Sie sind auf Seite 1von 16

LEVEDURAS

DEFINIÇÃO DE LEVEDURA

• Leveduras são definidas como fungos que têm a fase unicelular como
predominante em seu ciclo de vida, nos quais a reprodução se dá por
brotamento ou por fissão. Embora haja fungos que apresentem uma fase
leveduriforme em seu ciclo de vida, esta tem que ser predominante para que
um fungo possa ser classificado como levedura. Porém, o termo levedura não
tem nenhum significado taxonômico, denotando apenas uma forma de
crescimento de fungos. Deste modo, existem várias espécies de zigomicetos,
ascomicetos, basidiomicetos e deuteromicetos que podem apresentar
crescimento tanto micelial como leveduriforme, de acordo com as condições
ambientais.
• A ordem Saccharomycetales é a que concentra a maior parte das leveduras
conhecidas, embora haja também leveduras basiodiomicetos, ficomicetos e em
outras ordens de ascomicetos. Esta ordem é caracterizada não pela fase
leveduriforme de crescimento, mas sim pela ausência de ascocarpos e de hifas
ascogênicas. A plasmogamia nesta ordem ocorre pela fusão das células que
funcionam como gametângios e a cariogamia ocorre logo após a plasmogamia
de forma que não existe estágio dicariótico. Dependendo da espécie, a fase
diplóide é predominante, porém, existem casos nos quais a fase aploide é a
predominante.
Fungos Dimórficos
São fungos que podem crescer tanto unicelularmente como pluricelularmente.
Quando o crescimeto é unicelular se diz que é leveduriforme, quando é pluricelular se diz
que é micelial. Para que um fungo seja considerado dimórfico ele precisa apresentar as
duas formas de crescimento, que variam conforme as condições ambientais
Como exemplo podemos citar o fungo Patogênico Histoplasma capsulatum, que no ambiente
cresce micelialmente e quando infecta o homem e outros animais cresce na forma
leveduriforme, o meio, externo ou interno, constitui a condição ambiental determinante
da forma de crescimento. Outras condições como a presença de determinados nutrientes
no meio ou a temperatura podem também determinar a forma de crescimento e
conseqüentemente o dimorfismo.

Abaixo pode-se ver à esquerda o fungo crescido no organismo a 37oC, à direita se vê fungo
crescido em cultura a 25oC
Pseudohifas
São formas alternativas ao crescimento leveduriforme, nas pseudohifas
as células são alongadas, na forma de hifas, porem não há divisão entre
elas, não há cepto e existe apenas um núcleo. Em Candida albicans são
muito freqüentes, principalmente nas formas invasivas dos tecidos.

Abaixo pode-se ver à esquerda material contendo Candida albicans de


cavidade oral, onde e observa formas leveduriformes e pseudohifas, à
direita se vê a cavidade oral infectada sapinho).
OCORRÊNCIA DAS LEVEDURAS

• A maioria das espécies de leveduras ocorre na natureza em exudatos


açucarados de plantas, e no néctar das flores, também há muitas
espécies que ocorrem na superfície de frutas frescas ou em frutas
apodrecidas. Em comum, todos os habitats contêm altas concentrações
de açucares. Como as leveduras têm grande capacidade de resistência
ao estresse osmótico, é comum encontra-las como contaminantes em
produtos industrializados derivados de frutas ou em salmouras de
conservas de alimentos. Há também leveduras associadas a águas
doces e salgadas, solos, excrementos e trato digestivo de animais.
Existem ainda leveduras associadas a insetos, que as dispersam.
HISTÓRICO
1680 - As leveduras foram visualizadas pela primeira vez em 1680 por Antony van
Leewenhoeck em material recolhido de dornas de cervejaria.

1837 - A levedura de cervejaria foi classificada por Schwann como fungo do açúcar, em
alemão zuckerpilz, e em latim Saccharomyces.

