meio dessa função, o emissor imprime no texto
as marcas de sua atitude pessoal: emoções, opiniões,
avaliações. Podemos sentir no texto a presença do
emissor (clara ou sutil).

Exemplos: cartas pessoais, resenhas críticas, poesia


confessional, canções sentimentais que predominam
essa função.
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

FUNÇÃO CONATIVA
 A palavra “conativo” provém do latim conatus, que significa
“esforço ou ação que procura impor-se a uma resistência”.
Essa função procura organizar o texto de forma a que se
imponha sobre o receptor da mensagem, persuadindo-o,
seduzindo-o. Nas mensagens em que predominam essa
função, busca-se envolver o leitor com o conteúdo
transmitido, levando-o a adotar este ou aquele
comportamento.
 Exemplo: mensagens publicitárias.
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

FUNÇÃO FÁTICA
 A palavra fático vem do grego phátis, que significa “ruído,
rumor”, Foi utilizada inicialmente para designar certas
formas que se utilizam para chamar a atenção (psiu, ahn,
ei). Essa função ocorre quando a mensagem se orienta
sobre o canal de comunicação ou contato, buscando
verificar e fortalecer toda eficiência.
 Exemplos: para ela contribuem, nos textos escritos, desde a
disposição gráfica sobre o papel, até a seleção vocabular e
as estruturas de frase utilizadas
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

FUNÇÃO METALINGUÍSTICA
Quando a mensagem se volta sobre si mesma,
transformando-se em seu próprio referente. Nos
textos metalinguísticos a mensagem se orienta para
os elementos do código, explicando-os, definindo-
os ou analisando-os.
Exemplos: dicionários, textos que interpretam
outros textos, poemas que falam de poemas.
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

FUNÇÃO POÉTICA
Quando a mensagem é elaborada de forma
inovadora e imprevista, utilizando combinações
sonoras ou rítmicas, jogos de imagem ou
idéias.Nessa função a imagem é manipulada de
forma pouco convencional, capaz de despertar
surpresa e prazer estético.
Exemplo: poesias, pode ser encontrado em alguns
textos publicitários, determinadas formas
jornalísticas e populares.
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

Em um mesmo texto podem aparecer várias


funções da linguagem. O importante é saber
qual a função predominante no texto, para então
defini-lo.
Exercitando o conceito
VÍCIOS DE LINGUAGEM

 Vícios de linguagem são incorreções ou defeitos no uso da língua falada


ou escrita. Originam-se do descaso ou do despreparo lingüístico de
quem se expressa. São os principais vícios de linguagem:

 Ambigüidade:frases que apresentam duplo sentido. Jacinto, Vi a Célia


passeando com a sua irmã.
 Barbarismo: emprego de palavras erradas relativamente à pronúncia,
forma ou significação.Os cidadões proporam uma nova ordem.
 Cacofonia: Um por cada vez.
 Pleonasmo vicioso: redundância. Ele nutre uma inexplicável xenofobia
aos estrangeiros. Plebiscito popular
Pleonasmo figura de linguagem/ não vício : chorei lágrimas de sangue, vi com meus próprios olhos.
 Solecismo: erro de sintaxe ( concordância, regência, colocação)
 Eco: concorrência de palavras que têm a mesma terminação.
VÍCIOS DE LINGUAGEM

 Estrangeirismo
Um dos fatores relevantes da variedade lingüística são os empréstimos
vocabulares em conseqüência do intercâmbio cultural, político,
econômico entre as nações. Porém existe um grande número de
importações desnecessárias, em que a língua estrangeira ( em geral o
inglês) é usada como fator de prestígio social.

 Preciosismo
Afetação da linguagem. Emprego de palavras rebuscadas,
desconhecidas.
Ex: Você nunca experimentou a emoção do ilapso.
Obs.: ilapso=influência divina, poder de Deus.
CONSTRUÇÃO DE TEXTO

Parágrafo: o parágrafo é uma unidade redacional.


 Serve para dividir o texto em partes menores, tendo em vista
os diversos enfoques.
 O parágrafo não muda o assunto,pode mudar a abordagem;
 A cada novo enfoque, a cada nova abordagem, haverá novo
parágrafo.
 A compreensão da estrutura do parágrafo é o melhor caminho
para a segura compreensão do texto.
Parágrafo

Divisão de um parágrafo:
 Tópico frasal - é a idéia-núcleo extraída de maneira clara e
concisa do interior do parágrafo;
 Desenvolvimento - através do qual, o tópico frasal recebe uma
carga informativa onde, muitas vezes, se agregam as idéias
secundárias;
 Conclusão – nem sempre presente; serve para resumir o
conteúdo do parágrafo, sublinhando seu ponto de interesse e
localizando no final do mesmo;
 Elemento relacionador- não obrigatório, mas geralmente
presente a partir do segundo parágrafo; visa estabelecer um
encadeamento lógico entre as idéias, servindo de elo entre o
parágrafo em si e o tópico que o antecede.
Exercício

Texto: A língua do Brasil amanhã.