1866 – Pasteur publica sue trabalho clássico “Études sur lê vin”, no qual reconhece as
leveduras (Saccharomyces) como agente de fermentação.

1876 – Pasteur publica outro trabalho clássico “Études sur la bière” atribuindo às leveduras
(Saccharomyces) papel na cervejaria idêntico ao exercido na fermentação do vinho.

1912 – Guillermond publica o primeiro trabalho sobre a sistemática das leveduras,


descrevendo várias espécies.

1910 a 1980 – Desenvolvimento das técnicas de genética de leveduras.

1996 – Liberada a seqüência do genoma de Saccharomyces, primeiro eucarioto a ter seu


genoma seqüenciado.

1970 a 2006 – Desenvolvimento das técnicas de biologia molecular de leveduras.


IMPORTÂNCIA ECONÔMICA
Leveduras do gênero Saccharomyces estão associadas aos seguintes
produtos ou processos:

Panificação

Cervejaria

Vinícola

Farmacêutica (produção de riboflavina e outras vitaminas do


complexo B)

Alcool combustível

Fermentações em geral

Produção de ácido cítrico


Importância Geral

Também são importantes como:


Suplemento alimentar (Saccharomyces, Candida utilis, Kluyveromyces
marxianus)

Fitopatógenos (várias espécies)

Micoparasitas (várias espécies)

Patógenos humanos e animais (candidiases, criptococose, histoplasmose,


blastomicose, paracocidiomicose etc)

Contaminantes de alimentos (várias espécies)

Componentes de ecossistemas (decompositores)

Modelo científico (Saccharomyces cerevisiae, Shizosaccharomyces pombe)


Principais espécies
Saccharomuces cerevisiae: É a levedura de panificação, cervejaria e dornas de fermentação. As leveduras são
recolhidas após os processos de fermentação e depois de secas a vapor são vendidas como alimento tanto para
humanos como para animais. Leveduras cruas ou na forma de extrato de levedo são fontes de vitaminas do
complexo B.

Candida utilis: Levedura capaz de crescer em no resíduo de processamento da indústria de papel e celulose, este resíduo
é chamado licor e é rico em pentoses. O crescimento de Candida utilis no licor reduz sua demanda biológica de
oxigênio, tornando mais fácil seu descarte no ambiente além de gerar biomassa usada para alimentação animal.

Kluyveromyces marxianus: Esta levedura cresce em soro de leite e é também usada para diminuir a DBO deste efluente
da indústria de laticínios e para produzir biomassa para alimentação animal.

Phaffia rhodozyma: Produz o corante astaxantina, que é usado na psicultura de salmão e truta, carcinocultura, e
avicultura. Também pode ser usada como complemento alimentar humano.

Shizosaccharomyces pombe: Usada como modelo científico

Cryptococcus neoformans: Patógeno humano, causando micoses sistêmica.

Candida albicans: Patógeno humano causando micoses (candidiases) superficiais (pele e mucosas) e profundas
(sistêmicas, invasivas de órgãos e tecidos)

Blastomyces spp: Patógeno humano causando micoses (blastomicoses) superficiais (pele e mucosas) e profundas
(sistêmicas, invasivas de órgãos e tecidos)

Paracoccidioides brasiliensis: Patógeno humano causando micoses (blastomicoses) superficiais (pele e mucosas) e
profundas (sistêmicas, invasivas de órgãos e tecidos)
Formas de Reprodução
As leveduras podem se reproduzir por:
- Gemulação

- Fissão
- Esporulação

Asexuada por formação de esporos assexuados como


conídia, artrosporos, blastosporos, clamidosporos etc.

Sexuada (formação de ascosporsos, basidiosporos etc)


Saccharomyces cerevisiae, microfotografias, óptica e eletrônica.
Schizosacharomyces pombe
Candida, formando pseudohifas
Ciclos homotálico e heterotálico de Saccharomyces
Organelas e compartimentos em uma célila de levedura
Metabolismo em condições aeróbicas e anaeróbicas