Sublinhar as frases que se referem ao tópico frasal de
cada parágrafo.
Colocar em colchetes as idéias secundárias.
Circular o elemento relacionador, se houver.
O estudo do texto

 Propósito do estudo – qual o seu objetivo ao ler


determinado texto? Qual a razão reflexiva?
 Delimitação do assunto:
ASSUNTO DELIMITAÇÃO OBJETIVO
esportes A prática de esportes Apontar as vantagens da
prática de esportes na
terceira idade
televisão O uso da televisão Entender os possíveis
efeitos do uso excessivo
do meio
Publicidade O idoso na publicidade Analisar como o idoso é
representado na
propaganda atual.
métodos de abordagem para o objeto de
estudo

 Analisar - é decompor um todo em suas partes


para melhor estudá-lo.
 Sintetizar - é reconstituir o todo decomposto
pela análise.
 Interpretar- é o julgamento que ocorre após as
etapas de análise e síntese.
Facilitadores do estudo do texto

Sublinhar , esquematizar, resumir


Sublinhar:
 Definir o objetivo
 Leitura prévia e sinalização
 Segunda leitura : sublinhar a idéia principal, os pormenores
mais significativos.

Nota: Sublinhe só o que é realmente importante para


o estudo que está sendo feito.
Esquema

Esquema – é a representação gráfica, sintética, do que se


leu. Esse tipo de anotação, geralmente feito em fichas, deve
ser montado numa seqüência lógica que ordene as
principais partes do conteúdo do texto numa subordinação
hierárquica. O esquema destaca o propósito da leitura,
possibilita a melhor compreensão do texto e facilita
consultas futuras.
 Exemplo: esquemas gráficos e sumários.
oral
Prova
escrita
Avaliação Trabalho
Participação
ESQUEMA

Mantenha no esquema a fidelidade ao texto original.


Ordene a estrutura do esquema de forma lógica e
compreensível (idéia clara sobre o conteúdo da
leitura)
RESUMO

O resumo é a condensação do texto.


Normas práticas de elaboração do resumo:
 Não resumir antes de levantar o esquema ou preparar as
anotações da leitura . O resumo tem de derivar sempre do
estudo efetuado e ser conseqüência da leitura preparada. O
resumo de texto deve manter a fidelidade ao texto original.
 Ao redigir, usar frases breves, diretas e objetivas. – concisão e
clareza ao transportar o pensamento do autor. Havendo
necessidades, faça transcrições e coloque-as entre aspas,
completando a referência com número da página entre
parênteses.
 Acrescentar referências bibliográficas e observações de caráter
pessoal, sempre que necessário.
EXERCÍCIO

1- Escolha o assunto, a delimitação e defina o objetivo.


2- Sublinhe o texto
3- Faça um esquema
4- Faça um resumo
Coerência e coesão

Coerência: capacidade argumentativa


 Sentido
 Relações de dados
 Lógica interna – rede de conceitos.
Coesão : manifestação lingüística da coerência.
 Capacidade lingüística
 Unidade formal
Coesão

Coesão é a conexão, ligação, harmonia entre os


elementos de um texto. Percebemos tal definição
quando lemos um texto e verificamos que as
palavras, as frases e os parágrafos estão
entrelaçados, um dando continuidade ao outro.
Os elementos de coesão determinam a transição
de idéias entre as frases e os parágrafos.
Coesão

Observe a coesão presente no texto a seguir:

“Os sem-terra fizeram um protesto em Brasília contra a


política agrária do país, porque consideram injusta a atual
distribuição de terras. Porém o ministro da Agricultura
considerou a manifestação um ato de rebeldia, uma vez
que o projeto de Reforma Agrária pretende assentar
milhares de sem-terra.”
JORDÃO, R., BELLEZI C. Linguagens. São Paulo: Escala Educacional, 2007, 566 p.
Coesão

- Palavras de transição: são palavras


responsáveis pela coesão do texto, estabelecem a
inter-relação entre os enunciados (orações, frases,
parágrafos), são preposições, conjunções, alguns
advérbios e locuções adverbiais.
COESÃO

Exercício oral
Complete as frases com elementos de coesão:
3. ...............o esquecimento é normal em qualquer idade, ................. em
idades avançadas há um complicador a mais: o acúmulo de perdas de
células nervosas.
4. ..............., o envelhecimento está associado a dificuldades de memória e
à lentidão de raciocínio..............., acredita-se que idosos ficam com
dificuldades em lembrar e compreender situações novas que lhes são
apresentadas rapidamente, ....................., superam os jovens em
raciocínios que exigem maior "sabedoria".
5. A idade avançada deixa os idosos mais vulneráveis, ............,são vítimas
de quedas e atropelamentos. ................não há segurança na travessia de
semáforos ....................tempo suficiente para que cheguem do outro
lado da rua.
Técnica da ordenação de texto

2. Delimitar o tema
3. Definir palavras-chave referente ao assunto.

5. Escrever em forma de frases tudo que sabe e quer


dissertar sobre o assunto escolhido.
6. Inserir os elementos de coesão para harmonizar o
texto.
Ordenação do texto

 Na TV, o discurso publicitário ganha um reforço considerável: a força das imagens


em movimento.
 Para a conscientização é necessário identificar as estratégias usadas para criar o
apelo ao consumo.
 Comerciais exibidos na televisão recorrem a estereótipos para criar a sensação de
desejo no inconsciente do telespectador.
 A linguagem da propaganda, em qualquer meio de comunicação, é sempre a da
sedução, a do convencimento.
 Aprender a “ler” as peças publicitárias veiculadas pela TV tem a mesma
importância, na formação de um telespectador crítico, que saber analisar os
noticiários e as telenovelas.
 A publicidade funciona assim nas revistas, nos jornais, no rádio e nos outdoors, mas
suas armas parecem mais poderosas na televisão.
 Se é verdade, como dizem os críticos, que a propaganda tenta criar necessidades que
não temos, os comerciais de TV são os que mais perto chegam de nos fazer levantar
imediatamente do sofá para realizar algum desejo de consumo.